PROPOSTA SUPORTE TECNOLÓGICO CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC ANEXO PROPOSTA SUPORTE EMPRESARIAL ANEXO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA SUPORTE TECNOLÓGICO CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC... 37 ANEXO 2.4... 39 PROPOSTA SUPORTE EMPRESARIAL... 39 ANEXO 2.4.1..."

Transcrição

1 Manual Operacional

2 1

3 ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO, CAPTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA DEMANDA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS ANÁLISE DE PROPOSTAS DE PROJETOS OPERACIONALIZAÇÃO DAS LINHAS DE APOIO Diagnóstico Empresarial Detalhamento Documentos obrigatórios Itens de custos Suporte Tecnológico Detalhamento Documentos obrigatórios Itens de custos Suporte Empresarial Detalhamento Documentos obrigatórios Itens de custos Aperfeiçoamento Tecnológico Detalhamento da Linha de Aperfeiçoamento Tecnológico Documentos obrigatórios Itens de custos Inovação Tecnológica Detalhamento Critérios para aprovação de Projeto de Inovação Tecnológica Liberação de recursos financeiros Documentos obrigatórios Itens de custos CONTRAPARTIDA AÇÕES NÃO COBERTAS PELO SEBRAETEC MONITORAÇÃO PROCEDIMENTO DO SEBRAE PARA CREDENCIAMENTO DA ENTIDADE EXECUTORA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS ENTIDADES EXECUTORAS INTERESTADUAIS FORMAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DOS GRUPOS GESTORES Comitê Nacional do SEBRAETEC Comitê Estadual do SEBRAETEC Comitê Gestor Operacional do SEBRAETEC REFERENTES AO CADASTRO ANEXO CADASTRO DO CLIENTE ANEXO CADASTRO DA ENTIDADE EXECUTORA ANEXO CADASTRO DO CONSULTOR ANEXO CADASTRO DO PROJETO INTEGRADO REFERENTES ÀS PROPOSTAS DE PROJETOS ANEXO PROPOSTA DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL ANEXO PROPOSTA SUPORTE TECNOLÓGICO INDIVIDUAL OU SETORIAL ANEXO

4 PROPOSTA SUPORTE TECNOLÓGICO CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC ANEXO PROPOSTA SUPORTE EMPRESARIAL ANEXO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA ANEXO PROPOSTA APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO/POR EMPRESA ANEXO PROPOSTA APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO/CONSOLIDADO ANEXO PROPOSTA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA REFERENTE À APLICAÇÃO FINANCEIRA ANEXO APLICAÇÃO FINANCEIRA/INDIVIDUAL ANEXO APLICAÇÃO FINANCEIRA/CONSOLIDADA REFERENTES AOS RELATÓRIOS ANEXO RELATÓRIO FINAL DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL ANEXO RELATÓRIO FINAL SUPORTE TECNOLÓGICO INDIVIDUAL OU SETORIAL ANEXO RELATÓRIO FINAL CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC ANEXO RELATÓRIO FINAL SUPORTE EMPRESARIAL ANEXO RELATÓRIO FINAL APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO/POR EMPRESA ANEXO RELATÓRIO FINAL APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO/CONSOLIDADO ANEXO RELATÓRIO FINAL INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ANEXO RELATÓRIO PARCIAL INOVAÇÃO TECNOLÓGICA REFERENTE À AVALIAÇÃO ANEXO AVALIAÇÃO FINAL DO ATENDIMENTO ANEXO PROJETO DESTAQUE (CASO DE SUCESSO) ANEXOS COMPLEMENTARES ANEXO ATIVIDADE ECONÔMICA DA EMPRESA ANEXO ÁREAS TEMÁTICAS DE PROJETOS E PROGRAMAS DO SEBRAE/NA ANEXO TABELA DE ÁREAS DE COMPETÊNCIA MINUTA-PADRÃO DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ANEXO MINUTA-PADRÃO DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ENTRE A ENTIDADE EXECUTORA E O SEBRAE/UF

5 1. IDENTIFICAÇÃO, CAPTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA DEMANDA O SEBRAETEC atua, prioritariamente, em ações coletivas com foco nos territórios de forte presença de pequenos empreendimentos (Arranjos Produtivos Locais, Redes, Agrupamentos, Cadeias Produtivas, Pólos, Consórcios de Exportação, Núcleos Empreender e Projetos Setoriais), através de soluções integradas. Na elaboração de um projeto de implementação das soluções integradas, poderão ser utilizadas uma ou mais linhas de apoio do SEBRAETEC, tais como Diagnóstico Empresarial, Suporte Tecnológico, Suporte Empresarial, Aperfeiçoamento Tecnológico e Inovação Tecnológica, articuladas com outras ações do Sistema SEBRAE e de seus parceiros. O SEBRAETEC contempla os diversos setores da economia, como a indústria, o comércio, os serviços, a agropecuária, o turismo e o artesanato. Para atuação por meio de soluções integradas, torna-se necessária a aplicação de diagnósticos ou a utilização de informações de diagnósticos já elaborados que busquem identificar as necessidades das micro e pequenas empresas a serem atendidas, conforme o seguinte fluxograma: SEBRAE/UF identifica Arranjos Produtivos Locais, Setores Prioritários, Pólos, Cadeias Produtivas, etc. SEBRAE/UF identifica as empresas para atendimento SEBRAE/UF, via EE, aplica diagnóstico ou utiliza informações de diagnósticos já elaborados SEBRAE/UF, EE e demais parceiros,analisam e avaliam necessidades das MPE e organizam plano de ação mercado gestão treinamento crédito tecnologia empresarial SEBRAE/UF identifica uma ou mais EE para atendimento via SEBRAETEC EE + SEBRAE/UF discutem projeto de soluções integradas adequando as linhas de apoio do SEBRAETEC atendimento aos clientes 4

6 2. APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS As propostas de projetos deverão ser previamente negociadas entre o SEBRAE/UF, a Entidade Executora, o (s) cliente(s) e demais parceiros e encaminhadas ao SEBRAE/UF para análise, tendo como parâmetro as informações constantes no Regulamento e no Manual Operacional do SEBRAETEC, bem como no Manual Operacional da Clínica Tecnológica SEBRAETEC. 5

7 3. ANÁLISE DE PROPOSTAS DE PROJETOS Os SEBRAE/UF são responsáveis pela análise, pela aprovação, pela monitoração, pela avaliação e pelos pagamentos dos projetos SEBRAETEC de Diagnóstico Empresarial, Suporte Tecnológico, Suporte Empresarial, Aperfeiçoamento Tecnológico e Inovação Tecnológica. Os projetos de Inovação Tecnológica deverão ser submetidos à avaliação dos participantes do Comitê Externo de Aprovação, constituído por parceiros do SEBRAE/UF que tenham conhecimentos na área de Ciência, Tecnologia e Inovação. Já os projetos de Diagnóstico Empresarial, Aperfeiçoamento Tecnológico, Suporte Tecnológico e Suporte Empresarial deverão ser aprovados pelo Comitê Interno de Aprovação, formado por representantes do SEBRAE/UF. 6

8 4. OPERACIONALIZAÇÃO DAS LINHAS DE APOIO 4.1. Diagnóstico Empresarial Detalhamento DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL SUBSÍDIO Até 90% Limitado até R$ 300,00 por empresa CONTRAPARTIDA SETORES APOIADOS PRAZO DE EXECUÇÃO VALOR POR HORA DE CONSULTORIA LIMITES DE APOIO LIBERAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS MONITORAÇÃO 10% econômica ou financeira a serem efetuadas pelos clientes ou pelos parceiros indústria (agroindústria), comércio, serviços,agropecuário, turismo e artesanato. Até 120 dias Ver Tabela de Referência dos Valores de Hora Técnica (Item 9.2 do Regulamento). Um diagnóstico a cada dois anos Duas parcelas: 1ª parcela 30% após a aprovação do projeto 2ª parcela 70% após a entrega do Relatório Final com apresentação do Plano de Ação O SEBRAE/UF deverá obrigatoriamente participar de todas as etapas do processo (negociação, estruturação da metodologia, questionário, tabulação, elaboração de relatório com recomendações e plano de ação). Obs.: O primeiro diagnóstico de empresas localizadas em Arranjos Produtivos, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários será estimulado pelo SEBRAE, por meio do SEBRAETEC. Novo diagnóstico somente será apoiado após o período de dois anos Documentos obrigatórios a) Proposta de Projeto Anexo 2.1 Diagnóstico Empresarial Anexo 3.2 Aplicação Financeira/Consolidada b) Relatório Final Anexo 4.1 Relatório Final Diagnóstico Empresarial Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual: apresentar aplicação financeira realizada nos casos em que a mesma for diferente da prevista. 7

9 Itens de custos - Horas técnicas de consultoria efetivamente aplicadas no projeto; - Despesas com materiais de consumo (reprodução de questionários, tinta para impressoras, disquetes, etc.); - Despesas com serviços de terceiros, tais como: despesas com hospedagem e alimentação, transporte, serviços técnicos especializados (digitadores, pesquisadores, etc.) Suporte Tecnológico Detalhamento SUPORTE TECNOLÓGICO LINHAS DE APOIO Atendimento individual ou setorial Clínica Tecnológica SEBRAETEC SUBSÍDIO CONTRAPARTIDA SETORES APOIADOS PRAZO DE EXECUÇÃO VALOR POR HORA DE CONSULTORIA LIMITES DE APOIO Até 70% das horas de consultoria, para empresas localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários Até 50% das horas de consultoria para empresas NÃO localizadas em APL, Cadeias, Pólos e Setores Prioritários Até 90% dos custos totais envolvidos. No 1º atendimento anual, de até 2 horas, o atendimento é gratuito. Acima de 2 horas, o Econômica ou financeira pagamento da contrapartida deverá ser obrigatório e na modalidade financeira. indústria (agroindústria), comércio, serviços, agropecuário, turismo e artesanato. Até 60 dias. Ver Tabela de Referência dos Valores de Hora Técnica (Item 9.2 do Regulamento). Até 20h/mês por empresa. Até 100h/ano por Empresa. 1) Empresa: poderá participar de todos os temas definidos na Clínica, conforme agendamento. LIBERAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS Parcela única, ao final do atendimento, mediante apresentação/aprovação de documentação. 2)Consultor: poderá prestar serviços até 12h/dia. Duas parcelas: 1ª parcela 30% após aprovação do projeto 2ª parcela 70% após entrega do Relatório Final da Clínica com as soluções propostas por atendimento. 8

10 CUSTOS DE TRANSPORTE, HOSPEDAGEM E ALIMENTAÇÃO DOS CONSULTORES 100% subsidiados pelo SEBRAETC, para empresas localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários Responsabilidade do(s) cliente(s) e/ou parceiro(s) para empresas NÃO localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários OBSERVAÇÕES % subsidiados pelo SEBRAETEC, de acordo com os parâmetros do SEBRAE/UF. Outros custos de coordenação, divulgação e apoio poderão ser negociados entre o SEBRAE/UF e os demais parceiros. Os atendimentos prestados nesta linha podem ser individuais, coletivos (setoriais) e por meio da Clínica Tecnológica. As Clínicas Tecnológicas SEBRAETEC são serviços de consultoria técnica e tecnológica, prestados por especialistas para o atendimento a empresários/empreendedores, preferencialmente localizados em Arranjos Produtivos, Cadeias Produtivas e Projetos e Setores Priorizados pelo SEBRAE/UF, podendo ser realizados no âmbito de um evento (congresso, feira, nas Entidades Executoras do SEBRAETEC, nas instalações do SEBRAE ou em espaços rurais) como demandas de uma ação coletiva do Sistema SEBRAE (ex.: grupos setoriais do Empreender). Para maiores informações desta linha de atendimento, ver Manual da Clínica Tecnológica SEBRAETEC Documentos obrigatórios a) Proposta de Projeto - Anexo 2.2 Suporte Tecnológico Individual ou Setorial - Anexo 1.1 Cadastro do Cliente - Anexo 1.3 Cadastro do Consultor b) Relatório Final Suporte Tecnológico Individual ou Setorial - Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual: apresentar aplicação financeira realizada nos casos em que a mesma for diferente da prevista. c) Proposta de Projeto - Anexo 2.3 Suporte Tecnológico Clínica Tecnológica SEBRAETEC - Anexo 1.3 Cadastro do Consultor d) Relatório Final - Anexo 4.3 Relatório Final Clínica Tecnológica SEBRAETEC - Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual, apresentar aplicação financeira realizada nos casos em que a mesma for diferente da prevista. 9

11 Itens de custos - Utilização de horas técnicas dos serviços de consultoria nas ações apoiadas; - Despesas do consultor em transporte, hospedagem e alimentação Suporte Empresarial Detalhamento LINHAS DE APOIO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA (EVTE) Até 70% para empresas localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários SUBSÍDIOS Até 50% para empresas NÃO localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários Limitados até R$ 6.000,00 por projeto CONTRAPARTIDA SETOR APOIADO PRAZO DE EXECUÇÃO VALOR POR HORA DE CONSULTORIA LIMITES DE APOIO LIBERAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS MONITORAÇÃO OBSERVAÇÃO 30% (no mínimo) Financeira Indústria (agroindústria) e serviços. Até 6 meses Ver Tabela de Referência dos Valores de Hora Técnica (Item 9.2 do Regulamento). Até 2 projetos/ano por empresa. Até 3 projetos/ano para as empresas localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários. Duas parcelas: 1ª parcela 30% após aprovação do projeto 2ª parcela 70% após entrega/aprovação do Relatório Final O SEBRAE/UF deverá realizar obrigatoriamente a monitoração do projeto. Despesas referentes a transporte interestadual, hospedagem e alimentação, desde que justificadas pelo SEBRAE/UF e apresentadas as cópias das passagens, com o nome do consultor, terão apoio de até 100% para projetos integrados nas regiões N, NE e CO, bem como no Norte de Minas Documentos obrigatórios a) Proposta de Projeto - Anexo 1.1 Cadastro de Cliente - Anexo 1.3 Cadastro do Consultor - Anexo 2.4 Proposta Suporte Empresarial 10

12 - Anexo Aplicação Financeira/Individual, apresentar aplicação financeira realizada nos casos em que a mesma for diferente da prevista. b) Relatório Final - Anexo 4.4 Relatório Final Suporte Empresarial - Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual: apresentar aplicação financeira prevista - Anexo 5.1 Avaliação Final do Atendimento - Anexo 5.2 Projeto Destaque (caso de sucesso): se for o caso - Comprovante do recebimento da contrapartida Itens de custos - Horas técnicas de consultoria efetivamente aplicadas no projeto; - Despesas com utilização de instalações físicas e equipamentos das entidades promotoras, decorrentes da realização de análises e ensaios; - Despesas com materiais de consumo, tais como insumos para análises químicas e ensaios, material fotográfico, fotocópias de documentos, cópias de desenhos técnicos para demonstração, aquisição de normas técnicas, etc.; - Despesas com serviços de terceiros, tais como: despesas com hospedagem e alimentação, transporte, serviços técnicos especializados (digitadores, desenhistas, projetistas, serviços de laboratório, serviços de usinagem, etc.) Aperfeiçoamento Tecnológico Detalhamento da Linha de Aperfeiçoamento Tecnológico LINHAS DE APOIO SUBSÍDIOS PRODUTOS E PROCESSOS Até 70% para empresas localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários Até 50% para empresas NÃO localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários Limitados até R$ 3.000,00 por empresa MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Até 70% Limitados até R$ ,00 por projeto CONTRAPARTIDA SETORES APOIADOS PRAZO DE EXECUÇÃO 30% (no mínimo) Financeira 30% (no mínimo) Financeira ou econômica Industria (agroindústria), comércio, serviços, agropecuário, turismo e artesanato. Até 6 meses 11

13 VALOR POR HORA DE CONSULTORIA LIMITES DE APOIO LIBERAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS Ver Tabela de Referência dos Valores de Hora Técnica (Item 9.2 do Regulamento). Até 2 projetos/ano por empresa. Até 3 projetos/ano para as empresas localizadas em APL, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Prioritários. Duas parcelas: 1ª parcela 30% após aprovação do projeto 2ª parcela 70% após entrega/aprovação do Relatório Final MONITORAÇÃO OBSERVAÇÃO O SEBRAE/UF deverá realizar obrigatoriamente a monitoração do projeto. Despesas referentes a transporte interestadual, hospedagem e alimentação, desde que justificadas pelo SEBRAE/UF e apresentado as cópias das passagens, com o nome do consultor, terão apoio de até 100% para projetos integrados nas regiões N, NE e CO, bem como no Norte de Minas Documentos obrigatórios a) Proposta de Projeto - Anexo 1.1 Cadastro do Cliente - Anexo 1.3 Cadastro do Consultor - Anexo 2.5 Proposta Aperfeiçoamento Tecnológico/por Empresa - Anexo 2.6 Proposta Aperfeiçoamento Tecnológico/Consolidado - Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual: apresentar aplicação financeira prevista. b) Relatório Final - Anexo 4.5 Aperfeiçoamento Tecnológico/por Empresa - Anexo Aperfeiçoamento Tecnológico/Consolidado - Anexo 5.1 Avaliação Final do Atendimento - Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual: nos casos em que a mesma for diferente da prevista - Comprovante do recebimento da contrapartida - Comprovação dos gastos efetuados nos projetos de aperfeiçoamento de máquinas e equipamentos (contrapartida econômica) Itens de custos - Horas técnicas de consultoria efetivamente aplicadas no projeto; - Despesas com treinamento, gestão em comercialização, limitadas a até 30% do valor total das horas técnicas de consultoria; - Gastos com utilização de instalações físicas e equipamentos das entidades promotoras, decorrentes da realização de análises e ensaios; - Gastos com materiais de consumo, tais como insumos para análises químicas e ensaios, material fotográfico, fotocópias de documentos, cópias de desenhos técnicos para demonstração, aquisição de normas técnicas, etc.; - Gastos com serviços de terceiros, tais como: 12

14 Despesas com hospedagem e alimentação, transporte, serviços técnicos especializados (digitadores, desenhistas, projetistas, serviços de laboratório, serviços de usinagem, etc.). Gastos com buscas e pedidos de depósitos de patentes Inovação Tecnológica Detalhamento INOVAÇÃO TECNOLÓGICA SUBSÍDIOS CONTRAPARTIDA PRAZO DE EXECUÇÃO VALOR POR HORA DE CONSULTORIA LIMITES DE APOIO LIBERAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS MONITORAÇÃO OBSERVAÇÃO Até 70% Limitado a R$ ,00 por projeto Mínimo de 30% Financeira ou econômica Até 10 meses Ver Tabela de Referência dos Valores de Hora Técnica (Item 9.2 do Regulamento). Até 2 projetos/ano por empresa. Três parcelas, conforme condições para liberação dos recursos previstos no item deste Manual Operacional O SEBRAE/UF deverá realizar obrigatoriamente a monitoração do projeto. Despesas referentes a transporte interestadual, hospedagem e alimentação, desde que justificadas pelo SEBRAE/UF e apresentadas as cópias das passagens, com o nome do consultor, terão apoio de até 100% para projetos integrados nas regiões N, NE e CO bem como no Norte de Minas Critérios para aprovação de Projeto de Inovação Tecnológica - Ser inovador em relação aos produtos e processos existentes no mercado; - Considerar a possibilidade de patentes no INPI; - Constituir-se em oportunidade mercadológica e de viabilidade econômico-financeira; - Atender às normas aos, regulamentos técnicos e à legislação aos quais está sujeito o produto/processo. - Apresentar a infra-estrutura e os recursos humanos necessários ao desenvolvimento do projeto; - Apresentar um estudo de viabilidade técnica e econômica. 13

15 Liberação de recursos financeiros Os recursos financeiros serão liberados, diretamente às Entidades Executoras, em três (3) parcelas, da seguinte forma: Recursos Prazos Condições 1ª parcela 35% 2ª parcela 35% 3ª parcela 30% Aprovação do projeto Até 5 (cinco) meses após a liberação da 1ª parcela Até 10 (dez) meses após a 1ª liberação - Atender sos critérios de aprovação de projeto. - Apresentação, pela Entidade Executora, de relatório parcial contendo demonstração do cronograma de atividades e de aplicação financeira; - Apresentação, pela empresa, de relatório parcial de atividades, comprovando a execução de, no mínimo, 50% do projeto; e - Elaboração de parecer técnico do SEBRAE/UF sobre o desenvolvimento e acompanhamento do projeto. - Apresentação de relatório final, pela Entidade Executora ao SEBRAE/UF; e - Análise e aprovação do Relatório Final Documentos obrigatórios a) Carta Proposta - Anexo 1.1 Cadastro do Cliente - Anexo 1.3 Cadastro do Consultor - Anexo 2.7 Proposta Inovação Tecnológica - Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual: apresentar aplicação financeira prevista - Anexo 3.2 Aplicação Financeira/Consolidada: apresentar aplicação financeira prevista b) Relatório Parcial - Anexo Relatório Parcial Inovação Tecnológica - Anexo Avaliação Final do Atendimento - Comprovante do recebimento de parte da contrapartida - Comprovação dos gastos parciais efetuados (contrapartida econômica) c) Relatório Final - Anexo 4.6 Relatório Final Inovação Tecnológica - Anexo Avaliação Final do Atendimento - Anexo Aplicação Financeira/Individual: nos casos em que a mesma for diferente da prevista - Anexo 3.2 Aplicação Financeira/Consolidada: apresentar aplicação financeira realizada. - Comprovante do recebimento da contrapartida - Comprovação dos gastos efetuados (contrapartida econômica) 14

16 Itens de custos - Horas técnicas de consultoria efetivamente aplicadas no projeto; - Despesas com treinamento, gestão em comercialização, limitadas a até 30% do valor total das horas técnicas de consultoria; - Gastos com a utilização de instalações físicas e equipamentos das entidades promotoras, decorrentes da realização de análises e ensaios; - Gastos com materiais de consumo, tais como insumos para análises químicas e ensaios, material fotográfico, fotocópias de documentos, cópias de desenhos técnicos para demonstração, aquisição de normas técnicas, etc.; - Gastos com serviços de terceiros, tais como: despesas com hospedagem e alimentação, transporte, serviços técnicos especializados (digitadores, desenhistas, projetistas, serviços de laboratório, serviços de usinagem, etc.). - Gastos com buscas e pedidos de depósitos de patentes. 15

17 5. CONTRAPARTIDA 5.1. A contrapartida, em cada uma das linhas de apoio, é obrigatória e deverá ser comprovada por meio de depósito bancário identificado, em nome da Entidade Executora Nos casos em que a contrapartida for paga ao SEBRAE/UF, caberá ao mesmo apresentar documento comprovando o recebimento As contrapartidas econômicas das linhas de Aperfeiçoamento Tecnológico e Inovação Tecnológica poderão ser feitas pro meio de aquisição de insumos, matérias-primas, componentes e serviços necessários ao desenvolvimento do produto ou processo, devendo ser comprovadas com notas fiscais As contrapartidas econômicas das Clínicas Tecnológicas e dos Diagnósticos Empresariais poderão ser feitas por meio da declaração dos parceiros envolvidos, demonstrando os recursos materiais e humanos disponibilizados Os clientes (beneficiários) deverão assumir a contrapartida financeira e/ou econômica obrigatória. Entretanto, essa contrapartida poderá ser paga ou subsidiada em até 50% por outros parceiros, tais como: sindicatos, associações de classe, prefeituras, grandes empresas, dentre outros Excepcionalmente, quando ocorrer a integralização da contrapartida, por entidade parceira, o recurso deverá ser depositado no SEBRAE/UF, com identificação da destinação específica da contrapartida do SEBRAETEC, com indicação do respectivo projeto. Para esta finalidade não se aplicam recursos de orçamento ordinário do SEBRAE/UF. 16

18 6. AÇÕES NÃO COBERTAS PELO SEBRAETEC - Manutenção de equipamento; - Ensaio e/ou teste de rotina (exclusivamente); - Treinamento e/ou consultoria básica em áreas de administração; - Pesquisa de mercado; - Diagnóstico de setor e/ou de empresa NÃO localizadas em Arranjos Produtivos, Cadeias Produtivas, Pólos e Setores Priorizados pelo SEBRAE/UF; - Diagnóstico de empresa para os trabalhos das entidades executoras; - Técnicas de O&M; - Registro de marcas; e - Editoração de guias, vídeos e material de divulgação. 17

19 7. MONITORAÇÃO Os SEBRAE/UF realizarão o acompanhamento dos projetos apoiados por meio da monitoração e da avaliação dos resultados dos trabalhos, por meio de corpo técnico próprio ou contratado, desde a fase de negociação dos projetos, passando pela aplicação dos diagnósticos, pelas consultorias realizadas nas empresas pelos consultores indicados pelas Entidades Executoras, até sua integração com as áreas de Desenvolvimento Setorial e Local (organização da demanda), Comercialização, Crédito, de forma a garantir a satisfação do cliente e a qualidade do programa. A avaliação do atendimento é obrigatória e poderá ser realizada durante a fase da monitoração final ou por meio do anexo 5.1 Avaliação Final do Atendimento, desde que preenchido pelo empresário/cliente e entregue diretamente ao SEBRAE/UF. 18

20 8. PROCEDIMENTO DO SEBRAE PARA CREDENCIAMENTO DA ENTIDADE EXECUTORA Os SEBRAE/UF deverão identificar novas Entidades Executoras para atendimento às suas demandas e executar os procedimentos de credenciamento conforme etapas apresentadas a seguir: 8.1. Identificação da Entidade Executora; 8.2. Verificação se a entidade atende aos critérios de credenciamento, após visita técnica do SEBRAE/UF; 8.3. Apresentação da documentação de credenciamento ao SEBRAE/UF; 8.4. Análise da documentação pelo SEBRAE/UF; 8.5. Entrada dos dados da Entidade Executora no Sistema de Gestão do SEBRAETEC; 8.6. Envio da documentação, junto com o parecer do SEBRAE/UF, para análise do SEBRAE/NA; 8.7. Análise da documentação pelo SEBRAE/NA; 8.8. Autorização para credenciamento da Entidade Executora no SEBRAETEC pelo SEBRAE/NA; e 8.9. Apresentação de certidões negativas conforme exigência do SEBRAE/UF. 19

21 9. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELAS ENTIDADES EXECUTORAS INTERESTADUAIS Após credenciamento, a Entidade Executora passa a fazer parte do Cadastro Nacional de Entidades Executoras do SEBRAETEC. No entanto, para realizar trabalhos de consultoria tecnológica nos estados, deverá negociar com o SEBRAE/UF a parceria, estabelecendo instrumento jurídico entre as partes, conforme consta no anexo 7.1 Minuta Padrão do Contrato de Prestação de Serviço entre a Entidade Executora e o SEBRAE/UF. 20

22 10. FORMAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DOS GRUPOS GESTORES DOS COMITÊS DO SEBRAETEC Para operacionalização e gestão do SEBRAETEC, o SEBRAE/NA e os SEBRAE/UF deverão obrigatoriamente formar os seguintes comitês: Comitê Nacional do SEBRAETEC a) Comitê de Planejamento e Diretrizes do SEBRAETEC: Será constituído por representantes das unidades do SEBRAE, integrados com o objetivo de indicar as diretrizes para o aperfeiçoamento do programa no que se refere ao atendimento das soluções das necessidades tecnológicas das demandas de projetos coletivos e de projetos prioritários do SEBRAE/NA, sob a coordenação da Unidade de Inovação e Acesso à Tecnologia. b) Comitê Normativo do SEBRAETEC: Será constituído por representantes das Unidades da Assessoria Jurídica, da Auditoria, da Área Financeira e de Orçamento, integrados com o objetivo de avaliar o Regulamento e o Manual de Procedimentos Operacionais do Programa nos aspectos legais, normativos e orçamentários. c) Comitê de Avaliação do SEBRAETEC: Será constituído por representantes externos do SEBRAE, membros das entidades tecnológicas do CDN do SEBRAE Nacional, com o objetivo de obter subsídios direcionados para o programa a partir de seu desempenho Comitê Estadual do SEBRAETEC a) Comitê Interno de Aprovação de projetos do SEBRAETEC: Será constituído por representantes do SEBRAE/UF com o objetivo de analisar os projetos de Diagnóstico Empresarial, Suporte Empresarial e de Aperfeiçoamento Tecnológico. b) Comitê Externo de Aprovação de projetos de inovação tecnológica do SEBRAETEC: Será constituído por parceiros do SEBRAE/UF que tenham atuação na área de Ciência, Tecnologia e Inovação Comitê Gestor Operacional do SEBRAETEC a) Comitê Gestor de aperfeiçoamento dos procedimentos operacionais do SEBRAETEC: 21

23 Constituído por representantes regionais do Sistema SEBRAE, para acompanhamento e aperfeiçoamento dos procedimentos operacionais do programa junto ao SEBRAE (Unidade de Inovação e Acesso à Tecnologia), com reuniões semestrais. 22

24 A N E X OS 1. REFERENTES AO CADASTRO 2. REFERENTES ÀS PROPOSTAS DE PROJETOS 3. REFERENTE À APLICAÇÃO FINANCEIRA 4. REFERENTES AOS RELATÓRIOS 5. REFERENTE À AVALIAÇÃO 6. ANEXOS COMPLEMENTARES 7. MINUTA-PADRÃO DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 23

25 1- REFERENTES AO CADASTRO 24

26 ANEXO 1.1 CADASTRO DO CLIENTE 1. DADOS CADASTRAIS DO CLIENTE Código do Cliente SEBRAETEC (preenchimento pelo SEBRAE) CNPJ CPF Carteira de Identidade (Nos casos em que o cliente não possuir CNPJ ou CPF) Data de início das atividades (dia/mês/ano) / / Razão Social / Nome Número de funcionários: CNAE Fiscal (Subclasse) da Empresa Preenchimento pela Entidade Executora (Vide anexo 6.1): Nome Comercial (Fantasia) Ramo de Atividade: Endereço Completo (Rua/Av., número, complemento, bairro) Cidade UF CEP da Empresa Nome do contato Cargo DDD/ Telefone (0xx ) da pessoa de contato DDD/FAX (0xx ) DDD/Celular (0xx ) 2. FATURAMENTO BRUTO ANUAL: (Referente ao exercício anterior ou valor previsto para os casos de empresas com menos de 01 ano de funcionamento) 3. DESCREVA ATÉ 02 (DOIS) PRINCIPAIS PRODUTOS E/OU SERVIÇOS PRESTADOS E INDIQUE SUAS RESPECTIVAS PARTICIPAÇÕES PERCENTUAIS NO TOTAL DAS RECEITAS DA EMPRESA Produto/Atividade % das Receitas (sem incluir decimais) % % 4. NO CASO DE MPE E EMPREENDEDORES VINCULADOS À AGROPECUÁRIA E À INDÚSTRIA, DESCREVA ATÉ 03 (TRÊS) PRINCIPAIS MATÉRIAS PRIMAS, MATERIAIS AUXILIARES E COMPONENTES UTILIZADOS PELO PROCESSO DE PRODUÇÃO DA EMPRESA: 5. PRINCIPAIS CLIENTES (em percentagem, sem incluir decimais) Grande empresa Média empresa Pequena/Microempresa Consumidor final Total % % 6. ATUAÇÃO (em percentagem, sem incluir decimais) % % % Local Estadual Interestadual Internacional Total % % % % % 7. OBSERVAÇÕES 8. DECLARAÇÃO DE VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES Declaro que as informações anteriormente descritas são verdadeiras., de de Assinatura do cliente 25

27 ANEXO 1.2 CADASTRO DA ENTIDADE EXECUTORA 1. ENTIDADE EXECUTORA Razão Social Sigla CNPJ Endereço Completo (Rua/Av., número, complemento, bairro) Cidade UF CEP SITE: Nome do Representante Legal Cargo DDD/ Telefone (0xx ) DDD/Celular (0xx ) 2. RESPONSÁVEL PELO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome do responsável Coordenador do SEBRAETEC na Entidade Executora Cargo Órgão / setor / departamento do responsável Endereço Completo (Rua/Av., número, complemento, bairro) Cidade UF CEP DDD/ Telefone (0xx ) DDD/Celular (0xx ) 3. CATEGORIA DA ENTIDADE EXECUTORA ( ) Universidades ( ) Fundações (vinculadas a universidades) ( ) Fundações (vinculadas a Centros e Institutos de Tecnologia) ( ) Centros e Institutos de Tecnologia ( ) Empresa Jr. ( ) Escolas Técnicas/CEFETs ( ) Escolas Agrotécnicas DDD/FAX (0xx ) ( ) SENAI ( ) SENAC ( ) SENAR ( ) EMBRAPA ( ) EMATER ( ) Cooperativa ( ) Outros 4. ÁREAS DE COMPETÊNCIA DA ENTIDADE EXECUTORA (conforme Tabela de Áreas de Competência Anexo 6.3): CÓDIGO DESCRIÇÃO 26

28 5. DESCRIÇÃO SUCINTA DOS LABORATÓRIOS, RELACIONANDO OS PRINCIPAIS EQUIPAMENTOS E TIPOS DE ENSAIOS, TESTES E EXPERIÊNCIAS POSSÍVEIS DE SEREM REALIZADAS. 6. EXPERIÊNCIA EM PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO TECNOLÓGICA 7. EXPERIÊNCIA EM TRABALHOS COM MICROEMPRESA E PEQUENAS EMPRESAS 8. INFORMAÇÕES FINANCEIRAS Entidade responsável pelo recebimento dos recursos financeiros da Entidade Executora CNPJ Nome do Banco Nº do banco Nome da Agência Nº da agência Nº da conta-corrente Cidade da Agência Bancária UF 9. OBSERVAÇÕES 10. ASSINATURAS 10.1 DO COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 10.2 DO REPRESENTANTE LEGAL DA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 11. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: Preenchimento obrigatório pelo SEBRAE/UF 12. ORIGEM DA DEMANDA PARA CREDENCIAMENTO DA ENTIDADE EXECUTORA Desenvolvimento local/regional/setorial ( ) Empreender: ( ) APL: ( ) Cadeia Produtiva: ( ) Setor Prioritário: ( ) Outros. Indicar: Demanda individual ( ) Empretec ( ) Balcão do SEBRAE ( ) Outros. Indicar: Tecnologia ( ) Design ( ) Eficiência Energética ( ) Incubadoras de Empresas ( ) Gestão Ambiental ( ) PAS ( ) TIB ( ) Outros. Indicar: Outras demandas ( ) Entidades executoras ( ) Associações, sindicatos, etc. ( ) APEX ( ) Outros. Indicar: 27

29 13. POSIÇÃO FINAL DO CREDENCIAMENTO DA ENTIDADE EXECUTORA Situação Data Justificativa ( ) Recomendado / / ( ) Pendente / / ( ) Não Aprovado / / TÉCNICO DO SEBRAE UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR SEBRAE/UF Assinatura 14. PARECER DO SEBRAE/UF O SEBRAE/UF deverá enviar os documentos de credenciamento para análise no SEBRAE/NA, juntamente com este parecer de indicação da competência e da atuação da entidade na prestação de serviços de consultoria tecnológica para atendimento às demandas priorizadas do SEBRAE/UF (APL, Cadeias Produtivas e Projetos Prioritários). 28

30 1. DADOS INICIAIS Entidade Executora ANEXO 1.3 CADASTRO DO CONSULTOR (A ser preenchido pelo consultor e encaminhado pela Entidade Executora) Código da Entidade Executora no SEBRAETEC 2. INFORMAÇÕES DO CONSULTOR Nome CPF (obrigatório) Endereço Completo (Rua/Av., número, complemento, bairro) Cidade UF CEP DDD/ Telefone (0xx ) DDD/Celular (0xx ) Pertence ao quadro permanente da Entidade Executora? ( ) Sim ( ) Não Tipo de vínculo? Contrato temporário Prestador de serviço Desde quando está vinculado: / / 3. FUNÇÃO NA ENTIDADE EXECUTORA ( ) Professor ( ) Pesquisador ( ) Técnico Especializado ( ) Consultor ( ) Consultor Jr. ( ) Outros: ( ) Bolsista 4. FORMAÇÃO (anexar comprovante da maior titulação) Nível Curso Instituição Ano de conclusão Técnico Graduação Especialização Mestrado Doutorado Pós-Doutorado 5. ÁREAS DE COMPETÊNCIA (do consultor, conforme Tabela de Área de Competência Anexo 6.3): CÓDIGO DESCRIÇÃO 6. ATIVIDADES PRÁTICAS DESENVOLVIDAS JUNTO A MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: 29

31 7. JÁ É CREDENCIADO COMO CONSULTOR DO SEBRAE? ( ) NÃO ( ) SIM QUAIS ÁREAS/PRODUTOS: 8. OBSERVAÇÕES (DESCREVER SE OCUPA CADEIRAS EM UNIVERSIDADE/FACULDADE/ESCOLA, SE ELABORA TEXTOS P/ JORNAIS, REVISTAS TÉCNICAS, SE DESENVOLVE PESQUISA, TESE...) 9. ASSINATURA DOS RESPONSÁVEIS CONSULTOR Assinatura: COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Data: / / Nome: Assinatura: Data: / / REPRESENTANTE LEGAL NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 10. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: 11. POSIÇÃO FINAL DO CREDENCIAMENTO DO CONSULTOR Preenchimento obrigatório pelo SEBRAE/UF Situação Data Justificativa ( ) Aprovado / / ( ) Pendente / / ( ) Não Aprovado / / TÉCNICO DO SEBRAE/UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR DO SEBRAE/UF Assinatura 30

32 1. DADOS INICIAIS Nome do Projeto Integrado: ANEXO 1.4 CADASTRO DO PROJETO INTEGRADO (A SER PREENCHIDO PELO SEBRAE/UF) Local: Número de Empresas Existentes nos APL, Pólo, Cadeia Produtiva ou Setor: Data Inicio das ações: / / CNAE Fiscal: (Vide Anexo 6.1) Código no SEBRAETEC: 2. DESCRIÇÃO DO PROJETO (Descrever a importância do projeto na contribuição para a melhoria das condições socioeconômicas do APL, do Pólo, da Cadeia Produtiva ou do Setor. Descrever expectativas quanto à expansão de empreendimentos econômicos, notadamente por meio da criação e do desenvolvimento de MPE capazes de gerar trabalho e renda, atentando-se à proteção e à preservação do meio ambiente.) 3. PARCEIROS (Descrever os agentes envolvidos e comprometidos em parcerias técnicas, econômicas e financeiras, objetivando o desenvolvimento local) 4. ABRANGÊNCIA Local Intermunicipal Estadual Interestadual 5. VÍNCULO Pertencente a qual Arranjo Produtivo/Cadeia Produtiva/Setor ou Pólo Prioritário: 6. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: 7. NOME E ASSINATURA DOS RESPONSÁVEIS TÉCNICO DO SEBRAE/UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR DO SEBRAE/UF Assinatura 31

33 2 REFERENTES ÀS PROPOSTAS DE PROJETOS 32

34 1 ANEXO 2.1 PROPOSTA DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL 1. DADOS DA PROPOSTA Código no SEBRAETEC (gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): Nome do Projeto: Entidade Executora Proponente: Código no SEBRAETEC APL, Cadeia Produtiva ou Setor Prioritário: Data Prevista: Início: / / Término: / / 2. CUSTO DO DIAGNÓSTICO PREVISTO Unitário R$: Número de Clientes (previsto): Total da Proposta R$: 3. JUSTIFICATIVA DO PROJETO (Descrever a existência de informações necessárias para a implementação de plano de ação, detalhando a importância do APL, da Cadeia Produtiva, do Setor ou do Pólo Prioritário. Informar ainda a existência de agentes envolvidos e comprometidos em parcerias técnicas, econômicas e financeiras, objetivando o desenvolvimento local) 4. ABRANGÊNCIA Local Intermunicipal Estadual Interestadual 5. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS Anexo 1.3 Cadastro do Consultor (quando se tratar do primeiro atendimento) Anexo 3.2 Aplicação Financeira/Consolidada Obs.: Utilizar questionário conforme modelo a ser disponibilizado pelo SEBRAE/UF 6. ASSINATURAS 6.1 DO COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 6.2 DO REPRESENTANTE LEGAL DA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: 7. IDENTIFICAÇÃO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: Preenchimento obrigatório pelo SEBRAE/UF Data: / / 8. ORIGEM DA DEMANDA DO PROJETO Desenvolvimento local/regional/setorial ( ) Empreender: ( ) APL: ( ) Cadeia Produtiva: ( ) Setor Prioritário: ( ) Outros. Indicar: Demanda individual ( ) Empretec ( ) Balcão do SEBRAE ( ) Outros. Indicar: Tecnologia ( ) Design ( ) Eficiência Energética ( ) Incubadoras de Empresas ( ) Gestão Ambiental ( ) PAS ( ) TIB ( ) Outros. Indicar: Outras demandas ( ) Entidades Executoras ( ) Associações, sindicatos, etc. ( ) APEX ( ) Outros. Indicar: 33

35 9. POSIÇÃO FINAL DO PROJETO Situação Data Justificativa ( ) Recomendado / / ( ) Pendente / / ( ) Não Aprovado / / TÉCNICO DO SEBRAE/UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR SEBRAE/UF Assinatura 10. PARECER ANEXAR PARECER JUSTIFICANDO A IMPORTÂNCIA DESTE DIAGNÓSTICO PARA O SEBRAE/UF E PARA O ARRANJO, A CADEIA PRODUTIVA, O SETOR OU O PÓLO 34

36 ANEXO 2.2 PROPOSTA SUPORTE TECNOLÓGICO INDIVIDUAL OU SETORIAL 1. DADOS DA PROPOSTA Código no SEBRAETEC gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): 2. IDENTIFICAÇÃO Razão Social/Nome do Cliente Nome da Entidade Executora Código do Cliente no SEBRAETEC (gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): Código da Entidade Executora no SEBRAETEC Período Previsto para a realização da Consultoria Data de início: / / Data final: / / Áreas Temáticas de Projetos (Anexo 6.2) 3. NECESSIDADES DO(S) CLIENTE(S) Descrever o processo em que o problema é percebido e o que o(s) cliente(s) já realizou(aram) para tentar resolver o problema 4. SOLUÇÃO PROPOSTA 5. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS Anexo 1.1 Cadastro do Cliente Anexo 1.3 Cadastro do Consultor (quando se tratar de primeiro atendimento) Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual 6. ASSINATURAS 6.1 DO COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 7. ACEITAÇÃO DA PROPOSTA PELO CLIENTE (Para o primeiro atendimento anual, de até duas horas, não há necessidade de preenchimento deste item). Declaro que estou de acordo com a proposta/metodologia a ser desenvolvida pelo projeto, cuja cópia está em meu poder, e com o valor da contrapartida de R$, que deverá ser paga em parcela(s), referente a horas de atendimento e demais serviços descritos no projeto proposto. Estou ainda ciente de que o SEBRAE está subsidiando % dos custos totais do projeto por meio do Programa de Consultoria Tecnológica SEBRAETEC. OBS.: Proposta sujeita à análise do SEBRAE, que formalizará a sua aprovação para início dos trabalhos., de de Nome do Representante Assinatura 8. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: Preenchimento Obrigatório pelo SEBRAE/UF 35

37 9. ORIGEM DA DEMANDA DO PROJETO Desenvolvimento local/regional/setorial ( ) Empreender: ( ) APL: ( ) Cadeia Produtiva: ( ) Setor Prioritário: ( ) Outros. Indicar: Tecnologia ( ) Design ( ) Eficiência Energética ( ) Incubadoras de Empresas ( ) Gestão Ambiental ( ) PAS ( ) TIB ( ) Outros. Indicar: Outras demandas ( ) Entidades Executoras ( ) Associações, sindicatos, etc. ( ) APEX ( ) Outros. Indicar: Demanda individual ( ) Empretec ( ) Balcão do SEBRAE ( ) Outros. Indicar: 10. POSIÇÃO FINAL DO PROJETO Situação Data Justificativa ( ) Aprovado / / ( ) Pendente / / ( ) Não Aprovado / / TÉCNICO DO SEBRAE/UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR DO SEBRAE/UF Assinatura 36

38 ANEXO 2.3 PROPOSTA SUPORTE TECNOLÓGICO CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC 1. DADOS PROPOSTA Código no SEBRAETEC (gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): Nome da Clínica Tecnológica SEBRAETEC (especificar setor e local): Entidade Executora Proponente: Código no SEBRAETEC APL, Cadeia Produtiva ou Setor Prioritário: Datas Previstas: Número de Clientes (previsto): Início: / / Término: / / 2. JUSTIFICATIVA DE REALIZAÇÃO DA CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC 3. DESCRIÇÃO DOS TEMAS TEMAS Nº PREVISTO DE PARTICIPANTES CONSULTOR 4-4. RESULTADOS ESPERADOS DA CLÍNICA TECNOLÓGICA SEBRAETEC (Descrever em que medida os temas abordados beneficiarão o(s) setor(es)) 5. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS Anexo Cadastro do Consultor (na ocasião do primeiro atendimento do consultor por meio do SEBRAETEC) Anexo Aplicação Financeira/Consolidada 6. ASSINATURAS 6.1 DO COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 7. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: Preenchimento obrigatório pelo SEBRAE/UF 37

39 8. ORIGEM DA DEMANDA DO PROJETO Desenvolvimento local/regional/setorial ( ) Empreender: ( ) APL: ( ) Cadeia Produtiva: ( ) Setor Prioritário: ( ) Outros. Indicar: Demanda individual ( ) Empretec ( ) Balcão do SEBRAE ( ) Outros. Indicar: Tecnologia ( ) Design ( ) Eficiência Energética ( ) Incubadoras de Empresas ( ) Gestão Ambiental ( ) PAS ( ) TIB ( ) Outros. Indicar: Outras demandas ( ) Entidades Executoras ( ) Associações, sindicatos, etc. ( ) APEX ( ) Outros. Indicar: 9. POSIÇÃO FINAL DO PROJETO Situação Data Justificativa ( ) Aprovado / / ( ) Pendente / / ( ) Não aprovado / / TÉCNICO DO SEBRAE/UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR DO SEBRAE/UF Assinatura 10. PARECER DO SEBRAE/UF (Anexar parecer, justificando a aprovação do projeto, a integração com outras ações do SEBRAE e dos parceiros). 38

40 ANEXO 2.4 PROPOSTA SUPORTE EMPRESARIAL 1. DADOSDA PROPOSTA Código do SEBRAETEC (gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): Nome do Projeto Entidade Executora Proponente: Código no SEBRAETEC Nome do Consultor Responsável pelo Projeto Código no SEBRAETEC CNAE Fiscal (Anexo 6.1) Áreas Temáticas de Projetos (Anexo 6.2) APL, Cadeia Produtiva ou Setor Prioritário: Razão Social/Nome do Cliente Código do Cliente no SEBRAETEC (gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): 2. NECESSIDADE DA EMPRESA 3. OBJETIVO DA PROPOSTA ( ) Desenvolvimento de um produto novo ( ) Adaptação ou aperfeiçoamento de um produto existente ( ) Desenvolvimento de um processo novo ( ) Adaptação ou aperfeiçoamento de um processo existente ( ) Outros Especificar: 4. INFORMAÇÕES SOBRE O PRODUTO/PROCESSO Está relacionado diretamente com a atividade produtiva da empresa? ( ) Sim ( ) Não Já existe pedido ou registro de patente do processo/produto? ( ) Sim ( ) Não Já existe produto/processo semelhante no mercado? ( ) Sim ( ) Não Se sim, assinale em qual mercado: ( ) Local ( ) Regional ( ) Nacional 5. INFORMAÇÕES DE MERCADO QUE JUSTIFIQUEM A AÇÃO DE SUPORTE EMPRESARIAL ( ) Internacional 6. RESULTADOS QUE PODEM SER OBTIDOS COM AS SOLUÇÕES PROPOSTAS ( ) adequação do produto às exigências do mercado ( ) lançamento de novo produto ( ) atendimento da legislação específica ( ) melhoria da posição no mercado ( ) atendimento de exigências de caráter ambiental ( ) melhoria da qualidade do processo ( ) atendimento de normas internacionais ( ) melhoria da qualidade do produto ou serviço ( ) aumento da produção ( ) melhoria da qualificação de mão-de-obra ( ) aumento da produtividade ( ) melhoria de performance ( ) aumento das exportações ( ) melhoria na segurança e saúde no trabalho ( ) aumento das vendas ( ) melhorias nas condições de trabalho ( ) aumento do faturamento ( ) outro descrever ( ) desenvolvimento de processo inovador ( ) redução de custos operacionais (produtos/serviços) ( ) diferenciação do produto ou serviço ( ) redução de tempo de produção ( ) diminuição de desperdícios ( ) redução dos impactos ambientais ( ) economia de energia ( ) substituição de equipamento importado ( ) facilidade de uso 39

41 IMPORTANTE: As vantagens assinaladas deverão ser medidas antes da consultoria para, serem comprovadas ao final 7. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES PARA IMPLANTAÇÃO DO PROJETO ( ) Semanas ( ) Meses Ações propostas Horas 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 9ª 10ª 11ª 12ª TOTAL DE HORAS O INíCIO DO PROJETO SE DARÁ COM O PAGAMENTO DA PRIMEIRA PARCELA 8. CONSIDERAÇÕES DO CONSULTOR 9. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS Anexo 1.1 Cadastro do Cliente Anexo 1.3 Cadastro do Consultor (quando se tratar do primeiro atendimento) Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual 10. ASSINATURAS 10.1 DO COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: Data: / / 11. ACEITAÇÃO DA PROPOSTA PELO CLIENTE Declaro que estou de acordo com a proposta/metodologia a ser desenvolvida pelo projeto, cuja cópia está em meu poder, e com o valor da contrapartida de R$, que deverá ser paga em parcela(s), referente a horas de atendimento e demais serviços descritos no projeto proposto. Estou ainda ciente de que o SEBRAE está subsidiando % dos custos totais do projeto por meio do Programa de Consultoria Tecnológica SEBRAETEC. OBS.: Proposta sujeita à análise do SEBRAE, que formalizará a sua aprovação para o início dos trabalhos., de de Nome do Representante Assinatura 40

42 12. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: Preenchimento obrigatório pelo SEBRAE/UF 13. ORIGEM DA DEMANDA DO PROJETO Desenvolvimento local/regional/setorial ( ) Empreender: ( ) APL: ( ) Cadeia Produtiva: ( ) Setor Prioritário: ( ) Outros. Indicar: Demanda individual ( ) Empretec ( ) Balcão do SEBRAE ( ) Outros. Indicar: Tecnologia ( ) Design ( ) Eficiência Energética ( ) Incubadoras de Empresas ( ) Gestão Ambiental ( ) PAS ( ) TIB ( ) Outros. Indicar: Outras demandas ( ) Entidades executoras ( ) Associações, sindicatos, etc. ( ) APEX ( ) Outros. Indicar: 14. POSIÇÃO FINAL DO PROJETO Situação Data Justificativa ( ) Aprovado / / ( ) Pendente / / ( ) Não Aprovado / / TÉCNICO DO SEBRAE/UF Assinatura GERENTE/COORDENADOR SEBRAE/UF Assinatura 15. PARECER INICIAL ANEXAR, CONFORME MANUAL DE MONITORAÇÃO 41

43 ANEXO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA PARTE I 1.1 Infra-estrutura Empresarial Localização Área Física Processo Produtivo Capacidade Instalada Fluxo de Produção Layout Matérias-primas e insumos necessários Problemas Ambientais Mão-de-obra necessária 1.2 Análise de Mercado e Competitividade Macroambiente do Empreendimento: Ameaças e Oportunidades Análise do Mercado Definição do Mercado-Alvo Ciclo de Vida: Empresa, Produto e Serviço Consumidor Fornecedor Concorrente PARTE II 2.1 Viabilidade Técnica Descrição Detalhada dos Produtos e Serviços Características Objetivos Características da Inovação Tecnologia Utilizada Investimentos Fixos Programados Construções Civis e Instalações Complementares Máquinas e Equipamentos Cronograma Físico-Financeiro PARTE III 3.1 Viabilidade Econômico-Financeira Plano de Investimentos Investimentos Fixos Dimensionamento das necessidades de Capital de Giro Resumo da Demonstração de Resultado Avaliação Econômico-Financeira do Negócio para 5 anos Capacidade de Pagamentos (com recursos próprios e de terceiros) Fluxo de Caixa do Projeto Indicadores Econômico-Financeiros PARTE IV 4.1 Plano de Marketing e Comercialização Análise da Situação Cenários Vendas/Distribuição Mercados Estratégicos Estratégias de Marketing Planos de Ação Sistema de Controle (Gestão de Estratégia de Marketing) 42

44 ITENS COMPLEMENTARES PARTE V 5.1 Aspectos Organizacionais e de Gestão Definição da Estrutura Organizacional Currículo e Experiência das Pessoas Envolvidas Mecanismos de Acompanhamento e Avaliação Capacidade de Adaptação da Empresa no Ambiente de Negócio 5.2 Planejamento Estratégico Análise do Ambiente Tendências Oportunidades e Ameaças Pontos Fortes e Pontos Fracos Construção de Cenários Seleção de Alternativas Estratégicas Definição das Metas e dos Objetivos 5.3 Alianças e Parcerias PARTE VI 6.1 Conclusão da Viabilidade da Proposta 43

45 ANEXO 2.5 PROPOSTA APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO/POR EMPRESA 1. DADOS DA PROPOSTA Razão Social/Nome do Cliente Código do Cliente no SEBRAETEC (gerado pelo Sistema de Gestão do SEBRAETEC SGS): Nome do Projeto Projeto de Aperfeiçoamento Tecnológico: ( ) de Produtos e Processos ( ) de Máquinas/Equipamentos Entidade Executora Proponente: Código no SEBRAETEC Nome do Consultor Responsável pelo Projeto Código no SEBRAETEC CNAE Fiscal (Anexo 6.1) Áreas Temáticas de Projetos (Anexo 6.2) APL, Cadeia Produtiva ou Setor Prioritário: 2. INFORMAÇÕES RELATIVAS À SITUAÇÃO DA EMPRESA INICIAL Produção - Produção por Mês (Utilizara média mensal dos últimos 12 meses) Qte: - Unidade de Medida: ( nº de peças, toneladas, m3, litros, etc.) Un: Faturamento Bruto do Mês (Utilizar a média mensal dos últimos 12 meses) - Mercado Interno: R$ - Mercado Externo: R$ Valores referentes à compra de matéria-prima/mês (Utilizar a média mensal dos últimos 12 meses) (incluir todos os insumos necessários à produção): R$ Custos com energia elétrica/mês (Utilizar média mensal dos últimos 12 meses) R$ Acidentes de trabalho (nos últimos 12 meses) Nº Funcionários antes da consultoria Nº 3. NECESSIDADE DA EMPRESA 4. SOLUÇÕES PROPOSTAS 5. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES PARA IMPLANTAÇÃO DO PROJETO ( ) Semanas ( ) Meses Detalhamento das soluções propostas Horas 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 9ª 10ª 11ª 12ª TOTAL DE HORAS 44

46 O INÍICIO DO PROJETO SE DARÁ COM O PAGAMENTO DA PRIMEIRA PARCELA 6. RESULTADOS QUE PODEM SER OBTIDOS COM AS SOLUÇÕES PROPOSTAS ( ) adequação do produto às exigências do mercado ( ) lançamento de novo produto ( ) atendimento da legislação específica ( ) melhoria da posição no mercado ( ) atendimento de exigências de caráter ambiental ( ) melhoria da qualidade do processo ( ) atendimento de normas internacionais ( ) melhoria da qualidade do produto ou serviço ( ) aumento da produção ( ) melhoria da qualificação de mão-de-obra ( ) aumento da produtividade ( ) melhoria de performance ( ) aumento das exportações ( ) melhoria na segurança e saúde no trabalho ( ) aumento das vendas ( ) melhorias nas condições de trabalho ( ) aumento do faturamento ( ) outro descrever ( ) desenvolvimento de processo inovador ( ) redução de custos operacionais (produtos/serviços) ( ) diferenciação do produto ou serviço ( ) redução de tempo de produção ( ) diminuição de desperdícios ( ) redução dos impactos ambientais ( ) economia de energia ( ) substituição de equipamento importado ( ) facilidade de uso IMPORTANTE: As vantagens assinaladas deverão ser medidas antes da consultoria, para serem comprovadas ao final 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS DO CONSULTOR 8. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS Anexo 1.1 Cadastro do Cliente Anexo 1.3 Cadastro do Consultor (quando se tratar do primeiro atendimento) Anexo 3.1 Aplicação Financeira/Individual Anexo 3.2 Aplicação Financeira/Consolidada para projetos coletivos (uma única aplicação) 9. ASSINATURAS 9.1 DO COORDENADOR DO SEBRAETEC NA ENTIDADE EXECUTORA Nome: Assinatura: 10. ACEITAÇÃO DA PROPOSTA PELO CLIENTE (por empresa) Data: / / Declaro que estou de acordo com a proposta/metodologia a ser desenvolvida pelo projeto, cuja cópia está em meu poder, e com o valor da contrapartida de R$, que deverá ser paga em parcela (s), referente a horas de atendimento e demais serviços descritos no Projeto Proposto. Estou ainda ciente de que o SEBRAE está subsidiando % dos custos totais do projeto por meio do Programa de Consultoria Tecnológica SEBRAETEC. OBS.: Proposta sujeita à análise do SEBRAE, que formalizará a sua aprovação para o início dos trabalhos., de de Nome do Representante Assinatura 11. IDENTIFICAÇÃO DO SEBRAE/UF UF Regional/escritório do SEBRAE: Preenchimento obrigatório pelo SEBRAE/UF (por projeto) 45

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba 1 OBJETIVO 1.1 Realizar, em 2013, apoio financeiro para viabilizar a execução de serviços em inovação e tecnologia

Leia mais

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Secretaria de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia - SERHMACT Fundação de Apoio à Pesquisa - FAPESQ Setembro/Outubro de 2013 TECNOVA

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Cooperativa é uma sociedade de pessoas, com forma e caráter jurídico próprio, de natureza civil, constituídas para prestar serviços aos cooperados. Sua missão é promover a qualidade de

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE Anexo I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO Modalidade Tipo 1 Aplicação do modelo CERNE 1 Brasília, 2011 Código da Proposta: (Uso do Sebrae): 1. DADOS

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

ANEXO IV TERMO DE REFERÊNCIA E ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO

ANEXO IV TERMO DE REFERÊNCIA E ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO ANEXO IV TERMO DE REFERÊNCIA E ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL 01/2013 PROPOSTA / ELABORAÇÃO DE PROJETOS

Leia mais

Inova Pequena Empresa RS

Inova Pequena Empresa RS Inova Pequena Empresa RS 1 Bloco: : Conceituando Inovação; 2 Bloco: : Programa Inova Pequena Empresa RS / Chamada Pública P Nº N 01/2009; 3 Bloco: : Estruturação do projeto no Sistema de Gestão de Projetos

Leia mais

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS Parceria Instituição Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas IFAM, Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ

EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

ANEXO III - ROTEIRO DE PROJETO

ANEXO III - ROTEIRO DE PROJETO ANEXO III - ROTEIRO DE PROJETO 1.DADOS CADASTRAIS DA ENTIDADE OU ORGANIZAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROPONENTE NOME DA ENTIDADE OU ORGANIZAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (abreviatura caso possua) NOME FANTASIA

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Conhecer o cenário de atuação de micro e pequenas empresas é fundamental para subsidiar estratégias de atuação do Sebrae junto a esses negócios.

Conhecer o cenário de atuação de micro e pequenas empresas é fundamental para subsidiar estratégias de atuação do Sebrae junto a esses negócios. Conhecer o cenário de atuação de micro e pequenas empresas é fundamental para subsidiar estratégias de atuação do Sebrae junto a esses negócios. Só assim é possível identificar oportunidades de melhorias

Leia mais

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014 INCUBADORA RINETEC Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC Edital 001 2014 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Este edital estabelece formas, condições e critérios para que a Associação

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS

PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO CARTA-CONSULTA ANEXO II AO DECRETO 4744 PROGRAMA DESENVOLVER PELOTAS I A EMPRESA 1.1. Caracterização e Outras Informações Razão social:

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria e Consultoria Tributária para as empresas do Arranjo Produtivo Local. 1. OBJETIVO

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR JÚNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO I DA CONVOCAÇÃO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins lucrativos, comunica e convida empresas do setor

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS

POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS sicoobcentro.com.br POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS Cooperativa de Crédito *Esta Política de Apoio a Projetos Sociais é baseada no projeto da Cooperativa Sicoob Credip* ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...3

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

TECNOLOGIA O QUE É O SEBRAETEC A QUEM SE DESTINA COMO PARTICIPAR SETORES ATENDIDOS VANTAGENS AÇÕES NÃO COBERTAS CONTATO

TECNOLOGIA O QUE É O SEBRAETEC A QUEM SE DESTINA COMO PARTICIPAR SETORES ATENDIDOS VANTAGENS AÇÕES NÃO COBERTAS CONTATO Um investimento indispensável para o crescimento da sua empresa. O Sebrae viabiliza serviços de consultoria prestados por uma rede de instituições/empresas detentoras de conhecimento tecnológico. Através

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo 11 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo 13 1. Considerações iniciais O programa SEBRAEtec é um serviço de consultoria tecnológica. Sua finalidade é facilitar o acesso dos empreendedores

Leia mais

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015 Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC Processo de Seleção de Empresas EDITAL nº 2/2015 Brasília, 20 de Novembro de 2015 Apresentação É com satisfação que a Projetos Consultoria Integrada,

Leia mais

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA O PROGRAMA BAHIA INOVAÇÃO REDE DE EMPREENDEDORISMO A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP SUMÁRIO OBJETIVO... 2 1. DAS PROPOSTAS... 2 2. PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SELEÇÃO DE PROPOSTAS E PROJETOS... 4 3. CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS E PROJETOS... 4 4. DA CLASSIFICAÇÃO...

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO R FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DE PESQUISA CPPG/NOVAFAPI Nº 001/2008 Seleção de projetos de pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Setembro, 2014 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS

Leia mais

SELEÇÃO PROGRAMA PROCOMPI SEBRAE/CNI/FIEAC PROGRAMA DE APOIO À COMPETITIVIDADE DAS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS - PROCOMPI

SELEÇÃO PROGRAMA PROCOMPI SEBRAE/CNI/FIEAC PROGRAMA DE APOIO À COMPETITIVIDADE DAS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS - PROCOMPI SELEÇÃO PROGRAMA PROCOMPI SEBRAE/CNI/FIEAC PROGRAMA DE APOIO À COMPETITIVIDADE DAS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS - PROCOMPI EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2011 PERFIL: Consultoria Técnica para o Programa de Apoio

Leia mais

1. OBJETO...3 2. PREAMBULO...3 3. CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO...3 4. OFICIALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO...3 5. PAGAMENTO, FORMAS E CONDIÇÕES...

1. OBJETO...3 2. PREAMBULO...3 3. CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO...3 4. OFICIALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO...3 5. PAGAMENTO, FORMAS E CONDIÇÕES... ConsultoriaTecnológicaConsultoriaTecnológicaConsultoriaTecnológicaConsultoriaTecnológicaCons ultoriatecnológicaconsultoriatecnológicaconsultoriatecnológicaconsultoriatecnológicaconsultori atecnológicaconsultoriatecnológicaconsultoriatecnológicaconsultoriatecnológicaconsultoriatec

Leia mais

Formulário de Apresentação da Proposta Simplificada

Formulário de Apresentação da Proposta Simplificada Formulário de Apresentação da Proposta Simplificada A. Dados Cadastrais A.1. Informações para contato Endereço Completo: Bairro: Cidade: UF: CEP: Telefone: e-mail: Página na Internet: A.2. Caracterização

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS A Diretora Geral da Fundação Parque Tecnológico

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos DE E DE Elaboração de Projetos PROGRAMAÇÃO DA AULA Estrutura de projetos de inovação Avaliação de projetos de inovação DE E DE Características dos Projetos de P&D DE E DE OPORTUNIDADES Parceiros Recursos

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento Instrutora: Aneliese Nascimento O QUE É UM PROJETO? 4 Instrumento de comunicação. 4 Instrumento de intervenção em um ambiente ou situação para mudanças. 4 Instrumento para fazer algo inovador. O QUE DEVE

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Escola Nacional de Saúde Pública Escola de Governo em Saúde Programa de Educação à Distância IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Equipe da Coordenação

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG

Grupo Educacional UNIS - MG 1º CONCURSO NEUNIS DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2014 1 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso NEUNIS de Planos de Negócio para Universitários é uma iniciativa

Leia mais

CREDENCIAMENTO. Edital de Credenciamento de Consultores CR 502/2009. 1. DADOS PESSOAIS. nmlkj Masculino. Neste campo só são aceitos números

CREDENCIAMENTO. Edital de Credenciamento de Consultores CR 502/2009. 1. DADOS PESSOAIS. nmlkj Masculino. Neste campo só são aceitos números CREDENCIAMENTO Edital de Credenciamento de Consultores CR 502/2009. *Nome: 1. DADOS PESSOAIS *Sexo: nmlkj Feminino nmlkj Masculino *Estado Civil: Escolha uma opção.. *Data de Nascimento: Telefone Residencial:

Leia mais

Chamada de Projetos 01/2014 - FUNDOAPL. Projeto de Fortalecimento das Cadeias e APLs

Chamada de Projetos 01/2014 - FUNDOAPL. Projeto de Fortalecimento das Cadeias e APLs Chamada de Projetos 01/2014 - FUNDOAPL Projeto de Fortalecimento das Cadeias e APLs Objetivos: Apoiar a execução de projetos coletivos, de soluções coletivas e/ou que estejam disponíveis para um conjunto

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITFETEP SUMÁRIO OBJETIVO... 2 1. DAS PROPOSTAS... 2 2. PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SELEÇÃO DE PROPOSTAS E PROJETOS... 4 3. CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS E PROJETOS... 4 4. DA CLASSIFICAÇÃO...

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

CHAMADA DE PROJETOS Nº 01/2015 APOIO A PROJETOS NA MODALIDADE DIFERENCIAÇÃO DO PROGRAMA SEBRAETEC - SEBRAE/BA

CHAMADA DE PROJETOS Nº 01/2015 APOIO A PROJETOS NA MODALIDADE DIFERENCIAÇÃO DO PROGRAMA SEBRAETEC - SEBRAE/BA CHAMADA DE PROJETOS Nº 01/2015 APOIO A PROJETOS NA MODALIDADE DIFERENCIAÇÃO DO PROGRAMA SEBRAETEC - SEBRAE/BA PREÂMBULO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DA BAHIA - SEBRAE/BA, entidade

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE ASSESSORIA E CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO, ELABORAÇÃO DE PROJETOS E PLANO DE NEGÓCIOS. Contatos Valter Fernandes (Gerente do Projeto)

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC

SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC DE... (Candidato)... (Data) 1. CARTA DE CANDIDATURA (Minuta) (Candidato) declara seu interesse em instalar-se no BH-TEC - Parque Tecnológico de Belo Horizonte. Na oportunidade,

Leia mais

ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA

ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA ANEXO VI PRESTAÇÃO DE CONTAS Proponente Endereço completo ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO CPF Telefone CEP Cidade UF E-mail Fax Tema do Projeto Período de utilização

Leia mais

SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS

SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS Curitiba, 18 de março de 2015. 1 SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS Sumário APRESENTAÇÃO... 3 JUSTIFICATIVAS E BENEFÍCIOS... 3 COMO OBTER O SELO...

Leia mais

1 Solicitante do Auxílio Orientador-Pesquisador 2- N.º do Projeto. 3 - Tipo de Despesa. Relação do Material de Consumo.

1 Solicitante do Auxílio Orientador-Pesquisador 2- N.º do Projeto. 3 - Tipo de Despesa. Relação do Material de Consumo. ANEXO D PRESTAÇÃO DE CONTAS ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO Solicitante do Auxílio Orientador-Pesquisador CPF Endereço completo Telefone CEP Cidade UF E-MAIL FAX Tema

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008.

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 81, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008. Estabelece procedimentos sobre a apresentação de relatórios de gestão e prestação de contas em Programas Especiais de Fomento. A DIRETORIA COLEGIADA

Leia mais

2.1 - Proponente. Grupo Econômico CNAE principal Faturamento / Rec. Oper. Bruta de 2014. Endereço Telefone Geral Endereço Eletrônico Institucional

2.1 - Proponente. Grupo Econômico CNAE principal Faturamento / Rec. Oper. Bruta de 2014. Endereço Telefone Geral Endereço Eletrônico Institucional SUMÁRIO EXECUTIVO Linha Temática PN solicita Recursos Não - Reembolsáveis 1 1 - Título do Plano de Negócio 2 - Cadastramento: 2.1 - Proponente Razão Social CNPJ Grupo Econômico CNAE principal Faturamento

Leia mais

PARTE VI O Plano de Negócios

PARTE VI O Plano de Negócios FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Empreendedorismo: Uma Introdução Prof. Fabio Costa Ferrer,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR SÊNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 01/2015

Edital Instituto Sabin - 01/2015 Edital Instituto Sabin - 01/2015 Seleção pública de iniciativas empreendedoras socioambientais inovadoras para parceria com o Instituto Sabin O Instituto Sabin, torna público o presente Edital e convoca

Leia mais

Edital Permanente Incubaero

Edital Permanente Incubaero Edital Permanente Incubaero A Incubaero torna pública a abertura permanente de inscrições para candidatos ao ingresso, como incubados, em seu quadro de empresas e ou de pré-projetos de base tecnológica.

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas-senai/programas/edital-de-inovacao/2015/04/1,60050/glossario.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas-senai/programas/edital-de-inovacao/2015/04/1,60050/glossario.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas-senai/programas/edital-de-inovacao/2015/04/1,60050/glossario.html Glossário A Atividades - Ações que os executores realizam para alcançar

Leia mais

ANEXO III. FORMULÁRIO PARA SOLICITAÇÃO DE APOIO INSTITUCIONAL Edital 02/2015 Patrocínio Cultural

ANEXO III. FORMULÁRIO PARA SOLICITAÇÃO DE APOIO INSTITUCIONAL Edital 02/2015 Patrocínio Cultural ANEXO III FORMULÁRIO PARA SOLICITAÇÃO DE APOIO INSTITUCIONAL Edital 02/2015 Patrocínio Cultural INSTRUÇÕES: 1. Preencha integralmente o formulário. Nos casos em que o item solicitado não for pertinente,

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 Regulamenta a concessão de Auxílio para Apoio a Incubadoras

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS Objetivos da apresentação Exposição dos principais detalhes do edital,

Leia mais

ATENÇÃO: Há uma listagem para Pessoa Jurídica, outra para Profissionais Indicados e outra para Profissionais Autônomos.

ATENÇÃO: Há uma listagem para Pessoa Jurídica, outra para Profissionais Indicados e outra para Profissionais Autônomos. SEBRAE NA Edital de Credenciamento 02/2010 ERRATA 01 Comunicado 05 Credenciamento para Prestação de Serviços de e ETAPA 2 HABILITAÇÃO PESSOA JURÍDICA Publicado em 24/10/2012 ATENÇÃO: Há uma listagem para

Leia mais

2ºSeminário Experiência dos Estados com Editais de Apoio a APL de Baixa Renda -BNDES. Apoio a Projetos Produtivos - Ceará

2ºSeminário Experiência dos Estados com Editais de Apoio a APL de Baixa Renda -BNDES. Apoio a Projetos Produtivos - Ceará 2ºSeminário Experiência dos Estados com Editais de Apoio a APL de Baixa Renda -BNDES Apoio a Projetos Produtivos - Ceará Política Estadual de Desenvolvimento Estabelecer mecanismos de estímulo ao processo

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFAM Maio

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014

Plano BrasilMaior 2011/2014 Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Agenda de Ações para a Competitividade dos Pequenos Negócios Dimensões do Plano Brasil Maior -Quadro Síntese Dimensão Estruturante:

Leia mais

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta . Capa: - Título do projeto - Nome da instituição proponente - Linha de ação a ser apoiada. Roteiro para elaboração de Projeto Proposta. Identificação da instituição proponente e responsável legal - devem

Leia mais

TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO

TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO PROGRAMA DE ADESÃO ESPECIALISTAS NO SETOR DA CONSTRUÇÃO INSTITUTO EUVALDO LODI / IEL

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015 REDE NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E FEMINISTA A GUAYÍ, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, sediada na Rua José do Patrocínio 611, Bairro Cidade Baixa, Porto

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

REGULAMENTO. PROGRAMA SEBRAEtec - SERVIÇOS EM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

REGULAMENTO. PROGRAMA SEBRAEtec - SERVIÇOS EM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA REGULAMENTO PROGRAMA SEBRAEtec - SERVIÇOS EM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 1. CONDIÇÕES GERAIS 1.1. O SEBRAEtec Serviços em Inovação e Tecnologia constitui um instrumento do Sistema SEBRAE que permite às EMPRESAS

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14 PLANO DE NEGÓCIO EMPRESA (inserir logo) SET/14 Índice 1 INTRODUÇÃO-Sumário Executivo 04 1.1 Identificação da Empresa 04 1.1.1 Histórico da empresa 04 1.1.2 Definição do modelo de negócio 05 1.1.3 Constituição

Leia mais

Processo Inmetro N.º 5681/02 EDITAL N.º 002/03

Processo Inmetro N.º 5681/02 EDITAL N.º 002/03 Processo Inmetro N.º 5681/02 EDITAL N.º 002/03 O Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro, através do Comitê do, instituído pela Portaria Inmetro n.º 092, de 25 de

Leia mais

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico SIBRATEC Instituído por meio do Decreto 6.259, de 20 de novembro de 2007 e complementado pela Resolução do Comitê Gestor SIBRATEC nº 001, de 17 de março de 2008, para atender as demandas específicas de

Leia mais

Incubadora de C,T&I de Limeira Edital Permanente

Incubadora de C,T&I de Limeira Edital Permanente A Incubadora de Ciência, Tecnologia & Inovação de Limeira torna pública a abertura do Edital Permanente para as inscrições de candidatos, como empresas ou pré-projetos de base tecnológica, à incubação.

Leia mais

MODELO PLANO DE NEGÓCIO

MODELO PLANO DE NEGÓCIO MODELO PLANO DE NEGÓCIO Resumo dos Tópicos 1 EMPREENDEDOR... 3 1.1. O EMPREENDIMENTO... 3 1.2. OS EMPREENDEDORES... 3 2 GESTÃO... 4 2.1. DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO... 4 2.3. PLANO DE OPERAÇÕES... 4 2.4. NECESSIDADE

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 11/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DE EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO

Leia mais

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura Termo de Referência para Contratação de Consultoria - TR Modalidade Pessoa Física Vaga Código TR/PF/IICA-005/2010 PCT BRA/09/001 - Acesso e uso da energia elétrica como fator de desenvolvimento de comunidades

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO

EDITAL DE CREDENCIAMENTO EDITAL DE CREDENCIAMENTO 01 Convênio ATN/ME- 11533-BR Cooperação Técnica Não- Reembolsável. Desenvolvimento de Metodologia para Implantação de Microfranquias 02 Identificação do Edital de Credenciamento

Leia mais

Apoio a Programas de Conservação

Apoio a Programas de Conservação Apoio a Programas de Conservação OBJETIVOS Apoiar instituições para que desenvolvam ações de conservação em médio e longo prazo, na forma de programa, que resultem em medidas efetivas de conservação. As

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO INTERNO DE PROJETOS Nº 02/2014 ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO

EDITAL DE CHAMAMENTO INTERNO DE PROJETOS Nº 02/2014 ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO EDITAL DE CHAMAMENTO INTERNO DE PROJETOS Nº 0/04 ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE PROPONENTE Nome da Entidade CNPJ Dirigente da Entidade. HISTÓRICO DA PROPONENTE..

Leia mais

Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA. Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA

Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA. Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA Roteiro Incubadora Histórico / UNIFRA Programa de Incubação UNIFRA Organograma

Leia mais

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX Campinas 16 de abril de 2009. EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX A convida empresas especializadas em

Leia mais

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL Paulo Íris Ferreira SEMINÁRIO SOBRE PROPRIEDADE INDUSTRIAL E PEQUENAS

Leia mais