Programa. Estudo sobre Crédito e Superendividamento dos Consumidores dos países do Mercosul Superendividamento no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa. Estudo sobre Crédito e Superendividamento dos Consumidores dos países do Mercosul Superendividamento no Brasil"

Transcrição

1 Programa Estudo sobre Crédito e Superendividamento dos Consumidores dos países do Mercosul Superendividamento no Brasil

2 Idec Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Estudo sobre o Crédito e Superendividamento dos Consumidores Realização Idec - Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Fundação Procon-SP - Núcleo de Tratamento ao Superendividamento Coordenação Executiva Lisa Gunn Gerente Técnico Marcos Vinícius Pó Elaboração Ione Amorim - Idec Neide Ayoub - Procon-SP Dezembro/2008 São Paulo, SP 2

3 ÍNDICE Apresentação 03 Introdução 05 O caminho do superendividamento brasileiro 08 A situação de crédito ao consumidor no Brasil 09 Análise do superendividamento em relação aos bancos 10 Breve histórico dos bancos selecionados para o estudo 10 Lucro Líquido dos bancos 11 Carteira de crédito dos bancos no Brasil 13 O relacionamento dos bancos com os consumidores 16 Linhas de crédito ofertadas pelos bancos aos consumidores 17 Taxas de juros mínimas e máximas praticadas pelos bancos 20 Inadimplência 23 Análise dos contratos Abusividade 25 Publicidade enganosa 27 Estatísticas sobre o endividamento dos consumidores 30 As políticas públicas de crédito e endividamento 31 Projetos desenvolvidos no Brasil I Rio Grande do Sul 32 Projetos desenvolvidos no Brasil II São Paulo 36 Projeto Piloto PROCON-SP PRONASCI 41 Considerações Finais 44 Bibliografia 46 3

4 Apresentação Com a estabilidade econômica alcançada pelo Brasil nos últimos anos, a questão do superendividamento do consumidor ganhou destaque, sendo a discussão sobre o tema urgente e necessária. O desnudamento do problema tem a potencialidade de promover a democratização do crédito no Brasil. Se por um lado há um maciço incentivo para o crédito e o consumo até mesmo por parte de instâncias políticas do governo, por outro não há qualquer programa de educação e proteção do consumidor. Os bancos e demais instituições financeiras se utilizam das mais variadas técnicas abusivas e enganosas para seduzir o consumidor e, na prática impõem condições de crédito desvantajosas e taxas de juros altíssimas. O assunto é objeto de estudos em vários países, e tem adquirido importância nas esferas jurídicas brasileiras, sobretudo pela urgência em se desenvolver uma legislação que venha a assistir o consumidor vítima da condição de superendividado. O superendividamento não é uma questão que afeta somente os brasileiros, mas os consumidores de todo o mundo. Ciente disso, a Consumers International, organização internacional que congrega mais de 200 associações de consumidores de todo o mundo, está desenvolvendo o Programa Crédito e Superendividamento dos Consumidores. Convidado para participar da iniciativa, o Idec Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor se uniu ao Núcleo de Tratamento do Endividamento da Fundação Procon/SP. O resultado da parceria é a pesquisa que consta do presente relatório, que integrará estudo sobre a questão do superendividamento nos países do MERCOSUL. A Fundação Procon-SP, criada na década de 70 por iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, foi o primeiro órgão público de proteção ao consumidor. O Núcleo de Tratamento do Superendividamento foi criado pela Fundação Procon/SP em 2006 para tratar da importância da conscientização dos consumidores na contratação do crédito, bem como da necessidade de ações preventivas, e ainda a necessidade de se rever o papel do poder público, em sua tutela. O Núcleo desenvolve o Projeto de Tratamento do Superendividamento dos Consumidores. Os resultados integrantes do presente relatório incluem as principais atividades realizadas nos últimos anos na divulgação, execução e análise dos resultados do Projeto de Tratamento do Superendividamento dos Consumidores, desenvolvido por instituições de defesa do consumidor. Os estudos foram desenvolvidos nos Estados do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro e de S.Paulo, e ilustram a necessidade de instauração de Projetos-Piloto 4

5 que estejam empenhados em dar assistência à população exposta aos riscos do superendividamento, como o Projeto: Tratamento das Situações de Superendividamento do Consumidor e Conciliar é Legal do Rio Grande do Sul, criação de Núcleos de Defesa dos Consumidores (Nudecon) Rio de Janeiro e Núcleo de Tratamento ao Superendividamento da Fundação Procon-SP. 5

6 Introdução A origem do superendividamento no Brasil surgiu com o aumento da oferta de crédito fácil e rápido, numa sociedade em que o cidadão adquire status na proporção dos bens que consome. Por meio da publicidade agressiva e estímulo ao consumo de produtos e serviços as mensagens tentam convencer o consumidor de que seus valores de uso são maiores do que o real. Geram no consumidor a necessidades impensáveis em períodos de crise econômica. Esse processo desenvolvido por meio de técnicas nem sempre éticas e com forte apelo emocional se apresenta como modo de inserção social, motivando o indivíduo a utilizar o crédito para viabilizar as necessidades que lhe são impostas inconscientemente. A explosão do crédito no Brasil amparada por uma idéia de inclusão, em que a população de baixa renda passou a consumir bens e serviços inacessíveis, responde aos apelos do crédito fácil sem critérios a todos os consumidores, independentemente de sua capacidade de pagamento. Sem qualquer instrução ou auxílio de como se comportar diante desta nova realidade, muitas pessoas passaram a contrair empréstimos e em determinado momento atingiram uma situação de superendividamento, o que resultou num problema coletivo, social e jurídico. A oferta de crédito deveria ser aplicada de maneira prudente e responsável pelos agentes do crédito, amparada em uma política de juros mais justa, critérios para concessão de crédito mais seletivos, programas de conscientização e educação para o consumo consciente. Essas medidas podem evitar problemas de alta inadimplência e superendividamento, o que prejudicaria todo o sistema financeiro nacional e o orçamento das famílias, a exemplo do que aconteceu com os EUA o caso do subprime, que está causando enormes transtornos à economia americana, com reflexos no mundo inteiro. No Brasil o conceito de superendividamento pode ser definido com Impossibilidade global do devedor-pessoa física, consumidor, leigo e de boa-fé, de pagar todas as suas dívidas atuais e futuras de consumo (excluídas as dívidas com o Fisco, oriundas de delitos e de alimentos) 1. A falta de legislação específica para casos de insolvência de uma família (como a verificada em alguns países), não impede, porém, a proteção e a defesa dos 1 MARQUES, Claudia Lima. Sugestões para uma lei sobre o tratamento do superendividamento de pessoas físicas em contratos de crédito ao consumo: proposições com base em pesquisa empírica de 100 casos no Rio Grande do Sul - Estudos sobre direito brasileiro e superendividamento Direito do Consumidor Envididado RS Ed. Revista dos Tribunais Pg

7 consumidores em situação de superendividamento no Brasil, uma vez que o Código de Proteção e Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90) e a própria Constituição Federal contêm normas gerais que balizam este movimento, enquanto se aguarda sanção de legislação sobre o tema 2. Segundo Marques, o endividamento é um fato inerente da vida em sociedade marcada pelo consumo. No caso brasileiro, a forma mais rápida para aquisição de bens e serviços ocorre através do endividamento. O consumo e o crédito são duas faces da mesma moeda, vinculados que estão no sistema econômico e jurídico de paises desenvolvidos e de paises emergentes como o Brasil 3. O fenômeno social que se consolida como superendividamento necessita de soluções jurídicas como as existentes para as empresas, como concordatas, aumento do parcelamento, revisão de juros, redução do montante entre outros. Aumentar o nível de informação quanto aos riscos de um endividamento, amparado por taxas de juros abusivamente elevadas, controle de identificação do perfil dos consumidores de boa fé, gestão eficaz do risco de inadimplência embutido nas taxas de juros, nas cláusulas contratuais e controle da publicidade com campanhas enganosas que vendem facilidade com intuito de seduzir o consumidor a consumir inconscientemente até bens que não tem necessidade alguma. O Superendividamento, também designado por falência ou insolvência de consumidores, refere-se às situações em que o devedor se vê impossibilitado, de uma forma durável ou estrutural, de pagar o conjunto de suas dívidas, ou mesmo quando existe uma ameaça séria de que o não possa fazer no momento em que elas se tornem exigíveis 4. De acordo com a definição européia há dois tipos de endividados: o passivo, o consumidor que não contribuiu ativamente para o aparecimento da crise de insolvência, possivelmente perdeu o emprego, teve problemas de saúde na família ou viveu alguma situação alheia a sua vontade. O segundo tipo é o ativo, situação onde o consumidor consome demasiadamente, não tem controle do seu orçamento, é facilmente seduzido pela publicidade de estimulo ao consumo, assumindo dívidas que em situações normais não teria condições de fazê-las. O problema do superendividamento é agravado pela avalanche de publicidade de dinheiro fácil e rápido em televisão, rádio, jornais e até na rua. Não há uma fiscalização rigorosa sobre a propaganda, que induz o consumidor a engolir o 2 Oliboni, Marcella L.C.P. Direito do Consumidor Endividado - O superendividamento do consumidor brasileiro e o papel da defensoria pública: criação de comissão de defesa do consumidor superendividado RS Ed. Revista dos Tribunais Pg MARQUES, Claudia L.Direitos do Consumidor Endividado Sugestões para uma lei sobre o tratamento do superendividamento de pessoas físicas em contrato de crédito ao consumo: proposições com base em pesquisa empírica de 100 casos no Rio Grande do Sul - Ed. Revista dos Tribunais Pg LEITÃO MARQUES, Maria M. et al. O endividamento dos consumidores. Lisboa: Almedina, p.2 7

8 lugar-comum de que o crédito trará felicidade. Ao adquirir um bem financiado o consumidor na maioria das vezes não tem acesso ao contrato e quando tem, este não é suficientemente claro tendo em vista seu nível de entendimento. Em várias situações, o cliente nem sequer tem idéia dos juros anuais, nem das taxas adicionais, como de abertura do cadastro, juros de mora entre outras cobranças, e isso acontece inclusive até em situações onde os bancos são obrigados por leis e normas a entregar o contrato ao consumidor com todas as informações e assinado pelas duas partes. Um dos propulsores do superendividamento é o assédio de bancos, oficiais ou não, aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). Segundo a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), em janeiro havia empréstimos consignados 5 ativos (ou seja, não quitados) de 17 bilhões de reais, espalhados por 10,2 milhões de operações. Ainda de acordo com a Dataprev, 40% dos 19 milhões dos atendidos pelo INSS já utilizaram ao menos uma vez essa modalidade de empréstimo, cujo desconto é feito diretamente do pagamento mensal do benefício. O caminho do superendividamento brasileiro Com Plano Real, em julho de 1994, o novo ambiente de estabilização de preços trouxe modificações consideráveis para o sistema financeiro brasileiro, uma vez que, com a estabilização da economia, todas as instituições deixariam de ganhar com a inflação. Como o ganho inflacionário do setor financeiro era obtido principalmente nos depósitos à vista, a estrutura operacional dos bancos estava montada para maximizar a captação de depósitos. Com o controle inflacionário, a lucratividade dos bancos deixou de depender da captação de depósitos e passou a depender do crescimento das operações de crédito. O crédito a pessoas físicas revelou-se importante suporte para a sustentação do nível da atividade econômica, dinamizando a demanda interna via ampliação do consumo das famílias. As linhas de crédito disponíveis no mercado para aquisição de bens são abundantes, porém, não necessariamente vantajosas para quem pretende utilizá-las. O brasileiro não possui um hábito de poupança, historicamente os índices de poupança no país sempre foram baixos e depois dos planos econômicos caiu em descrédito em função das medidas econômicas da época, onde o governo se apropriou dos recursos dos poupadores. Como conseqüência dessas ações, a população adquiriu o hábito de financiar quase tudo que necessita adquirir para o seu bem-estar. 5 LIMA, Clarissa C, Crédito responsável e superendividamento, Suspensão do desconto de empréstimo consignado Revista Direito do Consumidor nº 65 out-dez 2007 Editora RT 8

9 As taxas de juros no Brasil estão entre as maiores do mundo e essa tendência não apresenta sinais de baixa, o que em outras palavras, significa que o brasileiro historicamente terá que se submeter às taxas práticas do mercado para obter bens de consumo. As modalidades que apresentam maiores facilidades de acesso ao crédito, como cartão de crédito e cheque especial apresentam as maiores taxas de juros. A situação de crédito ao consumidor no Brasil Em novembro-08 as operações de crédito no país atingiram R$ bilhões correspondentes a 40,2% do PIB 6, divulgou o Banco Central do Brasil. O mercado de crédito, embora siga mantendo elevadas taxas de crescimento sofreu reflexos dos desdobramentos da crise financeira internacional. Os saldos de créditos destinados a pessoas físicas foram de R$369,3 bilhões em setembro-08 7, com crescimento de 32,26% em relação à setembro-07. Esse desempenho esteve associado, principalmente, à evolução do crédito pessoal, que registrou o total de R$125,7 bilhões. As operações com cheque especial atingiram R$17,1 bilhões, tiveram alta de 7,9%, após observarem estabilidade nos últimos seis meses. Os financiamentos para aquisição de veículos totalizaram R$81,4 bilhões refletindo a crise (redução de prazos) e a substituição dessa modalidade pelas contratações de leasing. A média de crescimento anual do crédito, nos últimos quatro anos, ficou em 20,5%, enquanto no período era de 4,2%. Costuma-se lembrar que, em relação ao PIB, o crédito no Brasil é muito restrito, não só na comparação com os EUA, onde ultrapassa 130%, como com o Chile, por exemplo, onde está em torno de 70% do PIB. O problema é que as comparações internacionais devem levar em conta não apenas o PIB, mas também a distribuição da renda e a taxa de juros prevalecente. No Brasil a distribuição de renda é marcada por uma elevada desigualdade, e as taxas de juros exigidas são altíssimas. É preciso lembrar que nos últimos 12 meses o crédito para pessoas físicas cresceu 32,4%, mas apenas 18,8% para pessoas jurídicas, que se recusam a pagar juros anormalmente elevados, embora muito menor do que as taxas pagas pelas pessoas físicas. Mais desejável seria, de um lado, uma redução das taxas e, de outro, um aumento dos empréstimos às empresas. 8 6 Relatório Banco Central Brasil - Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nota a Imprensa Boletim do Banco Central do Brasil Volume 44 Nº 9 setembro e Boletim do Banco Central do Brasil Volume 43 Nº 9 setembro Jornal O Estado de S.Paulo Editorial 04/12/2007 9

10 Análise do superendividamento em relação aos bancos O estudo do superendividamento no Brasil a partir das relações de crédito e consumo que essa proposta abordará será realizada a partir das operações de crédito e financiamento ao consumidor praticadas em cinco bancos que atuam no país e foram indicados de acordo com o termo referencial do projeto sobre Programa Credito e Superendividamento dos Consumidores para os paises do Mercosul proposto pela Consumers International com sede em Santiago no Chile. Os bancos selecionados para o estudo e que possuem atividades comuns nos países do Mercosul (Argentina, Brasil, Chile Peru e Uruguay) são: Santander (espanhol) e HSBC (inglês) e Itaú (brasileiro) e outros dois bancos privados de grande atuação no país de origem da pesquisa, Bradesco e Unibanco. Os cinco bancos no Brasil estão entre os dez maiores bancos do país com mais de um milhão de clientes (entre os privados e públicos). A posição que esses bancos ocupam no mercado brasileiro em número de clientes expressa o potencial ao qual está exposto o consumidor: Tabela 1 Posicionamento dos bancos no mercado em número de clientes Posição Banco Nº de Cliente 3º Bradesco º Itaú º Santander º Unibanco º HSBC Fonte: Banco Central do Brasil outubro 2008 Se desconsiderar os bancos públicos (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) os bancos selecionados assumem a liderança na ordem subseqüente. O Bradesco assume a primeira posição, seguido pelos demais bancos. Breve histórico dos bancos selecionados para o estudo Bradesco Foi criado no ano de 1943 no interior de São Paulo, como Banco Brasileiro de Descontos com o objetivo inicial de atrais o pequeno comerciante diferentemente das estratégias usadas pelos outros bancos da época. Já em 1951, o Bradesco tornou-se o maior banco privado do país nos anos 70 o banco incorporou outros 17 bancos mantendo posição de destaque entre os principais bancos privados do Brasil. 10

11 O Banco Bradesco 9, classificado como terceira maior companhia cotada na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e a quarta na América Latina em termos de lucros, ativos e patrimônio líquido, é uma empresa de capital aberto com lucro líquido superior a 100 bilhões de reais, atrás apenas da Petrobrás e Vale. No ranking da Revista Valor Econômico o Banco Bradesco ocupa o 2º lugar, atrás apenas do Banco do Brasil. Ou seja, é o maior banco privado do país. Itaú O Banco Itaú foi criado no ano 1943 como Banco Central de Crédito S. A. para ser o braço financeiro da Companhia Brasileira de Seguros. Começou a realizar operações bancárias no ano seguinte. No ano de 1966 passou a atuar como banco de investimentos. Nos anos 90, o Itaú realizou várias aquisições como Banco Francês e Brasileiro (BFB), o Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj) e o Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge). A partir do ano 2000, outras aquisições seguiram-se, como o Banco do Estado do Paraná S.A. (Banestado), o Banco do Estado de Goiás S.A. (BEG) e as operações do Bank Boston no Brasil. No ano de 2006, o Banco Itaú ocupava a 3º posição entre os principais bancos por lucro líquido, superior ao ano de 2005, quando ocupava a 4º posição no ranking. A última movimentação do banco foi oficializada no inicio de novembro de 2008, quando o Banco Itaú e Unibanco anunciaram a fusão entre os dois bancos, colocando o novo banco no primeiro lugar no Brasil e o maior banco da América latina. Santander O Banco espanhol Santander de Investimento chegou ao Brasil como um escritório de representação no ano de 1982 e passou a operar como um banco de investimentos a partir de Cinco anos depois, o Banco Santander S.A. realizou sua primeira aquisição no país, o Banco Geral do Comércio. No ano seguinte comprou o Banco Noroeste e em 2000, realizou duas compras. A primeira, um dos principais bancos estaduais do país. Com a aquisição do Banco do Estado de São Paulo (Banespa), o Santander saltou da 9º para a 5º entre os principais bancos do país 10. No início de 2008 o Santander também assumiu as operações comerciais para a América Latina do ABN Amro Real. Unibanco O Banco Unibanco foi criado no ano de 1924, no estado de Minas Gerais, designado Seção Bancária Casa Moreira Salles. Em 1931 converteu-se na Casa Moreira Salles. A fusão do banco com o Banco Machadense e a Casa de Botelhos nos anos 40 foi o impulso necessário para a expansão da instituição. 9 Disponível em: < www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u shtml >.Acesso em: 23/05/ Santander eleva lucro em 112% no 1º semestre. Jornal Folha de São Paulo (FSP), 27 jul

12 Nas décadas seguintes, outros bancos foram comprados e contribuíram para o desenvolvimento do banco, além da criação de suas próprias empresas de seguros, cartões de crédito, empréstimos etc. Nos anos 90, o Banco Unibanco comprou o Banco Nacional com ajuda do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (PROER) durante o seu processo de liquidação. Em 1998, comprou também o Banco Dibens. Em 2000, o Unibanco comprou o banco Credibanco, o Banco Bandeirantes e o BNL-AS. Segundo o ranking da Revista Valor Econômico, o Unibanco ocupava a 5º posição entre os principais bancos do Brasil no ano de 2005, e caiu para a 7º posição no ano seguinte. Em novembro de 2008 anunciou a fusão com o banco Itaú, através da troca de ações, se tornando o maior banco privado do país e ocupando uma posição entre os vinte maiores banco do mundo. HSBC O banco HSBC é um banco inglês, sediado em Londres, com atuação no setor financeiro em mais de 80 países. No ano de 1997, o grupo HSBC comprou o Banco Bameridus, com ajuda do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (PROER). O HSBC 11 tem capital majoritário de origem inglesa. De acordo com a Revista Valor Econômico, o Banco HSBC ocupava a 8º posição no ranking entre os principais bancos em termos de ativos no Brasil durante os anos 2005 e Lucro Líquido dos bancos No topo da lista atualizada dos maiores lucros de bancos brasileiros no terceiro trimestre, aparecem o Bradesco e Itaú, nesta ordem, com resultados recordes apresentados entre (jan a set-08). O primeiro conseguiu lucrar R$ 6,01 bilhões. O segundo teve lucro de R$ 5,90. Tabela 2 Lucro líquido dos bancos Banco - em bilhões de reais Lucro 3º Trimestre Acumulado Jan a Set-08 Bradesco 1,90 6,01 Itaú 1,80 5,90 Santander 0,496 2,23 Unibanco 0,704 2,20 HSBC 0,211 0,769 (*) Fonte: Sites bancos (*) Lucro líquido acumulado de janeiro a junho A sigla HSBC em inglês significa: Hongkong and Shanghai Banking Corporation Limited uma corporação estabelecida desde Disponível em: < Acesso em: 19/07/07. 12

13 Carteira de crédito dos bancos no Brasil Bradesco - O forte crescimento da carteira de crédito do Bradesco foi um dos destaques do semestre, inclusive levando o banco a revisar suas projeções de crescimento para este ano. No primeiro semestre deste ano, a carteira de crédito da instituição (pessoa física + pessoa jurídica) atingiu R$ 181,6 bilhões, avanço de 38,8% quando comparado com igual período do ano anterior. Já quando comparado com o primeiro trimestre deste ano, a carteira de crédito avançou 7,2%. Do volume atingido neste semestre, cerca de R$ 28 bilhões foram novos tomadores. Apenas a carteira de pessoa física somou R$ 65,87 bilhões, incremento de 32,2% ante os R$ 49,83 bilhões registrados no primeiro semestre deste ano. O destaque do período foram as operações de leasing, com crescimento de 441%. 'A forte expansão desta modalidade, tanto para pessoa física quanto para a pessoa jurídica, pode ser explicada pela não incidência do IOF', explicou Márcio Cypriano, presidente de Bradesco, em conferência dos resultados trimestrais. A demanda está tão grande que a instituição revisou suas metas de crescimento (nas operações de crédito) para este ano. A perspectiva do Bradesco para crescimento da carteira de crédito saltou de 21% a 25% para 24% a 29%. Enquanto que as perspectivas para a pessoa física se mantiveram inalteradas - de 24% a 29% - o crescimento da carteira pessoa jurídica passou de 20% a 23% para 23% a 30%. A inadimplência se manteve controlada, segundo o presidente do Bradesco. A inadimplência total, acima de 90 dias, ficou em 3,5%. A carteira de pessoa física apresentou uma leve expansão de 0,03 ponto percentual - para 6,7% -, quando comparado com o primeiro semestre do ano passado e primeiro trimestre deste ano. 'Observamos um pequeno aumento nas modalidades de cartão de crédito e veículos', disse Cypriano. (Vanessa Correia - InvestNews) 12 Itaú - A carteira de pessoa física do banco Itaú ficou com R$ 62,27 bilhões em junho, ante R$ 52,9 bilhões ao final de março, e evolução de 38,3% em 12 meses. O destaque, disse Carvalho, ficou por conta da carteira de veículos, com expansão de 61,7% em um ano, para R$ 36,04 bilhões, respondendo por mais da metade do saldo. Esta carteira (alta entre 40% e 45%), as de crédito imobiliário (mais 40%) e das operações com as micro, pequenas e médias empresas (alta entre 35% a 40%) são as que apresentarão maior percentual de crescimento no ano, estima o executivo. O Itaú, que investiu R$ 1 bilhão em tecnologia no primeiro semestre deste ano, continua com seu forte plano de expansão orgânica e de conquista de novos clientes. O banco atraiu 700 mil novos clientes ativos em 12 meses, sendo 500 mil no primeiro semestre deste ano, e quer mais 500 mil até o final de Hoje, tem 12 Disponível em: <http://indexet.gazetamercantil.com.br/arquivo/2008/08/04/295/bancos:-bradescorevisa-para-cima-crescimento-do-credito.html>. Acesso em 30/11/

14 13,9 milhões de clientes ativos. Nos últimos 12 meses também abriu 134 pontosde-venda. A ampliação equilibrou as receitas do banco, impactadas pelas novas regras de cobrança de tarifas. (Gazeta Mercantil/Finanças & Mercados - Pág. 1)(Iolanda Nascimento). 13. Santander - O lucro líquido do Grupo Santander Brasil, que engloba os resultados dos bancos Santander e Real, avançou 1,3% entre janeiro e setembro deste ano, para R$ 2,23 bilhões, frente aos R$ 2,20 bilhões somados um ano antes. A carteira de crédito total do grupo somou R$ 130,48 bilhões, com crescimento de 25,5% ante os R$ 103,9 bilhões registrados no fim de setembro de O crédito para pessoa física chegou a um volume de R$ 57,25 bilhões, o que implica alta de 23% perante os R$ 46,53 bilhões do nono mês do calendário anterior. As operações de crédito para pessoa jurídica aumentaram 28,9%, para R$ 67,65 bilhões. "Os destaques da carteira de crédito de pessoa física foram os segmentos de cartões de crédito, que teve alta de 42,3% (R$ 6,22 bilhões); financiamento imobiliário, com crescimento de 32,3% (R$ 4,18 bilhões); CDC+Leasing, num incremento 23,7% (R$ 23,71 bilhões); e crédito consignado, que subiu 11% (R$ 6,59 bilhões)", comentou a instituição em nota. Em 30 de setembro de 2008, mantinha mais de 55 mil funcionários, e mais de 8 milhões de correntistas ativos. A complementaridade da rede de distribuição dos dois bancos transforma o Santander em uma instituição com presença nacional, detentora de uma rede de pontos de venda (agências e PAB s) e terminais de auto-atendimento, com foco nas regiões Sul e Sudeste. Grupo Santander no mundo O desempenho do Brasil respondeu por 11% do resultado global do Grupo Santander, desconsiderando o Banco Real 14. Unibanco - A fusão anunciada em novembro 2008 entre o Banco Itaú com o Unibanco via troca de ações. A operação que dará origem a Itaú Unibanco Holding vai formar o maior conglomerado financeiro privado do Hemisfério Sul, cujo valor de mercado fará com que ele fique situado entre os 20 maiores do mundo. O patrimônio líquido da nova companhia é de aproximadamente R$ 51,7 bilhões. 13 Jornal Gazeta Mercantil banco Itaú lucra R$ 4,08 bilhões em carteira de crédito - 06/ Disponível em: <http://indexet.gazetamercantil.com.br/arquivo/2008/08/06/86/banco-itau-lucra-r$-4,08-bi-e-carteira-decredito-salta-41,3.html>. Acesso em 30/11/ Jornal Valor Econômico Lucro do Grupo Santander no Brasil sobe R$ 2,23 bilhões 28/10/2008 Disponível em: <http://www.valoronline.com.br/valoronline/materiacompleta.aspx?tit=lucro+do+grupo+santander+brasi l+sobe+13+no+ano+para+r$+223+bi&codmateria= &dtmateria= &codcategoria=34> Acessado 12/12/08 14

15 O lucro líquido do Unibanco recuou 40% no terceiro trimestre deste ano, somando R$ 704 milhões, ante os R$ 1,19 bilhão registrados em igual período do ano passado. Já o lucro líquido recorrente apresentou expansão de 5,5% no trimestre, atingindo R$ 704 milhões frente aos R$ 667 milhões na mesma época de Em ativos totais, o Unibanco alcançou R$ 178,5 bilhões, com variação positiva de 33% quando comparados a 30 de setembro de A carteira de crédito registrou crescimento de 7,7% de julho a setembro, atingindo R$ 74,2 bilhões. Enquanto que em 12 meses, a expansão foi de 32,9%. O Índice da Basiléia atingiu 13% 15. e O Unibanco possui 954 agências, 280 postos de atendimento bancário (PABs) e uma ambiciosa meta de crescimento orgânico nos próximos dois anos, que deverá ampliar sua rede em aproximadamente 400 pontos de venda, incluindo agências, PABs. O destaque, assim como nas demais instituições financeiras, ficou por conta do segmento de pessoas físicas com evolução de 35,4% sobre o 2T07, o que é positivo, pois é onde são obtidos os maiores spreads 16. HSBC A carteira de crédito, que atingiu 37%. Ela foi de R$ 27,9 bilhões para R$ 38,3 bilhões. E quando fomos buscar o 'funding' para alavancar este crescimento, os depósitos cresceram 28%. O aumento dessa carteira se deve especialmente ao crédito concedido a pessoas físicas, que na área de financiamento de veículos aumentou 34%, e do crédito consignado, que subiu 60%, mantendo a mesma rota iniciada no ano passado Jornal Gazeta Mercantil Lucro do Unibanco recua 40% no terceiro trimestre 06/11/2008 Disponível em: < Unibanco-recua-40-no-terceiro-trimestre.html> Acessado 12/12/08 16 Jornal Gazeta Mercantil Unibanco Lucroa 1,49 li no semestre 08/08/ Disponível em: < Acessado 12/12/08 17 Jornal Gazeta Mercantil Crédito tributário ajuda o lucro do HSBC 19/08/ Disponível em: < Acessado 12/12/08 15

16 O relacionamento dos bancos com os consumidores O ranking de reclamações corresponde ao registro das ocorrências de reclamações realizadas pelos consumidores junto ao Banco Central do Brasil, que atua na condição de órgão regulador do mercado financeiro como mediador das relações entre bancos e consumidores. As ocorrências registradas pelo Banco Central do Brasil, representam as reclamações que não foram solucionadas pelos bancos, inclusive pelas respectivas ouvidorias. Tabela 3 - Volume de ocorrências no ranking de reclamações - (jan a out-08) Banco Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Total Bradesco Santander Unibanco Itaú HSBC Fonte: Banco Central do Brasil Entre as reclamações mais freqüentes é possível observar a necessidade de revisão do relacionamento entre bancos e consumidores, os dados não são conclusivos, porque representam apenas as reclamações registradas no Banco Central, não compreendendo as reclamações registradas pelos próprios bancos e também aquelas dos consumidores que simplesmente não procuram as esferas competentes para registrar as ocorrências. Cabe destacar também, que os registros não incluem as reclamações que não são consideradas pertinentes à atividade de regulação do Banco Central, como é a questão do tempo de espera em filas de bancos e a questão de segurança, que segundo o site do Banco Central O Banco Central não regulamenta o tempo de espera em filas. Existem leis estaduais e municipais que tratam do assunto. Cabe aos órgãos de defesa do consumidor (Procon, Prodecon, Decon) a orientação sobre o tema 18. Tabela 4 Indice de reclamações- Nº de Ocorrências por Nº de Clientes Acumulado jan a out-08 Bancos Bradesco Itaú Santander Unibanco HSBC Atendimento 5,19 4,22 8,05 4,12 14,69 Fornecimento de documentos 4,52 3,10 2,40 2,69 10,07 Fornecimento de informações 3,57 1,63 2,04 3,41 3,99 Transparência nas relações 1,19 0,68 2,19 1,84 5,01 Prazos não cumpridos 1,06 1,52 4,67 3,20 9,16 Produtos não solicitados 0,96 1,47 2,14 2,48 1,37 Fonte: Banco Central do Brasil Elaborado Idec 18 Disponível em <http://www.bcb.gov.br/pre/portalcidadao/bcb/tempofilas.asp?idpai=portalbcb > acessado em 12/12/08 16

17 Linhas de crédito ofertadas pelos bancos aos consumidores Cartão de Crédito O cartão de crédito é uma modalidade que apresentou um crescimento do número de locais que aceitam o produto. Enquanto em 1998 apenas 300 mil pontos aceitavam os plásticos, com a maioria deles localizados nos grandes centros, ao final do terceiro trimestre de 2008 já eram 1,4 milhão de locais onde os cartões são aceitos. A expansão se deu tanto em número de estabelecimentos, quanto na direção do interior do País e para as periferias de grandes centros urbanos 19. Em junho de 2008, o número de cartões de crédito ativos no Brasil superou a marca dos 100 milhões e já chegou a todas classes sociais e diferentes faixas etárias. Até o consumidor com R$ 150 de renda, que é menos que um salário mínimo, tem acesso ao cartão de crédito por meio de cartões de loja. Tabela 5 Taxa de juros de cartão de crédito vigente em outubro-2008 Taxas - Cartões de Crédito Banco Unibanco * Itaú * Santander* Bradesco** HSBC ** Cartão Internacional Cartão Internacional Cartão Internacional Cartão Internacional Serviços Gold 4 x Anuidade 3 x R$29,00 3 x R$29,00 4 x R$23,50 4 x R$21,75 R$36,00 Taxa de Juros 15,99 13,50 12,99 12,70 11,39 Taxa p/ Saque 15,99 13,50 13,90 12,39 12,39 Parcelado 10,99 11,90 7,99 6,10 10,34 Taxa Máxima Próximo Período 15,99 13,50 15,99 12,70 14,19 C.E.T 523,30 425,65 372,83 319,77 279,10 Fonte: * Extratos Bancos / ** Site dos bancos Cheque Especial O cheque especial é uma concessão de crédito de um limite de crédito rotativo diretamente na conta corrente no valor, prazo e vencimento indicados na proposta de adesão, que será utilizado para a cobertura de saldos negativos em decorrência da movimentação da conta corrente. As taxas praticadas pelos bancos são elevadas, apresentam alto risco de geração de endividamento e não é indicada contratação desta modalidade de crédito para cobrir despesas imprevisíveis (o consumidor deve utilizar outros recursos como poupança ou linhas de crédito com juros menores). 19 Jornal Gazeta Mercantil - Cartões de crédito ignoram crise e crescem com força Disponível em <http://indexet.gazetamercantil.com.br/arquivo/2008/11/12/19/cartoes-de-credito-ignoram-crise-e-crescemcom-forca.html> acesso em 12/12/

18 Tabela 6 Taxa Média de Cheque Especial BANCO Taxa Média ao Mês Taxa Média ao Ano SANTANDER 9,72 204,39% HSBC 9,05 182,82% UNIBANCO 8,27 159,48% BRADESCO 8,17 156,61% ITAÚ 8,01 152,10% Taxa Média dos 5 bancos 8,64 170,44% Fonte: Banco Central do Brasil -14/11/08 Crédito Pessoal A oferta de crédito para pessoas físicas no Brasil triplicou em seis anos. De 70 bilhões de reais em fevereiro de 2001, saltou para 200,6 bilhões de reais em fevereiro deste ano. O empréstimo consignado (com desconto no contracheque) já responde por 55% do total do crédito pessoal. Emprestar dinheiro tornou-se a principal fonte dos lucros das instituições financeiras. Como os prazos são ampliados para pagamento em até 36 meses, o consumidor tende a olhar o valor que cabe no bolso, ignorando o custo do crédito obtido. Essa prática é fortemente explorada na publicidade de venda de produtos e serviços desviando o consumidor para a reflexão do custo efetivo do bem que está adquirindo. A verba liberada para empréstimos consignados a aposentados e pensionistas do INSS já chega a R$ 27,3 bilhões, informou o Ministério da Previdência Social. O número acumulado de empréstimos é de 20,7 milhões, e o total de pessoas que recorreram a este recurso é de 8,45 milhões no período de maio de 2004 até agosto deste ano. Tabela 7 Taxa média de crédito pessoal BANCO Taxa Média ao Mês Taxa Média ao Ano BRADESCO 4,93 78,15% ITAU 4,84 76,33% HSBC 4,32 66,12% UNIBANCO 4,01 60,29% SANTANDER 3,61 53,05% Taxa Média dos 5 bancos 4,34 66,54% Fonte: Banco Central do Brasil -14/11/08 Os juros nas agências bancárias para as pessoas físicas foram, em média, de 66,54% ao ano em novembro, para os cinco bancos, conforme tabela 7 que traz dados divulgados em 12 de novembro de 2008 pelo Banco Central. Isso significa que, a cada um ano e meio, a dívida dobra, em termos nominais e na aquisição de bens duráveis a divida dobra em dois anos. 18

19 Tabela 8 Crédito para aquisição de bens duráveis PF BANCO Taxa Média ao Mês Taxa Média ao Ano SANTANDER 4,03 60,66% HSBC 3,91 58,45% ITAU 3,30 47,64% BRADESCO 3,15 45,09% UNIBANCO 2,91 41,09% Taxa Média dos 5 bancos 3,46 50,41% Fonte: Banco Central do Brasil - 14/11/08 Financiamento de veículos O financiamento de veículos tem sido a modalidade de crédito que tem proporcionado o melhor resultado na carteira de crédito dos bancos, uma operação considerada de baixo risco para os bancos em razão da alienação fiduciária, a possibilidade de retomada do veículo em caso de inadimplência superior a 90 dias. O motor das vendas, segundo especialistas, é o leasing (arrendamento mercantil). As operações cresceram de 18% a 36% das unidades comercializadas, superando o Credito pessoal, que recuou de 45% para 30%, enquanto as operações de consórcio caíam de 5% para 3% e as vendas à vista, de 32% para 31% do total. O leasing é usado principalmente nas operações com prazo igual ou superior a 60 meses, que correspondem a 50% dos financiamentos 20. Tabela 9 - Taxa média de Juros - Aquisição de Bens(Veículos) -PF BANCO Taxa Média ao Mês Taxa Média ao Ano BRADESCO 2,42 33,23% UNIBANCO 2,39 32,77% ITAU 2,35 32,15% HSBC 2,15 29,08% SANTANDER 2,04 27,42% Taxa Média dos 5 bancos 2,27 30,91% Fonte: Banco Central do Brasil - 14/11/08 20 Disponível em: < Acesso em 13/12/08 19

20 Taxas de juros mínimas e máximas praticadas pelos bancos As taxas mínimas ou máximas foram divulgadas pelo Banco Central que só considera as taxas que foram efetivamente cobradas em alguma operação. Portanto, se um banco informou uma taxa de juro de 13,40% ao mês é porque, efetivamente, cobrou a taxa de algum cliente. Bradesco Anunciou lucro de R$ 1,9 bilhão (em 2007 foi de R$ 1,85 bilhão) com resultado acumulado em 9 meses de R$ 6,01 bilhões. A carteira de crédito atingiu R$ 197 bilhões com crescimento de 41% nos últimos 12 meses. Os ativos totais alcançaram os R$ 422,7 bilhões 21. A manutenção do crescimento da carteira de credito para pessoa física, está garantido pelo crescimento da carteira de crédito consignado e financiamento de veículos (arrendamento mercantil). As operações apresentam baixo risco de inadimplência em razão do desconto em folha de pagamento e a alienação fiduciária que garante ao banco a retomada do veículo em caso de não pagamento em período superior a noventa dias. Tabela 10 Taxa de juros - Bradesco 14/11/2008 Bradesco Taxa Mínima % Taxa Máxima % Taxa Média % PREFIXADO - Pessoa Física CHEQUE ESPECIAL 4,79 8,58 8,17 CREDITO PESSOAL 1,70 6,11 4,93 AQUI. BENS(VEÍCULOS) - PF 1,49 4,10 2,42 AQUI. BENS(OUTROS) - PF 1,85 4,10 3,15 Fonte: Banco Central do Brasil 14/11/08 Itaú Divulgou resultado de R$ 1,8 bilhão no trimestre e R$ 5,9 bilhões no acumulado dos últimos 9 meses, ante os R$ 6,44 bilhões acumulado no mesmo período de A carteira de crédito atingiu R$ 164,5 bilhões com crescimento de 44,2% nos últimos 12 meses. Já os ativos totais totalizam atualmente R$ 396 bilhões 22. No Itaú Unibanco a perspectiva é de que as novas concessões de crédito levam em conta o aumento da inadimplência no próximo ano e, por isso, as taxas de juros bancárias estão mais elevadas, o que inibe em parte a tomada de empréstimos por parte do consumidor afirmou Roberto Setúbal presidente do banco. "Temos a expectativa de um ano mais difícil pela 21 Disponível em:< BRADESCO+OBTEM+LUCRO+MAIOR+NO+ANO+ATE+SETEMBRO+DE+R+BI.html> Acesso em 12/12/08 22 Disponível em: < ITAU+REGISTRA+LUCRO+DE+R+BILHAO+NO+TERCEIRO+TRIMESTRE.html> Acesso em:12/12/08 20

21 frente, com a elevação da inadimplência. Esse risco maior tem que ser precificado nas taxas", disse à imprensa após reunião com analistas e investidores. "Vai ser um aumento sensível, mas perfeitamente administrável", disse, acrescentando que não vê riscos de forte deterioração na carteira de veículos em nenhuma das duas instituições. 23 Tabela 11 - Taxa de juros - Itaú 14/11/2008 Itaú Taxa Mínima % Taxa Máxima % Taxa Média % PREFIXADO - Pessoa Física CHEQUE ESPECIAL 3,16 8,95 8,01 CREDITO PESSOAL 0,99 7,09 4,84 AQUI. BENS(VEÍCULOS) - PF 1,16 3,20 2,35 AQUI. BENS(OUTROS) - PF 2,98 3,55 3,30 Fonte: Banco Central do Brasil 14/11/08 Santander O anunciou lucro de R$ 496,8 milhões no trimestre e de R$ 2,23 bilhões nos primeiros 9 meses, com avanço de 1,3% em relação a A carteira de crédito alcançou R$ 130,5 bilhões (25,5% de aumento) O crédito para pessoa física chegou a um volume de R$ 57,25 bilhões, o que implica alta de 23% perante os R$ 46,53 bilhões do nono mês do calendário anterior. As operações de crédito para pessoa jurídica aumentaram 28,9%, para R$ 67,65 bilhões 24. Tabela 12 - Taxa de juros - Santander 14/11/2008 Santander Taxa Mínima % Taxa Máxima % Taxa Média % PREFIXADO - Pessoa Física CHEQUE ESPECIAL 1,36 9,85 9,72 CREDITO PESSOAL 1,45 6,69 3,61 AQUI. BENS(VEÍCULOS) - PF 1,39 2,96 2,04 AQUI. BENS(OUTROS) - PF 2,44 5,82 4,03 Fonte: Banco Central do Brasil 14/11/08 HSBC A queda em relação ao trimestre anterior foi de 51% em seu lucro líquido, de R$ 438,806 milhões para R$ 211,638 milhões. Em comparação com o mesmo 23 Revista Exame - Itaú Unibanco prevê ano mais difícil e inadimplência 12/12/ shtml 24 Disponível em:< LUCRO+DO+GRUPO+SANTANDER+BRASIL+SOBE+NO+ANO+PARA+R+BI.html>. Acesso em 12/12/08 21

22 período do ano passado, em que obteve R$ 233,145 milhões, a redução no lucro foi de 9,11%. Os ativos do banco cresceram 63,8% de um ano para o outro, passando de R$ 69,804 bilhões para R$ 114,338 bilhões. Entre trimestres, o crescimento foi de 17,28% 25. Tabela 13 - Taxa de juros - HSBC 14/11/2008 HSBC Taxa Mínima % Taxa Máxima % Taxa Média % PREFIXADO - Pessoa Física CHEQUE ESPECIAL 1,46 9,25 9,05 CREDITO PESSOAL 1,90 7,60 4,32 AQUI. BENS(VEÍCULOS) - PF 2,15 3,95 2,15 AQUI. BENS(OUTROS) - PF 2,48 4,90 3,91 Fonte: Banco Central do Brasil 14/11/08 Unibanco O banco divulgou resultado de R$ 704 milhões no 3T08, com aumento de 5,6% em relação ao mesmo período de O resultado acumulado em 2008 é de R$ 2,2 bilhões com aumento de 16,8% em relação aos 9 primeiros meses de O banco administra R$ 178,5 bilhões em ativos dos quais R$ 74,3 bilhões estão alocados na carteira de crédito. A instituição cresceu em média 33% nos últimos 12 meses 26. Tabela 14 - Taxa de juros - Unibanco 14/11/2008 Unibanco Taxa Mínima % Taxa Máxima % Taxa Média % PREFIXADO - Pessoa Física CHEQUE ESPECIAL 3,90 8,99 8,27 CREDITO PESSOAL 2,50 5,67 4,01 AQUI. BENS(VEÍCULOS) - PF 2,39 2,89 2,39 AQUI. BENS(OUTROS) - PF 1,62 3,50 2,91 Fonte: Banco Central do Brasil 14/11/08 25 Disponível em: < Acesso em 12/12/08 26 Disponível em: < UNIBANCO+ANUNCIA+LUCRO+DE+R+MILHOES.html >Acesso em 12/12/08 22

23 Inadimplência A oferta de crédito é um aspecto da expansão da atividade econômica do Brasil que remete a outra questão, tão relevante quanto à expansão, que é a capacidade de pagamento de quem já tomou crédito ao longo do período de forte crescimento econômico. A inadimplência é resultado do maior volume de crédito que é concedido a consumidores, muito deles de baixa renda com pouca capacidade de pagamento, aumentando o risco do empréstimo e conseqüentemente, elevando as taxas de juros, dificultando o pagamento de parcelas em atraso. Qual a expectativa que se pode ter desse processo? Atualmente, o consumidor endividado, sobrevive graças à aquisição de um segundo empréstimo para pagar o primeiro, de um terceiro para pagar o segundo, e assim por diante. Assegurar que essas dívidas sejam honradas é tão importante quanto à oferta de mais crédito. O problema é que a inadimplência passou a apresentar uma escalada preocupante. Os dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostraram que na primeira quinzena de novembro as parcelas com atraso superior a 15 dias avançaram 13,8%, na comparação com o mesmo período de Em relação ao índice de inadimplência de outubro, neste mês ocorreu expansão de 1,1 ponto percentual. Vale notar que, para os experientes analistas da ACSP, a alta da inadimplência reflete o excesso de endividamento dos últimos meses, que não pode ser vinculado ainda ao impacto da crise financeira internacional.o problema da inadimplência tem aspectos localizados, pontuais, que são especialmente graves. A Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) apresentou dados que a inadimplência de veículos alcançou padrões muito excessivos, atingindo 9,3% no valor médio anual em agosto. Em setembro avançou ainda mais. É preciso observar que o crédito de automóveis representa mais da metade dos financiamentos concedidos às pessoas físicas no País. Os dados da Acrefi demonstram que 22% do crédito está concentrado em oferta consignada, de risco quase zero, porque é vinculada à folha de pagamento do tomador do empréstimo. Quando a inadimplência do setor de crédito para automóveis subiu demais, os bancos dobraram os cuidados e reduziram em outubro em14% o financiamento de carros novos e em 40% o de veículos usados. Foi o suficiente para paralisar as vendas e lotar os pátios das montadoras. 27 Com a festa do crédito em expansão surgiram a partir de 2002 os primeiros sinais do superendividamento. Cidadãos que recorrem às financeiras para complementar 27 Jornal Gazeta Mercantil Inadimplência e crédito baixo contraem expansão Disponível <http://indexet.gazetamercantil.com.br/arquivo/2008/11/19/59/inadimplencia-e-creditobaixo-contraem-expansao.html> Acessado em 05/12/08 23

24 a renda são sugados por uma espiral perversa e contraem empréstimos para pagar empréstimos. Muitos são abordados nos grande centro de forma agressiva com o assedio dos vendedores de crédito das instituições financeiras, muitas delas pertencentes aos grandes bancos à caça de clientes. Tabela 15 - Operações de crédito do sistema financeiro - Pessoa Física Data Cheque especial Crédito pessoal Cartão de Crédito Aquisição de veículos Aquisição de bens Aquisição de imóveis Outras Operações 2 Total Pessoa Física 4 (inclui crédito (rotativo e consignado) parcelado 3 ) veículos bens imóveis mai-07 9,2 5,3 23,5 3,3 12,4 3,9 15,6 7,2 jun-07 9,4 5,5 23,1 3,2 12,6 3,6 14,1 7,1 jul-07 9,0 5,3 23,8 3,2 12,9 3,5 14,8 7,1 ago-07 9,5 5,4 24,1 3,2 12,8 3,3 15,8 7,2 set-07 9,6 5,4 22,7 3,3 12,7 3,4 15,1 7,1 out-07 8,6 5,3 24,4 3,1 12,8 3,3 15,2 7,0 nov-07 9,1 5,3 24,5 3,1 12,3 3,2 15,8 7,1 dez-07 10,6 5,3 24,9 3,0 12,4 2,9 13,7 7,0 jan-08 10,1 5,4 24,9 3,1 12,5 2,5 13,9 7,1 fev-08 10,0 5,2 24,5 3,2 12,6 2,8 17,2 7,1 mar-08 8,5 5,1 24,0 3,3 12,0 2,7 14,8 6,9 abr-08 8,3 5,1 25,4 3,5 12,9 3,1 15,4 7,1 mai-08 8,9 5,2 25,2 3,7 13,2 1,9 15,6 7,3 Fonte: Bacen. Elaboração: Febraban. Notas: 1/ Percentual do saldo em atraso superior a 90 dias. 2/ Outras Operações: Adiantamento a depositantes, renegociação de dívidas, desconto de cheque, de recebíveis e de fatura de cartão de crédito. 3/ Parcelado Banco 4/ Média ponderada do saldo das carteiras coam atrasos superiores a 90 dias O acompanhamento da inadimplência do setor financeiro para pagamentos com atraso de mais de 90 dias cresceu em média 7,1% nos últimos anos e se mantém nesse patamar considerado alto, comparado ao índice americano de 4% onde inclusive possui taxas de juros muito inferiores ás praticadas no Brasil. O superendividamento é fruto de uma economia que cresce de forma instável e insuficiente, com carência de empregos e de renda. Agrava-se com o elevadíssimo custo do dinheiro, que é alto e embute todo o risco que penaliza o bom pagador em decorrente do perfil do mau pagador que por sua vez, não se dar conta dos encargos financeiros a que se submete. 24

25 Análise dos contratos Abusividade Análise das cláusulas abusivas nos contratos bancários por adesão, sob a ótica do Direito do Consumidor e dos Princípios Gerais de Contratação. A vulnerabilidade técnica e jurídica do consumidor que utiliza os serviços bancários apresenta-se a partir do desconhecimento das condições de como são formalizados os contratos das operações de crédito elaborados previamente pelos bancos e assinados somente pelo consumidor. Outra questão refere-se à elaboração das cláusulas e sua aplicação caracterizando a abusividade de acordo com a jurisprudência jurídica no âmbito da aplicação do Código Brasileiro de Defesa do Consumidor. Ao abrir uma conta corrente, contratar um financiamento de veículo, contratar um cartão de crédito, ou qualquer outro serviço bancário, a maioria dos bancos emite contratos com conteúdo padronizado, conhecidos como contratos por adesão impressos previamente, com condições contratuais estabelecidas pelos bancos, sem que haja possibilidade do consumidor discutir o conteúdo das clausulas dos serviços contratados onde inexiste uma fase de negociação preliminar. Dessa forma, o esquema contratual vem pronto, devendo o consumidor aceitá-lo integralmente sem nenhuma opção de rever a proposta, limita-se a aceitar o que lhe é imposto. Isso ocorre porque invariavelmente o consumidor é obrigado a aceitar essas condições, como parte da conjuntura econômica, onde ele é solicitado a utilizar um serviço bancário, seja para receber o salário, pagar contas e guardar suas economias, razão pela qual acaba aderindo a um tipo de serviço oferecido pelo banco. Por um lado o contrato por adesão facilita e agiliza a contratação de serviço, por outro, apresenta um desequilíbrio nas relações contratual entre banco e consumidor. Os bancos valendo-se da posição economicamente favorável, muitas vezes acabam por trazer ao contrato cláusulas abusivas que afrontam ao princípio da boa-fé, da lealdade, da tutela da confiança e do equilíbrio contratual. Dependente de explicações ou de informações técnicas alheias à sua compreensão, o consumidor contratante, adere a uma situação contratual sem conhecer a carga obrigacional e seu alcance, o que evidencia sua vulnerabilidade técnica e jurídica 28. Com a entrada em vigor do CDC (Lei n. º 8.078, de ), as cláusulas contratuais dos contratos bancários passaram a ser discutidas no âmbito jurídico no aspecto de combate a abusividade. De acordo com o Capítulo VI Da Proteção Contratual Seção II Das cláusulas abusivas Art. 51, 52, 53 e BITTAR, Carlos Alberto. Os Contratos de Adesão e o controle de Cláusulas Abusivas. São Paulo: Saraiva,

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

Superendividamento no Brasil

Superendividamento no Brasil Programa Estudo sobre crédito e superendividamento dos consumidores dos países do Mercosul CONSUMERS INTERNATIONAL FUNDAÇÃO AVINA Superendividamento no Brasil Maio de 2008 - São Paulo Programa Estudo sobre

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Em Abril de 2009, operações de crédito atingiram

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo:

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo: PESQUISA DE JUROS Após longo período de elevação das taxas de juros das operações de crédito, as mesmas voltaram a ser reduzidas em setembro/2014 interrompendo quinze elevações seguidas dos juros na pessoa

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira e da Empregabilidade 26 DE MARÇO DE 2009 Fábio Colletti Barbosa Presidente ÍNDICE 1. A Crise Financeira Mundial 2. O Brasil, a Crise

Leia mais

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 Desde março do ano passado, a partir da reversão das expectativas inflacionárias e do início da retomada do crescimento econômico, os juros

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em setembro/2013, sendo esta a quinta elevação no ano. Esta elevação

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

Empréstimo e cartão consignado

Empréstimo e cartão consignado outubro/2014 Empréstimo e cartão consignado direcionados a aposentados e pensionistas Todo aquele que recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social pode obter crédito

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Cidadão Perguntas e Respostas

Cidadão Perguntas e Respostas Cidadão Perguntas e Respostas 1. INFORMAÇÕES GERAIS... 2 1.1 O QUE É O SCR?... 2 1.2 QUEM PODE CONSULTAR AS INFORMAÇÕES ARMAZENADAS?... 2 1.3 PARA QUE SERVEM OS DADOS?... 2 1.4 OUTROS PAÍSES TÊM SISTEMAS

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2013 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12 TABELA DE CAPTAÇÃO DAS S DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA EM 02/05/12 BANCO DO BRASIL BRADESCO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL HSBC MODALIDADES DE CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO 2,94* 13,56* 2,10* 14,99* 1,90* 2,85** 6,03*

Leia mais

E m p r é s t i m o E cartão consignado direcionados a aposentados E pensionistas

E m p r é s t i m o E cartão consignado direcionados a aposentados E pensionistas Empréstimo e ca rt ã o c o n s i g n a d o d irec io na do s a apos e nta do s e pe ns io nis ta s Todo aquele que recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social,

Leia mais

Bancos financiam crescentemente a produção

Bancos financiam crescentemente a produção Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nota do dia 25 de julho de 2007 Fontes: Bacen, IBGE e CNI Elaboração: Febraban Bancos financiam crescentemente a produção Pessoa Jurídica O crédito destinado

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito 25 de junho de 2010 Sobre este estudo Este estudo foi desenvolvido no início de 2009 e atualizado parcialmente em junho de 2010 2 A operação do cartão

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Visão. Crédito à pessoa física responde por 27% do crescimento da economia entre 2004 e 2009. do Desenvolvimento. nº 84 6 ago 2010

Visão. Crédito à pessoa física responde por 27% do crescimento da economia entre 2004 e 2009. do Desenvolvimento. nº 84 6 ago 2010 Visão do Desenvolvimento nº 84 6 ago 2010 Crédito à pessoa física responde por 27% do crescimento da economia entre 2004 e 2009 Por Gilberto Borça Jr. e Leandro Coutinho Economista e advogado da APE Expansão

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

Nova Estrutura de Dados de Crédito

Nova Estrutura de Dados de Crédito Nova Estrutura de Dados de Crédito Este boxe apresenta as principais alterações introduzidas recentemente nas estatísticas de crédito publicadas pelo Banco Central 1. A reformulação objetivou ampliar a

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Módulo 2 Pr T odít ut U os L e O S erx viços Financeiros

Módulo 2 Pr T odít ut U os L e O S erx viços Financeiros Módulo 2 Produtos TÍTULO e Serviços X Financeiros CRÉDITO PESSOAL Olá! Neste módulo, vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre os produtos e serviços financeiros que podemos oferecer aos nossos clientes.

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA

RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA Pesquisa realizada pelos técnicos do Procon Goiás, entre os dias 4 e 9 de setembro

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas.

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. SUPERENDIVIDAMENTO Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. Nos últimos anos, houve um crescimento significativo de endividados no Brasil. A expansão da oferta de crédito e a falta de controle do orçamento

Leia mais

Programa CAIXA Melhor Crédito

Programa CAIXA Melhor Crédito Programa CAIXA Melhor Crédito CAIXA REDUZ A PARTIR DE HOJE TAXAS DE JUROS EM ATÉ 88% O Caixa Melhor Crédito trará beneficio imediato para mais de 25 milhões de clientes A Caixa Econômica Federal anunciou

Leia mais

Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL

Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL Papel das Centrais de Informações Comerciais Os objetivos das centrais de informação de crédito são: Apoio à gestão de risco de crédito para

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

Crédito no Cartão Evolução do saldo e análise da taxa de juros cobrada

Crédito no Cartão Evolução do saldo e análise da taxa de juros cobrada Crédito no Cartão Evolução do saldo e análise da taxa de juros cobrada Estudo elaborado por: Boanerges Ramos Freire boanerges@boanergesecia.com.br Rafael Durer rafael@boanergesecia.com.br Fabricio Winter

Leia mais

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011 Visão do Desenvolvimento nº 96 29 jul 2011 O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada Por Fernando Puga e Gilberto Borça Jr. Economistas da APE BNDES vem auxiliando

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido

Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido Conceito e Características do Cartão de Crédito O cartão de crédito Private Label Híbrido, de uso doméstico

Leia mais

Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC

Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC Perspectivas do Mercado de Crédito Cenário econômico Cenário econômico Contexto Macro-econômico e Regulamentação Redução de spreads Incremento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS O BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., com sede na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 e 2235, Bloco A, Vila Olímpia, São Paulo/SP, CEP 04543-011, CNPJ/MF sob n.º 90.400.888/0001-42, disponibiliza

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Boletim Mensal. Novembro/ 2.014

Boletim Mensal. Novembro/ 2.014 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Mensal Novembro/ 2.014 Acumulado janeiro a novembro/2014 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 24-06-2008) Edição de 25 de junho de 2008 Operações de crédito à pessoa física apresentam

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 (dados junho de 2015) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Agenda Estrutura do Mercado de Cartões Principais Números da Indústria de Cartões no Brasil Situação Atual da Indústria

Leia mais

PESQUISA DE JUROS ANEFAC ref a Novembro/2013 Após seis elevações no ano, taxas de juros das operações de crédito ficam estáveis

PESQUISA DE JUROS ANEFAC ref a Novembro/2013 Após seis elevações no ano, taxas de juros das operações de crédito ficam estáveis PESQUISA DE JUROS ANEFAC ref a Novembro/201 Após seis elevações no ano, taxas de juros das operações de crédito ficam estáveis Com 4,27 no mes, Minas Gerais e Paraná registraram as maiores taxas de juros

Leia mais

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo estabelecer os critérios e procedimentos a serem adotados para concessão e liberação de empréstimos aos participantes. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO As operações de empréstimos

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel #103 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel Consórcio ou financiamento? Poupança com ganho real Investimento volta a superar a inflação

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS ESTAS CONDIÇÕES GERAIS REGEM O CONTRATO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO MEDIANTE

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional

A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional Gráfico 1 Produção da construção civil e PIB Variações anuais % 1 8 6 4 2-2 -4 1999 2 21 22 23 24 25 26 27 28 Construção civil PIB A indústria

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS - MAIO As taxas de juros das operações de crédito ficaram estáveis em maio/2013. Vale destacar que em maio o Banco Central voltou a elevar

Leia mais

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM.

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. Por norma do Conselho Monetário Nacional (CMN), foram padronizados os Serviços Prioritários e os serviços isentos para Pessoa

Leia mais

BOLETIM MENSAL. 1º Trimestre 2009

BOLETIM MENSAL. 1º Trimestre 2009 BOLETIM MENSAL 1º Trimestre 2009 Sistema Financeiro 4 - Crédito do Sistema Financeiro 5 - Carteiras de Financiamento (CDC) e Leasing Aquisição de Veículos 6 - Saldo e Recursos Liberados Financiamento CDC

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008 Fonte: Bacen 27/01/2009 DESTAQUES DE DEZEMBRO / 2008 As operações de crédito no SFN, incluindo recursos livres e direcionados, finalizaram o ano com um incremento

Leia mais

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO 18 de Agosto de 2006 Demian Fiocca Presidente do BNDES www.bndes.gov.br 1 BRASIL: NOVO CICLO DE DESENVOLVIMENTO Um novo ciclo de desenvolvimento teve início em 2004.

Leia mais

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO 2013 GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO CARTÕES DE CRÉDITO Definição Cartão de crédito é modalidade de pagamento à vista, objeto de um contrato de adesão entre o consumidor e uma administradora de cartões,

Leia mais

Regulamento da MultiConta Prestige

Regulamento da MultiConta Prestige Regulamento da MultiConta Prestige Mais serviços e mais benefícios feitos para quem recebe seu crédito de salário ou aposentadoria no Itaú Personnalité. A MultiConta Prestige oferece um maior número de

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

Nota para a Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito

Nota para a Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito Nota para a Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito Nova estrutura de dados de crédito Nota Metodológica 1. Introdução Esta Nota tem por objetivo descrever os principais aprimoramentos incorporados

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Anual 2.013 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e,

Leia mais

Volume de crédito segue em expansão em 2008

Volume de crédito segue em expansão em 2008 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 25-03-2008) Edição de 25 de março de 2008 Volume de crédito segue em expansão em 2008 O ritmo

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

Spread Bancário Brasileiro

Spread Bancário Brasileiro UNICAMP Projeto Supervisionado Spread Bancário Brasileiro Daniel Hauschild de Aragão RA 093607 Orientador: Laércio Vendite Objetivo: Este trabalho tem como objetivo a apresentação do método de cálculo

Leia mais

Análise de Risco de Bancos. Palestra Ocepar

Análise de Risco de Bancos. Palestra Ocepar Análise de Risco de Bancos Palestra Ocepar Abril/2009 Programação Análise recente do setor bancário Concentração Bancária Spread Bancário Crise Internacional Modelo de Análise de Bancos Perspectivas 2

Leia mais

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados?

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados? PAGAMENTOS DE VAREJO E CANAIS DE ATENDIMENTO Perguntas freqüentes 1. Arquivo ESTATCRT.TXT Informações relativas aos cartões com função saque e e-money 1.1. Devo informar os saques efetuados sobre linhas

Leia mais

CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS E DÚVIDAS SOBRE A ECONOMIA GLOBAL

CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS E DÚVIDAS SOBRE A ECONOMIA GLOBAL Julio Hegedus Assunto: Balanço Semanal InterBolsa BALANÇO SEMANAL 24 DE SETEMBRO DE 2010 BALANÇO SEMANAL 20 A 24/09 CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS E DÚVIDAS SOBRE A ECONOMIA GLOBAL Capitalização da Petrobras

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012 O RISCO DOS DISTRATOS O impacto dos distratos no atual panorama do mercado imobiliário José Eduardo Rodrigues Varandas Júnior

Leia mais

Sistema de Informações de Crédito do Banco Central Solidez para o Sistema Financeiro Nacional Facilidades para os tomadores de empréstimos

Sistema de Informações de Crédito do Banco Central Solidez para o Sistema Financeiro Nacional Facilidades para os tomadores de empréstimos Sistema de Informações de Crédito do Banco Central Solidez para o Sistema Financeiro Nacional Facilidades para os tomadores de empréstimos Transparência para a sociedade istema de Informações de Crédito

Leia mais

Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário

Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário 1. Objetivo do fundo O Fundo JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN Oper. Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) em julho/2015 O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados somou R$ 3,11 trilhões em julho/15, após alta de 0,3% no

Leia mais

Tendências Recentes da Consolidação Bancária no Mundo e no Brasil

Tendências Recentes da Consolidação Bancária no Mundo e no Brasil Tendências Recentes da Consolidação Bancária no Mundo e no Brasil Luiz Fernando de Paula Professor da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro E-mail: lfpaula@alternex.com.br

Leia mais

Transparência na Relação com os Consumidores

Transparência na Relação com os Consumidores Transparência na Relação com os Consumidores Mediador: Paulo Durval Branco Ekobé FEBRABAN São Paulo, 19 e 20 de agosto de 2009. Workshop Grupo I Transparência na Relação com os Consumidores Coordenação:

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

2.7 Financiamento. Por que Financiamento? Comparação Internacional. Visão 2022

2.7 Financiamento. Por que Financiamento? Comparação Internacional. Visão 2022 2.7 Financiamento Por que Financiamento? O ritmo de crescimento de uma economia e a competitividade da sua indústria dependem da disponibilidade de recursos para investimento e da capacidade do sistema

Leia mais

Cartilha do Crédito Consignado

Cartilha do Crédito Consignado Cartilha do Crédito Consignado Guia Prático para o Aposentado e Pensionista do INSS apoio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE BANCOS Caro aposentado ou pensionista Esta cartilha foi elaborada para o seu bem-estar.

Leia mais

Análise de Endividamento do Consumidor

Análise de Endividamento do Consumidor Belo Horizonte - 2015 A Análise Mensal do Endividamento do Consumidor traça o quadro de endividamento e inadimplência dos consumidores da capital. Essas informações são importantes porque englobam dados

Leia mais

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente BRICS Monitor A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente Agosto de 2011 Núcleo de Análises de Economia e Política dos Países BRICS BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS BRICS Monitor

Leia mais