RFP REQUISIÇÃO DE PROPOSTAS Processos de aferição dos indicadores de qualidade RGQ-SCM e RGQ-SMP ANEXO II - Requisitos Técnicos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RFP REQUISIÇÃO DE PROPOSTAS Processos de aferição dos indicadores de qualidade RGQ-SCM e RGQ-SMP ANEXO II - Requisitos Técnicos."

Transcrição

1 RFP REQUISIÇÃO DE PROPOSTAS Processos de aferição dos indicadores de qualidade RGQ-SCM e RGQ-SMP ANEXO II - Requisitos Técnicos. ID CATEGORIA / SOFTWARE / AMBOS REQ.01 Arquitetura AMBOS ALTA DISPONIBILIDADE REQ.02 Arquitetura AMBOS REQUISITO ARQUITETURA DA SOLUÇÃO DESCRIÇÃO APRESENTAR DIAGRAMA E SOLUÇÃO COM AMBIENTE DE SERVIDORES DE MEDIDAS E BASE DE DADOS, REDUNDANTES E DE ALTA DISPONIBILIDADE (99.99%) FORNECEDOR DEVE APRESENTAR DESENHOS TÉCNICOS DE ARQUITETURA DA SOLUÇÃO, EXPLICANDO : - MODULOS DA SOLUÇÃO INSTALADOS POR SERVIDORES - TOPOLOGIA DA SOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS ELEMENTOS, SEPARANDO EM CAMADAS DE: A) ACESSO USUÁRIO (PROBES) x PTT, B) COLETA DOS SERVIDORES DO PTT, C) MEDIAÇÃO E PROCESSAMENTO CENTRAL, D) REPORTS, BI E AUDITORIA E) ITENS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (FIREWALL, CONTROLE DE ACESSO, DDOS, ETC) RELEVÂNCIA NOME DO PROPONENTE: FORMA DE ATENDIMENTO ESFORÇO NECESSÁRIO DESCREVER COMO ATENDE AO REQUISITO Exemplo1: REQ.03 Auditoria AMBOS ENRIQUECIMENTO ITENS DA OPERADORA SOLUÇÃO POSSUI MÉTODO PARA VALIDAR JUNTO A OPERADORA DADOS RELATIVOS A MEDIÇÃO: PRODUTO CONTRATADO, MUDANÇA DE PACOTE NO PERÍODO, ESTOURO DE FRANQUIA. A SOLUÇAO DEVE GARANTIR A NÃO IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE PELA PRESTADORA. REQ.04 Auditoria AMBOS SUPORTE DUAL STACK REQ.05 Auditoria AMBOS SUPORTE IPV4 REQ.06 Auditoria AMBOS SUPORTE IPV6 SOLUÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AFERIÇÕES INDEPENDENTES EM AMBIENTES: - SIMULTANEAMENTE COM IPV4 E IPV6 SOLUÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AFERIÇÕES INDEPENDENTES EM AMBIENTES: - SOMENTE IPV4 SOLUÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AFERIÇÕES INDEPENDENTES EM AMBIENTES: - SOMENTE IPV6 REQ.07 Auditoria AMBOS VALIDAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOLUÇÃO POSSUI MÉTODO PARA VALIDAR JUNTO A OPERADORA DADOS RELATIVOS A MEDIÇÃO: CLIENTE, LOCALIZAÇÃO, SERIAL DO EQUIPAMENTO, TECNOLOGIA DE ACESSO (CABO, WIMAX, SATELITE, FTTH, ADSL, 3G, ETC), IP DE ORIGEM, VERSIONAMENTO DO SOFTWARE (PARAMETRIZAÇÃO). A SOLUÇAO DEVE GARANTIR A NÃO IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE PELA PRESTADORA. REQ.08 Banco de Dados AMBOS BANCO DE DADOS SOLUÇÃO APRESENTADA UTILIZA BANCO DE DADOS COMERCIAL REQ.09 Banco de Dados AMBOS LOGS E AUDITORIA REQ.10 Capacidade AMBOS REQ.11 Capacidade CAPACITY PLANNING DA SOLUÇÃO DIMENSIONAMENTO SOLUÇÃO REQ.12 Capacidade AMBOS MEDIAÇÃO REQ.13 Capacidade AMBOS SERVIDOR DE MEDIÇÃO REQ.14 Funcionaidade AMBOS INDICADORES SOLUÇÃO DO FORNECEDOR POSSUI LOGS E ARMAZENAMENTO DOS DADOS BRUTOS E DETALHADOS DAS COLETAS, BEM COMO OS DADOS APÓS O PROCESSO DE MEDIAÇÃO, DE FORMA QUE POSSAM SER APRESENTADOS EM CASO DE CONTESTAÇÃO, CERTIFICAÇÃO OU AUDITORIA DE ACORDO COM O PRAZO DE ARMAZENAMENTO/RETENÇÃO DE INFORMAÇÕES ESTABELECIDO NO REGULAMENTO. É NECESSÁRIO INFORMAR QUAIS SÃO OS DADOS PASSIVEIS DE ARMAZENAMENTO, BEM COMO OS SEUS FORMATOS. O FORNECEDOR DEVERÁ APRESENTAR QUAL O SIZING CONSIDERADO NO PROJETO, OS ITENS QUE INFLUENCIAM O CAPACITY PLANNING (LEVANDO EM CONTA O AUMENTO DA BASE DE BANDA LARGA NO BRASIL) E SUA MONITORAÇÃO. EX: SERVIDORES, COLETORES, LINKS, PROBES, ROTEADORES, STORAGE, ETC. DEVE TER HARDWARE DIMENSIONADO E COMPATIVEL COM A NECESSIDADE DOS TESTES A SEREM REALIZADOS, NÃO PODENDO INFLUENCIAR NO RESULTADO DOS TESTES. A SOLUÇÃO DEVE CONTEMPLAR FUNCIONALIDADES DE COLETA, AGREGAÇÃO, ENRIQUECIMENTO, DESCARTE, NORMALIZAÇÃO, ETC. SERVIDOR DE MEDIÇÃO DEVE TER CAPACIDADE PARA ATENDER À DEMANDA DE MEDIÇÕES SIMULTÂNEAS ENVOLVIDAS NO PROJETO. A PROPONENTE DEVE INFORMAR ESTA CAPACIDADE MÁXIMA DE MEDIÇÕES INSTANTÂNEAS. LIMITAÇÕES DA SOLUÇÃO NÃO PODEM COMPROMETER O RESULTADO DAS MEDIÇÕES. INFORMAR COMO SERÁ PREVISTA A EVOLUÇÃO DA SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO COM O AUMENTO DA DEMANDA. O SERVIDOR DE MEDIÇÃO DEVE ESTAR INSTALADO NO PTT. A PROPONENTE DEVERÁ FORNECER DETALHADAMENTE AS MÉTRICAS UTILIZADAS PARA MEDIÇÃO EM CADA INDICADOR, BEM COMO OS ITENS DE PROTOCOLO, PORTA, ETC. USAR PREFERENCIALMENTE PORTAS PADRÃO PARA TCP E UDP

2 REQ.15 SOFTWARE REQ.16 ATUALIZAÇÃO FORA DE CONTRATO REQ.17 SOFTWARE COMPATIBILIDADE A SOLUÇÃO NÃO DEVE PERMITIR QUE SE MANTENHA INSTALADA NO AMBIENTE DO USUÁRIO E OU ATUALIZADA NO CASO DE ROMPIMENTO DE RELACIONAMENTO COMERCIAL COM A PROPONENTE. CÓDIGO ABERTO BASEADA EM CÓDIGO ABERTO SOLUÇÃO DE SOFTWARE DEVE SER COMPATÍVEL COM: WINDOWS XP, VISTA E 7 ANDROID 2.1 E POSTERIORES IOS (APPLE) MAC OS LINUX (ESPECIFICAR QUAIS DISTRIBUIÇÕES) RIM REQ.18 SOFTWARE DADOS DE HARWARE REQ.19 funcionalidade SOFTWARE GUI SOLUÇÃO PODE SER UTILIZADA EM PCS, SMARTPHONES E TABLETS A SOLUÇÃO DEVE COLETAR E CONSIDERAR NO CÁLCULO DA MEDIÇÃO OS ITENS DO COMPUTADOR EM QUE O SOFTWARE ESTIVER INSTALADO. EXEMPLOS: * Memória * CPU * Tráfego interfaces (IN/OUT) * Tipo da interface (WIRELESS, ETHERNET, USB) * DETECÇÃO DOS DADOS DO MICRO DO USUÁRIO (EX: SYSTEMINFO DO WINDOWS 7) * OUTRAS APLICAÇÕES CONCORRENTES NO MOMENTO DA MEDIÇÃO O desenvolvimento da Interface Gráfica do Software de Medição de Qualidade de Banda Larga deve ser aprovado pelas Prestadoras e a Anatel. A interface do usuário não deve conter nenhuma informação que identifique a Proponente responsável pelo desenvolvimento do software e deve ser descaracterizada de qualquer nomenclatura comercial ou institucional. O Software deverá ter sua interface de apresentação para usuário na Língua Portuguesa. A interface visualizada pelo usuário será de propriedade e domínio das empresas representadas no GIPAQ. REQ.20 SOFTWARE HISTÓRICO DO CLIENTE O CLIENTE PODERÁ CONSULTAR O SEU HISTÓRICO DE MEDIÇOES ARMAZENADO LOCALMENTE. REQ.21 INDISPONIBILIDADE REQ.22 AMBOS ISOLAMENTO DE TRAFEGO REQ.23 AMBOS REQ.24 REQ.25 SOLUÇÃO DEVE CONSIDERAR NO CÁLCULO DE INDISPONIBILIDADE EVENTOS COMO: - FALTA DE ALIMENTAÇÃO - PERÍODO EM QUE FICOU DESLIGADO OU HIBERNANDO - PROBLEMAS DE CONECTIVIDADE FÍSICA - RESETS - ETC. A solução deverá garantir que não existam outras aplicações realizando tráfego de dados durante a medição. Caso haja trafego do cliente não poderá haver a realização da medição e, no caso do software, o usuário deverá ser informado na interface da aplicação MAPEAMENTO SOLUÇÃO DEVERÁ MAPEAR AS COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU ENDEREÇO COMPLETO DOS GEOGRÁFICO PONTOS DE MEDIÇÃO DEVE TER OPÇÃO DE CONECTAR NO CENÁRIO: - OPERAÇÃO COMO BRIDGE ; MODO DE OPERAÇÃO 1 - POSICIONADO ENTRE O MODEM E O CPE DO CLIENTE - 1 PORTA WAN FAST ETHERNET / 3G E 1 PORTAS FAST ETHERNET DEVE TER OPÇÃO DE CONECTAR NO CENÁRIO: - OPERAÇÃO COMO ROUTER; MODO DE OPERAÇÃO 2 - POSICIONADO ENTRE O MODEM E O CPE DO CLIENTE - 1 PORTA WAN FAST ETHERNET / 3G E 4 PORTAS FAST ETHERNET REQ.26 MODO DE OPERAÇÃO 3 - SCM: DEVE TER A OPÇÃO DE CONECTAR NO CENÁRIO: AMBIENTES OUTDOOR E INDOOR, NO ENDEREÇO DO ASSINANTE, QUE MITIGUEM A INTERFERENCIA DE REDE INTERNA DO USUÁRIO. - SMP: A SOLUÇÃO DEVE GARANTIR QUE AS CONDIÇÕES DE MEDIÇÕES SEJAM ESTÁVEIS E CONTROLADAS.

3 REQ.28 SOFTWARE NÃO-EXECUTÁVEL REQ.29 AMBOS PARAMETRIZÁVEL REQ.30 SOFTWARE SOFTWARE SCM REQ.31 SOFTWARE SOFTWARE SMP REQ.32 TÉCNICAS DE TRANSIÇÃO REQ.33 SOFTWARE TERMO DE ACEITE REQ.34 AMBOS TRÁFEGO ASSIMÉTRICO PARA O SCM A SOLUÇÃO DE SOFTWARE NÃO DEVE TER UM APLICATÍVO EXECUTÁVEL INSTALADO NO DISPOSITIVO DO USUÁRIO FINAL. O SOFTWARE DEVERÁ FICAR ACESSÍVEL AO CLIENTE VIA WEB BROWSER. A SOLUÇÃO DEVE SER PARAMETRIZÁVEL QUANTO AS DEFINIÇÕES E ALTERAÇÕES DE NORMAS TÉCNICAS, BEM COMO AS MÉTRICAS DEFINIDAS NOS REGULAMENTOS, PROPOSTAS PELO FORNECEDOR, PELA EAQ E APROVADAS PELO GIPAQ, EXEMPLO: * Geração de pacotes * Tipos de pacotes * Tamanho dos pacotes * Tráfego unidirecional - bidirecional * Periodicidade e intervalo na geração de pacotes e coleta * etc A PROPONENTE DEVERÁ DISPONIBILIZAR EM 29/02/2012, PARA O SCM, VERSÃO DE SOFTWARE QUE CONTEMPLE OS REQUISITOS PREVISTOS NO REGULAMENTO DE QUALIDADE DO SCM, BEM COMO O MANUAL E ESCOPO TÉCNICO DA SOLUÇÃO. A SOLUÇÃO DISPONIBILIZADA DEVERÁ ESTAR APTA A EVOLUÇÕES/APRIMORAMENTOS AO LONGO DOS TRABALHOS DO GIPAQ, CONSIDERANDO, INCLUSIVE, A POSSIBILIDADE DE SUBSTITUIÇÃO DO SOFTWARE, SEM CONSTITUIR DEPENDÊNCIA TÉCNICA DAS OPERADORAS. A PROPONENTE DEVERÁ DISPONIBILIZAR EM 31/10/2012, PARA O SMP, VERSÃO DE SOFTWARE QUE CONTEMPLE OS REQUISITOS PREVISTOS NO REGULAMENTO DE QUALIDADE DO SMP, BEM COMO O MANUAL E ESCOPO TÉCNICO DA SOLUÇÃO. A SOLUÇÃO DISPONIBILIZADA DEVERÁ SER TESTADA A PARTIR DE 31/07/2012 E ESTAR APTA A EVOLUÇÕES/APRIMORAMENTOS AO LONGO DOS TRABALHOS DO GIPAQ. O HARDWARE DEVERÁ POSSUIR SUPORTE ÀS TÉCNICAS DE TRANSIÇÃO: - DS LITE - 6RD - DUAL STACK NATIVO - NAT 64 - NAT 44 A SOLUÇÃO DEVE TER UMA PÁGINA COM O EXPRESSO ACEITE DO USUÁRIO CONCORDANDO COM A INSTALAÇÃO DO SOFTWARE, QUANDO FOR O CASO. O CONTEÚDO DO TERMO SERÁ DEFINIDO POSTERIORMENTE. A SOLUÇÃO DEVERÁ CONSIDERAR PARA EFEITOS DE AFERIÇÃO, A MEDIÇÃO INDEPENDENTE DOS INDICADORES PARA TRÁFEGO ASSIMÉTRICO CONTRATADO NO PONTO E PERIODO DE MEDIÇÃO. REQ.35 AMBOS TRATAMENTO DE PROBLEMAS A proponente deverá informar na sua proposta como serão isolados ou tratados os problemas, interferências e degradações oriundas da Rede Interna do cliente uma vez que a operadora é responsável pela operação e manutenção até O PONTO DE DEMARCAÇÃO do cliente; Prevendo inclusive a exclusão dos impactos negativos da rede interna do cliente. REQ.36 AMBOS TRATAMENTO DE PROBLEMAS REQ.37 Gerência AMBOS ALARMES REQ.38 REQ.39 Gerência Gerência GERENCIAMENTO REMOTO GERENCIAMENTO REMOTO REQ.40 Gerência AMBOS MELHORES PRÁTICAS Proponente precisa apresentar solução de como tratar erros, upgrades, atualizações e correções executados durante o processo de aferição que pode interferir no cálculo dos indicadores; SOLUÇÃO FIM A FIM DEVE GERAR ALARMES NO CASO DE PROBLEMAS DE INCOMPATIBILIDADE, INCONSISTÊNCIA E DESCARTE DE DADOS, THRESHOLDS DE CAPACITY, ETC.. TODOS ESTES ITENS DEVEM ESTAR DISPONÍVEIS PARA AUDITORIA SOLUÇÃO DEVE CONTEMPLAR O GERENCIAMENTO REMOTO DO EQUIPAMENTO E O FORNECEDOR DEVERÁ EXPLICAR COMO PRETENDE REALIZAR ESTA FUNCIONALIDADE E QUE PROTOCOLO PRETENDE UTILIZAR PARA: * FALHAS * CONFIGURAÇÃO * PERFORMANCE * SEGURANÇA * APROVISIONAMENTO / ATUALIZAÇÃO A solução deve ter suporte a gerenciamento remoto via SNMP v.2 e TR-069 O PROPONENTE DEVERÁ ESCLARECER QUAIS ITENS DE MELHORES PRATICAS E STANDARDS UTILIZA PARA GERENCIAMENTO DA PLATAFORMA: SERIE X / M DO ITU-T, TM FORUM (FRAMEWORX), ITIL

4 REQ.41 Objeto AMBOS DOCUMENTAÇÃO REQ.42 Objeto AMBOS GERAL REQ.43 Objeto AMBOS GERAL REQ.44 Objeto AMBOS INTEGRADOR "PRIME" REQ.45 Objeto SOFTWARE NORMAS TÉCNICAS A Proponente tem que prover documentação de operação/manutenção do sistema, em papel e em CD-ROM no momento da entrega da solução Devem ser providos os documentos relativos a Operação e Manutenção obrigatoriamente em português. A Proponente tem que prover toda a informação necessária com as diretrizes para instalação: ambiente (condicionamento de ar, área, ac/dc, potência de consumo, proteção, firewalls, etc.), e todos os manuais e diretrizes para operação: customização, desenvolvimento, procedimentos de operação, os problemas mais comuns e erros, listas detalhadas de alarmes e advertências com o significado de cada um. Esses manuais têm que conter todas as informações necessárias, esquemático e diagramas de flowchart. As operadoras poderão fazer cópia (documentação em papel) e impressão (documentação em CD- ROM) para distribuição e usa entre seus empregados. A SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO DEVE ATENDER (FUNCIONALIDADES E PRAZOS) O REGULAMENTO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA (RGQ-SCM), ANEXO A RESOLUÇÃO Nº 574, DE 28/10/2011 E SEU ANEXO PARA O DIMENSIONAMENTO DE CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO E DE RECURSOS DE MEDIÇÃO SOLICITADAS, ASSOCIADOS AO SOFTWARE E INDICADORES DE REDE. A SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO DEVE ATENDER (FUNCIONALIDADES E PRAZOS) O REGULAMENTO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL (RGQ-SMP), ANEXO A RESOLUÇÃO Nº 575, DE 28/10/2011 E SEU ANEXO PARA O DIMENSIONAMENTO DE CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO E DE RECURSOS DE MEDIÇÃO SOLICITADAS, ASSOCIADOS AO SOFTWARE E INDICADORES DE CONEXÃO DE DADOS SMP10 E SMP11. QUANTO A SOLUÇÃO TÉCNICA APRESENTADA, O FORNECEDOR CONCORDA EM ASSUMIR A FUNÇÃO DE INTEGRADOR E "PRIME", SENDO O RESPONSÁVEL PELO FORNECIMENTO E MANUTENÇÃO DA SOLUÇÃO COMO UM TODO. Todo o equipamento deve atender plenamente as normas definidas pela ABNT quanto a alimentação AC/DC e pela Anatel em relação à certificação de equipamentos de Telecomunicações REQ.46 PROJETO REQ.47 PROJETO AMBOS REQ.48 Segurança AMBOS DIMENSIONAMENTO FISICO METODOLOGIA E GERENCIA DE PROJETO DETECÇÃO E PREVENÇÃO DE ATAQUES DE DDoS O PROPONENTE DEVERÁ INFORMAR O DIMENSIONAMENTO FÍSICO COMPATÍVEL COM O PONTO DE MEDIÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DAS S FORNECIDAS. O PROPONENTE DEVERÁ APRESENTAR EM ANEXO A METODOLOGIA DE GERENCIAMENTE DE PROJETO, BEM COMO UMA PROPOSTA DE CRONOGRAMA, ALINHADO COM O GERAL DEFINIDO NO GIPAQ, ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO, ETC. DEVE ESPECIFICAR QUAIS AS REFERENCIAS DE MELHORES PRÁTICAS UTILIZADAS. A PROPONENTE DEVE APRESENTAR COMO SERÁ FEITA A SEGURANÇA DOS SERVIDORES DE MEDIÇÃO CONTRA POSSÍVEIS ATAQUES INDEPENDENTE DE SUA ORIGEM. REQ.49 Segurança AMBOS DETECÇÃO E PREVENÇÃO DE FRAUDES E ATAQUES DE DDoS REQ.50 Segurança AMBOS SEGURANÇA REQ.51 SLA da Solução SLA EQUIPAMENTO DEDICADO S REQ.52 SLA da Solução SERVIDORES SLA SERVIDORES REQ.53 Suporte AMBOS GARANTIA REQ.54 Suporte LOGISTICA - DISPONIBILIDADE E ESTOQUE REQ.57 Treinamento AMBOS TREINAMENTO FORNECEDOR DEVE EXPLICAR QUAIS AS FORMAS DE PREVENÇÃO E DETECÇÃO DE FRAUDES DA SOLUÇÃO FIM A FIM. EXEMPLOS: CONSIDERANDO A VIOLAÇÃO DE S, DETECÇÃO DE TRÁFEGO PELA OPERADORA AFERIDA, TUNELAMENTO, CRIPTOGRAFIA, ETC. SOLUÇÃO DEVE SEGUIR AS MELHORES PRÁTICAS DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO, PADRONIZAÇÃO DE LOGINS, CONTROLE DE ACESSO, PERFIL DE USUÁRIOS, ETC ATENDIMENTO 8HORAS x 5 DIAS POR SEMANA x NEXT BUSINESS DAY DISPONIBILIDADE 99.99% ATENDIMENTO 24HORAS x 7 DIAS POR SEMANA x 4 HORAS DE ATENDIMENTO x 8 HORAS DE SOLUÇÃO DE CONTORNO A SOLUÇÃO FIM A FIM TEM GARANTIA DE 1 ANO PARA OS COMPONENTES DE SOFTWARE E HARDWARE A PARTIR DA CARTA DE ACEITE / ENTRADA EM PRODUÇÃO. É RESPONSABILIDADE DO PROPONENTE A DISPONIBILIZAÇÃO, REPARO, SUBSTITUIÇÃO E UPGRADE DOS EQUIPAMENTOS NOS PONTOS DE DISTRIBUIÇÃO/ALMOXARIFADO DAS OPERADORAS. A proponente deverá retornar o equipamento reparado, ou um novo, para o almoxarifado das operadoras no máximo em até 03 dias úteis. A PROPONENTE DEVERÁ PROPOR ESCOPO DE TREINAMENTO TÉCNICO E OPERACIONAL PARA AS OPERADORAS ABRANGENDO A SOLUÇÃO DE GERÊNCIA, OPERAÇÃO DE CAMPO, CENTRAL DE ATENDIMENTO E SUPORTE. Todos os treinamentos devem ser administrados na lingua Portuguesa. REQ.56 Suporte AMBOS SUPORTE TÉCNICO O PROPONENTE DEVERÁ PROVIDENCIAR OS CONTRATOS NECESSÁRIOS COM OS FORNECEDORES E FABRICANTES TERCEIROS ENVOLVIDOS NOS COMPONENTES DA SOLUÇÃO. REQ.58 AMBOS ADSL Solução disponível para medição de rede com tecnologia ADSL. Informar para quais versões (G.DMT, G.lite, ADSL2, ADSL2+, etc.) REQ.59 AMBOS VDSL Solução disponível para medição de rede com tecnologia VDSL.

5 Solução disponivel para medição de rede com as tecnologias de transmissão de dado contratadas pelo usuário. REQ.60 AMBOS Móveis A Solução deve considerar as medições em tecnologias diferentes, caso ocorra degradação dentro da mesma área de cobertura. REQ.61 AMBOS WIMAX Solução disponível para medição de rede com tecnologia WIMAX. REQ.62 AMBOS SATELITE Solução disponível para medição de rede com tecnologia satélite. REQ.63 AMBOS FTTX Solução disponível para medição de rede com tecnologia FTTx GPON. REQ.64 AMBOS CABLE Solução disponível para medição de rede com tecnologia CABLE (DOCSIS 1.0, 1.1, 2.0 e 3.0). REQ.66 AMBOS OUTRAS TECNOLOGIAS Solução disponível para medição de rede com outras tecnologias. Informar quais. REQ.67 Suporte AMOSTRAGEM A EAQ é responsável pela escolha, teste e aprovação dos voluntários onde serão realizados os testes. REQ.68 Suporte AMBOS SUPORTE TÉCNICO A proponente deverá ter a capacidade de realizar suporte técnico e atendimento a EAQ e as Prestadoras no idioma português REQ.69 Suporte AMBOS GESTÃO DOS CHAMADOS A proponente deverá possuir um sistema que permita o acompanhamento (via web) do status do chamado aberto até o seu encerramento. REQ.70 Capacidade AMBOS SERVIDOR DE MEDIÇÃO SERVIDOR DE MEDIÇÃO E EQUIPAMENTOS AGREGADOS COMPONENTES DA SOLUÇÃO (EX:FIREWALL) DEVE TER DISPONIBILIDADE DE PORTAS GIGAETHERNET. A PROPONETE DEVERÁ INFORMAR COMO SERÁ A EVOLUÇÃO DA SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO COM O AUMENTO DA DEMANDA. O SERVIDOR DE MEDIÇÃO DEVE ESTAR INSTALADO NO PTT. REQ.71 AMBOS SERVIDOR DE MEDIÇÃO A SOLUÇÃO DEVE PREVER A ESCOLHA DO SERVIDOR DE MEDIÇÃO COM MENOR MÉTRICA DE LATÊNCIA ENTRE O CLIENTE E O PTT E TAMBÉM A POSSIBILIDADE DE APONTAMENTO ESTÁTICO. A PROPONENTE DEVERÁ INFORMAR COMO SERÁ FEITO O DIRECIONAMENTO DA MEDIÇÃO PARA O SERVIDOR DE MEDIDA INSTALADO NO PTT. REQ. 72 Objeto Experiência REQ. 73 Objeto SOFTWARE Experiência REQ. 74 Objeto Experiência REQ. 75 Objeto SOFTWARE Experiência FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE AFERIÇÃO DE INDICADORES DE REDES DE BANDA LARGA FIXA OBJETO DESTA RFP. FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NO FORNECIMENTO DO SOFTWARE DE USUÁRIO FIXO OBJETO DESTA RFP. FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE AFERIÇÃO DE INDICADORES DE REDES DE BANDA LARGA MÓVEL OBJETO DESTA RFP. FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NO FORNECIMENTO DO SOFTWARE DE USUÁRIO MÓVEL OBJETO DESTA RFP.

6 RELEVÂNCIA DO REQUISITO NÃO ATENDE FORMA DE ATENDIMENTO ESFORÇO PARA ATENDIMENTO COMPLETO DO REQUISITO ATENDE PARCIAL - DESENVOLVIMENTO ALTO ( > 6 MESES) ATENDE PARCIAL - CUSTOMIZAÇÃO MÉDIO (2 A 6 MESES) ATENDE PARCIAL - CONFIGURAÇÃO / PARAMETRIZAÇÃO BAIXO (0-2 MESES) ATENDE - OUT OF BOX ATENDE PRONTAMENTE (ENTREGA IMEDIATA) NÃO ATENDE ATENDE PARCIAL - DESENVOLVIMENTO ALTO (TOTALMENTE OPERACIONAL EM 01/11/2012) ATENDE PARCIAL - CUSTOMIZAÇÃO MÉDIO (2 A 6 MESES) ATENDE PARCIAL - CONFIGURAÇÃO / PARAMETRIZAÇÃO BAIXO (0-2 MESES) ATENDE - OUT OF BOX ATENDE PRONTAMENTE (ENTREGA IMEDIATA) PONTUAÇÃO QUALITATIVO INSATISFATÓRIO SATISFATÓRIO SUPERA EXPECTATIVA FATOR DE MULTIPLICAÇÃO Legenda Software Equipamento dedicado - Probe Descrição Aplicativo disponibilizado para o dispositivo do assinante/usuário que estabelece sessão com o Servidor de Medida, quando solicitada pelo assinante/usuário, para efetuar as medições das metricas de qualidade da Internet banda larga estabelecidas nos Regulamentos de Qualidade da ANATEL do SCM e do SMP Referente ao PROCESSO DE AFERIÇÃO DOS INDICADORES DE REDE - Dispositivo que estabelece sessão com o Servidor de Medida para efetuar as medições de forma contínua das métricas de qualidade da Internet banda larga estabelecidas no RGQ - SCM e RGQ - SMP. Este dispositivo tem como premissa garantir que as medidas de qualidade não tenham influência do ambiente do assinante/usuário. Ambos Quando o requisito é aplicado ao Software e ao Equipamento dedicado - Probe Servidores Equipamentos utilizados para compor a Solução de medição além do software e do equipamento dedicado (Probe)

7 DEFINIÇÃO DE PTT PTT - Solução de rede com o objetivo de viabilizar a interligação direta entre redes de transporte que utilizam diferentes políticas de roteamento de tráfego. Os pontos de medição serão pontos de presença na rede da prestadora, aptos a viabilizar a troca de tráfego internet com outras redes.

8

9

AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT/SENADO EAQ BANDA LARGA. 22 de Março de 2012 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br

AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT/SENADO EAQ BANDA LARGA. 22 de Março de 2012 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT/SENADO EAQ BANDA LARGA 22 de Março de 2012 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br Sobre o NIC.br NIC.br Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR Entidade civil, sem fins lucrativos,

Leia mais

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Draft para avaliação 1 de 1 SOFTWARE DE MEDIÇÃO DA QUALIDADE DE CONEXÂO Em cumprimento às obrigações previstas no Regulamento de

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Comunicação via interface SNMP

Comunicação via interface SNMP Comunicação via interface SNMP 1 - FUNCIONAMENTO: Os No-breaks PROTEC possuem 3 interfaces de comunicação: Interface RS232, interface USB e interface SNMP. Todas elas permitem o controle e o monitoramento

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA)

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) Código do Serviço: 3005001 Nome do Serviço: Data de Publicação: 30/04/2013 Entrada em Vigor: SAN AUTENTICAÇÃO 01/06/2013 Versão: 1.0000 Status: Publicado

Leia mais

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Draft para avaliação 1 de 1 SOFTWARE DE MEDIÇÃO DA QUALIDADE DE CONEXÂO Em cumprimento às obrigações previstas no Regulamento de

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Milton Kashiwakura (Fabrício Tamusiunas)

Milton Kashiwakura (Fabrício Tamusiunas) Medição de Tráfego Internet de Banda Fixa usando os PTTs Milton Kashiwakura (Fabrício Tamusiunas) NIC.br NIC.BR conduz projeto de medição de qualidade desde 2006 IDEC São Paulo, em 2007 TTM-box do RIPE

Leia mais

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço.

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço. 1 Dúvida: PROJETO BÁSICO Item 4.1.1.1.2 a) Entendemos que o Suporte aos usuários finais será realizado pelo PROPONENTE através de um intermédio da CONTRATANTE, que deverá abrir um chamado específico para

Leia mais

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Comentários MINUTA TERMO DE REFERENCIA Lote 9A ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Resposta: Fica mantido o texto da minuta do TR. 2.2 O provimento

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Dell Infrastructure Consulting Services

Dell Infrastructure Consulting Services Proposta de Serviços Profissionais Implementação do Dell OpenManage 1. Apresentação da proposta Esta proposta foi elaborada pela Dell com o objetivo de fornecer os serviços profissionais de implementação

Leia mais

QUESTIONAMENTOS EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO No.14000174/2014 AC

QUESTIONAMENTOS EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO No.14000174/2014 AC QUESTIONAMENTOS EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO No.14000174/2014 AC Questionamento 1 No subitem 5.2.3 da Especificação Técnica, embora seja pedida a utilização de aceleração de tráfego HTTP e TCP Spoofing, não

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Sobre a OpServices Fabricante de software focada no gerenciamento de ambientes de TI e Telecom e processos de negócios. Mais de 12 anos de experiência no monitoramento de indicadores de infraestrutura;

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

Regulamento de Gestão da Qualidade do SCM e do SMP. Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados - SPV Anatel

Regulamento de Gestão da Qualidade do SCM e do SMP. Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados - SPV Anatel Regulamento de Gestão da Qualidade do SCM e do SMP Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados - SPV Anatel Brasília/DF Março/2012 Agenda Base Regulatória; GIPAQ; Princípios; Processo

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

Esclarecimento: As versões dos navegadores a serem utilizadas pelo PSIM estão descrito no item 2.4.1.12 do projeto básico.

Esclarecimento: As versões dos navegadores a serem utilizadas pelo PSIM estão descrito no item 2.4.1.12 do projeto básico. 1 Dúvida: Por favor, nos explique alguns casos tipicos de uso para o monitoramento central? Esclarecimento: Recepção e tratamento de eventos provenientes da central de alarme, validação de ocorrências

Leia mais

Documento publicado em atenção às determinações constantes da Resolução n.º 574/2011.

Documento publicado em atenção às determinações constantes da Resolução n.º 574/2011. Documento publicado em atenção às determinações constantes da Resolução n.º 574/2011. Cartilha Informativa acerca da Qualidade do SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) Documento publicado em atenção

Leia mais

ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS

ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS ANEXO II - CADERNO DE MÉTRICAS E NÍVEIS DE SERVIÇOS No caso de aplicação de glosa referente ao mesmo indicador deste caderno de métricas, durante três meses consecutivos, ou cinco meses intervalados durante

Leia mais

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTO(S) ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 22/2015 - BNDES Prezado(a) Senhor(a), Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Sobre o item 18.1. A prestação do serviço

Leia mais

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET 1. Objetivo 1.1. Contratação de serviços para fornecimento de uma solução de conexão IP Internet Protocol que suporte aplicações TCP/IP e disponibilize a PRODEB acesso a rede mundial de computadores Internet,

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

Planejamento e Projeto de Redes de Computadores. Eduardo Barrére

Planejamento e Projeto de Redes de Computadores. Eduardo Barrére Planejamento e Projeto de Redes de Computadores Eduardo Barrére Aula Presencial Projeto Físico Eduardo Barrére eduardo.barrere@ice.ufjf.br O projeto deve considerar Seleção de tecnologias (conforme o projeto

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica 1. Arquitetura da Aplicação 1.1. O Banco Postal utiliza uma arquitetura cliente/servidor WEB em n camadas: 1.1.1. Camada de Apresentação estações de atendimento, nas

Leia mais

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14:

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Questionamento 1: 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMCAS No que diz respeito ao subitem 2.1.2, temos a seguinte

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec: Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS BÁSICOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação Técnica Última atualização em 31 de março de 2010 Plataformas Suportadas Agente: Windows XP e superiores. Customização de pacotes de instalação (endereços de rede e dados de autenticação).

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br GUIA DO VISUALIZADOR SUA EMPRESA ONLINE NO MUNDO DA NORMALIZAÇÃO SUMÁRIO 1 O QUE É ABNTCOLEÇÃO...3 1.1 CONFIGURAÇÕES MINIMAS DESEJAVEL...3 1.1.2 SEGURANÇADE REDE...3 2 COMO ACESSAR A SUA COLEÇÃO...4 2.1

Leia mais

Gerência de Redes. Introdução. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Introdução. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Introdução filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução Sistemas complexos com muitos componentes em interação devem ser monitorados e controlados. 2 Introdução A de gerência de redes surgiu

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS 2012 Relevância: Impacta diretamente na saúde do paciente, na qualidade do produto e na integridade dos dados que devem provar que o sistema

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015 TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX.

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. APRESENTAÇÃO A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. AI METRIX é o nome original da empresa que desenvolveu o software

Leia mais

Esclarecimentos no Pregão 19/2014 (prestação de serviços de telecomunicação de acesso dedicado à Internet):

Esclarecimentos no Pregão 19/2014 (prestação de serviços de telecomunicação de acesso dedicado à Internet): Esclarecimentos no Pregão 19/2014 (prestação de serviços de telecomunicação de acesso dedicado à Internet): PEDIDO DE ESCLARECIMENTOS 4 (OI) E RESPOSTAS: TRT- TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO, EM

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 052/2010 Data: 19/11/2010 Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de atendimento remoto e presencial a usuários de tecnologia

Leia mais

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE)

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) Possuir capacidade instalada, livre para uso, de pelo menos 5.2 (cinco ponto dois) TB líquidos em discos SAS/FC de no máximo 600GB 15.000RPM utilizando RAID 5 (com no

Leia mais

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.)

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Tópicos Gerencia de Rede Motivação da Gerência Desafios Principais Organismos Padronizadores Modelo Amplamente Adotado As Gerências

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

(Solução para Filtro de Conteúdo WEB) Reunião de Audiência Prévia

(Solução para Filtro de Conteúdo WEB) Reunião de Audiência Prévia Edital de Concorrência Pública Internacional N.º 07633/2010 PROJETO BRA/03/038 (Solução para Filtro de Conteúdo WEB) Reunião de Audiência Prévia Às quinze horas e quinze minutos, do dia cinco de maio de

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes 1. Necessidades de Gerenciamento Por menor e mais simples que seja uma rede de computadores, precisa ser gerenciada, a fim de garantir, aos seus usuários,

Leia mais

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DOS PROFISSIONAIS QUE DEVERÃO COMPOR AS EQUIPES TÉCNICAS PREVISTAS NESSA CONTRATAÇÃO PARA AMBOS OS LOTES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Facilitando Negócios Conectando softwares com Magento Plataforma de E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Este documento

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3.

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3. TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em 1. OBJETO Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em conceitos da biblioteca ITIL V3 - Infrastructure

Leia mais

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Visão geral do Serviço Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Os Serviços de gerenciamento de dispositivos distribuídos ajudam você a controlar ativos

Leia mais

NORMAS PARA O USO DE SISTEMA DE PROTEÇÃO FIREWALL DE PERÍMETRO NO ÂMBITO DA REDE INFOVIA-MT

NORMAS PARA O USO DE SISTEMA DE PROTEÇÃO FIREWALL DE PERÍMETRO NO ÂMBITO DA REDE INFOVIA-MT CONSELHO SUPERIOR DO SISTEMA ESTADUAL DE E TECNOLOGIA DA NORMAS PARA O USO DE SISTEMA DE PROTEÇÃO FIREWALL DE PERÍMETRO NO ÂMBITO DA REDE INFOVIA-MT 1/10 CONSELHO SUPERIOR DO SISTEMA ESTADUAL DE E TECNOLOGIA

Leia mais

HP Router Advanced Implementation

HP Router Advanced Implementation HP Router Advanced Implementation Dados técnicos O HP Router Advanced Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto ao Cliente e na análise dos equipamentos existente,

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.)

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Unidade 3 3.1 Introdução 3.2. Definições 3.3. Motivações 3.4. Problemas 3.5. Desafios 3.6. Padronização e Arquitetura 3.7. Gerência

Leia mais

Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas

Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Documento confidencial Reprodução proibida 1 Introdução Em um mundo onde as informações fluem cada vez mais rápido e a comunicação se torna cada vez mais

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

Gerência e Administração de Redes

Gerência e Administração de Redes Gerência e Administração de Redes IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm Agenda! Apresentação da disciplina! Introdução! Tipos de Gerência! Ferramentas

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Repetidor / Access Point Wi Fi N - 300 Mbps WN9255. Guia Rápido de Instalação

Repetidor / Access Point Wi Fi N - 300 Mbps WN9255. Guia Rápido de Instalação Repetidor / Access Point Wi Fi N - 300 Mbps WN9255 Guia Rápido de Instalação Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Comtac. Antes que você possa utilizar o Repetidor /

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Resolução de Problemas

Gerenciamento de Redes de Computadores. Resolução de Problemas Resolução de Problemas É preciso que o tempo médio entre as falhas sejam o menor possível. É preciso que o tempo médio de resolução de um problema seja o menor possível Qualquer manutenção na rede tem

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES O sistema digital de radiocomunicação será constituído pelo Sítio Central, Centro de Despacho (COPOM) e Sítios de Repetição interligados

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

No item 2.10 é mencionada a ferramenta de controle de acesso. Qual o nível de integração requerido e quais os métodos disponíveis nesta ferramenta?

No item 2.10 é mencionada a ferramenta de controle de acesso. Qual o nível de integração requerido e quais os métodos disponíveis nesta ferramenta? Perguntas: 1. 2. 3. Entendemos que o processo de mudança será realizado através do CMDB atual e que esta mudança deverá ser refletida na solução de DCIM. Além deste processo haverá alguma outra forma de

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

Rede GlobalWhitepaper

Rede GlobalWhitepaper Rede GlobalWhitepaper Janeiro 2015 Page 1 of 8 1. Visão Geral...3 2. Conectividade Global, qualidade do serviço e confiabilidade...4 2.1 Qualidade Excepcional...4 2.2 Resiliência e Confiança...4 3. Terminais

Leia mais

Implementação do IPv6 na Vivo. Status e Principais Desafios

Implementação do IPv6 na Vivo. Status e Principais Desafios Implementação do IPv6 na Vivo Status e Principais Desafios 01 Endereçamento IPv4 Alocação na Vivo A Vivo possui amplo portfólio de serviços baseados em IP, tanto para usuários domésticos quanto corporativos.

Leia mais

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center.

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center. TACTIUM IP com Integração à plataforma Asterisk Vocalix Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

Guia de Instalação de Software

Guia de Instalação de Software Guia de Instalação de Software Este manual explica como instalar o software por meio de uma conexão USB ou de rede. A conexão de rede não está disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF. Fluxograma

Leia mais

Guia de Instalação de Software

Guia de Instalação de Software Guia de Instalação de Software Este manual explica como instalar o software através de uma ligação USB ou de rede. A ligação de rede não se encontra disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF.

Leia mais

Sumário. 4. Clique no botão Salvar & Aplicar para confirmar as alterações realizadas no. Reiniciar o SIMET- BOX

Sumário. 4. Clique no botão Salvar & Aplicar para confirmar as alterações realizadas no. Reiniciar o SIMET- BOX Manual do usuário Sumário Introdução... 3! Instalar o SIMET-BOX... 4! Primeiro acesso ao SIMET-BOX... 5! Estado Atual... 7! Visão Geral... 7! Gráficos... 8! Rede... 9! Rede sem fio... 9! Ativar rede sem

Leia mais

Contrato de Adesão. As partes, acima qualificadas, têm entre si justas e acordadas as seguintes cláusulas e condições:

Contrato de Adesão. As partes, acima qualificadas, têm entre si justas e acordadas as seguintes cláusulas e condições: A Contratada Fundação CPqD Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações, sediada na Rodovia Campinas/Mogi-Mirim (SP-340), Km 118,5, em Campinas SP, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 02.641.663/0001-10

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira INTRODUÇÃO Os Access Points ou ponto de acesso wi-fi são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes sem fio e com fio (infraestrutura).

Leia mais

HP Network Core Implementation

HP Network Core Implementation HP Network Core Implementation Dados técnicos O serviço HP Network Core Implementation tem como objetivo, através de uma análise técnica no ambiente de rede local, realizar a implementação de uma proposta

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço

Acordo de Nível de Serviço VERSÃO 20120815 Acordo de Nível de Serviço Gestão Compartilhada Página. 2 de 13 Sumário PARTE 1... 3 1 INTRODUÇÃO... 3 2 DEFINIÇÕES... 4 2.1 GESTÃO COMPARTILHADA... 4 2.2 PROVEDOR... 4 2.3 CLIENTE... 4

Leia mais