FÁBRICA DE COSMÉTICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FÁBRICA DE COSMÉTICOS"

Transcrição

1 Página 1 de 15 FÁBRICA DE COSMÉTICOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade : indústria Tipo de Negócio: produção de cosméticos Produtos Ofertados/Produzidos: cosméticos em geral Investimento inicial: 150mil reais Área: 80m² APRESENTAÇÃO A preocupação com a aparência existe desde tempos pré-históricos, quando rostos pintados e corpos tatuados serviam para afugentar maus espíritos e agradar aos deuses. É no antigo Egito que vamos encontrar os primeiros testemunhos do uso de cosméticos, os faraós tinham nas perucas coloridas formas de distinção social. Os egípcios consideravam a maquilagem dos olhos ponto de destaque fundamental para evitar olhar diretamente para Rá, o deus sol. Assim misturas de metais pesados davam o tom esverdeado para impregnar e proteger as pálpebras dos nobres. No século XVI a preocupação com higiene pessoal foi deixada de lado, o que ironicamente contribuiu para o crescimento do uso de perfumes. Pintar os lábios é moda desde o século XVII, quando as pomadas coloridas tornaram-se acessíveis e seguras. Mas somente no século XX, com os avanços da indústria química fina, os cosméticos se tornam produtos de uso geral. Na década de 70 as cores de maquiagem tornaram-se populares, e foi no final da década de 80 que houve o lançamento das fórmulas evoluídas para cosméticos pigmentados. MERCADO A beleza é um mercado promissor no Brasil, de acordo com a ABIHPEC(Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), que aponta o Brasil como o terceiro mercado de cosméticos mundial, desta forma, gerador não apenas de renda, mas foco estratégico dos grandes players (grandes empresas desenvolvedoras e produtoras de cosméticos), e este apontamento não é apenas pertinente ao mercado financeiro e nada observado nas ruas (observe que não me ative aos dados do mercado neste momento). Agora compreenda o que ocorre no mercado brasileiro de cosméticos ao observar perfumarias, salões de beleza, centros de estética e mesmo nas páginas de revista, Internet (esta página que você agora lê é um exemplo disto) e programação de televisão (não é necessário comentar outras mídias, mas apenas observá-las). Ao se observar estes detalhes, ao andar pelas ruas, não apenas de uma cidade como São Paulo, mas também pequenas cidades do interior, a relação do brasileiro com o cosmético é cultural, com o desdobramento, inovação e uma boa dose de ação sócio-ambiental, o brasileiro aos poucos tomou orgulho em ter uma produção de cosméticos, mesmo não sendo tão popular o conhecimento do crescimento do setor também no mercado externo (exemplos para citar: Natura, O Boticário, Vita Derm, Surya Brasil, com presença em países como EUA, Canadá, França), que demonstra claramente o cuidado em todas as etapas da concepção de produtos (planejamento, marketing, designer, desenvolvimento, produção e controle de qualidade) está gerando resultados, que se inicia timidamente, mas com uma boa dose de ousadia a lá brasileira. Atualmente, é possível encontrar produtos

2 Página 2 de 15 genuinamente brasileiros em lojas de diversos outros países, frente a esta pequena ousadia dos empresários brasileiros. A pequena apresentação do que ocorre no mercado externo é apenas reflexo do mercado interno, onde a inovação, desenvolvimento de novos nichos e entre erros, muitos (e bons) acertos, o investimento ao mercado de cosméticos pode ser considerado como um bom caminho para os donos de capital ao redor do planeta. O aumento da comunicação nos grandes centros para os pontos mais afastados pode ser considerado como um motivo para este crescimento, associado a fatores culturais, da miscigenação de raças que se apresenta como estrutura (ou seria uma falta de estrutura?) nacional tornando o culto ao corpo saudável, explicável pelo clima tropical e a facilidade de se utilizar trajes mais leves que deixam partes do corpo à mostra, à fascinação das mulheres pelos cabelos (apesar de não muito claro, eu acredito que o tão querido liso perfeito não vem apenas das japonesas e sim das nossas índias), a utilização de pouca maquilagem, mas sempre presente, ao menos no batom. A higiene pessoal, através do banho diário, da utilização de desodorantes, deo colônias, e a busca da juventude da pele (claramente observada pelo aumento da expectativa de vida e vida ativa, social e produtiva). Dentro desses fatores, volto novamente a falar sobre o pequeno detalhe da comunicação, onde os comunicadores instantâneos, redes de relacionamento e sem esquecermos da utilização da imagem (posso citar uma serie de websites exclusivos para troca ou exposição de imagens, através das fotos digitais e vídeos). Assim, desde cedo, os jovens caminham por estes meios e cada vez mais cedo, se tornam consumidores do mercado da beleza. Outro ponto que devo lembrar está no excesso da virtualidade e na velocidade acelerada dos relacionamentos, que torna possível um novo mercado de cosméticos que cresce formidavelmente: O mercado de pet care, onde boa parte dos donos de animais, de pequeno e médio porte, cuida de seus animais de estimação como filhos, e desta forma, consumindo cada vez mais produtos para embelezá-los e torná-los mais agradáveis para o convívio. Com estas e tantas outras observações em mente é possível iniciar uma estratégia de trabalho, seja como fornecedor de insumos, produtor, desenvolvedor, comerciante ou na aplicação destes produtos. Reconhecer o mercado e compreendê-lo é fator essencial, pois onde temos muitas oportunidades, também temos os melhores jogadores. LOCALIZAÇÃO A escolha do local e do espaço físico necessário para instalar seu negócio é uma decisão muito importante para o sucesso do empreendimento. O local deve oferecer infra-estrutura adequada e condições que propiciem o seu desenvolvimento. É fundamental avaliar a facilidade do acesso a partir do perfil de sua clientela, uma vez que não adianta oferecer amplo estacionamento e estar longe de pontos de ônibus se este é o meio de transporte predominantemente utilizado por eles. As atividades econômicas da maioria das cidades são regulamentadas pelo Plano Diretor Urbano (PDU). É essa Lei que determina o tipo de atividade que pode funcionar em determinado endereço. A consulta de local junto à Prefeitura é o primeiro passo para avaliar a implantação de sua indústria. Na Prefeitura de Vitória o PDU é fornecido a partir de consulta no site. ESTRUTURA A estrutura básica deve contar com uma área mínima de 80m², que será distribuída entre o escritório, galpão de produção para a instalação de máquinas,

3 Página 3 de 15 equipamentos, estoques de matéria prima e de produtos acabados e almoxarifado. As posições e distribuição das máquinas e equipamentos, balcões de atendimento, depósitos, entre outros é importante para a integração das atividades a serem executadas. Para alcançar satisfatoriamente a produção desejada, você deverá considerar o layout interno (ambiente, decoração, facilidade de movimentação, luminosidade, entre outros) e o externo (vitrinas, fachada, letreiros, entrada e saída, estacionamento, entre outros) da sua empresa. EQUIPAMENTOS Entre os equipamentos necessários para a fabricação de cosméticos podemos destacar: - Agitador, - Filtro para tratamentos de água, - Máquinas para envasamento, - Esterilizador, seladora e utensílios em geral. INVESTIMENTOS O investimento varia muito de acordo com o porte do empreendimento e do quantitativo de que dispõe o investidor. Considerando uma indústria de pequeno porte, voltada para produção em série, montada numa área de 80m², será necessário um investimento de R$ 150mil aproximadamente, incluindo os equipamentos já descritos acima e o capital de giro, bem como a estruturação do ambiente. Obs.: os valores apresentados são indicativos e servem de base para o empresário decidir se vale ou não a pena aprofundar a análise de investimento. Investindo em AUTOMAÇÃO Uma tendência cada vez mais presente nas empresas que buscam o sucesso é automatizar as diversas atividades desenvolvidas. A automação melhora o dinamismo dos serviços oferecidos, reduzindo filas, tempo de espera, agilizando a emissão de notas fiscais, entre outros. Existem muitas opções que possibilitam essa facilidade: caixas eletrônicas isoladas ou integradas, impressoras para preenchimento automático de cheques, impressoras de notas fiscais nos caixas, código de barras nos produtos, banco de dados sobre cada produto ou serviço e cadastro de clientes. Investigue de que forma a adoção de um equipamento dessa natureza pode ser capaz de incrementar seus lucros. PESSOAL A mão-de-obra mínima necessária é de quatro manipuladores, um químico, um entregador, um profissional de limpeza e um auxiliar de escritório. Especialistas em recursos humanos afirmam: o grande valor de uma empresa é ter as pessoas certas nos lugares certos - ou seja, que exercem funções adequadas ao seu perfil. Essa estrutura faz o negócio funcionar como uma engrenagem perfeita, na qual todos saem ganhando. Buscar bons funcionários é, portanto, uma missão obrigatória. Mas requer cuidados. Afinal, além de serem peças estratégicas na construção da imagem do seu empreendimento, os empregados são como você, responsáveis diretos pelo sucesso - ou fracasso - do negócio. PROCESSOS PRODUTIVOS Uma indústria de cosméticos pode produzir preparações para a pele (cremes, loções, géis), e para os cabelos (shampoo e condicionadores).

4 Página 4 de 15 Cremes Os cremes e loções são dispersões de duas fases (oleosas e aquosas) que se misturam e precisam de um emulsionante para formar o sistema único e homogêneo. Podem ser de dois tipos: óleo e água ou água e óleo. No primeiro, a água engloba o óleo e não atua como engordurante. Já no segundo acontece o contrário (é a fase oleosa que se junta a fase aquosa) e o produto resultante terá o efeito engordurante, sendo normalmente usado em peles secas. Tanto os cremes como as loções são geralmente constituídos de agentes doadores de consistência umectante (que evitam o ressecamento), conservantes, antioxidante, emulsionantes e água. Gel O gel, por sua vez é uma preparação semi-sólida, composta e partículas coloidais que ficam dispersas (não se sedimentam). Tem sido muito usado em cosméticos por ser facilmente espalháveis, não gorduroso e apropriado tanto para peles oleosas quanto mistas. Shampoo A composição dos shampoos inclui principalmente agentes de limpeza (tensoativos), estabilizadores de espuma, espessante, conservantes, essências e corretores de ph. Condicionadores Já os condicionadores são constituídos de tensoativos catiônicos, conservantes e essência. Tanto os shampoos como os condicionadores podem ser do tipo neutro, para cabelos oleosos, secos, normais ou especiais (anti-caspa, por exemplo). Procedimentos -Shampoo - Os componentes utilizados na formulação estão classificados abaixo, com as respectivas matérias primas sugeridas de acordo com sua função: 1 = Componentes 2 = Matérias-primas sugeridas 3 = Funções Tipo A 1- Tensoativos Principais; 2- Lauril éter sulfato de sódio, Lauril éter sulfato de triatanolamina; 3-Detergência e espuma Tipo B 1- Tensoativo secundário; 2- Dietanolamina de ácido graxo de coco; 3- Espessante, estabilizante de espuma. Tipo C 1- Espessante; 2- Cloreto de sódio; 3- Controlador de viscosidade Tipo D 1- Aditivos especiais; 2- Proteína hidrolizada, extrato vegetal hidrolizado, acetato de tocoferol, óleo vegetal hidrolizado 3- Princípios ativos, Emolientes. Tipo E 1- Fragrância; 2- Essência de ervas hidrolizada; 3- Perfumar os cabelos e couro cabeludo. Tipo F

5 Página 5 de Dispersante; 2- Água deionizada; 3- Atua na dissolução do produto. Tipo G 1- Preservante; 2- p- Hidróxido benzoato de metila; 3- Combate o crescimento microbiano no produto. Tipo H 1- Regulador de ph; 2-Ácidos cítricos; 3- Neutralização Tipo I 1- Corantes; 2- Amarelo Tartazina, Rodamina B; 3- Melhoram a aparência do produto, mascarando a cor. Tipo J 1- Seqüestrante; 2- Ácido etilenodiaminotetrosódico; 3- Coadjuvante para a transparência e estabilizante de cor. -Shampoo (para cabelos normais) a) Lauril éter sulfato de sódio = 22.00% P/P Lauril éter sulfato de trietanolamina = 5.00% P/P Dietanolamina de ácido graxo de coco = 3.00% P/P b) Proteína hidrolizada = 1.00% P/P Preservante (nipagim) = 0.15% P/P Água deionizada = q.s.p % P/P c) Essência = q.s Corante = q.s Ácido cítrico - sol. 40% (ph ) = q.s Cloreto de sódio = q.s -Shampoo (PARA CABELOS SECOS) a) Lauril éter sulfato de sódio = 17.00% P/P Lauril éter sulfato de amônio = 3.00% P/P Dietanolamina de ácido graxo de coco = 2.50% P/P b) Lanolina hidroxilada = 1.00% P/P Extrato vegetal de Aloe Vera = 1.20% P/P Preservante (nipagim) = 0.15% P/P Água deionizada = q.s.p % P/P c) Essência = q.s Corante = q.s Ácido cítrico - sol. 40% (ph ) = q.s Cloreto de sódio = q.s -Shampoo (PARA CABELOS OLEOSOS) a) Lauril éter sulfato de sódio = 20.00% P/P Lauril éter sulfato de trietanolamina = 10.00% P/P Dietanolamina de ácido graxo de coco = 2.00% P/P b) Extrato vegetal de hortelã = 1.00% P/P Extrato vegetal de camomila = 1.20% P/P Preservante (nipagim) = 0.15% P/P Água deionizada = q.s.p % P/P c) Essência = q.s Corante = q.s Ácido cítrico - sol. 40% (ph ) = q.s Cloreto de sódio = q.s -Creme Rinse De modo geral, pode-se esquematizar a seguinte formulação qualitativa: 1 = Componentes 2 = Matérias Primas sugeridas 3 = Funções Tipo A 1- Tensoativo; 2- Cloreto etil dimetil amônio; 3- Antiestático, emulsionante e emoliente. Tipo B 1- Agente engordurante; 2- Álcool ceto-estearílico, vaselina sólida; 3- Espessante e emoliente. Tipo C 1- Regulador de ph; 2-Ácido cítrico; 3- Ajustar o caráter ácido do produto. Tipo D 1- Fragrância; 2- Essência de ervas hidrolizada; 3- Perfumar os cabelos e couro cabeludo. Tipo E 1- Corantes; 2- Amarelo tartazina, Rodamina B; 3- Melhorar a aparência do produto. Tipo F 1- Preservante; 2- p-hidróxido benzoato de sódio; 3- Combate o crescimento bacteriano. Tipo G 1- Dispersante; 2- Água deionizada; 3- Atua na dissolução e dispersão do produto. -Creme Rinse - a) Álcool ceto - estearílico = 2.70% P/P Álcool de lanolina etoxilado e acetilado = 0.50% P/P Parafina sólida USP = 1.00% P/P b) Cloreto de etil dimetil amônio = 1.20% P/P Conservante (Nipagim) = 0.15% P/P Água deionizada = q.s.p % P/P c) Essência = q.s Ácido cítrico - sol. 40% - (ph ) = q.s

6 Página 6 de 15 -Creme Hidratante Pode-se esquematizar a seguinte formulação quantitativa: 1 = Componentes 2 = Matérias Primas sugeridas 3 = Funções Tipo A 1- Tensoativo; 2- Dietileno glicol mono estearato A/E; 3-Emulsionante. Tipo B 1- Sobre engordurantes; 2- Álcool de lanolina acetilado, Álcool ceto estearílico, Óleo mineral; 3- Impedem ressecamento da pele. Tipo C 1- Emolientes; 2-Éster de lanolina, Palmitato de isopropila; 3-Promovem flexibilidade da pela, auxilia o espalhamento e absorção. Tipo D 1- Dispersante; 2- Água destilada; 3- Veículo de emulsão O/A. Tipo E 1- Umectantes 2- Glicerina, Extrato glicólico de Aloe Vera, Extrato glicólico de Algas Marinhas 3- Efeito hidratante Tipo F 1- Seqüestrante; 2- Ácido etilenodiaminotetrasódico; 3- Estabilizante de reações metálicas. Tipo G 1- Preservantes; 2- Metil-p-Hidroxibenzeno de sódio, Propil-Hidroxibenzoato de sódio; 3- Estabilizante de reações biológicas. Tipo H 1- Antioxidante; 2- Butil hidroxitolveno - (BHT); 3- Estabilizante de reações de oxidação. Tipo I 1- Perfumante; 2-Composição aromática de rosas; 3- Exalar aroma característico. -Creme Hidratante a) monoesterato de glicerina A/E = 10.00% P/P Álcool cetoestearílico A/E = 5.00% P/P Álcool de lanolina etoxilado = 2.00% P/P Óleo mineral USP 70 = 3.00% P/P Éster de lanolina = 2.50% P/P Palmitato de isopropila = 5.00% P/P b) Glicerina USP = 4.00% P/P Água deionizada = q.s.p % P/P c) Seqüestrante (Sequestrene) = 0.05% P/P Antioxidante (BHT) = 0.01% P/P Preservantes (Nipagin) = 0.15% P/P (Nipazol) = 0.05% P/P d) Extrato glicólico de Aloe Vera = 1.50% P/P Extrato glicólico de algas marinhas = 1.00% P/P e) Essência = q.s - Bronzeador As formas cosméticas que se apresentam no mercado são as mais variadas, podendo ser soluções aquosas, oleosas, pomadas, bastões, etc. As emulsões, por sua vez, podem ser O/A (óleo em água) ou A/O (água em óleo), dependendo do emulsionante utilizado. Entre as matérias primas utilizadas destacam-se, em particular como componente ativo, os filtros solares. -Protetor Solar Padronizações relacionadas abaixo: 1 = Característica da Pele 2 = Categoria de Proteção 3 = FPS 4 = Descrição do Produto Tipo A Tipo de Pele - I (cat. 5) 1- Queima sempre fácil, nunca bronzeia muito, com pele sensível 2- Ultra proteção solar - categoria 5 3- < Muito mais proteção, não permite bronzeamento Tipo B Tipo de Pele I (cat. 4) 1- Queima sempre fácil, nunca bronzeia muito, com pele sensível 2- Máxima proteção solar - categoria 4 4- Máxima proteção, permite pouco ou nenhum bronzeamento 3- < 15

7 Página 7 de 15 Tipo C Tipo de Pele II 1- Queima sempre fácil, mínimo bronzeamento (pele sensível) 4- Extra proteção, permite limitado bronzeamento 2- Extra proteção solar - categoria Tipo D Tipo de Pele III 1- Queima moderada, gradual bronzeamento (pele normal - cor marrom clara - morena) 4- Moderada proteção, permite algum bronzeamento 2- Moderada proteção solar - categoria Tipo E Tipo de Pele IV 1- Queima mínima, bronzeamento (pele normal - cor marrom moderado) 4- Mínima proteção, permite bronzeamento 2- Mínima proteção solar - categoria Tipo F Tipo de Pele V 1- Queima raramente, profuso bronzeamento (pele sensível - cor marrom escura) 4- Mínima proteção, permite maior bronzeamento 2- Mínima proteção solar - categoria Tipo G Tipo de Pele VI 1- Nunca se queima, Pigmentação forte 2- Desnecessária Considerações: - O tipo de formulação a ser desenvolvida influi na eficiência dos filtros solares; - A solubilidade compatível dos produtos ao meio, contribuem para o aumento do FPS; - A combinação de alguns filtros também conferem maior proteção à pele contra o excessivo bronzeamento, devendo ser compatíveis entre si. -Protetor Solar - FPS- 4 A. Monoestearato de glicerina A/E = 4.00% P/P Estearina 3P = 2.00% P/P Óleo minera USP-70 = 5.00% P/P Palmitato de isopropila = 2.00% P/P Lanolina anidra = 1.00% P/P B. Trietanolamina = 1.00% P/P Glicerina USP = 3.00% P/P Água deionizada = q.s.p % P/P C. Sequestrante (Sequestrene) = 0.05% P/P Antioxidante (BHT) = 0.01% P/P Preservantes (Nipagim) = 0.15% P/P (Nipazol) = 0.05% P/P D. Filtro Solar 4.00% P/P E. Essência q.s Obs.: essa formulação adapta-se ao tipo básico de emulsões para uso geral. Neste caso, sua função é específica devido a presença do filtro solar. Gel após Barba

8 Página 8 de 15 -Fase 1 Água desmineralizada q.s.p. = 100,00 EDTA Dissódico = 0,20 Alantoína = 0,20 -Fase 2 Carbomer 940 (sol. Disp. 2%) = 23,50 -Fase 3 Propilenoglicol = 5,00 ALOE VERA 200:1 = 0,20 BARDANA HS = 2,00 Corante q.s.p. Diazolidinil uréia = 0,30 -Fase 4 CETIOL HE = 0,50 Essência = 0,20 EUMULGIN L = 2,00 Álcool Etílico = 5,00 -Fase 5 NaOH (solução à 20%) = ph=6,5-7,0 -Gel Fixador Para Cabelo Fases - Matérias-primas - % 01 - Água desmineralizada - q.s.p. 100, Carbopol 940-0, Corante - q.s.p 01 - Glicerina - 5, EUMULGIN HRE 40-2, Essência - q.s.p PVP / PVA - 1, Água desmineralizada - 10, conservante - q.s.p PLANTAREN , Trietanolamina - ph 5,5-6,5 - Redutor de Adiposidade Fases - Matérias-primas - % 01 - Água desmineralizada - q.s.p. 100, Carbopol 934 (sol 2%) - 20, Propilenoglicol - 5, Conservante - q.s.p HYDRENOL D - 4, CUTINA MD - 2, CETIOL SB 45-1, CETIOL LC - 2, EUMULGIN K 68 B - 1, DIMETICONE - 1, PHYTOAMINO - 2, Água desmineralizada - 10, Trietanolamina - ph 6,0-6,5 CONTROLE DE QUALIDADE. O controle de qualidade destes produtos é feito por meio de testes microbiológicos e de centrífuga (determinação de prazo de validade por variação de temperatura). Para obter mais informações sobre o processo produtivo de cosmético acesse o site Resposta Técnica COMEÇANDO A boa prática da fabricação de cosméticos exige ainda a observância de algumas normas básicas: - Pessoas que estejam com inflamações ou infecções não podem trabalhar na área de produção, para evitar a contaminação dos produtos; - Todos os funcionários devem evitar atos não higiênicos, como coçar a cabeça, colocar os dedos na boca, etc., sem esquecer da necessidade de lavar as mãos após o uso do banheiro; - Os cabelos devem estar totalmente cobertos por toucas e, dependendo do produto a ser preparado, é preciso usar máscaras e outros equipamentos de proteção. - O edifício e as instalações têm de oferecer facilidade de manutenção e limpeza, devendo também, estar dimensionado, para evitar contaminação na fabricação por entrada de roedores, pássaros, insetos, etc. e evitar que sanitários e vestiários tenham comunicação direta com a área de produção. As paredes e teto precisam ser lisos, laváveis e impermeáveis, de cor clara e com cantos arredondados. - O piso será antiderrapante, lavável, impermeável e resistente ao fluxo (tráfego). - Os outros setores da fábrica, como os de embalagem, rotulagem, armazenamento e distribuição, além dos próprios equipamentos também requerem cuidados.

9 Página 9 de 15 CLIENTES Para ganhar projeção no mercado você deve lançar um olhar crítico sobre seu futuro negócio, analisá-lo do ponto de vista do consumidor e a partir daí definir a clientela que pretende conquistar. Você pode começar identificando segmentos específicos e levantar informações como renda, idade, classe social, nível de instrução, etc., para traçar o perfil dos futuros consumidores do produto que sua empresa venderá. Você deve, ainda, definir se vai atuar no mercado consumidor direto ou no mercado indireto e manter sempre atualizado um cadastro de clientes. Deverá ainda definir se irá atuar com vendas em varejo e/ou atacado, se terá representantes ou vendedores, se terá ponto de venda próprio, se o produto atingirá o mercado de Classe Alta, Media ou Baixa, se masculino e/ou feminino, adulto e/ou infantil, enfim, muita coisa deve ser definida antes de iniciar o empreendimento. DIVULGAÇÃO Para bens de consumo a divulgação é direcionada para o usuário final, e tem por objetivo estimular o consumo e fixar a marca, fidelizando o cliente. As indústrias que produzem para fornecer às outras pessoas jurídicas (business to business) possuem público específico, e por isso é irrelevante a divulgação em massa. Contudo a propaganda deste tipo de empresa deve ser institucional, ou seja, ela tem uma função mais informativa e expositiva direcionada às áreas que demandam os seus produtos. Podem-se usar veículos como revistas especializadas, banner, outdoors, etc., e é lógico, não perder de vista os meios tradicionais que também dão bons resultados (anúncios em listas telefônicas, classificados, mala direta, catálogos industriais, entre outros). O empreendedor deve alinhar suas estratégias de mercado conforme sua definição dos canais de distribuição e tipo de cliente (item clientes). DIVERSIFICAÇÃO Sabendo que equipamentos e serviços opcionais fazem a diferença neste mercado. Os empresários do ramo estão sempre procurando novas formas de apresentar os produtos e torná-los mais atrativos que os do concorrente. Como forma de incrementar as vendas o empreendedor poderá procurar novas formas de apresentar os produtos agregando valor ao produto principal. Incrementar as vendas, usando os meios de comunicação disponíveis no mercado, optando pela demanda no atacado, implementar sistemas de vendas diversificados. LEMBRETES Levando em conta a complexidade do negócio e da própria fabricação, sugere-se que antes de partir efetivamente para a implantação do empreendimento, se desenvolva a fórmula do produto dentro dos princípios descritos e análises e possibilidades de produzir artesanalmente o cosmético escolhido. Portanto, antes de se preocupar com a montagem de uma operação industrial, como também da avaliação prévia da concorrência, do perfil do futuro consumidor e dos motivos que poderiam levá-lo a trocar marcas já conhecidas por uma nova e dos diferenciais dos produtos a serem fabricados, é importante chegar/criar o produto que se deseja, considerando os anseios dos consumidores. NOTÍCIAS CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA DE COSMÉTICOS ORGÂNICOS As pequenas empresas do segmento de cosméticos e higiene pessoal começam a investir em certificações socioambientais para conseguir uma diferenciação de mercado e também para atender à crescente procura por produtos com apelo

10 Página 10 de 15 natural. O mercado para cosméticos "sustentáveis", com matérias-primas de origem certificada, é estimado em US$ 6 bilhões e cresce a taxas de 20% ao ano. No Brasil, a tendência ainda é restrita a nichos de mercado, mas deve ganhar força nos próximos anos, especialmente com a regulamentação do mercado de cosméticos orgânicos, que está sendo desenhada pelo Ministério da Agricultura assim como foi feito com alimentos orgânicos, no ano passado. "Muitas empresas de grande porte do setor de cosméticos só estão esperando essa regulamentação para entrar forte nesse mercado. Por enquanto, o nicho de cosméticos orgânicos certificados é ocupado por pequenas empresas", diz Alexandre Harkaly, diretor executivo do Instituto Biodinâmico (IBD), uma das entidades responsáveis pela certificação de orgânicos no Brasil. Segundo ele, a procura pelo selo é maior entre as empresas produtoras de matérias-primas para a indústria de cosméticos atualmente 40 levam o selo IBD, enquanto os fabricantes de cosméticos são apenas quatro. A Magia dos Aromas, de Botucatu (SP), apostou na certificação em 2004, com o objetivo de explorar uma lacuna no mercado brasileiro. A empresa, formada por uma família de farmacêuticos com experiência no ramo de manipulação de medicamentos, começou vendendo no interior de São Paulo, mas ampliou a presença para as principais capitais e está negociando os primeiros contratos de exportação. A produção ainda é pequena são 2 mil produtos por mês -, mas vêm conquistando a preferência de consumidores veganos, que não utilizam produtos de origem animal. "É um nicho interessante, pois são clientes fiéis", diz Marcos Caram, sócio da Magia dos Aromas. Manejo Florestal A certificação que está ajudando a impulsionar o negócio de pequenas empresas é a FSC, o mais conhecido selo para produtos de origem florestal do mundo. A Orgânica, empresa de Santana do Parnaíba (SP) criada pelo casal de agrónomos Pérola e Luiz Antonio Galhardi, apostou na tendência. Originalmente uma empresa de acessórios para banho feitos com bucha vegetal para o segmento de spas, a empresa cresceu e passou também a fabricar cosméticos. "O selo FSC abrange os produtos de madeira, como pentes e massageadores. Mas foi impressionante como abriu portas", diz Pérola Galhardi. A empresa vende para redes de farmácias e supermercados, como Wal Mart e Drogasil, e também pelo site Submarino. A partir de 2010, o plano é investir num novo modelo de negócios. "Vamos abrir as primeiras franquias da marca." Fonte: / CURSOS E TREINAMENTOS O SEBRAE/ES disponibiliza para o empresário uma carteira com mais de 30 títulos de cursos e palestras abordando os mais variados temas e objetivos. A Educação Empresarial do SEBRAE é um instrumento para que os obstáculos encontrados sejam superados com maior facilidade ampliando, conseqüentemente, o horizonte de conhecimentos necessários nessa função. Cursos: Técnicas de Vendas; Marketing: Uma Estratégia de Vendas; Gerência de Equipes de Vendas; Gerência de Rotinas e Procedimentos em Vendas; Atendimento ao Cliente; Como Vender mais e Melhor; Iniciando um Pequeno Grande Negócio; Empretec; Administração Básica para Pequenas Empresas; entre outros. Palestras Gerenciais : Atendimento a Clientes; Comece Certo Planejamento e Análise; Determinação do Capital de Giro; Gerenciando o Fluxo de Caixa com

11 Página 11 de 15 Eficiência; Promoção de vendas; Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda; A Empresa e os Novos Tempos; Qualidade no relacionamento ao cliente; Como Conquistar e Manter Clientes. A programação anual pode ser consultada no site: no link Cursos e Palestras. SEBRAE/ES Av. Jerônimo Monteiro, 935, Ed. Sebrae Centro, Vitória/ES CEP: Canal de Relacionamento: Centro Universitário São Camilo Universidade Anhembi Curso De Perfumes e Cosméticos EVENTOS HAIR BRASIL - 9 ª Feira Internacional de Beleza, Cabelos e Estética Pavilhões do Expo Center Norte. Rua José Bernardo Pinto, Vila Guilherme - São Paulo Site: COSMOÉTNICA - Feira Internacional de Beleza Negra WorkShop Estética Profissional Congresso Internacional de Estética Hair Brasil COSMOPROF COSMETICA - Feira Internacional da Beleza Congresso Brasileiro de Cosmetologia São Paulo LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA Cabe sugerir consulta à CARTILHA DO FORNECEDOR CAPIXABA, que se encontra disponível na Biblioteca do SEBRAE/ES ou pelo site: Essa atividade exige o conhecimento de algumas leis: - Lei nº /2003 Código de Posturas e Atividades Urbanas do Município de

12 Página 12 de 15 Vitória Regulamentada pelo Decreto nº /04. Ref.Proc /03. Lei nº 6.412/05 - acrescenta inciso IX ao 2º.Alterada pelas Leis nºs 6.679/06 e 6.680/06. Acrescentado inciso IX ao 2º do Art. 99, pela Lei nº 7.063/07. Regulamentado inciso III do Art. 194, pelo Decreto nº /08. Acrescentado artigos pela Lei nº 7.598/08. Acrescentado 3º no Art. 43, pela Lei nº 7.768/09-3º. Na fixação de nomes de bens públicos municipais deverá ser reservado um percentual de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, para o gênero feminino. (NR) - Alterada Redação do 1] do Art. 19 pela Lei nº 7.775/09. Acrescentado Parágrafo único ao Art. 27, pela Lei nº 7.842/09. - Lei nº /1990 (Código de Defesa do Consumidor) Alterada pela Lei nº 8.656/1993, Lei nº 8.703/1993, Lei nº 8.884/1994, Lei nº 9.008/1995, Lei nº 9.298/1996, Lei nº 9.870/1999, Lei nº /2008, Lei nº /2008, Lei nº /2009 e Lei nº / Lei nº /73 Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de cosméticos. Alterada pela Lei nº 6.318/1975, Lei nº 9.069/1995 e Lei nº / Lei nº /76 Dispõe sobre a vigilância a que ficam sujeitos os cosméticos. Alterada pela Lei nº 6.480/1977, Lei nº 9.782/1999, Lei nº 9.787/1999, Lei nº /2003, Lei nº /2003 e Medida Provisória nº / Decreto nº. 793/93 altera os decretos nº /74 e nº /77, que regulamentavam as respectivas leis, e dá outras providências. Revogado pelo Decreto nº 3.181/ Lei nº /99 - Cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão fiscalizador. Alterada pela Lei nº 9986/2000, Lei nº /2004, Lei nº /2009 e Lei nº / A nível estadual, a fiscalização cabe a Secretaria Estadual de Saúde, conforme o Código Estadual de Saúde LEI 2.590DE , regulamentada pelo decreto nº 1277-N/79 Revogada pela Lei nº 6.066/1999 (Regula a organização e o funcionamento do Sistema Único de Saúde no âmbito do Estado do Espírito Santo, que estabeleceu normas de promoção, proteção e recuperação da saúde e dispõe sobre as infrações sanitárias e respectivos processos administrativos), onde dispõe sobre a atividade e discrimina algumas providências, tais como: - Aprovação da autoridade sanitária; - Responsável técnico habilitado; - Registro no Ministério da Saúde. REGISTRO ESPECIAL Para registrar sua empresa você precisa de um contador. Profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa, auxilia-lo na escolha da forma jurídica mais adequada para o seu projeto e preencher os formulários exigidos pelos órgãos públicos de inscrição de pessoas jurídicas. Além disso, ele é conhecedor da legislação tributária à qual está subordinada a nossa produção e comercialização. Mas, na hora de escolher tal prestador de serviço, deve-se dar preferência a profissionais qualificados, que tenha boa reputação no mercado e melhor que seja indicado por alguém que já tenha estabelecido com ele uma relação de trabalho. Para legalizar a empresa é necessário procurar os órgãos responsáveis para as devidas inscrições: - Registro na Junta Comercial; - Registro na Secretaria da Receita Federal; - Registro na Secretaria da Fazenda; - Registro na Prefeitura do Município; -Registro no INSS;

FÁBRICA DE COSMÉTICOS

FÁBRICA DE COSMÉTICOS FÁBRICA DE COSMÉTICOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade: indústria Tipo de Negócio: produção de cosméticos Produtos Ofertados/Produzidos: cosméticos em geral Investimento inicial:

Leia mais

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE (Fonte: SEBRAE/MS SEBRAE/SC) APRESENTAÇÃO DE NEGÓCIOS Contabilidade é um trabalho minucioso que atua nas áreas fiscal, tributária e trabalhista; exigindo muita análise e tempo. Por isso, a maioria das

Leia mais

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

REPRESENTAÇÃO COMERCIAL Página 1 de 10 REPRESENTAÇÃO COMERCIAL FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: representação comercial Produtos Ofertados/Produzidos: intermediação de negócios

Leia mais

Página 1 de 11 CRECHE

Página 1 de 11 CRECHE Página 1 de 11 CRECHE FICHA TÉCNICA Setor da Economia : terciário Ramo de Atividade : serviço Tipo de Negócio : Educação Infantil Produtos Ofertados/Produzidos : Serviços de Educação Infantil para crianças

Leia mais

Há mais de 40 anos desenvolvendo soluções que evoluem o mundo

Há mais de 40 anos desenvolvendo soluções que evoluem o mundo Há mais de 40 anos desenvolvendo soluções que evoluem o mundo Para o mercado de Personal Care, a Oxiteno oferece inovações que promovem a beleza e o bem-estar por meio de produtos suaves e sustentáveis.

Leia mais

ESCRITÓRIO DE COBRANÇA

ESCRITÓRIO DE COBRANÇA Página 1 de 8 ESCRITÓRIO DE COBRANÇA FICHA TÉCNICA Setor da Economia : terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: cobranças de débitos em aberto Produtos Ofertados/Produzidos : serviço de cobrança

Leia mais

FÁBRICA DE VASSOURAS

FÁBRICA DE VASSOURAS FÁBRICA DE VASSOURAS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade: indústria Tipo de Negócio: fabricação de vassouras Produtos Ofertados/Produzidos: vassouras e rodos Investimento inicial:

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014 PRODUTOS HIGIENE PESSOAL 61% Sabonetes Higiene Oral Desodorantes Talcos Higiene Capilar Produtos para Barbear Fraldas

Leia mais

CLÍNICA VETERINÁRIA FICHA TÉCNICA

CLÍNICA VETERINÁRIA FICHA TÉCNICA 1 CLÍNICA VETERINÁRIA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço e comércio Tipo de Negócio: clinica veterinária Produtos Ofertados/Produzidos: serviços de saúde de animais Investimento

Leia mais

Lauril éter sulfato de sódio

Lauril éter sulfato de sódio Material Técnico Identificação Fórmula Molecular: Não aplicável Peso molecular: Não aplicável DCB/ DCI: 05177 - lauriletersulfato de sódio CAS: 1335-72-4 INCI: Sodium laureth-2 sulfate Sinonímia: LESS

Leia mais

PRODUTOS PARA A PELE Formas Cosméticas. Professora: ERIKA LIZ

PRODUTOS PARA A PELE Formas Cosméticas. Professora: ERIKA LIZ PRODUTOS PARA A PELE Formas Cosméticas Professora: ERIKA LIZ Produtos para pele Sequência do Tratamento Cosmético 1º Passo : Limpeza Por que a limpeza diária da pele é importante? Higiene A limpeza é um

Leia mais

LOJA DE FRIOS E LATICÍNIOS

LOJA DE FRIOS E LATICÍNIOS LOJA DE FRIOS E LATICÍNIOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: loja de frios e laticínios Investimento inicial: 30mil reais Área: 40m² APRESENTAÇÃO A

Leia mais

FORMAS COSMÉTICAS FORMAS COSMÉTICAS SOLUÇÕES SOLUÇÕES SOLUÇÕES CLASSIFICAÇÃO QUANTO À FORMA COSMÉTICA

FORMAS COSMÉTICAS FORMAS COSMÉTICAS SOLUÇÕES SOLUÇÕES SOLUÇÕES CLASSIFICAÇÃO QUANTO À FORMA COSMÉTICA FORMAS COSMÉTICAS FORMAS COSMÉTICAS Os produtos cosméticos contêm grande diversidade de matérias-primas, que podem ser naturais, semisintéticas ou sintéticas. Esses materiais apresentam-se em consistências

Leia mais

ÁGUA DE COLÔNIA. Fórmula para 1 Litro. Álcool de Cereais. Propileno Glicol Água Deionizada

ÁGUA DE COLÔNIA. Fórmula para 1 Litro. Álcool de Cereais. Propileno Glicol Água Deionizada ÁGUA DE COLÔNIA Fórmula para 1 Litro COMPONENTES Álcool de Cereais Fixador Propileno Glicol 680 ml 250 ml Misturar os produtos do 1 ao 4 na ordem; Manter a solução em recipiente âmbar; Deixar em maceração

Leia mais

ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO 1 ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: escola de ensino fundamental e médio Produtos Ofertados/Produzidos: formação

Leia mais

AGÊNCIA VIRTUAL DE EMPREGOS

AGÊNCIA VIRTUAL DE EMPREGOS Página 1 de 10 AGÊNCIA VIRTUAL DE EMPREGOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviços Tipo de Negócio: agência de emprego Produtos Ofertados/Produzidos: serviço de agenciamento

Leia mais

ESCRITÓRIO DE CONSULTORIA

ESCRITÓRIO DE CONSULTORIA Página 1 de 11 ESCRITÓRIO DE CONSULTORIA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: escritórioconsultoria empresarial Produtos Ofertados/Produzidos: consultoria

Leia mais

EMPRESA ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIO

EMPRESA ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIO Página 1 de 9 EMPRESA ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade : serviço Tipo de Negócio: administração de condomínio Produtos Ofertados/Produzidos: serviço

Leia mais

CONSULTÓRIO MÉDICO. Diante dessa realidade vê-se a população buscando cada vez mais os serviços privados de assistência à saúde.

CONSULTÓRIO MÉDICO. Diante dessa realidade vê-se a população buscando cada vez mais os serviços privados de assistência à saúde. 1 de 11 CONSULTÓRIO MÉDICO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: consultório médico Produtos Ofertados/Produzidos: consultas médicas Investimento inicial:

Leia mais

FÁBRICA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS

FÁBRICA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS 1 FÁBRICA DE FRALDAS DESCARTÁVEIS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade: indústria Tipo de Negócio: fábrica de fraldas descartáveis Produtos Ofertados/Produzidos: fraldas descartáveis

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PELE SAUDÁVEL

ESPECIALISTAS EM PELE SAUDÁVEL LINHA 2015 ESPECIALISTAS EM PELE SAUDÁVEL A Dahuer é uma empresa naturalmente brasileira. Por isso, ela entende muito do nosso clima tropical e das exigências da nossa pele. Sua linha completa de protetores

Leia mais

delicatto CATÁLOGO DE PRODUTOS

delicatto CATÁLOGO DE PRODUTOS delicatto CATÁLOGO DE PRODUTOS Fundada em 2009, a DELICATTO é composta por uma equipe de profissionais especializados em formulações cosméticas veterinárias com atuação na área de desenvolvimento de fórmulas

Leia mais

Ecologie agora é Bril Cosméticos

Ecologie agora é Bril Cosméticos Ecologie agora é Bril Cosméticos Diversidade de produtos será reforçada na Beauty Fair Nasce uma nova empresa de cosméticos no mercado brasileiro. A Bril Cosméticos surgiu a partir da aquisição da Ecologie,

Leia mais

LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA APRESENTAÇÃO MERCADO

LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA APRESENTAÇÃO MERCADO LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: loja de tinta Produtos Ofertados/Produzidos: tintas empregadas na construção civil Investimento inicial:

Leia mais

www.es.sebrae.com.br

www.es.sebrae.com.br Página 1 de 8 FÁBRICA DE GELO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: secundário Ramo de Atividade : indústria Tipo de Negócio: fábrica de gelo Produtos Ofertados/Produzidos: gelo em cubos, barras e em escamas

Leia mais

Dica: O visitador pode acompanhar a manipulação dos produtos, bem como sua aditivação com os ativos para melhor entendimento desta forma cosmética.

Dica: O visitador pode acompanhar a manipulação dos produtos, bem como sua aditivação com os ativos para melhor entendimento desta forma cosmética. Acne e Hidratação. Objetivo da Escolha do Tema A hidratação da pele é de fundamental importância para a manutenção dos mecanismos fisiológicos e bioquímicos da pele como os mecanismos celulares de proteção

Leia mais

FINANCEIRA FICHA TÉCNICA

FINANCEIRA FICHA TÉCNICA FINANCEIRA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: agência de financiamentos Produtos Ofertados/Produzidos: operações de câmbio e empréstimos Investimento

Leia mais

SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS SEBRAE-SP

SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS SEBRAE-SP SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS SEBRAE-SP SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS SEBRAE-SP O SEBRAE SP desenvolveu um Programa de Soluções Tecnológicas, cujo objetivo é de aumentar a competitividades e sustentabilidade dos Pequenos

Leia mais

A. F. Isenmann Princípios Químicos em Produtos Cosméticos e Sanitários Conteúdo

A. F. Isenmann Princípios Químicos em Produtos Cosméticos e Sanitários Conteúdo A. F. Isenmann Princípios Químicos em Produtos Cosméticos e Sanitários Conteúdo 1 Objetivos deste livro no âmbito dos cursos técnicos de química, farmácia e áreas afins... 4 2 Aspecto econômico da indústria

Leia mais

TECNOLOGIA DE Sabões e detergentes. Conteúdos a serem abordados: --Tensão superficial -- Polaridade -- Forças intermoleculares

TECNOLOGIA DE Sabões e detergentes. Conteúdos a serem abordados: --Tensão superficial -- Polaridade -- Forças intermoleculares TECNOLOGIA DE Sabões e detergentes Conteúdos a serem abordados: --Tensão superficial -- Polaridade -- Forças intermoleculares Tensão superficial Força existente na superfície de líquidos em repouso. Fortes

Leia mais

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP)

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) Edição 2013 01) O que é Microempreendedor Individual - MEI? Considera-se Microempreendedor Individual - MEI o empresário individual

Leia mais

CICLO DE PROFISSÕES DIA 27/10

CICLO DE PROFISSÕES DIA 27/10 CICLO DE PROFISSÕES DIA 27/10 Chegada à UNIP: 07:00h Local: de acordo com a tabela abaixo (vide laboratório) Paramentação: jaleco de manga comprida, gorro, máscara, luva, sapato fechado, de preferência

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

ITEHPEC. Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação

ITEHPEC. Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação ITEHPEC Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação O ITEHPEC (Instituto de Tecnologia e Estudos em HPPC) tem como objetivo atender a demanda do setor

Leia mais

COMO REGULARIZAR PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL NO BRASIL

COMO REGULARIZAR PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL NO BRASIL 1 Associação dos Distribuidores e Importadores de Perfumes, Cosméticos e Similares Rua Tabapuã, 649 Cj 74 São Paulo SP - CEP 04533-012 - Brasil Tel/Fax: (0XX)11-3168-4518 adipec@adipec.com.br http://www.adipec.com.br

Leia mais

Química geral 2. possui de arrastar detritos e impurezas de um superfície.

Química geral 2. possui de arrastar detritos e impurezas de um superfície. Química geral 2 CLASSIFICAÇÃO DAS MATÉRIAS-PRIMAS Classificação das matérias-primas de acordo com a função ou efeito cosmético. Elas podem ser tensoativas, emolientes, umectantes, espessantes, hidratantes,

Leia mais

www.es.sebrae.com.br

www.es.sebrae.com.br Página 1 de 9 LOJA DE PRODUTOS PARA LIMPEZA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: loja de produtos para limpeza Produtos Ofertados/Produzidos: produtos

Leia mais

Sistema Integrado de Licenciamento - SIL

Sistema Integrado de Licenciamento - SIL Sistema Integrado de Licenciamento - SIL CERTIFICADO DE LICENCIAMENTO INTEGRADO SECRETARIA ESTADUAL DE GESTÃO PÚBLICA Prefeitura do Município de Tatuí Governo do Estado de São Paulo É importante saber

Leia mais

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários.

Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Em Distribuidora de Medicamentos, Correlatos, Cosméticos e Saneantes Domissanitários. Nº PROCESSO REQUERIMENTO RAZÃO SOCIAL IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO NOME DE FANTASIA NÚMERO DO CNPJ NÚMERO ÚLTIMO

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

Página 1 de 11 OFICINA MECÂNICA

Página 1 de 11 OFICINA MECÂNICA Página 1 de 11 OFICINA MECÂNICA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: oficina mecânica Produtos Ofertados/Produzidos: serviços mecânicos automotivos Investimento

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 42/2010 Brasília, 30 de novembro de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 42/2010 Brasília, 30 de novembro de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO- MAPA OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 42/2010 Brasília, 30 de novembro de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de

Leia mais

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio e serviço Tipo de Negócio: comércio de material elétrico Produtos Ofertados/Produzidos: materiais elétricos

Leia mais

BASES COSMECÊUTICAS. A linha BIOBASE tem a função de facilitar o dia-a-dia da farmácia de manipulação, e estabelecer a padronização das formulações.

BASES COSMECÊUTICAS. A linha BIOBASE tem a função de facilitar o dia-a-dia da farmácia de manipulação, e estabelecer a padronização das formulações. BASES COSMECÊUTICAS 1. Introdução: as bases cosmecêuticas (Biobases) foram desenvolvidas especialmente para incorporação dos princípios ativos freqüentemente utilizados em farmácias de manipulação. Apresentamos

Leia mais

ROTEIRO PARA AUTO INSPEÇÃO

ROTEIRO PARA AUTO INSPEÇÃO Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde Gerência de Produtos e Serviços de Interesse da Saúde Subgerência de Produtos Para a Saúde, Saneantes Domissanitários e Cosméticos Roteiro

Leia mais

RICO EM vitaminas. Fios fortes, revitalizados, nutridos, brilhantes e hidratação intensa. diferença nos cabelos. Linha Pós Química BEAUTYPARIS

RICO EM vitaminas. Fios fortes, revitalizados, nutridos, brilhantes e hidratação intensa. diferença nos cabelos. Linha Pós Química BEAUTYPARIS Linha Pós Química BEAUTYPARIS RICO EM vitaminas que fazem a diferença nos cabelos Fios fortes, revitalizados, nutridos, brilhantes e hidratação intensa Proporciona sinergicamente aos cabelos maleabilidade

Leia mais

Normas Gerais da Vigilância Sanitária

Normas Gerais da Vigilância Sanitária Normas Gerais da Vigilância Sanitária INTRODUÇÃO A vigilância sanitária é exercida para preservar a saúde da população. Além dos produtos alimentícios, outros produtos ou atividades estão sujeitos à inspeção

Leia mais

FORMAS DE APRESENTAÇÃO DOS SHAMPOOS

FORMAS DE APRESENTAÇÃO DOS SHAMPOOS SHAMPOOS SHAMPOO A finalidade de um shampoo é limpar os cabelos e ainda deixá-los reluzentes e maleáveis, com aparência saudável; A necessidade de lavagem freqüente ou não varia de indivíduo para outro;

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 14/2010 Brasília, 19 de abril de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 14/2010 Brasília, 19 de abril de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO- MAPA OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 14/2010 Brasília, 19 de abril de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA

Leia mais

Um corpo Hidratado e bem cuidado

Um corpo Hidratado e bem cuidado Um corpo Hidratado e bem cuidado Gel para o Corpo 2 em 1 Satin Body Benefícios e Propriedades Fórmula botânica que deixa a sua pele fresca, limpa e suave. Não deixa a pele oleosa. Tem a textura de uma

Leia mais

FARMÁCIAS E DROGARIAS

FARMÁCIAS E DROGARIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE FARMÁCIAS E DROGARIAS Nome Fantasia: Razão Social: Endereço: Responsável Técnico: CRF: Telefone: CNPJ: Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana - Av. João Durval

Leia mais

Varejista, junte-se à Abióptica.

Varejista, junte-se à Abióptica. Varejista, junte-se à Abióptica. Por que vale se associar à ABIÓPTICA A Abióptica é a mais representativa instituição do segmento óptico brasileiro. Seu quadro de associados é composto por empresas que

Leia mais

DISTRIBUIDORA DE DOCES

DISTRIBUIDORA DE DOCES Página 1 de 9 DISTRIBUIDORA DE DOCES FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: distribuidora de doces Produtos Ofertados/Produzidos: doces I nvestimento inicial:

Leia mais

Anvisa - Legislação - Resoluções

Anvisa - Legislação - Resoluções Page 1 of 7 Legislação Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. Resolução nº 335, de 22 de julho de 1999 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de

Leia mais

Roteiro de Desenvolvimento de Produtos Cosméticos

Roteiro de Desenvolvimento de Produtos Cosméticos Roteiro de Desenvolvimento de Produtos Cosméticos Etapas de Desenvolvimento de Produtos Cosméticos SEGMENTO COSMÉTICO SEGMENTO COSMÉTICO Características Dinâmico Crescimento constante Necessidade de lançamentos

Leia mais

PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010

PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010 PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, o

Leia mais

CORRETORA DE SEGUROS

CORRETORA DE SEGUROS 1 de 13 CORRETORA DE SEGUROS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: corretora de seguros Produtos Ofertados/Produzidos: seguros de automóveis, de vida, de

Leia mais

Entendendo o que é o Dossiê de Produtos

Entendendo o que é o Dossiê de Produtos Entendendo o que é o Dossiê de Produtos Alberto Keidi Kurebayashi Protocolo Consultoria Personal e Health Care Todas as empresas e profissionais que atuam no setor cosmético, sejam indústrias fabricantes

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA O TRANSPORTE DE ALIMENTOS, MATÉRIA- PRIMA, INGREDIENTES E EMBALAGENS.

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA O TRANSPORTE DE ALIMENTOS, MATÉRIA- PRIMA, INGREDIENTES E EMBALAGENS. RESOLUÇÃO.../SESA/PR O Secretário Estadual de Saúde, no uso de suas atribuições legais e: CONSIDERANDO a Portaria nº 326/1997/SVS/MS, a Resolução RDC nº275/2002, a Resolução RDC nº 216/2004, da ANVISA,

Leia mais

Produtos para os cabelos. Prof. Msc. Mayara Peron

Produtos para os cabelos. Prof. Msc. Mayara Peron Prof. Msc. Mayara Peron Brasil é o 2º maior mercado mundial em produtos para cabelos (Franquilino, 2009). CABELO Divisão do cabelo; Composição do cabelo; Tipos de cabelos; Fases de crescimento do cabelo.

Leia mais

Seja Bem Vindo! Curso Automaquiagem. Carga horária: 45hs

Seja Bem Vindo! Curso Automaquiagem. Carga horária: 45hs Seja Bem Vindo! Curso Automaquiagem Carga horária: 45hs Conteúdo: Introdução História da Maquiagem Como Limpar a Pele Pincéis para a Maquiagem Preparação da Pele Primer Base Corretivo Pó Facial Blush Olhos

Leia mais

MANUAL DE COSMETOLOGIA ARTESANAL TÉCNICAS E INFORMAÇÕES DOS COSMÉTICOS ARTESANAIS

MANUAL DE COSMETOLOGIA ARTESANAL TÉCNICAS E INFORMAÇÕES DOS COSMÉTICOS ARTESANAIS MANUAL DE COSMETOLOGIA ARTESANAL TÉCNICAS E INFORMAÇÕES DOS COSMÉTICOS ARTESANAIS PREFÁCIO O presente manual surgiu de um desafio, produzir um texto com informações exatas e confiáveis sem no entanto lançar

Leia mais

RESOLUÇÃO SESA Nº 465/2013 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9036, de 04/09/13)

RESOLUÇÃO SESA Nº 465/2013 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9036, de 04/09/13) RESOLUÇÃO SESA Nº 465/2013 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9036, de 04/09/13) O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, usando da atribuição que lhe confere o Art. 45, Inciso XIV, da Lei Estadual nº 8.485

Leia mais

Agência de Propaganda

Agência de Propaganda Agência de Propaganda RIO DE JANEIRO, 2010 APRESENTAÇÃO O SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro apóia o desenvolvimento da atividade empresarial de pequeno

Leia mais

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham!

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! 2ª Etapa 2009 a 2011 EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! Benefícios para o Setor de Agenciamento de Viagens Com a Lei Complementar 128/08 - que alterou o Estatuto

Leia mais

www.es.sebrae.com.br

www.es.sebrae.com.br Página 1 de 9 CHAVEIRO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio e serviço Tipo de Negócio: chaveiro Produtos Ofertados/Produzidos: cópias de chaves e reparos em fechaduras

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA

SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: prestadora de serviços de instalação elétrica Produtos Ofertados/Produzidos: serviços

Leia mais

E 200. linha floor care. limpeza e manutenção de pisos. Limpador Alcalino de Uso Geral. cleanup

E 200. linha floor care. limpeza e manutenção de pisos. Limpador Alcalino de Uso Geral. cleanup cleanup linha floor care limpeza e manutenção de pisos E 200 Limpador Alcalino de Uso Geral Desenvolvido para limpeza leve e pesada em todos os tipos de superfícies laváveis (bancadas, paredes, máquinas

Leia mais

Apresentação InsAtucional

Apresentação InsAtucional Informação Confidencial Apresentação InsAtucional 2010 Montesano Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda.. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. O presente documento é de propriedade da Montesano Indústria.

Leia mais

Proposta de Padronização para o Preparo de Medicamentos na Farmácia Magistral: Formas Farmacêuticas Semi-Sólidas e Líquidas

Proposta de Padronização para o Preparo de Medicamentos na Farmácia Magistral: Formas Farmacêuticas Semi-Sólidas e Líquidas XI Congresso Brasileiro de Informática em Saúde Proposta de Padronização para o Preparo de Medicamentos na Farmácia Magistral: Formas Farmacêuticas Semi-Sólidas e Líquidas Mestranda: Sybelle Okuyama Orientadora:Prof

Leia mais

Tintas. Compromisso com a qualidade

Tintas. Compromisso com a qualidade s Soluções para melhorar a qualidade dos seus produtos. Tintas Compromisso com a qualidade A Oxiteno produz tensoativos e especialidades químicas que melhoram ou contribuem para a qualidade de produtos

Leia mais

Introdução à cosmetologia. Prof. Msc. Mayara Peron Pereira

Introdução à cosmetologia. Prof. Msc. Mayara Peron Pereira Introdução à cosmetologia Prof. Msc. Mayara Peron Pereira Cosmetologia Conceitos e definições Ciência que serve de suporte à fabricação de produtos voltados à arte do cuidado e melhoria das condições estéticas

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO

LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO Página 1 de 11 LOJA DE MATERIAL ELÉTRICO FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio e serviço Tipo de Negócio: comércio de material elétrico Produtos Ofertados/Produzidos: materiais

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS ...

ORIENTAÇÕES GERAIS ... ORIENTAÇÕES GERAIS O Projeto de viabilidade econômico-financeira será solicitado, a critério do Banco, de acordo com as características do investimento, finalidade do projeto, tipo de segmento de mercado,

Leia mais

SHAMPOO. 2em1. castanha do pará LINHA. Com extrato de Castanha do Pará Nutrição vigorosa Intensa ação condicionante Secagem rápida USO VETERINÁRIO

SHAMPOO. 2em1. castanha do pará LINHA. Com extrato de Castanha do Pará Nutrição vigorosa Intensa ação condicionante Secagem rápida USO VETERINÁRIO Com extrato de Bergamota Limpeza profunda bergamota Bergamota, a revitalização e energia da Goiaba, a nutrição vigorosa da Castanha do Pará, e a suavidade e delicadeza da Jabuticaba. Unindo qualidade e

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

LOJA DE LIVROS E ARTIGOS RELIGIOSOS

LOJA DE LIVROS E ARTIGOS RELIGIOSOS LOJA DE LIVROS E ARTIGOS RELIGIOSOS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: Terciário. Ramo de Atividade: Livros e Artigos Religiosos. Tipo de Negócio: Comércio de Livros e Artigos Religiosos. APRESENTAÇÃO Diante

Leia mais

BEAUTYWORLD MIDDLE EAST - DUBAI 2010 01 A 03 DE JUNHO DE 2010

BEAUTYWORLD MIDDLE EAST - DUBAI 2010 01 A 03 DE JUNHO DE 2010 AFICHA DE INSCRIÇÃO ANTECIPADA BEAUTYWORLD MIDDLE EAST - DUBAI 2010 01 A 03 DE JUNHO DE 2010 DATA DE INSCRIÇÃO / / ORDEM DE INSCRIÇÃO RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA: ENDEREÇO: CEP: FONE: RESPONSÁVEL FEIRA

Leia mais

LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS

LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS FICHA TÉCNICA Setor da Economia: Terciário Ramo de Atividade: Análises Clínicas Produtos Ofertados: Exames de sangue e outros. APRESENTAÇÃO Para a montagem de um laboratório

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

8. Regularização do Negócio

8. Regularização do Negócio 8. Regularização do Negócio Conteúdo 1. Forma Jurídica das Empresas 2. Consulta Comercial 3. Busca de Nome Comercial 4. Arquivamento do contrato social/requerimento de Empresário 5. Solicitação do CNPJ

Leia mais

Bril Cosméticos Ecologie - apresenta sua linha Natural Pro no 21 Encontro Regional da Beleza em Fortaleza

Bril Cosméticos Ecologie - apresenta sua linha Natural Pro no 21 Encontro Regional da Beleza em Fortaleza Bril Cosméticos Ecologie - apresenta sua linha Natural Pro no 21 Encontro Regional da Beleza em Fortaleza A mais nova empresa de cosméticos brasileira destacará sua linha de produtos que une o natural

Leia mais

2 3 Cosméticos [Outros]

2 3 Cosméticos [Outros] 2 3 Cosméticos [Outros] 1. Definição da categoria A definição popular para cosméticos engloba o que a Lei para Assuntos Farmacêuticos chama de cosméticos e semi-remédios. Para este relatório, entretanto,

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO 1. A Empresa 1.1. Histórico / Aspectos Organizacionais 1.2. Razão Social 1.3. CNPJ 1.4. Inscrição Estadual e/ou Municipal 1.5. Número e data de registro

Leia mais

GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS

GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS GUIA DO EMPRESÁRIO CARTAZES DOCUMENTOS ALVARAS CARTAZES/DOCUMENTOS/ALVARAS Você encontrara neste guia as principais exigências com relação a fixação de cartazes para o seu estabelecimento comercial. Na

Leia mais

R E S O L V E: II - O Item 1.5 é revogado, uma vez que não haverá PROVA PRÁTICA, pois não há Lei Municipal que discipline a mesma.

R E S O L V E: II - O Item 1.5 é revogado, uma vez que não haverá PROVA PRÁTICA, pois não há Lei Municipal que discipline a mesma. CONCURSO PÚBLICO N 001/20 EDITAL COMPLEMENTAR Nº 02/20 DISPÕE SOBRE A RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO CONCURSO PÚBLICO N 001/20, DE 11 DE MARÇO DE 20, ATRAVÉS DO EDITAL COMPLEMENTAR N 02/20, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

SALÃO DE BELEZA. Além disso, este é um ramo muito rentável, sobretudo à medida que o profissional se torna conhecido no mercado.

SALÃO DE BELEZA. Além disso, este é um ramo muito rentável, sobretudo à medida que o profissional se torna conhecido no mercado. Página 1 de 12 SALÃO DE BELEZA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: serviço Tipo de Negócio: salão de beleza Produtos Ofertados/Produzidos: procedimentos de higiene e beleza pessoal

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ NOME DO PRODUTO: PINHO GEL Página de 1 de 5

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ NOME DO PRODUTO: PINHO GEL Página de 1 de 5 NOME DO PRODUTO: PINHO GEL Página de 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: PINHO GEL Principais Usos: Limpeza e odorização de ambientes Nome da empresa: ADHETECH QUÍMICA INDÚSTRIA

Leia mais

Qualidade, Evidência Científica e Racionalidade na Cadeia de Medicamentos: Foco na Segurança do Usuário de Produtos e Serviços

Qualidade, Evidência Científica e Racionalidade na Cadeia de Medicamentos: Foco na Segurança do Usuário de Produtos e Serviços Qualidade, Evidência Científica e Racionalidade na Cadeia de Medicamentos: Foco na Segurança do Usuário de Produtos e Serviços 05/Julho/2012 (Quinta-feira) Curso 01 Gestão de Produtos para a Saúde: Foco

Leia mais