MATRIZ CURRICULAR E EMENTÁRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DA FACULDADE REDENTOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MATRIZ CURRICULAR E EMENTÁRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DA FACULDADE REDENTOR"

Transcrição

1 MATRIZ CURRICULAR E EMENTÁRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DA FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ 2012

2 2 MATRIZ CURRÍCULAR 2013/1 1 º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP IAU 1001 Introdução à Arquitetura e Urbanismo CALCULO Cálculo EST 1001 Estética MOU 1001 Morfologia Urbana DEL 1001 Desenho Livre DEA 1001 Desenho de Arquitetura ESF 1001 Estudo da Forma INTINF Introdução à Informática ELG 1001 Geometria Descritiva CH- Total TOTAL º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CALCUL1 Cálculo Diferencial e Integral HIS 1002 História da Arte METOCIE Metodologia Científica PLA 1002 Plástica DEA 1002 Desenho de Arquitetura TOPOGR1 Topografia PROASPC Projeto Assistido por Computador THA 1002 Teoria e História da Arquitetura e 3 Urbanismo I CH- Total TOTAL º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total PDA 1003 Projeto de Arquitetura MECAGER Mecânica Geral HIS 1003 História da Arte THA 1003 Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo COT 1003 Conforto Térmico PAC 1003 Projeto Assistido por Computador MAQ 1003 Maquetes DEU 1003 Desenho Universal TOTAL

3 3 4º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total PDA 1004 Projeto de Arquitetura RESMAT1 Resistência dos Materiais HIS 1004 História da Arte THA 1004 Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo COL 1004 Conforto Lumínico EDE 1004 Editoração Eletrônica ERGONOM Ergonomia INTRECO Introdução à Economia TOTAL º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total PDA 1005 Projeto de Arquitetura SIE 1005 Sistemas Estruturais DTH 1005 Detalhamento ESS 1005 Estudos Sociais SUSSOAM Sustentabilidade Sócio Ambiental TECCONS Técnicas de Construção CAC 1005 Conforto Acústico MATCON Materiais de Construção TOTAL º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total PDA 1006 Projeto de Arquitetura ETC 1006 Estruturas de Concreto TEP 1006 Teoria e Técnicas de Projeto de Interiores ENGSETR Engenharia de Segurança do Trabalho LEU 1006 Legislação Urbana FUP 1006 Fundamentos de Paisagismo SANEAMB Saneamento Ambiental EDIFICA Edificações LIB 1009 LIBRAS TOTAL

4 4 7º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total PDA 1007 Projeto de Arquitetura ETC 1007 Estruturas de Concreto PUP 1007 Projeto Urbano e Paisagístico URB 1007 Urbanismo IHD 1007 Instalações Hidrossanitárias TER 1007 Técnicas Retrospectivas PDI 1007 Projeto de Interior RELICUL Religião e Cultura Optativa TOTAL º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total PDA 1008 Projeto de Arquitetura MSF 1008 Mecânica dos Solos e Fundações IEL 1008 Instalações Elétricas URB 1008 Urbanismo TPA 1008 Tópicos de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo PDI 1008 Projeto de Interior BIS 1009 Biossegurança TOTAL º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total EAM 1009 Estruturas de Aço e Madeira Optativa PUR 1009 Planejamento Urbano e Regional TOCUMON Tópicos do Mundo Contemporâneo TPA 1009 Técnicas de Projeto Acadêmico TAR 1009 Tópicos Especiais em Arquitetura e Urbanismo EST 1009 Estágio Supervisionado TOTAL

5 5 10º Período Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total TFG 1010 Trabalho Final de Graduação GEN 1010 Gestão de Negócios GEO 1010 Gestão de Obras EST 1010 Estagio Supervisionado TOTAL Optativas Código Matéria Créditos CH-AT CH-AP CH- Total EST 1099 Estatística GPR 1099 Gestão de Projetos e Obras TAP 1099 Técnicas de Apresentação de Projetos PAC 1099 Projeto Assistido por Computador PDI 1099 Projeto de Interior TAA 1099 Tópicos Avançados em Arquitetura Sustentável TAT 1099 Tópicos Avançados em Técnicas Retrospectivas RER 1004 Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil EDA1005 Educação Ambiental Conceituação de Projeto de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo Intervenção Urbana Formação Sócio-Histórica do Brasil Expressões da Questão Social no Norte e Noroeste Fluminense Estado, Classes e Movimentos Sociais Total de disciplinas Obrigatórias + optativas (h/aula): 5160 Total de disciplinas Obrigatórias + optativas (horas): 3870 Total da CH de Estágio Sup. + Atividade Complementar (horas): 560 Carga Horária total do curso (horas): 4430

6 6 CARGA HORÁRIA MÍNIMA E TEMPO MÍNIMO DE INTEGRALIZAÇÃO DURAÇÃO: Mínimo de 05 anos e Máximo de 10 anos TURNO DE FUNCIONAMENTO: Noturno REGIME DE MATRÍCULA: Seriado Semestral TOTAL DE HORAS: 3660 horas Nº de Créditos Nº de Hora útil s obrigatórias Estágio Atividades complementares TOTAL (mínimo) optativa 6 90 TOTAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 1º Período 1 Introdução à Arquitetura e Urbanismo Carga Horária: 30 Créditos: 02 Atribuições e competências do arquiteto e urbanista. O profissional do setor privado. O profissional do setor público. Interiores, construção civil e seus diversos ramos, paisagismo, urbanismo e planejamento urbano, restauro e gestão do patrimônio cultural. As instituições, órgãos oficiais reguladores e fiscalizadores, organizações associativas e de defesa da profissão. Ética e

7 7 responsabilidade social do profissional de Arquitetura. FARRELLY, L. Fundamentos da Arquitetura. São Paulo: Bookman, CAVALCANTI, L. Quando o Brasil era moderno: guia de arquitetura º ed. Rio de Janeiro: Editora Aeroplano, GROPIUS, W. Bauhaus: Nova arquitetura. 1º ed. São Paulo, Editora Perspectiva LITTLEFIELD, D. Manual do Arquiteto Planejamento, Dimensionamento e Projeto. São Paulo: Bookman, COLIN, S. Uma Introdução à Arquitetura. Rio de Janeiro: UAPE, NEUFERT, E. Arte de Projetar em Arquitetura. São Paulo: G.Gilli 2 Cálculo 0 Carga Horária: 60 Créditos: 04 Números Reais e Conjuntos Numéricos, Estudo de Funções, Funções do 1º grau, Funções do 2º grau, Funções exponenciais, Funções Logarítmicas, Funções Trigonométricas, Funções Trigonométricas Inversas. LEITHOLD, W. O Cálculo com Geometria Analítica, Harbra Editora, São Paulo, MUNEM, Mustafá A., FOULIS, DEMANA, Frankling. Pré-Cálculo São Paulo: Pearson, MUNEM. M. A., FOULIS, D. J. Cálculo 1. São Paulo. Elsevier, FLEMMING, D. M. Cálculo A; Funções, Limite, Derivação, Integração. Makron Books, São Paulo, SIMMONS, G. Cálculo com Geometria Analítica, São Paulo. Makron Books, THOMAS, G. B. Cálculo, volume 1, Décima edição, Editora Addison-Wesley, Estética Carga Horária: 30 Créditos: 02 Estudo de temas, autores e problemas referentes à estética clássica moderna e contemporânea. Introdução à Linguagem Tridimensional. Elementos formais da tridimensionalidade: ponto, linha, plano, massa

8 8 composição, volume, forma, peso, equilíbrio, ritmo, movimento, simetria e assimetria. Semântica dos materiais: cor, textura, resistência e rigidez. ARGAN, G. C. História da Arte como História da Cidade; tradução Pier Luigi Cabra. 5ª ed. São Paulo: Martins Fontes, BENÉVOLO, L. História da Cidade. 4ªed. São Paulo, Perspectiva,2007. OSTROWER, F. Universo da Arte. Rio de Janeiro: Editora Campus, VENTURI, L. História Crítica da Arte. Lisboa Portugal, SN,2007. PARRAMON, J. M. A Perspectiva na Arte, 2ªed., Lisboa Portugal, Editora Presença Ltda., HAUSER, A. História da Arte e da Literatura. 1ªed., São Paulo, Martins Fontes, Morfologia Urbana Teoria do urbanismo. Imagem da cidade. Morfologia, percepção e simbologia do espaço urbano. Estrutura do território elementos morfológico urbanos. A cidade enquanto arquitetura. Forma urbana e lugar. Métodos e técnicas de leitura do espaço urbano. Métodos de apreensão das formas e lugares urbanos. A percepção do ambiente urbano. Fenomenologia do espaço urbano. Simbologia das formas urbanas. CHOAY, Françoise. O Urbanismo. S. Paulo: Ed. Perspectiva, CULLEN, Gordon. Paisagem urbana. Lisboa: Martins Fontes, l984. LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. Lisboa: Martins Fontes, l982. JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, LAMAS, José Ressano G. Morfologia Urbana e Desenho da Cidade. Lisboa:Fundação Calouste Gulbenkian, LE CORBUSIER. Planejamento urbano. São Paulo: Editora Perspectiva, Desenho Livre Modos de visualização e técnicas de representação. Observação e percepção

9 9 de objetos, de paisagens e do corpo humano. Representação do espaço. Desenho e expressão gráfica. Detalhes, esboço, escalas. Luz e sombra. Reflexões sobre o processo da construção e a importância da Perspectiva como ferramenta de representação, compreensão e simulação do Projeto Arquitetônico e Urbanístico. A importância do uso da Perspectiva em todas as fases de projeto. A importância da representação dos materiais e da forma arquitetônica como transmissão da intenção do projeto. MONTENEGRO, G. A Perspectiva dos Profissionais. Edgard Blücher, São Paulo, PARRAMÓN VILASALÓ, J. M. A Perspectiva na Arte, Editorial Presença, Lisboa, 1994 EDWARDS, B. Desenhando com o lado direito do cérebro. Rio de Janeiro: Ediouro, DOYLE, M. E. Desenho a cores. 2ª edição, Bookman, LEGGIT, J. Desenho de arquitetura: atalhos que usam tecnologia. 1ª edição, Bookman, PARRAMON. Fundamentos do Desenho Artístico: Aula de Desenho. Martins Fontes, São Paulo, Desenho de Arquitetura 1 Apresentação e introdução de conceitos básicos à representação gráfica dos elementos arquitetônicos projetados. Normas e especificações. Escala. Leitura, interpretação e execução de desenhos de arquitetura : planta baixa, planta de situação/ implantação, cobertura, cortes, fachadas, humanização, em edificações térreas. ARNHEIM, Rudolf. A Dinâmica da Forma Arquitetônica. Tradução: Wanda Ramos. Título original: The Dynamics of Architecture Form. Lisboa: Ed. Presença, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR6492: Representação de projetos de edificações arquitetura. Rio de Janeiro, MONTENEGRO, Gildo A. Desenho arquitetônico. Edgar Blücher, CHING, F. D. K.; Dicionário visual de arquitetura; São Paulo: Editora Martins Fontes, KEMMERRICH, C. Detalhes Gráficos para Arquitetos; Editora Gustavo Gili S.A., 1968.

10 10 NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura; Editora Gustavo Gili S.A., Estudo da Forma Arquitetura e teoria. O projeto de arquitetura. Análise morfológica em arquitetura. Arquitetura e Teoria. Os conceitos de Teoria de Arquitetura. Arquitetura como fenômeno cultural. Propriedades visuais. Transformações e articulação da forma. Forma e espaço. Qualidades do espaço arquitetônico. Organizações da forma e do espaço. O projeto de arquitetura: importância. Programa arquitetônico. Conceitos em arquitetura. Estudos e pesquisas. Propostas e soluções. CHING, F. D.K. Arquitetura: forma, espaço e ordem. São Paulo: Martins Fontes, HERTZBERGER, H. (1996). Lições de Arquitetura. São Paulo: Martins Fontes. ZEVI, B. Saber ver a Arquitetura. [tradução Maria Isabel Gaspar, Gaëtan Martins de Oliveira]. 5ª Ed. - São Paulo: Martins Fontes, SNYDER, J. C. & CATANESE, A. J. Introdução à Arquitetura. Rio de Janeiro: Campus, RASMUSSEN, S. Arquitetura Vivenciada. São Paulo: Martins Fontes, s.d. GREGOTI, V. O Território da Arquitetura. São Paulo: Perspectiva, Introdução à Informática A informática nos negócios. A sociedade da informação. Conceitos de hardware, software e peopleware. Microcomputadores: Unidade central de processamento, memória e dispositivos e meios de E/S. Sistemas operacionais. Internet. Segurança da Informação. Processadores de Textos; Planilha Eletrônica; Pesquisa na Internet; Criação de apresentações (slides); Montagem de páginas para internet. COX, J. Microsoft Office Power Point São Paulo: Artmed, FORBELONE, A. L. V. Lógica de Programação: A Construção de Algorítmos e Estruturas de Dados. São Paulo: Prentice Hall, 2005.

11 11 NORTON, P. Introdução à Informática. São Paulo: Pearson Makron Books, ISSA, N. M. K. I. Word São Paulo: Senac, SURIANI, R. M. Excel São Paulo: Senac, COX, J. Windows 7: passo a passo. São Paulo: Artmed, Elementos de Geometria Geometria plana. Geometria espacial. Geometria descritiva. Teoria Geral das Projeções. Método de Monge. Ponto, reta e plano. Métodos Descritivos: rotação, rebatimento, mudança de planos. Projeções ortogonais de polígonos, poliedros e sólidos elementares. Verdadeira grandeza. Problemas sobre superfícies elementares. Problemas métricos. Formas geométricas. LACOURT, H. Noções e fundamentos de geometria descritiva. Rio de Janeiro: LTC, DOLCE, O. e POMPEO, J. N.. Fundamentos de Matemática Elementar - Vol Geometria Espacial posição e métrica. São Paulo: Atual, MONTENEGRO, G. A. Geometria Descritiva, São Paulo: Ed. Edgard Blucher, PRINCIPE Jr, A. dos R. Noções de Geometria Descritiva vol 1 e 2. Rio de Janeiro: Ed. Nobel MACHADO, A. Geometria Descritiva. São Paulo: Ed. Atual MANDARINO, D. Desenho Projetivo e Geometria Descritiva. São Paulo: Ed. Plêiade, º Período

12 12 1 Cálculo Diferencial e Integral I Carga Horária: 90 Créditos: 06 Limites e do Comportamento de Funções. Continuidade. Derivação. Noções de Integração. GUIDARIZZI,H. Cursos de Cálculo Vol.1. Rio de Janeiro: Livros técnicos e Científicos, MUNEM, Mustafá A., FOULIS, David J. Cálculo Vol. 1. Trad. André Lima Cordeiro. Rio de Janeiro: Ed Guanabara Dois, LEITHOLD, Louis. O Cálculo com Geometria Analítica. São Paulo:Harbra, SIMMONS, George F. Cálculo com Geometria Analítica. Volume 1. Traduzido por Seiji Hariki. São Paulo: Makron Books, FLEMMING, Diva Marília; GONÇALVES, Mirian Buss. Cálculo A: Funções, limite, derivação e integração. 6ª Edição: revista e ampliada. São Paulo: Editora Pearson Prentice Hall, CARNEIRO, Carlos E.I.; PRADO, Carmem P.C.; SALINAS, Sílvio R.A. Introdução Elementar às Técnicas do Cálculo Diferencial e Integral. 1ª Edição. São Paulo: Livraria da Física, História da Arte 1 Noções de arte e belas-artes. A arte da Antigüidade ao Renascimento. A relação entre os movimentos artísticos e a sociedade. Arte como expressão de seu tempo. Relações entre arte e sociedade. Relações da arte com arquitetura e urbanismo. ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte como História da Cidade / Giulio Carlo Argan; tradução Pier Luigi Cabra. 5ª 12d. São Paulo: Martins Fontes, BENÉVOLO, L. História da Cidade. 4ªed. São Paulo, Perspectiva,2007. OSTROWER, Fayga. Universo da Arte. Rio de Janeiro: Editora Campus, JASON e JASON. Introdução à história da arte. SP: Martins Fontes, 1999 PRETTE, M. C. Para entender a Arte.1ª Ed. São Paulo: Ed. Globo, GOMBRICH, E. H. A história da arte. RJ: Editora Guanabara, 1993.

13 Metodologia Científica Carga Horária: 30 Créditos: 02 Metodologia Científica e metodologia do trabalho acadêmico. As formas de conhecimento. Exame de tópicos básicos na apresentação do trabalho científico. LAKATOS, Eva Maria. Metodologia Científica. 3ª Edição. São Paulo: Atlas, RUIZ, João Álvaro. Metodologia Científica: Guia para Eficiência nos Estudos. 6ª Edição. São Paulo: Atlas, SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 21ª Edição Revista e Ampliada. São Paulo: Cortez, CERVO, A. L. ; BERVIAN, P. A. Metodologia Científica. 2ª Edição. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, SALOMON, Délcio Vieira. Como Fazer uma Monografia. 9ª Edição. São Paulo: Martins Fontes, VERA, Armando Asti. Metodologia da Pesquisa Científica. Porto Alegre: Globo, Plástica Utilização de materiais diversos para composição tridimensional. Estudo de forma, volume, massa, cor, textura, ritmo, escala. Forma geométrica x forma orgânica. Maquetes volumétricas. CONSALEZ, Lorenzo. Maquetes: A Representação do Espaço no Projeto Arquitetônico. Barcelona: G. Gili, CHING, Francis, D.K. Arquitetura: forma, espaço e ordem. São Paulo: Martins Fontes, OSTROWER, Fayga. Universo da Arte. Rio de Janeiro: Editora Campus, ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual. São Paulo - SP. EDUSP CALVINO, Italo. Seis Propostas para o Próximo Milênio: Lições Americanas. São Paulo: Companhia das Letras, BRUAND, Y. Arquitetura Contemporânea no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1981.

14 14 5 Desenho de Arquitetura 2 Representação gráfica dos elementos arquitetônicos projetados. Leitura, interpretação e execução de desenhos de arquitetura em edificações de múltiplos pavimentos. Tipos de circulação vertical, Coberturas, Desenho Urbano e Paisagístico. ARNHEIM, Rudolf. A Dinâmica da Forma Arquitetônica. Tradução: Wanda Ramos. Título original: The Dynamics of Architecture Form. Lisboa: Ed. Presença, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR6492: Representação de projetos de edificações arquitetura. Rio de Janeiro, MONTENEGRO, Gildo A. Desenho arquitetônico. Edgar Blücher, CHING, Francis D. K.; Dicionário visual de arquitetura; São Paulo: Editora Martins Fontes, KEMMERRICH, C. Detalhes Gráficos para Arquitetos; Editora Gustavo Gili S.A., NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura; Editora Gustavo Gili S.A., Topografia Objetivos da topografia. Sua origem e evolução. A representação do relevo por pontos, plantas, perfis e seções. A orientação verdadeira e magnética. Os nivelamentos barométrico, trigonométrico e geométrico. Taqueometria e o desenho topográfico. Mediadas de área e volumes e seu uso na engenharia. Topografia automatizada. Levantamento e reconhecimento expedito do terreno. Locação de obras. Sistema de Posicionamento global - GPS. Aerofotogrametria. BORGES, Alberto de Campos. Topografia Aplicada a Engenharia Civil Vol 1. Ed. Edgard Blucher, BORGES, Alberto de Campos. Topografia Aplicada a Engenharia Civil Vol 2. Ed. Edgard Blucher, MARTINELLI, Marcello. Curso de Cartografia Temática. São Paulo: Ed. Contexto

15 15 BORGES, Alberto De Campos. Exercícios de Topografia. Ed. Edgard Blucher, ESPARTEL, L. Curso de Topografia. Porto Alegre: Globo, GODOY, R. Topografia Básica. Piracicaba: FEALQ, c Projeto Assistido por Computador 1 Carga Horária: 60 Créditos: 04 Introdução a sistemas CAD. Apresentação dos principais softwares CAD utilizados atualmente. Evolução. Conceituação. Aplicação de CAD em projetos mecânicos. Hardware e software em CAD. Dispositivos de entrada e saída. Padrões gráficos. Sistemas de coordenadas. Representação em 2D e 3D. Aprendizado e utilização de software CAD. GOMES, Jonas; VELHO, Luiz. Computação Gráfica. Rio de Janeiro: IMPA, 1998 JUSTI, Alexander. Revit Architecture Rio de Janeiro 1aª edição 2010 Editora Ciência Moderna MATSUMOTO, Élia Y. AutoCAD 2006: Guia prático 2D & 3D. Editora: ÉRICA, BAIRON, Sérgio. Multimídia. São Paulo, Global, LIMA, Cláudia C. Estudo dirigido de AutoCAD 2006 Editora ÉRICA, FRENCH, T. E., VIERCK, C. J. Desenho Técnico e Tecnologia Gráfica. Rio de Janeiro: Editora Globo, Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo 01 A arquitetura e o urbanismo da Antigüidade ao Renascimento. Relações da arquitetura com o urbanismo. As primeiras cidades no oriente médio; Egito; Grécia e o helenismo; cidade grega. Roma e o Império; formações urbanas do Império Romano; Arquitetura bizantina e islâmica. BENÉVOLO, L. História da Cidade. 4ªed. São Paulo, Perspectiva,2007. DUCHER, Robert. Características dos Estilos. 5ª. ed. Trad. Maria E. G. G Pereira. São Paulo:Martins Fontes, GLANCEY, Jonathan. A História da Arquitetura. Trad.Luis C. Borges e Marcos Marcionilo. São Paulo: Ed. Loyola, 2001.

16 16 BENDALA, M. Saber Ver a Arte Grega. São Paulo: Martins Fontes, EZQUERRA, J. A. Saber Ver a Arte Egípcia. São Paulo: Martins Fontes: MACAULAY, D. Construção de uma Cidade Romana. São Paulo: Martins Fontes, º Período 1 Projeto de Arquitetura 1 Carga Horária: 90 Créditos: 06 Projeto de edificação unifamiliar de habitação urbana e o assentamento coletivo inserido em malha urbana existente. Conceituação dos mecanismos projetuais. Contexto urbano, paisagem e caráter arquitetônico. Condicionantes sociais, ambientais e técnicas: habitabilidade, sistemas prediais e fluxos. Prática do projeto. ROAF, Sue. Ecohouse - A casa ambientalmente sustentável. 2 ed. S.l.:Bookman, DIETER e MEHLHORN, J. Atlas de plantas de habitações. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura; Editora Gustavo Gili S.A., COSTA, Lúcio Arquitetura / Lúcio Costa. 2ª Ed. Rio de Janeiro: José Olympio, ACAYABA, Marcos. Marcos Acayaba. 1ª Ed. Cosac & Nayf NIEMEYER, Oscar. Casas onde Morei. Ed. Renvam, Mecânica Geral Carga Horária: 60 Créditos: 04

17 17 Estática abstrata. Momento. Sistemas de forças. Redução de Sistemas. Invariantes. Eixo Central. Equações universais de equilíbrio. Vínculos. Aplicações em sistemas isostáticos planos e não planos. Geometria das massas. Centros de gravidade. Momentos e Produtos de Inércia. Teorema de Mozzi. Movimento plano. Movimento relativo. Dinâmicas dos sólidos. Teoremas gerais de Centro de massa. Momento Cinético do Trabalho e Energia. Teoremas de D Alembert e dos trabalhos virtuais. Mecânica Física. Estudo das resistências passivas. BEER, F. P.; JOHNSTON JÚNIOR, E. R. Mecânica Vetorial para Engenheiros: Estática. São Paulo: PEARSON EDUCATION DO BRASIL, HIBBELER, R. C. Engenharia Mecânica: Estática.10ª edição. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, MERIAM, J. L.; KRAIGE, L.G. Mecânica para Engenharia: Estática. Editora LTC Livros Técnicos e Científicos, 6ª Ed., Rio de Janeiro, FONSECA, A. Curso de Mecânica 2 Estática. Rio de Janeiro: Livros Técncios e Científicos, HIBBELER, R. C. Engenharia Mecânica: Estática. 8ª edição. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, KAMINSKI, Paulo C. Mecânica geral para engenheiros. São Paulo:Edgard Blucher, História da Arte 2 Maneirismo. Arte e arquitetura barroca na Europa e na América Latina. Pintura e escultura colonial brasileira. Neoclassicismo europeu, norteamericano e brasileiro. Pintura romântica e acadêmica européia e brasileira. Ecletismo brasileiro. ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte como História da Cidade / Giulio Carlo Argan; tradução Pier Luigi Cabra. 5ª ed. São Paulo: Martins Fontes, BENÉVOLO, L. História da Cidade. 4ªed. São Paulo, Perspectiva,2007. VENTURI, Lionello. História da Crítica de Arte. Lisboa, Edições 70, JASON e JASON. Introdução à história da arte. SP: Martins Fontes, 1999 PRETTE, M. C. Para entender a Arte.1ª Ed. São Paulo: Ed. Globo, GOMBRICH, E. H. A história da arte. RJ: Editora Guanabara, 1993.

18 18 4 Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo 2 Arte e arquitetura Românica. Arte e arquitetura Gótica. Américas. O renascimento: principais vultos, manifestações artísticas e sua arquitetura. Principais características do maneirismo nas artes e arquitetura. O Barroco arte e arquitetura. O Rococó: a integração entre decoração e arquitetura. O século XVIII: o iluminismo, a revolução industrial e as suas conseqüências para as artes e arquitetura. As principais correntes da arquitetura romântica. BENÉVOLO, L. História da Cidade. 4ªed. São Paulo, Perspectiva,2007. DUCHER, Robert. Características dos Estilos. 5ª. ed. Trad. Maria E. G. G Pereira. São Paulo:Martins Fontes, GLANCEY, Jonathan. A História da Arquitetura. Trad.Luis C. Borges e Marcos Marcionilo. São Paulo: Ed. Loyola, BRACONS, José. Saber Ver A Arte Gótica. Trad. Jamir Martins. São Paulo: Ed. Martins Fontes, RAMALHO, Germán. Saber Ver A Arte Românica. Trad. Jamir Martins. São Paulo: Ed. Martins Fontes, MACAULAY, D. Construção de uma Catedral. São Paulo: Martins Fontes, Conforto Térmico Transferência de calor. Respostas humanas ao ambiente térmico. Instrumentos de avaliação. Índices de conforto. Condicionamento climático. Ventilação natural. Radiação solar. Sombreamento. Racionalização do consumo de energia. Fontes alternativas de energia. Normas técnicas de Conforto térmico. CORBELLA, O.; YAMAS, S. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Ed. Revan, FROTA, A.B.; SCHIFFER S.R., Manual de Conforto Térmico, 7ª ed., São Paulo: Studio Nobel, COSTA, E.C.; Física Aplicada à Construção - Conforto Térmico, São Paulo: Edgard Blucher, 2003.

19 19 HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J., Fundamentos de Física - Vol. 2 - Gravitação, Ondas, Termodinâmica, 7ª ed. Rio de Janeiro: LTC, COSTA. E. C. da. Arquitetura Ecológica: Condicionamento Térmico Natural, São Paulo: Perspectiva, LAMBERTS, R. Eficiência Energética na Arquitetura, São Paulo: PW Editora, Projeto Assistido por Computador 2 Representação gráfica em três dimensões com utilização de programas de computador. GOMES, Jonas; VELHO, Luiz. Computação Gráfica. Rio de Janeiro: IMPA, 1998 JUSTI, Alexander. Revit Architecture Rio de Janeiro 1aª edição 2010 Editora Ciência Moderna MATSUMOTO, Élia Y. AutoCAD 2006: Guia prático 2D & 3D. Editora: ÉRICA, BAIRON, Sérgio. Multimídia. São Paulo, Global, LIMA, Cláudia C. Estudo dirigido de AutoCAD 2006 Editora ÉRICA, FRENCH, T. E., VIERCK, C. J. Desenho Técnico e Tecnologia Gráfica. Rio de Janeiro: Editora Globo, Maquetes Abordagem da representação do espaço arquitetônico e urbano, através da análise e experimentação com modelos tridimensionais. Fundamentos de sistemas estruturais e sua evolução histórica abordados com a confecção de maquetes. Fundamentação da representação arquitetônica bidimensional e tridimensional. Materiais e equipamentos. Métodos e técnicas para a confecção de maquetes. MILLS, CRISS B. Projeto de Maquetes. São Paulo, Artmed Bookman, 2007 KNOLL, W. Maquetes Arquitetônicas. São Paulo: Martins Fontes, NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura; Editora Gustavo Gili S.A., 2004.

20 20 CONSALEZ, Lorenzo. Maquetes: A representação do espaço no projeto arquitetônico. Barcelona: G. Gili, ROCHA, Paulo Mendes da. Maquetes De Papel. Cosac Naify, MARMMINI, Edmar. Oficina para Maquetes e Modelismo. São Paulo: Hobbylink, Desenho Universal Projeto de objetos, de mobiliário urbano e arquitetônico que atendam aos padrões de soluções técnicas, existentes no Brasil e exterior, bem como aos critérios técnicos da Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT que garanta a acessibilidade a todos os componentes do ambiente urbano e das edificações. CAMBIAGHI, Silvana. Desenho Universal: métodos e técnicas para arquitetos e urbanistas. São Paulo: Editora Senac, p. ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas NBR 9050/2004 Acessibilidade. NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura; Editora Gustavo Gili S.A. ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR NM 313:2007: Elevadores de passageiros Requisitos de segurança para construção e instalação. Requisitos particulares para a acessibilidade das pessoas, incluindo pessoas com deficiência. Rio de Janeiro, PRADO; COPES; OMSTEIN. Desenho Universal Caminhos da Acessibilidade no Brasil. São Paulo: Annablume, CDHU-SP. Manual de Desenho Universal: Habitação de Interesse Social. Prefeitura de São Paulo, 2010.

21 21 4º Período 1- Projeto de Arquitetura 2 Carga Horária: 60 Créditos: 04 Projeto de edificação habitacional multifamiliar urbana e grupamentos de edificações. Conceituação dos mecanismos projetuais. Contexto urbano, paisagem e caráter arquitetônico. Relação entre os espaços públicos, semipúblicos e privados. Condicionantes sociais, ambientais e técnicas: estrutura comunitária, densidade e habitabilidade, sistemas prediais, prédimensionamento estrutural, fluxos. Prática do projeto. DIETER e MEHLHORN, J. Atlas de plantas de habitações. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura; Editora Gustavo Gili S.A. EDITORA MONSA. Edifícios de Apartamentos; Barcelona: Editora Monsa, NEUFERT-NEFF, P.-L.. Casa, Apartamento, Jardim. Barcelona: Editora Gustavo Gili, FRENCH, H. Vivienda Colectiva Paradigmática Del Siglo XX. GG: VAZ, L. F. Modernidade e Moradia. Habitação Coletiva no Rio de Janeiro - Séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, Resistência dos Materiais 1 Carga Horária: 60 Créditos: 04 Estudo das Tensões em um ponto. Lei de Hooke. Lei de Poisson. Deformações. Tensão na flexão e torção. Tensões na solicitação axial. Tensão no corte simples. Tensões combinadas Dimensionamento com solicitações singelas e associadas. Aulas práticas. BEER, Ferninand P. Resistência dos materiais. 3 ª ed. São Paulo: Makron Books do Brasil Editora Ltda, HIBBELER, R.C. Resistência dos Materiais. São Paulo, Pearson Pretentice Hall, POPOV, E.P. Introdução à Mecânica dos sólidos. São Paulo: Ed. Edgard

22 22 Blucher,1982. MERIAM, J. L., KRAIGE, L.G. Mecânica: Estática. Editora LTC Livros Técnicos e Científicos, 4ª Ed., Rio de Janeiro, RILEY, W., STURGES, L., MORRIS, D.: Mecânica dos Materiais. Editora LTC, 5º edição, Rio de Janeiro, TIMOSHENKO, S. Mecânica dos sólidos. Vol. 1. Rio de Janeiro: Ed. Livros Técnicos e Científicos, História da Arte 3 Impressionismo. Art Nouveau. Movimentos artísticos do início do Século XX. Expressionismo. A Bauhaus. O racionalismo europeu. Semana de Arquitetura neocolonial brasileira. O Art Déco. Tendências contemporâneas nas artes. ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte como História da Cidade / Giulio Carlo Argan; tradução Pier Luigi Cabra. 5ª ed. São Paulo: Martins Fontes, BENÉVOLO, L. História da Cidade. 4ªed. São Paulo, Perspectiva,2007. VENTURI, Lionello. História da Crítica de Arte. Lisboa, Edições 70, HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. São Paulo, Martins Fontes, PRETTE, M. C. Para entender a Arte.1ª Ed. São Paulo: Ed. Globo, GOMBRICH, E. H. A história da arte. RJ: Editora Guanabara, Teoria e História da Arquitetura e Urbanismo 3 A Bauhaus. O racionalismo europeu. Arquitetura orgânica. Semana de Arquitetura neocolonial brasileira. O Art Déco. Arquitetura modernista brasileira, européia e norte-americana. A cidade modernista. Pósmodernismo. Crítica ao urbanismo modernista e urbanismo contemporâneo. Crítica arquitetônica. Estudo dos pensadores e teóricos de arquitetura ao longo da história. Estudos das correntes teóricas contemporâneas. Análise crítica de obras arquitetônicas. Produção crítica.

23 23 BENÉVOLO, L. História da Arquitetura Moderna. São Paulo, Perspectiva,1976. BRUAND, Yves. Arquitetura Contemporânea no Brasil. São Paulo, Editora Perspectiva, FRAMPTON, Kenneth. História crítica da arquitetura moderna. São Paulo, Martins Fontes, GHIRARDO, Diane Yvonne. Arquitetura Contemporânea Uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, PORTOGUESI, Paolo. Depois da Arquitetura Moderna. Lisboa, Edições 70, 1985 NESBITT, Kate (org.), Uma nova agenda para a arquitetura: antologia teórica ( ), São Paulo, Cosac Naify, Conforto Lumínico Natureza e propagação da luz. Fontes de luz (natural e artificial). Sistemas de iluminação. Respostas humanas à luz. Instrumentos de avaliação. Relação iluminação-atividade. Aproveitamento da iluminação natural. Materiais e tecnologias para a otimização dos sistemas de iluminação. Eficiência energética. Normas técnicas de Conforto lumínico. CORBELLA, O.; YAMAS, S. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Ed. Revan, MASCARÓ,J.; Mascaró,L.Iluminação-Uso Racional de Energia Elétrica em Edificações. Abilux, LAMBERTS,R.; Pereira,F.; Dutre,L.; Goulart,S. Eficiência Energética na Arquitetura. Editora PW, HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J. Fundamentos de Física, vol. 2, 7ª ed. Rio de Janeiro: LTC, Caderno de Boas Práticas 4 em Arquitetura: Eficiência Energética nas Edificações. Rio de Janeiro, Eletrobrás, ELETROBRÁS. Aproveitar. Brasil: Eletrobrás, Editoração Eletrônica Introdução às formas de multimídia relacionadas com a profissão do

24 24 arquiteto e urbanista que dão suporte à Linguagem Arquitetônica. Representação Arquitetônica com este instrumental e utilização de som, imagem, texto e animação. HURLBURT, Allen. Layout: o Design da Página Impressa. Nobel, LEGGITT, Jim. Desenho de Arquitetura: Técnicas e Atalhos que Usam Tecnologia. São Paulo, Bookman, GIORDAN, Daniel. Adobe Photoshop 7: Guia Prático Visual, São Paulo, Ciência Moderna, BAIRON, Sérgio. Multimídia. São Paulo, Global, LÉVY, Pierre. O que é o Virtual. São Paulo, Editora 34, OSTROWER, Fayga. Universo da Arte. Rio de Janeiro: Editora Campus, Ergonomia Carga Horária: 60 Créditos: 04 Normas de Ergonomia. Doenças ocupacionais. Conforto e bem estar do trabalhador.bases biomecânicas, fisiológicas e antropométricas, medidas do corpo como parâmetros para projeto. Fatores ambientais que influenciam o trabalho e o conforto. Fatores humanos que interferem no desempenho do trabalho. Avaliação e projeto de postos de trabalho. IIDA, Itiro. Ergonometria: projetos e produção. 2ª ed. rev. e ampl. São Paulo: Edgard Blücher, GRANDJEAN, E. Manual de Ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. 4ª Ed. Trad. João Pedro Stein. Porto Alegre: Artes Médicas, ABRAHÃO, J. et al. Introdução à ergonomia: da prática à teoria. ABRAHÃO, J.; SZNELWAR, L.; SILVINO, A. SARMET, M; PINHO, D. São Paulo: Blucher, GUÉRIN, F. et al. Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia. Trad. Giliane M. J. Ingratta. A. Laville, F. Daniellou, J. Duraffourg, A. Kerguelen. São Paulo: Blucher, DUL, J.; WEERDMEESTER, B. Ergonomia prática. 2ª ed. rev. e ampl. Trad. Itiro Iida. São Paulo: Edgard Blücher, VIDAL, M. C. R. Guia para Análise Ergonômica do Trabalho (AET) na empresa: uma metodologia realista, ordenada e sistematizada. Rio de Janeiro: Virtual Científica, 2003.

25 25 8- Introdução à Economia Carga Horária: 30 Créditos: 02 Noções fundamentais. Economia de mercado. Formação do desenvolvimento econômico. Microeconomia Macroeconomia. Noções de contabilidade nacional. Custos e formação de preços. Vasconcellos, M. A. S.; GARCIA, M. E. Fundamentos de Economia. São Paulo, Saraiva, 3 ed., MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Cengage Learning, BRUM, A. J. Desenvolvimento Econômico Brasileiro. São Paulo: Vozes, 24 ed., ABREU, M. P.. Ordem do Progresso: Cem Anos de Política Republicana São Paulo, SILVA, J. C. F. Modelos de Análise Macroeconômica: um Curso Completo de Macroeconomia. São Paulo: Campus, 2 ed., SINCLAY,L. Economia e Mercados. São Paulo: Saraiva, 19 ed º Período 1- Projeto de Arquitetura 3 Carga Horária: 90 Créditos: 06 O anteprojeto de arquitetura. Aspectos técnicos e legais. A inserção de edifício educacional de porte médio na estrutura urbana. Tipos e paradigmas precedentes. Histórico dos edifícios de uso institucional. Os usos e suas inter-relações: Conexões, circulações e fluxos; fatores ambientais. Relação entre o edifício institucional e o contexto urbano. Ação emocional do espaço urbano e exigências culturais. BENCOSTTA, Marcus Levy. História Da Educação Arquitetura E Espaço Escolar. Cortez, HERTZBERGER, H. Lições de Arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, KOWALTOWSKI, D. Arquitetura Escolar: o Projeto do Ambiente de Ensino.

26 26 São Paulo: FAPESP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, NEUFERT, E. Arte de Projetar em Arquitetura. São Paulo: G.Gilli, BENCOSTTA, M. L. A. História da Educação, Arquitetura e Espaço Escolar. São Paulo, Cortez, Sistemas estruturais 2 Morfologia das estruturas de Edificações. Escolhas estruturais no desenvolvimento de projeto arquitetônico. Estruturas Isostáticas. Diagrama dos esforços normais e cortantes e momentos fletores. Estruturas hiperestáticas. CAMPANARI, F.A. Teoria das Estruturas, vol. 1, 2, 3 e 4. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Dois, GORFIN, Bernardo. Estruturas isostáticas. Rio de Janeiro: Editora Livros Técnicos e Cientificos, SUSSEKIND, José Carlos. Curso de Análise Estrutural. Vol 1, 2 e 3. Porto Alegre: Ed. Globo, ROCHA, Aderson Moreira da. Hiperestática Plana Geral. São Paulo: Ed Página Aberta, v. VIERO, E. H. Isostática Passo a Passo - Sistemas Estruturais em Arquitetura e Engenharia. Ed.EDUCS, MERIAM, J. L., KRAIGE, L.G. Mecânica: Estática. Editora LTC Livros Técnicos e Científicos, 4ª Ed., Rio de Janeiro, Detalhamento Detalhamento dos elementos que compõem o projeto arquitetônico, no estudo das etapas de projeto executivo e detalhamento no estudo do processo de projeto e sua relação com a construção. Objetiva a compreensão e elaboração de desenhos gráficos que detalhem todos os

27 27 elementos que compõe o projeto arquitetônico. PINHEIRO, J. N.. Desenho Arquitetônico Contemporâneo. Ed. Hemus, São Paulo 2004 ASBEA, Detalhes em Arquitetura. São Paulo: J.J. Carol, CHING, F.C.K. Arquitetura de Interiores. São Paulo: Bookman, KEMMERICH, C. Detalhes gráficos para arquitetos. Barcelona: G.Gilli 1979 MCLEOD, V. Detalhes Construtivos da Arquitetura Residencial Contemporânea. São Paulo: Bookman, OBERG, L. Desenho Arquitetônico. Ed. Ao Livro Técnico, Estudos Sociais Análise sociológica da cidade: meio urbano e meio rural. O processo civilizador e urbanificador brasileiro. Arranjos políticos locais e a formação das comunidades de interesse. O desafio do desenvolvimento sustentável e participativo: Planejamento urbano e rural numa perspectiva democrática. O método e a técnica em pesquisa social. Diagnósticos participativos e sujeitos sociais; Intervenções de planejamento urbano e rural mediante o uso de ferramentas de pesquisa social. GOMES, P.C.C. A Condição Urbana: ensaios de geopolítica das cidades. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, SANCHEZ, F. A reinvenção das Cidades para um mercado mundial. Chapecó: Argos, DA SIL, R. C. M. A Cidade pelo Avesso - Desafios do Urbanismo Contemporâneo. Editora Viana & Mosley, MUMFORD, L. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. São Paulo: Martins Fontes, HERTZBERGER, H. (1996). Lições de Arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, MAGALHÂES, S. A Cidade na Incerteza: Ruptura e Contiguidade em Urbanismo. Rio de Janeiro, Viana e Mosley, Sustentabilidade Sócio-Ambiental

28 28 Noções básicas de Ecologia e Ecossistema. Equilíbrio ambiental. Impacto ambiental. Legislação Ambiental. Licenças ambientais. Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental. Plano de Recuperação de Áreas Degradadas. Plano de Controle Ambiental e Relatório de Controle Ambiental. BRAGA, B.; HESPANHOL, I.; GONEJO, J. G. L. ; MIERZWA, J. C. ; BARROS, M. T. L.; SPENCER, M.; PORTO, M.; NUCCI, N.; JULIANO, N.; EIGER, S. Introdução à Engenharia Ambiental: o desafio do desenvolvimento sustentável. 2 ed. São Paulo: Pearsol Prentice Hall, GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Impactos Ambientais Urbanos no Brasil. 4 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, LITTLE, P. E. Políticas ambientais no Brasil: análise, instrumentos e experiências. São Paulo: IIEB, Bibliografia Complementar MATTOS, K. M. C.; MATTOS, A. Valoração econômica do Meio Ambiente: uma abordagem teórica e prática. São Carlos: RiMa, Fapesp, RICKLEFS, R. E. A Economia da Natureza. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, VERDUM, R.; MEDEIROS, R.M.V. RIMA: Relatório de Impacto Ambiental: Legislação, elaboração e resultados. 5 ed. Porto Alegre: UFRGS, Técnicas de Construção Processos gerais de construção. Organização e racionalização das construções. Industrialização e pré-fabricado nas construções. Centrais e bombeamento do concreto e argamassas. Estudo das infra-estruturas comuns e especiais. Métodos construtivos modernos. CHING, F.D.K. Técnicas de construção ilustradas. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, SALGADO, J. Técnicas e Práticas Construtivas para Edificação. Editora Érica, YAZIGI, W. A técnica de Edificar. Pini, HUGON, A. Técnicas de construção ilustradas. Vol. 1 e 2. Hemus, PINI. Construção Passo a Passo. Pini, DE AZEREDO, H. A. O edifício e seu acabamento. Edgard Blucher, 2000.

29 29 7 Conforto Acústico Acústica urbana e ruído. Geração e propagação do som. Resposta humana ao som. Instrumentos de avaliação. Limites desejáveis. Isolamento acústico. Eco e reverberação. Projeto acústico de ambientes. Normas técnicas de conforto acústico. CORBELLA, O.; YAMAS, S. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Ed. Revan, SIUZA,L.C.L; Almeida, M.G.; Bragança, L.:Be a Bá da Acústica Arquitetônica. Editora Ediouro, MURGEL, E.M. 2007: Fundamentos da Acústica Ambiental. Editora Senac, HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J. Fundamentos de Física, vol. 2, 7ª ed. Rio de Janeiro: LTC, ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10152: Níveis de Ruído Para Conforto Acústico. ABNT, BISTAFA, Sylvio R. Acústica Aplicada ao Controle do Ruído. Edgard Blucher, Materiais de Construção 1 Introdução ao estudo dos materiais de construção. Propriedades dos materiais. Conceito de Ciência dos Materiais. Principais materiais utilizados em construção e sua vinculação ao projeto arquitetônico. Novos materiais construtivos. FALCÃO BAUER, L. A. Materiais de construção I. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, FALCÃO BAUER, L. A. Materiais de construção II. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, SILVA, Moema R. Materiais de construção. São Paulo: Pini, GUEDES, M. F. Caderno de encargos. 4ª ED. São Paulo: ed. Pini, s.d. GUY, A. G. Ciências dos Materiais. Rio de Janeiro, Livros Técnicos e Científicos VAN VLACK, L. H. Princípios de Ciência e Tecnologia dos Materiais. Rio de Janeiro, Editora Campus.

30 30 6º Período 1 Projeto de Arquitetura 4 Carga Horária: 90 Créditos: 06 Pesquisa de projetos de edifícios-torre comerciais e análise crítica. Concepção e desenvolvimento até o nível de anteprojeto de torre comercial, com lançamento estrutural, hidráulico, elétrico, paisagístico, de prevenção a incêndio, de ar-condicionado. HASCHER, R. Atlas de Edifícios e Oficinas. GG, ROAF, S.; NICOL, F.; CRICHTON, D. Adaptação de Edificações e Cidades: As Mudanças Climáticas. Bookman, SILVA, Maria Angélica Covelo; SOUZA, Roberto de. Gestão do Processo de Projeto de Edificações. 1ª ed. São Paulo: O Nome da Rosa, GAUZIN-MULLER, D. Arquitetura Ecológica. São Paulo: Senac, CORBELLA, O.; YAMAS, S. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Ed. Revan, MINQUET, J. M. Architecture Overview: Atlas de Edifícios. Barcelona: Monsa, Estruturas de Concreto 1 O Concreto como Material de construção: componentes, propriedades e aplicações. Normas da ABNT. Sistemas Estruturais de concreto e suas possibilidades formais no projeto arquitetônico. Fundamento de cálculo e hipóteses básicas de dimensionamento. Estados limites. Coeficientes de segurança. ARAÚJO, José Milton de. Curso de Concreto Armado Vol. 1, 2 3 e 4. São Paulo:

31 31 Pini, PFEIL, Walter. Dimensionamento do concreto armado a flexão composta: segundo as recomendações da CEB/72 e a nova norma brasileira NB1/75. Rio de Janeiro: Editora Livros Técnicos e Científicos, ROCHA, Aderson Moreira da, Curso prático de concreto armado. São Paulo: Liv. Nobel, SCANDIUZZI, Luércio, Concreto e seus materiais: propriedades e ensaios. São Paulo: Pini, SUSSEKIND, José Carlos. Curso de concreto: concreto armado. vol. 1 e 2. Rio de Janeiro: Globo, ARAÚJO, J. M. Curso de concreto armado: de acordo com a nova NBR Vol. 4. Rio Grande, RS: Editora Dunas Teoria e Técnica do Projeto de Interior. Estudo e projeto de interiores de espaços residenciais. Teoria do projeto e metodologia da prática de interiores. Conceito dos espaços residenciais. Elementos que compõem o interior. Princípios da Composição. Circulações, mobiliário, equipamentos. Ambiente e comportamento. Acessibilidade. Introdução a Simbologia Elétrica e Hidráulica. KARVEN, M. Planejamento de Espaços Internos com Exercícios. São Paulo: Bookman, GURGEL, Miriam. Projetando espaços: Guia de arquitetura de interiores para áreas residenciais. São Paulo, Editora Senac, CHING, F.C.K. Arquitetura de Interiores. São Paulo: Bookman, QUARTINO, D. S. Atlas de Interiores Contemporâneos. GG, CANIZARES, A. G. New Apartaments. Collins Design, NEUFERT, E. A Arte de Projetar em Arquitetura. São Paulo: G.Gilli, Engenharia de Segurança do Trabalho. Legislação (CLT,NR,NRR). Organização de segurança do trabalho nas empresas (CIPA, Mapa de Risco, PPRA, etc.), Noções de Ergonomia.

32 32 Segurança, qualidade e produção. Higiene do trabalho. Principais métodos e meios de prevenção de acidentes utilizados na engenharia, EPI e EPC. Proteção contra incêndio, custo do Acidente de Trabalho. CAMPOS, A. A. M. Acidentes do Trabalho e Prevenção. 5ªed. São Paulo: Editora SENAC, MTE, SIT. Caminhos do Acidente de Trabalho. Brasília ROUSSELET, E. da S. A segurança na obra. Rio de Janeiro: Sinduscon, LIDA, I. Ergonomia. São Paulo: Ed. Edgard Blucher, c1990. CARVALHO, Sérgio Américo, HIGIENE DO TRABALHO, Apostila e Anotações. Rio de Janeiro CARVALHO, Sérgio Américo, SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE INCÈNDIOS. Apostila e Anotações. Rio de Janeiro, Legislação Urbana Ramos do Direito: noções de Direito Constitucional, Penal, do Trabalho e Administrativo. Licitações e Contratos Administrativos. Estatuto da Cidade, Plano Diretor Participativo, Lei de Uso e Ocupação do Solo e Código de Obras. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de BRASIL. Lei sobre Anotação de Responsabilidade Técnica ART. Lei n /1977. BRASIL. Lei de Licitações e Contratos Administrativos. Lei n de 21 de junho de DINIZ, M. H. Curso de Direito Civil Brasileiro. Vol ª ed., São Paulo. Saraiva, NASCIMENTO, A. M. Iniciação ao Direito do Trabalho, 29ª edição, São Paulo: LTr, SECCO, O.A. Introdução ao Estudo do Direito. Rio de Janeiro. Lumem Júris Fundamentos de Paisagismo

33 33 Conceituação de paisagismo. Noções de história do paisagismo. Paisagismo brasileiro. Apresentação ao projeto de paisagismo. Praça, parque, arborização urbana. Áreas verdes da cidade. Botânica. Fisiologia e manejo de flores e plantas ornamentais. MACEDO, S. S. Quadro do paisagismo no Brasil. São Paulo: EDUSP, p. (Coleção Quapá, 1). CULLEN, Gordon. Paisagem urbana. Lisboa: Martins Fontes, l984. WATERMAN, T. Fundamentos de paisagismo. Trad. Técnica Alexandre Salvaterra. Porto Alegre: Bookman, DOURADO Guilherme M. (org.). Visões da Paisagem. São Paulo, ABAP, LAMAS, José Ressano G. Morfologia Urbana e Desenho da Cidade. Lisboa- Portugal,Fundação Calouste Gulbenkian, SPIRN Anne W. O Jardim de Granito. A natureza no desenho da cidade. São Paulo, EDUSP, 1995 (1984). 7 Saneamento Ambiental Introdução ao saneamento básico. Abastecimento de água. Coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários. Coleta, tratamento e disposição de resíduos sólidos. Coleta de águas pluviais e controle de empoçamentos e inundações. Controle de vetores de doenças. SPERLING, M.V. Introdução à Qualidade das Águas e ao Tratamento de Esgotos. Vol. 1. Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFMG, BRAGA, B. Introdução a Engenharia Ambiental. São Paulo. Prentice Hall, LIMA, J.D. Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil. ABES, FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. Manual de Saneamento. 3 ª ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, Dep. de Saneamento, TSUTIYA, M.T. Abastecimento de Água. Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária da Escola Politécnica de SP, CASTRO, A.A. et al. Manual de Saneamento e Proteção Ambiental para Municípios Vol. 2. Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFMG, 1996.

34 34 8 Edificações Projetos e construção de canteiros de serviços e locação. Escoramentos e reforços. Fundações. Revestimentos e Pinturas. Isolamento térmico e impermeabilização. Planejamento e execução de obras de grande porte e construção em série. O programa habitacional brasileiro. Legislação profissional. Controle de perdas na construção civil. COLENCI JUNIOR, Alfredo et al. Gerenciamento na construção civil. São Carlos: USP, c1998. COMITÊ BRASILEIRO DE CONSTRUÇÃO CIVIL. Catálogo de normas COBRACOM / Comitê Brasileiro de Construção Civil. Rio de Janeiro: ABNT, FRITZ, G.; et al. Planejamento e Gestão de Obras. 1 ed. Curitiba, CEFET-PR YAZIGI, W. A técnica de Edificar. Pini, RIPPE, E. Manual Prático de Materiais de construção: recebimento, transporte interno, estocagem, manuseio e aplicação. São Paulo: PINI, HACHICH, W., FALCONI, F.F., SAES, J.L., FROTA, R.G.O., CARVALHO, C.S., NIYAMA, S. Fundações: teoria e prática. 2ª ed. São Paulo: PINI, LIBRAS Carga Horária: 30 Créditos: 02 Concepção da surdez e a importância da Lingua Brasileira de Sinais para a formação do deficiente auditivo em seus aspectos culturais e sóciointeracionais. Aspectos filosóficos, funcionais e gramaticais da LIBRAS. Produção Lingüística. Bibliografia básica: FNDE. Dicionário Digital da Língua Brasileira de Sinais, Brasília, DF: FNDE, MEC. Ensino da Língua portuguesa para surdos. Brasília: MEC, 2002 SACKS, O. Vendo Vozes: uma jornada pelo mundo dos surdos. RJ: IMAGO, 1993 Bibliografia complementar: LIBRAS Paraná Secretaria de Estado de Educação Dep. de Educação Especial 1998 INTEGRAÇÃO. Ministério da Educação Secretária de Educação Especial.

RESOLUÇÃO. Artigo 3º - O Plano de Implantação, Conteúdo Programático e demais características do referido Curso constam do respectivo Processo.

RESOLUÇÃO. Artigo 3º - O Plano de Implantação, Conteúdo Programático e demais características do referido Curso constam do respectivo Processo. RESOLUÇÃO CONSEPE 59/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Aplicação de softwares na confecção de textos, planilhas, e projetos. 2. Interpretação e desenvolvimento de desenhos técnicos e de projetos arquitetônicos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1 NÍVEL I 4111W - 04 Matemática para Arquitetura Ementa: Fundamentos do Cálculo Diferencial, Cálculo Integral e Geometria

Leia mais

1º SEMESTRE. 1. Análise e Percepção da Forma da Arquitetura 05 75h - 2. Desenho I 05 75h - 4. Geometria Descritiva 05 75h -

1º SEMESTRE. 1. Análise e Percepção da Forma da Arquitetura 05 75h - 2. Desenho I 05 75h - 4. Geometria Descritiva 05 75h - V- MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM ARQUITETURA E URBANISMO 1º SEMESTRE 1. Análise e Percepção da Forma da Arquitetura 05 75h - 2. Desenho I 05 75h - 3. Estética e História das Artes 05 75h

Leia mais

BASE CURRICULAR 2010/1 Noturno CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO UNICRUZ

BASE CURRICULAR 2010/1 Noturno CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO UNICRUZ BASE CURRICULAR 2010/1 Noturno CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO UNICRUZ 1º PERÍODO Introdução à Arquitetura e Urbanismo 04 60 História e Teoria da Arquitetura e do Urbanismo I - Panorama Mundial 04 60

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, BACHARELADO CURRÍCULO 1620 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

CURRICULUM SIMPLIFICADO

CURRICULUM SIMPLIFICADO Série: 1-1 Semestre 7AQ110 ANTROPOMETRIA 2.0 7AQ104 DESENHO ARQUITETÔNICO I 4.0 7AQ101 DESENHO DE OBSERVAÇÃO 4.0 7AQ102 DESENHO GEOMÉTRICO 4.0 7AQ106 HISTÓRIA DA ARTE ANTIGA 2.0 7AQ103 LINGUAGEM VISUAL

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PRIMEIRO PERÍODO Calculo I 4 72 60 - Geometria Analítica 4 72 60 - Introdução a Engenharia Civil 4 72 60 - Metodologia Cientifica 4 72 60 - Filosofia Geral

Leia mais

Disciplinas Obrigatórias

Disciplinas Obrigatórias MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 507/2014 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Grau: Bacharelado. O CONSELHO

Leia mais

Grade Curricular - Arquitetura e Urbanismo

Grade Curricular - Arquitetura e Urbanismo Grade Curricular - Arquitetura e Urbanismo SEMESTRE 1 - Obrigatórias SAP0615 Projeto I 12 4 16 SAP0620 Desenho de Arquitetura 6 2 8 SAP0623 Plástica 6 2 8 SAP0645 Informática na Arquitetura 8 2 10 SAP0646

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 004/2014

RESOLUÇÃO CA Nº 004/2014 Faculdade Independente do Nordeste Credenciada pela Portaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada no D.O.U. de 09/07/2001. RESOLUÇÃO CA Nº 004/2014 Aprovar a alteração da matriz curricular do Curso de Arquitetura

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN Matriz Curricular do Curso de Design Fase Cód. Disciplina Créditos Carga Horária 01

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE 3.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE 3.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR CURSO: GRADUAÇÃO: REGIME: DURAÇÃO: INTEGRALIZAÇÃO: ARQUITETURA E URBANISMO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 05 (CINCO) ANOS LETIVOS MÍNIMO: 05 (CINCO) ANOS LETIVOS A) TEMPO TOTAL:

Leia mais

1º período. 2º período

1º período. 2º período 1º período Eixo Disciplina CH Pré-requisito Correquisito (C) 1 Cálculo I 90 9 Contexto Social e Profissional do Engenheiro Civil 30 7 Desenho Técnico 30 1 Geometria Analítica e Álgebra Vetorial 90 2 Laboratório

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR O currículo proposto busca atender além do perfil do formando, também competências e habilidades necessárias ao profissional para garantir uma boa formação tanto teórica quanto prática

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV ARQUITETURA E URBANISMO. COORDENADOR Roberto de Almeida Goulart Lopes rgoulart@ufv.br

Currículos dos Cursos UFV ARQUITETURA E URBANISMO. COORDENADOR Roberto de Almeida Goulart Lopes rgoulart@ufv.br 76 Currículos dos Cursos UFV ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADOR Roberto de Almeida Goulart Lopes rgoulart@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 77 Bacharelado ATUAÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

2º SEMESTRE. Cálculo I 04 00 60 Introdução ao Cálculo Álgebra Linear e Geometria Analítica

2º SEMESTRE. Cálculo I 04 00 60 Introdução ao Cálculo Álgebra Linear e Geometria Analítica Resolução CONSUN Nº 34/2014 de 29/10/2014 COD. NOME DA DISCIPLINA T P CH Pré-Requisito 1º SEMESTRE Introdução à 04 00 60 Introdução ao Cálculo 04 00 60 Química Geral Antropologia 02 00 30 Desenho Técnico

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 70/2002

RESOLUÇÃO CONSEPE 70/2002 RESOLUÇÃO CONSEPE 70/2002 ALTERA A CARGA HORÁRIA DOS CURRÍCULOS DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo IAU PLANO DE ENSINO Unidade de Aprendizagem: INTRODUÇÃO AO PROJETO DE ARQUITETURA E URBANISMO Ano/ Semestre Letivo:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Fase Cod. Disciplina I Matriz Curricular vigente Carga Horária Teórica Prática Total

Leia mais

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa Bacharelado em Engenharia Civil bibliografia complementar ALMEIDA, Márcio de Souza S. Aterros sobre solos moles: projeto e desempenho. 1. reimpr.

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

FACULDADE SANTA RITA

FACULDADE SANTA RITA FACULDADE SANTA RITA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL BACHARELADO Matriz Curricular 1º SEMESTRE Introdução à Engenharia Geometria Analítica e Álgebra Linear 04 80 Cálculo I 04 80 Tópicos de Economia para Engenharia

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE Curso: Graduação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR PROCESSOS GERENCIAIS (Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios) TECNOLÓGICA SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI INSTITUTO DE CIÊNCIA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA - TEÓFILO OTONI CURSO DE GRADUAÇÃO - ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURA CURRICULAR

Leia mais

1º PERÍODO P R O G R A M A

1º PERÍODO P R O G R A M A 1º PERÍODO ADJUNTA DISCIPLINA: Desenho de Arquitetura H114585 Expressão e Representação gráfica. Convenções adotadas no desenho dos Projetos de Arquitetura, de acordo com as normas vigentes (ABNT). Instrumentos

Leia mais

CURRICULUM SIMPLIFICADO

CURRICULUM SIMPLIFICADO Série: 1-1 Semestre 7IN101 CRIATIVIDADE 2.0 7IN102 DESENHO DE ARQUITETURA I 4.0 7IN104 DESENHO GEOMÉTRICO 2.0 7IN103 DESENHO DE OBSERVAÇÃO I 4.0 7PJ105 ECOLOGIA URBANA 4.0 7TC106 FÍSICA BÁSICA 4.0 7HS107

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFRA ESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

4.ª SÉRIE 5.ª SÉRIE. 0 120 120 99-9241-08 TRABALHO DE CURSO 0 320 320 (*) ATIVIDADES COMPLEMENTARES 80 0 080 Carga Horária / Total Anual 240 480 720

4.ª SÉRIE 5.ª SÉRIE. 0 120 120 99-9241-08 TRABALHO DE CURSO 0 320 320 (*) ATIVIDADES COMPLEMENTARES 80 0 080 Carga Horária / Total Anual 240 480 720 MATRIZ CURRICULAR Curso: ARQUITETURA E URBANISMO Graduação: BACHARELADO Regime: SERIADO ANUAL - NOTURNO Duração: 5 (CINCO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 05 (CINCO) ANOS LETIVOS

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br

ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR José Carlos Bohnenberger bohnen@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 187 Engenheiro Civil ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho das atividades profissionais previstas

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Aplicação de softwares na confecção de textos, planilhas, e projetos 2. Interpretação e desesenvolvimento de desenhos técnicos e de projetos arquitetônicos

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 092/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 092/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 092/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 275/2014, que altera o Currículo do Curso de Engenharia Civil para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1 1 1 INTRODUÇÃO AO DESIGN DE MODA Terminologias e conceitos da área. Contextualização e processo de moda. Mercado. Ciência e. 2 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO Leitura analítica e crítica. Gêneros textuais.

Leia mais

Curso Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente

Curso Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente Curso Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente PERFIL PROFISSIONAL Profissional capaz de orientar e intervir na realidade do processo produtivo, promovendo mudanças em relação às aplicações tecnológicas

Leia mais

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos DESIGN 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado HABILITAÇÃO: Projeto do Produto PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo: Proporcionar

Leia mais

6.1 Matriz Curricular Ciências Econômicas (turno noturno)

6.1 Matriz Curricular Ciências Econômicas (turno noturno) 6.1 Matriz Curricular Ciências Econômicas (turno noturno) Ministério da Educação Universidade Federal da Integração Latino-Americana Pró-Reitoria de Graduação (ESTRUTURA CURRICULAR 2010-2011) MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2014 1.ª SÉRIE MEIOS DE EXPRESSÃO VISUAL EM ARQUITETURA E URBANISMO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2014 1.ª SÉRIE MEIOS DE EXPRESSÃO VISUAL EM ARQUITETURA E URBANISMO Curso: Graduação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR ARQUITETURA E URBANISMO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 5 (CINCO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 05 (CINCO) ANOS LETIVOS

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/804 - Ingresso Vestibular a partir de 2012/1

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/804 - Ingresso Vestibular a partir de 2012/1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURRÍCULO 4/804 - Ingresso Vestibular a partir de 2012/1 NÍVEL I 4110K 03 Matemática para Arquitetura Ementa: Estudo da Álgebra dos Vetores, da Geometria Analítica, da Geometria

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 1 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2011 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE OBSERVAÇÃO E CROQUIS... 4 02 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 03 CÁLCULO DIFERENCIAL

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU 30/08/10

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU 30/08/10 C U R S O D E AR Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU 30/08/10 Componente Curricular: PROJETO III Código: ARQ-030 Pré-requisito: Projeto II(ARQ-020) Período

Leia mais

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal)

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental Matriz Curricular 1 Período IB 157 Introdução à Biologia 4 (2-2) IT 103 Técnicas Computacionais em Engenharia 4 (2-2)

Leia mais

NO ANEXO III TEMAS PARA A PROVA DE DESEMPENHO DIDÁTICO

NO ANEXO III TEMAS PARA A PROVA DE DESEMPENHO DIDÁTICO 3 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA REITORIA Rua Esmeralda, 430 Fx Nova Camobi Cep: 97110-767 - Santa

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-479/2012,

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Controle e Automação para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-481/2012,

Leia mais

Código Disciplina/Pré-Requisito Caráter Créditos. ARQ01046 LINGUAGENS GRÁFICAS I Obrigatória 3 45 ARQ01045 MAQUETES Obrigatória 3 45

Código Disciplina/Pré-Requisito Caráter Créditos. ARQ01046 LINGUAGENS GRÁFICAS I Obrigatória 3 45 ARQ01045 MAQUETES Obrigatória 3 45 Período Letivo: 2012/1 Curso: ARQUITETURA E URBANISMO Habilitação: ARQUITETURA E URBANISMO Currículo: ARQUITETURA E URBANISMO Créditos Obrigatórios: 260 Créditos Eletivos: 10 Créditos Complementares: 6

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADOR Ítalo Itamar Caixeiro Stephan stephan@ufv.br 154 Currículos dos Cursos do CCE UFV Currículo do Curso de Arquitetura e Urbanismo Arquiteto e Urbanista ATUAÇÃO O curso

Leia mais

PROGRAMAS DAS PROVAS

PROGRAMAS DAS PROVAS ENGENHEIRO CIVIL (prova objetiva) PORTUGUÊS: PROGRAMAS DAS PROVAS 1. Compreensão de textos informativos e argumentativos e de textos de ordem prática (ordens de serviço, instruções, cartas e ofícios).

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 006/2013 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 25.09.2007 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 243 - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 05

Aprovado no CONGRAD: 25.09.2007 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 243 - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 05 Aprovado no CONGRAD: 25.09.2007 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 243 - CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 05 I - NÚCLEO DE CONHECIMENTOS DE FUNDAMENTAÇÃO Estética,

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO 132 ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADORA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Aline Werneck Barbosa de Carvalho abarbosa@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 CURRÍCULO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo Prova BA Tópicos de Prova

Arquitetura e Urbanismo Prova BA Tópicos de Prova Arquitetura e Urbanismo Prova BA Tópicos de Prova Turmas AM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre Projeto de Arquitetura e Urbanismo I 1. Espaço Público e Espaço Privado: relações

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: CARTOGRAFIA E TOPOGRAFIA CÓDIGO: CRT003 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA: TÉORICA : 30 horas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, BACHARELADO CURRÍCULO 1610 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

Missão. Objetivos Específicos

Missão. Objetivos Específicos CURSO: Engenharia Ambiental e Sanitária Missão O Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnico científica nas áreas

Leia mais

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A ARQUITETURA E URBANISMO PROFESSORA: ELOANE CANTUÁRIA TURMAS: 1ARQV-1 e 1ARQN-1 UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 MACAPÁ-AP MARÇO/2006

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 CRIATIVIDADE... 3 02 HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN... 3 03 INTRODUÇÃO AO... 3 04 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 3

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 1º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 1º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES FORMA/GRAU:( )integrado ( X ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PONTUAÇÃO-LIMITE DOS QUESITOS DA PROVA DE TÍTULOS DO CONCURSO PARA PROVIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR ASSISTENTE EM REGIME DE 20 HORAS SEMANAIS PARA O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO FEAR -Faculdade de Engenharia e Arquitetura FEAR CAMPUS Fig.1 Mapa Campus I (Adaptado pela autora) Fonte: WebSite www.upf.com.br FEAR ENSINO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UPF, iniciou suas atividades

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Disciplina: Projeto Urbano e Paisagístico I PUP I Carga horária: 80 horas Ano Letivo: 2012 Série: 2ª Série Justificativa da Inclusão da Disciplina

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 147/2012, que altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO ARQUITETURA E URBANISMO 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado GRAU ACADÊMICO: Arquiteto e Urbanista PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 9 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

ARQUITETURA PARAIBANA NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI

ARQUITETURA PARAIBANA NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI ARQUITETURA PARAIBANA NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI Autoria: Manoel Brito de Farias Segundo (orientador) Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas (FACISA) Caio Méssala da Silva Faustino - Faculdade de

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA CIVIL MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Civil do CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTACIO RADIAL DE SÃO PAULO tem por missão graduar Engenheiros Civis

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio Matriz de Especificação de Prova da : Técnico em Design de Móveis Descrição do Perfil Profissional: Desenvolve esboços, perspectivas e desenhos normatizados de móveis. Realiza estudos volumétricos e maquetes

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

ANEXO I - EDITAL Nº 15/2015 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA

ANEXO I - EDITAL Nº 15/2015 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO 2º SEMESTRE 205 ANEXO I - EDITAL Nº 5/205 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS PARA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN FAUeD EDITAL 97/2012 UFU

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS PARA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN FAUeD EDITAL 97/2012 UFU PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS PARA FAUeD EDITAL 97/2012 UFU ÁREA: Geometria Descritiva e Desenho Geométrico e Desenho Arquitetônico Programa e sistemática do

Leia mais

5MAT073 DESENHO GEOMÉTRICO E GEOMETRIA DESCRITIVA D

5MAT073 DESENHO GEOMÉTRICO E GEOMETRIA DESCRITIVA D 1ª Série 5MAT072 CÁLCULO C Equacoes e funcoes: logaritmos e exponenciacao. Limites. Derivadas. Tangentes e Normais. Maximos e minimos. Integracao simples. Calculo de areas de regioes planas, volumes de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Altera a Resolução n. 15/2006 do CONSEPE, que aprova a Projeto Pedagógico do

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 PLANO DE CURSO C U R S O D E A R Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 Componente Curricular: PROJETO II Código: ARQ020 Pré-requisito: PROJETO II Período

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓREITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Fase Cód. Disciplina I II III IV V VI Matriz Curricular do curso de Engenharia Civil PréReq.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 29/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Válida para os acadêmicos ingressantes a partir

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Subsequente DISCIPLINA: Desenho Técnico CÓDIGO: Currículo: 2010 /02 Ano / Semestre: 2011/02 Carga Horária total: 40 h/a Turno:

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 PLANO DE CURSO C U R S O D E A R Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 Componente Curricular: PROJETO V Código: ARQ050 Pré-requisito: ARQ040 Projeto

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ARQUITETURA E URBANISMO. CRÉDITOS Obrigatórios: 246 Optativos: 2.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ARQUITETURA E URBANISMO. CRÉDITOS Obrigatórios: 246 Optativos: 2. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:19:48 Curso : ARQUITETURA

Leia mais

CST EM DESIGN DE INTERIORES

CST EM DESIGN DE INTERIORES CST EM DESIGN DE INTERIORES Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: CST EM DESIGN DE INTERIORES Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed.

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA. Química Inorgânica e geral. Química Orgânica. Química Ambiental. Gerenciamento de Resíduos OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA. Química Inorgânica e geral. Química Orgânica. Química Ambiental. Gerenciamento de Resíduos OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Matriz curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Produção da UFERSA a partir de 2011.2. (Adequada à Matriz curricular do Curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia) Período Disciplinas Obrigatórias

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) COMPREENSÃO E PRODUÇÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA I C/H 102 (2358) intermediário de proficiência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DIRETORIA DE ENSINO 1 PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DIRETORIA DE ENSINO 1 PROGRAMA DE DISCIPLINA DIRETORIA DE ENSINO 1 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I MTM 1 MATEMÁTICA ICEB 0 00 0 0 Semestral 7* horas * Há necessidade de se verificar junto ao de Matemática a possibilidade de compatibilização do programa,

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas,

Leia mais

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa Bacharelado em Engenharia Civil Bibliografia básica ÁLGEBRA linear. 3. ed., Revista e ampliada. São Paulo: HARBRA, 1986. 411 p., il. Inclui bibliografia.

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 198 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Ambiental ATUAÇÃO O curso de Engenharia Ambiental da UFV

Leia mais

Plano de Ensino. CARGA HORÁRIA: 40 h TURNO: Noturno TURMA: EDS 03/T4. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º Semestre

Plano de Ensino. CARGA HORÁRIA: 40 h TURNO: Noturno TURMA: EDS 03/T4. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º Semestre Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão Curso: Engenharia Civil SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da UNESA tem por missão formar Engenheiros Civis com sólida formação básica e profissional, alinhada com as diretrizes

Leia mais