RFP REQUISIÇÃO DE PROPOSTAS Processos de aferição dos indicadores de qualidade RGQ-SCM e RGQ-SMP ANEXO II - Requisitos Técnicos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RFP REQUISIÇÃO DE PROPOSTAS Processos de aferição dos indicadores de qualidade RGQ-SCM e RGQ-SMP ANEXO II - Requisitos Técnicos."

Transcrição

1 RFP REQUISIÇÃO DE PROPOSTAS Processos de aferição dos indicadores de qualidade RGQ-SCM e RGQ-SMP ANEXO II - Requisitos Técnicos. ID CATEGORIA / SOFTWARE / AMBOS REQ.01 Arquitetura AMBOS ALTA DISPONIBILIDADE REQ.02 Arquitetura AMBOS REQUISITO ARQUITETURA DA SOLUÇÃO DESCRIÇÃO APRESENTAR DIAGRAMA E SOLUÇÃO COM AMBIENTE DE SERVIDORES DE MEDIDAS E BASE DE DADOS, REDUNDANTES E DE ALTA DISPONIBILIDADE (99.99%) FORNECEDOR DEVE APRESENTAR DESENHOS TÉCNICOS DE ARQUITETURA DA SOLUÇÃO, EXPLICANDO : - MODULOS DA SOLUÇÃO INSTALADOS POR SERVIDORES - TOPOLOGIA DA SOLUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS ELEMENTOS, SEPARANDO EM CAMADAS DE: A) ACESSO USUÁRIO (PROBES) x PTT, B) COLETA DOS SERVIDORES DO PTT, C) MEDIAÇÃO E PROCESSAMENTO CENTRAL, D) REPORTS, BI E AUDITORIA E) ITENS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (FIREWALL, CONTROLE DE ACESSO, DDOS, ETC) RELEVÂNCIA NOME DO PROPONENTE: FORMA DE ATENDIMENTO ESFORÇO NECESSÁRIO DESCREVER COMO ATENDE AO REQUISITO Exemplo1: REQ.03 Auditoria AMBOS ENRIQUECIMENTO ITENS DA OPERADORA SOLUÇÃO POSSUI MÉTODO PARA VALIDAR JUNTO A OPERADORA DADOS RELATIVOS A MEDIÇÃO: PRODUTO CONTRATADO, MUDANÇA DE PACOTE NO PERÍODO, ESTOURO DE FRANQUIA. A SOLUÇAO DEVE GARANTIR A NÃO IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE PELA PRESTADORA. REQ.04 Auditoria AMBOS SUPORTE DUAL STACK REQ.05 Auditoria AMBOS SUPORTE IPV4 REQ.06 Auditoria AMBOS SUPORTE IPV6 SOLUÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AFERIÇÕES INDEPENDENTES EM AMBIENTES: - SIMULTANEAMENTE COM IPV4 E IPV6 SOLUÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AFERIÇÕES INDEPENDENTES EM AMBIENTES: - SOMENTE IPV4 SOLUÇÃO DEVE ESTAR PREPARADA PARA AFERIÇÕES INDEPENDENTES EM AMBIENTES: - SOMENTE IPV6 REQ.07 Auditoria AMBOS VALIDAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOLUÇÃO POSSUI MÉTODO PARA VALIDAR JUNTO A OPERADORA DADOS RELATIVOS A MEDIÇÃO: CLIENTE, LOCALIZAÇÃO, SERIAL DO EQUIPAMENTO, TECNOLOGIA DE ACESSO (CABO, WIMAX, SATELITE, FTTH, ADSL, 3G, ETC), IP DE ORIGEM, VERSIONAMENTO DO SOFTWARE (PARAMETRIZAÇÃO). A SOLUÇAO DEVE GARANTIR A NÃO IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE PELA PRESTADORA. REQ.08 Banco de Dados AMBOS BANCO DE DADOS SOLUÇÃO APRESENTADA UTILIZA BANCO DE DADOS COMERCIAL REQ.09 Banco de Dados AMBOS LOGS E AUDITORIA REQ.10 Capacidade AMBOS REQ.11 Capacidade CAPACITY PLANNING DA SOLUÇÃO DIMENSIONAMENTO SOLUÇÃO REQ.12 Capacidade AMBOS MEDIAÇÃO REQ.13 Capacidade AMBOS SERVIDOR DE MEDIÇÃO REQ.14 Funcionaidade AMBOS INDICADORES SOLUÇÃO DO FORNECEDOR POSSUI LOGS E ARMAZENAMENTO DOS DADOS BRUTOS E DETALHADOS DAS COLETAS, BEM COMO OS DADOS APÓS O PROCESSO DE MEDIAÇÃO, DE FORMA QUE POSSAM SER APRESENTADOS EM CASO DE CONTESTAÇÃO, CERTIFICAÇÃO OU AUDITORIA DE ACORDO COM O PRAZO DE ARMAZENAMENTO/RETENÇÃO DE INFORMAÇÕES ESTABELECIDO NO REGULAMENTO. É NECESSÁRIO INFORMAR QUAIS SÃO OS DADOS PASSIVEIS DE ARMAZENAMENTO, BEM COMO OS SEUS FORMATOS. O FORNECEDOR DEVERÁ APRESENTAR QUAL O SIZING CONSIDERADO NO PROJETO, OS ITENS QUE INFLUENCIAM O CAPACITY PLANNING (LEVANDO EM CONTA O AUMENTO DA BASE DE BANDA LARGA NO BRASIL) E SUA MONITORAÇÃO. EX: SERVIDORES, COLETORES, LINKS, PROBES, ROTEADORES, STORAGE, ETC. DEVE TER HARDWARE DIMENSIONADO E COMPATIVEL COM A NECESSIDADE DOS TESTES A SEREM REALIZADOS, NÃO PODENDO INFLUENCIAR NO RESULTADO DOS TESTES. A SOLUÇÃO DEVE CONTEMPLAR FUNCIONALIDADES DE COLETA, AGREGAÇÃO, ENRIQUECIMENTO, DESCARTE, NORMALIZAÇÃO, ETC. SERVIDOR DE MEDIÇÃO DEVE TER CAPACIDADE PARA ATENDER À DEMANDA DE MEDIÇÕES SIMULTÂNEAS ENVOLVIDAS NO PROJETO. A PROPONENTE DEVE INFORMAR ESTA CAPACIDADE MÁXIMA DE MEDIÇÕES INSTANTÂNEAS. LIMITAÇÕES DA SOLUÇÃO NÃO PODEM COMPROMETER O RESULTADO DAS MEDIÇÕES. INFORMAR COMO SERÁ PREVISTA A EVOLUÇÃO DA SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO COM O AUMENTO DA DEMANDA. O SERVIDOR DE MEDIÇÃO DEVE ESTAR INSTALADO NO PTT. A PROPONENTE DEVERÁ FORNECER DETALHADAMENTE AS MÉTRICAS UTILIZADAS PARA MEDIÇÃO EM CADA INDICADOR, BEM COMO OS ITENS DE PROTOCOLO, PORTA, ETC. USAR PREFERENCIALMENTE PORTAS PADRÃO PARA TCP E UDP

2 REQ.15 SOFTWARE REQ.16 ATUALIZAÇÃO FORA DE CONTRATO REQ.17 SOFTWARE COMPATIBILIDADE A SOLUÇÃO NÃO DEVE PERMITIR QUE SE MANTENHA INSTALADA NO AMBIENTE DO USUÁRIO E OU ATUALIZADA NO CASO DE ROMPIMENTO DE RELACIONAMENTO COMERCIAL COM A PROPONENTE. CÓDIGO ABERTO BASEADA EM CÓDIGO ABERTO SOLUÇÃO DE SOFTWARE DEVE SER COMPATÍVEL COM: WINDOWS XP, VISTA E 7 ANDROID 2.1 E POSTERIORES IOS (APPLE) MAC OS LINUX (ESPECIFICAR QUAIS DISTRIBUIÇÕES) RIM REQ.18 SOFTWARE DADOS DE HARWARE REQ.19 funcionalidade SOFTWARE GUI SOLUÇÃO PODE SER UTILIZADA EM PCS, SMARTPHONES E TABLETS A SOLUÇÃO DEVE COLETAR E CONSIDERAR NO CÁLCULO DA MEDIÇÃO OS ITENS DO COMPUTADOR EM QUE O SOFTWARE ESTIVER INSTALADO. EXEMPLOS: * Memória * CPU * Tráfego interfaces (IN/OUT) * Tipo da interface (WIRELESS, ETHERNET, USB) * DETECÇÃO DOS DADOS DO MICRO DO USUÁRIO (EX: SYSTEMINFO DO WINDOWS 7) * OUTRAS APLICAÇÕES CONCORRENTES NO MOMENTO DA MEDIÇÃO O desenvolvimento da Interface Gráfica do Software de Medição de Qualidade de Banda Larga deve ser aprovado pelas Prestadoras e a Anatel. A interface do usuário não deve conter nenhuma informação que identifique a Proponente responsável pelo desenvolvimento do software e deve ser descaracterizada de qualquer nomenclatura comercial ou institucional. O Software deverá ter sua interface de apresentação para usuário na Língua Portuguesa. A interface visualizada pelo usuário será de propriedade e domínio das empresas representadas no GIPAQ. REQ.20 SOFTWARE HISTÓRICO DO CLIENTE O CLIENTE PODERÁ CONSULTAR O SEU HISTÓRICO DE MEDIÇOES ARMAZENADO LOCALMENTE. REQ.21 INDISPONIBILIDADE REQ.22 AMBOS ISOLAMENTO DE TRAFEGO REQ.23 AMBOS REQ.24 REQ.25 SOLUÇÃO DEVE CONSIDERAR NO CÁLCULO DE INDISPONIBILIDADE EVENTOS COMO: - FALTA DE ALIMENTAÇÃO - PERÍODO EM QUE FICOU DESLIGADO OU HIBERNANDO - PROBLEMAS DE CONECTIVIDADE FÍSICA - RESETS - ETC. A solução deverá garantir que não existam outras aplicações realizando tráfego de dados durante a medição. Caso haja trafego do cliente não poderá haver a realização da medição e, no caso do software, o usuário deverá ser informado na interface da aplicação MAPEAMENTO SOLUÇÃO DEVERÁ MAPEAR AS COORDENADAS GEOGRÁFICAS OU ENDEREÇO COMPLETO DOS GEOGRÁFICO PONTOS DE MEDIÇÃO DEVE TER OPÇÃO DE CONECTAR NO CENÁRIO: - OPERAÇÃO COMO BRIDGE ; MODO DE OPERAÇÃO 1 - POSICIONADO ENTRE O MODEM E O CPE DO CLIENTE - 1 PORTA WAN FAST ETHERNET / 3G E 1 PORTAS FAST ETHERNET DEVE TER OPÇÃO DE CONECTAR NO CENÁRIO: - OPERAÇÃO COMO ROUTER; MODO DE OPERAÇÃO 2 - POSICIONADO ENTRE O MODEM E O CPE DO CLIENTE - 1 PORTA WAN FAST ETHERNET / 3G E 4 PORTAS FAST ETHERNET REQ.26 MODO DE OPERAÇÃO 3 - SCM: DEVE TER A OPÇÃO DE CONECTAR NO CENÁRIO: AMBIENTES OUTDOOR E INDOOR, NO ENDEREÇO DO ASSINANTE, QUE MITIGUEM A INTERFERENCIA DE REDE INTERNA DO USUÁRIO. - SMP: A SOLUÇÃO DEVE GARANTIR QUE AS CONDIÇÕES DE MEDIÇÕES SEJAM ESTÁVEIS E CONTROLADAS.

3 REQ.28 SOFTWARE NÃO-EXECUTÁVEL REQ.29 AMBOS PARAMETRIZÁVEL REQ.30 SOFTWARE SOFTWARE SCM REQ.31 SOFTWARE SOFTWARE SMP REQ.32 TÉCNICAS DE TRANSIÇÃO REQ.33 SOFTWARE TERMO DE ACEITE REQ.34 AMBOS TRÁFEGO ASSIMÉTRICO PARA O SCM A SOLUÇÃO DE SOFTWARE NÃO DEVE TER UM APLICATÍVO EXECUTÁVEL INSTALADO NO DISPOSITIVO DO USUÁRIO FINAL. O SOFTWARE DEVERÁ FICAR ACESSÍVEL AO CLIENTE VIA WEB BROWSER. A SOLUÇÃO DEVE SER PARAMETRIZÁVEL QUANTO AS DEFINIÇÕES E ALTERAÇÕES DE NORMAS TÉCNICAS, BEM COMO AS MÉTRICAS DEFINIDAS NOS REGULAMENTOS, PROPOSTAS PELO FORNECEDOR, PELA EAQ E APROVADAS PELO GIPAQ, EXEMPLO: * Geração de pacotes * Tipos de pacotes * Tamanho dos pacotes * Tráfego unidirecional - bidirecional * Periodicidade e intervalo na geração de pacotes e coleta * etc A PROPONENTE DEVERÁ DISPONIBILIZAR EM 29/02/2012, PARA O SCM, VERSÃO DE SOFTWARE QUE CONTEMPLE OS REQUISITOS PREVISTOS NO REGULAMENTO DE QUALIDADE DO SCM, BEM COMO O MANUAL E ESCOPO TÉCNICO DA SOLUÇÃO. A SOLUÇÃO DISPONIBILIZADA DEVERÁ ESTAR APTA A EVOLUÇÕES/APRIMORAMENTOS AO LONGO DOS TRABALHOS DO GIPAQ, CONSIDERANDO, INCLUSIVE, A POSSIBILIDADE DE SUBSTITUIÇÃO DO SOFTWARE, SEM CONSTITUIR DEPENDÊNCIA TÉCNICA DAS OPERADORAS. A PROPONENTE DEVERÁ DISPONIBILIZAR EM 31/10/2012, PARA O SMP, VERSÃO DE SOFTWARE QUE CONTEMPLE OS REQUISITOS PREVISTOS NO REGULAMENTO DE QUALIDADE DO SMP, BEM COMO O MANUAL E ESCOPO TÉCNICO DA SOLUÇÃO. A SOLUÇÃO DISPONIBILIZADA DEVERÁ SER TESTADA A PARTIR DE 31/07/2012 E ESTAR APTA A EVOLUÇÕES/APRIMORAMENTOS AO LONGO DOS TRABALHOS DO GIPAQ. O HARDWARE DEVERÁ POSSUIR SUPORTE ÀS TÉCNICAS DE TRANSIÇÃO: - DS LITE - 6RD - DUAL STACK NATIVO - NAT 64 - NAT 44 A SOLUÇÃO DEVE TER UMA PÁGINA COM O EXPRESSO ACEITE DO USUÁRIO CONCORDANDO COM A INSTALAÇÃO DO SOFTWARE, QUANDO FOR O CASO. O CONTEÚDO DO TERMO SERÁ DEFINIDO POSTERIORMENTE. A SOLUÇÃO DEVERÁ CONSIDERAR PARA EFEITOS DE AFERIÇÃO, A MEDIÇÃO INDEPENDENTE DOS INDICADORES PARA TRÁFEGO ASSIMÉTRICO CONTRATADO NO PONTO E PERIODO DE MEDIÇÃO. REQ.35 AMBOS TRATAMENTO DE PROBLEMAS A proponente deverá informar na sua proposta como serão isolados ou tratados os problemas, interferências e degradações oriundas da Rede Interna do cliente uma vez que a operadora é responsável pela operação e manutenção até O PONTO DE DEMARCAÇÃO do cliente; Prevendo inclusive a exclusão dos impactos negativos da rede interna do cliente. REQ.36 AMBOS TRATAMENTO DE PROBLEMAS REQ.37 Gerência AMBOS ALARMES REQ.38 REQ.39 Gerência Gerência GERENCIAMENTO REMOTO GERENCIAMENTO REMOTO REQ.40 Gerência AMBOS MELHORES PRÁTICAS Proponente precisa apresentar solução de como tratar erros, upgrades, atualizações e correções executados durante o processo de aferição que pode interferir no cálculo dos indicadores; SOLUÇÃO FIM A FIM DEVE GERAR ALARMES NO CASO DE PROBLEMAS DE INCOMPATIBILIDADE, INCONSISTÊNCIA E DESCARTE DE DADOS, THRESHOLDS DE CAPACITY, ETC.. TODOS ESTES ITENS DEVEM ESTAR DISPONÍVEIS PARA AUDITORIA SOLUÇÃO DEVE CONTEMPLAR O GERENCIAMENTO REMOTO DO EQUIPAMENTO E O FORNECEDOR DEVERÁ EXPLICAR COMO PRETENDE REALIZAR ESTA FUNCIONALIDADE E QUE PROTOCOLO PRETENDE UTILIZAR PARA: * FALHAS * CONFIGURAÇÃO * PERFORMANCE * SEGURANÇA * APROVISIONAMENTO / ATUALIZAÇÃO A solução deve ter suporte a gerenciamento remoto via SNMP v.2 e TR-069 O PROPONENTE DEVERÁ ESCLARECER QUAIS ITENS DE MELHORES PRATICAS E STANDARDS UTILIZA PARA GERENCIAMENTO DA PLATAFORMA: SERIE X / M DO ITU-T, TM FORUM (FRAMEWORX), ITIL

4 REQ.41 Objeto AMBOS DOCUMENTAÇÃO REQ.42 Objeto AMBOS GERAL REQ.43 Objeto AMBOS GERAL REQ.44 Objeto AMBOS INTEGRADOR "PRIME" REQ.45 Objeto SOFTWARE NORMAS TÉCNICAS A Proponente tem que prover documentação de operação/manutenção do sistema, em papel e em CD-ROM no momento da entrega da solução Devem ser providos os documentos relativos a Operação e Manutenção obrigatoriamente em português. A Proponente tem que prover toda a informação necessária com as diretrizes para instalação: ambiente (condicionamento de ar, área, ac/dc, potência de consumo, proteção, firewalls, etc.), e todos os manuais e diretrizes para operação: customização, desenvolvimento, procedimentos de operação, os problemas mais comuns e erros, listas detalhadas de alarmes e advertências com o significado de cada um. Esses manuais têm que conter todas as informações necessárias, esquemático e diagramas de flowchart. As operadoras poderão fazer cópia (documentação em papel) e impressão (documentação em CD- ROM) para distribuição e usa entre seus empregados. A SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO DEVE ATENDER (FUNCIONALIDADES E PRAZOS) O REGULAMENTO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA (RGQ-SCM), ANEXO A RESOLUÇÃO Nº 574, DE 28/10/2011 E SEU ANEXO PARA O DIMENSIONAMENTO DE CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO E DE RECURSOS DE MEDIÇÃO SOLICITADAS, ASSOCIADOS AO SOFTWARE E INDICADORES DE REDE. A SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO DEVE ATENDER (FUNCIONALIDADES E PRAZOS) O REGULAMENTO DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL (RGQ-SMP), ANEXO A RESOLUÇÃO Nº 575, DE 28/10/2011 E SEU ANEXO PARA O DIMENSIONAMENTO DE CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO E DE RECURSOS DE MEDIÇÃO SOLICITADAS, ASSOCIADOS AO SOFTWARE E INDICADORES DE CONEXÃO DE DADOS SMP10 E SMP11. QUANTO A SOLUÇÃO TÉCNICA APRESENTADA, O FORNECEDOR CONCORDA EM ASSUMIR A FUNÇÃO DE INTEGRADOR E "PRIME", SENDO O RESPONSÁVEL PELO FORNECIMENTO E MANUTENÇÃO DA SOLUÇÃO COMO UM TODO. Todo o equipamento deve atender plenamente as normas definidas pela ABNT quanto a alimentação AC/DC e pela Anatel em relação à certificação de equipamentos de Telecomunicações REQ.46 PROJETO REQ.47 PROJETO AMBOS REQ.48 Segurança AMBOS DIMENSIONAMENTO FISICO METODOLOGIA E GERENCIA DE PROJETO DETECÇÃO E PREVENÇÃO DE ATAQUES DE DDoS O PROPONENTE DEVERÁ INFORMAR O DIMENSIONAMENTO FÍSICO COMPATÍVEL COM O PONTO DE MEDIÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DAS S FORNECIDAS. O PROPONENTE DEVERÁ APRESENTAR EM ANEXO A METODOLOGIA DE GERENCIAMENTE DE PROJETO, BEM COMO UMA PROPOSTA DE CRONOGRAMA, ALINHADO COM O GERAL DEFINIDO NO GIPAQ, ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO, ETC. DEVE ESPECIFICAR QUAIS AS REFERENCIAS DE MELHORES PRÁTICAS UTILIZADAS. A PROPONENTE DEVE APRESENTAR COMO SERÁ FEITA A SEGURANÇA DOS SERVIDORES DE MEDIÇÃO CONTRA POSSÍVEIS ATAQUES INDEPENDENTE DE SUA ORIGEM. REQ.49 Segurança AMBOS DETECÇÃO E PREVENÇÃO DE FRAUDES E ATAQUES DE DDoS REQ.50 Segurança AMBOS SEGURANÇA REQ.51 SLA da Solução SLA EQUIPAMENTO DEDICADO S REQ.52 SLA da Solução SERVIDORES SLA SERVIDORES REQ.53 Suporte AMBOS GARANTIA REQ.54 Suporte LOGISTICA - DISPONIBILIDADE E ESTOQUE REQ.57 Treinamento AMBOS TREINAMENTO FORNECEDOR DEVE EXPLICAR QUAIS AS FORMAS DE PREVENÇÃO E DETECÇÃO DE FRAUDES DA SOLUÇÃO FIM A FIM. EXEMPLOS: CONSIDERANDO A VIOLAÇÃO DE S, DETECÇÃO DE TRÁFEGO PELA OPERADORA AFERIDA, TUNELAMENTO, CRIPTOGRAFIA, ETC. SOLUÇÃO DEVE SEGUIR AS MELHORES PRÁTICAS DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO, PADRONIZAÇÃO DE LOGINS, CONTROLE DE ACESSO, PERFIL DE USUÁRIOS, ETC ATENDIMENTO 8HORAS x 5 DIAS POR SEMANA x NEXT BUSINESS DAY DISPONIBILIDADE 99.99% ATENDIMENTO 24HORAS x 7 DIAS POR SEMANA x 4 HORAS DE ATENDIMENTO x 8 HORAS DE SOLUÇÃO DE CONTORNO A SOLUÇÃO FIM A FIM TEM GARANTIA DE 1 ANO PARA OS COMPONENTES DE SOFTWARE E HARDWARE A PARTIR DA CARTA DE ACEITE / ENTRADA EM PRODUÇÃO. É RESPONSABILIDADE DO PROPONENTE A DISPONIBILIZAÇÃO, REPARO, SUBSTITUIÇÃO E UPGRADE DOS EQUIPAMENTOS NOS PONTOS DE DISTRIBUIÇÃO/ALMOXARIFADO DAS OPERADORAS. A proponente deverá retornar o equipamento reparado, ou um novo, para o almoxarifado das operadoras no máximo em até 03 dias úteis. A PROPONENTE DEVERÁ PROPOR ESCOPO DE TREINAMENTO TÉCNICO E OPERACIONAL PARA AS OPERADORAS ABRANGENDO A SOLUÇÃO DE GERÊNCIA, OPERAÇÃO DE CAMPO, CENTRAL DE ATENDIMENTO E SUPORTE. Todos os treinamentos devem ser administrados na lingua Portuguesa. REQ.56 Suporte AMBOS SUPORTE TÉCNICO O PROPONENTE DEVERÁ PROVIDENCIAR OS CONTRATOS NECESSÁRIOS COM OS FORNECEDORES E FABRICANTES TERCEIROS ENVOLVIDOS NOS COMPONENTES DA SOLUÇÃO. REQ.58 AMBOS ADSL Solução disponível para medição de rede com tecnologia ADSL. Informar para quais versões (G.DMT, G.lite, ADSL2, ADSL2+, etc.) REQ.59 AMBOS VDSL Solução disponível para medição de rede com tecnologia VDSL.

5 Solução disponivel para medição de rede com as tecnologias de transmissão de dado contratadas pelo usuário. REQ.60 AMBOS Móveis A Solução deve considerar as medições em tecnologias diferentes, caso ocorra degradação dentro da mesma área de cobertura. REQ.61 AMBOS WIMAX Solução disponível para medição de rede com tecnologia WIMAX. REQ.62 AMBOS SATELITE Solução disponível para medição de rede com tecnologia satélite. REQ.63 AMBOS FTTX Solução disponível para medição de rede com tecnologia FTTx GPON. REQ.64 AMBOS CABLE Solução disponível para medição de rede com tecnologia CABLE (DOCSIS 1.0, 1.1, 2.0 e 3.0). REQ.66 AMBOS OUTRAS TECNOLOGIAS Solução disponível para medição de rede com outras tecnologias. Informar quais. REQ.67 Suporte AMOSTRAGEM A EAQ é responsável pela escolha, teste e aprovação dos voluntários onde serão realizados os testes. REQ.68 Suporte AMBOS SUPORTE TÉCNICO A proponente deverá ter a capacidade de realizar suporte técnico e atendimento a EAQ e as Prestadoras no idioma português REQ.69 Suporte AMBOS GESTÃO DOS CHAMADOS A proponente deverá possuir um sistema que permita o acompanhamento (via web) do status do chamado aberto até o seu encerramento. REQ.70 Capacidade AMBOS SERVIDOR DE MEDIÇÃO SERVIDOR DE MEDIÇÃO E EQUIPAMENTOS AGREGADOS COMPONENTES DA SOLUÇÃO (EX:FIREWALL) DEVE TER DISPONIBILIDADE DE PORTAS GIGAETHERNET. A PROPONETE DEVERÁ INFORMAR COMO SERÁ A EVOLUÇÃO DA SOLUÇÃO DE MEDIÇÃO COM O AUMENTO DA DEMANDA. O SERVIDOR DE MEDIÇÃO DEVE ESTAR INSTALADO NO PTT. REQ.71 AMBOS SERVIDOR DE MEDIÇÃO A SOLUÇÃO DEVE PREVER A ESCOLHA DO SERVIDOR DE MEDIÇÃO COM MENOR MÉTRICA DE LATÊNCIA ENTRE O CLIENTE E O PTT E TAMBÉM A POSSIBILIDADE DE APONTAMENTO ESTÁTICO. A PROPONENTE DEVERÁ INFORMAR COMO SERÁ FEITO O DIRECIONAMENTO DA MEDIÇÃO PARA O SERVIDOR DE MEDIDA INSTALADO NO PTT. REQ. 72 Objeto Experiência REQ. 73 Objeto SOFTWARE Experiência REQ. 74 Objeto Experiência REQ. 75 Objeto SOFTWARE Experiência FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE AFERIÇÃO DE INDICADORES DE REDES DE BANDA LARGA FIXA OBJETO DESTA RFP. FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NO FORNECIMENTO DO SOFTWARE DE USUÁRIO FIXO OBJETO DESTA RFP. FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE AFERIÇÃO DE INDICADORES DE REDES DE BANDA LARGA MÓVEL OBJETO DESTA RFP. FORNECEDOR DEVE APRESENTAR COMPROVAÇÃO DE EXPERIÊNCIA SEMELHANTE NO FORNECIMENTO DO SOFTWARE DE USUÁRIO MÓVEL OBJETO DESTA RFP.

6 RELEVÂNCIA DO REQUISITO NÃO ATENDE FORMA DE ATENDIMENTO ESFORÇO PARA ATENDIMENTO COMPLETO DO REQUISITO ATENDE PARCIAL - DESENVOLVIMENTO ALTO ( > 6 MESES) ATENDE PARCIAL - CUSTOMIZAÇÃO MÉDIO (2 A 6 MESES) ATENDE PARCIAL - CONFIGURAÇÃO / PARAMETRIZAÇÃO BAIXO (0-2 MESES) ATENDE - OUT OF BOX ATENDE PRONTAMENTE (ENTREGA IMEDIATA) NÃO ATENDE ATENDE PARCIAL - DESENVOLVIMENTO ALTO (TOTALMENTE OPERACIONAL EM 01/11/2012) ATENDE PARCIAL - CUSTOMIZAÇÃO MÉDIO (2 A 6 MESES) ATENDE PARCIAL - CONFIGURAÇÃO / PARAMETRIZAÇÃO BAIXO (0-2 MESES) ATENDE - OUT OF BOX ATENDE PRONTAMENTE (ENTREGA IMEDIATA) PONTUAÇÃO QUALITATIVO INSATISFATÓRIO SATISFATÓRIO SUPERA EXPECTATIVA FATOR DE MULTIPLICAÇÃO Legenda Software Equipamento dedicado - Probe Descrição Aplicativo disponibilizado para o dispositivo do assinante/usuário que estabelece sessão com o Servidor de Medida, quando solicitada pelo assinante/usuário, para efetuar as medições das metricas de qualidade da Internet banda larga estabelecidas nos Regulamentos de Qualidade da ANATEL do SCM e do SMP Referente ao PROCESSO DE AFERIÇÃO DOS INDICADORES DE REDE - Dispositivo que estabelece sessão com o Servidor de Medida para efetuar as medições de forma contínua das métricas de qualidade da Internet banda larga estabelecidas no RGQ - SCM e RGQ - SMP. Este dispositivo tem como premissa garantir que as medidas de qualidade não tenham influência do ambiente do assinante/usuário. Ambos Quando o requisito é aplicado ao Software e ao Equipamento dedicado - Probe Servidores Equipamentos utilizados para compor a Solução de medição além do software e do equipamento dedicado (Probe)

7 DEFINIÇÃO DE PTT PTT - Solução de rede com o objetivo de viabilizar a interligação direta entre redes de transporte que utilizam diferentes políticas de roteamento de tráfego. Os pontos de medição serão pontos de presença na rede da prestadora, aptos a viabilizar a troca de tráfego internet com outras redes.

8

9

AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT/SENADO EAQ BANDA LARGA. 22 de Março de 2012 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br

AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT/SENADO EAQ BANDA LARGA. 22 de Março de 2012 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT/SENADO EAQ BANDA LARGA 22 de Março de 2012 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br Sobre o NIC.br NIC.br Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR Entidade civil, sem fins lucrativos,

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação Técnica Última atualização em 31 de março de 2010 Plataformas Suportadas Agente: Windows XP e superiores. Customização de pacotes de instalação (endereços de rede e dados de autenticação).

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

Regulamento de Gestão da Qualidade do SCM e do SMP. Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados - SPV Anatel

Regulamento de Gestão da Qualidade do SCM e do SMP. Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados - SPV Anatel Regulamento de Gestão da Qualidade do SCM e do SMP Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados - SPV Anatel Brasília/DF Março/2012 Agenda Base Regulatória; GIPAQ; Princípios; Processo

Leia mais

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET 1. Objetivo 1.1. Contratação de serviços para fornecimento de uma solução de conexão IP Internet Protocol que suporte aplicações TCP/IP e disponibilize a PRODEB acesso a rede mundial de computadores Internet,

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Milton Kashiwakura (Fabrício Tamusiunas)

Milton Kashiwakura (Fabrício Tamusiunas) Medição de Tráfego Internet de Banda Fixa usando os PTTs Milton Kashiwakura (Fabrício Tamusiunas) NIC.br NIC.BR conduz projeto de medição de qualidade desde 2006 IDEC São Paulo, em 2007 TTM-box do RIPE

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Implementação do IPv6 na Vivo. Status e Principais Desafios

Implementação do IPv6 na Vivo. Status e Principais Desafios Implementação do IPv6 na Vivo Status e Principais Desafios 01 Endereçamento IPv4 Alocação na Vivo A Vivo possui amplo portfólio de serviços baseados em IP, tanto para usuários domésticos quanto corporativos.

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS Sumário 1. Finalidade... 2 2. Justificativa para contratação... 2 3. Premissas para fornecimento e operação

Leia mais

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Comentários MINUTA TERMO DE REFERENCIA Lote 9A ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Resposta: Fica mantido o texto da minuta do TR. 2.2 O provimento

Leia mais

HTVix HA 211. Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro)

HTVix HA 211. Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro) 1 HTVix HA 211 1. Interfaces Entrada de alimentação 12VDC / 500mA (Positivo no centro) Conector RJ11 para conexão de aparelho telefônico analógico ou o adaptador para telefone e rede de telefonia convencional

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

QUALIDADE DOS SERVIÇOS E RESPEITO AO CONSUMIDOR REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO NOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

QUALIDADE DOS SERVIÇOS E RESPEITO AO CONSUMIDOR REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO NOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES QUALIDADE DOS SERVIÇOS E RESPEITO AO CONSUMIDOR REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO NOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES 07 de AGOSTO de 2013 Milton Kaoru Kashiwakura NIC.br Sobre o CGI.br Comitê Gestor da Internet no

Leia mais

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Draft para avaliação 1 de 1 SOFTWARE DE MEDIÇÃO DA QUALIDADE DE CONEXÂO Em cumprimento às obrigações previstas no Regulamento de

Leia mais

Anexo IV PLANILHA DESCRITIVA DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Anexo IV PLANILHA DESCRITIVA DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Anexo IV PLANILHA DESCRITIVA DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Requisito Descrição 6.1 - Produtos de Hardware 6.1.1. GRUPO 1 - IMPRESSORA TIPO I (MONOCROMÁTICA 20PPM - A4) 6.1.1.1. TECNOLOGIA DE IMPRESSÃO 6.1.1.1.1.

Leia mais

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço.

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço. 1 Dúvida: PROJETO BÁSICO Item 4.1.1.1.2 a) Entendemos que o Suporte aos usuários finais será realizado pelo PROPONENTE através de um intermédio da CONTRATANTE, que deverá abrir um chamado específico para

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DOS PROFISSIONAIS QUE DEVERÃO COMPOR AS EQUIPES TÉCNICAS PREVISTAS NESSA CONTRATAÇÃO PARA AMBOS OS LOTES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES O sistema digital de radiocomunicação será constituído pelo Sítio Central, Centro de Despacho (COPOM) e Sítios de Repetição interligados

Leia mais

Processo de Implantação IPv6 A Ç Õ E S N R S

Processo de Implantação IPv6 A Ç Õ E S N R S Processo de Implantação IPv6 A Ç Õ E S N R S Histórico do IPv6 na NET Até 2010 2011 2012 2013-14 2015 * Idéia era apenas IPv6 c/nat64 * Piloto nos EUA e Laboratorio para verificar impactos e suporte IPv6

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA)

TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) TERMO DE USO DE SERVIÇO DE VALOR ADICIONADO (SVA) Código do Serviço: 3005001 Nome do Serviço: Data de Publicação: 30/04/2013 Entrada em Vigor: SAN AUTENTICAÇÃO 01/06/2013 Versão: 1.0000 Status: Publicado

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX.

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. APRESENTAÇÃO A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. AI METRIX é o nome original da empresa que desenvolveu o software

Leia mais

Aimetis Symphony. Software de vigilância inteligente por vídeo Gerenciamento de vídeo. Análise de vídeo. Em harmonia. www.aimetis.

Aimetis Symphony. Software de vigilância inteligente por vídeo Gerenciamento de vídeo. Análise de vídeo. Em harmonia. www.aimetis. Aimetis Symphony Software de vigilância inteligente por vídeo Gerenciamento de vídeo. Análise de vídeo. Em harmonia. www.aimetis.com Vigilância com vida útil prolongada Migre do CCTV analógico para vigilância

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. O processo de Navegação na Internet A CONEXÃO USUÁRIO

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

HP Network Core Implementation

HP Network Core Implementation HP Network Core Implementation Dados técnicos O serviço HP Network Core Implementation tem como objetivo, através de uma análise técnica no ambiente de rede local, realizar a implementação de uma proposta

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (setembro/13) outubro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Positivo Network Manager 4

Positivo Network Manager 4 Positivo Network Manager 4 O gerenciamento eficiente de informações e de tecnologia da informação (TI) é um fator reconhecidamente crítico na maioria das organizações. As informações e as tecnologias que

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Documento publicado em atenção às determinações constantes da Resolução n.º 574/2011.

Documento publicado em atenção às determinações constantes da Resolução n.º 574/2011. Documento publicado em atenção às determinações constantes da Resolução n.º 574/2011. Cartilha Informativa acerca da Qualidade do SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) Documento publicado em atenção

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente)

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente) BEMATECH LOJA LIVE Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente) Versão 1.0 03 de março de 2011 DESCRIÇÃO Este documento oferece uma visão geral dos requerimentos e necessidades de infra-estrutura

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

Gerenciador de sistemas Gerenciamento de dispositivo móvel com base em nuvem

Gerenciador de sistemas Gerenciamento de dispositivo móvel com base em nuvem Gerenciador de sistemas Gerenciamento de dispositivo móvel com base em nuvem Resumo O Gerenciador de sistemas da Meraki fornece gerenciamento centralizado em nuvem e pelo ar, diagnósticos e monitoramento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk.

RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk. RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk. PERGUNTA 1: Sobre o Item Minuta Contratual: CONSIDERANDO QUE O ONS É UMA PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

MONITOR BANDA LARGA: TRANSFORMANDO USUÁRIOS EM FISCALIZADORES DA INTERNET. Fabrício Tamusiunas NIC.br

MONITOR BANDA LARGA: TRANSFORMANDO USUÁRIOS EM FISCALIZADORES DA INTERNET. Fabrício Tamusiunas NIC.br MONITOR BANDA LARGA: TRANSFORMANDO USUÁRIOS EM FISCALIZADORES DA INTERNET Fabrício Tamusiunas NIC.br O que é uma internet de qualidade? Qualidade da internet é muito mais que velocidade! Teste de Vazão

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 3.0 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para

Leia mais

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Windows Server 2012 Virtualização Hyper-v Firewall Pfsense C o n t e ú d o d o c u r s o H a n d s - on 2 Sumário 1 Conteúdo Windows 2012... 3 2 Conteúdo Virtualização...

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores ALGUNS CONCEITOS Rede de Computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 OBJETIVO 1. Compartilhar recursos computacionais disponíveis sem considerar a localização física

Leia mais

ITEM QUESTIONAMENTO DECISÃO JUSTIFICATIVA. Qual o motivo da solicitação desta licença? Ela é compatível / necessária para o serviço?

ITEM QUESTIONAMENTO DECISÃO JUSTIFICATIVA. Qual o motivo da solicitação desta licença? Ela é compatível / necessária para o serviço? EMPRESA 1 ITEM QUESTIONAMENTO DECISÃO JUSTIFICATIVA 5.2 Apresentar o termo de autorização expedido pela Anatel para prestação de serviço de rede de transportes de telecomunicações SRTT e para prestação

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Sobre a OpServices Fabricante de software focada no gerenciamento de ambientes de TI e Telecom e processos de negócios. Mais de 12 anos de experiência no monitoramento de indicadores de infraestrutura;

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Termo de Referência Pág 1 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa para prestação de serviços especializados de Data Center e hospedagem de web sites (hosting) em servidores dedicados e gerenciados, por um

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

SIMET Medindo a qualidade das conexões Internet no Brasil. Fabricio Tamusiunas fabricio@nic.br César Linhares Rosa cesar@nic.br

SIMET Medindo a qualidade das conexões Internet no Brasil. Fabricio Tamusiunas fabricio@nic.br César Linhares Rosa cesar@nic.br SIMET Medindo a qualidade das conexões Internet no Brasil Fabricio Tamusiunas fabricio@nic.br César Linhares Rosa cesar@nic.br NIC.br Criado para implementar os projetos e decisões do CGI.br Registro e

Leia mais

ANEXO XII PADRÃO DE CONTRATAÇÃO DE LINKS DE DADOS DO TIPO LPCDSLDD ADOTADO NO ÂMBITO DA PCRJ

ANEXO XII PADRÃO DE CONTRATAÇÃO DE LINKS DE DADOS DO TIPO LPCDSLDD ADOTADO NO ÂMBITO DA PCRJ PADRÃO DE CONTRATAÇÃO DE LINKS DE DADOS DO TIPO LPCDSLDD ADOTADO NO ÂMBITO DA PCRJ 1. Objetivo - Finalidade Objetivo: Especificar/descrever e detalhar a contratação de prestação de Serviços de Rede de

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica 1. Arquitetura da Aplicação 1.1. O Banco Postal utiliza uma arquitetura cliente/servidor WEB em n camadas: 1.1.1. Camada de Apresentação estações de atendimento, nas

Leia mais

Winconnection 6. Internet Gateway

Winconnection 6. Internet Gateway Winconnection 6 Internet Gateway Descrição Geral O Winconnection 6 é um gateway de acesso à internet desenvolvido dentro da filosofia UTM (Unified Threat Management). Assim centraliza as configurações

Leia mais

Desenvolva Sistemas de Medições Distribuídos e Portáteis

Desenvolva Sistemas de Medições Distribuídos e Portáteis Desenvolva Sistemas de Medições Distribuídos e Portáteis Henrique Tinelli Engenheiro de Marketing Técnico NI Nesta apresentação, iremos explorar: Plataforma NI CompactDAQ Distribuída Sistemas de Medição

Leia mais

HP Router Advanced Implementation

HP Router Advanced Implementation HP Router Advanced Implementation Dados técnicos O HP Router Advanced Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto ao Cliente e na análise dos equipamentos existente,

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Symantec Discovery. Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas

Symantec Discovery. Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas Symantec Discovery Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas VISÃO GERAL O Symantec Discovery ajuda a garantir a resiliência

Leia mais

A Camada de Rede. A Camada de Rede

A Camada de Rede. A Camada de Rede Revisão Parte 5 2011 Modelo de Referência TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte Camada de Rede Camada de Enlace de Dados Camada de Física Funções Principais 1. Prestar serviços à Camada de Transporte.

Leia mais

Ferramentas de Acesso Remoto

Ferramentas de Acesso Remoto Ferramentas de Acesso Remoto Minicurso sobre Ferramentas de Acesso remoto Instrutor Marcelino Gonçalves de Macedo Tópicos Abordados O que é acesso remoto? Por que utilizar acesso remoto? Características

Leia mais

PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO

PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO OUTORGA DE SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA SCM sendo um serviço fixo de telecomunicações de interesse

Leia mais

Roteadores de Serviços Integrados CISCO ISR G2

Roteadores de Serviços Integrados CISCO ISR G2 Roteadores de Serviços Integrados CISCO ISR G2 Visão geral sobre Desempenho Descrição do Conteúdo Os roteadores de serviços integrados de nova geração (ISR G2) proporcionam uma plataforma para serviços

Leia mais

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão

Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Cartilha Informativa sobre o Software de Medição de Qualidade de Conexão Draft para avaliação 1 de 1 SOFTWARE DE MEDIÇÃO DA QUALIDADE DE CONEXÂO Em cumprimento às obrigações previstas no Regulamento de

Leia mais

Planejamento e Projeto de Redes de Computadores. Eduardo Barrére

Planejamento e Projeto de Redes de Computadores. Eduardo Barrére Planejamento e Projeto de Redes de Computadores Eduardo Barrére Aula Presencial Projeto Físico Eduardo Barrére eduardo.barrere@ice.ufjf.br O projeto deve considerar Seleção de tecnologias (conforme o projeto

Leia mais

QUESTIONAMENTOS EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO No.14000174/2014 AC

QUESTIONAMENTOS EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO No.14000174/2014 AC QUESTIONAMENTOS EDITAL PREGÃO ELETRÔNICO No.14000174/2014 AC Questionamento 1 No subitem 5.2.3 da Especificação Técnica, embora seja pedida a utilização de aceleração de tráfego HTTP e TCP Spoofing, não

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 INTERNET Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 Anexo I - página 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. VISÃO GERAL DO ESCOPO DO SERVIÇO... 3 3. ENDEREÇOS

Leia mais

Segurança em Sistemas de Informação Tecnologias associadas a Firewall

Segurança em Sistemas de Informação Tecnologias associadas a Firewall Algumas definições Firewall Um componente ou conjunto de componentes que restringe acessos entre redes; Host Um computador ou um dispositivo conectado à rede; Bastion Host Um dispositivo que deve ser extremamente

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Curso Técnico em Informática Estrutura de Endereçamento IP e Mascara de Subrede Endereçamento IP e Classes Autoridade para Atribuição de Números da Internet http://www.iana.org/

Leia mais

HP Router Basic Implementation

HP Router Basic Implementation HP Router Basic Implementation Dados técnicos O HP Router Basic Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto a equipe designada pelo cliente, realizar a instalação

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 2.9 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Julho/2010 Objetivo Este tutorial tem como objetivo fornecer informações técnicas e recomendações na utilização de roteadores 3G para implantação

Leia mais

Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas

Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

Dell Infrastructure Consulting Services

Dell Infrastructure Consulting Services Proposta de Serviços Profissionais Implementação do Dell OpenManage 1. Apresentação da proposta Esta proposta foi elaborada pela Dell com o objetivo de fornecer os serviços profissionais de implementação

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida. Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic.

Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida. Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic. Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic. O seguinte Guia de Instalação de Hardware explica-lhe passo-a-passo como

Leia mais

Disciplina: Ferramentas de Gerenciamento

Disciplina: Ferramentas de Gerenciamento PROF. RENÊ FURTADO FELIX rffelix70@yahoo.com.br Disciplina: Ferramentas de Gerenciamento Aula 2 Janeiro de 2013 H T T P : / / W W W. R E N E C O M P U T E R. N E T / F _ G E R E N C I A M E N T O. P H

Leia mais

Gerência de Redes. Introdução. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Introdução. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Introdução filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução Sistemas complexos com muitos componentes em interação devem ser monitorados e controlados. 2 Introdução A de gerência de redes surgiu

Leia mais

Repetidor / Access Point Wi Fi N - 300 Mbps WN9255. Guia Rápido de Instalação

Repetidor / Access Point Wi Fi N - 300 Mbps WN9255. Guia Rápido de Instalação Repetidor / Access Point Wi Fi N - 300 Mbps WN9255 Guia Rápido de Instalação Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Comtac. Antes que você possa utilizar o Repetidor /

Leia mais