Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT (Bussaco s Recovery from Invasions Generating Habitat Threats)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT (Bussaco s Recovery from Invasions Generating Habitat Threats)"

Transcrição

1 Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT (Bussaco s Recovery from Invasions Generating Habitat Threats)

2 Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT AÇÃO E.2 Monitorização e Avaliação de Resultados do Projeto

3 Objetivos UA Monitorização e Avaliação de Resultados do Projeto: -SubAção 1. Monitorização da Fauna -SubAção 2. Monitorização da Flora e Vegetação Em ambos os casos, comparar os efeitos das intervenções florestais com uma situação de referência previamente estabelecida.

4 Fundamentos do BRIGHT Estudos prévios da UA, realizados no âmbito do Plano de Ordenamento e Gestão da MNB, construíram o ponto de partida. Foram identificados os habitats naturais da Diretiva Habitats. Destacou-se a inexistência no Plano Sectorial da Rede Natura 2000 de um habitat importantíssimo na MNB (adernal), chamando-se a atenção para o mesmo e para a importância da sua preservação (nota: o programa LIFE não contempla áreas com domínio de flora exótica). Elencaram-se as espécies invasoras que ameaçam os habitats naturais da MNB e alertou-se para a necessidade do seu controlo. Comprovou-se cientificamente que a MNB constitui um oásis de biodiversidade.

5 Equipa Nome Funções Gerais Tipo de Contrato / Despesa Afetação Carlos Fonseca Coordenação Geral Pessoal, Quadro Parcial Rosa Pinho Coordenação Operacional Habitats Pessoal, Quadro Parcial Paulo Silveira Coordenação Operacional Flora Pessoal, Quadro Parcial Lísia Lopes Orientação trabalhos flora Pessoal, Quadro Parcial Milene Matos Coordenação Operacional Fauna Bolseira FCT Parcial Sónia Guerra Bolseira, execução trabalhos flora Contratada BRIGHT Total (100%) André Aguiar Bolseiro, execução trabalhos fauna Contratado BRIGHT Total (100%) Daniela Ferreira Lúcia Pereira Técnica superior gab. de gestão financeira de programas e projectos Mestranda, dispersão de sementes por vertebrados Pessoal, Quadro Parcial Aluna Total (100%) Ana Vasques Colaboradora, trabalhos com sementes Colaboradora Parcial Paula Maia Colaboradora, trabalhos com sementes Colaboradora Parcial Tatiana Pinhal Colaboradora, trabalhos com invertebrados Aluna Parcial Ricardo Santos Colaborador, trabalhos com invertebrados Aluno Parcial Cátia Paredes Colaboradora, trabalhos com invertebrados Aluna Parcial Sofia Jervis Colaboradora, trabalhos com invertebrados Aluna Parcial

6 Objetivos específicos_fauna Definição de pontos /áreas de amostragem em concordância com a situação de referência* e parcelas de intervenção. *Trabalhos de mestrado e doutoramento já realizados desde 2004.

7 Objetivos específicos_fauna Definição de pontos /áreas de amostragem em concordância com a situação de referência* e parcelas de intervenção. *Trabalhos de mestrado e doutoramento já realizados desde Monitorização de Vertebrados - Peixes - Anfíbios - Répteis - Aves - Mamíferos

8 Objetivos específicos_fauna Definição de pontos /áreas de amostragem em concordância com a situação de referência* e parcelas de intervenção. *Trabalhos de mestrado e doutoramento já realizados desde Monitorização de Vertebrados - Peixes - Anfíbios - Répteis - Aves - Mamíferos Monitorização de Invertebrados (EXTRA) - Diurnos - Noturnos

9 Objetivos específicos_fauna Definição de pontos /áreas de amostragem em concordância com a situação de referência* e parcelas de intervenção. *Trabalhos de mestrado e doutoramento já realizados desde Monitorização de Vertebrados - Peixes - Anfíbios - Répteis - Aves - Mamíferos Monitorização de Invertebrados (EXTRA) - Diurnos - Noturnos Avaliação do papel da fauna na dispersão/controlo de sementes (EXTRA)

10 Objetivos específicos_fauna Definição de pontos /áreas de amostragem em concordância com a situação de referência* e parcelas de intervenção. *Trabalhos de mestrado e doutoramento já realizados desde Monitorização de Vertebrados - Peixes - Anfíbios - Répteis - Aves - Mamíferos Monitorização de Invertebrados (EXTRA) - Diurnos - Noturnos Avaliação do papel da fauna na dispersão/controlo de sementes (EXTRA) Análise dos resultados e respetiva publicação.

11 Tarefas_FAUNA Análise da situação de referência

12 Tarefas_FAUNA Monitorização de Vertebrados

13 Tarefas_FAUNA Monitorização de Invertebrados

14 Tarefas_FAUNA Interação Fauna-Flora

15 Objetivos específicos_flora Definição de pontos /áreas de amostragem e de áreas controlo. Estabelecimento da situação de referência. -Georreferenciação de pontos isolados/manchas de invasão. -Definição de áreas de intervenção prioritária. Monitorização de espécies invasoras, segundo metodologia específica. -Acacia dealbata -Acacia melanoxylon -Ailanthus altissima -Pittosporum undulatum -Prunus laurocerasus -Robinia pseudoacacia -Tradescantia fluminensis Monitorização de espécies autóctones. Análise dos resultados e respetiva publicação.

16 Tarefas_FLORA Definição da situação de referência

17 Tarefas_FLORA

18 Acompanhamento das ações

19 Estudo dos cogumelos

20 Criação e Coordenação do Serviço Educativo da FMB

21 Organização de cursos e formações

22 Organização de saídas técnicas

23 Organização e colaboração em ações de voluntariado

24 Divulgação do projeto e resultados em encontros científicos

25 Publicações científicas e de divulgação - Dias, L. e Matos, M. Livro infantil Os Duendes na Mata do Bussaco. Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro e Edições Afrontamento. Junho Milena Matos, Nuno Lopes Pinto e Carlos Fonseca. Los murciélagos del Bosque Nacional de Bussaco, Centro de Portugal. Galemys 23: 55 60, Matos M. Mata Nacional do Buçaco: um oásis de biodiversidade. Pampilhosa Uma terra e um povo, 30: 23 31, Pinho R, Lopes L, Matos M. A verde relíquia do Buçaco. Pampilhosa Uma terra e um povo, 30: 11 14, Pinho R, Lopes L, Matos M. Brochura Buçaco um majestoso arboreto. Departamento de Biologia, Universidade de Aveiro, Lopes, L. (2012). Flora e vegetação da mata climácica do Buçaco. Tese de Mestrado em Biologia Aplicada - Ecologia, Biodiversidade e Gestão de Ecossistemas. Universidade de Aveiro. - Matos, M. (2012) Diversidade de Vertebrados na Serra do Buçaco e áreas envolventes. - Revista Online da Sociedade Portuguesa de Ecologia 4: Matos, M. (2011). Diversidade de Vertebrados na Serra do Bussaco e áreas envolventes. Tese de Doutoramento em Biologia. Universidade de Aveiro. -Lísia Lopes, João Ezequiel & Rosa Pinho (2011). Relíquia da floresta primitiva portuguesa: Mata Climácica do Buçaco. Patrimónios, 9: Pereira, P.G. (2010). Selecção de habitat por carnívoros na Serra do Bussaco. Tese de Mestrado em Ecologia, Biodiversidade e Gestão de Ecossistemas. Universidade de Aveiro. - Pascoal da Silva, L. (2010). Forest's management impact on tits reproduction. Tese de Mestrado em Biologia Aplicada - Ecologia, Biodiversidade e Gestão de Ecossistemas. Universidade de Aveiro. - Matos M., Soares A.M.V.M., Morgado F., Fonseca C. (2007) Mastofauna del Bosque Nacional de Buçaco (Centro de Portugal). Galemys. 19, Pereira, P., Alves da Silva A., Alves J., Matos, M., Fonseca C. (2012). Coexistence of carnivores in a heterogeneous landscape: habitat selection and ecological niches. Ecological Research 4,

26 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Mini guias de Campo

27 Guias de Campo

28 Guias de Campo

29 Guias de Campo

30 Guias de Campo

31 Guias de Campo

32 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Flyers

33 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Kits pedagógicos

34 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Kits pedagógicos

35 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Kits pedagógicos

36 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Kits pedagógicos

37 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Livro Infantil

38 Desenvolvimento (ou colaboração) de material pedagógico/informativo Placas de informação

39 Um imprevisto chamado GONG -19 de Janeiro de 2013

40 Um imprevisto chamado GONG -19 de Janeiro de 2013 RELATÓRIO DOS AJUSTES NECESSÁRIOS FACE AO TEMPORAL DE 19 DE JANEIRO 2013 AÇÃO E.2 BRIGHT BUSSACO S RECOVERY OF INVASIONS GENERATING HABITAT THREATS (LIFE10/NAT/PT/075) Março 2013 AÇÃO E.2 Monitorização e Avaliação de Resultados do Projeto (Universidade de Aveiro) Em virtude do temporal que ocorreu a 19 de Janeiro de 2013 e que provocou inúmeros e significativos estragos na Mata Nacional do Bussaco (MNB), a equipa da Universidade de Aveiro procedeu ao levantamento dos danos e do potencial efeito dos mesmos nos trabalhos de monitorização de fauna e flora a decorrer no âmbito das ações do presente Projeto. Este documento descreve o impacto e as implicações dos danos do temporal na execução dos trabalhos imediatos e futuros.

41 Um imprevisto chamado GONG -19 de Janeiro de 2013 Tipo de Ocorrência Séc. Época Danos no património arbóreo Temporais IXX Dezembro de 1871 muitas árvores partidas e outras derrubadas. Janeiro/Fevereiro de 1872 muitas árvores partidas e outras derrubadas. Novembro de 1876 muitas árvores partidas e outras derrubadas. Temporais XX Fevereiro de 1914 derrubadas mais de uma centena de grandes árvores. Janeiro de 1922 centenas de árvores que sucumbiram Fogo Setembro de 1926?? Temporais Janeiro de 1928 centenas de árvores que sucumbiram Dezembro de 1929 centenas de árvores que sucumbiram Ciclone1 Fevereiro de árvores de elevado porte derrubadas Ciclone Gong XXI Janeiro de 2013??

42 Um imprevisto chamado GONG -19 de Janeiro de 2013

43 Um imprevisto chamado GONG -19 de Janeiro de 2013

44 Um imprevisto chamado GONG -19 de Janeiro de 2013

45 Colaboração em parcerias e procura de parceiros

46 Colaboração em parcerias e procura de parceiros

47 Certificação da MNB A Mata do Buçaco tornou-se a primeira mata nacional do país com gestão certificada. Segundo a Fundação Mata do Buçaco, fica garantida "a sustentabilidade daquele espaço único em Portugal". O processo de certificação de acordo com as normas do Forest Stewardship Council - FSC foi assegurado pela empresa Unimadeiras. "O processo de submeter a gestão florestal da Mata Nacional do Buçaco a certificação internacional, iniciou-se há cerca de um ano, envolvendo a consulta a várias entidades", refere um comunicado. A Fundação Mata do Buçaco "reconhece também ao Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro a importância do trabalho que realiza neste espaço há cerca de uma década, tendo a informação científica reunida sido de importância fundamental para a certificação da mata como floresta de alto valor de conservação".

48 O trabalho da UA na MNB tem ido muito além do previsto no Projeto BRIGHT e isso deve-se sobretudo a uma equipa de jovens dedicados que com grande entusiasmo descobre, dá a conhecer e ao mesmo tempo protege a vida na mata. Ex: - trabalho dos cogumelos - André e Eduardo - trabalho dos invertebrados - Tatiana Moreira, Ricardo Mocito, Sofia Jervis e Cátia Paredes - trabalho do potencial da fauna para dispersão de sementes - Lúcia Pereira, Milene Matos, Ana Vasques e Paula Maia - serviço educativo (oficinas, cursos, organização de eventos de formação e divulgação) e desenvolvimento de muito material de educação ambiental e pedagógico (mini-guias, jogos, kits herbário e cx-ninho, etc) Milene Matos Toda a investigação sobre a fauna e flora que decorre em paralelo ao BRIGHT, tem contribuído com importantes avanços no conhecimento da biodiversidade regional e divulgação da Mata nos mais diversos contextos

49 Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT MNB UMA HERANÇA DO PASSADO UM PRESENTE PARA O FUTURO

50

Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT

Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT Universidade de Aveiro Projeto BRIGHT ACÇÃO E.2 Monitorização e Avaliação de Resultados do Projeto Objetivos UA -Monitorização e Avaliação de Resultados do Projeto:

Leia mais

BRIGHT - Bussaco s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats

BRIGHT - Bussaco s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats BRIGHT - Bussaco s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats A Mata Nacional do Buçaco :: A Mata Nacional do Buçaco (MNB) constitui um património único, na sua componente natural e arquitetónica,

Leia mais

17 a 25 novembro. mata do buçaco

17 a 25 novembro. mata do buçaco 17 a 25 novembro mata do buçaco O segundo Sement Event organizado pela Fundação Mata do Buçaco, bem como os que se lhe seguirão, tem como duplo propósito a comemoração, na Mata Nacional do Buçaco, do Dia

Leia mais

P l a n o 2 0 1 4 FUNDAÇÃO LUSO

P l a n o 2 0 1 4 FUNDAÇÃO LUSO P l a n o 2 0 1 4 FUNDAÇÃO LUSO 1 Ações novidade no Plano de 2014 Ambiente Protocolo da Fundação Luso & Quercus Desenvolvimento de ações de valorização do ecossistemas na serra do Buçaco e a plantação

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TRANSUMÂNCIA E NATUREZA. apoie esta campanha em www.ppl.com.pt

ASSOCIAÇÃO TRANSUMÂNCIA E NATUREZA. apoie esta campanha em www.ppl.com.pt ASSOCIAÇÃO TRANSUMÂNCIA E NATUREZA apoie esta campanha em www.ppl.com.pt A Pombal do Coto Fernando Romão A Faia Brava é a primeira área protegida privada do país, no coração do vale do Côa, no Nordeste

Leia mais

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores Fotografias PauloHSilva//siaram Saber Mais... Ambiente Açores Convenção Diversidade Biológica O que é a Convenção da Diversidade Biológica? A Convenção da Diversidade Biológica é um acordo assinado entre

Leia mais

1. Acções de sensibilização

1. Acções de sensibilização PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL / 2013-2014 As atividades propostas compreendem diferentes momentos de reflexão, discussão e ação, dirigindo-se a toda a comunidade educativa que contempla diferentes níveis

Leia mais

Consulta Pública. Florestas de Alto Valor de Conservação da Unidade de Gestão Florestal do Grupo Unifloresta. Às Partes Interessadas do Grupo

Consulta Pública. Florestas de Alto Valor de Conservação da Unidade de Gestão Florestal do Grupo Unifloresta. Às Partes Interessadas do Grupo Florestas de Alto Valor de Conservação da Unidade de Gestão Florestal do Grupo Unifloresta Consulta Pública Às Partes Interessadas do Grupo Unifloresta Unimadeiras, S.A. O Grupo Unifloresta foi formalmente

Leia mais

Casos práticos de certificação O Grupo APFCertifica

Casos práticos de certificação O Grupo APFCertifica Casos práticos de certificação O Grupo APFCertifica Carlota Alves Barata Associação de Produtores Florestais de Coruche Castro Verde, 23 de Abril de 2013 Coruche em números: Área: 1120 km 2 60% área florestal

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS

PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS 7º ANO PROFESSORA: LUCIANA PERES

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos Pra começo de conversa, um video... NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 3 ELABORAÇÃO DO NOVO

Leia mais

Figura 1: Bosque de Casal do Rei, alguns meses após o incêndio que ocorreu no Verão de 2005.

Figura 1: Bosque de Casal do Rei, alguns meses após o incêndio que ocorreu no Verão de 2005. Estudo da vegetação 1. Introdução A intensa actividade humana desenvolvida na região Centro ao longo dos últimos milénios conduziu ao desaparecimento gradual de extensas áreas de floresta autóctone, que

Leia mais

Deliberação CONSEMA Normativa 2, de 9-11-2011

Deliberação CONSEMA Normativa 2, de 9-11-2011 Deliberação CONSEMA Normativa 2, de 9-11-2011 289ª Reunião Ordinária do Plenário do CONSEMA Dispõe sobre a elaboração e a atualização de lista de espécies exóticas com potencial de bioinvasão no Estado

Leia mais

Gestão e conservação de habitats prioritários dos Sítios de São Mamede e Nisa/Lage da Prata

Gestão e conservação de habitats prioritários dos Sítios de São Mamede e Nisa/Lage da Prata Projeto LIFE Natureza nº LIFE04/NAT/PT/000214 Gestão e conservação de habitats prioritários dos Sítios de São Mamede e Nisa/Lage da Prata Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo/José Conchinha 1. Como

Leia mais

Ações de Conservação da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção

Ações de Conservação da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção Ações de Conservação da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção Diretoria de Fauna e Recursos Pesqueiros DIFAP Rômulo Mello Coordenção Geral de Fauna CGFAU Ricardo Soavinski Coordenação de Conservação da

Leia mais

Exposição Ecossistema Florestal da Serra do Buçaco e o Recurso Hídrico da Água Mineral Natural de Luso

Exposição Ecossistema Florestal da Serra do Buçaco e o Recurso Hídrico da Água Mineral Natural de Luso 1 Exposição Ecossistema Florestal da Serra do Buçaco e o Recurso Hídrico da Água Mineral Natural de Luso Fundação Luso e Quercus inauguram exposição de valorização do património hídrico do Luso A Fundação

Leia mais

TDR N O 11/2011 Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental da região do Projeto REDD+ Jari/Amapá Módulo Regulamentações, Programas e Projetos

TDR N O 11/2011 Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental da região do Projeto REDD+ Jari/Amapá Módulo Regulamentações, Programas e Projetos São Paulo, 11 de abril de 2011. Ref.: Termo de referência para realização de proposta técnica e financeira para diagnóstico socioeconômico e ambiental módulo regulamentações, programas e projetos da região

Leia mais

FUNDAÇÃO TOYOTA DO BRASIL

FUNDAÇÃO TOYOTA DO BRASIL FUNDAÇÃO TOYOTA DO BRASIL Criada em 2009 Unificação dos esforços sociais da Toyota do Brasil Respeito pelo meio ambiente Contribuir com o desenvolvimento sustentável Promover a sustentabilidade, por meio

Leia mais

Centro de Conhecimento em Biodiversidade Tropical - Ecotropical

Centro de Conhecimento em Biodiversidade Tropical - Ecotropical Centro de Conhecimento em Biodiversidade Tropical - Ecotropical Realização: Instituto Energias do Brasil Endereço: Rua Bandeira Paulista, 530 11º andar CEP: 04532-001 São Paulo São Paulo, Brasil. Responsável:

Leia mais

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO NÚCLEO RURAL -

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO NÚCLEO RURAL - CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO NÚCLEO RURAL - PARQUE DA CIDADE Apresentação do Centro Integrando território das freguesias de Aldoar e Nevogilde, o Parque da Cidade é o maior parque urbano do país, inserido

Leia mais

Espécies nativas 25/06/2012. Convenção Internacional sobre Diversidade Biológica. Convenção Internacional sobre Diversidade Biológica

Espécies nativas 25/06/2012. Convenção Internacional sobre Diversidade Biológica. Convenção Internacional sobre Diversidade Biológica 25/06/2012 CONCEITOS SOBRE ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS www.institutohorus.org.br Sílvia R. Ziller Fundadora e Diretora Executiva Eng. Florestal, M.Sc., Dr. Hovenia dulcis (uva-japão) no Parque Estadual

Leia mais

CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO

CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO A educação ambiental envolve atividades educativas que visam informar sobre o meio ambiente e suas relações.

Leia mais

Curitiba-PR Brasil Março 2007. Prefeitura

Curitiba-PR Brasil Março 2007. Prefeitura Curitiba-PR Brasil Março 2007 Prefeitura Biodiversidade Gerenciamento da Biodiversidade Urbana e Promoção da Conscientização da Biodiversidade em Comunidades Urbanas. Curitiba-PR-Brasil Março 2007 Clarismino

Leia mais

Programa de Educação Ambiental

Programa de Educação Ambiental Programa de Educação Ambiental 2015 / 2016 Escolas Centro de Formação Ambiental SEDE - Lisboa 2 Horário de Funcionamento das Actividades 2ª feira a 6ª feira: 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30 4 horários:

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 1.847, DE 2003

PROJETO DE LEI N o 1.847, DE 2003 COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 1.847, DE 2003 Institui o Programa Nacional de Apoio aos Produtos Nativos do Cerrado e dá outras providências. Autor: Deputado

Leia mais

CURSO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DA FAUNA E FLORA COM ÊNFASE NA MATA ATLÂNTICA

CURSO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DA FAUNA E FLORA COM ÊNFASE NA MATA ATLÂNTICA PROGRAMAÇÃO I CURSO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DA FAUNA E FLORA COM ÊNFASE PERÍODO: 08 a 13 de Junho de 2015 LOCAL: ITEP 1º DIA SEGUNDA-FEIRA DATA: 08/06/15 HORÁRIO CRONOGRAMA PALESTRANTE 08:00-09:00h Abertura

Leia mais

A1ützrrcro.,ç. f.otfr 7'. ,* torr6*'rgà #,',ffi lffik*ffir. \o \Qa. dsêdgfíer. "Carta para a sustentabilidade. urbana de Ovar" ODA. v.l.2.

A1ützrrcro.,ç. f.otfr 7'. ,* torr6*'rgà #,',ffi lffik*ffir. \o \Qa. dsêdgfíer. Carta para a sustentabilidade. urbana de Ovar ODA. v.l.2. A1ützrrcro.,ç dsêdgfíer "Carta para a sustentabilidade urbana de Ovar" v.l.2 é\ f.otfr a \o \Qa. [cél-tl oé OVAR ( É ODA 7'. ",* torr6*'rgà #,',ffi lffik*ffir,,.üvà& Preâmbulo A Carta de Sustentabilidade

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES

REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES 1 REGULAMENTO BOLSA DE ÁRVORES AUTÓCTONES PROJETO FLORESTA COMUM PREÂMBULO Tendo por base o protocolo celebrado entre a AFN Autoridade Florestal Nacional, o ICNB,

Leia mais

Aula 14 Distribuição dos Ecossistemas Brasileiros Floresta Amazônica Mais exuberante região Norte e parte do Centro Oeste; Solo pobre em nutrientes; Cobertura densa ameniza o impacto da água da chuva;

Leia mais

(Natureza e Conservação, no prelo)

(Natureza e Conservação, no prelo) (Natureza e Conservação, no prelo) 4 Perguntas para ecologia 1. Qual a extensão mínima das Áreas de Preservação Permanente ao longo de rios? 2. Qual a quantidade mínima de RL em termos de conservação de

Leia mais

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA QUINTA DO COVELO

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA QUINTA DO COVELO CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA QUINTA DO COVELO Apresentação do Centro Há perto de 3 séculos, a Quinta do Covelo tinha o nome de Lindo Vale, ou Bela Vista. No século XIX foi comprada por um comerciante,

Leia mais

CAMPANHA BOSQUES DOS SONHOS O QUE VAMOS FAZER

CAMPANHA BOSQUES DOS SONHOS O QUE VAMOS FAZER CAMPANHA BOSQUES DOS SONHOS O QUE VAMOS FAZER IDEIA E CONCEITO A Associação Plantar Uma Árvore lançou o desafio à Associação Terra dos Sonhos, de realizarem um evento que juntasse os domínios ambientais

Leia mais

EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA. Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2

EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA. Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2 37 EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2 Resumo: Com a urbanização, o tráfico nacional e internacional de espécies e exploração dos recursos naturais de maneira mal planejada

Leia mais

Núcleo Santa Catarina: Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade do Parque Nacional de São Joaquim e Parque Estadual Acaraí

Núcleo Santa Catarina: Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade do Parque Nacional de São Joaquim e Parque Estadual Acaraí Núcleo Santa Catarina: Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade do Parque Nacional de São Joaquim e Parque Estadual Acaraí Instituição Executora: UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina Instituições

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde TÍTULO. Roney Rodrigues Guimarães Professor Orientador

UNIVERSIDADE IGUAÇU Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde TÍTULO. Roney Rodrigues Guimarães Professor Orientador UNIVERSIDADE IGUAÇU Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde PROJETO DE PESQUISA TÍTULO COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DA ICTIOFAUNA DO PARQUE MUNICIPAL DE NOVA IGUAÇU, ESTADO DO RIO DE JANEIRO, BRASIL. Roney

Leia mais

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção Programa 0508 Biodiversidade e Recursos Genéticos - BIOVIDA Objetivo Promover o conhecimento, a conservação e o uso sustentável da biodiversidade e dos recursos genéticos e a repartição justa e eqüitativa

Leia mais

Visão integrada. da conservação

Visão integrada. da conservação para sempre Em busca do equilíbrio entre a produção econômica e a conservação do Pantanal, o WWF-Brasil atua na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai em uma perspectiva transfronteiriça e em articulação

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS EDIÇÃO 1 2º TRIMESTRE ANO 2014

INFORMAÇÕES GERAIS EDIÇÃO 1 2º TRIMESTRE ANO 2014 EDIÇÃO 1 2º TRIMESTRE ANO 2014 INFORMAÇÕES GERAIS A Estação Ecológica de Corumbá é uma unidade de conservação de proteção integral situada no Centro-Oeste de MG, região do Alto São Francisco, na porção

Leia mais

Ação 14- Indicação de Áreas Protegidas para Criação de Unidades de Conservação (incluindo nascentes e trechos de cursos de água com Classe Especial)

Ação 14- Indicação de Áreas Protegidas para Criação de Unidades de Conservação (incluindo nascentes e trechos de cursos de água com Classe Especial) 180 SUB-PROGRAMA 7 USO DO SOLO Áreas Protegidas Este Sub-Programa contempla uma única ação, que trata da Indicação de Áreas Protegidas para Criação de Unidades de Conservação (incluindo nascentes e trechos

Leia mais

Cientistas incompetentes dizem que o Código Florestal é santo Ciro Siqueira

Cientistas incompetentes dizem que o Código Florestal é santo Ciro Siqueira Cientistas incompetentes dizem que o Código Florestal é santo Ciro Siqueira Metzger é um biólogo que adora o Código Florestal e constrói hipóteses apenas para provar aquilo que ele quer que seja provado

Leia mais

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS OBJETIVO Esta chamada tem por objetivo financiar projetos relacionados a ações de gestão e avaliação

Leia mais

Ricardo Cardim. Mestre em Botânica pela USP. Dr. Árvore na Rede Globo São Paulo. Colunista do Grupo O Estado de São Paulo.

Ricardo Cardim. Mestre em Botânica pela USP. Dr. Árvore na Rede Globo São Paulo. Colunista do Grupo O Estado de São Paulo. Ricardo Cardim Mestre em Botânica pela USP. Dr. Árvore na Rede Globo São Paulo. Colunista do Grupo O Estado de São Paulo. Sócio da SkyGarden Paisagismo Sustentável. Responsável pelo Curso de Paisagismo

Leia mais

A LPN face à conservação da Biodiversidade em Portugal

A LPN face à conservação da Biodiversidade em Portugal A LPN face à conservação da Biodiversidade em Portugal 26 de Setembro, 2007 Seminário Sociedade civil, Empresas e Biodiversidade Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa Índice 1) A LPN 2) Programas e Projectos

Leia mais

Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente.

Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL

Leia mais

BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 BIODIVERSIDADE

BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 BIODIVERSIDADE BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 João Artur Silva 2 Márcio Ribeiro² Wilson Junior Weschenfelder² BIODIVERSIDADE Modelos de Diversidade A diversidade biológica varia fortemente

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA. Redução de custos da recuperação de áreas degradadas por meio do pagamento por serviços ambientais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA. Redução de custos da recuperação de áreas degradadas por meio do pagamento por serviços ambientais COMUNICAÇÃO TÉCNICA 170786 Redução de custos da recuperação de áreas degradadas por meio do pagamento por serviços ambientais Caroline Almeida Souza Maria Lucia Solera Trabalho apresentado no Workshop

Leia mais

1. PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE ECOSSISTEMAS

1. PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE ECOSSISTEMAS 1. PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE ECOSSISTEMAS O Programa de Preservação e Recuperação de Ecossistemas visa o aumento da biodiversidade e a recuperação da paisagem. É composto por um conjunto

Leia mais

(sheilapopoca@uol.com.br) ÁREA TEMÁTICA: Meio Ambiente

(sheilapopoca@uol.com.br) ÁREA TEMÁTICA: Meio Ambiente TÍTULO: A CRIANÇA E A MATA ATLÂNTICA AUTORES: Lima¹, Sheila Renata Alves de; Portela 1, Valdelira Maria Costa; Barbosa 2, Dilosa Carvalho de Alencar; Barbosa 3, Marlene Carvalho de Alencar. 1 Alunas de

Leia mais

Planejamento das Atividades da SMED na Área da Educação Ambiental.

Planejamento das Atividades da SMED na Área da Educação Ambiental. Secretaria Municipal da Educação - SMED Planejamento das Atividades da SMED na Área da Educação Ambiental. Ação/Projeto Parceiro Objetivo Detalhamento Público Projeto Encontro de Saberes: ecossistemas

Leia mais

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco Sobre nós Em 1997 com iniciativas dos proprietários da Fazenda Alegre conscientes da importância da preservação e conservação dos remanescentes da vegetação nativa da fazenda, áreas degradadas vêm sendo

Leia mais

Diagnós(co Ambiental e Plano de. Restauração Florestal da ZPEC - Suape

Diagnós(co Ambiental e Plano de. Restauração Florestal da ZPEC - Suape Diagnós(co Ambiental e Plano de Coordenação geral: Prof. Dr. Ricardo Ribeiro Rodrigues Prof. Dr. Felipe Melo Eng. Agr. Dr. André Gustavo Nave Biólogo Michel Metran da Silva Restauração Florestal da ZPEC

Leia mais

CNAI 10. Visita Técnica

CNAI 10. Visita Técnica CNAI 10 Visita Técnica Baixo Sabor, 21de Outubro de 2010 INVESTIMENTOS HÍDRICOS DO GRUPO EDP Amarante 01 de Julho 2010 PGAI Plano de Gestão Ambiental Integrado do Vale do Sabor e Região Circundante Medidas

Leia mais

INFORMAÇÕES BÁSICAS DA PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DA FLORESTA NACIONAL DE PASSA QUATRO MG

INFORMAÇÕES BÁSICAS DA PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DA FLORESTA NACIONAL DE PASSA QUATRO MG INFORMAÇÕES BÁSICAS DA PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DA FLORESTA NACIONAL DE PASSA QUATRO MG (Desde de 2005 vem sendo discutida a proposta de ampliação da Flona de Passa Quatro, ano em que foi elaborado o projeto

Leia mais

Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade. 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO

Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade. 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO Associação de Defesa do Paul de Tornada PATO Foi fundada, legalmente, em Outubro de 1988 A sua sede é em Tornada,

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008 AREA DE FORMAÇÃO - ESTRUTURAÇÃO DA ÁREA Foi possível no decorrer de 2008 encontrar na ÁREA DE FORMAÇÃO uma estabilidade ao nível dos recursos humanos que proporcionou

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

PRÊMIO AMAVI DE EDUCAÇÃO 2011: QUALIDADE EM GESTÃO E QUALIDADE NA PRÁTICA DA DOCÊNCIA. PROFESSORA: GILMARA NUSS

PRÊMIO AMAVI DE EDUCAÇÃO 2011: QUALIDADE EM GESTÃO E QUALIDADE NA PRÁTICA DA DOCÊNCIA. PROFESSORA: GILMARA NUSS PRÊMIO AMAVI DE EDUCAÇÃO 2011: QUALIDADE EM GESTÃO E QUALIDADE NA PRÁTICA DA DOCÊNCIA. PROFESSORA: GILMARA NUSS PROJETO ANIMAIS Projeto elaborado para o 3º ano I e II JOSÉ BOITEUX AGOSTO/2011 ÍNDICE JUSTIFICATIVA...

Leia mais

Berlengensis. LIFE + project proposal

Berlengensis. LIFE + project proposal Berlengensis LIFE + project proposal Berlengensis LIFE + Project Proposal Berlengas 2010: Conservação e Gestão para Implementação da Rede Natura Marinha 2000 (PTCON0006) Centro de Ciências do Mar O LIFE

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: O Plano de Ação de São Paulo 2011/2020. São Paulo, 06 de março de 2.012 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Convenção sobre Diversidade Biológica: O Plano de Ação de São Paulo 2011/2020. São Paulo, 06 de março de 2.012 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Convenção sobre Diversidade Biológica: O Plano de Ação de São Paulo 2011/2020 SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE São Paulo, 06 de março de 2.012 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Contexto Convenção sobre Diversidade

Leia mais

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal 1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal Ações do Governo Federal Visando à Valorização e Conservação da Biodiversidade Vegetal João de Deus Medeiros joao.medeiros@mma.gov.br Departamento

Leia mais

Projeto Guia Fotográfico

Projeto Guia Fotográfico Projeto Guia Fotográfico Avifauna no Entorno do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia) campus São Roque Márcia de Oliveira Campos Maria de Jesus Campos ISFP campus São Roque 2011 1

Leia mais

www.parquesdesintra.pt Parques de Sintra Monte da Lua, S.A.

www.parquesdesintra.pt Parques de Sintra Monte da Lua, S.A. www.parquesdesintra.pt Parques de Sintra Monte da Lua, S.A. Seminário Técnico do Projeto LIFE Biodiscoveries Espécies Invasoras 29 Janeiro 2015 Paisagem Cultural de Sintra Classificada 1995 Parques de

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO RELATIVO À CONTRIBUIÇÃO DA FINAGRA PARA O OBJECTIVO EUROPEU DE PARAR A PERDA DE BIODIVERSIDADE ATÉ 2010 Declaração de Compromisso A Herdade do Esporão (Reguengos de Monsaraz)

Leia mais

PORTFÓLIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ESCOLA

PORTFÓLIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ESCOLA CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MEIO AMBIENTE 1º SEMESTRE-2015 GRUPO: MOBILIZAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL (Prefeitura de Contagem - Agenda 21-Contagem - Governo de Minas I.E.F. e COPASA) PORTFÓLIO DAS ATIVIDADES

Leia mais

Mestre não é quem ensina, mas quem, de repente, aprende.

Mestre não é quem ensina, mas quem, de repente, aprende. Imagem do Museu da Língua Portuguesa (Estação da Luz - São Paulo, SP). Mestre não é quem ensina, mas quem, de repente, aprende. João Guimarães Rosa Política Estadual de Mudanças Climáticas e o Pagamento

Leia mais

QUERES SER VOLUNTÁRIO(A) NO GEOTA?

QUERES SER VOLUNTÁRIO(A) NO GEOTA? INVENTARIAÇÃO DE POPULAÇÕES DE AVIFAUNA DA RESERVA NATURAL LOCAL DO PAUL DE TORNADA - Quais os objetivos da tarefa? Manter, incrementar e divulgar os valores naturais da Reserva Natural Local do Paul de

Leia mais

4. Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas

4. Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas. Definição dos objetos conservação. Definição de metas de importância relativa de cada objeto. Definição das principais fontes de dados/informações

Leia mais

INFORMAÇÃO PESSOAL JOANA POMBO SOUSA TAVARES RUA NOVA DA LOMBA, 14 9580-502 VILA DO PORTO, PORTUGAL. joanapombo@gmail.com

INFORMAÇÃO PESSOAL JOANA POMBO SOUSA TAVARES RUA NOVA DA LOMBA, 14 9580-502 VILA DO PORTO, PORTUGAL. joanapombo@gmail.com C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Número de Identidade Civil (Cartão do Cidadão) JOANA POMBO SOUSA TAVARES RUA NOVA DA LOMBA, 14 9580-502 VILA DO PORTO, PORTUGAL Telefone 965668527-913033274

Leia mais

Projecto de candidatura

Projecto de candidatura Projecto de candidatura Resumo O projecto Ensino experimental no bosque de Casal do Rei regeneração da biodiversidade após fogo consiste na monitorização da regeneração da vegetação natural de um bosque

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE. CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE-COEMA Câmara Técnica Especial PROCESSO

Leia mais

A Sustentabilidade no Espaço Público Isabel Martinho da Silva e Maria José Curado CIBIO_UP A SUSTENTABILIDADE DO ESPAÇO PÚBLICO

A Sustentabilidade no Espaço Público Isabel Martinho da Silva e Maria José Curado CIBIO_UP A SUSTENTABILIDADE DO ESPAÇO PÚBLICO A Sustentabilidade no Espaço Público Isabel Martinho da Silva e Maria José Curado CIBIO_UP Rede de Parques Metropolitanos da Grande Área Metropolitana do Porto Rede de Parques Metropolitanos da Grande

Leia mais

Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais

Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais Andreia Fernandes da Silva (IBGE/DI/COBAD) Celso José Monteiro Filho (IBGE/DGC/CREN) Hesley da Silva Py (IBGE/DI/COBAD) Resumo Tendo em vista a grande

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano Projeto 1 Onde existe Vida? Tempo Previsto: 4 quinzenas (do 1ºPeríodo) Ciências Naturais A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 1.ª Fase: Terra um planeta com vida 2.ª Fase: A importância

Leia mais

Programa de Pesquisa em Biodiversidade Sítio Pernambuco (PEDI) Ana Carolina Lins e Silva anacarol@db.ufrpe.br

Programa de Pesquisa em Biodiversidade Sítio Pernambuco (PEDI) Ana Carolina Lins e Silva anacarol@db.ufrpe.br Programa de Pesquisa em Biodiversidade Sítio Pernambuco (PEDI) Ana Carolina Lins e Silva anacarol@db.ufrpe.br Rede PPBio Mata Atlântica Projeto de Coordenação de Rede Projeto Associado Nordeste BAHIA PERNAMBUCO

Leia mais

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Proponente: Sociedade de Amigos do Museu de Biologia Mello

Leia mais

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Técnico: Maria das Dores de V. C. Melo Coordenação Administrativa-Financeira:

Leia mais

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis Diálogo com a Comunidade Um balanço das ações sustentáveis Veracel Celulose É uma empresa 100% baiana, presente em dez municípios do Extremo Sul do estado: Eunápolis, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália,

Leia mais

Outras medidas que pontuaram para a obtenção da Certificação LIFE foram:

Outras medidas que pontuaram para a obtenção da Certificação LIFE foram: A Mata do Uru A Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Mata do Uru possui 128,67 hectares e está localizada a seis quilômetros do município da Lapa (PR) abrigando remanescentes da Floresta com

Leia mais

RPPN Fazenda Rio Negro

RPPN Fazenda Rio Negro Sítio Ramsar Área Úmida de Importância Internacional RPPN Fazenda Rio Negro Conservação Internacional 1. Dados G erais Nome da RPPN: Fazenda Rio Negro Proprietário: Conservação Internacional do Brasil

Leia mais

Gato-do-mato-pequeno. Filhote de menor felino do Brasil nasce na Fundação. Congresso ALPZA recebe mais de 400 participantes

Gato-do-mato-pequeno. Filhote de menor felino do Brasil nasce na Fundação. Congresso ALPZA recebe mais de 400 participantes Zoo é notícia Ano 3 - No. 8 - Junho 2013 Gato-do-mato-pequeno Filhote de menor felino do Brasil nasce na Fundação Congresso ALPZA recebe mais de 400 participantes - Mestrado Profissional em parceria com

Leia mais

FICHA PROJETO - nº383-mapp

FICHA PROJETO - nº383-mapp FICHA PROJETO - nº383-mapp Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Restauração da Região Serrana RJ: assistência técnica para consolidar uma rede de produtores rurais e viveiros comunitários. 2) MUNICÍPIOS

Leia mais

Associação de Florestas de Produção e Florestas Nativas

Associação de Florestas de Produção e Florestas Nativas Associação de Florestas de Produção e Florestas Nativas Proteção e Conservação Ivone Satsuki Namikawa Fier Coordenadora P&D, Qualidade e Ambiência Florestal Novembro/2008 Klabin Klabin: uma empresa líder

Leia mais

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES A Fundação Flora de Apoio à Botânica, com a anuência do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em consonância com a

Leia mais

Grupo Votorantim inicia aquisições de terras na região em 1927

Grupo Votorantim inicia aquisições de terras na região em 1927 1927 1950 2011 2012 2013 2014 Grupo Votorantim inicia aquisições de terras na região em 1927 1927 1950 2011 2012 2013 2014 Nas décadas de 40, 50 e 60 (entre 1947 e 1963) a Votorantim adquire 245 títulos

Leia mais

Vantagens e Oportunidades

Vantagens e Oportunidades PEFC Vantagens e Oportunidades PEFC Portugal Paula Salazar FLORESTAR SUSTENTABILIDADE DA FLORESTA Nº 2004/EQUAL/A2/EE/161 Vantagens e Oportunidades Razões para aderir à certificação PEFC Promovendo a Gestão

Leia mais

Unidades de Conservação no âmbito da Lei Estadual 20.922/13 e a Mineração. Carlos Leite Santos Tales Peche Socio

Unidades de Conservação no âmbito da Lei Estadual 20.922/13 e a Mineração. Carlos Leite Santos Tales Peche Socio Unidades de Conservação no âmbito da Lei Estadual 20.922/13 e a Mineração. Carlos Leite Santos Tales Peche Socio 0 Junho/2013 Introdução A contribuição da Vale no processo de conservação e preservação

Leia mais

P l a n o 2 0 1 5 FUNDAÇÃO LUSO

P l a n o 2 0 1 5 FUNDAÇÃO LUSO P l a n o 2 0 1 5 FUNDAÇÃO LUSO 1 Ações diferenciadoras no Plano de 2015 Ambiente Protocolo da Fundação Luso & Quercus Neste 2º ano do protocolo, iremos continuar a desenvolver ações de valorização do

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Plano de Atividades Programa de Educação para a Sustentabilidade O Programa de Educação para a Sustentabilidade para o ano letivo 2014/2015 integra

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 172 MA

FICHA PROJETO - nº 172 MA FICHA PROJETO - nº 172 MA Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Morro do Caçador Uma Proposta de Unidade de Conservação. 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Florianópolis, Ilha de Santa Catarina.

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências Nome: Ano: 5º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências da Natureza Disciplina:

Leia mais

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO O Capítulo 36 da Agenda 21 decorrente da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada em 1992, declara que a educação possui um papel fundamental na promoção do desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TARTARUGAS MARINHAS VIVENDO LIVRE NO MAR

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TARTARUGAS MARINHAS VIVENDO LIVRE NO MAR PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TARTARUGAS MARINHAS VIVENDO LIVRE NO MAR RESUMO O Programa de Educação Ambiental Tartarugas Vivendo Livres no Mar foi criado pelo Projeto Tamar/ICMBio Regional São Paulo

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria do Meio Ambiente Secretaria da Agricultura e Abastecimento Dezembro de 2005 COBERTURA FLORESTAL (Inventário Florestal,

Leia mais

7.º Encontro de Educação Ambiental

7.º Encontro de Educação Ambiental 7.º Encontro de Educação Ambiental Divulgação de práticas e partilha de experiências LIVRO DE RESUMOS 1 e 2 junho de 2015 Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança 1 Apresentação O

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ESTUDO DOS COMPONENTES LENHOSOS NA COBERTURA VEGETAL DA ENCOSTA DA FACULDADE MACHADO SOBRINHO, JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS, BRASIL

PROJETO DE PESQUISA ESTUDO DOS COMPONENTES LENHOSOS NA COBERTURA VEGETAL DA ENCOSTA DA FACULDADE MACHADO SOBRINHO, JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS, BRASIL PROJETO DE PESQUISA Professor Flávio José Soares Júnior Biólogo graduado pela Universidade Federal de Juiz de Fora; Mestre em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa; Doutorando em Botânica

Leia mais

Actividades Estação Biológica do Garducho. Maio Junho de 2009

Actividades Estação Biológica do Garducho. Maio Junho de 2009 Actividades Estação Biológica do Garducho Maio Junho de 2009 Inserir texto / índice Indíce Quem Somos Onde estamos Objectivos Principais projectos Actividades na Estação Biológica do Garducho Calendarização

Leia mais

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento AULA 4 FLORESTAS As florestas cobriam metade da superfície da Terra antes dos seres humanos começarem a plantar. Hoje, metade das florestas da época em que recebemos os visitantes do Planeta Uno não existem

Leia mais