A alta Idade Média e a formação do Feudalismo (Séc. V Séc. X) Prof. Rafael Duarte 7 Ano

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A alta Idade Média e a formação do Feudalismo (Séc. V Séc. X) Prof. Rafael Duarte 7 Ano"

Transcrição

1 A alta Idade Média e a formação do Feudalismo (Séc. V Séc. X) Prof. Rafael Duarte 7 Ano

2 1) As tribos Germânicas (p. 12 e 13): Francos, Anglos, Saxões, Ostrogodos, Hunos e etc... Bárbaros: povos fora das fronteiras (sem cultura greco-romana) Economia agropastoril. Ausência de comércio e moeda. Ausência de escrita. Politeístas religião pagã Poder político casta de guerreiros. Direito Consuetudinário (tradição). COMITATUS (laços de dependência entre guerreiros) companheirismo

3 2) O Império Carolíngeo ou o Reino cristão dos Francos (p ): Atual França: antiga Gália https://www.youtube.com/watch?v=usa3v7ybnhq Único reino bárbaro relativamente duradouro. 2.1) A Dinastia Merovíngea: (p. 15) Clóvis (496) conversão ao cristianismo. Conquista da Gália. Ruralização. Início da Feudalização Distribuição de terras entre clero e nobreza. Fragmentação do poder. Poder de fato: Mordomos do Palácio ou Prefeitos (líderes locais) Carlos Martel (732) Bloqueio aos árabes na França (Batalha de Poitiers).

4 2.2) A Dinastia Carolíngea (p. 16 e 17): Pepino, o Breve (751 d.c 768 d.c): Expulsão dos lombardos da Península Itálica. Doação para a Igreja (Patrimônio de São Pedro) Apoio da Igreja. Carlos Magno (768 d.c 814 d.c): Doações para nobres (laços de dependência) divisão imperial em 300 partes (condados, ducados e marcas) Centralização relativa Apoio da Igreja (expansão do cristianismo). Tentativa de reconstruir o Império Romano do Ocidente. Missi Dominici: funcionários imperiais (burocracia). Renascimento carolíngeo preservação de obras clássicas em

5 1 Exercício: A partir da observação da imagem à direita representando Carlos Magno e do mapa à esquerda, faça um pequeno texto de 5 linhas em seu caderno explicando quais aspectos do reinado de Carlos Magno podem ser apreendidos a partir dessas imagens:

6 Luís, o Piedoso (814 d.c 841 d.c) Enfraquecimento. Agravamento da descentralização política. Disputas pela sucessão imperial após morte de Luís, o Piedoso geram o Tratado de Verdum (843) Divisão do Império: OCIDENTE Carlos, o Calvo (atual França); CENTRO Lotário (atuais Itália e Suíça); ORIENTE Luís, o Germânico (atual Alemanha).

7

8 3) O fortalecimento da Igreja Católica (p. 14): Adaptação da fé católica aos costumes e a cultura Germânica conversão dos povos Germânicos Doações de terras dos grandes senhores à Igreja Católica A Igreja Católica se torna a mais poderosa instituição medieval e a única herdeira do Império Romano

9 4) O Feudalismo (p ): Economia: 1) agrícola, 2) auto-suficiente (subsistência), 3) sem comércio e moeda herança das antigas Vilas Romanas O nobre se torna um Senhor Feudal Unidade econômica básica: FEUDO (benefício doado por um Rei a um Nobre) RESERVA SENHORIAL: castelo + melhores terras MANSO SERVIL: terras arrendadas (lotes = glebas ou tenências). TERRA COMUNAL: bosques e pastos (uso comum)

10 Terra Comunal Reserva Senhorial Manso Servil 2 Exercício: A partir da observação das imagens, faça um texto de 5 linhas em seu caderno sobre quais seriam as principais características de um feudo:

11 4.1) A Sociedade Feudal (p. 20 e 21): Estamental a sociedade de ordens (posição social definida pelo nascimento). Poder vinculado à posse e extensão da terra. Laços de dependência pessoal: SUSERANIA (doa a terra e proteção) e VASSALAGEM (em troca deve fidelidade ao Suserano) relação entre nobres SENHOR e SERVOS Homenagem CLERO: terra + poder político + poder ideológico (salvação) NOBREZA: terra + poder político (defesa) SERVOS: obrigações (corvéia, talha, banalidades, tostão de Pedro, formariage) e VILÕES: quase servos, porém com menos obrigações

12 4.2) Os impostos pagos pelos servos (p. 21): Corvéia Talha Banalidades Tostão de Pedro Formariage Trabalho gratuito de 3 a 5 dias por Semana no Manso Senhorial. Dar parte da produção (3/4) ao Senhor Feudal. Pagamento, em espécie, pela utilização de instrumentos do Feudo. Dar 10 por cento da produção feudal para a Igreja Católica. Noite de núpcias do servo é, na verdade, do Senhor Feudal.

13 3 Exercício: A partir do que estudamos, preencha o quadro com os elementos do feudalismo vindos dos romanos e dos povos germânicos que faltam: ROMANOS Clientela (dependência entre servos e senhores) Colonato (fixação na terra origem da servidão) GERMÂNICOS Comitatus (dependência entre nobres base da suserania e vassalagem) Direito consuetudinário (tradição oral)

Forma de organização econômica e tutorial rural na qual o trabalhador arrenda uma porção de terreno sob condição de reservar parte de sua produção como pagamento ao proprietário. O colono é denominado

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq Introdução a análise Histórica Feudalismo Fernando Del pozzo hjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxc

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 1

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 1 Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 1 Nome: Data: Unidade 1 Recomendação ao aluno: Utilizar lápis de cor. 1. A fixação dos germânicos nas terras do Império Romano ocorreu em duas fases. Ligue

Leia mais

História - 7º Ano Professor Sérgio O MUNDO FEUDAL

História - 7º Ano Professor Sérgio O MUNDO FEUDAL História - 7º Ano Professor Sérgio O MUNDO FEUDAL Estudar o feudalismo é conhecer a fundo o modo como viviam as pessoas no período medieval. Aqui se inicia mais uma etapa da história ocidental, e veremos

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 7 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto e responda. A formação da sociedade medieval foi um processo longo e complexo, que reuniu durante séculos características

Leia mais

Prof. Alexandre Goicochea História

Prof. Alexandre Goicochea História FRANCO Merovíngia Carolíngio ISLÂMICO Maomé Xiitas (alcorão) e Sunitas (suna e alcorão) BIZÂNTINO Justiniano Igreja Santa Sofia Iconoclastia Monoticismo (Jesus Cristo só espírito) Corpus Juris Civilis

Leia mais

Professora: Holanda Maria

Professora: Holanda Maria Professora: Holanda Maria Com a crise dos séculos III e IV a escassez de mão-obra escrava levou os grandes proprietários a abandonarem as cidades e rumar para as villae (latifúndios) onde exploravam o

Leia mais

HISTÓRIA ILUSTRADA DO FEUDALISMO 1ª EDIÇÃO (2011) Marcos Faber. www.historialivre.com

HISTÓRIA ILUSTRADA DO FEUDALISMO 1ª EDIÇÃO (2011) Marcos Faber. www.historialivre.com HISTÓRIA ILUSTRADA DO FEUDALISMO Marcos Faber www.historialivre.com 1ª EDIÇÃO (2011) Índice Introdução... 3 Economia... 5 Mas afinal, o que é um feudo?... 8 A Sociedade Feudal... 16 As Vestimentas... 23

Leia mais

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV)

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV) 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Decadência do feudalismo. Estruturação do modo de produção capitalista. Transformações básicas: auto-suficiência para economia de mercado; novo grupo social: burguesia; formação

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

DISCIPLINA SÉRIE BIMESTRE PROVA MODELO 6ª 3 P2 REVISÃO

DISCIPLINA SÉRIE BIMESTRE PROVA MODELO 6ª 3 P2 REVISÃO DISCIPLINA SÉRIE BIMESTRE PROVA MODELO História CONTEÚDO: CAP 3 - Islã CAP 4 Francos e Carolíngios 6ª 3 P2 REVISÃO 1. Na Arábia pré-islâmica, uma cidade em especial se transformou num ponto de encontro,

Leia mais

IGREJA NA BAIXA IDADE MÉDIA

IGREJA NA BAIXA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA -Características: *Grandes transformações no sistema feudal; *aumento da produção agrícola; *aparecimento da burguesia; *crise de poder da nobreza feudal. IGREJA NA

Leia mais

MAYRA PANIAGO HISTÓRIA GERAL

MAYRA PANIAGO HISTÓRIA GERAL MAYRA PANIAGO HISTÓRIA GERAL TEORIA 346 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS E VESTIBULARES GABARITADAS Teoria e Seleção das Questões: Prof.ª Mayra Paniago Organização e Diagramação: Mariane dos Reis 1ª Edição

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

A História da Educação ao Longo dos Tempos... Uma viagem histórica! Profª. Cláudia T. Nascimento

A História da Educação ao Longo dos Tempos... Uma viagem histórica! Profª. Cláudia T. Nascimento 1ª Aula Teórica de Fundamentos Históricos, Filosóficos e Sociológicos da Educação A História da Educação ao Longo dos Tempos... Uma viagem histórica! Profª. Cláudia T. Nascimento Introdução Parte I - Educação

Leia mais

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução 1 4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval Introdução O último período da Filosofia Grega é o Helenístico (Sec. III a.c.-vi d.c.). É um período

Leia mais

Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos de recuperação semestral.

Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos de recuperação semestral. Nome: Nº: Ano: 7º Ensino Fundamental Disciplina: História Data: / / Prof: Teonila L. S. Maia Nota: Roteiro de Recuperação 2ª etapa Caro aluno, Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos

Leia mais

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno.

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. História 8A - Aula 22 As Monarquias Feudais 843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. -Séculos IX e X sociedade francesa se feudalizou. -Poder real enfraqueceu. -Condes,

Leia mais

Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem - 3º Bimestre Ano: 1º ano Ensino Médio Data:

Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem - 3º Bimestre Ano: 1º ano Ensino Médio Data: Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem - 3º Bimestre Ano: 1º ano Ensino Médio Data: Disciplina: História Professor: Luis Fernando Caro estudante; Ao longo do bimestre desenvolvemos diversas

Leia mais

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL A CRISE DO SISTEMA FEUDAL O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA FEUDAL NA EUROPA OCIDENTAL O apogeu do feudalismo ocorre entre os séculos IX e XIII; 4. CAUSAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO FEUDALISMO Fim das invasões

Leia mais

Crise no Império Romano. Capítulo 6

Crise no Império Romano. Capítulo 6 Crise no Império Romano Capítulo 6 A falta de escravos leva ao aparecimento do sistema do colonato. Corte nas verbas do exército, gera revolta e briga entre os generais. Os generais passam a não obedecer

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1 Profª Viviane Jordão O que é Nação? Nação é um contrato político. Os integrantes de uma nação compartilham os mesmos direitos e uma mesma história. Ser brasileiro

Leia mais

FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS NACIONAIS

FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS NACIONAIS FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS NACIONAIS FRANÇA E INGLATERRA TESE DE PERRY ANDERSON ABSOLUTISMO = tipo de monarquia feudal; PODER POLÍTICO = Rei + Clero + Nobreza; ARISTOCRACIA PODER ECONÔMICO: Burguesia; SERVIDÃO:

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História ANO:7º Temas Conteúdos Conceitos 1. Das Sociedades Recoletoras

Leia mais

História e Cultura Jurídica no Brasil

História e Cultura Jurídica no Brasil História e Cultura Jurídica no Brasil ROMA A história de Roma é dividida em três períodos, correspondendo a três regimes politicamente diferentes: a realeza (até 509 a.c.), a república (509-27) e o império;

Leia mais

XIX IDADE ANTIGA. POPULAÇÃO: A característica maior desses Estados foi o escravismo que é básico das populações de todos os Estados da idade antiga.

XIX IDADE ANTIGA. POPULAÇÃO: A característica maior desses Estados foi o escravismo que é básico das populações de todos os Estados da idade antiga. XIX IDADE ANTIGA 1 ESTADOS TEOCRÁTICOS PODER SOBERANO (FORMAS): São chamados impérios (os maiores) ou reinos (os menores) teocráticos por que em geral a sua forma básica de governo era a Teocracia, (aquela

Leia mais

TEMPO SAGRADO TEMPO PROFANO

TEMPO SAGRADO TEMPO PROFANO OBJETIVOS 1 VINCULAR O INÍCIO DO PROCESSO DE SURGIMENTO DA SOCIEDADE CAPITALISTA ÀS TRANSFORMAÇÕES ECONÔMICAS E AO DESENVOLVIMENTO FINANCEIRO OCORRIDOS A PARTIR DO FINAL DA IDADE MÉDIA. 2 COMPREENDER A

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO DIA-A-DIA, APRESENTA DA EM NOSSA SOCIEDADE E SUAS CONTRADIÇÕES E DESIGUALDADES. * Tais disparidades ocorrem devido a quê?

A EXPERIÊNCIA DO DIA-A-DIA, APRESENTA DA EM NOSSA SOCIEDADE E SUAS CONTRADIÇÕES E DESIGUALDADES. * Tais disparidades ocorrem devido a quê? A EXPERIÊNCIA DO DIA-A-DIA, APRESENTA DA EM NOSSA SOCIEDADE E SUAS CONTRADIÇÕES E DESIGUALDADES. * Tais disparidades ocorrem devido a quê? DÍVIDA SOCIAL ESCRAVIDÃO E IMIGRAÇÃO FALTA DE ESTRUTURA SOCIAL

Leia mais

História. Caro aluno,

História. Caro aluno, História Atividades Ficha 3 os anos Benê ago/09 Nome: Nº: Turma: Caro aluno, Segue pela presente (estamos formais, não?) um conjunto de atividades propostas para a semana compreendida entre os dias 05

Leia mais

Prof. Cristiano Pissolato. Formação dos Estados nacionais. França

Prof. Cristiano Pissolato. Formação dos Estados nacionais. França Prof. Cristiano Pissolato Formação dos Estados nacionais França Ducado da Normandia sob controle Plantageneta (ING). Ducado da Bretanha administrada pela dinastia Plantageneta (ING) a partir de 1116 porque

Leia mais

HISTORIA DE PORTUGAL

HISTORIA DE PORTUGAL A. H. DE OLIVEIRA MARQUES HISTORIA DE PORTUGAL Manual para uso de estudantes e outros curiosos de assuntos do passado pátrio EDITORIAL PRESENÇA ÍNDICE GERAL PREFACIO 11 INTRODUÇÃO AS RAÍZES DE UMA NAÇÃO

Leia mais

Linha do Tempo História Geral

Linha do Tempo História Geral Linha do Tempo História Geral PRÉ-HISTÓRIA IDADE ANTIGA IDADE MÉDIA IDADE MODERNA IDADE CONTEMPORÂNEA 4000 a.c. Surgimento da escrita 476 Queda do Império Romano do Ocidente 1453 Tomada de Constantinopla

Leia mais

O Foral e a Organização Municipal Torriense

O Foral e a Organização Municipal Torriense O Foral e a Organização Municipal Torriense Foral Medieval de Torres Vedras, 1250 In O Foral Medieval da vila de Torres Vedras: 15 de Agosto de 1250. VICENTE, António Balcão, [et al.] - O foral medieval

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

CENTRO SUPLETIVO DA ÁREA INSULAR CESIN. Fase I Unidade 2

CENTRO SUPLETIVO DA ÁREA INSULAR CESIN. Fase I Unidade 2 CENTRO SUPLETIVO DA ÁREA INSULAR CESIN Fase I Unidade 2 Introdução A origem do mundo feudal Durante séculos, o Império Romano dominou grande parte da Europa. A partir do século III, esse cenário começaria

Leia mais

MAGNA CARTA. (Magna Charta Libertatum - 1215) (1) (2)

MAGNA CARTA. (Magna Charta Libertatum - 1215) (1) (2) MAGNA CARTA (Magna Charta Libertatum - 1215) (1) (2) Redigida em latim bárbaro, a Magna Carta Libertatum seu Concordiam inter regem Johannen at barones pro concessione libertatum ecclesiae et regni angliae

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO DIREITO MEDIEVAL NO DIREITO BRASILEIRO

A CONTRIBUIÇÃO DO DIREITO MEDIEVAL NO DIREITO BRASILEIRO A CONTRIBUIÇÃO DO DIREITO MEDIEVAL NO DIREITO BRASILEIRO Henrique Viana Pereira 1 Rodrigo Almeida Magalhães 2 Resumo: O artigo tem por objetivo estudar o Direito na Idade Média tendo por base o Direito

Leia mais

História Geral. 3ª Edição - 2007

História Geral. 3ª Edição - 2007 História Geral 3ª Edição - 2007 Os Hebreus Localizado a leste da Mesopotâmia, constituía de um vasto planalto desértico rodeado de montanhas, entre a Mesopotâmia e a Índia. O Império Persa constituiu um

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca

Leia mais

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime A formação do Absolutismo Inglês Medieval Territórios divididos em condados (shires) e administrados por sheriffs (agentes reais) submetidos ao poder

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Elabore um texto utilizando as palavras do quadro. rei burguesia senhor feudal leis centralização política moeda feudos 2.

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

FO F RMA M ÇÃ Ç O DA D S S MO M NARQUIAS A NACI C ONAIS França e Inglaterra

FO F RMA M ÇÃ Ç O DA D S S MO M NARQUIAS A NACI C ONAIS França e Inglaterra FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS NACIONAIS França e Inglaterra Contexto: Cruzadas O Poder Real Ganha Força Burguesia Renascimentos Comercial e Urbano Aliança Rei-Burguesia versus Senhores Feudais e Igreja Os senhores

Leia mais

Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução:

Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução: Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução: Na história antiga havia o último grande império, o Império Romano, que teve seu apogeu no século I, momento em que viveu sua extensão máxima, tal que ocupou o

Leia mais

HUMANISMO 1434-1527. Gil Vicente

HUMANISMO 1434-1527. Gil Vicente HUMANISMO 1434-1527 Gil Vicente HUMANISMO É UMA ÉPOCA DE TRANSIÇÃO DA IDADE MÉDIA PARA O RENASCIMENTO. CONTEXTO HISTÓRICO (SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIV) FEUDALISMO ENTRA EM DECLÍNIO CRESCIMENTO DO COMÉRCIO

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS - HISTÓRIA 7º ANO

PLANO DE ESTUDOS - HISTÓRIA 7º ANO PLANO DE ESTUDOS - HISTÓRIA 7º ANO O aluno, no final do 7º ano, deve ser capaz de: Conhecer o processo de hominização Conhecer e compreender as características das sociedades do Paleolítico Compreender

Leia mais

Renascimento Cultural

Renascimento Cultural Renascimento Cultural Séculos XIV ao XVII Prof. Dieikson de Carvalho Renascimento Cultural Contexto histórico Transição da Idade Média para Idade Moderna. Século XIV ao XVII. Resultado do Renascimento

Leia mais

Sumário. Nota prévia 13 Nota introdutória O homem e a história 15 A biografia género histórico 16 -Referências 18

Sumário. Nota prévia 13 Nota introdutória O homem e a história 15 A biografia género histórico 16 -Referências 18 Sumário Nota prévia 13 Nota introdutória O homem e a história 15 A biografia género histórico 16 -Referências 18 Preâmbulo A memória de um destino singular 21 PARTE I 0 VENTUROSO Toledo, 29 de Abril de

Leia mais

Observe as imagens, que pertencem ao manuscrito de um cronista inca, "Guaman Poma de Ayala" (1526-1614). (1,5)

Observe as imagens, que pertencem ao manuscrito de um cronista inca, Guaman Poma de Ayala (1526-1614). (1,5) Observe as imagens, que pertencem ao manuscrito de um cronista inca, "Guaman Poma de Ayala" (1526-1614). (1,5) Leia as afirmações seguintes, a respeito dos incas e marque a afirmativa INCORRETA. a) Tinham

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 3

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 3 Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 3 5 Nome: Data: Unidade 3 1. Relacione as colunas a seguir, que apresentam algumas inovações tecnológicas utilizadas a partir do século X. (a) Moinho de

Leia mais

CÓD. DISCIPLINAS EMENTAS HIS001

CÓD. DISCIPLINAS EMENTAS HIS001 CÓD. DISCIPLINAS EMENTAS HIS001 Península Ibérica: História, Fontes e Historiografia da Antiguidade aos princípios da Idade Moderna. A elaboração e a escrita da história na Península Ibérica e as suas

Leia mais

PORTUGAL. 1º. DIA -Lisboa. 2º. Dia - Sintra, Cascais e Estoril

PORTUGAL. 1º. DIA -Lisboa. 2º. Dia - Sintra, Cascais e Estoril PORTUGAL 1º. DIA -Lisboa Saída do Hotel para visita da cidade de Lisboa. Visitaremos o centro da cidade como Praça do Rossio, Avenida da Liberdade, Praça do Marquês de Pombal, Parque Eduardo VII. Colina

Leia mais

Pérsia, fenícia e palestina

Pérsia, fenícia e palestina Pérsia, fenícia e palestina Região desértica Atuais estados de Israel e Palestina Vários povos (semitas) estabelecidos no curso do Rio Jordão Palestina Hebreus (Palestina) Um dos povos semitas (cananeus,

Leia mais

HISTÓRIA COMENTÁRIO DA PROVA

HISTÓRIA COMENTÁRIO DA PROVA COMENTÁRIO DA PROVA De uma forma geral, a prova foi boa com questões claras e bem articuladas. Louvável a intenção de cobrar reflexões sobre a históriografia, bem como a de revisitar o passado a partir

Leia mais

O DOMÍNIO IDEOLÓGICO DA IGREJA DURANTE A ALTA IDADE MÉDIA OCIDENTAL 1 Mauro da Silva Hoffmann 2

O DOMÍNIO IDEOLÓGICO DA IGREJA DURANTE A ALTA IDADE MÉDIA OCIDENTAL 1 Mauro da Silva Hoffmann 2 105 O DOMÍNIO IDEOLÓGICO DA IGREJA DURANTE A ALTA IDADE MÉDIA OCIDENTAL 1 Mauro da Silva Hoffmann 2 Resumo O objetivo deste artigo é analisar do domínio ideológico exercido pela Igreja Católica através

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA Agenda O Império Romano; Engenharia moderna x Engenharia antiga; Os marcos da Engenharia moderna; Grandes mudanças na Idade Média O Renascimento A Reforma Protestante As descobertas A América Pré-Colombiana

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA ANO: 7º ºAno PROFESSORA: Nicheli

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

TÍTULO: EDUCAÇAO FEUDAL ENTRE OS SÉCULOS X E XIII NO OCIDENTE MEDIEVAL (TEREZINHA OLIVEIRA- DFE/PPE/UEM-MARINGÁ/PR)

TÍTULO: EDUCAÇAO FEUDAL ENTRE OS SÉCULOS X E XIII NO OCIDENTE MEDIEVAL (TEREZINHA OLIVEIRA- DFE/PPE/UEM-MARINGÁ/PR) TÍTULO: EDUCAÇAO FEUDAL ENTRE OS SÉCULOS X E XIII NO OCIDENTE MEDIEVAL (TEREZINHA OLIVEIRA- DFE/PPE/UEM-MARINGÁ/PR) Terezinha Oliveira O objetivo desta comunicação é analisar alguns princípios educacionais

Leia mais

Aulas 6 e 7. A Antiguidade Oriental

Aulas 6 e 7. A Antiguidade Oriental Aulas 6 e 7 A Antiguidade Oriental Hebreus (Monoteísmo e judaísmo) III- I- Local: Economia: região da agricultura, Palestina pastoreio ( Canaã (rio ou Jordão) terra prometida ). e comércio Atualmente:

Leia mais

SUMÁRIO O MUNDO ANTIGO

SUMÁRIO O MUNDO ANTIGO SUMÁRIO Apresentação Prefácio Introdução 1. Da história da pedagogia à história da educação 2. Três revoluções em historiografia 3. As muitas histórias educativas 4. Descontinuidade na pesquisa e conflito

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

Grécia Antiga II. Cronologia

Grécia Antiga II. Cronologia Grécia Antiga II Cronologia Grécia - Cronologia Período pré-homérico (séc. XX- XII a.c) Migrações dos povos formadores da Grécia Período Homérico (séc. XII- VIII a.c) Genos (comunidades políticas) se estruturam,

Leia mais

SOCIOLOGIA CLÁSSICA A CONTRIBUIÇÃO DO PENSAMETO DE MAX WEBER

SOCIOLOGIA CLÁSSICA A CONTRIBUIÇÃO DO PENSAMETO DE MAX WEBER SOCIOLOGIA CLÁSSICA A CONTRIBUIÇÃO DO PENSAMETO DE MAX WEBER Introdução França e Inglaterra desenvolveram o pensamento social sob a influência do desenvolvimento industrial e urbano, que tornou esses países

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude.

Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude. Os Estados Nacionais Modernos e o Absolutismo Monárquico Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude. Quanto aos reis,

Leia mais

O FUNDO HISTÓRICO DAS MUDANÇAS TÉCNICAS OCORRIDAS NA AGRICULTURA MEDIEVAL. germânicos que o sucederam, as cidades da Europa Ocidental

O FUNDO HISTÓRICO DAS MUDANÇAS TÉCNICAS OCORRIDAS NA AGRICULTURA MEDIEVAL. germânicos que o sucederam, as cidades da Europa Ocidental Sandra Costa Espaço Agrário 1 O FUNDO HISTÓRICO DAS MUDANÇAS TÉCNICAS OCORRIDAS NA AGRICULTURA MEDIEVAL! Durante o domínio romano, e enquanto duraram os reinados germânicos que o sucederam, as cidades

Leia mais

GRÉCIA, ROMA E IDADE MÉDIA

GRÉCIA, ROMA E IDADE MÉDIA 1 Prof. Vilmar A. Silva DIREITO AGRÁRIO GRÉCIA, ROMA E IDADE MÉDIA GRÉCIA ANTIGA A Grécia Antiga Localizava-se na bacia do Mar Egeu - sul da Península Balcânica, as ilhas dos mares Egeu e Jônio e a costa

Leia mais

Aula 05 - Hebreus Prof. Dawison Sampaio

Aula 05 - Hebreus Prof. Dawison Sampaio FB MED, M3, 3 ANO, ANUAL, INTENSIVO Aula 05 - Hebreus Prof. Dawison Sampaio Todavia, eu sou o SENHOR teu Deus desde a terra do Egito; portanto não reconhecerás outro deus além de mim, porque não há Salvador

Leia mais

DEUS,, GLÓRI@ E OURO A expansão marítimo- comercial compreende o período das grandes viagens empreendidas pelos países europeus nos séculos XV e XVI em busca de riquezas além-mar. mar. Inseridas no contexto

Leia mais

Aula 24 Reforma e contrarreforma

Aula 24 Reforma e contrarreforma FB MED, M3, 3 ANO e ANUAL. Aula 24 Reforma e contrarreforma DeOlhoNoEnem H3 - Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos.(análise das diversas práticas protestantes)

Leia mais

O povo da Bíblia HEBREUS

O povo da Bíblia HEBREUS O povo da Bíblia HEBREUS A FORMAÇÃO HEBRAICA Os hebreus eram pastores nômades que se organizavam em tribos lideradas por chefes de família denominado patriarca. Principais patriarcas: Abraão, Jacó e Isaac.

Leia mais

- Trecho da Carta de Pero Vaz de Caminha sobre o Descobrimento do Brasil. - Fotografias da posse do presidente do Brasil

- Trecho da Carta de Pero Vaz de Caminha sobre o Descobrimento do Brasil. - Fotografias da posse do presidente do Brasil MATERIAL DE REVISÃO PARA RECUPERAÇÃO FINAL 6 ANO 1) Classifique as fontes listadas abaixo em primarias e secundárias: - Vídeo do atentado terrorista ao World Trade Center em 2001 - Trecho da Carta de Pero

Leia mais

Aluno (a): Nº. Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra Série: 2ª. Pré Universitário Uni-Anhanguera. História Geral.

Aluno (a): Nº. Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra Série: 2ª. Pré Universitário Uni-Anhanguera. História Geral. Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno (a): Nº. Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra Série: 2ª. Disciplina: História (p1, 1ª, chamada, 1º. Bimestre) Data da prova: 14/03/2014.

Leia mais

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 SuMÁRIo UNIDADE I O ADVENTO DO MUNDO MODERNO: POLÍTICA E CULTURA... 12 Capítulo 1 o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 A fragmentação do poder na sociedade feudal...

Leia mais

TOCQUEVILLE EM TEMPOS DE POPULISMO: NOVA EDIÇÃO DE O ANTIGO REGIME E A REVOLUÇÃO 1

TOCQUEVILLE EM TEMPOS DE POPULISMO: NOVA EDIÇÃO DE O ANTIGO REGIME E A REVOLUÇÃO 1 TOCQUEVILLE EM TEMPOS DE POPULISMO: NOVA EDIÇÃO DE O ANTIGO REGIME E A REVOLUÇÃO 1 Ricardo Vélez Rodríguez Coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas Paulino Soares de Sousa, da UFJF Rive2001@gmail.com

Leia mais

Os Árabes e o Islamismo

Os Árabes e o Islamismo Os Árabes e o Islamismo A civilização árabe ou islâmica surgiu no Oriente Médio, numa península desértica situada entre a Ásia e a África. É área de aproximadamente um milhão de quilômetros quadrados,

Leia mais

A Ordem do Templo na Colonização de Pombal, Soure, Ega Abiul e Redinha no Século XII

A Ordem do Templo na Colonização de Pombal, Soure, Ega Abiul e Redinha no Século XII Anpuh Rio de Janeiro Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro APERJ Praia de Botafogo, 480 2º andar - Rio de Janeiro RJ CEP 22250-040 Tel.: (21) 9317-5380 A Ordem do Templo na Colonização de Pombal,

Leia mais

1º ano CULTURA, DIVERSIDADE E SER HUMANO TRABALHO, CONSUMO E LUTAS POR DIREITOS

1º ano CULTURA, DIVERSIDADE E SER HUMANO TRABALHO, CONSUMO E LUTAS POR DIREITOS 1º ano Estudo da História Estudo da História O Brasil antes dos portugueses América antes de Colombo Povos indígenas do Brasil A colonização portuguesa A colonização europeia na América Latina Introdução:

Leia mais

Considerações sobre o Evangelho de João

Considerações sobre o Evangelho de João 1 Considerações sobre o Evangelho de João. O Evangelho de João nasceu do anúncio vivo, da memória de homens e mulheres que guardavam e transmitiam os ensinamentos transmitidos por Jesus.. O chão = vida

Leia mais

História. Povos da China e da Índia

História. Povos da China e da Índia História Primeiro ano do ensino médio Escola José de Anchieta Povos da China e da Índia Reno Schmidt maio 2015 schmidt.reno@gmail.com renoschmidt.wordpress.com Onde estamos? Hebreus, Fenícios e Persas

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA EIXOS TEMÁTICOS HABILIDADES/ COMPETÊNCIAS TEMAS/ CONTEÚDO - Compreender a diversidade do trabalho em sociedades que se baseiam nas relações sociais compulsórias e nas de

Leia mais

O Mistério dos Maias. O que aconteceu com os Maias?

O Mistério dos Maias. O que aconteceu com os Maias? O Mistério dos Maias O que aconteceu com os Maias? O que aconteceu com os Maias? A cultura dos Maias do Período Clássico era muito avançada. A sociedade Maia era muito estável. Eles desenvolveram arte,

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

23 Os jesuítas e os índios guaranis Estamos acostumados a ver na televisão, jornais e revistas, passeios para visitar as regiões das missões

23 Os jesuítas e os índios guaranis Estamos acostumados a ver na televisão, jornais e revistas, passeios para visitar as regiões das missões 23 Os jesuítas e os índios guaranis Estamos acostumados a ver na televisão, jornais e revistas, passeios para visitar as regiões das missões jesuíticas. Nos mostram fotografias de igrejas destruídas, em

Leia mais

PROJETO PRÉ-VESTIBULAR NOS BAIRROS MÓDULO II. APOSTILA HISTÓRIA Profª VERA BOHMER

PROJETO PRÉ-VESTIBULAR NOS BAIRROS MÓDULO II. APOSTILA HISTÓRIA Profª VERA BOHMER PROJETO PRÉ-VESTIBULAR NOS BAIRROS MÓDULO II APOSTILA HISTÓRIA Profª VERA BOHMER IDADE MÉDIA ORIENTAL : IMPÉRIO BIZANTINO Império Romano do Oriente ou Império Grego. Constantinopla capital. Antiga Bizâncio,

Leia mais

Sola Scriptura Somos diferentes?

Sola Scriptura Somos diferentes? Sola Scriptura Somos diferentes? Introdução: 3 pilares da Reforma Protestante: sola Scriptura, sola fide, sola gratia Mesmo em forma de afirmação, cada pilar também é negação. Por exemplo, a expressão,

Leia mais

Lista de Exercícios História MODERNA Profº. Bruno Nichel 06/05/2013

Lista de Exercícios História MODERNA Profº. Bruno Nichel 06/05/2013 Lista de Exercícios História MODERNA Profº. Bruno Nichel 06/05/2013 1. O Renascimento, amplo movimento artístico, literário e científico, expandiu-se da Península Itálica por quase toda a Europa, provocando

Leia mais

Idade Média (476-1453) 7 - A Ciência na Idade Média. Idade Média. Localização. Império Romano dividido. Conceito europeu

Idade Média (476-1453) 7 - A Ciência na Idade Média. Idade Média. Localização. Império Romano dividido. Conceito europeu 7 - A Ciência na Idade Média Idade Média (476-1453) História e Epistemologia da Física 15-ago-2012 www.fisica-interessante.com 1/48 15-ago-2012 www.fisica-interessante.com 2/48 Idade Média Localização

Leia mais

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul.

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. CHIPRE Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. Ocupa uma posição estratégica no Mediterrâneo Oriental próxima das grandes

Leia mais

O Império Bizantino e o Islã Rupturas e transformações na Europa feudal

O Império Bizantino e o Islã Rupturas e transformações na Europa feudal 1 Observe a imagem abaixo e responda: Obra do artista polonês Piotr Mlodozeniec, na exposição Coexistência, iniciada na cidade de Jerusalém em 2001. 2001-2004 Mayang Adnin and William Smith/Archivo SM/ID/ES

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 4.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 4.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Estudo do Meio 4.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos

Leia mais

Apostila de História. Enem no Belém. Nome:

Apostila de História. Enem no Belém. Nome: Apostila de História Enem no Belém Nome: 2015 Do Feudalismo ao Capitalismo Por volta do século XII, com a desintegração do feudalismo, começa a surgir um novo sistema econômico, social e politico. Denominado

Leia mais

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO A partir do século XI Expansão das áreas de cultivo, as inovações técnicas.

Leia mais

I A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA E A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA RELIGIÃO

I A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA E A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA RELIGIÃO A instituição religiosa na (pós)modernidade Escrito por Cláudia Sales de Alcântara Cláudia Sales de Alcântara[1] O artigo visa analisar o significado de religião (ou religiosidade) e o papel da instituição

Leia mais

SIMULADO DE HISTÓRIA 3º ANO 1º BIM. 2011

SIMULADO DE HISTÓRIA 3º ANO 1º BIM. 2011 SIMULADO DE HISTÓRIA 3º ANO 1º BIM. 2011 1. (UFPR) Por muito tempo, entre os historiadores pensou-se que os gregos formavam um povo superior de guerreiros que, por volta de 2000 a.c., teria conquistado

Leia mais