Unidade de Sementes O crescimento no campo fértil do padrão de qualidade Agrária

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade de Sementes O crescimento no campo fértil do padrão de qualidade Agrária"

Transcrição

1 informativo junho/2013 Unidade de Sementes O crescimento no campo fértil do padrão de qualidade Agrária IDENTIDADE VISUAL Como chegamos à nova logomarca da Agrária PRÊMIOS DE PRODUTIVIDADE Cooperados têm resultados de destaque nacional PACR Propriedades rurais recebem certificações

2 Editorial Crescimento e excelência? Ser referência nacional em tecnologia de produção agroindustrial e gestão cooperativista. Esta é a visão da Agrária, seu objetivo maior. Em meio à crise econômica dos países europeus, que também respingou no Brasil, a Cooperativa Agrária obteve, segundo a Revista Exame, o 7º maior crescimento do Brasil, em 2012, dentre as 500 maiores empresas brasileiras. Foram 57,4% de incremento, em comparação com o ano anterior. O resultado foi divulgado em julho, na edição especial de 40 anos da publicação, cujos rankings colocaram a Agrária ainda como maior crescimento do Paraná, onde também ocupa a 3ª e 4ª posições, respectivamente, nas categorias liquidez corrente e riqueza criada por empregado. O crescimento com excelência representa o momento vivido pela Cooperativa. Este conceito é expresso pela nova logomarca, lançada oficialmente em junho, condizente com a atual realidade do mercado (confira matéria especial nas páginas 8 e 9). Representativos também são os elevados índices atingidos pelos cooperados. Na última safra de verão, produtores tiveram desempenho expressivo no Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja Safra 2012/2013, realizado pelo Cesb (Comitê Estratégico Soja Brasil) e divulgado no final de junho. Resultados próximos a kg/ha de soja são referência não apenas regional, mas também nacional. O mesmo ocorreu com o milho, cuja produtividade recorde do concurso interno da Agrária se aproximou dos kg/ha. Vale lembrar que a safra 2012/2013 bateu recordes de produtividade, tanto para a soja quanto para o milho. Dados que justificam o prêmio de Produtividade da Década, recebido pela Cooperativa do Rally da Safra, em março. Logo, a profissionalização do campo, por meio da implantação e manutenção de elevados padrões de qualidade das propriedades, ganham em importância. Através do PACR (Programa Agrária de Certificação Rural), a Cooperativa disponibiliza assessoria completa aos cooperados para a implementação e certificação de modernos sistemas de gestão. O Informativo de junho, remodelado em consonância com a nova identidade visual da Agrária, desdobra todos esses assuntos, e se aprofunda nos detalhes da Unidade de Sementes, cuja preocupação e atenção quanto à qualidade dos materiais oriundos da pesquisa, e demandados por cooperados e indústria, têm papel fundamental nos resultados finais, os mesmos que colocam a Agrária em patamar de referência, conforme objetivado pela sua visão. Boa leitura! Departamento de Marketing Cooperativa Agrária Agroindustrial Unidade de Neg que semeia qualidade Dentre as Unidades de Negócios da Agrária, a de Sementes é a mais próxima do início das cadeias produtivas. O fato de Entre Rios possuir um dos melhores climas do país para a produção de sementes torna a unidade estratégica para o desenvolvimento e industrialização de produtos com elevado grau de qualidade. O trabalho conjunto com a FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) e o departamento de assistência técnica traz aos cooperados materiais diferenciados do mercado, propícios para o plantio na região de abrangência da Cooperativa. Na esteira da série de matérias a destacar as unidades de negócios da Agrária, integrando a Campanha Cooperados 2013, o Informativo traz nesta edição matéria especial sobre a Unidade de Sementes da Agrária, as peculiaridades, os diferenciais e como ela garante a rentabilidade futura, tanto dos cooperados quanto da Cooperativa Agrária. A produção de sementes tem crescido anualmente e conta com o empenho dos cerca de 70 cooperados multiplicadores, que no ano passado produziram sacas, para as culturas de soja, cevada, trigo e aveia. Deste montante, sacas foram comercializadas aos próprios associados. O volume produzido de sementes de soja somou, ao todo, sacas de 40 kg na última safra. São 12 variedades somente da oleaginosa, com destaque para a AFS 110 RR, licenciada pela Agrária, que entre 2011 e 2013 elevou seu volume produzido de para sacas de 40 kg. As culturas de inverno somam ha de produção de semen- 2

3 Obras de ampliações e novos investimentos devem agilizar recebimento de sementes ócios tes, englobando quatro variedades de cevada, oito de trigo, duas de aveia branca e uma de aveia preta. Juntas, somam um volume de quase sacas. As culturas de cevada e trigo possuem 100% de suas sementes disponibilizadas pela Agrária. Temos o seguinte cálculo: para cada hectares de sementes produzidas, conseguimos atender cerca de ha para cultivo, explicou o coordenador da Unidade de Sementes, Marcos Novatzki. Acompanhando o ritmo de crescimento, a unidade passa atualmente por ampliações, como na armazenagem, cuja capacidade passará para sacos. Além disso, houve investimentos em UBS (Unidade de Beneficiamento de Sementes), CTS (Centro de Tratamento de Sementes), quatro novas moegas e dois novos secadores. Dentre as melhorias esperadas está a maior agilidade no recebimento das sementes, em épocas de picos de safra. Estamos investindo para melhorar todo o processo de produção, tendo em vista que o clima permite que nosso material seja de excelente qualidade, observou o gerente operacional da Agrária, Oldir Frost. Essas ampliações nos darão também condições de chegarmos à nossa meta de comercialização de toneladas de sementes por ano, até 2017, acrescentou. De todas as sementes demandadas pelos cooperados da Agrária ao ano, 100% são disponibilizados pela unidade. Deste total, cerca de 90% são oriundos de produção dos associados e áreas de fomento, e o restante é buscado no mercado, não sem antes ser aprovado pela FAPA para atender às diretrizes de qualidade de cooperados e indústrias. Conforme detalhado pelo Informativo nas últimas edições, todas as cultivares são criteriosamente testadas pela pesquisa da Agrária até estarem aptas para o plantio comercial. Na cevada, por exemplo, o processo de seleção, avaliação e obtenção de uma nova variedade pode demorar cerca de oito anos. Durante o processo, são levados em conta diversos critérios para atender o potencial produtivo requerido pelos cooperados e as demandas exigidas pelos clientes da maltaria. Depois de aprovadas e testadas por mais dois anos nos campos da FAPA, os materiais passam a ter as sementes multiplicadas. O fato de todo o processo ser realizado internamente pela Agrária traz diversos benefícios diretos e indiretos, tanto para produtores de sementes quanto para os demais cooperados. Aos multiplicadores, paga-se bonificações de até 18% sobre o volume recepcionado. O produtor tem a agregação de valor. Outras cooperativas pagam no máximo 10% sobre a semente comercializada. Nós pagamos até 18% do total entregue, explicou Frost. O cooperado Alexandre Marath é produtor de sementes há cinco anos e enxerga vantagens tanto para a própria atividade quanto para a Agrária. É melhor quando nós mesmos produzimos as sementes que utilizaremos, pois temos certeza sobre a qualidade com a qual trabalhamos, observou. Até porque as sementes que produzimos aqui são as mais apropriadas para a região. Quando se tem a possibilidade de produzir o próprio insumo é muito melhor, sem dúvida, acrescentou A produção de sementes se diferencia da de grãos em vários aspectos. Com a orientação dos agrônomos da assistência técnica, os cooperados multiplicadores desenvolvem trabalhos específicos, especialmente no manejo, explicou o coordenador da FAPA e da assistência técnica, Leandro Bren. São fatores importantes, como não haver plantas daninhas infestantes, ter um manejo adequado para evitar fungos nas sementes, não ter áreas com problemas de esclerotínia e manter a rotação de culturas, detalhou. O manejo tem de ser mais rigoroso. Os cuidados, aliados ao clima ameno da região de abrangência da Agrária, propiciam produções com qualidade elevada. O clima favorece a manutenção da germinação e o vigor da semente, além de reduzir o ataque de pragas, como percevejos e lagartas, explicou Bren. Temos uma perda de umidade mais lenta e a armazenagem natural de semente também é melhor, acrescentou. Esses fatores, juntamente com a costumeira preocupação dos cooperados em atentar às recomendações agronômicas, garantem a recepção de produtos diferenciados à Unidade de Sementes. A comprovação chega através do carimbo de qualidade outorgado pelo Laboratório Central da Agrária. Credenciado pelo Ministério da Agricultura e acreditado pelo Inmetro na ISO IEC para realizar ensaios e emitir boletins de análise de sementes, o LAS (Laboratório de Análise de Sementes) atesta a qualidade da semente de acordo com diversos parâmetros, como pureza física e varietal (quando não há mistura de variedades), PMS (peso de mil sementes), germinação e vigor de plântulas, teste de frio, envelhecimento acelerado, emergência em areia, tetrazólio e patologia. Não apenas após a colheita, mas mesmo antes da semeadura, o laboratório analisa o potencial germinativo e o vigor necessários para o bom estabelecimento da semente no campo. Outro momento crucial ocorre na fase pré-colheita, quando o LAS auxilia na tomada de decisão sobre a área que deverá ser colhida primeiro, a fim de 3

4 explicou Márcia. Existem alguns critérios que precisam ser considerados, como na soja, que precisa ter, no mínimo, 85% de germinação - se não tiver, será reprovada. O Laboratório de Sementes e Patologia da Agrária realiza também análises de todos os materiais adquiridos do mercado, para comprovar se as especificações descritas pela empresa condizem com os resultados laboratoriais. Todo esse trabalho fica a cargo de sete profissionais das áreas de agronomia e biologia. Nossos colaboradores possuem ampla experiência no controle de qualidade de sementes, o que é um importante diferencial nesse concorrido mercado, observou Márcia. Há cerca de dois anos, com a re- Você sabia? O tratamento de sementes, que hoje demanda elevado número de mão de obra, passará a ser automatizado garantir o maior índice de qualidade. Da mesma forma, após o beneficiamento e durante o período de armazenamento as análises são realizadas para identificar problemas de sanidade, explicou a coordenadora do Laboratório Central da Agrária e responsável técnica do LAS, Márcia Arruda. Ao longo de todas as etapas do processo são realizadas análises que apoiam o Sistema Interno de Controle de Qualidade da produção de sementes da Agrária, acrescentou. Toda semente, antes de ser entregue ao cooperado para plantio, passa pelo laboratório, que emite o boletim de análise de sementes. O documento comprova a qualidade do material e gera o termo de conformidade que acompanha a nota fiscal. Não é permitido sair semente para o plantio sem passar pelo LAS, As culturas de cevada e trigo possuem 100% de suas sementes disponibilizadas pela Agrária. Para atender as demandas da maltaria e do moinho de trigo, a Agrária possui também áreas de fomento, localizadas na região de abrangência da cooperativa. Quatro produtores de sementes, não cooperados, recebem o material desenvolvido pela FAPA e orientações para o plantio e o manejo. Especialmente quando não há interesse de plantio de determinados materiais por parte dos cooperados, busca- -se nessas áreas de abrangência, explicou o coordenador da Unidade de Sementes, Marcos Novatzki. As sementes são classificadas em cinco categorias: genética, básica, C1, C2, S1 e S2. A básica é o segundo plantio de multiplicação da semente. Ao ser produzido de acordo com as exigências de qualidade, o material retorna ao campo no ano seguinte na condição de C1, e assim por diante, até alcançar a classificação S2. Um lote de sementes da Agrária possui kg. De cada um é colhida uma amostra de g para que o Laboratório de Análise de Sementes ateste o padrão de qualidade deste material. Caso haja alguma divergência nos parâmetros testados, o lote é condenado e utilizado apenas como grão pelas indústrias. A cultivar de soja AFS 110 RR, licenciada pela Agrária possui genética Brasmax. Destinada para o plantio tardio no pós-trigo, a variedade já está no terceiro ano de plantio. A produção interna começou em 2011, com sacas de 40 kg, passou para sacas em 2012 e está em sacas para este ano. Além do plantio dos cooperados, há áreas significativas sendo plantadas em Pitanga, Prudentópolis, Candói e Mangueirinha. Oldir Frost: A Agrária sempre deu importância muito grande para a área de sementes Marcos Novatzki: A Unidade de Sementes é essencial por garantir o futuro das nossas indústrias. Cooperado Heino Milla aposta em maior agilidade com os novos investimentos Alexandre Marath produz sementes Agrária há cinco anos 4

5 Laboratório de Análise de Sementes atesta a qualidade de acordo com diversos parâmetros estruturação interna ocorrida na cooperativa, o setor de sementes, que integrava o de suprimentos, passou a figurar como Unidade de Negócio, inclusive com metas de comercialização para não cooperados. A Agrária sempre deu importância muito grande para a área de sementes, para que o cooperado tenha um bom material à disposição. Agora estamos com metas de comercialização para fora da cooperativa, mas sempre pensando primeiro em atender bem os nossos cooperados, explicou Frost. Os novos investimentos na Unidade de Sementes iniciaram neste ano e têm previsão de conclusão total até março de Parte da estrutura, como moegas e máquinas de pré-limpeza devem estar em funcionamento já para a recepção da safra de inverno, no final deste ano. O tratamento de sementes, que demandava elevado número de mão de obra, passa a ser automatizado, elevando também a qualidade e homogeneidade do processo. As novas moegas passam a ter capacidade de 180 t, cada, contra 40 t nas antigas. O fluxo de retirada de sementes, que era de 12 t por hora será de 60 a 80 t/h. A retirada mais rápida de semente da moega para o silo para realizar a classificação e padronização, dará condições de receber de maneira mais ágil, elevando, por consequência, o volume de recepção, explicou Frost. A secagem que antes era realizada somente nos silos será auxiliada por dois secadores de 60 t, cada. Segundo o gerente operacional, com a melhoria, a recepção em períodos chuvosos será otimizada, principalmente nas culturas de inverno, garantindo o aproveitamento total das sementes. Benefícios que serão percebidos rapidamente, acredita o cooperado Alexandre Marath. Teremos mais espaço para descarregar. Deverá ser mais rápido. O jovem cooperado Heino Milla, 21, também aposta em aperfeiçoamentos no cotidiano, inclusive para quem não produz sementes. As ampliações vão ajudar, porque haverá maior agilidade. Não é interessante quando há filas para carregar as sementes, observou. Ex-produtor de sementes, o cooperado Edmund Abt acredita que a realização de todos os processos internamente tem trazidos resultados importantes. A FAPA faz as pesquisas e determina o que é o ideal para o cooperado. A partir daí temos à disposição as últimas novidades e com a melhor qualidade possível, analisou o coope- rado, que produziu sementes durante mais de cinco anos. Para mim, agora, é fora de mão, mas financeiramente é viável produzir sementes. Antes da entrevista ao Informativo, Abt havia acabado de buscar uma carga extra de sementes processo realizado junto ao setor comercial. Peguei um adicional e não precisei nem agendar. Claro que seria importante agendar com antecedência quando a quantidade é maior, mas o processo funciona muito bem, elogiou. É de conhecimento de cada produtor que toda boa safra depende de um plantio correto. E o material semeado no solo possui papel fundamental. Um stand (número de plantas por hectare) ideal, um plantio realizado de acordo com as recomendações e uma semente de qualidade, com germinação e vigor, faz com que o produtor saia na frente por uma rentabilidade elevada, destacou Leandro Bren. Novatzki reforça, que a Unidade Sementes é essencial por manter a segurança da área de sementes, que será o futuro das nossas indústrias. Estratégica, a Unidade de Sementes se estabeleceu no campo fértil do padrão de qualidade Agrária e agrega valor aos cooperados e à cooperativa. Edmundo Abt já produziu sementes: Temos à disposição as últimas novidades e a melhor qualidade possível Márcia Arruda: Em todas as etapas do processo são realizadas análises que apoiam o Sistema Interno de Controle de Qualidade Leandro Bren: Nosso clima favorece a manutenção da germinação e o vigor da semente, além de reduzir o ataque de pragas 5

6 Recordes de produtividade ganham destaque nacional A fim de fomentar o constante incremento dos resultados no campo, o departamento de assistência técnica da Agrária incentiva a participação e também desenvolve concursos anuais, entre os 11 grupos de cooperados. A safra 2012/2013 teve resultados elevados tanto na soja quanto no milho. Na oleaginosa, dois cooperados conquistaram resultados significativos. O produtor Ervin Anton Stock, assessorado pelo agrônomo Washington Gomes da Silva, colheu kg/ha de soja (98,5 sacos/ha). O resultado conquistado em um talhão de 17 hectares o colocou entre os dez melhores resultados do Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja Safra 2012/2013, realizado pelo Cesb (Comitê Estratégico Soja Brasil). No mesmo concurso, o cooperado Alexandre Seitz, juntamente com o agrônomo Josef Pertschy, sagrou-se campeão municipal de Guarapuava, com produtividade de kg/ha de soja. A área do talhão participante era de 29,3 hectares. Um conjunto de fatores tornaram os resultados de referência nacional possíveis, acredita Ervin Stock. É também a contribuição de muitos envolvidos. Impossível citar todos, mas alguns foram fundamentais, como a equipe técnica da Agrária, a equipe de pesquisa da Mato Bonito, a qualidade ímpar do nosso gerente operacional e sua Ervin Stock destaca a importância da busca constante pelo conhecimento equipe, entre muitos outros, destacou Stock, que conquistou também o concurso interno da Agrária, de melhor produtividade de soja, promovido pela empresa BASF. 6

7 Alexandre Seitz aponta o conjunto de pesquisa e novas tecnologias como diferencial De acordo com o cooperado Alexandre Seitz, o clima não ideal para a cultura da soja é compensado pela pesquisa desenvolvida pela FAPA, bem como a chegada de novas cultivares. Atribuo esse resultado ao investimento em tecnologia e agricultura de precisão, correções de solo em taxa variável, evolução genética das cultivares de soja, manejo preventivo de pragas, ressaltou Seitz. A implantação no campo das orientações prestadas pelos agrônomos da Agrária está entre os principais fatores que contribuíram para os resultados em ambas as culturas, destacou o coordenador da assistência técnica da Agrária, Leandro Bren. O intuito desses concursos é fomentar que os cooperados e agrônomos implementem no campo todas as novas tecnologias que forem geradas, avaliou. sem olhar para custos. Foram plantas por hectare e trabalho intensivo de fungicida, destacou Washington. Segundo Pertschy, os resultados nestes concursos apontam o potencial ainda a ser atingido pelos cooperados. Forma utilizadas todas as tecnologias apropriadas para altas produtividades. Como exemplo, escolhemos uma boa variedade, providenciamos uma boa adubação e aplicamos o fungicida Comet, da Basf, logo na fase inicial da cultura. Ervin Stock resumiu em uma frase o diferencial dos que conquistaram bons resultados no campo: Investir tempo e dinheiro na busca do conhecimento é, e será cada vez mais, premissa para o sucesso. Washington da Silva: talhão com maior potencial e investimentos sem se ater ao custo Recorde no milho Já o concurso de produtividade de milho, realizado em parceria com a empresa Dekalb, premiou o cooperado Sieghardt Kleinfelder, assessorado pelo agrônomo Rodrigo Martins Ferreira, pela produtividade de kg/ha, com uma viagem ao corn belt, uma região especializada em produção de milho, nos Estados Unidos. Foi uma área de quatro hectares preparada para o concurso. Mas usamos apenas 200 kg a mais uréia por hectares e esterco do confinamento de gado. É uma área de fertilidade altíssima, explicou Ferreira. O cooperado, por sua vez, pretende explorar as experiências bem- -sucedidas na próxima safra. Desta vez carregamos mais em adubação nitrogenada. Tem a questão da rentabilidade, mas com a adubação com esterco poderemos melhorar sem ter muito desembolso, analisou Sieghardt Kleinfelder. Leandro Bren: concursos fomentam a implantação no campo das novas tecnologias geradas Foi a estratégia utilizada pelos agrônomos Washington Gomes da Silva e Josef Pertschy. Escolhemos o talhão, que vinha dando melhores resultados. E utilizamos o melhor trabalho possível, 7

8 A nova identidade visual da Agrária A Cooperativa Agrária lançou sua nova logomarca, no último dia 21 de junho, a cooperados, colaboradores, clientes e fornecedores. A primeira aparição aos clientes do símbolo, que representa o momento de crescimento com excelência pelo qual passa a cooperativa, ocorreu durante a Brasil Brau, realizado entre os dias 25 e 27 de junho. A identidade visual remodelada engloba diferentes aspectos condizentes com o contexto atual da própria Agrária e do mercado. Não se trata apenas de reestilização de marca, mas de um novo posicionamento perante o mercado, com a Agrária mais conectada, visionária, ágil e inovadora, destacou o diretor presidente da Cooperativa, Jorge Karl. Para definir um novo emblema, realizou-se um trabalho denominado auditoria de marca, que definiu o que a marca Agrária representa para seus públicos internos e externos, as percepções, pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades, e como se espera que a cooperativa seja no futuro. Na fase de diagnóstico foram ouvidas mais de 200 pessoas, de cooperados a clientes. A etapa seguinte, de investigação, englobou uma pesquisa quantitativa com mais de nomes, entre cooperados, clientes e fornecedores. Dentre outros resultados, observou- -se que a Agrária e a marca que a representa devem expor características que englobam conectividade, comunicação, parceria com clientes e fornecedores, pró-atividade, inovação, flexibilidade, objetividade, transparência, estratégia e eficiência. Uma Agrária preparada para o futuro é o resultado do trabalho, que serviu também para o autoconhecimento aprofundado da própria cooperativa, analisou o coordenador de marketing da Agrária, Arival Cramer. A arquitetura da marca foi o último passo de um longo processo. Agora, a Agrária terá Jorge Karl: Não se trata apenas de reestilização de marca, mas de um novo posicionamento perante o mercado uma consistência de imagem ainda maior, com todas as unidades de negócio se direcionando para a mesma marca, destacou. Ao longo das últimas décadas, a Agrária foi sustentada por marcas que igualmente evoluíram e, em diferentes momentos, sintetizaram conceitos como esperança, superação, industria- Arival Cramer: A arquitetura da marca foi o último passo de um longo processo. Logomarca foi apresentada inicialmente aos cooperados, durante a festa de aniversário de 62 anos da Agrária 8

9 Veja a comparação entre as duas logomarcas e conheça os conceitos por trás da nova identidade visual da Agrária. Cooperação e tradição: os dois pinheiros unidos continuam a representar o cooperativismo e as raízes da Agrária. Tanto crescimento e agilidade quanto dinamismo e flexibilidade estão representados nos "campos" posicionadas em perspectiva e com traços suaves. Diálogo e abertura ao mercado: a ausência do contorno em torno dos pinheiros e do nome, o qual agora é escrito em caixa baixa, demonstra humildade e mais abertura ao mercado. lização, expansão, gestão profissional e reconhecimentos. Cada fase foi simbolizada por uma logo seis no total. Ao longo dos próximos 12 meses ocorrerá a substituição da antiga pela nova logomarca. Os cooperados foram apresentados ao símbolo no dia 4 de maio, durante evento alusivo ao aniversário de 62 anos da cooperativa. Já a comunicação interna aos mais de colaboradores da Agrária obedece à identidade visual agora vigente desde o dia 21 de junho, com a Intranet reestruturada, igualmente mais moderna, dinâmica, interativa e intuitiva. A comunicação externa contará com materiais de divulgação, crachás, mailings, releases e frota de veículos com cara nova. Esta edição do Informativo também é a primeira com a nova logomarca, que é a sétima da história da Agrária e que representa uma cooperativa unida, forte e moderna, sempre em busca do crescimento com excelência. Nova logomarca e identidade visual já foram aplicadas à Intranet Agrária, a rede interna de computadores utilizada pelos colaboradores da cooperativa 9

10 Implementando a gestão empresarial no campo Separação de produtos recicláveis é um dos componentes do 5S Rural Uma das iniciativas que objetivam principalmente a inovação que a Agrária desenvolve junto aos cooperados é o PACR (Programa Agrária de Certificação Rural). O programa disponibiliza uma assessoria completa para a implementação e certificação de modernos sistemas de gestão nas propriedades rurais dos associados. As certificações centralizadas no programa abrangem as áreas: 5S Rural, Gerenciamento da Rotina, Gestão Ambiental, Saúde e Segurança Ocupacional e Gestão de Pessoas. Sistemas que, quando efetivados, levam a melhorias na organização tanto da propriedade quanto da produção. Através do PACR os cooperados têm acesso a ferramentas que os auxiliam a administrar a propriedade com base em métodos e modelos adotados em grandes organizações, 10 inclusive na Agrária, transferindo conhecimentos de gestão empresarial às áreas rurais, como afirma o gerente de gente e gestão da Cooperativa e coordenador do PACR, Mauro José Vanz. O modelo aplicado através do PACR tende à redução de custos e despesas, melhoria da produtividade de trabalho e melhor qualidade de vida para todos os envolvidos. Representa uma evolução, em médio prazo, no modelo de gestão da propriedade rural., acrescentou. Ao todo são 22 propriedades de cooperados participando dos processos de certificação. Em maio, as fazendas Santa Bárbara e Campo Bonito, do Grupo Reinhofer, foram certificadas em 5S Rural e Saúde e Segurança Ocupacional. O cooperado Bruno Reinhofer enfatizou que, apesar de pequenas dificuldades iniciais, o processo de implantação acabou se tornando mais ágil e eficiente, permitindo melhorias na qualidade e na segurança das atividades realizadas nas propriedades. Se não temos problemas maiores até hoje é sinal de que a adoção das medidas ajudou. Além disso, é um trabalho importante que neste momento ainda é uma opção, mas, daqui a alguns anos, provavelmente será necessário executar, sendo que nós já teremos passado por esse processo. A implementação de sistemas de gestão nas propriedades rurais não é obrigatória, mas oferece a oportunidade de oficializar o atendimento de determinado nível de qualidade e segurança da propriedade e da produção. A tendência do mercado é que a certificação, que representa a segurança oficial da origem dos mais variados produtos, seja cada vez mais requisitada. Ciclo que começa com a exigência do consumidor final e desemboca no setor produtivo e que pode significar a exigência destas certificações nas áreas de produção rural no futuro. Mauro José Vanz: Modelo do PACR permite uma evolução no modelo de gestão"

11 Em junho, Eduardo e Bruno Reinhofer tiveram duas propriedades certificadas em 5S Rural e Saúde e Segurança Ocupacional. (Na foto: assessora em Saúde e Segurança Ocupacional Fernanda Cardoso, Altiva Salles, colaboradores da Fazenda Santa Bárbara, o cooperado Eduardo Reinhofer, Mauro José Vanz e o cooperado Bruno Reinhofer) Este cenário é a tendência para os próximos anos. Cada vez mais os consumidores finais dão atenção para a origem dos produtos. O cliente final exige esta percepção aos nossos clientes, estes a repassam às nossas indústrias, que, por sua vez, a expõem aos nossos cooperados, de forma que a cadeia produtiva esteja totalmente interligada, analisou o gerente agrícola da Agrária, André Spitzner. O PACR busca trazer aos cooperados a mesma lógica dos processos de certificação empreendidos pelas indústrias e unidades da Agrária. A Cooperativa já adotou esta estratégia ao prever o crescimento da exigência dos clientes, antecipando-se ao mercado e preparando-se para obter um melhor posicionamento no futuro, quando a certificação pode ser um requisito. Esta posição foi tomada e hoje nós sabemos que ela foi muito acertada, porque vários clientes, que começam hoje a exigir certificações, optam pela Agrária, pois sabem que a Cooperativa se adiantou e já foi certificada, exemplifica Spitzner. Da mesma forma age o nosso cooperado ao participar do PACR, pode ser que um dia o cliente passe a exigir as certificações e quem já está nesse processo sai na frente, acrescentou. As certificações rurais adotadas em propriedades de cooperados também são a complementação das certificações nas indústrias e unidades da Agrária. Implementando o processo nos dois elos, ou seja, na produção e na industrialização, a qualidade e segurança de toda a cadeia produtiva são atestadas, garantindo aos clientes um trabalho diferenciado. O programa de certificação rural é uma ferramenta importante para a Agrária e dá suporte para todas as outras estratégias dentro da indústria, bem como da indústria para o nosso cliente, enfatizou o gerente agrícola. O PACR oficializa de maneira estruturada que o produtor da Agrária tem condição de ser diferenciado em relação à média, atestando que possui um sistema de gestão bem definido que propicia a execução das atividades de forma técnica, possibilitando melhoria de resultados. Isto integrado ao trabalho da assistên- PACR passo a passo cia técnica e ao comprometimento e fidelidade dos cooperados, forma um sistema ainda mais diferenciado. Nossos cooperados são organizados, temos as áreas mapeadas, sabemos que produtos eles utilizam na lavoura, que cultivares eles vão plantar, o planejamento é sempre bem antecipado. Tudo isso nos permite montar um sistema de informações bastante interessante para os clientes. Esse diferencial já tem sido reconhecido e uma possibilidade no mercado já está sendo estudada. A Agrária já foi procurada por clientes que buscam um trabalho diferenciado. Quando tiveram contato com o PACR, disseram que atende perfeitamente às necessidades deles. Já existem, de fato, empresas encontrando aqui, aquilo que elas buscam, concluiu Spitzner. André Spitzner: uma importante empresa já apresentou interesse concreto nos benefícios que o PACR implanta na produção Depois de definido o prazo para a certificação pretendida, o cooperado que participa do PACR é orientado por especialistas e técnicos da área de gente e gestão da Agrária. Juntos, desenvolvem um cronograma de assessoramentos e um plano de ação para implementação do programa. O passo seguinte são os treinamentos e, quando necessário, adequações estruturais. Com o sistema de gestão implantado, são realizadas as auditorias internas e externas para certificar a propriedade no programa contratado. Este é o mesmo processo que a Agrária e as demais empresas percorrem quando pretendem implementar uma certificação ISO, por exemplo, ressaltou a representante da coordenação do PACR e assessora em 5S Rural, Altiva Salles. 11

12 Agrária estreita relacionamentos na Brasil Brau 2013 Stand da Agrária, com nova logo, se destaca no evento nacional Realizada a cada dois anos, a Brasil Brau - Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja reuniu, entre os dias 25 e 27 de junho, mais de pessoas, de todo o mercado cervejeiro. A Agrária novamente se fez presente, desta vez com um stand de 80 m 2. Clientes e fornecedores que visitaram o local tiveram também o primeiro contato com a nova logomarca da Cooperativa, lançada oficialmente em 21 de junho. A estimativa é de que 400 pessoas passaram diariamente pelo stand da Agrária um dos maiores e mais visitados da feira. Tivemos a oportunidade de estreitar o relacionamento com os nossos clientes, que foi nosso principal objetivo no evento, destacou a coordenadora comercial de malte da Agrária, Margret Wild. A Brasil Brau 2013 teve como principal diferencial, em relação a edições anteriores, a separação do Degusta Beer evento destinado à apresentação e degustação de cervejas. Desta forma, esta edição se tornou mais técnica e mesmo assim contou com recorde de visitação, frisou o analista de marketing da Agrária, Alexander Weckl. Cliente da Agromalte, a INAB esteve Equipe buscou estreitar relacionamento com clientes e fornecedores representada no evento pelo coordenador de produção, Vicente de Paulo Fernandes Valério, que aproveitou a Brasil Brau para interagir com parceiros. Esta edição teve uma orientação muito forte para microcervejarias, mas também contou com a presença de fornecedores importantes, como a Agrária, ressaltou. O stand foi apontado como um ponto de encontro de discussões. Foi um local aglutinador de pessoas e, nesse sentido, promoveu o contato interpessoal dos clientes da Agrária e troca de experiências, apontou Valério, que também ressaltou o lançamento da nova logomarca da Agrária. A Brasil Brau, realizada em São Paulo, está entre os maiores eventos de cerveja do país, apresentando crescimento de 77,5% no número de expositores, em relação a O ambiente de negócios e de disseminação de novidades atraiu desde amantes da bebida até gigantes do mercado cervejeiro. A Agrária esteve representada pela equipe da maltaria, bem como por integrantes da diretoria, superintendência e marketing. 12

13 Poker Agrária avança à 2ª fase da Liga Nacional Com uma campanha surpreendente para um novato na competição nacional, o Poker Agrária Dalba Guarapuava Futsal conseguiu se classificar para a próxima fase da Liga Nacional. A façanha tinha sido confirmada com duas rodadas antes do final da etapa classificatória. Para o técnico Baiano, o saldo da participação na competição nacional é positivo, ressaltando que o Poker Agrária obteve melhor classificação do que equipes tradicionais da modalidade. A dimensão deste feito é enorme, vendo os comentários e o respeito que adquirimos de outras equipes e até mesmo da mídia esportiva, mas não queremos, de modo algum, parar por aqui. Passamos da primeira fase jogando de igual para igual com quase todas as outras equipes, agora queremos chegar entre os oito classificados, enfatizou Baiano. Agradecemos ao nosso elenco de jogadores, torcedores e patrocinadores que acreditam nesse projeto, além do grupo gestor que confia em meu trabalho, frisou. O time ficou em 13º lugar na classificação final, com seis vitórias, cinco empates e sete derrotas. Grandes momentos da equipe foram a vitória por 3 a 1 contra o Carlos Barbosa e 3 a 2 contra o Joinville. Foram 18 jogos que entraram para a história - a equipe enfrentou grandes nomes da Liga Nacional, considerada a mais difícil do futsal mundial. Esta foi a primeira vez que um time da região participou da competição, e foi a primeira estreante na Liga a se classificar para a segunda fase. Outro fato marcante foi o confronto contra o Corinthians, que foi televisionado para todo o Brasil pelo canal Sportv. Além do time e a imagem da Agrária, que patrocina a equipe pelo terceiro ano consecutivo, também a bela festa da torcida guarapuavana foi conhecida país afora. Torcida: Liga Nacional teve ginásio cheio em praticamente todos os jogos A Liga Futsal continua com 16 equipes distribuídas em quatro grupos, os dois times com melhor desempenho em cada um deles se classificam para as quartas-de-final. Confira os jogos do Poker Agrária na fase eliminatória 19/07 Poker Agrária x Intelli/Orlândia Guarapuava-PR (Transmissão pelo canal ESPN) 26/07 Copagril x Poker Agrária Marechal Cândido Rondon-PR (Transmissão pelo canal ESPN) 05/08 Poker Agrária x Umuarama Guarapuava-PR 16/08 Intelli/Orlândia x Poker Agrária Orlândia-SP 26/08 Poker Agrária x Copagril Guarapuava-PR 09/09 Umuarama x Poker Agrária Umuarama-PR 13

14 fatos e notas Além da nova identidade visual da Agrária, o conta com uma inovação. A partir desta edição, todas as matérias, que possuírem informações e fotos complementares disponibilizadas no site da Agrária, serão indicadas com ícones. Denominado QR-Code, o código bidimensional possibilita o acesso ao endereço eletrônico da notícia através de smartphones e tablets. Para tanto, basta instalar no aparelho um aplicativo gratuito compatível para a leitura do QR Code (por exemplo: Kaywa Reader, Nokia Reader, UpCode, ScanLife, entre outros). Por meio da câmera fotográfica do celular, a ser posicionada a cerca de 5 cm do código, o aplicativo o lê, decodifica e encaminha o usuário ao site desejado, sem necessidade de digitá-lo. Faça o teste no QR Code ao lado e leia mais notícias no portal: A Revista Exame apontou a Cooperativa Agrária como o 7º maior crescimento do país em 2012, em relação ao ano anterior. Os números gerados pela fidelidade e dedicação dos cooperados, pelas indústrias e pelos colaboradores da Agrária somaram um incremento de 57,4% no período. Mais uma vez, a qualidade do trabalho que, envolvendo cooperados e colaboradores, abrange toda a cadeia produtiva de trigo, cevada e soja, e futuramente de milho, recebeu destaque em uma publicação nacional. No Paraná, onde é líder em crescimento em 2012, a Agrária ocupa a 3ª e 4ª posições, respectivamente, nas categorias "liquidez corrente" e "riqueza criada por empregado" (leia matéria completa no site da Agrária, acessando o código ao lado). Uma festa junina animou os idosos acolhidos no SOS (Serviço e Obras Sociais), de Guarapuava. A entidade está sendo apoiada pela equipe Amigos Voluntários do PAIS, que organizou o festejo no dia 2 de junho. Em 8 de junho o Danúbio conquistou o título de campeão municipal de veteranos de A decisão foi contra o Cruzeiro. No primeiro jogo, vitória do Danúbio por 3 a 0, fora de casa. No jogo de volta, em Entre Rios, o empate em 1 a 1 garantiu novamente a conquista da taça, após oito anos. Representantes da equipe Mão Amiga, apoiadora do Lar São Francisco de Assis no PAIS 2013, visitou a entidade no mês de junho. O lar atende a idosos no município de Pinhão e, desde o início do ano, vem recebendo doações arrecadadas por colaboradores da Agrária. No dia 15 de junho o Colégio Imperatriz Dona Leopoldina organizou sua tradicional Festa Junina. A comunidade de Entre Rios prestigiou o evento, que contou com comidas típicas de São João, apresentações culturais, fogueira, quadrilha e casamento caipira. 14

15 fatos e notas O grupo cultural Nota Livre, da Fundação Cultural Suábio- -Brasileira, embarcou no dia 2 de julho para uma turnê na Europa. Os integrantes realizarão 15 apresentações na Alemanha, Áustria, Hungria, Croácia e Sérvia (leia matéria completa, acessando o código ao lado). A Agrária, em conjunto com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Florestal de Guarapuava, realizou no dia 7 de junho a II Gincana Ambiental. O evento, alusivo ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, reuniu alunos das escolas públicas de Entre Rios. A Escola Municipal Princesa Isabel foi a vencedora (leia mais via código ao lado). A Agrária participou do 5º Dia de Campo Jersey JOPX em Loanda, no dia 8 de junho. No evento, a estação da cooperativa ofereceu atividades práticas em uso de suplementos para o gado de leite aos cerca de 400 produtores participantes. O veterinário assistente técnico da Agrária Eduardo Pletz palestrou sobre o manejo de vacas de leite no período de transição. Em 20 de junho a Cooperativa Agrária recebeu a visita de um grupo do Banco do Brasil. Entre os visitantes estava o vice-presidente de agronegócios da instituição, Osmar Dias (em pé, ao centro - leia mais, acesse o código ao lado). O mês de junho registrou 498,2 mm de chuva, maior volume desde 1998 e o maior índice acumulado para junho, desde o início da série histórica da estação meteorológica da FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária), iniciada em A chuva de junho é também o sexto maior índice da série histórica. Em todo o mês, houve precipitações por duas semanas seguidas, entre 15 e 30 de junho. Para os cooperados, houve atrasos no plantio da cevada. Contudo, ainda não é possível apontar prejuízos, segundo o departamento de assistência técnica da Agrária. Expediente é uma publicação mensal e tem como objetivo divulgar fatos relevantes da Cooperativa Agrária Agroindustrial. Opinião: os pontos de vista expressos por pessoas entrevistadas e/ou em artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Agrária. Jornalista responsável: Klaus Georg Pettinger (42) Cooperativa Agrária Agroindustrial - Fundação: 5 de maio de Endereço: Pça. Nova Pátria s/nº, Colônia Vitória / distrito de Entre Rios / Guarapuava (PR) / CEP Telefone geral: (42) Site: Informativo Diagramação: Agrária Prêmio Arkétipo Comunicação - - Direção de Arte: Roberto Niczay - Tiragem: 800 exemplares. Impressão: Gráfica Positiva e Editora - Cascavel - PR 15

16

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra Ano 8 Edição 15 - Setembro de 2015 Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra A forte valorização do dólar frente ao Real no decorrer deste ano apenas no período de

Leia mais

Lean na agroindústria: a transformação da indústria de café torrado e moído no Grupo 2 Irmãos

Lean na agroindústria: a transformação da indústria de café torrado e moído no Grupo 2 Irmãos Lean na agroindústria: a transformação da indústria de café torrado e moído no Grupo 2 Irmãos Julio César Paneguini Corrêa A filosofia lean não mais se restringe às empresas de manufatura. Muitos setores

Leia mais

ARMAZENAMENTO NA FAZENDA

ARMAZENAMENTO NA FAZENDA Adriano Mallet adrianomallet@agrocult.com.br ARMAZENAMENTO NA FAZENDA O Brasil reconhece que a armazenagem na cadeia do Agronegócio é um dos principais itens da logística de escoamento da safra e fator

Leia mais

A Suzano e o Fomento na Bahia

A Suzano e o Fomento na Bahia A Suzano e o Fomento na Bahia Como é a atuação da Suzano na região? Fundada há 85 anos, a Suzano começou a produzir papel em 1940 e celulose em 1950 sempre abastecendo o mercado brasileiro e os de diversos

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

Educação Financeira e Previdenciária Case - Fundação CEEE. Magdarlise Dal Fiume Germany Gerente Relações Institucionais

Educação Financeira e Previdenciária Case - Fundação CEEE. Magdarlise Dal Fiume Germany Gerente Relações Institucionais Educação Financeira e Previdenciária Case - Fundação CEEE Magdarlise Dal Fiume Germany Gerente Relações Institucionais Programa de Educação Financeira e Previdenciária - Criação Aprovado pela PREVIC em

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

Treinamento de Crise: simulações para lidar com situações reais

Treinamento de Crise: simulações para lidar com situações reais POP 2008 Relações Públicas na Gestão de Crise Resumo Treinamento de Crise: simulações para lidar com situações reais Bayer CropScience Desafio Preparar executivos para agir de forma organizada, ágil e

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio Software de Gestão Rural ADM Rural 4G 2011 ADM Rural 4G Agenda de Apresentação E Empresa Planejar O Software ADM Rural 4G Diferenciais Benefícios em

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório:

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório: Guia de sustentabilidade na produção de soja na Agricultura Familiar Relatório individual NOME: Prezado senhor (a), Em primeiro lugar, no nome dacoopafi, da Gebana e da Fundação Solidaridad,gostaríamos

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL FAÇA SUA CAMPANHA PARA PROJETO PODER P - Planejamento O - Organização D - Delegação E - Execução R - Realização Lance sua campanha para Vereador com o Projeto

Leia mais

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio.

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Roteiro para apresentação do Plano de Negócio Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Abaixo encontra-se a estrutura recomendada no Empreenda! O Plano de Negócio deverá

Leia mais

Implantação de ERP com sucesso

Implantação de ERP com sucesso Implantação de ERP com sucesso Implantação de ERP com sucesso, atualmente ainda é como um jogo de xadrez, você pode estar pensando que está ganhando na implantação, mas de repente: Check Mate. Algumas

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA DE SECAGEM E ARMAZENAGEM DE GRÃOS

DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA DE SECAGEM E ARMAZENAGEM DE GRÃOS ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA DE SECAGEM E ARMAZENAGEM DE GRÃOS Vinicius Calefi Dias 1 ; Jefferson

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

REGIONAL CENTRO-OESTE

REGIONAL CENTRO-OESTE REGIONAL CENTRO-OESTE SOJA DESPONTA NO CENTRO-OESTE, REDUZINDO ÁREAS DE MILHO VERÃO E ALGODÃO A produção de soja despontou no Centro-Oeste brasileiro nesta safra verão 2012/13, ocupando áreas antes destinadas

Leia mais

1 Campanhas da Confederação

1 Campanhas da Confederação 1 Campanhas da Confederação 1.1 - Divulgação: Divulgar, através dos canais disponíveis na Central, as apresentações e arquivos das peças das campanhas sistêmicas; Prestar orientação às cooperativas, motivando

Leia mais

AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS

AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS Relatório de Atividades 2014 Sumário 1.0 Introdução - Pág 3 2.0 Quem Somos, Estatísticas, Valores - Pág 4 3.0 Projetos 2014 - Pág 5 a 15 3.1 Novo site - Pág 5 a 12

Leia mais

Perguntas e respostas Mais Qualidade

Perguntas e respostas Mais Qualidade Perguntas e respostas Mais Qualidade O que é o Programa Mais Qualidade? O Mais Qualidade é um programa da Bayer CropScience que tem como objetivo a obtenção de frutas com qualidade superior. Tudo isso

Leia mais

REGULAMENTO XIII PRÊMIO MÉRITO FITOSSANITÁRIO COOPERATIVAS 2009

REGULAMENTO XIII PRÊMIO MÉRITO FITOSSANITÁRIO COOPERATIVAS 2009 REGULAMENTO XIII PRÊMIO MÉRITO FITOSSANITÁRIO COOPERATIVAS 2009 1. Apresentação O Prêmio Mérito Fitossanitário é o reconhecimento ações de responsabilidade social e ambiental das indústrias de defensivos

Leia mais

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Data da Pesquisa: Junho 2009 Realização: Pesquisa realizada através do Site www.indicadoresdemanutencao.com.br Divulgação e Colaboração: Divulgação e colaboração

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso Leitõezinhos se alimentam na mãe até os 22 dias de idade, quando seguem para engorda Diversificação, sustentabilidade e dinheiro no bolso Cooperativa em São Gabriel do Oeste, MS, tem faturamento quatro

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

Círculo do Café de Qualidade - CCQ Passo a Passo

Círculo do Café de Qualidade - CCQ Passo a Passo 1. O que é? O Círculo do Café de Qualidade é uma evolução em relação ao PQC ABIC, lançado em 2004, e está inserido dentro das diretrizes da ABIC de aumento do consumo interno de café no Brasil, visando

Leia mais

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR.

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. Gelson Hein Médico Veterinário Unidade Local de Toledo NOVEMBRO

Leia mais

MARKETING PARA FAZENDAS

MARKETING PARA FAZENDAS DICAS PRÁTICAS DE MARKETING PARA FAZENDAS Sobre o Porteira Digital O Porteira Digital foi criado com objetivo de fornecer soluções práticas de Marketing para o produtor rural que deseja fazer de seu negócio

Leia mais

Principais destaques do período

Principais destaques do período Apresentação A Diretoria da Sabesprev apresenta a seus participantes o resultado de mais um exercício, marcado por uma gestão participativa, inserida nos preceitos da Governança Corporativa e com total

Leia mais

5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais

5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais 5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais 5.1 A Rede Globo A Rede Globo é uma das maiores redes de televisão do mundo, com milhões de espectadores

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL LINKS PATROCINADOS

PROPOSTA COMERCIAL LINKS PATROCINADOS PROPOSTA COMERCIAL LINKS PATROCINADOS O que você vai encontrar nesta proposta: Problemas comuns em empresas que usam Google Adwords A solução está mais perto do que imagina Por que a Dynamo é a empresa

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

VOCÊ QUER ABRIR UMA MICROCERVEJARIA? COMECE POR AQUI

VOCÊ QUER ABRIR UMA MICROCERVEJARIA? COMECE POR AQUI empreendendo com VOCÊ QUER ABRIR UMA MICROCERVEJARIA? COMECE POR AQUI ÍNDICE O MERCADO MUNDIAL 03 A SUA MARCA 05 ENTENDA A PRODUÇÃO 07 DISTRIBUIÇÃO 11 TERCEIRIZAÇÃO 13 INVESTIMENTO 14 EXIGÊNCIAS LEGAIS

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria Agentes Financiadores Notícias e atualidades sobre Agentes Financiadores nacionais e internacionais página inicial A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores

Leia mais

2010-2014 NUVEM TECNOLOGIA LTDA. WWW.NUVEM.NET

2010-2014 NUVEM TECNOLOGIA LTDA. WWW.NUVEM.NET Sediada em Cuiabá, Mato Grosso, a Nuvem Tecnologia Ltda desenvolve softwares para empresas de médio e grande porte no centro-oeste do país. A partir do know-how adquirido sobre rastreabilidade, lançou

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO DA ÁREA ADMINISTRATIVA DO INSTITUTO EMATER - REGIÃO DE CORNÉLIO PROCÓPIO

PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO DA ÁREA ADMINISTRATIVA DO INSTITUTO EMATER - REGIÃO DE CORNÉLIO PROCÓPIO CONCURSO: PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL EXTENSIONISTA GESTÃO PARA RESULTADOS. RECONHECIMENTO CATEGORIA: INOVAÇÃO EM PROCESSOS ADMINISTRATIVOS AUTOR: VALDIMIR DE JESUS PASSOS CO-AUTOR PRINCIPAL: WANDER ADRIANO

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

Data: ABN. Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados

Data: ABN. Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados Veículo: Assunto: Data: ABN 28/09/2012 Cafés especiais do Brasil consolidam novos mercados http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=71860 Que o Brasil há muitos anos produz cafés de qualidade excepcional

Leia mais

OBSERVADOR. Social Outubro Rosa e Novembro Azul p.06. Agrícola Reunião com contabilistas na Usina Ipê p.05

OBSERVADOR. Social Outubro Rosa e Novembro Azul p.06. Agrícola Reunião com contabilistas na Usina Ipê p.05 OBSERVADOR ano 45 n 517 nov/dez de 2015 Social Outubro Rosa e Novembro Azul p.06 Treinamento Pedra e Buriti concluem mais duas escolas de formação p.02 Comunicação Jornal Observador: 45 anos de história

Leia mais

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração.

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração. . Quem somos //Sobre A Oficina1 é uma consultoria direcionada à tecnologia da informação, com foco na implementação dos ERPs Protheus e OpenBravo, além do aplicativo de Service Desk SysAid, abrangendo

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais Os desafios do Bradesco nas redes sociais Atual gerente de redes sociais do Bradesco, Marcelo Salgado, de 31 anos, começou sua carreira no banco como operador de telemarketing em 2000. Ele foi um dos responsáveis

Leia mais

USO DE REDE SOCIAL NA ASSISTÊNCIA TÉCNICA RURAL

USO DE REDE SOCIAL NA ASSISTÊNCIA TÉCNICA RURAL USO DE REDE SOCIAL NA ASSISTÊNCIA TÉCNICA RURAL Londrina, Outubro de 2.015. Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural - Paraná Agente de ATER - PAULO ROBERTO MRTVI INSCRIÇÃO DADOS DA

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO SUMÁRIO 4 APRESENTAÇÃO DO PROJETO 6 JUSTIFICATIVA 7 OBJETIVOS 7 PÚBLICO ALVO 8 HISTÓRICO DO EVENTO 12 EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PARCEIRAS APRESENTAÇÃO DO PROJETO Foto 1: Vista aérea do evento A Expoarroz

Leia mais

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso 7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso Saiba como colocar o PINS em prática no agronegócio e explore suas melhores opções de atuação em rede. Quando uma empresa

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO MEU SONHO MEU NEGÓCIO 1. APRESENTAÇÃO. alternativa de autoemprego e geração de renda para sobreviver.

REGULAMENTO CONCURSO MEU SONHO MEU NEGÓCIO 1. APRESENTAÇÃO. alternativa de autoemprego e geração de renda para sobreviver. CONCURSO MEU SONHO MEU NEGÓCIO PROJETO DE INCENTIVO AO PEQUENO NEGÓCIO 7ª EDIÇÃO, 2015 Realização: SEBRAE/SC e RICTV Record REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO O concurso MEU SONHO MEU NEGÓCIO é um projeto realizado

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

GESTÃO DA PROPRIEDADE COMO EMPRESA RURAL E VIABILIDADE REAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS CASO PROPRIEDADE MONTE BELO (PEROBAL - PR)

GESTÃO DA PROPRIEDADE COMO EMPRESA RURAL E VIABILIDADE REAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS CASO PROPRIEDADE MONTE BELO (PEROBAL - PR) ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 GESTÃO DA PROPRIEDADE COMO EMPRESA RURAL E VIABILIDADE REAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS CASO PROPRIEDADE

Leia mais

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise!

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! Temos visto e vivido no Brasil um constante cenário de lamentações, reclamações, busca de culpados, busca de responsáveis e bodes expiatórios para

Leia mais

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento PNQS 2010 IGS SETEMBRO/2010 ORGANOGRAMA DA ORGANIZAÇÃO CANDIDATA Vice-presidência de GO Superintendência T Gerência Prod. e Desenvolvimento

Leia mais

Informações. Programação

Informações. Programação Informações & Programação De 21 a 23 de janeiro de 2015 Estação Experimental Copagril Marechal Cândido Rondon PR Um evento para conhecer as novas tecnologias e as tendências do agronegócio nacional e internacional,

Leia mais

Local: Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo Campo Grande/MS Data: 4 e 5 de Maio de 2015

Local: Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo Campo Grande/MS Data: 4 e 5 de Maio de 2015 Local: Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo Campo Grande/MS Data: 4 e 5 de Maio de 2015 Realizadores A empresa é localizada em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul e tem seu foco na prestação

Leia mais

OPORTUNIDADE: Associar sua marca a uma das maiores vitrines de negócio do Cerrado Brasileiro. PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 24 a 27 de março de 2015

OPORTUNIDADE: Associar sua marca a uma das maiores vitrines de negócio do Cerrado Brasileiro. PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 24 a 27 de março de 2015 SHOW SAFRA BR 163 O Show Safra BR163 é idealizado pela Fundação Rio Verde para ser uma feira de novas tecnologias com foco comercial e ainda abre espaço para discussões de temas técnicos, políticos, sociais

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22...

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22... O OS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DA BIOTECNOLOGIA AGRÍCOLA NO BRASIL L: 1996/97 2011/12 O caso do algodão geneticamente modificado O caso do milho geneticamente modificado O caso da soja tolerante a herbicida

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

Planejamento e Gestão Estratégica de Empreendimentos Rurais

Planejamento e Gestão Estratégica de Empreendimentos Rurais Planejamento e Gestão Estratégica de Empreendimentos Rurais A Importância do Entendimento na elaboração das diretrizes Estratégicas do Negócio Autores Frederico Fonseca Lopes (fflopes@markestrat.org):

Leia mais

Instituto Nacional de Pós Graduação INPG Sustentare

Instituto Nacional de Pós Graduação INPG Sustentare Instituto Nacional de Pós Graduação INPG Sustentare O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO CORPORATIVA E A FIDELIZAÇÃO DE SEUS PÚBLICOS ESTRATÉGICOS Vitor Roberto Krüger Gestão da Comunicação Empresarial e Relações

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital 8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital Empreender em negócios de marketing digital seguramente foi uma das melhores decisões que tomei em minha vida. Além de eu hoje poder ter minha

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

A compra de TI e as redes sociais

A compra de TI e as redes sociais Solicitada por A compra de TI e as redes sociais Como as redes sociais transformaram o processo de compras B2B e as melhores práticas para adaptar as suas estratégias de marketing à nova realidade BRASIL

Leia mais

Nº 27 Fevereiro 2013

Nº 27 Fevereiro 2013 Nº 27 Fevereiro 2013 ÍNDICE 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 NOSSA CULTURA NÚMEROS DO MÊS ANTERIOR UNIDADES CURSOS AÇÕES FNP AÇÕES FNP AÇÕES FNP AÇÕES FNP GOOGLE ADWORDS GESTÃO FINANCEIRA

Leia mais

Problemas e desafios Soluções e ações propostas

Problemas e desafios Soluções e ações propostas FÓRUM DAS OFICINAS DO GRUPO DE TRABALHO DE AGRICULTURA ORGÂNICA E AGROECOLOGIA I - Introdução/Apresentações II - Comercialização III - Produção/Pesquisa/Assistência Técnica IV - Produção Animal V - Impactos

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

Categoria Franqueado

Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2013 Dados da empresa FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Razão Social: Natureza Comércio e Representações Ltda Nome Fantasia: O Boticário Data de fundação:

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS Por: Maria Silvia C. Digiovani, engenheira agrônoma do DTE/FAEP,Tânia Moreira, economista do DTR/FAEP e Pedro Loyola, economista e Coordenador

Leia mais

O Amarelinho mantém liderança

O Amarelinho mantém liderança Mídia Kit O CAMPEÃO DAS BANCAS! O melhor jornal de empregos mídia exclusiva Empregos, estágios, cursos e concursos Páginas 6, 7 e 8 perfil do leitor Instituto define quem é o leitor do Amarelinho Página

Leia mais

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará ações de cidadania Onde o sol nasce ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará O triste cenário já é um velho conhecido por

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

e das pessoas; conceitos e informações socialmente responsável funcionais e institucionais; estimular o comportamento divulgar aos colaboradores

e das pessoas; conceitos e informações socialmente responsável funcionais e institucionais; estimular o comportamento divulgar aos colaboradores Levar todas as informações decisivas da empresa, de forma rápida e simples; jornalmural divulgar aos colaboradores conceitos e informações funcionais e institucionais; reconhecer o trabalho das áreas e

Leia mais

III FOMENTA Nacional (2010) e efeitos do evento

III FOMENTA Nacional (2010) e efeitos do evento Pesquisa Sebrae: Empresários participantes do III FOMENTA Nacional (2010) e efeitos do evento Brasília, Novembro 2012 * *Conhecer o perfil das empresas participantes do III Fomenta Nacional; *Investigar

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE Profa. Adriana Roseli Wünsch Takahashi

GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE Profa. Adriana Roseli Wünsch Takahashi UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE Profa. Adriana Roseli Wünsch Takahashi MARÇO/2010

Leia mais

PROJETO: CONSOLIDAÇÃO DA MODELAGEM PREVISÃO NUMÉRICA DO TEMPO NO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET) BRA/OMM/011/001 TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO: CONSOLIDAÇÃO DA MODELAGEM PREVISÃO NUMÉRICA DO TEMPO NO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET) BRA/OMM/011/001 TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO: CONSOLIDAÇÃO DA MODELAGEM PREVISÃO NUMÉRICA DO TEMPO NO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET) BRA/OMM/011/001 TERMO DE REFERÊNCIA Perfil: Especialista em TI para atuar no aprimoramento do

Leia mais