O LIVRO DOS LOBISOMENS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O LIVRO DOS LOBISOMENS"

Transcrição

1 SABINE BARING-GOULD O LIVRO DOS LOBISOMENS Tradução Ronald Kyrmse

2 O s direitos desta edição pertencem à Editora Aleph. TÍTULO ORIGINAL: The book of were-wolves CAPA: Thiago Ventura e Luiza Franco PREPARAÇÃO DE TEXTO: Berenice Baeder REVISÃO: Hebe Ester Lucas PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO: GXavier.com CONSULTOR EDITORIAL: Silvio Alexandre COORDENAÇÃO EDITORIAL: Delfin e Débora Dutra EDITOR RESPONSÁVEL: Adriano Fromer Piazzi EDITORA ALEPH Rua Dr. Luiz Migliano, 1110 Cj São Paulo SP Brasil Tel.: [55 11] Fax: [55 11] Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Baring-Gould, Sabine, O livro dos lobisomens / Sabine Baring-Gould; tradução Ronald Kyrmse. -- São Paulo: Aleph, Título original: The book of were-wolves. ISBN Ficção inglesa I. Título CDD-823 Índices para catálogo sistemático: 1. Ficção : Literatura inglesa 823

3 PREFÁCIO... 9 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO CAPÍTULO II A LICANTROPIA ENTRE OS ANTIGOS Definição de licantropia Marcelo Sidetes Virgílio Heródoto Ovídio Plínio Agriopas História de Petrônio Lendas árcades Explicação proposta CAPÍTULO III O LOBISOMEM NO NORTE Tradições nórdicas Modo como se efetuava a transformação Völundar Kviða Exemplos da Saga dos Völsungs Saga de Hrolf Kraka Poema faroês Helga Kviða Saga de Vatnsdæla Saga de Eyrbyggja CAPÍTULO IV A ORIGEM DO LOBISOMEM ESCANDINAVO Vantagem do estudo da literatura nórdica Vestes de pele de urso e lobo Os berserkir Sua fúria A história de Thorir Trechos do Aigla O lobo do entardecer Skallagrim e seu filho Derivação da palavra hamr : de vargr Leis que afetam os proscritos Tornar-se um javali Recapitulação CAPÍTULO V O LOBISOMEM NA IDADE MÉDIA Histórias de Olaus Magnus sobre lobisomens livônios História do bispo Majolus História de Albertus Pericofcius Ocorrência semelhante em Praga São Patrício Estranho incidente relatado por João de Nürnberg Bisclaveret Lobisomens da Curlândia Pierre Vidal Licantropo paviano Histórias de Bodin Relato de Forestus sobre um licantropo Lobisomem napolitano CAPÍTULO VI UMA CÂMARA DE HORRORES Pierre Bourgot e Michel Verdung O eremita de St. Bonnot A família Gandillon Thievenne Paget O alfaiate de Châlons Roulet

4 CAPÍTULO VII JEAN GRENIER Nas dunas de areia Um lobo ataca Marguerite Poirier Jean Grenier levado a julgamento Suas confissões Acusações comprovadas de canibalismo Sua sentença Comportamento no mosteiro Visita de Delancre CAPÍTULO VIII FOLCLORE RELATIVO AOS LOBISOMENS Esterilidade do folclore inglês Tradições de Devonshire Derivação de were-wolf Canibalismo na Escócia O ladrão de Angus O camponês de Perth Superstições francesas Tradições norueguesas Histórias dinamarquesas de lobisomens Histórias de Holstein O lobisomem nos Países Baixos Entre os gregos; os sérvios ; os bielo-russos; os poloneses; os russos Uma receita russa para se tornar lobisomem O Vlkodlak boêmio História armênia Contos indianos Budas abissínios Histórias americanas de transformação Uma história doméstica eslovaca Contos gregos, bearneses e islandeses semelhantes CAPÍTULO IX CAUSAS NATURAIS DA LICANTROPIA Crueldade inata Suas três formas Dumollard Andreas Bichel Um sacerdote holandês Outros exemplos de crueldade inerente Crueldade unida ao refinamento Uma húngara que se banhava em sangue Rapidez com que a paixão se desenvolve Canibalismo: em mulheres grávidas, em maníacos Alucinação: como se produz Ungüentos A história de Lucius Auto-engano CAPÍTULO X ORIGEM MITOLÓGICA DA LENDA DO LOBISOMEM Metempsicose Afinidade entre homens e animais Finnbog e o urso Osage e o castor A conexão da alma e do corpo Budismo Caso do sr. Holloway Idéias populares acerca do corpo A derivação do alemão leichnam Vestes de penas Transmigração de almas Uma história basca História do Pantchatantra Idéias selvagens acerca de fenômenos naturais Trovão, raio e nuvem A origem do dragão O dragão de John de Brompton era uma tromba d água A lenda de Tifeu Alegorização dos efeitos de um furacão Antropomorfose A nuvem cirro, um cisne celestial Urvaçî A nuvem de tempestade é um demônio Vritra e râkshasas História de um brâmane e um râkshasa

5 CAPÍTULO XI O MARECHAL DE RETZ I: A INVESTIGAÇÃO DAS ACUSAÇÕES Introdução História de Gilles de Laval O castelo de Machecoul Rendição do marechal Exame das testemunhas Carta de De Retz O Duque da Bretanha relutando em moverse O Bispo de Nantes CAPÍTULO XII O MARECHAL DE RETZ II: O JULGAMENTO A aparição do marechal Pierre de l Hospital A requisição O julgamento adiado Encontro entre o marechal e seus criados A confissão de Henriet Pontou persuadido a confessar tudo O julgamento adiado não é apressado A hesitação do Duque da Bretanha CAPÍTULO XIII O MARECHAL DE RETZ III: A SENTENÇA E A EXECUÇÃO O julgamento adiado O marechal confessa O caso é transferido ao tribunal eclesiástico Medidas imediatas do bispo A sentença Ratificada pelo tribunal secular A execução CAPÍTULO XIV UM LOBISOMEM GALICIANO Os habitantes da Galícia austríaca O vilarejo de Polomyja Tarde de verão na floresta O mendigo Swiatek Desaparece uma jovem Um escolar desaparece Criada perdida Outro menino raptado A descoberta feita pelo taverneiro de Polomyja Swiatek aprisionado Levado a Dabkow Suicídio CAPÍTULO XV CASO ANÔMALO A HIENA HUMANA Ghouls História de Fornari Citação de Apuleio Incidente mencionado por Marcasso Cemitérios violados em Paris Descoberta do violador Confissão de M. Bertrand CAPÍTULO XVI UM SERMÃO SOBRE LOBISOMENS Os discursos do dr. Johann O sermão Observações Baring-Gould: Uma breve Biografia

6 PREFÁCIO por Helena Gomes Tenha pena de mim, Coronel Ponciano de Azeredo Furtado. Sou um lobisomem amedrontado, corrido de cachorro, mordido de cobra. Na lua que vem, tiro do meu tempo de penitência e já estou de emprego apalavrado com o povo do governo. 1 Triste a sina do lobisomem brasileiro: nada de bala de prata, roupas de couro, sobretudo negro ou qualquer outro toque de glamour oferecido pelos filmes produzidos sobre o personagem nas últimas décadas. O herdeiro do fadário (ou maldição) vira lobisomem em encruzilhada, em chiqueiro e até em galinheiro, sempre às sextas-feiras e nem sempre de lua cheia. E isso depois de tirar as próprias roupas e se esfregar nelas o que pode incluir aí estrume e urina de algum animal. Então, parte numa rotina bem estafante. Tem apenas uma noite para percorrer sete cidades antes de voltar para o lugar de onde partiu. Todo o trajeto feito, naturalmente, antes de o galo anunciar o novo dia. 1 Apesar de o lobisomem aparecer pouco na história, vale a pena citar este trecho de O coronel e o lobisomem, de José Cândido de Carvalho, livro com uma linguagem simplesmente deliciosa.

7 10 O livro dos lobisomens Tudo culpa de uma maldição que (como conta a pesquisadora Maria do Rosário de Souza Tavares de Lima, em seu livro Lobisomem: assombração e realidade 2 ) o coitado herda, muitas vezes, por ser o último de uma série de sete filhos, o caçula de sete irmãos, filho de um incesto, vítima de maldição, por ficar dez anos sem confissão ou comunhão, nascer com os dedos tortos, se casar apenas no civil ou, ainda, deixar de receber o batismo. Notou a forte influência religiosa no mito universal adaptado ao gosto brasileiro? Sim, as histórias de lobisomem, trazidas pelos portugueses e presentes de norte a sul do Brasil, ganharam um bônus para manter o povo na linha entre o certo e o errado, segundo as regras da Igreja Católica. Na Europa a transformação dava-se por feitiço, no Brasil predomina a crença n uma maldição a acometer o homem nascido sob certas condições, reforça Ricardo de Mattos, no artigo Dos lobisomens 3. O lobisomem brasileiro é, acima de tudo, alguém que, mesmo não querendo, tem um pacto com o tinhoso, o dito cujo, aquele-que-nãodeve-ser-mencionado. E que, por este motivo, também faz lá suas maldades, deixando no ar aquele cheiro malévolo de enxofre e danação eterna. Em sua penitência, ele espalha o terror, deixa todo mundo apavorado por onde passa, desvirgina donzelas inocentes que passeiam sozinhas pelo bosque, morde para transmitir o fadário e, de quebra, se alimenta de fetos, crianças ainda pagãs, adultos, cadáveres, cachorros, bezerros e outros animais pequenos e, para ele, muito apetitosos. A saída para anular a maldição do infeliz? Quem arrisca algo como o irmão mais velho batizar o irmão número sete antes que este cresça e se transforme? Ou oferecer ao lobisomem uma saudação com a cruz, jogar água benta nele e realizar, por ele, sete rezas, durante sete noites, com sete velas acesas? Ou, quem sabe, um tiro bem dado, não se esquecendo de, antes, untar a bala na cera de uma vela queimada em três missas seguidas? Me respeite, moço! Eu não sou uma lenda, não, sou um mito. Um mito universal e dos bons. Eu tenho uma existência individualizada 2 A autora realizou um trabalho muito bom e abrangente sobre o mito do lobisomem, em especial do brasileiro. E foi a responsável por transformar a cidade de Joanópolis, interior de São Paulo, na Capital do Lobisomem. 3 Este artigo, na integra, pode ser encontrado no site

8 SABINE BARING-GOULD 11 dentro do mundo sobrenatural e uma função social muito antiga, que dá origem e explicações a alguns fatos. As lendas são apenas relatos desses mitos. 4 No fundo, bem lá no fundo mesmo (ou seria no passado?), a religiosidade estaria por trás do mito do lobisomem. Simples assim? Talvez não. Mas é um ponto de partida para se pensar. Vamos do começo. Como nasce o mito do lobisomem no mundo ocidental? Certo, você vai pensar, novamente temos gregos e romanos na história. Na mitologia pré-helênica, para alguns, já teria havido um Zeus Licaeus, a mais antiga crença local, afirma Maria do Rosário. O Zeus Licaeus era o deus da luz (luke) e pode, também, ter havido confusão entre esse vocábulo e luko, lobo. Além disso, a pesquisadora cita a existência de um rito com oferendas ao deus-lobo para que este poupasse os rebanhos. Ela acredita ainda que, durante o ritual, os sacerdotes se vestiam com a pele do animal-deus. Já Luperca, a deusa loba dos romanos, era homenageada com festas chamadas de lupercais, ou seja, festas do lobo. Aliás, segundo a lenda, foi a loba Luperca quem amamentou os gêmeos Rômulo e Remo, futuros fundadores de Roma e de seu império, que espalharia esta e outras histórias entre os povos conquistados durante séculos. Ricardo de Mattos acrescenta que, na Letônia, era costume sacrificar uma cabra numa encruzilhada (lobisomem sofre sua transformação na encruzilhada, lembra?) em honra aos lobos e para aplacar a ira de uma entidade silvestre. É quando, nesse contexto pagão, surgiu o cristianismo. Após a conversão do imperador Constantino, no século IV, a nova doutrina foi imposta gradualmente a todo o império romano. Leia: imposta a vários povos subjugados, com culturas e religiões pagãs diversas. Utilizou-se, então, uma tática ancestral, aquela mesma que ainda se vê nos dias de hoje nas melhores famílias. Quando uma mãe deseja que o filho a obedeça, o que faz? Coloca medo na criança, não é mesmo? Que o digam as cantigas infantis e suas mensagens diretas: Dorme, nenê, que a Cuca vem pegar!. Ou seja: durma logo ou... enfrente seu medo! 4 Curiosa entrevista dada por um lobisomem ao jornal Folha de S.Paulo, edição de 28 de outubro de 2004.

9 12 O livro dos lobisomens Não foi diferente naquela época. As crenças pagãs foram distorcidas, taxadas de diabólicas, e seus seguidores se tornaram uma tenebrosa ameaça a ser combatida. Uma curiosidade? A própria imagem do diabo chifrudo foi inspirada no deus pagão Cornífero, o aspecto masculino da natureza, cultuado por antigos caçadores na Europa. Mas ouviu-se ainda outro som, longínquo e fraco, na distância. Era o uivar faminto da alcatéia, que prosseguia em busca de outra carne que não a do homem que acabara de se lhe escapar. 5 O que dizer do pobre lobisomem, aquele mito gerado pelo medo ao paganismo e associado automaticamente ao diabo? Acrescente a isso o verdadeiro terror que os europeus sentiam em relação ao lobo, um animal perigoso para os camponeses e aldeões. Não é à toa que o lobo é sempre o vilão dos contos de fadas, estes derivados da tradição oral de muitos povos. Hoje, o lobo, vítima de séculos de perseguição e caçadas, também necessita da proteção dos ecologistas e simpatizantes para não engrossar a lista dos animais extintos. O lobisomem, resultado de fontes variadas, encontra na literatura um terreno para se expandir, ganhar fãs e se multiplicar, seja na abordagem mais hollywoodiana do mito, seja na cadência brasileira e seu tempero folclórico. E nada melhor do que o medo, este ingrediente fundamental de inúmeras histórias, para encontrar eco e espaço garantido nas mentes e corações dos leitores. Estranho mundo, o deles. Era para lá que eu ia nos períodos em que a mutação me permitia cruzar o limite entre a besta e o homem, o grande predador. Perto dele, eu e os outros bichos éramos um nada. Comemos a carne e lambemos o sangue. Mas o homem toma a alma. 6 5 Trecho do livro Caninos brancos, de Jack London. 6 Trecho do conto Luna errante, publicado no livro A dama-morcega, de Giulia Moon.

10 SABINE BARING-GOULD 13 A publicação de O livro dos lobisomens, de Sabine Baring-Gould, traz ao leitor a rara oportunidade de conhecer um estudo clássico sobre o mito lobisomem. Publicado originalmente em 1865, este trabalho de referência (e leitura obrigatória!) chega em um momento oportuno, quando os leitores brasileiros experimentam um interesse maior por literatura fantástica. Como explica a escritora Martha Argel, em artigo ainda inédito, a literatura de terror nacional recebeu impulso, há alguns anos, com o lançamento de Os sete, o primeiro romance vampírico de André Vianco, atualmente um autor best-seller. Isso foi em 2001, prossegue Martha. De lá para cá, surgiu um mercado, modesto mas estável, para histórias de vampiros em papel, a procura é principalmente por romances, mas os contos são extremamente populares na internet e atingem um grande número de leitores. Para Martha, os vampiros são o carro-chefe na repercussão entre os leitores e na forma como os conquista. Esse sucesso alavancou a publicação de outros contos de terror, principalmente nos veículos alternativos, como fanzines, sites e listas de discussão na internet, o que beneficiou outros gêneros, como a fantasia e a ficção científica. De uma forma geral, segundo a escritora, a literatura fantástica tem estado em ebulição nos últimos anos, com um incremento na produção e o aparecimento de maior número de obras com valor literário e editorial que se refletem no surgimento de um público de leitores e fãs. Quase tudo está acontecendo dentro de círculos alternativos e vinculado a comunidades específicas, como os RPGistas, os fãs de mangás, Harry Potter e O Senhor dos Anéis, mas ocasionalmente a produção vaza para o mainstream. O livro dos lobisomens, portanto, chega na hora para reforçar o fôlego milenar de um mito que continua mais do que vivo na nossa imaginação. E que, nas noites de sexta-feira, ainda vai provocar terríveis calafrios por onde passar. Helena Gomes é escritora, jornalista, professora universitária e curiosa sobre lobisomens e outros mitos fantásticos.

11 INTRODUÇÃO

12 I J amais me esquecerei da caminhada que fiz certa noite em Vienne, depois de completar o exame de uma desconhecida relíquia druídica, a Pierre Labie, em La Rondelle, perto de Champigni. Eu ficara sabendo da existência desse cromlech 1* naquela tarde, ao chegar em Champigni, e parti para visitá-la sem calcular o temp o que gastaria em chegar lá e retornar. Basta dizer que descobri o venerável amontoado de pedras quando o Sol estava se pondo, e que consumi as últimas luzes do entardecer fazendo planos e esboços. Comecei então a retornar. A caminhada de umas dez milhas cansarame, pois era o fim de uma longa jornada, e eu machucara a perna subindo em algumas pedras a caminho da relíquia gaulesa. Havia um pequeno vilarejo não longe dali, para onde dirigi meus passos, na esperança de alugar uma * Monumento pré-histórico, composto de menires em círculo ou elipse. [n. do t.]

13 16 O livro dos lobisomens aranha 2* que me conduzisse à estação do correio; fiquei frustrado... Poucas pessoas do lugar sabiam falar francês, e o padre, quando apelei para ele, assegurou-me de que não havia no lugarejo melhor veículo que uma charrua comum, com sólidas rodas de madeira; nem havia possibilidade de conseguir um cavalo. O bom homem propôs hospedar-me naquela noite; mas fui forçado a declinar do convite, porque minha família pretendia partir cedo na manhã seguinte. Então manifestou-se o prefeito: De forma nenhuma monsieur pode voltar hoje à noite, atravessando os baixios, por causa do... do... e sua voz foi abaixando... os loups-garoux. Ele diz que precisa voltar! retrucou o padre em dialeto. Mas quem irá com ele? Ah, há! M. le Curé. Está muito bem um de nós acompanhá-lo, mas pensa como será voltar sozinho! Então dois terão de ir com ele disse o padre, e vocês poderão cuidar um do outro ao retornarem. Picou me disse que viu o lobisomem há apenas uma semana falou um camponês ; estava em seu campo de trigo-mouro. O Sol já tinha se posto e ele pensava em ir para casa, quando ouviu um farfalhar do outro lado da sebe. Olhou por cima dela, e lá estava o lobo, do tamanho de um bezerro, diante do horizonte, a língua de fora e os olhos reluzentes como fogos do pântano. Mon Dieu! Me pega atravessando o pântano hoje à noite. Ora, o que dois homens poderiam fazer se fossem atacados por esse lobo demoníaco? É tentar a providência disse um dos anciãos da aldeia ; ninguém pode esperar a ajuda de Deus se se lançar voluntariamente ao perigo. Não é assim, M. le Curé? Ouvi-o dizer isso mesmo no púlpito, no primeiro domingo da quaresma, pregando o Evangelho. Isso é verdade observaram várias testemunhas, balançando as cabeças. * Carruagem de pequeno porte, de duas rodas, puxada por um cavalo. [n. do t.]

14 SABINE BARING-GOULD 17 De língua de fora, e de olhos reluzentes como fogos do pântano! disse o confidente de Picou. Mon Dieu! Se eu encontrasse o monstro, haveria de correr disse outro. Bem creio, Cortrez; posso assegurar que você correria disse o prefeito. Do tamanho de um bezerro acrescentou o amigo de Picou. Se o loup-garou fosse tão-somente um lobo natural, ora, então, sabe... o prefeito pigarreou, sabe que não lhe daríamos importância. Mas, M. le Curé, é um demônio, pior que um demônio, um demônio humano... pior que um demônio humano, um homem-lobo demoníaco. Mas o que fará o jovem monsieur? perguntou o padre, olhando de um para outro. Não se preocupem disse eu, que escutava tranqüilamente a conversa em dialeto que compreendia. Não se preocupem; caminharei de volta sozinho, e se encontrar o loup-garou cortarei suas orelhas e seu rabo e os enviarei a M. le Maire com meus cumprimentos. Um suspiro de alívio do grupo, que se via livre da dificuldade. Il est anglais disse o prefeito, balançando a cabeça como se quisesse dizer que um inglês enfrentaria impune o diabo. O pântano era um baixio melancólico, de aspecto bastante desolador durante o dia, mas agora, ao crepúsculo, era dez vezes mais desolador. O céu, de um suave tom cinza-azulado, estava absolutamente limpo. Nele jazia a lua nova, com uma curva de parca luz aproximando-se da sua base ocidental. O pântano estendia-se até o horizonte, enegrecido por poças de água estagnada, de onde os sapos trilavam incessantemente na noite de verão. Urzes e samambaias cobriam o solo, mas perto da água cresciam densas massas de íris e juncos, contra as quais o vento fraco sussurrava sua voz enfadonha. Cá e lá havia montículos arenosos, encimados por abetos, como salpicos negros diante do céu cinzento; não havia sinal de habitação em lugar nenhum; o único vestígio humano era a estrada, branca e reta, estendendo-se por milhas através do brejo.

15 18 O livro dos lobisomens Não era improvável que aquele distrito abrigasse lobos, e confesso que me armei com um pedaço de pau reforçado tirado ao primeiro arvoredo que a estrada atravessou. Essa foi minha apresentação aos lobisomens, e, diante de superstição ainda tão viva, me lancei à investigação da história e dos hábitos dessas míticas criaturas. Preciso confessar que não tive o mínimo sucesso em obter um espécime do animal, mas encontrei seus vestígios em todas as direções; e exatamente como os paleontólogos montaram o labirintodonte a partir de suas pegadas na marga e de uma lasca de seu osso, talvez eu também possa descrevê-lo, apesar de não tê-lo vivo diante de mim. Os vestígios deixados são de fato bastante numerosos e apesar de, como o dodó e o dinórnis, o lobisomem poder ter-se extinguido em nossa era, ainda assim, deixou seu selo na Antigüidade clássica, pisou profundamente as neves setentrionais, atropelou rudemente a gente da Idade Média e uivou entre sepulcros orientais. De uma raça malévola estaríamos contentes de termos nos livrado dele e da sua laia, o vampiro e o ghoul 3*. Mas... quem sabe? Talvez sejamos um pouco apressados em afirmar sua extinção. Ele pode continuar rondando pelas florestas abissínias, vagueando por entre as estepes asiáticas e até seus uivos lúgubres podem, ainda, ser ouvidos a partir do fundo de alguma cela acolchoada de um Hanwell ou um Bedlam 4**. Nas páginas seguintes, pretendo investigar os relatos sobre lobisomens dos velhos escritos da Antigüidade clássica; em seguida, os contidos nas sagas nórdicas, e, por fim, os numerosos e detalhistas elaborados pelos autores medievais. Junto a isso, farei também um esboço do folclore moderno relacionado com a licantropia. A partir daí, veremos que sob o véu da mitologia existe uma realidade concreta; que uma superstição corrente contém dissolvida em si uma verdade positiva. * Demônio lendário que ataca túmulos e se alimenta de cadáveres. [n. do t.] ** Nomes de hospícios ingleses. [n. do t.]

16 SABINE BARING-GOULD 19 Desejo mostrar que se trata, no caso da licantropia, de um desejo inato de sangue, implantado em certas índoles, controlado em circunstâncias ordinárias, mas que irrompe ocasionalmente, acompanhado de alucinações, levando na maioria dos casos ao canibalismo. Depois, darei exemplos de pessoas assim afetadas, as quais, na crença de outros, e na sua própria, haviam sido transformadas em animais, e que, nos paroxismos de sua loucura, cometeram numerosos assassinatos e devoraram suas vítimas. Em seguida, os exemplos serão os de pessoas que, sofrendo da mesma paixão pelo sangue, também assassinavam para saciar sua crueldade natural, contudo não estavam sujeitas a alucinações nem eram viciadas em canibalismo. Também serão dados exemplos de pessoas com as mesmas propensões, que assassinaram e devoraram suas vítimas, mas que estavam perfeitamente livres de alucinações.

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA SAGRADA Nº 8 - Mar/15 PRESTA atenção RELIGIÃO! BÍBLIA Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! vai tratar de um assunto muito importante: Religião. A fé é uma questão muito pessoal e cada

Leia mais

UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNA UM ESCRAVO

UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNA UM ESCRAVO Bíblia para crianças apresenta UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNA UM ESCRAVO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Byron Unger; Lazarus Adaptado por: M. Kerr; Sarah S. Traduzido por: Judith Menga Produzido

Leia mais

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Bíblia para crianças apresenta AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

Os encontros de Jesus O cego de nascença AS TRÊS DIMENSÕES DA CEGUEIRA ESPIRITUAL

Os encontros de Jesus O cego de nascença AS TRÊS DIMENSÕES DA CEGUEIRA ESPIRITUAL 1 Os encontros de Jesus O cego de nascença AS TRÊS DIMENSÕES DA CEGUEIRA ESPIRITUAL 04/03/2001 N Jo 9 1 Jesus ia caminhando quando viu um homem que tinha nascido cego. 2 Os seus discípulos perguntaram:

Leia mais

CURRÍCULO DE LETRAMENTO LITERÁRIO (ENSINO FUNDAMENTAL) MODO COMPOSICIONAL: CONTOS POPULARES (NACIONAIS OU ESTRANGEIROS)

CURRÍCULO DE LETRAMENTO LITERÁRIO (ENSINO FUNDAMENTAL) MODO COMPOSICIONAL: CONTOS POPULARES (NACIONAIS OU ESTRANGEIROS) CURRÍCULO DE LETRAMENTO LITERÁRIO (ENSINO FUNDAMENTAL) MODO COMPOSICIONAL: CONTOS POPULARES (NACIONAIS OU ESTRANGEIROS) Coordenação: Luciane Possebom 26 de março de 2014. Segundo Câmara Cascudo, pode-se

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR Bíblia para crianças apresenta JACÓ O ENGANADOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: M Kerr; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido por: Bible for Children

Leia mais

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA 1 Lição 0 Já nasceu de novo? (volte para a página 5) Perguntaram a John Wesley porque razão ele pregava várias vezes, acerca de devem nascer de novo. Ele respondeu, porque vocês devem nascer de novo! Já

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15

KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15 KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15 A mentira não agrada a Deus Principio: Quando mentimos servimos o Diabo o Pai da mentira. Versículo: O caminho para vida é de quem guarda o ensino, mas o que abandona

Leia mais

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 1 1. Objetivos: Ensinar que quando Moisés aproximou-se de Deus, os israelitas estavam com medo. Ensinar que hoje em dia, por causa de Jesus, podemos nos sentir perto de Deus

Leia mais

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Bíblia para crianças apresenta O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: E. Frischbutter; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

DAVI, O REI (PARTE 1)

DAVI, O REI (PARTE 1) Bíblia para crianças apresenta DAVI, O REI (PARTE 1) Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Eclipse e outros fenômenos

Eclipse e outros fenômenos Eclipse e outros fenômenos Oficina de CNII/EF Presencial e EAD Todos os dias vários fenômenos ocorrem ao nosso redor, muito próximo de nós. Alguns são tão corriqueiros que nem percebemos sua ocorrência.

Leia mais

Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos

Naquela ocasião Jesus disse: Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei. Deuteronômio 29.29 Naquela ocasião

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS

SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS Bíblia para crianças apresenta SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Lyn Doerksen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia

Leia mais

Histórias Divertidas De Animais

Histórias Divertidas De Animais Histórias Divertidas De Animais Para ler e pintar Helena Akiko Kuno Histórias Divertidas De Animais 1ª. Edição São Paulo - 2013 Copyright@2013 by Helena Akiko Kuno Projeto gráfico Sheila Ferreira Kuno

Leia mais

Mostra Cultural 2015

Mostra Cultural 2015 Mostra Cultural 2015 Colégio Marista João Paulo II Eu e as redes sociais #embuscadealgumascurtidas Uma reflexão sobre a legitimação do eu através das redes sociais. Iago Faria e Julio César V. Autores:

Leia mais

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para a questão 1. (Disponível em: )

Leia mais

Para colocar a vida em ordem é preciso primeiro cuidar do coração. O coração é a dimensão mais interior da nossa existência

Para colocar a vida em ordem é preciso primeiro cuidar do coração. O coração é a dimensão mais interior da nossa existência Para colocar a vida em ordem é preciso primeiro cuidar do coração O coração é a dimensão mais interior da nossa existência Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes

Leia mais

O NASCIMENTO DO SALVADOR

O NASCIMENTO DO SALVADOR Mensagem pregada pelo Pr Luciano R. Peterlevitz no culto de natal na Igreja Batista Novo Coração, em 20 de dezembro de 2015. Evangelho de Lucas 2.8-20: 8 Havia pastores que estavam nos campos próximos

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI Bíblia para crianças apresenta O SÁBIO REI SALOMÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A.

Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A. Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A. Portugal ISBN 9789892311340 Reservados todos os direitos Edições

Leia mais

Cinco ensinamentos da Páscoa para nossa vida pessoal

Cinco ensinamentos da Páscoa para nossa vida pessoal Cinco ensinamentos da Páscoa para nossa vida pessoal Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 12 de abril de 2009 igrejabatistaagape.org.br Cinco ensinamentos da Páscoa para nossa vida pessoal. A celebração

Leia mais

Índice Geral. Índice de Autores

Índice Geral. Índice de Autores Victor Fernandes 1 Índice Geral A perua-galinha 3 A vida de um porco chamado Ricky 4 Um burro chamado Burro 5 O atrevido 6 O Burro que abandonou a família por causa de uma rã 7 A burra Alfazema 8 Índice

Leia mais

SEU NOME SERÁ CHAMADO DE "EMANUEL"

SEU NOME SERÁ CHAMADO DE EMANUEL Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Isaías 7.14 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10 PÁGINA 1 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Só Deus é bom! do jovem rico

Só Deus é bom! do jovem rico Só Deus é bom! As memórias do jovem rico Carlos Mesters Só Deus é bom! As memórias do jovem rico Direção editorial: Claudiano Avelino dos Santos Assistente editorial: Jacqueline Mendes Fontes Revisão:

Leia mais

Acostumando-se com os Milagres

Acostumando-se com os Milagres Acostumando-se com os Milagres Ap. Ozenir Correia 1. VOCÊ NÃO PERCEBE O TAMANHO DO MILAGRE. Enxame de moscas Naquele dia, separarei a terra de Gósen, em que habita o meu povo, para que nela não haja enxames

Leia mais

Ima. Sempre. em Frente. Eric Peleias

Ima. Sempre. em Frente. Eric Peleias Ima Sempre em Frente Eric Peleias Baseado em uma história real CAPÍTULO 1 LETÔNIA, DÉCADA DE 1940. 8 PODEM PARAR DE CAVAR! QUERO TODOS ENFILEIRADOS! O QUE ESTÃO ESPERANDO? ENFILEIRADOS, ANDEM LOGO! MUITO

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 11 por

Leia mais

Recomendação Inicial

Recomendação Inicial Recomendação Inicial Este estudo tem a ver com a primeira família da Terra, e que lições nós podemos tirar disto. Todos nós temos uma relação familiar, e todos pertencemos a uma família. E isto é o ponto

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

chuva forte suas filhas não estavam em casa, decidiram chamar moradores vizinhos a ajudar a encontrá-las. Procuraram em cada casa, loja e beco que

chuva forte suas filhas não estavam em casa, decidiram chamar moradores vizinhos a ajudar a encontrá-las. Procuraram em cada casa, loja e beco que As Três Amigas Em 1970, em uma cidade pequena e calma, havia três amigas muito felizes, jovens e bonitas. O povo da cidade as conhecia como um trio de meninas que não se desgrudavam, na escola só tiravam

Leia mais

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia O livro Vanderney Lopes da Gama 1 Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia enfurnado em seu apartamento moderno na zona sul do Rio de Janeiro em busca de criar ou

Leia mais

Nos passos de santa teresinha do menino jesus

Nos passos de santa teresinha do menino jesus Nos passos de santa teresinha do menino jesus Coleção Nos passos dos SANTOS Nos passos de Santo Antônio, Luiz Alexandre Solano Rossi Nos passos de Santa Rita de Cássia, Luiz Alexandre Solano Rossi Nos

Leia mais

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." 2-Meditação da semana:

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também. 2-Meditação da semana: 10º Plano de aula 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." Provérbio Turco 2-Meditação da semana: Mestre conselheiro- 6:14 3-História da semana: AS três peneiras

Leia mais

Narrador Era uma vez um livro de contos de fadas que vivia na biblioteca de uma escola. Chamava-se Sésamo e o e o seu maior desejo era conseguir contar todas as suas histórias até ao fim, porque já ninguém

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

pensamentos para o seu dia a dia

pensamentos para o seu dia a dia pensamentos para o seu dia a dia Israel Belo de Azevedo 1Vida e espiritualidade 1 Adrenalina no tédio O interesse por filmes sobre o fim do mundo pode ser uma forma de dar conteúdo ao tédio. Se a vida

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. Eu quero não parar coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - de consigo.o usar que eu drogas f o? aç e Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

Tesouro em vaso de barro. Quando o natural é visitado pelo sobrenatural

Tesouro em vaso de barro. Quando o natural é visitado pelo sobrenatural Tesouro em vaso de barro Quando o natural é visitado pelo sobrenatural Consagração Enchendo o vaso com o tesouro - parte 2 Jz. 14 Sansão desceu até a cidade de Timna e ali viu uma moça filisteia. Voltou

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

Deus: Origem e Destino Atos 17:19-25

Deus: Origem e Destino Atos 17:19-25 1 Deus: Origem e Destino Atos 17:19-25 Domingo, 7 de setembro de 2014 19 Então o levaram a uma reunião do Areópago, onde lhe perguntaram: "Podemos saber que novo ensino é esse que você está anunciando?

Leia mais

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 1 Sumário Prefácio...3 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera Ministério de Grupos Pequenos Março

Leia mais

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock ABCEducatio entrevista Sílvio Bock Escolher uma profissão é fazer um projeto de futuro A entrada do segundo semestre sempre é marcada por uma grande preocupação para todos os alunos que estão terminando

Leia mais

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53 Rio de Janeiro Sumário Para início de conversa 9 Família, a Cia. Ltda. 13 Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35 Cardápio de lembranças 53 O que o homem não vê, a mulher sente 75 Relacionamentos: as Cias.

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Por que você trabalha?

Por que você trabalha? Adriano Lúcio Por que você trabalha? 1ª Edição Rio de Janeiro - RJ 2013 2013 Abrindo Página Editora www.abrindopagina.com Todos os direitos reservados. por que você trabalha? Capa e Diagramação Rosalis

Leia mais

Pastora Gabriela Pache de Fiúza

Pastora Gabriela Pache de Fiúza Sementinha Kids Ministério Boa Semente Igreja em células SERIE: AS PARÁBOLAS DE JESUS Lição 8: A ovelha perdida Principio da lição: Não importa onde você está. Deus sempre vai ao seu encontro. Base bíblica:

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida, e (habitarei) à casa do Senhor enquanto eu viver. (Salmo 23.

Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida, e (habitarei) à casa do Senhor enquanto eu viver. (Salmo 23. Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida, e (habitarei) à casa do Senhor enquanto eu viver. (Salmo 23.6) Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos As colinas do outro lado do vale eram longas e brancas. Deste lado, não havia sombra nem árvores e a estação ficava entre duas linhas de trilhos sob o sol.

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão Se m e s t re A r ua de José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão Se m e s t re A r ua de José Ricardo Moreira 2- Literatura, Leitura e Reflexão 2- ano o Se m e s t re A r ua de s o n s o d o t José Ricardo Moreira PEI_LLR_2ano_2S_H1.indb 1 12/06/2012 18:18:06 Capítulo 1 A sua rua tem calçada? A minha tem! A sua

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

Apocalipse. Contexto:

Apocalipse. Contexto: Apocalipse Contexto: Última década do Século I Imperador Domiciano Culto ao Imperador Perseguição imperial Igreja de mártires João é o último apóstolo vivo João, o último apóstolo vivo, exilado na ilha

Leia mais

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento.

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento. 10 Maneiras de se Casar com a Pessoa Errada O amor cego não é uma forma de escolher um parceiro. Veja algumas ferramentas práticas para manter os seus olhos bem abertos. por Rabino Dov Heller, Mestre em

Leia mais

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1 CELIORHEIS Página 1 A Abduzida um romance que pretende trazer algumas mensagens Mensagens estas que estarão ora explícitas ora implícitas, dependendo da ótica do leitor e do contexto em que ela se apresentar.

Leia mais

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus.

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. JÓ Lição 05 1 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. 2. Lição Bíblica: Jô 1 a 42 (Base bíblica para a história e o professor)

Leia mais

Homocistinúria Clássica

Homocistinúria Clássica Homocistinúria Clássica Texto: Ida Vanessa D. Schwartz Ilustrações: Matheus Wilke Serviço de Genética Médica/HCPA, Departamento de Genética /UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil Esta publicação é destinada

Leia mais

O que fazer em meio às turbulências

O que fazer em meio às turbulências O que fazer em meio às turbulências VERSÍCULO BÍBLICO Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças assistirão a um programa de auditório chamado Geração

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui.

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui. Em 22 de maio de 2014 eu, Rebeca Campos Ferreira, Perita em Antropologia do Ministério Público Federal, estive na Penitenciária de Médio Porte Pandinha, em Porto Velho RO, com os indígenas Gilson Tenharim,

Leia mais

O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO

O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO Em princípio, sou contra a existência dos zoológicos. O melhor lugar para os animais estarem é na natureza, livres e soltos. Mas os Zoos existem e precisamos

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE?

POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE? POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE? Rafael chegou em casa um tanto cabisbaixo... Na verdade, estava muito pensativo. No dia anterior tinha ido dormir na casa de Pedro, seu grande amigo, e ficou com a cabeça

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Carnaval 2014 A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Nesta noite vamos fazer uma viagem! Vamos voltar a um tempo que nos fez e ainda nos faz feliz, porque afinal como

Leia mais

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA TEXTO: 1 SAMUEL CAPITULO 3 HOJE NÃO É SOBRE SAMUEL QUE VAMOS CONHECER, SABEMOS QUE SAMUEL foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. Ele foi comissionado para ungir asaul, o primeiro rei, e a David,

Leia mais