Universidade de Évora

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade de Évora"

Transcrição

1 Universidade de Évora Curso de Ciência e Tecnologia Animal Relatório de Estágio em Contexto Empresarial Monte Selvagem 2007/2008

2 Índice Agradecimentos...3 Introdução...4 Empresa...5 Localização...5 Organigrama...7 Inventário...8 Efectivo Animal total da Área Pedestre (30 Setembro 2008):...8 Efectivo Animal total do Parque Grande (30 Setembro 2008):...13 Variações do Efectivo:...14 Actividades desenvolvidas na Empresa/Reserva...16 Maneio higio-sanitário e alimentar:...16 Maneio Alimentar...19 Manutenção:...29 Acompanhar crianças (tratadores por um dia)...29 Acções de formação...29 Reuniões...30 Tratamentos e Relatórios...30 Tratamento (1) Póneis de Shetland e Burro:...30 Tratamento (2) Pónei de Shetland:...32 Tratamentos pontuais/esporádicos:...32 Relatório Fezes do Casuar:...33 Sugestões...35 Conclusão...36 Bibliografia

3 Agradecimentos Agradeço ao Professor Luís Fernandes e Alfredo Pereira, por se terem disponibilizado para efectuar as diligências necessárias para a iniciação deste estágio curricular. Agradeço também aos elementos da administração e direcção do Monte Selvagem, que me permitiram por em prática, os conhecimentos adquiridos no decorrer desta Licenciatura e ainda o facto de me terem disponibilizado uma habitação. Agradeço ainda, a todos elementos da equipa selvagem, com especial destaque para Vanessa Requeijão, Mariana Barbosa, Manuel Luís Fernandes e Sofia Matilde, pelo apoio tanto a nível de conhecimentos transmitidos, como pela recepção calorosa e disponibilidade. E por fim agradeço aos meus pais Manuel e Maurilia Cardoso, ao meu companheiro João Robalo, aos meus amigos Paulo Prudêncio, Maria Marrafa, pela ajuda, compreensão e entusiasmo que demonstraram, acompanhando-me sempre em todos os passos desta fase. 3

4 Introdução Este Estágio Curricular em contexto empresarial teve como objectivos fundamentais, permitir ao estagiário intervir, pondo em prática nesta fase final da Licenciatura de Ciência e Tecnologia Animal os conhecimentos até então adquiridos em disciplinas leccionadas no decorrer do curso, sendo esses conhecimentos noções na área da Equinotecnia, Caprinotecnia, Avicultura, Etologia, Higiene e Profilaxia Sanitária, Nutrição Animal, entre outras. Além disto foi transmitido ao estagiário o modo de funcionamento e as diferentes actividades da Empresa onde o estágio se realizou. O Estágio foi desenvolvido na Reserva Monte Selvagem, possuindo uma duração de 261 horas (336horas). O Parque/Reserva consiste num negócio familiar, que abriu as portas ao público no ano de Tem por missão alojar animais que necessitem de habitats alternativos apropriados ao seu bem-estar e educar e sensibilizar as populações para as questões ambientais e de conservação da Biodiversidade, através do contacto íntimo, divertido e harmonioso com a Natureza. Este parque possui aproximadamente 300 animais de diversificadíssimas espécies, divididos em duas áreas distintas, Parque Grande e área Pedestre. O Parque grande possui uma área de aproximadamente 12 ha, onde é feita a visita de tractor por um guia, com uma duração de 30 minutos; a Área de visita pedestre, com cerca de 5 ha, é a zona onde os visitantes podem observar os tratadores a alimentar os animais, assistir a palestras, acções educativas no Telheiro Pedagógico usufruir do bar e de zonas de descanso e lazer. No Monte Selvagem é possível observar animais com comportamentos característicos/particulares de cada espécie ou Família à qual pertencem. Mas, também se observam alguns animais com comportamentos que podem ter sido alterados, devido ao cativeiro/condicionamento a que tinham sido sujeitos pelos anteriores proprietários (alguns casos de movimentos estereotipados, acentuados). Uma vez no Monte selvagem, procura-se dar-lhes as melhores condições para que apresentem um comportamento o mais próximo possível do natural. 4

5 Empresa Localização O estágio foi desenvolvido na Reserva Monte Selvagem situada no Distrito de Évora, Concelho de Montemor, Freguesia de Lavre, Monte do Azinhal. Figura 1: Carta Militar. 5

6 Figura 2: Foto de Satélite (Monte Selvagem). 6

7 Organigrama Administração e Direcção Ana Paula Santos (Directora) Diogo Pinto Gouveia (Director Técnico) Alberto Pinto Gouveia (Administrador) Depart. Pedagógico Depart. Comunicação Depart. Operacional Ana Paula Santos Helena Sabino (Assistente de Direcção) Susana Canteiro (Consultoria) Mariana Barbosa Vanessa Requeijão Sofia Santos Helena Sabino (Assistente de Direcção) Christian Angenvoort (Consultoria) João Figueira (Consultoria) D/E (Consultoria) Sofia Santos Helena Sabino Diogo Pinto Gouveia Pedro Santos (Consultoria) Ana Paula Santos Animais e Instalações Equipamentos e Jardins Loja e Escritórios Restauração e Wcs Manuel Luís Fernandes (Chefe de equipa) Vanessa Requeijão Telma Vitorino Mariana Barbosa Liliana Tomás João Garfo Pedro Mang. José Monteiro António Leal (Chefe de equipa) Luis Cruz (consultoria) Diamantino José Alcides José Alves Ana Maria Catarino Sofia Matilde Vanessa Requeijão Telma Vitorino Mariana Barbosa Mafalda Nunes (Responsável do Bar) Célia Cardoso Liliana Tomás Maria do Carmo Coelho 7

8 Inventário Figura 3: Lago Grande (entrada). Efectivo Animal total da Área Pedestre (30 Setembro 2008): Classe Ordem Família Nome Científico Nome Comum Nº de Indivíduos Macho Fêmea Indif. Aves Strigiformes Struthioniforme s Gruiformes Ciconiiformes Anseriformes Strigidae Bubo bubo Bufo Real Casuariidae Casuarius casuarius Casuar Comum Dromaius Dromaiidae novaehollandia Ema e Gruidae Balearica Grou-coroado regulorum Threskiornithida Threskiornis Ibis Sagrado e aethiopicus Anatidae Aix sponsa Pato-Carolino Anas Pato das bahamensis Bahamas Netta peposaca Pato de Bico Rosado Aix galericulata Pato- Mandarim Marmoronetta angustirostris Pato Mármore Pato Dendrocygna Arborícola bicolor Fulvo Dendrocygna Dendrocisne arcuata da Indonésia Dendrocygna Dendrocisne viduata de F. Brancas Anas strepera Frisada Chenonetta Gansinho de jubata Crista Anser anser Ganso Comum 1 0-8

9 Aythya nyroca Zarro Castanho 0 1-9

10 Classe Ordem Família Aves Mamíferos Psittaciformes Passeriformes Galliformes Columbiformes Cuculiformes Artiodactyla Psittacidae Bombycillidae Phasianidae Numididae Columbidae Musophagidae Nome Científico Nome Comum Nº de Indivíduos Macho Fêmea Indif. Agapornis Inseparável de roseicollis Face Rosada Melopsittacus Periquito undulatus Australiano Psittacula Periquito Rabo krameri de Junco Cyanoliseus Periquito da patagonus Patagónia Nymphicus hollandicus Caturra Amazona farinosa Papagaio Bombycilla garrulus Tagarela Lophura Faisão nycthemera Prateado Chrysolophus Faisão pictus dourado Phasianus colchicus Faisão comum Meleagris gallopavo Peru Pavo cristatus Pavão Azul ou Pavão Real Numida Galinha meleagris Pintada Columba guinea Pombo da Guiné Pombo de Leque Pombos (de popa) Streptopelia decaocto Rola Turca Tauraco erythrolophus Turaco de Crista Vermelha Camelus Camelidae bactrianus Camelo Lama glama Lama Capra hircus Cabra Anã Capra hircus Cabra Comum Ovelha Ovis aries Bovidae comum Ovis ssp Ovelha dos Camarões Ovis ssp Ovelha Racka Suidae Sus scrofa Javali

11 Classe Ordem Família Nome Científico Nome Comum Nº de Indivíduos Macho Fêmea Indif. Porco do Suidae Sus bucculentus Vietname Artiodactyla Tayassuidae Pecari tajacu Pecari de Colar Equus asinus Burro Perissodactyla Equidae Equus caballus Pónei de Shetland Diprotodontia Macropodidae Macropus rufogriseus Canguru de Bennet Mamíferos Carnívora Erinaceomorpha Primatas Procyonidae Mephitidae Erinaceidae Atelidae Cercopithecidae Lemuridae Procyon lotor Guaxinim Mephitis mephitis Atelerix albiventris Ateles belzebuth Trachypithecus auratus Macaca silenus Macaca fuscata Chlorocebus aethiops Macaca nemestrina Lemur catta Doninha Fedorenta Ouriço Pigmeu Africano Macaco Aranha Langur de Java Macaco Cauda de Leão Macaco-do- Japão Macaco Tarrafe Macaco Rabo de Porco Lémure-de- Cauda- Anelada Sciuridae Callosciurus e. thaiwanensis Esquilo Tailandês Rodentia Hystricidae Hystrixafricaeau stralis Porco-Espinho Caviidae Dolichotis patagonum Lebre-dapatagónia

12 Classe Ordem Família Nome Científico Nome Comum Nº de Indivíduos Macho Fêmea Indif. Crocodylia Crocodylidae Crocodylus Crocodilo do niloticus Nilo Sauria Iguanidae Iguana iguana Iguana Verde Boidae Boa constrictor Jibóia Cobra-deescada Elaphe scalaris Serpentes Colubridae Coluber Cobra de hippocrepis Ferradura Répteis Geochelone Tartaruga de Testudinidae sulcata esporas 1-1 Trachemys Tartaruga da scripta elegans Florida Testudines Emydidae Graptemys Tartaruga pseudogeograp hica kohni Corcunda do Mississípi Chelydra Tartaruga Chelydridae serpentina mordedora Aracnídeos Araneae Theraphosidae Brachypelma smithi Tarântula Totais Total de animais da área pedestre

13 Efectivo Animal total do Parque Grande (30 Setembro 2008): Figura 4: Parque Grande (Iaque, Nandu, Gamo). Classe Ordem Família Nome Científico Nome Comum Nº de Indivíduos Aves Mamíferos Struthioniforme s Anseriformes Artiodactyla Dromaiidae Dromaius novaehollandia Ema e Rheidae Rhea americana Nandu Struthionidae Struthio camelus Avestruz Anatidae Cygnus atratus Cisne Negro Cygnus olor Cisne Mudo Camelidae Lama glama Lama Bos grunniens Iaque Bovidae Taurotragus oryx Elande Antilope cervicapra Cervicapra Bos taurus Watussi Cervidae Dama dama Gamo Axis axis Chital Zebra da Planície Perissodactyla Equidae Equus burchellii Totais Total de animais do Parque Grande 80 13

14 Variações do Efectivo: O Inventário anterior está em constante alteração, devido ao aumento do efectivo (nascimentos e entradas) ou devido à diminuição deste (óbitos). De seguida serão apresentadas as alterações que decorreram ao longo do estágio: Figura 5: Parque Grande (Avestruz e crias). Data Entrada Nascimentos Saídas Óbitos Observações Iaque - - Macho 1 Tartaruga Aquática Águia de Asa Redonda Ovelha dos Camarões Fêmea Nandus Watussi Macho Tartarugas Aquáticas Avestruzes Cobra de Ferradura - 4 Avestruzes - Crias Esquilo Faisões Dourados Patos Águia de Asa Redonda Pombos de Leque Outro Esquilo mordeulhe o pescoço atingindo a artéria 3 Machos e 3 Fêmeas Lago Grande/Entrada Pato Cria (lago grande) 1 Periquito Australiano O animal apresentava ferimentos profundos na região do pescoço Porco- Espinho 1 Pecari de Colar

15 Cabra Anã Iaque Lémures de Cauda Anelada - 2 Machos e 2 Fêmeas Elande Cervicapra Perus - - O macho durante o tempo de incubação dos ovos teve de ser mantido noutra Instalação A B C D Figura 6: A- Tartaruga da Florida (Lago Grande). B- Patos recém nascidos (Lago Grande). C- Faisões Dourados. D- Watussi (macho). 15

16 Actividades desenvolvidas na Empresa/Reserva Maneio higio-sanitário e alimentar: Actividades referentes ao maneio higio-sanitário e alimentar diário, desenvolvidas pelo estagiário no desenvolver/decorrer do estágio ou por elementos pertencentes à equipa dos animais: Horas Actividades Limpeza da quintinha e distribuição de alimento (aves e mamíferos) Limpeza e distribuição de alimentos nos primatas * 8:00 Limpeza e distribuição de alimento nos Esquilos Limpeza e alimentação do Casuar Limpeza e alimentação dos Padocks (Burro e Póneis de Shetland) Limpeza do Gaiolão Limpeza e remoção de tabuleiros dos Inseparáveis de Face Rosada e dos Rabos de junco Remoção do tabuleiro e limpeza do bebedouro das iguanas verdes 9:00 Verificação dos hamsters, comedouros e bebedouros Limpeza da instalação e abeberamento do Guaxinim, Doninhas fedorentas, Porcosespinhos, Periquitos Australianos Limpeza da instalação e abeberamento dos Pecari de Colar, Faisões Dourados, Tartaruga da Florida e de Esporas Arrumar os diversos utensílios e detergentes no respectivo local de armazenamento Preparação dos tabuleiros com os alimentos para os animais em quarentena 10:00 Remoção dos dejectos provenientes das diversas instalações do parque Verificar no Palheiro as deficiências em rações Limpeza, abeberamento e alimentação dos animais das quarentenas 16

17 Limpeza da instalação e alimentação dos Lamas Pausa (1ºturno) Limpeza dos tabuleiros do dia anterior 11:00 Preparação dos tabuleiros dos Lémures, Tartarugas de esporas, Gaiolão, Rabos de junco, Inseparáveis, Iguanas Distribuição dos tabuleiros nas respectivas instalações das Tartarugas de Esporas, Inseparáveis, Rabos de junco, Iguanas Alimentação dos Lémures e respectiva Palestra Preparação do tabuleiro das Emas, distribuição e limpeza da respectiva zona de abeberamento Preparação do tabuleiro dos Pecari de colar e Porcos Espinho 12:00 Alimentação dos Pecari de colar e Porcos-Espinhos e respectiva Palestra Almoço (elementos do 1ºturno) Alimentação do Grupo Nagpur (macacos rabo-de-porco) Alimentação dos Periquitos Australianos e Faisões Dourados 13:00 Alimentação dos animais do Lago Grande (patos, grous coroados e tartarugas da florida) Almoço (elementos do 2º turno) Selecção de comida (terça, quinta e sexta-feira) 14:00 Limpeza de zonas de abeberamento (com especial destaque para a piscina das tartarugas de Esporas, bebedouro automático quintinha, bebedouros da instalação dos Bufos Reais, Bebedouro da instalação dos Rabos de Junco) Refrescar todas as instalações dos animais do parque pequeno 16:00 Preparação e distribuição dos alimentos na instalação das Tartarugas, Lémures, Guaxinim, Doninhas Fedorentas e respectivas Palestras Preparação e distribuição da alimentação das Iguanas, verificação das gaiolas dos hamsters 17

18 Manutenção do parque Pausa (2ºturno) Preparação da alimentação dos primatas * e distribuição nas respectivas instalações 17:00 Fecho dos macacos rabo de porco na respectiva Recolha Alimentação dos animais existentes nos Padocks (Burro e Póneis) Alimentação e recolha dos animais da quintinha (fracas, perus, ovelhas dos camarões, ovelhas turcas, porcos do Vietname, galinhas, cabras anãs) 18:00 Alimentação dos animais do parque grande (sendo vegetais/ fruta ou rações conforme a disponibilidade de alimentos no parque) Limpeza da zona de armazenamento e de preparação dos alimentos 19:00 Fecho do Parque 1ºturno (início) 1º e 2ºturno(2ºturno início) 2ºturno Primatas *- Todos recebem a alimentação aquando da limpeza à excepção dos Lémures. Primatas *- Todos recebem a alimentação da parte da tarde à excepção dos Tarrafe. 18

19 Maneio Alimentar Consiste na preparação e distribuição de Alimentos pelas diferentes instalações. Neste capítulo irei abordar as diferentes dietas, assim como o número de vezes que cada animal ou grupo é alimentado diariamente. No caso dos primatas e do Casuar, foi elaborado um quadro distinto, devido à especificidade das dietas destes animais. Dietas Simples: Instalação Animal Dieta Nº de vezes Quintinha Ovelhas dos Camarões Ovelhas Comum Porcos do Vietname Cabra Anã Cabra Comum Peru Pombos de Poupa Pombos de Leque Galinha Pintada (Fracas) Ovigar (ração própria para animais em lactação); Trigo; Feno. Alimento composto para aves. 2 1 Observações O feno apenas é distribuído no inicio do dia; Na recolha dos Porcos do Vietname também são distribuídas as sobras (fruta e legumes) provenientes da preparação dos outros tabuleiros. À excepção dos Pavões, todas as aves existentes na Quintinha, recebem a dieta nas recolhas. Galinhas comuns Padocks Instalação Lamas Pavões Burro Póneis de Shetland Lamas Alimento Composto Complementar (Éguas e Poldros); Feno; Cenoura. Alimento composto Complementar Bovinos Fruta; Legumes; Apenas o Alimento Composto é distribuído 2 vezes/dia; As cenouras são fornecidas em caso de abundância. 19

20 Instalação Lebres da Patagónia Instalação Javalis Instalação Cangurus Gaiolas Gaiolão Lebres da Patagónia Javalis Cangurus de Bennet Esquilo Tailandês Inseparáveis de Face Rosada Periquito Rabo de Junco Periquito Australiano Ibis Sagrado Faisão Prateado Faisão Comum Tagarela Periquito Rabo de Junco Periquito da Patagónia Caturra Papagaio Turaco Pombos da Guiné Rola Turca Patos Feno; Cereais. Alimento Composto Complementar para coelhos; Alfaces. Alfaces; Trigo; Fruta. Alimento Composto Complementar para coelhos; Feno; Fruta; Legumes. Alimento composto para aves; Amendoins; Diferentes Variedades de Fruta (sem excepção). Mistura de Papagaio Alimento composto para aves; Amendoins; Diferentes Variedades de Fruta (sem excepção). Alimento composto para aves; Alpista; Trigo. Alimento composto para aves; Mistura de Papagaio; Amendoins; Diferentes Variedades de Fruta (sem excepção); Ração de cão As alfaces são fornecidas em caso de abundância. As alfaces são fornecidas em caso de abundância. 1 - Existem legumes que também poderão ser incluídos na dieta, por exemplo cenoura. 20

21 Lago Grande Lago das Tartarugas Grou Coroado Tartarugas da Florida Pato-Carolino Pato das Bahamas Pato de Bico Rosado Pato-Mandarim Pato Mármore Pato Arborícola Fulvo Dendrocisne da Indonésia Dendrocisne de F. Brancas Frisada Gansinho de Crista Ganso Comum Zarro Castanho Tartaruga de Esporas Ração de cão; Carne; Alimento composto para aves. Legumes (alface, cenoura, rúcola, couve, pepino, pimento); Fruta (maçã, melão, meloa) vezes apenas no Verão; Não aprecia espinafres e alho francês. Tartaruga da Florida Ração de cão; Carne e carcaças. 1 - Reptilário Iguanas Verdes Legumes (alface, cenoura, rúcola, couve); Fruta (maçã, melão, meloa). 2 Não pode ingerir pão, farináceos. Hamsters Alimento composto para aves. 1 - Instalação Guaxinim Instalação Doninhas Alternar entre, ração de gato, Guaxinim carne, delicias do mar ou ovo; Amendoins; Fruta. Doninha Fedorenta Alternar entre, ração de cão, carne ou ovo; Amendoins; Fruta Diferentes variedades de fruta, mas com preferência por banana e melancia. 21

22 Instalação Pecari Pecari de Colar Legumes (couve, couve flor, alface, cenoura, nabos, courgette, cogumelos, tomate, bróculos); Diferentes variedades de fruta (sem excepção); Alimento composto para aves. 1 Maior quantidade de legumes em relação à fruta; Fruta e Legumes pouco maduros; Não pode ingerir pão e farináceos. Instalação Faisões Instalação Porcos Espinho Instalação Emas Parque Grande Alimento Faisão Dourado composto para aves; Porco-espinho Legumes (couve, couve flor, alface, cenoura, nabos, courgette, cogumelos, tomate, bróculos); Diferentes variedades de fruta (sem excepção; Cereais. Legumes (alface, couve, cenoura); Fruta (maçãs, Emas melão, tomate); Pão; Alimento composto para aves. Ema Nandu Avestruz Cisne Negro Cisne Mudo Elande Cervicapra Watussi Gamo Chital Zebra da Planície Lama Iaque Alimento composto para aves; Fruta e legumes; Alimento Composto Complementar Bovinos e Ruminantes; Alimento Composto Complementar Éguas e poldros; Fruta e legumes; Feno Fruta o mais madura possível. Distribuição efectuada com uma carrinha. 22

23 Dietas Especificas: Grupo Nagpur Macacos Aranha Langures de Java Macaco de Tarrafe Macacos Rabo de Porco Segunda 1Kg de Vegetais Ração cão Ração cão - Terça 10 Ovos Iogurte - Sementes Quarta 1kg de Banana Ovo cozido Ovo cozido Ovo cozido Quinta 0,5kg de carne de frango Gelatina Aipo Gelatina (cozida) Sexta 1kg de Banana Laranja Romã Arroz, grão ou batata Sábado 1 kg de Vegetais Ração cão Ração cão Ração de cão Domingo 1kg de Banana Cerelac - Cerelac Dieta Base Ao Abrir: 0,5kg de Ração Ao Almoço: 1kg de cenouras Ao Fechar: 2kg de Maçã 0,5kg de Laranja 0,5kg de Pão 1kg de Vegetais Ao abrir: Alface, pimento verde, fruta, amendoins ou nozes, pão e sementes Ao fechar: Fruta (a pêra é obrigatória) Ao abrir: quatro/cinco variedades da dieta Ao fechar: quatro variedades da dieta mais opção semanal Cenoura, feijão verde, batata-doce, pimento verde, bróculos, tomate, pepino, aipo. Fruta, vegetais, pão, farináceos, frutos secos e sementes. Ao abrir: vegetais, fruta, amendoins e pão Obs. Fruta Alternativa: Pêssego, ameixa, Melancia, Papaia, Uvas, mas apenas fornecer 2 variedades. Vegetais alternativos: feijão-verde, alhofrancês, pimento verde, courgette, bróculos, mas apenas fornecer duas variedades. Fruta Alternativa: Pêssego, ameixa, Melancia, Papaia, Uva, maçã, kiwi, Goiaba, Romã, banana, melão, abacaxi. Vegetais alternativos: funcho e batatadoce. Podem comer folhas de amoreira ou hibiscus, com moderação. Pode ingerir pimento, mas só verde. - Alimentos Proibidos Beringela, couves roxa, branca e verde e alface. - Fruta (excepto romã), pão ou outros farináceos, amendoins ou nozes. Pepino e tomate na mesma refeição. - 23

24 Dieta Macaco do Macaco Cauda de Lémure de Cauda Casuar Japão Leão Anelada Segunda Queijo Terça Iogurte Iogurte Iogurte Ração de cão Quarta Ovo cozido Ovo cozido - - Quinta Gelatina Gelatina Gelatina Queijo Sexta Arroz, grão ou Laranja - Ração de cão Sábado batata crus - - Sementes, grão, - batata ou arroz cozido Domingo Cerelac Cerelac Cerelac Laranja Dieta Base Ao Abrir: Ao abrir: Ao abrir: ração de Fruta, vegetais, Fruta, vegetais, amendoins, pão, sementes Ao Fechar: (primavera e verão) vegetais, fruta mais opção semanal Alface, pimento, fruta, amendoins ou nozes, pão e sementes Ao fechar: Fruta mais opção semanal mais cenoura lémure, vegetais e fruta Ao fechar: vegetais, fruta mais opção semanal ou fruta. sementes. Obs. - Podem comer morango com moderação Alimentos Proibidos Se não existir ração de lémure, dá-se ração de cão, morangos, ameixas, laranjas, meloa, melão e abacaxi devem ser dados com moderação A fruta deve ser a mais madura possível Evitar cenoura e couve em excesso. 24

25 Palestras e ateliês pedagógicos: Devido à função lúdico-pedagógica do parque, ao longo do dia, realizam-se várias Palestras e acções educativas pelo parque e no Telheiro Pedagógico. Após aprendizagem com os elementos da equipa de trabalho do parque e alguma pesquisa acerca das várias espécies, foi possível ao longo do estágio, desenvolver palestras sobre Lémures de Cauda Anelada, Tartarugas de Esporas, Tartarugas da Florida, Guaxinim, Doninhas Fedorentas, Porcos-Espinhos e ainda de Pecari de Colar. Estas palestras eram anunciadas pelo altifalante do parque, para permitir aos visitantes observarem determinados animais, que normalmente se encontram nos seus refúgios ou menos activos, sendo a nossa missão transmitir conhecimentos acerca dessas espécies sob a forma de curiosidades. Algumas dessas particularidades serão relatadas nas tabelas seguintes: Distribuição Geográfica Habitat Lémure de cauda Anelada Madagáscar Zonas de rocha, de arbustos, desertos de espinhos, floresta seca e húmida. Guaxinim Sul do Canadá até a América Central; Europa Central. Bastante adaptável. Preferência por zonas próximas de água (também em zonas urbanas/suburbanas). Longevidade (anos) (habitat natural) 13 (cativeiro) Alimentação Frutos (figos e Omnívoro. bananas), folhas, casca A dieta consiste em de árvore, ervas, flores frutos, insectos e e resina. lagostins. Esporádicamente pode comer insectos. Comportamento Especialmente diurno. Considerados os Deuses do Sol, pois no inicio e fim do dia colocam-se em posição de flor de Lótus. Vive em grupos de 5 a 30 indivíduos. Sociedade matriarcal. Essencialmente nocturno. Oportunista. Geralmente solitário. Conhecido por lavador de comida Excelente visão nocturna. Excelente trepador. Doninha fedorenta Desde o Canadá até ao norte do México. Misto. Habitualmente escolhe locais próximos de fontes de água. Também observado em áreas suburbanas. 2 a 3 (habitat natural) 10 (cativeiro) Omnívoro. Insectos, pequenos mamíferos, peixes, crustáceos, frutos, folhas, rebentos, grãos, frutos secos e carcaças. Geralmente nocturno. Oportunista. Solitário, mas por motivos de termoregulação, no inverno, reúne-se em grupos em abrigos. Reprodução Vivípara Gestação (136 dias) Parto Simples Mas situações de abundância de comida, pode ocorrer super ovulação e partos Gemelares. Vivípara. Gestação: 2 meses. 1-8 Crias por parto Vivípara. Gestação: 2meses Crias. 25

26 Amamentam seis meses. Maturidade sexual: 1,5 anos fêmeas, 2,5 machos Geral Em geral possuem 13 anéis negros na cauda. A cauda serve para lhe promover equilíbrio, também sendo usada nas lutas malcheirosas, promovidas pelos machos através da passagem desta pelas glândulas situadas nas axilas e virilhas; quando em vida selvagem para o grupo manter o contacto visual quando em movimento. Papel fulcral na polinização e dispersão de sementes. Em zonas urbanas alimenta-se de lixo O seu nome tem origem num comportamento de defesa característico deste animal: quando sob ameaça arqueia o dorso, elevando os pelos e a cauda e apoia-se nas patas anteriores, ejectando um líquido nauseabundo (cuja distância pode ser superior a 3 metros) na direcção dos olhos, o qual pode provocar náuseas e irritação dos olhos. Estatuto de Conservação e factores de ameaça São considerados vulneráveis embora se reproduzam bem em cativeiro. Caçados para comida e capturados para comércio ilegal de animais. Espécie abrangida por EEP (European Endagered Species Program) - - Figura 7: Palestra na instalação dos Lémures. 26

27 Tartaruga de Esporas Tartaruga da Florida Sul do Sahara Centro e sul dos Estados Unidos Porco-Espinho Itália, Turquia e Norte de África Distribuição Geográfica Habitat Deserto. Aquática Florestas, zonas rochosas, montanhas, terrenos cultivados e terrenos no deserto. Abriga-se em tocas e cavernas. Longevidade (anos) 80 Anos (a mais longeva no parque tem 20 anos). 40 Anos (habitat natural); 100 anos (cativeiro). Alimentação Herbívora Omnívora. Em jovens são carnívoros, tornando-se herbívoras em adulto. Insectos aquáticos, caracóis, girinos, crustáceos, peixes e vegetação aquática. Comportamento Reprodução Geral Territorial e mais activa ao fim do dia Ovípara. Incubação: dias Ovos. O sexo só pode ser identificado aos 10 anos de vida. O nome deve-se às esporas que revestem as suas patas. Maior tartaruga africana. Pode atingir um metro de comprimento e pesar 65 kg. Gregário. Diurna. Hiberna. Ovípara. Incubação: dias Ovos. Sexo: ventre côncavo (macho); ventre liso (fêmea); macho: unhas e cauda maior relativamente à fêmea. Atingem maturidade sexual aos 4 anos (macho) e 7 anos (fêmea). Também chamados tartarugas de orelhas vermelhas. Quando sob ameaça refugiam-se dentro de água. Não devem ficar muito tempo viradas pois a pressão nos pulmões não lhes permite respirar. 20 Anos (cativeiro). Omnívoro. Vegetais, raízes, tubérculos, frutos e carcaças. Em áreas onde existe carência de Fósforo comem ossos. A porção anterior do intestino grosso e o grande apêndice contêm microrganismos que facilitam a digestão. Gregário/solitário. Pode viver em pequenos grupos. Nocturno. Inactividade no Inverno (não hiberna). Época de reprodução: Maio-Dezembro. Vivípara. Gestação: dias. 1-4 Crias. As crias nascem bastante desenvolvidas, com os olhos abertos e os espinhos curtos e flexíveis. Os espinhos enrijecem cerca das duas semanas de vida. Após o período de amamentação, as fêmeas não podem conceber por 3-5 meses. 27

28 Estatuto de Conservação e factores de ameaça Espécie abrangida por EEP (European Endagered Species Program). - A espécie não está globalmente ameaçada (segundo a união internacional para a conservação da natureza). São considerados pragas agrícolas e caçados para obtenção de carne e espinhos. Figura 9: Tartaruga de Esporas. Figura 8: Instalação Porcos-Espinhos (alimentação). 28

29 Figura 10: Lago tartarugas da Florida. Manutenção de equipamentos: A manutenção dos equipamentos do parque faz-se de uma forma diária. É assegurada pela equipa de manutenção e jardins, tendo também os estagiários uma responsabilidade neste campo. Assim, diariamente e durante cerca de 1 hora, eram efectuadas determinadas operações, tais como: limpeza de placas informativas, pintura de acessórios paisagísticos e certificação do bom estado de todos os equipamentos. Acompanhar crianças (tratadores por um dia) É uma tarefa esporádica, mas de elevada responsabilidade, que consiste em acompanhar crianças a partir dos 8 anos de idade, ajudá-las a desempenhar tarefas simples, divertidas, tais como preparação das dietas dos animais e a distribuição pelas respectivas instalações. Acções de formação 29

30 Durante o período do estágio foram desenvolvidas formações no âmbito da Extinção de Incêndios em fase nascente, onde foram transmitidos conhecimentos sobre incêndios florestais, as fases do seu desenvolvimento e métodos de extinção, e no âmbito dos Primeiros socorros a visitantes do parque centrada na reanimação cárdio-pulmonar e exame da vítima, entre outros. Nestas formações ficou patente a necessidade da criação dum plano de emergência para todo o parque, trabalho que já está a ser levado a cabo por técnicos competentes nessa área em conjunto com a direcção do parque. Reuniões quinzenais com a equipa Tendo em vista a promoção de uma maior comunicação entre todos os elementos da equipa, efectuam-se reuniões quinzenais onde são abordadas novas actividades (por exemplo, recolha, preparação e distribuição de dietas a animais recém-chegados), alguns problemas (necessidade de melhoramento das instalações ou da alteração de algum procedimento rotineiro) e são transmitidas informações variadas. Deste modo tenta-se garantir a coesão da equipa e o aumento da sua eficácia e rentabilidade. Tratamentos e Relatórios Durante o decorrer deste estágio empresarial, foi permitido ao estagiário observar e/ou efectuar tratamentos e relatórios. Relatórios sobre procedimentos realizados pela equipa, desde aplicação de tratamentos, à observação de comportamentos anormais, ou mesmo desconhecidos realizados pelos animais. Figura 11: Garupa do Pónei (Fêmea). Tratamento (1) Póneis de Shetland e Burro: Este tratamento foi iniciado devido à observação de zonas escamosas (com uma espécie de calosidade ou mesmo ferida) e sem pêlo, especialmente na fêmea (Francisca) e no Burro (Monte). Essas zonas afectadas localizavam-se especialmente na crineira, garrote, dorso, garupa, joelhos e curvilhões. 30

31 Após a observação dos animais por parte do Veterinário, este sugeriu que deveria ser realizado um tratamento aos animais com um antifungico, de amplo espectro, que possui uma acção contra os dermatofitos, ou seja, dermatomicoses. Segundo membros da equipa e o próprio Veterinário, esta situação tem vindo a ocorrer desde anos anteriores até á presente data, manifestando-se particularmente numa época do ano, Verão. Material: -luvas; -Recipiente (com capacidade para aproximadamente 10 litros); - Pano/Esponja; -H 2 O; -Imaverol (Antimicótico de Largo Espectro para bovinos, cavalos e cães); -Cabeçada de Prisão e corda. Figura 12: Zona escamosa e com ferida (Burro). Procedimento: 1-Preparar a solução, por cada litro de água uma tampa de Imaverol (20ml). 2-Condicionar o animal com a Cabeçada de prisão e corda*. 3-Aplicar a solução de Imaverol nas zonas afectadas. 4-Manter os animais presos durante 15-20minutos, para o produto actuar. *- Prender o cavalo numa zona da instalação onde haja espaço suficiente para se circular à volta dele, o comprimento com que a corda fica, deve ser sensivelmente o do nosso braço, mais ou menos 80cm, e o nó indicado, é um conjunto de 3 ou 4 laçadas sucessivas sobre si mesmas que se desatam facilmente com um esticão na ponta em caso de problemas. Relatório(1): Data Nome científico/ Espécie Equus asinus Equus Caballus Equus asinus Equus Caballus Equus asinus Equus Caballus Equus asinus Equus Caballus Animais sujeitos ao tratamento Pónei F Burro Pónei F e M* Burro Pónei F Burro Pónei F Burro Profilaxia Observações Tratador Imaverol Banho total 1ªsemana- 1ºtratamento Imaverol Banho localizado 1ªsemana- 2ºtratamento Imaverol Banho localizado 2ªsemana- 3ºtratamento Imaverol Banho localizado 2ªsemana- 4ºtratamento José Monteiro Tânia Cardoso Tânia Cardoso Tânia Cardoso 31

32 Equus asinus Equus Caballus Equus asinus Equus Caballus Pónei F Burro Pónei F Burro Imaverol Banho localizado 2ªsemana- 5ºtratamento Imaverol Banho localizado 2ªsemana- 6ºtratamento Ana Baracho Rita Pascoal (estagiários de veterinária) Ana Traça (est. Vet.) Manuel Fernandes M*-O tratamento ao macho foi único e apenas preventivo, devido a não apresentar nenhuma região exterior afectada. Tratamento (2) Pónei de Shetland: Este tratamento foi iniciado devido ao problema respiratório evidenciado pelo Pónei macho, tosse acentuada e persistente, expectoração. Depois de observado e auscultado pelo veterinário foi diagnosticado que o pónei macho possuía Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica. Material: -luvas; -seringa; -Depocilina. Procedimento: - Injecção intra-muscular de Depocilina Relatório(2): Data Nome científico/ Espécie Animais sujeitos ao tratamento Profilaxia Observações Tratador Equus Caballus Pónei M Depocilina 8ml -IM Márcia Viana Equus Caballus Pónei M Depocilina 8ml -IM Tiago Mota Equus Caballus Pónei M Depocilina 8ml -IM Ana Sofia Tratamentos pontuais/esporádicos: No dia-a-dia de uma instituição/empresa que possui uma enorme variedade de espécies e tão distintas entre si, existem procedimentos/tratamentos esporádicos que têm de ser desempenhados. 32

33 Relatório(3): Data Nome científico/ Espécie Balearica regulorum Melopsittacus undulatus Animal Sujeito a Contenção Grou-Coroado Macho Periquito Australiano Observações Necessidade de observação da asa esquerda pelo veterinário; Diagnóstico, uma calcificação antiga. Necessidade de se efectuar o corte da mandíbula inferior ou porção inferior do bico Capra hircus Cabra Anã Desinfecção da base do corno com Terramicina (spray). Tratador Tânia Cardoso Pedro Mang. Tânia Cardoso Ana Paços Tânia Cardoso Ana Mota Relatório Fezes do Casuar: Este relatório foi iniciado devido à observação de um determinado comportamento demonstrado pelo casuar aquando da distribuição do tabuleiro diário de alimentação por parte dos tratadores (Catarina Sim Sim e Vanessa Requeijão). Comportamento que consistia em o animal comer do tabuleiro que lhe foi colocado e de seguida defecar os alimentos quase intactos, fazendo automaticamente coprofagia. Expostos os factos ao Veterinário, este aconselhou que a dieta do animal deveria ser alterada para: Fruta e legumes menos maduros; Menos melão, meloa, tomate; Tentar alimentos mais fibrosos, cenoura, couve, maçã, manga (óptimo), pão; Tentar sementes de girassol, mas progressivamente. De acordo com a disponibilidade de alimentos existente no parque/reserva foi efectuada a dieta abaixo descrita. Data Alimentação Fezes Observações - Estado geral Cenoura, maçã, banana Apresentam-se não digeridas, evidenciando-se a Activo durante todo o dia Abeberamento 33

34 Banana, couve, pão e cenoura (2) Banana, couve, maçã, cenoura Banana, couve, cenoura Banana, couve, cenoura, pão Maçã, cenoura, uva, laranja (mas em menor quantidade) Maçã, pão, uva, laranja Banana, maçã, uva, pêssego cenoura e maçã intactas. Apresentam-se não digeridas, evidenciando-se a cenoura intacta. Apresentam-se não digeridas, evidenciando-se a cenoura intacta. Apresentam-se não digeridas, evidenciando-se a cenoura intacta. Apresentam-se não digeridas, evidenciando-se a cenoura intacta. Fezes quase normalizadas, e a cenoura apresentase mais digerida Fezes quase normalizadas (mas mais líquidas), e a cenoura apresentase mais digerida Fezes quase normalizadas, mas apresentam casca de banana mal digerida normal Alimentação normal Muito activo, com comportamento agonístico para com as tratadoras Abeberamento normal Alimentação normal (à tarde ainda procurou o comedouro) Activo durante todo o dia Não foi observado a beber Alimentação normal Activo durante todo o dia Abeberamento normal Alimentação normal Activo durante todo o dia Abeberamento normal Alimentação normal Activo durante todo o dia Abeberamento normal Alimentação normal Activo durante todo o dia Abeberamento normal Alimentação normal Activo durante todo o dia Abeberamento 34

35 normal Maçã, uva, banana Fezes quase normalizadas, mas apresentam casca de banana mal digerida Alimentação normal Activo durante todo o dia Abeberamento normal Alimentação normal Conclusão: Após algumas pesquisas efectuadas por diversos estagiários, e após o aconselhamento com membros da equipa com mais experiência chegou-se à conclusão de que este comportamento é normal na ordem Struthioniformes (Ratitas), ou seja, quando confinados a um determinado espaço, é normal estes animais efectuarem coprofagia, por vezes de uma forma mais sistematizada. Também se concluiu que as fezes mal digeridas são normais, mas tal acontece exactamente com determinados alimentos fibrosos, tais como, cenoura, couve e maçã. Sugestões Guaxinim No decurso do estágio foi observado no Guaxinim um comportamento estereotipado acentuado, comportamento este que foi evitado através da quebra do movimento cíclico do animal, ao ser colocado um tratador como obstáculo no circuito executado pelo animal. O mesmo animal não lava a comida antes da ingestão, logo não desempenha o comportamento característico da espécie. Talvez através de uma melhoria das instalações e com enriquecimento ambiental, estes comportamentos possam ser alterados. Lémure de Cauda Anelada No início do estágio estes animais foram observados a lamber o suor dos tratadores, esse comportamento está frequentemente ligado a uma deficiência em minerais, que pode ser colmatada ao colocar uma pedra de sal (nas recolhas). Depois de colocada a pedra constatouse que os animais diminuíram esse comportamento. 35

36 Cabras e Ovelhas quintinha Necessidade de efectuar o corte das unhas/cascos, altura apropriada Outubro, (em caso de necessidade uso de Terramicina). Tartarugas Possibilidade de estudo do ciclo e sazonalidade do parasita persistente nas fezes. Porcos-Espinhos Criação de um expositor com os diferentes pêlos/espinhos (cervicais, torácicos, dorsais e caudais) para colocar no Telheiro Pedagógico. Entomologia Foi feita a captura de insectos sem vida para serem exibidos num expositor para maior conhecimento das espécies da região. Poderá também ser feita alguma pesquisa veterinária de modo a averiguar se estes são vectores de doenças ou parasitas. Interesse em aprofundar o problema existente na zona devido ao Cerambix, coleóptero que destrói o lenho da árvore, conduzindo à morte desta. Conclusão Através deste estágio conseguimos realizar actividades e enfrentar situações variadas muito úteis para a vida profissional futura, especialmente no que diz respeito á polivalência e ao desempenho de tarefas de grande responsabilidade. Adquirimos conhecimentos muito valiosos sobre o maneio higio-sanitário e alimentar das mais variadas espécies exóticas, nomeadamente determinadas posturas e precauções a adoptar, consoante o tipo de animal ou instalação em causa. Por fim, podemos concluir que o parque contribui de facto para a conservação de espécies ameaçadas de extinção, para a recuperação de animais sujeitos anteriormente a maus tractos e para uma acção pedagógica especialmente focada nas crianças e também para adultos. Foi sempre claro o esforço diário desta empresa familiar, cuja pequena dimensão não constitui um obstáculo para assegurar a subsistência de todo o efectivo animal em condições de Bem-estar Animal. 36

37 Bibliografia Manual Oficial de Formação Equestre, 2ª Edição (2006), Instituto do Desporto de Portugal. McDonald, P.; Edwards, R.A.; Greenhalgh, J.F.D; Morgan, C.A., Nutrición Animal, 5ª Edição, Editora Acribia, S.A. Documentos e Apontamentos fornecidos pelo docente da cadeira de Caprinotecnia. Trabalho realizado por Liliana Garcia (ESAS- Produção Animal), A vida animal no Monte Selvagem - Particular relevância para o maneio das espécies. Manual de Alimentação (Fichas Alimentares de Aves), compilado por António Vidigal, Jardim Zoológico e de Aclimatação em Portugal, Lisboa

38

PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR(A) DE ANIMAIS EM CATIVEIRO

PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR(A) DE ANIMAIS EM CATIVEIRO PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR(A) DE ANIMAIS EM CATIVEIRO PERFIL PROFISSIONAL Tratador/a de animais em Cativeiro Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/8 ÁREA DE ACTIVIDADE - AGRO-ALIMENTAR OBJECTIVO

Leia mais

Nome científico: Nome Popular: Classe: Ordem: Família: Subfamília: Género: Espécie: Características:

Nome científico: Nome Popular: Classe: Ordem: Família: Subfamília: Género: Espécie: Características: Nome científico: Lutra lutra Nome Popular: Lontra europeia, lontra-comum Classe: Mammalia Ordem: Carnívora Família: Mustelidae Subfamília: Lutrinae Género: Lutra Espécie: Lutra lutra Características: A

Leia mais

PEIXES - corpo coberto de escamas - barbatanas para nadar - respiram por guelras

PEIXES - corpo coberto de escamas - barbatanas para nadar - respiram por guelras Os animais do meu ambiente Há muitos animais na Natureza e todos são diferentes. Os animais estão adaptados ao ambiente em que vivem, pela forma do corpo, pela maneira como se deslocam, pela alimentação

Leia mais

ANIMAIS EXÓTICOS COELHO

ANIMAIS EXÓTICOS COELHO ANIMAIS EXÓTICOS COELHO Sabia que todos os animais exóticos deveriam consultar o médico veterinário e efetuar um check up, após a sua aquisição, e pelo menos uma vez por ano, mesmo que estejam saudáveis?

Leia mais

Caderno de actividades

Caderno de actividades Caderno de actividades Para responderes correctamente às perguntas que se seguem, talvez queiras ler o livro Era uma Vez uma Casa, à venda no Sítio do Livro, e também visitar o sítio infanto-juvenil www.barry4kids.net.

Leia mais

A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses

A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses Início da Diversificação A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses Substituir uma refeição de leite por: Papa sem glúten ou sopa de legumes (antes dos 6 meses) Papa

Leia mais

OS FRUTOS E OS VEGETAIS

OS FRUTOS E OS VEGETAIS OS FRUTOS E OS VEGETAIS Os frutos e os vegetais representam uma parte fundamental da alimentação saudável! De um modo geral, podemos dizer que estes alimentos são fornecedores indispensáveis de minerais

Leia mais

Baleia. Aranha. Iuri. Malcom

Baleia. Aranha. Iuri. Malcom Aranha Baleia A aranha é um aracnídeo. O habitat das aranhas é nas florestas ou em casas. Mas ela mora em uma teia que ela mesma faz. Depressa ela se pendura na teia e enrola insetos nessa teia para se

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo SUPER 9 DIETAS Esta dieta é baseada principalmente na ingestão de alimentos que aumentam a densidade nutricional e diminuir a densidade calórica. É uma das dietas mais equilibradas, uma vez que não se

Leia mais

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO no 1º ano de vida INÍCIO DA DIVERSIFICAÇÃO A diversificação pode ser iniciada após os 4 meses. Substituir uma refeição de leite por: Papa sem glúten ou caldo de legumes (antes

Leia mais

GUIA DE BOLSO Outono combina Com SOPA!

GUIA DE BOLSO Outono combina Com SOPA! GUIA DE BOLSO Outono combina Com SOPA! Sumário Introdução Composição da sopa Benefícios da sopa Que quantidade de sopa devo comer por dia? Sopa no início ou depois do prato principal? Receitas de sopas

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Brincar e aprender com os alimentos

Brincar e aprender com os alimentos Brincar e aprender com os alimentos Introdução A Associação Portuguesa dos Nutricionistas, criou este conjunto de jogos didácticos, destinado a crianças, porque considera que a aprendizagem e modulação

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS FACTORES DO MEIO ADAPTAÇÕES MORFOLÓGICAS

INFLUÊNCIA DOS FACTORES DO MEIO ADAPTAÇÕES MORFOLÓGICAS INFLUÊNCIA DOS FACTORES DO MEIO A variação de factores do meio, como a luz, a humidade e a temperatura, pode determinar nos animais: - adaptações morfológicas ou - alterações no comportamento nos animais

Leia mais

Componente curricular: Zootecnia II. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli

Componente curricular: Zootecnia II. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Componente curricular: Zootecnia II Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Sistema de produção, instalações e manejo da avicultura. 1. Introdução. Avicultura: criação de

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

Alimentação Saudável

Alimentação Saudável Alimentação Saudável O que é a alimentação saudável? A Alimentação Saudável é uma forma racional de comer que assegura variedade, equilíbrio e quantidade justa de alimentos escolhidos pela sua qualidade

Leia mais

O nome Camaleão significa Leão da Terra e é derivado das palavras gregas Chamai (na terra, no chão) e Leon (leão).

O nome Camaleão significa Leão da Terra e é derivado das palavras gregas Chamai (na terra, no chão) e Leon (leão). Nome científico: Chamaeleo chamaeleon Nome popular: camaleão-comum Classe: Reptilia Ordem: Squamata Subordem: Sauria Família: Chamaeleontidae Etimologia: O nome Camaleão significa Leão da Terra e é derivado

Leia mais

Merendeira. Benefícios de uma alimentação saudável o Critério das Cores Diversas dos Alimentos Ajuda na prevenção da obesidade Bullying

Merendeira. Benefícios de uma alimentação saudável o Critério das Cores Diversas dos Alimentos Ajuda na prevenção da obesidade Bullying Merendeira 1) Objetivos Gerais Através do trabalho da merendeira, aprofundar os conhecimentos sobre a preparação de uma refeição saudável com o uso dos utensílios e eletrodomésticos presentes na cozinha.

Leia mais

TABELA DE ph DOS ALIMENTOS

TABELA DE ph DOS ALIMENTOS TABELA DE ph DOS ALIMENTOS Esta tabela não representa o ph real dos alimentos (antes de serem consumidos), representa sim algo mais importante, que é a sua capacidade de produzir "resíduos" mais ou menos

Leia mais

Unidade de Saúde do Afonsoeiro DIVERSIFICAÇÃO ALIMENTAR

Unidade de Saúde do Afonsoeiro DIVERSIFICAÇÃO ALIMENTAR Unidade de Saúde do Afonsoeiro DIVERSIFICAÇÃO ALIMENTAR GRUPO A Batata Cenoura Abóbora Dente de alho Nabo Cebola 4 5 meses SOPA DE LEGUMES GRUPO B Alho Francês Alface Brócolos Nabiça Agrião Espinafres

Leia mais

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios.

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios. Mais saude com consultoria de Tapioca R$ Queime 5kg em 1 mês incluindo tapioca no cardápio Todas as matérias com especialistas Mais Saúde com Tapioca Ano 1, nº 1-2015 4,99 Receitas nutritivas Sucos, cereais

Leia mais

Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim. Inclui receitas

Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim. Inclui receitas Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim Inclui receitas Ficha Técnica Título: Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim Concepção: Mariana Barbosa Corpo redactorial: Mariana Barbosa Revisão:

Leia mais

ANEXO C CAPITAÇÃO DOS ALIMENTOS TABELA 1 FRUTOS (diversas utilizações) PRODUTOS CAPITAÇÕES OBSERVAÇÕES

ANEXO C CAPITAÇÃO DOS ALIMENTOS TABELA 1 FRUTOS (diversas utilizações) PRODUTOS CAPITAÇÕES OBSERVAÇÕES ANEXO C CAPITAÇÃO DOS ALIMENTOS TABELA 1 FRUTOS (diversas utilizações) ALPERCE 150 gr Calibre mínimo 30 mm AMEIXA 150 gr Calibre mínimo 30 mm BANANA 150 gr 1 unidade CEREJA 150 gr Calibre mínimo 17 mm

Leia mais

ANEXO 7 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESCOLAS A TEMPO INTEIRO

ANEXO 7 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESCOLAS A TEMPO INTEIRO ANEXO 7 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESCOLAS A TEMPO INTEIRO CARATERÍSTICAS DAS REFEIÇÕES: COMPOSIÇÃO E CAPITAÇÕES 1. O adjudicatário obriga-se a fornecer, durante o período previsto e diariamente, 2 lanches

Leia mais

MANEJO E MANUTENÇÃO DE ANIMAIS DOMÉSTICOS NO ZOOPARQUE ITATIBA: UMA NOVA FERRAMENTA DE LAZER E EDUCAÇÃO. ZOOPARQUE ITATIBA

MANEJO E MANUTENÇÃO DE ANIMAIS DOMÉSTICOS NO ZOOPARQUE ITATIBA: UMA NOVA FERRAMENTA DE LAZER E EDUCAÇÃO. ZOOPARQUE ITATIBA MANEJO E MANUTENÇÃO DE ANIMAIS DOMÉSTICOS NO ZOOPARQUE ITATIBA: UMA NOVA FERRAMENTA DE LAZER E EDUCAÇÃO. ZOOPARQUE ITATIBA Rodovia Dom Pedro I, Km 95,5, Itatiba, São Paulo. e-mail: zooparque@zooparque.com.br

Leia mais

Guia para identificação de pegadas

Guia para identificação de pegadas Guia para identificação de pegadas Apoio: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo Programa ABC na Educação Científica - Mão na Massa Coordenador do Programa ABC na Educação Científica - Mão

Leia mais

Lição N o 5. Vitaminas. Objectivos de Aprendizagem. introdução. No final desta lição, você será capaz de:

Lição N o 5. Vitaminas. Objectivos de Aprendizagem. introdução. No final desta lição, você será capaz de: Lição N o 5 Vitaminas Objectivos de Aprendizagem No final desta lição, você será capaz de: Mencionar algumas vitaminas, as suas propriedades, respectivas fontes e funções. Identificar algumas doenças causadas

Leia mais

Sal Açúcar (g) (g) Sopa Creme de Legumes 1,3,5,6,7,8,9,12 461 110 3,0 0,5 17,4 2,9 1,2 1,6

Sal Açúcar (g) (g) Sopa Creme de Legumes 1,3,5,6,7,8,9,12 461 110 3,0 0,5 17,4 2,9 1,2 1,6 Semana de 16 a 18 de Setembro de 2015 Segunda Sopa Creme de Legumes 1,3,5,6,7,8,9,12 461 110 3,0 0,5 17,4 2,9 1,2 1,6 Almondegas de vaca com esparguete e salada de alface e cenoura ralada 1,2,3,4,5,6,7,9,10,11,12

Leia mais

Ementa Almoço (Creche - 2 anos / J.I. - 3 a 5 anos / A.T.L.)

Ementa Almoço (Creche - 2 anos / J.I. - 3 a 5 anos / A.T.L.) Segunda 01-06-2015 Piquenique 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,13,14 Terça 02-06-2015 Sopa Sopa de nabos 1,3,5,6,7,8,9,12 220 52 1,4 0,2 8,7 0,9 1,1 0,2 Ratatouille de frango com arroz branco 838 200 5,2 0,9

Leia mais

Feijão verde Arroz de atum com macedónia de legumes Repolho, ervilhas e cenoura Fruta da época (min. 3 variedades) Pão de mistura

Feijão verde Arroz de atum com macedónia de legumes Repolho, ervilhas e cenoura Fruta da época (min. 3 variedades) Pão de mistura Semana 06/04/2015 a 10/04/2015 Prato 0 Feijão verde Arroz de atum com macedónia de legumes Repolho, ervilhas e cenoura de mistura Minestrone Almôndegas estufadas com esparguete Alface, couve roxa e milho

Leia mais

Programa 5 ao Dia. Faz Crescer com Energia. O que conta como uma porção para o 5 ao Dia? Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A.

Programa 5 ao Dia. Faz Crescer com Energia. O que conta como uma porção para o 5 ao Dia? Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A. O que conta como uma porção para o 5 ao Dia? Programa 5 ao Dia Frutas ou Hortícolas Tamanho das peças de Frutas ou Hortícolas Equivalência em gramas Abacate 1/5 de um médio 30 Aipo 2 talos médios 110 Alface

Leia mais

Abril de 2008. Autores: Luciana Gonçalo Lénio

Abril de 2008. Autores: Luciana Gonçalo Lénio Os Animais Abril de 2008 Autores: Luciana Gonçalo Lénio 20 1 Conclusão Achamos que trabalhamos bem. Descobrimos muitas coisas interessantes. Por exemplo: que haviam as cadeias alimentares. Assim ficámos

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

Colégio Português Creche Semana de 22 a 26 de Junho de 2015 Almoço

Colégio Português Creche Semana de 22 a 26 de Junho de 2015 Almoço Semana de 22 a 26 de Junho de 2015 Sopa Creme de legumes com solha 4 199 47 0,6 0,1 7,4 0,7 2,9 0,2 Esparguete com salmão e legumes cozidos 1,3,4 958 229 12,8 2,4 17,2 1,2 10,6 0,5 Sobremesa Creme de maçã

Leia mais

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO no 1º ano de vida ALIMENTAÇÃO PADRÃO Este folheto foi elaborado para ajudar os pais na alimentação do bebé. Cumpra sempre os conselhos do enfermeiro e do médico do seu filho

Leia mais

Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Umidade Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851

Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Umidade Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851 www.tectermica.com.br Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851 FRUTAS Produto Propriedades dos Alimentos Perecíveis Abacate 7,2 a 12,8 85 a 90 65,4-1

Leia mais

-./*0(1(21&1'#"0(31#*4(

-./*0(1(21&1'#0(31#*4( -./*0(1(21&1#"0(31#*4( 5/"6$17"(+1(8*$/"(0".+9:1;(!"#$%&"()*$+,*( ! "#$%&!!()*+,&!-+%.! /$,012,!3!4%1$,!&,#3567!!!!!! 8,+19)*,!:%13;%! ÍNDICE!"#$!%&%&(&)*+!%,&*$-% INTRODUÇÃO MODO DE EMPREGO SUMOS 1. Sumo

Leia mais

A ESCOLA PROMOVENDO HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS

A ESCOLA PROMOVENDO HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS A ESCOLA PROMOVENDO HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ELABORAÇÃO Clarissa Hoffman Irala e Patrícia Martins Fernandez COORDENAÇÃO Elisabetta Recine Universidade de Brasília. Faculdade de Ciências da Saúde.

Leia mais

EMENTA ERPI. 13 a 19 junho 2016. Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Domingo

EMENTA ERPI. 13 a 19 junho 2016. Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Domingo EMENTA ERPI PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL...COM O REGRESSO DO CALOR NÃO SE ESQUEÇA DE REFORÇAR A HIDRATAÇÃO DIÁRIA COM ÁGUA OU CHÁS OU INFUSÕES SEM ADIÇÃO DE AÇÚCAR 13 a 19 junho 2016 Sábado Domingo 13

Leia mais

Ementa. Semana 1. 2ªfeira 3ªfeira 4ªfeira 5ªfeira 6ªfeira. Fruta Fruta Fruta Fruta Fruta. Sopa de feijão- verde. Arroz mediterrânico com salmão

Ementa. Semana 1. 2ªfeira 3ªfeira 4ªfeira 5ªfeira 6ªfeira. Fruta Fruta Fruta Fruta Fruta. Sopa de feijão- verde. Arroz mediterrânico com salmão Uma colher de ca vez. Semana 1 Sopa de cenoura Sopa de alface Sopa de feijão- verde Sopa de aipo Sopa de agrião Conchinhas com soja em molho de iogurte Espetas de peru com batatinhas Arroz mediterrânico

Leia mais

1. O adjudicatário obriga-se a fornecer, durante o período previsto e diariamente, 2 lanches

1. O adjudicatário obriga-se a fornecer, durante o período previsto e diariamente, 2 lanches ANEXO 8 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESTABELECIMENTOS DE INFÂNCIA CARATERÍSTICAS DAS REFEIÇÕES: COMPOSIÇÃO E CAPITAÇÕES 1. O adjudicatário obriga-se a fornecer, durante o período previsto e diariamente,

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sopa: Sopa: Sopa: Sopa: Sopa: Feião com lombardo Juliana Abóbora com agrião Creme de legumes Creme de courgettes

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sopa: Sopa: Sopa: Sopa: Sopa: Feião com lombardo Juliana Abóbora com agrião Creme de legumes Creme de courgettes Ementa semanal Dia 02/11/2015 até 06/11/2015 Feião com lombardo Juliana Abóbora com agrião Creme de legumes Creme de courgettes Pastéis de bacalhau com Pá de porco assada Pescada com legumes e Lasanha

Leia mais

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde.

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde. Nutrição O alimento como aliado da sua saúde. alimentação saúdavel Alimentação saúdavel e cuidados nutricionais são importantes em todas as fases da vida e devem ser tratados com distinção em cada período.

Leia mais

treinofutebol.net treinofutebol.net

treinofutebol.net treinofutebol.net Alimentação do Desportista A alimentação pode influenciar positiva ou negativamente o rendimento dum atleta, devendo consequentemente ser orientada no sentido de não só melhorar a sua capacidade desportiva,

Leia mais

CARDÁPIO DE OUTUBRO LANCHE DA MANHÃ

CARDÁPIO DE OUTUBRO LANCHE DA MANHÃ LANCHE 01/10/2015 02/10/2015 BEBIDA Chocolate Quente Chocolate Quente BEBIDA Suco Laranja Suco de Limão BEBIDA Chá Iogurte de morango SALGADO OU DOCE Pão de Leite com Requeijão Pão de Queijo OPÇÃO Pão

Leia mais

Alimentação. no primeiro ano de vida

Alimentação. no primeiro ano de vida Alimentação Trv. Noronha, nº5 A Lisboa Telef: 21 394 73 10 Fax: 21 394 73 18 Email: usf.arco@arslvt.minsaude.pt no primeiro ano de vida A diversificação alimentar deve ser iniciada entre os 4-6 meses de

Leia mais

Alimentação na Gestação

Alimentação na Gestação ESPAÇO VIDA Nut. Fabiane Galhardo Unimed Pelotas 2012 Alimentação na Gestação 1 GESTAÇÃO PERÍODO MÁGICO DE INTENSA TRANSIÇÃO, ONDE A NATUREZA MODIFICA O CORPO E A MENTE PARA TRANSFORMAR MULHER EM MÃE A

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

EMENTA DE 20 A 24 DE ABRIL DE 2015

EMENTA DE 20 A 24 DE ABRIL DE 2015 20 de abril de 2015 21 de abril de 2015 22 de abril de 2015 23 de abril de 2015 24 de abril de 2015 EMENTA DE 20 A 24 DE ABRIL DE 2015 Sopa de espinafres Empadão de atum com arroz Salada de alface verde,

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real

FICHA TÉCNICA. Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real FICHA TÉCNICA Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Produção Gráfica: Propriedade: Redacção: Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real Iara Pimenta,

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

Índice. Introdução... 17 QUANDO OS INGREDIENTES NATURAIS DÃO UMA AJUDA... 19

Índice. Introdução... 17 QUANDO OS INGREDIENTES NATURAIS DÃO UMA AJUDA... 19 Índice Introdução........................................ 17 QUANDO OS INGREDIENTES NATURAIS DÃO UMA AJUDA................................ 19 Ovo.............................................. 22 Limão............................................

Leia mais

Sugestão de Cardápio da Dieta Detox para 1 Semana

Sugestão de Cardápio da Dieta Detox para 1 Semana Sugestão de Cardápio da Dieta Detox para 1 Semana Preparamos essa versão em PDF do cardápio completo da Dieta Detox para uma semana, assim você poderá imprimir e ter todo o cardápio em suas mãos, facilitando

Leia mais

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais)

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais) EXTERNATO SANTO ANTÔNIO 1ª SEMANA 01/06 (segunda-feira) 02/06 (terça-feira) 03/06 (quarta-feira) 04/06 (quinta-feira) 05/06 (sexta-feira) Leite com achocolatado Leite fermentado Iogurte CARDÁPIO JUNHO

Leia mais

O MAIOR E MAIS VERDE ZOO DO NORTE

O MAIOR E MAIS VERDE ZOO DO NORTE O MAIOR E MAIS VERDE ZOO DO NORTE O Zoo Santo Inácio é o maior e mais verde parque zoológico do norte do país e está situado apenas a 10 minutos do Porto, em Vila Nova de Gaia. Com pouco mais de uma década

Leia mais

Ficha Sumativa. Onde existe vida na Terra? Ambientes naturais: terrestres e aquáticos. Tema 2 - Terra em transformação.

Ficha Sumativa. Onde existe vida na Terra? Ambientes naturais: terrestres e aquáticos. Tema 2 - Terra em transformação. Ficha Sumativa Onde existe vida na Terra? Ambientes naturais: terrestres e aquáticos. Tema 2 - Terra em transformação. Bloco de trabalho 7 - Diversidade nos animais: como se alimentam. 1. A figura 1 representa,

Leia mais

Planeamento Mensal de Refeições Receitas disponíveis no Guia de Receitas Encadeadas link "Downloads" www.hortadaformiga.com link "Biblioteca"

Planeamento Mensal de Refeições Receitas disponíveis no Guia de Receitas Encadeadas link Downloads www.hortadaformiga.com link Biblioteca Planeamento Mensal de Refeições Receitas disponíveis no Guia de Receitas Encadeadas link "Downloads" www.hortadaformiga.com link "Biblioteca" www.lipor.pt Batido de Sopa de Espinafres Sopa de Espinafres

Leia mais

CARDÁPIO FLAVIA E DUDA JANEIRO

CARDÁPIO FLAVIA E DUDA JANEIRO SEGUNDA FEIRA TERÇA FEIRA QUARTA FEIRA QUINTA FEIRA SEXTA FEIRA SÁBADO DOMINGO *1 XÍCARA DE CHÁ + 1 DISCO DE BEIJU COM CHIA NA MASSA E RECHEIO DE 2 FATIAS DE QUEIJO SEM LACTOSE 1 BANANA + 2 CASTANHAS DO

Leia mais

VISITAS ESCOLARES 2 0 1 5 / 2 0 1 6. Mais próximos da natureza, mais saudáveis, mais sábios.

VISITAS ESCOLARES 2 0 1 5 / 2 0 1 6. Mais próximos da natureza, mais saudáveis, mais sábios. VISITAS ESCOLARES 2 0 1 5 / 2 0 1 6 Mais próximos da natureza, mais saudáveis, mais sábios. O Zoo Santo Inácio é o maior e mais verde parque zoológico do norte do país e está situado apenas a 10 minutos

Leia mais

NATAL TRADICIONAL NATAL EMPRESAS. Reserve já! EM TUDO O QUE É ESSENCIAL!

NATAL TRADICIONAL NATAL EMPRESAS. Reserve já! EM TUDO O QUE É ESSENCIAL! NATAL TRADICIONAL EM TUDO O QUE É ESSENCIAL! SUGESTÕES DE NATAL EMPRESAS Reserve já! www.hfhotels.com/natalempresas2012 Nos Hotéis HF do Porto encontra um leque alargado de opções para que possa reunir

Leia mais

Ano letivo 2015-2016 SEMANA 1. Energia (Kcal) Segunda-feira

Ano letivo 2015-2016 SEMANA 1. Energia (Kcal) Segunda-feira SEMANA 1 Sopa Lombardo e cenoura 1,3,5,6,7,8,9,12 76,65 Prato Jardineira de novilho 1,5,6,7,9,12 345,47 Lanche Leite DI 7, pão de leite com manteiga 1,3,5,6,7 234,83 Sopa Caldo verde 1,3,5,6,7,8,9,12 115,81

Leia mais

EMENTA JI "A ÁRVORE" JI "A CEGONHA" Segunda Sopa» Sopa de Legumes Prato» Almôndegas Com Esparguete e Cenoura Ripada Sobremesa» Fruta Da Época

EMENTA JI A ÁRVORE JI A CEGONHA Segunda Sopa» Sopa de Legumes Prato» Almôndegas Com Esparguete e Cenoura Ripada Sobremesa» Fruta Da Época 1 Sopa» Sopa de Legumes Prato» Almôndegas Com Esparguete e Cenoura Ripada Sopa» Creme de Ervilhas Prato» Pescada cozida c/ todos LANCHE» PÃO C/ FIAMBRE E COPO SUMO Sopa» Sopa de Alho Francês Prato» Febras

Leia mais

Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL

Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL Alguns, encobertos pela água. Outros, ativos à noite. A maioria, raramente vista. Os peixes e crustáceos presentes no PV-Sul representam dois grupos de animais presentes

Leia mais

Como eliminar o inchaço

Como eliminar o inchaço Como eliminar o inchaço Descubra quais alimentos ajudam você a acabar com o inchaço do corpo e perca até 5 kg em apenas 15 dias! por Belisa Rotondi Desinche, seguindo uma dieta rica em comidas anti-inflamatórias

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 agosto Cardápio sujeito a 2015 alterações 3 de agosto Pão sírio com queijo branco e tomate. Creme de abacate. Iscas largas de carne grelhada ao molho roti. Picadinho de frango. Arroz

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

EMENTA Lar SEMANA DE 03 A 09 DE AGOSTO DE 2015

EMENTA Lar SEMANA DE 03 A 09 DE AGOSTO DE 2015 CEDULA PROFISSIONAL Nº 87 7N- ORDEM DOS NUTRICI ONISTAS Santa Casa da Misericórdia do Concelho de Olive Lar Pão Canja Almôndegas estufadas e Pescada frita e arroz de legumes verde Sardinha grelhada e batata

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Banana Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes

Leia mais

Primeiro dia. Café da manhã. Pro lanche entre o café e o almoço. Para o almoço. Pro lanche entre o almoço e o jantar. Pro jantar. Segundo dia.

Primeiro dia. Café da manhã. Pro lanche entre o café e o almoço. Para o almoço. Pro lanche entre o almoço e o jantar. Pro jantar. Segundo dia. Dieta alimentar saudável com esta dieta você conseguira emagrecer ate 5 quilos em um mês sem prejudicar a saúde. Primeiro dia. 200 ml de leite desnatado, 1 colher de chá com azeite de oliva extra virgem,

Leia mais

Trabalho realizado por: João Rabaça. 11º Ano do Curso Técnico de gestão de Equipamentos Informáticos

Trabalho realizado por: João Rabaça. 11º Ano do Curso Técnico de gestão de Equipamentos Informáticos Trabalho realizado por: João Rabaça 11º Ano do Curso Técnico de gestão de Equipamentos Informáticos Introdução Animais em vias de extinção - O que são? - O que é a extinção? -O cachalote -O Lince Ibérico

Leia mais

1. Introdução. 2. O que é a Roda dos Alimentos?

1. Introdução. 2. O que é a Roda dos Alimentos? 1. Introdução Educar para uma alimentação saudável é essencial na tentativa de ajudar os jovens a tornar as escolhas saudáveis escolhas mais fáceis. Educar para comer bem e de uma forma saudável, constitui

Leia mais

CARDÁPIO TO BE - JUNHO/2015

CARDÁPIO TO BE - JUNHO/2015 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Manhã - Bebida Suco de laranja Suco de limão Achocolatado Pão de batata com requeijão Biscoito salgado com mel Bisnaguinha com margarina Sobremesa Maçã Banana Uva Prato principal

Leia mais

Jardim de infância e Creche (2-6 anos) 30/11/15-04/12/15. Meio Manhã Sopa Prato H Carbono Hortícola/ Legumes

Jardim de infância e Creche (2-6 anos) 30/11/15-04/12/15. Meio Manhã Sopa Prato H Carbono Hortícola/ Legumes Jardim de infância e Creche (2-6 anos) 30/11/15-04/12/15 Manhã Sopa Prato H Carbono Hortícola/ Legumes Sobremesa alho francês Escalopes de peru grelhados Arroz malandro Repolho/ Cenoura Pera cevada Pão

Leia mais

Dieta do Mix de Fibras - 2 Kg em 4 Dias

Dieta do Mix de Fibras - 2 Kg em 4 Dias Dieta nas Festas Dieta nas Festas Selecionamos aqui três dietas eficazes para você se preparar antes das festas e uma dieta desintoxicante para recuperar seu corpo depois delas! Dieta do Mix de Fibras

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO

Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO ricos em cores, aromas e sabores. As frutas e hortaliças (legumes e verduras) são alimentos

Leia mais

Sopa. Segunda-Feira. Prato. Sobremesa Pão. Sopa Feijão verde 652 155 9,9 1,5 14,4 1,9 4,5 Prato e Vegetais. Terça-Feira

Sopa. Segunda-Feira. Prato. Sobremesa Pão. Sopa Feijão verde 652 155 9,9 1,5 14,4 1,9 4,5 Prato e Vegetais. Terça-Feira Semana 06/04/2015 a 10/04/2015 Sopa Prato Sobremesa 0 Sopa Feijão verde 652 155 9,9 1,5 14,4 1,9 4,5 Arroz de atum com macedónia de legumes Repolho, ervilhas e cenoura de mistura 1004 240 7,7 8 30,3 11,3

Leia mais

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA Maçăs e Pêras CORES DA TERRA 12 Maçă Mini Pequena Média Grande Super Extra I Super Extra II Escultural Escultural II Branca 5010 5003 5006 5009 6006 6055 31001 31026 Preta Verde 5032 5011 5031 5001 5030

Leia mais

Ficha Técnica. Título: Castanha à lupa. Conceção: Mariana Barbosa. Corpo redatorial: Mariana Barbosa; Isabel Tristão

Ficha Técnica. Título: Castanha à lupa. Conceção: Mariana Barbosa. Corpo redatorial: Mariana Barbosa; Isabel Tristão Castanha à lupa Ficha Técnica Título: Castanha à lupa Conceção: Mariana Barbosa Corpo redatorial: Mariana Barbosa; Isabel Tristão Revisão: Célia Craveiro; Sandra Dias; Sónia Xará; Teresa Rodrigues Propriedade:

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 JULHO DE 30/07/2015 A 31/07/2015 2º Feira 3º Feira 4º Feira 5º Feira 30/07/2015 31/07/2015 Lanche da manhã Maçã Banana Arroz, Feijão Preto, Espaguete, carne coxinha da asa moída, molho de Almoço assada,

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE MATEMÁTICA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE MATEMÁTICA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental O INCRÍVEL MUNDO DOS ANIMAIS O mundo animal é realmente incrível. A cada dia, por meio de pesquisas e estudos, surgem novas descobertas sobre as mais diversas espécies. Nesta prova, serão trabalhados alguns

Leia mais

SEMANA DAS MÃES. Professora: Lígia Melo ENCONTRO DE SABOR E SAÚDE SALADAS

SEMANA DAS MÃES. Professora: Lígia Melo ENCONTRO DE SABOR E SAÚDE SALADAS SEMANA DAS MÃES Professora: Lígia Melo ENCONTRO DE SABOR E SAÚDE SALADAS MOLHOS VARIADOS MOLHO FRANCÊS BÁSICO ½ XÍCARA DE AZEITE DE OLIVA ; ½ XÍCARA DE ÓLEO; ½ XÍCARA VINAGRE DE UVA; 1 DENTE DE ALHO PICADO;

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 1º de abril. 2 de abril. 3 de abril. 6 de abril. Comemoração de Pesach. Véspera de Pessach e feriado nacional.

Cardápio. Cardápio. 1º de abril. 2 de abril. 3 de abril. 6 de abril. Comemoração de Pesach. Véspera de Pessach e feriado nacional. agosto Cardápio 2014 abril 2015 1º de abril Pão francês integral. Ricota majericão e tomate cereja. Suco de melancia. Maçã. Espaguete alho e óleo. Bife empanado no forno. Frango de panela. Arroz integral/

Leia mais

Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca.

Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca. Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca. Exemplo: A hora é você que decide somente estou dando um exemplo de horário; Café da Manha 7h Antes

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS

CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS Semana I - De 09 a 13 de Abril de 2012 Pq Alm Leite simples e pão com queijo 193 11,5 5,9 23,3 Sopa Creme de courgete 147 3,9 5,3 20,5 Esparguete à bolonhesa 426 34 18,7 29,7 Lombardo em juliana 57 1.5

Leia mais

FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO VETERINÁRIA

FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO VETERINÁRIA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO VETERINÁRIA Institucional A Global Pharma VET é uma empresa inovadora e especializada em manipulação de fórmulas veterinárias, oferecendo aos animais de estimação formas farmacêuticas

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes com

Leia mais

Ementa n.º 1. De 2 a 6 de Maio

Ementa n.º 1. De 2 a 6 de Maio Ementa n.º 1 De 2 a 6 de Maio Segunda - feira Creme de batata, cenoura, abóbora, nabo, espinafres (70,6 Kcal) com frango (84,5 Kcal) Hamburguér de vaca grelhado com arroz e salada de alface Papa de maçã

Leia mais

CORTE O AÇÚCAR, ELIMINE GRÃOS E FARINHAS, NÃO CONSUMA NADA PROCESSADO E CORTE LATICÍNIOS.

CORTE O AÇÚCAR, ELIMINE GRÃOS E FARINHAS, NÃO CONSUMA NADA PROCESSADO E CORTE LATICÍNIOS. Desafio: Whole30 INTRODUÇÃO Seja bem-vindo ao seu novo programa de reeducação alimentar Whole30! A partir de hoje durante 30 dias você vai seguir essa dieta exatamente como está aqui. Cada vez que você

Leia mais

4ª-feira DIA 1 Sopa de grão com legumes. Escalopes de peru estufados Massa tricolor Cenoura e couve roxa

4ª-feira DIA 1 Sopa de grão com legumes. Escalopes de peru estufados Massa tricolor Cenoura e couve roxa Semana de 29 de junho a 3 de julho de 2015 DIA 29 DIA 30 Sopa de feijão-verde Creme de courgette Pataniscas de e fiambre Arroz de feijão Peixe à lagareiro com batatas e brócolos DIA 1 Sopa de grão com

Leia mais

Infantil. Suco de laranja Suco de acerola Achocolatado Suco de uva Suco de abacaxi

Infantil. Suco de laranja Suco de acerola Achocolatado Suco de uva Suco de abacaxi Infantil FEVEREIRO 01 Terça- feira 02 Quarta- feira 03 Quinta- feira 04 Sexta-feira Lanche Bolo mármore Pão coió recheado com Torrada Sucrilhos com sorvete queijo minas geléia / requeijão Biscoito cream

Leia mais

Por uma vida mais saudável Ementas - Almoço - Município do Cadaval

Por uma vida mais saudável Ementas - Almoço - Município do Cadaval Por uma vida mais saudável Ementas - Almoço - Município do Cadaval Semana I Sopa: Creme de Abóbora (Batata, abóbora, alho Francês, cebola, cenoura, nabo, azeite, alho, sal) Prato: Bife de Porco de Tomatada

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 jan/fev 2015 26 janeiro 27 janeiro 28 janeiro 29 janeiro Bisnaga com patê de atum. Ameixa. Suco. Pão francês integral com manteiga. Banana com aveia. Leite com chocolate. Pão de mandioquinha

Leia mais