Número: / Unidade Examinada: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará/CE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Número: 00206.000142/2008-26 Unidade Examinada: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará/CE"

Transcrição

1 Número: / Unidade Examinada: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará/CE

2 Relatório de Demandas Externas n / Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle desenvolvidas pela Controladoria-Geral da União (CGU) no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, cujos trabalhos foram realizados nos períodos de 17/01 a 03/02/2012 e 08/02 a 13/03/2012. Foi analisada a atualização de quintos/décimos detectados na gestão da Universidade Federal do Ceará. Assim como, a existência de decisão judicial que ampare o descumprimento dos pareceres da Procuradoria Federal. O Relatório em questão apresenta os resultados dos trabalhos de fiscalização desenvolvidos durante o acompanhamento do cumprimento dos pareceres da Procuradoria Federal pela Gerência de Recursos Humanos do IFCE, especificamente no que concerne à atualização de quintos/décimos de seus servidores, bem como ações realizadas pelo IFCE para atendimento às determinações emanadas da Procuradoria Federal. Ministério da Educação Programa: Desenvolvimento da Educação Profissional e Tecnológica Ação: Funcionamento da Educação Profissional Irregularidade no pagamento de VPNI decorrente da incorporação de Função Comissionada FC e descumprimento de força executória originária da Procuradoria Federal. Principais Recomendações Este Relatório é destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, para a adoção de providências quanto às situações evidenciadas, especialmente, para a adoção de medidas preventivas e corretivas, visando à melhoria da execução dos Programas de Governo. Foram feitas recomendações no sentido de que o IFCE solicite ao MPOG manifestação sobre o RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE) e Mandado de Segurança nº Campus Fortaleza, especificamente no que concerne à inclusão da GED - Gratificação de Estímulo à Docência - GED nas parcelas que compõem a FC Função Comissionada, a fim de respaldar a forma de pagamento efetuada dos quintos/décimos no âmbito da referida sentença. Atender a determinação emitida pela 5ª Vara Federal, bem como as orientações emanadas pela Procuradoria Federal no Estado do Ceará, no âmbito do Mandado de Segurança nº , atualizando os pagamentos efetuados a título de quinto/décimos até 08.04/1998 e procedendo às devidas retificações.

3 1 de 14 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE DEMANDAS EXTERNAS Número: /

4 2 de 14 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. DAS SITUAÇÕES VERIFICADAS 2.1 MINISTERIO DA EDUCACAO Programa: Desenvolvimento da Educação Profissional e Tecnológica Ação: Funcionamento da Educação Profissional 3. CONCLUSÃO

5 3 de INTRODUÇÃO Os trabalhos foram realizados junto à Unidade Examinada, em estrita observância às normas de fiscalização aplicáveis ao Serviço Público Federal. Entretanto, os exames foram realizados em duas etapas, uma vez que as ações judiciais referentes aos servidores lotados no Campus Crato e Iguatu foram disponibilizados somente um mês após sua solicitação. Para subsídio à realização dos trabalhos, foram empreendidas as seguintes ações prévias: - levantamento das informações financeiras atualizadas junto ao Sistema SIAPE, referentes aos servidores do IFCE que percebem quintos/décimos decorrentes da Portaria MEC nº 474/87, resguardados; e - solicitação de informações atualizadas junto à Procuradoria do IFCE, conforme Of. nº 1.712/2012 /NAC-1/CGU-Regional/CE, de 20/01/2012, respondido mediante ofício nº 002/2012-AGU/PF /CE/IFCE, de 03/02/2012. As seguintes ações de fiscalização foram desenvolvidas pela equipe ao longo dos trabalhos de campo: - análise das fichas financeiras dos servidores beneficiados com a Port. nº 474/87, no período de 1998 a 2011; - consulta e análise dos pareceres originários da Procuradoria Federal no Estado do Ceará, bem como decisões judiciais sobre o assunto, em favor dos servidores do IFCE; e - cotejamento entre os valores pagos aos servidores em decorrência das decisões e pareceres retromencionados. O presente trabalho foi realizado nos períodos de 17/01 a 03/02/2012 e 08/02 a 13/03/2012, com análise documental e verificações in loco nos períodos de 23 a 27/1/2012 e 08/02 a 02/03/2012. A execução foi procedida mediante exame da documentação disponibilizada pela Secretaria Federal de Controle Interno e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará IFCE. Acrescente-se que este Relatório apresenta os resultados de ação de controle demandada pela Advocacia Geral da União AGU, conforme Ordem de Serviço nº , realizada no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará IFCE. A referida ordem de serviço refere-se à solicitação de acompanhamento do cumprimento dos pareceres da Procuradoria Federal pela Gerência de Recursos Humanos do IFCE, especificamente no que concerne à atualização de quintos/décimos de seus servidores, bem como ações realizadas pelo IFCE para atendimento às determinações emanadas da Procuradoria Federal. Dessa forma, a OS solicita que sejam verificadas as seguintes ações: - ocorrência de problemas de atualização de quintos/décimos detectados na gestão da Universidade Federal do Ceará nos Relatórios nº (Acompanhamento da Gestão 2004), (Auditoria Anual de Contas 2004), (Auditoria Anual de Contas 2005) e (Auditoria Anual de Contas 2006) semelhantes no IFCE; - conversão dos quintos/décimos decorrentes das portarias MEC nº 474/87 e Lei nº em VPNI após 11/11/1997; - se o IFCE já se absteve de alterar os quintos/décimos e se os mesmos continuam sendo atualizados na forma da Portaria nº 474/87; - atualização dessas parcelas apenas em consonância com os reajustes gerais dos servidores públicos; e

6 4 de 14 - existência de decisão judicial que ampare o descumprimento dos pareceres da Procuradoria Federal. Os resultados pormenorizados dos trabalhos realizados, organizados por órgão superior e por programa/ação de governo, estão apresentados no item 2, onde estão relatadas as constatações relacionadas às situações contidas nas demandas apresentadas. 2. DAS SITUAÇÕES VERIFICADAS A seguir apresentamos as constatações relacionadas às situações que foram examinadas, agrupadas por Programa/Ação, e vinculadas aos respectivos órgãos superiores. 2.1 MINISTERIO DA EDUCACAO Programa: Desenvolvimento da Educação Profissional e Tecnológica Ação: Funcionamento da Educação Profissional Objeto Examinado: GARANTIR A MANUTENÇÃO E CUSTEIO DAS INSTITUIÇÕES DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, VISANDO ASSEGURAR O DESEMPENHO DA SUA FINALIDA- DE PRECÍPUA, PROPORCIONANDO MELHOR APROVEITAMENTO DO ALUNO E MELHORIA CONTÍNUA DO ENSINO. Agente Executor Local: Montante de Recursos Financeiros Aplicados: CENTRO FEDERAL DE EDUCACAO TECNOL. DO CEARA R$ 0,00 Ordem de Serviço: Forma de Transferência: Não se Aplica Situação Verificada Consta do Processo nº / informações sobre situações inadequadas no pagamento de incorporações de quintos/décimos decorrentes de Funções Comissionadas FC's, fixadas de acordo com a Portaria MEC nº 474, de 26/08/87, no âmbito dos servidores do IFCE, especialmente no que concerne ao cumprimento das orientações da Procuradoria Federal pelo Setor de Recursos Humanos. CONSTATAÇÃO Irregularidade no pagamento de VPNI decorrente da incorporação de Função Comissionada FC e descumprimento de força executória originária da Procuradoria Federal.

7 5 de 14 a) Fato: Tratam-se de demandas judiciais nas quais servidores públicos federais das antigas instituições CEFET, Escola Agrotécnica Federal de Iguatu e Escola Agrotécnica Federal do Crato, atualmente IFCE, pleitearam a abstenção, por parte da autoridade coatora, de efetuar qualquer tipo de exclusão ou redução de valores a título de quintos/décimos, decorrentes de Funções de Confiança FC s, incorporadas sob a égide da Portaria nº MEC 474/87. Sobre o assunto, destaque-se que o Supremo Tribunal Federal STF, no Recurso Extraordinário - RE , já firmou entendimento no sentido de que quintos incorporados durante a vigência da Lei nº 7.596/87, em decorrência de Funções Comissionadas e Gratificadas estabelecidas pela Portaria MEC nº 474/87, constituem direito adquirido, não estando sujeitos à redução perpetrada pela Lei n 8.168/91. Atualmente o IFCE encontra-se realizando o pagamento das sentenças judiciais a seguir, descritas de acordo as especificidades verificadas em cada uma. RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE) e Mandado de Segurança nº Campus Fortaleza Trata-se de Mandado do Segurança nº , oriundo da 10ª Vara Federal no Ceará, impetrado por servidores do IFCE, contra ato do Diretor Geral, a fim de que a autoridade coatora se abstenha de efetuar qualquer redução em seus proventos/vencimentos a título de quintos, em decorrência da transformação das Funções Comissionadas - FC em Cargos de Direção CD, sob o argumento de considerar inválida a Portaria nº 474/87. Após concedida a segurança, foi confirmado, em sede de recurso especial, o teor do Acórdão do Tribunal Regional Federal - TRF. Posteriormente, o Superior Tribunal de Justiça STJ julgou o RESP nº /CE, dando provimento ao recurso especial movido pelos interessados. Considerando que a representação judicial, consultoria e assessoramento jurídico de Autarquias e Fundações compete à Procuradoria-Geral Federal, no caso específico, à Procuradoria Federal no Estado do Ceará, foi emitido, em 12/02/2008, o Parecer s/nº AGU/PGF/PF/CE, originário da Procuradoria Federal no Estado do Ceará, contendo orientações quanto ao Acórdão proferido pelo STJ nos autos do RESP nº /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE): 17. Ou seja, o que o CEFET/CE deve fazer é manter o regime de incorporação de quintos/décimos até , e a partir, seguir o que dispõem referidos diplomas, transformando a parcela até aí incorporada em VPNI, sujeita aos reajustes gerais do funcionalismo, e atualizá-la, por tais critérios, até a presente data. Não há, portanto, direito a regime jurídico, nem a manter o regime de incorporação/atualização de quintos/décimos após , salvo se houver alguma outra decisão judicial expressa nesse sentido em benefício de algum dos impetrantes. 18. Para retificar a forma pela qual a vantagem em tela vem sendo paga, o Recursos Humanos do CEFET/CE deverá abrir um processo administrativo para cada servidor, com cópia desta manifestação e das decisões anexas e calcular o valor da VPNI na forma dos itens 15 a 17, atualizando-se até hoje pelos índices gerais de reajuste do funcionalismo. 19. Antes de retificar o valor pago aos impetrantes, em homenagem ao princípio da ampla defesa e do contraditório, devem eles ser notificados, recebendo cópia desta manifestação, para tomarem ciência do novo valor que passarão a perceber e oferecer, no prazo de 10 (dez) dias as razões que acaso tiverem. NÃO SE DEVE RATIFICAR DE IMEDIATO O VALOR RECEBIDO PELOS IMPETRANTES, MAS NOTIFICÁ-LOS INICIALMENTE.

8 6 de 14 Após a devida notificação e diante da possibilidade de redução de vencimentos, os interessados impetraram o Mandado de Segurança nº junto à 7ª VF/CE, para o qual foi deferido em 12/06/2008, parcialmente, pedido de liminar, contendo os seguintes termos: Ex positis, DEFIRO, PARCIALMENTE, o pedido liminar, inaudita altera pars, no sentido de compelir a autoridade impetrada a se abster de proceder a alterações nas remunerações/proventos /pensões dos impetrantes diversas das que restam autorizadas e de acordo com teor deste decisium, ou seja, a fim de que toda e qualquer alteração nos valores referentes às incorporações de FC`s, decorrentes da discussão que fora travada em torno da Lei nº 7.596/87 e da Portaria nº 474/87-MEC nos autos do mandado de segurança nº susomencionado, seja no estrito intuito de aplicar a elas (parcelas incorporadas) os mesmo reajustes incidentes sobre as respectivas FC`s que as (incorporações) originaram até a data de 04/09/2001, inclusive, e, a partir de então, ao convertê-las em VPNI`s, com fulcro no art. 62-A da MP nº , de 04/09/2001, submetê-las, exclusivamente, às revisões gerais das remunerações dos servidores públicos federais. Após a medida liminar concedida nos autos do Mandado de Segurança nº , a Procuradoria Federal no Estado do Ceará emitiu, em 20/06/2008, o Parecer s/nº AGU/PGF/PF/CE, contendo orientações sobre o assunto. De acordo com o item 10 do referido parecer, verifica-se: 10. Ou seja, o que o IFCE deve fazer é manter o regime de incorporação de quintos/décimos até , e a partir daí transformar a parcela incorporada em VPNI, sujeita aos reajustes gerais do funcionalismo, e atualizá-la, por tais critérios, até a presente data. " A partir de julho/08, em atendimento à decisão judicial e ao parecer da Procuradoria Federal do Ceará, o IFCE retificou o pagamento dessas incorporações, cujos valores passaram a corresponder ao de Professor Titular da Carreira de Magistério Superior, em regime de Dedicação Exclusiva com Doutorado, conforme a Tabela de Vencimentos vigente no mês de setembro/2001. Dessa forma, após a medida liminar concedida nos autos do Mandado de Segurança nº , no sentido de atualizar as parcelas incorporadas até 04/09/2001, foram realizadas as devidas notificações aos servidores impetrantes e procedida a retificação de valores nas respectivas fichas financeiras, a seguir demonstradas: Rubrica Decisão Judicial Transitada em Julgado (Aposentados) Rubrica Decisão Judicial Transitada em Julgado (Ativos) Matrícula Incorporação Valor em jun/2008 Valor em Jul/2008 Valor em Jan/ /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC ,69 853,84 853,84

9 7 de /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , , /5 FC , , ,02 Deve-se ressaltar que tais valores estão sendo pagos na rubrica correspondente a Decisão Judicial Transitada em Julgado, com tratamento correspondente ao de Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada - VPNI, sujeita apenas às revisões gerais das remunerações dos servidores públicos federais, em consonância com as orientações procedentes da Procuradoria Federal no Estado do Ceará. Ressalte-se, que no caso dos servidores beneficiados com o Mandado de Segurança nº RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE) e Mandado de

10 8 de 14 Segurança nº , as parcelas que compõem as referidas Funções Comissionadas, além do vencimento básico de Professor Titular em regime de Dedicação Exclusiva com Doutorado e da Gratificação de Atividade Executiva GAE, foi inserida a Gratificação de Estímulo à Docência - GED, criada pela Lei nº 9.678, de 03/07/98. Quanto à inclusão da GED na base de cálculo, ressalte-se que tal assunto foi questionado conforme item 9 de documento datado de 15/02/2011, que trata da análise do Relatório de Auditoria Especial nº 06/2009, da Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que teve por objeto a identificação, esclarecimento e correção dos pagamentos irregulares de incorporação de quintos/décimos de FC, nos seguintes termos: assim, a exceção de decisão judicial dispondo em contrário, esta equipe de auditoria entende, salvo melhor juízo, que é indevida a inserção, nas parcelas que compõem a FC, da Gratificação de Estímulo à Docência - GED, originária da Lei nº 9.678, datada de 03 de julho de Tal posicionamento se deve, também, ao fato de que a GED passou a ser concedida posteriormente a extinção tácita das FC s pela Lei nº 8.168/91. Ainda de acordo com o referido documento, a análise das impropriedades e irregularidades solicitadas no citado relatório deve se limitar inicialmente, no âmbito da Instituição e da Auditoria de Recursos Humanos, para que somente depois de esgotadas as possíveis divergências ou dúvidas sejam desencadeadas as ações para regularização das situações encontradas. Esclarece ainda que é imperativo que as ações a serem desencadeadas junto aos servidores envolvidos, apenas deverão ocorrer após orientação daquela Auditoria prevista para meados de abril/2011, posterior à tentativa de pacificação do assunto envolvendo o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - MP, Ministério da Educação MEC, Tribunal de Contas da União TCU, Controladoria-Geral da União-CGU e Advocacia-Geral da União-AGU. Por meio do Ofício nº 363 AUDIR/SRH/MP, de 27/04/2011, a Auditoria de Recursos Humanos/SRH/MP informou ao IFCE que prorrogou para meados de junho, o prazo para a implementação das ações junto aos servidores envolvidos, haja vista que o encontro entre os órgãos supracitados ainda não havia ocorrido. Questionados sobre o assunto, o IFCE informou que até a presente data não houve manifestação, por parte daquele órgão, quanto às ações a serem adotadas. Mandado de Segurança nº e Mandado de Segurança nº Campus Iguatu Trata-se de Mandado de Segurança nº , impetrado pelos servidores da antiga Escola Agrotécnica Federal de Iguatu, no qual pleiteiam a abstenção, por parte da autoridade coatora, de efetuar qualquer exclusão ou redução de valores pagos a título de quintos/décimos de Funções de Confiança FC`s e Funções Gratificadas FG`s, incorporadas sob a égide da Portaria MEC n 474/87 e Decreto n /87. Em 14/04/2000, em sentença prolatada pelo juízo da 5ª Vara Federal nos autos do Processo nº , verifica-se:...concedo a segurança nos moldes do pedido, confirmando a liminar concedida para assegurar aos impetrantes a percepção das vantagens mencionadas na inicial. Abstenha-se o impetrado de praticar qualquer ato incompatível com o aqui definido Em 11/11/2008, mediante Parecer AGU/PGF/PF/CE, originário da Procuradoria Federal no Estado do Ceará, foi emitida orientação quanto ao cumprimento da referida decisão judicial, contendo os seguintes termos:

11 9 de 14 "17. Ou seja, o que o CEFET/CE deve fazer é manter o regime de incorporação de quintos/décimos até , e a partir, seguir o que dispõem referidos diplomas, transformando a parcela até aí incorporada em VPNI, sujeita aos reajustes gerais do funcionalismo, e atualizá-la, por tais critérios, até a presente data. Não há, portanto, direito a regime jurídico, nem a manter o regime de incorporação/atualização de quintos/décimos após , salvo se houver alguma outra decisão judicial expressa nesse sentido em benefício de algum dos impetrantes. Para retificar a forma pela qual a vantagem em tela vem sendo paga, o Recursos Humanos do CEFET/CE deverá abrir um processo administrativo para cada servidor, com cópia desta manifestação e das decisões anexas e calcular o valor da VPNI na forma dos itens 15 a 17, atualizando-se até hoje pelos índices gerais de reajuste do funcionalismo. Antes de retificar o valor pago aos impetrantes, em homenagem ao princípio da ampla defesa e do contraditório, devem eles ser notificados, recebendo cópia desta manifestação, para tomarem ciência do novo valor que passarão a perceber e oferecer, no prazo de 10 (dez) dias as razões que acaso tiverem. NÃO SE DEVE RATIFICAR DE IMEDIATO O VALOR RECEBIDO PELOS IMPETRANTES, MAS NOTIFICÁ-LOS INICIALMENTE. Em 26/11/2008, o CEFET informou à Procuradoria Federal no Estado do Ceará, que a instituição estava cumprindo a sentença apenas em relação ao servidor de matrícula 47327, uma vez que somente este pertencia ao quadro permanente do CEFET. A informação tem procedência, uma vez que à época, os demais servidores da ação faziam parte do quadro de servidores da antiga Escola Agrotécnica Federal de Iguatu. Contudo, em Jan/2010, tais servidores passaram a integrar o quadro de pessoal do IFCE, ao qual caberia, a partir de então, o conhecimento de todas as ações judiciais a eles vinculadas e respectivo cumprimento das orientações emanadas da Procuradoria Federal no Ceará. Quanto à notificação à antiga Escola Agrotécnica Federal de Iguatu, verifica-se que a mesma foi realizada pela Procuradoria Federal do Estado do Ceará, mediante Memo. AGU/PGF/PF/CE nº 438/2005 e 457/2005, conforme informações constantes do item 8 do Parecer AGU/PGF/PF/CE. Em análise às fichas financeiras dos servidores constantes da ação, verifica-se que os valores pagos a título de quintos de FC s em abr/98, foram atualizados até Jul/2006, conforme abaixo demonstrado, contrariando as orientações constantes do Parecer AGU/PGF/PF/CE, de 11/11/1998, segundo o qual o regime de incorporação de quintos deveria se manter até abr/98 e a partir, ser transformado em VPNI, sujeito aos reajustes gerais do funcionalismo público. Tal situação evidencia o descumprimento do referido parecer pela antiga Escola Agrotécnica Federal de Iguatu, bem como pelo IFCE, que apesar de realizar os pagamentos somente a partir de Jan/2010, já detinha conhecimento anterior do assunto. Rubrica Decisão Judicial Não Transitada em Julgado (Ativos) Rubrica Decisão Judicial Não Transitada em Julgado (Aposentados) Matrícula Incorporação Valor em abr/98 Valor em Jul/2006 Valor em Jan/2012 Pagamento indevido /5 FC , , , , /5 FC , , , ,73

12 10 de /5 FC , , , , /5 FC , , , , /5 FC , , , , /5 FC , , , ,42 A força executória expedida pela Procuradoria Federal no Estado do Ceará para a sentença judicial de nº , orienta que a instituição mantenha o regime de incorporação de quintos/décimos até , no entanto, após análise das fichas financeiras dos impetrantes, verifica-se que os mesmos estão recebendo referida parcela com valores atualizados até jul/2006, contrariando as orientações emanadas daquela procuradoria. Quanto à atualização de quintos/décimos decorrentes de FC s, transcreve-se, por oportuno, o item 13, do Memo. AGU/PGF /PF/CE nº 457/2005, de 4/10/2005: 13. Passemos, agora, à análise da questão central: atualização das vantagens pessoais decorrentes de quintos/décimos, com base nas funções de confiança FC, instituídas pela Portaria MEC nº 474/87. ALERTE-SE, DESDE JÁ, QUE A CONCESSÃO JUDICIAL DE QUINTOS/DÉCIMOS CUJA INCORPORAÇÃO DECORREU DO EXERCÍCIO DE FUNÇÕES, OU O RECONHECIMENTO JUDICIAL DA LEGITIMIDADE DESSA INCORPORAÇÃO NÃO SE CONFUNDE COM A PERPETUIDADE NA FORMA DE ATULIZAÇÃO DESTA PARCELAS. É DIZER: UMA COISA É O RECONHECIMENTO, ADMINISTRATIVO OU JUDICIAL, DA INCORPORAÇÃO DE QUINTOS/DÉCIMOS DE FUNÇÕES (1º MOMENTO); OUTRA COISA É A FORMA DE ATUALIZAÇÃO DA PARCELA INCORPORADA (2º MOMENTO). No que concerne ao servidor FNA, matrícula nº 47327, após a devida notificação, o impetrante ajuizou o Mandado de Segurança nº junto à 8ª Vara Federal da 5ª região, para o que foi concedido: Diante do que foi exposto, concedo parcialmente a segurança para o efeito de determinar à Autoridade Coatora e ao IFETCE que se abstenham de proceder qualquer tipo de revisão e alteração dos vencimentos e proventos do Impetrante relativamente a período anterior a agosto de 2003, em face da incidência, podendo, após a referida data, revisá-los e alterá-los com o fim de adequá-los as Leis nºs 9.527/97 e Posteriormente, em decisão dos Embargos de Declaração emitida em 15/06/2011, referente ao referido mandado de segurança, verifica-se os seguintes termos: Diante do que foi exposto, concedo parcialmente a segurança para o efeito de determinar à Autoridade Coatora e ao IFETCE que se abstenham de proceder qualquer tipo de revisão e alteração dos vencimentos e proventos do Impetrante relativamente ao período anterior a novembro de 2003, em face da incidência da decadência, podendo, após a referida data, revisá-los e alterá-los com o fim de adequá-los às Leis nºs 9.527/97 e 9.624/98. Em 1º/08/2011, a Procuradoria Federal no Estado do Ceará emitiu a Nota Técnica nº 2/2001

13 11 de 14 AGU/PGF/PF/CE CRME, contendo manifestação de força executória da decisão dos Embargos de Declaração proferida nos autos do Mandado de Segurança nº , contendo os seguintes termos: 10. Ou seja, para se apurar o valor correto a ser pago ao impetrante a título da VPNI em questão, o IFCE deve proceder da seguinte forma: (i) manter o regime de incorporação de quintos/décimos até novembro/2003; (ii) e, a partir daí, seguir o que dispõe as legislações acima citadas, sujeitando a aludida parcela tão-somente aos reajustes gerais do funcionalismo. Em análise à ficha financeira do servidor de matrícula nº 47327, verifica-se que o IFCE providenciou a atualização de valores, conforme orientação da Procuradoria Federal, retificando, a partir de set/2011 os valores pagos a título de incorporação de FC s em consonância com o valor pago em nov/2003. Rubrica Sentença Judicial Não Transitada em Julgado (Ativo) Matrícula Incorporação Valor em Nov/2003 Valor em Ago/2011 Valor em Set/ /5 FC , , ,99 Diante do exposto, verifica-se que o IFCE está cumprindo as orientações da Procuradoria Federal no Estado do Ceará, especificamente no que concerne à ação judicial de nº , porém não o está fazendo em relação às orientações expedidas para a sentença judicial de nº Mandado de Segurança nº Campus Crato Os servidores G.L.P.M, matrícula nº e S.P.C, matrícula nº impetraram Mandado de Segurança nº contra o Diretor da antiga Escola Agrotécnica Federal do Crato, atualmente IFCE, Campus Crato, para que a autoridade coatora se abstivesse de descontar os valores referentes às parcelas da gratificação FC-7 incorporadas aos seus proventos. Em 16/1/2003, foi concedida pelo Juiz Federal substituto da 6ª VF a segurança nos seguintes termos:...concedo a segurança para determinar à autoridade apontada por coatora que adote as providências necessárias à manutenção das parcelas relativas à incorporação da FC-7 a que fizeram jus as impetrantes e que integram seus proventos. Em análise aos documentos apresentados à Equipe de Auditoria, não foi identificado força executória emitida pela Procuradoria Federal no Estado do Ceará para o Mandado de Segurança nº , sendo emitido àquele órgão em 13/02/2012, o Of. nº 4.103/2012/NAC-1 /CGU-Regional/CE, para o qual, foi encaminhado o Of. nº 617/2012, de 7/8/2012, informando que "não fora encontrado parecer jurídico relativo a força executória relativa a decisão no Mandado de Segurança nº ". Contudo, em análise às fichas financeiras dos contemplados com o referido Mandado de Segurança, verifica-se que o IFCE manteve o regime de incorporação de quintos até , em consonância com orientações emitidas pela Procuradoria em assuntos semelhantes, submetendo as parcelas incorporadas aos reajustes gerais do funcionalismo público.

14 12 de 14 b) Manifestação da Unidade Examinada: Por meio do Of. nº 277/GR, de 23/7/2012, o IFCE apresentou a seguinte manifestação: "a) MS (Campus Fortaleza) Manifestanmo-nos pela ratificação da informação anteriormente prestada, ou seja, continuamos aguardando as orientações que serão emanadas pela AUDIR/SRH/MPOG, quanto à matéria, ou qualquer decisão judicial que venha a alterar o presente mandatum. Certo de que recebidas as orientações/decisões serão aplicadas, de pronto, as devidas providências/determinações. b) MS (Campus de Crato) Serão adotadas as devidas providências quando do recebimento da orientação a ser emanada pela AUDIR/SRH/MPOG, em consonância com a decisão judicial em vigor. Certo de que se reveste de grande importância o recebimento por parte da Diretoria de RH, de cópia da manifestação quanto à Força Executória da Ação, documento solicitado pela CGU à AGU, mediante o Of /2012 /NAC-1/CGU-Regional/CE. c) MS e MS (Campus de Iguatu) Instauramos processos individualizados para cumprimento da decisão constante do MS nº , tendo sido encaminhados ao Diretor Geral do Campus de Iguatu, para ciência dos impetrantes das medidas tomadas e apresentação, caso queiram, de defesa administrativa. Processos: (...) AEAO / (...) PHO / (...) EALM / (...) GBM / (...) JGFAM / (...) MCO / ". c) Análise do Controle Interno: RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE) e Mandado de Segurança nº Campus Fortaleza: Em que pese ainda não haver manifestação do MPOG sobre o assunto, ressalte-se que a medida liminar concedida nos autos do Mandado de Segurança nº é no sentido de atualizar as parcelas incorporadas até 04/09/2001 e que, nesta data, a GED já estava inclusa em sua base de cálculo. No entanto, considerando que até então a AUDIR/SRH/MPOG não encaminhou manifestação sobre o assunto, sugere-se que o IFCE solicite ao MPOG manifestação sobre a matéria tratada, a fim de respaldar a forma de pagamento efetuada dos quintos/décimos decorrentes de FC-Função Comissionada no âmbito da referida sentença. Mandado de Segurança nº Campus Iguatu: A força executória expedida pela Procuradoria Federal no Estado do Ceará para a referida sentença judicial orienta que a instituição mantenha o regime de incorporação de quintos/décimos até 08/04/1998, no entanto, os valores dos quintos foram atualizados até jul/2006, contrariando as

15 13 de 14 orientações emanadas pela Procuradoria Federal no Estado do Ceará, bem como a decisão emitida pela 5ª Vara Federal. Saliente-se, por oportuno, que o pagamento a maior da referida sentença, perfaz atualmente um prejuízo mensal de R$ ,22. Apesar da instauração de processos individualizados para os beneficiários da ação, o assunto permanece pendente até a regularização dos valores pagos a título de quinto/décimos em face do Mandado de Segurança nº e sua força executória emitida pela Procuradoria Federal. Mandado de Segurança nº Campus Crato: Em que pese não ter sido encontrado parecer jurídio relativo à força executória do Mandado de Segurança nº , conforme Of. nº 617/ AGU/PF/CE, de 7/8/2012, verifica-se que o IFCE manteve o regime de incorporação de quintos até , em consonância com orientações emitidas pela Procuradoria Federal em sentenças judiciais semelhantes, submentendo as parcelas incorporadas aos reajustes gerais do funcionalismo público. Recomendação : 1 Que o IFCE solicite ao MPOG manifestação sobre o RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE) e Mandado de Segurança nº Campus Fortaleza, especificamente no que concerne à inclusão da GED - Gratificação de Estímulo à Docência - GED nas parcelas que compõem a FC Função Comissionada, a fim de respaldar a forma de pagamento efetuada dos quintos/décimos no âmbito da referida sentença. Recomendação : 2 Atender a determinação emitida pela 5ª Vara Federal, bem como as orientações emanadas pela Procuradoria Federal no Estado do Ceará, no âmbito do Mandado de Segurança nº , atualizando os pagamentos efetuados a título de quinto/décimos até 08.04/1998 e procedendo às devidas retificações. d) Conclusão sobre a situação verificada: Em face dos exames realizados sobre as questões demandadas na ordem de serviço em questão, verificam-se as seguintes considerações: - os problemas de atualização de quintos/décimos detectados na gestão da Universidade Federal do Ceará também ocorreram de forma semelhante no IFCE; - o IFCE já se absteve de alterar os quintos/décimos em consonância com as decisões judiciais RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE), Mandado de Segurança nº , Mandado de Segurança nº e Mandado de Segurança nº não foi identificado força executória originária da Procuradoria Federal no Estado do Ceará para o Mandado de Segurança nº ; - o IFCE não vem cumprindo as orientações emanadas da Procuradoria Federal no Estado do Ceará para o Mandado de Segurança nº ; - referidas parcelas, apesar de não estarem sendo pagas em rubrica específica de VPNI, recebem tratamento como se VPNI fossem, uma vez que a atualização das mesmas ocorre apenas em consonância com os reajustes gerais dos servidores públicos; - não há uniformidade na base de cálculo para os quintos/décimos decorrentes de FC`s no âmbito do IFCE, uma vez que cada sentença judicial determina a irredutibilidade de valores a partir de

16 14 de 14 determinada período, não havendo determinação quanto às parcelas que integram a composição remuneratória dessas funções, e - a fragilidade nos controles internos no Departamento de Administração de Pessoal bem como a não realização de ações de auditoria interna naquele Departamento contribuíram para as impropriedades apontadas. 3. CONCLUSÃO Diante dos fatos relatados, verifica-se: a) o IFCE está atendendo as decisões judiciais RESP /CE (Processo originário nº ª Vara Federal/CE), Mandado de Segurança nº , Mandado de Segurança nº e Mandado de Segurança nº , pertinentes às incorporações de quintos/décimos decorrentes das Funções Comissionadas FC's, fixadas de acordo com a Portaria MEC nº 474, de 26/08/87, bem como as respectivas orientações originárias da Procuradoria Federal no Estado do Ceará; b) a instituição não está cumprindo as orientações emanadas da Procuradoria Federal para o Mandado de Segurança nº , encontrando-se seus impetrantes percebendo valores indevidos a título de quintos/décimos decorrentes das Funções Comissionadas FC's, conforme demonstrado neste relatório. Fortaleza/CE, 12 de setembro de 2013 Chefe da Controladoria Regional da União no Estado do Ceará

Número: 00190.012047/2013-59 Unidade Examinada: Instituto Benjamin Constant - RJ

Número: 00190.012047/2013-59 Unidade Examinada: Instituto Benjamin Constant - RJ Número: 00190.012047/2013-59 Unidade Examinada: Instituto Benjamin Constant - RJ Relatório de Demandas Externas n 00190.012047/2013-59 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações

Leia mais

Algumas PERGUNTAS e RESPOSTAS:

Algumas PERGUNTAS e RESPOSTAS: Algumas PERGUNTAS e RESPOSTAS: (1) Quem exerceu cargo em comissão (CD) ou função de confiança (FG) antes de 8/ 4/ 1998, mas exerceu cargo em comissão (CD) ou função de confiança (FG) no período 9/ 4/ 1998

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO Unidade Auditada: INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.DO NORTE DE MG Município - UF: Montes Claros - MG Relatório

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2012 PORTARIA CONJUNTA Nº 1, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2012 A SECRETÁRIA DE GESTÃO PÚBLICA E A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO E A CONSULTOR-GERAL DA UNIÃO DA ADVOCACIA-GERAL

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº276/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Exercícios anteriores - revisão de aposentadoria SUMÁRIO EXECUTIVO

NOTA TÉCNICA Nº276/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Exercícios anteriores - revisão de aposentadoria SUMÁRIO EXECUTIVO Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

Número: 00218.001006/2012-09 Unidade Examinada: Universidade Federal Fluminense

Número: 00218.001006/2012-09 Unidade Examinada: Universidade Federal Fluminense Número: 00218.001006/2012-09 Unidade Examinada: Universidade Federal Fluminense Relatório de Demandas Externas n 00218.001006/2012-09 Sumário Executivo Este Relatório apresenta o resultado da ação de controle

Leia mais

Unidade Central de Controle Interno

Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno NOTIFICAÇÃO UCCI N 014/04 ÓRGÃO: Gabinete do Prefeito C/c Secretaria

Leia mais

Medida Provisória nº de de 2008

Medida Provisória nº de de 2008 Medida Provisória nº de de 008 Dispõe sobre a criação da Gratificação de Desempenho de Atividade de Controle Interno e de Apoio Técnico ao Controle Interno no âmbito das Instituições Federais vinculadas

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

Número: 00190.010534/2012-04. Unidade Examinada: Município de Diadema/SP

Número: 00190.010534/2012-04. Unidade Examinada: Município de Diadema/SP Número: 00190.010534/2012-04 Unidade Examinada: Município de Diadema/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.010534/2012-04 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

D E C I S Ã O. Vistos.

D E C I S Ã O. Vistos. D E C I S Ã O Vistos Trata-se de mandado de segurança impetrado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos ECT pretendendo a concessão de liminar nas modalidades initio litis e inaudita altera pars

Leia mais

Número: 00224.000897/2010-27 Unidade Examinada: Município de Belo Horizonte/MG e Associação para Organização e Administração de Eventos, Educação e

Número: 00224.000897/2010-27 Unidade Examinada: Município de Belo Horizonte/MG e Associação para Organização e Administração de Eventos, Educação e Número: 00224.000897/2010-27 Unidade Examinada: Município de Belo Horizonte/MG e Associação para Organização e Administração de Eventos, Educação e Capacitação CAPACITAR. Relatório de Demandas Externas

Leia mais

Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA. Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG.

Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA. Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG. Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG. Com o objetivo de assessorar juridicamente a ASSOCIAÇÃO

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PARTE A ADV/PROC PARTE R REPTE ORIGEM RELATOR : JORGEVALDO ROBINSTON DE MOURA : FÁBIO CORREA RIBEIRO E OUTROS : INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE : JUÍZO

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais NOTA TÉCNICA Nº 111/2011/DENOP/SRH/MP Assunto: Recomposição salarial Anistiado

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 25004.005767/2007-09 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO?

MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO? MANUAL RESUMIDO DE FISCALIZAÇÃO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS O QUE SÃO? Na prestação dos serviços públicos e para o seu funcionamento é necessário que a Administração Pública adquira bens e/ou contrate serviços

Leia mais

INFORMATIVO. Dispensa de IR sobre as contribuições do participante de 01/01/89 a 31/12/95

INFORMATIVO. Dispensa de IR sobre as contribuições do participante de 01/01/89 a 31/12/95 INFORMATIVO Dispensa de IR sobre as contribuições do participante de 01/01/89 a 31/12/95 Este informativo tem o propósito de orientar as associadas sobre as principais questões atinentes aos procedimentos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL RELATÓRIO Nº : 175467 UCI 170985 : CG DE AUDITORIA DA ÁREA DE TRANSPORTES EXERCÍCIO : 2005 PROCESSO Nº : 51400.000131/2006-19

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23087.000109/2007-14 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Assunto: Auxílio-funeral. Vínculo de parentesco. Valor do benefício. Referência: Processo nº XXXXXXXXXXXXXXX

Assunto: Auxílio-funeral. Vínculo de parentesco. Valor do benefício. Referência: Processo nº XXXXXXXXXXXXXXX Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

Colocação Inicial da Questão

Colocação Inicial da Questão NOTA TÉCNICA nº 013/2011 (novembro de 2011) Anistiados originários do BNCC Banco Nacional de Crédito Cooperativo. Lei nº 8.878, de 1994. Aproveitamento em órgão da administração federal direta (MAPA).

Leia mais

0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE

0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE Referente ao Projeto de Lei nº 0003/09-TJAP. LEI Nº. 1.377, DE 07 DE OUTUBRO DE 2009. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4597, de 07/10/2009. Autor: Tribunal de Justiça do Estado do Amapá Altera

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

Número: 00205.000107/2010-31 Unidade Examinada: Município de Santo Amaro/BA.

Número: 00205.000107/2010-31 Unidade Examinada: Município de Santo Amaro/BA. Número: 00205.000107/2010-31 Unidade Examinada: Município de Santo Amaro/BA. Relatório de Demandas Externas n 00205.000107/2010-31 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 563/97 - Plenário - Ata 35/97 Processo nº TC 003.561/94-1 Interessado: Murílio de Avellar Hingel, Ministro de Estado da Educação e do Desporto Órgão:

Leia mais

Ação Ordinária nº 200.81.00.006

Ação Ordinária nº 200.81.00.006 Ação Ordinária nº 200.81.00.006 Nos autos da Ação Ordinária n 2000.81.00.006046-9, ajuizada por servidores da Justiça Federal no Ceará contra a União Federal, e que tramita na 2ª Vara da Justiça Federal,

Leia mais

PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011

PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011 PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011 Contribuição previdenciária. Não incidência em relação aos valores recebidos em razão do exercício de função comissionada, após a edição da Lei 9.783/99, pelos servidores

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO GERÊNCIA DE AUDITORIA TOMADA DE CONTAS ANUAL SIMPLIFICADA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 18/2007/GEAUD/CISET/MD TIPO DE AUDITORIA : AVALIAÇÃO DE GESTÃO EXERCÍCIO

Leia mais

Parecer sobre indenização por dispensa de FC na integralização da GAE

Parecer sobre indenização por dispensa de FC na integralização da GAE Parecer sobre indenização por dispensa de FC na integralização da GAE Ementa: Analista Judiciário - área judiciária especialidade de Oficial de Justiça Avaliador Federal. Integralização da GAE. Percepção

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA PARECER nq ' z /2012/DEPCONSU/PGF/AGU PROCESSO ADMINISTRATIVO N9 00400.018452/2011-04 INTERESSADO: Instituto Federal de Educação,

Leia mais

art. 5º - Para efeito desde Regulamento, considera-se: II - indenização: valor devido aos beneficiários, em caso de sinistro;

art. 5º - Para efeito desde Regulamento, considera-se: II - indenização: valor devido aos beneficiários, em caso de sinistro; Assessoria Jurídica da Asscontas informa sobre as indenizações do pecúlio, seguro coletivo e seguro do cônjuge do Programa Estadual de Assistência ao Pecúlio dos Servidores do Estado de Minas Gerais: Muitos

Leia mais

CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE

CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE CONHEÇA MELHOR SEU CONTRACHEQUE DIPES/PROGP 2013 Para esclarecer dúvidas sobre seu pagamento, procure imediatamente sua unidade pagadora. COMPROVANTE DE RENDIMENTOS - FOLHA NORMAL FUND. UNIVERSIDADE DE

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 *******************************

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* Promulgo a presente Resolução de conformidade com a legislação vigente. Em 30 de agosto de 2013. Silvio Rodrigues de Oliveira =Presidente da Câmara=

Leia mais

RELATÓRIO. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL

RELATÓRIO. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Órgão: TURMA REGIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA N. Processo: 0500029-74.2008.4.05.8103 Origem: Primeira Turma Recursal do Estado do Ceará Recorrente: João Ferreira

Leia mais

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Dispõe sobre a organização e a atuação do Sistema de Controle Interno no Município e dá outras providências. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

Relatório de Demandas Externas

Relatório de Demandas Externas Presidência da República Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno Relatório de Demandas Externas Número: 00217.000986/-96 Unidade Examinada: DELEGACIA DE POLICIA FEDERAL EM FOZ

Leia mais

RELATÓRIO DAS AÇÕES ANPAF

RELATÓRIO DAS AÇÕES ANPAF RELATÓRIO DAS AÇÕES ANPAF Mandado de Segurança Objeto: evitar descontos dos dias não trabalhados em razão de greve Processo nº: MS 2006.34.00.016937-4 Impetrante: ANPAF, ANAJUR E ANAUNI Impetrado: Procurador-Geral

Leia mais

CARTILHA DO SUBSÍDIO

CARTILHA DO SUBSÍDIO CARTILHA DO SUBSÍDIO Cléa da Rosa Pinheiro Vera Mirna Schmorantz A Direção do SINAL atenta às questões que dizem com a possibilidade de alteração da estrutura remuneratória das carreiras de Especialista

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão Pública Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Coordenação-Geral de Aplicação das Normas NOTA TÉCNICA Nº 140/2014/CGNOR/DENOP/SEGEP/MP

Leia mais

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.004342/ 2013-31 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA 7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA Apelante: MUNICÍPIO DE CERRO AZUL Apelado: ESTADO DO PARANÁ Relator: Des. GUILHERME LUIZ GOMES APELAÇÃO CÍVEL AÇÃO ANULATÓRIA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL : Fábio é universitário, domiciliado no Estado K e pretende ingressar no ensino superior através de nota obtida pelo Exame Nacional, organizado pelo Ministério da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS AUDITORIA INTERNA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS AUDITORIA INTERNA Pelotas, 06 de junho de 2013. ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 03/2013 Assunto: de Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso CONSIDERANDO os termos da demanda encaminhada a esta Unidade de Auditoria Interna por

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA REGIONAL DA FAZENDA NACIONAL NA 3ª REGIÃO

MINISTÉRIO DA FAZENDA PROCURADORIA REGIONAL DA FAZENDA NACIONAL NA 3ª REGIÃO Processo nº 13855.721655/2013-39 Interessada: Dirce Remiro Nunes Assunto: Redistribuição de servidores Parecer da DIJLC/PRFN/3ª Região nº 40/2014 EMENTA: Servidor. Lei nº 11.457/2007. Redistribuição de

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA SJU SISTEMA JURÍDICO N.º 001/2011 Versão: 001/2011 Aprovação em: 28/11/2011 Ato de aprovação: Decreto nº. 2995/2011. Unidade Responsável: Sistema Jurídico I - FINALIDADE: Representar

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ASSOCIAÇÃO DOS INTEGRANTES DAS AUDITORIAS INTERNAS DAS ENTIDADES VINCULADAS AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL GT - 8 O QUE É De acordo com o art. 3º da Instrução

Leia mais

Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA.

Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA. Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA. Relatório de Demandas Externas n 00213.000058/2010-38 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

Manual de Orientação sobre bolsas de estudo de graduação e ESMESC

Manual de Orientação sobre bolsas de estudo de graduação e ESMESC Manual de Orientação sobre bolsas de estudo de graduação e ESMESC 01) APRESENTAÇÃO 02) BOLSA DE ESTUDO - O QUE É? 03) ADMINISTRAÇÃO DO BENEFÍCIO 04) REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO 05) CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

AÇÃO DE EQUIPARAÇÃO DE AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

AÇÃO DE EQUIPARAÇÃO DE AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA EM... brasileiro (a), casado (a), portador (a) da Carteira de Identidade RG nº..., expedida pela SSP/SP, inscrito (a) no

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

NORMA DE REMOÇÃO NOR 309

NORMA DE REMOÇÃO NOR 309 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: REMOÇÃO DE DIRIGENTES E EMPREGADOS APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 71, de 25/05/2015 VIGÊNCIA: 25/05/2015 NORMA DE REMOÇÃO NOR 309 1/7 SUMÁRIO 1. FINALIDADE...

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 460.698-6 - 26.08.2004

APELAÇÃO CÍVEL Nº 460.698-6 - 26.08.2004 -1- EMENTA: ANULATÓRIA ADMINISTRADORAS DE CARTÃO DE CRÉDITO NÃO INTEGRAÇÃO AO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ENCARGOS LIMITAÇÃO CLÁUSULA MANDATO VALIDADE APORTE FINANCEIRO OBTIDO NECESSIDADE DE COMPROVAÇÃO.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº : 00217.000181/2008-02 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 13.895 Servidores do Quadro Especial criado pela Lei n o 10.959/98. Auxílio-rancho e gratificação ordinária incorporada. Inclusão na base de cálculo de outras vantagens pecuniárias. Vem a esta

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23036.000146/2007-28 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

DO MINISTÉRIO PÚBLICO art.170 a art175

DO MINISTÉRIO PÚBLICO art.170 a art175 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 88 DO MINISTÉRIO PÚBLICO art.127 a art.130- A Art. 127. O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 10680.001801/2007-19 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 01350.000002/2007-76 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGIMENTO INTERNO DA UNIFEI CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º. A Auditoria Interna da Universidade Federal de Itajubá é um órgão técnico de assessoramento da gestão, vinculada ao Conselho de

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2010

RESOLUÇÃO Nº 001/2010 RESOLUÇÃO Nº 001/2010 ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS. O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso das atribuições conferidas pelo artigo 18, inciso XVII,

Leia mais

MODELO PARA SERVIDORES EM ATIVIDADE (Pedido de reconhecimento e averbação de atividade especial e pagamento de abono de permanência)

MODELO PARA SERVIDORES EM ATIVIDADE (Pedido de reconhecimento e averbação de atividade especial e pagamento de abono de permanência) MODELO PARA SERVIDORES EM ATIVIDADE (Pedido de reconhecimento e averbação de atividade especial e pagamento de abono de permanência) Ilmo(a) Sr(a) Claudio Paz de Lima Pró-Reitor de Desenvolvimento de Pessoas

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO. LUÍSA HICKEL GAMBA Relatora

EMENTA ACÓRDÃO. LUÍSA HICKEL GAMBA Relatora INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO JEF Nº 2005.70.53.001322-8/PR RELATOR : Juiz D.E. Publicado em 20/02/2009 EMENTA ADMINISTRATIVO. SERVIDOR PUBLICO. ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO. ANUÊNIOS SUBSTITUÍDOS POR QÜINQÜÊNIOS.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO PROCESSO Nº : 23000086135/2007-34 UNIDADE AUDITADA : CEFET/BAMBUI CÓDIGO UG : 153195 : BAMBUI RELATÓRIO Nº : 189721 UCI EXECUTORA : 170099 RELATÓRIO DE AUDITORIA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

Entidade: Órgão de Origem: Secretaria do Estado da Justiça e Cidadania de Santa Catarina

Entidade: Órgão de Origem: Secretaria do Estado da Justiça e Cidadania de Santa Catarina Tribunal de Contas da União Número do documento: DC-0776-48/99-P Identidade do documento: Decisão 776/1999 - Plenário Ementa: Inspeção. Secretaria de Justiça de Santa Catarina. Pedido de reexame de decisão

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NA RECLAMAÇÃO 17.446 RIO GRANDE DO NORTE RELATORA RECLTE.(S) ADV.(A/S) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :MUNICÍPIO DE LUCRÉCIA :AMARO BANDEIRA DE ARAÚJO

Leia mais

: Fundo de Garantia para Promoção da Competitividade - FGPC RELATÓRIO DE AUDITORIA

: Fundo de Garantia para Promoção da Competitividade - FGPC RELATÓRIO DE AUDITORIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TIPO DE AUDITORIA : Auditoria de Gestão EXERCÍCIO

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT2011

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT2011 Ministério da Educação Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Conselho Diretor UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT2011 Introdução O

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO CFT. EMENDA MODIFICATIVA N.º ao PROJETO DE LEI N.º 6.697 DE 2009

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO CFT. EMENDA MODIFICATIVA N.º ao PROJETO DE LEI N.º 6.697 DE 2009 OMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO FT EMENDA MODIFIATIVA N.º ao PROJETO DE LEI N.º 6.697 DE 2009 Altera dispositivos da Lei nº 11.415, de 15 de dezembro de 2006, Plano das arreiras dos Servidores do Ministério

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3357-7500 DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS

Leia mais

SUMÁRIO. Anexo C - Despesas com cartão de crédito corporativo (conforme item I-1.8 do Anexo X da DN- TCU-85/2007... 9

SUMÁRIO. Anexo C - Despesas com cartão de crédito corporativo (conforme item I-1.8 do Anexo X da DN- TCU-85/2007... 9 SUMÁRIO 1. Identificação... 1 2. Responsabilidades institucionais... 2 2.1 PAPEL DA UNIDADE NA EXECUÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS... 2 3. Estratégia de atuação... 2 4. Gestão de programas e ações... 2 4.1

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0046.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos integrantes

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº : 04600.001267/2008-71 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei.

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei. LEI Nº 599/2011 DISPÕE SOBRE AS CONSIGNAÇÕES EM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEONARDO FARIAS ZAMPA, Prefeito Municipal de Novo São Joaquim MT faz saber

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.867

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.867 PARECER Nº 14.867 TRADUTOR PÚBLICO E INTÉRPRETE COMERCIAL. INCLUSÃO, REINCLUSÃO E HABILITAÇÃO EM MAIS UM IDIOMA, SOB CONDIÇÃO PRECÁRIA. IMPOSSIBILIDADE. Vêm ao exame desta Equipe de Consultoria, encaminhados

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA. DECISÃO MONOCRÁTICA. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA REMESSA OFICIAL N. 200.2010.034-761-21001. ORIGEM : 2.a Vara da Fazenda Pública da Comarca da

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO UNIDADE AUDITADA : NÚCLEO ESTADUAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE/PE CÓDIGO UG : 250029 RELATÓRIO Nº : 189831 UCI EXECUTORA : 170063 Chefe da CGU-Regional/PE, RELATÓRIO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 208/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 208/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 208/2014 Referência : Ofício nº 474/2013/DG/SEC. Assunto : Pessoal. Adicional de tempo de serviço

Leia mais

Presidência da República - Controladoria-Geral da União - Secretaria Federal de Controle Interno

Presidência da República - Controladoria-Geral da União - Secretaria Federal de Controle Interno Presidência da República - Controladoria-Geral da União - Secretaria Federal de Controle Interno Certificado: 201203352 Unidade Auditada: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2009 PROCESSO Nº

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PORTARIA SFC Nº 40, DE 14 DE MARÇO DE 2001.

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PORTARIA SFC Nº 40, DE 14 DE MARÇO DE 2001. MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PORTARIA SFC Nº 40, DE 14 DE MARÇO DE 2001. O SECRETÁRIO FEDERAL DE CONTROLE INTERNO, no uso da competência que lhe foi delegada pela Portaria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Parecer nº 043/Audin INMETRO/SITAD/NÚMERO DO PROTOCOLO

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ofício-Circular nº 15/SRH/MP Brasília, 31 de maio de 2000. Aos Dirigentes de Recursos Humanos dos órgãos

Leia mais

Carlos Roberto Occaso Subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal do Brasil

Carlos Roberto Occaso Subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal do Brasil Ofício nº. 071/2014 PRE Brasília, 29 de maio de 2014. Ilmo. Sr. Carlos Roberto Occaso Subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal do Brasil Marcelo de Melo Souza Subsecretário de Gestão

Leia mais

Associação dos Assistentes Jurídicos do Estado do Rio de Janeiro AASSIJUR Fundada em 13 de maio de 1963 RIO DE JANEIRO - ASSISTENTES JURÍDICOS

Associação dos Assistentes Jurídicos do Estado do Rio de Janeiro AASSIJUR Fundada em 13 de maio de 1963 RIO DE JANEIRO - ASSISTENTES JURÍDICOS RIO DE JANEIRO - ASSISTENTES JURÍDICOS Para incluir no site da ABRAP A Associação dos Assistentes Jurídicos do Estado do Rio de Janeiro -, com sede própria localizada na Travessa do Ouvidor n 8, 3 andar,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação da Igreja Metodista UF: SP ASSUNTO: Descredenciamento voluntário da Faculdade de Ciências Humanas do

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL AGREGADA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 71000.002060/2007-90

Leia mais