Rede Transportes Escolares para o concelho de Serpa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rede Transportes Escolares para o concelho de Serpa"

Transcrição

1 202 PLANO DE TRANSPORTES ESCOLARES 202/203 Rede Transportes Escolares para o concelho de Serpa

2 ÍNDICE Introdução 3 Rede Transportes Escolares 4 Circuitos Circuitos de transportes públicos Circuitos especiais Horário dos Estabelecimentos de Ensino Quadro 6 Circuitos das carreiras públicas Quadro 2 Estimativa custos das carreiras públicas Quadro3 Previsão de custos por circuito Quadro 4 Tabela de preços da Rodoviária Quadro 5 Circuitos Especiais Quadro 6 Relação total de alunos circuitos especiais Quadro 7 Estimativa custos circuitos especiais Quadro 8 Custos totais Quadro

3 Introdução Com base no DecretoLei nº 299/84 (artº 4º) de 5 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 3/2006 de 7/04/2006, DecretoLei nº 44/2008, de 28 de Julho e DecretoLei nº 86/2008 de 9 de Setembro, é da responsabilidade dos municípios a organização e o controlo do funcionamento dos transportes escolares. Para isso é elaborado um plano de transportes, tendo como objetivo transportar todas as crianças que residam a mais de 3 ou 4 Km do estabelecimento de ensino onde estão matriculados (tendo em atenção o nº do Artigo 2º do DecretoLei nº 299/84). Para elaboração do referido plano estão subjacentes as informações fornecidas pelos estabelecimentos de ensino conforme o ponto 6 do art. 3º do DecretoLei mencionado Agrupamentos de Escolas de Serpa, Pias e Vila Nova de S. Bento, Escola Secundária de Serpa e Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa. De acordo com os dados fornecidos ao Município, prevêemse para o próximo ano letivo, 202/203, 3 tipos de circuitos: em transporte público; mistos transporte coletivos e especiais; especiais; Para os últimos, e à semelhança de anteriores, a Autarquia poderá optar por adjudicar a particulares todos os circuitos, com base na portaria nº 766/84 de 27 de Setembro, ou efetuar os circuitos em causa. Para a contabilização dos custos terseá como referência os dias letivos (80) em circuitos especiais, e 0 meses em circuitos públicos salvaguardandose sempre alterações possíveis, devido à abrangência da população em causa. Existem neste momento 432 alunos do ensino obrigatório e secundário que necessitam de ser transportados das localidades de residência ao estabelecimento de ensino que frequentam. No plano será indicado a seguinte informação: Horários de funcionamento dos estabelecimentos de ensino. Rede de transportes Públicos: do concelho para o exterior no interior do concelho Mistos Especiais Custos totais 3

4 Rede de Transportes Escolares A ligação entre as localidades do concelho de Serpa e deste à sede do distrito é assegurada por uma rede de transportes colectivos de passageiros. A Rodoviária do Alentejo, S.A. é a empresa que realiza os seguintes circuitos: Vila Verde de Ficalho, Vila Nova de S. Bento, AdoPinto, Serpa, Beja; Mina de S. Domingos, Vale do Poço, Vales Mortos, Santa Iria, Serpa; Beja, Serpa, Vale de Vargo, Vila Verde de Ficalho; Serpa, Cruz da Cigana, Vale Côvo, Sopos, Penalva, Vila Nova S. Bento, Serpa; Brinches, Serpa; Vila Verde de Ficalho, Vila Nova de S. Bento; Pias, Serpa; Vale de Vargo, Serpa; Brinches, Pias; Vale de Vargo, Pias; Rede viária utilizada: Estradas Nacionais *EN 260 V.V. Ficalho/Vila Nova S. Bento/Serpa/Beja *EN 265 Brinches/Serpa/Santa Iria/Vales Mortos *EN 255 Pias/Vale de Vargo Estradas e Caminhos Municipais. Circuitos Relativamente aos circuitos, há que referir que eles se dividem em: Carreiras públicas dentro e fora do concelho Circuitos especiais dentro do concelho Nos primeiros, 0 alunos são transportados para Beja e 422 dentro do concelho, num total de circuitos. No que se refere aos circuitos especiais existem 29 circuitos diferentes beneficiando deles 94 alunos. Conforme refere a legislação, estes circuitos deverão ser primeiramente adjudicados. Nos 4

5 casos em que tal não se verifique deverá ser a Autarquia a garantir o transporte através de viaturas municipais devidamente habilitadas para o efeito. Circuitos de Transportes Públicos Serpa Beja Prevêse para o ano letivo 202/203 que 0 alunos do nosso concelho frequentem estabelecimentos de Ensino Secundário em Beja. Consideramos assim circuito: Serpa/Beja 0 alunos Interior do concelho Do total da população escolar cerca de 422 alunos necessitam de transporte, a fim de frequentar os estabelecimentos de ensino onde estão matriculados. Para o transporte destes alunos temos 0 circuitos. Circuitos Especiais Uma percentagem da população do concelho reside em locais isolados, ou seja, de difícil acesso. Dado que as empresas de transportes públicos não fazem estes circuitos, a população aí residente deslocase em carro particular ou utiliza o serviço de táxis. Assim, para se efetuar o transporte da população em idade escolar, a Câmara realizará circuitos especiais, em veículos da câmara ou em veículos de particulares. Neste último caso há que referir as normas emanadas na legislação em vigor (Lei nº 3/2006, de 7 de Abril). Nesta proposta de transportes escolares para 202/203 irão ser adjudicados alguns circuitos e a realização de outros por parte da câmara. Temos assim: Circuitos mistos: Câmara e Rodoviária Circuitos especiais: Adjudicados ou Câmara O total de quilómetros dos circuitos especiais é de 442 quilómetros por dia. 5

6 Horário dos Estabelecimentos de Ensino do Concelho de Serpa Estabelecimentos de Ensino Escola Secundária de Serpa Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Agrupamento de Escolas de Serpa Escola Básica 2,3 Abade Correia da Serra Escolas Básicas do º Ciclo de Serpa Pólo, 2 e 3 EB de Vales Mortos Agrupamento de Escolas de Vila Nova de S. Bento Escola Básica 2,3 de Vila Nova de S. Bento EB de Vila Nova de S. Bento EB de Vila Verde de Ficalho EB de AdoPinto Agrupamento de Escolas de Pias Escola Básica Integrada com Jardim de Infância de Pias EB de Vale de Vargo EB de Brinches Quadro Horário dos Estabelecimentos de Ensino do Concelho de Serpa Horários 8h5 3h5 4h30 7h50 8h30 2h30 4h00 7h50 8h5 3h5 4h00 7h5 9h00 2h30 4h00 5h30 9h00 2h30 4h00 5h30 8h0 3h5 4h00 7h20 9h00 2h30 4h00 5h30 9h00 2h30 4h00 5h30 9h00 2h30 4h00 5h30 8h30 2h45 3h30 7h20 9h00 2h00 3h30 5h30 9h00 2h00 2h30 5h30 6

7 Plano Transportes Escolares Carreiras Públicas Circuito Origem Destino Km Código Duração º Ciclo º Ciclo 2º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo 3º Ciclo Secundário Rodoviaria percurso < 3 > 3 < 3 > 3 < 3 > 3 Básico Secundário Serpa Beja min Vila Verde Ficalho Vila Nova S. Bento min AdoPinto Vila Nova S. Bento min Sopos min Crespo e Vila Nova S. 5, min Penalva Bento Carapetal 4, min 2 2 Brejo min 5 Vila Verde Ficalho Serpa min Vila Nova S min Bento AdoPinto min Brinches Serpa min Vale do Poço Serpa min 4 5 Vales Mortos min Vendinha min Santa Iria min Vale de Vargo Serpa min Pias Serpa min Brinches Pias min Vale de Vargo Pias min Quadro 2 Circuitos das Carreiras Públicas/Relação total de alunos

8 Carreiras Públicas estimativa de Custos Circuito Nº Meses Nº Alunos Origem/Destino Código Previsto Passe 0 Serpa/Beja , V.V.Ficalho/Vila ,50 Nova S. Bento 3 25 AdoPinto/Vila ,50 Nova de S. Bento 4 2 Sopos Crespo Penalva/Vila ,50 Nova S. Bento Vila Verde Ficalho 08 Vila Nova S ,50 Bento Ado Pinto/Serpa Brinches/Serpa , Vale Poço Vales Mortos Vendinha Santa Iria /Serpa 8 7 Vale de Vargo/Serpa , , Pias/Serpa , Brinches/Pias ,00 42 Vale de ,00 Vargo/Pias ,50 Quadro 3 Carreiras Públicas estimativa de custos Estimativa calculada com base na tabela de preços das assinaturas mensais da Rodoviária, conforme indicada no quadro nº 5. 8

9 Circuito Nº Meses Origem/Destino Carreiras Públicas Código passe Rodoviária Idade/Nº Alunos Previsto 0 Serpa/Beja , , Ficalho/Vila Nova ,50 S. Bento , , AdoPinto/Vila ,50 Nova S. Bento , ,50 Sopos/Vila Nova ,00 S. Bento ,00 3 Crespo e ,50 Penalva/Vila Nova de S. Bento ,00 Brejol/Vila Nova ,00 S. Bento ,50 0 Vila Verde ,00 5 Ficalho/Serpa Vila Nova S ,50 Bento/Serpa AdoPinto/Serpa , , Brinches/Serpa , , ,50 Vale do ,50 Poço/Serpa ,00 Vales , Mortos/Serpa ,00 Vendinha/Serpa ,50 Santa Iria/Serpa , , , Vale de ,00 Vargo/Serpa , , Pias/Serpa , ,00 Quadro 4 Carreiras Públicas Previsão de custos por circuito 9

10 Circuito Nº Meses Origem/Destino Carreiras Públicas Código passe Rodoviária Idade/Nº Alunos Previsto 0 0 Brinches/Pias , , ,00 0 Vale de ,50 Vargo/Pias , ,00 TOTAL GERAL Continuação Quadro 4 Carreiras Públicas Previsão de custos por circuito ,50 A estimativa dos custos foi determinada com base nos preços das assinaturas mensais praticadas, durante o mês de Janeiro 202, pela Rodoviária do Alentejo, S.A., multiplicado por dez meses (número de meses do ano letivo), conforme tabela a seguir indicada: Tabela de Preços para Passe Estudante Janeiro/202 Código Estudantes com mais de 3 Estudantes com menos de ,0 25, ,85 35,85 03/04 45,25 43, ,95 48, ,5 55, ,60 64, ,20 68, ,25 72, ,35 76,65 03,90 80, ,20 82,95 3/4 2,50 86,0 5 6,25 89, ,60 4,45 Quadro 5 Tabela preços da Rodoviária do Alentejo, S.A. 0

11 Relação dos Circuitos Especiais Circuito I II III IV IVA V VI VII VIII IX Percurso (origem/destino) Monte da Promessa Monte do Lobo Monte Benvenidos Serpa Monte Entre Águas Monte das Freiras Monte Corte do Poço Serpa Monte do Altinho Serpa Santa Iria Serpa Santa Iria Serpa Monte das Albardinhas Neta Monte Cerca Velha Vale das Albardinhas Monte Cailogo Vales Mortos Vale do Poço Monte Vale Paredes Vales Mortos Monte Cabeceiras Vale Carapetal Monte da Perdigoa Vales Mortos Fonte do Letreiro Vale da Casca Monte do Barranco Monte da Perdigôa Cruzamento da Vendinha Monte Vale Pousadas Monte Vale Carapetal Herdade Vale Milh Vendinha X Monte 3M Vale das Albardinhas Vale Paredes Vale Figueiras Vales Mortos XI Monte Barranco da Neta Vale Antoninho Monte Cailogo Monte Bento Durão Vale Poço XII Herdade do Crespo Monte da Cunca Monte dos Pocariços Vale Gueichas Cruzamento do Crespo e Penalva Quadro 6 Relação total dos Circuitos Especiais Kms Diários terra batida 63 asfalto terra batida 46 asfalto 2 2 asfalto asfalto asfalto terra batida 58 asfalto 34 6 terra batida 28 asfalto terra batida 33 asfalto terra batida terra batida 28 asfalto terra batida 4 asfalto terra batida 33 asfalto terra batida asfalto Custo Anual Observações Previsto 9.85,40 5 alunos a transportar para a EB e EB 2,3 de Serpa, Escola Secundária Serpa e EPDRS 6.094,80 3 alunos a transportar para a EB 23, Serpa e EPDRSerpa.05,20 2 alunos a transportar para a EB e EB 2,3 Serpa 2.538,00 6 alunos a transportar para a EB de Serpa 2.538,00 3 alunos a transportar para a EB de Serpa 6.926,40 5 alunos a transportar para a EB de Vales Mortos 2.99,60 3 alunos a transportar para a EB de Vales Mortos 5.086,80 2 alunos a transportar para a EB de Vales Mortos 6.609,60 5 alunos a transportar para o cruzamento da Vendinha onde apanham a Rodoviária para a EB 2, 3 Serpa e Escola Secundária de Serpa 5.674,60 4 alunos a transportar para a paragem da Vendinha onde apanham a Rodoviária para a EB 2,3 Serpa e Escola Secundária Serpa e EPDRSerpa 4.764,60 8 alunos a transportar para Vales Mortos onde apanham a Rodoviária para EB 2,3 Serpa, Escola Secundária de Serpa e EPDRS 4.627,80 4 alunos a transportar para Vale do Poço onde apanham a Rodoviária para a EB 2,3 Serpa e Escola Secundária Serpa 6.07,40 5 alunos a transportar para o cruzamento do Crespo/Penalva onde apanham a Rodoviária para a EB 2,3 de Vila Nova S. Bento e Escola Secundária de Serpa

12 Relação dos Circuitos Especiais Circuito XIII XIV XV XVI XVII XVIII XIX XX XXI XXII XXIII XXIV XXV XXVI XXVII XXVIII Percurso (origem/destino) Monte das Amendoeiras Cruzamento do Crespo e Penalva Monte Pocariços Vila Nova de S. Bento Sítio da Forca Monte Arlindo Monte da Penteada Vila Nova S. Bento Monte dos Cantinhos Vale Côvo Vale Perditos Cruzamento Vale Côvo Sítio da Forca Monte da Penteada Monte das Atalaias Cruzamento dos Sopos Herdade do Coito AdoPinto Monte do Queiroal Vila Nova S. Bento Vale das Pedras Vila Nova S. Bento Mina da Orada Brinches Monte do Alvarrão Monte do Rosal Brinches Mina da Orada Pias Monte das Freiras Monte Corte do Poço Pias Monte de Casqueiros Pias Monte do Pisanito Monte do Sardinha Pias Monte das Almojafas Monte de Belmeque Vale de Vargo Monte João Privado Monte da Hortinha Moura Kms Diários 28 6 terra batida 22 asfalto terra batida 26 asfalto terra batida 20 asfalto terra batida terra batida 8 8 terra batida 8 8 terra batida 36 6 terra batida 20 asfalto asfalto asfalto 78 78asfalto terra batida 2 asfalto 9 4 terra 5 asfalto 49 3 terra batida 46 asfalto 52 6 terra 36 asfalto 50 6 terra 44 asfalto XXIX Monte Coitadas das Pazes 8 9 terra 9 asfalto Continuação Quadro 6 Relação total dos Circuitos Especiais Custo Anual Observações Previsto 2.4,20 2 alunos a transportar para o cruzamento do Crespos/Penalva onde apanham a Rodoviária para a EB 2,3 Vila Nova S. Bento 4.770,00 alunos a transportar para a EB de Vila Nova de S. Bento 4.905,00 4 alunos a transportar para a EB de Vila Nova S. Bento 4773,60 4 alunos a transportar para o cruzamento Vale Côvo onde apanham a Rodoviária para a EB 2,3 Vila Nova S. Bento 3.488,80 3 alunos a transportar para o cruzamento dos Sopos onde apanham a Rodoviária para a EB 2,3 Vila Nova S. Bento e Escola Secundária Serpa.652,40 2 alunos a transportar até AdoPinto onde apanham a rodoviária para a EB2,3,VNSBento.652,40 aluno a transportar para Ado Pinto onde apanha a rodoviária para EB 2,3 VNSBento 3.60,80 luno a transportar para a EB de Vila Nova S. Bento 3.24,80 3 alunos a transportar para Brinches onde apanham a Rodoviária para EBI Pias e Escola Secundária Serpa 4.99,40 2 alunos a transportar para Brinches onde apanha a Rodoviária para EBI Pias e EPDRS 6.598,80 alunos a transportar para a EB de Pias 4.687,20 2 alunos a transportar para a EBI de Pias.636,20 3 alunos a transportar para a EBI de Pias (EBI Pias e Esc. Secundária Serpa) 4.67,00 2 alunos a transportar para a EBI de Pias 4.54,40 3 alunos a transportar para Vale de Vargo onde apanham a Rodoviária para a EBI de Pias 4.273,20 2 alunos a transportar para a Escola Secundária de Moura.587,60 alunos a transportar para a EB de Vila Verde de Ficalho 2

13 Plano Transportes Escolares Circuitos especiais Circuito Origem Destino Km Duração percurso º Ciclo < 3 º Ciclo > 3 2º Ciclo < 3 2º Ciclo > 3 3º Ciclo < 3 3º Ciclo > 3 Secundário I Monte Promessa Serpa 5 Monte do Lobo 0 50 min Monte 9 Benvenidos II Monte das Freiras Serpa 2 Monte Corte 35 min Poço Monte Entre 8 Águas Básico Secundário III Monte Altinho Serpa 3 0 min 2 2 IV Santa Iria Serpa 7 5 min IVA Santa Iria Serpa 7 5 min V Monte Albardinhas da Neta Monte Cerca Velha Vales Mortos 3 45 min 3 0 Monte Cailogo VI Vale do Poço Vales 7 2 Mortos 25 min Vale Paredes VII Vale Azinheira Vales 8 Monte da Mortos 7 45 min Perdigoa Cabeceiras Vale 5 Carapetal Quadro 7 Circuitos Especiais Relação total de Alunos 3 3 3

14 Plano Transportes Escolares Circuitos especiais Circuito Origem Destino Km Duração percurso º Ciclo < 3 º Ciclo > 3 2º Ciclo < 3 2º Ciclo > 3 3º Ciclo < 3 3º Ciclo > 3 Secundário VIII Fonte do Letreiro 2 Vale da Casca Cruzamento 0 Monte do Barranco Vendinha 9 h Monte da Perdigoa 8 Básico Secundário IX Vale Pousadas Monte Vale Carapetal Herdade de Milh Cruzamento Vendinha min X Monte 3M Vale das Vales Mortos 0 8,5h Albardinhas Vale Paredes 7 Vale Figueiras XI Monte Barranco da Neta 2 Monte Bento Durão Vale do Poço 9 45 min 4 Monte Cailogo 8 Vale Antoninho 7 4 XII Herdade do Crespo Monte da Cunca Monte dos Pocariços Cruzamento do Crespo e Penalva h Vale Gueichas XIII Monte das Amendoeiras Cruzamento do Crespo e Penalva 7 20 min XIV Monte dos Vila Nova S min Pacariços Bento Continuação Quadro 7 Circuitos Especiais Relação total de Alunos 4

15 Plano Transportes Escolares Circuitos especiais Circuito Origem Destino Km Duração percurso XV Sítio da Forca Monte da Vila Nova S. Bento Penteada Monte Arlindo º Ciclo º Ciclo 2º Ciclo 2º Ciclo 3º Ciclo 3º Ciclo Secundário < 3 > 3 < 3 > 3 < 3 > min 6 2 Básico Secundário 4 4 XVI Monte 8 Cantinhos Cruzamento 30 min Vale Côvo Vale Côvo 7 Vale Perditos XVII Sítio da Forca Monte da Cruzamento dos Sopos Penteada Monte das Atalaias min XVIII XIX Herdade do Coito Monte do Queiroal AdoPinto 6 5 min AdoPinto 5 5 min xx Vale das Pedras Vila Nova S. Bento 9 25 min XXI Mina da Orada Brinches 5 min XXII Monte do Alvarrão Monte do Rosal Brinches 2 30 min Continuação Quadro 7 Circuitos Especiais Relação total de Alunos 5

16 Plano Transportes Escolares Circuitos especiais Circuito Origem Destino Km Duração percurso º Ciclo < 3 º Ciclo > 3 2º Ciclo < 3 2º Ciclo > 3 3º Ciclo < 3 3º Ciclo > 3 Secundário Básico Secundário XXIII XXIV XXV Mina da Orada Monte das Freiras Monte Corte do Poço Monte Casqueiros Pias 2 30 min 0 Pias 30 min Pias 5 5 min XXVI Monte do Pisanito Monte do Sardinha Pias 35 min XXVII Monte das Almojafas Monte de Belmeque Vale de Vargo 8 30 min XXVIII Monte João Privado Monte da Hortinha Moura 2 35 min 0 2 XXIX Monte Coitada das Pazes Vila Verde Ficalho Continuação Quadro 7 Circuitos Especiais Relação total de Alunos 5 5 min

17 Circuito Km Diários Circuitos Especiais Estimativa de Custos Previsão do Custo Anual Dias Letivos I ,40 II ,80 III 2.05,20 IV ,00 IVA ,00 V ,40 VI ,60 VII ,80 VIII ,60 IX ,60 X ,60 XI ,80 XII ,40 XIII ,20 XIV ,00 80 XV ,00 XVI ,60 XVII ,80 XVIII 8.652,40 XIX 8.652,40 XX ,80 XXI ,80 XXII ,40 XXIII ,80 XXIV ,20 XXV 9.636,20 XXVI ,00 XXVII ,40 XXVIII ,20 XXIX 8.587, ,00 80 Quadro 8 Circuitos especiais estimativa total de custos A Estimativa de custos para os Circuitos Especiais teve com base o custo diário do Km (0,5 para caminhos de terra batida e 0,47 para caminho de asfalto, de acordo com a tabela da ANTRAL), multiplicados por 80 dias (número aproximado de duração do ano letivo). 7

18 Estimativa de Custos Totais Carreiras Públicas Circuitos Especiais Custo Nº alunos 28.53, , , Quadro 9 Custos Totais/Circuitos especiais e Carreiras Públicas 8

Rede Transportes Escolares para o concelho de Serpa

Rede Transportes Escolares para o concelho de Serpa 2013 PLANO DE TRANSPORTES ESCOLARES 2013/2014 Rede Transportes Escolares para o concelho de Serpa ÍNDICE Introdução 3 Rede Transportes Escolares 4 Circuitos 4 Circuitos de transportes públicos 5 Circuitos

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2010 Salário-de-contribuição (R$) INSS até 1.040,22 8,00% de 1.040,23 até 1.733,70 9,00% de 1.733,71 até 3.467,40

Leia mais

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama.

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama. 24 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 de Umuarama. 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 25 ANEXO I DO REGULAMENTO A QUE SE REFERE O DECRETO Nº 9510/2013 26 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 ANEXO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante INTRODUÇÃO II - DO OBJETO E DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS III - DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA IV - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII - DA DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

Lei: Art. 8º É dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula dos menores, a partir dos 6 (seis) anos de idade, no ensino fundamental.

Lei: Art. 8º É dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula dos menores, a partir dos 6 (seis) anos de idade, no ensino fundamental. Lei: Art. 5º. I - educação básica, nas etapas da educação infantil e ensino fundamental, obrigatória e gratuita a partir dos 4 (quatro) anos de idade, assegurada inclusive a sua oferta gratuita para todos

Leia mais

93858, 75,7 Km2. 2

93858,  75,7 Km2.  2 Ano letivo 2015/2016 Nota Introdutória O concelho de Valongo integra a Área Metropolitana do Porto, sendo limitado a Norte pelo município de Santo Tirso, a nordeste por Paços de Ferreira, a leste por Paredes,

Leia mais

REDE SOCIAL DE SERPA DIAGNÓSTICO SOCIAL OUTUBRO 2007 ANEXOS. Educação/Ensino

REDE SOCIAL DE SERPA DIAGNÓSTICO SOCIAL OUTUBRO 2007 ANEXOS. Educação/Ensino Educação/Ensino 1 MAPA DOS MAPA DOS AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS DO CONCELHO DE SERPA DO CONCELHO DE SERPA Brinches Brinches Pias Pias Vale DE Vargo Vale de Vargo Serpa S.Iria V.N.S.Bento

Leia mais

VOLUME ASSUNTO PÁGINA VOLUME I

VOLUME ASSUNTO PÁGINA VOLUME I VOLUME I I - Critérios utilizados para a discriminação, na programação de trabalho, do código identificador de resultado primário previsto no art. 7o, 4o, desta Lei; 4 VOLUME I II - Recursos destinados

Leia mais

ANEXO II RELAÇÃO DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015

ANEXO II RELAÇÃO DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015 ANEXO II RELAÇÃO DAS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA DE 2015 I - Critérios utilizados para a discriminação, na programação de trabalho, do código identificador de resultado primário

Leia mais

Índice de Gráficos. vii

Índice de Gráficos. vii Índice de figuras Figura 1 Figura 2 Figura 3 Figura 4 Figura 5 Figura 6 Modelo de raciocínio e acção pedagógica (adaptado de Shulman e Marcelo por Tavares, 1997) Modelo reflexivo de desenvolvimento / formação

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTES ESCOLARES. Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTES ESCOLARES. Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTES ESCOLARES Preâmbulo A Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro, estabelece o quadro de atribuições e competências das autarquias locais, relativamente à Educação, em especial

Leia mais

ÍNDICE. 1 - Disposições Gerais...3. 2 - Ensino Básico...4. 3 - Ensino Secundário...4. 4 - Alunos com Necessidades Educativas Especiais...

ÍNDICE. 1 - Disposições Gerais...3. 2 - Ensino Básico...4. 3 - Ensino Secundário...4. 4 - Alunos com Necessidades Educativas Especiais... MUNICÍPIO DE VILA FRANCA DE XIRA NORMAS DE PROCEDIMENTO DE CANDIDATURA AO SUBSÍDIO DE TRANSPORTE ÍNDICE 1 - Disposições Gerais...3 2 - Ensino Básico...4 3 - Ensino Secundário...4 4 - Alunos com Necessidades

Leia mais

EDITAL Nº. 002/2010/CAA/PrG/UEG

EDITAL Nº. 002/2010/CAA/PrG/UEG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO ACADÊMICA BR 153, km 98 - CAMPUS Henrique Santillo- FONES: 62 3328-1175 / 1168 ANÁPOLIS - GO. CEP: 75.001-970 EDITAL Nº. 002/2010/CAA/PrG/UEG

Leia mais

Subseção I Da Subsecretaria de Biblioteca SUBIB. I coordenar atividades relativas ao controle e à atualização do acervo bibliográfico do Tribunal;

Subseção I Da Subsecretaria de Biblioteca SUBIB. I coordenar atividades relativas ao controle e à atualização do acervo bibliográfico do Tribunal; Subseção I Da Subsecretaria de Biblioteca SUBIB Art. 273. À Subsecretaria de Biblioteca SUBIB compete: I coordenar atividades relativas ao controle e à atualização do acervo bibliográfico do Tribunal;

Leia mais

Relatório de Inventário & Cadastro Patrimonial

Relatório de Inventário & Cadastro Patrimonial Relatório de Inventário & Cadastro Patrimonial Exercício 2 0 1 3 Uma adequada gestão do património municipal é o ponto de partida para que de forma clara se providencie e planeie, sustentadamente, as atividades

Leia mais

4.1 Tubo Coletor de Esgoto Kanasan Ocre

4.1 Tubo Coletor de Esgoto Kanasan Ocre 4.1 Tubo Coletor de Esgoto Kanasan Ocre O Kanasan é um tubo corrugado de dupla parede, fabricado em Polietileno de Alta Densidade (PEAD), semi rígido, anelado externamente e liso internamente (Figura 1,

Leia mais

ANEXOS Resolução TCE Nº 1.604/07 (Administração Estadual)

ANEXOS Resolução TCE Nº 1.604/07 (Administração Estadual) ANEXO I DEMONSTRATIVO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA DOS RECURSOS RECEBIDOS Código Receita Ingressos 00 RECURSOS DO TESOURO (PESSOAL) 00 RECURSOS DO TESOURO (CUSTEIO E INVESTIMENTOS) 10 RECURSOS

Leia mais

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL SECRETARIA NACIONAL DE JUVENTUDE Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local a) COORDENADOR ADJUNTO: 01 (Contratação Temporária

Leia mais

Prefácio 17 Explicação necessária 19

Prefácio 17 Explicação necessária 19 SUMÁRIO Prefácio 17 Explicação necessária 19 I. CONSTITUIÇÃO 21 1. Conceitos 21 2. História das Constituições 21 3. Classificação das Constituições 23 4. Elementos das Constituições 24 5. Estrutura da

Leia mais

Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948

Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 PARTE A Módulo I Acordos/Convenções Internacionais 1. Declaração Universal dos Direitos Humanos Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

DECRETO Nº 2.380, DE 28 DE AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre a homologação de pareceres e resoluções do Conselho Estadual de Educação (CEE).

DECRETO Nº 2.380, DE 28 DE AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre a homologação de pareceres e resoluções do Conselho Estadual de Educação (CEE). DECRETO Nº 2.380, DE 28 DE AGOSTO DE 2014 Dispõe sobre a homologação de pareceres e resoluções do Conselho Estadual de Educação (CEE). O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições privativas

Leia mais

Plano de Manutenção Predial Preventiva

Plano de Manutenção Predial Preventiva SUMAN Subsecretaria de Manutenções SEAP Secretaria de Adminitração Predial SEG Secretaria-Geral TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Plano de Manutenção Predial Preventiva Brasília,

Leia mais

Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa

Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa Ainda que a pessoa jurídica esteja submetida ao regime de incidência não-cumulativa, as receitas constantes do art. 8º da Lei nº 10.637, de 2002,

Leia mais

DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 Regulamenta o regime de substituição tributária do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISSQN, instituído pela Lei Complementar n 03, de 17 de setembro

Leia mais

DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010. Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional.

DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010. Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional. DECRETO Nº 7.294, DE 6 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 08.09.2010 Dispõe sobre a Política de Mobilização Nacional. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea "a",

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 61/2011 Dispõe sobre a obrigatoriedade de implantação de Sistemas de Monitoramento e Gestão nos veículos utilizados nos serviços de zeladoria urbana e dá outras providências. A Câmara

Leia mais

DECRETO Nº, de de de 2010.

DECRETO Nº, de de de 2010. DECRETO Nº, de de de 2010. Regulamenta a concessão de bolsas de estudo para estudantes carentes, prevista no Art. 4º da Lei Complementar nº 633/09 de 29 de dezembro de 2009, que altera o art. 21 da Lei

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante I - INTRODUÇÃO II - OBJETO III - DOS ÓRGÃOS E UNIDADES INTEGRANTES DO REGISTRO IV - CONDIÇÕES GERAIS PARA PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII -

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA E OBRAS End: Travessa Anchieta, S-55 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9587 Email: engenharia@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Fábio Chaves Sgavioli Atribuições

Leia mais

OI S.A OI S.A OI S.A

OI S.A OI S.A OI S.A Comissão Permanente de Licitação CPL 0 PREGÃO SRP Nº 48/05 CPL 0 DATA E HORA DE ABERTURA: 6 de setembro de 05, às 07:h30min. LOTE I - ACRELÃNDIA ( LINK I) DE COMPUTADORES) LINK DEDICADO DE INTERNET BANDA

Leia mais

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida.

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida. I Entidade Organizadora AFUM Associação de Funcionários da Universidade do Minho (AFUM), Campus de Gualtar, 4710-057 Braga, Contribuinte n.º 503595772, número de registo 65/DRN. II Objectivo e caracterização

Leia mais

Proteção das Máquinas

Proteção das Máquinas 1 CONVENÇÃO N. 119 Proteção das Máquinas I Aprovada na 47ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1963), entrou em vigor no plano internacional em 21.4.65. II Dados referentes ao Brasil:

Leia mais

DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998.

DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998. DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998. Estabelece as penalidades aplicáveis aos infratores da Lei 3.491 de 19 de dezembro de 1.997, que dispõe sobre a consolidação das leis de propaganda no Município

Leia mais

Normas e Critérios de Acesso ao Serviço de Transporte Escolar (STE)

Normas e Critérios de Acesso ao Serviço de Transporte Escolar (STE) Normas e Critérios de Acesso ao Serviço de Transporte Escolar (STE) O Decreto-Lei n.º 299/84, de 5 de setembro, alterado pelo Decreto-lei n.º 7/2003, de 15 de janeiro, pela Lei n.º13/2006, de 17 de abril,

Leia mais

ÍNDICE. 1 Disposições Gerais...3. 2 Ensino Básico...4. 3 Ensino Secundário...5. 4 Alunos Portadores de Deficiência...7

ÍNDICE. 1 Disposições Gerais...3. 2 Ensino Básico...4. 3 Ensino Secundário...5. 4 Alunos Portadores de Deficiência...7 MUNICÍPIO DE VILA FRANCA DE XIRA TRANSPORTES ESCOLARES NORMAS DE PROCEDIMENTO CANDIDATURA AO SUBSÍDIO DE TRANSPORTE ÍNDICE 1 Disposições Gerais...3 2 Ensino Básico...4 3 Ensino Secundário...5 4 Alunos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIARIO

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIARIO REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIARIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA I Âmbito de Aplicação O Centro Social e Polivalente de Ourentã, (C.S.P.O.) designado por Instituição

Leia mais

Inventário das Intervenções com Comunidades Ciganas no Baixo Alentejo. Serpa e Beja

Inventário das Intervenções com Comunidades Ciganas no Baixo Alentejo. Serpa e Beja Inventário das Intervenções com Comunidades Ciganas no Baixo Alentejo Serpa e Beja Enquadramento Geral Serpa Referência da Intervenção Projecto Intercool ICDS- Programa Escolhas 4ª geração Território

Leia mais

Portaria n.º 931/2006 de 8 de Setembro Publicado no DR 174, Série I de 2006-09-08

Portaria n.º 931/2006 de 8 de Setembro Publicado no DR 174, Série I de 2006-09-08 Rectificada pela Declaração de Rectificação n.º 76-A/2006, de 7-11. Alterada pela Portaria n.º 256/2007, de 12-3. Alterada pela Portaria n.º 1165/2007, de 13-9. MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRANSPORTES ESCOLARES

REGULAMENTO DOS TRANSPORTES ESCOLARES REGULAMENTO DOS TRANSPORTES ESCOLARES A Câmara Municipal de Alpiarça, com a criação do presente Regulamento, pretende definir e clarificar procedimentos no âmbito dos Transportes Escolares, nomeadamente

Leia mais

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES.

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES. REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES Seção I Da Natureza e Finalidade das Inspetorias Art. 1º A Inspetoria

Leia mais

1. Roteiro Básico. a) Nome da unidade proponente, título e número da edição do curso, número do processo (na capa e na folha vestibular);

1. Roteiro Básico. a) Nome da unidade proponente, título e número da edição do curso, número do processo (na capa e na folha vestibular); Roteiro e Instruções Normativas aplicáveis a projetos de cursos de especialização lato sensu, baseados nas Resoluções nº 03/2002 -CONSUN, 01/96 CONDIR, 01/2001 da CES / CNE e no Regimento Geral da UFU.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina LEI N. 1925/06 de 25.07.2006. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 13/2015, DE 4 DE MAIO DE 2015

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 13/2015, DE 4 DE MAIO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO SUPERIOR Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3227-5564 3235-1741 ramal 2003 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº

Leia mais

Noções de Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos

Noções de Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Noções de Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Direitos Humanos Criada durante o pós Guerra ( 2ª Guerra Mundial), em 1946 e aprovada em 1948 pela Assembléia Geral das Nações Unidas;

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS 1 RESOLUÇÃO NORMATI VA N.º 0 0 6 / 2 0 0 1 O Tribunal de Contas do Estado de Goiás, considerando as atribuições estabelecidas pela Constituição Estadual em seu artigo 26, o disposto no inciso XII do art.

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares no Curso de Fisioterapia do Centro Universitário de Anápolis UniEVANGÉLICA.

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL CTAE

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL CTAE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ DIRETORIA DE CONTAS MUNICIPAIS Prestação de Contas de Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista Municipais Prestação de Contas Anual Instrução Normativa n 22/2008 INSTRUÇÃO

Leia mais

LEI Nº 4.035. De: 04 de julho de 2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 4.035. De: 04 de julho de 2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 4.035 De: 04 de julho de 2014. Desafeta do domínio público os imóveis localizados no CONJUNTO HABITACIONAL SONHO MEU, na cidade de Umuarama - PR. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ,

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2013/1 DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO I PROFESSOR: JOÃO CLAUDIO GONÇALVES LEAL TURMA: 5º A INTEGRAL

Leia mais

índice PORTARIA SECEX N 2 10/10

índice PORTARIA SECEX N 2 10/10 índice Apresentação 3 PORTARIA SECEX N 2 10/10 CAPÍTULO l - IMPORTAÇÃO Seção l - Registro de Importador 11 Seção l! - Credenciamento e da Habilitação 12 Seção III - Licenciamento das Importações 12 Subseção

Leia mais

REGULAMENTO DE TRANSPORTES ESCOLARES

REGULAMENTO DE TRANSPORTES ESCOLARES REGULAMENTO DE TRANSPORTES ESCOLARES Aprovado por deliberação da Assembleia Municipal de Azambuja de 19 de Setembro de 2012, publicada pelo Edital n.º 77/2012, de 26 de Outubro de 2012. Em vigor desde

Leia mais

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE LEI N.º 1.297, DE 06 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre apoio a Gestão do Sistema Único de Saúde, da realização de conferências no âmbito municipal, da reformulação e funcionamento do Conselho Municipal de

Leia mais

LEI Nº 2.282, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. (Atualizado conforme a Lei nº 2.668, de 20 de agosto de 2010)

LEI Nº 2.282, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. (Atualizado conforme a Lei nº 2.668, de 20 de agosto de 2010) LEI Nº 2.282, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. (Atualizado conforme a Lei nº 2.668, de 20 de agosto de 2010) Desativa Escolas Municipais da Zona Rural e desafeta áreas públicas. seguinte Lei: O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Autoriza o Poder Executivo a doar os bens que equipam a Capela Mortuária do Bairro Progresso, para a Associação do Bairro Progresso. O Prefeito Municipal de Erechim,

Leia mais

Especialmente criado para: Soluções criativas para empresas vencedoras

Especialmente criado para: Soluções criativas para empresas vencedoras Especialmente criado para: Soluções criativas para empresas vencedoras Alentejo 08 a 10 de Abril 2016 Itinerário 1º Dia 08 de Abril (Sex.) LISBOA / TRÓIA / CASTRO VERDE Em hora e local a combinar, partida

Leia mais

DECRETO Nº 37784 DE 10 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 37784 DE 10 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 37784 DE 10 DE OUTUBRO DE 2013 Dispõe sobre horário de circulação de veículos de carga e operação de carga e descarga na forma que menciona, e dá outras providências. O PREFEITO DA CIDADE DO

Leia mais

PLANO DE TRANSPORTES MUNICÍPIO DE BENAVENTE 2015-2016

PLANO DE TRANSPORTES MUNICÍPIO DE BENAVENTE 2015-2016 1 PLANO DE TRANSPORTES MUNICÍPIO DE BENAVENTE 2015-2016 Preâmbulo A intervenção do Município de Benavente em matéria de transportes escolares consiste na oferta de um serviço nos parâmetros estabelecidos

Leia mais

Manual do Aluno. Escola de Engenharia Kennedy. Faculdade Kennedy. Faculdade de Ciências jurídicas Prof. Alberto Deodato

Manual do Aluno. Escola de Engenharia Kennedy. Faculdade Kennedy. Faculdade de Ciências jurídicas Prof. Alberto Deodato Manual do Aluno Escola de Engenharia Kennedy Faculdade Kennedy Faculdade de Ciências jurídicas Prof. Alberto Deodato Apresentação 01 Missão Escola de Engenharia e Faculdade Kennedy Missão Faculdade de

Leia mais

LEI N 1.672-03/2015 I - DAS ATIVIDADES PASSÍVEIS DE DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS

LEI N 1.672-03/2015 I - DAS ATIVIDADES PASSÍVEIS DE DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS LEI N 1.672-03/2015 CONSOLIDA AS TAXAS DE ISENÇÃO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL, DE ATPF E DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE COLINAS PARA O EXERCÍCIO DE 2016, e dá outras providências. IRINEU HORST,

Leia mais

DECRETO N o 3.831, de 9 de dezembro de 2005

DECRETO N o 3.831, de 9 de dezembro de 2005 DECRETO N o 3.831, de 9 de dezembro de 2005 Renova curso e reconhece cursos de Educação Superior, autoriza o funcionamento de cursos de Educação Superior, Ensino Médio, Educação Profissional, Especialização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMON Gabinete do Prefeito Secretaria Municipal de Governo

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMON Gabinete do Prefeito Secretaria Municipal de Governo LEI MUNICIPAL Nº 1940, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2014. Denomina e delimita os bairros do município de Timon-MA. O PREFEITO MUNICIPAL DE TIMON, ESTADO DO MARANHÃO: Faço saber que a Câmara Municipal de Timon

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1021-ANTAQ, DE 24 DE ABRIL DE 2008.

RESOLUÇÃO Nº 1021-ANTAQ, DE 24 DE ABRIL DE 2008. RESOLUÇÃO Nº 1021-ANTAQ, DE 24 DE ABRIL DE 2008. ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS-ANTAQ, APROVADO PELA RESOLUÇÃO Nº 646-ANTAQ, DE 06 DE OUTUBRO DE 2006, E DÁ OUTRA

Leia mais

III - nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem;

III - nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem; GLOSSÁRIO Classificação Funcional Programática A Classificação Funcional Programática é o agrupamento das ações do governo em grandes áreas de sua atuação, para fins de planejamento, programação e elaboração

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 07, de 1º de setembro de 2010.

RESOLUÇÃO Nº 07, de 1º de setembro de 2010. RESOLUÇÃO Nº 07, de 1º de setembro de 2010. Revoga a Resolução de nº 05, de 16 de junho de 2010, que define as atribuições do cargo de Pedagogo da rede municipal de ensino de Governador Valadares e as

Leia mais

PESQUISA ADEMI DO MERCADO IMOBILIÁRIO

PESQUISA ADEMI DO MERCADO IMOBILIÁRIO PESQUISA ADEMI DO MERCADO IMOBILIÁRIO RELATÓRIO DE JANEIRO DE 214 I INTRODUÇÃO O objetivo deste relatório é analisar os resultados da Pesquisa ADEMI no mês de janeiro de 214 no que diz respeito ao VSO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO

MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO VERSÃO: 01/7/2008 MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO 01/7/2008 2/8 ÍNDICE

Leia mais

NORMA REGULAMENTAR N.º 7/2009-R, de 14 de Maio REGULAMENTAÇÃO DO REGIME DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS NO ÂMBITO DO SEGURO AUTOMÓVEL

NORMA REGULAMENTAR N.º 7/2009-R, de 14 de Maio REGULAMENTAÇÃO DO REGIME DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS NO ÂMBITO DO SEGURO AUTOMÓVEL Não dispensa a consulta da Norma Regulamentar publicada em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 7/2009-R, de 14 de Maio REGULAMENTAÇÃO DO REGIME DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS NO ÂMBITO DO SEGURO

Leia mais

Enquadramento Geral da Educação e do Ensino Gráfico 31 - População Residente Nível de Instrução (%/n.º). 59 Gráfico 32 - População Residente com 3.ºCi

Enquadramento Geral da Educação e do Ensino Gráfico 31 - População Residente Nível de Instrução (%/n.º). 59 Gráfico 32 - População Residente com 3.ºCi Índice de Gráficos O Concelho de Soure Gráfico 1 - Distâncias das Freguesias àsede do Concelho.14 Gráfico 2 - Variação dapopulação Residente 1981 1991.21 Gráfico 3 - Variação dapopulação Residente 1991

Leia mais

Regulamento do Programa de Bolsas de Estudo Pós-Graduação Lato Sensu Ingresso 2015/1 da Faculdade Arthur Thomas

Regulamento do Programa de Bolsas de Estudo Pós-Graduação Lato Sensu Ingresso 2015/1 da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INGRESSO 2015/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. Este Regulamento disciplina o processo de seleção, concessão,

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 21- Compete à União: TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO I - Manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais; II - Declarar a guerra e celebrar

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO 2007 Nº Despacho PROJETO DE LEI Nº 1182/2007 CRIA O CORREDOR GASTRONÔMICO E CULTURAL DOS BAIRROS DO FLAMENGO, CATETE, LARANJEIRAS, GLÓRIA E LARGO DO MACHADO, SITUADOS NA IV REGIÃO ADMINISTRATIVA. Autora:

Leia mais

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria - IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL 2006 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ÍNDICE Introdução Pág. 2 1 Sumário executivo Pág. 5 2 Análise dos resultados 2.1 Situação

Leia mais

ANEXO I. Tabela I Reitoria. Nível Cargo Vagas

ANEXO I. Tabela I Reitoria. Nível Cargo Vagas ANEXO I Tabela I Reitoria Nível C Auxiliar em Assuntos Educacionais 1 Nível C Auxiliar de Administração 4 Assistente em Administração 12 Técnico em Arquivo 2 Informática 1 Técnico em Secretariado 3 Técnico

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE HABITAÇÃO

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE HABITAÇÃO FOMENTO À PRODUÇÃO 1 o Município a assinar o Termo de Adesão ao MCMV; Prazo máximo para licenciamento de projetos; LC 97/2009; ISS e ITBI isenção/redução; Remissão de dívidas de IPTU para AP I e AP III.

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL ATOS DO PODER EXECUTIVO ESTADO DA PARAÍBA. Nº 15.359 João Pessoa - Quinta-feira, 10 de Outubro de 2013 Preço: R$ 2,00

DIÁRIO OFICIAL ATOS DO PODER EXECUTIVO ESTADO DA PARAÍBA. Nº 15.359 João Pessoa - Quinta-feira, 10 de Outubro de 2013 Preço: R$ 2,00 DIÁRIO OFICIAL ESTADO DA PARAÍBA Nº 15.359 João Pessoa - Quinta-feira, 10 de Outubro de 2013 Preço: R$ 2,00 ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 34.218, DE 16 DE AGOSTO DE 2013 Declara de utilidade pública,

Leia mais

DECRETO Nº 46.649, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2005. JOSÉ SERRA, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,

DECRETO Nº 46.649, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2005. JOSÉ SERRA, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO Nº 46.649, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2005 Regulamenta a Lei nº 11.198, de 19 de maio de 1992, dispondo sobre o Conselho Municipal de Turismo COMTUR e o Fundo Municipal de Turismo FUTUR. JOSÉ SERRA,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL Tangará da Serra Estado de Mato Grosso

CÂMARA MUNICIPAL Tangará da Serra Estado de Mato Grosso PORTARIA Nº 005, DE 06 DE JANEIRO DE 2014. O Vereador WELITON ÚNGARO DUARTE, Presidente da Câmara Municipal de Tangará da Serra, Estado de Mato Grosso, usando das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

M O N O G R A F I A. Georreferenciamento e instalação de marcos e sinalização para o Parque Natural Municipal da Fazenda de Atalaia.

M O N O G R A F I A. Georreferenciamento e instalação de marcos e sinalização para o Parque Natural Municipal da Fazenda de Atalaia. M O N O G R A F I A Georreferenciamento e instalação de marcos e sinalização para o Parque Natural Municipal da Fazenda de Atalaia. Contratante: FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. Contratada: AMBIENTAL COMPANY

Leia mais

LEI Nº 13.792, de 18 de julho de 2006. (PDIL) Procedência: Governamental Natureza: PL 141/06 DO: 17.928 de 20/07/06 Fonte - ALESC/Coord.

LEI Nº 13.792, de 18 de julho de 2006. (PDIL) Procedência: Governamental Natureza: PL 141/06 DO: 17.928 de 20/07/06 Fonte - ALESC/Coord. LEI Nº 13.792, de 18 de julho de 2006. (PDIL) Documentação Procedência: Governamental Natureza: PL 141/06 DO: 17.928 de 20/07/06 Fonte - ALESC/Coord. Estabelece políticas, diretrizes e programas para a

Leia mais

Propostas por Segmentos: Docente, TAEs e Discente

Propostas por Segmentos: Docente, TAEs e Discente Propostas por Segmentos: Docente, TAEs e Discente A ELEIÇÃO OCORRERÁ DIAS 14 E 15 DE ABRIL Para votar é necessário apresentar o crachá ou documento oficial com foto. Neste caso, é preciso saber o número

Leia mais

BELO HORIZONTE: Délio Malheiros Secretário Municipal de Meio Ambiente Presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente

BELO HORIZONTE: Délio Malheiros Secretário Municipal de Meio Ambiente Presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente PAINEL: Licenciamento Ambiental no município de Belo Horizonte BELO HORIZONTE: Délio Malheiros Secretário Municipal de Meio Ambiente Presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente Organograma da Prefeitura

Leia mais

PORTARIA Nº 22, DE 18 DE JANEIRO DE 2008

PORTARIA Nº 22, DE 18 DE JANEIRO DE 2008 PORTARIA Nº 22, DE 18 DE JANEIRO DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos II e IV, da Constituição Federal,

Leia mais

DECRETO Nº 20.587, de 19 de fevereiro de 2010

DECRETO Nº 20.587, de 19 de fevereiro de 2010 DOM DE 20 A 22/02/2010 Alterado pelo Dec. 21.542, de 18/01/2011 DECRETO Nº 20.587, de 19 de fevereiro de 2010 Regulamenta a substituição tributária do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISS, e

Leia mais

Publicado no DOM em 15 jul 2015. Aprova o Regimento Interno do Fórum Permanente de Desenvolvimento Econômico e Turismo, na forma que especifica.

Publicado no DOM em 15 jul 2015. Aprova o Regimento Interno do Fórum Permanente de Desenvolvimento Econômico e Turismo, na forma que especifica. Decreto Nº 15203 DE 01/07/2015 Publicado no DOM em 15 jul 2015 Aprova o Regimento Interno do Fórum Permanente de Desenvolvimento Econômico e Turismo, na forma que especifica. O Prefeito Municipal de Teresina,

Leia mais

CARTA DEL LAVORO : UM MODELO A SE EVITAR NA REFORMA TRABALHISTA

CARTA DEL LAVORO : UM MODELO A SE EVITAR NA REFORMA TRABALHISTA Página 1 de 7 MEMÓRIA CARTA DEL LAVORO : UM MODELO A SE EVITAR NA REFORMA TRABALHISTA Francisco José da Silveira Lobo Neto* Introdução Publicar, como documento e memória, a Carta del Lavoro, promulgada

Leia mais

Reorganização Administrativa do Território das Freguesias - (RATF)

Reorganização Administrativa do Território das Freguesias - (RATF) Beja Aljustrel Aljustrel Agregação União das freguesias de Aljustrel e Rio de Moinhos Beja Aljustrel Ervidel Sem alteração Beja Aljustrel Messejana Sem alteração Beja Aljustrel Rio de Moinhos Agregação

Leia mais

Figura I Experiência prévia em Teatro dos alunos do 1º período do Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG no 1º semestre de 2009.

Figura I Experiência prévia em Teatro dos alunos do 1º período do Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG no 1º semestre de 2009. Lista de Figuras Figura I Experiência prévia em Teatro dos alunos do 1º período do Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG no 1º semestre de 2009. Figura 2- Local onde os alunos, com experiência prévia,

Leia mais

índice SISTEMÁTICO Apresentação...

índice SISTEMÁTICO Apresentação... índice SISTEMÁTICO Apresentação....................................... XI Capítulo I - Os Direitos Reais... I. Observações introdutórias: os direitos reais ou direito das coisas..... I 2. Âmbito......

Leia mais

plano de transportes escolares 2014/2015

plano de transportes escolares 2014/2015 plano de transportes escolares 2014/2015 De acordo com o n.º 1, alínea gg), do artigo 33.º da Lei 75/2013 de 12 de setembro, que estabelece o regime jurídico de transferências de competências do Estado

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES End: Rua Siqueira Campos, S-64 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9576 Email: compras@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Dr. Luis Carlos Rinaldi Atribuições

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE NORTELÂNDIA CNPJ 15.061.773/0001-55

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE NORTELÂNDIA CNPJ 15.061.773/0001-55 PORTARIA N.º 012/GP/2010 DE 01 DE SETEMBRO DE 2.010. Dispõe sobre o controle e a baixa do material permanente e de consumo no âmbito do Poder Legislativo e nomeia a Comissão de Reavaliação, Baixa, Registro,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 532, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2009. DOE. nº 1371, de 19/11/2009

LEI COMPLEMENTAR Nº 532, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2009. DOE. nº 1371, de 19/11/2009 LEI COMPLEMENTAR Nº 532, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2009. DOE. nº 1371, de 19/11/2009 Cria a Secretaria de Estado de Assistência Social, altera dispositivos da Lei Complementar nº 224, de 4 de janeiro de 2000,

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO

REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO 1 REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO Art.1º A Diretoria de Ensino de Graduação (DEG) é órgão da Pró-Reitoria Acadêmica, do Centro Universitário de Maringá.

Leia mais

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI: LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Lei do Sistema Viário do Município de Cafeara, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para 2015.2

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para 2015.2 CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC Atualizado para 2015.2 1ª Fase I: MED 7001 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA I Anatomia 48 (+12 Integr.) Fisiologia 68 (+12 Integr.) Bioquímica 62 Histologia

Leia mais

EDUCAÇÃO X MORTES VIOLENTAS DE ADOLESCENTES

EDUCAÇÃO X MORTES VIOLENTAS DE ADOLESCENTES EDUCAÇÃO X MORTES VIOLENTAS DE ADOLESCENTES Estudo do Rio Como Vamos mostra os números do ensino na cidade do Rio de Janeiro e alerta para a importância da escola como caminho para livrar os jovens do

Leia mais

PLANO DE TRANSPORTES ESCOLARES MUNICÍPIO DE MIRANDELA. Ano Letivo 2014-2015

PLANO DE TRANSPORTES ESCOLARES MUNICÍPIO DE MIRANDELA. Ano Letivo 2014-2015 PLANO DE TRANSPORTES ESCOLARES MUNICÍPIO DE MIRANDELA Ano Letivo 2014-2015 Plano dos Circuitos de Carreira Pública e Circuitos Especiais de Transporte Escolar dos alunos do Município de Mirandela Página

Leia mais