DESBUROCRATIZAÇÃO JUDICIAL E POLITICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESBUROCRATIZAÇÃO JUDICIAL E POLITICA"

Transcrição

1 1 DESBUROCRATIZAÇÃO JUDICIAL E POLITICA Felipe Moutinho Cordeiro 1 Resumo Análise, critica constitucional e filosófica do dever constitucional do estado em tutelar o cidadão mesmo que para isso tenha que violar a forma a fim de prevalecer o direito constitucional vigente e as garantias fundamentais em ponderação de interesse sobe a legislação processual ou infra constitucional em prol da efetividade de acordo com posicionamento metafisico filosófico de Aristóteles, logico de Savigy e em convergência com a jurisprudência de nosso tribunal supremo. Palavras-chave Efetividade, instrumentalidade, tutela, dever, forma, direito. Abstract Constitutional and philosophical analysis of the constitutional duty of the state to protect citizens even if it has to violate the form to the right prevail. Keywords Effectiveness, instrumentality, trust, duty, form, right. 1 Bacharel em Direito, Bacharelando em Psicologia, Membro Honorário da Academia Brasileira de Direito Processual Civil, Membro da Inter American BAR Association(EUA), Membro da Union Internacionale de Advocats(FRANÇA), Membro da Ordem dos Advogados do Brasil Secional Rio de Janeiro, Doutorando em Direito Privado com ênfase em direito Processual pela Universidad de Ciências Empresariales y Sociales de Buenos Aires, Especialista em Direito Processual Civil com ênfase em direito Privado pela Universidade Federal Fluminense, Pós-Graduando em Direito Constitucional pela Universidade Estácio de Sá do Rio de Janeiro, MEMBRO REPRESENTANTE da Inter Americam Bar Association junto a Organização das Nações Unidas em Nova York no UNCITRAL grupo de trabalho V sobre direito falimentar, onde deteve uma moção aceita em beneficio dos interesses do Brasil.

2 2 SUMÁRIO: Introdução Realidade politico-constitucional Pratica forense Ponderação de valores Desburocratização processual Da lei do retorno Hermenêutica filosófica aplicada na lide Conclusão Referencias bibliográficas

3 3 1. INTRODUÇÃO A metodologia empregada no presente artigo é o estudo descritivo exploratório, com a utilização de vasta pesquisa empírica jurisprudencial e doutrinaria, utilizando como vetores a legislação constitucional, infra-constitucional e filosofia do direito, tendo em vista, que, hoje, o formalismo, prejudica o direito material a ser tutelado o qual, deve se furtar da burocracia criada pelos legisladores e vaidade dos julgadores, endeusada por uma sociedade, alienada, pelos subsídios do governo e falta de educação, desde sua base, resultando agora em uma onde de protestos, sem objetivo pré-determinado que em nada culminar e distante passou do regime judiciário que vivenciamos. Nesse ponto, Sobral Pinto 2, pontua de forma única o papel desempenhado pelo advogado em seu mister, analisando os valores e mazelas vividas no exercício da advocacia como instrumento de pacificação social e sacerdócio democrático, impotente contudo diante da burocracia, in verbis: Para preencher a sua superior missão, no meio social em que atua, deve o jurista exercer sua profissão com nobreza, desinteresse e desassombro. Em se tratando de advogado, que se fez tal por obediência aos impulsos da sua vocação jurídica, cabe-lhe, com todas as energias de que é capaz, desobrigar-se dos seus deveres de estado, com a bravura do militar, a lealdade do cavalheiro, a finura do diplomata, a imparcialidade do magistrado, a tolerância do sábio e o espirito de sacrifício do sacerdote. Tendo de Lutar, sempre e incessantemente, em ambientes carregados de paixões exaltadas, para salvar aqui a vida de uma pessoa, ali a honra de um homem de bem, e acolá o patrimônio de quem para acumulá-lo, trabalhou a vida inteira, o advogado precisa ora magoar um, ora ferir outro, e não raro, contemporizar com arbítrio, compreender certas exaltações e às vezes, renunciar até, e nobremente, a interesses materiais respeitáveis, Entre assim, os deveres árduos do jurista, encontram-se os de ferir suscetibilidades sensíveis, e de magoar temperamentos ciosos do seu próprio mérito. Portanto, muito distante de uma processo efetivo estamos, pois o direito material, uma vida, um patrimônio a liberdade de alguém ou a segurança da sociedade é colocada de lado em detrimento, de atos normativos ( fato já antecipado por Pontes de 2 SOBRAL, São Paulo, Jornal do Comércio, 24 de janeiro de 1940 citado às fls.24 da obra Lições de Liberdade, Sobral Pinto, Editora, Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1977.

4 4 Miranda 3 em seus comentários a constituição e 1969), sumulas e regras procedimentos, ou mesmo ego de não ver um posicionamento contrariado, conforme nos ensina Helinger 4, ou sob o argumento de falta de copia ou certidão, bem como, preclusão ou perda de prazo, o qual mesmo previsto em nossa legislação infra constitucional e de cumprimento obrigatório por parte dos magistrados, são ignorados e somente aplicados contra a sociedade. 2. REALIDADE POLITICO-CONSTITUCIONAL A sociedade, em sua relação entre ética moral e corrupção, possui trágicos exemplos, conforme nos ensina Lenoir 5, tem o hábito de reprimir e oprimir quem quer que litigue ou alerte seus parses de suas mazelas éticas e sociais, como feito a Jesus e Sócrates, ambos apenados com a morte e tendo suas sentenças de morte, sido preferidas mesmo antes da apresentação de qualquer defesa, pois o crime que cometeram foi terem sido éticos, honestos e construtivos em uma multidão corrupta, como indiretamente conceituado por Freud 6 e tratado por Negri 7. Tal tragédia, se dá, não por falta de espiritualidade ou seja um raciocínio oceânico de Roman Rolland 8, e sim, falta de suportes filosóficos mínimos e logico racionais, como ao final será proposto, pois a judicialização, trata, da liberdade, patrimônio, honra, nome e vida dos seres, ou seja regula a vida em sociedade mais do que as próprias leis, pois a materializam, portanto, o fim, deve ser a premissa maior a ser protegida, mediante uma séria reflexão psicanalítica e filosófica para ai sim alcançarmos a verdadeira efetividade a qual deve sobrepujar qualquer normatização administrativa ou celeridade. 3 MIRANDA, Pontes, Comentários à Constituição de 1967, Tomo I, 2. ed., 1974, RT, São Paulo, página HELLINGER, Bert, Conflito e Paz uma resposta, Editora Cultrix, São Paulo, 1ª Edição, 2005, página LENOIR, Frederic, Socrates, Jesus e Buda mestres da vida, Objetiva,2009, Rio de Janeiro, página FREUD, Sigmund, O mal-estar na cultura, Editora L&MP Pocket,2013, obra aoriginal de 1930, página 53 7 NEGRI, Antonio, Le pouvir constituant, Press Universitaires de France, 1992, Paris, página Idem nota 3 página 42.

5 5 Assim, sendo, como premissa maior, detemos o ordenamento constitucional conforme pontuado por Kelsen 9, premissa a qual preconiza acesso a pacificação judicial sem restrições ou interpretações limitadoras de seus preceitos esculpidos nos incisos LV, LIV, XXXV e XXXIV, todos do Artigo 5º, premissas, as quais devem prevalecer sob, formalidades, atos normativos, jurisprudências sumulas e leis, pois assim se faz e preserva a democracia em virtude da hierarquia constitucional e seu enredamento nas multifacetárias áreas do Direito. Sob esse aspecto constitucional, o poder constituinte, conceituado por Negri 10 e Hardt, é formador de tais preceitos pétreos é necessário para organização social produção e vida em sociedade, regulado sob os princípios da igualdade liberdade e fraternidade, contudo, vivemos sob e para o poder, sob a forma laborativa e guiados pela ambição no capital, e como referido por Negri 11 vivemos, para o dinheiro e com nossas intimidades expostas vitualmente, onde mesmo de forma ampla a informação contínua limitada e controlada, o que evidencia, influencias maléficas e uma realidade social, dicotômica com a necessária para construção de um poder constitucional rígido e eficiente. O resultado, disso na realidade Brasileira, é um sistema constitucional, furto de um poder constituinte forma por politico muitos dos quais no curso da historia constitucional Brasileira, se viram envolvido em inúmeros 12 episódios de corrupção 13, em virtude do embevecimento pelo poder e impunidade e controle burocrático de todo 9 KELSEN, Hans. Teoria pura do direito: introdução à problemática científica do direito. Trad. Cretella Jr. e Agnes Cretella. 3. ed. rev. da tradução. São Paulo: Revista dos Tribunais, NEGRI e HARDT, Michael e Antonio, Declaration, New York, 2012, Argonavis, página NEGRI, Antonio, Time for Revolution, New York, 2003, Continuum, Página (...)Senadores e deputados custeam refeições em restaurantes caros de Brasília com dinheiro público. Uma única conta pode chegar a reais (...)O aquecido mercado da gastronomia em Brasília tem atraído para a capital federal grifes paulistanas de restaurantes, como o Rubayat e o Gero, do grupo Fasano. Entre a clientela habitual, estão parlamentares, que têm direito a custear as refeições com dinheiro público. Um levantamento feito pelo jornal Estado de São Paulo mostra que o Senado tem reembolsado contas que chegam a ultrapassar reais.(...) Disponivel em 20/10/ :31.: 13 (...)No primeiro escalão da Esplanada dos Ministérios, Pepe Vargas, José Eduardo Cardozo, Ideli Salvatti e Marco Antonio Raupp decolaram mais de quarenta vezes em três meses, quase uma viagem a cada dois dias (...)Praticamente dia sim, dia não eles estão voando. Os ministros Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário), José Eduardo Cardozo (Justiça), Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Marco Antonio Raupp (Ciência e Tecnologia) foram os campões de viagens em jatinhos da Força Aérea Brasileira (FAB) nos últimos três meses de 12 de julho a 12 de outubro.(...) Disponível em 20/10/ :04 horas.:

6 6 sistema politico jurídico 14 brasileiro, exatamente em uma sociedade a qual utopicamente acreditavam que iram mudar e hoje, organizam um sistema corrupto e totalitarista (controle de informação e poder centralizado como conceituado por Arendt 15 como ocorre com mensalão e controle politico jurídico e judicial através da autonomia desregrada) oligorgaquico ao revés, pois o povo atualmente, no poder, sem planejamento e corrompido, pelo poder, capital e alienado pela aprovação automática no ensino básico, médio e cotas no superior, corroborado inúmeras bolsas 16 (família, gas, tv-digital e reclusão) fornecidas como mecanismo partidário eleitoral e não social, degola a futura esperança de mudança futura para o Brasil, pois sem evolução educacional e desenvolvimento, jamais a multidão poderá se movimentar em forma evolutiva social ou ao menos alcançar a efetiva democracia conforme conceituado por Lipset 17, onde desenvolvam perspectivas a mais longo prazo e concepções mais complexas e gradualistas da politica. Pois para tanto, a pobreza deveria vir a ser vencida com oportunidades laborais, o Brasil, possui extremo déficit 18 de ferrovias, mesmo em terrenos via de regra planos como nos estados de Goiás, Mato Grosso, Brasília entre outros, bem como, não possui colégios e universidades e paga mal seus professores, objeto inclusive de recentes manifestações, em contra partida os salários de políticos e magistrados (poder público), ultrapassa em mais de 1.000% 19 a iniciativa privada, ou seja em qual realidade 14 (...)Depois que gastos com viagens, reformas e diárias foram revelados pela imprensa, o Supremo Tribunal Federal (STF) recuou e tirou do site informações sobre despesas com passagens aéreas usadas pelos ministros e passou a fazer triagens sobre o que pode ou não ser divulgado por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).(...) disponível em 20/10/ :51.: 15 ARENDT, Hannah, As Origens do Totalirismo, 1979, primeira edição 1951, Editora Documentário, Rio de janeiro, página (...)Brasília - Lançado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 20 de outubro de 2003, o Bolsa Família que beneficia famílias com renda mensal de até R$ 140 por pessoa - completa dez anos como o principal programa de seguridade social do país. De acordo com os dados do governo federal, o Bolsa Família contempla 13,8 milhões de famílias, beneficiando cerca de 50 milhões de pessoas, e já tirou 36 milhões de brasileiros da pobreza extrema.(...) Disponível em 20/10/ :07.: 17 LIPSET, 1967, Some Social Requisites of Democracy: Economic Development and Political Legitimacy, American Political Review, tradução, O Homem Politico, Rio de Janeiro, Zahar, página (...)A presidente Dilma Rousseff garantiu que a falta de desenvolvimento das ferrovias no Brasil é um "erro" histórico(...) Disponivel em 08/10/2013 ás 02:05.: 19 Lei do Estado do Rio de Janeiro número de 2013, Artigo 1º inciso VIII com valor de R$ 2.047,58 e Piso Salarial informado pelo Sindicato dos Advogados de São Paulo de R$ 2.002,99 ( inicio de

7 7 vive a administração pública que se desprende de tal maneira da iniciativa privada, ou a iniciativa privada a qual é meritrocratica possui alguma dificuldade operacional o que é o caso, com lata tributação falta de infra estrutura pública (hospitais e escolas) que fazem a iniciativa privada ter mão de obra desqualificada, e uma multidão descontrolada de cidadãos brasileiros em busca de bolsas, aprovações automáticas e qualquer saída simples para não enfrentar os dissabores da vida os quais para uns é maior e outros menor, contudo essa dicotomia é que forma grandes cientistas e vencedores. Ou seja, os políticos, magistrados e ministros membros dos três poderes, possuem salários desprendidos da realidade social, e sucateiam a educação, alienando a multidão com aprovação automática, cota ( no sentido de cota para quem deteve aprovação automática pois retira a conquista e capacidade para adentrar a universidade), bolsa família, alienação corada pela banalização e desrespeito aos professores, único instrumento possível para a médio longo prazo nos retirar da atual inercia e descredencia popular conforme nos ensina Lipset 20. Tamanha é a alienação, que o povo, recentemente foi a rua pedindo catraca livre 21, ora, uma piada para os políticos 22, em sua maioria corruptos, para Brasília, que vive em trono de gastos de políticos em restaurantes, especulação imobiliária para políticos e membros dos judiciários entre outros fares, como relatados na imprensa, ou seja duas realidades. Em muito nos faz, pensar em uma introspecção, utópica e até mesmo jocosa, a concorrência do espermatozoide, o qual, ao revés de ser selecionado como na FIV 23, o melhor vence a concorrência com milhares, fato replicado no esporte entre outros mecanismos de seleção publico (concursos públicos) ou privado (programas de treinee). Carreira) à R$ 3.980,12 ( com mais de 6 anos de profissão) em relação ao salário de R$ ,25 de acprdp cp, artigo 3º da lei de 2005 em consonância com a gradação do artigo 37, inciso XI da CF. 20 Vide nota Material e proposta disponível em onde o movimento se distribui em inúmeros Estados ou seja, todos se preocupam em andar de ônibus grátis, além de aprovação automática, e bolsas família, net, etc.., ao revés de se preocupar em evoluir propagar cultura e retirar o Brasil da inércia combatendo a impunidade e corrupção. 22 Vide notas 14, 16 e Fecundação in vitro.

8 8 Ora obviamente, se a estrutura pública, concede, ajuda moradia, ajuda terno, planos de saúdes privados coletivos para seus funcionários, irredutibilidade de vencimentos, inúmeras garantias e poucos deveres, bem como, em caso de falha do alto clero seus próprios pares lhe julgam, os quais certamente não irão contra um dos seus até porque podem vir a ser o próximo, sendo este raciocínio instintivo e muito bem, tratado por Helinger 24 ao comentar a união dos grupos, nesse mesmo sentido, senão vejamos: (...) A consciência assegura, em primeiro ligar, nossa vinculação aos grupos importantes para nós, principalmente àqueles de que depende nossa sobrevivência. Ela nos vincula a eles, independentemente do que exijam de nós.(...) Sentimo-nos de início como integrantes de um grupo, e de uma tal maneira que nos sentimos incompletos e perdidos fora dele, sobretudo quando não podemos nos associar a outro grupo semelhante. Nos grupos Importantes para a nossa sobrevivência, cada parte está a serviço do todo. Todos sentem que pertencem ao todo e que lhe são devedores. Por isso, quando é necessário, também estão dispostos a sacrificar-se pelo todo. Somente no todo o individuo atinge sua plenitude. E no todo ele sobrevive, mesmo que pereça a seu serviço.(...) Evidente, que diante de tamanhas garantias a iniciativa pública deveria adimplir de forma inferior a privada, em virtude de todas suas garantias e estabilidade, pois a carreira não se dá por salario, vez que, no momento em que o salario centraliza a escolha da carreira como é o caso especifico das carreiras jurídicas, o cidadão de fato não detém sinergia ou vocação profissional, e sim quer e busca as inúmeras garantias em uma realidade paralela criada pela politica, para lhe proteger de magistrados e membros da advocacia pública, pouco mais vocacionados. Nesse prisma, recentemente um dos mais consideráveis eventos da corrupção em nosso pais foi o mensalão, o qual teve julgamento uno firmado pelo Supremo Tribunal Federal o qual em sua composição possui ministros indicados pelo presidente da republica, dos quais, salvo melhor juízo inúmeros pelo presidente Lula, o qual exercia o cargo a época do ocorrido. 24 HELLINGER, Bert, Conflito e Paz uma resposta, Editora Cultrix, São Paulo, 1ª Edição, 2005, p.63

9 9 Tal julgamento, na realidade, nos evidencia nosso atual estagio democrático, na realidade oligorgacico inverso 25, pois foi televisionado e tratado como julgamento do ano, seus julgadores, referidos como erois um deles veio inclusive logo após a compor a presidência do STF, contudo, esqueceram-se ou ignorou-se o duplo grau de jurisdição, pois como pode uma única casa, julgar e após julgar os recursos de seu próprio julgado, bem como, não permitir o exercício do peso e contrapeso ou devolução da matéria a outro colegiado, no caso poderia ser o STJ, fato que viola em tese o artigo da Constituição Federal. Ainda, o fato circundava em linhas gerais no pagamento de propinas ou mesadas por votos dos parlamentares, votos estes, os quais criam leis conforme artigo da Constituição Federal, leis as quais são votadas pelo Senado e Congresso e após passam pelo veto ou promulgação presidencial. Ora, o mensalão, ou mesada aos parlamentares, para criação de determinadas leis ou maioria na bancada, depende do veto ou sanção presidencial e das duas casas, portanto, fato NOTORIO e EVIDENTE para o Supremo Tribunal Federal o qual protege a CONSTITUIÇÃO, saber que nessa hipótese, para o mensalão funcionar, não basta somente adimplir quem vota ou seja o Presidente da Republica, fato, requerido pelo deputado Roberto Jefferson 26 e objeto de depoimento de Marcos Valério 27, existindo portanto, 25 Segundo conceito de oligarquia e poliarquia referido por Dahl em sua obra Poliarquia, Pliarquia, Editora da Universidade de São Paulo, 2012, primeira edição de 1972, São Paulo, página O delator do processo do mensalão, Roberto Jefferson, pede em recurso apresentado ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volte a responder pelos fatos descritos no processo do mensalão. O embargo de declaração (tipo de recurso contra condenações no STF) foi protocolado na quinta(2), mas o teor do recurso foi divulgado nesta sexta (3) pela defesa. A assessoria do Instituto Lula afirmou que o expresidente não comentará o recurso.roberto Jefferson foi condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva pelo STF. A pena total ficou em 7 anos e 14 dias, além de multa de R$ 720,8 mil, em valores que ainda serão corrigidos pela inflação desde Disponível em 03/05/ h23.: 27 (...)Procuradoria da República do Distrito Federal após depoimento de Marcos Valério que apontou que Lula deu "ok" para empréstimos simulados do esquema. A partir do depoimento de Valério, a Polícia Federal abriu uma investigação criminal.(...) (Idem nota supra)

10 10 Vale destacar que tal Multidão, corresponde à população desprovida de desenvolvimento não financeiro oco como bolsas e alienação intelectual, mas desenvolvida por mérito próprio, conquistas solitárias lidando com adversidades diretamente e as superando, pois não basta adimplir suas contas ou sustentar a família, o desenvolvimento é conquistado através da superação dessas barreiras e evolução, social e intelectual, hoje contudo, vemos o desenvolvimento, e a educação no Brasil, fruto o primeiro das bolsas financiadas pelo governo e segundo através de aprovações automáticas e cotas, movimentos que alienam a massa e garantem um futuro inerte para população ou multidão (população que é alienada ou se deixa alienar), pois poucos são os insurgentes que buscam cultura em uma realidade dominada pela corrupção e inercia, como referida por Rand PRATICA FORENSE Vivemos, diante de tal realidade politico-corrupta e oligorgaquica inversa ( multidão, corrupta e alienado ( no sentido social, educacional e de infra estrutura pública) no poder) portanto em um regime jurídico burocrático onde a forma prevalece sobre a vida, o patrimônio a liberdade ou segurança, onde bandidos são soltos, por formalidades e inocentes são presos por iguais concomitantemente com famílias que veem seus patrimônios acumulados durante toda uma vida, entregue a quem não tem direito de tê-los, em uma fase social, já antecipada, por Rui Barbosa 29, Montesquie 30 e Any Rand, in verbis: "Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em autossacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada." RAND, Ayn, Revolta do Atlas, Vomule I, editora Sextante, primeira edição, São Paulo, 2010, página Rui Barbosa em seu texto denominado Sinto Vergonha de mim acessado em 30 de novembro de 2012 às 5:21 horas, disponível em: 30 Montesque, Do Espírito das Leis, livro Vigésimo- Nono, P Idem nota 10.

11 11 Diante disso, cumpre destacar que o titulo II de nossa Constituição Federal Republicana, determina de forma imutável as garantias fundamentais para existência do estado democrático de direito. Nessa seara, sua supremacia, interpretação e ponderação, é devolvida ao Supremo Tribunal Federal, ao qual cabe a guarda da Constituição conforme, determinado pelo artigo 102 caput. Vale lembrar, contudo que o Supremo Tribunal Federal, é fruto e originário em tempos pós regime e pré-democracia, onde a supremacia da ordem imposta pelo judiciário no lugar dos militares, vem a cada dia cruzando com um passado não tão esquecido, como o próprio julgamento de cristo o qual passou por seis julgamentos, não lhe sendo estendida a proteção da toga e todos violando as leis romanas. Entretanto, tal guarda e ponderação de interesses de acordo com a lide posta em julgamento, deve ser firmada através de um raciocínio, lógico e efetivo em detrimento da proteção dos direitos constitucionais do cidadão, detendo como balizes, pilares constitucionais como a fundamentação das decisões judiciais conforme esculpido pelo artigo 93, IX da CF, tendo como objetivo a tutela ao cidadão na forma do artigo 5 inciso XXXV da Constituição Federal da Republica, pois, (...) Não se deveria ter que pedir aquilo que se tem direito de ter (...) 32, e (...) Justiça não se agradece, aceita-se; não se mendiga, reclama-se (...) 33. Evidente assim que a justiça como conceito de máxima importância 34 no ordenamento jurídico constitucional deve prevalecer sob todo e qualquer fundamento infra constitucional ou mesmo normativa conforme restara evidenciado em respeito a garantia mundialmente replicada do direito a petição e tutela jurisdicional CARNELUTTI, Francesco, Às Misérias do Processo Penal, Bokseeler, Campinas, 7ª Edição, 2006, Trad. Jose Antonio Cardinalli, primeira Edição 1957, p PINTO, Heráclito Fontoura Sobral Pinto, Porque defendo os Comunistas, Introdução e organização de Ary Quintela, Editora Comunicação, Belo Horizonte, 1979,1ª Ed. p (...)Antes de tudo a justiça é uma palavra, a palavra expressa um conceito que todos consideramos importantes. Tão importante que parece desnecessário justificar sua relevância a justiça, mas não a injustiça não nos deixa indiferentes È algo que interessa a todos.(...) Garantia Mundial do direito à tutela jurisdicional e de petição, conforme detemos, no artigo X da Declaração de Direitos Humanos de 10 de dezembro de 1948, Convenção Européia para salvaguarda dos direitos do homem e das liberdades fundamentais, subscrita em Roma no dia 04 de novembro de 1950, em seu artigo 6º, inciso I, Pacto Internacional de direitos civis e políticos, artigo 14, Ide 16 de dezembro

12 12 Entretanto, na pratica, não é isso que ocorre, a má consciência, conforme ensinada por Bert Helinger 36, acaba por guiar as mãos e mentes dos magistrados, embebecidos pelo poder, e unidos 37 pelo objetivo comum ainda não desvendado de lutar pela forma em detrimento da tutela, quer, pela falta de punição e controle de seus atos, os quais por uma prova passam a ser donos de si mesmo e decidir a vida alheia, em retrocesso aos tempos de regime eternizados por Graciliano Ramos, ao referir que (...) A condenação era dirigida a todos os acusados que se levantavam contra o governo Vargas. Juízes, promotores, advogados, todos eram no teatro do TSN Mas lembrou o funcionário: É outro advogado que vem patrocinara causa deste miserável. E, obviamente, o primeiro advogado, que não agradou ao Tribunal, é substituído. Após, discursa, o novo procurador : Eu nem preciso examinar o processo, pois este caso é notório. O réu não esconde seus crimes. Atentou contra as nossas instituições, conspirou, usou bombas e combateu as forças legais todo mundo sabe. (...). E concluía em seu texto em paralelo ao próprio sarcasmo Aristotélico, que, (...)Além disso, devemos reconhecer, temos diante de nós um irresponsável. É um infeliz, um pobre-diabo, ruína física. Pela cara vemos perfeitamente: um imbecil, um idiota. Sem dúvida obedeceu às instruções dos agentes de Moscou. Assim, venerandos juízes, não venho pedir justiça, que este individuo é um canalha todo o mundo sabe. Espero clemência, e baseio-me nas tradições misericordiosas da nossa cultura ocidental. Uma pena suave, meritíssimos juízes, ai uns trinta anos (...) 38 de 1966, Convenção Americana sobre direitos Humanos em seu artigo 8º, assinada em São Jose da Costa Rica em 21 de novembro de (...) A consciência assegura, em primeiro ligar, nossa vinculação aos grupos importantes para nós, principalmente àqueles de que depende nossa sobrevivência. Ela nos vincula a eles, independentemente do que exijam de nós.(...) Sentimo-nos de início como integrantes de um grupo, e de uma tal maneira que nos sentimos incompletos e perdidos fora dele, sobretudo quando não podemos nos associar a outro grupo semelhante. Nos grupos Importantes para a nossa sobrevivência, cada parte está a serviço do todo. Todos sentem que pertencem ao todo e que lhe são devedores. Por isso, quando é necessário, também estão dispostos a sacrificar-se pelo todo. Somente no todo o individuo atinge sua plenitude. E no todo ele sobrevive, mesmo que pereça a seu serviço.(...) HELLINGER, Bert, Conflito e Paz uma resposta, Editora Cultrix, São Paulo, 1ª Edição, 2005, p (...) União dos Juízes entre eles, em primeiro lugar. O juiz sabe-se, não é um homem só, comumente, para as causas mais graves, é formado por um colegiado;, todavia se diz o juiz também, quando os juízes são mais de um justamente porque se unem uns com outros, como as notas tiradas de um instrumento se fundem no acorde. (...) CARNELUTTI, Francesco, Às Misérias do Processo Penal, Bokseeler, Campinas, 7ª Edição, 2006, Trad. Jose Antonio Cardinalli, primeira Edição 1957, p RAMOS, Graciliano. Memórias do Cárcere. 44. ed. São Paulo: Record, 2008, páginas

13 13 Cumpre traçar a linha paralela, entre magistrados e magistrados, advogados e advogados, existem advogados não vocacionados que prejudicam um ou outro cliente desavisados e logo são engolidos pela competitividade e livre concorrência do mercado, entretanto, tal correlação na magistratura, não ocorre, pois para se tornar um magistrado, um jovem advogado estudioso com condições retilíneas de vida, pode me algumas provas que duram menos de um ano, passar a decidir sobre vidas e fatos que sequer viveu, um ser humano com 26 anos de idade, possui nove anos de vida adulta, como pode julgar o patrimônio construído por toda uma família, como pode opinar por um casamento, guarda de menor, etc, notadamente, algo deve ser triado. Uma idade mínima mais elevada uma pratica mais densa, demandas vitoriosas, gerência do legislativo(escolha do povo o qual tem o governante que merece e que sua educação lhe permite compreender) sob o judiciário como ocorre na Argentina, uma legislação de responsabilidades mais ampla que faça com que o magistrado não só se preocupe com a demanda a si colocada como tome parte do problema, um sistema de meritocracia para ganhos de salários. Nesse sentido, inúmeros são os julgados, onde algo de muito liberal ocorreu e supostamente alguém nada pode fazer senão vejamos, conforme voto do Ilmo Sr. Dr. Ministro Dias Toffoli, ao referir que (...)Também cumprimento a eminente Relatora pelo profundo voto trazido, e digo que penalizar a cogitação, ou a imaginação ou o pensamento, só Deus pode fazer, e não o homem. Nós não estamos nesta esfera de cognição. Mas verifico, já falando em Deus, que os astros hoje estão alinhados pela concessão das ordens.(...), no julgamento do HC Na mesma, linha, detemos julgado, onde a parte é diretamente atingida com texto despropositado ao próprio dever do magistrado esculpido no artigo 5 inciso XXXV da CF em atino com artigo 35, I da LOMAN, senão vejamos: (...)O juiz, que cita os clássicos da literatura Madame Bovary, de Gustave Flaubert, e a Capitu de Dom Casmurro, de Machado de Assis. Depois de expor as hipotéticas situações conjugais, Feijó conclui: Um dia o marido relapso descobre o que outro teve a sua mulher e quer matá-lo - ou seja, aquele que tirou sua dignidade de marido, de posseiro e o transformou num solene corno!.(...) Em contrapartida, o juiz afirma no documento que as mulheres na fase pré-menopausa desejam sexo com maior frequência, melhor qualidade e mais carinho que não dure alguns minutos apenas. Mulheres nessa situação, diz o magistrado, têm dois caminhos: ou se fecham deprimidas ou buscam o

14 14 prazer em outros olhos, outros braços, outros beijos (...) e traem de coração.(...) Alguns homens, no início da meia idade, já não tão viris, o corpo não mais respondendo de imediato ao comando cerebral/hormonal e o hábito de querer a mulher plugada 24hs, começam a descarregar sobre elas suas frustrações, apontando celulite, chamando-as de gordas (pecado mortal) e deixando-lhes toda a culpa pelo seu pobre desempenho sexual, diz, na sentença, o juiz Paulo Mello Feijó. (...) 39 Fato que materializa tal mazela e evidencia a necessidade de interação e mudança é a carta, escrita por S.Francisco de Salles ao Duque de Nemours 40 : Os Papas e os Príncipes, - diz o Santo que a Igreja venera têm tribunais de justiça aos quais enviam acusações a fim de que sejam examinadas a fundo, e para que pela audiência das partes e das testemunhas, se possa discernir de que lado esta a verdade ou a mentira :é esse um caminho que eles são obrigados a seguir, sob pena de danação eterna: de outra maneira não haveria mais justiça sobre a terra. Recebendo acusações contra meus Irmãos fizestes bem de ouvi-las, mas se nelas acreditastes, perdoa-me, a mim, que sou não somente vosso fiel servidor, mas também vosso dileto ainda que indigno pastor, de vos dizer que ofendestes a deus e que sois obrigado de vos arrepender, ainda mesmo que as acusações fossem verdadeiras : pois nenhuma palavra contra o próximo deve ser acreditada antes de ser provada, ela não pode ser provada senão pelo exame e a audiência das partes. quem quer que vos fale de modo contrário, senhor, está traindo a vossa alma. por mais dignos de fé que sejam os acusadores, é preciso sempre que os acusados sejam admitidos a se defenderem, os homens mais dignos de crédito podem se enganar, ou serem levados por alguns motivos humanos a enganar. Enfim algo, deve mudar, pois hoje, um magistrado recebe 1.000% 41 sob o salario mínimo de um advogado, ou qualquer funcionário de nível superior, tanto no estado do Rio de Janeiro quanto São Paulo, bem como detém uma legislação limitada que mais garantias possui do que deveres, vigente desde 14 de março de 1979, quando a constituição de 1988, determinou que os próprios 42 magistrados fizessem uma nova Acesso em 20 de junho de 2013 às 01:00 horas. 40 HAMON Vie de Snat Frnaçois de Sales, vol.2º págs 159/ Lei do Estado do Rio de Janeiro número de 2013, Artigo 1º inciso VIII com valor de R$ 2.047,58 e Piso Salarial informado pelo Sindicato dos Advogados de São Paulo de R$ 2.002,99 ( inicio de Carreira) à R$ 3.980,12 ( com mais de 6 anos de profissão) em relação ao salário de R$ ,25 de acprdp cp, artigo 3º da lei de 2005 em consonância com a gradação do artigo 37, inciso XI da CF. 42 Tudo estaria perdido se o mesmo homem, ou o mesmo corpo de principais, ou de nobres, ou do povo, exercesse esses três poderes: o de fazer leis, o de executar as resoluções públicas, e o de julgar os crimes ou as pendências entre particulares (MONTESQUIEU, De l espirit des lois. In: WEFFORT, Francisco C.

15 15 legislação para si, determinação replicada aos advogados e porem atendida pela lei de 1994, não servindo de justificativa, a sobrecarga laboral, pois é argumento de quem nuca foi obrigado a trabalhar diurnamente 43 para conquistar seu espaço em um mercado acadêmico e laboral competitivo, onde atravessar a noite e abdicar dos prazeres da vida é uma constância, tanto que segundo a Isma-BR 44, o stress acomete a sociedade como o todo e não somente, pessoas com irredutibilidade de vencimentos, e o dobro de férias de um colega 45 advogado. Ou seja, de um lado detemos irredutibilidade de vencimentos, 60 dias por ano de férias, salario superior ao mínimo vigente em mais de 31 vezes e para isso tudo, alguns anos de estudo e menos de um ano de prova, alcançasse a possibilidade de julgar a vida de crianças e adolescentes, famílias, patrimônio e liberdade, notadamente algum controle e especialidade sobre isso deve ocorrer, no mínimo 10 anos de pratica reiterada com recursos, advocacia em diversa áreas e convívio com os dessabores da vida humana, como filhos casamento e labuta pelo prato de cada dia, fariam dos jovens magistrados julgadores melhores, na vez de deus que fazem ao julgarem os homens conforme nos ensina Carnellutti 46. Sob a visão do jornalista Paulo Moreira Leite 47, George Orwell, ensinou a todos os poderes e utilidades da linguagem, bem como, tornou evidente ao denunciar o stalinismo, grande assunto de toda sua obra, adivinhar o que anda pela consciência dos organizador, Os clássicos da política. Trad. Lólio Lourenço de Oliveira. 13. ed. 1. vol. São Paulo: Ática, 2002.) 43 Relatos como os contidos no livro Sonho Grande que contam a vida de Jorge Paulo Lemann e do Banco Garantia, escrito por Cristiane Correa, editado pela Primeira Pessoa em Essa é a constatação da pesquisa anual sobre estresse realizada pela Isma-BR (International Stress Management Association) com 752 profissionais de empresas brasileiras ao final de Os resultados do levantamento, que serão apresentados em junho e foram obtidos com exclusividade pela Folha, revelam que 65% dos entrevistados consideram seu nível de estresse de regular a péssimo, o que compromete a qualidade de vida de 66% deles. O dado mais alarmante, entretanto, é o de que, pela primeira vez, a principal fonte de estresse do brasileiro é o trabalho: 58% apontaram a profissão como causa da doença. "Em 2003, os problemas pessoais ainda sobressaíam: foram mencionados por 53% dos respondentes", compara a presidente da Isma-BR, Ana Maria Rossi. Entre as principais causas do distúrbio, destaca-se a reclamação da sobrecarga profissional, citada por 48% das pessoas.( FONTE : Acesso em 01 de julho de 2012 ás 3:25 horas ). 44 (...) Um poder sem la correspondente 45 Pois segundo artigo 7 da lei federal de 1994, inexiste hierarquia entre advogado e magistrado. 46 Francesco Carnelutti em sua celebre obra Misérias do Direito Processual Penal, página 21, Editora Bookseller, Editora e Distribuidora, 7ª Edição, 2006, Campinas São Paulo. 47 LEITE, Paulo Moreira, A outra história do mensalão,1ª Edição, Editora Geração, São Paulo, SP, 2013, página 162.

16 16 homens intriga os filósofos e políticos, indo além, empiricamente desvenda tal crise na convivência entre consciência e justiça, por assim dizer, ou seja, (...)No auge do obscurantismo católico, até as fogueiras da Inquisição ardiam para uqe os infiéis confessassem os pecados que lhe eram atribuídos e não reconheciam como tais. Não comparo o julgamento à Inquisição. Mas aquela terrível e tantas outras, mostra que a consciência humana é matéria muito delicada(...) Um jurista, portanto deve antes de tudo ser um sacerdote 48, voltar-se para vida e enfrenta-la a fundo, sem furtivas ou atalhos levantando a bandeira da tutela absoluta aos direitos do homem conforme esculpido no preambulo, artigo 1, 5 e mais especificamente inciso XXXV da CF, pois caso contrario, o direito torna-se não uma profissão vocacional mas uma fácil alternativa para uma imediata Ascenção social. 4. DA PONDERAÇÃO DE VALORES Nessa seara, existindo eventual conflito externo, como por exemplo entre normas e atos, para com os direitos e garantias constitucionais, deve-se ponderar os valores em conflito afim de almejar a melhor composição possível ao caso sob judicie, já, existindo conflito interno entre normas constitucionais, deve-se, tomar como, parâmetros, interesses coletivos e reflexo da intervenção sobre um ou outro direito como é a hipótese de conflito entre liberdade de expressão e intimidade ou direito de petição e formalismo exagerado. Portanto, filosoficamente, detemos a lógica a fim de nortear a ponderação dos interesses em cada caso concreto quer em hipóteses relativas a conflitos internos de 48 (...)Assim como que não tem coragem de renunciar os prazeres não deve de se fazer sacerdote, do mesmo modo como, quem tem medo da morte não pode se fazer militar, assim também quem não dispõe de coragem cívica, e de energia moral não deve de ingressar nos quadros da advocacia.(...) Heráclito Fontoura Sobra Pinto, texto extraído da carta enviada a mulher de Luiz Carlos Prestes, acometido pelo regime militar onde o nobre causídico advogou de forma gratuita e o mesmo autor vai além (...)A minha vida é um labutar constante, pois que, agora, nem mesmo tenho à minha disposição poucas horas em que posso ficar na minha própria casa. Dou a todos os meus concidadãos o exemplo de uma vida laborista, que se desdobra, dia e noite em vigílias em prol da estabilidade do Direito e da respeitabilidade da Justiça.(...) Sobral Pinto Porque defendo os Comunistas, Editora Universidade Católica de Minas Gerais, Editora Comunicação, 1979, Fls.209.

17 17 garantias fundamentais ou externos, em violações arbitrarias por autoridade pública ou privada, bem como, por interferência através de normas inferiores, senão vejamos: (...)Doutrina da plenitude lógica do direito, segundo a qual todas as manifestações de comportamento do homem frente ao direito devem ser resolvidas pelos institutos existentes no ordenamento jurídico, através de um processo lógico de interpretação compostos de inúmeros fatores valorativos no campo da abstração através da hermenêutica e campo concreto através da interpretação in natura,(friedrich Karl Von Savigny em sua Obra System des heutigen romischen Rechts, Aalen: Scientia, v.i 1981 ( reimpressão da edição de Berlin, 1840) 46, p.290 et seq. Deve-se, assim, referenciar a supremacia do direito material a ser tutelado e sua interpretação de acordo com os precedentes constitucionais vigentes detemos o entendimento de Diógenes Gasparini e Nelson Nery Junior, senão vejamos: "(...)As balizas da intervenção serão, sempre e sempre, ditadas pela principiologia constitucional, pela declaração expressa dos fundamentos do Estado Democrático de Direito, dentre eles a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa (...) 49 (...)A ordem jurídica co-constitucional assegura aos cidadãos o acesso ao Judiciário em concepção maior. Engloba a entrega da prestação jurisdicional da forma mais completa e convincente possível. Omisso o provimento judicial e, em que pese a interposição de embargos declaratórios, persistindo o vicio na arte de proceder, forçoso é assentar a configuração de nulidade(...) 50 Não cabendo, assim interpretação restritiva as garantias constitucionais ou ao acesso a justiça, conforme na prática ocorre, sob pena de colocar em risco o estado democrático de direito, senão vejamos: (...)A interpretação dada a tal prova e atos relatados não foi interpretativa ou seja pratica e sim abstrata ou hermenêutica, daí toda problemática no presente julgado em arrepio até mesmo a ordem pragmática jurídica. "o erro dos que pretendem substituir uma palavra pela outra; almejam, ao invés de Hermenêutica, - Interpretação. Esta é aplicação daquela; a primeira descobre e fixa os princípios que regem a segunda. A Hermenêutica é a teoria científica da arte de interpretar.(...)" 51 senão vejamos: Nesse sentido, detemos posicionamento de nosso Supremo Tribunal Federal, 49 DIÓGENES GASPARINI, in Curso de Direito Administrativo, 8ª Edição, Ed. Saraiva, págs. 629/630, cit., p JUNIOR, Nelson Nery, Código de Processo Civil Comentado, Revista dos Tribunais, São Paulo, 2007, p MAXIMILIANO, Carlos. Hermenêutica e aplicação do direito. Rio de Janeiro: Forense, 1994, p. 1.

18 18 EMENTA Ação originária. Fatos incontroversos. Dispensável a instrução probatória. Liberdade de expressão limitada pelos direitos à honra, à intimidade e à imagem, cuja violação gera dano moral. Pessoas públicas. Sujeição a críticas no desempenho das funções. Limites. Fixação do dano moral. Grau de reprovabilidade da conduta. Fixação dos honorários. Art. 20, 3º, do CPC. 1. É dispensável a audiência de instrução quando os fatos são incontroversos, uma vez que esses independem de prova (art. 334, III, do CPC). 2. Embora seja livre a manifestação do pensamento, tal direito não é absoluto. Ao contrário, encontra limites em outros direitos também essenciais para a concretização da dignidade da pessoa humana: a honra, a intimidade, a privacidade e o direito à imagem. 3. As pessoas públicas estão sujeitas a críticas no desempenho de suas funções. Todavia, essas não podem ser infundadas e devem observar determinados limites. Se as acusações destinadas são graves e não são apresentadas provas de sua veracidade, configurado está o dano moral. 4. A fixação do quantum indenizatório deve observar o grau de reprovabilidade da conduta. 5. A conduta do réu, embora reprovável, destinou-se a pessoa pública, que está sujeita a críticas relacionadas com a sua função, o que atenua o grau de reprovabilidade da conduta. 6. A extensão do dano é média, pois apesar de haver publicações das acusações feitas pelo réu, foi igualmente publicada, e com destaque (capa do jornal), matéria que inocenta o autor, o que minimizou o impacto das ofensas perante a sociedade. 7. O quantum fixado pela sentença (R$ 6.000,00) é razoável e adequado. 8. O valor dos honorários, de 15% (quinze por cento) sobre o valor da condenação, está em conformidade com os critérios estabelecidos pelo art. 20, 3º, do CPC. 9. O valor dos honorários fixados na reconvenção também é adequado, representando a totalidade do valor dado à causa. 10. Agravo retido e apelações não providos. (AO 1390, Relator(a): Min. DIAS TOFFOLI, Tribunal Pleno, julgado em 12/05/2011, DJe-166 DIVULG PUBLIC EMENT VOL PP RDDP n. 104, 2011, p ) Nessa mesma linha, ocorre conflito entretanto externo, quando de um lado detemos a formalidade exarada de codificações processuais e regimentos internos e de outro o direito fundamental de petição e tutela esculpidos nos artigos 5 incisos XXXV e XXXIV, devendo contudo, conforme assenta nossa jurisprudência Suprema, prevalecer as garantais fundamentais pétreas, senão vejamos: (...) A doutrina moderna ressalta o advento da fase instrumentalista do Direito Processual, ante a necessidade de interpretar os seus institutos sempre do modo mais favorável ao acesso à justiça (art. 5º, XXXV, CRFB) e à efetividade dos direitos materiais (OLIVEIRA, Carlos Alberto Alvaro de. O formalismovalorativo no confronto com o formalismo excessivo. In: Revista de Processo, São Paulo: RT, n.º 137, p. 7-31, 2006; DINAMARCO, Cândido Rangel. Ainstrumentalidade do processo. 14ª ed. São Paulo: Malheiros, 2009; BEDAQUE, José Roberto dos Santos. Efetividade do Processo e Técnica Processual. 3ª ed. São Paulo: Malheiros, 2010). 2. A forma, se imposta rigidamente, sem dúvidas conduz ao perigo do arbítrio das leis, nos moldes do velho brocardo dura lex, sed lex (BODART, Bruno Vinícius Da Rós. Simplificação e adaptabilidade no anteprojeto do novo CPC brasileiro. In: O Novo Processo Civil Brasileiro Direito em Expectativa. Org. Luiz Fux. Rio de Janeiro: Forense, p. 76). 3. As preclusões se destinam a permitir o regular e célere desenvolvimento do feito, por isso que não é possível penalizar

19 19 a parte que age de boa-fé e contribui para o progresso da marcha processual com o não conhecimento do recurso, arriscando conferir o direito à parte que não faz jus em razão de um purismo formal injustificado. 4. O formalismo desmesurado ignora a boa-fé processual que se exige de todos os sujeitos do processo, inclusive, e com maior razão, do Estado-Juiz, bem como se afasta da visão neoconstitucionalista do direito, cuja teoria proscreve o legicentrismo e o formalismo interpretativo na análise do sistema jurídico, desenvolvendo mecanismos para a efetividade dos princípios constitucionais que abarcam os valores mais caros à nossa sociedade (COMANDUCCI, Paolo. Formas de (neo)constitucionalismo: un análisis metateórico. Trad. Miguel Carbonell. In: Isonomía. Revista de Teoría y Filosofía del Derecho, nº 16, 2002). 5. O Supremo Tribunal Federal, recentemente, sob o influxo do instrumentalismo, modificou a sua jurisprudência para permitir a comprovação posterior de tempestividade do Recurso Extraordinário, quando reconhecida a sua extemporaneidade em virtude de feriados locais ou de suspensão de expediente forense no Tribunal a quo (RE nº AgR/MG, rel. Min. Cezar Peluso, Tribunal Pleno, julg. 22/03/2012)(...) HC ED, Relator(a): Min. LUIZ FUX, Primeira Turma, julgado em 24/04/2012, ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-099 DIVULG PUBLIC RT v. 101, n. 922, 2012, p Perante a isso, como empresário que é, o Executado apenas exerceu os direitos entabulados no artigo 5º 52, incisos, II 53, IV 54, III 55, XIII 56, XVI 57, XVII 58, XXII 59 e XXIII 60, todos da Constituição da Republica, bem como artigos da Declaração Universal de Direitos Humanos, em seus artigos I 61, III 62, VI 63, VII 64, intuito esse fundamental da defesa conforme nos ensina Liebman, ao referir que...)é natural que a ambas seja dada oportunidade de influir praticando e daí a consagração da defesa como instrumento fundamental, sendo garantia constitucional(...) Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: 53 ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; 54 é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias; 55 ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante; 56 é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer; 57 todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente; 58 a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas independem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento; 59 é garantido o direito de propriedade; 60 a propriedade atenderá a sua função social; 61 Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade. 62 Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal. 63 Toda pessoa tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecida como pessoa perante a lei. 64 Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação. 65 LIEBMAN, Enrico Tullio, Processo de Execução, Saraiva, São Paulo, 1980, p.4

20 20 Portanto, nos termos do artigo 5º XXXV 66, é dever do jurisdicionado, apreciar e dar cumprimento ao requerido, sob pena de estar violando não só a ordenação processual invocada, como também exercendo tribunal de exceção em procedimento executivo com moldes medievais 67, em afronta ao artigo 5º, XXXVII 68, que surgiu exatamente para litigar contra o famoso AI-5 de 1969, senão vejamos: (...)São ilegítimas as restrições à faculdade de lamentar situações desfavoráveis e ao poder de exigir solução.(...) 69 Estamos diante do dirigismo constitucional, conforme nos ensina Canotilho 70, onde os textos constitucionais devem estabelecer as premissas materiais fundantes das políticas públicas num Estado e numa sociedade que se pretendem continuar a chamar de direito democráticos e sociais., pois conforme nos ensina Bodo Pieroth 71, (...)O direito de opor resistência foi introduzido na lei fundamental em ligação com a legislação do estado de necessidade. Por detrás disso, estava uma dupla intenção: por um lado, a proteção da ordem constitucional deveria transformar-se em função do Estado, não apenas por via das leis do estado de necessidade, mas com o direito de resistência tornar-se também em direito dos cidadãos.(...). Nessa mesma linha detemos posicionamento consolidado de nosso Egrégio Superior Tribunal de Justiça, senão vejamos: (...)1. Em nosso sistema processual vigora a máxima pas de nullité sans grief, segundo a qual somente deve ser anulado o processo quando evidenciado efetivo prejuízo à parte ou sacrifício aos fins da Justiça (princípio da instrumentalidade das formas). Na hipótese, ainda que se considere irregular a ausência de publicação da decisão que deferiu o pedido de penhora on line, não está evidenciado, como afirmado pela Corte de origem, prejuízo conseqüente de tais atos que justifique a nulidade do processo. 2. Mesmo sem a publicação da referida decisão, o agravante exerceu seu direito de defesa, o qual foi manejado por meio da regular interposição do agravo de instrumento. Nesse contexto, não há como reputar o prejuízo decorrente da sua condenação ao fato de não ter sido intimado.(...) REsp /MG, Rel. Ministro MAURO CAMPBELL MARQUES, SEGUNDA TURMA, julgado em 01/12/2011, DJe) 09/12/ a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito 67 Século XI, as formas romanas, imperavam, período, onde além da expropriação o devedor era excomungado e perdia seus direitos religiosos, segundo Arturo Rispoli, Il Processo Civile Contumaciale, Milano não haverá juízo ou tribunal de exceção; 69 Rudolf Von Jhering, A luta pelo Direito, Nilobook, 1ª Edição, página 39, 2013 (pré-lancamento), São Paulo SP 70 CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Constituição Dirigente, prefácio, p. XXIX/XXX. 71 BODO, pieroth, Direitos Fundamentais, Saraiva, São Paulo, 2012, 1ª Edição, página 493.

AULA 01 Direitos e Deveres Fundamentais

AULA 01 Direitos e Deveres Fundamentais AULA 01 Direitos e Deveres Fundamentais Um projeto de vida começa com um sonho, grande ou pequeno, não importa! Na vida temos que ter a capacidade de sonhar, sonhar sempre, sonhar para viver! Meu nome

Leia mais

www. Lifeworld.com.br

www. Lifeworld.com.br 1 Artigos da Constituição Mundial A Constituição Mundial é composta de 61º Artigos, sendo do 1º ao 30º Artigo dos Direitos Humanos de 1948, e do 31º ao 61º Artigos estabelecidos em 2015. Dos 30 Artigos

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida,

Leia mais

O que são Direitos Humanos?

O que são Direitos Humanos? O que são Direitos Humanos? Técnico comercial 4 (1º ano) Direitos Humanos são os direitos e liberdades básicas de todos os seres humanos. O principal objetivo dos Direitos Humanos é tratar cada indivíduo

Leia mais

Os processos criminais em segunda instância são submetidos à análise da Douta Procuradoria de Justiça para a elaboração de parecer.

Os processos criminais em segunda instância são submetidos à análise da Douta Procuradoria de Justiça para a elaboração de parecer. SÚMULA ABERTURA DE VISTA DOS AUTOS, EM SEGUNDA INSTÂNCIA, PARA A DEFENSORIA PÚBLICA APÓS A APRESENTAÇÃO DO PARECER PELO MINISTÉRIO PÚBLICO PARIDADE DE ARMAS - HOMENAGEM AO CONTRADITÓRIO E À AMPLA DEFESA

Leia mais

Honorários advocatícios

Honorários advocatícios Honorários advocatícios Os honorários advocatícios são balizados pelo Código de Processo Civil brasileiro (Lei de n. 5.869/73) em seu artigo 20, que assim dispõe: Art. 20. A sentença condenará o vencido

Leia mais

Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948

Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 PARTE A Módulo I Acordos/Convenções Internacionais 1. Declaração Universal dos Direitos Humanos Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de

Leia mais

RELAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL COM OUTRAS DISCIPLINAS OU CIÊNCIAS.

RELAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL COM OUTRAS DISCIPLINAS OU CIÊNCIAS. RELAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL COM OUTRAS DISCIPLINAS OU CIÊNCIAS. 1. RELAÇÃO COM O DIREITO ADMINISTRATIVO: Classificado no Direito Público Interno, de quem é um de seus ramos, o Direito Administrativo,

Leia mais

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' Lewandowski critica voto secreto no Congresso Para ministro do Supremo, "esse modo de pensar é incompatível com a Constituição" 'Sessão secreta não é compatível

Leia mais

MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS:

MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS: MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS: Mudança no modo de contagem dos prazos: A partir do novo CPC, os prazos processuais

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS BR/1998/PI/H/4 REV. DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Brasília 1998 Representação

Leia mais

Com a citada modificação, o artigo 544, do CPC, passa a vigorar com a seguinte redação:

Com a citada modificação, o artigo 544, do CPC, passa a vigorar com a seguinte redação: O NOVO AGRAVO CONTRA DESPACHO DENEGATÓRIO DE RECURSO EXTRAORDINÁRIO E ESPECIAL 2011-06-15 Alexandre Poletti A Lei nº 12.322/2010, que alterou os artigos 544 e 545 do CPC, acabou com o tão conhecido e utilizado

Leia mais

QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL

QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL Kiyoshi Harada * O debate em torno da quebra do sigilo bancário voltou à baila após a manifestação do Procurador-Geral do Banco Central no sentido de que as

Leia mais

Preâmbulo. Considerando essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Preâmbulo. Considerando essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Preâmbulo DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Considerando que o reconhecimento da

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Eduardo Gomes) Acrescenta parágrafo único ao art. 23 da Lei nº 8.906, de 04 de Julho de 1994, que dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil

Leia mais

Resumo Aula-tema 02: Fontes, princípios, renúncia e transação do Direito do Trabalho.

Resumo Aula-tema 02: Fontes, princípios, renúncia e transação do Direito do Trabalho. Resumo Aula-tema 02: Fontes, princípios, renúncia e transação do Direito do Trabalho. O propósito dessa aula é reconhecer quais os lugares de onde se originam os direitos trabalhistas, onde procurá-los

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

50 ANOS DO CASO LÜCH

50 ANOS DO CASO LÜCH Faculdade 7 de Setembro CURSO DE DIREITO 50 ANOS DO CASO LÜCH BRUNA SOBRAL DE QUEIROZ FORTALEZA 2008 2 Faculdade 7 de Setembro CURSO DE DIREITO 50 ANOS DO CASO LÜCH BRUNA SOBRAL DE QUEIROZ 1 1 Aluna: Bruna

Leia mais

A Mitigação do processo civil no Direito de Família

A Mitigação do processo civil no Direito de Família A Mitigação do processo civil no Direito de Família Denise Damo Comel Elaborado em 10/2011. A natureza, a relevância e a especialidade das questões tuteladas autorizam a mitigação dos princípios gerais

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA E APOSENTADORIA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DO ENSINO FUNDAMENTAL E DO ENSINO MÉDIO

ABONO DE PERMANÊNCIA E APOSENTADORIA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DO ENSINO FUNDAMENTAL E DO ENSINO MÉDIO ABONO DE PERMANÊNCIA E APOSENTADORIA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DO ENSINO FUNDAMENTAL E DO ENSINO MÉDIO VANIA MARIA DE SOUZA ALVARIM (Advogada, Estudante de pós-graduação em Direito Público, Mestre

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros

Leia mais

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, A Declaração Universal dos Direitos Humanos é um dos documentos básicos das Nações Unidas e foi assinada em 1948. Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Preâmbulo Considerando

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH NADIA OLIVEIRA

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH NADIA OLIVEIRA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH NADIA OLIVEIRA LIBERDADE ANTIGA E LIBERADE MODERNA LINHARES 2011 EDIMIR DOS SANTOS LUCAS GIUBERTI FORNACIARI SARAH

Leia mais

Súmulas em matéria penal e processual penal.

Súmulas em matéria penal e processual penal. Vinculantes (penal e processual penal): Súmula Vinculante 5 A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição. Súmula Vinculante 9 O disposto no artigo

Leia mais

EMBARGOS DECLARATÓRIOS - EDCL.

EMBARGOS DECLARATÓRIOS - EDCL. 1. Conceito EMBARGOS DECLARATÓRIOS - EDCL. Os embargos de declaração ou embargos declaratórios, doravante denominados EDcl., visam aperfeiçoar as decisões judiciais, propiciando uma tutela jurisdicional

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova:

A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova: PROJETO DE LEI Nº 131/2010 Dispõe sobre a criação do Fundo Especial dos Procuradores, Consultores Jurídicos, Assessores Técnicos Jurídicos e Advogados Públicos Municipais de Foz do Iguaçu. Autor: Vereador

Leia mais

É um enorme prazer participar deste encontro, promovido pelo Departamento Jurídico XI de Agosto.

É um enorme prazer participar deste encontro, promovido pelo Departamento Jurídico XI de Agosto. Departamento Jurídico XI de Agosto Apresentação: Dr. Antônio Roberto Sandoval Filho 29 de outubro de 2012 Boa noite a todos, É um enorme prazer participar deste encontro, promovido pelo Departamento Jurídico

Leia mais

O que são Direitos Humanos?

O que são Direitos Humanos? O que são Direitos Humanos? Por Carlos ley Noção e Significados A expressão direitos humanos é uma forma abreviada de mencionar os direitos fundamentais da pessoa humana. Sem esses direitos a pessoa não

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA DOM ORIONE FACDO CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA - NUPJUR MANUAL DO ESTAGIÁRIO 2013.

FACULDADE CATÓLICA DOM ORIONE FACDO CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA - NUPJUR MANUAL DO ESTAGIÁRIO 2013. FACULDADE CATÓLICA DOM ORIONE FACDO CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA - NUPJUR MANUAL DO ESTAGIÁRIO 2013.1 PRÁTICA SIMULADA A P R E S E N T A Ç Ã O Visando uma completa integração dos acadêmicos

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional

Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional Universidade de Brasília Disciplina: Teoria Geral do Processo II Professor: Dr. Vallisney

Leia mais

PL 64 BOLSA COMPLEMENTAR PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS

PL 64 BOLSA COMPLEMENTAR PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS PL 64 BOLSA COMPLEMENTAR PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS Tendo como argumento aperfeiçoar ainda mais a prestação de serviços de saúde à população, o Executivo traz a esta Casa o Projeto de Lei 64/2014, que

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ RÉU PRESO PROCEDIMENTO nº 5073475-13.2014.4.04.7000/PR GERSON DE MELLO ALMADA, já qualificado

Leia mais

Perda do Posto e da Patente dos Oficiais e da Graduação das Praças

Perda do Posto e da Patente dos Oficiais e da Graduação das Praças Perda do Posto e da Patente dos Oficiais e da Graduação das Praças PAULO TADEU RODRIGUES ROSA é Juiz de Direito da Justiça Militar do Estado de Minas Gerais respondendo pela titularidade da 2ª AJME, Mestre

Leia mais

Dilma sanciona novo Código de Processo Civil

Dilma sanciona novo Código de Processo Civil ilma sanciona novo Código de Processo Civil - 16/03/2015 - Poder -... de 6 17/03/2015 10:03 Dilma sanciona novo Código de Processo Civil Pedro Ladeira/Folhapress A presidente Dilma Rousseff com o ex-presidente

Leia mais

A CRÍTICA AO ATO DE SUPERIOR E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

A CRÍTICA AO ATO DE SUPERIOR E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO MILITAR DIREITO PENAL MILITAR PARTE ESPECIAL MARCELO VITUZZO PERCIANI A CRÍTICA AO ATO DE SUPERIOR E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO Marcelo Vituzzo Perciani

Leia mais

Discurso proferido na solenidade de posse dos Juízes aprovados no XLV Concurso de Ingresso na Magistratura de Carreira do Estado do Rio de Janeiro

Discurso proferido na solenidade de posse dos Juízes aprovados no XLV Concurso de Ingresso na Magistratura de Carreira do Estado do Rio de Janeiro SOBRE SONHOS E HERÓIS Bruno Vinícius Da Rós Bodart Discurso proferido na solenidade de posse dos Juízes aprovados no XLV Concurso de Ingresso na Magistratura de Carreira do Estado do Rio de Janeiro Excelentíssima

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM com a Independência dos E.U.A. e a Revolução Francesa, a Declaração Universal dos Direitos do Homem é um documento extraordinário que precisa ser mais conhecido

Leia mais

CONHECIMENTO DA LEI NATURAL. Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural

CONHECIMENTO DA LEI NATURAL. Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural CONHECIMENTO DA LEI NATURAL Livro dos Espíritos Livro Terceiro As Leis Morais Cap. 1 A Lei Divina ou Natural O que é a Lei Natural? Conceito de Lei Natural A Lei Natural informa a doutrina espírita é a

Leia mais

ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO. Liberdade de profissão

ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO. Liberdade de profissão ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO Liberdade de profissão Preparado por Carolina Cutrupi Ferreira (Escola de Formação, 2007) MATERIAL DE LEITURA PRÉVIA: 1) Opinião Consultiva n. 5/85 da Corte Interamericana

Leia mais

Introdução: Código de Conduta Corporativa

Introdução: Código de Conduta Corporativa Transporte Excelsior Ltda Código de Conduta Corporativa Introdução: A Transporte Excelsior através desse Código Corporativo de Conduta busca alinhar e apoiar o cumprimento de nossa Missão, Visão e Valores,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Quinto constitucional Antonio Pessoa Cardoso* Quinto constitucional é o mecanismo que confere vinte por cento dos assentos existentes nos tribunais aos advogados e promotores; portanto,

Leia mais

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 2 TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI* *Artigo 5º da Constituição Brasileira

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 Regulamenta o exercício das profissões de transcritor e de revisor de textos em braille. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Na produção de textos no sistema

Leia mais

SEMINÁRIO - O PODER JUDICIÁRIO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ENUNCIADOS APROVADOS

SEMINÁRIO - O PODER JUDICIÁRIO E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ENUNCIADOS APROVADOS 1) Entende-se por fundamento referido no art. 10 do CPC/2015 o substrato fático que orienta o pedido, e não o enquadramento jurídico atribuído pelas partes. 2) Não ofende a regra do contraditório do art.

Leia mais

OS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E A DEFESA DOS INTERESSES DA UNIÃO

OS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E A DEFESA DOS INTERESSES DA UNIÃO OS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E A DEFESA DOS INTERESSES DA UNIÃO Artigo jurídico apresentado por MARCELO THIMOTI DA SILVA, professor, especialista em Direito Administrativo, Constitucional

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

Projeto de Lei nº 213/2015 - O Ingresso das Mulheres no Serviço Militar

Projeto de Lei nº 213/2015 - O Ingresso das Mulheres no Serviço Militar Projeto de Lei nº 213/2015 - O Ingresso das Mulheres no Serviço Militar Lívia Aragão de Melo 1 O Projeto de Lei nº 213/2015, de autoria da senadora Vanessa Grazziotin, pretende alterar a Lei do Serviço

Leia mais

Assim, devem ser informados ao COAF qualquer transação pelas pessoas jurídicas já mencionadas e outros, nas seguintes condições:

Assim, devem ser informados ao COAF qualquer transação pelas pessoas jurídicas já mencionadas e outros, nas seguintes condições: PARECER JURÍDICO DIMOB/COAF A Receita Federal através da Instrução Normativa SRF nº 576, de 1º de setembro de 2005, instituiu a Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias (Dimob) de obrigação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Competência da Justiça Militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* A Justiça Militar é um dos órgãos do Poder Judiciário, com previsão constitucional e Lei de Organização Judiciária que

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Partido Político "Z", que possui apenas três representantes na Câmara dos Deputados, por entender presente a violação de regras da CRFB, o procura para que, na

Leia mais

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA * Luis Fernando da Silva Arbêlaez Júnior ** Professora Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho Resumo A Constituição Federal

Leia mais

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos $ 5(63216$%,/,'$'( &,9,/ '2 3529('25 '( $&(662,17(51(7 Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos A Internet se caracteriza

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: DIREITO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 5 (CINCO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 05 (CINCO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 08 (OITO)

Leia mais

LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA, EXPRESSÃO E RELIGIÃO NO BRASIL Rev. Augustus Nicodemus Lopes APRESENTAÇÃO CARTA DE PRINCÍPIOS 2011

LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA, EXPRESSÃO E RELIGIÃO NO BRASIL Rev. Augustus Nicodemus Lopes APRESENTAÇÃO CARTA DE PRINCÍPIOS 2011 LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA, EXPRESSÃO E RELIGIÃO NO BRASIL [SLIDE 1] CAPA [SLIDE 2] UM ASSUNTO ATUAL APRESENTAÇÃO CARTA DE PRINCÍPIOS 2011 Os conceitos de liberdade de consciência e de expressão têm recebido

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional:

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 2ª TURMA RECURSAL JUÍZO C JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº201070510020004/PR RELATORA : Juíza Andréia Castro Dias RECORRENTE : LAURO GOMES GARCIA RECORRIDO : UNIÃO FAZENDA NACIONAL V O T O Dispensado o relatório, nos termos

Leia mais

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci Filho

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci Filho Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci Filho Brasília, 02/01/2011 (Saudações e agradecimentos)... Senhoras e senhores,

Leia mais

Declaração Universal dos. Direitos Humanos

Declaração Universal dos. Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Ilustrações gentilmente cedidas pelo Fórum Nacional de Educação em Direitos Humanos Apresentação Esta é mais uma publicação da Declaração Universal dos Direitos

Leia mais

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO Art.º 202º da Constituição da República Portuguesa «1. Os tribunais são órgãos de soberania com competência para Administrar a justiça em nome do povo. (...)» A lei

Leia mais

ROTEIRO DE AULA TEORIA GERAL DAS PRISÕES CAUTELARES.

ROTEIRO DE AULA TEORIA GERAL DAS PRISÕES CAUTELARES. CURSO DIREITO DISCIPLINA PROCESSO PENAL II SEMESTRE 7º Turma 2015.1 ROTEIRO DE AULA TEORIA GERAL DAS PRISÕES CAUTELARES. 1. DO CONCEITO DE PRISAO A definição da expressão prisão para fins processuais.

Leia mais

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público:

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Venho à presença de Vossa Excelência, nos termos do Regimento Interno deste Conselho, apresentar

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Arthur Oliveira Maia) Altera a redação do art. 3º da Lei nº 8.650, de 20 de abril de 1993, para suprimir qualquer restrição ou preferência legal na contratação de treinador

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes CONCEITO: É o procedimento de verificar se uma lei ou ato normativo (norma infraconstitucional) está formalmente e materialmente de acordo com a Constituição. Controlar significa

Leia mais

TERMINOLOGIAS NO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO TRABALHO PRINCÍPIOS DO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO

TERMINOLOGIAS NO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO TRABALHO PRINCÍPIOS DO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO DO PROCESSO JUDICIÁRIO DO AULA 07.1 - INTRODUÇÃO TERMINOLOGIAS NO No processo do trabalho há um dialeto próprio, que define: -O AUTOR como sendo o RECLAMANTE; -O RÉU como sendo do RECLAMADO. 1 2 DO O direito

Leia mais

O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO

O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO Prof. Claudiney Alessandro Gonçalves Professor do Curso de Direito da Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de

Leia mais

NORMAS CONSTITUCIONAIS I. REGRAS. I.1. Subsunção (tudo ou nada) VALORES: saúde, segurança e sossego

NORMAS CONSTITUCIONAIS I. REGRAS. I.1. Subsunção (tudo ou nada) VALORES: saúde, segurança e sossego NORMAS CONSTITUCIONAIS REGRAS PRINCÍPIOS I. REGRAS I.1. Subsunção (tudo ou nada) VALORES: saúde, segurança e sossego REGRA: é proibida a emissão de ruído superior a 85 decibéis depois das 22 horas VALORES:

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Tutela antecipada e suspensão da exigibildade do crédito tributário Eduardo Munhoz da Cunha* Sumário:1. Introdução. 2. A possibilidade de concessão de tutela antecipada contra a

Leia mais

PIRATARIA É CRIME!?! ANÁLISE DA QUESTÃO SOB UM PRISMA PRINCIPIOLÓGICO.

PIRATARIA É CRIME!?! ANÁLISE DA QUESTÃO SOB UM PRISMA PRINCIPIOLÓGICO. PIRATARIA É CRIME!?! ANÁLISE DA QUESTÃO SOB UM PRISMA PRINCIPIOLÓGICO. THALES PONTES BATISTA Advogado-sócio da Paulo Albuquerque Advogados Associados, especialista em Direito do Consumidor, Direito Imobiliário,

Leia mais

Código de Ética do Administrador

Código de Ética do Administrador Código de Ética do Administrador Júlio Cesar Andrade de Abreu Fonte: CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO ADMINISTRADOR (Aprovado pela Resolução Normativa CFA nº 353, de 9 de abril de 2008) Dos Deveres (Art

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA Artigo 1º A Comissão de Ética, pretende de maneira independente, imparcial, sigilosa e soberana, assegurar a apuração das representações, apresentadas pelos associados

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR

CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR CÂMARA DOS DEPUTADOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR A INFLUÊNCIA DAS AUDIÊNCIAS PÚBLICAS NA FORMULÇÃO DA LEI nº 11.096/2005 PROUNI

Leia mais

RECESSO FORENSE NO PODER JUDICIÁRIO - SITUAÇÃO DEFINIDA PELO CNJ CAUSA POLÊMICA ENTRE O SENADO E A CÂMARA NA APRECIAÇÃO AO PLC N. 06/2007.

RECESSO FORENSE NO PODER JUDICIÁRIO - SITUAÇÃO DEFINIDA PELO CNJ CAUSA POLÊMICA ENTRE O SENADO E A CÂMARA NA APRECIAÇÃO AO PLC N. 06/2007. RECESSO FORENSE NO PODER JUDICIÁRIO - SITUAÇÃO DEFINIDA PELO CNJ CAUSA POLÊMICA ENTRE O SENADO E A CÂMARA NA APRECIAÇÃO AO PLC N. 06/2007. Glauce de Oliveira Barros O chamado recesso forense, tratado no

Leia mais

Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 378 Distrito Federal

Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 378 Distrito Federal Excelentíssimo Senhor Ministro Edson Fachin, DD. Ministro do Supremo Tribunal Federal Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 378 Distrito Federal UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES, associação

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI PROCESSO PENAL. COLABORAÇÃO PREMIADA. EX- PRESSA VEDAÇÃO CONSTITUCIONAL (ART. 86, 4º, CF/88) PARA

Leia mais

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RPV. (Requisição de Pequeno Valor)

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RPV. (Requisição de Pequeno Valor) BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A RPV (Requisição de Pequeno Valor) Hugo Soares Porto Fonseca O caput do art. 100 da Constituição Federal 1 determina que os pagamentos de valores devidos pelas Fazendas Federal,

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005. (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005. (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.124 DE 2005 (Apensados: PL nº 5.448/01 e PL nº 2.276/07) Define o crime de discriminação dos portadores do vírus da imunodeficiência

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador ALVARO DIAS RELATOR AD HOC: Senador ANTONIO CARLOS JÚNIOR

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador ALVARO DIAS RELATOR AD HOC: Senador ANTONIO CARLOS JÚNIOR PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº 95, de 2003, primeiro signatário o Senador Paulo Paim, que dá nova redação ao inciso III,

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS Atualizado em 03/11/2015 4. Competência Material Ratione Materiae: Divide-se em competência da Justiça Estadual, Federal, Eleitoral e Militar (não falamos da Justiça

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 3.124, DE 1997

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 3.124, DE 1997 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 3.124, DE 1997 Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Psicopedagogo, cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicopedagogia

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Princípios dos Juizados Especiais Criminais PONTO 2: Objetivos PONTO 3: Competência PONTO 4: Fase Policial PONTO 5: Fase Judicial PONTO 6: Recursos PONTO 7: Atos

Leia mais

R E L A T Ó R I O. RELATOR: Senador MARCELO CRIVELLA

R E L A T Ó R I O. RELATOR: Senador MARCELO CRIVELLA R E L A T Ó R I O Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Ofício S nº 55, de 2011, de Partidos Liderança partidária, que indica, nos termos do art. 130-A, inciso VI, da Constituição Federal,

Leia mais

O MENSALÃO E A PERDA DE MANDATO ELETIVO

O MENSALÃO E A PERDA DE MANDATO ELETIVO O MENSALÃO E A PERDA DE MANDATO ELETIVO José Afonso da Silva 1. A controvérsia 1. A condenação, pelo Supremo Tribunal Federal, na Ação Penal 470, de alguns deputados federais tem suscitado dúvidas relativamente

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 437.853 - DF (2002/0068509-3) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : DANIEL AZEREDO ALVARENGA E OUTROS RECORRIDO : ADVOCACIA BETTIOL S/C

Leia mais

John Locke e o fim da autoridade absoluta do governante

John Locke e o fim da autoridade absoluta do governante John Locke e o fim da autoridade absoluta do governante Sérgio Praça pracaerp.wordpress.com sergiopraca0@gmail.com Temas da Aula 2) Como estabelecer um governo? Constituintes e Constituição 3) Características

Leia mais

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado Conceito Responsabilidade Civil do Estado é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual

Leia mais

ANOTAÇÃO DE AULA. E ainda, o administrador terá preferência nos honorários (crédito extraconcursal).

ANOTAÇÃO DE AULA. E ainda, o administrador terá preferência nos honorários (crédito extraconcursal). MATERIAL DE APOIO Disciplina: Direito Empresarial Professor: Elisabete Vido Aula: 17 e 18 Data: 06/10/2015 ANOTAÇÃO DE AULA SUMÁRIO 7. Falência (continuação) 7.4 Órgãos 7.5 Credores 7.6 Procedimento da

Leia mais

Direito Constitucional Peças e Práticas

Direito Constitucional Peças e Práticas PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL ASPECTOS JURÍDICOS E PROCESSUAIS DA RECLAMAÇÃO Trata-se de verdadeira AÇÃO CONSTITUCIONAL, a despeito da jurisprudência do STF a classificar como direito de petição

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE PROMOTOR DE JUSTIÇA ASSESSOR DO CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CRIMINAL DO MINISTÉRIO PUBLICO

Leia mais

Revista Especial de Educação Física Edição Digital v. 3, n. 1, novembro 2006.

Revista Especial de Educação Física Edição Digital v. 3, n. 1, novembro 2006. UM ENSAIO SOBRE A DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO NO COTIDIANO ESCOLAR: A CONEXÃO QUE FALTA. Noádia Munhoz Pereira Discente do Programa de Mestrado em Educação PPGE/FACED/UFU - noadia1@yahoo.com.br Resumo O presente

Leia mais

AMAJUM. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

AMAJUM. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. No próximo dia 7 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Produção: Ação conjunta: Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso Parceiro:

Leia mais

Estes são os direitos de: Atribuídos em: Enunciados pela Organização das Naões Unidas na Declaração Universal dos Direitos Humanos

Estes são os direitos de: Atribuídos em: Enunciados pela Organização das Naões Unidas na Declaração Universal dos Direitos Humanos Estes são os direitos de: Atribuídos em: Enunciados pela Organização das Naões Unidas na Declaração Universal dos Direitos Humanos No dia 10 de dezembro de 1948, a Assembléia Geral das Nações Unidas adotou

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS Grupo de Pesquisa Institucional de Acesso à Justiça e Tutela de direitos Proposta de implementação I Objeto: Realização de estudos e pesquisas pela comunidade acadêmica da Faculdade de Direito de Campos

Leia mais

CONSELHO INTERACÇÃO. Declaração Universal dos Deveres do Homem. Setembro de 1997. Criado em 1983. InterAction Council

CONSELHO INTERACÇÃO. Declaração Universal dos Deveres do Homem. Setembro de 1997. Criado em 1983. InterAction Council CONSELHO INTERACÇÃO Criado em 1983 Declaração Universal dos Deveres do Homem Setembro de 1997 InterAction Council Declaração Universal dos Deveres do Homem Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da

Leia mais

PROVIMENTO nº 09/2007-CGJ

PROVIMENTO nº 09/2007-CGJ PROVIMENTO nº 09/2007-CGJ Dispõe sobre a nomeação de defensor dativo nas Comarcas onde não exista Defensoria Pública e dá outras providências atribuições legais, O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA, no uso de

Leia mais