O HEMC promoveu em abril mais uma rodada do programa Trainee-Farmácia Hospitalar, cujo objetivo é aprimorar profissionais recém-formados. Pág.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O HEMC promoveu em abril mais uma rodada do programa Trainee-Farmácia Hospitalar, cujo objetivo é aprimorar profissionais recém-formados. Pág."

Transcrição

1 Informativo do Hospital Estadual Mário Covas Ano 6 nº 33 Abril / Maio de 2009 O Centro de Aprendizagem, Documentação, Informação e Pesquisa da FMABC planeja instalar neste ano diversas mini-bibliotecas nos hospitais mantidos pela Fundação do ABC, entre os quais o Mário Covas, e nas demais instituições de saúde parceiras. A iniciativa visa a favorecer o estudo e a pesquisa dentro de unidades que servem de campo de estágio para residentes e alunos da FMABC, assim como para pesquisadores da Pós-graduação. O projeto prevê a continuidade da Biblioteca Central no campus da faculdade, com ramificações do acervo pelos hospitais-escola. Pág. 4 Três contêineres instalados na entrada de funcionários passam a receber a partir de maio lixo reciclável arrecadado pelos funcionários do HEMC. Campanha permanente de conscientização sobre descarte correto de materiais que podem ser reaproveitados terá início com a Semana da Enfermagem 2009, com foco na coleta de garrafas pet e latas de alumínio. A ação no HEMC também se estende a outros tipos de lixo reciclável, como pilhas e óleo de cozinha. Pág. 6 Crianças com síndrome de Down que moram no Estado de São Paulo passaram a ter calendário de vacinação diferenciado desde 23 de março, com vacinas não disponíveis na rede pública. Trata-se de iniciativa das secretarias de Estado da Saúde e dos Direitos das Pessoas com Deficiência que visa a prevenção de doenças nesse público, cujo sistema imunológico é mais frágil. Sediado no HEMC, O CRIE-ABC é o único posto cadastrado para atender às sete cidades da região, além de municípios anexos como Mogi das Cruzes e de todo o litoral paulista, de Ubatuba a Peruíbe. Pág. 3 O HEMC promoveu em abril mais uma rodada do programa Trainee-Farmácia Hospitalar, cujo objetivo é aprimorar profissionais recém-formados. Pág. 6

2 O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) realizou no Anfiteatro Grande ABC do HEMC, em 13 de março último, encontro com os novos secretários de Saúde da região. Titulares e representantes dos sete municípios abordaram as principais metas para a saúde na região e esclareceram dúvidas dos convidados. Após levantamento da situação da saúde no Grande ABC e apresentação de propostas para as gestões que se iniciam, foram sugeridas ações integradas entre as cidades para melhoria do atendimento à população e das condições de trabalho dos profissionais da saúde, além de melhor remuneração dos médicos e prática de valor isonômico para a região. Foi proposta a criação de um mecanismo de integração entre os Hospitais Estaduais Serraria e Mário Covas junto aos municípios, para o atendimento terciário na região. Em seguida os secretários responderam às questões da platéia, como a distribuição de medicamentos, a estratégia assistencial voltada à saúde mental, mecanismos de controle social para ações de saúde, assim como um Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) que dignificasse o trabalho do profissional de Medicina na região. Durante o encontro foi relatada a situação de calamidade na qual se encontra a assistência médica de Mauá, especialmente das condições atuais do Hospital Radamés Nardini. Todos os secretários se solidarizaram e ofereceram ajuda ao município vizinho. A realização do evento reafirma o compromisso do Cremesp na busca por melhores condições de trabalho, além de remuneração justa aos médicos para exercício pleno e ético da Medicina no ABCDMR, fator importante para a qualidade do atendimento à população. O Cremesp se comprometeu a realizar novo encontro em breve, quando será abordado assunto temático de interesse de todos e a reavaliação das propostas nessa reunião. A região efetivamente conta com o Consórcio Intermunicipal das Bacias do Alto Tamanduateí e Billings, também conhecido como Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, resultado do esforço e trabalho conjuntos dos sete municípios. Foi constituído em 19 de dezembro de 1990 como uma associação civil de direito privado, atuando como órgão articulador de políticas públicas setoriais. O Consórcio é instituição reconhecida no Brasil inteiro como iniciativa pioneira da organização de municípios, mas atualmente encontra-se estagnado. O grande desafio é fazer os temas regionais - e no nosso caso a saúde - serem reconhecidos efetivamente pelos municípios como de grande valia. Acreditamos que com o encontro no Mário Covas demos um passo para reativar o Grupo Temático da Saúde do Consórcio. Cabe agora aos novos secretários de Saúde a articulação política necessária para avançarmos e não faltam motivações para tal - o próprio problema da saúde em Mauá serve como bandeira para as grandes soluções da saúde regional. Dr. Desiré Carlos Callegari Diretor Técnico Estadual em Notícia é um informativo bimestral e de distribuição gratuita do Hospital Estadual Mário Covas. Endereço: Rua Dr. Henrique Calderazzo, 321 B. Paraíso - Santo André - SP. CEP: Fone: (11) Site: Superintendente: Dr. Geraldo Reple Sobrinho Assistente da Superintendência: Dr. Mário Scarpa Diretor Técnico: Dr. Desiré Carlos Callegari Diretor Clínico Dr. Vanderley da Silva Paula Diretor Econômico-Financeiro: Dr. João Metanios Hallack Diretora de Planejamento: Dra. Ana Cecília Guimarães Borrelli Diretora de Enfermagem: Enfa. Carmen Lúcia A. Pimenta Simões Assistentes Médicos: Dra. Eliane Terezinha Rocha Mendes Dr. Pedro Gregori Assistente de Diretoria de Planejamento: Yukie Komatsu Hotta Assist. Téc. da Diretoria de Enfermagem: Enfa. Maria Elisabeth F. Nogueira Enfa. Roseli Hiromi Hyodo Produção: MP & Rossi Comunicações: (11) Departamento de Comunicação FUABC-FMABC Jornalista Responsável: Marli Popolin (Mtb: ) Textos: Eduardo Nascimento e Malu Marcoccia Editoração Eletrônica e Fotos: Eduardo Nascimento Impressão: Belince Gráfica e Editora (11) Missão: Prestar assistência médico-hospitalar de alta complexidade à população do Grande ABC e contribuir para formação de profissionais na área de saúde. Visão: Alcançar reconhecimento como instituição médica assistencial resolutiva com qualidade. Consolidar-se como centro de ensino e pesquisa em parceria com a Fac. de Medicina do ABC e como modelo de gestão. Valores: Ética, humanização, trabalho em equipe, responsabilidade social, busca contínua da qualidade, desenvolvimento profissional e pessoal, compromisso com o cliente e com o trabalho, história institucional FUABC, FMABC e HEMC. Os trabalhos de Ortopedia e Traumatologia no HEMC somam índices que impressionam. Somente nas consultas ambulatoriais foram atendimentos no ano passado - 13,5% a mais que em 2007 (17.681) e 29,4% superior ao registro de 2006 (15.512). No comparativo com as demais especialidades, o Ambulatório de Ortopedia foi o mais acionado em Aproximadamente 30% dos nossos atendimentos hoje são voltados aos casos ortopédicos e dispomos de 11 grupos com sub-especialidades ortopédicas, acrescenta o Diretor Clínico do HEMC, Dr. Vanderley da Silva Paula. O crescimento e valorização do setor também ficam claros nas atividades do centro cirúrgico (foto). Em 2006, a Ortopedia realizou procedimentos, enquanto em 2008 foram mais de Os trabalhos são coordenados pela Disciplina de Ortopedia e Traumatologia da FMABC, que além da assistência também utiliza o HEMC para desenvolvimento de pesquisas e para o ensino de graduação, pós-graduação e residência médica. Segundo o professor de Ortopedia e Traumatologia da FMABC, Dr. Walter Yoshinori Fukushima, a demanda reprimida por atendimentos em Ortopedia é muito grande na região. É preciso otimizar ao máximo o serviço. Bom gerenciamento do atendimento, organização, equipamentos de ponta, materiais à disposição e equipes competentes são fundamentais. Reunimos todos esses diferenciais no Hospital Mário Covas, o que garante excelência ao serviço, explica Dr. Walter, que completa: A logística de entrada, atendimento e saída dos pacientes funciona muito bem no HEMC e temos toda a retaguarda da Diretoria Clínica, equipes de enfermagem, recepcionistas e demais profissionais envolvidos no processo. Isso torna o serviço mais ágil sem perder qualidade.

3 Leila Aparecida Alves (esq.) e Cínthia Pinhal O Hospital Mário Covas promoveu em abril mais uma rodada do programa Trainee- Farmácia Hospitalar, cujo objetivo é aprimorar profissionais recémformados. Este é o terceiro ano em que o HEMC abre oportunidades a farmacêuticos que queiram especializar-se em farmácia hospitalar, segmento que exige aprofundar outros tipos de conhecimentos em relação a quem atua em laboratórios de manipulação ou em farmácias de rua, por exemplo. O programa de desenvolvimento se estende por um ano, durante o qual os trainees aprendem a lidar especificamente com a rotina de medicamentos dentro de um hospital de alta complexidade como o Mário Covas, desde preparar dosagens e conteúdos de acordo com cada paciente (90% em estado crítico) até logística de distribuição. Temos falta no mercado de farmacêuticos com essa bagagem. As universidades formam profissionais mais genéricos, por isso o Hospital Mário Covas se preocupa em preparar uma geração com habilidades mais específicas, afirma a psicóloga Leila Aparecida Alves, da Gestão de Pessoas. Em 2007 foram abertas três vagas, em 2008 outras três e neste ano são duas, mas a carga horária subiu de 6 para 8 horas diárias. Conforme a legislação de trainees, os candidatos devem ser formados entre 2007 e Todos passam por prova de múltipla escolha na 1ª fase e por entrevistas individuais e dinâmicas na 2ª etapa. A divulgação dos classificados está prevista para 22 de maio próximo no site do HEMC. No final do programa o trainee poderá ser contratado caso haja vaga no hospital, informa Cínthia Pinhal, ela própria ex-trainee e hoje coordenadora das farmácias do HEMC. Temos hoje uma Central e 3 farmáciassatélite. Entre materiais e medicamentos, são 10 mil itens movimentados por dia. Em dosagem, são 4 mil tiras de medicamentos por mês, afirma Cinthia. Um ambiente hospitalar como o do HEMC se diferencia inclusive dos hospitais gerais por lidar com casos complexos como na Oncologia ou no controle de medicamentos psicotrópicos. Entre mensageiros, auxiliares de farmácia e farmacêuticos, o HEMC conta com 50 colaboradores. Dos 5 farmacêuticos, 2 são ex-trainees. Três contêineres instalados na entrada de funcionários passam a receber a partir de maio lixo reciclável arrecadado pelos funcionários do HEMC. Campanha permanente de conscientização sobre descarte correto de materiais que podem ser reaproveitados terá início com a Semana da Enfermagem 2009, cujo mote social focou este ano a coleta de garrafas pet e latas de alumínio. A ação permanente no HEMC a partir de agora se estende também a outros tipos de lixo reciclável, como pilhas e baterias de celular, garrafas de vidro, óleo de cozinha e de motor de veículos. Toda a arrecadação será doada às cooperativas Coop Recicla e Coop Cidade Limpa, as duas de Santo André. A princípio a coleta de recicláveis comuns mobilizará os 1,7 mil funcionários do HEMC, mas há planos de ampliar para todo o público circulante do hospital, calculado em aproximadamente 7 mil pessoas por dia entre pacientes, familiares e colaboradores diretos e indiretos. Também a comunidade vizinha deverá participar futuramente, conforme planejam os coordenadores da ação, o técnico de meio ambiente José Alexandre Filho e a assistente de hotelaria hospitalar Ângela Santos Carvalho. Já a enfermeira chefe do HEMC, Carmen Lúcia Simões, justifica o reaproveitamento de garrafas pet e latinhas de alumínio como vetores da Semana da Enfermagem de 2009 por serem materiais abundantes e de inúmeras utilidades pós-reciclagem. A campanha tem como slogan Cuidar do Meio Ambiente é Responsabilidade de Todos. Os funcionários serão orientados por meio de cartazes, banners e contatos pessoais a trazer o lixo separado em sacolinhas plásticas, por tipo de produto: lata com lata, pilhas e baterias, plásticos com plásticos. As garrafas de vidro não podem estar quebradas e o óleo de fritura ou de motor deve ser acondicionado em garrafa pet. A triagem e destinação do material ficarão por conta das cooperativas que o receberão, explicam Alexandre e Ângela. rianças com síndrome de Down que moram no Estado de São CPaulo passaram a ter calendário de vacinação diferenciado desde 23 de março, com vacinas não disponíveis na rede pública. Trata-se de iniciativa das secretarias de Estado da Saúde e dos Direitos das Pessoas com Deficiência que visa a prevenção de doenças nesse público, cujo sistema imunológico é mais frágil e suscetível às viroses e infecções bacterianas. A distribuição e aplicação das vacinas são feitas gratuitamente nos Centros de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) do Estado mediante solicitação e pedido médico. Sediado no Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André, o CRIE-ABC é o único posto cadastrado para atender às sete cidades da região, além de municípios anexos como Mogi das Cruzes e todo o litoral paulista, de Ubatuba a Peruíbe. O programa de vacinação para pessoas com síndrome de Down já existia na esfera federal, vinculado ao Ministério da Saúde. O governo do Estado de São Paulo aproveitou as comemorações referentes ao cinquentenário da descoberta da trissomia do cromossomo 21, que caracteriza a síndrome de Down, e ampliou o programa com inclusão de novas vacinas no calendário, explica Dr. Munir Akar Ayub (foto), coordenador do CRIE-ABC e professor de Infectologia da FMABC. O novo calendário para crianças com síndrome de Down conta com sete vacinas especiais, entre as quais a de gripe (contra o vírus influenza), pneumocócica, meningocócica e de catapora (varicela). Pacientes de cidades próximas aos CRIEs podem se dirigir diretamente aos centros para a vacinação especial. Para quem mora longe, basta passar com o médico no posto de saúde mais próximo. A própria unidade de saúde fará a solicitação das vacinas ao CRIE, que enviará os imunobiológicos para que os pacientes não precisem percorrer longas distâncias para a vacinação, completa Dr. Munir Akar Ayub. Para todas as idades: Apesar de crianças com síndrome de Down serem o foco do programa, o novo calendário do Governo do Estado também contempla vacinas especiais para adolescentes e adultos com a trissomia. A síndrome de Down é causada por um erro genético, com o surgimento de um cromossomo a mais no 21º par. Os bebês com Down nascem com hipotonia (flacidez muscular), que é uma das principais características da síndrome e que pode determinar alguns problemas clínicos. As cardiopatias são encontradas em cerca de 40% dos casos, sendo que os recém-nascidos são bastante suscetíveis às infecções respiratórias, descreve o neuropediatra da FMABC, Dr. Rubens Wajnsztejn, que acrescenta: São características comuns a face achatada, fissuras palpebrais oblíquas, pele abundante na nuca, hiperextensibilidade das articulações, hipotonia muscular, anomalias auriculares, falange média do quinto dedo encurtada e prega palmar única. Está tudo pronto para abertura do Ambulatório Médico de Especialidades em Praia Grande, nova instituição sob gestão clínica da Fundação do ABC. A expectativa é de entrega entre abril e maio próximo, após o fim de reformas para adaptação do prédio e construção de recepção para melhor comodidade do público. O AME da Vila Mirim será referência em serviços de média e alta complexidade para 7 municípios no Litoral Sul, beneficiando cerca de 840 mil moradores. Trata-se da segunda aliança no modelo de OSS (Organização Social de Saúde) entre FUABC e Governo do Estado, firmada quase oito anos após a bem-sucedida parceria no Mário Covas. Os AMEs fazem parte de modelo inaugurado no Estado em 2007 com objetivo de agilizar o atendimento concentrando em um único dia consultas, exames e retorno com o médico. Se necessitar de tratamento especializado, o paciente é encaminhado na mesma data. O contrato de gestão foi assinado em 30 de outubro de 2008 entre FUABC e Secretaria de Estado da Saúde e a entrega das chaves do equipamento, que pertence à Prefeitura de Praia Grande, ocorreu em 19 de janeiro deste ano (foto). Estão previstas para o local pelo menos 25 especialidades médicas e 16 tipos de exames diagnósticos. Divulgação PM Praia Grande

4 Centro de Aprendizagem, Documentação, Informação e Pesquisa da Faculdade de Medici- Ona do ABC (CADIP) planeja instalar neste ano diversas mini-bibliotecas nos hospitais mantidos pela Fundação do ABC, entre os quais o Mário Covas, e nas demais instituições de saúde parceiras. A iniciativa visa a favorecer o estudo e a pesquisa dentro de unidades assistenciais que servem como campo de estágio para residentes e alunos da FMABC, assim como para pesquisas dos cursos de pós-graduação Lato e Stricto Sensu. O projeto prevê a continuidade da Biblioteca Central no campus da faculdade, em Santo André, com ramificações do acervo pelos hospitais-escola. É um antigo sonho que em breve se tornará realidade. Professores, alunos e funcionários terão acesso a informações atuais nos próprios locais de plantão. Além disso, terão espaço apropriado para estudo, computadores com acesso a internet para pesquisas bibliográficas e um estagiário do CADIP à disposição para orientações, dúvidas e sugestões, explica a responsável pelo CADIP-FMABC, Maria Angélica Dias Gagliardi (foto). Algumas das mantidas da Fundação do ABC, como os hospitais Mário Covas, Municipal Universitário (HMU) e Anchieta (Hospital de Ensino), já organizaram centros de estudos. Nesses casos, o CADIP passará a supervisionar os trabalhos, além de organizar e ampliar os acervos já disponíveis. As unidades que começarão do zero, como o Ambulatório de Especialidades Médicas (AME) e Hospital Irmã Dulce de Praia Grande, receberão livros e demais materiais de apoio do CADIP, que também fará consultoria para adequação e montagem dos espaços e coordenará as atividades nos locais. Ampliação do acervo: O ponta-pé inicial das mini-bibliotecas foi dado em março último, quando a FMABC recebeu duas grandes doações. Por meio da intermediação do laboratório Nycomed Pharma, o Fundo Editorial BYK destinou ao CADIP cerca de livros na área médica. Já a Editora Best Point doou revistas científicas e publicações de congressos, que chegaram Secretários de Saúde dos sete municípios do Grande ABC se reuniram no HEMC em 13 de março em encontro do Cremesp para discutir os planos de trabalho dos novos prefeitos. Da pequena Rio Grande da Serra às mais pujantes Santo André e São Bernardo, todos fizeram diagnóstico de muitas carências na saúde regional e foram unânimes em defender a reestruturação da atenção básica, com fortalecimento de programas como Saúde da Família e das UBSs. Melhor remuneração e nivelamento salarial na saúde também constaram do debate, que teve como eixo central o problema enfrentado por Mauá com o Hospital Nardini. Todas as cidades da região sofrem com a migração de pacientes e foram solidárias em transformar o Nardini na principal causa a ser solucionada no momento (leia Editorial). em 100 grandes caixas. Estamos catalogando todos os materiais recebidos e separando para em breve encaminharmos às minibibliotecas, ressalta Maria Angélica Dias Gagliardi, que acrescenta: Com a ampliação dos trabalhos para os hospitais e centros de saúde da FUABC, a tendência é de que os acervos cresçam rapidamente. Além das aquisições periódicas pelo CADIP, cada mini-biblioteca poderá enriquecer o próprio acervo e certamente receberá doações dos profissionais que utilizarem o local. Antes de passar em consulta no Hospital Estadual Mário Covas de Santo André, o paciente deve primeiro procurar o posto de saúde mais próximo. O Mário Covas não disponibiliza serviço de pronto-atendimento e recebe apenas casos de encaminhamentos. Todos os agendamentos estão sob responsabilidade da DRS (Direção Regional de Saúde) e são feitos de acordo com a necessidade de cada paciente, em serviço que abrange as sete cidades do ABC e, em alguns casos, demais municípios do Estado. stimativa da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo indica que somente 20% dos poten- Eciais doadores de órgãos são identificados pelas equipes médicas. Mesmo assim, o Estado bateu recorde de transplantes em 2008, contabilizando a metade de todos os procedimentos realizados no país. Foram mais de 1,3 mil cirurgias - quase 25% a mais que em O aumento foi atribuído ao trabalho de capacitação de equipes médicas iniciado pela Secretaria há cerca de 3 anos, cuja finalidade é habilitar profissionais à identificação de casos de morte encefálica para o início do protocolo de atendimento para potenciais doadores. Hoje ainda falta conhecimento por parte das equipes médicas para identificação de casos de morte encefálica. Graças ao trabalho de divulgação da importância dos transplantes de órgãos pela grande mídia, a população hoje é bem mais informada e a aceitação da doação de órgãos é muito maior. Faltam profissionais capacitados a identificar os potenciais doadores para dar início aos trâmites legais, esclarece o Diretor Clínico do Hospital Estadual Mário Covas, Dr. Vanderley da Silva Paula. Em reunião no início de março com o coordenador da Central de Transplantes da Secretaria, Dr. Luiz Augusto Pereira, diretores do Hospital Estadual Mário Covas discutiram a criação de uma OPO (Organização de Procura de Órgãos) no Grande ABC. O Estado de São Paulo tem hoje 10 OPOs, 4 na região metropolitana: Hospital das Clínicas da USP, Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Hospital São Paulo e Instituto Dante Pazzanese - que atende ao Hospital Mário Covas. Ficou claro que a implantação da OPO Grande ABC é bem vista pela Secretaria de Saúde, mas antes é necessário trabalho de capacitação médica com profissionais da região, acrescenta Dr. Vanderley. No encontro em São Paulo ficou definido que o Hospital Mário Covas iniciará trabalho de treinamento com médicos do Grande ABC, cuja finalidade principal é aumentar o número de notificações de morte encefálica e, conseqüentemente, de doadores de órgãos. Não precisamos ser uma OPO para atuar como capacitadores. Já estamos programando workshop entre maio e junho, em que serão convidados todos os serviços de urgência e emergência da região, assim como unidades de saúde que realizam neurocirurgias. São áreaschave para identificação de potenciais doadores e os médicos precisam conhecer e saber aplicar o protocolo de morte encefálica. É uma iniciativa embrionária, que futuramente pode viabilizar a instalação da OPO Grande ABC, adianta o Diretor do HEMC. Além da capacitação médica e integração entre as equipes do Grande ABC, o Hospital Mário Covas também oferecerá sua infra-estrutura para realização de exames complementares Acima, transplante renal; abaixo, o Diretor Clínico do HEMC, Dr. Vanderlei da Silva Paula para confirmação da morte encefálica, assim como apoio técnico e consultoria profissional sempre que necessário. Desafio regional: Cerca de 50% dos potenciais doadores identificados acabam por se tornar doadores, o que demonstra elevado grau de conscientização das famílias. O maior desafio é aumentar as notificações de morte encefálica pelas equipes médicas. A OPO Grande ABC não traria mais transplantes para a região. Independente do lugar em que o órgão é retirado, o transplante é feito segundo lista de espera da Central Estadual de Transplantes. A maior vantagem da instalação de uma OPO na região seria que o tema estaria ainda mais em evidência. Isso é bom para a conscientização do público leigo sobre a importância da doação de órgãos, e também serve como estímulo para que os médicos busquem capacitação e para que estejam mais atentos às notificações de casos de potenciais doadores. Em resumo, todos os esforços estão direcionados a um objetivo maior: aumentar as notificações de morte encefálica e o número de doadores de órgãos, conclui Dr. Vanderley.

5

para todo tipo de atendimento, desde casos mais simples até os de alta complexidade, sempre supervisionados

para todo tipo de atendimento, desde casos mais simples até os de alta complexidade, sempre supervisionados Informativo do Hospital Estadual Mário Covas Ano 6 nº 32 Fevereiro / Março de 2009 Depois da resposta positiva à coleta seletiva de resíduos hospitalares, a mobilização em favor do meio ambiente toma novo

Leia mais

morte de um ente querido, o Hospital Mário Covas recebeu em dezembro a enfermeira Pilar Cores Fuente, responsável pela Enfermaria de Cuidados

morte de um ente querido, o Hospital Mário Covas recebeu em dezembro a enfermeira Pilar Cores Fuente, responsável pela Enfermaria de Cuidados Informativo do Hospital Estadual Mário Covas Ano 5 nº 31 Dez. 2008 / Jan. 2009 Para falar das novas abordagens na área de cuidados paliativos, inclusive como a família deve lidar com o enfrentamento da

Leia mais

HEMC é referência para Teste do Pezinho

HEMC é referência para Teste do Pezinho HEMC é referência para Teste do Pezinho Ano 7 - nº 39 - Abril / Maio 2010 A rede pública de saúde do Grande ABC ganhou recentemente centro de referência para exames de triagem neonatal, mais conhecida

Leia mais

Mário Covas recebe certificação ONA

Mário Covas recebe certificação ONA Ano 7 - nº 40 - Junho / Julho 2010 Mário Covas recebe certificação ONA Municípios ofertam medicamentos de alto custo Desde 1º de maio a lista de medicamentos entregues pelos municípios à população passou

Leia mais

HEMC realiza primeiro transplante de córnea

HEMC realiza primeiro transplante de córnea HEMC realiza primeiro transplante de córnea Ano 8 - nº 44 - Fevereiro / Março de 2011 Enfermaria de Psiquiatria expõe quadros e poesias de pacientes A Enfermaria Psiquiátrica do HEMC realizou em dezembro

Leia mais

Ensino. Principais realizações

Ensino. Principais realizações Principais realizações Reestruturação dos Programas de ; Início do Projeto de Educação à Distância/EAD do INCA, por meio da parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ; Três novos Programas

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

HEMC recebe mutirão de Cirurgia Pediátrica

HEMC recebe mutirão de Cirurgia Pediátrica HEMC recebe mutirão de Cirurgia Pediátrica Ano 7 - nº 42 - Outubro / Novembro 2010 Federal do ABC faz campanha de doação de sangue Reforçar os bancos de sangue da região foi uma das ações da II Semana

Leia mais

DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA

DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA DESENVOLVIMENTO REGIONAL E A INDÚSTRIA Regionalismo e Cooperação Intermunicipal o caso do Grande ABC Paulista Fausto Cestari Filho Características do Grande ABC Primeiro povoado brasileiro fora do litoral

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Ata de Reunião. Aprovado por: Mara Januário Queiroz Cabral

Ata de Reunião. Aprovado por: Mara Januário Queiroz Cabral Título: Reunião Extraordinária do Colegiado Gestor Data: 06/05/2014 Página: 1 de 6 Pauta: 1. Apresentação das duas candidatas a direção da EEUFMG; 2. Medicamentos trazidos de casa para o HC pelo paciente

Leia mais

Boletim Informativo. O ano de 2013. Informe RH - Redução da Jornada de Trabalho. Próxima edição C O N J U N T O H O S P I T A L A R DO M A N D A Q U I

Boletim Informativo. O ano de 2013. Informe RH - Redução da Jornada de Trabalho. Próxima edição C O N J U N T O H O S P I T A L A R DO M A N D A Q U I C O N J U N T O H O S P I T A L A R DO M A N D A Q U I Boletim Informativo Nossa Missão: Promover assistência segura à saúde, com respeito e ética aos usuários, desenvolvendo o ensino e pesquisa na busca

Leia mais

1. Grupo 1 Remuneração das CIHDOTT s

1. Grupo 1 Remuneração das CIHDOTT s 1. Grupo 1 Remuneração das CIHDOTT s 1.1 Remuneração Fixa podendo ser ajustável conforme o potencial gerador de doadores de cada hospital; 1.2 Durante o trabalho na CIHDOTT a carga horária será exclusiva

Leia mais

Plano de Ação da Rede Nacional de Associações de Pais e Portadores de Fissuras Labiopalatais-

Plano de Ação da Rede Nacional de Associações de Pais e Portadores de Fissuras Labiopalatais- 1 Plano de Ação da Rede Nacional de Associações de Pais e Portadores de Fissuras Labiopalatais- REDE PROFIS 2012 a 2014 2 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Identificação da Associação 2. APRESENTAÇÃO DO PLANO

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES A Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes-CIHDOTT tem por objetivo a organizar todo o processo

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante POR QUE CRIAR CIHDOTTs? 6294 hospitais no país Necessidade de descentralização Equipes localizadas dentro do hospital notificante

Leia mais

Gestão do relacionamento com o Corpo Clínico Nossa Experiência. Irmã Marinete Tibério Presidente do HSVP e Consultora da ASVP

Gestão do relacionamento com o Corpo Clínico Nossa Experiência. Irmã Marinete Tibério Presidente do HSVP e Consultora da ASVP Gestão do relacionamento com o Corpo Clínico Nossa Experiência Irmã Marinete Tibério Presidente do HSVP e Consultora da ASVP 0 Quem somos Quem somos 1617 Fundação da Companhia das Filhas da Caridade 1930

Leia mais

CONCEITO. Despertar a potencialidade de indivíduos

CONCEITO. Despertar a potencialidade de indivíduos CONCEITO Despertar a potencialidade de indivíduos Utilizar a Arte como meio de comunicação e expressão e a Cultura no resgate de histórias de vida e valores 17 anos de atuação 231 mil atendimentos ARTE

Leia mais

Usina São Luiz S/A. Declaração de ciência do regulamento

Usina São Luiz S/A. Declaração de ciência do regulamento Declaração de ciência do regulamento Declaramos, para os devidos fins, que: i) Estamos cientes e de acordo com as condições do Regulamento do Prêmio de Mérito Ambiental. ii) A empresa está cumprindo as

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA PARA PREVENÇÃO, TRATAMENTO

Leia mais

RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014

RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014 RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014 O Secretário Municipal Adjunto de Recursos Humanos, no uso de suas atribuições legais, comunica as alterações

Leia mais

Conselho protesta contra prefeitura

Conselho protesta contra prefeitura Informativo Eletrônico da SE/CNS para os conselheiros nacionais Ano VI, Brasília, 08/04/2009. Prezado (a) conselheiro (a), Estamos encaminhando um clipping de notícias do CNS na mídia. A intenção é socializar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO. Capítulo I REGIMENTO INTERNO Capítulo I Da constituição, localização, finalidade e missão da Comissão Intra- Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes Art. 1º A Comissão Intra-Hospitalar de Doação

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Missão 03 Valores Institucionais 03 Escola Especial de Educação Básica 04 Clínica de Audição, Voz e Linguagem Prof. Dr. Mauro Spinelli

Leia mais

Boas Práticas de Humanização na Atenção e Gestão do Sistema Único de Saúde - SUS

Boas Práticas de Humanização na Atenção e Gestão do Sistema Único de Saúde - SUS 2006 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Política Nacional de Humanização Permitida a reprodução, no todo ou em parte, sem alteração do conteúdo e com a citação obrigatória da fonte: Política

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2012

EDITAL DE RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2012 EDITAL DE RETIFICAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2012 A FUNDAÇÃO HOSPITAL MUNICIPAL GETÚLIO VARGAS, divulga a retificação do Edital de Abertura do Processo Seletivo Simplificado n 002/2012 destinado

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Faculdade de Medicina Departamento de Cirurgia Grupo de Educação e Estudos Oncológicos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ Faculdade de Medicina Departamento de Cirurgia Grupo de Educação e Estudos Oncológicos E D I T A L Nº 04/2007 Seleção ao II Curso de Especialização em Mastologia A Coordenação do, extensão do Departamento de Cirurgia da da Universidade Federal do Ceará FAZ SABER aos interessados que estarão

Leia mais

DO FIM AO RENASCIMENTO

DO FIM AO RENASCIMENTO Foto: Arquivo Sistema de Procura de Órgãos e Tecidos do Hospital das Clínicas (SPOT-HC) DO FIM AO RENASCIMENTO A MORTE DE UNS PODE SALVAR A VIDA DE OUTROS QUE ESTÃO EM RISCO 6 Não há lado bom quando uma

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO A Universidade de Cruz Alta, possui uma área construída de 35.785,92m² em seu Campus Universitário, abrigando, nesse espaço, 26 cursos de graduação, cursos de especialização e mestrado, 119 laboratórios,

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção.

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Nádia D. de Souza 1 Kátia G. de Laia 2 Mariana O. Silva 3 Estevão L. M. Gomes 4 Tiago L. A.

Leia mais

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho IBMEC Jr. Consultoria A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho O mercado de trabalho que nos espera não é o mesmo dos nossos pais... ... ele mudou! As mudanças Certeza Incerteza Real Virtual

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

PROPOSTAS PARA A ESTRUTURAÇÃO DA ÁREA FARMACÊUTICA EM PERNAMBUCO

PROPOSTAS PARA A ESTRUTURAÇÃO DA ÁREA FARMACÊUTICA EM PERNAMBUCO PROPOSTAS PARA A ESTRUTURAÇÃO DA ÁREA FARMACÊUTICA EM PERNAMBUCO Documento elaborado a partir das discussões do Fórum Pernambucano de Valorização da Profissão Farmacêutica RECIFE/PE, AGOSTO DE 2014 Propostas

Leia mais

As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu.

As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu. As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu. Nosso Compromisso é trabalhar, junto à Reitoria, Discentes, Docentes

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade. Contrata Consultor na modalidade

Contrata Consultor na modalidade. Contrata Consultor na modalidade Contrata Consultor na modalidade PROJETO 914/BRZ/1138 EDITAL Nº 19/2014 Publicação de perfil(is) para contratação de profissional(is) na(s) área(s), cuja(s) vaga(s) está(ão) disponível (is) na página da

Leia mais

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Histórico 2005: Início do trabalho. I Seminário de Assistência Domiciliar. 2006: Portaria GM 2529. Fundação da ABRASAD Associação Brasileira

Leia mais

Estudo de caso: Projeto Reciclart

Estudo de caso: Projeto Reciclart 2014 Estudo de caso: Projeto Reciclart Solange Costa Miranda Nascimento Gerente de Resíduo - HGNI 4/9/2014 Estudo de Caso Reciclagem de resíduos Comum Política dos 3 R s Projeto Reciclart HGNI HGNI - Hospital

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Autores: Raphaella Rodrigues de Oliveira Gerente de Hotelaria; Rafael Saad Coordenador Administrativo.

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROLOGIA CLÍNICA E INTENSIVA Unidade

Leia mais

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Comissão de Sustentabilidade Campus Verde Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG - CEP 37.130-000 Fone (35) 3299-1062 http://www.unifal-mg.edu.br/sustentabilidade

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br Psicologia Intensiva uma especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br PSICOLOGIA INTENSIVA O intensivismo é uma especialidade que apresenta um caráter interdisciplinar voltado

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO I SOLICITAÇÃO DE: INSCRIÇÃO REGISTRO CADASTRO ATUALIZAÇÃO DE DADOS: (a cargo do CRM) II 1 Razão Social IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE 2 Designação de Fantasia / Nome Usual 3 Endereço 4 Município

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA

APRESENTAÇÃO DIRETORIA APRESENTAÇÃO Com mais de 50 anos de dedicação á SAÚDE, o Hospital São Marcos se tornou referência no assunto. Aliamos a vanguarda tecnológica com a tradição do maior e melhor corpo de profissionais do

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA E URGÊNCIA Unidade

Leia mais

ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO

ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO ANALISTA EM SAÚDE/ ASSISTENTE SOCIAL PLANTONISTA REQUISITOS: Certificado ou Declaração de conclusão do Curso de Serviço Social, registrado no MEC; E

Leia mais

Associação Chácara Santana Jardim Ângela. Grupo Qualidade de Vida UBS/PSF Jardim Caiçara. Grupo da Melhor Idade UBS/PSF Jardim Caiçara

Associação Chácara Santana Jardim Ângela. Grupo Qualidade de Vida UBS/PSF Jardim Caiçara. Grupo da Melhor Idade UBS/PSF Jardim Caiçara Associação Chácara Santana Jardim Ângela Grupo Qualidade de Vida UBS/PSF Jardim Caiçara Grupo da Melhor Idade UBS/PSF Jardim Caiçara 28 Atendimento Móvel Avançado Um Programa de Atenção Integral à Saúde

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

CHAPA 1 PROGRAMA DE GESTÃO - DIRETORIA DE ENFERMAGEM HOSPITAL SÃO PAULO, HU DA UNIFESP 2013/ 2017 DIRETORA: ANGÉLICA GONÇALVES SILVA BELASCO

CHAPA 1 PROGRAMA DE GESTÃO - DIRETORIA DE ENFERMAGEM HOSPITAL SÃO PAULO, HU DA UNIFESP 2013/ 2017 DIRETORA: ANGÉLICA GONÇALVES SILVA BELASCO DIRETORA: ANGÉLICA GONÇALVES SILVA BELASCO VICE DIRETORA: IEDA APARECIDA CARNEIRO CHAPA 1 PROGRAMA DE GESTÃO - DIRETORIA DE ENFERMAGEM HOSPITAL SÃO PAULO, HU DA UNIFESP 2013/ 2017 APRESENTAÇÃO Diretora

Leia mais

Papel do Hospital das Clínicas

Papel do Hospital das Clínicas Conquistas e Desafios na Atenção à Saúde Pública em Ribeirão Preto Papel do Hospital das Clínicas Milton Roberto Laprega 22 de maio de 2010 Ensino Pesquisa Assistência à saúde satisfação do paciente 1

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

Estágio Curricular Supervisionado

Estágio Curricular Supervisionado Estágio Curricular Supervisionado CURSO DE ENFERMAGEM O curso de bacharelado em Enfermagem do IPTAN apresenta duas disciplinas em seu plano curricular pleno relativas ao estágio: Estágio Supervisionado

Leia mais

Relatório Atividades Comitê de Enfrentamento da Dengue IBEDESS Ações realizadas:

Relatório Atividades Comitê de Enfrentamento da Dengue IBEDESS Ações realizadas: Relatório Atividades Comitê de Enfrentamento da Dengue IBEDESS Ações realizadas: Inserção no site do IBEDESS e envio, para todas as entidades que compõem o Instituto, do material citado abaixo, incluindo

Leia mais

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS ÍNDICE Apresentação...03 Hospital Universitário Cajuru...04 Estrutura...04 Especialidades Atendidas...05 Diferenças entre atendimento de urgência, emergência e eletivo...06 Protocolo de Atendimento...07

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 ORIENTAÇÕES PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO PARA TRANSPLANTES Formular o processo de

Leia mais

O que é Inovação em Saúde?

O que é Inovação em Saúde? Capa foto: dreamstime.com O que é Inovação em Saúde? A competitividade no setor da saúde depende essencialmente de melhorar a qualidade da assistência e a segurança do paciente reduzindo custos Por Kika

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: - Mais de 12 mil atendimentos nos mutirões:

SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: - Mais de 12 mil atendimentos nos mutirões: SECRETARIA DE SAÚDE - Pronto Socorro Municipal recebe Licença Sanitária de Funcionamento: o Pronto Socorro Adulto de Taubaté teve seu funcionamento aprovado pela Vigilância Sanitária Estadual. O documento

Leia mais

Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo

Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo (Escola Superior de Propaganda e Marketing) Apresentação: Prof. Ismael Rocha Prof. Carlos Frederico Lucio São Paulo, julho de 2011 Indicadores

Leia mais

PROJETO. Responsável: Vera Andretta CPF 234.417.989-53 Função: Presidente

PROJETO. Responsável: Vera Andretta CPF 234.417.989-53 Função: Presidente PROJETO 1 IDENTIFICAÇÃO Abrangência do Projeto: ( x ) Estadual ( ) Regional ( ) Intermunicipal (no mínimo três municípios) 1.1 Dados Cadastrais do(s) Proponente(s) Proponente: Associação Paranaense de

Leia mais

Rede de Reabilitação Lucy Montoro

Rede de Reabilitação Lucy Montoro Rede de Reabilitação Lucy Montoro Rede de Reabilitação Lucy Montoro Implantar, Padronizar e Sistematizar uma rede hierarquizada e descentralizada, dentro dos parâmetros do SUS, de atendimento em reabilitação

Leia mais

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino 54 55 Ensino Principais realizações Início da primeira etapa do Projeto de Diagnóstico de Recursos Humanos em Oncologia no país. Implementação da inscrição informatizada. Início do Projeto de Educação

Leia mais

MELHORIAS IMPLANTADAS NO CENTRO DE RECICLAGEM DA VILA PAULICÉIA - SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP

MELHORIAS IMPLANTADAS NO CENTRO DE RECICLAGEM DA VILA PAULICÉIA - SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP MELHORIAS IMPLANTADAS NO CENTRO DE RECICLAGEM DA VILA PAULICÉIA - SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP Cristiane Ferreira, Fernanda Duran, Julia Lima e Juliana Santos Mercedes-Benz do Brasil Ltda. RESUMO O Centro

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO EDUCAÇÃO 38 GRUPO POSITIVO Contribuição para o desenvolvimento Positivo trabalha para que sua contribuição ao ensino de O qualidade extrapole suas unidades e alcance de forma construtiva toda a sociedade.

Leia mais

Sistema Integrado Web melhora desempenho da Gestão da Saúde em Primavera do Leste (MT)

Sistema Integrado Web melhora desempenho da Gestão da Saúde em Primavera do Leste (MT) Público Nº20 SELEÇÃO DE NOTÍCIAS ESPECIAIS SOBRE SAÚDE Sistema Integrado Web melhora desempenho da Gestão da Saúde em Primavera do Leste (MT) Informatização da saúde contribui para aumento de repasse de

Leia mais

ENTREVISTA COM DRA. MÔNICA MARIA HENRIQUE DOS SANTOS

ENTREVISTA COM DRA. MÔNICA MARIA HENRIQUE DOS SANTOS dos Santos, Coordenadora de Assistência Farmacêutica da Funasa, em Pernambuco, e do programa de assistência farmacêutica na saúde indígena. Pelo jornalista Aloísio Brandão, Editor desta revista. m programa

Leia mais

SECRETARIA DA SAUDE. Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1

SECRETARIA DA SAUDE. Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 SECRETARIA DA SAUDE Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 1 2 UBS Equipe da Atenção Básica UBS Equipe da Atenção Básica + EACS Equipe de Agentes Comunitários da Saúde UBS Equipe da Atenção

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS

Leia mais

Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e Ensino

Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e Ensino Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e Ensino A experiência do NHE do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP Curitiba, 16 de abril de 2015 Hospital das Clínicas

Leia mais

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip.

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip. EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXÍLIO FINANCEIRO DO PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DO SUS (PROADI-SUS) PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM CAPTAÇÃO, DOAÇÃO E TRANSPLANTES DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO

APRESENTAÇÃO DO CURSO FUNDAÇÃO PIO XII - HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS HOSPITAL INFANTOJUVENIL PRESIDENTE LUIS INÁCIO LULA DA SILVA APRIMORAMENTO EM CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Edital de seleção para o ano de 2014 EDITAL N.º 02/2014-IEP/HCB

Leia mais

Programa de Especialização em Ortopedia e Traumatologia Pediátrica (R4)

Programa de Especialização em Ortopedia e Traumatologia Pediátrica (R4) SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE HOSPITAL INFANTIL JOANA DE GUSMÃO Florianópolis SERVIÇO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA Programa de Especialização em Ortopedia e Traumatologia Pediátrica (R4) Florianópolis,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

Educação Para O Sistema

Educação Para O Sistema QUALIHOSP 2012 Educação Para O Sistema Marcos Roberto Ymayo Pedro Felix Vital Jr Objetivos História Programas de ensino Mercado local, desafios e realidade Perfil do profissional Vocação institucional

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 Enfermeira, 01 Farmacêutica e 01 Medico Infectologista e consultores-representantes

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO DE ENFERMAGEM EM CENTRO

Leia mais

Valores Propostos para o Programa no Período 2002 a 2005 2.002 2.003 2.004 2.005 Total Recursos 77,5 79,1 82,3 86,4 325,3

Valores Propostos para o Programa no Período 2002 a 2005 2.002 2.003 2.004 2.005 Total Recursos 77,5 79,1 82,3 86,4 325,3 Plano Plurianual 2.002 2.005 Saúde Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMS A Secretaria Municipal de Saúde, cumprindo o programa do Governo da Reconstrução, implantará o SUS no município.

Leia mais

Protocolos de acesso do Serviço Social 1- Caracterização do Serviço

Protocolos de acesso do Serviço Social 1- Caracterização do Serviço Protocolos de acesso do Serviço Social 1- Caracterização do Serviço A finalidade do trabalho do Assistente Social junto ao usuário do Hospital Universitário da UFJF, implica em favorecer o acesso deste

Leia mais

Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimentos: Modelos e Tendências SANTA CASA DE SÃO PAULO. Dr. Antonio Carlos Forte

Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimentos: Modelos e Tendências SANTA CASA DE SÃO PAULO. Dr. Antonio Carlos Forte Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimentos: Modelos e Tendências SANTA CASA DE SÃO PAULO Dr. Antonio Carlos Forte SANTA CASA DE SÃO PAULO Complexo hospitalar formado por dez unidades de assistência a

Leia mais

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 191 - DOE de 10/10/09 - Seção 1 - p.95

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 191 - DOE de 10/10/09 - Seção 1 - p.95 Regimento Interno Capítulo I Das Finalidades Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 191 -

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE ITU. CONSTRUÇÃO DA SEDE PRÓPRIA DA APAE DE ITU Sede Nova, Sonho Antigo.

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE ITU. CONSTRUÇÃO DA SEDE PRÓPRIA DA APAE DE ITU Sede Nova, Sonho Antigo. ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE ITU CONSTRUÇÃO DA SEDE PRÓPRIA DA APAE DE ITU Sede Nova, Sonho Antigo. Projeto 2012 Identificação da Entidade ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM PEDIÁTRICA E NEONATAL Unidade

Leia mais

MANUAL DO COORDENADOR REGIONAL VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO COORDENADOR REGIONAL

MANUAL DO COORDENADOR REGIONAL VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO COORDENADOR REGIONAL MANUAL DO COORDENADOR REGIONAL VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO COORDENADOR REGIONAL 2010 TURMA DO BEM A Turma do Bem é uma OSCIP Organização da Sociedade Civil de Interesse Público fundada em 2002

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO

Leia mais

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica Programa 0011 PREVENÇÃO E CONTROLE DO CÂNCER E ASSISTÊNCIA ONCOLÓGICA Objetivo Indicador(es) Promover a prevenção, a detecção precoce dos tipos de câncer prevalentes e a assistência à população para reduzir

Leia mais