NEAH - Coordenação Arqª Daisy Figueira

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NEAH - Coordenação Arqª Daisy Figueira"

Transcrição

1 ESTRUTURA DAS ENGENHARIAS E ARQUITETURAS DO COMPLEXO HOSPITALAR DO H.C.F.M.U.S.P. INSTITUTO DA CRIANÇA INSTITUTO CENTRAL PRÉDIO DOS AMBULATÓRIOS INSTITUTO DE ORTOPEDIA RESIDÊNCIA MÉDICA INSTITUTO DE PSIQUIATRIA INSTITUTO DO CORAÇÃO NEAH - Coordenação Arqª Daisy Figueira

2 DIVERSAS ÁREAS DA ENGENHARIA Projetos Gerenciamento de Obras e Reformas Manutenção Predial Manutenção de Equipamentos Engenharia de Segurança Seção de Desenho Serviços de Apoio

3 PROJETOS Elaboração de projetos em geral / Lay outs / Estudos diversos para o Complexo H.C.F.M.U.S.P. _ Projetos de arquitetura; _ Memoriais descritivos; _ Estudos de viabilidade p/ readequação de áreas e ou instalação de equipamentos do Complexo HC, através de solicitação das Direxs; _ Elaboração de Plano Diretor de Obras / Instalação / Serviços de Engenharia; _ Planilhas Orçamentárias; _ Desenvolvimento de Lay outs.

4 PROJETOS (cont.) _ Elaboração de Propostas Orçamentárias(*); _ Reurbanização do Complexo HC (*)Trabalhos em conjunto com Engenheiros Civis/Elétricos/Mecânicos/Eletrônicos/Segurança/ Informática/Tele Medicina/ Desenhistas.

5 PROJETOS (cont.) _Projeto executivo/detalhamentos;(*) _ Gerenciamento nas diretrizes entre o Hospital e a Empreiteira;(*) _ Fiscalização e recebimento das obras;(*) _ Informação mensal das obras e reformas, através de Relatório constando cronogramas físico-financeiro; financeiro; _ Gerenciamento de Obras e Serviços de Engenharia; _ Especificações; _Especificação de Mobiliários; _ Projetos de Mobiliários;

6 PROJETOS (cont.) _ Projeto p/ a Fundação Faculdade de Medicina/ A.M.A.S.; _ Supervisão e orientação dos aprimorandos e estagiários ;

7 PROJETOS (cont.) _ Participação da Comissão Científica do Congresso de Engenharia e Arquitetura e Exposição de Projetos Hospitalares; _ Participação da Comissão de consultoria p/ o Ministério da Saúde; _ Participação no CATS.

8 GERENCIAMENTO DE OBRAS E REFORMAS / SERVIÇOS DE ENGENHARIA Sob a coordenação de um Engenheiro ou Arquiteto tendo como suporte equipe formada por Arquitetos, Engenheiro Elétrico, Engenheiro Mecânico, Segurança, Eletrônico, Informática, Tele Medicina conforme o grau de complexidade da obra. Gerencia e fiscaliza as obras de reforma/construção e contratos da área, intermediando sua execução, entre a administração e a empreiteira contratada.

9 OBRAS E REFORMAS (Cont.) Acompanhamento de Licitações de obras do Complexo, Gerenciamento e acompanhamento de serviço de manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos de climatização e transportes verticais do Complexo e outros.

10 MANUTENÇÃO PREDIAL Os serviços de manutenção dos prédios estão ligados ao Departamento de Administração e Diretorias executivas dos diversos Institutos; As equipes variam em sua especialidade de acordo com o grau de complexidade dos prédios, tendo como mínimo: - Eletricistas; - Encanadores; - Reparadores gerais; - Serventes.

11 MANUTENÇÃO PREDIAL (cont.) Os serviços de manutenção de cada prédio do complexo estão sob a coordenação de um Engenheiro, que dispõe de uma equipe voltada a atender as características de suas instalações, contando também com o apoio da Divisão de Construção e Conservação que por sua vez, possui as seguintes seções:

12 MANUTENÇÃO PREDIAL (cont.) Alvenaria; Marcenaria e Carpintaria Serralheria; Hidráulica; Elétrica; Tapeçaria; Máquinas de escritório; Telefonia Pintura de Obras; Pintura de mobiliários; Refrigeração; Oficinas mecânicas; (Setor de instrumental e galvanoplastia ); Setor de térmica; Funilaria.

13 MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS Possuímos três áreas para manutenção de equipamentos. Uma centralizada para todo o Complexo no Laboratório de Eletrônica, que executa a manutenção preventiva e corretiva de uma gama dos equipamentos e supervisiona e acompanha aqueles que são realizados por contratos terceirizados. Outra para o InCor e outra para o InRad, especificamente para equipamentos radiológicos. Agora terá também I.Criança / ICHC/PAMB.

14 ENGENHARIA DE SEGURANÇA É centralizada, dando suporte aos diversos prédios e Institutos do Complexo. Pertence ao SAMSS / SESMT

15 SEÇÃO DE DESENHO / ARQUIVO TÉCNICO Responsável por todo arquivo de documentação técnica; Levantamento in loco em diversas áreas e fornecimento de cópias heliográficas e plotagem (arquivos digitalizados) para todo o Complexo do H.C. Pertence ao NEAH Núcleo de Engenharia e Arquitetura Hospitalar.

16 SERVIÇOS DE APOIO Responsável pelo expediente geral da Engenharia Hospitalar e Seção de Desenho NEAH. Cada CEAH possui equipe própria de apoio.

17 RESUMO DAS ATIVIDADES DA ENGENHARIA HOSPITALAR NEAH E CEAHS Gerenciamento e Fiscalização de Obras e Reformas; Elaboração de Editais, Cadernos de Encargos, Memoriais Descritivos, Planos Diretores; Projetos de Arquitetura e Estrutura, Estudos Preliminares, Projeto Básico, Executivo, Mobiliário e Instalação de Equipamentos;

18 RESUMO DAS ATIVIDADES DA ENGENHARIA HOSPITALAR ( cont.) NEAH E CEAH Participação em Comissão Especial de Julgamento/ Licitação. Racionalização/ Gerenciamento dos Consumos de água, gás, telefonia, energia; Supervisão dos contratos de manutenção em geral, climatização, equipamentos, elevadores (entre outros) e contratos terceirizados;

19 RESUMO DAS ATIVIDADES DA ENGENHARIA HOSPITALAR (cont.) NEAH E CEAH Manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos médico-hospitalar do Complexo HC e orientação e treinamento de recursos humanos (LABEL). Apoio técnico à órgãos como: Ministério da Saúde e Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo;

20 RESUMO DAS ATIVIDADES DA ENGENHARIA HOSPITALAR (cont.) NEAH E CEAH Treinamento de profissionais de outras entidades e aprimorandos, estagiários dentro de programas e cursos pré-definidos; Participar e ministrar cursos das áreas específicas a profissionais da entidade ou cursos de aprimoramento e outros. Orientação técnica com relação as necessidades de materiais e equipamentos.

21 ORIGEM A Engenharia Hospitalar do Complexo H.C. foi idealizada como uma equipe que pudesse dar apoio técnico à Administração Central e aos Prédios, nascida da necessidade de: - Um equipe que orientasse os serviços de - Um equipe que orientasse os serviços de conservação dos Institutos na Manutenção dos Prédios;

22 ORIGEM ( Cont. ) - Retrofit dos Prédios, uma vez que suas instalações já estavam obsoletas, em média com 40 anos de execução, na época; - Elaboração de um Plano Diretor de Obras, visando a atualização de suas instalações; - Equipe especializada em eletrônica para executar a manutenção dos equipamentos ou dar suporte e também na avaliação e aquisição de equipamentos e política de contratos;

23 ORIGEM ( Cont. ) - Elaboração de Editais, Memoriais e Projetos em geral; - De uma equipe técnica que acompanhasse as obras;

24 ORIGEM ( Cont. ) - De uma equipe técnica que supervisionasse os contratos; Esta equipe deveria ser abrangente, possuindo algumas modalidades de engenheiros, técnicos, arquitetos e administradores.

25 EVOLUÇÃO Num primeiro momento esta Engenharia foi centralizada, a nível de assessoria, porém as equipes técnicas e executivas de manutenção estavam ligadas diretamente as Diretorias Executivas dos Prédios, com exceção de manutenção de equipamentos que era centralizada.

26 EVOLUÇÃO ( Cont. ) Na medida em que os Prédios foram sendo reformados, as equipes de Engenharia também foram sendo descentralizadas, ficando ligadas as manutenções locais; Este foi um modelo que ao nosso ver deu melhor resultado, ficando uma equipe de apoio técnico, pessoal e material, equipes diferenciadas para obras, manutenção e projetos e centralizando a manutenção de equipamentos e engenharia de segurança.

27 EVOLUÇÃO ( Cont. ) Na área de manutenção predial, temos uma equipe de apoio e retaguarda a todos os prédios que é a D.C.C. Divisão de Construção e Conservação.

28 EVOLUÇÃO ( Cont. ) Em 2006 foi criado o NEAH Núcleo de Engenharia e Arquitetura Hospitalar e os CEAHs Centro de Arquitetura e Engenharia Hospitalar, estes ligados às Direx ou Departamento de Administração dos Institutos. O Comitê NEAH é composto pelo NEAH e pelos representantes dos CEAHs.

29 EVOLUÇÃO ( Cont. ) Atualmente o NEAH é composto por : NEAH 14 profissionais ativos Label / NEAH 15 profissionais ativos, DCC/NEAH profissionais ativos, O COMPLEXO HCFMUSP POSSUI APROXIMADAMENTE M2 DE ÁREA CONSTRUIDA

30 COORDENADORES PROJETOS / OBRAS ARQ. DAISY FIGUEIRA FONE : EQUIPAMENTOS ENG. FRANCISCO C. CLAUDIO BENETTI FONE : MANUTENÇÃO PREDIAL ENG. TULIO WERTZNER FONE :

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Realizar o gerenciamento dos projetos desde o seu planejamento, desenvolvimento, recebimento, análise crítica, controle e distribuição nas obras. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Manual

Leia mais

Gerenciamento de Propriedade & Soluções de Engenharia

Gerenciamento de Propriedade & Soluções de Engenharia Gerenciamento de Propriedade & Soluções de Engenharia Há 25 anos, a Engepred associa o conhecimento sobre o mercado imobiliário à experiência de promover o melhor funcionamento de shoppings centers, prédios

Leia mais

Anexo XIII - Termo de Referência

Anexo XIII - Termo de Referência PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO Anexo XIII - Termo de Referência CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PREDIAIS E ORÇAMENTOS. Escolas

Leia mais

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES TÍTULO DO CARGO: Diretor Comercial Garantir as melhores condições de rentabilidade para a empresa, na prospecção, desenvolvimento, contratação de obras e serviços. Superior

Leia mais

Programa Estadual de Contratações Públicas Sustentáveis

Programa Estadual de Contratações Públicas Sustentáveis Programa Estadual de Contratações Públicas Sustentáveis Brasília, 05 de dezembro de 2013 SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Poder de Compra do Governo Valor Médio Anual Negociado

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Fl. 1 de 5 CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA ARQUITETURA E AGRONOMIA DO RIO GRANDE DO SUL NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Dispõe sobre

Leia mais

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014.

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014. CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA O Curso Técnico de Nível Médio em Eletrotécnica, Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais são organizados em 3 módulos de 400 horas. Ao final do curso, 400 horas

Leia mais

2624 :: Artistas visuais,desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais

2624 :: Artistas visuais,desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais 2624 :: Artistas visuais,desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais 2624-05 - Artista (artes visuais) Aquarelista, Artesão (artista visual), Artista plástico, Caricaturista,

Leia mais

Mapeamento de Processos

Mapeamento de Processos Agência Nacional de Vigilância Sanitária Mapeamento de Processos Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN Brasília, agosto de 2006. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1. Título do

Leia mais

1.4 Todas as solicitações recebidas serão respondidas num prazo de até 03 (três) dias úteis, de acordo com fluxo a ser descrito neste manual.

1.4 Todas as solicitações recebidas serão respondidas num prazo de até 03 (três) dias úteis, de acordo com fluxo a ser descrito neste manual. Dispõe sobre as políticas, fluxos e os procedimentos para as solicitações de serviços para a DMPV MANUAL VIGENTE A PARTIR DE 07 DE JANEIRO DE 2014. 1 DA POLÍTICA 1.1 Todas as solicitações de serviço de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJ.: BÁSICOS DA AITY (INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM)

PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJ.: BÁSICOS DA AITY (INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM) PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1 Projetos arquitetônicos, com programa de necessidades, antiprojeto e todos os detalhamentos necessários para o pleno entendimento

Leia mais

PRIMEIRA AULA IPQ DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS

PRIMEIRA AULA IPQ DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS PRIMEIRA AULA IPQ DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Campus Capivari Coordenador : Prof. Dr. André Luís de Castro Peixoto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA Cássia Regina Batista Clarissa Kellermann de Moraes Ivan Mário da Silveira Márcia Dietrich Santiago Proposta

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE PLANEJAMENTO ESTRUTURAL E DE MANUTENÇÃO DA FACULDADE ASCES

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE PLANEJAMENTO ESTRUTURAL E DE MANUTENÇÃO DA FACULDADE ASCES REGULAMENTO DE POLÍTICA DE PLANEJAMENTO ESTRUTURAL E DE MANUTENÇÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. A Assessoria de Administração de Campus da Faculdade ASCES tem a função de implementar

Leia mais

Ana Carolina Ferreira Gonzaga OBJETIVOS PROFISSIONAIS FORMAÇÃO ACADÊMICA

Ana Carolina Ferreira Gonzaga OBJETIVOS PROFISSIONAIS FORMAÇÃO ACADÊMICA Estado Civil Casada Telefone (62)9959-1977 / (62) 3932-0985 Natural Goiânia - GO E-mail ana_cfgonzaga@yahoo.com.br Redes Sociais Facebook: LinkedIn: OBJETIVOS PROFISSIONAIS Área: Gestão/Controle em Engenharia

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq CAPÍTULO I DA SEDE E FORO Artigo 1º - O CENTRO DE ENSINO E PESQUISA CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO com sede e foro na cidade de São Paulo, à Avenida João Dias, 2046

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão Curso: Engenharia Civil SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da UNESA tem por missão formar Engenheiros Civis com sólida formação básica e profissional, alinhada com as diretrizes

Leia mais

L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006.

L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006. L E I Nº 6.816, DE 25 DE JANEIRO DE 2006. Dispõe sobre a reestruturação organizacional da Secretaria Executiva de Estado de Obras Públicas - SEOP e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

Completa gestão. Reforma completa de mais de 10 mil m² do Incor engloba desde o reforço das fundações até a instalação de equipamentos.

Completa gestão. Reforma completa de mais de 10 mil m² do Incor engloba desde o reforço das fundações até a instalação de equipamentos. reforma Novos espaços Completa gestão Reforma completa de mais de 10 mil m² do Incor engloba desde o reforço das fundações até a instalação de equipamentos 60 Os blocos um e três do Instituto do Coração

Leia mais

Apresentação da Show Excelência em Multi-Serviços:

Apresentação da Show Excelência em Multi-Serviços: Apresentação 2013 Apresentação da Show Excelência em Multi-Serviços: Razão Social: Show Excelência em Multi-Serviços Ltda CNPJ: 10.250.050/0001-80 I.E.: 225.224.213.118 Inscrição Municipal: 037430-0 Contatos:

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES EM 2014 E PROPOSTAS PARA 2015 PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO-PROAD. Realizado. Realizado. Realizado.

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES EM 2014 E PROPOSTAS PARA 2015 PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO-PROAD. Realizado. Realizado. Realizado. PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO-PROAD, DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO-DA, DEPARTAMENTO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO- DEMAP, DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E FINANÇAS-DECOFIN, PREFEITURA DO CAMPUS ITAPERI, COORDENADORIA

Leia mais

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE 1. OBJETIVO Estabelecer, documentar, implementar, aprimorar e manter um, que assegure a conformidade com os requisitos da norma de referência. 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTRO 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS

Leia mais

Os serviços a serem executados, compreendem a elaboração e fornecimento dos seguintes documentos técnicos:

Os serviços a serem executados, compreendem a elaboração e fornecimento dos seguintes documentos técnicos: 1. Introdução TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO E FORNECIMENTO DE PROJETOS DE ADEQUAÇÕES DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, REDE LÓGICA E TELEFONIA, ATERRAMENTO E SPDA DA

Leia mais

Edital nº 015/2015. Área / Disciplina PROJETO DE ARQUITETURA

Edital nº 015/2015. Área / Disciplina PROJETO DE ARQUITETURA Edital nº 015/2015 O Diretor da Faculdade Brasileira MULTIVIX torna pública a abertura de inscrições para o processo seletivo docente 2016/01 para os cursos de graduação, no período de 23 de setembro a

Leia mais

SISTEMAS PROFISSIONAIS

SISTEMAS PROFISSIONAIS SISTEMAS PROFISSIONAIS Prof. Dr. Eng. Mec. Amarildo Tabone Paschoalini Docente Departamento de Engenharia Mecânica UNESP Ilha Solteira Coordenador da Câmara Especializada de Eng. Mecânica e Metalúrgica

Leia mais

Coordenadoria de. Manutenção. Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção

Coordenadoria de. Manutenção. Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção Coordenadoria de Manutenção Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção Sumário 1. INTRODUÇÃO 3 2. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E FUNCIONAL 3 3. ORGANOGRAMA: 3 4. ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL MURILO DAMAZIO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO GSI/PR NA

A EXPERIÊNCIA DO GSI/PR NA A EXPERIÊNCIA DO GSI/PR NA IMPLANTAÇÃO DO SEI 29 JUN 2015 Agenda O GSI/PR Cronogramas de implantação do SEI Normativos criados Estratégias de implantação Desafios e dificuldades Contribuições do GSI/PR

Leia mais

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Orientações para a implementação de EE em edifícios públicos Paula Baratella, arq. MSc. Analista

Leia mais

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS ARQUITETÔNICOS

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS ARQUITETÔNICOS LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS ARQUITETÔNICOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS 01 NOSSOS SERVIÇOS Após 35 anos de experiência na área de edificações para o mercado imobiliário gaúcho,

Leia mais

GESTÃO DO PROPRIETÁRIO CARTILHA

GESTÃO DO PROPRIETÁRIO CARTILHA GESTÃO DO PROPRIETÁRIO CARTILHA POR QUE A GESTÃO DO PROPRIETÁRIO? 1 2 3 4 5 Porque você pode enxergar o cenário financeiro da obra de forma eficaz, e tomar decisões seguras, protegendo assim o patrimônio

Leia mais

Relatório de Vistoria Técnica com Cadastramento do Imóvel

Relatório de Vistoria Técnica com Cadastramento do Imóvel Relatório de Vistoria Técnica com Cadastramento do Imóvel REFORMA DA SEDE DA SUBSEÇÃO DA OAB/BA NO MUNICÍPIO DE GUANAMBI/BA Avenida Presidente Castelo Branco, nº 271, Aeroporto Velho Guanambi/BA Foto:

Leia mais

MANUAL HOSPITALAR DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

MANUAL HOSPITALAR DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA MANUAL HOSPITALAR DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Ernesto Fernando Ferreyra Ramírez Elizabeth Crestani Caldas Paulo Rodrigues dos Santos Júnior LondrinaPR 03/04/02 ORELHA DIANTEIRA DO LIVRO Este manual foi desenvolvido

Leia mais

Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos

Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos GLOSSÁRIO Este glossário é de natureza específica, não devendo prevalecer entendimentos distintos dos termos nele apresentados, embora aplicáveis em outros contextos. Análise atividade que envolve a determinação

Leia mais

RUA: BENTO GERALDO DE CAMARGO, 741 WERNER PLASS AMERICANA-SP

RUA: BENTO GERALDO DE CAMARGO, 741 WERNER PLASS AMERICANA-SP CLIENTES TRA CLIENTES JÁ ATENDIDOS MBIGUCCI ORTOBOM STELA SELAMIL PREDIAL IN-HAUS FUSAM COSAN GRUPO FEREZIN SOGEFI GROUP A TRA ATUA EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL O QUE FAZEMOS AUTOMAÇÃO ADEQUAÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

LIMPEZA PREDIAL LIMPEZA HOSPITALAR

LIMPEZA PREDIAL LIMPEZA HOSPITALAR A GUIMA CONSECO, fundada em 1988, tem no Controle de Qualidade a ferramenta que antecipa tendências e orienta seus procedimentos, na direção das expectativas e anseios de seus clientes, tornando-se assim

Leia mais

Regulamento de Compras :

Regulamento de Compras : Regulamento de Compras : Capítulo I: das Disposições Gerais Artigo 1º. O presente Regulamento estabelece normas para a contratação de obras e serviços e compras, no âmbito da Associação Fundo de Incentivo

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500090 - TECNICO EM INFORMATICA INTEGRADO AO E.M. Nivel: Tecnico Area Profissional: COMERCIO-TEC Area de Atuacao: BANCO DADOS/COMERCIO-TEC

Leia mais

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Fevereiro/2015. Mão-de-Obra

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Fevereiro/2015. Mão-de-Obra Direta MOD000050 Agente Operador de Tráfego h 11,37 MOD000100 Agente Operador de Tráfego Sênior h 13,81 MOD000150 Ajudante de instalação e manutenção de equipamentos (Caldeira, Gerador, Subestação, Redes,

Leia mais

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil Gestão de Qualidade O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, visando a qualidade assistencial e a satisfação do cliente compromete-se a um entendimento

Leia mais

Nº 1.0.0 Nº 1.2.0 Nº 1.2.8

Nº 1.0.0 Nº 1.2.0 Nº 1.2.8 Macroprocesso Processo Subprocesso Gerência GERÊNCIA REGIONAL Nº 1.0.0 Nº 1.2.0 Nº 1.2.8 1.2.8.1 Receber e analisar solicitação Receber solicitação de demanda de expansão do sistema de Supervisor de Unidade

Leia mais

Augusto Ribeiro Mendes Filho Assessoria de Comunicação da Elipse Software

Augusto Ribeiro Mendes Filho Assessoria de Comunicação da Elipse Software APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA E ESGOTO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS DE PORTO ALEGRE-RS (DMAE) Apresentamos neste case a implantação do

Leia mais

Quer trilhar uma carreira de sucesso? Então esta é a oportunidade para dar o primeiro passo! PROGRAMA ALI AGENTES LOCAIS DE INOVAÇÃO 2012-2014

Quer trilhar uma carreira de sucesso? Então esta é a oportunidade para dar o primeiro passo! PROGRAMA ALI AGENTES LOCAIS DE INOVAÇÃO 2012-2014 Quer trilhar uma carreira de sucesso? Então esta é a oportunidade para dar o primeiro passo! PROGRAMA ALI AGENTES LOCAIS DE INOVAÇÃO 2012-2014 O Programa O SEBRAE, em parceria com o CNPq, desenvolveu o

Leia mais

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS.

PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS Coordenação do Curso de Enfermagem PROPOSTA DE REORIENTAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFMS: Formando Profissionais Integrados ao SUS. RESUMO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO:

Leia mais

Comissão Deliberativa de Tecnologia da Informação dos Hospitais Universitários da UFC - CODETI

Comissão Deliberativa de Tecnologia da Informação dos Hospitais Universitários da UFC - CODETI Comissão Deliberativa de Tecnologia da Informação dos Hospitais Universitários da UFC - CODETI 01/07/2011 A implantação da Comissão Deliberativa de Tecnologia da Informação dos Hospitais Universitários

Leia mais

Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda.

Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda. Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda. Rua Alfredo da Silva, 11B 1300-040 Lisboa Tlf. +351 213 619 380 Fax. +351 213 619 399 profico@profico.pt www.profico.pt INDICE 1. DESCRIÇÃO GERAL DA PROFICO...

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para o atendimento às solicitações de alterações de layout.

Estabelecer critérios e procedimentos para o atendimento às solicitações de alterações de layout. Proposto por: Serviço de Projetos de Arquitetura, de Estrutura e de Instalações (SEPRO) Analisado por: Departamento de Planejamento de Obras (DEPLA) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria Geral de Engenharia

Leia mais

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment Cláudio Muniz Machado Cavalcanti claudio.cavalcanti@planejamento.gov.br

Leia mais

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da Projeto Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e ( pt ) Automação na Wikipédia Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da ( 2009 UFLA (II Professores: Roberto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 142/15 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 142/15 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 142/15 - CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: o Decreto nº 6.093, de 24 de abril de 2007, que dispõe sobre a reorganização do Programa

Leia mais

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!!

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! Como em qualquer segmento, quando fazemos uma licitação muitas vezes nos deparamos com propostas que aparentemente oferecem os mesmos serviços,

Leia mais

PORTARIA Nº 057 REITOR/2006

PORTARIA Nº 057 REITOR/2006 PORTARIA Nº 057 REITOR/2006 APROVA INSTRUÇÃO NORMATIVA RELATIVA AOS PRAZOS E PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS REFERENTES AO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E DE PLANEJAMENTO (SIGPLAN) E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4ª REGIÃO PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4ª REGIÃO PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011. Institui o Programa de Gestão Ambiental e Sustentabilidade e cria a Comissão de Gestão Ambiental e Sustentabilidade no âmbito da Procuradoria Regional da

Leia mais

Gestão de escopo do projeto

Gestão de escopo do projeto Nome Número: Série Gestão de escopo do projeto Assegura que o projeto contemple todo o trabalho, e apenas o trabalho necessário, para que a missão do projeto seja atingida. Escopo do projeto Quantidade

Leia mais

REF.: Quesitação da Sociedade Empresária XXXXXXXXXXXXXXXXX, relativa ao Edital de Concorrência n.º 001/2015.

REF.: Quesitação da Sociedade Empresária XXXXXXXXXXXXXXXXX, relativa ao Edital de Concorrência n.º 001/2015. Rio de Janeiro, 27 de fevereiro de 2015. REF.: Quesitação da Sociedade Empresária XXXXXXXXXXXXXXXXX, relativa ao Edital de Concorrência n.º 001/2015. Este documento visa responder às solicitações formuladas

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html Novos Cursos O SENAI criou 40 novos cursos a distância, sendo 10 cursos

Leia mais

Plano Especial de Auditoria de Obras 2002 Relatório Sintético

Plano Especial de Auditoria de Obras 2002 Relatório Sintético Plano Especial de Auditoria de Obras 2002 Relatório Sintético Caracterização da obra Ano orçamento: 2002 UF: RS Nome do programa de trabalho: Construção do Edifício-Sede do TRF da 4ª Região em Porto Alegre

Leia mais

Prestar um trabalho diferenciado e de qualidade, propondo soluções eficazes alinhadas às estratégias e necessidades de nossos clientes.

Prestar um trabalho diferenciado e de qualidade, propondo soluções eficazes alinhadas às estratégias e necessidades de nossos clientes. A EMPRESA Para quem pretende reformar ou construir um ambiente, é fundamental buscar o auxílio de uma empresa que tenha plenos conhecimentos e certificação para oferecer a mão de obra da Construção Civil.

Leia mais

Anexo II CARGOS DE DCA

Anexo II CARGOS DE DCA Anexo II CARGOS DE DCA CARGO: COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DE EDUCAÇÃO INFANTIL COORDENADOR DO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO DE ENSINO FUNDAMENTAL Coordenar atividades específicas de área, participando

Leia mais

ANEXO I JORNADA DE TRABALHO MENSAL DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO

ANEXO I JORNADA DE TRABALHO MENSAL DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO TOTAL FICIÊNCIA VALOR ADVOGADO 01-1.300,00 23,00 220 CONTADOR 01-1.300,00 23,00 220 ENGENHEIRO CIVIL 01-1.839,85 33,00 220 ANEXO I SCRIÇÃO SUMÁRIA Assessorar a Diretoria na elaboração de contrato; inteirar-se,

Leia mais

setores administrativos Barreiro

setores administrativos Barreiro setores administrativos Barreiro PUC Minas no atualização março de 2010 Pró-reitoria Adjunta Local: Prédio 4, sala 102 Telefone: 3328 9508 E-mail: proreitoriasec.bar@pucminas.br Diretoria Acadêmica Local:

Leia mais

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições Dispõe sobre o exercício profissional dos Tecnólogos das áreas submetidas à regulamentação e fiscalização instituídas pela Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966, e dá outras providências.

Leia mais

RELATÓRIO DO ICP 09/2007 (SECRETARIA ESTADUAL DA FAZENDA - SEFAZ)

RELATÓRIO DO ICP 09/2007 (SECRETARIA ESTADUAL DA FAZENDA - SEFAZ) RELATÓRIO DO ICP 09/2007 (SECRETARIA ESTADUAL DA FAZENDA - SEFAZ) OBJETIVO DO ICP : Implantação do programa de saúde ocupacíonal (Decreto 5.757/2003) para os servidores da SEFAZ. Conquistas de 2010 (Ações

Leia mais

Instrução Normativa de Eficiência Energética IN SLTI-MP Nº 02-2014

Instrução Normativa de Eficiência Energética IN SLTI-MP Nº 02-2014 Instrução Normativa de Eficiência Energética IN SLTI-MP Nº 02-2014 Eng. Anderson F. Gomes Brasília-DF, 05 de fevereiro de 2015 Apresentação SLTI/MP Lei nº 10.295, de Eficiência Energética MINISTÉRIO DO

Leia mais

técnica à Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral

técnica à Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral TERMO DE REFERÊNCIA Nº. 03 / 2012 Projeto: Assunto: Serviços Técnicos especializados de Engenharia consultiva de Gerenciamento de Obras e Assessoria técnica para elaboração de projetos de implantação das

Leia mais

Você avaliou a FACI melhorou!

Você avaliou a FACI melhorou! RESULTADOS DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Pontos Fracos apontados pelo Corpo Docente e Discente. 1. Estrutura física da Biblioteca; 2. Grau de qualidade da comunicação interna da Instituição; 3.

Leia mais

Em 2013 completamos 25 anos de atividade empresarial, período no qual participamos da implantação de importantes projetos na área de energia elétrica

Em 2013 completamos 25 anos de atividade empresarial, período no qual participamos da implantação de importantes projetos na área de energia elétrica BEM-VINDOS A ELTMAN é uma empresa de engenharia atuando nas áreas de estudos elétricos, projetos básicos e executivos e serviços de campo, nos segmentos de energia elétrica e transporte. Nosso foco principal

Leia mais

PROGRAMAS DAS PROVAS

PROGRAMAS DAS PROVAS ENGENHEIRO CIVIL (prova objetiva) PORTUGUÊS: PROGRAMAS DAS PROVAS 1. Compreensão de textos informativos e argumentativos e de textos de ordem prática (ordens de serviço, instruções, cartas e ofícios).

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Reserva Extrativista Chico Mendes Termo de Referência 2013.0729.00042-4 1 - Identificação Contratação de Serviço Pessoa

Leia mais

Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA

Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA Junho 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO Pg. 03 2. OBJETO Pg. 03 3. ESCOPO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS Pg. 03 4. DIRETRIZES PARA

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

Parceria de sucesso para sua empresa

Parceria de sucesso para sua empresa Parceria de sucesso para sua empresa A Empresa O Grupo Espaço Solução atua no mercado de assessoria e consultoria empresarial há 14 anos, sempre realizando trabalhos extremamente profissionais, pautados

Leia mais

EMENTÁRIO. (*) LEI N 1.206, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007. (D.O.M. 22.01.2008 N. 1886 Ano IX)

EMENTÁRIO. (*) LEI N 1.206, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007. (D.O.M. 22.01.2008 N. 1886 Ano IX) (*) LEI N 1.206, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007. (D.O.M. 22.01.2008 N. 1886 Ano IX) ALTERA o Quadro de Cargos e Carreiras da Secretaria Municipal de Saúde SEMSA e dá outras providências. O PREFEITO DE MANAUS,

Leia mais

Soluções inteligentes para quem exige qualidade máxima.

Soluções inteligentes para quem exige qualidade máxima. Soluções inteligentes para quem exige qualidade máxima. QualityMax Serviços e Tecnologia Com a QualityMax Serviços e Tecnologia, o cliente deixa de ter problemas graças às soluções modernas e aderentes

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS. RICARDO MOTTA MIRANDA Presidente

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS. RICARDO MOTTA MIRANDA Presidente UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO N 0 39, DE 30 DE OUTUBRO DE 2009. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL

Leia mais

MANUAL DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO Eletrobras Distribuição Alagoas

MANUAL DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO Eletrobras Distribuição Alagoas MANUAL DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO Eletrobras Distribuição Alagoas Versão 4.0 MARÇO/2011 1. INTRODUÇÃO A ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO ALAGOAS deve aplicar anualmente 0,2% (zero vírgula dois por cento) de

Leia mais

RESIDENCIAL CAIS DO PORTO CATEGORIA EMPREENDIMENTOS

RESIDENCIAL CAIS DO PORTO CATEGORIA EMPREENDIMENTOS RESIDENCIAL CAIS DO PORTO CATEGORIA EMPREENDIMENTOS A Merlim Empreendimentos LTDA está no mercado da construção civil há seis anos, sempre zelando pela qualidade e satisfação do cliente. Com sede na cidade

Leia mais

2. Viabilizar a alocação de recursos humanos em número suficiente para o desenvolvimento das atividades previstas neste e nos demais programas;

2. Viabilizar a alocação de recursos humanos em número suficiente para o desenvolvimento das atividades previstas neste e nos demais programas; 4.12 PROGRAMA DE ADMINISTRAÇÃO Objetivo geral Organizar e adequar administrativamente a FEENA, de forma a garantir o seu funcionamento, permitindo a implantação do Plano de Manejo e promovendo a manutenção

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO / QSMS SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA JORGE LUÍS DE DEUS PINTO TATIANA TAVARES HORIBE VANDERSON ALVES RIBEIRO Sumário Missão da Diretoria

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO 132 ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADORA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Aline Werneck Barbosa de Carvalho abarbosa@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 CURRÍCULO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria das Cidades

Governo do Estado do Ceará Secretaria das Cidades NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 01 TOMADA DE PREÇOS Nº 20130004 - CIDADES OBJETO: LICITAÇÃO DO TIPO TÉCNICA E PREÇO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DO ATERRO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO - SAMAS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO - SAMAS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO - SAMAS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE CULTURA REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Capitulo I - Objetivo. Artigo 1º - O presente regulamento

Leia mais

Na hora de reduzir os custos da sua reforma, não adianta só subtrair. É preciso também somar experiência. ampla. Construções & Reformas

Na hora de reduzir os custos da sua reforma, não adianta só subtrair. É preciso também somar experiência. ampla. Construções & Reformas Na hora de reduzir os custos da sua reforma, não adianta só subtrair. É preciso também somar experiência. Quem Somos Ampla é uma empresa focada em execução de obras com estrutura própria e qualidade. Oferecemos

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Anexo V - Descrição dos cargos de provimento efetivo da Carreira Judiciária, atribuições principais e requisitos para ingresso

Anexo V - Descrição dos cargos de provimento efetivo da Carreira Judiciária, atribuições principais e requisitos para ingresso Anexo V - Descrição dos cargos de provimento efetivo da Carreira Judiciária, atribuições principais e requisitos para ingresso (artigo 7º da Lei nº, de de de 2008.) GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES TÉCNICAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA A ENGENHARIA ELÉTRICA NA UFSCar O Curso de Engenharia Elétrica iniciou no ano de 2009, com o objetivo

Leia mais

Gestão da manutenção hospitalar

Gestão da manutenção hospitalar Gestão da manutenção hospitalar Rômulo Lessa Aragão (HGF) romulolessa@gmail.com João Luis Pianco de Oliveira (UFC) jotaehli@gmail.com Resumo O artigo trata de um plano de melhorias desenvolvido no Hospital

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS: a) Este roteiro serve como base às obras de Fornecimento e instalação de plataforma de percurso vertical para o Bloco B da Unidade Operacional

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 O SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO, no

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Assistente Técnico em Mecânica

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Assistente Técnico em Mecânica Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código : 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Mecânica Qualificação:

Leia mais

ANEXO ÚNICO DESCRIÇÕES DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA INGRESSO NOS CARGOS EFETIVOS DOS QUADROS DE PESSOAL DOS TRIBUNAIS REGIONAIS DO TRABALHO

ANEXO ÚNICO DESCRIÇÕES DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA INGRESSO NOS CARGOS EFETIVOS DOS QUADROS DE PESSOAL DOS TRIBUNAIS REGIONAIS DO TRABALHO 1254/2013 - Quarta-feira, 26 de Junho de 2013 Conselho Superior da Justiça do Trabalho 1 ANEXO ÚNICO DESCRIÇÕES DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA INGRESSO NOS CARGOS EFETIVOS DOS QUADROS DE PESSOAL DOS

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PROCEDIMENTO

GESTÃO DE PROJETOS PROCEDIMENTO GESTÃO DE OJETOS OCEDIMENTO OCEDIMENTO Nº01 VESÃO: 00 Folha 1. OBJETIVO Orientar a condução do processo de Gestão (desenvolvimento e coordenação) de projetos, estabelecendo condições, características e

Leia mais

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CREA-RS Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL INSPEÇÃO TÉCNICA DE SEGURANÇA VEICULAR O QUE FISCALIZAR ONDE FISCALIZAR PARÂMETRO LEGISLAÇÃO Inspeção Empresas

Leia mais

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO Requisitos: graduação em qualquer curso da área de Tecnologia da Informação - Elaborar

Leia mais