PLANO DE MELHORIA. Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE MELHORIA. Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira"

Transcrição

1 PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira

2 ENQUADRAMENTO Importa que a avaliação externa das escolas seja um processo útil para o desenvolvimento e a melhoria de cada escola. Para tal, cuidar da sequência é tão importante como investir na preparação e na execução. ( ) após a publicação do relatório na página da Inspeção Geral da Educação, a escola deverá apresentar à administração educativa um plano de melhoria. De um modo seletivo, sintético e pragmático, o plano deve conter a ação que a escola se compromete a realizar nas áreas identificadas na avaliação externa como merecedoras de prioridade no esforço de melhoria. (Inspeção Geral de Educação) O Plano de Melhoria assume-se como um compromisso decorrente da concretização de um conjunto de ações que permitirão, de uma forma gradual, a melhoria da prática educativa de um Agrupamento, tendo em consideração que uma escola eficaz é aquela que, a partir dos recursos disponíveis e atendendo às características da comunidade educativa, consegue uma otimização do desempenho académico dos seus alunos de uma forma consistente e continuada, uma escola que institucionalizou a melhoria como processo permanente é uma escola que se desenvolve como instituição, uma escola que aprende (Bolívar, 2012). O presente documento pretende dar resposta às situações em que, de acordo com o relatório da IGEC, o Agrupamento deve incidir as suas propostas de melhoria. Foi elaborado com base nos documentos estruturantes do Agrupamento - com especial relevo para o Projeto Educativo (PE) - no Relatório de Avaliação Externa (IGEC) que decorreu no período compreendido entre os dias 01 e 04 de fevereiro do ano letivo 2015/2016, no Relatório da Comissão de Avaliação Interna e nas propostas de ação dos diversos órgãos: Conselho Pedagógico, Conselho Geral, Conselho de Diretores de Turma e dos vários departamentos / grupos de recrutamento. Procuramos, articulando os pontos de vista interno e externo (relatório de autoavaliação / relatório final da Avaliação Externa), produzir um plano estratégico que contenha propostas de melhoria muito concretas e exequíveis, um plano que procure consolidar o processo de autoavaliação visando o aperfeiçoamento e desenvolvimento do nosso Agrupamento. 1 P á g i n a

3 METODOLOGIA Este Plano estrutura-se num conjunto de objetivos a atingir (formulados com base nos dados fornecidos pelo Relatório de Autoavaliação e Relatório da Inspeção Geral da Educação e Ciência), concretizados em estratégias de operacionalização que integram os recursos humanos necessários, o período em que ocorrem e o modo de recolha dos dados que irão permitir avaliar o cumprimento de cada uma das ações de melhoria. PONTOS FORTES E ÁREAS DE MELHORIA PONTOS FORTES A equipa de avaliação da IGEC realçou os seguintes pontos fortes no desempenho do Agrupamento: A disponibilização de uma oferta educativa que abrange todos os níveis de educação e ensino, cursos profissionais em várias áreas de formação e modalidades específicas de educação, em resposta a necessidades de públicos heterogéneos, sublinhando a dimensão inclusiva do Agrupamento. A adesão e a implementação de um conjunto muito diversificado de projetos e atividades e o estabelecimento de uma rede de parcerias com instituições públicas e privadas que proporcionam uma formação integral às crianças e aos alunos e têm impacto no reconhecimento pela comunidade do trabalho realizado. A valorização da dimensão cultural e artística do currículo, em todos os níveis de educação e ensino, com especial destaque para a ação desenvolvida no âmbito da promoção da leitura e para o trabalho concretizado com os alunos do curso de Artes Visuais. O aproveitamento dos equipamentos educativos e culturais concelhios e do património histórico e natural que proporcionam a realização de aprendizagens mais contextualizadas. A ação da diretora que tem sido determinante na condução do processo relativo à agregação, marcado pela tranquilidade, e na cimentação de uma cultura de agrupamento. 2 P á g i n a

4 O planeamento estruturante, conciso e objetivo, articulado entre si, que espelha claramente uma visão estratégica centrada na formação integral das crianças e dos alunos e na qualidade da prestação do serviço educativo. ÁREAS DE MELHORIA A equipa de avaliação entende que as áreas onde o Agrupamento deve incidir prioritariamente os seus esforços para a melhoria deverão incidir: No aprofundamento da reflexão acerca dos fatores explicativos do insucesso/sucesso, de caráter interno, que desencadeie a implementação de estratégias que tenham maior impacto na melhoria das aprendizagens e dos resultados e que passem, entre outras, pelo reforço da diferenciação pedagógica. Na valorização da participação dos alunos na vida das escolas de modo à construção de percursos de cidadania mais representativa e interventiva. Nas práticas de gestão curricular vertical e horizontal de forma a assegurar a sequencialidade e a articulação das aprendizagens e a melhoria dos resultados académicos. Na consolidação dos processos de supervisão da atividade letiva enquanto estratégia direcionada para a reflexão em torno das práticas de ensino e para o desenvolvimento profissional dos docentes, conducentes a um maior sucesso educativo. No campo da avaliação das aprendizagens através da generalização e sistematização de práticas já desenvolvidas e do reforço do trabalho colaborativo e reflexivo entre docentes com vista à consolidação da qualidade deste processo. No aperfeiçoamento dos sistemas de organização, disponibilização e divulgação de indicadores de desempenho, em várias áreas, conjugado com a crescente focalização da autoavaliação no ensino e na aprendizagem de modo a garantir a evolução da capacidade de autorregulação do Agrupamento. 3 P á g i n a

5 AÇÕES DE MELHORIA Decorrente da análise realizada aos pontos fortes e aos aspetos a melhorar, identificaram-se as áreas nas quais, prioritariamente, deveremos investir para superar as fragilidades ainda existentes, definindo também estratégias para consolidar e aperfeiçoar os aspetos mais conseguidos. Domínio/subdomínio AÇÃO DE MELHORIA 1 Prestação de serviço educativo planeamento e articulação Objetivo(s) Identificar as causas internas do insucesso. Consolidar as práticas de apoio e diferenciação. Promover o sucesso educativo. Problema identificado Necessidade de aprofundar a reflexão acerca dos fatores explicativos do insucesso/sucesso, de caráter interno, que desencadeie a implementação de estratégias que tenham maior impacto na melhoria das aprendizagens e dos resultados e que passem, entre outras, pelo reforço da diferenciação pedagógica. Ações de Melhoria Levantamento dos fatores explicativos do sucesso/insucesso. Criação de critérios padrão de análise e ferramentas que permitam aos Departamentos a análise dos resultados. Implementação da diferenciação pedagógica, com vista à melhoria das aprendizagens. Otimização das medidas de promoção do sucesso escolar. 4 P á g i n a

6 Atividades a realizar Promoção de reuniões de reflexão com órgãos de gestão e estruturas de gestão intermédia (coordenadores de departamento/representantes de grupo disciplinar/ano) com vista à identificação das causas explicativas do insucesso. Atividades de apoio diferenciado às aprendizagens: Coadjuvação em sala de aula e constituição de grupos de homogeneidade relativa / Turma + nos termos definidos no Plano de Estudos e Desenvolvimento do Currículo e no Programa de Promoção do Sucesso Escolar. Constituição de tutorias. Apoio às disciplinas objeto de avaliação externa. Continuidade do programa de preparação dos alunos para os exames e do Programa de apoio aos alunos dos Cursos Profissionais para recuperação dos módulos em atraso. Recursos humanos a envolver - Departamentos Curriculares - Conselhos de Turma - Diretores de Turma - Docentes Período de implementação Ano letivo de 2015/2016 e seguintes. Coordenação da ação - Conselho Pedagógico - Direção - Equipa de Autoavaliação e Melhoria Monitorização e avaliação da ação Número de medidas implementadas. Número de turmas e alunos envolvidos nas várias medidas. Número de docentes envolvidos em cada uma das medidas. Taxas de aprovação e/ou conclusão. Relatórios dos inquéritos realizados a alunos e docentes. 5 P á g i n a

7 AÇÃO DE MELHORIA 2 Domínio/subdomínio Prestação de serviço educativo planeamento e articulação. Objetivo(s) Operacionalizar os procedimentos de articulação vertical e horizontal do currículo, visando a consistência e a sequencialidade das aprendizagens. Melhorar os resultados académicos. Reforçar o trabalho colaborativo. Problema identificado Necessidade de aprofundar as práticas de gestão curricular vertical e horizontal de forma a assegurar a sequencialidade e a articulação das aprendizagens e a melhoria dos resultados académicos. Ações de Melhoria Desenvolvimento de práticas de articulação curricular vertical, assegurando a sequencialidade das aprendizagens e a evolução gradual dos alunos, ao longo do seu percurso educativo. Desenvolvimento de práticas de articulação curricular horizontal. Consolidação dos processos de planificação conjunta de conteúdos programáticos e atividades letivas. Atividades a realizar Realização de reuniões para a preparação/planificação da ação educativa. Registo, em suporte próprio, da articulação vertical e horizontal efetuada. Elaboração de planos anuais de atividades transversais de médio e longo prazo. Elaboração e aplicação concertada de técnicas e instrumentos de avaliação. Recursos humanos a envolver - Coordenadores / Subcoordenadores de Departamento - Docentes 6 P á g i n a

8 Período de implementação Ao longo do ano letivo. Momentos de avaliação de final de período. Coordenação da ação - Conselho Pedagógico - Coordenadores de Departamento Monitorização e avaliação da ação Registos das articulações curriculares realizadas por ano de escolaridade, em sede de Planos de Turma. Relatório(s)/síntese(s) da atividade desenvolvida pelos Departamentos e seus efeitos. Realização de uma reunião de balanço, no final de cada ano letivo. Domínio/subdomínio AÇÃO DE MELHORIA 3 Prestação de serviço educativo práticas de ensino Objetivo(s) Aplicar processos de supervisão para harmonização e melhoria das práticas e procedimentos pedagógicos. Problema identificado Necessidade de consolidação dos processos de supervisão da atividade letiva enquanto estratégia direcionada para a reflexão em torno das práticas de ensino e para o desenvolvimento profissional dos docentes, conducentes a um maior sucesso educativo. Ações de Melhoria Generalização dos mecanismos de supervisão pedagógica, com vista à melhoria do desenvolvimento profissional dos docentes e o incremento da qualidade nas práticas de ensino. 7 P á g i n a

9 Promoção do trabalho interpares, através da observação partilhada de aulas. Acompanhamento dos docentes cuja prática evidencie a existência de problemas de carácter disciplinar, científico-pedagógicos ou outros. Atividades a realizar Realização de aulas partilhadas no âmbito dos grupos disciplinares. Observação de aulas pelos pares. Supervisão da prática letiva pelos coordenadores das estruturas pedagógicas. Supervisão da prática letiva pela Diretora. Reflexão conjunta sobre o desenvolvimento das aulas, com identificação de aspetos a melhorar. Identificação e disseminação de boas práticas. Recursos humanos a envolver - Conselho Pedagógico - Coordenadores das estruturas pedagógicas - Diretora - Docentes Período de implementação Ano letivo de 2016/2017 e subsequentes. Coordenação da ação Diretora / Coordenadores de Departamento. Monitorização e avaliação da ação Número de docentes envolvidos na atividade Número de disciplinas envolvidas Número de aulas com supervisão direta pela Diretora/Coordenadores Número de aulas com supervisão indireta pelo grupo disciplinar/departamento Atas das estruturas intermédias 8 P á g i n a

10 AÇÃO DE MELHORIA 4 Domínio/subdomínio Prestação de serviço educativo - monitorização e avaliação do ensino e das aprendizagens. Objetivo(s) Pensar/repensar critérios de avaliação que explicitem com clareza as aprendizagens a avaliar. Perspetivar a avaliação formativa como elemento integrante e prática regular e reguladora do processo de ensino aprendizagem. Desenvolver a capacidade de autorregulação das aprendizagens. Promover o trabalho colaborativo. Promover o sucesso educativo. Problema identificado Necessidade de generalização e sistematização de práticas já desenvolvidas no campo da avaliação das aprendizagens e do reforço do trabalho colaborativo e reflexivo entre docentes com vista à consolidação da qualidade deste processo. Ações de Melhoria Envolvimento e responsabilização das lideranças intermédias no processo de melhoria, tendo em consideração os procedimentos relativos à avaliação das aprendizagens. Incentivo à prestação, de forma sistemática e generalizada, de informação de retorno aos alunos, tendo por base os seus desempenhos, no quadro de uma avaliação formativa. Atividades a realizar Reflexão, em sede das diferentes estruturas e órgãos do Agrupamento, em torno dos critérios de avaliação a aplicar, fonte privilegiada de recolha de evidências da aprendizagem. Diversificação das modalidades de avaliação. Diversificação dos instrumentos de avaliação em função da especificidade dos diferentes Ciclos/Cursos, permitindo a reorientação das práticas e a regulação do processo de ensino e aprendizagem. Desenvolvimento da avaliação formativa, enquanto prática contínua, reguladora da prática letiva e articulada com a avaliação sumativa. 9 P á g i n a

11 Recursos humanos a envolver - Departamentos Curriculares - Conselhos de Turma Período de implementação - Ao longo do ano - Momentos de avaliação de final de período Coordenação da ação - Conselho Pedagógico Monitorização e avaliação da ação Análise do impacto das medidas adotadas através da observação das pautas, da leitura de atas (de Departamento e Conselhos de Turma) relatórios e planificações. Domínio/subdomínio AÇÃO DE MELHORIA 5 Liderança e gestão autoavaliação e melhoria. Objetivo(s) Organizar e divulgar os indicadores de desempenho do Agrupamento. Aperfeiçoar e alargar os sistemas de monitorização. Melhorar a capacidade de autorregulação do Agrupamento. Problema identificado Necessidade de aperfeiçoamento dos sistemas de organização, disponibilização e divulgação de indicadores de desempenho, em várias áreas, conjugado com a crescente focalização da autoavaliação no ensino e na aprendizagem de modo a garantir a evolução da capacidade de autorregulação do Agrupamento. 10 P á g i n a

12 Ações de Melhoria Criação de indicadores precisos de medição de objetivos, em função das orientações estratégicas definidas no Projeto Educativo. Definição de indicadores de referência para os resultados académicos, com impacto na orientação do trabalho dos docentes. Monitorização dos resultados obtidos com a implementação de novas práticas. Atividades a realizar Construção de indicadores de desempenho do Agrupamento, nas diferentes áreas. Elaboração de um dispositivo de recolha de informação abrangente e sistemática sobre o percurso escolar e profissional dos alunos. Acompanhamento, por parte das diferentes estruturas e órgãos, dos sistemas de monitorização aplicados e consequente definição de estratégias de superação dos problemas diagnosticados. Recursos humanos a envolver - Comissão do Conselho Pedagógico responsável pelo acompanhamento da execução do Projeto Educativo. - Departamentos curriculares - Equipa de Autoavaliação e Melhoria - Diretores dos Cursos Profissionais Período de implementação Anos letivos de 2015/2016 e 2016/2017 Coordenação da ação - Conselho Pedagógico - Direção Monitorização e avaliação da ação Número de alunos que ingressaram no Ensino Superior. Número de alunos que ingressaram no mercado de trabalho. Elaboração de relatórios por área disciplinar sobre o grau de concretização das metas estabelecidas. Análise do impacto das medidas de promoção do sucesso adotadas através da leitura de atas e relatórios. 11 P á g i n a

13 AÇÃO DE MELHORIA - 6 Domínio/subdomínio Resultados resultados sociais Objetivo(s) Reforçar a participação dos alunos na vida da escola. Problema identificado Necessidade de valorizar a participação dos alunos na vida das escolas, visando a construção de percursos de cidadania mais representativa e interventiva. Ações de Melhoria Designação de chefes/delegados de grupo/turma no âmbito do ensino pré-escolar e no 1º Ciclo. Alargamento de uma para três assembleias de delegados de turma em cada ano letivo. Dinamização de espaços de reflexão e debate construídos em parceria com as estruturas representativas dos alunos. Aplicação de um inquérito, por ano letivo, aos alunos do Agrupamento sobre o grau de satisfação quanto à organização e funcionamento das escolas do Agrupamento. Colocação de uma caixa de sugestões na Sala de Estudo e na Biblioteca Escolar. Comprometer a Associação de Estudantes na construção do Plano Anual de Atividades. Atividades a realizar Criação de mecanismos de auscultação dos alunos assembleias de delegados/subdelegados de Turma, realização de inquérito para aferir o grau de satisfação e recolha de sugestões, a vários níveis. Realização de inquéritos de avaliação das medidas de apoio e diferenciação pedagógica implementadas. Recursos humanos a envolver Direção 12 P á g i n a

14 Delegados de Turma /Subdelegados de Turma Presidente da Associação de Estudantes Equipa de Autoavaliação e Melhoria Comissão do Conselho Pedagógico responsável pela organização e avaliação do Plano anual de Atividades. Período de implementação Em cada ano letivo Coordenação da ação Direção Monitorização e avaliação da ação Número de assembleias realizadas. Atas das assembleias/reuniões de alunos. Resultados estatísticos dos inquéritos realizados. Número de atividades promovidas pela Associação de Estudantes incluídas no Plano Anual de Atividades do Agrupamento. Domínio/subdomínio Liderança e gestão - gestão Objetivo(s) AÇÃO DE MELHORIA 7 Aperfeiçoar a comunicação no seio do Agrupamento. Reforçar as iniciativas de comunicação. Problema identificado Necessidade de melhorar os mecanismos de comunicação. Ações de Melhoria Criar um Gabinete de Comunicação, identificando, de forma clara, as suas responsabilidades e competências. 13 P á g i n a

15 Reforçar a utilização da plataforma moodle. Reforçar a utilização do institucional. Promover uma comunicação mais eficiente com o pessoal não docente, recorrendo à plataforma moodle. Divulgar à comunidade as principais decisões e atividades do Agrupamento, através da página oficial do Agrupamento e/ou da plataforma moodle. Atividades a realizar Criação de um espaço próprio, na página do Agrupamento, para divulgação à comunidade das principais decisões e atividades do Agrupamento e também para agradecimentos, referências, projetos e eventos. Implementação da utilização da plataforma moodle enquanto ferramenta institucional de comunicação e apoio ao ensino e à aprendizagem, bem como de estudo autónomo por parte dos alunos. Recursos humanos a envolver - Gabinete de Comunicação - Docentes responsáveis pela gestão da página e do moodle Período de implementação Anos Letivos de 2015/2016 e 2016/2017 Coordenação da ação - Equipa de Autoavaliação e Melhoria - Direção Monitorização e avaliação da ação Número de docentes/não docentes que utilizam o institucional. Número de docentes utilizadores da plataforma moodle para apoio ao ensino e à aprendizagem. Relatório a elaborar pelo Gabinete de Comunicação 14 P á g i n a

16 Este Plano de Melhoria, partilhado na sua conceção, pretende que os seus propósitos sejam apropriados por todos os agentes educativos, abraçados por toda a comunidade escolar e sejam fator de aprofundamento do sentimento de pertença e de identidade, por parte de todos os que intervêm na ação educativa do Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira. Com efeito, a concretização deste Plano só será possível com o envolvimento de toda a comunidade educativa na procura de alternativas, na (re)construção de estratégias para enfrentar situações problemáticas e fortalecer aquelas que têm possibilitado os melhores sucessos, na certeza de que expetativas elevadas, projetos e objetivos partilhados, lideranças fortes contribuem para a promoção e desenvolvimento da qualidade. Melhorar o desempenho até atingir a excelência é, sem sombra de dúvida, o objetivo de qualquer organização, e as escolas como organizações devem procurar essa excelência. 15 P á g i n a

17 Anexo PLANO DE MELHORIA Ficha de Avaliação Ação de Melhoria: Ano Letivo: Identificação do objetivo: Cumprimento do objetivo: Sim Não Parcialmente Observações: Resultados alcançados Ações a desenvolver futuramente: O responsável: Data da presente avaliação: 16 P á g i n a

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA

AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA AGRUPAMENTO ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE MELHORIA SETEMBRO 2014 Enquadramento O presente documento surge na sequência do processo de Avaliação Externa realizada ao Agrupamento de Escolas Santos Simões

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria Plano de Melhoria 1 Enquadramento O presente Plano de Melhoria resulta, simultaneamente, das orientações emanadas da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que assentam nas sugestões do Conselho Nacional

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA 2014 Plano de melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁGUEDA O Plano de Melhoria do Agrupamento de Escolas de Águeda surge na sequência do relatório da Avaliação Externa das Escolas realizada pela equipa de

Leia mais

PLANO DE MELHORIA ANO LETIVO 2016/2017

PLANO DE MELHORIA ANO LETIVO 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Agrupamento de Escolas Martim de Freitas PLANO DE MELHORIA ANO LETIVO 2016/ 7 INDÍCE 1. - Introdução 3 2. - Contextualização 4 3. Áreas e Ações de Melhoria 6

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO. Início 21 de junho de Fim 23 de junho de 2016 RELATÓRIO DA 3ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Data da intervenção Código 170574 Designação AE Vale Aveiras Início 21 de junho de 2016 Fim 23 de junho de 2016 PLANEAMENTO

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA

Avaliação Externa das Escolas PLANO DE MELHORIA Avaliação Externa das Escolas 2012-2013 PLANO DE MELHORIA A elaboração deste plano de melhoria assenta no pressuposto de que o Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão é capaz de repensar estratégias

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA 1. Introdução A avaliação externa do Agrupamento de Escolas da Maia, da responsabilidade da IGEC, decorreu de 17 a 20 de novembro do ano transato. A classificação de Muito Bom em todos os domínios enche-nos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE CERVEIRA. Plano de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE CERVEIRA. Plano de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE CERVEIRA Plano de Melhoria Avaliação Externa de Escolas 2012-2013 Índice I. Resumo... 2 Objetivo Introdução Ponto de partida II. Áreas de intervenção... 4 A1 - O

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria Inicial

Plano de Ações de Melhoria Inicial Plano de Ações de Melhoria Inicial PAM Inicial 2016/2017 Outubro de 2016 Índice Pág. 2 1. Introdução 2. Plano de Ações de Melhoria Inicial 2.1. Enquadramento das ações de melhoria nos Critérios da CAF

Leia mais

AEDLV - Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância D. Lourenço Vicente. Plano de Melhoria do Agrupamento

AEDLV - Agrupamento de Escolas e Jardins de Infância D. Lourenço Vicente. Plano de Melhoria do Agrupamento Plano de Melhoria do Agrupamento dezembro 2013 1. Introdução O Plano de Melhoria que neste momento se apresenta, constitui um instrumento de suporte à programação e à implementação das ações de melhoria

Leia mais

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO PLANO DE MELHORIA Biénio 2016-2017 e 2017-2018 AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO Índice Introdução... 2 Orientações para a ação... 3 Plano de Ação 1... 4 Plano de Ação 2... 5 Plano de Ação 3... 6 Plano

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO Resumo da proposta final Documento para análise PROJETO EDUCATIVO Análise na matriz SWOT (strenghts, weaknesses, opportunities, threats) pontos fortes/pontos fracos/

Leia mais

Plano de Melhoria para 2015/2016

Plano de Melhoria para 2015/2016 Plano de Melhoria para 2015/2016 Ano letivo de 2015/2016 Preâmbulo justificativo O recebeu, de 17 a 20 de novembro de 2014, a visita da equipa de avaliação externa (constituída no âmbito da Área Territorial

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO 1 Introdução Um Plano de Melhoria é um instrumento fundamental para potenciar o desempenho académico dos alunos e a qualidade

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALLIS LONGUS PLANO DE AÇÃO DE MELHORIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALLIS LONGUS PLANO DE AÇÃO DE MELHORIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALLIS LONGUS PLANO DE AÇÃO DE MELHORIA VALONGO, JUNHO 2013 INTRODUÇÃO O Plano de Melhoria constitui-se como instrumento de suporte à programação e à implementação da melhoria

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

Código PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA

Código PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA Código 160635 PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Metodologia de trabalho... 3 3. Identificação das áreas de melhoria... 4 4. Desenvolvimento da estratégia... 5 5. Conclusão...

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO DA 2ª INTERVENÇÃO Área territorial da IGEC SUL Agrupamento ou Escola Código 171591 Designação Agrupamento de Escolas do Algueirão Data da intervenção Início 18.01.2017

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Mafra

Agrupamento de Escolas de Mafra CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome da Diretora Maria de Jesus Azevedo dos Santos Roxo Geraldes Pires Escalão 6º Escola : Agrupamento de Escolas de Mafra Grupo de Recrutamento

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DA ESCOLA

PLANO DE MELHORIA DA ESCOLA 2016 PLANO DE MELHORIA DA ESCOLA Agrupamento de Escolas do Crato Importa que a avaliação externa das escolas seja um processo útil para o desenvolvimento e a melhoria de cada escola. Para tal, cuidar da

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS OBJETIVOS EDUCAR EM CIDADANIA 1. RESULTADOS ESCOLARES Alcançar os resultados esperados de acordo com o contexto do agrupamento. Melhorar

Leia mais

Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade

Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE FERREIRA DIAS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO INTERNA DA ESCOLA Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade 1 ÍNDICE Constituição da CAI... 3 I. Conceção

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Plano de Melhoria do Agrupamento. Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Plano de Melhoria do Agrupamento. Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012-2013 Plano de Melhoria do Agrupamento Dezembro 2013 Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho «Importa que a avaliação externa das escolas seja um processo útil para

Leia mais

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA Escola Secundária/3 de Almeida Garrett PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA Analisar o Passado, compreender o Presente para antecipar o Futuro 2014-2016 Índice 1. Introdução... 3 2. Estrutura do Plano de Ações de

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

Escola Secundária de Cacilhas Tejo

Escola Secundária de Cacilhas Tejo Escola Secundária de Cacilhas Tejo Plano de Melhoria 2013-2014 1. Introdução PLANO DE MELHORIA O presente Plano de Melhoria resulta da articulação entre o relatório da Avaliação Externa da Inspeção-Geral

Leia mais

Plano de melhoria (2015/16)

Plano de melhoria (2015/16) Plano de melhoria (2015/16) Introdução Agrupamento Vertical de Portel Escola EB 2,3 de D. João de Portel Quatro domínios de ação da Biblioteca Escolar: A. Currículo, literacias e aprendizagem B. Leitura

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA PLANO DE MELHORIA Cuba Julho de 2012 1- Introdução A avaliação é um procedimento que permite à organização que o implementa modelar a sua identidade, analisar os pontos fortes

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHANDRA, SOBRALINHO E SÃO JOÃO DOS MONTES PLANO DE MELHORIA IGEC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHANDRA, SOBRALINHO E SÃO JOÃO DOS MONTES PLANO DE MELHORIA IGEC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALHANDRA, SOBRALINHO E SÃO JOÃO DOS MONTES PLANO DE MELHORIA IGEC SETEMBRO DE 2013 FUNDAMENTOS DO PLANO DE MELHORIA 2013/2015 O Agrupamento assume-se como construtor de uma visão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA

ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA ORIENTAÇÕES PARA O PLANO DE TURMA A melhoria da eficácia da resposta educativa decorre de uma articulação coerente entre: Projeto Educativo Currículo Plano de Turma Assim, o Plano de Turma, assume a forma

Leia mais

Plano de Articulação Curricular

Plano de Articulação Curricular Plano de Articulação Curricular 2014-2015 Agrupamento de Escolas Fernando Pessoa Índice 1.Introdução... 3 2 2.Prioridades... 4 3.Operacionalização do Plano de Articulação Curricular... 5 4.Monitorização

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARELEJA SEDE: ESCOLA BÁSICA DE AMARELEJA OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE Observatório da Qualidade Plano de Ação 2011/2012 ÍNDICE Introdução... 2 Equipa e Horário Semanal... 2 Metodologia

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro da Cova. Documento apresentado no âmbito da Avaliação Externa efetuada pela IGEC

Agrupamento de Escolas de S. Pedro da Cova. Documento apresentado no âmbito da Avaliação Externa efetuada pela IGEC Agrupamento de Escolas de S. Pedro da Cova Documento apresentado no âmbito da Avaliação Externa efetuada pela IGEC 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Áreas de Melhoria sugeridas no relatório

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes Missão do Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes Assegurar a prestação de um serviço público de qualidade na educação, partindo do reconhecimento das condições objectivas do

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA

Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA Leça da Palmeira, Julho 2012 0 INDICE Introdução. Relatório da avaliação externa..

Leia mais

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR MICROREDE DE ESCOLAS DO CFAC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURE E RIBEIRA DO NEIVA - Medida : Pouca autonomia por parte dos alunos nas diversas disciplinas e falta de hábitos de autorregulação das suas aprendizagens

Leia mais

Objetivos e Metas 2014/2015

Objetivos e Metas 2014/2015 Projeto Educativo / Plano Anual de Atividades Objetivos e Metas 2014/2015 1 Indicadores de desempenho (2013-2014) Quadro 1 Resultados da Avaliação Interna Indicadores 2013/2014 Taxa de abandono Ensino

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches 2016 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas de Celeirós Equipa de Autoavaliação Interna 2014/17

PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas de Celeirós Equipa de Autoavaliação Interna 2014/17 PLANO DE MELHORIA Agrupamento de Escolas de Celeirós Equipa de Auto Interna 2014/17 Introdução O presente Plano de Melhoria resulta, em grande parte, das reflexões retiradas da leitura atenta do Relatório

Leia mais

PLANO MELHORIA. 15 julho 2012

PLANO MELHORIA. 15 julho 2012 PLANO DE MELHORIA 15 julho 2012 1. Introdução O presente Plano de Melhoria decorre do processo de Avaliação Externa realizado pela IGEC, dando resposta à necessidade de implementar ações de melhoria nas

Leia mais

Avaliação interna da Escola segundo o quadro de referência da Inspeção Geral do Ensino.

Avaliação interna da Escola segundo o quadro de referência da Inspeção Geral do Ensino. Avaliação interna da Escola segundo o quadro de referência da Inspeção Geral do Ensino. Nota prévia Dando cumprimento ao estabelecido na Lei 31/2002, são definidos os seguintes objetivos gerais de autoavaliação:

Leia mais

Plano de Melhoria JULHO/ 2013

Plano de Melhoria JULHO/ 2013 JULHO/ 2013 Índice 2 Introdução 3 I Ponto de partida 4 II Componentes do Plano 5 A. Objetivos, metas e indicadores 5 B. Ações a implementar 8 C. Cronograma 10 D. Intervenientes 10 E. Recursos 10 F. Monitorização,

Leia mais

PLANO DE MELHORIA Ano Letivo de 2014/2015

PLANO DE MELHORIA Ano Letivo de 2014/2015 PLANO DE MELHORIA Ano Letivo de 2014/2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 ÁREA A - RESULTADOS... 4 EIXO 1 APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS... 4 EIXO 2 PREVENÇÃO DO ABANDONO, ABSENTISMO E INDISCIPLINA... 5 EIXO

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro Viseu PLANO DE MELHORIA

Escola Secundária de Emídio Navarro Viseu PLANO DE MELHORIA Escola Secundária de Emídio Navarro Viseu PLANO DE MELHORIA 1 PLANO DE MELHORIA Melhoria. Da avaliação externa a que a escola foi submetida nos dias 7 e 8 de Março de 2012, resulta a obrigatoriedade de

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Desagregação das medidas e das tipologias de atividades ESTRATÉGIA NACIONAL

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA SÍNTESE Plano de promoção da qualidade das aprendizagens, que incluiu s focadas na melhoria do trabalho pedagógico em sala de aula e da qualidade das aprendizagens desenvolvidas pelos alunos. É um plano

Leia mais

Índice. Introdução 3. Identificação dos pontos fortes do Agrupamento. 3. Identificação das Áreas de Melhoria. 4. Priorização das Áreas de Melhoria.

Índice. Introdução 3. Identificação dos pontos fortes do Agrupamento. 3. Identificação das Áreas de Melhoria. 4. Priorização das Áreas de Melhoria. Índice Introdução 3 Identificação dos pontos fortes do. 3 Identificação das Áreas de Melhoria. 4 Priorização das Áreas de Melhoria. 6 Ações de melhoria modelo de ficha. 8 Ações de melhoria. 8 2 Introdução

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA

PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BARCELOS PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2015-2017 Índice Introdução... 2 Metodologia... 3 Plano Estratégico de Melhoria... 5 Cronograma... 11 Avaliação e Monitorização... 13 Considerações

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo Taxa média de retenção no 2.º ano de escolaridade de 12% no ano letivo 2014/2015 e de 11,6% no ano letivo 2015/2016. 1.º e 2.º anos. 3. Designação da Apoio educativo coadjuvante nas turmas de 1.º e 2.º

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DE MELHORIA

PLANO DE AÇÃO DE MELHORIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO GONÇALO PLANO DE AÇÃO DE MELHORIA BIÉNIO 2015-2017 SETEMBRO DE 2015 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CRONOGRAMA DO PLANO... 4 3. AÇÕES DE MELHORIA... 5 3.1. COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL...

Leia mais

Relatório de Avaliação Externa junho 2014

Relatório de Avaliação Externa junho 2014 Relatório de Avaliação Externa junho 2014 Avaliação Externa Visita efetuada entre 25 e 27 de novembro de 2013 Avaliação Externa Metodologia IGEC Análise documental Documento de apresentação da escola e

Leia mais

Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas. Plano de acção Nota introdutória

Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas. Plano de acção Nota introdutória Biblioteca de Escola Secundária/3ºC de Vendas Novas Plano de acção 2009-2013 Nota introdutória O plano de acção é um documento orientador onde se conceptualizam e descrevem as metas a atingir num período

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LOURINHÃ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LOURINHÃ 2016-2020 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LOURINHÃ [PLANO DE MELHORIA] Introdução Na sequência da avaliação externa de que o Agrupamento de Escolas da Lourinhã foi objeto entre 23 e 26 de novembro de 2015, e

Leia mais

NA MATEMÁTICA TU CONTAS

NA MATEMÁTICA TU CONTAS PLANO AÇÃO ESTRATÉGICA 41ª MEDIDA NA MATEMÁTICA TU CONTAS OBJETIVO Melhorar o sucesso em Matemática. ANO(S) ESCOLARIDA A ABRANGER - Do 1.º ao 9.º de escolaridade. ATIVIDAS A SENVOLVER NO ÂMBITO DA MEDIDA:

Leia mais

Escrito por Administrador Quinta, 05 Fevereiro :48 - Actualizado em Terça, 10 Novembro :11

Escrito por Administrador Quinta, 05 Fevereiro :48 - Actualizado em Terça, 10 Novembro :11 Plano de Ação e Plano Estratégico do Agrupamento 1.Plano de Ação Para dar consecução à missão e aos valores, pretende o Agrupamento desenvolver uma ação educativa alicerçada num conjunto de princípios

Leia mais

CARTA DE MISSÃO (Portaria nº 266/2012, de 30 de agosto) Diretor do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi Mandato 2013/ /17

CARTA DE MISSÃO (Portaria nº 266/2012, de 30 de agosto) Diretor do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi Mandato 2013/ /17 CARTA DE MISSÃO (Portaria nº 266/2012, de 30 de agosto) Diretor do Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi Mandato 2013/14 2016/17 VISÃO, MISSÃO E VALORES Como nos vemos Somos uma grande comunidade

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

Apresentação de Resultados CAF

Apresentação de Resultados CAF Apresentação de Resultados CAF Sumário Introdução Ponto de situação do projeto Fases do Projeto Resultados CAF Modelo CAF Resultados da(s) Grelha(s) de Autoavaliação Resultados dos questionários Plano

Leia mais

Plano de Melhoria 2012/2015. Escola Básica de 1º ciclo com Pré-Escolar de Boaventura

Plano de Melhoria 2012/2015. Escola Básica de 1º ciclo com Pré-Escolar de Boaventura Plano de Melhoria 2012/2015 Escola Básica de 1º ciclo com Pré-Escolar de Boaventura Índice Introdução... 2 Prioridade 1... 3 Prioridade 2... 4 Prioridade 3... 5 Prioridade 4... 6 Considerações finais...

Leia mais

Atividades de Apoio Educativo

Atividades de Apoio Educativo Plano Curricular 2012 2013 Plano Anual de Atividades Atividades de Apoio Educativo Departamento/Estrutura: Orientações para as Atividades de Apoio Educativo Receção Biblioteca Manuel Monteiro Zonas de

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Sines Escola Sede: E. B. Vasco da Gama de Sines. Avaliação Desempenho Pessoal Docente Contrato

Agrupamento Vertical de Escolas de Sines Escola Sede: E. B. Vasco da Gama de Sines. Avaliação Desempenho Pessoal Docente Contrato Avaliação Desempenho Pessoal Docente Contrato 2011/2012 INTRODUÇÃO Este documento tem como objetivo o enquadramento do processo de avaliação do pessoal docente regime contrato para o ano letivo 2011/2012.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRAGA OESTE PLANO DE MELHORIA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA 2015/2017 EqAI - 2015 Página 1 de 6 1. Resultados Em Português: incentivar a leitura; recontar as Académicos: histórias

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS Quadriénio 2009-2013 Segundo o artigo 68º do Regulamento Interno, aprovado em 4 de Janeiro de 2011, para o quadriénio 2009/2013,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO TINTO CALENDÁRIO - Processo de ADD - ano escolar de Decreto Regulamentar nº 26/2012 de 21 de fevereiro

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO TINTO CALENDÁRIO - Processo de ADD - ano escolar de Decreto Regulamentar nº 26/2012 de 21 de fevereiro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO TINTO CALENDÁRIO - Processo de ADD - ano escolar de 2016-17 Decreto Regulamentar nº 26/2012 de 21 de fevereiro Ação Prazo Pedido de observação de aulas: docentes em período

Leia mais

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA - ATUALIZADO EM OUTUBRO DE 2016 - TRIÉNIO 2015-2018 Índice I INTRODUÇÃO... 2 II ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO... 2 III IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS DE MELHORIA... 3 IV PRIORIZAÇÃO DAS

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA

ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA ACOMPANHAMENTO DA AÇÃO EDUCATIVA RELATÓRIO FINAL Código 151919 Designação Endereço Código Postal 5130-357 Concelho Área Territorial da IGEC 1ª Intervenção IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA Rua João Manuel Fernandes

Leia mais

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente Agrupamento de Escolas de Auto-Regulação e Melhoria das Escolas Auto-avaliação - uma PRIORIDADE Equipa de Avaliação Interna 2009/2010 1 Agrupamento de Escolas de Enquadramento legal Justificação Novo Paradigma

Leia mais

Constituída a equipa, iniciaram-se os trabalhos necessários à elaboração deste Plano de Melhorias.

Constituída a equipa, iniciaram-se os trabalhos necessários à elaboração deste Plano de Melhorias. Plano de Melhoria 1. Introdução Em Julho de 2012, o Agrupamento de Escolas de Carnaxide-Valejas juntou-se à Escola Secundária Camilo Castelo Branco dando origem ao atual Agrupamento de Escolas de Carnaxide.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR Ano Letivo: 2012 / 2013 ÍNDICE CAPÍTULO I PÁG. ÂMBITO 3 CAPÍTULO I I Conselho de Docentes 3 CAPÍTULO III Competências

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Agenda Preparação do trabalho a realizar no ano letivo 2015/2016 Regulamento Interno disponível no portal do agrupamento www.esvalongo.org

Leia mais

Plano Plurianual de Atividades Nota introdutória

Plano Plurianual de Atividades Nota introdutória Nota introdutória O Decreto-Lei n.º 75/2008 de 22 de abril, republicado pelo Decreto-Lei n.º137/2012 de 2 de julho, que regula o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE Relatório de Reflexão Critica do Plano Anual de Atividades Ano Letivo 2011/2012 1ºPeríodo Índice Índice 2 Introdução 3 Grau execução e de satisfação 4 Participação dos agentes

Leia mais

Apresentação Programa TEIP3

Apresentação Programa TEIP3 Apresentação Programa TEIP3 Programa TEIP O Programa TEIP visa estabelecer condições para a promoção do sucesso educativo de todos os alunos e, em particular, das crianças e dos jovens que se encontram

Leia mais

* Sempre que se trate de um Objectivo Estratégico, previsto no Projecto Educativo, é obrigatório referenciar o respectivo Código.

* Sempre que se trate de um Objectivo Estratégico, previsto no Projecto Educativo, é obrigatório referenciar o respectivo Código. Projecto/Serviços/ Código N.ºA1/A2 Actividade Nº 1 Reuniões de docentes do pré-escolar, 1º e 2º Ciclos. A1 Promover a sequencialidade coerente e estruturada entre a educação préescolar, o 1º Ciclo e o

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS Relatório de avaliação Final. Melhorar os processos de comunicação interna para otimizar a gestão escolar.

ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS Relatório de avaliação Final. Melhorar os processos de comunicação interna para otimizar a gestão escolar. Relatório de avaliação Final AÇÃO DE MELHORIA N.º 1 Final ano letivo 2012-2013 Melhorar os processos de comunicação interna para otimizar a gestão escolar. Renovar a campanha de divulgação e utilização

Leia mais

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática

Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática 2014/2015 Plano de Intervenção Prioritária para a Matemática Grupo de trabaho: Professores: Nela Fee (coordenadora) Carla Queiroz (Pré-Escolar) - Rosário Timóteo (1º c) Nuno Tomé (1ºc) - Anabela Hilário

Leia mais

Plano de Melhoria

Plano de Melhoria 2016-2018 Plano de Melhoria Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha ÍNDICE Nota introdutória 2 1. Introdução... 3 2. Estrutura do Plano de Melhoria 4 3. Áreas de Melhoria.. 4 4. Ações de Melhoria.

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi. Plano de Melhoria

Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi. Plano de Melhoria Agrupamento Vertical de Escolas Luísa Todi Plano de Melhoria 2015/2017 Índice! 1.#Introdução#...#1! 2.#Apreciações#da#Ação#Inspetiva# #IGEC#...#2! 2.1.#Pontos#fortes#...#2! 2.2.#Áreas#de#melhoria#e#desenvolvimento#...#2!

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria Inicial

Projeto de Ações de Melhoria Inicial Projeto de Ações de Melhoria Inicial PAM Inicial 2015/2016 Outubro de 2015 Índice Pág. 2 1. Introdução 2. Estrutura do documento PAM (Projeto de Ações de Melhoria) Tabela 1 Estrutura do documento Projeto

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Arganil PLANO DE MELHORIA 2015/2018

Agrupamento de Escolas de Arganil PLANO DE MELHORIA 2015/2018 PLANO DE MELHORIA 2015/2018 Plano de Melhoria 2015/2018 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESTRUTURA DO PLANO DE MELHORIA... 4 3. PLANO DE MELHORIA... 5 3.1. ANÁLISE SWOT... 5 3.2. AÇÕES DE MELHORIA... 7 3.3.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS, AGUALVA

ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS, AGUALVA ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS, AGUALVA SINTRA 401754 PLANO DE MELHORIA 2015-2017 Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade PLANO DE MELHORIA 1. Contextualização O presente Plano de Melhoria

Leia mais

Plano de Formação

Plano de Formação Plano de Formação 2013-2015 Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 2 PÚBLICO-ALVO... 2 OBJETIVOS GERAIS... 2 EXPLICITAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES... 3 ÁREAS PRIORITÁRIAS DE FORMAÇÃO... 3 ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO...

Leia mais

Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar - Guimarães (150812) Escola EB 2,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) PREÂMBULO

Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar - Guimarães (150812) Escola EB 2,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) PREÂMBULO Agrupamento Escolas Professor Abel Salazar - Guimarães (150812) Escola EB 2,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) PREÂMBULO 1 O Plano Melhoria constitui-se como instrumento suporte à programação e à

Leia mais

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Plano Agrupamento Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Prioridades Objectivos Estratégias ACÇÕES METAS AVALIAÇÃO P.1. Obj. 1 E.1 Ao 3.º dia de ausência do aluno, efectuar contacto telefónico,

Leia mais

Plano de Melhoria Ações de melhoria

Plano de Melhoria Ações de melhoria 2013/ 2014 Plano de Melhoria Ações de melhoria i) Melhoria das ferramentas de recolha e tratamento de dados escolares (Observatório do agrupamento) ii) Melhoria da planificação, distribuição e avaliação

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO 2012/ /16

PROJETO EDUCATIVO 2012/ /16 ESCOLA SECUNDÁRIA/3º CEB POETA AL BERTO, SINES PROJETO EDUCATIVO 2012/13-2015/16 Aprovado pelo Conselho Geral a 8 de abril de 2013. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MISSÃO... 3 3. VISÃO... 3 4. VALORES..4

Leia mais

Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE

Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE _ ENQUADRAMENTO GERAL _ Gabinete de Avaliação e Promoção da Qualidade Instituto Superior de Ciências Educativas 2015, Outubro Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO REGIMENTO 2013/2017 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO REGIMENTO 2013/2017 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 REGIMENTO 2013/2017 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS REGIMENTO INTERNO Departamento de Ciências Sociais e Humanas SECÇÃO I CONSTITUIÇÃO E

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade

Leia mais

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO INTERNA A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa que permite a recolha

Leia mais

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores Avaliação de Desempenho Orientações aos relatores 1. Referenciais de avaliação 1.1. Legislação 1. Referenciais de avaliação 1.2. Referentes internos: a. Projeto Educativo do Agrupamento, b. Projeto Curricular

Leia mais

A autoavaliação é o processo em que a escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar o seu desempenho.

A autoavaliação é o processo em que a escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar o seu desempenho. A autoavaliação é o processo em que a escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar o seu desempenho. Finalidades Identificar pontos fortes e fracos e oportunidades de

Leia mais