LISTADO DE LAS SUSTANCIAS QUE LOS PRODUCTOS COSMETICOS PUEDEN CONTENER, SUJETOS A RESTRICCIONES Y CONDICIONES ESTABLECIDAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LISTADO DE LAS SUSTANCIAS QUE LOS PRODUCTOS COSMETICOS PUEDEN CONTENER, SUJETOS A RESTRICCIONES Y CONDICIONES ESTABLECIDAS"

Transcrição

1 MERCOSUR/GMC/RES Nº 26/95 LISTADO DE LAS SUSTANCIAS QUE LOS PRODUCTOS COSMETICOS PUEDEN CONTENER, SUJETOS A RESTRICCIONES Y CONDICIONES ESTABLECIDAS VISTO: El Tratado de Asunción, la Decisión Nº 4/91 del Consejo del Mercado Común, la Resolución Nº 91/93 del Grupo Mercado Común y la Recomendación Nº 7/95 del SGT Nº 3 Reglamentos Técnicos. CONSIDERANDO : Que los productos de higiene, cosméticos y perfume deben ser seguros bajo las condiciones normales o previsibles de uso. Que las legislaciones respecto de sustancias a ser utilizadas en estos productos son actualmente dispares en los Estados Partes. Que debe ser subsanada esta disparidad con el objeto de lograr la uniformidad en los criterios a ser aplicados. Que los Estados Partes han presentado sus propuestas de inclusión a los listados de sustancias que han sido de su uso exclusivo. Que existen algunos casos de diferencias en las concentraciones máximas autorizadas en los Estados Partes y en relación con las legislaciones adoptadas como de referencia, EL GRUPO MERCADO COMUN RESUELVE: Art 1 - Aprobar el documento Listado de las sustancias que los productos cosméticos pueden contener, sujetos a restricciones y condiciones establecidas, que consta como Anexo y forma parte de la presente Resolución.

2 Art 2 - Los Estados Partes pondrán en vigencia las disposiciones legislativas, reglamentarias y administrativas necesarias para dar cumplimiento a la presente Resolución a través de los siguientes organismos. Argentina: ANMAT (Administración Nacional de Medicamentos, Alimentos y Tecnología Médica) Ministerio de Salud y Acción Social Brasil: Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde Paraguay: Dirección de Vigilancia Sanitaria del Ministerio de Salud Pública y Bienestar Social Uruguay: Ministerio de Salud Pública Art 3 - Este documento será actualizado siempre que los Estados Partes acuerden la adopción de nuevas reglamentaciones sobre Buenas Prácticas de Fabricación y Control recomendadas por la OMS, producto de desarrollo científico y tecnológico del sector. Art 4 - La presente Resolución entrará en vigor el 18 de diciembre de 1995.

3 LISTA RESTRITIVA LISTA DAS SUBSTÂNCIAS QUE OS PRODUCTOS COSMÉTICOS PODEM CONTER SUJEITOS À RESTRIÇÕES E CONDIÇÕES ESTABELECIDAS 1 - As substâncias anotadas (*) acompanhando o nome de algumas substâncias indica que se está utilizando a adaptação em português ou espanhol do International Non-propetary Name, por entender-se que é o nome comumente utilizado. 2 - As substâncias acompanhadas pela chamada (1) significa que as mesmas só podem ser utilizadas isoladamente ou em combinações sempre que a soma destas substâncias não exceda o nível máximo autorizado para cada uma delas. LISTA DAS SUBSTÂNCIAS QUE OS PRODUCTOS COSMÉTICOS PODEM CONTER SUJEITOS À RESTRIÇÕES E CONDIÇÕES ESTABELECIDAS Nº ORD SUBSTÂNCIA CAMPO DE APLICAÇÃO OU USO 1 Ácido bórico a) talcos 2 Éster de ácido tioglicólico b) produto para higiene oral c) outros produtos a) Produtos para alisar ou ondular os cabelos - uso geral - uso profissional CONCENTRA ÇÃO MÁXIMA AUTORIZADA a) 5% b) 0.5% c) 3% 8% pronto para uso ph 6 a % pronto para uso ph 6 a 9.5 (expressos em ácido tioglicólico) OUTRAS LIMITAÇÕES OU REQUERIMENT OS a) Não poderá ser usado em produtos para crianças menores de 3 anos de idade. Nas direções de uso devem ser incorporadas as seguintes frases: - Pode causar sensibilização de contato com a pele - Evite contato com os olhos. Em caso de contato, enxágue com água em abundância e CONDIÇÕE USO E ADVERTÊN a) Não usar crianças me de 3 anos de - Contém tioglicolato - Siga as ins - Mantenha f alcance de c - Só para us profissional (quando for

4 3 Ácido oxálico, seus ésteres e sais alcalinos cuidados dos cabelos 5% consulte o médico. Use luvas apropriadas. Contém amô 4 Amônia 6% como NH3 Acima de 2% 5 Tosicloramida 0.2% sódica (*) 6 Cloratos de metais alcalinos a) Cremes dentais a) 5% 7 Diclorome tano 8 m e p-fenilenodia minas seus derivados n-substituídos e seus sais derivados n- substituídos da o-fenilenodia mina (1) 9 Metilfenilenodi aminas, seus derivados n-substituídos e seus sais (1) Com exceção da 4-metil-mfenilenodiamin as e seus sais b) Outros usos Corantes de oxidação para cabelos a) Uso geral b) Uso profissional idem b) 3% 35% (quando se encontra misturado com 1,1,1-tri cloroetano, a concentração total não deve ser superior a 35%) a) e b) 6% calculado com base livre 10% calculado como base livre 0,2% como teor máximo de impureza. a) Podem ca reações alér Contém fenilenodiam Não utilizar p tingir buços sobrancelha b) Só para u profissional. causar reaçõ alérgicas. Co fenilenodiam Usar luvas adequadas. idem

5 10 Diaminofenois (1) idem 10% calculado como base livre a) Podem ca reações alér Contém diaminofeno utilizar para buços ou sobrancelha 11 Diclorofeno (*) 0,5% 12 Peróxido de hidrogênio (água oxigenada) e outras substâncias que liberam peróxido de hidrogênio, incluindo peróxido de carbamida e zinco a) Produtos para cuidado dos cabelos b) Produtos para cuidados da pele c) Produtos para endurecer unhas d) Produtos para higiene oral 13 Formaldeído Endurecedor de unhas 14 Hidroquinona a) Corante de oxidação para cabelos b) Clareador de pele localizada a) 12% H2 O2 (40 volumes) presente ou liberadas. b) 4% H2 O2 (40 volumes) presente ou liberadas. c) 2% H2 O2 (40 volumes) presente ou liberadas. d) 0,1% H2 O2 (40 volumes) presente ou liberadas. 5% calculado como formaldeído a) 2% b) 2% b) Só para u profissional. causar reaçõ alérgicas. Co diaminofeno luvas adequ a,-b,-c,- Con peróxido de hidrogênio. E contato com olhos. Se o p entrar em co com os olho enxágue-os imediatamen a) Usar luva adequadas Proteger as cutículas com ou olho. Con formaldeído. a) Não usar tingir o buss sobrancelha Enxaguar imediatamen produto entr contato com olhos. Conté hidroquinona b) Contém hidroquinona Evitar contat os olhos. Aplicar sobre pequenas ár

6 15 Hidróxido de sódio ou potássio a) Removedor de cutículas b) Alisante para cabelos: 1 - Uso geral 2 - Uso profissional c) Ajuste de ph em depilatórios d) Outros ajustes de ph 16 Alfa-naftol Corante de oxidação para cabelo 17 Nitrito de inibidor de sódio corrosão 18 Nitrometano Inibidor de corrosão 19 Fenol e seus Sabonetes e sais alcalinos shampoos 20 Quinino e a) Shampoos seus sais b) Loções para cabelos 21 Resorcinol a) Agente de oxidação para tintura capilar b) Shampoos e loções para a) 5% em peso b) : 1-2% em peso 2-4,5% em peso a) e b) As somas dos álcalis expressos em hidróxido de sódio c) Até ph 12,7 d) Até ph 11 0,5% 0,2% Não usar com aminas secundárias ou terciárias ou outras substâncias que formen nitrosaminas 0,3% 1% calculado como fenol a) 0,5% calculado como quinino b) 0,2% calculado como quinino a) 5% b) 0,5% Se surgir irri suspender o Não usar em crianças com menos de 12 a), b) Contém álcali. Em ca contato com olhos procur orientação m Manter fora alcance de crianças. b-1) Só para profissional c) Manter for alcance de crianças. Evitar contat os olhos. a) Contém resorcinol. E bem os cabe após a aplica Não usar na sobrancelha

7 b) e c) Conté resorcinol. M fora do alcan crianças. cabelos c) Para acne c) 2% no sbuços. L imediatamen olhos caso o produto entr contato com mesmos. 22 a) Sulfitos alcalinos b) Sulfitos alcalinos terrosos 23 Sais de zinco solúveis em água com exceção ao fenolsulfonato de zinco e piridinotionato de zinco 24 Fenolsulfonat o de zinco 25 1,3-Bis (hidroximetil) imidazolidina- 2-tiona 26 Sulfeto de selênio a) e b) Depilatórios Desodorante, antiperspirante s e loções adstringentes a) Preparações para cuidado dos cabelos b) Preparações para cuidado das unhas a) 2% calculado como enxofre. ph até 12,7 b) 6% calculado como enxofre. ph até 12,7 1% calculado como zinco 6% calculado como % de substância anidra a) e b) 2% a) Proibido seu uso na forma de spray c) Lavar imediatamen olhos caso o produto entr contato com mesmos Contém 1,3- (hidroximetil) imidazolidina a b) O ph do produto como aplicado deve ser menor que 4 1% Contém Sulf selênio. Evit

8 27 Complexos de alumínio e zircônio hidroxi clorados AlxZr(OH)y Clz e complexos de alumínio-zircô nio hidroxiclorado s glicina 28 Cloridróxido de alumínio, seus sais e cosméticos 29 Dicloridróxido de alumínio, seus sais e complexos 30 Sesquicloridró xido de alumínio, seus sais e complexos 31 Cloreto de alumínio 32 Sulfato de alumínio -tamponado 33 8-Quinilinol e sulfato de caspa Antiperspirante Antiperspirante Antiperspirante Antiperspirante Antiperspirante Antiperspirante a) Estabilizador de peróxido de 20% como complexo Alumínio-zircôn io hidroxiclorados 5,4% como zircônio 25% base anidra 25% base anidra 25% base anidra 15% base anidra 8% como sulfato de alumínio tamponado com 8% de lactato de alumínio a) 0,03% 1) A relação entre o número de átomos de alumínio e o número de átomos de zircônio deve ser entre 2 e 10. 2) A relação entre a soma dos átomos de alumínio e zircônio (Al-Zr) e o número de átomos de cloro deve ser entre 0,9 e 2,1. Proibido em produtos en forma de aerossóis Proibido em aerossóis idem anterior contato com olhos e pele irritada. Não aplicar s pele estiver Aplicar some nas axilas. N aplicar sobre irritada. Susp o uso se sur irritação idem anterio idem anterio idem anterio idem anterio

9 8-hidroxiquino línio 34 Ácido etidrónico e seus sais 35 1-Fenoxi-2- propanol 36 Cloreto de estrôncio hexahidratado 37 Acetato de estrôncio hemihidratado 38 Talco: Silicato de magnésio hidratado 39 Dialcanolamid as de ácidos graxos hidrogênio em produtos de contato prolongado com os cabelos breve contato a) Cuidado com os cabelos b) Sabonetes Creme dental b) 0,3% a) 1,5% b) 0,2% (Ambos calculados como ácido etidrônico) 2% Somente em produtos para enxuagar. Proibido o uso em produtos para higiene oral. Como conservante ver 3,5% Calculado como estrôncio. Quando misturado com outras substâncias, o conteúdo total de estrôncio não deve superar 3,5% lista específica. Contém clor estrôncio. Nã recomenda u frequente em crianças. estrôncio. Nã recomenda u frequente em Creme dental idem anterior Contém ace crianças. a) Produto em pó para crianças com menos de 3 anos Sem limites Máximo teor de dialcanolamina s: 0,5% Não usar em sistemas nitrosantes. Máximo teor de dialcalonamina a) Manter o afastado do da boca da c

10 40 Monoalcanola minas 41 Trialcanolami nas a) Produtos de longo contato com a pele Máximo teor de dialcanolamina s: 0,5% a) 2,5% em materias primas: 5%. Máximo teor de N-nitro-sodialcanolamina: 50ppm. Embalar em recipientes livres de nitritos. Não usar em sistemas nitrosantes. Máximo teor de alcalonamimas secundárias em materias primas: 0,5%. Máximo teor de N-nitroso dialcanolamina: 50ppm. Embalar em recipientes livres de nitritos. Pureza mínima: 99% a) e 42 Hidróxido de estrôncio 43 Peróxido de estrôncio b) Outros produtos ajuste de ph em depilatórios cuidados dos cabelos, de uso profissional, que se enxaguem 44 Enxofre caspa e a acne 45 Ácido undecilênico e seu sal de caspa b) Sem limite 3,5% calculado como Sr ph máximo = 12,7 4,5% calculado como Sr no produto pronto para uso 10% 2% Todos os produtos devem seguir as recomendações do peróxido de hidrogênio Manter fora alcance de crianças. Ev o produto ati olhos. Evitar o cont com os olho Enxaguar imediatamen olhos se o p entrar em co com os mes Só para uso profissional. luvas adequ

11 zinco, amidas, monoetanola midas e sulfosuccinato s 46 Cetoconazol caspa 47 4-Cloro-3,5-xil enol 48 1-(4-Clorofeno xi) -1-(1-imidazoli l) -3,3-dimetil -2- butanona 49 1-Hidroxi-2-(1 H) piridinotionato de zinco 50 1-Hidroxi-4-m etil-6-(2,3,4-tri metilpentil-2-( 1H)-Piridona e sal de monoetanola mina 51 Ácido salicílico caspa caspa caspa caspa a) Produtos para combater a caspa b) Produtos para combater a acne 52 3,4,4 -Tricloro Sabonetes de carbani-lida uso adulto 53 Melanina Aceleradores do bronzeado 54 Tirosina Aceleradores do bronzeado 55 Dihidroxiaceto Aceleradores na 56 Bromoclorofe no do bronzeado Desodorantes axilares corporais e pédicos 1% 0,5% 0,5% 2% 1% a) 3% b) 2% 2% Sem limite Sem limite Sem limite 0,5% LISTA AS SUBSTÂNCIAS QUE OS PRODUTOS COSMÉTICOS PODEM CONTER SUJEITOS À

12 RESTRIÇÕES E CONDIÇÕES ESTABELECIDAS ATÉ: 31/12/96 Nº ORD 1a 2a 3a 4a 5a 6a 7a SUBSTÂNCI A Ácido tioglicólico fato de fato de cálcio fato de potássio fato de sódio sódio potássio CAMPO DE APLICAÇÃO OU USO a) Produtos para alisar os cabelos b) Produtos para ondulara os cabelos c) Depilatórios a) Dentrifícios. b) Enxaguatório bucal CONCENTRAÇ ÃO MÁXIMA AUTORIZADA a)12% na forma ácida. ph máximo = 11 b) 10% na forma ácida. ph máximo = 10 c) 5% pronto para uso. ph 7 = 12,7 a) 0,15% expresso em fluor. Quando misturado com outros compostos de fluor permitido nesta lista, a concentração total de fluor não excederá à 0,15% b) 202,5-247,5 ppm OUTRAS LIMITAÇÕES OU REQUERIMENT OS (a), (b), (c). Evitar contato com os olhos. Caso o produto atinja os olhos, enxágue com água em abundância e procure cuidado médico. a) Concentração no produto final: Início: ppm. Até 1 ano: 600 ppm mín. Fim de validade: 450 ppm mínimo. CONDIÇÕE DE USO E ADVERTÊN S (a), (b), (c). Contém tioglicolatos. Siga as intruções. Manteer fora alcance de crianças. (a), (b) Cont o de b) Não usar crianças com menos de 6 anos de idad o de cálcio o de potássi o de sódio sódio

13 8a 9a 10a 11a 12a 13a 14a 15a 16a 17a alumínio Fluoreto estanoso magnésio cálcio hexadecil Dihidrofluore to de 3-(n-hexade cil-n-2-hidrox ietil-amonio) Propilbis (2-Hidroxietil ) Dihidrofluore to de NN N -tris (polioxietilen o) -N-hexadecil propilenodia mina Hidrofluoreto de nicometanol octadecenil potássio alumínio fluoreto estanoso magnésio cálcio hexadecil de idem idem idem (a) e (b) Contém a

14 18a 19a 20a 21a Fluorsilicato de sódio Fluorsilicato de Fluorsilicato de potássio Fluorsilicato de magnésio octadecenil sódio potássio magnésio

considerando a Consulta Pública realizada por meio da Portarias GM Nº 20, de 05 de janeiro de 2005 (DOU 01/02/05);

considerando a Consulta Pública realizada por meio da Portarias GM Nº 20, de 05 de janeiro de 2005 (DOU 01/02/05); RESOLUÇÃO - RDC Nº 215, DE 25 DE JULHO DE 2005. Aprova o Regulamento Técnico de Listas de Substâncias que os Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes não Devem Conter Exceto nas Condições e com

Leia mais

LISTA DE AGENTES CONSERVANTES PERMITIDOS PARA O USO EM PRODUTOS DE HIGIENE, PERFUMES E COSMÉTICOS

LISTA DE AGENTES CONSERVANTES PERMITIDOS PARA O USO EM PRODUTOS DE HIGIENE, PERFUMES E COSMÉTICOS MERCOSUL/GMC/RES. Nº 27/95 LISTA DE AGENTES CONSERVANTES PERMITIDOS PARA O USO EM PRODUTOS DE HIGIENE, PERFUMES E COSMÉTICOS TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, a Decisão Nº 4/91 do Conselho do Mercado

Leia mais

- considerando que a legislação sanitária vigente se aplica a produtos nacionais, provenientes dos Estados Partes do Mercosul e de outros países;

- considerando que a legislação sanitária vigente se aplica a produtos nacionais, provenientes dos Estados Partes do Mercosul e de outros países; Resolução RDC nº 79, de 28 de agosto de 2000 (D.O.U. 31/08/00) O Diretor-Presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o inciso IV do art. 13 do Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS DE HIGIENE PESSONAL, COSMÉTICOS E PERFUMES

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS DE HIGIENE PESSONAL, COSMÉTICOS E PERFUMES MERCOSUL/GMC/RES. Nº 07/05 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS DE HIGIENE PESSONAL, COSMÉTICOS E PERFUMES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções

Leia mais

Cosmecêuticos Abordagem Regulatória. Hotel Blue Tree Towers Nações Unidas Nov / 2006

Cosmecêuticos Abordagem Regulatória. Hotel Blue Tree Towers Nações Unidas Nov / 2006 Cosmecêuticos Abordagem Regulatória Hotel Blue Tree Towers Nações Unidas Nov / 2006 TOP TEN 2005 HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS Fonte: Euromunitor % 2005 US$ MM (*) Cresc. Particip. 1 Estados

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.185, DE 15 DE JUNHO DE 2004

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.185, DE 15 DE JUNHO DE 2004 Diário Oficial Imprensa Nacional N.º 115n Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.185, DE

Leia mais

RDC Nº 4, de 30 de Janeiro de 2014. Dra Maria Inês Harris mariaines@harris.com.br

RDC Nº 4, de 30 de Janeiro de 2014. Dra Maria Inês Harris mariaines@harris.com.br RDC Nº 4, de 30 de Janeiro de 2014 Dra Maria Inês Harris mariaines@harris.com.br Disposições Gerais Dispõe sobre os REQUISITOS TÉCNICOS para a REGULARIZAÇÃO de produtos de HPPC. Objetivos da RDC 4/2014

Leia mais

RESOLUCIÓN N 23/96 POR LA CUAL SE APRUEBA EL REGIMEN DE INSPECCIONES Y PROCEDIMIENTO DE INSPECCION PARA INDUSTRIA FARMOQUIMICA.

RESOLUCIÓN N 23/96 POR LA CUAL SE APRUEBA EL REGIMEN DE INSPECCIONES Y PROCEDIMIENTO DE INSPECCION PARA INDUSTRIA FARMOQUIMICA. RESOLUCIÓN N 23/96 POR LA CUAL SE APRUEBA EL REGIMEN DE INSPECCIONES Y PROCEDIMIENTO DE INSPECCION PARA INDUSTRIA FARMOQUIMICA. VISTO: El Tratado de Asunción, el Protocolo de Ouro Preto, la Resolución

Leia mais

Tabela 1. Correlação do Sistema Novo com Sistema Antigo para Grupos de Produtos Notificados. COMUNICADO

Tabela 1. Correlação do Sistema Novo com Sistema Antigo para Grupos de Produtos Notificados. COMUNICADO COMUNICADO A Gerência Geral de Cosméticos GGCOS disponibiliza os grupos de produtos constantes no novo sistema e as respectivas correlações com os grupos de produtos anteriormente utilizados. Tabela 1.

Leia mais

Que os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes devem ser seguros sob as condições normais ou previsíveis de uso.

Que os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes devem ser seguros sob as condições normais ou previsíveis de uso. MERCOSUL /XXXVI SGT 11/P. RES. 13/09 - Rev.2 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE LISTA DE S DE AÇÃO CONSERVANTE PERMITIDAS PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES (REVOGAÇÃO DAS RES. GMC

Leia mais

RESOLUÇÃO RDC Nº 7, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO RDC Nº 7, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO RDC Nº 7, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre os requisitos técnicos para a regularização de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes e dá outras providências. A Diretoria Colegiada

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Ministério da Saúde Gerência Geral de Cosméticos AVANÇOS NO CONTROLE SANITÁRIO DE COSMÉTICOS Brasília, 9 de dezembro embro de 2011 Josineire Melo Costa Sallum Gerente Geral de Cosméticos REGULARIZAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA Nº 7, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA Nº 7, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 CONTEÚDO RDC 7/2015... 02 CAP. I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS... 02 CAP. II OUTRAS OBRIGATORIEDADES SOBRE ROTULAGEM... 05 CAP. III DOS PROCEDIMENTOS PARA REGULARIZAÇÃO... 05 CAP. IV DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 211, DE 14 DE JULHO DE 2005.

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 211, DE 14 DE JULHO DE 2005. RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 211, DE 14 DE JULHO DE 2005. O Diretor-Presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa, no uso da atribuição que lhe confere o inciso IV do artigo

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº 4, DE 30 JANEIRO DE 2014

RESOLUÇÃO - RDC Nº 4, DE 30 JANEIRO DE 2014 RESOLUÇÃO - RDC Nº 4, DE 30 JANEIRO DE 2014 Dispõe sobre os requisitos técnicos para a regularização de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes e dá outras providências. A Diretoria Colegiada

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional.

Diário Oficial Imprensa Nacional. Diário Oficial Imprensa Nacional. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF Nº 230 02/12/09 p.72 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.015, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2009 Torna pública a

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2014

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 04, DE 30 DE JANEIRO DE

Leia mais

RESOLUÇÃO RDC Nº 07, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 DOU DE 11/02/2015

RESOLUÇÃO RDC Nº 07, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 DOU DE 11/02/2015 RESOLUÇÃO RDC Nº 07, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 DOU DE 11/02/2015 Dispõe sobre os requisitos técnicos para a regularização de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes e dá outras providências.

Leia mais

adota, "ad referendum", a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e determina a sua publicação:

adota, ad referendum, a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e determina a sua publicação: RESOLUÇÃO - RDC Nº 211, DE 14 DE JULHO DE 2005. Estabelece a Definição e a Classificação de Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes, conforme Anexo I e II desta Resolução e dá outras definições.

Leia mais

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo.

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo. ANEXO IV ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS. No laboratório, almoxarifado e em locais em que se tenha que armazenar ou manipular substâncias químicas, deve-se ter em conta sua composição, pois muitas delas

Leia mais

Introdução à cosmetologia. Prof. Msc. Mayara Peron Pereira

Introdução à cosmetologia. Prof. Msc. Mayara Peron Pereira Introdução à cosmetologia Prof. Msc. Mayara Peron Pereira Cosmetologia Conceitos e definições Ciência que serve de suporte à fabricação de produtos voltados à arte do cuidado e melhoria das condições estéticas

Leia mais

Matriz - Prova de recuperação modular- Cursos profissionais Física e Química- Módulo Q3- Reações Químicas Duração da Prova: 90 min (prova escrita)

Matriz - Prova de recuperação modular- Cursos profissionais Física e Química- Módulo Q3- Reações Químicas Duração da Prova: 90 min (prova escrita) Matriz - Prova de recuperação modular- Cursos profissionais Física e Química- Módulo Q3- Reações Químicas Duração da Prova: 90 min (prova escrita) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Anvisa - Legislação - Resoluções

Anvisa - Legislação - Resoluções Page 1 of 7 Legislação Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. Resolução nº 335, de 22 de julho de 1999 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Seção I Objetivo

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Seção I Objetivo RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 7, 10 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre os requisitos técnicos para a regularização de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes e dá outras providências.

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 07, DE 10 DE FEVEREIRO

Leia mais

Proposta de DIRECTIVA DO CONSELHO

Proposta de DIRECTIVA DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 23.6.2011 COM(2011) 377 final 2011/0164 (NLE) Proposta de DIRECTIVA DO CONSELHO que altera a Directiva 76/768/CEE relativa aos produtos cosméticos, a fim de adaptar o seu anexo

Leia mais

METODOLOGIA ANALITICA Objetivo, Requisitos, Padrões. Dra. Maria Inês Harris INSTITUTO HARRIS

METODOLOGIA ANALITICA Objetivo, Requisitos, Padrões. Dra. Maria Inês Harris INSTITUTO HARRIS METODOLOGIA ANALITICA Objetivo, Requisitos, Padrões Dra. Maria Inês Harris INSTITUTO HARRIS Dra. Maria Inês Harris Bacharel em Química (Unicamp,1987) e Doutora em Química (Unicamp, 1994) Pós-Doutorado

Leia mais

Que é necessário ter um regulamento para produtos à base de Hipocloritos Aditivados (Água Lavandina Aditivada / Alvejante / Água Clorada Aditivada).

Que é necessário ter um regulamento para produtos à base de Hipocloritos Aditivados (Água Lavandina Aditivada / Alvejante / Água Clorada Aditivada). MERCOSUL/GMC/RES. N 57/98 REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS DOMISANITARIOS A BASE DE HIPOCLORITOS ADITIVADOS (AGUA LAVANDINA ADITIVADA/ALVEJANTE/AGUA CLORADA ADITIVADA) (REVOGA RES. GMC Nº 46/97) TENDO

Leia mais

A. F. Isenmann Princípios Químicos em Produtos Cosméticos e Sanitários Conteúdo

A. F. Isenmann Princípios Químicos em Produtos Cosméticos e Sanitários Conteúdo A. F. Isenmann Princípios Químicos em Produtos Cosméticos e Sanitários Conteúdo 1 Objetivos deste livro no âmbito dos cursos técnicos de química, farmácia e áreas afins... 4 2 Aspecto econômico da indústria

Leia mais

BIO EXTRATUS TRANSFORMAÇÃO TRATAMENTO DISCIPLINADOR

BIO EXTRATUS TRANSFORMAÇÃO TRATAMENTO DISCIPLINADOR BIO EXTRATUS TRANSFORMAÇÃO TRATAMENTO DISCIPLINADOR Limpeza profunda, redução de volume e proteção térmica. INDICAÇÃO Todos os tipos de cabelo. FUNÇÃO Diminuir o volume, eliminar o frizz, realinhar e alisar

Leia mais

A Água Cervejeira - Dragon Bier institute

A Água Cervejeira - Dragon Bier institute A Água Cervejeira - Dragon Bier institute Ação Ions Hidrogênio e Hidroxila, estão sempre presentes, e o valor ph é decorrente da relação entre esses ions. Predominância de H+, resultado ácido, baixo ph

Leia mais

De onde vêm as lágrimas?

De onde vêm as lágrimas? De onde vêm as lágrimas? É toda substância que, em solução aquosa, sofre dissociação, liberado pelo menos um cátion diferente de H + e um ânion diferente de OH -. a) Presença de oxigênio b) Sal não oxigenado

Leia mais

Requisitos Técnicos para Regularização de Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes

Requisitos Técnicos para Regularização de Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes Gerência Geral de Cosméticos Requisitos Técnicos para Regularização de Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes 1 DEFINIÇÃO DE COSMÉTICOS RDC 211/2005 Anexo 1 REFERÊNCIAS LEGAIS 6 Outras legislações

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL PARA PRODUTOS DE LIMPEZA E AFINS (REVOGACÃO DA RES. GMC N 10/04)

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL PARA PRODUTOS DE LIMPEZA E AFINS (REVOGACÃO DA RES. GMC N 10/04) MERCOSUL/GMC/RES. N 47/07 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL PARA PRODUTOS DE LIMPEZA E AFINS (REVOGACÃO DA RES. GMC N 10/04) TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções

Leia mais

SGT Nº 11 SAÚDE / CPS / GAH COSMÉTICOS / Ata Nº 02/10. UNIDO V Fé de errata Res. GMC Nº 35/05

SGT Nº 11 SAÚDE / CPS / GAH COSMÉTICOS / Ata Nº 02/10. UNIDO V Fé de errata Res. GMC Nº 35/05 SGT Nº 11 SAÚDE / CPS / GAH COSMÉTICOS / Ata Nº 02/10 UNIDO V Fé de errata Res. GMC Nº 35/05 Porto Alegre, 20 a 22 de setembro de 2010 1 FÉ DE ERRATAS RESOLUÇÃO MERCOSUL/GMC/RES.Nº 35/05 AUTO INSPEÇÕES

Leia mais

TECNOLOGIA DE Sabões e detergentes. Conteúdos a serem abordados: --Tensão superficial -- Polaridade -- Forças intermoleculares

TECNOLOGIA DE Sabões e detergentes. Conteúdos a serem abordados: --Tensão superficial -- Polaridade -- Forças intermoleculares TECNOLOGIA DE Sabões e detergentes Conteúdos a serem abordados: --Tensão superficial -- Polaridade -- Forças intermoleculares Tensão superficial Força existente na superfície de líquidos em repouso. Fortes

Leia mais

Lauril éter sulfato de sódio

Lauril éter sulfato de sódio Material Técnico Identificação Fórmula Molecular: Não aplicável Peso molecular: Não aplicável DCB/ DCI: 05177 - lauriletersulfato de sódio CAS: 1335-72-4 INCI: Sodium laureth-2 sulfate Sinonímia: LESS

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 19 de outubro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 008/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

www.crisagua.ind.br www.youtube.com/crisaguaindustria www.slideshare.net/crisaguaindustria www.flickr.com/crisaguaindustria

www.crisagua.ind.br www.youtube.com/crisaguaindustria www.slideshare.net/crisaguaindustria www.flickr.com/crisaguaindustria 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Cris ph - Aplicação: Nome da Empresa: Endereço: Ajustador de ph Marco Antonio Spaca Piscinas EPP Rua: João Paulino dos Santos, 150 Bairro: Atibaia

Leia mais

A água rompe facilmente as pontes de hidrogênio de estrutura helicoidal da cadeia de aminoácidos alongando o cabelo e quando ocorre secamento as

A água rompe facilmente as pontes de hidrogênio de estrutura helicoidal da cadeia de aminoácidos alongando o cabelo e quando ocorre secamento as Shampoo Cabelo Responsável por 70% da nossa aparência. Mas para que serve?? Nada/ Alguns dizem proteção... Nosso organismo é inteligente: nutrientes vão primeiro para onde mais precisa. A água rompe facilmente

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ) 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Aplicação: Redutor de ph Empresa: Micheloto Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda EPP Endereço: Est. Vic. Dr. Eduardo Dias de Castro Km 03 B Zona Rural Fernão/SP

Leia mais

Manual de Segurança do Laboratório de Química

Manual de Segurança do Laboratório de Química Manual de Segurança do Laboratório de Química Universidade Federal do Pampa Campus Caçapava do Sul 1 INTRODUÇÃO O Manual de Segurança do Laboratório de Química foi elaborado com o objetivo de fornecer

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS SANEANTES A BASE DE HIPOCLORITOS ADITIVADOS (REVOGACAO DA RES. GMC Nº 57/98)

REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS SANEANTES A BASE DE HIPOCLORITOS ADITIVADOS (REVOGACAO DA RES. GMC Nº 57/98) MERCOSUL/XLIII SGT N 11/P. RES. N /15 REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS SANEANTES A BASE DE HIPOCLORITOS ADITIVADOS (REVOGACAO DA RES. GMC Nº 57/98) TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de

Leia mais

THE NEW, NATURAL GENERATION OF HAIR STRAIGHTENING

THE NEW, NATURAL GENERATION OF HAIR STRAIGHTENING THE NEW, NATURAL GENERATION OF HAIR STRAIGHTENING A NOVA ESCOVA DE ARGILA DIRETO DA AMAZÔNIA AMAZONIA ARGILA AMAZÔNIA É UM SISTEMA INÉDITO DE ESCOVA DE ARGILA COM EFEITO PROGRESSIVO, SEM FORMOL NEM QUÍMICA

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE TERCEIRIZAÇÃO PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES

CONTRATAÇÃO DE TERCEIRIZAÇÃO PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES MERCOSUL/GMC/RES. Nº 26/06 CONTRATAÇÃO DE TERCEIRIZAÇÃO PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisão Nº 20/02 do Conselho

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ATRIBUIÇÃO DE ADITIVOS E SEUS LIMITES MÁXIMOS PARA A CATEGORIA DE ALIMENTOS 19: SOBREMESAS

REGULAMENTO TÉCNICO ATRIBUIÇÃO DE ADITIVOS E SEUS LIMITES MÁXIMOS PARA A CATEGORIA DE ALIMENTOS 19: SOBREMESAS MERCOSUL/GMC/RES N 54/98 REGULAMENTO TÉCNICO ATRIBUIÇÃO DE ADITIVOS E SEUS LIMITES MÁXIMOS PARA A CATEGORIA DE ALIMENTOS 19: SOBREMESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto,

Leia mais

Substituição Tributária. São Paulo

Substituição Tributária. São Paulo Substituição Tributária São Paulo São Paulo Visão Geral O Estado de São Paulo vem costurando com diversos Estados celebração de protocolos de ST, onde: MVA s: os mesmos que SP MVA ajustado Conceito de

Leia mais

Exigência da Vigilância Sanitária para SALÃO DE BELEZA BELEZA COM SEGURANÇA. Sandra Regina Bruno Fiorentini Consultora Jurídica SEBRAE-SP

Exigência da Vigilância Sanitária para SALÃO DE BELEZA BELEZA COM SEGURANÇA. Sandra Regina Bruno Fiorentini Consultora Jurídica SEBRAE-SP Exigência da Vigilância Sanitária para SALÃO DE BELEZA BELEZA COM SEGURANÇA Sandra Regina Bruno Fiorentini Consultora Jurídica SEBRAE-SP Lei No. 8.080/90 Instituiu o Sistema Único de Saúde - SUS; Lei No.

Leia mais

Os dentifrícios são produtos cosméticos utilizados na limpeza da cavidade bucal. Sua composição se encontra na Figura 1.

Os dentifrícios são produtos cosméticos utilizados na limpeza da cavidade bucal. Sua composição se encontra na Figura 1. OS DENTIFRÍCIOS OS DENTIFRÍCIOS E A HIGIENE ORAL Diferentes tipos de microrganismos se desenvolvem na cavidade oral. Muitos são inofensivos, outros não. Algumas bactérias fermentam os carboidratos (predominantemente

Leia mais

Nº 84, quarta-feira, 6 de maio de 2015 1 ISSN 1677-7042 35

Nº 84, quarta-feira, 6 de maio de 2015 1 ISSN 1677-7042 35 Nº 84, quarta-feira, 6 de maio de 2015 1 ISSN 1677-7042 35 d) Não ingerir. 1. e) Não usar caso os lábios apresentem rachaduras, escamações ou ferimentos. 7.Protetor labial sem FPS A partir de 3 anos Avaliação

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Amarelado. Característico ph 10,00 11,50 g/cm3 ( 20ºC )

RELATÓRIO TÉCNICO. Amarelado. Característico ph 10,00 11,50 g/cm3 ( 20ºC ) RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁGUA SANITÁRIA Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger do sol, do calor e da umidade.

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 18 de novembro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 009/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITACION PARA INSPECTORES EN BUENAS PRACTICAS DE FABRICACION

PROGRAMA DE CAPACITACION PARA INSPECTORES EN BUENAS PRACTICAS DE FABRICACION MERCOSUR/GMC/RES. Nº 21/96 PROGRAMA DE CAPACITACION PARA INSPECTORES EN BUENAS PRACTICAS DE FABRICACION PARA LA INDUSTRIA FARMACÉUTICA VISTO: El Tratado de Asunción, el Protocolo de Ouro Preto, la Resolución

Leia mais

EXERCÍCIOS DE QUÍMICA PROFESSOR: RENIR DAMASCENO

EXERCÍCIOS DE QUÍMICA PROFESSOR: RENIR DAMASCENO 01. Ana, Lúcia, Renata e Fernanda participaram de uma olimpíada química. A vencedora foi a que apresentou o objeto com maior número de átomos. O resultado foi registrado na tabela a seguir. PARTICIPANTES

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO NA REGULARIZAÇÃO DE PRODUTOS HPPC

SIMPLIFICAÇÃO NA REGULARIZAÇÃO DE PRODUTOS HPPC FONTE: ABIHPEC SIMPLIFICAÇÃO NA REGULARIZAÇÃO DE PRODUTOS HPPC FOI PUBLICADO NESTA QUARTA-FEIRA (11 DE FEVEREIRO) EM DOU A RESOLUÇÃO RDC N 7 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015 (ANEXA) QUE DISPÕE SOBRE OS REQUISITOS

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Orientações para Elaboração de Dossiê de Produto Cosmético Gerência Geral de Cosméticos

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Orientações para Elaboração de Dossiê de Produto Cosmético Gerência Geral de Cosméticos Agência Nacional de Vigilância Sanitária Orientações para Elaboração de Dossiê de Produto Cosmético Gerência Geral de Cosméticos Brasília, abril de 2008 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Diretor-Presidente

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 20 de julho de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 005/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

HI 701-25 Reagente para Cloro Livre

HI 701-25 Reagente para Cloro Livre Data de revisão: 2013-07-15 Motivo da Revisão: Conformidade com o Regulamento (CE) No. 1272/2008 SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/MISTURA E DA SOCIEDADE/EMPRESA HI 701-25 Identificador do produto:

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 17 de agosto de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 006/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

CABELO 3/4/2013. Podemos classificar os cabelos, ou couro cabeludo em: oleosos normais secos danificados mistos

CABELO 3/4/2013. Podemos classificar os cabelos, ou couro cabeludo em: oleosos normais secos danificados mistos CABELO Os cosméticos são utilizados para o tratamento da pele, cabelo e unhas, assim como permanentes, apliques e perucas e design de sobrancelhas.. Grupos de risco Risco nível 1 Risco mínimo. Exemplos:

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código interno: 7500 (12 X 500 ml) Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 Aplicação: detergente para pré-lavagens.

Leia mais

ROTULAGEM DE PRODUTOS COSMÉTICOS

ROTULAGEM DE PRODUTOS COSMÉTICOS Gerência Geral de Cosméticos ROTULAGEM DE PRODUTOS COSMÉTICOS NORMAS DE ROTULAGEM REFERÊNCIAS LEGAIS DECRETO 79.094/77 (Art. 4º e 93-111) DECRETO 83.239/79 (Altera os Art. 17, 93, 94 e 96 do Decreto 79.094/77)

Leia mais

TRANSCUTOL CG. Informações Técnicas. INCI NAME: Ethoxydiglycol CAS NUMBER: 111-90-0 SIMILAR: Trivalin SF

TRANSCUTOL CG. Informações Técnicas. INCI NAME: Ethoxydiglycol CAS NUMBER: 111-90-0 SIMILAR: Trivalin SF Informações Técnicas TRANSCUTOL CG INCI NAME: Ethoxydiglycol CAS NUMBER: 111-90-0 SIMILAR: Trivalin SF INTRODUÇÃO Desde os anos setenta, TRANSCUTOL CG é utilizado na indústria farmacêutica devido sua poderosa

Leia mais

Classifique seu Resíduo Laboratorial

Classifique seu Resíduo Laboratorial Normas para Coleta, Tratamento e Armazenagem de Resíduos Químicos da UFPR 1) Classifique o resíduo laboratorial de acordo com a Tabela 1. 2) As classes de resíduos químicos e os seus tratamentos estão

Leia mais

INÁCIO AFONSO KROETZ

INÁCIO AFONSO KROETZ FOOD INTELLIGENCE Nome Empresarial: FOOD INTELLIGENCE - CONSULTORIA TÉCNICA EM ALIMENTOS S/S LTDA CNPJ: 03.627.116/0001-43 Endereço: Rua Pássaros e Flores, nº 141 Bairro: Brooklin CEP: 04.704-000 Cidade:

Leia mais

Falando sobre o 10/6/2010

Falando sobre o 10/6/2010 Falando sobre o C 1 Cosméticos: Tudo que muda a aparência 2 Skin Care Conhecimentos básicosb 3 O que é Skin Care? É uma categoria formada por produtos, de alta tecnologia, destinados ao tratamento da pele;

Leia mais

COMO REGULARIZAR PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL NO BRASIL

COMO REGULARIZAR PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL NO BRASIL 1 Associação dos Distribuidores e Importadores de Perfumes, Cosméticos e Similares Rua Tabapuã, 649 Cj 74 São Paulo SP - CEP 04533-012 - Brasil Tel/Fax: (0XX)11-3168-4518 adipec@adipec.com.br http://www.adipec.com.br

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final Disciplina: Química Ano: 2012 Professor (a): Elisa Landim Turma: 1º FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação. Faça a lista

Leia mais

Legislação em Vigilância Sanitária

Legislação em Vigilância Sanitária Legislação em Vigilância Sanitária DECRETO Nº 79.094, DE 05 DE JANEIRO DE 1977 Regulamenta a Lei no 6.360, de 23 de setembro de 1976, que submete a sistema de vigilância sanitária os medicamentos, insumos

Leia mais

The Chemistry of Haircolor

The Chemistry of Haircolor The Chemistry of Haircolor John Halal Honors Beauty College 9725 Crosspoint Commons Indianapolis, IN 46256 317.841.6085 john1@honorsbeautycollege.com Não sobrou muito cabelo para mim, mas meu shampoo especial

Leia mais

Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!!

Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!! Para facilitar o estudo da Química, as substâncias são divididas em grupos, chamados de funções químicas!!!! As principais funções inorgânicas são: ácidos, bases, sais e óxidos. Ácidos Uma características

Leia mais

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 61 A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET FA CONCENTRADO MONODOSIS

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET FA CONCENTRADO MONODOSIS Pág. 1 de 6 1.- IDENTIFICAÇÃO DO PREPARADO E DA SOCIEDADE OU EMPRESA Identificação da substância ou preparado: Utilização da substância ou preparado: Desinfetante concentrado para instrumentos clínicos

Leia mais

Ingredientes que contribuam para o perigo: Nome químico ou genérico N CAS % Classificação e rotulagem Etanol 64-17-5 5-20 F; R11; S2, S7, S16

Ingredientes que contribuam para o perigo: Nome químico ou genérico N CAS % Classificação e rotulagem Etanol 64-17-5 5-20 F; R11; S2, S7, S16 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nome do produto: DENINSOFT CN Página 1 de 5 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: DENINSOFT CN Nome da Empresa: INDÚSTRIA

Leia mais

RESOLUÇÃO CRH Nº 10 /09, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009.

RESOLUÇÃO CRH Nº 10 /09, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009. RESOLUÇÃO CRH Nº 10 /09, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a obrigatoriedade de realização de Análises Físico-químicas e Bacteriológicas com parâmetros físico-químicos e bacteriológicos específicos,

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIRIZAÇÃO PARA PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO ÂMBITO DO MERCOSUL

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIRIZAÇÃO PARA PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO ÂMBITO DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. Nº 50/02 CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIRIZAÇÃO PARA PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO ÂMBITO DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Resoluções Nº

Leia mais

ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS PRODUZIDOS NA FCUL

ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS PRODUZIDOS NA FCUL ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS PRODUZIDOS NA FCUL "A gestão do resíduo constitui parte integrante do seu ciclo de vida, sendo da responsabilidade do respetivo produtor. (Decreto Lei n.º 178/2006 de 5

Leia mais

Comissão Institucional de Resíduos Químicos e Biológicos TABELAS DE INCOMPATIBILIDADES ENTRE ESPÉCIES QUÍMICAS

Comissão Institucional de Resíduos Químicos e Biológicos TABELAS DE INCOMPATIBILIDADES ENTRE ESPÉCIES QUÍMICAS TABELAS DE INCOMPATIBILIDADES ENTRE ESPÉCIES QUÍMICAS Ácidos inorgânicos 1 1 Ácidos inorgânicos Ácidos orgânicos 2 X 2 Ácidos orgânicos Bases 3 X X 3 Bases Aminas 4 X X 4 Aminas Compostos halogenados 5

Leia mais

Versão 1.0 Numero da FISPQ: 000000620508 Data da revisão: 21.09.2015 : PROQUÍMICA: 0800118270 SIKA (DDG): 08007037340

Versão 1.0 Numero da FISPQ: 000000620508 Data da revisão: 21.09.2015 : PROQUÍMICA: 0800118270 SIKA (DDG): 08007037340 SEÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto : Código do produto : 000000620508 Tipo de produto : líquido Detalhes do fabricante ou do fornecedor Empresa : Sika S.A. Avenida Dr. Alberto

Leia mais

Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária Cosméticos Infantis O Brasil é um dos maiores mercados mundiais de cosméticos infantis. A utilização de produtos de higiene pessoal, como xampus, condicionadores

Leia mais

RECURSOS PROVENIENTES DA CAPES/PROEX 2011

RECURSOS PROVENIENTES DA CAPES/PROEX 2011 RECURSOS PROVENIENTES DA CAPES/PROEX 0 RELAÇÃO PAGAMENTO EQUIPAMENTOS E MATERIAL PERMANENTE BENEFICIÁRIO DO AUXÍLIO: Marcos Gervasio Pereira Nº Projeto: /00 Nº Cheque Nota Fiscal/Fatura Especificação do

Leia mais

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015 MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ 01. Observe na tabela a distribuição percentual dos principais elementos químicos cujos átomos, combinados,

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET FRESAS INSTRUNET BURS

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET FRESAS INSTRUNET BURS 1.- IDENTIFICAÇÃO DO PREPARADO E DA SOCIEDADE OU EMPRESA Pág. 1 de 5 Identificação da substância ou preparado: Utilização da substância ou preparado: Detergente desinfetante anticorrosivo, pronto a usar,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 18, DE 28 DE MAIO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 18, DE 28 DE MAIO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 18, DE 28 DE MAIO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO E O MINISTRO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhes confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

Ficha de Segurança. G101c REVELADOR 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES.

Ficha de Segurança. G101c REVELADOR 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES. Página: 1 / 11 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial: Código Interno: DEZSN000 Nome da Empresa: Agfa Gevaert do Brasil Ltda Endereço: Av. Jorge Bey Maluf, 2100 - Suzano - SP Telefone

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Revisão Produto Data da revisão Página

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Revisão Produto Data da revisão Página 04 Ácido Sulfúrico 07/01/2014 Página 1 de 5 1. Identificação do produto e da empresa Nome Ácido Sulfúrico Nº: 000060 H2SO4 Códigos / ANALI01 / H2SO420 / H2SO4CONC / VH2S04. 01M / VH2SO410 / VH2SO425 /

Leia mais

FISPQ (FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS.) LIMPA VIDROS MARANSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA:

FISPQ (FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS.) LIMPA VIDROS MARANSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1 Nome Comercial: Limpa Vidros Maranso 1.2 Código de Venda: 016 1.3 Nome do Fabricante: QOB MATERIAIS DOMISSANEANTES LTDA EPP Rua Ministro Joaquim Antunes, S/N

Leia mais

17 ÁGUA DE RESFRIAMENTO

17 ÁGUA DE RESFRIAMENTO 215 17 ÁGUA DE RESFRIAMENTO A remoção de calor indesejável na operação de um processo industrial algumas vezes é necessário. Entre os meios utilizados a água é tida como eficaz na absorção e no afastamento

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET 1. Unifor-CE O metal potássio reage vigorosamente com água, produzindo hidrogênio

Leia mais

Figura 1. Representação esquemática das estruturas da pele envolvidas no processo de transpiração.

Figura 1. Representação esquemática das estruturas da pele envolvidas no processo de transpiração. HEXATRATE (Vevy/Itália) Ativo antiperspirante e desodorante O suor O suor, produzido pelas glândulas sudoríparas, é constituído por água, na qual se encontram dissolvidos sais minerais e outras substâncias.

Leia mais

03 Aplique o shampoo hidratante do Banho de Seda nos cabelos molhados. Massageie-os suavemente por 2 minutos, enxague e repita a aplicação.

03 Aplique o shampoo hidratante do Banho de Seda nos cabelos molhados. Massageie-os suavemente por 2 minutos, enxague e repita a aplicação. REDUÇÃO DE VOLUME BOTOX CAPILAR ÍNDICE OXOPLUS...02 COLOR PLUS...04 RESTAURE PLUS...06 BLONDPLUS...07 SILVERPLUS...07 SOS PLUS...08 PÉROLA...09 BANHO DE SEDA...10 FINISH PLUS...11 Modo uso: Aplique o Shampoo

Leia mais

FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome da Empresa/Fornecedor Resimapi Produtos Químicos Ltda Nome do Produto: Endereço: Sulfeto de Sódio (Sulfureto de Sódio) Av. Osaka, 800 Arujá São

Leia mais

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM)

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) 1-Leia o texto a seguir. Com o passar do tempo, objetos de prata escurecem e perdem seu brilho em decorrência da oxidação desse metalpelo seu contato com oxigênio e

Leia mais