Questões Ambientais e Aspectos Legais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questões Ambientais e Aspectos Legais"

Transcrição

1 1

2 Questões Ambientais e Aspectos Legais 2

3 Questões Ambientais Constituição Federal Brasileira Art. 225: "Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações". 3

4 Questões Ambientais Resíduos Sólidos Princípio poluidor-pagador Declaração de Estocolmo (1972) Política Nacional do Meio Ambiente (Lei nº 6.938/81) 4

5 Política Nacional do Meio Ambiente /81 Poluição resultante de atividades que: Prejudicam a saúde, a segurança e o bem-estar; Criem condições adversas às atividades socioeconômicas; Afetem um conjunto de seres vivos; Lacem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos. 5

6 Política Nacional do Meio Ambiente /81 Define o termo poluidor: [...] responsável direta ou indiretamente por atividade causadora de degradação ambiental. - Prefeituras; - Construtoras; - Indústrias. 6

7 Aspectos Legais Federal: - Lei 6.938, de 31/08/1981 Estabelece a Política Nacional do Meio Ambiente. - Lei , de 05/01/2007 Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento. - Lei , de 02/08/2010 Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. - Resolução 307, de 05/07/2002 Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. 7

8 Aspectos Legais Estadual: - Lei , de 22/01/1999 Política Estadual de Resíduos sólidos. - Lei , de 18/06/2008 Altera o artigo 10, da Lei Estadual nº /

9 Aspectos Legais Municipal - Maringá: - Lei 7129 de 27 de abril de 2006 Autoriza o poder executivo a constituir e participar do consórcio intermunicipal para gerenciamento resíduos sólidos urbanos - Lei 8695 de 31 de agosto de 2010 Criação de programa para obter a doação de resíduos de materiais de construção - Lei 9241 de 20 de junho de 2012 Criação do Programa de coleta seletiva 9

10 Aspectos Legais Municipal - Maringá: - Lei 9725 de 24 de abril de 2014 Dispõe sobre a proibição de qualquer cidadão jogar lixo nos logradouros públicos - Lei 9836 de 12 de agosto de 2014 Autoriza o poder executivo a contratar parceria público-privada para a prestação de serviços na área de resíduos sólidos urbanos. 10

11 Aspectos Financeiros Gestão de resíduos proporciona: - Redução no custo do processo produtivo; - Redução em gastos com disposição final; - Evita a aplicação de medidas administrativas. 11

12 Aspectos Legais Legislações brasileira de resíduos: 12

13 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Lei , de 02/08/2010 Não se aplica a rejeitos radioativos; Coleta Seletiva; Tipos de Planos de gerenciamento de resíduos. 13

14 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Objetivos: - Proteção da saúde pública; - Disposição final adequada; - Tecnologias limpas; - Redução do volume e da periculosidade; - Incentivo à indústria da reciclagem; - Capacitação técnica; 14

15 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Princípios abordados: - prevenção e precaução; - poluidor-pagador; - desenvolvimento sustentável; - cooperação entre diferentes setores; - responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos; - reconhecimento do resíduo reciclável como bem econômico e de valor social. 15

16 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos: Quem deverá realizar? - Geradores de resíduos dos serviços públicos de saneamento básico; - Geradores de resíduos industriais; - Geradores de resíduos de serviços de saúde; - Geradores de atividades de mineração; 16

17 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos: Quem deverá realizar? Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que: a) gerem resíduos perigosos; b) não gerem resíduos perigosos, mas diferem dos resíduos domiciliares: - empresas de construção civil; - responsáveis por terminais de transporte. 17

18 Política Nacional dos Resíduos Sólidos A contratação de serviços na área de resíduos não isenta as pessoas físicas ou jurídicas da responsabilidade por danos; O gerador de resíduos sólidos domiciliares tem cessada sua responsabilidade; Atividades geradoras de Resíduos perigosos necessitam de licenciamento ambiental; 18

19 Política Nacional dos Resíduos Sólidos O poder público tem autoridade para concessão de linhas de financiamento a fim de atender iniciativas de projeto; Poderão ser consentidos incentivos fiscais para empresas do setor; 19

20 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Logística reversa: - agrotóxicos - pilhas e baterias; - pneus; - óleos lubrificantes e embalagens; - lâmpadas fluorescentes; - produtos eletroeletrônicos. 20

21 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Proibições: - catação - lançamento em corpos hídricos; - lançamento in natura a céu aberto; - queima a céu aberto não licenciados; 21

22 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Proibições: - utilização de rejeitos como alimentação; - criação de animais domésticos; - fixação de habitações; - Importação de rejeitos perigosos. 22

23 Política Nacional dos Resíduos Sólidos Prazo para aplicação da Lei: 2014; Prorrogação do prazo: (MP 651/14) - Plano de Resíduos Sólidos até 2016; - Fim dos lixões até Sanções: - multas entre R$ 5 mil a R$ 50 milhões; -prefeitos podem ser acusados por improbidade administrativa. 23

24 Considerações Aspectos Legais Questões ambientais Aspectos Financeiros Lei /10 24

25 25

A experiência do Estado de São Paulo e a visão da Câmara dos Deputados. Deputado Federal Arnaldo Jardim

A experiência do Estado de São Paulo e a visão da Câmara dos Deputados. Deputado Federal Arnaldo Jardim ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 2º Seminário Regional Sudeste sobre Resíduos Sólidos Desafios das Políticas para uma Gestão Integrada de Resíduos Sólidos A experiência do

Leia mais

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO Humberto Minéu IFTM/Câmpus Ituiutaba Doutorando em Geografia/UFU hmineu@gmail.com Ituiutaba, 30 de abril de 2014. Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) - Lei 12.305/2010

Leia mais

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO Humberto Minéu IFTM/Câmpus Ituiutaba Doutorando em Geografia/UFU hmineu@gmail.com Ituiutaba, 08 de maio de 2014. EMMAV CAIC 2 Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

Leia mais

Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil

Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil Quadro político, jurídico e técnico da gestão de resíduos no Brasil Introdução ao Brazil ~ 205 milhões de habitantes 5.565 municípios Área: 8.502.728,27 Km² ~15% da Água Potável do Planeta A maior biodiversidade

Leia mais

Perspectivas da Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Perspectivas da Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos SEMINÁRIO Rotas tecnológicas para a gestão e tratamento de resíduos sólidos e a reciclagem diante da PNRS Perspectivas da Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos Breves Considerações Núcleo de Meio Ambiente CIESP Regional Jaú/SP

Política Nacional de Resíduos Sólidos Breves Considerações Núcleo de Meio Ambiente CIESP Regional Jaú/SP Política Nacional de Resíduos Sólidos Breves Considerações Pedro Paulo Grizzo Serignolli Advogado Especializado em Direito Ambiental Coordenador Adjunto do Núcleo de Meio Ambiente pedropaulo@serignolli.com.br

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim SEMINÁRIO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes Deputado Arnaldo Jardim 21.07.11 Política Nacional de Resíduos SólidosS Diretrizes Internalizar

Leia mais

SÍNTESE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LEI , DE 02 DE AGOSTO DE 2010) NA PERSPECTIVA DAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO BRASILEIRAS

SÍNTESE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LEI , DE 02 DE AGOSTO DE 2010) NA PERSPECTIVA DAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO BRASILEIRAS SÍNTESE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LEI 12.305, DE 02 DE AGOSTO DE 2010) NA PERSPECTIVA DAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO BRASILEIRAS O QUE SÃO OS RESÍDUOS SÓLIDOS? Art. 3º, item XVI - material,

Leia mais

PNRS e a Logística Reversa. Free Powerpoint Templates Page 1

PNRS e a Logística Reversa. Free Powerpoint Templates Page 1 PNRS e a Logística Reversa Page 1 História Roma de Júlio Cesar e Augusto Page 2 História Geena Fogo eterno Page 3 História Cambridge 1338 São Paulo 1722 Rio de Janeiro 1850 Page 4 Novidades da PNRS Bloco

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil. CIV 640 Saneamento Urbano

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil. CIV 640 Saneamento Urbano Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil Objetivos

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Responsabilidade Compartilhada. Seguro Ambiental. José Valverde Machado Filho

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Responsabilidade Compartilhada. Seguro Ambiental. José Valverde Machado Filho Política Nacional de Resíduos Sólidos. Responsabilidade Compartilhada. Seguro Ambiental. José Valverde Machado Filho 27.05.2013 Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, com foco em: I -

Leia mais

PALESTRA DE SENSIBILIZAÇÃO E FORMAÇÃO DE MULTIPLICADORES

PALESTRA DE SENSIBILIZAÇÃO E FORMAÇÃO DE MULTIPLICADORES PALESTRA DE SENSIBILIZAÇÃO E FORMAÇÃO DE MULTIPLICADORES Tema: Logística Reversa Lei 12.305/10 Local: CEIER - Centro Estadual Integrado de Educação Rural. Data do Evento: 08/10/2014 Horário: 19:00h às

Leia mais

XII CONFERÊNCIA DAS CIDADES

XII CONFERÊNCIA DAS CIDADES XII CONFERÊNCIA DAS CIDADES Mesa Redonda 2 LEI Nº 12.305/2010, DESAFIOS E PERSPECTIVAS: Logística Reversa e Responsabilidade Compartilhada 30 DE OUTUBRO DE 2011 SÉRGIO LUIS DA SILVA COTRIM ESPECIALISTA

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Marisa Brasil Engenheira de Alimentos MBA em Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social Especialista em Engenharia Ambiental e Saneamento Básico

Leia mais

P L O Í L TI T CA C A NA N C A I C ON O A N L A L D E D E R E R S E Í S DU D O U S O S SÓ S L Ó I L DO D S O S

P L O Í L TI T CA C A NA N C A I C ON O A N L A L D E D E R E R S E Í S DU D O U S O S SÓ S L Ó I L DO D S O S MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS PNRS RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO AÇÃO ADOTADA: TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 687 DE 09 DE SETEMBRO DE 2013 LEI:

LEI MUNICIPAL Nº 687 DE 09 DE SETEMBRO DE 2013 LEI: LEI MUNICIPAL Nº 687 DE 09 DE SETEMBRO DE 2013 INSTITUI A POLÍTICA MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM. O PREFEITO MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO,

Leia mais

RESÍDUOS: CLASSIFICAÇÃO E LEGISLAÇÃO. Proibida a reprodução Pré elaborado por Michelle Barcellos

RESÍDUOS: CLASSIFICAÇÃO E LEGISLAÇÃO. Proibida a reprodução Pré elaborado por Michelle Barcellos 34 ESTADUAL - SANTA CATARINA Lei 407, de 2009 Dispõe sobre a coleta dos resíduos sólidos inorgânicos nas áreas rurais. Lei 11.347, de 17/01/2000 Dispõe sobre a coleta, o recolhimento e o destino final

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7.

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7. Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010) 3 Esferas de Responsabilidade: Plano de Gerenciamento Fabricação

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Política Nacional de Resíduos Sólidos

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Política Nacional de Resíduos Sólidos MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS BASE LEGAL - AÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS AÇOES DE GESTÃO DE RESÍDUOS - BASE LEGAL Lei nº 11.107/2005 Consórcios Públicos Decreto nº 6017/2007

Leia mais

Decisão de Diretoria CETESB nº 120/2016/C, de 01 de junho de 2016

Decisão de Diretoria CETESB nº 120/2016/C, de 01 de junho de 2016 Decisão de Diretoria CETESB nº 120/2016/C, de 01 de junho de 2016 Estabelece os Procedimentos para o licenciamento ambiental de estabelecimentos envolvidos no sistema de logística reversa, para a dispensa

Leia mais

4º Painel SANEAMENTO BÁSICO. Gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos

4º Painel SANEAMENTO BÁSICO. Gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos 4º Painel SANEAMENTO BÁSICO Gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos Engenheira Sanitarista Flávia Vieira Guimarães Orofino Departamento Técnico Companhia Melhoramentos da Capital - COMCAP RESÍDUOS

Leia mais

ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil

ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DAS CIDADES ATERRO SANITÁRIO CONSORCIADO DO CARIRI Ceará Brasil Camilo Sobreira de Santana Secretário das Cidades do Estado do Ceará www.cidades.ce.gov.br 1 EMBASAMENTO

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lei Nº / Decreto Nº 7.404/2010

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lei Nº / Decreto Nº 7.404/2010 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei Nº 12.305/2010 - Decreto Nº 7.404/2010 OS DOIS COMITÊS COMITÊ INTERMINISTERIAL C I (DECRETO Nº 7.404/2010) COMITÊ INTERMINISTERIAL

Leia mais

Resíduos Sólidos Urbanos

Resíduos Sólidos Urbanos CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO Seminário Preparatório à XII Conferência das Cidades - Região Norte - Resíduos Sólidos Urbanos Profa. M.Sc. Maria de Valdivia Costa Norat Gomes FAESA/ITEC/UFPA

Leia mais

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO Patrícia Iglecias SETEMBRO, 2013 RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO GESTÃO DE RESÍDUOS NA PNRS Não geração Redução Reutilização Reciclagem Tratamento

Leia mais

A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Carmen Rachel Scavazzini Marcondes Faria 1 Há duas décadas, a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) adotou um programa de

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : PNRS - A Visão da Indústria no Estado de São Paulo

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : PNRS - A Visão da Indústria no Estado de São Paulo POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS : PNRS - A Visão da Indústria no Estado de São Paulo 15.10.2013 Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Base Legal: Lei Federal nº 12305, de 02.08.2010

Leia mais

Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas CONSIMARES

Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas CONSIMARES Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas CONSIMARES Seminário Soluções Ambientais para Resíduos Sólidos Industriais DESAFIOS PARA SUSTENTABILIDADE RESÍDUOS

Leia mais

[DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS]

[DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS] ATERROS SANITÁRIOS [DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS] 2013 O QUE SÃO OS RESÍDUOS SÓLIDOS? É O LIXO QUE PRODUZIMOS. NOSSO LIXO DE TODOS OS DIAS. E ESSES RESÍDUOS OU LIXO PODEM SER CLASSIFICADOS COMO:

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS A VISÃO DO SETOR DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS A VISÃO DO SETOR DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS A VISÃO DO SETOR DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS Diógenes Del Bel Diretor Presidente Seminário Hospitais Saudáveis 19 / Novembro / 2010 PNRS - A Visão do Setor de Tratamento

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO 1. CARACTERÍSTICAS NACIONAIS Brasil - um país de dimensões continentais

Leia mais

PMGIRS Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos em Piracicaba HISTÓRICO E RESULTADOS

PMGIRS Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos em Piracicaba HISTÓRICO E RESULTADOS Prefeitura do Município de Piracicaba Estado de São Paulo Brasil Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente PMGIRS Plano Municipal de Gestão Integrada de em Piracicaba HISTÓRICO E RESULTADOS Celise

Leia mais

Resolução SMA 45/2015 Logística reversa estadual. Câmara Ambiental da Indústria Paulista (CAIP/Fiesp) Julho de 2015

Resolução SMA 45/2015 Logística reversa estadual. Câmara Ambiental da Indústria Paulista (CAIP/Fiesp) Julho de 2015 Resolução SMA 45/2015 Logística reversa estadual Câmara Ambiental da Indústria Paulista (CAIP/Fiesp) Julho de 2015 RESOLUÇÃO SMA Nº 45, DE 23 DE JUNHO DE 2015 Define as diretrizes para implementação e

Leia mais

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicament os Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicamentos Aspectos gerais Situação atual... No Brasil ainda não se tem uma regulamentação específica no âmbito nacional relacionada

Leia mais

PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA RELATÓRIO

PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA RELATÓRIO PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA Projeto de Lei nº 018 de 06 de setembro de 2013 AUTOR: Poder Legislativo PARECER: Favorável, sem apresentação de emendas EMENTA: Dispõe sobre o descarte de

Leia mais

Situação e Arcabouço Conceitual da Disposição de RSU

Situação e Arcabouço Conceitual da Disposição de RSU Introdução A ABRELPE Treinamento para Operação de Aterros Sanitários Situação e Arcabouço Conceitual da Disposição de RSU ABRELPE: Associação Nacional, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e desde 1996

Leia mais

Seminário: Responsabilidade Compartilhada no Gerenciamento dos Resíduos Sólidos

Seminário: Responsabilidade Compartilhada no Gerenciamento dos Resíduos Sólidos Seminário: Responsabilidade Compartilhada no Gerenciamento dos Resíduos Sólidos REALIZAÇÃO: Implantação da Responsabilidade Pós-Consumo em São Paulo Ações, Resultados e Desafios Flávio de Miranda Ribeiro

Leia mais

Proconve sendo classificadas como ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORA E UTILIZADORA DE RECURSOS AMBIENTAIS Passíveis de inscrição no CTF DEVIDO AO IMPACTO AMBIENTAL FISCALIZAÇÃO CADASTRO TÉCNICO

Leia mais

SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES

SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES 1. Direitos de terceira geração 1.1 Introdução 1.2 Direitos difusos 1.3 Direitos coletivos stricto sensu 1.4 Direitos individuais homogêneos 2. Meio ambiente: definição e

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Coleta seletiva e inclusão social dos catadores, situação atual, perspectivas e desafios Zilda Maria Faria Veloso Diretora de Ambiente Urbano Senado Federal Brasilia, 23de abril

Leia mais

SUMÁRIO 4. A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

SUMÁRIO 4. A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE SUMÁRIO 1. NOÇÕES PRELIMINARES 1. Direitos de terceira geração 1.1 Introdução 1.2 Direitos difusos 1.3 Direitos coletivos stricto sensu 1.4 Direitos individuais homogêneos 2. Meio ambiente: definição e

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS. UFPR-Profª Eliane C. Gomes

RESÍDUOS SÓLIDOS. UFPR-Profª Eliane C. Gomes UFPR-Profª Eliane C. Gomes 1. DEFINIÇÃO (Lei 12305/10) material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder

Leia mais

Trabalhar a exploração dos recursos hídricos de forma planejada. e conservação

Trabalhar a exploração dos recursos hídricos de forma planejada. e conservação POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS E POLÍTICA NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS POLÍTICA NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS (PNRH Lei nº 9.433/97) Água: enfrentando a escassez Estima-sese que, atualmente, mais

Leia mais

RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA. Profa. Margarita María Dueñas Orozco

RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA. Profa. Margarita María Dueñas Orozco RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com INTRODUÇÃO Semelhança entre processos de geração de RS num organismo vivo e numa sociedade Fonte: Barros,

Leia mais

AVANÇOS E DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA. - Logística Reversa -

AVANÇOS E DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA. - Logística Reversa - AVANÇOS E DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA - Logística Reversa - A POLÍTICA AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA Integração entre o ambiente construído e o ambiente

Leia mais

BREVES COMENTÁRIOS SOBRE A LEI DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Prof. Fábio Silveira FACULDADE DOS GUARARAPES / PE.

BREVES COMENTÁRIOS SOBRE A LEI DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Prof. Fábio Silveira FACULDADE DOS GUARARAPES / PE. BREVES COMENTÁRIOS SOBRE A LEI DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Prof. Fábio Silveira FACULDADE DOS GUARARAPES / PE. SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Pontos relevantes da Lei nº 12.305/2013; 3. conceitos;

Leia mais

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel II: Resíduos Sólidos Urbanos Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho 20.04.2012 Cenários e Evolução

Leia mais

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Comunicação Ietec A sustentabilidade ambiental é um desafio mundial e, por isso, a produção, coleta e destinação dos resíduos tornaram-se tema

Leia mais

Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa. Zilda M. F. Veloso 08abril2014

Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa. Zilda M. F. Veloso 08abril2014 Resíduos Sólidos Desafios da Logística Reversa Zilda M. F. Veloso 08abril2014 I- CONSIDERAÇÕES GERAIS Objetivos POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERAÇÃO DE RESÍDUOS PANO DE FUNDO: Sem a PNRS, a geração

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DE RONDÔNIA GABINETE DO PREFEITO GESTÃO 2013/2016

ESTADO DE RONDÔNIA MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DE RONDÔNIA GABINETE DO PREFEITO GESTÃO 2013/2016 DECRETO N 1184/GP/2014. DESATIVA O LIXÃO MUNICIPAL E INSTITUI A POLÍTICA MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DE RONDÔNIA/RO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal de Primavera

Leia mais

Prof. Guilhardes de Jesus Júnior Advogado Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente UESC/PRODEMA Coordenador do Curso de Direito da FTC/Ita

Prof. Guilhardes de Jesus Júnior Advogado Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente UESC/PRODEMA Coordenador do Curso de Direito da FTC/Ita UMA INTRODUÇÃO À TUTELA JURÍDICA DO MEIO AMBIENTE Prof. Guilhardes de Jesus Júnior Advogado Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente UESC/PRODEMA Coordenador do Curso de Direito da FTC/Ita E

Leia mais

INFORMATIVO AMBIENTAL

INFORMATIVO AMBIENTAL INFORMATIVO AMBIENTAL Julho, 2016. CETESB publica Decisão de Diretoria que estabelece os procedimentos para licenciamento ambiental dos empreendimentos envolvidos no sistema de logística reversa e hipóteses

Leia mais

Palestra Magna : Gestão de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho

Palestra Magna : Gestão de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho Palestra Magna : Gestão de Resíduos Sólidos José Valverde Machado Filho 22.08.2012 ONU-HABITAT afirma que população urbana da América Latina chegará a 89% em 2050. De acordo com o Estado das Cidades da

Leia mais

PRODUTOS INSERVÍVEIS DO PÓS CONSUMO Encaminhamento para os produtos que no final da vida útil tornam-se resíduos sólidos, devendo retornar a cadeia pr

PRODUTOS INSERVÍVEIS DO PÓS CONSUMO Encaminhamento para os produtos que no final da vida útil tornam-se resíduos sólidos, devendo retornar a cadeia pr POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS: principais avanços e gargalos Eng. Quím. Mário Kolberg Soares Junho/2016 PRODUTOS INSERVÍVEIS DO PÓS CONSUMO Encaminhamento para os produtos que no final da vida

Leia mais

Fórum Setorial Lâmpadas, Pilhas e Baterias

Fórum Setorial Lâmpadas, Pilhas e Baterias PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO Fórum Setorial Lâmpadas, Pilhas e Baterias Documento Síntese Humberto Ferreira Silva Minéu Prof. IFTM/Campus Ituiutaba Plataforma Ituiutaba Lixo Zero hmineu@gmail.com Ituiutaba,

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA. Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Divisão de Controle da Poluição Industrial FEPAM

GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA. Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Divisão de Controle da Poluição Industrial FEPAM GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Divisão de Controle da Poluição Industrial FEPAM LEI FEDERAL 6938/81 DECRETO FEDERAL 99274/90 BASE PARA GESTÃO AMBIENTAL obrigatoriedade

Leia mais

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02.

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02. LEGISLAÇÃO VIGENTE PGRS LEI FEDERAL n o 9.795, de 27/04/99. A definição oficial de Educação Ambiental no Brasil. LEI ESTADUAL n o 12.493, de 22/01/99. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios

Leia mais

Resíduos eletro-eletrônicos. Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada

Resíduos eletro-eletrônicos. Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada Resíduos eletro-eletrônicos Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada Junho de 2009 Alguns Modelos utilizados no mundo: Modelo Responsabilidade ampliada do Produtor - responsabiliza

Leia mais

PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS

PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS Consórcio público é uma pessoa jurídica criada por lei com a finalidade de executar a gestão associada de serviços públicos, onde

Leia mais

Eng. Marcos Helano Fernandes Montenegro Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal - ADASA

Eng. Marcos Helano Fernandes Montenegro Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal - ADASA Regulação dos serviços públicos de saneamento básico e aproveitamento energético do gás metano de aterros sanitários Eng. Marcos Helano Fernandes Montenegro Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA Vitória, 11 de Novembro de 2014 SUSTENTABILIDADE A nova ordem ambiental para o Setor Automotivo As concessionárias devem ser: Cenário Atual Pesquisa in loco" com mais

Leia mais

CONSÓRCIOS PÚBLICOS E TECNOLOGIAS PARA RESOLUÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL DE RÉSÍDUOS SÓLIDOS

CONSÓRCIOS PÚBLICOS E TECNOLOGIAS PARA RESOLUÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL DE RÉSÍDUOS SÓLIDOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS E TECNOLOGIAS PARA RESOLUÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL DE RÉSÍDUOS SÓLIDOS EDUARDO ROCHA DIAS SANTOS Gerente de Resíduos Sólidos Ministério do Meio Ambiente 25 de maio de 2015 Poços de Caldas

Leia mais

Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos

Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos MUNICÍPIO RESPONSÁVEL CONTATO (tel. e e-mail) Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos Existem Planos Setoriais / Planos de Integração

Leia mais

Licenciamento Ambiental

Licenciamento Ambiental Licenciamento Ambiental - Lilian Ferreira dos Santos - Superintendente de Infra-Estrutura, Mineração, Indústria e Serviços Junho de 2010 O Estado de Mato Grosso Aproximadamente 20000 Empreendimentos cadastrados

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 09 Aspectos legais e institucionais Meio Ambiente Profª Heloise G. Knapik 1 Por quê precisamos de legislação ambiental? Controle

Leia mais

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Fernando Altino Rodrigues

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Fernando Altino Rodrigues Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Fernando Altino Rodrigues Ética Ecológica e Ética Social Desenvolvimento Sustentável...permitir que os preços digam a verdade ecológica Weizsaecker INTERNALIZAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 183/2013

PROJETO DE LEI Nº 183/2013 PROJETO DE LEI Nº 183/2013 Dispõe sobre diretrizes para instituição do Programa de Coleta Seletiva Contínua de Resíduos Eletrônicos e Tecnológicos e dá outras providências. Art. 1º Esta lei dispõe sobre

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS AMBIENTAIS

POLÍTICAS PÚBLICAS AMBIENTAIS POLÍTICAS PÚBLICAS AMBIENTAIS As primeiras manifestações de gestão ambiental procuraram solucionar problemas de escassez de recurso, mas só após a Revolução Industrial os problemas que concernem à poluição

Leia mais

Gestão de Resíduos Sólidos

Gestão de Resíduos Sólidos Gestão de Resíduos Sólidos Secretaria Municipal do Meio Ambiente Superintendência de Controle Ambiental Superintendência de Obras e Serviços Superintendência de Controle Ambiental Departamento de Pesquisa

Leia mais

O Papel dos Catadores de Materiais Reciclados em suas Organizações e Cooperativas

O Papel dos Catadores de Materiais Reciclados em suas Organizações e Cooperativas O Papel dos Catadores de Materiais Reciclados em suas Organizações e Cooperativas Nossos Avanços Visão de Futuro Desafios 1 2 3 Atuação do MNCR 800.000 catadores em atividade (estimativa) 85.000 catadores

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Limpeza Urbana e Manejo de

Leia mais

A Logística Reversa e a Política Estadual de Resíduos Sólidos

A Logística Reversa e a Política Estadual de Resíduos Sólidos Fórum Internacional Waste Expo Brasil 2016 sobre Gestão Integrada de Resíduos Sólidos A Logística Reversa e a Política Estadual de Resíduos Sólidos Flávio de Miranda Ribeiro CETESB Companhia Ambiental

Leia mais

A POLÍTICA ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PERS/BA) LEI Nº /2014 E A LOGÍSTICA REVERSA

A POLÍTICA ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PERS/BA) LEI Nº /2014 E A LOGÍSTICA REVERSA Governo do Estado da Bahia Governador Jaques Wagner Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia Secretário Manuel Ribeiro Filho A POLÍTICA ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PERS/BA) LEI Nº 12.932/2014

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos O GPA NASCEU EM 1948. É A MAIOR EMPRESA VAREJISTA DO BRASIL E PERTENCE AO GRUPO CASINO, UM DOS LÍDERES MUNDIAIS NO VAREJO DE ALIMENTOS. Com 2.113 pontos de venda,

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais

PARTE 1 - POLITICA NACIONAL DE RESíDUOS SOLIDOS: ASPECTOS JURíDICOS

PARTE 1 - POLITICA NACIONAL DE RESíDUOS SOLIDOS: ASPECTOS JURíDICOS Sumário Prefácio... XI Izabella Teixeira Apresentação.... XV Arnaldo Jardim, José Valverde Machado Filho PARTE 1 - POLITICA NACIONAL DE RESíDUOS SOLIDOS: ASPECTOS JURíDICOS Capítulo 1 Competência e as

Leia mais

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor Vanessa Duarte de Carvalho Deptº de Saneamento Ambiental do BNDES Belo Horizonte, 26 de novembro de 2010 Agenda RESÍDUOS SÓLIDOS BNDES

Leia mais

Roteiro da Apresentação. 1. Evolução Histórica 2. Problemas de Aplicabilidade 3. Reflexões

Roteiro da Apresentação. 1. Evolução Histórica 2. Problemas de Aplicabilidade 3. Reflexões Roteiro da Apresentação 1. Evolução Histórica 2. Problemas de Aplicabilidade 3. Reflexões Evolução Histórica da Legislação Brasileira Período Colonial (século XVI a XIX) contrabando de animais (rota marítima

Leia mais

Política Estadual de Resíduos Sólidos: Logística reversa Embalagens pós consumo

Política Estadual de Resíduos Sólidos: Logística reversa Embalagens pós consumo ABTG Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica 7º Ciclo de Sustentabilidade 2014 São Paulo, 18 de agosto de 2014 Política Estadual de Resíduos Sólidos: Logística reversa Embalagens pós consumo Política

Leia mais

VII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA AMBIENTAL DA UNESP PRESIDENTE PRUDENTE - 26/09/2011

VII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA AMBIENTAL DA UNESP PRESIDENTE PRUDENTE - 26/09/2011 LOGÍSTICA REVERSA Patrícia Guarnieri VII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA AMBIENTAL DA UNESP PRESIDENTE PRUDENTE - 26/09/2011 Mudanças no ambiente de negócios Globalização dos mercados Tecnologia Marketing Logística

Leia mais

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOSS MÓDULO 2 Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOS S - DEFINIÇÃO... aqueles nos estados sólidos e semi-sólidos, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica,

Leia mais

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO (CETESB) Decisão de Diretoria - 120/2016/C, de (DOE 03/06/2016)

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO (CETESB) Decisão de Diretoria - 120/2016/C, de (DOE 03/06/2016) COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO (CETESB) Decisão de Diretoria - 120/2016/C, de 1-6-2016 (DOE 03/06/2016) Estabelece os Procedimentos para o licenciamento ambiental de estabelecimentos envolvidos

Leia mais

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 CONCEITOS RESÍDUO: Resíduos nos estados sólido, semi-sólido ou líquido resultantes de atividades industriais, domésticas, hospitalar,

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Campus Sapucaia do Sul

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Campus Sapucaia do Sul Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Campus Sapucaia do Sul EDITAL n 13/ 2014 - SELEÇÃO INTERNA TEMPORÁRIA DE PROFESSORES O Instituto Federal Sul-rio-grandense

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N. 307, DE 05 DE JULHO DE 2002 Alterações: Resolução CONAMA n. 348, de 16.08.04 Resolução CONAMA n. 431, de 24.05.11 Resolução CONAMA n. 448, de 18.01.12 Resolução

Leia mais

ORIGEM E DIFUSÃO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL

ORIGEM E DIFUSÃO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL ORIGEM E DIFUSÃO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL Prof. Eduardo Lucena C. de Amorim 1 OBJETIVOS DA POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Compatibilizar o desenvolvimento econômico e social com a proteção

Leia mais

PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA RELATÓRIO. O Projeto apresenta trinta e dois (32) artigos, divididos em sete (07) capítulos.

PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA RELATÓRIO. O Projeto apresenta trinta e dois (32) artigos, divididos em sete (07) capítulos. PARECER DA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA Projeto de Lei nº 145 de 18 de setembro de 2013 AUTOR: Poder Executivo PARECER: Favorável, sem apresentação de emendas EMENTA: Estabelece normas de Proteção

Leia mais

Aspectos Gerais Sobre os Resíduos Sólidos

Aspectos Gerais Sobre os Resíduos Sólidos 1 º Seminário Sobre Gestão de Resíduos Sólidos APA - Botucatu Aspectos Gerais Sobre os Resíduos Sólidos Prof. Dr. Wellington Cyro de Almeida Leite Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Leia mais

A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS WORKSHOP SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS - CIESP CAMPINAS 29/04/2014 A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Promotora de Justiça do Grupo de Atuação Especial

Leia mais

EMBALAGEM MELHOR. MUNDO MELHOR!

EMBALAGEM MELHOR. MUNDO MELHOR! 2016 EMBALAGEM MELHOR. MUNDO MELHOR! RICARDO LOPES É graduado em química industrial. Atua há mais de 30 anos na área de meio ambiente em empresas do ramo químico, petroquímico, farmacêutico, alimentício,

Leia mais

Lei nº 6.938/81. Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Lei nº 6.938/81. Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos Lei nº 6.938/81 SINOPSE: a) Meio ambiente é PATRIMÔNIO PÚBLICO, devendo ser protegido, tendo em vista o uso coletivo; b) Planejar, fiscalizar e racionalizar o uso dos recursos ambientais; c) Proteger os

Leia mais

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL?

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUOS SÓLIDOS COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUO CLASSE I: São aqueles que apresentam periculosidade ou uma das seguintes características, inflamabilidade, corrosividade, reatividade,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde 2008 ANTECEDENTES LEGAIS RES. CONAMA 05/1993 RES. CONAMA 283/2001 RDC ANVISA 306/2004

Leia mais

PHA 3001 ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE. Prof. Dr. Theo Syrto Octavio de Souza

PHA 3001 ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE. Prof. Dr. Theo Syrto Octavio de Souza PHA 3001 ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Theo Syrto Octavio de Souza (theos@usp.br) Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano (Conferência de Estocolmo) 1972, Estocolmo, Suécia 113

Leia mais

2º Aulão Noções de SUSTENTABILIDADE 2ª Maratona TRF 2 15/11/2016

2º Aulão Noções de SUSTENTABILIDADE 2ª Maratona TRF 2 15/11/2016 Siga @profrosenval no Instagram 2º Aulão Noções de SUSTENTABILIDADE 2ª Maratona TRF 2 15/11/2016 ATENÇÃO! Este é um material GRATUITO elaborado e disponilizado pelo Prof. Rosenval Jr. Você pode compartilhá-lo,

Leia mais

Engª Quím. Alessandra Pires

Engª Quím. Alessandra Pires Ciclo de palestras ABES - SENGE Resíduos da Construção Civil: Responsabilidades e Alternativas Gerenciamento dos Resíduos da Construção Civil Desafios da Gestão Pública Engª Quím. Alessandra Pires Secretaria

Leia mais

Coleta Seletiva Solidária

Coleta Seletiva Solidária Advocacia-Geral da União Secretaria-Geral de Administração Coleta Seletiva Solidária Caminho para um planeta mais sustentável Advocacia-Geral da União Secretaria-Geral de Administração II-5 Reuniões Temáticas

Leia mais

S UMÁRIO. Capítulo 1 Meio Ambiente Doutrina e Legislação...1. Questões...6 Gabaritos comentados...8

S UMÁRIO. Capítulo 1 Meio Ambiente Doutrina e Legislação...1. Questões...6 Gabaritos comentados...8 S UMÁRIO Capítulo 1 Meio Ambiente...1 1. Doutrina e Legislação...1 1.1. Conceito de meio ambiente... 1 1.2. Classi icação didática do meio ambiente... 3 1.3. O meio ambiente no art. 225 da CF/88... 4 Questões...6

Leia mais