ENGENHARIA DE SOFTWARE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENGENHARIA DE SOFTWARE"

Transcrição

1 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 1

2 Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí CEAVI 08/2016 ÍNDICE 1. Dados de Identificação...5 A. Denominação do Curso...5 B. Categoria... 5 C. Centro de Origem... 5 D. Local de Realização Dados Históricos...6 A. Tradição de Pesquisa...6 B. Produção Científica e Demais Realizações Acadêmico-científicas...7 B.a) Artigos de Engenharia de Software publicados em periódicos:...7 B.b) Artigos de Engenharia de Software publicados em periódicos:...11 F. Atividades profissionais desenvolvidas pelos seus docentes Justificativas...39 A. Relevância B. Originalidade acadêmico-científica...39 C. Perspectivas de desenvolvimento e demanda...39 D. Histórico dos cursos de Especialização do Departamento...40 D.a) 1ª Edição do Curso de Especialização em Engenharia de Software...40 D.b) 2ª Edição do Curso de Especialização em Engenharia de Software...42 D.c) 3ª Edição do Curso de Especialização em Engenharia de Software

3 4. Coordenação Técnica e Administrativa...46 A. Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação...46 B. Coordenador Técnico Organização do Curso...47 A. Regulação Legal B. Objetivos B.a) Objetivo Geral...47 B.b) Objetivos Específicos:...47 C. Público Alvo D. Número Mínimo e Máximo de Vagas:...48 E. Data de Início e Término do Curso...48 F. Inscrição G. Seleção H. Matrícula I. Investimento J. Critérios de Avaliação para Desempenho dos Alunos...52 K. Previsão das Áreas para o Desenvolvimento da Monografia...52 L. Disponibilidade de Espaço Físico (laboratórios e material bibliográfico) Estrutura Curricular...53 A. Quadro de Disciplinas e Responsáveis...54 A.a) Ementas e Bibliografia Sugerida Corpo Docente Monografias...71 A. Linhas de Pesquisa...71 B. Formato aceito C. Cronograma de desenvolvimento e defesa...72 D. Critérios de avaliação

4 E. Banca de Monografia Cronograma de Execução (calendário 2017)* Financiamento...75 ANEXO I TERMO DE APTIDÃO PARA DEFESA DE MONOGRAFIA...76 ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DE MONOGRAFIA...77 ANEXO III LISTA DE PRESENÇA

5 1. Dados de Identificação Conforme o Plano 20 (Planejamento ), a UDESC investirá na verticalização e assegurará a continuidade da promoção de cursos de pósgraduação lato sensu. O Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (CEAVI) buscando implantar os cursos de graduação, seguindo a vocação da sua região, oferece atualmente o Curso de Bacharelado em Engenharia de Software no intuito de permitir suporte aos processos de gestão da tecnologia. Esse curso está sendo gradativamente implantado em substituição ao curso de Bacharelado em Sistemas de Informação do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (CEAVI), e sistematicamente vem por meio desse projeto, ampliar suas perspectivas e direcionar o conhecimento desses egressos, além de abrir as fronteiras do Centro para que graduados de outras IES possam também obter tais benefícios. Como resultado desse processo, vislumbra-se uma comunidade mais preparada para os desafios atuais, e fomenta-se a produção de novas tecnologias e soluções, elevando a qualidade de vida da sociedade local. O Curso aqui proposto vem como um primeiro passo para que o Departamento venha a criar um Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Atualmente, os professores possuem formação máxima de Doutor, e esse Curso Lato Sensu contribuirá na produção acadêmico-científica, auxiliando o melhoramento do corpo docente. A. Denominação do Curso Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia de Software B. Categoria Especialização C. Centro de Origem Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí CEAVI D. Local de Realização Rua Dr. Getúlio Vargas, 2822 Bairro Bela Vista Ibirama SC 5

6 2. Dados Históricos A. Tradição de Pesquisa O Curso de Sistemas de Informação foi implantado em 1999 pela Fundação Educacional Hansa Hammonia FEHH, assumido pela UDESC/Ibirama CEAVI desde 01/01/2007. Neste período, de responsabilidade do CEAVI, obteve a renovação do reconhecimento pelo Conselho Estadual de Educação, tendo formado duas turmas até o semestre 2011/II. Em 2014 foi implantado o curso de Bacharelado em Engenharia de Software (BESO). O Curso de Bacharelado em Engenharia de Software do CEAVI objetiva formar profissionais aptos a produzir sistemas de software de alta qualidade. Por alta qualidade, compreende-se softwares produzidos aplicando-se técnicas, métodos e ferramentas que permitam produzi-los como propriedades ergonômicas, funcionais, manuteníveis, seguros e de alto desempenho para as diversas áreas de negócio. Espera-se alcançar este objetivo por meio de uma formação que permita ao egresso desempenhar com plenitude suas atribuições profissionais com base em quatro pilares: competência técnica, multidisciplinaridade, postura ética e comportamento empreendedor. O Departamento de Engenharia de Software (DESO) conta com 12 efetivos, todos em regime de 40 horas. O Centro conta com a infraestrutura dos Laboratórios de Engenharia de Software e do Escritório Modelo de Pesquisa e Desenvolvimento de Software (EMPDS) onde são desenvolvidas soluções em software geridas pelos professores do DESO, e produzidas por alunos do Curso, através de estágios, bolsas de pesquisa e de extensão. Todos os professores pertencem ao Grupo de Pesquisa Engenharia e Desenvolvimento de Tecnologia da Informação, cadastrado no CNPq, criado em Projetos de pesquisa já desenvolvidos pelo grupo: Projeto: Aplicação de algoritmos inteligentes na determinação do índice de qualidade de água em rios da Bacia Hidrográfica do Rio Itajaí do Norte ; Projeto: Aprimorar mecanismos para coordenação em sistemas multiagente através do uso de metáforas da inteligência de enxames ; Projeto: Desenvolvimento de um Ambiente de Engenharia de Software Baseado em Processos utilizando Workflow ; 6

7 Projeto: Sistema de Informação Geográfica para Monitoramento de Alagamentos Online (SIGMAOn). Projetos de pesquisa já desenvolvidos pelo grupo: Projeto: Sistema de Informação Geográfica para Monitoramento de Alagamentos Online (SIGMAOn) ; Projeto: Mecanismo de Adaptação para Jogos Sérios de Pensamento Computacional; Projeto: Desenvolvimento de pensamento computacional em alunos de ensino fundamental e médio por meio da robótica; Projeto: OMA-VANT: Observação e Manutenção de áreas utilizando veículos aéreos não tripulados; Em 2013 aconteceu a implantação do Escritório Modelo de Desenvolvimento e Pesquisa em Software, que atualmente está sob coordenação do Prof. Márcio José Mantau e possui diversos projetos relacionados à área de software, incluindo desenvolvimento de sistemas demandados por setores da UDESC. B. Produção Científica e Demais Realizações Acadêmico-científicas B.a) Artigos de Engenharia de Software publicados em periódicos: JACOBSEN, Gabriel. R. C.; SANTOS, Fernando dos; BARTH, Carlos Alberto. Extending the RoboCup Rescue to Support Stigmergy: Experiments and Results. Revista de Informática Teórica e Aplicada: RITA, v. 19, p , SEVEGNANI, J. A.; HOELTGEBAUM, M.; GOMES, G.; GUTERRO, G. V. ANÁLISE DO PROCESSO DE INOVAÇÃO E INICIATIVA CORPORATIVA EM EMPRESAS TÊXTEIS. RGO. Revista de Gestão Organizacional (UNOCHAPECÓ. Impresso), v. VOL. 2, p , 2009 POLLI, M.; SEVEGNANI, J. A.; DOMINGUES, M. J.; HEIN, N. ANÁLISE DAS INTELIGÊNCIAS DOS GRADUANDOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU. RECADM : Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 7, p ,

8 DALMOLIN, LUIZ; SPERB, RAFAEL; MODRO, NILSON. Estimativa de Potencial Poluidor Industrial com Base em Dados Econômicos Oficiais e Lógica Difusa. S & G. Sistemas & Gestão, v. 10, p , SIMONETTO, EUGÊNIO DE OLIVEIRA; RODRIGUES, G. O.; DALMOLIN, L. C.; MODRO, Nilson Ribeiro. O USO DA DINÂMICA DE SISTEMAS PARA AVALIAÇÃO DE CENÁRIOS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. Revista GEINTEC: gestao, inovacao e tecnologias, v. 4, p , SIMONETTO, EUGÊNIO DE OLIVEIRA; MODRO, Nilson Ribeiro; DALMOLIN, LUIZ CLÁUDIO. Assessment of Energy Saving in Waste Recycling using System Dynamics. Revista de Administração da UFSM, v. 6, p , SANTOS, A.; PETROSKI II, E. L.; DALMOLIN, L. C.; MODRO, Nilson Ribeiro; SPERB, R. ANÁLISE DO POTENCIAL POLUIDOR DE INDÚSTRIAS A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE CARTAS TEMÁTICAS. Revista do CCEI, v. 17, p , SIMONETTO, Eugênio; EMANUELLI, Carlos B.; MODRO, Nilson Ribeiro; DALMOLIN, L. C. Avaliação do Uso da Tecnologia de Informação de Pontos de Venda (PDVS) no Auxílio do Autocontrole de Produtividade. Gestão (Curitiba), v. 12, p , DALMOLIN, L. C.; STRELOW, Flávio Marcello. Relação entre Gestão do Conhecimento e Gestão de Projetos. Revista do CCEI, v. 12, p , LACERDA, Guilherme Silva de; ZAVALIK, Claudimir; LIMA, Cristiano Cachapuz e; DALMOLIN, L. C. CAFE - Controle de alunos formandos e egressos da URCAMP: projeto e implementação com Software Livre. Revista do CCEI, Bagé, RS, v. 5, n.8, p , SANTOS, A. V. L.; DALMOLIN, L. C. O ensino do paradigma da orientação a objetos com a linguagem Smalltalk. Revista do CCEI, URCAMP - BAGÉ, RS, v. 2, n.2, p , DALMOLIN, L. C.. Reutilização de software no paradigma da orientação a objetos. Revista do CCEI, URCAMP - BAGÉ, RS, v. 1, n.1, p ,

9 SOUZA, M.; JAEGER, E. V.; CARDOSO, B. M. S. Ensino de Algoritmos Apoiado pelo Uso de Jogos Digitais Educativos. RENOTE. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 11, p. 1, SOUZA, M.; SCHOEFFEL, P. Panorama Atual do Social Commerce no Brasil. REAVI - Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí, v. 2, p , SOUZA, M.; VAHLDICK, A. Influência dos Jogos no Campo da Inteligência Artificial. REAVI - Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí, v. 2, p , ARAÚJO, LUCIANA PEREIRA DE; MANTAU, MARCIO JOSÉ; CITADIN, JUCILANE ROSA; BERKENBROCK, CARLA DIACUI MEDEIROS; KEMCZINSKI, AVANILDE; BERKENBROCK, GIAN RICARDO; MATTOS, MAURO MARCELO. Heuristic Evaluation for Mobile Groupware: Evaluating Two Audience Response Systems. Journal of Applied Computing Research, v. 3, p , DALMOLIN, LUIZ; SPERB, RAFAEL; MODRO, NILSON. Estimativa de Potencial Poluidor Industrial com Base em Dados Econômicos Oficiais e Lógica Difusa. S & G. Sistemas & Gestão, v. 10, p , SIMONETTO, E. O.; RODRIGUES, G. O.; Dalmolin, L.C.; MODRO, N. R. O USO DA DINÂMICA DE SISTEMAS PARA AVALIAÇÃO DE CENÁRIOS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. Revista GEINTEC: gestao, inovacao e tecnologias, v. 4, p , MONTEIRO, F. A.; WAGNER, B.; MODRO, N. R.; HORST, D. J. Análise da Cadeia Produtiva da Apicultura no Planalto Norte de Santa Catarina: Um estudo de caso. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 09, p , SIMONETTO, E. O.; MODRO, N. R.; Dalmolin, L.C. Assessment of Energy Saving in Waste Recycling using System Dynamics. Revista de Administração da UFSM, v. 6, p , SANTOS, A.; II, E. L. P.; DALMOLIN, L.C.; MODRO, N. R.; SPERB, R. M. ANÁLISE DO POTENCIAL POLUIDOR DE INDÚSTRIAS A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE CARTAS TEMÁTICAS. Revista do CCEI, v. 17, p ,

10 MODRO, N. R.; MODRO, N. R.; SIMONETTO, E. O.; NEVES, L. A. P. Reflexões sobre marca, ativos e Brand Equity. Gestão (Curitiba), v. 12, p. 7-18, EMANUELLI, C. B.; SIMONETTO, E. O.; Dalmolin, L.C.; MODRO, N. R. AVALIAÇÃO DO USO DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO DE PONTOS DE VENDA (PDVS) NO AUXÍLIO DO AUTOCONTROLE DE PRODUTIVIDADE. Gestão (Curitiba), v. 12, p , MODRO, N. L. R.; MODRO, N. R.; MODRO, N. R.; OLIVEIRA, A. P. N. Avaliação de concreto de cimento Portland contendo resíduos de PET. Matéria (UFRJ), v. 14, p , MODRO, N. L. R.; MODRO, N. R.; MODRO, N. R.; MARCHI, V. L. Utilização de resíduos de espuma de poliuretano rígido proveniente de indústria de refrigeração como elemento de enchimento de lajes nervuradas de concreto moldadas "in loco". Revista Tecnológica (UEM), v. 18, p , BIGLIARDI, E. V.; NEVES, L.A.P.; GARRETT, L. F. D.; NABHEN, R. C.; MODRO, N. R. ESTRATÉGIAS DE OBTENÇÃO DE QoS EM SISTEMAS DE 3ª GERAÇÃO DE TELEFONIA CELULAR: UM ESTUDO COMPARATIVO. Gestão (Curitiba), v. 9, p , MODRO, N. R.; CASAGRANDE, M. C.; CARNIEL, A. R.; SCALABRIN, A. L.; RAQUEL, I.; VALENTINI, J.; AROUCA, L.; GIONBELLI, M. P. Projeto Rondon: Gestão Pública e Desenvolvimento Sustentável em Campo Largo do Piauí. UDESC em Ação, v. 02, p. 92, SIMONETTO, E. O.; MODRO, N. R.; SAUERESSIG, J.; NEVES, L.A.P. Proposta de um Modelo Espaço-Temporal Utilizando SGBD Open-Source. Gestão (Curitiba), v. 10, p , NEVES, L. A. P.; NEVES, L. A. P.; BIGLIARDI, E. V.; GARRET, L. F. D.; NABHEN, R. C.; MODRO, N. R. Estratégias de Obtenção de QOS em Sistemas de 3a. Geração de Telefonia Celular: Um Estudo Comparativo. Gestão (Curitiba), v. 09, p , MODRO, N. R.; MARTINS RODRIGUEZ, Alejandro; MARTINS RODRIGUEZ, Alejandro. Crimes digitais: uma visão geral. Revista Bate Byte, Curitiba - Brasil, v. 140,

11 BOGO, L. H.; RODRIGUEZ, A. M.; MODRO, N. R.; AMBROZEWICZ, P. H. L.; BARCIA, R. M. Curso de Formação de Consultores do SENAI: A União entre a Educação a Distância e a Qualidade na Indústria da Construção. Ctai Revista de Automação e Tecnologia da Informação, Florianópolis, MODRO, N. R.; BOGO, Luis Henrique; MARTINS, Alejandro; BARCIA, Ricardo Miranda; AMBROZEWICS, Paulo Henrique Laporte. Curso de Formação de Consultores do SENAI: A União entre a Educação a Distância e a Qualidade na Indústria da Construção. Revista de Automação e Tecnologia da Informação, Brasil, v. 2, p , MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; PAAS, L. C. The Brazilian Virtualizing Project: Using Virtual Education to Bring Public School Teachers Closer to Modern Reality. Usdla Journal United States Distance Learning Association, Estados Unidos, v. 16, n.12, p , SCHMITZ, T. L.; HÜBNER, J. F. Huginn for Jason: Uma arquitetura para agentes normativos. Revista de Informática Teórica e Aplicada: RITA, v. 22, p , B.b) Artigos de Engenharia de Software publicados em periódicos: KIMURA, M. H.; MANTAU, M. J.; KEMCZINSKI, A.; GASPARINI, I. Avaliação de usabilidade das funcionalidades assíncronas de privacidade do Facebook. In: WAIHCWS'12 - IV Workshop de Aspectos da Interação Humano- Computador na Web Social, 2012, Cuiabá - MT. IV Workshop de Aspectos da Interação Humano-Computador na Web Social, KIMURA, M. H.; MANTAU, M. J.; KEMCZINSKI, A.; GASPARINI, I.; BERKENBROCK, C. D. M. Usability evaluation of Facebook's privacy features: comparison of experts and users. In: IADIS International Conference WWW/INTERNET 2012 (ICWI2012), 2012, Madrid. Proceedings of the IADIS International Conference WWW/INTERNET 2012 (ICWI2012), v. 1. p

12 MANTAU, M. J.; ARAUJO, L. P.; CITADIN, J. R.; BERKENBROCK, C. D. M. Avaliação Heurística Para Groupwares Móveis: Um Estudo de Caso Utilizando um Audience Response System. In: Conferencia Ibero Americana Computacion Aplicada, 2013, Porto Alegre - RS. Proceedings of Conferencia Ibero Americana Computacion Aplicada 2013, p MANTAU, M. J.; BERKENBROCK, C. D. M.; BERKENBROCK, G.R. Visualization and Filtering Awareness Informations im Mobile Groupwares: An Action Research Approach. In: 18th IEEE International Conference on Computer Supported Cooperative Work in Design, 2014, Hsinchu, Twain. Proceedings of 18th IEEE International Conference on Computer Supported Cooperative Work in Design, JACOBSEN, Gabriel. R. C.; SANTOS, Fernando dos; BARTH, Carlos Alberto. An Evaluation of the Model of Stigmergy in a RoboCup Rescue Multiagent System. In: 21th Brazilian Symposium on Artificial Intelligence, 2012, Curitiba. Advances in Artificial Intelligence, v p SCHOEFFEL, PABLO; MOSER, PAOLO; VARELA, GERALDO; DURIGON, LETÍCIA; ALBUQUERQUE, GUSTAVO CIBILS DE; NIQUELATTI, MATHEUS. Uma Experiência no Ensino de Pensamento Computacional para Alunos do Ensino Fundamental. In: I Workshop de Ensino em Pensamento Computacional, Algoritmos e Programação, 2015, Maceió. p SEVEGNANI, J. A.; KROENKE, A.; DOMINGUES, M. J.; POLLI, M. Análise Comparativa das Inteligências Múltiplas Dos Graduandos do curso de administração e do curso de ciências contábeis. In: Accounting Internationalization: current and futere trens, 2009, São Paulo. IAAAER- ANPCONT III, SEVEGNANI, J. A.; HOELTGEBAUM, M.; Claudio Loesch. Análise do Empreendedorismo Corporativo em uma Cooperativa de Crédito de Sucesso. In: SEMEAD, 2008, São Paulo. XXI SEMEAD, POLLI, M.; SEVEGNANI, J. A.; DOMINGUES, M. J.; HEIN, N. Análise das Inteligências Múltiplas dos Graduandos do Curso de Administração da FURB. In: SEMEAD, 2008, São Paulo. XXI SEMEAD,

13 SEVEGNANI, J. A.; HOELTGEBAUM, M.; TRENTIN, G. N. S.; NEUMANN, M. Análise do Processo de Aprendizagem dos Empreendedores do Pólo Têxtil de Pomerode SC. In: V CONVIBRA, 2008, VIRTUAL. V Congresso Virtual Brasileiro de Administração, HOELTGEBAUM, M.; TRENTIN, G. N. S.; SEVEGNANI, J. A.; LEHMANN, C. A. Análise do Processo de Aprendizagem dos Empreendedores da Indústria Têxtil (Roupa Íntima) de Ilhota Santa Catarina Brasil. In: V CONVIBRA, 2008, VIRTUAL. V Congresso Virtual Brasileiro de Administração, HOELTGEBAUM, M.; SEVEGNANI, J. A.; GOMES, G.; GUTERRO, G. V. Analise do Processo de Inovação e Iniciativa Corporativa em Empresas TêxTeis de Blumenau - SC. In: XV SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2008, BAURU SP. XV SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, HOELTGEBAUM, M.; SEVEGNANI, J. A.; GOMES, G.; SANTANA, A. J. Motivação Empreendedora, a Satisfação com o Desempenho e as Características dos Empreendedores de um Pólo de Software de Sucesso da Região Sul do Brasil. In: XV SIMPEP, 2008, BAURU SP. XV SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, DUVOISIN, S. G. P.; DUVOISIN, C. A.; MODRO, N. R.; DALMOLIN, L. C. Método e Sistema Inovador Descontaminante Contínuo das Escovas Dentais: Buccal Protect. In: 5º. Congresso Internacional de Conhecimento e Inovação, 2015, Joinville, SC. Proceeding of the 5 International Congress of Knowledge and Inovation. Florianópolis, SC: EGC/UFSC, v. 3. p MODRO, Nelcimar R.; MODRO, Nilson Ribeiro; DALMOLIN, L. C. Qualidade no atendimento e satisfação dos clientes: um estudo de caso. In: XXII Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru, SP. XXII Simpósio de Engenharia de Produção, LIMA, Joaquim. J. H.; DALMOLIN, L. C.; SILVA, A. C. T.; MODRO, Nilson Ribeiro. Mapa do poder - Uso de georreferenciamento para analisar os resultados das eleições 2012 do Estado de Santa Catarina. In: World Congress on Communication and Arts, 2013, Geelong. Proceedings of World Congress on Communication and Arts. Santos: COPEC, v. 6. p

14 ZIERHUT, E. J.; KROHL, D. R.; PERIN, B. L. B.; DALMOLIN, L. C.; GABARDO, A. C. Gerenciamento do Lixo Eletrônico na Cidade de Joinville/SC. In: III Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 2012, Goiânia. III Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, p LIMA, Anderson. J. A.; LIMA, Joaquim. J. H.; MODRO, Nilson Ribeiro; DALMOLIN, L. C. Bioinformática Estrutural: Conceitos e Aplicações. In: XL IGIP International Symposium on Engineering Education, 2011, Santos, SP. Forming International Engineers for the Information Society. Santos, SP: COPEC, v. único. p SIMONETTO, Eugênio; KAMINSKI, Patrick; DALMOLIN, L. C.; LIMA, Joaquim. J. H.; MODRO, Nilson Ribeiro. Web & Waste - Um Portal de Vigilância Tecnológica sobre Resíduos Sólidos.. In: : XI International Conference on Enginnering and Computer/Technology Education, 2010, Ilhéus, BA. Proceedings of XI International Conference on Engineering and Computer/Technology Education. Santos, SP: COPEC, v. Ùnico. p SIMONETTO, Eugênio; LIMA, Joaquim. J. H.; DALMOLIN, L. C. Proposta de um Portal de Vigilância Tecnológica para Resíduos Sólidos. In: Safety, Health and Environmental World Congress 2010, 2010, São Paulo, SP. Proceedings of Safety Health and Environmental World Congress Santos, SP: COPEC, v. Único. p GEYER, Cláudio Fernando R.; BORGES, Clairmont; VARGAS, Patrícia Kayser; FERRARI, Débora Nice; ÁVILA, Christiano Otero; YAMIN, Adenauer Correa; LIMA, Cristiano Cachapuz e; DALMOLIN, L. C.; BALINSKI, Ricardo. Projeto sistemas avançados para comunicação eletrônica, software aberto de correio, agenda e catálogo. In: Forum Internacional de Software Livre - II Workshop sobre Software Livre, 2001, Porto Alegre, RS. Forum Internacional de Software Livre. Porto Alegre, RS: Sociedade Brasileira de Computação, v. 1. p DALMOLIN, L. C.; ORTH, Afonso Inácio. Introduzindo um diagrama simples e útil na modelagem de software orientado a objetos. In: IX CONGRESSO LATINO-IBEROAMERICANO DE INVESTIGACIÓN OPERATIVA, 1998, Buenos Aires. ASOO 98 - SIMPÓSIO EN ORIENTACIÓN A OBJETOS. BUENOS AIRES, ARGENTINA, v. 1. p

15 DALMOLIN, L. C.; ORTH, Afonso Inácio. Uma proposta de melhoria da qualidade dos projetos de software que usam métodos orientados a objetos. In: IX CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA DE SOFTWARE: QUALIDADE DE SOFTWARE, 1998, Curitiba, PR. IX CITS - Conferência Internacional de Tecnologia em Software. Curitiba, PR: CITS, v. 1. p SOUZA, M.; SANTOS, F.; SOTO, A. R.; VAHLDICK, A. FuzzyStudio: A Web Tool for Modeling and Simulation of Fuzzy Systems. In: III Brazilian Conference on Intelligent Systems, 2014, São Carlos, SP. III Brazilian Conference on Intelligent Systems, REINER, T.S.; BERKENBROCK, C. D. M.; MANTAU, M. J. Um Estudo sobre os Aspectos Importantes para Colaboração no Jogo Warming Up The Brain. In: Computer on the Beach, 2015, Florianópolis - SC. Aniais do Computer on the Beach 2015, p MELO, D. K. R.; SCOZ, D. P.; SANTOS, F.; MANTAU, M. J. Simulação de Alagamentos sob a Perspectiva do Solo: Uma Extensão da Ferramenta SIGMAOn. In: VI Workshop de Computação Aplicada à Gestão do Meio Ambiente e Recursos Naturais (WCAMA 2015)), 2015, Recife - PE. Anais do VI Workshop de Computação Aplicada à Gestão do Meio Ambiente e Recursos Naturais, v. 1. MANTAU, M. J.; BERKENBROCK, C. D. M.; BERKENBROCK, G.R. Visualization and Filtering Awareness Informations im Mobile Groupwares: An Action Research Approach. In: 18th IEEE International Conference on Computer Supported Cooperative Work in Design, 2014, Hsinchu, Twain. Proceedings of 18th IEEE International Conference on Computer Supported Cooperative Work in Design, TRINDADE, F.; MANTAU, M. J.; BERKENBROCK, C. D. M. Desenvolvimento e Avaliação de uma Ferramenta Móvel para Controle Nutricional. In: Congresso Sul Brasileiro de Computação, 2013, Criciúma - SC. Anais do VI Congresso Sul Brasileiro de Computação (Sulcomp), v. 1. FURQUIM, A.; MANTAU, M. J.; BERKENBROCK, C. D. M. Simple Question: Uma Extensão da Ferramenta de Colaboração Móvel para tornar Apresentações mais Efetivas. In: Congresso Sul Brasileiro de Computação, 2013, Criciúma - SC. Anais do VI Congresso Sul Brasileiro de Computação (Sulcomp), v

16 MANTAU, M. J.; BERKENBROCK, C. D. M.; BERKENBROCK, G.R. Visualização e Filtragem de Informações de Percepção em Groupwares Móveis. In: X Simpósio Brasileiro de Sistemas Colaborativos, 2013, Manaus - AM. Anais do X Simpósio Brasileiro de Sistemas Colaborativos, p MANTAU, M. J.; BERKENBROCK, C. D. M.; VAHLDICK, A.; EYERKAUFER, M. L. Gerenciamento Agrícola com Suporte à Mobilidade: Uma Ferramenta Móvel para Automatizar Cálculos de Plantio. In: IX Congresso Brasileiro de Agroinformática, 2013, Cuiabá - MT. Anais do IX Congresso Brasileiro de Agroinformática, MANTAU, M. J.; ARAUJO, L. P.; CITADIN, J. R.; BERKENBROCK, C. D. M. Avaliação Heurística Para Groupwares Móveis: Um Estudo de Caso Utilizando um Audience Response System. In: Conferencia Ibero Americana Computacion Aplicada, 2013, Porto Alegre - RS. Proceedings of Conferencia Ibero Americana Computacion Aplicada 2013, p KIMURA, M. H.; MANTAU, M. J.; KEMCZINSKI, A.; GASPARINI, I. Avaliação de usabilidade das funcionalidades assíncronas de privacidade do Facebook. In: WAIHCWS'12 - IV Workshop de Aspectos da Interação Humano- Computador na Web Social, 2012, Cuiabá - MT. IV Workshop de Aspectos da Interação Humano-Computador na Web Social, KIMURA, M. H.; MANTAU, M. J.; KEMCZINSKI, A.; GASPARINI, I.; BERKENBROCK, C. D. M. Usability evaluation of Facebook's privacy features: comparison of experts and users. In: IADIS International Conference WWW/INTERNET 2012 (ICWI2012), 2012, Madrid. Proceedings of the IADIS International Conference WWW/INTERNET 2012 (ICWI2012), v. 1. p DUVOISIN, S. G. P.; DUVOISIN, C. A.; DALMOLIN, L. C.; MODRO, N. R. Método e Sistema Inovador Descontaminante Contínuo das Escovas Dentais: Buccal Protect. In: 5 International Congress of Knowledge and Inovation (ciki), 2015, Joinville. Proceeding of the 5 International Congress of Knowledge and Inovation (ciki). Florianopolis: EGC / UFSC, v. 3. p

17 RAUEN, M.; WAGNER, B.; MODRO, N. R. Analysis of the Performance of an Alternative DAS for Educational Experiments in Structures Monitoring Using an Open-Source Computer Hardware. In: CILAMCE 2015: XXXVI Ibero-Latin American Congress on Computational Methods in Engineering, 2015, Rio de Janeiro. Proceedings of the XXXVI Iberian Latin American Congress on Computational Methods in Engineering. Rio de Janeiro, v. 26. p MODRO, N. R.; DALMOLIN, L.C.; MODRO, N. R. QUALIDADE NO ATENDIMENTO E SATISFAÇÃO DOS CLIENTES: UM ESTUDO DE CASO. In: SIMPEP XXII Simpósio de Engenharia de Produção, 2015, Bauru. Anais XXII SIMPEP. BAURU: UNESP, LIMA, J. J. H.; DALMOLIN, L.C.; TAMANINI, A. C. S.; MODRO, N. R. Mapa do poder uso de georreferenciamento para analisar os resultados das eleições 2012 do estado de Santa Catarina. In: VI WORLD CONGRESS ON COMMUNICATION AND ARTS - WCCA 2013, 2013, Geelong. Proceedings, World Congress on Communication and Arts, WCCA Nogueira - Portugal: COPEC Science and Education Research Council, v. 6. p MODRO, N. L. R.; MODRO, N. R.; MODRO, N. R. Educação ambiental e patrimonial por meio de uma perspectiva lúdica: o projeto preservando com alegria. In: VI World Congress on Communication and Arts - WCCA'2013, 2013, Geelong. Proceedings, World Congress on Communication and Arts, WCCA 2013, v. 6. p MODRO, N. R.; WAGNER, B.; TALMASKY, E.M.; MODRO, N. R. Análise emergética da apicultura: um estudo de caso. In: XI Congresso de Ecologia do Brasil e I Congresso Internacional de Ecologia do Brasil, 2013, Porto Seguro. Biodiversidade & Sustentabilidade, MODRO, N. R.; HACKENBERG, A. M.; MODRO, N. R.; LAFRATTA, F. H.; MODRO, N. L. R. CICLISMO COMO ALTERNATIVA DE MOVILIDAD URBANA EN SÃO BENTO DO SUL. In: Congresso Medio Ambiente y Desarrollo Humano, MADEHUMAN 2012, 2012, Havana. MEMORIAS - XXXIII CONVENCIÓN PANAMERICANA DE INGENIERIAS - UPADI Havana: Editora Obras,

18 MODRO, N. R.; WAGNER, B.; TALMASKY, E.M.; MODRO, N. R. CARACTERIZAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DA APICULTURA DA REGIÃO DE SÃO BENTO DO SUL - SC. In: VII Simpósio de Engenharia de Produção da região do Nordeste, 2012, Mossoró. A Engenharia de Produção frente ao novo contexto de desenvolvimento sustentável do Nordeste: coadjuvante ou protagonista?, MODRO, N. R.; LIMA, J. J. H.; DALMOLIN, L.C.; PELIZZARO, M.; LIMA, A.J.; VIECHENESKI, R. Um estudo de ferramentas de Software Livre para cadastramento e visualização de mapas. In: WCCA IV World Congress on Communication and Arts, 2011, São Paulo. Proceedings of World Congress on Communication and Arts, WCCA São Paulo: COPEC, TAMANINI, A. C. S.; MODRO, N. R.; MODRO, N. R.; MODRO, N. L. R. ROBOTEC: uma abordagem lúdica para o ensino de lógica de programação em Engenharia. In: SEPRONE 2011, 2011, Campina Grande. Anais do SEPRONE 2011, TALMASKY, E.M.; MODRO, N. R. Inovação no Gerenciamento Logístico do Transporte de Insumos: Mapeamento Geográfico de Propriedades Rurais (MGPR). In: EMEPRO 2011, 2011, SÃO JOÃO DEL REY. Anais do EMEPRO 2011, MODRO, N. R.; MODRO, N. R.; GÓMEZ, Luis Alberto. Reflexões sobre a Aprendizagem Organizacional. In: SEPRONE 2011, 2011, Campina Grande. Anais do SEPRONE 2011, TALMASKY, E.M.; MODRO, N. R.; MODRO, N. R. Novos rumos da educação em engenharia de produção: Engenharia da sustentabilidade. In: 6º Congresso Luso-Moçambicano de Engenharia/3º Congresso de Engenharia de Moçambique, 2011, Maputo. Proceedings CLME'2011 / IIICEM. Porto: Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial - INEGI / FEUP, TALMASKY, E.M.; MODRO, N. R.; MODRO, N. R. Perspectiva Axiomática da Engenharia de Produção: Dimensão Ambiental e Gestão do Conhecimento. In: 6º Congresso Luso-Moçambicano de Engenharia/3º Congresso de Engenharia de Moçambique, 2011, Maputo. Proceedings CLME'2011 / IIICEM. Porto: Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial - INEGI / FEU,

19 LIMA, A.J.; LIMA, J. J. H.; MODRO, N. R.; DALMOLIN, L.C. Bioinformática Estrutural: Conceitos e Aplicações. In: XL IGIP International Symposium on Engineering Education, 2011, Santos. Proceedings of IGIP São Paulo: COPEC, p TAMANINI, A. C. S.; MODRO, N. R.; ARNOLD, A. V.; RITZMANN, M. R.; SILVA, G. A. ROBOTEC MÓDULO COMPILADOR: UMA ABORDAGEM LÚDICA PARA O ENSINO DE LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO EM ENGENHARIA. In: XVIII SIMPEP - SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2011, Bauru. Anais XVIII SIMPEP Sustentabilidade na cadeia de suprimentos. Florianópolis: UNESP, SIMONETTO, E. O.; KAMINSKI, P.; DALMOLIN, L.C.; MODRO, N. R.; LIMA, J. J. H. Web & Waste - Um Portal de Vigilância Tecnológica sobre Resíduos Sólidos. In: XI International Conference on Enginnering and Technology Education, 2010, Ilhéus - BA. Proceedings of XI International Conference on Enginnering and Technology Education. Santos - SP: COPEC, v. único. MODRO, N. R.; SILVA, H. L.; MODRO, N. R.; SPERB, R. M.; SIMONETTO, E. O. Portal de apoio a Gestão da Inovação Tecnológica: o caso do Setor Moveleiro do Planalto Norte Catarinense. In: SEPRONE 2010, 2010, Maceió. Anais do V SEPRONE, MODRO, N. R.; SILVA, H. L.; SIMONETTO, E. O.; MODRO, N. R.; SPERB, R. M. Portal de Apoio a Gestão da Inovação Tecnológica: O Caso da Bolsa de Compras do Setor Moveleiro do Planalto Norte Catarinens. In: VI Congresso Nacional de Excelência em Gestão, 2010, Rio de Janeiro. Congresso Nacional de Excelência em Gestão. Niterói: LACTEC, KUCHLER, O. A.; TAMANINI, A. C. S.; MODRO, N. R.; MARTINS, J. E. M. P. SISTEMA PARA AQUISIÇÃO DE DADOS PLUVIOMÉTRICOS. In: ENEGEP 2010, 2010, São Carlos. Anais do ENEGEP 2010, MODRO, N. R.; TAMANINI, A. C. S.; MODRO, N. R.; SILVA, H. L.; MEIRA, Diogo de. Uma abordagem lúdica baseada em PBL para o ensino de técnicas de computação. In: XVI SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção, 2009, Bauru. Anais - SIMPEP. Bauru - SP: Editora da UNESP,

20 NEVES, L.A.P.; MODRO, N. R.; TAMANINI, A. C. S. X-GAME: um Projeto Pedagógico de Jogo usando Robô, Telepresença, Imagens e Estratégias de Jogo. In: I Seminário de Tecnologia da Informação Aplicada, 2008, Chapecó. Anais do STIA 2006, SCHMITZ, Q. T.; MODRO, N. R.; CARVALHO, H. G. Aplicações de Software Livre para suporte à Gestão do Conhecimento em Empresas: um estudo exploratório. In: IV SAEPRO - Simpósio Acadêmico de Engenharia de Produção, 2008, Viçosa - MG. Anais do IV SAEPRO, MODRO, N. R.; BENITO, F. C. V. Uma proposta de uma ferramenta de auxílio em um ambiente de ensino. In: 2º Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade, 2007, Curitiba, Pr. Anais do II Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade. Curitiba, v. 01. MODRO, N. R.; BORTOLUZZI, Dayna Maria; SCUSSEL NETTO, Annibal. Inovação Tecnológica Como Diferencial Competitivo: Um estudo comparativo no setor óptico brasileiro.. In: XI SEMANA DE ADMINISTRAÇÃO E HOTELARIA, 2006, Franca. Anais da XI semana de Administração e Hotelaria e do VII Encontro de Pesquisadores da UNI- FACEF., MODRO, N. R.; BORTOLUZZI, Dayna Maria. Integração de Sistemas para a Governança Eletrônica na Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina.. In: III SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, 2006, Curitiba. Anais do III Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação, MODRO, N. R.; GONTIJO, F. E. K.; BORTOLUZZI, Dayna Maria; MODRO, N. R. Gestão do conhecimento e governo eletrônico aplicados em um observatório sobre drogas: o caso OBID.. In: II Congresso de Computação do Sul de Mato Grosso, 2006, Rondonópolis. Anais do II COMPSULMT, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; BOGO, Luis Henrique; BARCIA, Ricardo Miranda; AMBROZEWICS, Paulo Henrique Laporte. Telecomunicação e Educação a Distância fomentando a Qualidade na Indústria da Construção: O Caso SENAI. In: WORKCOMP-SUL, 2004, Palhoça. Anais do I WORKCOMP-SUL,

21 MODRO, N. R.; PAAS, L. C.; MARTINS, Alejandro; BETTIO, R. W.; NEVES, C.; BARCIA, Ricardo Miranda. Training Program in Public Administration: The case of Brazil's Federal Financing Organization. In: ED-MEDIA - World Conference on Educational Multimedia, HyperMedia & Telecommunication, 2003, Honolulu - Hawaii. Proceedings of ED-MEDIA 2003, MODRO, N. R.; PAAS, L. C.; BORTOLUZZI, Dayna Maria; MARTINS, Alejandro; BARCIA, Ricardo Miranda. Adventure Education for Sustainable Development: Integrating Telecommunications, Virtual Learning Environments and Communications Strategies. In: ED-MEDIA - World Conference on Educational Multimedia, HyperMedia & Telecommunication, 2003, Honolulu - Hawaii. Proceeding of ED-MEDIA 2003, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; BOGO, Luis Henrique; BARCIA, Ricardo Miranda; AMBROZEWICS, Paulo Henrique Laporte. Curso de Formação de Consultores do SENAI: a união entre a educação a distância e a qualidade na indústria da construção. In: VII CREAD - CONGRESSO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - MERCOSUL 2003, 2003, Florianopolis. VII CREAD - Best Papers Proceedings, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; FULBER, H.; BETTIO, R. W. Sistema de Inteligência Organizacional aplicado a Ambientes Virtuais de Aprendizagem: Uma Proposta. In: I2TS' International Information Technology Symposium, 2002, Florianópolis. Proceeding of I2TS'2002, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; SILVA, F. F. Estereoscopia e Realidade Virtual. In: I2TS' International Information Technology Symposium, 2002, Florianópolis. Proceedings of I2TS'2002, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; PAAS, L. C.; SCHENATZ, B. N.; MOSER, M.; ZIMATH, P. M. B. Inteligência Organizacional: da Teoria à Prática. In: I2TS' International Information Technology Symposium, 2002, Florianópolis. Proceedings of I2TS'2002,

22 MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; SILVA, F. F.; BOGO, Luis Henrique. Aplicando Uml na Modelagem de um Sistema Inteligente de Monitoria para Ambientes de Ensino Via Web. In: I2TS' International Information Technology Symposium, 2002, Florianópolis. Proceedings of I2TS'2002, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; PAAS, L. C.; BARCIA, Ricardo Miranda. Virtualizing: A Brazilian Initiative for Upgrading Media Knowledge of K-12 Public School Teachers. In: E-Learn World Conference on E- Learning in Corporate, Government, Health Care, & Higher Education, 2002, Montreal. Proceedings of E-Learn 2002, MODRO, N. R.; MARTINS, Alejandro; PAAS, L. C. Virtualizing: Upgrading Media Knowledge of K-12 Public School Teachers by the internet. In: I2TS' International Information Technology Symposium, 2002, Florianópolis. Proceedings of I2TS'2002, MODRO, N. R.; NEVES, C.; MARTINS, Alejandro; KERN, V. M. Projeto de Banco de Dados com IDEF1X ou UML: um Estudo Comparativo. In: IX SEMINCO, 2000, Blumenau. IX Seminco - Anais. Blumenau: Editora da Furb, v. 1. p MODRO, N. R.; VIEIRA, R. S.; MARTINS, Alejandro; PACHECO, R. C. S.; BARCIA, Ricardo Miranda. Algoritmos Genéticos para definir regras difusas em um controlador difuso.. In: SOBRAPO 99, 1999, Juiz de Fora. SOBRAPO 99, MODRO, N. R.; SPERB, R. M.; MARTINS, Alejandro; PACHECO, R. C. S. Classificação de Massas D'água: um Enfoque Difuso. In: XIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ENEGEP) e V INTERNATIONAL CONGRESS OF INDUSTRIAL ENGINEERING (ICIE), 1999, Rio de Janeiro. XIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção e V Congresso Internacional de Engenharia Industrial ICIE (Livro de Resumos)., v. 1. p MODRO, N. R.; JULIANI, J. P.; MARTINS, Alejandro. CONSULTE: Uma ferramenta para o controle da gestão financeira. In: AEDEM - EUROPEAN ASSOCIATION OF MANAGEMENT AND BUSINESS ECONOMICS, 1999, São Leopoldo. AEDEM - Best Paper Proceedings 1999, v. 1. p

23 MODRO, N. R.; SPERB, R. M.; FOES, P. M.; MARTINS, Alejandro; PACHECO, R. C. S.; BARCIA, Ricardo Miranda; TAVARES, G. PREVENT: Protótipo de um Sistema de Previsão de Enchentes Baseado em Redes Neurais. In: XIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 1999, Belo Horizonte, MODRO, N. R.; VIEIRA, R. S.; MARTINS, Alejandro; PACHECO, R. C. S.; BARCIA, Ricardo Miranda. An Approach To Multiple Inheritance In A Fuzzy Object Modeling. In: EUFIT 98, 19pagacao. In: II Escola Regional de Informática (ERIN 2010), 2010, Manaus - AM. ERIN ANAIS. Manaus - AM, FARAH, P. R.; Murta, C. D. A Transient Overload Generator for Web Servers. In: 27th IEEE International Performance Computing and Communications Conference, 2008, Austin, TX. A Transient Overload Generator for Web Servers, FARAH, P. R.; Murta, C. D. Efeitos de Sobrecargas Transientes em Servidores Web. In: 25o. Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores, 2007, Belém. 25o. Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores, FARAH, P. R.; Murta, C. D. TORÓ: Um Gerador de Sobrecarga para Servidores Web. In: WPerformance, 2006, Cuiabá - MS. XXVI Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, SCHMITZ, Tiago Luiz; Hübner, Jomi Fred. Huginn: Normative Reasoning Based on Mood. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer International Publishing, 2014, v. 8864, p AHLBRECHT, Tobias Bender-Saebelkampf, CHRISTIAN DE BRITO, Maiquel Christensen, Nicolai Christian Dix, Jürgen Franco, Mariana Ramos Heller, Hendrik Hess, Andreas Viktor Heßler, Axel Hübner, Jomi Fred Jensen, Andreas Schmidt Johnsen, Jannick Boese Köster, Michael Li, Chengqian Liu, Lu Morato, Marcelo Menezes Ørum, Philip Bratt Schlesinger, Federico Schmitz, Tiago Luiz Sichman, Jaime Simão de Souza, Kaio Siqueira Uez, Daniela Maria Villadsen, Jørgen Werner, Sebastian Woller, Øyvind Grønland, et al.; Multi-Agent Programming Contest 2013: The Teams and the Design of Their Systems. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer Berlin Heidelberg, 2013, v. 8245, p

24 ZATELLI, Maicon Rafael; UEZ, Daniela Maria; NERI, José Rodrigo; SCHMITZ, Tiago Luiz; de Castro Bonson, Jéssica Pauli; Hübner, Jomi Fred. SMADAS: A Cooperative Team for the Multi-Agent Programming Contest Using Jason. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer Berlin Heidelberg, 2013, v. 7837, p ZATELLI, Maicon Rafael; DE BRITO, Maiquel; SCHMITZ, Tiago Luiz; MORATO, Marcelo Menezes; de Souza, Kaio Siqueira; Uez, Daniela Maria; Hübner, Jomi Fred. SMADAS: A Team for MAPC Considering the Organization and the Environment as First-Class Abstractions. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer Berlin Heidelberg, 2013, v. 8245, p , Aechen - Alemanha. EUFIT 98 - Proceedings, v. 2. p BRAZ J., O.O.; LOPEZ V, O. C.; BIZZOTTO, C. E. N. Como Ensinar Através da Hipermídia. In: I Congresso Sul-Brasileiro de Informática na Educação, 2000, Florianópolis. Como Ensinar Através da Hipermídia, FARAH, P. R.; Morais, W. R.; LOPES, D. N. ANÁLISE E CARACTERIZAÇÃO DE DESEMPENHO DO FIREWALL IPTABLE/NETFILTER. In: ERIN III ESCOLA REGIONAL DE INFORMÁTICA REGIONAL NORTE 1, 2013, BOA VISTA/RR. Anais da III Escola Regional de Informática Regional Norte 1. Porto Alegre/RS: Sociedade Brasileira da Computação? SBC, p SILVA, W. A.; FARAH, P. R. ARQUITETURA E INTERFACE PARA DISTRIBUIÇÃO DE AMBIENTE DE REALIDADE AUMENTADA POR MEIO DO ARTOOLKIT INTEGRADA A PLATAFORMA CORBA APLICADADOS NA EDUCAÇÃO. In: ERIN III ESCOLA REGIONAL DE INFORMÁTICA REGIONAL NORTE 1, 2013, BOA VISTA/RR. ANAIS DO III ESCOLA REGIONAL DE INFORMÁTICA REGIONAL NORTE 1. PORTO ALEGRE/RS: Sociedade Brasileira da Computação? SBC, p FARAH, P. R.; BUCK, F. F.; PAULI, P. Avaliação do Desempenho das Arquiteturas de Computadores de 32 Bits e 64 Bits em um Servidor LAMP. In: II Escola Regional de Informática (ERIN 2010), 2010, Manaus - AM. ERIN ANAIS. Manaus - AM,

25 FARAH, P. R.; LIMA, A. M. S.; SOUZA, E. S.; CAVALCANTE, F. L.; MENDONCA, M. M.; SILVA, S. N. Deteccao de Worms por Meio da Aplicacao de Redes de Petri Coloridas em Motores de Propagacao. In: II Escola Regional de Informática (ERIN 2010), 2010, Manaus - AM. ERIN ANAIS. Manaus - AM, FARAH, P. R.; Murta, C. D. A Transient Overload Generator for Web Servers. In: 27th IEEE International Performance Computing and Communications Conference, 2008, Austin, TX. A Transient Overload Generator for Web Servers, FARAH, P. R.; Murta, C. D. Efeitos de Sobrecargas Transientes em Servidores Web. In: 25o. Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores, 2007, Belém. 25o. Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores, FARAH, P. R.; Murta, C. D. TORÓ: Um Gerador de Sobrecarga para Servidores Web. In: WPerformance, 2006, Cuiabá - MS. XXVI Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, SCHMITZ, Tiago Luiz; HÜBNER, Jomi Fred. Huginn: Normative Reasoning Based on Mood. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer International Publishing, 2014, v. 8864, p AHLBRECHT, Tobias Bender-Saebelkampf, Christian de Brito, Maiquel Christensen, Nicolai Christian Dix, Jürgen Franco, Mariana Ramos Heller, Hendrik Hess, Andreas Viktor Heßler, Axel Hübner, Jomi Fred Jensen, Andreas Schmidt Johnsen, Jannick Boese Köster, Michael Li, Chengqian Liu, Lu Morato, Marcelo Menezes Ørum, Philip Bratt Schlesinger, Federico Schmitz, Tiago Luiz Sichman, Jaime Simão de Souza, Kaio Siqueira Uez, Daniela Maria Villadsen, Jørgen Werner, Sebastian Woller, Øyvind Grønland, et al.; Multi-Agent Programming Contest 2013: The Teams and the Design of Their Systems. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer Berlin Heidelberg, 2013, v. 8245, p ZATELLI, Maicon Rafael; Uez, Daniela Maria; Neri, José Rodrigo; Schmitz, Tiago Luiz; de Castro Bonson, Jéssica Pauli; Hübner, Jomi Fred. SMADAS: A Cooperative Team for the Multi-Agent Programming Contest Using Jason. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer Berlin Heidelberg, 2013, v. 7837, p

26 ZATELLI, Maicon Rafael; de Brito, Maiquel; Schmitz, Tiago Luiz; Morato, Marcelo Menezes; de Souza, Kaio Siqueira; Uez, Daniela Maria; Hübner, Jomi Fred. SMADAS: A Team for MAPC Considering the Organization and the Environment as First-Class Abstractions. Lecture Notes in Computer Science. 1ed.: Springer Berlin Heidelberg, 2013, v. 8245, p C. Projetos de Pesquisa de Engenharia de Software Finalizados: Disponibilização de uma Ferramenta para Gerenciamento do Processo de Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem, Objetivo geral: Amadurecer a implementação de uma ferramenta de gerenciamento de desenvolvimento de objetos de aprendizagem e implantá-la para validar o processo proposto. Mapeamento de empresas de desenvolvimento de software da região do Alto Vale do Itajaí (SC) em relação à melhoria de processo, Objetivo geral: Mapear as características das empresas de desenvolvimento de software do Alto Vale do Itajaí. Sistema de Informação Geográfica para Monitoramento de Alagamentos Online (SIGMAOn), Objetivo geral: Disponibilizar um SIG online e livre, para permitir o monitoramento visual de alagamentos. O SIG será denominado de Sistema de Informação Geográfica para Monitoramento de Alagamentos Online (SIGMAOn). D. Projetos de Pesquisa de Engenharia de Software em Andamento: Sistema de Informação Geográfica para Monitoramento de Alagamentos Online (SIGMAOn), Objetivo geral: Disponibilizar um SIG online e livre, para permitir o monitoramento visual de alagamentos. O SIG será denominado de Sistema de Informação Geográfica para Monitoramento de Alagamentos Online (SIGMAOn). 26

27 Mecanismo de Adaptação para Jogos Sérios de Pensamento Computacional Objetivo Geral: O Pensamento Computacional (PC) é um processo de resolução de problemas em que se utilizam métodos e técnicas adotadas no desenvolvimento de programas de computador. Existem várias investigações sobre o desenvolvimento de habilidades de PC na educação básica. Contudo, há uma lacuna em pesquisas consoantes ao público-alvo do ensino superior, a maior parte desse público não é familiarizado com o assunto. Devido a restrições de tempo no semestre letivo, é difícil para os professores oferecerem aos alunos a oportunidade de aprenderem habilidades de PC através de ambientes de autoria específicos, como Alice e Scratch. Uma alternativa adotada na disciplina de Introdução à Programação no curso de Bacharelado em Engenharia de Software foi o uso de um jogo sério (chamado NoBug s Snack Bar) que permitiu aos alunos aprenderem e praticarem o conhecimento de PC em momentos extraclasse. Entretanto, verificou-se alunos que evoluíram e outros que desistiram de jogar por alcançarem momentos de dificuldade no jogo. O objetivo desse projeto é identificar características no desempenho dos alunos e propor um mecanismo de adaptação para que o jogo personalize as tarefas de acordo com o perfil do jogador. Desenvolvimento de pensamento computacional em alunos de ensino fundamental e médio por meio da robótica, Objetivo Geral: Os objetivos do projeto são: i) Desenvolver uma metodologia de ensino-aprendizagem de programação de computadores de forma lúdica utilizando-se da robótica; ii) Treinar professores de escolas da rede estadual da região do Alto Vale do Itajaí SC, na metodologia criada; iii) Identificar a efetividade da metodologia, sob o ponto de vista dos professores; iv) Avaliar o nível de evolução de habilidades cognitivas e sociais, além do desempenho escolar dos alunos cuja metodologia foi aplicada. OMA-VANT: Observação e Manutenção de áreas utilizando veículos aéreos não tripulados, Objetivo geral: O projeto apresenta um cenário de aplicação para o planejamento de rotas de VANTs. O objetivo do primeiro cenário é apresentar uma implementação do planejamento de trajetória de um VANT, usando programação BDI e um sistema organizacional, para então compará-lo com uma abordagem centralizada baseada 27

28 em um modelo de otimização. Neste caso, o cenário é modelado como um problema de roteamento de veículos e a solução é obtida utilizando algoritmos exatos e meta-heurísticas. E. Projetos de Desenvolvimento de Software Finalizados: Gerenciamento de Licitações: Módulo Pregão, Objetivo geral: Desenvolver um software para controle e acompanhamento de pregão presencial, e fornecê-lo como software livre. Categoria: Projeto de extensão. Tribunal Regional Eleitoral - Módulo Prestação de Contas Anual dos Partidos Políticos, Objetivo geral: Desenvolver um software para controle e análise da prestação de contas de partidos políticos, e fornecê-lo como software livre. Sistema de Portarias. Objetivo geral: desenvolver um novo sistema de portarias para serem utilizados por todos os centros da UDESC. Essa razão é que somente uma pessoa opera o sistema atual, além dele não possuir mais o código-fonte e, portanto, não possui manutenção. Sistema de automatização do PTI. Objetivos geral: sistema para controlar os planos de trabalho dos docentes da UDESC. Sistema de Custo de Vida. Objetivo Geral: sistema para apoiar a coleta e geração de informações relativas ao custo de vista da região de Florianópolis (projeto de extensão ESAG). Qi UDESC. Objetivo Geral: criar um Quiz relacionado aos cursos da UDESC, a fim de divulgar para a comunidade (projeto de extensão). Gestão do Terceiro Setor. Objetivo Geral: sistema para controlar uma entidade sem fins lucrativos, sendo aplicado a um ancionato (projeto de extensão). 28

29 F. Atividades profissionais desenvolvidas pelos seus docentes Professor: Carlos Alberto Barth, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Testes de Software com Ênfase em Desenvolvimento; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina Fundação Educacional Hansa Hammonia Centro Universitário de Brusque, UNIFEBE, Brasil. Guru Sistemas Ltda Visoft Informática Ltda - Período: atual - Vínculo: Professor universitário - Período: Vínculo: Professor universitário - Período: Vínculo: Professor universitário - Período: Vínculo: Funcionario contratado Sócio Fundador, Enquadramento Funcional: Gerenciamento Técnico, Carga horária: 40 - Professor de Graduação: Algoritmos, Lógica de Programação e Matemática Discreta; - Chefe do Departamento de Sistemas de Informação; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Coordenador de Projetos de Extensão; - Orientador de 02 TCCs; - Professor de Graduação: Disciplinas ministradas: Data Warehouse e Data Mining, Algoritmos I, Algoritmos II, Análise e Projeto de Sistemas I, Análise e Projeto de Sistemas II, Fundamentos da Computação, Informática Básica, Linguagens de Programação II (Delphi); - Orientador de 10 TCCs; - Professor de Graduação: Disciplinas ministrada : Teoria Geral de Sistemas; Análise e Projeto de Sistemas; Análise e Projeto de Sistemas; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 29

30 Professor: Geraldo Menegazzo Varela, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Princípios de Engenharia de Software; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina FEHH Fundação Educacional Hansa Hamonia UNIFEBE Centro Universitário de Brusque CEDUPHH Centro Educação Profissional Hermann Hering - Período: atual - Vínculo: Professor universitário - Período: Vínculo: Professor Universitário - Período: Vínculo: Professor Universitário - Período: Vínculo: Professor Colaborador - Professor de Graduação: Algoritmos I, Programação I, Programação Orientada a Objetos; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Coordenador de Projetos de Extensão; - Orientador de 1 monografia especialização; - Professor de Graduação: Programação, Banco de Dados, Estrutura de Dados; - Orientador de 24 TCCs; - Professor de Graduação: Programação Orientada a Objetos; - Professor de curso: Análise e Projeto Orientados a Objetos, Banco de Dados, Programação; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 30

31 Professor: Jaison Ademir Sevegnani, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Empreendorismo; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina FEHH Fundação Educacional Hansa Hammonia SENAC/SC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SC BOM JESUS - Associação Franciscana de Ensino Bom Jesus - Período: atual - Vínculo: Professor efetivo - Período Vínculo: Colaborador, - Período 2008 Atual. - Vínculo: Celetista formal. - Período Vínculo: Celetista formal. - Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva. - Disciplinas Lecionadas: Empreendedorismo, Marketing, Jogos de Empresas, Administração Financeira, Administração, Administração Mercadológica, Administração de Varejo, Mercado de Capitais. - 2 Monografias de cursos de aperfeiçoamento/especialização; - 39 Trabalhos de conclusão de curso de graduação; - Enquadramento Funcional: Professor de Administração; - Disciplinas ministradas: Empreendedorismo, Empreendedorismo Social, Jogos de Empresa, Administração da Pequena e Média Empresa; - Enquadramento Funcional: Professor; - Ensino, Gestão, Nível: Aperfeiçoamento - Disciplinas ministradas: Processos Organizacionais e Administrativos, Carreira Profissional e Pessoal, Gestão do Varejo Automotivo, Vendas, Gestão da Produção; - Enquadramento Funcional: Professor; - Disciplinas ministradas: Empreendedorismo; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 31

32 Professor: Luiz Claudio Dalmolin, Dr. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Interação Humano-Computador; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina Universidade da Região da Campanha, URCAMP - Período: atual - Vínculo: Professor efetivo - Período: Vínculo: Professor titular - Professor de Graduação: Algoritmos, Sistemas de Informações Gerenciais, introdução à Programação Orientada a Objetos; - Professor de Especialização: Java Avançado I, Modelagem Orientada a Objetos; - Orientador de 2 monografias de especialização; - Orientador de 24 TCCs; - Professor de Graduação: Projeto de Sistemas, Sistemas de Informação, Orientação a Objetos, Projeto de Sistemas, Análise de Sistemas; - Coordenador de projetos de pesquisa; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 32

33 Professor: Marcelo de Souza, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Processos de Software; Engenharia de Requistos; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina; UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina; - Período: atual - Vínculo: Professor universitário; - Período: Vínculo: Professor colaborador; - Professor de Graduação: Engenharia de requisitos, Desenho e projeto de software, Engenharia da qualidade, Desenvolvimento de sistemas para Web; - Coordenador de estágios; - Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Engenharia de Software; - Professor de Graduação: Algoritmos I, Algoritmos II, Programação III; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 33

34 Professor: Márcio José Mantau, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Gerenciamento de Projeto; Padrões de Projeto; Interação Humano-Computador; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina - Período: atual - Vínculo: Professor universitário - Período: Vínculo: Professor substituto - Professor de Graduação: Engenharia de Software, Engenharia de Software Aplicada, Gerenciamento de Projetos, Ergonomia, Processo de Software, Padrões de Projeto, Modelagem de Banco de Dados, Desenho e Projeto de Software; - 2 Orientações de Monografia de Especialização; - Professor de Graduação: Engenharia de Software, Engenharia de Software Aplicada, Ergonomia; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 34

35 Professor: Nilson Ribeiro Modro, Dr. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Qualidade de Software; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina Centro Educacional Floripa DECISÃO VIAS Instituto Virtual de Estudos Avançados UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí UFSC Universidade Federal de Santa Catarina - Período: atual - Vínculo: Professor associado - Período: Vínculo: Professor substituto - Período: Vínculo: Pesquisador - Período: Vínculo: Professor substituto - Período: Vínculo: Professor substituto - Professor de Graduação: Pesquisa Operacional, Álgebra Linear e Geometria Analítica, Estruturas de Dados II; - Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Coordenador de Projetos de Extensão; - Orientador de 4 monografias de especialização; - Orientador de 26 TCCs; - Professor de Graduação: Sistemas de Informação; - Orientador de 2 TCCs; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Professor de Graduação: Programação; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Professor de Pós-Graduação: Conjuntos Difusos, Raciocínio Baseado em Casos, Ambientes Virtuais de Aprendizagem, Engenharia do Conhecimento; - Coorientador de 11 dissertações; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 35

36 Professor: Osmar de Oliveira Braz Júnior, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Modelagem UML; Local UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina Vínculo Institucional - Período: atual - Vínculo: Professor universitário - Período: Vínculo: Professor universitário Atividades - Professor de Graduação: Banco de Dados I, Banco de Dados II e Data Warehouse; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Coordenador de Projeto de Extensão; - Coordenador do Escritório Modelo de Pesquisa e Desenvolvimento de Software; - Orientador de 1 monografia de especialização; - Professor de Graduação: Banco de Dados Aplicado, Banco de Dados I, Banco de Dados II, Compiladores, Programação I e II, Programação para Web, Estrutura de Dados, Algoritmos II; - Professor de Especialização: Modelos Orientados a Objetos; - Coordenador de TI; - Membro de Projeto de Pesquisa; - Orientador de 13 monografias de especialização; - Orientador de 29 TCCs; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 36

37 Professor: Paulo Roberto Farah, Msc. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Orientação a Objetos Aplicada; Manutenção e Evolução de Software; Local Vínculo Institucional Atividades - Período: 2000 A 2004; - Vínculo: Professor universitário; Computadores; Universidade Positivo; Faculdade do Brasil UNIBRASIL; Faculdade Atual da Amazônia; UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina; - Período: 2003 a 2006; - Vínculo: Professor universitário; - Período: 2007 a 2013; - Vínculo: Professor universitário; - Período: 2015-Atual; - Vínculo: Professor universitário; - Professor de Graduação: Laboratório I, Introdução à Informática e Arquitetura de - Professor de Graduação: Informática Aplicada I, Estruturas de Dados, Arquitetura de Computadores e Redes de Computadores; - Professor de Graduação: Algoritmos e Programação I, Auditoria e Segurança de Sistemas de Informação, Organização e Arquitetura de Computadores, Sistemas Distribuídos, Redes de Computadores, Banco de Dados I, Sistemas de Informação I, Sistemas de Apoio a Decisão; Orientação de 8 TCCs em Curso de Pós Graduação Lato Senso; Orientação de 7 TCCs em Curso de Graduação; - Professor de Graduação: UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 37

38 Professor: Tiago Luiz Schmitz, Dr. Disciplina(s) a ser(em) ministrada(s): Metodologia do Trabalho de Conclusão de Curso; Trabalho Final do Modulo II; Trabalho Final do Modulo III; Local Vínculo Institucional Atividades UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina; - Período: 2015 atual; - Vínculo: Professor universitário; - Professor de Graduação: Modelagem de banco de dados, persistência de dados, projeto integrador II e fundamentos de engenharia de software; - Membro do Consuni; Currículo Lattes do professor: <http://lattes.cnpq.br/ > 38

39 3. Justificativas A. Relevância O mercado nacional de software mostra tendência de evolução, fomentada pelo crescimento da economia, pelo acesso à informação e pelas novas áreas onde os sistemas informatizados passam a interagir. Nesse cenário de expansão contínua destaca-se também a falta de mão de obra no mercado nacional. O deficit anual no país é da ordem de 30 a 35 mil vagas. No que diz respeito ao Alto Vale do Itajaí, região de atuação direta do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (CEAVI), os números mostram que a região tem trabalhado para obter seu lugar de destaque no mercado nacional de tecnologia. Segundo pesquisa realizada pelo Núcleo de Informática do Alto Vale do Itajaí (NIAVI) para o ano de 2011, a qual inclui 21 das 37 empresas de tecnologias da região, observa-se tendência de evolução do mercado de tecnologia para o Alto Vale. A pesquisa apontou um deficit atual de 60 postos de trabalho. Ao mesmo tempo em que este número se mostra modesto considerando o panorama nacional, a perspectiva de evolução do mercado de trabalho de tecnologia no Alto Vale mostra-se otimista. B. Originalidade acadêmico-científica Este curso objetiva a atualização dos desenvolvedores de software quanto à perspectiva que se tem atualmente sobre a produção de sistemas computacionais. O curso apresenta ferramentas, técnicas e métodos de Engenharia, a partir da concepção, seguindo pela especificação, a gestão e acompanhamento dos projetos, e o controle de qualidade na produção de software. C. Perspectivas de desenvolvimento e demanda O NIAVI em sua pesquisa preocupou-se em levantar a previsão de demanda de mão de obra para os anos 2011, 2012 e 2013 o que gerou, numa perspectiva mais otimista, uma estimativa de 616 postos de trabalho para as atividades diversas ligadas ao desenvolvimento de software. Observe-se que mesmo a perspectiva menos otimista, cerca de 180 postos de trabalho nestes três anos, exigiria formar pelo menos sessenta novos profissionais/ano. Novas oportunidades para aplicação da tecnologia de software surgem nas mais diversas áreas de negócio e com maior complexidade. Ao desenvolvedor de software torna-se necessário cumprir requisitos cada vez mais complexos, isto 39

40 em função da dinâmica também cada vez mais complexa da vida do ser humano. Mencionam-se aqui quesitos de mobilidade, segurança, desempenho e outros que tornam o software de hoje um mecanismo muito mais intrincado do que já foi no passado. D. Histórico dos cursos de Especialização do Departamento O Departamento de Engenharia de Software do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí já possui tradição em cursos a nível de especialização, sendo que foram realizadas três edições do curso de Especialização Lato Sensu em Engenharia de Software entre o segundo semestre de 2012 ao segundo semestre de Após a realização da terceira edição do curso de Especialização em Engenharia de Software identificou-se a necessidade de alterar a grade das disciplinas que constituíram o curso em suas três edições. Estas modificações fizeram-se necessárias para permitir a atualização dos conteúdos abordados em frente a área da Engenharia de Software, bem como para contemplar as especialidades dos professores que constituem o corpo docente do departamento, que ainda está em formação. D.a) 1ª Edição do Curso de Especialização em Engenharia de Software O Curso de Especialização lato Sensu em Engenharia de Software do CEAVI Centro de Educação Superior do Alto vale do Itajaí encontra-se na fase final da terceira edição. A primeira edição do Curso de Especialização foi realizada no período de 08/2012 a 07/2014, sob Coordenação dos professores Pablo Schoeffel e Jaison Ademir Seveganani. A segunda edição do Curso de Especialização foi realizada no período de 07/2013 a 06/2015, sob Coordenação dos professores Pablo Schoeffel, Jaison Ademir Seveganani e Márcio José Mantau. A terceira edição do Curso de Especialização foi realizada no período de 02/2015 a 06/2016, sob a Coordenação do professor Mário José Mantau. A terceira edição foi prorrogada para o semestre 2016/02 para finalização e apresentação da Monografia. A primeira edição foi aprovada pela portaria 013/2012 CONSEPE. O curso foi realizado entre 08/2012 a 07/2014. A cordenação técnica desta edição foi conduzida por: De 03/08/2012 até 11/11/ Prof. Pablo Schoeffel, MSc 40

41 De 12/11/2013 até a finalização do Curso (Portaria DG Nº 061/2013 CEAVI) - Prof. Jaison Ademir Seveganani, MSc Dos 25 alunos que iniciaram o curso, teve 2 desistências e outros 10 alunos com reprovação por nota ou frequência. Dessa forma, 13 alunos foram aprovados em todas as disciplinas e estavam aptos para defender a monografia. Dos 13 alunos aptos para realizar e defender a monografia, 7 alunos o fizeram dentro do prazo legal e foram aprovados, conforme mostrado a seguir. Aluno Titulo Orientador Tiago Vanderlinde Vandir Fernando Resende Christian Rogério Câmara de Abreu Juliane Menin Ambrósio Cleber Nardelli Ricardo Schroeder Vilmar Eduardo Ramos CHECKLIST PARA AUXILIAR NA DEFINIÇÃO DA ARQUITETURA DE BANCO DE DADOS FERRAMENTA PARA EXECUÇÃO DE TESTES EM CLUSTER ESTUDO, SÍNTESE E ANÁLISE DE VIABILIDADE DE CONTRATOS ÁGEIS PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE JOGO DE TABULEIRO PARA APOIO AO ENSINO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROPOSTA DE UM GERADOR DE JOGO SÉRIO PARA ENSINO DE DISCIPLINAS RELACIONADAS À ENGENHARIA DE SOFTWARE ARQUITETURA DE SERVIÇOS WEB DE ALTO DESEMPENHO COM NODE.JS E MONGODB MODELAGEM DE PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO BPMN Osmar de Oliveira Braz Júnior Carlos Alberto Barth Pablo Schoeffel Pablo Schoeffel Pablo Schoeffel Fernando dos Santos Geraldo Menegazzo Varela As monografias seguiram as linhas de pesquisa estipuladas para o curso, sendo: Desenho e Arquitetura de Software (componentes e frameworks); Gerência de Projetos; Qualidade de Software; Processo de Software; Ferramentas CASE; Engenharia de Software para Sistemas Distribuídos; 41

42 Das monografias defendidas foram resultados dois artigos que foram aceitos para publicação na Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí (REAVI): i) Checklist para auxiliar na definição da arquitetura de banco de dados; ii) Arquitetura de serviços web de alto desempenho com node.js e mongodb. Dos 10 alunos restantes, que não são desistentes nem concluintes, 4 deles matricularam-se na 2ª edição do curso, a fim de recuperar disciplinas não aprovadas. Com isso, tem-se o seguinte panorama considerando a situação atual dos alunos ingressantes. D.b) 2ª Edição do Curso de Especialização em Engenharia de Software A segunda edição foi aprovada pela portaria 013/2012 CONSEPE. O curso foi realizado entre 07/2013 a 30/06/2015. As disciplinas foram realizadas no período de 07/2015 a 06/2014 e o período para a realização do trabalho de conclusão e defesa da monografia entre 10/2014 a 06/2015. A coordenação técnica desta edição foi conduzida por: De 03/08/2012 até 11/11/ Prof. Msc. Pablo Schoeffel De 12/11/2013 até 27/04/2015 (Portaria DG Nº 061/2013 CEAVI) Prof. Msc. Jaison Ademir Seveganani De 28/04/2015 até o término da edição (Portaria DG Nº 037/2015 CEAVI) Prof Msc. Márcio José Mantau Dos 25 alunos que iniciaram o curso, teve 7 alunos com reprovação por nota ou frequência. Dessa forma, 18 alunos foram aprovados em todas as disciplinas e estavam aptos para defender a monografia. Dos 18 alunos aptos para realizar e defender a monografia, 12 alunos o fizeram dentro do prazo legal e foram aprovados, conforme mostrado a seguir. Aluno Titulo Orientador AVALIAÇÃO DA QUALIDADE EM USO DE UM Nilson Ribeiro SOFTWARE EDUCACIONAL: UM ESTUDO Modro APLICADO AO SENAI/SC Ademar Perfoll Junior Anderson Diego Kulpa Fachini Anderson Fossa FATORES DE SUCESSO E DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DE ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO NAS ORGANIZAÇÕES: UMA SURVEY CARACTERÍSTICAS INFLUENTES NA ESTIMATIVA POR ESPECIALISTA Márcio José Mantau Pablo Schoeffel 42

43 Carlos Antônio da Silva Daniel Felipe da Rosa Evandro Meurer Glauco David Laicht Juliano Vicente Luigi Bertaco Cristofolini Maicon Sasse Samuel Yuri Deschamps Tiago Capistrano O CENÁRIO DO TRABALHO REMOTO NA ÁREA DE TECNOLOGIA EM SANTA CATARINA DESEMPENHO DOS DOJOS DE PROGRAMAÇÃO NO APRENDIZADO DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS DIAGNÓSTICO E PROPOSTA DE MELHORIA NO PROCESSO DE SOFTWARE DA PAMPLONA ALIMENTOS S/A BASEADO NA NORMA ABNT NBR ISO/IEC FERRAMENTA PARA ESPECIFICAÇÃO DE SEQUENCIAMENTO EM JOGOS SÉRIOS TIRO CERTEIRO: DINÂMICA VIVENCIAL PARA APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS UTILIZANDO PAINTBALL JOGO EDUCACIONAL PARA APOIO À DEFINIÇÃO DE CRONOGRAMA E RISCOS EM GERÊNCIA DE PROJETOS PROJETANDO UMA API DE SERVIÇOS PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE UM MARKETPLACE FERRAMENTA PARA GERAÇÃO DE TESTES AUTOMATIZADOS EM JAVA DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO NO ENTERPRISE ARCHITECT 11.1 Carlos Alberto Barth Pablo Schoeffel Pablo Schoeffel Pablo Schoeffel Pablo Schoeffel Pablo Schoeffel Osmar de Oliveira Braz Junior Fernando dos Santos Osmar de Oliveira Braz Junior As monografias seguiram as linhas de pesquisa estipuladas para o curso, sendo: Desenho e Arquitetura de Software (componentes e frameworks); Gerência de Projetos; Qualidade de Software; Processo de Software; Ferramentas CASE; Engenharia de Software para Sistemas Distribuídos; Dos 25 alunos matriculados, 8 concluíram todas as disciplinas do curso mas não realizaram a defesa do trabalho final ou não foram aprovados neste. 43

44 D.c) 3ª Edição do Curso de Especialização em Engenharia de Software A terceira edição foi aprovada pela portaria 013/2012 CONSEPE. O curso foi realizado entre 02/ Atual. As disciplinas foram realizadas no período de 02/2015 a 02/2016 ( 1 ) e o período para a realização do trabalho de conclusão e defesa da monografia entre 02/2016 a 07/2016, sendo prorrogado para o semestre 2016/02. A cordenação técnica desta edição foi conduzida por: De 03/08/2012 até 11/11/ Prof. Msc. Pablo Schoeffel De 12/11/2013 até 27/04/2015 (Portaria DG Nº 061/2013 CEAVI) Prof. Msc. Jaison Ademir Seveganani De 28/04/2015 até o presente (Portaria DG Nº 037/2015 CEAVI) Prof Msc. Márcio José Mantau Dos 29 alunos que iniciaram o curso, teve 5 alunos com reprovação por nota ou frequência. Dessa forma, 24 alunos foram aprovados em todas as disciplinas e estavam aptos para defender a monografia. Dos 24 alunos aptos para realizar e defender a monografia, 8 alunos o fizeram dentro do prazo legal e foram aprovados, conforme mostrado a seguir. Aluno Titulo Orientador Ederson Jasper A IMPORTÂNCIA DO PROJETO DE Osmar de ARQUITETURA DE SOFTWARE PARA O DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Oliveira Braz Júnior Elizandro José Schramm Guilherme Vota Pereira ESTUDO DE CASO: PRÁTICAS DO SCRUM APLICADAS EM UMA EQUIPE DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE LEGADO MODELOS DE COMPROMISSOS EM SISTEMAS MULTIAGENTE Osmar de Oliveira Braz Júnior Tiago Luiz Schmitz Hemanuel Xafranski Jean Felipe Diel Jullian Hermann Creutzberg ESTRATÉGIAS DE COERÊNCIA DE CACHE EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SISTEMATIZADA COMPARATIVO DO USO DE LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO E GERADORES DE CÓDIGO NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IMPLANTAÇÃO DE GERÊNCIA DE CONFIGURAÇÃO EM EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA Márcio José Mantau Luiz Cláudio Dalmolin Nilson Ribeiro Modro 1 Alteração devido a alterações no cronograma de aulas para ajustar aos horários disponíveis pelos professores. 44

45 Ricardo Voigt Rosemir Zeferino GESTÃO PÚBLICA: UM ESTUDO DE CASO ANÁLISE DE DESEMPENHO DE ARQUITETURA SOAP E REST PARA COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS INTERNET DAS COISAS E OS SISTEMAS CIBERFÍSICOS NA QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Osmar de Oliveira Braz Júnior Paulo Roberto Farah As monografias seguiram as linhas de pesquisa estipuladas para o curso, sendo: Desenho e Arquitetura de Software (componentes e frameworks); Gerência de Projetos; Qualidade de Software; Processo de Software; Ferramentas CASE; Engenharia de Software para Sistemas Distribuídos; Dos 29 alunos matriculados, 16 concluíram todas as disciplinas do curso mas não realizaram a defesa do trabalho final, o qual foi porrogado para o semestre 2016/02. 45

46 4. Coordenação Técnica e Administrativa A. Diretor de Pesquisa e Pós-Graduação Prof. Fernando Scheefer, Dr. Fone: (47) B. Coordenador Técnico Prof. Márcio José Mantau, Msc. Fone: (47)

47 5. Organização do Curso A. Regulação Legal O Projeto do Curso foi elaborado obedecendo a Resolução nº 010/2012 CONSEPE. B. Objetivos B.a) B.b) Objetivo Geral Desenvolver habilidades de análise e utilização de processos, modelos, métodos, ferramentas e metodologias modernas de Engenharia de Software com o intuito de aplicá-las aos mais variados contextos organizacionais. Objetivos Específicos: Reconhecer o contexto atual de atuação do Engenheiro de Software; Identificar oportunidades de desenvolvimento de software como produto ou serviço; Entender o processo de software como uma atividade que pode ser planejada, mensurada e controlada; Conhecer e utilizar as técnicas de obtenção do mundo real e transformá-los em requisitos e casos de uso; Utilizar diferentes artefatos de software de acordo com as necessidades; Identificar os componentes de qualidade e as atividades para garantir a qualidade dos produtos e processos; Especificar software objetivando reusabilidade; Reconhecer e entender os conceitos básicos de gerenciamento de projetos; Planejar e desenvolver casos de testes; Especificar e aplicar arquiteturas de software de acordo com as necessidades; Compreender o relacionamento entre as diversas atividades da engenharia e a necessidade de manutenção dos artefatos utilizados durante o processo. C. Público Alvo O Curso de Especialização em Engenharia de Software destina-se a profissionais formados em curso de nível superior e que desejam se especializar em Engenharia de Software. O curso destina-se para: i) profissionais de TI (CIOs, Gerentes de TI, Engenheiros de Software, Analistas, Projetistas, Arquitetos de Software, Programadores, 47

48 Engenheiros de Teste, Analistas de Teste, Testadores, etc.) que já atuam em funções de TI ou em empresas de TI; ii) para alunos recém formados. O público-alvo são alunos graduados em cursos como: Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Tecnólogos em Banco de dados, Redes ou Processamento de Dados, Engenharia Elétrica, Engenharia de Telecomunicações e outros cursos afins. O curso também poderá ser adequado para profissionais de outras áreas que comprovem conhecimento na área de sistemas de informação. Analistas, Desenvolvedores, projetistas, arquitetos, gerentes que percebam a importância do aprofundamento deste conhecimento no seu desenvolvimento profissional. D. Número Mínimo e Máximo de Vagas: O número mínimo de vagas preenchidas para que o curso entre em funcionamento deverá ser de 20. As vagas serão limitadas em no máximo 25. E. Data de Início e Término do Curso O curso será realizado de 02/2017 até 07/2018, período correspondente à integralização dos créditos, devendo a monografia estar concluída até 01/08/2018. F. Inscrição As inscrições serão realizadas na Secretaria de Pós-Graduação do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí CEAVI, na Rua Dr. Getúlio Vargas, 2822 Bairro Bela Vista Ibirama/SC, no período de 01/11/2016 até 01/12/2016. Os documentos necessários para a inscrição são: i). Formulário de Inscrição, disponibilizado no site do Centro, devidamente preenchido; ii). Histórico Escolar do Curso de Graduação; iii). Comprovante de conclusão de curso de ensino superior ou comprovante de estar cursando o último período do curso de ensino superior; iv).curriculum Vitae impresso devidamente comprovado, gerado pela plataforma CNPQ Lattes ( 2 ). v). Proposta de Projeto de Monografia. A documentação deverá ser entregue pessoalmente à Secretaria de Pós- Graduação do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí CEAVI, na 2 Link plataforma Lattes: 48

49 Rua Dr. Getúlio Vargas, 2822 Bairro Bela Vista Ibirama/SC. Os resultados da seleção serão publicados no site do Centro até 13/02/2017. G. Seleção A seleção será procedida por meio de duas etapas: i) Análise de Currículo. Análise do currículo gerado pela plataforma CNPQ Lattes ( 1 ), que deve ser entregue na forma impressa ao comitê de seleção, juntamente com os documentos comprobatórios (certificados) de todos os cursos e atividades realizadas. Anexar o histórico escolar do(s) curso(s) de graduação e de pósgraduação (se houver). ii) Proposta de Projeto de Monografia. A Proposta deve conter uma descrição detalhada do trabalho que o candidato pretende desenvolver (com motivação, problemática, justificativa, objetivo, metodologia, cronograma e referências), estando no formato de um short paper (artigo resumido), no formato de artigo da SBC ( 3 ). A proposta deve seguir uma das linhas de pesquisa dos professores do Quadro da Especialização Lato Sensu em Engenharia de Software, e preferencialmente, ser elaborada juntamente com um possível professor orientador que compõe o respectivo quadro do Curso. Os critérios de avaliação da Proposta de Projeto de Monografia seguirão conforme apresentado no ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DE MONOGRAFIA, levando em consideração os itens: INT (INTRODUÇÃO) - Em que contexto o trabalho será desenvolvido? É parte de um projeto maior? É aplicada a uma empresa ou contexto específico? Qual é o problema que busca resolver ou reduzir? O problema é relevante? As soluções atuais não resolvem bem o problema? Qual é o objetivo geral a ser alcançado? Existem objetivos específicos (subprodutos) gerados pela pesquisa? Os objetivos estão adequados? I.e. são não-triviais, atingíveis e verificáveis ao final? REF (REFERENCIAL) - O trabalho está bem fundamentado e faz uma boa ligação com trabalhos correlatos? Qual é o problema da pesquisa? É algo novo? O que o diferencia de outros trabalhos já publicados? O trabalho apresenta base teórica suficiente para comportar sua argumentação? (i.e. fez-se uma revisão bibliográfica suficiente, adequada e up-to-date?). I.e. as informações são apresentadas em face ao estado da arte? Existe outros trabalhos na literatura que já buscaram resolver o problema? Se 3 Formato de artigo disponível no link: 49

50 sim, como eles o fizeram? Se não, será que o problema a ser tratado é relevante para a área e/ou traz contribuições científicas para tal? MET (METODOLOGIA) - Dado o problema/questão de pesquisa a ser investigado, o que será desenvolvido ou implantado? O que será feito para avaliar a hipótese/solução ou investigar a questão de pesquisa? De que forma os resultados foram obtidos? Foi realizado algum experimento? Entrevistas? Questionários? Quanto tempo foi necessário? Quais serão os dados coletados nessa pesquisa? Qual será o método de pesquisa a ser adotado: Experimento? Survey? Estudo de caso? Pesquisa-ação? Design research? Design participativo? Qual será a técnica de coleta de dados: Medição? Questionário? Entrevistas? Grupos focais? Observação direta? Documentos? Qual será a técnica de análise dos dados obtidos: Estatística descritiva? Estatística inferencial? Análise do discurso? Mineração de dados/análise do conteúdo? DES (PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO) - Sequencia lógica, profundidade e organização das ideias apresentadas na proposta de desenvolvimento. Proposta de desenvolvimento compatível com a metodologia, problema e/ou objetivos definidos. TXT (APRESENTAÇÃO E REDAÇÃO DO TRABALHO) - Adequação do título, resumo, introdução e desenvolvimento; Qualidade da redação e organização do texto (sequenciamento lógico de raciocínio); Qualidade e adequação da análise dos resultados e considerações finais; Respeito a formatação, utilização de citações, e referências bibliográficas. FOCO (FOCO DA PROPOSTA) - Título, resumo, introdução e proposta de desenvolvimento estão sendo apresentados em um nível de profundidade (ênfase) adequada? Há a ocorrência de problemas de over-emphasis ou under-enphasis no título, resumo, introdução ou desenvolvimento? I.e. o trabalho possui um foco demasiado em um dos pilares da pesquisa (técnicas/métodos ou conceitos/ideias ou área/contexto de aplicação)? Quais são os pontos fortes e fracos do trabalho? DOM (DEFESA E DOMÍNIO DO CONTEÚDO) - Capacidade de entendimento do problema, domínio da revisão da literatura, metodologia e proposta de desenvolvimento do projeto. 50

51 H. Matrícula As matrículas serão realizadas na Secretaria Acadêmica do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí CEAVI, na Rua Dr. Getúlio Vargas, 2822 Bairro Bela Vista Ibirama/SC, no período de 13/02/2017 até 17/02/2017, para a primeira chamada. São requisitos essenciais à matrícula no curso (Art. 24. Resolução CONSUNI 10/2012): I. ser portador de diploma de curso de ensino superior dentre as áreas estabelecidas no Projeto de Curso; II. ser classificado no processo de seleção; III. outros requisitos exigidos pelo curso; IV. aceitar as disposições regimentais do curso e demais normas da UDESC. 1º Poderão ser aceitos, para matrícula, candidatos que apresentarem protocolo de solicitação de emissão de diploma, assim como atestado de colação de grau, emitido pela IES. 2º As matrículas dos candidatos portadores de diplomas estrangeiros somente serão aceitas quando possuírem reconhecimento consular e revalidação em universidade brasileira. São documentos necessários para a matrícula: Requerimento de matrícula, disponibilizado no site do Centro, devidamente preenchido; Comprovante de seleção emitido pelo Centro; Fotocópia do Diploma de Graduação (autenticada); Fotocópia da Carteira de Identidade e CPF; 2 fotos 3 X 4; A segunda e terceira chamada serão realizadas após o período de matrícula, obedecendo a ordem de classificação dos candidatos. I. Investimento O Curso será oferecido pela Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC, sem ônus aos participantes. 51

52 J. Critérios de Avaliação para Desempenho dos Alunos Os critérios de avaliação e desempenho deverão seguir o que consta nos artigos 33 e 34 da Resolução 010/2012 CONSEPE. K. Previsão das Áreas para o Desenvolvimento da Monografia A monografia a ser desenvolvida deverá abordar assunto pertinente à Engenharia de Software, enquadrando-se em uma das áreas descritas no Capítulo 8 desse documento. L. Disponibilidade de Espaço Físico (laboratórios e material bibliográfico) O curso conta com 1 sala de aula teórico-prática equipada com projetor multimídia e mais 1 laboratório de informática. Além disso, está disponível o Laboratório de Engenharia de Software para a realização de experimentos nas disciplinas e na monografia. A biblioteca do CEAVI, localizada nas mesmas dependências do Centro, conta com 168 títulos para atender o presente curso. 52

53 6. Estrutura Curricular As disciplinas serão constituídas por créditos, sendo que cada unidade de crédito corresponde a 15 horas/aula. Os estudantes deverão obter aprovação em todas as disciplinas ofertadas para obterem os créditos em disciplinas, necessários à conclusão do curso. As disciplinas serão apresentadas, preferencialmente em dois ou três encontros semanais, conforme a carga horária de cada disciplina. Os horários preestabelecidos para as aulas são quintas, sextas e sábados, podendo ser realizadas nos períodos: I. Matutino, das 08:30 às 10:20 horas e das 10:30 às 12:10 horas (havendo um intervalo de 10 minutos); II. Vespertino, das 13:20 às 16:00 horas e das 16:10 às 17:50 horas (havendo um intervalo de 10 minutos); III. Noturno, das 18:50 às 20:20 horas e das 20:40 às 22:20 horas (havendo um intervalo de 10 minutos). Existirá um intervalo de pelo menos uma hora entre os períodos matutino, vespertino e noturno, quando houver aulas em mais de um período consecutivo no dia. Existirá a folga de pelo menos uma semana entre uma disciplina e outra. A coordenação se reserva o direito de proceder pequenos ajustes nesta sistemática, caso se faça necessário devido a imprevistos, para manter o bom andamento do Curso, ou outros motivos de força maior. 53

54 A. Quadro de Disciplinas e Responsáveis Módulo I: Fundamentos da Engenharia de Software Disciplina CH Professores Responsáveis 1. Princípios de Engenharia de Software 15 Geraldo Menegazzo Varela 2. Processos de Software 30 Marcelo de Souza 3. Gerenciamento de Projeto 30 Márcio José Mantau 4. Empreendedorismo 15 Jaison Ademir Sevegnani 5. Metodologia do Trabalho de Conclusão de Curso 15 Tiago Luiz Schmitz CH Total 105h. Módulo II: Arquitetura e Modelagem Disciplina CH Professores Responsáveis 1. Engenharia de Requisitos 15 Marcelo de Souza 2. Modelagem UML 45 Osmar de Oliveira Braz Júnior 3. Orientação a Objetos Aplicado 30 Paulo Roberto Farah 4. Padrões de Projeto 30 Márcio José Mantau 5. Trabalho Final do Módulo II 15 Tiago Luiz Schmitz CH Total 135h. Módulo III: Qualidade de Software Disciplina C H Professores Responsáveis 1. Interação Humano Computador 30 Luiz Claudio Dalmolin / Márcio José Mantau 2. Teste de Software com Ênfase em Desenvolvimento 30 Carlos Alberto Barth 3. Qualidade de Software 30 Nilson Ribeiro Modro 4. Manutenção e Evolução de Software 30 Paulo Roberto Farah 5. Trabalho Final do Módulo III 15 Tiago Luiz Schmitz CH Total 135h. 54

55 A.a) Ementas e Bibliografia Sugerida Módulo I: Fundamentos da Engenharia de Software Princípios de Engenharia de Software (15 h/a) Ementa: Software: produto ou serviço. Características e propriedades do software. Processos da Engenharia de software. A área de Engenharia de Software. Introdução ao SWEBOK: Guide to the Software En-gineering Body of Knowledge. A profissão do Engenheiro de Software. Ferramentas CASE de Engenharia de Software. Objetivo geral: Apresentar os conceitos fundamentais da área de Engenharia de Software, bem como técnicas, métodos e ferramentas utilizadas dentro do ciclo de vida de um software, visando o projeto, desenvolvimento, operação, manutenção e a evolução. Objetivos específicos: - Conhecer a área de Engenharia de Software e as disciplinas que a constituem segundo descrito no SWEBOK: Guide to the Software En-gineering Body of Knowledge; - Conhecer os princípios da Engenharia de Software; - Conhecer e aplicar métodos de desenvolvimento de software; - Conhecer e explorar ferramentas CASE de Engenharia de Software; Bibliografia: ENGHOLM JUNIOR, H., Engenharia de software na prática. São Paulo: Novatec, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, PAULA FILHO, Wilson de Pádua. Engenharia de software: fundamentos, métodos e padrões. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, c p. PFLEEGER, Shari Lawrence; FRANKLIN, Dino. Engenharia de software: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, p. PRESSMAN, R. S. Engenharia de software. 7. ed. São Paulo: Bookman, SOMMERVILLE, I. Engenharia de software. 9. ed. São Paulo: Pearson, WAZLAWICK, Raul Sidnei. Análise e projeto de sistemas de informação orientados a objetos. 2a ed. Elsevier, ISBN-10: WAZLAWICK, Raul S. Engenharia de Software: conceitos e práticas. Editora Campus,

56 Processos de Software (30 h/a) Ementa: Modelos de ciclo de vida de software. Processos de ciclo de vida de software. Métodos ágeis. Notação para definição de processos. Métricas de processo. Ferramentas CASE para gerenciamento de processo de software. Objetivo geral: Entender o processo de desenvolvimento de software como uma atividade que pode ser planejada, medida e controlada. Objetivos específicos: - Reconhecer e relacionar os modelos de processos de desenvolvimento de software tradicionais, identificando suas principais características, ciclo de vida, vantagens, desvantagens e exemplos de aplicação; - Reconhecer e relacionar as metodologias ágeis extreme Programming e SCRUM, descrevendo suas principais características e práticas adotadas, papéis e responsabilidades de cada participante, seu ciclo de vida, exemplos de aplicações, bem como as vantagens e desvantagens de cada abordagem; - Reconhecer a notação BPMN para a definição de processos de software, justificando seu propósito, sintaxe e semântica; - Usar métricas para medição de processos e de Modelagem UML; Bibliografia: AMBLER, S. W. Modelagem Ágil: práticas eficazes para a programação extrema e o processo unificado. Porto Alegre: Bookman, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, MARTINS, J. C. C. Gerenciando projetos de desenvolvimento de software com PMI, RUP e UML. 3. ed. Rio de Janeiro: BRASPORT, PRESSMAN, Roger S. Engenharia de software. 6. ed. São Paulo: McGraw-Hill, p. SOMMERVILLE, I. Engenharia de software. 9. ed. São Paulo: Pearson, WAZLAWICK, Raul Sidnei. Engenharia de Software: conceitos e práticas. Editora Campus, ISBN-10:

57 Gerenciamento de Projetos (30 h/a) Ementa: Fundamentos de gerenciamento de projetos. Habilidades de um gerente de projetos. Áreas de gerenciamento de projetos. Processos de gerenciamento de projetos. Tríplice restrição. Definição do escopo do projeto. Planejamento do projeto: definição do escopo do projeto, entregas, esforço, custo, tempo, alocação de recursos. Técnicas de estimativa de esforço. Execução e acompanhamento do projeto. Iniciação e encerramento do projeto. Objetivo geral: Reconhecer e entender os conceitos básicos de gerenciamento de projetos. Construir o planejamento de projetos em relação a escopo, tempo, custos e recursos. Objetivos específicos: - Conhecer o PMBOK, suas áreas de conhecimento e processos para o gerenciamento de projetos; - Planejar o escopo do projeto e gerenciar suas mudanças; - Planejar e monitorar o cronograma do projeto, utilizando técnicas de estimativas; - Planejar e monitorar o custo do projeto; - Gerenciar os riscos do projeto; -Planejar e gerenciar os recursos humanos (equipe); - Gerenciar a comunicação do projeto realizando relatórios de desempenho do projeto; - Manter os artefatos do projeto atualizados e integrados; - Iniciar, monitorar e encerrar um projeto; Bibliografia: GRAY, C. F.; LARSON, E. W. Gerenciamento de projetos: o processo gerencial. São Paulo: McGraw-Hill, GREENE, J.; STELLMAN, A. Use a cabeça! PMP. 2 ed. Rio de Janeiro: Alta Books, HELDMAN, K. Gerência de Projetos - Fundamentos um Guia Prático Para quem quer Certificação em Gerência de Projetos. Rio de Janeiro: CAMPUS, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, NOCÊRA, R. de J. Gerenciamento de projetos: teoria e prática. 4 ed Project Management Institute. Conjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos - PMBOK Guide. Project Management Institute, VARGAS, R. V. Manual prático do plano de projeto: utilizando o PMBOK guide 4th ed. 4. ed. Rio de Janeiro: Brasport,

58 Empreendedorismo (15 h/a) Ementa: Empreendedorismo: novos paradigmas. Características empreendedoras. Intraempreendedorismo. Inovação. Introdução ao plano de negócios. Objetivo geral: Compreender a importância dos fundamentos do Empreendedorismo, desenvolvendo o espírito empreendedor por meio de novos conhecimentos e comportamentos. Objetivos específicos: - Reconhecer a importância do estudo do Empreendedorismo; - Identificar habilidades e o espírito empreendedor; - Investigar a capacidade de inovação no mundo da Tecnologia da Informação utilizando conhecimentos, planos, estratégias e ações de forma empreendedora para o mercado. Bibliografia: DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo corporativo: como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, c p. ISBN (broch.). HISRICH, Robert D.; PETERS, Michael P.; SHEPHERD, Dean A.Empreendedorismo. 9. ed. Porto Alegre: AMGH, p. ISBN (broch.). MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Administração para empreendedores. 2. ed. São Paulo: Pearson, p. ISBN (broch.). 58

59 Metodologia do Trabalho de Conclusão de Curso (15 h/a) Ementa: Ciência e conhecimento científico. Metodologia científica de pesquisa. Classificação dos métodos de pesquisa. Classificação dos tipos de pesquisa. Organização e documentação de estudo. Tipologia de projeto de pesquisa. Elaboração de projetos de pesquisa. Análise e interpretações dos resultados de pesquisa. Objetivo geral: Aplicar as técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver de maneira sistemática problemas da aquisição objetiva do conhecimento. Objetivos específicos: - Compreender os conceitos que envolvem um processo cientifico de pesquisa; - Aplicar os conceitos que envolvem um processo cientifico de pesquisa; - Desenvolver pré projeto do trabalho de conclusão do curso; Bibliografia: ANDRADE, M. M. de. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 10 ed. São Paulo: Atlas, CASTRO, C. de M. A prática da pesquisa. 2 ed. São Paulo: Pearson, THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, OLIVEIRA NETTO, A. A. de; MELO, C. de. Metodologia da pesquisa científica: guia prático para a apresentação de trabalhos acadêmicos. 3.ed. rev. e atual. Florianópolis: Visual Books, RAMOS, P. Os caminhos metodológicos da pesquisa: da educação básica ao doutorado. Blumenau: Odorizzi, WAINER, J. Métodos de pesquisa quantitativa e qualitativa para a Ciência da Computação. In: KOWALTOWSKI, T., BREITMAN, K. (orgs.). Atualizações em Informática Porto Alegre: SBC,

60 Módulo II: Arquitetura e Modelagem Engenharia de Requisitos (30 h/a) Ementa: Definições de requisitos de software. Engenharia de requisitos: processo, elicitação, análise, especificação, validação, gerenciamento e controle de mudanças. Métricas de requisito. Objetivo geral: Analisar problemas do mundo real e organizá-lo em requisitos e casos de uso para fomentar as próximas fases do desenvolvimento de software, assim como definir a quantidade de trabalho a ser realizada. Objetivos específicos: - Conhecer os conceitos fundamentais e a importância da engenharia de requisitos; - Conhecer o processo de engenharia de requisitos e suas atividades; - Preparar a especificação de requisitos e demais artefatos (casos de uso, atividades, etc.); - Mensurar o esforço e tempo necessário para o desenvolvimento do software. Bibliografia: ANSELMO, F. Métricas para Desenvolvedores. Florianópolis: Visual Books, COCKBURN, A. Escrevendo casos de uso eficazes. Porto Alegre: Bookman, ENGHOLM JUNIOR, H. Engenharia de software na prática. São Paulo: Novatec, IEEE Std : IEEE recommended practice for software requirements specifications. New York: IEEE, KOTONYA, G.; SOMMERVILLE, I. Requirements engineering: processes and techniques. Wiley, PETERS, J. F. Engenharia de Software Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Campus, PRESSMAN, R. S. Engenharia de software. 7. ed. São Paulo: Bookman, RAMESH, B.; JARKE, M. Towards reference Models for Requirements Traceability. IEEE Transactions on Software Engineering, vol. 27, no 1, pp , jan Software Engineering Standards Committee of the IEEE Computer Society. IEEE Recommended Practice for Software Requirements SpeciÞcations. IEEE Std Copyright 1998 by the Institute of Electrical and Electronics Engineers, Inc. SOMMERVILLE, I. Engenharia de software. 9. ed. São Paulo: Pearson, WAZLAWICK, Raul Sidnei. Análise e projeto de sistemas de informação orientados a objetos. 2a ed. Elsevier, ISBN-10: WAZLAWICK, Raul Sidnei. Engenharia de Software: conceitos e práticas. Editora Campus, ISBN-10:

61 Modelagem UML (45 h/a) Ementa: O Projeto de Software: Abordagem Estruturada versus O.O. A Linguagem de Modelagem Unificada UML (Unified Modeling Language). Diagramas Estruturais: Diagrama de Classe, Diagrama de Objetos, Diagrama de Componentes, Diagrama de Pacotes, Diagrama de Estrutura Composta, Diagrama de Implantação; Diagramas Comportamentais: Diagrama de Atividades, Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Máquina de Estados; Diagramas de Interação: Diagrama de Sequencia, Diagrama de Comunicação/Colaboração. Especificação de Casos de uso (Cenários de Interação/Casos de Uso Expandidos). Ferramentas CASE para modelagem UML. Objetivo geral: Produzir arquitetura de software com base em documentos de especificação, considerando as várias rvisões da UML (diagramas), selecionando aqueles de acordo com o tipo de aplicação. Objetivos específicos: - Relacionar os diagramas UML, justificando seu propósito, sintaxe e semântica; - Conhecer os principais princípios de projeto e estratégias de desenvolvimento de software; - Elaborar projetos de software (aspectos estruturais e comportamentais); - Implementar os projetos com base na sua especificação; Bibliografia: ENGHOLM JUNIOR, H. Engenharia de software na prática. São Paulo: Novatec, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, LARMAN, C. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, PRESSMAN, R. S. Engenharia de software. 7. ed. São Paulo: Bookman, SOMMERVILLE, I. Engenharia de software. 9. ed. São Paulo: Pearson, WAZLAWICK, Raul Sidnei. Análise e projeto de sistemas de informação orientados a objetos. 2a ed. Elsevier, ISBN-10: WAZLAWICK, Raul Sidnei. Engenharia de Software: conceitos e práticas. Editora Campus, ISBN-10:

62 Orientação a Objetos Aplicado (30 h/a) Ementa: Revisão de conceitos básicos de orientação a objetos. Princípios de projeto: abstração, acoplamento, coesão, decomposição e modularização, encapsulamento, separação da interface e implementação, suficiência, completude e simplicidade. Modificadores de acesso: public, private, abstract, final, protected. Enumerations. Classes abstratas. Classes parametrizadas. Collection Framework. Tratamento de exceções. Objetivo geral: Proporcionar aos acadêmicos conhecimentos de programação orientada a objetos em linguagem Java, sendo capaz de aplicá-los de maneira apropriada. Objetivos específicos: - Conhecer técnicas programação orientada a objetos; - Aplicar conceitos de abstração, acoplamento, coesão, decomposição, encapsulamento, interface e implementação à elaboração de projetos de software ; - Conhecer recursos de enumeração, coleções e tratamento de exceções em Java. - Apresentar conceitos fundamentais de orientação a objetos, abstração, acoplamento, coesão, decomposição e modularização, encapsulamento, separação da interface e implementação. Bibliografia: DEITEL, P.; DEITEL, H.; Java Como Programar. 8 ed. ISBN-10: Pearson, GAMMA, E. et al. Padrões de projeto: soluções reutilizáveis de software orientado a objetos. Porto Alegre: Bookman, LARMAN, C. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, WAZLAWICK, Raul Sidnei. Análise e projeto de sistemas de informação orientados a objetos. 2a ed. Elsevier, ISBN-10:

63 Padrões de Projeto (30 h/a) Ementa: Padrões de Projeto GOF (Gang of Four). Padrões criacionais: Factory Method, Abstract Factory, Builder, Prototype, Singleton; Padrões estruturais: Adapter, Bridge, Composite, Decorator, Facade, Flyweight, Proxy; Padrões comportamentais: Chain of Responsibility, Command, Interpreter, Iterator, Mediator, Memento, Observer, State, Strategy, Template Method, Visitor. Objetivo geral: Produzir software com base em reusabilidade de código, considerando o uso de padrões de projeto e a implementação de frameworks. Objetivos específicos: - Saber identificar por que utilizar padrões de projeto; - Definir o que é e como descrever um padrão de projeto; - Contextualizar o Catálogo de Padrões de Projeto GOF; - identificar, utilizar e correlacionar os Padrões de Projeto GOF: Creacionais, Estruturais e Comportamentais; Bibliografia: FOWLER, M. Padrões de arquitetura de aplicações corporativas. Porto Alegre: Bookman, FREEMAN, E.; FREEMAN, E. Use a cabeça: padrões de projetos. Rio de Janeiro: Alta Books, GAMMA, E. et al. Padrões de projeto: soluções reutilizáveis de software orientado a objetos. Porto Alegre: Bookman, HORSTMANN, C. Padrões e projeto orientados a objetos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, LARMAN, C. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman,

64 Trabalho Final de Módulo II (15 h/a) Ementa: Revisão de conceitos. Princípios de Engenharia de Software. Processos de Software. Gerenciamento de Projeto. Empreendedorismo. Metodologia do Trabalho de Conclusão de Curso. Engenharia de Requisitos. Modelagem UML. Orientação a Objetos Aplicado. Padrões de Projeto. Objetivo geral: Proporcionar aos acadêmicos conhecimentos para realizar um projeto de engenharia de software que integre técnicas, métodos e uso de ferramentas estudadas anteriormente durante o curso. Objetivos específicos: - Desenvolver o projeto de conclusão de curso, apoiado nos conceitos estudados nas disciplinas; Bibliografia: ENGHOLM JUNIOR, H., Engenharia de software na prática. São Paulo: Novatec, AMBLER, S. W. Modelagem Ágil: práticas eficazes para a programação extrema e o processo unificado. Porto Alegre: Bookman, GRAY, C. F.; LARSON, E. W. Gerenciamento de projetos: o processo gerencial. São Paulo: McGraw-Hill, ANSELMO, F. Métricas para Desenvolvedores. Florianópolis: Visual Books, BRAUDE, E. Projeto de software. Porto Alegre: Bookman, FOWLER, M. Padrões de arquitetura de aplicações corporativas. Porto Alegre: Bookman,

65 Módulo III: Qualidade de Software Interação Humano Computador (30 h/a) Ementa: Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, Fundamentos Teóricos em Interação Humano- Computador, Usabilidade, Comunicabilidade, Acessibilidade, Design de Interação, Processo de Design de Interação, Projeto, Construção e avaliação de interfaces. Objetivo geral: Proporcionar aos alunos conhecimentos na área de Interação Humano-Computador relacionada à área de informática e proporcionar o desenvolvimento dos alunos quanto à capacidade de perceber as necessidades interativas dos usuários com sistemas computacionais e gerar interfaces que proporcionem interações eficazes, eficientes e agradáveis. Avaliar e desenvolver componentes e suas relações quanto à interação do usuário com o software, visando a aplicação de boas práticas de usabilidade na implementação de interfaces com o usuário. Objetivos específicos: - Conhecer os princípios da apresentação da informação e de interação com o usuário; - Desenvolver competências para avaliar a qualidade de interfaces de aplicativos; - Dominar as técnicas de construção de interfaces humano-computador; - Projetar interfaces para aplicativos suportadas nos ambientes (IDE) mais populares; Bibliografia: CARROLL, John M., Interactive Technologies : HCI Models, Theories, and Frameworks : Toward a Multidisciplinary Science, Editora: Morgan Kaufmann, 04/2003. ERICKSON, Thomas; MCDONALD, David W., HCI Remixed : Essays on Works That Have Influenced the HCI Community, Editora: MIT Press, IMAZ, Manuel BENYON, David, Designing with Blends : Conceptual Foundations of Human- Computer Interaction and Software Engineering. Editora: MIT Press, JENNIFER PREECE & YVONNE ROGERS & HELEN SHARP. Design de Interação: Além da interação homem-computador. John Wiley e Sons. São Paulo - SP. 1ª Edição. Editora Erica, Kirlik, Alex; Adaptive Perspectives on Human-Technology Interaction : Methods and Models for Cognitive Engineering and Human-Computer Interaction. Editora: Oxford University Press, Incorporated, LEFFINGWELL, Dean e WIDRIG, Don. Managing software requirements - a use case approach. Addison Wesley. ISBN X. NIELSEN, Jakob; LORANGER, Hoa. Usabilidade na web. Rio de Janeiro: Elsevier, Campus, BEN SHNEIDERMAN, CATHERINE PLAISANT, Designing the User Iterface, Edição Interncional, 1a Edição, SIMONE DINIZ JUNQUEIRO BARBOSA, BRUNO SANTANA DA SILVA, Interação Humano- Computador, 1a. Edição, Editora Campus,

66 Teste de Software com Ênfase em Desenvolvimento (30 h/a) Ementa: Fundamentos de teste de software. Níveis de testes. Estratégias de teste. Teste de unidade. Teste de integração. Teste de validação. Testes não-funcionais. Métricas de testes. Ferramentas CASE para testes. Objetivo geral: Planejar e desenvolver casos de testes para as diversas situações e fases de desenvolvimento do software, fornecendo uma visão geral da área de verificação, validação e teste de software. Objetivos específicos - Conhecer o conceito de teste de software; - Conhecer os principais tipos de teste de software; - Conhecer ferramentas aplicadas ao teste automatizado de software; - Implementar testes de software; - Elaborar planos de teste; - Conhecer algumas métricas aplicadas ao teste de software; Bibliografia: DELAMARO. M. E.; MALDONADO, J. C.; JINO, M. Introdução ao teste de software. Janeiro: Campus, Rio de MOLINARI, L. Testes de software: produzindo sistemas melhores e mais eficazes. 4.ed. São Paulo : Editora Érica, PEZZÈ, M.; YOUNG, M. Teste e análise de software: processos, princípios e técnicas. Porto Alegre: Bookman,

67 Qualidade de Software (30 h/a) Ementa: Conceitos de qualidade de produto e processo. Modelos, normas e padrões de qualidade de software. Fundamentos de melhoria de processo de software; ISO/IEC SPICE (Software Process Improvement and Capability deetermination); Dimensões de processos e de capacidade; Processo de avaliação; CMM (Capability Maturity Model), SW-CMM (Capability Maturity Model for Software) e CMMI (Capability Maturity Model Integration); Os níveis de maturidade; MPS.BR (Modelo de Referência para Melhoria do Processo de Software Brasileiro); Os níveis de maturidade; MR-MPS (Modelo de Referência para a Melhoria de Processos de Software); MA-MPS (Método de Avaliação para a Melhoria de Processos de Software). Objetivo geral: Compreender os conceitos relacionados ao tema qualidade de software, aplicando estes conceitos através de avaliações vinculadas a critérios que definem a qualidade do produto de software. Objetivos específicos: - Identificar os principais fundamentos da melhoria de processos de software, segundo descrito na NBR ISO/IEC 15504, CMMI e MPS.Br; - Implementar modelos nacionais e internacionais de qualidade de software; - Avaliar a situação atual do processo de software de uma organização, utilizando referências técnicas nacionais e internacionais de qualidade de software; - Definir, documentar e implementar processos de software em uma organização, utilizando como base as práticas atuais e a cultura organizacional, assim como as melhores práticas apresentadas em referências técnicas de qualidade de software; - Planejar, conduzir e monitorar projetos de melhoria de processos; - Planejar, implantar e monitorar a institucionalização de programas de melhoria de processos de software em uma organização; Bibliografia: CARNEGIE MELLON UNIVERSITY. CMMI for development, version 1.2. Pittsburgh, p. ENGHOLM JUNIOR, H. Engenharia de software na prática. São Paulo: Novatec, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, KOSCIANSKI, A.; SOARES, M. S. Qualidade de Software. 2 ed. São Paulo: Novatec, MECENAS, I.; OLIVEIRA, V. Qualidade em Software. Rio de Janeiro : Alta Books, PRESSMAN, R. S. Engenharia de software. 7. ed. São Paulo: Bookman, SOFTEX. MPS.BR - Melhoria de processo do software brasileiro: guia geral p. 67

68 Manutenção e Evolução de Software (30 h/a) Ementa: Fundamentos de manutenção de software. Tipos de manutenção de software. Processo de manutenção de software. Estimativa de custo de manutenção. Reengenharia. Engenharia reversa. Migração. Refatoração. Gestão de configuração de software. Objetivo geral: Entender o processo de manutenção de software para aplicar as atividades necessárias durante o desenvolvimento de software visando minimizar os custos na sua evolução. Objetivos específicos: - Conhecer os princípios da evolução de software; - Conhecer e aplicar técnicas de manutenção; - Conhecer e aplicar a refatoração de software; - Conhecer e aplicar técnicas de gestão e configuração de software; Bibliografia: FOWLER, M. Refatoração: aperfeiçoando o projeto de código existente. Porto Alegre: Bookman, IEEE Computer Society Professional Practices Committee. SWEBOK: Guide to the Software Engineering Body of Knowledge. IEEE Computer Society, MOLINARI, L. Gerência de configuração: técnicas e práticas no desenvolvimento do software. Florianópolis: Visual Books, PRESSMAN, R. S. Engenharia de software. 7. ed. São Paulo: Bookman, SOMMERVILLE, I. Engenharia de software. 9. ed. São Paulo: Pearson, WAZLAWICK, Raul Sidnei. Engenharia de Software: conceitos e práticas. Editora Campus, ISBN-10:

69 Trabalho final do Módulo III (15 h/a) Ementa: Revisão de conceitos. Interação Humano Computador. Teste de Software com Ênfase em Desenvolvimento. Qualidade de Software. Objetivo geral: Proporcionar aos acadêmicos conhecimentos para realizar um projeto de engenharia de software que integre técnicas, métodos e uso de ferramentas estudadas anteriormente durante o curso. Objetivos específicos: - Desenvolver o projeto de conclusão de curso, apoiado nos conceitos estudados; Bibliografia: DELAMARO. M. E.; MALDONADO, J. C.; JINO, M. Introdução ao teste de software. Rio de Janeiro: Campus, TIDWELL, Jenifer. Desining Interfaces. Gravenstein Highway North, Sebastopol, CA. Second Edition CARNEGIE MELLON UNIVERSITY. CMMI for development, version 1.2. Pittsburgh, p. 69

70 7. Corpo Docente Nome do Professor IES Origem Titulação Máxima IES onde obteve o título Carlos Alberto Barth UDESC/CEAVI Mestre UFSC Geraldo Menegazzo Varela UDESC/CEAVI Mestre UFSC Jaison Ademir Sevegnani UDESC/CEAVI Mestre FURB Luiz Cláudio Dalmolin UDESC/CEPLAN Doutor UNIVALI Marcelo de Souza UDESC/CEAVI Mestre UFRGS Márcio José Mantau UDESC/CEAVI Mestre UDESC Nilson Ribeiro Modro UDESC/CEPLAN Doutor UFSC Osmar de Oliveira Braz Junior UDESC/CEAVI Mestre UFSC Paulo Roberto Farah UDESC/CEAVI Mestre UFPR Tiago Luiz Schmitz UDESC/CEAVI Doutor UFSC Os professores envolvidos nesse projeto cumprirão com no mínimo 12 horas/aula na graduação conforme prevê a resolução nº 029/2009 do CONSUNI. 70

71 8. Monografias A. Linhas de Pesquisa Desenho e arquitetura de software (componentes e frameworks); Gerenciamento de projetos; Qualidade e modelos de qualidade de produto e processo de software; Processos de software (incluindo métodos ágeis); Ferramentas case; Engenharia de software para sistemas distribuídos; Engenharia de software orientada a componentes; Engenharia de requisitos; Engenharia de software para a web; Manutenção de software; Métricas e medições em engenharia de software; Reengenharia de software; Reutilização de software; Verificação, validação e teste de software; Aplicações da engenharia de software na indústria; Aspectos sociais da engenharia de software; Confiabilidade, disponibilidade e segurança de software; Inteligência artificial; Interação humano computador; Sistemas colaborativos; Educação em informática; Informática na educação; Avaliação de desempenho de sistemas computacionais; Sistemas multiagentes; Raciocínio normativo; Algoritmos e complexidade; Otimização combinatória; As monografias deverão seguir uma dessas linhas. B. Formato aceito A monografia deve seguir uma das linhas de pesquisa do Departamento e estar em consonância com um tema de interesse do professor Orientador escolhido. O professor Orientador deverá pertencer ao grupo de professores da Pós- Graduação Lato Sensu em Engenharia de Software. 71

72 A monografia deve ser escritos em português e redigidas em conformidade com as regras estabelecidas pela UDESC (Resolução CONSEPE 10/2012). As ilustrações devem estar em boa qualidade (300dpi ou superior). Outros formatos serão desconsiderados pela Coordenadoria. C. Cronograma de desenvolvimento e defesa O prazo para a conclusão e apresentação da monografia é de 18 meses a partir do início das aulas. As bancas (defesa pública dos trabalhos) serão definidas preferencialmente para Maio e Junho de O acadêmico pode solicitar à Coordenadoria da Pós Graduação a antecipação da sua defesa, com o devido aval do professor orientador. No prazo de no mínimo um mês antes da data de defesa da monografia, o acadêmico deve encaminhar à Coordenadoria da pós Graduação a versão final da monografia no formato impressa em três vias, juntamente com o TERMO DE APTIDÃO PARA DEFESA DE MONOGRAFIA (ANEXO I), que deve estar devidamente preenchido e assinado pelo professor Orientador. D. Critérios de avaliação Após a entrega da monografia juntamente com o ANEXO I à Coordenação da Pós Graduação, será montada uma banca de avaliação. A banca será composta por no mínimo três professores, o Professor Orientador, e mais dois professores do quadro do Curso definidos pela Coordenação da Pós Graduação. A banca avaliará a monografia do acadêmico com base na FICHA DE AVALIAÇÃO DE MONOGRAFIA (ANEXO II). A E. Banca de Monografia Caso Aprovada pela banca de avaliação, será definida pela Coordenadoria da Pós Graduação uma data para a defesa pública da Monografia. A apresentação terá duração de 20 a 25 minutos. Após a apresentação abre-se até 10 minutos para arguição de cada membro da banca. Será lavrada então a ATA DE DEFESA PÚBLICA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Para registro de participação na apresentação será disponibilizada a LISTA DE PRESENÇA (ANEXO III). 72

73 9. Cronograma de Execução (calendário 2017)* Módulo I: Fundamentos da Engenharia de Software Disciplina CH Cronograma Dia de Semana 1. Princípios de 23/02 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 15 Engenharia de Software 24/02 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 09/03 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 2. Processos de Software 30 10/03 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 16/03 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 17/03 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 3.Gerenciamento de Projeto Empreendedorismo Metodologia do Trabalho de Conclusão de Curso 15 30/03 18hs ás 22h20min. 31/03 14hs ás 22h20min. 06/04 18hs ás 22h20min. 07/04 14hs ás 22h20min. 27/04 18hs ás 22h20min. 28/04 14hs ás 22h20min. 04/05 18hs ás 22h20min. 05/05 14hs ás 22h20min. Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Quinta-feira Quinta-feira Sexta-feira Responsáveis Geraldo Menegazzo Varela Marcelo de Souza Márcio José Mantau Jaison Ademir Sevegnani Tiago Luiz Schmitz CH Total 105h. Módulo II: Arquitetura e Modelagem Disciplina CH Cronograma Dia de Semana 1. Engenharia de 18/05 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 15 Requisitos 19/05 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 01/06 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 02/06 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 2. Modelagem UML 45 08/06 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 09/06 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 22/06 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 23/06 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 3. Orientação a Objetos Aplicado Padrões de Projeto Trabalho Final do Módulo II 15 06/07 18hs ás 22h20min. 07/07 14hs ás 22h20min. 13/07 18hs ás 22h20min. 14/07 14hs ás 22h20min. 27/07 18hs ás 22h20min. 08/07 14hs ás 22h20min. 03/08 18hs ás 22h20min. 04/08 14hs ás 22h20min. 16/08 18hs ás 22h20min. 17/08 14hs ás 22h20min. Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Responsáveis Marcelo de Souza Osmar de Oliveira Braz Júnior Paulo Roberto Farah Márcio José Mantau Tiago Luiz Schmitz CH Total 135h. 73

74 Módulo III: Qualidade de Software Disciplina CH Cronograma Dia de Semana 31/08 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 30 01/09 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 14/09 18hs ás 22h20min. Quinta-feira 15/09 14hs ás 22h20min. Sexta-feira 1. Interação Humano Computador 2. Teste de Software com Ênfase em Desenvolvimento 3. Qualidade de Software 4. Manutenção e Evolução de Software 5. Trabalho Final do Módulo III /09 18hs ás 22h20min. 29/09 14hs ás 22h20min. 05/10 18hs ás 22h20min. 06/10 14hs ás 22h20min. 19/10 18hs ás 22h20min. 20/10 14hs ás 22h20min. 26/10 18hs ás 22h20min. 27/10 14hs ás 22h20min. 09/11 18hs ás 22h20min. 10/11 14hs ás 22h20min. 16/11 18hs ás 22h20min. 17/11 14hs ás 22h20min. 30/11 18hs ás 22h20min. 01/12 14hs ás 22h20min. Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Quinta-feira Sexta-feira Responsáveis Luiz Claudio Dalmolin / Márcio José Mantau Carlos Alberto Barth Nilson Ribeiro Modro Paulo Roberto Farah Tiago Luiz Schmitz CH Total 135h. * A coordenação se reserva o direito de realizar alterações nas datas das aulas, caso necessário, devido a imprevistos ou outros motivos de força maior. 74

75 10. Financiamento O Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia de Software pelo seu caráter público e gratuito, não disporá de nenhuma fonte de financiamento externa, exceto pelas permitidas nas resoluções da UDESC. 75

76 ANEXO I TERMO DE APTIDÃO PARA DEFESA DE MONOGRAFIA EXCELENTÍSSIMO SENHOR COORDENADOR DO CURSO DE Especialização em Engenharia de Software. Eu,, professor(a) deste Centro de Ensino Superior, pertencente ao Campus V da Universidade do Estado de Santa Catarina, orientador do Trabalho de Curso TC do acadêmico de Especialização em Engenharia de Software, que desenvolveu seu trabalho sob o tema, comunico para os devidos fins, especialmente para atender ao EDITAL/COORD. ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Nº /2016, que o referido TC encontra-se apto, nos requisitos de conteúdo e metodologia, a ser apresentado. Ibirama, de de Professor Orientador 76

77 ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DE MONOGRAFIA Acadêmico:. Título do Trabalho: Avaliador:. ITEM DESCRIÇÃO ITEM AVALIAÇÃO (TRABALHO ESCRITO) PESO NOTA INT REF MET Introdução, problema e objetivos do trabalho. Em que contexto o trabalho foi desenvolvido? É parte de um projeto maior? É aplicada a uma empresa ou contexto específico? Qual é o problema que busca resolver ou reduzir? O problema é relevante? As soluções atuais não resolvem bem o problema? Qual é o objetivo geral a ser alcançado? Existem objetivos específicos (subprodutos) gerados pela pesquisa? Os objetivos estão adequados? I.e. são não-triviais, atingíveis e verificáveis ao final? Referencial teórico utilizado. O trabalho está bem fundamentado e faz uma boa ligação com trabalhos correlatos? Qual é o problema da pesquisa? É algo novo? O que o diferencia de outros trabalhos já publicados? O trabalho apresenta base teórica suficiente para comportar sua argumentação? (i.e. fezse uma revisão bibliográfica suficiente, adequada e up-to-date?). I.e. as informações são apresentadas em face ao estado da arte? Existe outros trabalhos na literatura que já buscaram resolver o problema? Se sim, como eles o fizeram? Se não, será que o problema a ser tratado é relevante para a área e/ou traz contribuições científicas para tal? Metodologia/Método de pesquisa utilizado (Materiais e Métodos). Dado o problema/questão de pesquisa a ser investigado, o que será desenvolvido ou implantado? O que será feito para avaliar a hipótese/solução ou investigar a questão de pesquisa? De que forma os resultados foram obtidos? Foi realizado algum experimento? Entrevistas? Questionários? Quanto tempo foi necessário? Quais serão os dados coletados nessa pesquisa? Qual será o método de pesquisa a ser adotado: Experimento? Survey? Estudo de caso? Pesquisa-ação? Design research? Design participativo? Qual será a técnica de coleta de dados: Medição? Questionário? Entrevistas? Grupos focais? Observação direta? Documentos? Qual será a técnica de análise dos dados obtidos: Estatística descritiva? Estatística inferencial? Análise do discurso? Mineração de dados/análise do conteúdo? DES Desenvolvimento do trabalho. Sequencia lógica, profundidade e organização

78 RES/ DISC das ideias apresentadas no desenvolvimento. Desenvolvimento compatível com a metodologia, problema e/ou objetivos definidos. Análise/discussão dos resultados. Os resultados obtidos foram significativos? O que ainda falta fazer? É apresentado algum novo conceito/definição? I.e. apresentação de um novo conceito, ideia, abordagem? Quão aplicáveis são os resultados a condições reais de trabalho? Quão generalizável e/ou aplicável são os resultados a diferentes grupos e/ou contextos? Quão preciso são os dados coletados? Quão robusto é o estudo em relação a possível introdução de erros ou vieses? CONT Contribuição. Afinal, oque o trabalho comprovou, demonstrou e/ou defende? O que ele concluiu de importante? Qual a principal conclusão do trabalho? Quais são as limitações apresentadas no trabalho? TXT Apresentação/redação do trabalho. Adequação do título, resumo, introdução e desenvolvimento; Qualidade da redação e organização do texto (sequenciamento lógico de raciocínio); Qualidade e adequação da análise dos resultados e considerações finais; Respeito a formatação, utilização de citações, e referências bibliográficas. FOCO Foco do trabalho. Título, resumo, introdução e desenvolvimento estão sendo apresentados em um nível de profundidade (ênfase) adequada? Há a ocorrência de problemas de over-emphasis ou under-enphasis no título, resumo, introdução ou desenvolvimento? I.e. o trabalho possui um foco demasiado em um dos pilares da pesquisa (técnicas/métodos ou conceitos/ideias ou área/contexto de aplicação)? Quais são os pontos fortes e fracos do trabalho? ITEM DESCRIÇÃO ITEM AVALIAÇÃO (APRESENTAÇÃO ORAL DO TRABALHO) PESO NOTA APR DOM Apresentação oral do trabalho. Aspecto visual do trabalho, qualidade do material da apresentação, legibilidade das imagens e figuras; Utilização correta do tempo ao longo da apresentação. Defesa e domínio do conteúdo. Capacidade de entendimento do problema, domínio da revisão da literatura, metodologia e próximos passos, e interação com a banca. Capacidade de responder e esclarecer questionamentos dos membros da banca em frente ao conteúdo apresentado. Nota final da avaliação: [ ] Ibirama, de de Professor Avaliador 78

79 ANEXO III LISTA DE PRESENÇA Acadêmico:. Título do Trabalho: Orientador:. Nome Assinatura Ibirama, de de Coordenador do Curso 79

A pesquisa no ensino de computação. Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 4) Péricles Miranda

A pesquisa no ensino de computação. Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 4) Péricles Miranda A pesquisa no ensino de computação Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 4) Péricles Miranda Existe pesquisa na área de ensino? Existe uma variedade de tópicos Conhecimento de novatos Investiga

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 1ª Edição Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí CEAVI 12/2011 ÍNDICE 1. Dados de Identificação... 3 a. Denominação do Curso... 3

Leia mais

Outubro/2011. João Paulo Pizani Flor Curriculum Vitae

Outubro/2011. João Paulo Pizani Flor Curriculum Vitae Outubro/2011 João Paulo Pizani Flor Curriculum Vitae João Paulo Pizani Flor Curriculum Vitae Dados Pessoais Nome João Paulo Pizani Flor Nome em citações bibliográficas Sexo masculino FLOR, João P Pizani

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: ENGENHARIA DE SOFTWARE DISCIPLINA: GERÊNCIAMENTO

Leia mais

Grade Curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Computação

Grade Curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Computação Grade Curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Computação Currículo 6 Aprovado pelo CDI em 30/05/16 - Carga Horária - Carga Horária Núcleo Básico 1.280h Carga Horária Núcleo Profissionalizante

Leia mais

GRADE CURRICULAR E CORPO DOCENTE. Fase 1 Carga horária total: 360h

GRADE CURRICULAR E CORPO DOCENTE. Fase 1 Carga horária total: 360h Ciência da Computação CÂMPUS LAGES Instrumentos Regulatórios (Resolução CEPE e CONSUP ou Portaria de reconhecimento do curso pelo MEC) RESOLUÇÃO CEPE/IFSC Nº 39, DE 13 DE AGOSTO DE 2014. RESOLUÇÃO CONSUP/IFSC

Leia mais

Bacharelado em Ciência da Computação Faculdade de Ciências Unesp - Bauru. Projeto Político Pedagógico

Bacharelado em Ciência da Computação Faculdade de Ciências Unesp - Bauru. Projeto Político Pedagógico Bacharelado em Ciência da Computação Faculdade de Ciências Unesp - Bauru Projeto Político Pedagógico 23/março/2011 O que é PPP Todo curso tem objetivos que deseja alcançar, metas a cumprir e sonhos a realizar.

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS OURO BRANCO COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

Leia mais

CONDIÇÕES DE OFERTA PARA CADASTRO DO CURSO PARA ACOMPANHAMENTO E CONTROLE ACADÊMICO Nome do curso Ciência da Computação Condições de Oferta do Curso

CONDIÇÕES DE OFERTA PARA CADASTRO DO CURSO PARA ACOMPANHAMENTO E CONTROLE ACADÊMICO Nome do curso Ciência da Computação Condições de Oferta do Curso CONEP UFSJ Parecer N o 066/2009 Aprovado em 02/12/2009 ANEXO A: ORIENTAÇÕES PARA OFERTA E CADASTRO DO CURSO CONDIÇÕES DE OFERTA PARA CADASTRO DO CURSO PARA ACOMPANHAMENTO E CONTROLE ACADÊMICO Nome do curso

Leia mais

Gestão de Projetos: Práticas PMBoK Guide

Gestão de Projetos: Práticas PMBoK Guide Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu Gestão de Projetos: Práticas PMBoK Guide Autor & Coordenador da Nova Proposta Prof. Dr. Edson Coutinho da Silva Departamento de Administração O Curso O curso de pós-graduação

Leia mais

Uma ontologia para modelagem de conteúdo para Ensino a Distância. An ontology for modeling distance learning contents

Uma ontologia para modelagem de conteúdo para Ensino a Distância. An ontology for modeling distance learning contents SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ONTOLOGIA NO BRASIL 11 E 12 de Agosto Universidade Federal Fluminense Departamento de Ciência da Informação Niterói Rio de Janeiro Brasil Esta comunicação está sendo submetida

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. 1º Período

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. 1º Período MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º Período Código Disciplina CHT 1 CHP 2 CH Total Pré-requisitos Dados I 40 40 80 - Cálculo I 80-80 - Fundamentos da Computação 40-40 - Fundamentos

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR MATUTINO Fase N.

CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR MATUTINO Fase N. CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR MATUTINO Fase N. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas Prérequisitos 01 Introdução à informática 04 60 02 Matemática instrumental

Leia mais

MEEC. Mestrado em Eng. Electrotécnica e de Computadores. Índice. MEEC Edição 2008/09 Instituto Superior de Engenharia do Porto

MEEC. Mestrado em Eng. Electrotécnica e de Computadores. Índice. MEEC Edição 2008/09 Instituto Superior de Engenharia do Porto Mestrado em Eng. Electrotécnica e de Computadores O Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores destina-se a complementar a formação de profissionais habilitados com o grau de Licenciado, fornecendo

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO 10 SEMESTRES

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO 10 SEMESTRES CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO 10 SEMESTRES Situação Legal: Reconhecido Integralização: Mínimo 5 anos / Máximo 8 anos Carga Horária: 2.820h (188 créditos)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 05/07/2017 Currículo de Cursos Hora: 17:30:22

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 05/07/2017 Currículo de Cursos Hora: 17:30:22 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 05/07/2017 Currículo de Cursos Hora: 17:30:22 Curso: Nível: Grau Conferido: Turno: Tipo: Modalidade: Funcionamento: Documento de Autorização: Engenharia da

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. COORDENADOR Alcione de Paiva Oliveira

Currículos dos Cursos UFV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. COORDENADOR Alcione de Paiva Oliveira 82 Currículos dos Cursos UFV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO COORDENADOR Alcione de Paiva Oliveira alcione@dpi.ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 83 Bacharelado ATUAÇÃO A Ciência da Computação caracteriza-se

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA Página 1 de 9 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 249, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Fatec São Caetano do Sul Antonio Russo Credenciada pela Portaria CEE/GP nº 223 de 28/04/2008, DOE SP de 29/04/2008

Fatec São Caetano do Sul Antonio Russo Credenciada pela Portaria CEE/GP nº 223 de 28/04/2008, DOE SP de 29/04/2008 EXAME DE SUFICIÊNCIA DE CONHECIMENTOS PARA OS CURSOS DE TECNOLOGIA DA FATEC SÃO CAETANO DO SUL - EDITAL 2017/2 - A Diretora da Unidade FATEC São Caetano do Sul Antonio Russo, no uso de suas atribuições

Leia mais

Protótipo de um Simulador de um Aspirador de Pó, Utilizando Algoritmo de Busca e Agentes Inteligentes, em Ambientes com Barreiras

Protótipo de um Simulador de um Aspirador de Pó, Utilizando Algoritmo de Busca e Agentes Inteligentes, em Ambientes com Barreiras Protótipo de um Simulador de um Aspirador de Pó, Utilizando Algoritmo de Busca e Agentes Inteligentes, em Ambientes com Barreiras Jussara Vieira Ramos ROTEIRO Objetivo Introdução: I.A. X Robótica Agentes

Leia mais

SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO E ESTRUTURA CURRICULAR DO MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO E ESTRUTURA CURRICULAR DO MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO BOLETIM OFICIAL NÚMERO ESPECIAL SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO E ESTRUTURA CURRICULAR DO MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO B. O.

Leia mais

VÍDEO AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO 100% ON LINE

VÍDEO AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO 100% ON LINE Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas VÍDEO AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO 100% ON LINE Coordenador Prof. Dorival Magro Junior Mestre em Ciência da Computação EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO I D E N T I F I C A Ç Ã O Departamento: Sistemas de Informação Disciplina: Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Pré-Requisitos: - CH: 7 Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação Semestre: 2011/2

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:25. Centro de Ciências Exatas e Naturais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:25. Centro de Ciências Exatas e Naturais 7// 9:5 Centro de Ciências Exatas e Naturais Curso: 6 Sistemas de Informação (Noturno) Currículo: / ADM.96.-7 Funções Empresariais I Ementa: Introdução à administração. Conceitos de Organização e Administração.

Leia mais

LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EQUIVALÊNCIAS ENTRE PLANOS CURRICULARES. Plano Curricular

LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EQUIVALÊNCIAS ENTRE PLANOS CURRICULARES. Plano Curricular LICENCIATURA EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EQUIVALÊNCIAS ENTRE PLANOS CURRICULARES Plano Curricular de 2005-2006 ECTS Plano Curricular ECTS LERCI LERC / MERC (Bolonha) Análise Matemática

Leia mais

Objetivo: Executar projetos de pesquisa tecnológica nas áreas de Sistemas Embarcados e Mobilidade Digital, em parceria com empresas industriais.

Objetivo: Executar projetos de pesquisa tecnológica nas áreas de Sistemas Embarcados e Mobilidade Digital, em parceria com empresas industriais. O PE-IFCE é um Polo EMBRAPII de Inovação credenciado pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial, uma Organização Social qualificada pelo Poder Público Federal, criada para promover o desenvolvimento

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA /1

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA /1 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2008/1 DC 9481 03/10/07 Rev. 00 1. Dados Legais Autorizado pelo Parecer 278 do Conselho

Leia mais

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET. - Curso de Engenharia Mecânica

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET. - Curso de Engenharia Mecânica Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET - Curso de Engenharia Mecânica Currículo 2013/01 Descrição do Curso: O Curso de graduação em Engenharia

Leia mais

Ciências exatas e da terra. Erivelton de Oliveira Alves. PROFESSOR(A) TITULAÇÃO GRANDE ÁREA (CNPq) * EMENTA

Ciências exatas e da terra. Erivelton de Oliveira Alves. PROFESSOR(A) TITULAÇÃO GRANDE ÁREA (CNPq) * EMENTA Disciplinas, ementas e carga horaria DO CURSO DE Especialização Lato Sensu, Gestão Estratégica nos Agronegócios e suas tecnologias, do campus de Santa Helena de Goias. Matemática financeira 15 Nilcyneia

Leia mais

Fatec São Caetano do Sul Antonio Russo Credenciada pela Portaria CEE/GP nº 223 de 28/04/2008, DOE SP de 29/04/2008

Fatec São Caetano do Sul Antonio Russo Credenciada pela Portaria CEE/GP nº 223 de 28/04/2008, DOE SP de 29/04/2008 EXAME DE SUFICIÊNCIA DE CONHECIMENTOS PARA OS CURSOS DE TECNOLOGIA DA FATEC SÃO CAETANO DO SUL - EDITAL 001/2017 - A Diretora da Unidade FATEC São Caetano do Sul Antonio Russo, no uso de suas atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 11/2017

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 11/2017 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 11/2017 Aprova o Curso de Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional - PROFQUI A Presidente Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Introdução à Engenharia de Informação

Introdução à Engenharia de Informação Introdução à Engenharia de Informação Prof a. Marta Mattoso marta@cos.ufrj.br http://www.cos.ufrj.br/~marta COPPE- Sistemas / UFRJ Apresentação do Curso e Conceitos Básicos Roteiro Introdução Conceitos

Leia mais

CALENDÁRIO ACADÊMICO BAP

CALENDÁRIO ACADÊMICO BAP CALENDÁRIO ACADÊMICO BAP 2017.1 M O DA L I DA D E A D I S T Â N C I A 2 0 1 7. 1 I N Í C I O : 0 6 / 0 3 / 2 0 1 7 T É R M I N O : 1 0 / 0 7 / 2 0 1 7 ( T U R M A 2 0 1 3 ) I N Í C I O : 2 9 / 0 5 / 2

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EMENTAS º PERÍODO CURSO: ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO CÁLCULO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE FÍSICA DISCIPLINA: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ENGENHARIA

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS JANEIRO / 2017

EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS JANEIRO / 2017 EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS JANEIRO / 2017 A Coordenação do Projeto Smart Metropolis Plataforma e Aplicações para Cidades Inteligentes, conduzido no Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade

Leia mais

A SBC e o Avanço Tecnológico e Social do Brasil

A SBC e o Avanço Tecnológico e Social do Brasil A SBC e o Avanço Tecnológico e Social do Brasil Flávia Maristela Santos Nascimento Professora e Atual Coordenadora de ADS Representante Institucional na SBC Agenda Apresentando a Sociedade Brasileira de

Leia mais

IF Baiano / Campus Catu Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

IF Baiano / Campus Catu Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas IF Baiano / Campus Catu Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Seminário Interno. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Objetivos do ENADE Sobre a Prova 2017 Importância do

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO. XIII. Ponderações e Cálculo da Média Final REG-001/V00

REGULAMENTO ACADÉMICO. XIII. Ponderações e Cálculo da Média Final REG-001/V00 XIII. Ponderações e Cálculo da Média Final I - LICENCIATURAS GESTÃO DA SEGURANÇA E PROTECÇÃO CIVIL Ciência do Fogo - Metodologia das Ciências Sociais Ciência dos Materiais - Optativas Direito da Protecção

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA. Centro de Audiovisuais e-learning. Projecto e-iscte

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA. Centro de Audiovisuais e-learning. Projecto e-iscte Projecto e-iscte Liliana Silva @@@ João Monteiro @@@ Rui Marinheiro liliana.silva@iscte.pt; joao.monteiro@iscte.pt; rui.marinheiro@iscte.pt 26 de Setembro de 2006 1 1. Campus ISCTE INSTITUTO SUPERIOR DE

Leia mais

Curriculum Vitae. 1. Dados Pessoais. Nome : Telma Silveira Pará

Curriculum Vitae. 1. Dados Pessoais. Nome : Telma Silveira Pará Curriculum Vitae 1. Dados Pessoais Nome : Telma Silveira Pará Estado civil : separada Nascimento:31/10/1965 Naturalidade (cidade/estado) : RJ/RJ Nacionalidade: Brasileira Filiação: Sebastião Madureira

Leia mais

SESSÃO DIRIGIDA LABORATÓRIOS REMOTOS NO ENSINO DA ENGENHARIA

SESSÃO DIRIGIDA LABORATÓRIOS REMOTOS NO ENSINO DA ENGENHARIA COBENGE 2016 XLIV CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA 27 a 30 de setembro de 2016 UFRN / ABENGE SESSÃO DIRIGIDA LABORATÓRIOS REMOTOS NO ENSINO DA ENGENHARIA Coordenador: Gustavo Ribeiro Alves

Leia mais

Objetivo do curso: Público Alvo: Critérios de admissão para o curso:

Objetivo do curso: Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: A Faculdade AIEC, mantida pela Associação Internacional de Educação Continuada AIEC, iniciou, em 2002, o curso de Bacharelado em Administração, na metodologia semipresencial. Foi pioneira e até hoje é

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE POLO DE INOVAÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES BR 356, km 158, Martins Lage - Campos dos Goytacazes, RJ TEL: (22) 2737-5691 direcaogeral.picg@iff.edu.br

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTRUÇÃO DO PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL)

COMISSÃO DE CONSTRUÇÃO DO PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL) UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COMISSÃO DE CONSTRUÇÃO DO PDI (PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL) RICARDO SILVA CARDOSO PRESIDENTE LOREINE HERMIDA

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA 1- BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA 1º TERMO Aulas Teóricas Práticas Total Comunicação e Expressão 36-36 Cálculo Diferencial e Integral I 72-72 Informática

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Área de Concentração: Engenharia de Sistemas e Automação (Engenharias IV) As atividades de pesquisa na área de concentração em Engenharia

Leia mais

1º PERÍODO Carga horária Teórica Prática Total

1º PERÍODO Carga horária Teórica Prática Total MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR 2008/1

Leia mais

GUIA DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO

GUIA DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO GUIA DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO GUIA DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO S U M Á R I O O CURSO...3 COORDENAÇÃO...3 OBJETIVO DO CURSO...3 CARACTERÍSTICAS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA Edital nº. 01 de 24 de fevereiro de 2017. A COORDENADORA DE MONITORIA DO DA, na qualidade de presidente da Comissão de Seleção de Monitores e nos termos da Resolução CEPEC nº. 1.418/2016, torna público

Leia mais

Geometria I + Geom Euclidiana [9817] MONICA MOULIN RIBEIRO MERKLE. Assinaturas

Geometria I + Geom Euclidiana [9817] MONICA MOULIN RIBEIRO MERKLE. Assinaturas de Ciencias Matematicas e da Natureza 1 de 7 1 ALAN JUNIOR SEVERO 115031635 2 ALEXIA GLORIA LACERDA DOS REIS 115115926 3 ALVARO ALBERTO GOMES DA SILVEIRA 115111299 4 ANDRE LUIS OLIVEIRA MATOS 115091813

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA - CEPIC INICIAÇÃO CIENTÍFICA

RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA - CEPIC INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE SANTA RITA - FASAR CENTRO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA - CEPIC PROJETOS DE PESQUISA RELATÓRIO DE PROJETO DE PESQUISA - CEPIC INICIAÇÃO CIENTÍFICA Ano: 2015 Semestre: 1º P R O J E T O D

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional data Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - 2016-2020 Prof. Esper Cavalheiro Pró-Reitor de Planejamento - PROPLAN Profa. Cíntia Möller Araujo Coordenadora de Desenvolvimento Institucional e Estudos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC Colegiado de Engenharia de Produção

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC Colegiado de Engenharia de Produção I SEMESTRE 07:30 / 08:20 Cálculo Diferencial e Integral I (T06) Desenho de Engenharia (P1) Cálculo Diferencial e Integral I (T06) Desenho de Engenharia (P2) Cálculo Diferencial e Integral I (T06) 08:20

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 206 aprovado pela portaria Cetec nº 733 de 10/09/2015 ETEC Maria Cristina Medeiros Código: 141 Município: Ribeirão Pires Eixo Tecnológico:

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática

Leia mais

Sumário. 3. Ergonomia. 2. Engenharia da Qualidade 16/03/2011 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UFPEL

Sumário. 3. Ergonomia. 2. Engenharia da Qualidade 16/03/2011 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UFPEL Sumário PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UFPEL Prof. Amauri Cruz Espírito Santo Prof. Rafael Lipinski Paes Prof. Alejandro Martins Prof. Wolmer Brod Peres Campos de atuação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TUTORES MÓDULO INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO 2016 POLOS UFRN CENTRAL, CENEP, MOSSORÓ, CAICÓ E ANGICOS

PROCESSO SELETIVO DE TUTORES MÓDULO INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO 2016 POLOS UFRN CENTRAL, CENEP, MOSSORÓ, CAICÓ E ANGICOS PROCESSO SELETIVO DE TUTORES MÓDULO INTERMEDIÁRIO E AVANÇADO 2016 POLOS UFRN CENTRAL, CENEP, MOSSORÓ, CAICÓ E ANGICOS A Coordenação de Cursos Técnicos do Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade

Leia mais

Ações Realizadas ou em Andamento - no ano de 2016:

Ações Realizadas ou em Andamento - no ano de 2016: Ações Realizadas ou em Andamento - no ano de 2016: Apresentamos, a seguir, as ações destinadas ao desenvolvimento da IES ou a correções e melhoria dos processos e atividades acadêmicas e administrativas,

Leia mais

Pessoal docente e supervisão pedagógica

Pessoal docente e supervisão pedagógica 13.1 - Pessoal docente e supervisão pedagógica Listagem dos professores de efetivo exercício no Curso, com suas respectivas titulações e regime de trabalho, além da referência ao Supervisor Pedagógico

Leia mais

Áreas preferenciais de orientação de Trabalho de Formatura

Áreas preferenciais de orientação de Trabalho de Formatura Áreas preferenciais de orientação de Trabalho de Formatura PROFESSOR Afonso Carlos Correa Fleury Alberto Wunderler Ramos Álvaro Euzébio Hernandez ÁREA Organização do Trabalho Tecnologia, Organização de

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. 1º Fase

CURRÍCULO DO CURSO. 1º Fase Objetivo: Titulação: Diplomado em: Engenheiro de Controle e Automação Engenharia, áreas Elétrica e Mecânica, habilitação Controle e Automação Período de Conclusão do Curso: Carga Horária Obrigatória: Mínimo:

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

Plano de Ensino. DIRETOR(A) GERAL DO CAMPUS: Ana Rita Kraemmer da Fontoura DIRETOR (A) DE ENSINO: Alessandro Bazzan DOCENTE(A): Gustavo Griebler

Plano de Ensino. DIRETOR(A) GERAL DO CAMPUS: Ana Rita Kraemmer da Fontoura DIRETOR (A) DE ENSINO: Alessandro Bazzan DOCENTE(A): Gustavo Griebler Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Alunos Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Indicador Objetivos do Curso 02 - Conheço o Projeto Pedagógico do Curso e os

Leia mais

Art. 1º Ficam homologados os seguintes Pareceres e Resoluções do CEE, aprovados em 24 de abril de 2012 para:

Art. 1º Ficam homologados os seguintes Pareceres e Resoluções do CEE, aprovados em 24 de abril de 2012 para: DECRETO Nº 1.105, de 6 de agosto de 2012 Dispõe sobre a homologação de pareceres e resoluções do Conselho Estadual de Educação (CEE). O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, usando da competência privativa

Leia mais

Listagem de UC por curso

Listagem de UC por curso Listagem de UC por curso Semestre * 2015-16 Escola Superior de Tecnologia e Gestão Administração Pública Direito Administrativo Contabilidade Financeira Introdução aos Estudos das Organizações Fundamentos

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este Regulamento tem por

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE REGRAS PARA ADAPTAÇÃO DE HIPERMÍDIA

UTILIZAÇÃO DE REGRAS PARA ADAPTAÇÃO DE HIPERMÍDIA UTILIZAÇÃO DE REGRAS PARA ADAPTAÇÃO DE HIPERMÍDIA Eliane Pozzebon eliane@inf.ufsc.br Jorge Muniz Barreto barreto@inf.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Departamento de Ciências Exatas

Leia mais

Adaptação do Sistema de Busca Semântica ao Padrão XML e Automatização do Processo de Modelagem dos Objetos de Aprendizagem no ROAI para o Padrão OWL

Adaptação do Sistema de Busca Semântica ao Padrão XML e Automatização do Processo de Modelagem dos Objetos de Aprendizagem no ROAI para o Padrão OWL Bruna Fagundes Rócio Profª Orientadora: Avanilde Kemczinski, Dra. Supervisor: Marcelo da Silva Hounsell, Dr. UDESC Joinville, DCC, GPIE Objetivos Automatizar o processo de modelagem dos objetos de aprendizagem

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE SINAES AVALIAÇÃO DE IES AVALIAÇÃO DE

Leia mais

Formulário Para Criação de Curso FORMULÁRIO Nº 1: ESPECIALIZAÇÃO - CURSO NOVO

Formulário Para Criação de Curso FORMULÁRIO Nº 1: ESPECIALIZAÇÃO - CURSO NOVO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO Formulário Para Criação de Curso FORMULÁRIO Nº 1: ESPECIALIZAÇÃO - CURSO NOVO Campus:

Leia mais

PROJETO DE INCLUSÃO DE DISCIPLINAS OPTATIVAS NO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CAMPUS CURITIBA

PROJETO DE INCLUSÃO DE DISCIPLINAS OPTATIVAS NO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CAMPUS CURITIBA PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação PROJETO DE INCLUSÃO DE DISCIPLINAS

Leia mais

Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Análise e Desenvolvimento de Sistemas Análise e Desenvolvimento de Sistemas Algoritmos E Estrutura De Dados (Nova) Bolsas 1 3 Paulo Abadie Guedes Arquitetura De Computadores 1 1 Anderson Luiz Souza Moreira Desenvolvimento De Software Corporativo

Leia mais

Especialização em Marketing Digital EDIÇÕES Porto Coimbra Viseu Aveiro

Especialização em Marketing Digital EDIÇÕES Porto Coimbra Viseu Aveiro Especialização em Marketing Digital EDIÇÕES 2017 Porto Coimbra Viseu Aveiro Especialização em Marketing Digital ESPECIALIZAÇÃO Marketing Digital - 100 horas (NOTA: com base no Catálogo Nacional de Qualificações)

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de TIDD

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de TIDD Disciplina: 2854 - Sistemas Inteligentes e Ambientes Virtuais Turma A Área de Concentração: Processos Cognitivos e Ambientes Digitais Linha de Pesquisa: Inteligência Coletiva e Ambientes Interativos Professor:

Leia mais

Disciplinas Eletivas do Curso de Sistemas de Informação

Disciplinas Eletivas do Curso de Sistemas de Informação SISTEMA DE COMPUTAÇÃO MAT143 Introdução a Teoria dos Números 60h - 3 o DCC122 Circuitos Digitais 60h - 3 o DCC001 Análise e Projeto de Algoritmos 60h MAT143,DCC013,DCC107 6 o DCC063 Linguagens Formais

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIA DE ENGENHARIA DE SOFTWARE MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE PRIMEIRO PERÍODO SEGUNDO PERÍODO

FACULDADE DE CIÊNCIA DE ENGENHARIA DE SOFTWARE MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE PRIMEIRO PERÍODO SEGUNDO PERÍODO FACULDADE DE CIÊNCIA DE ENGENHARIA DE SOFTWARE MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE PRIMEIRO PERÍODO ESW200 Introdução à Engenharia de Software 2 36 30 - ESW201 Prática de Programação I

Leia mais

Soluções Corporativas Eduardo Pitombo

Soluções Corporativas Eduardo Pitombo Soluções Corporativas Eduardo Pitombo Nossa Missão Desenvolver soluções de educação customizadas para empresas públicas e privadas, que contribuam diretamente para a melhoria das competências de seus funcionários

Leia mais

APLICAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA ESTIMAR MATRIZ ORIGEM-DESTINO DE CARGA

APLICAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA ESTIMAR MATRIZ ORIGEM-DESTINO DE CARGA APLICAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA ESTIMAR MATRIZ ORIGEM-DESTINO DE CARGA Daniel Neves Schmitz Gonçalves Luiz Antonio Silveira Lopes Marcelino Aurelio Vieira da Silva APLICAÇÃO DE REDES NEURAIS

Leia mais

MBA em GESTÃO DE MARKETING

MBA em GESTÃO DE MARKETING MBA em GESTÃO DE MARKETING 1) OBJETIVO O curso tem como objetivo capacitar profissionais para a gestão mercadológica de produtos e serviços e desenvolver competências necessárias para planejar, gerenciar,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 95 aprovado pela portaria Cetec nº 38 de 30/10/2009 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Habilitação

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Paula de Fátima Peres Teixeira Almeida Data de Nascimento: 13 de Outubro de 1972 Local de Nascimento: Porto

CURRICULUM VITAE. Paula de Fátima Peres Teixeira Almeida Data de Nascimento: 13 de Outubro de 1972 Local de Nascimento: Porto CURRICULUM VITAE Nome: Paula de Fátima Peres Teixeira Almeida Data de Nascimento: 13 de Outubro de 1972 Local de Nascimento: Porto Nacionalidade: Portuguesa Morada Institucional: Instituto Superior de

Leia mais

Cursos para turbinar a sua carreira profissional

Cursos para turbinar a sua carreira profissional Cursos para turbinar a sua carreira profissional CONTATOS: FONE: (92) 3216-3080 FUNDACAOREDEAM.COM.BR CERTIFICAÇÃO OFICIAL FURUKAWA FCP Data Cabling System (28 horas) Introduzir e direcionar profissionais

Leia mais

MBA em Tecnologia da Informação Empresarial (MTIE)

MBA em Tecnologia da Informação Empresarial (MTIE) MBA em Tecnologia da Informação Empresarial (MTIE) CATEGORIA: Curso de Pós-Graduação Latu-Senso - MBA ÁREA BÁSICA: Tecnologia da Informação ÁREAS DE CONHECIMENTO: Empresarial DEPARTAMENTO: Departamento

Leia mais

Ahmed Ali Abdalla Esmin - 0 horas Semanais - Afastado pos-doc. Disciplina Turma Teórica Prática Distância 10A 2 4 TOTAL A 10Aelet TOTAL 12

Ahmed Ali Abdalla Esmin - 0 horas Semanais - Afastado pos-doc. Disciplina Turma Teórica Prática Distância 10A 2 4 TOTAL A 10Aelet TOTAL 12 Professores Efetivos Ahmed Ali Abdalla Esmin - 0 horas Semanais - Afastado pos-doc Afastado para treinamento Ana Paula Piovesan Melchiori - 10 horas semanais GCC1 - Computação Gráfica AElet GCC10 - Algoritmos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 142-CONSELHO SUPERIOR, de 26 de setembro de 2013.

RESOLUÇÃO Nº 142-CONSELHO SUPERIOR, de 26 de setembro de 2013. RESOLUÇÃO Nº 142-CONSELHO SUPERIOR, de 26 de setembro de 2013. ALTERA A RESOLUÇÃO Nº 040- CONSELHO SUPERIOR QUE ESTABELECE OS PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO E ADEQUAÇÃO CURRICULAR DOS PLANOS DOS CURSOS

Leia mais

O Futuro da Indústria e a Empregabilidade em Engenharia

O Futuro da Indústria e a Empregabilidade em Engenharia 27 de setembro de 2016 XLIV Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia - COBENGE O Futuro da Indústria e a Empregabilidade em Engenharia Zil Miranda Diretoria de Inovação-CNI Mudança de paradigma:

Leia mais

Horários Segunda Terça Quarta Quinta

Horários Segunda Terça Quarta Quinta Curso: 655 ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO [Campus Araranguá] Fase: 1ª ARA7101-01655A (ARA - ARA301) ARA7101-01655A (ARA - ARA301) ARA7101-01655A (ARA - ARA301) ARA7101-01655A (ARA - ARA301) ARA7110-01655A (ARA

Leia mais

Bem-vindo à Anhanguera. Você está em uma das maiores instituições de ensino do mundo e nós estamos felizes por isto!

Bem-vindo à Anhanguera. Você está em uma das maiores instituições de ensino do mundo e nós estamos felizes por isto! Bem-vindo à Anhanguera Você está em uma das maiores instituições de ensino do mundo e nós estamos felizes por isto! Sejam bem vindos! A Faculdade Anhanguera de Sorocaba agradece a sua escolha e a sua confiança!

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS º PERÍODO CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO CÁLCULO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE FÍSICA DISCIPLINA: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DISCIPLINA:

Leia mais

Oferta Formativa Pós- Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação

Oferta Formativa Pós- Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação Instituto de Oferta Formativa Pós- Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação Especialização: Tecnologias e Metodologias da Programação no Ensino Básico 16 17 Edição Instituto de Educação

Leia mais

Tabela de Pré-Requisitos. Interdisciplinar 36 Não há

Tabela de Pré-Requisitos. Interdisciplinar 36 Não há Nome da UC Categoria CH Total Pré-Requisitos Álgebra Linear Eletiva 72 Geometria Analítica Álgebra Linear Computacional Eletiva 72 Cálculo Numérico Álgebra Linear II Eletiva 72 Álgebra Linear Algoritmos

Leia mais

Pesquisadora: Flávia Maria Santoro Instituição: Universidade do Rio de Janeiro UNIRIO Período previsto: Janeiro 2004 Dezembro 2007.

Pesquisadora: Flávia Maria Santoro Instituição: Universidade do Rio de Janeiro UNIRIO Período previsto: Janeiro 2004 Dezembro 2007. Projeto de Pesquisa: Suporte à Aprendizagem Organizacional e Gestão de Conhecimento através de Ambientes de Aprendizagem Cooperativa Apoiada por Computador Pesquisadora: Flávia Maria Santoro Instituição:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA E DE INOVAÇÃO EM SANTA CATARINA Laser Sistemas de Manufatura Eletroeletrônica Logística Ambiental Alimentos e Bebidas Têxtil, vestuário

Leia mais

PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL

PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL PRESENCIAL E A DISTÂNCIA COMPLETA COM VOCÊ PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO ÁREA DE NEGÓCIOS, GESTÃO AMBIENTAL E ENGENHARIA

Leia mais

04/07/2016. Atividades Complementares. Atividades Complementares (ACs) do Curso de Engenharia de Produção. Atividades Complementares

04/07/2016. Atividades Complementares. Atividades Complementares (ACs) do Curso de Engenharia de Produção. Atividades Complementares (ACs) do Curso de Engenharia de Produção Profª. Dra. Stella Jacyszyn Bachega Coordenadora de Nesta apresentação há parte das Normas de (ATO NORMATIVO PROD 03/2015). As normas completas estão disponíveis

Leia mais

Pós-Graduação Lato-Sensu em Marketing Autor & Coordenador da Nova Proposta Prof. Dr. Edson Coutinho da Silva Departamento de Administração

Pós-Graduação Lato-Sensu em Marketing Autor & Coordenador da Nova Proposta Prof. Dr. Edson Coutinho da Silva Departamento de Administração Pós-Graduação Lato-Sensu em Marketing Autor & Coordenador da Nova Proposta Prof. Dr. Edson Coutinho da Silva Departamento de Administração 1 O Curso O curso de pós-graduação lato-sensu em Marketing está

Leia mais

Horários referêntes a semana de 17/02/2013 a 23/02/2013. Início - Final Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado

Horários referêntes a semana de 17/02/2013 a 23/02/2013. Início - Final Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado UNIVERSIDADE DO - UDESC Horários: 2013/1 - Currículo: BSI072 - Fase: 1ª 08:20-09:10 09:20-10:10 10:10-11:00 11:00-11:50 FUC PORI MEPC FUC PORI MEPC FUC FUC - BSI01 - A - 2013/1 - BSI01 - B - 2013/1 - BSI01

Leia mais