CURITIBATIVA. Política pública de atividade física e qualidade de vida de uma cidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURITIBATIVA. Política pública de atividade física e qualidade de vida de uma cidade"

Transcrição

1 5 Dalton Grande, João Egdoberto Siqueira, José Carlos Cassou, Rosemary Rauchbach, Silvano Kruchelski (orgs) CURITIBATIVA Política pública de atividade física e qualidade de vida de uma cidade Avaliação, prescrição, relato e orientação da atividade física em busca da promoção da saúde e de hábitos saudáveis na população de Curitiba CURITIBA 2008

2 6 ORGANIZADORES João Egdoberto Siqueira José Carlos Cassou Fotos: Acervo da Secretaria Municipal da Comunicação Social e Secretaria Municipal do Esporte e Lazer Capa: Silvano Kruchelski Revisão: Maria José Galdino Cassou Impressão e Acabamento Grafiven Gráfica e Editora Venezuela Ltda Rua Estados Unidos, Bacacheri CEP: Curitiba Paraná CNPJ /81 Dados internacionais de catalogação na publicação Bibliotecária responsável: Mara Rejane Vicente Teixeira CURITIBATIVA : política pública de atividade física e qualidade de vida de uma cidade : avaliação, prescrição, relato e orientação da atividade física em busca da promoção da saúde e de hábitos saudáveis na população de Curitiba / orgs. Dalton Grande... [et al.]. - Curitiba : Gráf. e Editora Venezuela, p. : il.. 21cm. ISBN 1. Esportes Aspectos sociais Curitiba (PR). 2. Qualidade de vida Curitiba (PR). 2. Saúde pública Curitiba (PR). I. Grande, Dalton CDD ( 22ª ed.)

3 7 2. AUTORES Ana Paula Rehme Siqueira Ana Paula Loureiro Carlos Zanello Klostermann Cristina Maria Rocha Dutra Cynthia Maria Rocha Dutra Dalton Grande Denise Gusso Tosin Elida de Sá Sá Elizabeth Caprilhone Carnieri Eros Fernando Mathoso Gilmar de Oliveira Gonçalves João Egdoberto Siqueira José Carlos Cassou Juliana Cortes Lúcia Regina Mathoso Márcia Cristina Krempel Marciane Maria Kulczyki Maria Cristina Fernandes Marilza de Fátima Socher Paim Neila Maria de Souza Wendling Neuzeli S. Sanson Norton Leitão Koppe Rosemary Rauchbach Rita de Cássia Rodrigues Cavatorta Silvano Kruchelski Simone da Graça das Chagas Lima Vera Regina Belardino da Silva Piloto Viviane Coletto

4 8 Livro Editado por meio da Lei do Incentivo do Esporte DECRETO nº 824/03 GESTÃO Prefeito Carlos Alberto Richa

5 9 PREFÁCIO A prática da atividade física é o melhor atalho para a garantia da qualidade de vida da população, condição que a Prefeitura de Curitiba busca em todas as suas instâncias institucionais. Especialmente através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), procura-se promover e difundir o esporte nas suas mais diferentes vertentes, seja para o conjunto dos cidadãos ou para segmentos específicos, como a infância, a juventude e a adolescência, a terceira idade, a mulher e os portadores de deficiência. Mais que isso, busca-se democratizar, popularizar e descentralizar as atividades físicas, encorajando sua prática nos bairros e regiões periféricas e mais carentes da cidade, com uma série de projetos, ações e iniciativas desenvolvidas pelas administrações regionais e que têm no Programa CuritibAtiva a sua ferramenta mais destacada. Por meio deste programa, a cidade não apenas incentiva a prática da atividade física e de hábitos saudáveis, que se traduzem numa vida mais sadia, como também pesquisa e monitora as condições físicas dos curitibanos. As metodologias e estratégias são desenvolvidas por professores da SMEL com o objetivo de educar, orientar e estimular atividades físicas exercícios, condicionamento, ginástica, natação, caminhadas, passeios ciclísticos, dança, recreação e inúmeras modalidades que combatem o sedentarismo e favorecem o bem-estar físico, mental e social. Esta obra apresenta resultados destas metodologias e estratégias. Muito em breve, será democratizado ainda mais o acesso as atividades físicas com a criação de piscinas públicas e academias ao ar livre. Este é o nosso compromisso por mais qualidade de vida para todos os curitibanos. Beto Richa

6 APRESENTAÇÃO A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Curitiba (SMEL) norteia sua atuação buscando proporcionar acesso ao esporte, lazer e atividades físicas a todos os cidadãos curitibanos, permitindo que se alcance um nível qualidade de vida adequado. Entre as atividades desenvolvidas pela SMEL encontramos as direcionadas ao esporte (de rendimento, estudantil, comunitário), ao lazer (Lazer na Cidade, Linha do Lazer e Dança Curitiba), ao Incentivo ao Esporte e Promoção Social, além dos programas Conviver e Curitibativa. O programa CuritibAtiva surgiu, em 1998, com o objetivo de orientar e educar a população para a importância da atividade física (AF), como instrumento para a melhoria da qualidade de vida. Para tanto, as mais variadas estratégias serviram como meio de atingir os segmentos da população: material impresso (folders, panfletos, cartazes e painéis informativos orientados aos hábitos da prática da atividade física, do alongamento, dos cuidados nutricionais, respiratórios e da força); levantamento de indicadores relativos aos hábitos de vida da população (atividade física habitual; de risco cardíaco); aplicação de testes (IMC; ICQ; de flexibilidade; de força abdominal; e dinamometria de mão) para determinar o nível de aptidão física; verificação de indicadores de risco à saúde, através de exames (glicemia, colesterol e pressão arterial), em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde; organização dos Protocolos de Avaliação Física dos usuários dos programas desenvolvidos nos CELs. O programa passou por evoluções e hoje atende a pessoas de várias faixas etárias, através de diferentes práticas corporais orientadas, como também, avaliação e prescrição de AF utilizando, como instrumento, protocolos específicos para cada etapa do desenvolvimento: criança/adolescente, adulto e idoso. Todas essas estratégias objetivaram estudos e práticas, embasados na literatura científica, que culminaram na elaboração de um livro CuritibAtiva - Gestão nas Cidades voltadas à promoção da atividade física, esporte, saúde e lazer, em 2005 sobre as ações desenvolvidas e os resultados alcançados, hoje a disposição em formato eletrônico. A publicação do livro despertou o interesse do poder público e da comunidade científica nacional e internacional, e foi ponto de partida para novas ações que possibilitaram a adequação das metodologias de atendimento, onde o cidadão apresenta-se não tão somente como inquilino, mas sim como proprietário da sua cidade. Esta política de atividade física firmou o nome CuritibAtiva. O Programa CuritibAtiva, em 2007, alcançou diretamente, em ações na cidade, 3720 adultos, 2480 idosos e 450 crianças que participaram das atividades educativas e de prescrição de AF. Realizou uma campanha de incentivo à caminhada, como meio de estímulo à prática de atividades físicas e de utilização de parques, que culminou com a organização de 13 eventos, onde se engajaram mais de participantes de diversas idades. Avaliou 7200 indivíduos que receberam, também, informações durante os Mutirões da Cidadania, eventos comunitários periódicos promovidos pela municipalidade. Para tanto, 360 profissionais e acadêmicos de Educação Física foram treinados e capacitados, com o objetivo de elevar a qualidade das aulas ofertadas, nos espaços públicos, para preparar fisicamente e ofertar atividades mais agradáveis para a população. Nestes 10 anos, o Programa CuritibAtiva foi ajustado para melhor servir as transições políticas, epidemiológicas e econômicas da cidade de Curitiba, alcançando o reconhecimento da população. E isto porque não somente Curitiba, mas também todo o país, encontra-se, face a face, com altos níveis de sobrepeso e de doenças e agravos não transmissíveis. A disseminação de melhores práticas para a promoção de programas de AF, como meio reverter este quadro, é obrigação do poder público, através de suas secretarias. Outros programas e ações desenvolvidos ao longo da história tornaram-se realidade graças ao idealismo, iniciativa, persistência, de alguns, e colaboração de todos os professores e funcionários, da Divisão/Diretoria/Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, da Prefeitura Municipal de Curitiba, entre tantos. Este livro apresenta, em seus capítulos, uma trajetória de alguns programas e ações que fizeram sucesso, relatadas por quem se dispôs a escrevê-las. 10 A EQUIPE DO PROGRAMA CURITIBATIVA

7 11 SUMÁRIO Página Prefácio 05 Apresentação 06 CAPÍTULO 1 SMEL CAPÍTULO 2 POLÍTICAS PÚBLICAS DE ATIVIDADE FÍSICA 13 CAPÍTULO 3 CURITIBATIVAÇÃO 17 CAPÍTULO 4 PORQUE CURITIBA É ATIVA 20 CAPÍTULO 5 O CENTRO DE ESPORTE E LAZER DIRCEU GRAESER 33 CAPÍTULO 6 CENTRO DE ESPORTE E LAZER VELÓDROMO 36 CAPÍTULO 7 CEL OUVIDOR PARDINHO e a UNIDADE DE ATENÇÃO AO IDOSO 38 CAPÍTULO 8 A REGIONAL BOQUEIRÃO 40 CAPÍTULO 9 A HIPERGINÁSTICA NA REGIONAL DO BOQUEIRÃO 42 CAPÍTULO 10 EVOLUÇÃO DA FORÇA DE RESISTÊNCIA EM ALUNAS DE GINÁSTICA DA TERCEIRA IDADE 45 CAPÍTULO 11 A ATIVIDADE FÍSICA E DE LAZER NA REGIONAL DO PORTÃO 48 CAPÍTULO 12 A SMEL E A REGIONAL BAIRRO NOVO 52 CAPÍTULO 13 A REGIONAL BOA VISTA 54 CAPÍTULO 14 MUTIRÃO DA CIDADANIA 57 CAPÍTULO 15 A FLEXIBILIDADE NA AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE 65 CAPÍTULO 16 A CORRIDA DE ORIENTAÇÃO NOS CENTROS DE ESPORTE E LAZER DE CURITIBA 69 CAPÍTULO 17 MARATONA ECOLÓGICA DE CURITIBA 72 CAPÍTULO 18 A SECRETARIA MUNICIPAL DO ESPORTE E LAZER NA REGIONAL DO PINHEIRINHO 75 CAPÍTULO 19 AVALIAÇÃO FUNCIONAL E ORIENTAÇÃO DE ATIVIDADES EM IDOSOS COM VISTA AO CONTROLE DO EQUILÍBRIO 78 CAPÍTULO 20 VEICULAÇÃO NA MÍDIA 83 ANEXOS 87

8 12

9 13 CAPÍTULO 1 SMEL um caso de auto-avaliação em gestão pública Denise Gusso Tosin Rita de Cássia Rodrigues Cavatorta Simone da Graça das Chagas Lima No início de 2005, os, então, gestores da Secretaria Municipal do Esporte e Lazer, perceberam que as atividades e ações eram cumpridas com responsabilidade e competência, contudo, havia um desequilíbrio acentuado entre as ações desenvolvidas pelos Departamentos de Esporte e de Lazer e as Gerências Regionais. Buscou-se um instrumento para reestruturação interna entre as ações, tarefas e programas da Secretaria, justificados pelos 10 anos de sua criação. A SMEL em parceria com o IMAP Instituto Municipal de Administração Pública, promoveu o processo de auto-avaliação, baseado na ferramenta de avaliação da Gestão Pública GESPÚBLICA, denominado SMEL 10+ contando com a participação de todos seus funcionários. A readequação da missão, a visão de futuro, os valores, as diretrizes e objetivos estratégicos pode ser observada no Anexo 1. Tal processo, finalizado e apresentado em 2006, resultou na implantação de cinco programas específicos: Programa Desenvolvimento Institucional ações desenvolvidas junto aos funcionários, demais secretarias e órgãos para implementar estratégias de gestão, de informação e de desenvolvimento do potencial dos seus servidores. Programa Desenvolvimento do Esporte ações voltadas ao esporte rendimento, esporte estudantil e esporte comunitário da população. Programa Desenvolvimento do Lazer ações voltadas ao lazer na cidade, lazer comunitário, dança Curitiba, eventos comemorativos e pedala Curitiba. Programa Atividade Física e Qualidade de Vida ações de promoção da atividade física e da qualidade de vida desenvolvidas, sistematicamente, nos CELs - Centros de Esporte e Lazer e suas regionais. Programa Desenvolvimento do Incentivo ao Esporte e Promoção Social ação de incentivo ao esporte e promoção social através de renúncia fiscal de IPTU, atendendo legislação específica. Paralelamente ao processo SMEL 10+, houve a readequação do organograma e do regimento interno, pelos decretos nº. 1081/2005 e nº. 85/2007, respectivamente. Com a finalidade de atender às exigências, da LOA Lei Orçamentária Anual para 2007, foram realizadas, nas nove Administrações Regionais de Curitiba, em abril de 2006, audiências públicas com participação popular, maior virtude de uma administração democrática, pois prioriza, realmente, as necessidades da população. Os dados computados foram sistematizados e apresentados à comunidade (Anexo 2). Foram registros, entre os quatorze itens apresentados, sendo que o Esporte e Lazer ficando em segundo lugar com atrás, somente, da Saúde com registros. A partir do SMEL 10+, e da nova visão e organização das suas ações, a SMEL conseguiu: Ampliar o atendimento nos Centros de Esporte e Lazer nos projetos: Idoso em Movimento, CuritibAtiva e CATES e avaliar a condição física dos usuários, através dos 3 protocolos do CuritibAtiva (da criança e adolescente, do usuário e do idoso). Retomar e incluir, no calendário esportivo oficial da cidade, a realização dos Jogos Especiais de Curitiba, promovendo inclusão das pessoas com deficiência, em Realizar os Jogos Escolares da Grande Curitiba, em seis categorias de competição, com um acréscimo de 41% de participações das instituições de ensino da capital e região metropolitana. Implantar nova sistemática no Circuito de Corridas de Rua, na cidade, ampliando em mais uma etapa, acréscimo de 85% na participação de corredores e, a partir de 2007, a informatização do circuito com a inclusão do Chip Eletrônico.

10 14 Criar, em parceria com a Secretaria de Assuntos Metropolitanos, em 2005, a Corrida das Nascentes do Iguaçu, integrando a região metropolitana com Curitiba. O sucesso foi tanto que, na sua segunda edição, foi registrado acréscimo de 45% em número de participação. Participar dos Jogos da Juventude do Paraná com delegação de mais de 500 atletas. Realizar a inclusão, a partir da 10ª Maratona de Curitiba, em 2006, de caminhada de metros e corrida de 10 quilômetros, ampliando em 31% a participação dos atletas e oportunizando a participação dos cidadãos curitibanos. Adquirir novos aparelhos de musculação para o Centro de Esporte e Lazer Dirceu Graeser Praça Oswaldo Cruz, em substituição aos equipamentos obsoletos, da década de 80, aumentando em 40% o número de usuários. Reformar o piso de sete salas de ginástica, melhorando, significativamente, o ambiente de trabalho dos professores e da prática da atividade pelos usuários. Adquirir novos computadores e impressoras de forma a atender melhor a SMEL, gerências regionais e Centros de Esporte e Lazer, ampliando a rede de informática e atender de forma eficaz a nova sistemática da SMEL. Ampliar em 22% o atendimento da Linha do Lazer II a alas pediátricas em hospitais e casas de repouso da capital. Descentralizar a realização da Festa Comemorativa do Dia da Criança para as nove regionais, ampliando o leque de oferta e participação da comunidade. Oferecer assessoramento técnico nas áreas de lazer e recreação e empréstimo de material às associações de moradores e entidades afins com um aumento de 12% em relação há anos anteriores. Na oferta de atividades regulares como Recreação nas Arcadas, BrinCriando, Brinca Curitiba, Bike Night, Ciclolazer e eventos especiais em comemoração ao aniversário da cidade e dia da criança, o aumento foi de 53% no atendimento. Criar o projeto Recicle e Brinque onde pais e filhos juntos aprendem a aproveitar material reciclável e transformá-los em brinquedos para lazer. Aumentar em 8% os incentivadores da Lei de Incentivo ao Esporte e Promoção Social, resultando em mais recursos para financiar atletas e entidades que tenham seus projetos aprovados pela Comissão. Em 2006, foi um milhão de reais para repasse. Realizar, em 2006, o concurso público para novos Orientadores, em Esporte e Lazer, carreira própria da SMEL, e, em novembro, nomear 20 profissionais ampliando a oferta, nos CEL s, em 800 horas a mais de atividades semanais. Retomar as aulas de natação, no Centro de Esporte e Lazer Dirceu Graeser - Praça Oswaldo Cruz e estabelecer parceria com a Federação Paranaense de Desportos Aquáticos na realização de competições, nesta modalidade. Estabelecer parceria e convênios para atividade sistemática com o Clube Atlético Paranaense, no Centro de Esporte e Lazer Peladeiros e com o Instituto Compartilhar, do técnico Bernardinho, no Centro de Esporte e Lazer Plínio Tourinho. Abrigar, em 2006, uma das Etapas do Circuito de Vôlei de Areia do Banco do Brasil, que há três anos não acontecia em nossa cidade, e realizar uma clínica de voleibol às crianças, do CATES, com os atletas olímpicos Xande e Maurício. Encaminhar, ao Instituto Pró Cidadania, mais de 17 toneladas de alimentos e mais de latas de leite em pó, arrecadados em campanhas promovidas pela SMEL, como nas inscrições das corridas rústicas, eventos de lazer e recreação e em campanhas promovidas pelos atletas, incentivados pela lei de incentivo ao esporte, em ações de contra partida social, como, por exemplo, a campanha Doe Sangue pelo Esporte. Criar o evento Curitiba nossa praia é aqui, no verão de 2007, com desenvolvimento de atividades esportivas como torneios de vôlei de areia, xadrez, escalada, futebol de areia, corrida rústica parque a parque e atletismo, além de realizar o Festival de Férias, já tradicional em nossa cidade.

11 Em setembro de 2007, chamamento de mais 10 Orientadores em Esporte e Lazer, ampliando a oferta de atividade física nos CELs. Para os próximos anos o objetivo é melhorar e ampliar a oferta de atividades com qualidade e responsabilidade social, através de algumas ações: Reformar o ginásio do Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira (2008). Reformar o ginásio do antigo Centro Social Urbano Nossa Senhora da Luz, na CIC, agregando o equipamento à SMEL, para atendimento da comunidade da CIC (2008). Construir, em 2008, o Centro de Referência em Qualidade de Vida Saúde e Movimento, único do gênero no país. Realizar, em 2008, o primeiro Fórum de Atividade Física, pois a cidade tem exemplos de administração pública, com políticas definidas na área de atividade física, reconhecidas, internacionalmente, como ação efetiva de melhoria da qualidade de vida do cidadão, com o projeto CuritbAtiva. Ampliar o quadro funcional, com a nomeação de Orientadores, em Esporte e Lazer e Agentes Administrativos, para atender a demanda reprimida que ainda há nos CELs (2007 e 2008). Atualmente, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer tem em seu quadro funcional 144 profissionais da Educação Física (Professores e Orientadores em Esporte e Lazer, 30 agentes administrativos, 43 operacionais, 100 estagiários de educação física e 10 estagiários administrativos - dados de junho de 2007) (Anexo 3). Quanto a equipamentos próprios possui, além da sede administrativa, 27 Centros esportivos com: 04 campos de futebol, 01 cancha de bocha, 02 ginásios cobertos com arquibancadas, 01 muro de escalada, 02 piscinas aquecidas (uma coberta), 02 pistas de atletismo (não oficial), 08 pistas de caminhada, 01 pista de ciclismo oficial, 04 pistas de skate, 02 quadras de beach soccer, 12 quadras cobertas sem arquibancada, 34 quadras de futebol de areia, 04 quadras de tênis de campo, 14 quadras polivalentes, 20 quadras de vôlei de areia, 01 sala adaptada, 01 sala de ginástica artística/olímpica, 22 salas de ginástica, 01 sala de jogos e 02 salas de musculação (Anexo 4 infra-estrutura dos CELs). A partir do segundo semestre de 2006, após a finalização do processo de auto-avaliação, as ações foram adequadas aos programas definidos pelo SMEL 10+, e o atendimento ao cidadão teve os seguintes resultados: Programa Desenvolvimento do Esporte Esporte Comunitário: torneios, campeonatos, corridas de rua e atividades sistemáticas de iniciação esportiva aberta à participação comunitária. Estão entre suas realizações: cinco etapas do Festival Infantil de Corridas de Rua com crianças; seis etapas do Campeonato adulto de Corridas de Rua com a participação de corredores; Apoio às iniciativas de 15 instituições públicas e privadas na organização de corridas de rua; II Corrida de Revezamento das Nascentes do Iguaçu com 580 corredores; torneios de quatro modalidades com alunos do Centro de Aprimoramento de Talentos Esportivos/CATES; dois repasses de material esportivo às Associações e Instituições legalmente conveniadas ao Programa CATES; cinco Torneios Abertos nas modalidades de Beach Soccer, Xadrez, Street ball e Tênis de mesa, com 168 equipes e pessoas. Esporte Estudantil: Jogos adaptados, Jogos Escolares, encontros de caráter esportivo e pré-desportivo para escolas da rede municipal de Curitiba. Realização dos Jogos Escolares da Grande Curitiba em dois níveis - aberto, com a realização de cinco categorias e alunos, e restrito às Escolas Municipais com seis Encontros Esportivos e participantes e os Jogos Especiais de Curitiba com 26 instituições e alunos do Ensino Especial; Esporte. Esporte de Rendimento: eventos de grande porte que atendam as regulamentações da IAAF, CBTA e Confederações; delegações de Curitiba em Jogos Oficiais (JOJUP s). 15

12 Envio de delegação, com 475 pessoas, representando Curitiba, nos Jogos da Juventude do Paraná, realizado de 18 a 26 de agosto, na cidade de Pato Branco, que conquistou o título de Campeã Geral dos Jogos, com a participação de atletas em todas as modalidades disputadas; realização da 10.ª Maratona de Curitiba com a participação de atletas. Programa Desenvolvimento do Lazer Lazer na Cidade: eventos como Recicle e Brinque, Brinca Curitiba, BrinCriando, Recreação nas Arcadas, Brincadeira tem Hora, Linha do Lazer I e II. Realizados 70 eventos e mais 642 visitas do Programa Linha do Lazer, totalizando participantes; Lazer Comunitário: atividades sócio-recreativas como bailes, passeios e gincanas, recreação no Mutirão da Cidadania e Festival de Férias. Realizados o Festival de Férias de Verão e de Inverno, nas nove regionais, em 83 locais, com a participação de crianças; participantes em eventos como gincanas, bailes e passeios; participantes em assessoramento técnico na execução de eventos e empréstimo de material. Dança Curitiba: eventos de dança como Circuito, Festival, Mostra nas Regionais e Mostra da 3ª Idade (nove eventos com a participação de 156 academias, dançarinos e público estimado em pessoas). Eventos Comemorativos: grandes eventos de lazer ou que comemorem datas especiais, como Aniversário de Curitiba, Festas Tradicionais (nas regionais e linha do lazer: festas juninas, festas do dia da criança, festas de páscoa, comemorações de final de ano e festas de natal) e Semanas comemorativas (da mulher e do idoso). A Festa do Aniversário da Cidade, nas nove regionais, teve a participação de pessoas; na festa do Dia da Criança contou com a participação de pessoas; e o Jovem Radical Curitibano (skate, pista de "half pipe", escalada, giroscópio e high jump) com participantes. Pedala Curitiba: eventos de ciclismo como Bike Night (35 passeios noturnos com média de 160 ciclistas em cada evento), Ciclo-lazer (08 de Ciclo-lazer com 200 participantes) e Passeios Ciclísticos (dois grandes passeios com ciclistas). Programa Atividade Física e Qualidade de Vida Atividades Física e Esportiva Sistemática (adulto), Avaliação Física de usuários e Campanhas Educativas. Realizações: avaliações físicas aos usuários dos Centros de Esporte e Lazer e de nos sete eventos do Mutirão da Cidadania; Caminhada do Coração com participantes; Dia do Desafio com atividades de ginástica, caminhada, alongamento, futebol, voleibol e outras, sendo que Curitiba disputou com a cidade Miguel Fidalgo México. O atendimento, realizado por professores da PMC, foi estimado em pessoas; atividades físicas nos Centros de Esporte e Lazer a idosos, adultos, crianças e adolescentes, inscritos no Centro de Aprimoramento de Talentos Esportivos/CATES/CEL's e inscritos no CATES/Associações, que mantém convênio legal com 46 Associações de Moradores de Curitiba; 79 inscritos no 1º muro de escalada enduro público do Brasil; participantes em eventos de esporte, lazer e atividade física, promovidos pelas Gerências Regionais e seus Centros de Esporte e Lazer. Programa Incentivo ao Esporte e Promoção Social Coordenação do desenvolvimento técnico e financeiro, de divulgação dos projetos aprovados pela lei de incentivo ao esporte e coordenação de ações de promoção social. Realizadas seis palestras de orientação na elaboração de projetos esportivos; acompanhamento de 264 projetos do 2.º período de A partir de janeiro de 2007, completando o processo do SMEL 10+, os Departamentos e Gerências Regionais da SMEL se adequaram ao novo relatório gerencial implantado e o resultado dos primeiros meses já é representativo. 16

13 17 CAPÍTULO 2 POLÍTICAS PÚBLICAS DE ATIVIDADE FÍSICA Cassou, José Carlos Grande, Dalton Kruchelski, Silvano Rauchbach, Rosemary Siqueira, João Egdoberto Em 1997, quando um grupo de professores da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL), em Curitiba, deu início a estudos para concretizar o conceito de Cidade Saudável, não imaginava que esta ação daria início a uma política de atividade física denominada CuritibAtiva que se preserva até hoje. Por força de programa do prefeito da época o Projeto Cidadão Saudável oferecia um rol de atividades e serviços à população curitibana, em forma de uma feira, nas suas diversas regionais, onde havia muitas propostas com objetivos de valorização da vida, estimulando comportamentos saudáveis. Ficou sob responsabilidade da SMEL a ação denominada Movimento e Saúde, conforme consta no projeto matricial, editado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), no ano de Essa ação seria desenvolvida em duas frentes: a primeira Rádio Saudável com a veiculação diária de inserções, com o objetivo de estimular e orientar a prática de atividade física, e a segunda a Escola Saudável. Na mesma época a Secretaria Municipal de Recursos Humanos em uma ação sinérgica, lança o programa Qualidade de Vida do Trabalhador voltado aos funcionários municipais. Neste programa uma das ações implantadas foi a ginástica laboral, que recebeu o nome de Pausa para Qualidade, implantada pela Secretaria Municipal do Esporte e Lazer nas Secretarias Municipais do Meio Ambiente, Recursos Humanos, Abastecimento, Administração, Previdência, Saúde e Fundação de Ação Social, que teve repercussão positiva na Prefeitura Municipal de Curitiba e também na comunidade (Sawaf & Cassou, 2005). Como resultado observou-se a mudança de atitude nos colaboradores municipais, os quais desconheciam os benefícios da atividade física, como instrumento profilático para a prevenção e manutenção da saúde. Pesquisas mostraram, na época, que a população de Curitiba estava com alto índice de doenças e agravos não transmissíveis. Isto, associado à constatação da falta de conhecimento, de parte da população, sobre a prática de atividades físicas, fez com que o poder público criasse ações intersetoriais com o objetivo de reverter a situação. (Sawaf & Cassou, 2005, p. 57). Coube à SMEL desenvolver programas que fossem ao encontro às necessidades da população curitibana de forma rápida e democrática, criando-se o Programa CuritibAtiva com o objetivo de disseminar o conhecimento e fomentar a prática da atividade física, com as seguintes intervenções: Material educativo: folder e painéis instrutivos com exercícios nos parques da cidade. Atividades Sistemáticas nos diversos Centros de Esporte e Lazer: condicionamento físico, ginástica, Atividades para a 3ª Idade e atividades aquáticas. CATES (Centro de Aprimoramento de Talentos Esportivos): programa desenvolvido nos Centros de Esporte e Lazer nas Regionais da Cidade para atingir a população infantil e adolescente (iniciação esportiva, das várias modalidades de esportes para alunos de 07 a 17 anos). Lazer: Animação Comunitária, Atividades de Dança (Dança Curitiba), Linha do Lazer e eventos de finais de semana. Esporte: Maratona Ecológica de Curitiba, Corridas de Rua e Jogos Escolares.

14 O lançamento oficial do Programa Curitibativa foi no Parque Barigui, no dia 17 de maio de 1.998, com uma ação educativa, baseada na distribuição de Folder à população. A avaliação das ações, até então realizadas, efetivou-se, em 1.999, através de uma pesquisa realizada em quatro pontos da cidade, onde foram entrevistadas pessoas, de ambos os sexos. Obteve-se o seguinte resultado: 959 alegaram não conhecer o folder, 202 haviam tomado conhecimento do programa, e desses, 67 mudaram de hábito, o que corresponde a 33,5%. Apesar de os resultados não terem sido os esperados, consideraramse as ações expressivas e o programa começou a receber vários convites para intervenções, palestras, distribuições de folders e participação em eventos. O sucesso fez com que o Programa CuritibAtiva transcendesse políticas públicas e gestões de prefeitos, sempre redimensionado às necessidades da população e da época. Com o objetivo de saber qual público o programa atendia, suas características e de que maneira estava interferindo em suas vidas, foi criado, em 2.001, um protocolo de avaliação das condições físicas da população. Com um planejamento bem estruturado, começou a ser aplicado o protocolo de avaliação da população adulta da Cidade de Curitiba, chamado de protocolo de avaliação do adulto, que consistia na avaliação de pessoas entre 18 a 59 anos, observando os parâmetros antropométricos e fisiológicos e o fornecimento, ao cidadão, de uma prescrição de atividade física, baseada em resultados obtidos na avaliação. Da mesma forma, dentro do programa CuritibAtiva, institui-se o projeto do Programa Idoso em Movimento que consistia na avaliação de pessoas com a idade acima de 60 anos, sendo mantidos os mesmos moldes do protocolo de Avaliação do adulto, porém, com uma preocupação principal com a questão funcional do idoso. No ano 2.003, foi à vez do protocolo de avaliação da criança e do adolescente, que possuía a finalidade de avaliar os freqüentadores dos centros de esporte e lazer, leia-se (CATES) e, também, das escolas municipais, objetivando as questões de qualidade de vida das crianças e adolescentes e o desempenho esportivo nesta faixa etária. Destaca-se a situação em que, além das avaliações convencionais (antropométrica e fisiológica), havia preocupação em verificar a pressão arterial (PA) e postura. O diferencial apresentado, entre outros protocolos encontrados na literatura, foi fazer o teste de colesterol e glicemia em cada criança ou adolescente, que apresentasse um IMC (índice do nível de obesidade) igual ou superior a 30 (trinta). Com a implantação dos protocolos de avaliação da população, o programa CuritibAtiva ganhou corpo, divulgando os resultados de suas pesquisas no meio acadêmico e, em parte, orientando as políticas de esporte e lazer do município. O CuritibAtiva Verão, criado para atender a população nos meses de férias de verão, nos Centros de Esporte e Lazer da cidade e em outros espaços, foi o precursor dos atuais Aulões aulas em grandes ambientes e ginásios de esportes que atendem às diversas faixas etárias da população da cidade, oportunizando a todos que forem aos Centros de Esporte e Lazer a participarem, efetivamente, das atividades físicas ofertadas. Com a mudança de gestão, o programa CuritibAtiva, através do lançamento do seu primeiro livro CuritibAtiva: Gestão nas Cidades, voltado à promoção da atividade física, esporte, saúde e lazer, ganhou projeção e conhecimento no meio acadêmico e cientifico e, com a divulgação do resultado de suas pesquisas na cidade de Curitiba e no Brasil, foi convidado a participar de congressos e eventos relacionados à atividade física e saúde. No ano de 2.006, o programa CuritibAtiva foi indicado para apresentar seus projetos e pesquisas junto ao Ministério da Saúde, onde foi convidado a participar de um programa de avaliação de atividade física nas cidades, desenvolvido pelo Ministério da Saúde CG DANT, através da USP (Universidade Federal de São Paulo) e UFP (Universidade Federal de Pelotas) e também pela Universidade de St. Louis dos EUA (chamado de Projeto GUIA), em parceria com o CDC (Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA Centro para o controle e a prevenção de doenças) da cidade de Atlanta. Com os estudos desenvolvidos pelos professores do Programa Curitibativa junto à consultoria do CDC (Universidade de St. Louis - EUA) e outros foi produzido o modelo 18

15 lógico (Anexo Extra), baseado no manual para avaliação de atividade física editado pelo CDC. Esse modelo foi elaborado a partir das ações de atividade física aplicadas, na Cidade de Curitiba, pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, através do Programa CuritibAtiva, fortalecendo a ação política da atividade física na cidade. O modelo lógico é baseado em uma visão total das ações de esporte e lazer. da Secretaria, e também em todas as ações de atividade física relacionadas nos centros de esporte e lazer, das regionais da Cidade de Curitiba, como se pode observar em anexo. O reconhecimento da importância da atividade física atingiu um novo patamar, em todo o mundo, já que é citada como um dos dez principais indicadores de saúde, nos principais documentos que orientam as políticas de saúde mundiais (CDC, 2002). Toda ação e progresso obtido devem ser avaliados, sugerindo novos caminhos, evitando a duplicação de ações, canalizando o uso dos recursos financeiros e divulgando, amplamente, os resultados para a comunidade, levando a conscientização da importância e da participação nos programas ofertados. Desta maneira a Prefeitura Municipal de Curitiba, através da Secretaria Municipal do Esporte e Lazer, atualmente, desenvolve a política CuritibAtiva voltada ao incentivo à prática de hábitos saudáveis, através da atividade física, nas 09 regionais da cidade, em seus 28 centros de esporte e lazer e busca atualizar e evoluir, para tornar a população da cidade mais consciente e saudável. Uma das formas de obter a participação é exercer influência nos formuladores de políticas públicas e buscar patrocinadores para o programa. No âmbito federal, o Ministério da Saúde também busca capacitar e municiar a população de informações, para obter, cada vez mais, a participação popular. Através de um inquérito telefônico nacional, nas capitais brasileiras, a Vigitel (Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas) apresenta, anualmente, o quadro das Dant s doenças e agravos não transmissíveis. Estas doenças representam, atualmente, um dos principais desafios de saúde para o desenvolvimento global, das próximas décadas, já que ameaça a qualidade de vida de milhões de pessoas e apresenta grande impacto econômico para os países. Hoje, há evidências suficientes para se afirmar que é possível prevenir a maioria das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e alterar o seu curso, melhorando o prognóstico e qualidade de vida, dos indivíduos, por meio de prevenção dos principais fatores de risco, com destaque para: o tabagismo, a alimentação inadequada, o sedentarismo, a hipertensão arterial, a obesidade e o consumo abusivo de álcool no Brasil. As DCNT são responsáveis por 62% da mortalidade e a sua redução está, intimamente, ligada às ações de promoção da saúde e políticas públicas de prevenção, através da adoção de estilo de vida saudável, que se pode conseguir com atividade física e alimentação saudável, fatores preponderantes na prevenção de doenças crônicas. Segundo o Vigitel (2.006), os níveis populacionais de sedentarismo no Brasil são elevados. 29,1% da população, das capitais, é sedentária, ou seja, não pratica atividade física, no lazer, nos níveis recomendáveis pela OMS - Organização Mundial de Saúde, que preconiza pelo menos 30 minutos de atividade física regular, 03 vezes por semana. Estimativas da OMS indicam que, 22% das doenças cardíacas, 10 a 16% dos casos diabetes tipo II e de câncer de mama, de colo e de reto poderiam ser evitados por meio da realização de quantidade suficiente de atividade física (WHO, 2002). Neste contexto o governo federal propõe o Plano de Ação da Atividade Física Pratique Saúde que propõe operacionalizar os objetivos contidos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC Saúde). Este Plano propõe estimular articulações, intra e intersetoriais, com os Ministérios da Saúde, Educação, Cidades, Cultura, Desenvolvimento Agrário entre outros, como também ONG S, entidades científicas, setores privados e de comunicação, sistema S (SESI, SESC) com o objetivo de difundir o tema (da atividade física) e promover a implantação de projetos em escolas, locais de trabalho e espaços 19

16 públicos de lazer, com perspectivas de construção de equipamentos urbanos, inseridos no contexto das cidades saudáveis. Acredita-se que uma política de atividade física não é construída, somente, de ações imediatistas ou de impactos pontuais na mídia. Mas sim, de um trabalho sedimentado e contínuo através dos anos, onde as ações tenham caráter multidisciplinar e as parcerias sejam efetivas, oportunizando ao cidadão uma vida melhor em todos os aspectos. O que se procura são mudanças estruturais que a cultura globalizada exige e impõe. As ações devem convergir para o homem de hoje, com metodologias educacionais, que farão a diferença no futuro, criando uma geração mais consciente da necessidade da adoção de hábitos de vida saudáveis, principalmente, os relacionados ao combate da alimentação desregrada, do sedentarismo e da inércia que a vida moderna oferece. O Programa CuritibAtiva, enquanto política, procura a constante modernização através de ações diversificadas. Ele atua na área pedagógica com palestras, aulas teóricas, distribuição de folders, conversas pessoais, aulas práticas sistemáticas, realização de grandes eventos e caminhadas. Na área da pesquisa, avalia as condições físicas da população utilizando protocolos próprios e outros; analisa e compara os resultados; publicam-nos em jornais, revistas e livros e apresenta-os em congressos, seminários e conferências, e propõe novas políticas ao governo municipal. CuritibAtiva é uma idéia, uma política, uma ação é um processo dinâmico que nunca pára, nunca acaba, se renova é um processo em constante evolução! 20 REFERÊNCIAS CDC - DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS HUMANOS DOS EUA Manual para a avaliação de Atividade Física 2002, Atlanta EUA KRUCHELSKI, S.; RAUCHBACH, R. (ORGs.) - CURITIBATIVA Gestão nas Cidades Voltada a Promoção da Atividade Física, Esporte, Saúde e Lazer 2005 Curitiba (Sawaf e Cassou) p. 57. TOSIN, DG; CAVATORTA, RCR; LIMA, SGC SMEL 10 + Um caso de auto-avaliação em gestão pública. SMEL 2007 Curitiba, não publicado. VIGITEL BRASIL Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde - Brasília 2007

17 21 CAPÍTULO 3 CURITIBATIVAÇÃO José Carlos Cassou Introdução Nos últimos quarenta anos a ciência comprovou que a prática regular e metódica de atividades físicas (AF) é um dos melhores instrumentos para obter ganho nos níveis de saúde, e evitar ou postergar a instalação de doenças crônico-degenerativas, além de favorecer um envelhecimento menos agressivo. A medicalização da saúde faz com que a população relacione saúde à ausência de doenças, quando conceitos modernos de saúde dizem o contrário. A ausência de uma cultura que motive a prática desportiva e de exercícios físicos regulares e metódicos e o conforto da moderna tecnologia levam as pessoas a uma vida sedentária que, associado a uma alimentação desregrada, favorece também a obesidade, atualmente um caso de saúde pública (OMS, 2006). Estes fatores são na atualidade os maiores promotores de instalação de doenças e agravos não transmissíveis. Em Curitiba, no decurso do Mutirão da Cidadania no ano de 2.006, foram avaliados adultos e idosos de ambos os sexos. Foi constatado que entre os adultos somente 21,7% são considerados ativos e muitos ativos, contra 28,2% inativos. Entre os idosos 39,9% são considerados ativos, com 34,3% de pouco ativos e inativos. Isto constata o alto índice de pessoas com gasto calórico inferior a 500 kcal (trabalho + lazer + atividades doméstica + locomoção) por semana. Pesquisas têm mostrado que níveis moderados de AF reduzem significativamente o risco da instalação de diversas doenças. Para reverter este quadro, ações devem ser desenvolvidas como forma de orientar e motivar a população a adotar hábitos que melhorem a qualidade de vida por meio da prática de exercícios de força, de flexibilidade e de atividades que visem o aumento da capacidade cárdio-respiratória, com atenção paralela voltada à melhoria da qualidade alimentar. Procedimentos Com a finalidade de informar e orientar as pessoas sobre a importância da adoção de hábitos de vida saudáveis foi criado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer o instrumento denominado CURITIBATIVAção. Esta ação tem como objetivos: aumentar o número de pessoas que praticam a caminhada como exercício para a melhora da capacidade cárdio-circulatória; motivar a população para a prática de exercícios de força e flexibilidade; e, sensibilizar para uma alimentação saudável, evitando com isto os problemas causados pela obesidade. É uma intervenção realizada pela equipe de professores de educação física da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, e consiste em divulgar a importância da prática da AF como instrumento de melhora da saúde e da qualidade de vida. É uma ação pontual que acontece em qualquer lugar da cidade, seja público ou privado, aberto ou fechado, onde é ocupado um espaço. Neste espaço são expostos cartazes (banner), com inscrições e modelos de exercícios, que alertam para a importância da prática da AF. As pessoas atraídas pelos cartazes, ou abordadas pelos professores, são questionadas para informar o nome, a idade, sexo, telefone para contacto, nível de atividade física semanal. Estes dados são anotados em ficha própria. Após recebem alguma orientação e panfletos com as orientações necessárias (Anexo 5). Como piloto, a ação foi realizada no dia 1ª de setembro de 2007, dia do Profissional de Educação Física, das 9 h às 13 h, na Avenida Luiz Xavier (Boca Maldita), no centro da cidade de Curitiba, onde foram entregues panfletos para 222 pessoas (Tabelas 1 e 2).

18 22 Tabela 1 - Número de folders distribuído por sexo e faixa etária Sexo/idad < a a a a a a 80 Total % Masculino ,3 Feminino ,7 Total Tabela 2 - Número de sedentários (menos de meia hora/dia de AF) que receberam os folders Sexo/idad < a a a a a a 80 Total % Masculino ,5 Feminino ,3 Total ,8 Posteriormente, entre os dias 28 e 30 de novembro, das 9h às 12h e das 14h e 18h, deu-se início a inquérito telefônico a todos os que forneceram um número de telefone para contacto. As respostas foram anotadas individualmente em ficha própria (Quadro 1). Quadro 1 Inquérito telefônico Resultados Das 222 pessoas que receberam os panfletos, setenta e oito (35,1%) declararam não fazer mais de meia hora por dia de qualquer atividade física, não havendo muita diferença no número de sedentários entre sexo e faixas etárias. Das pessoas que atenderam aos telefonemas e que responderam o inquérito, 25 lembraram do nome do programa (37,9%), e 41 não lembraram do nome do programa (62,1%). Destes, após informados da ação em que receberam os folhetos, 38 lembraram da ação e 3 afirmaram que não se recordavam. Após respondida a primeira parte do questionário, 43 disseram ter lido os panfletos (Tabela 3), e destes 9 declararam ser inativos quando receberam os folhetos (Tabela 4).

19 23 Tabela 3 Indivíduos que declararam ter lido os folhetos Sexo/idad < a a a a a a 80 Total % Masculino ,8 Feminino ,3 Total ,1 Tabela 4 Indivíduos sedentários ao receber os folhetos Sexo/idad < a a a a a a 80 Total % Masculino ,0 Feminino ,5 Total ,5 Ao analisar as respostas observou-se que dos que declararam ter lido os documentos, oito (18%) disseram nada ter mudado sendo que destes três (6,9%) atletas em atividade, cinco (11,6%) ficaram preocupados como que aprenderam na leitura e sentem a necessidade de mudar, sete (16,3%) disseram ter mudado de hábitos alimentares, cinco (11,6%) passaram a fazer atividades físicas, pois eram sedentários, seis (14%) passaram a caminhar mais e doze (35,8%) passaram a alongar, dentre eles um sedentário. Duas pessoas declararam que a lombocitalgia nelas instaladas, desapareceu. Outras duas disseram ter diminuído de peso somente com os conhecimentos que adquiriram na leitura, e um disse que não tomou mais coca-cola. Dos quinze (34,9%) que não leram, quinze guardaram o material e sabem onde estão, três não lembram nem da ação nem o que fizeram com o material, quatro jogaram fora e uma deu a outra pessoa. Com relação à qualidade do material, trinta e sete (84%) classificaram como ótimo e seis (16%) classificaram como bom, e todos os que leram disseram que o conteúdo é de fácil entendimento e claro nos modelos e explicações. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES A informação veiculada através de folhetos, por ser material confeccionado a baixo custo e de fácil transporte, possibilita a leitura a qualquer momento, tem sua eficácia constatada em levantamento realizado durante a primeira edição da ação Curitibativa ( ), onde foram entrevistadas 202 pessoas que tiveram acesso ao material, e disseram que as informações contidas motivaram mudanças de hábitos e atitudes em 67 delas, o que corresponde a 33,5% (Cassou e Sawaf, 2005). Ação semelhante foi realizada em maio de 2007 por meio de pesquisa por telefone com 32 mulheres (21 a 73 anos) e 24 homens (17 a 77 anos), escolhidas aleatoriamente a partir de cadastro quando da entrega de folhetos no Centro de Curitiba, na qual 44,6% disseram ter mudado a rotina diária relacionada à atividade física, agregando mais intensidade e variedade de exercícios físicos, alterando o enfoque das suas práticas. Conclui-se, assim, que o CURITIBATIVAção é uma intervenção educativa que demanda poucos recursos financeiros e materiais, e apresenta alto índice de persuasão, demonstrando ser um programa fácil de ser implementado e que deve ser mantido. REFERÊNCIAS NAHAS, M. V. A. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 2ª edição, Porto Alegre: ArTmed, RAUCHBACH, R. A atividade física para a 3 idade. 1 edição. Curitiba: Louise, Fontes eletrônicas (Internet) OMS (1996) in INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (2003). Acessado em 28/01/2008.

20 24 CAPÍTULO 4 PORQUE CURITIBA É ATIVA José Carlos Cassou Esse texto mostra parte da história do esporte, do lazer e da atividade física da Cidade de Curitiba, até o início da nova era, época que deu início aos programas, ações e serviços, que evoluíram e, hoje, estão à disposição da comunidade, nos quatro cantos da cidade, em clubes, academias, centros de esportes e lazer, parques, praças e ciclovias, o que faz com que Curitiba seja cada vez mais ativa. OS IMIGRANTES O estigma de Curitiba ser ativa teve seu início nas últimas décadas do século 19. Desde o início deste século a cidade começou a receber imigrantes europeus que vinham em busca de oportunidades no novo mundo, alguns para trabalhar na lavoura onde as terras eram abundantes, outros para montar indústrias e comércios. Alemães, Italianos, Poloneses, Ucranianos, Portugueses e Franceses, foram se instalando não só em Curitiba, mas em outras regiões do Estado do Paraná. Trouxeram uma cultura rica em costumes e tradições, muitas delas, incorporadas pela cidade, o que faz de Curitiba uma cidade com ares e hábitos europeus 1. Os alemães, por exemplo, trouxeram a tradição da prática da ginástica alemã, implantada no século XVIII por Jahn, considerado o pai da ginástica alemã. Na cidade já existiam associações e organizações formadas por pessoas de famílias tradicionais e influentes, de descendência luso-brasileiras, que compartilhavam de interesses comuns como literatura e música. Os imigrantes, para manter suas tradições e costumes e, como forma de proteção e ajuda mútua, organizaram-se em clubes e sociedades com objetivos específicos, como, por exemplo, a Sociedade Thalia, fundada por alemães em 1881, que teve como objetivo organizar reuniões literárias e manter viva a cultura germânica 2. Romão Rodrigues de Oliveira Branco, pessoa influente na época, provavelmente percebendo o fortalecimento dos emigrantes organizados em associações, convocou em setembro do mesmo ano os moradores da cidade, por meio do periódico jornal 19 De Dezembro, para organizarem um novo clube. Sob a liderança do Comendador Ildefonso Pereira Correia (Barão do Serro Azul) destacado industrial na época, foi fundado em 06 de janeiro de 1.882, o Clube Curitybano, que tinha como objetivo promover toda espécie de passatempo útil, recreativo e instrutivo, jogos lúdicos, dança, leitura e conferências 3. Os italianos organizaram a Sociedade Garibaldi, fundada em 1883, com objetivo de congregar, sob um mesmo ideal os compatriotas, onde compartilhavam interesses e necessidades 4. Os alemães fundaram, também, o Clube Rio Branco (Handwerker Unterstutzung Verein), em 19 de julho de 1884, com a finalidade de ajudar a classe operária a vencer suas dificuldades 5, e o Clube Concórdia, em 1887, (Deutscher Sängerbund) que agregava os que tinham dons artísticos e afetos a reuniões sociais 6. Os poloneses, em 1890, fundaram a Sociedade Tadeusz Kosciuszko com a finalidade de organizar biblioteca, manter as tradições culturais e a defenderem-se da falta de respeito com que os antigos moradores da cidade tratavam os imigrantes, e assim evitar a decadência moral e cultural(7). Surge também neste ano Sociedade Portuguesa 1º de Dezembro 8. Com a denominação de TEUTO BRASILIANISCHER TURN VEREIN ZU CURITIBA, o que em português significa: CLUBE DE GINÁSTICA TEUTO BRASILEIRO DE CURITIBA foi fundado, em sete de dezembro de 1890, pelos alemães Heinrich Hillmann, Ferdinand Senff, August e Anton Loeser e Wilheim Lindroth, no bairro São Francisco, a primeira entidade voltada para a prática da educação física, com o objetivo de agregar imigrantes alemães que tinham como hábitos praticarem a ginástica, com fins artísticos e atléticos 9. Em 1911 sua sede passa para a Rua Dr. Muricy, onde mais tarde foi construído um Ginásio de

Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras - SELAM

Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras - SELAM Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras - SELAM PPA 2014 / 2017 Administração 2013 / 2016 Prefeito: Gabriel Ferrato Vice-Prefeito: João Chaddad Secretário de Esportes, Lazer e Atividades Motoras:

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

PLANO DE TRABALHO IDOSO

PLANO DE TRABALHO IDOSO PLANO DE TRABALHO IDOSO Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER Afonso

Leia mais

Capacitação Gerencial PST

Capacitação Gerencial PST Capacitação Gerencial PST Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social SNELIS Ministério do Esporte Direito Social É dever do estado fomentar práticas desportivas formais e não formais:

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO A EMPRESA A T2N Esporte e Lazer foi fundada pelos professores de Educação Física, Tetê Nahas e Bruno Rodrigues, com a proposta de desenvolver um serviço diferenciado nas áreas de recreação, esporte e lazer,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

LEI PAULISTA DE INCENTIVO AO ESPORTE PIE PROGRAMA DE INCENTIVO AO ESPORTE DECRETO 55.636/2010

LEI PAULISTA DE INCENTIVO AO ESPORTE PIE PROGRAMA DE INCENTIVO AO ESPORTE DECRETO 55.636/2010 LEI PAULISTA DE INCENTIVO AO ESPORTE PIE PROGRAMA DE INCENTIVO AO ESPORTE DECRETO 55.636/2010 ESCOLA DE Pedal Batatais Histórico da Entidade e Descritivo de Atividades Fundada em 1999 por JOSÈ REGINALDO

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres 2 Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres Ana Paula Bueno de Moraes Oliveira Graduada em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC Campinas Especialista

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

PROGRAMA CIDADES DO ESPORTE QUESTIONÁRIO

PROGRAMA CIDADES DO ESPORTE QUESTIONÁRIO PROGRAMA CIDADES DO ESPORTE QUESTIONÁRIO 2013 Sumário Introdução... 3 Instruções gerais para o preenchimento do Questionário... 5 1. Informações de contexto... 6 2. Institucionalidade e recursos... 11

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP ESPORTE O partido Solidariedade está atento à necessidade do esporte na vida da população. Entendemos que ele é uma importante ferramenta para retirar crianças das ruas e assim, reduzir a violência e o

Leia mais

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado)

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) Missão Sua missão é tornar-se referência na formação de profissionais para atuar nos diferentes segmentos humanos e sociais, considerando a atividade física e promoção

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires PROJETO-DE-LEI Nº 150, DE 25 DE SETEMBRO DE 2013 Poder Executivo Institui o Calendário Oficial de Eventos do, e dá outras providências. Art. 1º Fica por esta Lei, instituído e aprovado o Calendário Oficial

Leia mais

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Capítulo 3 Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Maria Inês Monteiro Mestre em Educação UNICAMP; Doutora em Enfermagem USP Professora Associada Depto. de Enfermagem

Leia mais

9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013

9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ESPERANÇA BRASIL OSCIP ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO 9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013 Janeiro de 2014.

Leia mais

PLANO DE TRABALHO FUTEBOL

PLANO DE TRABALHO FUTEBOL PLANO DE TRABALHO FUTEBOL Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER

Leia mais

Atividade I Como podemos fortalecer o Núcleo na Região para garantir a continuidade dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODMs?

Atividade I Como podemos fortalecer o Núcleo na Região para garantir a continuidade dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODMs? QUATRO BARRAS 09/07/2007 Horário: das 13h às 17h30 Local: Atividade I Como podemos fortalecer o Núcleo na Região para garantir a continuidade dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODMs? Grupo 01:

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Construindo a Sociedade que Queremos

Mostra de Projetos 2011. Construindo a Sociedade que Queremos Mostra de Projetos 2011 Construindo a Sociedade que Queremos Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

Serviço Social do Comércio São Paulo Brasil. A atuação do SESC SP na área esportiva e Esporte para Todos, incluindo publicações.

Serviço Social do Comércio São Paulo Brasil. A atuação do SESC SP na área esportiva e Esporte para Todos, incluindo publicações. Serviço Social do Comércio São Paulo Brasil A atuação do SESC SP na área esportiva e Esporte para Todos, incluindo publicações. SESC São Paulo Instituição de caráter privado, sem fins lucrativos. Criado

Leia mais

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com.

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com. - SECRETARIA DE SAÚDE - SÃO TIAGO MINAS GERAIS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE FÍSICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 04 A 19 ANOS 1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE

Leia mais

AÇÕES DE PROMOÇÃO À ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Secretaria Municipal da Saúde. Angela C. Lucas de Oliveira 2006

AÇÕES DE PROMOÇÃO À ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Secretaria Municipal da Saúde. Angela C. Lucas de Oliveira 2006 AÇÕES DE PROMOÇÃO À ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Secretaria Municipal da Saúde Angela C. Lucas de Oliveira 2006 Perfil nutricional de crianças menores de 5 anos usuárias das Unidades de Saúde da SMS 1991 a 2005

Leia mais

Conviver Bem: Proporcionando Espaço de Convívio, Lazer e Cultura

Conviver Bem: Proporcionando Espaço de Convívio, Lazer e Cultura 14 Conviver Bem: Proporcionando Espaço de Convívio, Lazer e Cultura Iná Aparecida de Toledo Piza Furlan Administradora de Empresa Especialista em Gestão da Qualidade de Vida na Empresa na UNICAMP INTRODUÇÃO

Leia mais

Secretaria Nacional de Esporte, Educação, lazer e Inclusão Social Ações Estratégicas e Desafios. Profa. Andréa Ewerton Diretora- SNELIS- ME

Secretaria Nacional de Esporte, Educação, lazer e Inclusão Social Ações Estratégicas e Desafios. Profa. Andréa Ewerton Diretora- SNELIS- ME Secretaria Nacional de Esporte, Educação, lazer e Inclusão Social Ações Estratégicas e Desafios Profa. Andréa Ewerton Diretora- SNELIS- ME POLÍTICA NACIONAL DO ESPORTE Resolução 05/2005 CNE PRINCÍPIOS

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE TABATINGA SECRETARIA MUNICIPAL DEGABINETE

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE TABATINGA SECRETARIA MUNICIPAL DEGABINETE «HEFEIIUIIA DE TflBfITinOII SlecautmÁM^ ntusa àdadt. LEI N" 72L DE 23 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre criação de academias ao Ar Livre no Município de Tabatinga e dá outras providencias. u o PREFEITO DO

Leia mais

O Programa Municipal de Nutrição, implantado em 07/04/2006, tem como. objetivo principal investir em ações de educação nutricional, promovendo

O Programa Municipal de Nutrição, implantado em 07/04/2006, tem como. objetivo principal investir em ações de educação nutricional, promovendo Secretaria Municipal de Saúde de São José dos Campos - SP Departamento de Políticas de Saúde Programa Municipal de Nutrição Atividades desenvolvidas em 2006 e 2007 O Programa Municipal de Nutrição, implantado

Leia mais

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP.

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. POP: Prêmio Nacional de Relações Públicas Categoria: Relações Públicas e Responsabilidade Social Profissional: Aislan Ribeiro Greca Empresa: Petrobras 10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. 2008

Leia mais

Programas e Ações Ministério do Esporte

Programas e Ações Ministério do Esporte Ministro do Esporte Aldo Rebelo Secretário Executivo Luis Fernandes Gabinete do Ministro / Assessor Federativo - João Luiz dos Santos Santos Programas e Ações Ministério do Esporte Contato Assessoria Parlamentar

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires PROJETO-DE-LEI Nº 212, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013 Poder Executivo Institui o Calendário Oficial de Eventos do, e dá outras providências. Art. 1º Instituí o Calendário Oficial de Eventos do, conforme eventos

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA FEFD/UFG 1 NA ÁREA DO ENVELHECIMENTO

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA FEFD/UFG 1 NA ÁREA DO ENVELHECIMENTO O ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA FEFD/UFG 1 NA ÁREA DO ENVELHECIMENTO Juliana Paula Balestra Soares Joelma Cristina Gomes Carmencita Márcia Balestra Faculdade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS LEI COMPLEMENTAR Nº 38, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2011. Altera dispositivos e Cria Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo na Lei Complementar nº 24, de 23 de abril de 2009, que dispõe sobre a Organização

Leia mais

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA SITUAÇÃO ATUAL INTEGRAÇÃO METROPOLITANA NA LEI ORGÂNICA DE CURITIBA TÍTULO IV - DA ORDEM ECONÔMICA E SOCIAL CAPÍTULO I - DA ORDEM ECONÔMICA

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PROJETO

DESCRIÇÃO DO PROJETO DESCRIÇÃO DO PROJETO I. NÚMERO DE CADASTRO DO PROPONENTE (login) 02SP016702007 Proponente: Secretaria de Esportes de São Sebastião CNPJ: 46.482.832/0001-92 E-mail: segov@saosebastiao.sp.gov.br Endereço:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Educação Física

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Educação Física EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS Disciplina: BIOLOGIA Características gerais dos seres vivos. Química da célula. Citologia. Microscopia. Divisão celular. Formas de reprodução. Histologia. Disciplina: ANATOMIA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PINHEIRINHO 02/04/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias Relato de experiência de um agente social sobre suas atividades com as comunidades do município de Santa Maria- RS, através do

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

LEI N 1299, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015.

LEI N 1299, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015. LEI N 1299, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015. APROVA O CALENDÁRIO DE EVENTOS DO MUNICÍPIO PARA O ANO DE 2016, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. BRAULIO MARCOS GARDA, Prefeito Municipal de Guabiju-RS, no uso de sua atribuições

Leia mais

Gestão de Pessoas. - Saúde do Servidor -

Gestão de Pessoas. - Saúde do Servidor - Gestão de Pessoas - Saúde do Servidor - Promoção de Saúde e Bem-Estar Desenvolve programas destinados à prevenção de doenças, à promoção de saúde e de qualidade de vida. Realiza campanhas, palestras e

Leia mais

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente 16 Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente Leidiane Silva Oliveira Chagas Gestora de Recursos Humanos - Anhanguera Educacional

Leia mais

Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho

Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho 6 Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho José Cicero Mangabeira Da Silva Gestor Em Recursos Humanos - Anhanguera Educacional - Campinas-SP Especialista Em Gestão Da Qualidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURITIBA 2015 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Implantar o Plano Diretor. Implantar o Orçamento participativo. Valorização pessoal do funcionário público municipal. Implantação

Leia mais

PROJETO NINHO VAZIO EM BUSCA DA EDUCAÇÃO EMOCIONAL

PROJETO NINHO VAZIO EM BUSCA DA EDUCAÇÃO EMOCIONAL PROJETO NINHO VAZIO EM BUSCA DA EDUCAÇÃO EMOCIONAL Oficinas de apoio e fortalecimento de laços intergeracionais, com dinâmicas, arteterapia, psicoeducativos, exercícios de alongamento, respiração e relaxamento,

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

Propostas para o Plano Diretor de Curitiba

Propostas para o Plano Diretor de Curitiba Propostas para o Plano Diretor de Curitiba Revisão de 2014 Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer As propostas contidas nesta cartilha foram resultados de intervenções urbanas e processos

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES ANEXO I ROTEIRO PARA INSPEÇÃO PERÍODICA 1 DOS SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO Data: / / INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Modalidade: ( ) Acolhimento Institucional ( ) Casa Lar 1 - DADOS GERAIS 1.1. Nome

Leia mais

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos.

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. Q A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. É uma alusão à essência e ao compromisso da Secretaria

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Terceira Idade e Movimento

Mostra de Projetos 2011. Terceira Idade e Movimento Mostra de Projetos 2011 Terceira Idade e Movimento Mostra Local de: Campina Grande do Sul Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria

Leia mais

Promover maior integração

Promover maior integração Novos horizontes Reestruturação do Modelo de Gestão do SESI leva em conta metas traçadas pelo Mapa Estratégico Promover maior integração entre os departamentos regionais, as unidades de atuação e os produtos

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

2009, um ano de grandes realizações e conquistas

2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009 foi um ano de grandes realizações e conquistas para o Serviço Social da Indústria (SESI), entidade que integra o Sistema Federação das Indústrias no

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO. O presente anteprojeto de proposta está estruturado a partir de três níveis de organização.

FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO. O presente anteprojeto de proposta está estruturado a partir de três níveis de organização. FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO O presente anteprojeto de proposta está estruturado a partir de três níveis de organização. O primeiro deles se refere aos eixos norteadores da política. Este nível compreende os

Leia mais

Elaboração de Projetos Sociais e Capitação de Recursos

Elaboração de Projetos Sociais e Capitação de Recursos Elaboração de Projetos Sociais e Capitação de Recursos MARINA MONTEIRO DE QUEIROZ RAVAZZI Coordenadora de Políticas para as Mulheres de Marília/SP Elaboração de Projetos Sociais INSTITUIÇÃO PROPONENTE:

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional O Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) são entidades civis sem fins lucrativos criadas em 14 de setembro de 1993, pela

Leia mais

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas Ministério da Saúde Abril de 2014 VIGITEL 2014 Medir a prevalência de fatores de risco e proteção para doenças não transmissíveis na população brasileira Subsidiar ações de promoção da saúde e prevenção

Leia mais

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS PORTO ALEGRE EM AÇÃO É ESPORTE E EDUCAÇÃO O esporte não é educativo a priori, é o educador que precisa fazer dele ao mesmo tempo um objeto e meio

Leia mais

Profea- Projeto de Formação de Educadores Ambientais

Profea- Projeto de Formação de Educadores Ambientais Profea- Projeto de Formação de Educadores Ambientais Mostra Local de: Maringá PR Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Facinor- Faculdade

Leia mais

Asilo São Vicente de Paulo

Asilo São Vicente de Paulo Asilo São Vicente de Paulo O Asilo São Vicente de Paulo promove a qualidade de vida e o resgate à dignidade da pessoa idosa. Atualmente é responsável pela garantia dos direitos fundamentais de 150 idosas.

Leia mais

Atividade Física e Saúde na Escola

Atividade Física e Saúde na Escola Atividade Física e Saúde na Escola *Eduardo Cardoso Ferreira ** Luciano Leal Loureiro Resumo: Atividade física pode ser trabalhada em todas as idades em benefício da saúde. O objetivo do artigo é conscientizar

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui

Leia mais

O PROJETO. Exercícios físicos, boa alimentação, cuidados com o corpo e a mente. A busca. por um estilo de vida saudável é o atual

O PROJETO. Exercícios físicos, boa alimentação, cuidados com o corpo e a mente. A busca. por um estilo de vida saudável é o atual Exercícios físicos, boa alimentação, O PROJETO cuidados com o corpo e a mente. A busca por um estilo de vida saudável é o atual desafio da humanidade, que vive um cotidiano cada vez mais caótico. Na correria

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

O que são as diretrizes para Discussão Temática?

O que são as diretrizes para Discussão Temática? O que são as diretrizes para Discussão Temática? As diretrizes para Discussão Temática apresentam conteúdos exclusivos desenvolvidos por meio de pesquisas para a Fundação 1º de Maio. As informações aqui

Leia mais

Lei Federal de Incentivo ao ESPORTE

Lei Federal de Incentivo ao ESPORTE Lei Federal de Incentivo ao ESPORTE PATROCINE os Esportes do Paineiras! O Clube Fundado no início da década de 60, o Paineiras é um dos mais conceituados clubes de São Paulo, destacando-se em sua ampla

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Taubaté Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal de Taubaté Estado de São Paulo DECRETO Nº 13034, DE 05 DE JUNHO DE 2013. Torna obrigatória a implementação do Programa de Ensino Aluno em Tempo Integral nas escolas de Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino e dá outras providências

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA

PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROJETO JUDÔ NA ESCOLA: A SALA DE AULA E O TATAME Projeto: Domingos Sávio Aquino Fortes Professor da Rede Municipal de Lorena Semeie um pensamento,

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR DO IPAMV: COMPROMISSO COM A VIDA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR DO IPAMV: COMPROMISSO COM A VIDA 5.1 Nome da Iniciativa ou Projeto PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR DO IPAMV: COMPROMISSO COM A VIDA 5.2 Caracterização da Situação Anterior A partir de 2005, houve início uma

Leia mais

1. Documento: 20026-2015-3

1. Documento: 20026-2015-3 1. Documento: 20026-2015-3 1.1. Dados do Protocolo Número: 20026/2015 Situação: Ativo Tipo Documento: Comunicação Interna - CI Assunto: Planejamento estratégico - Metas Unidade Protocoladora: SES - Secretaria

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais

EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA

EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Data de publicação: 10/07/2007 Última atualização: 10/07/2007 APRESENTAÇÃO Os patrocínios exercem um importante papel na estratégia de comunicação e

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009.

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009. Plano de Ação Colégio Estadual Ana Teixeira Caculé - Bahia Abril, 2009. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR Unidade Escolar: Colégio Estadual Ana Teixeira Endereço: Av. Antônio Coutinho nº 247 bairro São

Leia mais

Brincar de ler e escrever

Brincar de ler e escrever I Edital FNA 2015 Brincar de ler e escrever A Fundação Negro Amor - FNA foi criada em 2008 e, desde então, desenvolve ações na área socioeducativa e cultural, com foco na promoção da educação infantil

Leia mais

Promoção da Saúde e Prevenção de Risco e Doenças no Ambiente de Trabalho. ANS maio/2014

Promoção da Saúde e Prevenção de Risco e Doenças no Ambiente de Trabalho. ANS maio/2014 Promoção da Saúde e Prevenção de Risco e Doenças no Ambiente de Trabalho ANS maio/2014 Perfil da Cemig Maior empresa integrada deutilites do Brasil. Composta por 58 empresas e 15 consórcios. Lucro líquido

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES Projeto de Lei n 340/99 464 LEI N 4.864 DE 12 DE MARÇO DE 1999 Dispõe sobre a Política Municipal do Idoso, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES; FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

salto em distância. Os resultados tiveram diferenças bem significativas.

salto em distância. Os resultados tiveram diferenças bem significativas. 1 Análise de comparação dos resultados dos alunos/atletas do Atletismo, categoria infanto, nos Jogos Escolares Brasiliense & Olimpíadas Escolares Brasileira. Autora: Betânia Pereira Feitosa Orientador:

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais