Não é permitida a participação de alunos do Ensino Fundamental ou de alunos que já tenham concluído o Ensino Médio.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Não é permitida a participação de alunos do Ensino Fundamental ou de alunos que já tenham concluído o Ensino Médio."

Transcrição

1 REGULAMENTO OQRJ I- PARTICIPANTES: A Olimpíada de Química do Rio de Janeiro (OQRJ) é dedicada aos alunos do Estado do Rio de Janeiro, regularmente matriculados nas escolas e/ou instituições de Ensino Médio Regular e/ou Técnico. Não é permitida a participação de alunos do Ensino Fundamental ou de alunos que já tenham concluído o Ensino Médio. Alunos que estudam em mais de uma Instituição de Ensino só podem participar da OQRJ por uma delas. Caso haja algum caso dos citados acima, o aluno e o colégio ficarão sujeitos a penalidades indicadas abaixo. II- PENALIDADES: As penalidades, que podem ir de exclusão do aluno até a desclassificação da instituição, e consequentemente de todos os seus alunos, serão determinadas pela Comissão Organizadora da OQRJ, em reunião do Colegiado, quando da ocorrência do fato. III- OBJETIVOS: A OQRJ tem como objetivos principais: 1. despertar e estimular o interesse pela Química; 2. proporcionar desafios aos estudantes; 3. aproximar a universidade do ensino médio; 4. identificar os estudantes talentosos em Química, preparando-os para as olimpíadas nacional (OBQ) e internacionais (OIAQ e IChO), estimulando-os a seguir carreiras científico-tecnológicas; 5. aperfeiçoar a capacitação dos professores; 6. influenciar na melhoria do ensino. IV- MODALIDADES: A OQRJ será realizada anualmente em três modalidades, de acordo com a escolaridade do aluno: Modalidade EM1- para alunos devidamente matriculados na 1ªsérie do Ensino Médio, quando da realização da prova da OQRJ. Modalidade EM2 - para alunos devidamente matriculados na 2ª série do Ensino Médio, quando da realização da prova da OQRJ. Modalidade EM3 - para alunos devidamente matriculados na 3ª série do Ensino Médio,

2 quando da realização da prova da OQRJ. V- FASES: A OQRJ será realizada em duas fases, sendo a 1ª fase objetiva e a 2ª fazer discursiva. Obs.: Só participarão da 2ª fase os alunos que tiverem obtido nota maior ou igual à nota de corte estabelecida pela Comissão Organizadora na prova objetiva da 1ª fase. A nota de corte será estabelecida após todas as escolas enviarem para a Comissão Organizadora a planilha com as notas obtidas pelos alunos na 1ª fase. VI- ESTRUTURA DAS PROVAS: Para todas as modalidades, ter-se-á uma prova objetiva com 20 questões na 1ª fase (1,00 ponto cada), realizada na própria escola do aluno com duração de 2 horas. Destas 20 questões, 15 serão inéditas e as 05 demais poderão ser inéditas, ou adaptadas ou de outras olimpíadas, inclusive internacionais. A 2ª fase terá 04 questões discursivas (20,00 pontos cada) com duração de 3 horas, e será realizada em local a ser divulgado pela Comissão Organizadora, juntamente com a listagem dos alunos classificados na 1ª fase. Destas 04 questões, 03 serão inéditas e 01 poderá ser inédita, ou adaptada ou de outras olimpíadas, inclusive internacionais. Obs.: Para o aluno poder realizar a prova da 2ª fase será obrigatória a apresentação de uma declaração de matrícula original, emitida pela escola dentro de um prazo máximo de 15 dias, devidamente assinada pela direção e com o carimbo da escola. VII- ELABORAÇÃO DAS PROVAS E RESPONSABILIDADES DA BANCA: A Comissão Organizadora será responsável por: 1. elaborar as questões e suas respectivas soluções das provas das três modalidades; 2. submeter o trabalho aos demais membros da comissão para verificação da adequação; 3. elaborar os critérios de correção para as provas; 4. corrigir as questões discursivas; 5. decidir em Colegiado os critérios finais de premiação; 6. divulgar o gabarito da 1ª fase no dia útil seguinte a realização da prova; Obs.: O gabarito da 2ª fase não será divulgado. VIII- COORDENAÇÃO: Coordenação Estadual - Responsabilidades: A coordenação estadual tem poder decisório sobre qualquer situação conflitante que venha a ocorrer na OQRJ. Coordenação na Instituição: Cada instituição de ensino deverá indicar um professor, que será denominado representante da OQRJ na instituição, que estará em permanente contato com a Comissão

3 Organizadora, e que deverá estar ciente do presente regulamento e de quaisquer alterações que nele possam vir a ocorrer. Responsabilidade da Coordenação na Instituição: 1) A manutenção do sigilo das provas da 1ª fase, que lhes serão enviadas com antecedência em pdf via . Poderá haver punições à instituição, determinadas pela Comissão Organizadora, em caso de se notar qualquer tentativa de divulgação das questões das provas antes da data e horário previstos para sua aplicação. 2) O representante da OQRJ na instituição é responsável pela correção das questões objetivas de acordo com o gabarito oficial da OQRJ e envio das notas com os nomes completos dos alunos correspondentes, referentes a 1ª fase da olimpíada, através da planilha que será enviada junto com o gabarito da 1ª fase pela Comissão Organizadora, na data pré-estabelecida em calendário. O preenchimento da planilha de resultados da 1ª fase deve ser feito em ordem de pontuação, e havendo mais de um aluno com a mesma pontuação, o critério deve ser apenas a ordem alfabética dos nomes. IX- REALIZAÇÃO DA OQRJ: A 1ª fase da OQRJ será realizada em todos os colégios inscritos, no dia e horário estabelecidos pela Comissão Organizadora. A responsabilidade do recebimento da prova, impressão, aplicação, correção das questões objetivas e transmissão dos dados a comissão organizadora no prazo estipulado é exclusivamente do representante da OQRJ na instituição. Alunos de instituições de ensino médio, que não tenham se inscrito para realizar a OQRJ podem solicitar a comissão organizadora para fazer a prova sob sua responsabilidade direta se por qualquer razão não for possível fazer a prova na sua instituição de ensino. Este pedido deve ser realizado com antecedência mínima de 20 dias da realização da 1ª fase. Cabe a Comissão Organizadora analisar se tal pedido é viável e procedente. X- A PARTICIPAÇÃO NA OBQ: Até os vinte e cinco primeiros colocados na classificação final da OQRJ nas modalidades EM1 e EM2 serão inscritos na Olimpíada Brasileira de Química (OBQ) do ano seguinte, respectivamente, nas modalidades A e B. Caso algum aluno destes 50 classificados desista previamente de participar, o aluno premiado seguinte na modalidade de desistência será convidado a participar. Ressaltamos que este quantitativo de 50 alunos é o número que nos é permitido, enquanto OQRJ, para inscrição na OBQ. Desta forma, poderemos ter 25 alunos de cada modalidade (EM1 e EM2), ou um quantitativo diferente deste, desde que, o total de alunos inscritos na OBQ não ultrapasse 50 alunos. A prova nacional da OBQ (fase III) será realizada na data estipulada pela Coordenação Nacional das Olimpíadas de Química em local a ser divulgado pela Comissão Organizadora da OQRJ. Cabe à Comissão Organizadora da OQRJ, aplicar a prova da fase III da OBQ e enviar as provas para a Coordenação Nacional das Olimpíadas de Química, que efetuará a correção das mesmas. XI- CRITÉRIOS DE INSCRIÇÃO: Cada colégio poderá inscrever todos os estudantes interessados. Não existe nenhuma limitação no número de alunos por instituição e todo aluno que desejar, deve participar.

4 A existência da OQRJ deve ser amplamente divulgada na instituição cadastrada. A inscrição da escola será feita apenas pelo representante da instituição no prazo estipulado pela Comissão Organizadora. XII- A PONTUAÇÃO E O CRITÉRIO PARA CORREÇÃO: 1) As 20 questões objetivas da 1ª fase terão o valor de 1,00 ponto cada, e sua correção será de responsabilidade do representante da OQRJ na instituição, com base no gabarito enviado pela Comissão Organizadora. 2) As questões discursivas, na 2ª fase, serão corrigidas pela banca responsável pela elaboração da prova. 3) A prova discursiva (2ª fase) só será realizada pelos alunos que tiverem obtido na 1ª fase, nota maior ou igual à nota de corte estabelecida pela Comissão Organizadora. 4) A classificação final da OQRJ será dada em ordem decrescente de Nota Final. A Nota Final será obtida pela soma simples das notas da 1ª e 2ª fases, podendo assim variar de 0,00 (ZERO) a 100,00 (CEM) pontos. XIII- PEDIDOS DE REVISÃO DE PROVA: 1) O pedido de revisão do gabarito da prova objetiva (1ª fase) deverá ser feito, exclusivamente, pelo professor/coordenador da instituição de ensino do aluno, em até 48 horas após a divulgação do gabarito da mesma. O pedido deverá ser realizado, pelo e- mail da OQRJ O resultado da revisão será divulgado no site da OQRJ, em até 5 dias úteis após o encerramento do prazo de solicitação da revisão. 2) O pedido de revisão de nota da prova discursiva (2ª fase) deverá ser feito, exclusivamente, pelo professor/coordenador da instituição de ensino do aluno, em até 48 horas após a divulgação do resultado final. O pedido deverá ser realizado, pelo da OQRJ O resultado da revisão será divulgado no site da OQRJ, em até 5 dias úteis após o encerramento do prazo de solicitação da revisão. XIV- CURSO DE APROFUNDAMENTO: Será oferecido aos alunos medalhistas na Modalidade EM1 um curso de aprofundamento visando à realização da prova da fase III da OBQ, Modalidade A do ano seguinte. O curso será ministrado no ano de realização da prova da OBQ (ano seguinte da realização da OQRJ), em local, data e período a ser divulgado pela Comissão Organizadora no site da OQRJ, no mês de março. XV- A PREMIAÇÃO: Serão oferecidas Medalhas de Ouro, Medalhas de Prata e Medalhas de Bronze. As quantidades de medalhas oferecidas serão determinadas pela Comissão Organizadora, em função do resultado final. Poderão ser oferecidas Menções Honrosas a critério da Comissão Organizadora. XVI- A CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO: A cerimônia de premiação da OQRJ será realizada em local e data a serem determinados pela Comissão Organizadora. No entanto, a Comissão Organizadora não irá arcar com o translado, hospedagem e demais despesas de alunos, que necessitem se locomover até o local determinado.

5 XVII- ANEXOS: 1) O CADASTRAMENTO DA INSTITUIÇÃO: Qualquer instituição de ensino médio do estado do Rio de Janeiro poderá se cadastrar para participar da OQRJ. A inscrição poderá ser feita pelo ou em local indicado pela Comissão Organizadora. 2) A CONTRAPARTIDA DOS COLÉGIOS: A Comissão Organizadora solicita às instituições a colaboração para tornar exequível a realização da OQRJ em âmbito estadual nos seguintes aspectos: 1. nomear um professor e/ou coordenador representante da OQRJ na instituição; 2. incluir no calendário as datas da OQRJ para que não haja colisões com as atividades da instituição; 3. reproduzir as provas da 1ª fase da OQRJ para os alunos participantes; 4. promover a divulgação das atividades da OQRJ e organizar a infra-estrutura para a realização das provas; 5. envolver os professores e alunos nas atividades da OQRJ. 3) SEQÜÊNCIA DE PROCEDIMENTOS DOS REPRESENTANTES E COORDENADORES DAS ESOLAS: 1. no início do ano letivo todos devem divulgar a realização da OQRJ; 2. as escolas se inscrevem por ou através de um link indicado pela comissão organizadora; 3. os representantes em cada colégio recebem a prova em pdf por ; 4. os representantes nos colégios providenciam a impressão e a aplicação da prova de 1ª fase, a correção de acordo com o gabarito divulgado após a realização da prova, e, em seguida, transmite o resultado a Comissão Organizadora constando o nome e a pontuação de cada aluno na 1ª fase, através da planilha que será enviada junto com o gabarito; 5. com a nota de corte divulgada os representantes de cada colégio devem avisar aos alunos classificados para a 2ª fase, a data de realização e o lugar estabelecido pela Comissão Organizadora da OQRJ. 4) CALENDÁRIO: O calendário da OQRJ será determinado anualmente pela Comissão Organizadora e divulgado por e no site da OQRJ (

6 5) PROGRAMA DAS PROVAS: MODALIDADE EM1 1ª FASE: 1. Matéria: elemento, substância, mistura. Processos de separação de misturas. Alotropia. Propriedades físicas: ponto de fusão, ponto de ebulição, densidade. Critérios de pureza. Fenômenos físicos e químicos. 2. Átomo: prótons, nêutrons, elétrons. Isótopos, isóbaros, isótonos e isoeletrônicos. 3. Modelos atômicos: modelo mecânico-clássico e mecânico-ondulatório. Números quânticos, orbitais atômicos puros e híbridos. Configurações eletrônicas. 4. Tabela periódica: nomes e símbolos dos elementos; Grupos e períodos. Propriedades periódicas. Classificação dos elementos em metais, não-metais, gases nobres e elementos de transição. 5. Ligações químicas: regra do octeto-dueto, ligações iônicas, covalentes, metálicas forças intermoleculares. Polaridade das moléculas e das ligações. Fórmulas eletrônicas (Lewis) e estrutural. Geometria molecular. Solubilidade. 6. Número de oxidação: nox fixos e variáveis. Carga real. 2ª FASE: CONTEÚDO INTEGRAL DA 1ª FASE +: 1. Reações químicas: Leis Ponderais. Estequiometria. Cálculos com porcentagem de pureza e rendimento. Balanceamento. Classificação das reações: síntese, análise, deslocamento, dupla troca, óxido-redução. 2. Funções inorgânicas: nomenclatura de ácidos, bases, sais, óxidos e hidretos. Propriedades químicas das principais funções inorgânicas. 3. Química ambiental: chuva ácida, camada de ozônio, poluição do ar, poluição da água. 4. Laboratório: noções de segurança. Vidraria e seu emprego. Técnicas básicas de separação de substâncias. MODALIDADE EM2: 1ª FASE: CONTEÚDO INTEGRAL DA 2ª FASE DA MODALIDADE EM1 +: 1. Soluções: soluções verdadeiras e soluções coloidais. Solubilidade em função da temperatura. Unidades de concentração. Cálculos de diluição e mistura. Titulometria. 2. Propriedades coligativas: tonometria, ebuliometria, criometria e osmometria. Soluções iônicas e moleculares. 3. Termoquímica: reações endotérmicas e exotérmicas. Entalpia: lei de entalpia de reação (formação, combustão, neutralização). Entropia. Energia livre. Lei de Hess. 4. Gases: Lei de Boyle, Charles, Gay-Lussac. Equação de gases ideais. Transformações: isotérmicas, isobáricas e isocóricas. Misturas gasosas: pressão parcial,

7 Lei de Dalton. Volume molar. Lei de Graham. 5. Átomo de carbono. Tipos de carbono. Carbono assimétrico. Cadeias carbônicas. Classificação de cadeias carbônicas. 6. Fórmula bastão e fórmula molecular de compostos orgânicos. 7. Funções orgânicas: nomenclaturas (oficial e usual). 2ª FASE: CONTEÚDO INTEGRAL DA 1ª FASE +: 1. Cinética Química. Velocidade de reação: fatores que influem na velocidade das reações. Lei da ação das massas. Ordem de reação e molecularidade. Lei de velocidade. Energia de ativação. Catálise. 2. Equilíbrio químico homogêneo. Constante de equilíbrio. Deslocamento de equilíbrio: princípio de Le Chatelier. 3. Equilíbrio iônico: produto de solubilidade, hidrólise, ph e poh. 4. Isomeria: constitucional ou estrutural (plana), diastereoisomeria (geométrica) e estereoisomeria (óptica). MODALIDADE EM3: 1ª FASE: CONTEÚDO INTEGRAL DA 2ª FASE DA MODALIDADE EM2 +: 1. Radioatividade: características das radiações alfa, beta, gama, raios-x. Séries radioativas, meia-vida. Efeitos biológicos das radiações. 2ª FASE: CONTEÚDO INTEGRAL DA 1ª FASE +: 1. Eletroquímica. Pilhas. Potenciais de óxido-redução. Equação de Nernst. Eletrólise: sais fundidos e soluções aquosas. Faraday. 2. Reações orgânicas: adição, eliminação, substituição, oxidação, redução e polimerização. 3. Polímeros: produção e utilizações.

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br PLANEJAMENTO DE AÇÕES DA 2 ª ETAPA 2015 PERÍODO DA ETAPA: 01/09/2015 á 04/12/2015 TURMA: 9º Ano EF II DISCIPLINA: CIÊNCIAS / QUÍMICA 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Interações elétricas e

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE DOCENTE RESPONSÁVEL : MARIA LUIZA TONUSSI DE OLIVEIRA

PLANO DE TRABALHO DOCENTE DOCENTE RESPONSÁVEL : MARIA LUIZA TONUSSI DE OLIVEIRA COLÉGIO ESTADUAL BARBOSA FERRAZ Ensino Médio, Normal e Profissional Rua Rio Grande do Sul, 1200 Centro - Telefone: (43) 3472-5009 www.colegiobarbosa.com.br e.mail: colbarbosa@ig.com.br CEP: 86870-000 -

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA DISCIPLINA QUIMICA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA DISCIPLINA QUIMICA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE COMPETÊNCIA HABILIDADE CONTEÚDO - Compreender as transformações químicas em linguagem discursivas. - Compreender os códigos

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE QUÍMICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE QUÍMICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 134, Toledo PR Fone: 377-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE QUÍMICA SÉRIE: 1ª SÉRIE E.M. PROFESSOR: Paulo

Leia mais

-2014- CONTEÚDO SEPARADO POR TRIMESTRE E POR AVALIAÇÃO CIÊNCIAS 9º ANO 1º TRIMESTRE

-2014- CONTEÚDO SEPARADO POR TRIMESTRE E POR AVALIAÇÃO CIÊNCIAS 9º ANO 1º TRIMESTRE -2014- CONTEÚDO SEPARADO POR TRIMESTRE E POR AVALIAÇÃO CIÊNCIAS 9º ANO 1º TRIMESTRE DISCURSIVA OBJETIVA QUÍMICA FÍSICA QUÍMICA FÍSICA Matéria e energia Propriedades da matéria Mudanças de estado físico

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1. MATERIAIS: DIVERSIDADE E CONSTITUIÇÃO 1.1 Materiais 1.1.1 Materiais

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º ano EMENTA

IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º ano EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Química FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

Regulamento Copa Rio Info de Algoritmos - CRIA 2014

Regulamento Copa Rio Info de Algoritmos - CRIA 2014 1. Objetivos A Copa Rio Info de Algoritmos CRIA é uma iniciativa do TI Rio e Fanainfo apoiada por diversas instituições e empresas e que tem por objetivos: 1.1 Estimular o interesse pelas Tecnologias da

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente BIOLOGIA I TRIMESTRE A descoberta da vida Biologia e ciência Origem da vida

Leia mais

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Paulo Henrique Saraiva Câmara SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Frederico

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA REGULAMENTO DA II GINCANA NACIONAL DE ECONOMIA CAPÍTULO I Seção I Dos Objetivos Art. 1º O Conselho Federal de Economia promoverá a II Gincana Nacional de Economia - 2012 na

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS MANUAL DE MONITORIA ACADÊMICA Com base na Resolução CSA 02/07, que estabelece Monitoria Acadêmica Centro de

Leia mais

PLANO DE ENSINO: QUÍMICA

PLANO DE ENSINO: QUÍMICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÉ REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO DESAFIO PRÉ VESTIBULAR O plano de ensino consiste em traduzir em termos mais concretos e operacionais o

Leia mais

A OQRJ será realizada anualmente em três modalidades, de acordo com a escolaridade do aluno:

A OQRJ será realizada anualmente em três modalidades, de acordo com a escolaridade do aluno: Regulamento OS PARTICIPANTES A Olimpíada de Química do Rio de Janeiro (OQRJ) é uma competição dedicada aos alunos do Estado do Rio de Janeiro, de escolas e instituições de ensino, regularmente matriculados.

Leia mais

Processo de Avaliação Seriada

Processo de Avaliação Seriada QUÍMICA Considera-se importante que o ensino da Química não promova a necessidade de uma excessiva memorização, mas possibilite ao estudante adquirir a capacidade de observar e descrever fenômenos, de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL DEPARTAMENTO DEPBG PLANO DE CURSO DA DISCIPLINA

Leia mais

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período QUÍMICA Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão 74471 Química Estrutural 34 Química Química Inorgânica para Ciências Farmacêuticas OU 68 68977 Ciências Farmacêuticas 2008

Leia mais

SECRETARIA GERAL DAS RELAÇÕES EXTERIORES INSTITUTO RIO BRANCO LXIV CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE DIPLOMATAS

SECRETARIA GERAL DAS RELAÇÕES EXTERIORES INSTITUTO RIO BRANCO LXIV CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE DIPLOMATAS SECRETARIA GERAL DAS RELAÇÕES EXTERIORES INSTITUTO RIO BRANCO EDITAL DE 25 DE MARÇO DE 2014 LXIV CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE DIPLOMATAS O DIRETOR-GERAL DO INSTITUTO RIO BRANCO, no uso de suas atribuições,

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA UFJF CNCURS VESTIBULAR 2011-2 GABARIT DA PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA Questão 1 Sabe-se que compostos constituídos por elementos do mesmo grupo na tabela periódica possuem algumas propriedades químicas semelhantes.

Leia mais

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal A Fundação Escola Nacional de Administração Pública (Enap) torna público o regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL Conteúdos Competências / Habilidades Avaliação/Atividades

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL Conteúdos Competências / Habilidades Avaliação/Atividades Estrutura atômica I (Unid. 02 e 3) COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO

Leia mais

Qualidade Ambiental Química

Qualidade Ambiental Química Qualidade Ambiental Química Programa Revisão dos Conceitos Básicos de Química e Estatística Poluição o Ar e a Química da Troposfera Reações Químicas ligadas à Emissão de Poluentes da Atmosfera Bibliografia

Leia mais

Centro de Educação Integrada

Centro de Educação Integrada Centro de Educação Integrada 2º ANO BIOLOGIA Sistemática e classificação biológica Biodiversidade Vírus Reino Monera: bactérias e arqueas Reino Protoctistas: Algas e protozoários Reino Fungi: Fungos Fundamentos

Leia mais

PROGRAMA DE QUÍMICA DO PROCESSO SELETIVO CESUPA 2015/I

PROGRAMA DE QUÍMICA DO PROCESSO SELETIVO CESUPA 2015/I PROGRAMA DE QUÍMICA DO PROCESSO SELETIVO CESUPA 2015/I CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS HABILIDADES 1. Estrutura da matéria: átomos moléculas e íons. 2. Classificação periódica dos elementos químicos. 3. Propriedades

Leia mais

Edital do Programa Jovens Talentos para a Ciência 2014/2015

Edital do Programa Jovens Talentos para a Ciência 2014/2015 Edital do Programa Jovens Talentos para a Ciência 2014/2015 A Comissão de Gerenciamento do Programa Jovens Talentos para Ciência da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, nomeada pela

Leia mais

Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011

Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011 Universidade Federal de Campina grande CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011 O Colegiado

Leia mais

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1.1 Definição de Iniciação Científica A iniciação cientifica é uma atividade acadêmica que permite introduzir os discentes de graduação na pesquisa cientifica.

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 1ª série Turma: FG

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 1ª série Turma: FG COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: QUÍMICA Professora: Maria Luiza 1ª série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

1ª GINCANA PARANAENSE DE ECONOMIA DO CORECON-PR. Regulamento

1ª GINCANA PARANAENSE DE ECONOMIA DO CORECON-PR. Regulamento 1ª GINCANA PARANAENSE DE ECONOMIA DO CORECON-PR Regulamento CAPÍTULO I OBJETIVOS ART 1º - OBJETIVOS GERAIS 1. O Torneio Gincana Paranaense - CORECON-PR é uma competição de caráter educacional, promovida

Leia mais

Regulamento do Concurso Cultural de produção de Curtas da Edição 2014 do Projeto CURTA NA EDUCAÇÃO: Curta Direitos Humanos na Educação. 1.

Regulamento do Concurso Cultural de produção de Curtas da Edição 2014 do Projeto CURTA NA EDUCAÇÃO: Curta Direitos Humanos na Educação. 1. Regulamento do Concurso Cultural de produção de Curtas da Edição 2014 do Projeto CURTA NA EDUCAÇÃO: Curta Direitos Humanos na Educação. 1. O Concurso de produção de Curtas para a Edição Temática 2014 do

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM. REGULAMENTO DO CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUAS (CELi)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM. REGULAMENTO DO CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUAS (CELi) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM REGULAMENTO DO CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUAS (CELi) Pouso Alegre MG Junho/2015 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA LINGUAGEM REGULAMENTO DO CENTRO

Leia mais

2.1 Fazer um justo reconhecimento a todos os alunos e professores que contribuem no empenho em ações que resultem em um mundo melhor;

2.1 Fazer um justo reconhecimento a todos os alunos e professores que contribuem no empenho em ações que resultem em um mundo melhor; REGULAMENTO 3º Prêmio UniBH de Sustentabilidade 1 CARACTERIZAÇÃO 1.1 O Prêmio UniBH de Sustentabilidade tem o propósito de identificar, reconhecer, valorizar e premiar os esforços dos alunos e dos professores

Leia mais

2ª MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DOS CURSOS DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO E ENGENHARIA CIVIL FACULDADE CAPIXABA DA SERRA MULTIVIX SERRA

2ª MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DOS CURSOS DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO E ENGENHARIA CIVIL FACULDADE CAPIXABA DA SERRA MULTIVIX SERRA 2ª MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DOS CURSOS DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO E ENGENHARIA CIVIL FACULDADE CAPIXABA DA SERRA MULTIVIX SERRA O presente Edital visa divulgar as regras e as datas que

Leia mais

2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário

2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário 2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário da Universidade Federal de Goiás CATEGORIA 2 EMPREENDEDORISMO SOCIAL Agosto de 2015 REGULAMENTO CATEGORIA 2 EMPREENDEDORISMO SOCIAL 1. APRESENTAÇÃO A Categoria

Leia mais

Centro de Educação Integrada

Centro de Educação Integrada Centro de Educação Integrada 1º ANO BIOLOGIA Origem da vida Citologia Teoria da geração espontânea e biogênese. Teoria de Oparin e Haldane. Panspermia. Criacionismo. Os primeiros seres vivos. Água. Sais

Leia mais

Regulamento e datas importantes da Categoria JÚNIOR 9º ano

Regulamento e datas importantes da Categoria JÚNIOR 9º ano Regulamento e datas importantes da Categoria JÚNIOR 9º ano Datas Importantes JÚNIOR 1º ELIMINATÓRIA (9º ano) 04-Fev-15 Envio testes e Folhas de Resposta por EMAIL ao Diretor do Agrupamento ou Director

Leia mais

I Concurso de Fotografia do Poder Judiciário de Mato Grosso

I Concurso de Fotografia do Poder Judiciário de Mato Grosso I Concurso de Fotografia do Poder Judiciário de Mato Grosso A Coordenadoria do Programa Bem Viver do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso realiza o I Concurso de Fotografia com o tema: " Um olhar

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA Cachoeira, março de 2011 REGULAMENTO DE MONITORIA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º

Leia mais

III Olimpíadas da Economia. Regulamento

III Olimpíadas da Economia. Regulamento III Olimpíadas da Economia Regulamento Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1. O presente regulamento estabelece um conjunto de normas e orientações gerais sobre as III Olimpíadas da Economia

Leia mais

EDITAL TEMA LIVRE XII JANP

EDITAL TEMA LIVRE XII JANP EDITAL TEMA LIVRE XII JANP A Comissão Organizadora da XII Jornada Acadêmica de Anatomia Aplicada faz saber que estarão abertas, no período de 19 de junho de 2015 a 03 de julho de 2015, as inscrições para

Leia mais

REGULAMENTO DO SIMULADO FOLHA - ENEM 2013

REGULAMENTO DO SIMULADO FOLHA - ENEM 2013 REGULAMENTO DO SIMULADO FOLHA - ENEM 2013 1. Da Organização O Simulado Folha Enem 2013 é fruto da parceria entre o jornal Folha de S.Paulo e a Adaptativa Inteligência Educacional e tem como objetivo a

Leia mais

INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA PROJETO MÚSICA PARA TODOS XVI SEMANA SANTA CECÍLIA CONCURSOS MUSICAIS REGULAMENTO

INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA PROJETO MÚSICA PARA TODOS XVI SEMANA SANTA CECÍLIA CONCURSOS MUSICAIS REGULAMENTO INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA PROJETO MÚSICA PARA TODOS XVI SEMANA SANTA CECÍLIA CONCURSOS MUSICAIS REGULAMENTO REALIZAÇÃO O 11º CONCURSO DE INTÉRPRETES, o 5º CONCURSO DE MÚSICA INSTRUMENTAL e o 3º CONCURSO

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Escola de Administração da UFBA Programa de Desenvolvimento e Gestão Social - PDGS

Universidade Federal da Bahia Escola de Administração da UFBA Programa de Desenvolvimento e Gestão Social - PDGS EDITAL DE SELEÇÃO PARA BOLSA DE MESTRADO PROFISSIONAL O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Gestão Social PDGS/EAUFBA, no uso de suas atribuições legais, torna público este edital e estabelece

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG Núcleo de Empreendedorismo do UNIS - NEUNIS

Grupo Educacional UNIS - MG Núcleo de Empreendedorismo do UNIS - NEUNIS 2º CONCURSO UNIVERSITÁRIO DE PLANOS DE NEGÓCIO DO UNIS 2015 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O 2º Concurso Universitário de Planos de Negócio do Unis-MG é uma iniciativa

Leia mais

Programa Olho Vivo no Dinheiro Público 5º Concurso de Desenho e Redação da Controladoria-Geral da União CGU para o ensino fundamental e médio

Programa Olho Vivo no Dinheiro Público 5º Concurso de Desenho e Redação da Controladoria-Geral da União CGU para o ensino fundamental e médio Programa Olho Vivo no Dinheiro Público 5º Concurso de Desenho e Redação da Controladoria-Geral da União CGU para o ensino fundamental e médio TEMA: A sociedade no acompanhamento da gestão pública: Todos

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

EMAS JR. CONSULTORIA EMPRESA JÚNIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CAMPUS PAMPULHA EDITAL. Processo Seletivo Emas Jr. Consultoria 2015/02

EMAS JR. CONSULTORIA EMPRESA JÚNIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CAMPUS PAMPULHA EDITAL. Processo Seletivo Emas Jr. Consultoria 2015/02 EDITAL Processo Seletivo Emas Jr. Consultoria 2015/02 EDITAL Processo Seletivo Emas Jr. Consultoria 2015/02 A EMAS Empresa Júnior de Meio Ambiente e Saneamento / UFMG ( Emas Jr. ) faz saber aos interessados

Leia mais

REGULAMENTO 1º PRÊMIO SPORT INFRATECH DE INFRAESTRUTURA ESPORTIVA

REGULAMENTO 1º PRÊMIO SPORT INFRATECH DE INFRAESTRUTURA ESPORTIVA REGULAMENTO 1º PRÊMIO SPORT INFRATECH DE INFRAESTRUTURA ESPORTIVA 1. OBJETIVOS O 1º Prêmio Sport Infratech de Infraestrutura Esportiva visa reconhecer o esforço de organizações e profissionais envolvidos

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia EDITAL

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia EDITAL Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia EDITAL 2º Semestre 2012 1. Disposições gerais 1.1 Tema do concurso A tarefa proposta é a construção e o teste de carga de uma ponte treliçada,

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispões sobre o regulamento do Torneio Paranaense de Economia do CORECONPR. O Conselho Regional de Economia da 6ª Região Paraná, no uso das atribuições legais e regulamentares conferidas

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 158/2013 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e o número de vagas do Processo Seletivo/2014 para o Curso de Medicina da Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

E D I T A L. 1º Para os casos de transferência externa serão aceitas, apenas, as inscrições para áreas afins.

E D I T A L. 1º Para os casos de transferência externa serão aceitas, apenas, as inscrições para áreas afins. EDITAL NRCA-SJP N.º 09/2015 DISPÕE SOBRE OS PROCESSOS DE INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS. O Coordenador do Núcleo

Leia mais

EIXO TEMÁTICO GERAL: O ESTUDO DA MATÉRIA. COMPETÊNCIAS TEMAS CONTEÚDOS Conhecimento dos conceitos de matéria, corpo, objeto e energia.

EIXO TEMÁTICO GERAL: O ESTUDO DA MATÉRIA. COMPETÊNCIAS TEMAS CONTEÚDOS Conhecimento dos conceitos de matéria, corpo, objeto e energia. QUÍMICA O programa de Química para o Processo Seletivo Seriado da Universidade Federal da Paraíba está embasado nas orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais, consequência da nova Lei de Diretrizes

Leia mais

PRÊMIO QUALIDADE TOTAL ANOREG PQTA 2014 10ª EDIÇÃO REGULAMENTO

PRÊMIO QUALIDADE TOTAL ANOREG PQTA 2014 10ª EDIÇÃO REGULAMENTO PRÊMIO QUALIDADE TOTAL ANOREG PQTA 2014 10ª EDIÇÃO REGULAMENTO 1. ÍNDICE ÍNDICE... 2 2. APRESENTAÇÃO... 3 ANOREG BR Associação dos Notários e Registradores do Brasil...3 Missão... 3 Visão... 3 Política

Leia mais

PORTUGUÊS BIOLOGIA FÍSICA QUÍMICA SEGUNDO SIMULADO - EM CONTEÚDOS PRIMEIRO ANO

PORTUGUÊS BIOLOGIA FÍSICA QUÍMICA SEGUNDO SIMULADO - EM CONTEÚDOS PRIMEIRO ANO SEGUNDO SIMULADO - EM CONTEÚDOS PORTUGUÊS PRIMEIRO ANO Programa da 1ª série: Interpretação de texto Linguagem figurada Trovadorismo Humanismo "Auto da barca do inferno" BIOLOGIA Características gerais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA EDITAL DQ/OMQ nº 01/2012 XV OLIMPÍADA MINEIRA DE QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA EDITAL DQ/OMQ nº 01/2012 XV OLIMPÍADA MINEIRA DE QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA EDITAL DQ/OMQ nº 01/2012 XV OLIMPÍADA MINEIRA DE QUÍMICA O Departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas

Leia mais

Regulamento do Colegiado dos Cursos da Faculdade Católica Santa Teresinha (Aprovado pela Resolução 005/2010-DG/FCST, datado de 20/12/2010)

Regulamento do Colegiado dos Cursos da Faculdade Católica Santa Teresinha (Aprovado pela Resolução 005/2010-DG/FCST, datado de 20/12/2010) 0 Regulamento do Colegiado dos Cursos da Faculdade Católica Santa Teresinha (Aprovado pela Resolução 005/2010-DG/FCST, datado de 20/12/2010) CAICÓ-RN 2010 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I: DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS CATEGORIAS: Estudantes, Graduados e Especialista, Pós-graduados Stricto Sensu 1. Participação 1.1. Para o VI Fórum serão aceitos trabalhos de graduação,

Leia mais

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE BRASILEIRA MULTIVIX-Vitória,

Leia mais

EDITAL Nº 004/2014 SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 004/2014 SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 004/2014 SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA Chamada para seleção de Projetos para o Edital de Pesquisa e Iniciação Científica da Faculdade Capixaba de Nova Venécia. A Professora

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2/2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2/2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2/2015 A Diretoria Executiva do curso preparatório Galt Vestibulares, no uso de suas atribuições, torna pública e estabelece as normas e as condições de habilitação às vagas

Leia mais

FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA ITINERANTE: O DESPERTAR DE VOCAÇÕES CIENTÍFICAS

FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA ITINERANTE: O DESPERTAR DE VOCAÇÕES CIENTÍFICAS 1. Quem poderá participar da Feira de Ciências?... 2 2. Regras para formação das equipes participantes da Feira de Ciências... 2 2.1. Composição das equipes... 2 2.2. Observação... 3 3. Modalidades dos

Leia mais

Química. Sistema Positivo de Ensino 112

Química. Sistema Positivo de Ensino 112 A proposta A proposta, para ser elaborada, buscou um panorama que explicitasse os rumos e objetivos do ensino de Química na escola. Sendo assim, priorizou um trabalho que integra diversas dimensões do

Leia mais

PRÊMIO CNH INDUSTRIAL DE JORNALISMO ECONÔMICO

PRÊMIO CNH INDUSTRIAL DE JORNALISMO ECONÔMICO PRÊMIO CNH INDUSTRIAL DE JORNALISMO ECONÔMICO REGULAMENTO EDIÇÃO 2015 O Prêmio CNH Industrial de Jornalismo Econômico é um concurso cultural, promovido pela CNH Industrial, que tem como objetivo valorizar

Leia mais

XII Jornada Acadêmica de Saúde Mental. 15, 16 e 17 de setembro de 2015. Faculdade de Medicina da UFMG EDITAL

XII Jornada Acadêmica de Saúde Mental. 15, 16 e 17 de setembro de 2015. Faculdade de Medicina da UFMG EDITAL XII Jornada Acadêmica de Saúde Mental 15, 16 e 17 de setembro de 2015 Faculdade de Medicina da UFMG EDITAL A XI Jornada Acadêmica de Saúde Mental (JASME) tem como objetivos ampliar a oportunidade de aprendizado,

Leia mais

Edital PROGRAD nº 29, de 10 de julho de 2015. Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2016)

Edital PROGRAD nº 29, de 10 de julho de 2015. Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2016) Edital PROGRAD nº 29, de 10 de julho de 2015 Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2016) Com base na Resolução 35/2011 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, que estabelece as Normas

Leia mais

CONCURSO CULTURAL GASTRONÔMICO 10 ANOS DE MUITO SABOR DO PETRÓPOLIS GOURMET 2010 REGULAMENTO

CONCURSO CULTURAL GASTRONÔMICO 10 ANOS DE MUITO SABOR DO PETRÓPOLIS GOURMET 2010 REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL GASTRONÔMICO 10 ANOS DE MUITO SABOR DO PETRÓPOLIS GOURMET 2010 REGULAMENTO ORGANIZAÇÃO: Senac Rio Centro de Gastronomia OBJETIVO: O Concurso Cultural Gastronômico 10 Anos de Muito Sabor

Leia mais

Química experimental - Unidade mestra para química geral e eletroquímica - Volume 2 - Físico-química - EQ102A.

Química experimental - Unidade mestra para química geral e eletroquímica - Volume 2 - Físico-química - EQ102A. Autores: Luiz Antonio Macedo Ramos e Rosane Bittencourt Wirth. - Revisor: Leandro dos Santos Silveira - Direitos autorais reservados Índice Remissivo... 4 9999.994... 6 Instruções para o professor....6

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES TURMA: I ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Diagnose da turma. Trabalho individual

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES TURMA: I ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Diagnose da turma. Trabalho individual ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES Curso Profissional de Técnico de Higiene e Segurança do Trabalho e Ambiente DISCIPLINA: FÌSICA E QUÌMICA TURMA: I ANO: 12º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS

Leia mais

EDITAL DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA INSTITUTO BAIRRAL DE PSIQUIATRIA

EDITAL DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA INSTITUTO BAIRRAL DE PSIQUIATRIA EDITAL DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA INSTITUTO BAIRRAL DE PSIQUIATRIA O Instituto Bairral de Psiquiatria e a sua Comissão de Residência Médica (COREME) realizarão Processo de Seleção Pública

Leia mais

OBJETIVO PARTICIPANTES

OBJETIVO PARTICIPANTES OBJETIVO O Desafio Anglo do Ensino Fundamental é um desafio nacional, exclusivo para estudantes do 8º e 9º ano do Ensino Fundamental das escolas parceiras do Sistema Anglo de Ensino que aderiram ao evento.

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém cinco

Leia mais

Festival de Vitória 21º Vitória Cine Vídeo. 16º Concurso de Roteiro Capixaba

Festival de Vitória 21º Vitória Cine Vídeo. 16º Concurso de Roteiro Capixaba 1 Festival de Vitória 21º Vitória Cine Vídeo 16º Concurso de Roteiro Capixaba A GALPÃO PRODUÇÕES, empresa privada com sede à Rua Professora Maria Cândida da Silva, nº 115 - Bairro República Vitória - Espírito

Leia mais

XVIII Congresso Brasiliense de Direito Constitucional da Escola de Direito de Brasília - EDB

XVIII Congresso Brasiliense de Direito Constitucional da Escola de Direito de Brasília - EDB XVIII Congresso Brasiliense de Direito Constitucional da Escola de Direito de Brasília - EDB APRESENTAÇÃO Tema: Questões estruturantes do constitucionalismo brasileiro contemporâneo: pacto federativo,

Leia mais

MANUAL DE MONITORIA. Agosto de 2010

MANUAL DE MONITORIA. Agosto de 2010 MANUAL DE MONITORIA Agosto de 2010 1 A Faculdade São Francisco de Assis - UNIFIN oferece ao aluno a oportunidade de iniciar-se na função docente através do exercício de monitorias. Apenas será considerado

Leia mais

2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário

2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário 2ª Olimpíada de Empreendedorismo Universitário da Universidade Federal de Goiás CATEGORIA 1 EMPREENDEDORISMO DE NEGÓCIOS Agosto de 2015 REGULAMENTO CATEGORIA 1 EMPREENDEDORISMO DE NEGOCIOS 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Ano: 9º Turma: 91 / 92

Ano: 9º Turma: 91 / 92 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2013 Disciplina: Ciências Professor (a): SUELI COSTA Ano: 9º Turma: 91 / 92 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Área de conhecimento: Ciências da Natureza e suas Tecnologias Componente Curricular: Química Série:

Leia mais

Instituições Nucleadoras. Instituições Associadas EDITAL 2/2014

Instituições Nucleadoras. Instituições Associadas EDITAL 2/2014 Instituições Nucleadoras Instituições Associadas EDITAL 2/2014 SELEÇÃO PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MULTICÊNTRICO EM QUÍMICA DE MINAS GERAIS, MESTRADO/DOUTORADO O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL Nº 88/2015 PROGRAD SELEÇÃO DE MONITORES PIMI 2015/2

EDITAL Nº 88/2015 PROGRAD SELEÇÃO DE MONITORES PIMI 2015/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROGRAMAS ESPECIAIS EM EDUCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA Av. NS 15, 109 Norte, sala 219, Bloco IV 77001-090 Palmas/TO

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final Disciplina: Química Ano: 2012 Professor (a): Elisa Landim Turma: 1º FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação. Faça a lista

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA EDITAL DQ/OMQ nº 01/2014 XVII OLIMPÍADA MINEIRA DE QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA EDITAL DQ/OMQ nº 01/2014 XVII OLIMPÍADA MINEIRA DE QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA EDITAL DQ/OMQ nº 01/2014 XVII OLIMPÍADA MINEIRA DE QUÍMICA O Departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas

Leia mais

INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA PROJETO MÚSICA PARA TODOS Intercâmbio Cultural

INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA PROJETO MÚSICA PARA TODOS Intercâmbio Cultural INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA PROJETO MÚSICA PARA TODOS Intercâmbio Cultural A COORDENAÇÃO DO INSTITUTO CULTURAL SANTA RITA/ PROJETO MÚSICA PARA TODOS, torna público o Edital nº. 02, de 15 de Setembro

Leia mais

Regulamento Utilização de água da rede pública para consumo humano Concurso de vídeo e cartaz

Regulamento Utilização de água da rede pública para consumo humano Concurso de vídeo e cartaz Regulamento Utilização de água da rede pública para consumo humano Concurso de vídeo e cartaz Escolas do Concelho de Paredes I - CONCURSO No âmbito da comemoração do dia mundial da água de 2014, a Águas

Leia mais

1º Prêmio de Comunicação - Grupo SMS 2014

1º Prêmio de Comunicação - Grupo SMS 2014 1º Prêmio de Comunicação - Grupo SMS 2014 1 INTRODUÇÃO O 1º Prêmio de Comunicação Grupo SMS 2014, com o tema Mobilidade Urbana é uma iniciativa do Grupo SMS, formado pelas empresas Auto Viação Salineira,

Leia mais

OLIMPÍADA CAÇA TALENTOS ANGOLA 40 ANOS REGULAMENTO. Preâmbulo

OLIMPÍADA CAÇA TALENTOS ANGOLA 40 ANOS REGULAMENTO. Preâmbulo OLIMPÍADA CAÇA TALENTOS ANGOLA 40 ANOS REGULAMENTO Preâmbulo A Olimpíada Caça Talentos é um Programa de Responsabilidade Social da Empresa Sonangol, E.P., sob a coordenação da Direcção de Responsabilidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

PORTARIA nº 77/2015 - FEG/DTA

PORTARIA nº 77/2015 - FEG/DTA PORTARIA nº 77/2015 - FEG/DTA DISPÕE SOBRE TRANSFERÊNCIA PARA OS CURSOS DE ENGENHARIAS, FÍSICA (Licenciatura e Bacharelado) e LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO QUIZ AMB 60 ANOS

PROPOSTA DE REGULAMENTO QUIZ AMB 60 ANOS PROPOSTA DE REGULAMENTO QUIZ AMB 60 ANOS APRESENTAÇÃO Este concurso cultural/recreativo é promovido pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), sociedade civil sediada em Brasília, capital do Distrito

Leia mais

Prova de Recuperação Bimestral de Ciências Nome Completo: Data: / /2010

Prova de Recuperação Bimestral de Ciências Nome Completo: Data: / /2010 COLÉGIO MARIA IMACULADA QI 05 ch. 72 LAGO SUL BRASÍLIA DF E-MAIL: cmidf@cmidf.com.br FONE: 248 4768 SITE: www.cmidf.com.br VALOR:10 pontos. NOTA: 9ºano 2º PERÍODO Prova de Recuperação Bimestral de Ciências

Leia mais

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO E LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO E LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO E LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS ARTIGO 1 - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um instrumento de iniciação científica

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO PRESIDÊNCIA ASSESSORIA DE MARKETING GESTÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO PRESIDÊNCIA ASSESSORIA DE MARKETING GESTÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO PRESIDÊNCIA ASSESSORIA DE MARKETING GESTÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Primeiro Concurso de Desenho, Poesia e Redação da DESO: Por uma cultura de Saneamento Ambiental

Leia mais

Normas para Apresentação dos Trabalhos no VI Congresso de Contabilidade do Sudoeste da Bahia - FAINOR

Normas para Apresentação dos Trabalhos no VI Congresso de Contabilidade do Sudoeste da Bahia - FAINOR Estão abertas, no período de 20 de Agosto a 10 de Setembro de 2013, as inscrições para submissão de Trabalhos no VI Congresso de Contabilidade do Sudoeste da Bahia, em conformidade com as disposições que

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG

Grupo Educacional UNIS - MG 1º CONCURSO NEUNIS DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2014 1 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso NEUNIS de Planos de Negócio para Universitários é uma iniciativa

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA PARA SELEÇÃO DE DOCENTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAL Nº. 01/2013

EDITAL DE ABERTURA PARA SELEÇÃO DE DOCENTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAL Nº. 01/2013 Página 1 de 10 EDITAL DE ABERTURA PARA SELEÇÃO DE DOCENTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAL Nº. 01/2013 1. DEFINIÇÃO: A FACULDADE AMÉRICA LATINA - FAL, através da Direção torna pública a abertura do

Leia mais

REGULAMENTO DO I CONCURSO DE REDAÇÃO E DE ARTIGO DO MP-PROCON

REGULAMENTO DO I CONCURSO DE REDAÇÃO E DE ARTIGO DO MP-PROCON MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA PARAÍBA PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR REGULAMENTO DO I CONCURSO DE REDAÇÃO E DE ARTIGO DO MP-PROCON TEMA: Impactos negativos da falsificação de produtos

Leia mais

XIX Ciência Viva. Tema: Ciência, tecnologia e desenvolvimento social. 06 e 07 de Novembro de 2014

XIX Ciência Viva. Tema: Ciência, tecnologia e desenvolvimento social. 06 e 07 de Novembro de 2014 XIX Ciência Viva Tema: Ciência, tecnologia e desenvolvimento social 06 e 07 de Novembro de 2014 A CIÊNCIA VIVA A Ciência Viva é uma exposição anual aberta ao público, em que estudantes da educação básica

Leia mais

INFORMAÇÃO EXAME DA PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2015/2016

INFORMAÇÃO EXAME DA PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2015/2016 INFORMAÇÃO EXAME DA PROVA DE INGRESSO PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2015/2016 Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) Componente Específica de

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de QUÍMICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2015

Conteúdo Básico Comum (CBC) de QUÍMICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais