SISTEMA IMOBILIÁRIO ON-LINE UTILIZANDO LINGUAGEM JAVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA IMOBILIÁRIO ON-LINE UTILIZANDO LINGUAGEM JAVA"

Transcrição

1 UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Maria Eliza dos Santos Almeida Pedro Henrique da Silva Brumati SISTEMA IMOBILIÁRIO ON-LINE UTILIZANDO LINGUAGEM JAVA LINS SP 2010

2 MARIA ELIZA DOS SANTOS ALMEIDA PEDRO HENRIQUE DA SILVA BRUMATI SISTEMA IMOBILÍARIO ON-LINE UTILIZANDO LINGUAGEM JAVA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Banca Examinadora do Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, curso de Tecnologia em Sistemas para Internet, sob a orientação da Profª M.Sc Cibele Aparecida Rodrigues Barbosa LINS SP 2010

3 A449s Almeida, Maria Eliza dos Santos; Brumati, Pedro Henrique da Silva; Sistema imobiliário on-line utilizando linguagem Java / Maria Eliza dos Santos Almeida; Pedro Henrique da Silva Brumati -- Lins, p. il. 31cm. Monografia apresentada ao Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium UNISALESIANO, Lins SP, para graduação em Tecnologia em Sistemas para Internet, 2010 Orientadora: Cibele Aparecida Rodrigues Barbosa Título. 1. J2EE. 2. Gerenciamento Imobiliário. 3. Aplicações Web. I CDU 004

4 MARIA ELIZA DOS SANTOS ALMEIDA PEDRO HENRIQUE DA SILVA BRUMATI SISTEMA IMOBILIÁRIO ON-LINE UTILIZANDO LINGUAGEM JAVA Monografia apresentada ao Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, para obtenção do título de Tecnólogo em Sistemas para Internet. Aprovada em: / / Banca Examinadora: Profª Orientadora: M. Sc. Cibele Aparecida Rodrigues Barbosa Titulação: Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP). Assinatura: 1º Profº: M. Sc. Alexandre Ponce de Oliveira Titulação: Mestre em Ciência da Computação pelo Centro Universitário Eurípedes de Marília (Univem). Assinatura: 2º Profº: M. Sc. João João Artur Izzo Titulação: Mestre em Comunicação pela Universidade Paulista (UNIP). Assinatura:

5 DEDICATÓRIA A Isabel, por acreditar na minha capacidade, não medindo esforços para que eu realizasse meus sonhos. Agradeço pela dedicação, carinho, amor, pelo exemplo de coragem, determinação e bondade, ao qual eu tenho orgulho de poder chamá-la de Mãe. Maria Eliza Dedico esta monografia aos meus familiares, especialmente para minha mãe Marli e minha avó Vicentina, que em nenhum momento mediram esforços para a realização dos meus sonhos, que sempre me mostraram os caminhos corretos e me ajudaram a fazer as melhores escolhas. Também dedico a minha companheira de monografia, Maria Eliza, que sempre esteve me apoiando, motivando e ensinando-me a ser uma pessoa melhor. A vocês devo essa pessoa que me tornei, e tenho muito honra em tê-los ao meu lado. Pedro Henrique

6 AGRADECIMENTOS Agradeço em primeiro lugar a Deus, que iluminou os meus passos durante essa caminhada. A minha mãe, Isabel, que sempre esteve ao meu lado me apoiando e incentivando em todos os momentos. Ao meu grande amigo e parceiro de monografia Pedro Henrique, pela amizade, incentivo e pelo aprendizado. A orientadora, Cibele, pela dedicação, confiança e auxílio na realização desta monografia; Ao professor João Artur, pelas conversas, conselhos e carinho dedicado a nós. Obrigada pela amizade. Ao professor Anderson Pazin, pela ajuda, confiança e dedicação ao qual foi de extrema importância no desenvolvimento deste trabalho. Ao Coordenador Eduardo Bergamo, pela atenção, respeito e confiança que sempre teve em nós. Aos meus amigos em especial Bruno Regattieri, Débora Sallino, Juliane, Leandro Pavoni e Murillo, pelos momentos de descontração e incentivo. Aos professores que sempre se dedicaram e nunca mediram esforços para que pudéssemos aprender. A todos muito obrigada! Maria Eliza

7 AGRADECIMENTOS A Deus, o que seria de mim sem a fé que tenho nele. Deus é minha razão de ser e de viver. Aos meus pais, minha irmã, meus avós e a toda minha família que com muito carinho e apoio, não mediram esforços para que eu chegasse até esta etapa de minha vida. À professora Cibele pela paciência na orientação e incentivo, na realização da conclusão desta monografia. Aos professores Anderson Pazin e João Artur Izzo pelo apoio e inspiração no amadurecimento dos meus conhecimentos e conceitos que me levaram a execução e conclusão desta monografia. Ao professor e coordenador Eduardo Bergamo, pelo convívio, pelo apoio, pela compreensão e pela amizade. A todos os professores que foram tão importantes na minha vida acadêmica e a todos que colaboraram no desenvolvimento desta monografia. Aos amigos e colegas, em especial: Leandro Pavoni e Bruno Regattieri, pelo incentivo e pelo apoio constante durante todo o curso. Pedro Henrique

8 RESUMO Este trabalho tem como objetivo mostrar o uso da plataforma Java 2 Enterprise Edition (J2EE), que possui inúmeros recursos para o desenvolvimento de aplicações web. Seguindo a forte tendência de mercado em se desenvolver aplicações baseadas em plataformas web, foi desenvolvido para demonstração da plataforma, um software para gerenciamento imobiliário on-line para pequenas e médias empresas, que visa atender as necessidades básicas de uma imobiliária. Para o desenvolvimento desta ferramenta foram integradas outras tecnologias que, em conjunto com a plataforma J2EE, pode trazer maior flexibilidade e integração do sistema. Entre as demais tecnologias usadas para o desenvolvimento desse sistema estão: Ajax, Cascading Style Sheets (CSS) e Java Server Pages (JSP) que tornam a aplicação mais dinâmica e interativa com o usuário, podendo ser personalizado de acordo com as necessidades dele. Para o armazenamento de dados da imobiliária foi utilizado o sistema gerenciador de banco de dados Oracle Express Edition. Palavras-chave: J2EE. Gerenciamento Imobiliário. Aplicações Web.

9 ABSTRACT This work aims to show the use of Java 2 Enterprise Edition (J2EE), that has numerous features for developing web applications. Following the strong market trend to develop applications based on web platforms, was developed to demonstrate the platform, an on-line real estate management software for small and medium enterprises, which aims to meet the basic needs of an real estate. To develop this tool other technologies that were integrated in conjunction with the J2EE platform can bring greater flexibility and system integration, among the other technologies used to develop this system are: Ajax, Cascading Style Sheets (CSS) and Java Server Pages (JSP) that make the application more dynamic and interactive user, can be customized according to user needs. For data storage system was used, real estate manager of Oracle Database Express Edition. Keywords: J2EE. Real Estate Management. Web Applications.

10 LISTA DE FIGURAS Figura 1. Diagrama de Classe Figura 2. Diagrama de use-case Figura 3. Diagrama de Sequência Figura 4. Diagrama de Colaboração Figura 5. Diagrama de Componentes Figura 6. Comparação do modelo tradicional e Ajax Figura 7. Cadastro de cliente Figura 8. Cadastro de Imóvel Figura 9. Corretores Figura 10. Cadastro de Contrato Figura 11. Cadastro de Recibo Figura 12. Agenda Figura 13. Divulgar Lista Figura 14. Configurações Figura 15. Dados da imobiliária Figura 16. Backup Figura 17. Cadastro de Imóvel (dados pessoais) Figura 18. Cadastro de Imóveis (Dados do Imóvel) Figura 19. Pesquisa de imóveis Figura 20. Use Case: Cadastrar funcionário Figura 21. Use Case: Cadastrar imóvel Figura 22. Use Case: Cadastrar Proprietário Figura 23. Use Case: Cadastrar Inquilino Figura 24. Use Case: Cadastrar fiador Figura 25. Use Case: Efetuar pagamento de aluguel Figura 26. Use Case: Cadastrar locação Figura 27. Use Case: Cadastrar venda Figura 28. Use Case: Cadastrar comprador Figura 29. Use Case: Gerar relatório de funcionário Figura 30. Use Case: Gerar relatório de proprietário... 54

11 Figura 31. Use Case: Gerar relatório de imóvel Figura 32. Use Case: Gerar relatório de inquilino Figura 33. Use Case: Gerar relatório de fiador Figura 34. Use Case: Cadastrar tipo de imóvel Figura 35. Diagrama de Classe Figura 36. Diagrama de Sequência 01: Funcionário solicita cadastro Figura 37. Diagrama de Sequência 02: Cadastro de Imóvel Figura 38. Diagrama de Sequência 03: Cadastro de Proprietário Figura 39. Diagrama de Sequência 04: Cadastro de inquilino Figura 40. Diagrama de Sequência 05: Cadastro de fiador Figura 41. Diagrama de Sequência 06: Pagamento de aluguel Figura 42. Diagrama de Sequência 08: funcionário efetua locação Figura 43. Diagrama de Sequência 08: Funcionário efetua venda Figura 44. Diagrama de Sequência 06: Comprador solicita cadastro Figura 45. Diagrama de Sequência 08: Relatório de funcionário Figura 46. Diagrama de Sequência 09: Relatório de proprietário Figura 47. Diagrama de Sequência 10: Relatório de imóvel Figura 48. Diagrama de Sequência 12: Relatório de inquilino Figura 49. Diagrama de Sequência 13: Relatório de fiador Figura 50. Diagrama de Sequência 13: Cadastro de tipo de imóvel Figura 51. Tela inicial do sistema Figura 52. Tela inicial do sistema Figura 53. Cadastro de pessoa física Figura 54. Cadastro de pessoa jurídica Figura 55. Cadastro de imóvel Figura 56. Cadastro de locação Figura 57. Efetuar venda Figura 58. Pagamento de aluguel Figura 59. Relatório de pessoa Figura 60. Relatório de imóvel Figura 61. Cadastro de tipo de imóvel LISTA DE QUADROS

12 Quadro 1. Lista de Use-Case Quadro 2. Estrutura da tabela imóvel Quadro 3. Estrutura da tabela pessoa Quadro 4. Estrutura da tabela fisica Quadro 5. Estrutura da tabela juridica Quadro 6. Estrutura da tabela funcionario Quadro 7. Estrutura da tabela inquilinofiador Quadro 8. Estrutura da tabela aluguel Quadro 9. Estrutura da tabela locacao Quadro 10. Estrutura da tabela venda Quadro 11. Estrutura da tabela tipoimovel... 63

13 LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS AJAX: Asynchronous JavaScript And XML APIs: Application Programming Interfaces CEP: Código de Endereçamento Postal CGI :Common Gateway Interfaces CNPJ: Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica CPF: Cadastro Nacional de Pessoa Física CRECI: Conselho Regional de Corretores de Imóveis DOM: Document Object Mode EE: Enterprise Edition HTML: HyperText Markup Language HTTP: Hyper Text Transfer Protocol IDE: Integrated Development Environment IPTU: Imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana J2EE :Java 2 Enterprise Edition J2ME :Java 2 Micro Edition J2SE: Java 2 Standard Edition JDBC : Java Database Connectivity JSP: Java Server Pages JVM: Java Virtual Machine PL/SLQ :Procedural Language/Structured Query Language SE: Standard Edition SGBD: Sistema Gerenciador de Banco de Dados SO: Sistema Operacional SQL : Structured Query Language UF: Unidade da federação UML:Unified Modeling Language XE: Express Edition XHTML: Extensible Hypertext Markup Language XML: Extensible Markup Language XSLT: Extensible Stylesheet Language Transformations

14 SUMÁRIO INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS CONCEITUAIS UML UNIFIED MODELING LANGUAGE DIAGRAMAS UML PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS JAVA J2EE - JAVA 2 ENTERPRISE EDITION JDBC - JAVA DATABASE CONNECTIVITY SERVLETS JSP JAVASERVER PAGES AJAX CSS - CASCADING STYLE SHEETS SGBD - SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS ORACLE ORACLE XE LEVANTAMENTO DE REQUISITOS ANÁLISE DE MERCADO DOCUMENTOS DE REQUISITOS VISÃO GERAL DO SISTEMA REQUISITOS FUNCIONAIS IMPRESSÃO DE RELATÓRIOS PROCESSAMENTOS ANÁLISE ORIENTADA A OBJETOS LISTA DE CASOS DE USO...44

15 3.2 DIAGRAMA DE CASOS DE USO PROJETO DE BANCO DE DADOS TABELAS PROJETO ORIENTADO A OBJETOS DIAGRAMAS DE SEQUÊNCIA FUNCIONÁRIO SOLICITA CADASTRO FUNCIONÁRIO SOLICITA CADASTRO DE IMÓVEL PROPRIETÁRIO SOLICITA CADASTRO INQUILINO SOLICITA CADASTRO FIADOR SOLICITA CADASTRO FUNCIONÁRIO EFETUA PAGAMENTO DE ALUGUEL FUNCIONÁRIO EFETUA LOCAÇÃO FUNCIONÁRIO EFETUA VENDA COMPRADOR SOLICITA CADASTRO FUNCIONÁRIO SOLICITA RELATÓRIO DE FUNCIONÁRIO FUNCIONÁRIO SOLICITA RELATÓRIO DE PROPRIETÁRIO FUNCIONÁRIO SOLICITA RELATÓRIO DE IMÓVEL FUNCIONÁRIO SOLICITA RELATÓRIO DE INQUILINO FUNCIONÁRIO SOLICITA RELATÓRIO DE FIADOR FUNCIONÁRIO CADASTRA TIPO DE IMÓVEL IMPLEMENTAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS LAYOUT DE TELAS CONCLUSÃO REFERÊNCIAS... 81

16 GLOSSÁRIO... 83

17 14 INTRODUÇÃO Com o passar dos anos, as empresas tendem a se informatizar e a buscar soluções mais adequadas para gerenciar seus produtos e serviços. Os sistemas on-line baseados nos conceitos de cloud computing (computação em nuvem) tem sido uma das soluções mais procuradas por pequenas e médias empresas pela facilidade de uso, flexibilidade e portabilidade, podendo ser acessado de qualquer lugar que tenha conexão com a internet. Esse tipo de sistema precisa apenas de browser para ser executado, não requer instalação ou atualização de software, podendo rodar em qualquer plataforma. A menor necessidade de processamento do sistema não exige que o cliente troque a sua máquina para executar o sistema, facilitando e diminuindo os gastos com hardware e software. A flexibilidade traz ao usuário uma interação maior com o sistema, podendo adaptá-lo conforme sua necessidade. O suporte torna-se mais fácil, pois não há necessidade de deslocar um técnico ao local. Dalfovo e Amorim (2000) explicam que é de extrema necessidade para as organizações a missão de administrar as informações, pois existe uma crescente demanda e sofisticação na tecnologia da informação de software e hardware, e este recurso será de vital importância para a sobrevivência das empresas. Devido aos fatos já descritos, surgiu a idéia de desenvolver um sistema que dará suporte para gerenciar e administrar os negócios de imobiliárias, cuidando principalmente das locações e vendas dos imóveis, usando os recursos on-line. O sistema de gestão imobiliária on-line traz como proposta às empresas a praticidade de terem seus cadastros sempre atualizados e acesso 24 horas, sem a preocupação de realizar backups ou de perderem seus dados por falha de equipamentos. Seus principais recursos são a avançada tecnologia e a operação simplificada. A partir do acesso de plataformas que possibilitam a integração de base de dados na web, permite uma gestão completa na área imobiliária, inteiramente aos negócios do cliente, armazenam dados que agilizam o

18 15 gerenciamento de informações da imobiliária, como gerenciamento de imóveis, clientes, proprietários, descrição de imóveis, entre outras funcionalidades. O principal objetivo é desenvolver um sistema web para imobiliárias, que gerencie cadastros e consulta de dados de forma ágil, utilizando uma interface intuitiva e usual de fácil manuseio, possibilitando assim que o usuário sinta-se seguro em utilizar o sistema. Automatizar a geração relatórios e impressão de contratos e recibos de forma rápida, sem que haja necessidade de altos investimentos na empresa em compra de sistemas ou máquinas de alto processamento. Sobre a segurança das informações, o sistema tem um nível muito alto a respeito da integridade dos dados, fazendo com que elas sejam atualizadas e consistentes. Os objetivos do sistema são: a) automatizar as operações decorrentes da rotina imobiliária, como cadastros, consultas, geração de relatórios, entre outros; b) permitir a visualização de disponibilidades de imóveis; c) disponibilizar controle de aluguéis; d) organizar as informações registradas e e) emitir relatórios com informações de imóveis e a consulta de imóveis. O tema torna-se atual e necessário devido à propagação da internet que possibilita a criação de um novo campo de desenvolvimento de sistemas, ao qual é de grande importância desenvolver para a web, já que o mercado necessita de novas ferramentas que sejam voltadas a web usando tecnologias atuais como Java. A tecnologia J2EE(Java 2 Enterprise Edition) traz a possibilidade de se desenvolver sistemas de grande porte para empresas, voltados para internet. O presente trabalho encontra-se dividido em seis capítulos além da Introdução e Conclusão. O primeiro capítulo - Fundamentos Conceituais, apresenta os conceitos sobre as tecnologias utilizadas no desenvolvimento do sistema imobiliário. O segundo capítulo - Levantamentos de Requisitos, apresenta-se uma análise de mercado focando as ferramentas já existentes que desenvolvem as mesmas tarefas do sistema imobiliário proposto. Além disso, mostra as informações do sistema imobiliário com suas características e funcionalidades.

19 16 O terceiro capítulo - Análise Orientada a Objetos, descreve a análise realizada para desenvolvimento desse sistema mostrando a lista de Caso de Uso, os diagramas de Caso de Uso e Classe. O quarto capítulo - Projeto de Banco de Dados, mostra o desenvolvimento do banco de dados utilizado com tabelas criadas para o sistema. O quinto capítulo - Projeto Orientado a Objeto, mostra o projeto do sistema através dos diagramas de sequência. O sexto capítulo - Implementação Orientada a Objetos, faz a demonstração dos layouts das telas criadas para o sistema.

20 17 1. FUNDAMENTOS CONCEITUAIS 1.1 UML Unified Modeling Language De acordo com Silva (2001), UML é uma linguagem para especificar documentação, visualização e desenvolver sistemas orientados a objetos. Une os principais métodos existentes, sendo considerada uma das linguagens mais expressivas para modelar sistemas orientados a objetos. UML é uma linguagem visual, constituída de elementos gráficos que permite representar os conceitos de paradigmas para modelar sistemas orientados a objetos (BEZERRA, 2006). Nogueira (2005), explica que a UML pode ser utilizada para representar fases dos sistemas, desde os primeiros contatos até a programação, aplicada em qualquer tipo de sistemas em termos de diagramas de orientação a objeto. Uma modelagem UML possibilita uma visão dos sistemas, que é extremamente necessária para a compreensão, documentação e organização dos sistemas. Por meio de diagramas, é possível representar graficamente os sistemas de diversas formas de visualização, que facilita o entendimento do sistema que está sendo desenvolvido. Basicamente a UML é composta de cinco fases no desenvolvimento de software: análise de requisitos, análise, design (projeto), programação e testes (SILVA, 2009). Análise de requisitos: deve ser a primeira fase a ser realizada no desenvolvimento de software, pois visa buscar as funcionalidades do sistema e a necessidade do usuário, que são expressas através das funções de Use- Case (SILVA, 2009). Análise: esta fase faz as abstrações de classes e objetos e outros mecanismos que possam estar presentes. As classes são modeladas e ligadas através de relacionamentos com outras classes e descritas no diagrama de classe. Classes que gerenciam o banco de dados, interface, concorrência e outros não estarão presentes neste diagrama (SILVA, 2009).

21 18 Design (projeto): Nesta fase novas classes são criadas para representar uma infraestrutura interface do usuário e de periféricos, gerenciamento de banco de dados, comunicação com outros sistemas, dentre outros (SILVA, 2009). Programação: Nesta fase as classes criadas na fase do design são convertidas para a linguagem de programação orientada a objeto. Testes: Esta fase realiza testes de unidades que são para classes individuais ou grupo de classes, integração que são aplicados usando as classes e componentes integrados para verificar se as mesmas estão cooperando umas com as outras como especificado no modelo e aceitação que verifica se o sistema está funcionando como especificados nos diagramas de Use-Case (SILVA, 2009). 1.2 Diagramas UML Os diagramas são representações gráficas do modelo que simplificam e melhoram o entendimento do sistema a ser desenvolvido. Os relacionamentos são representados por meio de associações, herança, generalização ou refinamento. Dentre os vários tipos de diagramas da UML, podem-se destacar cinco deles: classes, use-case, sequência, colaboração e componentes. Diagramas de Classes: usado para representar a estrutura estática de uma classe de um sistema; as classes podem ser relacionadas com outras de várias maneiras, como associação, especialização, dependências e em pacotes. Os relacionamentos são mostrados no diagrama de classes juntamente com as suas estruturas internas, que são os atributos e operações (FLOWER, 2005). A figura 1 exemplifica um modelo de diagrama de classe que gerencia pedidos de clientes.

22 19 Fonte: FOWLER, 2005, p. 53 Figura 1. Diagrama de Classe Diagrama de Use-Case: corresponde a uma visão externa do sistema e representa graficamente os atores do sistema e relacionamento entre esses elementos. O diagrama de use-case tem como objetivo ilustrar em um nível alto de abstração quais elementos e funcionalidades do sistema (BEZERRA, 2006). A figura 2 mostra um diagrama de Use-Case de compra de produto.

23 20 Fonte: FOWLER, 2005, p. 107 Figura 2. Diagrama de use-case Diagrama de sequência: representa uma sequência de processos do sistema, descreve a maneira como os grupos de objetos colaboram em algum comportamento ao longo do tempo. Ele registra o comportamento de um único caso de uso e exibe os objetos e as mensagens passadas entre esses objetos no caso de uso (FOWLER, 2009). A figura de 3 mostra um diagrama de sequência de cálculo do valor de pedido pelo cliente Fonte: FOWLER, 2005, p. 69 Figura 3. Diagrama de Sequência

24 21 Diagrama de colaboração: semelhante ao diagrama de sequência mostra a interação de objetos e seus relacionamentos e mensagens trocadas entre eles (FOWLER, 2005). A figura 4 demonstra um Diagrama de Colaboração que mostra a interação da classe vendedor com as classes de compradores. Fonte: Scott, 2002, p. 60 Figura 4. Diagrama de Colaboração Diagrama de componente: mostra como as classes deverão se organizar através da noção de componentes de trabalho. É utilizado quando se tem a necessidade de dividir o sistema em componentes ou mostrar seus relacionamentos por meio de interface (FOWLER, 2005). A figura 5 mostra um modelo de Diagrama de Componentes, demonstrando a interação de um caixa com o sistema de vendas. Fonte:FOWLER, 2005, p. 135 Figura 5. Diagrama de Componentes

25 Plataformas Tecnológicas Java Java é uma linguagem de programação de alto nível, muito similar a linguagem C++, mas com características herdadas de outras linguagens. Desenvolvida pela Sun Microsystem em 1991, tem como principais características a programação orientada a objeto, a portabilidade por ser a única linguagem multi-plataforma. Em maio de 1995, a plataforma Java foi adotada mais rapidamente do que qualquer outra linguagem de programação na história da computação (MORAES, 2009). Em 2004, a linguagem Java já tinha atingido a marca de três milhões de desenvolvedores em todo o mundo. Java continua crescendo e hoje é, com certeza, um padrão para o mercado oferecendo qualidade, performance e segurança ainda sem nenhum competidor a altura (MORAES, 2009). Java tornou-se popular pelo uso na Internet e hoje possui seu ambiente de execução presente em web browsers, mainframes, Sistemas Operacionais, celulares, palmtops e cartões inteligentes (JAVA, 2009). Deitel (2005) diz que Java se tornou a linguagem preferida para implementar aplicativos baseados na Intranet, Internet e software para dispositivos que se comunicam através de uma rede. A linguagem Java difere das outras linguagens, pois é compilada para bytecodes, ao invés de linguagem de máquina como as outras linguagens estáticas. Os bytecodes são interpretados pela Java Virtual Machine (JVM) instalada na máquina do usuário, que os converte em códigos executáveis. A JVM é responsável pelo gerenciamento dos aplicativos, à medida que são executados (JAVA, 2009). Pode ser encontrada em três plataformas principais de desenvolvimento: J2SE (Java 2 Standard Edition) que é o ambiente de desenvolvimento mais utilizado. Isso porque seu uso é voltado a computadores pessoais e servidores, onde há bem mais necessidade de aplicações; J2EE (Java 2 Enterprise Edition) utilizada no desenvolvimento de grandes aplicações voltadas ou não a

26 23 internet; J2ME (Java 2 Micro Edition) utilizada no desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis, como celulares (JAVA, 2009) J2EE - Java 2 Enterprise Edition J2EE consiste em um conjunto de serviços, APIs (Interfaces de Programação de Aplicação) e protocolos, que oferecem a funcionalidade para o desenvolvimento de aplicações de multicamadas, baseadas na web (OLIVEIRA, 2004). O J2EE tem como objetivo fornecer uma plataforma independente, portável, multiusuário, segura e padronizada de classe corporativa para instalações do lado do servidor escrita na linguagem Java (ROMAN, AMBLER E JEWELL, 2004). Esta plataforma tem como objetivo facilitar o desenvolvimento de software exatamente para o ambiente corporativo que tenha interfaces com a internet. Formado por um conjunto de componentes de software padronizados que fornecem os principais serviços necessários para desenvolver um sistema multicamada de qualidade, o J2EE contém praticamente todas as APIs Java que trabalham no lado do servidor (GOMES, 2000). Sampaio (2005) afirma que o modelo de programação J2EE é baseado em containers que fornecem todos os serviços necessários para a aplicação corporativa. Isto faz com que os desenvolvedores escrevam menos códigos, diminuindo o tempo de desenvolvimento e riscos dos projetos, e os problemas de manutenção. J2EE possui uma arquitetura dividida em três camadas lógicas as quais separam os componentes da aplicação de modo a atribuir papéis e responsabilidade para cada parte. A primeira camada é a de aplicação; composta pelos componentes web, esta camada é responsável pela interação com o cliente. A segunda camada é a de aplicação, que tem como função armazenar toda a lógica de processamento; os componentes desta camada recuperam os dados que estejam no banco de dados ou do sistema de informação. A terceira camada é a de interação, faz a função de comunicar-se

27 24 com os sistemas de retaguarda, como banco de dados ou aplicações que rodam em mainframes (ABINADER e LINS, 2006). A plataforma possui diversas especificações, com funcionalidades diferentes, entre elas estão: Java Database Connectivity (JDBC), Servlets, Java Server Page (JSP) JDBC - Java Database Connectivity Os JDBC são conectores do pacote Java fornecido pelos fabricantes de banco de dados ou terceiros, responsáveis por fazer a conexão com o banco de dados (SANTOS, 2007). JDBC oferece uma biblioteca padrão para acessar bancos de dados relacionais. Usando a API JDBC, pode-se acessar uma variedade de diferentes bases de dados SQL com exatamente a mesma sintaxe Java (HALL, 2001). As APIs JDBC são implementadas via um gerenciador de driver que pode suportar conexões a diferentes bancos de dados. O driver JDBC pode ser escrito completamente em Java de forma que possa ser baixado como parte de um applet, ou pode ser implementado usando métodos nativos que criariam uma espécie de ponte para as bibliotecas existentes de acesso a banco de dados (UMEDA, 2009) Servlets Servlets são classes Java que rodam em um servidor web, agindo como um meio de camadas entre pedidos vindo de um navegador web, ou cliente HTTP e outras bases de dados ou aplicações HTTP (HALL, 2001). Como servlets são escritos em Java, eles criam extensões sofisticadas em um servidor, independentemente do sistema operacional. Os servlets podem ler dados enviados pelo usuário por meio de um formulário de uma página web, podendo gerar conteúdos dinâmicos como uma página personalizada, enviar uma mensagem de volta ao cliente com informações em

28 25 formatos HTML ou mesmo em outros formatos. De acordo com Ambler (2006), os servlets recebem dados (uma solicitação), realizando alguma lógica e gravando os dados (uma resposta). Os servlets podem ser reutilizados, pois guardam os dados na memória podendo ser usado repetidamente para atender a muitas solicitações, sem precisar reiniciar o processo toda vez que for requisitado pela rede, diferente do CGI (Common Gateway Interfaces) que precisa ser carregado toda vez que é requisitado. A utilização do servlet padroniza e torna portável a distribuição ou implementação da aplicação. Cria uma solução de cliente/servidor, sendo assim uma das melhores alternativas para criação de aplicação web JSP JavaServer Pages De acordo com Temple (2004), as páginas JSP foram criadas para contornar algumas das limitações no desenvolvimento com Servlets: se em um Servlet a formatação da página HTML resultante do processamento de uma requisição mistura-se com a lógica da aplicação em si, dificultando a alteração dessa formatação, em uma página JSP essa formatação encontra-se separada da programação, podendo ser modificada sem afetar o restante da aplicação. Por ser uma tecnologia baseada em Java, ela aproveita todos os recursos e vantagens da linguagem. O JSP pode conter HTML ou XML e tags JSP específicos, que podem ou não conter código Java, para a geração dinâmica de uma página. O JSP permite separar a programação lógica da programação visual, isto facilita o desenvolvimento de aplicações maiores, onde programador e designer podem trabalhar no mesmo projeto, mas de forma independente (GEHL e BUENO, 2009).

29 AJAX Moroni (2007) diz AJAX é a abreviação de Asynchronous Javascript and XML. Não é uma tecnologia, mas sim uma metodologia, que utiliza tecnologias como JavaScript, DOM e XML. Com a utilização do AJAX, evita-se que a cada solicitação do servidor a página seja recarregada completamente. Para Sampaio (2007), AJAX é uma releitura de técnicas de script dinâmico com o uso do objeto XmlHttpRequest, que é capaz de enviar requisições HTTP de dentro do scripts Javascript. AJAX incorpora em suas aplicações: a) apresentação baseada em padrões, com a utilização de XHTML e CSS; b) exposição e interação dinâmica usando o DOM; c) intercâmbio e manipulação de dados usando XML e XSLT; d) recuperação assíncrona de dados usando o objeto XMLHttpRequest; e) JavaScript unindo todas elas em conjunto. Fonte: GARRETT, 2005 Figura 6. Comparação do modelo tradicional e Ajax

30 27 Desenvolver aplicações utilizando AJAX traz uma interatividade maior para o usuário, pois uma vez carregada a página, ela não necessita fazer a requisição com o servidor a cada interação, como foi mostrado na figura 6. A maior vantagem das aplicações AJAX é que elas rodam no próprio browser desde que tenham sido lançados após 2001, são eles: Mozilla Firefox, Internet Explorer 5 ou superior, Opera, Konqueror e Safari, os quais são os mais utilizados CSS - Cascading Style Sheets CSS ou folha de estilos de acordo com Flanagan(2004), é um padrão para especificar a apresentação visual de documentos HTML(ou XML). Ao invés de formatar a aparência do documento na marcação HTML, cria-se uma folha de estilos para definir o aspecto visual do documento. Com o uso do CSS, o código fonte do documento HTML fica com um melhor entendimento, tornando mais fácil na hora de fazer alterações tanto no documento quanto em seu visual. 1.4 SGBD - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Um SGBD é uma coleção de programas que permitem ao usuário definir, construir e manipular Bases de Dados para as mais diversas finalidades. (BERGAMO, 2008). O SGBD armazena completamente toda a descrição dos dados armazenados, e seus relacionamentos e a forma como esses dados são acessados. (BERGAMO, 2008) Oracle O Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Oracle surgiu no final da década de 70, quando Larry Ellison vislumbrou uma oportunidade que

31 28 outras companhias não haviam percebido. Ao encontrar a descrição de um protótipo funcional de um banco de dados relacional, descobriu que nenhuma empresa tinha se empenhado em comercializar essa tecnologia (ORACLE, 2009). De acordo com Ramalho (1999), o Oracle é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional que, além do banco de dados, possui uma instância de servidor Oracle. O Oracle possui duas estruturas, a física e a lógica. Elas são separadas, podendo-se gerenciar o armazenamento físico sem afetar o acesso lógico de armazenamento. O SGBD Oracle utiliza a linguagem PL/SLQ (Procedural Language/Structured Query Language), para tratar e gerenciar a base de dados. Os SGBD Oracle estão divididos em seis grandes versões, segundo Oracle (2009): a) Standard Edition (SE) Possui funções básica de banco de dados. Desenvolvido para pequenas e médias empresas; b) Enterprise Edition (EE) Possui mais funcionalidades que a Standard Edition, especialmente nas áreas de performance e segurança.; c) Standard Edition One, introduzido com o Oracle 10g, possui algumas restrições de funcionalidades adicionais. Desenvolvido para pequenas empresas com capital restrito; d) Express Edition (XE) versão básica simplificada do banco de dados, baseada no código do Oracle 10g Release 2 para desenvolvimento, implementação e distribuição gratuitas; e) Oracle Personal Edition: versão com as características e funcionalidades da versão Enterprise Edition, mas voltada para desenvolvedores e usuários; f) Oracle Database Lite: versão de tamanho compacto desenvolvida para rodar em dispositivos móveis.

32 Oracle XE O Oracle XE é uma versão gratuita de SGDB da Oracle, que pode ser desenvolvido e implementado em aplicativos de várias plataformas, trazendo suporte para vários ambientes de desenvolvimento como Java, Net e Web em geral. Pode ser instalado em uma máquina local de baixa configuração. O XE armazena até 4GB de dados do usuário, sendo disponível para Windows de 32 bits e também para uma grande variedade de SO.

33 30 2 LEVANTAMENTO DE REQUISITOS 2.1 Análise de Mercado Após realizar uma pesquisa de software no ramo imobiliário, foram encontradas várias ferramentas que proporcionam o gerenciamento imobiliário. No entanto, elas não dispõem de alguns recursos como a personalização do sistema e portabilidade. Encontram-se disponíveis no mercado várias ferramentas para gerenciamento de ambiente para locação de imóveis, todas com suas características e particularidades. Assim serão descritas com mais detalhes as ferramentas Ageo Profissional e Super Imobiliária on-line que, pelas suas características e qualidades, são as mais requisitadas pelo mercado e também por estarem mais próximas do Sistema Imobiliário proposto no presente trabalho. O Ageo Profissional é software local para gerenciamento imobiliário que possui disponível os seguintes recursos: a) cadastro de clientes; b) cadastro de imóveis; c) contrato simplificado; d) recibo; e) agenda; f) divulgação dos imóveis cadastrados; g) configurações; h) cadastro de corretores; i) dados da Imobiliária; j) backup. Na tela de Cadastro de Clientes (Figura 7), é possível realizar essa ação diferenciando o cliente em pessoa física ou jurídica, com os seguintes atributos: Nome, endereço, CEP, bairro, estado, cidade, se for pessoa física CPF, ou se for jurídica CNPJ, RG, telefone, data de nascimento, fax, celular, e .

34 31 Também oferece a visualização dos imóveis do cliente. Com as opções na parte superior da tela: novo, salvar, cancelar, imprimir, excluir, atualizar, pesquisar e sair. Fonte: Ageo Profissional Figura 7. Cadastro de cliente Fonte: Ageo Profissional Figura 8. Cadastro de Imóvel Cadastro de Imóveis (Figura 8): neste cadastro é obrigatório selecionar o cliente dono no imóvel (proprietário) e possui os seguintes atributos: endereço,

35 32 bairro, CEP, cidade, estado, telefone, celular, tipo, categoria, modalidade, status, quantidade de chaves, corretor, valor, hora visita, descrição, e inclusão de fotos do imóvel. Com as opções na parte superior da tela: novo, salvar, cancelar, imprimir, excluir, atualizar, pesquisar e sair. Corretores (Figura 9) nesta tela deverão ser fornecidos os dados do corretor, o nome e telefone. Com as opções na parte superior da tela: novo, salvar, cancelar, excluir, atualizar, pesquisar e sair Fonte: Ageo Profissional Figura 9. Corretores Contrato simplificado (Figura 10): São solicitados os seguintes atributos: nome, endereço, bairro, CEP, cidade, estado, CPF, RG, órgão empresarial, telefone, data, cláusulas e a opção obrigatória de buscas um cliente para finalizar o contrato. Com as opções na parte superior da tela: novo, salvar, cancelar, imprimir, excluir, atualizar, pesquisar e sair. Fonte: Ageo Profissional Figura 10. Cadastro de Contrato

36 33 Recibo (Figura 11): nessa tela, é solicitado nome, valor, referente, cidade, data e campo para buscar o cliente para concretizar o recibo. Com as opções na parte superior da tela: novo, salvar, cancelar, imprimir, excluir, atualizar, pesquisar e sair. Fonte: Ageo Profissional Figura 11. Cadastro de Recibo Agenda (Figura 12): é solicitado nome, endereço, bairro, cidade, telefone, celular, fax, , site e um campo de observações. Com as opções na parte superior da tela: novo, salvar, cancelar, imprimir, excluir, atualizar, pesquisar e sair. Fonte: Ageo Profissional Figura 12. Agenda

37 34 A Figura 13 mostra a tela de divulgação dos imóveis cadastrados onde são solicitados os seguintes atributos para a geração de uma lista de imóveis, clientes, categoria, modalidade, tipo, status, valor mínimo e máximo. Depois de fornecer os dados, é gerada a lista e também disponível a opção imprimir. Com a opção na parte superior da tela: sair. Fonte: Ageo Profissional Figura 13. Divulgar Lista Fonte: Ageo Profissional Figura 14. Configurações

38 35 Já a Figura 13 foca a tela de configurações que faz as alterações do status do imóvel. Com as opções na parte superior da tela: atualizar e sair. Dados da imobiliária representados pela Figura 14 deverão ser informados os dados da imobiliária, com os seguintes atributos: nome, endereço, bairro, CEP, cidade, telefone, fax, , site, CNPJ, IE, CRECI, e logotipo. Com as opções na parte superior da tela: salvar, cancelar e sair Fonte: Ageo Profissional Figura 15. Dados da imobiliária Fonte: Ageo Profissional Figura 16. Backup

39 36 A tela para backup, representada pela Figura 16, é onde o sistema tem a opção de backup dos dados, que podem ser armazenados em disco. Com as opções na parte superior da tela: atualizar e sair. Este software é gratuito para testar, é preciso comprar a licença para utilizar todos os seus recursos. Ele roda em sistema operacional Windows 98/Me/XP/2000. Outra opção de ferramenta para gerenciamento de imobiliária é a Super Imobiliária on-line, que trabalha com várias imobiliárias, porém com apenas uma por região. As características do software são: a) ofertas selecionadas b) cadastro de imóvel c) corretor virtual d) central do cliente e) imobiliárias f) torne-se parceiro g) mapa do site Fonte: Super imobiliária Figura 17. Cadastro de Imóvel (dados pessoais)

40 37 Telas do site: Cadastro de imóvel (Figura17): são solicitados os dados do proprietário com os seguintes atributos: nome do proprietário, , telefone residencial, comercial e celular, endereço, complemento, bairro, cidade, estado e CEP. Na mesma tela, é necessário informar os dados do imóvel com os seguintes atributos: tipo de transação (venda ou locação), finalidade (residencial ou comercial) e tipo de imóvel. Fonte: Super imobiliária Figura 18. Cadastro de Imóveis (Dados do Imóvel) Como mostra a figura 18, são solicitados os demais dados do imóvel com os seguintes atributos: endereço, complemento, bairro, cidade, estado, CEP, ocupação, área útil, área total, chaves, valor do IPTU, agenda de visita com opção sim ou não, campos para informações, observações e descrição interna do imóvel, posição do imóvel, quantidade de quartos e suítes, valor do condomínio e vagas na garagem.

41 38 Fonte: Super imobiliária Figura 19. Pesquisa de imóveis Na tela de pesquisa de imóveis (Figura 19), realiza a pesquisa de imóveis cadastrados no sistema, a busca pode ser feita por: tipo de transação (compra, locação vazio e locação mobiliado), finalidade (residencial ou comercial), tipo de imóvel, localização (estado e bairro), valor do imóvel (valor

42 mínimo, valor máximo), números de quartos e vagas na garagem. 39

43 Documentos de Requisitos Visão geral do sistema O sistema para imobiliária on-line trata do gerenciamento de imóveis a serem locados e vendidos. Também poderá realizar cadastros de funcionários, imóveis, inquilinos, proprietários e fiadores. O sistema deverá vincular proprietário por imóvel, vincular inquilino por fiador, inquilino por imóvel. O sistema poderá gerar diversos relatórios como aluguel, proprietário, inquilino, fiador, imóvel locado, imóvel disponível para venda ou locação, gerar comprovante de pagamento de aluguel e impressão de contrato, controlar o recebimento de aluguel. Ao realizar uma locação ou venda, o sistema deverá atualizar automaticamente o status do imóvel e as informações pertinentes a ele. O imóvel deverá pertencer apenas a um proprietário devidamente cadastrado no sistema; a locação só poderá ser gerada caso o fiador e inquilino estejam cadastrados no sistema; o contrato deverá ser gerado após a confirmação da locação. A venda só poderá ser efetuada caso o imóvel esteja disponível no sistema e o comprador devidamente cadastrado Requisitos funcionais O sistema deve permitir a inclusão, remoção e alteração de: a) funcionários, com os seguintes atributos: código do funcionário, nome, endereço, bairro, cidade, UF, CEP, CPF, telefone, celular, , login e senha; b) imóvel: código do imóvel, identificação do proprietário, endereço, bairro, cidade, UF, CEP, referência, número da escritura, largura do terreno,

44 41 comprimento do terreno, quantidade de quartos, quantidade de salas, quantidade de vagas na garagem, quantidade de banheiros, tipo de imóvel (casa, apartamento, terreno, chácara, rancho, sitio, fazenda), transação (aluguel ou venda), situação (disponível, alugado, vendido), finalidade (comercial ou residencial), imagens do imóvel, valor de venda do imóvel, valor do aluguel, valor do IPTU, observações; c) proprietário: código do proprietário, nome, endereço, bairro, cidade, UF, CEP, telefone, celular, , data de nascimento, sexo, RG, CPF, CNPJ, IE, razão social; d) inquilino: código do inquilino, identificação do fiador, nome, endereço, bairro, cidade, UF, CEP, telefone, celular, , data de nascimento, sexo, RG, CPF, CNPJ, IE, razão social, renda mensal; e) fiador: código do fiador, nome, endereço, bairro, cidade, UF, CEP, telefone, celular , data de nascimento, sexo, RG, CPF, CNPJ, IE, razão social, renda mensal; f) locação: código da locação, identificação do inquilino, identificação do fiador, identificação do imóvel, número do contrato, data da locação, duração do contrato, dia do vencimento, valor do aluguel e observação; g) venda: código da venda, identificação do imóvel, identificação do comprador, valor do imóvel, financiadora, juros, multa e observação; h) comprador: código do comprador, nome, endereço, bairro, cidade, UF, CEP, telefone, celular , data de nascimento, sexo, RG, CPF, CNPJ, IE e razão social; i) tipo de imóvel: código do tipo e descrição;

45 Impressão de relatórios O sistema permitirá a impressão dos seguintes relatórios: a) Imóveis disponíveis para a locação ordenados por cidades, contendo a descrição do imóvel, proprietário, endereço, valor do aluguel; b) Imóveis disponíveis para a venda ordenados por cidades, contendo a descrição do imóvel, proprietário, endereço, valor do imóvel; c) Imóveis locados ordenados por cidades, contendo a descrição do imóvel, proprietário, endereço, valor do aluguel, identificação do inquilino; d) Proprietários ordenados por nome, contendo a os dados do proprietário e quantidade de imóveis; e) Inquilino ordenados por nome, contendo os dados do inquilino, e quantidade de imóveis locados; f) Fiador ordenados por nome, contendo a os dados do fiador e os inquilinos ligados a ele; g) Comprador ordenados por nome, contendo a os dados do comprador; h) Funcionário ordenados por nome, contendo a os dados do funcionário; i) Imóveis por transação: i. Livre para locação ordenados por cidade, contendo a descrição do imóvel e dados da locação; ii. Livre para venda ordenados por cidade, contendo a descrição do imóvel e dados da venda; e

46 43 iii. Locados ordenados por cidade, contendo a descrição do imóvel e dados da venda; Processamentos a) Comprovante de pagamento de aluguel, com os seguintes atributos: código do aluguel, número contrato, data de pagamento, multa, juros, valor, valor total, forma de pagamento, vencimento e observação; b) O sistema deve permitir o processamento de contrato de venda, com seguintes atributos: data de venda, identificação do imóvel (previamente cadastrado), identificação do comprador (previamente cadastrado), valor da venda; c) O sistema deve permitir o processamento de contrato de locação, com seguintes atributos: data de locação, número do contrato, duração do contrato, identificação do imóvel (previamente cadastrado), identificação do inquilino (previamente cadastrado), identificação do proprietário (previamente cadastrado), valor do aluguel, data vencimento; e d) Prever situação de baixa de aluguel: Ao gerar uma locação automaticamente o sistema deverá gerar um aluguel mensal para o inquilino com os seguintes atributos: código aluguel, identificação da locação, identificação do inquilino (previamente cadastrado), valor da locação, dia de vencimento, dia do pagamento, multa, juros, valor total, situação (pago ou aberto). Quando o inquilino efetuar o pagamento do aluguel, o sistema automaticamente atualizará a situação do aluguel.

47 44 3 ANÁLISE ORIENTADA A OBJETOS 3.1 Lista de Casos de Uso Nº Descrição Evento Use case Resposta Funcionário solicita cadastro Funcionário cadastra imóvel Proprietário solicita cadastro Inquilino solicita cadastro Fiador solicita cadastro Funcionário efetua pagamento de aluguel Funcionário efetua locação Funcionário registra venda Comprador solicita cadastro Funcionário solicita relatório de funcionário Funcionário solicita relatório de proprietário Funcionário solicita relatório de imóvel Dados_funcionário Dados_imóvel Dados_proprietário Dados_inquilino Cadastrar funcionário Cadastrar imóvel Cadastrar proprietário Cadastrar inquilino Msg01 Msg02 Msg03 Msg04 Dados_fiador Cadastrar fiador Msg05 Dados_aluguel Efetuar pagamento de aluguel Msg06 Dados_locação Efetuar locação Msg07 Dados_venda Efetua Venda Msg08 Dados_comprador Dados_Rel_funcionario Dados_Rel_proprietário Dados_Rel_imovel Cadastrar comprador Gerar relatório de funcionário Gerar relatório de proprietário Gerar relatório de imóvel Msg09 Rel01 Rel02 Rel03 13 Funcionário solicita relatório de inquilino Dados_Rel_inquilino Gerar relatório de inquilino Rel Funcionário solicita relatório de fiador Funcionário cadastra tipo de imóvel Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Quadro 1. Lista de Use-Case Dados_Rel_fiador Dados_tipo_imovel Gerar relatório de fiador Cadastrar tipo de imóvel Rel05 Msg10

48 Diagrama de Casos de Uso Número: 01 - Use Case: Cadastrar Funcionário: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 20. Use Case: Cadastrar funcionário Curso Normal 1- o funcionário deseja se cadastrar e informa seu cpf; 2- o sistema verifica se não existe funcionário associado ao cpf; 3- o funcionário informa seus demais dados e confirma cadastro; 4- o sistema cria instância na tabela pessoa; 4.1- o sistema cria instância na tabela física; 4.2- o sistema cria instância de funcionário; e 5- o sistema emite Msg01 informando "Funcionário cadastrado com sucesso". Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista o funcionário associado ao cpf 2.1- o sistema exibe os dados do funcionário e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o funcionário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o funcionário associado ao cpf; e 2.4- o sistema emite a Msg01 "Funcionário excluído com sucesso". Alternativa O funcionário escolhe a opção Alterar o funcionário altera seus dados; o sistema atualiza os dados do funcionário associado ao cpf; e o sistema emite a Msg01 "Dados do funcionário alterados com sucesso".

49 46 Número: 02 - Use Case: Cadastrar Imóvel: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 21. Use Case: Cadastrar imóvel Curso Normal: 1- o funcionário deseja cadastrar imóvel e informa o número da escritura do imóvel; 2- o sistema verifica se não existe imóvel associado ao número da escritura; 3- o funcionário informa os demais dados e confirma cadastro; 4- o sistema cria instância de imóvel; e 5- o sistema emite Msg02 informando "Imóvel cadastrado com sucesso". Curso Alternativo: Alternativa 2 - Caso exista o imóvel associado ao número da escritura: 2.1- o sistema exibe os dados do imóvel e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o funcionário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o imóvel associado a número da escritura; e 2.4- o sistema emite a Msg02 "Imóvel excluído com sucesso". Alternativa O funcionário escolhe a opção Alterar o funcionário altera seus dados; o sistema atualiza os dados do imovel associado a número da escritura; e o sistema emite a Msg02 "Dados do imóvel alterados com sucesso".

50 47 Número: 03 - Use Case: Cadastrar Proprietário: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 22. Use Case: Cadastrar Proprietário Curso Normal: 1- o proprietário deseja se cadastrar e informa seu CPF ou CNPJ; 2- o sistema verifica se não existe proprietário associado ao CPF ou CNPJ; 3- o proprietário informa seus demais dados e confirma cadastro; 4- o sistema cria instância na tabela pessoa; 4.1- se for pessoa física o sistema cria instância na tabela física; 4.2- se for pessoa jurídica o sistema cria instância tabela jurídica; e 5- o sistema emite Msg03 informando "Proprietário cadastrado com sucesso". Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista o proprietário associado ao CPF ou CNPJ: 2.1- o sistema exibe os dados do proprietário e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o proprietário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o proprietário associado ao CPF ou CNPJ; e 2.4- o sistema emite a Msg03 "Proprietário excluído com sucesso". Alternativa O proprietário escolhe a opção Alterar: o proprietário altera seus dados; o sistema atualiza os dados do proprietário associado ao CPF ou CNPJ; e o sistema emite a Msg03 "Dados do proprietário alterados com sucesso".

51 48 Número: 04 - Use Case: Cadastrar Inquilino: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 23. Use Case: Cadastrar Inquilino Curso Normal 1- o inquilino deseja se cadastrar e informa o CPF ou CNPJ; 2- o sistema verifica se não existe inquilino associado ao CPF ou CNPJ; 3- o Inquilino informa seus demais dados e confirma cadastro; 4- o sistema cria instância na tabela pessoa; 4.1- se for pessoa física o sistema cria instância na tabela física; 4.2- se for pessoa jurídica o sistema cria instância tabela jurídica; e 5- o sistema emite Msg04 informando "Inquilino cadastrado com sucesso". Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista o inquilino associado ao CPF ou CNPJ 2.1- o sistema exibe os dados do inquilino e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o inquilino escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o inquilino associado ao CPF ou CNPJ; e 2.4- o sistema emite a Msg04 "Inquilino excluído com sucesso". Alternativa O inquilino escolhe a opção Alterar o inquilino altera seus dados; o sistema atualiza os dados do inquilino associado ao CPF ou CNPJ; e o sistema emite a Msg04 "Dados do inquilino alterados com sucesso".

52 49 Número: 05 - Use Case: Cadastrar Fiador: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 24. Use Case: Cadastrar fiador Curso Normal: 1- o fiador deseja se cadastrar e informa seu CPF ou CNPJ; 2- o sistema verifica se não existe fiador associado ao CPF ou CNPJ; 3- o fiador informa seus demais dados e confirma cadastro; 4- o sistema cria instância na tabela pessoa; 4.1- se for pessoa física o sistema cria instância na tabela física; 4.2- se for pessoa jurídica o sistema cria instância tabela jurídica; e 5- o sistema emite Msg05 informando "Fiador cadastrado". Curso Alternativo: Alternativa 2 - Caso exista o fiador associado ao CPF ou CNPJ 2.1- o sistema exibe os dados do fiador e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o fiador escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o fiador associado ao CPF ou CNPJ; e 2.4- o sistema emite a Msg05 "Fiador excluído com sucesso". Alternativa O fiador escolhe a opção Alterar o fiador altera seus dados; o sistema atualiza os dados do fiador associado ao CPF ou CNPJ; e o sistema emite a Msg05 "Dados do fiador alterados com sucesso".

53 50 Número: 06 - Use Case: Efetuar pagamento de aluguel: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 25. Use Case: Efetuar pagamento de aluguel. Curso Normal: 1- o funcionário deseja efetuar de pagamento de aluguel e seleciona o inquilino; 2- o sistema verifica se existe aluguel associado ao inquilino; 3- o funcionário informa os demais dados do aluguel e confirma; 4- o sistema altera o status do aluguel; e 5- o sistema emite Msg06 informando "Pagamento efetuado!". Curso Alternativo: Alternativa 2 - Caso o pagamento já tenha sido efetuado; 2.1- o sistema exibe os dados da e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o funcionário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o aluguel associado ao código; e 2.4- o sistema emite a Msg06 "Aluguel excluído com sucesso". Alternativa O funcionário escolhe a opção Alterar o funcionário altera os dados do aluguel; o sistema atualiza os dados do aluguel associado ao inquilino; e 2.3- o sistema emite a Msg06 "Aluguel alterado com sucesso".

54 51 Número: 07 - Use Case: Cadastrar Locação: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 26. Use Case: Cadastrar locação Curso Normal: 1- o funcionário deseja efetuar locação e seleciona o imóvel em uma lista de imóveis disponíveis para locação; 2- seleciona o inquilino em uma lista de inquilino já cadastrados; 3- seleciona o fiador em uma lista de fiadores já cadastrados; 4- o funcionário informa os demais dados da locação e confirma efetuação de locação; 5- o sistema cria instância de locação; e 6- o sistema emite Msg07 informando "Locação efetuada!" e mostra tela de contrato. Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista o locação associada ao imóvel; 2.1- o sistema exibe os dados da locação e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o funcionário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui a locação associada ao código; 2.4- o sistema emite a Msg07 "Locação excluída com sucesso". Alternativa O funcionário escolhe a opção Alterar o funcionário altera os dados da locação; o sistema atualiza os dados da locação associado ao código; e o sistema emite a Msg07 "Dados da locação alterados com sucesso".

55 52 Número: 08 - Use Case: Cadastrar venda: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 27. Use Case: Cadastrar venda Curso Normal: 1- o funcionário deseja cadastrar venda e seleciona o imóvel em uma lista de imóveis disponíveis para venda; 2- seleciona o comprador em uma lista de compradores já cadastrados; 2- o sistema verifica se não existe venda associado ao imóvel; 4- o funcionário informa os demais dados do imóvel e confirma cadastro de venda; 5- o sistema cria instância de venda; e 6- o sistema emite Msg08 informando "Venda realizada". Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista venda associada ao código 2.1- o sistema exibe os dados da venda e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o funcionário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui a venda associado ao código; e 2.4- o sistema emite a Msg08 "Venda excluída com sucesso". Alternativa O funcionário escolhe a opção Alterar o funcionário altera os dados da venda; o sistema atualiza os dados da venda associado ao código; e o sistema emite a Msg07 "Dados da venda alterados com sucesso"

56 53 Número: 09 - Use Case: Cadastrar comprador: Fonte: Elaborada pelos autores, 2009 Figura 28. Use Case: Cadastrar comprador Curso Normal: 1- o comprador deseja se cadastrar e informa seu CPF ou CNPJ; 2- o sistema verifica se não existe comprador associado ao CPF ou CNPJ; 3- o comprador informa seus demais dados e confirma cadastro; 4- o sistema cria instância na tabela pessoa; 4.1- se for pessoa física o sistema cria instância na tabela física; 4.2- se for pessoa jurídica o sistema cria instância tabela jurídica; e 5- o sistema emite Msg09 informando "Comprador cadastrado com sucesso". Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista o comprador associado ao CPF ou CNPJ: 2.1- o sistema exibe os dados do comprador e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o comprador escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o comprador associado ao CPF ou CNPJ; e 2.4- o sistema emite a Msg03 "Comprador excluído com sucesso". Alternativa O comprador escolhe a opção Alterar o comprador altera seus dados; o sistema atualiza os dados do comprador associado ao CPF ou CNPJ; e o sistema emite a Msg03 "Dados do comprador alterados com sucesso".

57 54 Número: 10 - Use Case: Gerar relatório de funcionário Fonte: Elaborada pelos autores, Figura 29. Use Case: Gerar relatório de funcionário Curso Normal: 1 - funcionário solicita relatório de funcionários; 2 - sistema mostra relatório Rel01 na tela. Número: 11- Use Case: Gerar relatório de proprietário Fonte: Elaborada pelos autores, Figura 30. Use Case: Gerar relatório de proprietário Curso Normal: 1 - funcionário solicita relatório de proprietários. 2 -sistema mostra relatório Rel02 na tela. Número: 12 - Use Case: Gerar relatório de imóvel: Fonte: Elaborada pelos autores, Figura 31. Use Case: Gerar relatório de imóvel

58 55 Curso Normal: 1 - funcionário solicita relatório de imóvel; 2 - sistema mostra relatório Rel03 na tela. Número: 13 - Use Case: Gerar relatório de inquilino: Fonte: Elaborada pelos autores, Figura 32. Use Case: Gerar relatório de inquilino. Curso Normal: 1 - funcionário solicita relatório de inquilino; 2 - sistema mostra relatório Rel04 na tela. Número: 14 - Use Case: Gerar relatório de fiador: Fonte: Elaborada pelos autores, Figura 33. Use Case: Gerar relatório de fiador. Curso Normal: 1 - funcionário solicita relatório de fiador; 2 - sistema mostra relatório Rel05 na tela.

59 56 Número: 15 - Use Case: Cadastrar tipo de imóvel: Fonte: Elaborada pelos autores, Figura 34. Use Case: Cadastrar tipo de imóvel. Curso Normal: 1- o funcionário deseja cadastrar um novo tipo de imóvel e informa o código; 2- o sistema verifica se não existe tipo de imóvel associado ao código 4- o funcionário informa os demais dados do tipo de imóvel e confirma o cadastro; 5- o sistema cria instância de tipo de imóvel; e 6- o sistema emite Msg10 informando "Tipo de imóvel cadastrado com sucesso!". Curso Alternativo Alternativa 2 - Caso exista um tipo de imóvel associado ai código: 2.1- o sistema exibe os dados do tipo de imóvel e uma mensagem com a opção para Alterar ou Excluir; 2.2- o funcionário escolhe a opção Excluir; 2.3- o sistema exclui o tipo de imóvel associado ao código; e 2.4- o sistema emite a Msg03 "Tipo de imóvel excluído com sucesso". Alternativa o funcionário escolhe a opção Alterar o funcionário altera seus dados; o sistema atualiza os dados do tipo de imóvel associado ao código; e o sistema emite a Msg03 "Dados do tipo de imóvel alterados com sucesso".

60 57 Diagrama de Classes Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Figura 35. Diagrama de Classes

61 58 4 PROJETO DE BANCO DE DADOS 4.1 Tabelas Tabela: imóvel Chave Primária(PK): codigoimovel Chave Estrangeira (FK): codigopessoa(pessoa.codigopessoa), tipoimovel (tipoimovel.codigotipo) (continua) Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigoimovel Número 10 Não endereco Texto 100 Não bairro Texto 50 Não cidade Texto 50 Não uf Texto 2 Não cep Texto 10 Não referencia Texto 100 Sim numeroescritura Texto 14 Não largura Numero 5,2 Não comprimento Numero 5,2 Não quantidadequartos Número 2 Sim quantidadesalas Número 2 Sim quantidadebanheiros Número 2 Sim codigotipo Numero 10 Não vagasgaragem Número 2 Sim finalidade Texto 20 Não

62 59 situação Texto 20 Não transação Texto 20 Não observação Texto 500 Sim valorimovel Número 10,2 Sim valoraluguel Número 6,2 Sim valoriptu Número 6,2 Não codigopessoa Número 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 2. Estrutura da tabela imóvel (conclusão) Tabela: pessoa Chave Primária(PK): codigopessoa Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigopessoa Número 10 Não nome Texto 150 Não endereco Texto 100 Não bairro Texto 50 Não cidade Texto 50 Não uf Texto 50 Não cep Texto 10 Não telefone Texto 14 Sim celular Texto 14 Sim Texto 100 Sim Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 3. Estrutura da tabela pessoa

63 60 Tabela: fisica Chave Primária(PK): codigopessoa, Chave Estrangeira(FK): codigopessoa(pessoa.codigopessoa) Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? rg Texto 13 Não cpf Texto 14 Não datanascimento Data 10 Não sexo Texto 10 Não codigopessoa Numero 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 4. Estrutura da tabela fisica Tabela: juridica Chave Primaria (PK): codigopessoa Chave Estrangeira(FK): codigopessoa(pessoa.codigopessoa) Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? razaosocial Texto 100 Não cnpj Texto 18 Não inscricaoestadual Texto 12 Não codigopessoa Numero 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 5. Estrutura da tabela juridica Tabela: funcionario Chave Primaria (PK): codigopessoa

64 61 Chave Estrangeira(FK): codigopessoa(pessoa.codigopessoa) Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? login Texto 30 Não senha Texto 30 Não codigopessoa Numero 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 6. Estrutura da tabela funcionario Tabela: inquilinofiador Chave Primaria (PK): codigopessoa Chave Estrangeira(FK): codigopessoa(pessoa.codigopessoa) Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigopessoa Numero 10 Não renda Numero 10,2 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 7. Estrutura da tabela inquilinofiador Tabela: aluguel Chave Primaria (PK): codigoaluguel Chave Estrangeira (FK): codigolocacao(locacao.codigolocacao) (continua) Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigoaluguel Numero 10 Não datavencimento Data 10 Não datapagamento Data 10 Não

65 62 situacao Texto 20 Não (conclusão) multa Numero 10,2 Não juros Numero 10,2 Não valor Numero 8 Não observacao Texto 500 Sim codigolocacao Numero 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 8. Estrutura da tabela aluguel Tabela: locacao Chave Primaria (PK): codigolocacao Chave Estrangeira(FK): codigoinquilino(pessoa.codigopessoa), codigofiador(pessoa.codigopessoa), codigoimovel(imovel.codigoimovel). Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigolocacao Numero 10 Não numerocontrato Numero 10 Não datalocacao Data 10 Não valoraluguel Numero 10,2 Não diavencimento Numero 2 Não duracao Numero 2 Não observacao Texto 500 Sim codigoimovel Numero 10 Não codigoinquilino Numero 10 Não codigofiador Numero 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 9. Estrutura da tabela locacao

66 63 Tabela:venda Chave Primaria (PK): codigovenda Chave Estrangeira(FK): codigocomprador(pessoa.codigopessoa), codigoimovel(imovel.codigoimovel). Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigovenda Numero 10 Não valorimovel Numero 8,2 Não datavenda Data 10 Não financiadora Texto 50 Sim quantidademeses Numero 2 Sim juros Numero 4,2 Não multa Numero 4,2 Não observacao Texto 500 Sim codigoimovel Numero 10 Não codigocomprador Numero 10 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 10. Estrutura da tabela venda Tabela: tipoimovel Chave Primaria (PK): codigotipo Nome do campo Tipo de dado Tamanho Permite Nulo? codigotipo Numero 10 Não descricao Numero 10,2 Não Fonte: Elaborada pelos autores, 2010; Quadro 11. Estrutura da tabela tipoimovel

67 64 5 PROJETO ORIENTADO A OBJETOS 5.1 Diagramas de Sequência Funcionário solicita cadastro Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 36. Diagrama de Sequência 01: Funcionário solicita cadastro Funcionário solicita cadastro de Imóvel Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 37. Diagrama de Sequência 02: Cadastro de Imóvel

68 Proprietário solicita cadastro Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 38. Diagrama de Sequência 03: Cadastro de Proprietário Inquilino solicita cadastro Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 39. Diagrama de Sequência 04: Cadastro de inquilino

69 Fiador solicita cadastro Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 40. Diagrama de Sequência 05: Cadastro de fiador Funcionário efetua pagamento de aluguel Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 41. Diagrama de Sequência 06: Pagamento de aluguel

70 Funcionário efetua locação Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 42. Diagrama de Sequência 08: funcionário efetua locação Funcionário efetua venda Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 43. Diagrama de Sequência 08: Funcionário efetua venda

71 Comprador solicita cadastro Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 44. Diagrama de Sequência 06: Comprador solicita cadastro Funcionário solicita relatório de Funcionário Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 45. Diagrama de Sequência 08: Relatório de funcionário Funcionário solicita relatório de proprietário Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 46. Diagrama de Sequência 09: Relatório de proprietário

72 Funcionário solicita relatório de Imóvel Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 47. Diagrama de Sequência 10: Relatório de imóvel Funcionário solicita relatório de inquilino Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 48. Diagrama de Sequência 12: Relatório de inquilino Funcionário solicita relatório de fiador Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 49. Diagrama de Sequência 13: Relatório de fiador

73 Funcionário cadastra tipo de imóvel Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 50. Diagrama de Sequência 13: Cadastro de tipo de imóvel

74 71 6 IMPLEMENTAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS 6.1 Layout de Telas Neste capítulo são apresentados os layouts das telas que compõe o sistema e uma explicação sobre a funcionalidade de cada tela. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 51. Tela inicial do sistema A tela inicial do sistema possui uma busca de imóveis onde qualquer pessoa que acessar poderá realizar uma busca simples de imóvel por cidade, transação (aluguel ou venda), finalidade (comercial ou residencial) e o tipo de imóvel desejado, ao clicar em buscar o sistema mostra todos os imóveis com as características disponíveis para o usuário. Ao clicar em mais detalhes, o sistema abre uma tela informando todas as características do imóvel selecionado.na parte superior da tela, há um campo de login restrito aos funcionários cadastrados no sistema ao qual dá acesso a parte de gerenciamento da imobiliária.

75 72 Caso um usuário não cadastrado tentar acessar o sistema, uma mensagem será exibida na tela Acesso restrito a funcionários, digite o login e senha. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 52. Tela inicial do sistema Após o funcionário efetuar o login o sistema abrirá a página de gerenciamento da imobiliária (Figura 52), onde o mesmo poderá escolher o que deseja fazer, como cadastrar pessoas, imóveis, efetuar locação, venda, emitir diversos relatórios e efetuar pagamentos. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 53. Cadastro de pessoa física

76 73 A figura 53 representa o cadastro de pessoa física, onde são inseridos os dados da pessoa, o usuário escolhe o tipo de pessoa ao qual deseja cadastrar, após o usuário digitar os dados como nome, endereço, bairro e cidade, o sistema automaticamente transforma as letras em maiúscula para que os dados sempre sejam salvos com o mesmo padrão.no campo CPF o sistema faz a validação do mesmo e verifica se está incorreto, caso esteja o sistema emite uma mensagem para o usuário CPF inválido. Se a pessoa a ser cadastrada for um novo funcionário, o sistema mostrará um campo de login e senha de acesso, para assegurar que o novo funcionário digitou a senha desejada ele deverá confirmar a senha no campo confirmar senha, caso ele digite uma senha diferente, o sistema mostrará uma mensagem Os campos senha e confirma senha devem ser iguais. Ao clicar no botão limpar, o sistema limpa todos os dados da tela, para que possam ser inseridos novos dados. Ao clicar em cadastrar o sistema verifica se existe algum campo sem ser preenchido caso exista o sistema mostra uma mensagem Preencha os campos, caso os campos estejam todos preenchidos o sistema envia os dados ao servidor, para que possam ser salvos no banco de dados. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 54. Cadastro de pessoa jurídica No cadastro de pessoa jurídica (Figura 54), assim como o cadastro de

77 74 pessoa física o sistema faz a padronização dos dados inseridos. A tela também contém os demais campos para pessoa jurídica, como CNPJ, razão social e inscrição estadual. No caso de uma pessoa já cadastrada deixar de ser inquilino, fiador ou funcionário para se tornar apenas comprador ou proprietário um novo cadastro deverá ser realizado para essa pessoa. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 55. Cadastro de imóvel Na tela de cadastro de imóvel (Figura 55), o usuário informa todos os dados pertencentes ao imóvel o sistema automaticamente padroniza os dados inseridos. O usuário seleciona o proprietário do imóvel em uma lista de proprietários já cadastrados no sistema, no campo observações pode ser descrita uma breve descrição do imóvel. Ao clicar em limpar, o sistema limpa todos os dados da tela, para que possam ser inseridos novos dados. Ao clicar em cadastrar o sistema verifica se existe algum campo sem ser

78 75 preenchido caso exista o sistema mostra uma mensagem Preencha os campos em destaque, caso os campos estejam todos preenchidos o sistema envia os dados ao servidor, para que possam ser salvos no banco de dados. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 56. Cadastro de locação No cadastro de locação (Figura 56), o usuário informa o número do contrato, escolhe em uma lista o imóvel disponível para locação já cadastrado pelo endereço, seleciona o inquilino e fiador já cadastrados no sistema. Após escolhido o imóvel o sistema preenche automaticamente o campo valor referente o valor do aluguel. No campo data de locação o sistema preenche automaticamente o campo com a data atual do sistema. Ao clicar em locar o sistema verifica se existe algum campo sem ser preenchido caso exista o sistema mostra uma mensagem ao usuário Preencha os campos em destaque. Caso os campos estejam todos preenchidos o sistema efetua a locação e verifica a duração de meses e o dia do vencimento e cria os aluguéis mensais do inquilino. Após efetuada a locação o sistema mostra uma tela de contrato de locação para impressão, já preenchido com os dados da locação, do inquilino e

79 76 fiador e envia os dados ao servidor, para que possam ser salvos no banco de dados. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 57. Efetuar venda Na tela de venda (Figura 57), usuário escolhe em uma lista o imóvel disponível para venda já cadastrado pelo endereço e seleciona o comprador cadastrado no sistema. Após escolhido o imóvel o sistema preenche automaticamente o campo valor do imóvel. No campo data da venda o sistema preenche automaticamente o campo com a data atual do sistema. Caso o imóvel seja financiado, o usuário poderá informar os dados do financiamento, como órgão financiador, quantidade de meses, multa e juros Ao clicar em vender o sistema verifica se existe algum campo sem ser preenchido caso exista o sistema mostra uma mensagem ao usuário Preencha os campos em destaque. Caso os campos estejam todos preenchidos o sistema efetua a venda e mostra uma tela de contrato de venda para impressão, já preenchido com os dados da venda e do comprador e envia os dados ao servidor, para que possam ser salvos no banco de dados.

80 77 Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 58. Pagamento de aluguel Na tela de pagamento de aluguel (Figura 58) o usuário seleciona o inquilino desejado. Ao clicar em buscar o sistema mostra as locações pertencentes ao inquilino selecionado. Ao clicar na locação desejada o sistema busca os dados do aluguel do mesmo. Após digitar os dados do aluguel e clicar em ok, o sistema atualiza os status e salva os dados do pagamento do aluguel do inquilino. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 59. Relatório de pessoa

81 78 Na tela de relatório de pessoa (Figura 59), o usuário pode escolher qual relatório ele deseja inquilino, fiador, proprietário, comprador ou funcionário. Ao clicar em buscar o sistema verifica a escolha do usuário e busca os dados do tipo de pessoa escolhida, com o nome, cidade e estado. Ao clicar em mais detalhes o sistema busca mais informações sobre a pessoa escolhida. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 60. Relatório de imóvel No relatório de imóvel o usuário escolhe o tipo de relatório desejado, livre para locação, livre para venda ou locados. Ao clicar em buscar o sistema verifica a escolha do usuário e busca os dados do tipo de pessoa escolhida, com o nome, proprietário, valor da locação e valor da venda. Ao clicar em mais detalhes o sistema busca mais informações sobre o imóvel escolhido. Fonte: Elaborada pelos autores, 2010 Figura 61. Cadastro de tipo de imóvel

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Introdução ao Paradigma OO

Leia mais

Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX

Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Potenciais de Aplicação da Metodologia AJAX Bruno Simões Kleverson Pereira Marcos Santos Eduardo Barrere Associação Educacional Dom Bosco - AEDB RESUMO

Leia mais

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Tecnologia Java Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Origem da Tecnologia Java Projeto inicial: Oak (liderado por James Gosling) Lançada em 1995 (Java) Tecnologia

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO Curso Superior de Graduação em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática Por AUGUSTO CARRICONDE

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA RESUMO SYSTEM CONTROL OF CLIMATIC DATA IN THE WEB TO ASSIST THE AGRICULTURE

SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA RESUMO SYSTEM CONTROL OF CLIMATIC DATA IN THE WEB TO ASSIST THE AGRICULTURE SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA CAROLINE VISOTO 1 EDUARDO RUBIN 2 THIAGO X. V. OLIVEIRA 3 WILINGTHON PAVAN 4 JOSÉ MAURÍCIO CUNHA FERNANDES 5 CRISTIANO ROBERTO CERVI

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 01 e 02 Prof. Fernando Freitas Costa http://blog.fimes.edu.br/fernando nando@fimes.edu.br Conteúdo Programático Instalação e configuração básica do Eclipse Indigo e do

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE SUPORTE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Leia mais

História e Evolução da Web. Aécio Costa

História e Evolução da Web. Aécio Costa Aécio Costa A História da Web O que estamos estudando? Período em anos que a tecnologia demorou para atingir 50 milhões de usuários 3 As dez tecnologias mais promissoras 4 A evolução da Web Web 1.0- Passado

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS.

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Clara Aben-Athar B. Fernandes¹, Carlos Alberto P. Araújo¹ 1 Centro Universitário Luterano de Santarém Comunidade Evangélica Luterana (CEULS/ULBRA)

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização do Desenvolvimento Tecnológico na UERJ

Leia mais

Considerando-se a especificação de requisitos de um software, é INCORRETO afirmar que esse documento

Considerando-se a especificação de requisitos de um software, é INCORRETO afirmar que esse documento QUESTÕES DE TI QUESTÃO 16 Considerando-se o número de pontos de função para a estimativa do tamanho de um software, é INCORRETO afirmar que, na contagem de pontos, leva-se em consideração A) as compilações

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel A linguagem JAVA A linguagem Java O inicio: A Sun Microsystems, em 1991, deu inicio ao Green Project chefiado por James Gosling. Projeto que apostava

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Introdução a Servlets

Introdução a Servlets Linguagem de Programação para Web Introdução a Servlets Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta aula os

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Histórico e Características Índice 1 JAVASCRIPT... 2 1.1 Histórico... 2 1.2 Aplicações de JavaScript... 2 a) Interatividade... 2 b) Validação de formulários... 2

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando Tópicos Introdução. HTTP / CGI. API sockets. JDBC. Remote Method Invocation.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS Leandro Guilherme Gouvea 1, João Paulo Rodrigues 1, Wyllian Fressatti 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leandrog.gouvea@gmail.com,

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Desenvolvimento de aplicações web com JSP

Desenvolvimento de aplicações web com JSP Desenvolvimento de aplicações web com JSP Leandro Soares de Sousa, Paulo Henrique de Sousa Sistemas de Informação Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Cx. Postal 160 77054-970 Palmas TO

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44)

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) 28) A orientação a objetos é uma forma abstrata de pensar um problema utilizando-se conceitos do mundo real e não, apenas, conceitos computacionais. Nessa perspectiva, a adoção

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Desenvolvimento de Sites. Subtítulo

Desenvolvimento de Sites. Subtítulo Desenvolvimento de Sites Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

Desenvolvimento WEB II. Professora: Kelly de Paula Cunha

Desenvolvimento WEB II. Professora: Kelly de Paula Cunha Desenvolvimento WEB II Professora: Kelly de Paula Cunha O Java EE (Java Enterprise Edition): série de especificações detalhadas, dando uma receita de como deve ser implementado um software que utiliza

Leia mais

SISTEMA DE FIXAÇÃO ALFABÉTICA

SISTEMA DE FIXAÇÃO ALFABÉTICA CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE Colegiado de Computação e Matemática Aplicada Curso de Bacharelado em Ciência da Computação SISTEMA DE FIXAÇÃO ALFABÉTICA ROBERTO AFFONSO GOMES RIO DE JANEIRO,

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR:

Leia mais

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli Objetivo; Roteiro da Apresentação Visão Geral sobre Internet,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Opções para impressão de códigos de barras para impressoras Zebra em ambientes Oracle WMS e MSCA RELATÓRIO INFORMATIVO SOBRE APLICAÇÃO

Opções para impressão de códigos de barras para impressoras Zebra em ambientes Oracle WMS e MSCA RELATÓRIO INFORMATIVO SOBRE APLICAÇÃO Opções para impressão de códigos de barras para impressoras Zebra em ambientes Oracle WMS e MSCA RELATÓRIO INFORMATIVO SOBRE APLICAÇÃO Direitos autorais 2004 ZIH Corp. Todos os nomes e números de produtos

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

gerenciamento de portais e websites corporativos interface simples e amigável, ágil e funcional não dependendo mais de um profissional especializado

gerenciamento de portais e websites corporativos interface simples e amigável, ágil e funcional não dependendo mais de um profissional especializado O NetPublisher é um sistema de gerenciamento de portais e websites corporativos (intranets ou extranets), apropriado para pequenas, médias e grandes empresas. O conteúdo do website pode ser atualizado

Leia mais

Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério.

Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério. EDSON GONÇALVES Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério. AGRADECIMENTOS Primeiramente gostaria de agradecer

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FIMT

MANUAL DO USUÁRIO FIMT FÁCIL IMÓVEL MT MANUAL DO USUÁRIO FIMT GESTOR IMOBILIÁRIO SANDRO RAMIRO 05/06/2015 Manual completo de funcionalidade do Sistema FIMT. Versão 2.0 INTRODUÇÃO PÁGINA INICIAL 03 ANUNCIANTE 04 LANÇAMENTO 05

Leia mais

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Carlos Henrique Pereira WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Florianópolis - SC 2007 / 2 Resumo O objetivo deste trabalho é especificar

Leia mais

Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo

Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo Antonio Gomes de Araujo Laboratório de Eletrônica Industrial, Escola SENAI Anchieta São Paulo Toshi-ichi Tachibana Departamento de Engenharia Naval e Oceânica, Escola Politécnica da Universidade São Paulo

Leia mais

J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Ana Paula Carrion 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1, Jaime Willian Dias 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil anapaulacarrion@hotmail.com,

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 01 e 02 Prof. Fernando Freitas Costa http://professor.fimes.edu.br/fernando nando@fimes.edu.br Prof. Fernando 1 Ementa Instalação e configuração básica do NetBeans e

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC Felipe Moreira Decol Claro 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipe4258@hotmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala Programação para a Internet Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala A plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068) Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado

Leia mais

J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition

J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition CURSO DE GRADUAÇÃO J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition Antonio Benedito Coimbra Sampaio Junior abc@unama.br OBJETIVOS DO CURSO Capacitar os alunos no desenvolvimento de aplicações para a WEB com

Leia mais

Sistema Pizzaria.Net. Especificação de requisitos do sistema. Preparado por Cabaça Tech. Preparado para Pizzaria entrega rápida. Versão 1.

Sistema Pizzaria.Net. Especificação de requisitos do sistema. Preparado por Cabaça Tech. Preparado para Pizzaria entrega rápida. Versão 1. Especificação de requisitos do sistema Preparado por Cabaça Tech Preparado para Pizzaria entrega rápida Versão 1.0 Histórico de revisão Data Versão Autor Descrição 29/06/2009 1.0 Josino Rodrigues Versão

Leia mais

UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1

UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1 UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1 Daniel de Faveri HONORATO 2, Renato Bobsin MACHADO 3, Huei Diana LEE 4, Feng Chung WU 5 Escrito para apresentação

Leia mais

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos Sistema de Inteligência Patrimônial Especificação dos Requisitos Especificação dos Requisitos Data Versão: 18 / 11 / 2015 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 23 / 11/ 2015 1.0 Versão Inicial

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Visual COBOL é a solução líder da indústria para o desenvolvimento de aplicações COBOL e implantação em sistemas Windows, Unix e Linux. Ele combina as melhores ferramentas de desenvolvimento de sua classe

Leia mais

Orientação a Objetos com Java

Orientação a Objetos com Java Orientação a Objetos com Java Julio Cesar Nardi julionardi@yahoo.com.br 2011/2 Aula 01: Começando com Java Objetivos: Compreender o que é Java, OO e suas vantagens; Entender os procedimentos para criação

Leia mais

A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5

A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5 A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5 Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de TI (GTI034) 06/11/2012 RESUMO Escrever programas de computador,

Leia mais

GERADOR DE ARTEFATOS PARA APLICAÇÕES WEB - ALPHAWEB

GERADOR DE ARTEFATOS PARA APLICAÇÕES WEB - ALPHAWEB UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Juliane Rosário Murillo da Silva Casa Grande GERADOR DE ARTEFATOS PARA APLICAÇÕES WEB - ALPHAWEB

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Conceitos Web. Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011. UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação

Conceitos Web. Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011. UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Conceitos Web Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011 Tecnologias Web jgw@unijui.edu.br Conceitos Básicos Sistema

Leia mais

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi.

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi. Capítulo 1 O Que é o Delphi Diferenças entre Delphi Client/Server do Delphi for Windows Características que compõem o Integrated Development Invironment (IDE) Como o Delphi se encaixa na família Borland

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4 REFLEXÃO 4 Módulos 0776, 0780, 0781, 0786 e 0787 1/10 8-04-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0776 - Sistema de informação da empresa, 0780 - Aplicações

Leia mais

Gerenciador da Carteira de Imóveis Online

Gerenciador da Carteira de Imóveis Online Gerenciador da Carteira de Imóveis Online 1 INDICE Apresentação... 4 Principais Características... 4 Tela Inicial do Univen WEB... 5 ARQUIVO... 6 Cadastro de Imóveis... 6 a) Conhecendo a tela Cadastro

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS EM WINDOWS MOBILE. PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno:

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: AlphaWEB. Gerador de Artefatos. Aplicações. Software. ABSTRACT

RESUMO. Palavras-chave: AlphaWEB. Gerador de Artefatos. Aplicações. Software. ABSTRACT GERADOR DE ARTEFATOS PARA APLICAÇÕES WEB GENERATOR ARTIFACTS FOR WEB APPLICATIONS Juliane Rosário juh_rosario@yahoo.com.br Murillo da Silva Casa Grande murilloscg@yahoo.com.br Prof. M. Sc. Anderson Pazin

Leia mais

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot Proposta Loja Virtual Schmitt Tricot Apresentação: Atualmente atuo no mercado de sites e lojas virtuais desde 2010, desenvolvendo novas ideias, trabalhando com agilidade, para sempre atender a todas as

Leia mais

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCC-0263 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o que é uma Aplicação Rica para Internet Contextualizar tais aplicações na Web e os desafios

Leia mais

UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet

UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Bruno Allan Prado Regattieri Leandro Pavoni Alexandre de Oliveira Shopping Virtual Cooperativa

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL EDILBERTO SILVA, CLEYCIONE (9245) 2, JONATHAN CAVALCANTE (9288) 2, MARCELO GOMES (9240) 2, NILTON

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Manual Ilha Web Imóveis. Sistema para Imobiliárias e Corretores. Ilha Web Internet Ltda.

Manual Ilha Web Imóveis. Sistema para Imobiliárias e Corretores. Ilha Web Internet Ltda. Manual Ilha Web Imóveis Sistema para Imobiliárias e Corretores Ilha Web Internet Ltda. Sumário 1 REQUISITOS DO SERVIDOR...3 2 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO...4 2.1 CRIE UMA BASE DE DADOS...4 2.2 MODIFIQUE O

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Conteúdo Arquitetura de Aplicações Distribuídas na Web Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.2/tcc-00.226

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA

Linguagem de Programação JAVA Linguagem de Programação JAVA Curso Técnico em Informática Modalida Integrado Instituto Federal do Sul de Minas, Câmpus Pouso Alegre Professora: Michelle Nery Agenda JAVA Histórico Aplicações Pós e Contras

Leia mais

Violin Tours Management

Violin Tours Management vtm Violin Tours Management Violin Tours Management tm vviolin Tours Management Visão Geral Bem-vindo ao Violin Tours Management, uma aplicação completa para que você automatize canais de relacionamento,

Leia mais

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web João Alexandre Oliveira Ferreira Dissertação realizada sob a orientação do Professor Doutor Mário de Sousa do Departamento de Engenharia

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) J2EE () Sumário Introdução J2EE () APIs J2EE Web Container: Servlets e JSP Padrão XML 2 J2EE é Uma especificação para servidores

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

PLATAFORMA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES USANDO WAP

PLATAFORMA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES USANDO WAP UNICENP - Centro Universitário Positivo Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia da Computação PLATAFORMA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES USANDO WAP Aluno: Fabiano Correa Mercer

Leia mais

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ Agenda Caché Server Pages Uma Aplicação Banco de Dados Fernando Fonseca Ana Carolina Salgado Mestrado Profissional 2 SGBD de alto desempenho e escalabilidade Servidor de dados multidimensional Arquitetura

Leia mais