REVISTA EDUCAÇÃO E LINGUAGEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVISTA EDUCAÇÃO E LINGUAGEM"

Transcrição

1 RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O PROJETO SEMANA DA SAÚDE NA ESCOLA ESTADUAL ALICE FONTES PINHEIRO GRETTER, Ilda Rocha 1 MACHADO, Ilma Pereira da Silva 2 YOSHIDA, Sonia Maria Pinheiro 3 RESUMO O projeto Obesidade Saúde na Escola, desenvolvido em uma escola da rede estadual de ensino, nasceu a partir de uma solicitação da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso à unidade escolar e está ligado às atividades voltadas à promoção da saúde entre os alunos denominada Semana da Saúde na Escola, tema este norteador, promovido pelo Ministério da Educação (MEC) e Saúde (MS), em parceria com as prefeituras e Secretarias Estaduais, entre os dias 05 a 09 de março, tendo como objetivo o combate à obesidade entre crianças e adolescentes. O projeto teve inicio com roda de conversa e a partir de pesquisas bibliográficas houve diferentes atividades na escola onde pode-se observar o interesse e desempenho dos alunos através de apresentações de trabalhos e relatos de experiência. Palavras-chave: Vida saudável. Hábitos Alimentares. Saúde. ABSTRACT The project "Obesity - Health in Schools", developed into a state school education, was born from a request from the State Department of Education of Mato Grosso and the school unit is connected to activities aimed at promoting health among students called "Health Week at School", this guiding theme promoted by the Ministry of Education (MEC) and Health (MS), in partnership with local governments and State Departments, between March, aiming the combating obesity among children and adolescents. The project began with a conversation wheel and from literature searches were different activities in school where we can see the interest and performance of students through presentations of papers and experience reports. Keywords: Healthy Living. Food Habits. Health. 1 Professora da rede estadual de ensino. 2 Professora da rede estadual de ensino. 3 Professora das Faculdades Integradas ICE. 47

2 Introdução Esse projeto teve como objetivos gerais, proporcionar ao aluno o conhecimento sobre uma vida saudável, ensinando-o sobre os diferentes grupos alimentares, além de envolvê-lo com essas reflexões para que seja capaz de transpor tais conhecimentos para sua vida, de forma positiva, enfocando hábitos saudáveis de higiene, lazer, alimentação e atividades corporais. Ter uma vida saudável e uma alimentação saborosa, percebendo que não é necessário sacrifícios, mas equilíbrio na alimentação, além de aprender que existem diferentes grupos alimentares para saciar suas necessidades alimentares foi o princípio que norteou esse projeto. O educando é potencialmente um agente de reprodução desses conhecimentos de forma positiva, assim, enfocar hábitos saudáveis de higiene, lazer, alimentação e atividades corporais, torna a escola um espaço que necessita de bons hábitos alimentares e saudáveis. É na escola o lugar onde se propaga o conhecimento, que através de estudos com pesquisas e oficinas, com desenvolvimento de trabalhos interativos, orienta o educando, dando possibilidades ao mesmo de resolver suas necessidades, de se cuidarem, aprenderem que uma alimentação saudável é aquela que reúne todas as refeições, com equilíbrio entre carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. Considera-se para tanto, que a formação dos hábitos alimentares se processa gradualmente e que com a orientação correta, que considera os valores culturais, sociais, afetivos, emocionais e comportamentais, há grandes possibilidades de sensibilizar crianças e adolescentes para a promoção da alimentação saudável e equilibrada para a manutenção de uma boa saúde, compatível com orçamentos familiares diversos (BRONISLAWSKI, 2008, p. 2008). É importante salientar que, durante a semana pedagógica no início do ano de 2012, já estava previsto o projeto Adote uma vida saudável com sub-tema Alimentação e atividade física que seria realizado no segundo bimestre. No entanto, a solicitação levou-nos a antecipar essa atividade. Diante disso, o projeto foi desenvolvido de forma interdisciplinar envolvendo a área de Linguagem, códigos e suas tecnologias, além de Ciências naturais e suas tecnologias (especificamente as disciplinas de Língua Portuguesa e Ciências). Desenvolvemos este projeto para alertar as crianças e adolescentes de um consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras e açúcares, associados de outros hábitos de vida igualmente prejudiciais, como o sedentarismo, desequilibram todo o Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

3 metabolismo conduzindo a diversas enfermidades orgânicas e a distúrbios neuropsíquicos. O estado nutricional e o consumo alimentar interagem em conjunto de maneira multifatorial e sinérgica como os outros fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis. Os diferentes fatores de risco como inatividade física, uso de tabaco, entre outros precisam ser abordados de maneira integrada a fim de favorecer a redução de danos e não a proibição de escolhas. O conjunto das ações adotadas pelos estilos de vida é que produzem um perfil de saúde mais ou menos adequado e neste enfoque não é possível particularizar os fatores de risco sem enxergá-los sinérgica e simultaneamente associados no âmbito do desenvolvimento da vida (BRASIL, 2005, p. 01). Sob o título de Obesidade Saúde na escola, o projeto foi pensado como uma pesquisa a ser realizada na escola, para as crianças, adolescentes e funcionários de maneira em geral, como uma alerta de prevenção à saúde, uma vez que o homem vem vivenciando as consequências e resultados de suas próprias ações. Razão disso é que ainda existem muitas pessoas que não têm consciência de que, para uma boa saúde, é necessário, em primeiro lugar, gostar de si próprio, tendo um corpo saudável, fazendo uma boa alimentação, balanceada, escolhendo os alimentos saudáveis, sem agrotóxicos; além disso, é necessário fazer atividades físicas compatíveis com o seu temperamento e condições físicas. Iniciamos projeto com uma roda de conversa a princípio sobre o modo de viver de cada aluno, sobre o que faziam no seu cotidiano. Os alunos foram questionados sobre como eram suas refeições no café da manhã; o que gostavam de comer e beber pela manhã. Depois falamos sobre o cardápio da semana, tanto do almoço quanto do jantar; se eles tinham algumas guloseimas preferidas, se preferiam sucos à refrigerante nas refeições se praticava atividades físicas com frequências, para finalmente falar sobre as relações entre estatura e o peso das pessoas. Falou-se também sobre as belezas da natureza para, logo em seguida, instigá-los sobre o lazer, o passatempo, além de como quebram a rotina, extrapolando seus limites. Essa primeira fase do projeto teve como objetivo estimular aos alunos, do ensino fundamental e médio, refletir sobre a importância de uma boa alimentação, e dessa forma, buscar informações sobre o assunto, através de pesquisas utilizando livros, internet, revistas panfletos, e outros. Posteriormente a essa problemática, os alunos foram convidados a desenvolver algumas pesquisas sobre a alimentação saudável, exercícios físicos e 49

4 práticas de exercícios corporais, pesquisando imagens sobre lugares de lazer, e alguns Oásis convidativos para reflexão e/ou relaxamento. Além disso, foi também solicitado que alguns grupos pesquisassem sobre doenças infantis causadas por excesso de alimentação, ou por falta de algumas proteínas e vitaminas no organismo, pois fizemos abordagens sobre a nutrição. Segundo Sarni e Souza (2008, p.3): A nutrição saudável em fases precoces da vida tem reflexos na saúde, no bem-estar e no desempenho do indivíduo, e seus efeitos persistem na vida adulta. A programação metabólica (ou programming) é definida como indução, deleção ou prejuízo do desenvolvimento de uma estrutura somática permanente ou o ajuste de um sistema fisiológico por um estímulo ou agressão precoce, que se manifestam num período suscetível e têm conseqüências de longo prazo para a função. A distribuição temas foi realizada através de conteúdos adequados a cada fase. Os alunos dos 7º anos ficaram responsáveis pela elaboração e apresentação de painéis, demonstrando as pirâmides alimentar e pirâmide de exercícios físicos. Na pirâmide alimentar os alimentos está distribuído em grupos segundo as funções dos nutrientes que eles contêm. Na base da pirâmide estão os alimentos que devem ser consumidos em maior quantidade e na parte superior os que devem ser consumidos em menor quantidade e pelas pirâmides de atividade física que a partir da década de 90, tem-se tentado comunicar a importância do exercício na melhoria da qualidade de vida e no controle e/ou tratamento da obesidade e outras doenças crônicas associadas. Neste sentido, sabe-se que o aumento no nível de atividade física espontânea ou de lazer pode resultar em aumento do gasto energético diário e, consequentemente, da taxa metabólica diária. Ela apresenta de uma forma simples, a importância da prática e regularidade de uma atividade, de acordo com o esforço físico necessário e de maneira a não prejudicar a saúde. Demonstraram coesão na explicação assim puderam concluir seu trabalho de maneira satisfatório, fazendo uma exposição para alunos de turmas diferentes contribuindo seus conhecimentos adquiridos através das pesquisas, estabelecendo as relações entre a composição de alimentos consumo e saúde dos indivíduos. No século passado, Atwater foi pioneiro na investigação nutricional e o primeiro a desenvolver vários dos componentes necessários para a elaboração de guias alimentares. Em 1894, ele publicou tabelas de composição de Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

5 alimentos e padrões dietéticos para a população norte-americana, dando início às bases científicas para estabelecer relações entre a composição dos alimentos, consumo e saúde dos indivíduos. A partir daí, foram propostos vários guias para diversos grupos populacionais com diferentes formas de apresentação (PHILIPPI et al., 1999, p. 66). Os oitavos anos ficaram responsáveis em apresentar as doenças relacionadas a uma má alimentação, como o Diabetes, Obesidade, Anemia, Colesterol, Raquitismo, Anorexia, Bulimia, Hipertensão. Esse tema proporcionou entre os alunos debate e conscientização da importância de uma boa alimentação, que foi apresentado aos alunos dos 7º anos que os fizeram refletir sobre o tema, bem como o papel da alimentação no controle e na prevenção das doenças, especialmente das crônicas não transmissíveis, que é cada vez mais evidente. Destacam-se, nesse aspecto, as doenças cardiometabólicas como a hipertensão arterial, a doença isquêmica do coração, a diabetes mellitus. Considerando que essas doenças em sua grande maioria têm início cada vez mais precoce, curso prolongado e alterações fisiopatológicas iniciais que cursam sem manifestação clínica evidente, agindo de forma silenciosa, a promoção e o estabelecimento de hábitos alimentares saudáveis na infância e adolescência adquirem valor e importância ímpares na promoção da saúde e prevenção do adoecimento na vida adulta. Em contra partida, a anorexia e a bulimia que são casos gravem e pouco explorada. Segundo Piovesan (2009, p.8): A Síndrome Metabólica (SM) e um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular, usualmente relacionados a deposição central de gordura e a resistência a insulina, observado não só em países desenvolvidos, mas também em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento. (1,2) Do ponto de vista epidemiológico, esta síndrome e responsável por um aumento em cerca de 1,5 vez a mortalidade geral e em 2,5 vezes a mortalidade por causas cardiovasculares. O trabalho dos 9º anos englobou os dois temas: Trazendo curiosidade sobre obesidade e A importância de uma alimentação saudável. Quando aos alimentos que são administrados às crianças em contextos sociais positivos, como recompensas, as preferências por tais alimentos são reforçadas. Assim, restringir o acesso das crianças a determinados alimentos como doces e sobremesas torna-os ainda mais desejados. Efeito oposto acontece com o consumo forçado de alimentos como legumes e verduras, a fim de ganhar recompensas. Para aumentar o consumo de alimentos industrializados, a indústria de alimentos disponibiliza grande quantidade de produtos de alta densidade energética, ricos em açúcar, gordura e sal, e de custo relativamente baixo. A 51

6 predominância de produtos com essas características contribui para a adoção de hábitos alimentares não saudáveis de crianças e jovens, agravando o problema da obesidade comprometendo a saúde nesta fase e na idade adulta. A diversidade e o aumento da oferta de alimentos industrializados podem influenciar os padrões alimentares da população, principalmente a infantil, uma vez que os primeiros anos de vida se destacam como um período muito importante para o estabelecimento de hábitos. O consumo inadequado, em excesso e muito frequente destes alimentos, pode comprometer a saúde nesta fase e na idade adulta. Muitos alimentos industrializados são ricos em gorduras e carboidratos refinados, apresentando elevado valor energético (AQUINO E PHILIPPI, 2002, p. 656). O terceiro ano do ensino médio, por sua vez, ficou responsável pela medição e pesagem de todos os alunos da escola, realizando o calculo do IMC. O Índice de Massa Corporal (IMC) é considerado o método mais fácil para avaliar o estado nutricional e o excesso de peso nas pessoas. O IMC é a relação entre o peso (em quilogramas) e a altura (em metros) ao quadrado IMC = peso / (altura) 2. Cabe destacar que, no caso de crianças e adolescentes, a medida bruta de IMC não faz sentido. É necessário adotar gráficos ou tabelas que permitam avaliar o valor obtido em relação à idade e ao sexo do indivíduo que está sendo avaliado. As referências para essa avaliação são aquelas preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que são adotadas no SISVAN (Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional). A escola tem papel importante na formação de diversos valores e comportamentos, entre estes, os que dizem respeito aos hábitos alimentares. É um ambiente propício para adquirir novos conhecimentos e habilidades, por meio da troca de informações e experiências e em contato com diferentes culturas. Para Dayrell (1996, p.2): A escola, como espaço sociocultural, é entendida, portanto, como um espaço social próprio, ordenado em dupla dimensão. Institucionalmente, por um conjunto de normas e regras, que buscam unificar e delimitar a ação dos seus sujeitos. Cotidianamente, por uma complexa trama de relações sociais entre os sujeitos envolvidos, que incluem alianças e conflitos, imposição de normas e estratégias individuais, ou coletivas, de transgressão e de acordos. Um processo de apropriação constante dos espaços, das normas, das práticas e dos saberes que dão forma à vida escolar. Fruto da ação recíproca entre o sujeito e a instituição, esse processo, como tal, é heterogêneo. Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

7 É importante salientar que a escola é o espaço onde se ensina como também se aprende através de estudos com pesquisas e oficinas com desenvolvimento de trabalhos interativos - e a função do professor é acreditar que o processo de ensinar e aprender é relacional, investir em relações mais afetiva, que tenham um relacionamento e um envolvimento mais direto com o aluno, que possibilitem entender as diversas manifestações de seu aprender, que os encorajem, que os seus próprios recursos na busca de um novo saber. É muito bom ver o entusiasmo dos alunos aprendendo, através das pesquisas, da interação entre seus pares, compreendendo que uma alimentação saudável é aquela que reúne todas as refeições, com equilíbrio entre carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais, e fazendo as refeições no horário certo. Isso reforça a crença de que o trabalho interdisciplinar o envolvimento e comprometimento das pessoas constituem um caminho viável para o processo ensino aprendizagem em compasso com as exigências do mundo atual. Segundo Fazenda (1988, p.82): Uma atitude diante de alternativas para conhecer mais e melhor, atitude de espera ante os atos consumados, atitude de reciprocidade que impede à troca, que impede ao diálogo ao diálogo com pares idênticos, com pares anônimos ou consigo mesmo - atitude de humildade diante da limitação do próprio saber, atitude de humildade diante da limitação do próprio saber, atitude de desafio desafio perante o novo, desafio em redimensionar o velho -atitude de envolvimento e comprometimento com os e com as pessoas neles envolvidos, atitude, pois, de compromisso em construir sempre da melhor forma possível, atitude de responsabilidade, mas, sobretudo, de alegria, de revelação de encontro, enfim de vida. Isso tudo demonstra que devemos acreditar no novo, numa atitude interdisciplinar que resgata a coerência e contextualiza a transposição do conhecimento. Embora este tema tenha sido norteado pela Secretaria do Estado de Educação do Mato Grosso, nós, professores de Ciências e Língua Portuguesa, fomos os responsáveis pelo planejamento e acompanhamento das turmas. Já que se tratava de um projeto interdisciplinar, um dos nossos objetivos foram a integração entre as duas disciplinas, sempre imperando o interdisciplinar, e que esta interação ocorresse por parte de todos os participantes do processo ensino-aprendizagem (professores e alunos) de forma prazerosa, ultrapassando os obstáculos que por ventura pudessem surgir. Para a construção do conhecimento, relação professor-aluno é mais que necessário, pois ambos estão envolvidos no processo de ensino-aprendizagem, e vivenciam esse 53

8 processo de uma forma recíproca. É no campo interativo que se criam as condições para o aprendizado. A Avaliação do Trabalho O processo de avaliação se deu, a princípio, sondando o conhecimento já acumulado ao de vida dos educandos, evoluindo para a definição dos conceitos, a partir de cada tema que lhes foram propostos, tendo como objetivo desenvolver as competências do educando nas suas relações com símbolos, expressões, ideias, imagens, representações e nexos, com os quais ele aprende e re significa o real. Para Benedita de Almeida (2005, p.77): O saber escolar deve superar os componentes tradicionais, lineares e sequenciais na relação que mantém com o conhecimento, possibilitando processos de ressignificação às informações e aos aspectos da realidade aos qual o processo pedagógico está dirigido. As competências do aluno materializam-se através da reflexão sobre os conteúdos específicos de ensino em situações problematizadoras, desafiadoras para o grupo (situação didática planejada pelo professor). A elaboração dos conceitos permite ao aluno vivenciar o conhecimento, numa perspectiva científica, criativa, produtiva. Assim também foi avaliado o aspecto procedimental, se o mesmo expôs com clareza as ideias sobre o determinado assunto pesquisado, sobre o tema geral Obesidade na infância e adolescência. Dentro dos conhecimentos curriculares, a dimensão procedimental do conteúdo envolve o processo-aprendizagem, articulando a construção de uma lógica, de uma pedagogia e uma área específica do conhecimento. Materializa-se numa perspectiva educacional dialógica, participativa, compartilhada. Os conteúdos procedimentais expressam um saber fazer que envolva tomar decisões e realizar uma série de ações de forma ordenada e não aleatória, para atingir uma meta. E finalmente, o aspecto atitudinal que sem dúvida, é a expectativa que todo educador tem a de esperar que cada educando transfira para sua vida real, de forma positiva o que aprendeu no processo do estudo/pesquisa. Visto que essa dimensão atitudinal está presente no cotidiano escolar, envolvendo valores, normas, posturas, que influenciam nas relações e interações da comunidade. Demo (2004, p.214) destaca que: Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

9 Por conta disso, o aprender a aprender afasta-sede táticas clássicas de armazenar conhecimento copiado, como decorar, escutar infinitas aulas, fazer prova, reproduzir imitativamente o saber etc., para privilegiar a atitude de questionamentos construtivo, teórico e pratico, onde o conhecimento atualizado é modo de ver a realidade e, sobretudo base para intervir nela. O espaço escolar é socializador, gerador de atitudes relativas ao conhecimento, ao professor, aos colegas, às disciplinas, às tarefas, à sociedade. A não compreensão das relações, das atitudes dos valores, das normas, como conteúdos escolares, faz com que este seja comunicados, sobretudo, de forma inadequada. Como escreve Weffort (1995, p.99): À escola que se abre à participação dos cidadãos não educa apenas as crianças que estão na escola. A escola cria comunidade e ajuda a educar o cidadão que participa da escola, a escola passa a ser um agente institucional fundamental do processo da organização da sociedade civil. Diante do tema contextualizado, o discente deve conscientiza-se que para ter uma boa saúde precisa ter uma mente e um corpo é exercitando a criatividade com música e arte em geral, escolhendo alimentos saudáveis, e evitando agressões no corpo e na mente, evitando excesso de bebida e comida, fazendo atividades físicas, compatíveis com o seu temperamento e condições físicas. De maneira sintetizada, a avaliação se deu desde o início, partindo do que sabe, seguindo uma dimensão reguladora: acompanhada as situações de aprendizagens que foram sendo efetivadas pelos alunos, ora ou outra se ajustando às suas necessidades e possibilidades, e finalmente à avaliação integradora, que foi analisar o percurso do tempo acordado. Dentro destas perspectivas, os resultados das pesquisas e apresentações das mesmas, desenvolvidas pelos educandos atingiu satisfatoriamente os objetivos propostos. Demonstrando que a aprendizagem foi significativa. O conceito de aprendizagem significativa, central na perspectiva construtivista, implica, necessariamente, o trabalho simbólico de significar a parcela da realidade que se conhece. As aprendizagens que os alunos realizam na escola serão significativas à medida que conseguirem estabelecer relações substantivas e não-arbitrárias entre os conteúdos escolares e os conhecimentos previamente construídos por eles, num processo de articulação de novos significados. (PARÂMETROS CURRICULARES, 1997, p 126). Alguns grupos extrapolaram nas exposições dos trabalhos bem como nas explanações dos assuntos, já outros, restringiram somente ao assunto, ainda meio 55

10 inseguros na oralidade, preso aos papéis, uma vez que alguns dos espectadores lhes fizeram muitas perguntas a respeito do assunto do qual o grupo expunham. Os resultados foram analisados com a disposição das professoras interventoras, observar os requisitos dos quais se aplicou ao discente, permitindo-lhe que aprendessem os conceitos de maneira significativa, implicando no aprendizado procedimental, do qual provém de seu caráter de saber fazer, isto é, na realização das ações e reflexões das mesmas num contexto diferenciado, para mudanças de atitudes, no que compõem o cognitivo, o afetivo, a conduta (ações manifestas e declarações de intenções). Outra maneira de verificar resultados tanto nos sentidos positivos como negativos foi lendo relato do próprio aluno como um relato de experiência da pesquisa apresentada na interclasse. Dentre todos que escreveram cita-se alguns: a) Relato de uma aluna do 7º ano B - diz: Durante a pesquisa, sobre as pirâmides alimentares aprendi sobre as porções de alimento que nosso organismo necessita diariamente; também sobre o valor de cada nutriente para o nosso corpo como dos carboidratos, das proteínas, das gorduras, das verduras e frutas. Em ralação às pirâmides, elas nos ensinam que devemos controlar e manter a saúde e a qualidade de vida. Fizemos duas pirâmides. Uma pirâmide sugeriu o equilíbrio na quantidade e nos tipos de alimentos; a outra estimula as atividades físicas e condena o sedentarismo. Depois desse estudo eu passei a me controlar melhor e policiar melhor os meus alimentos. Estou tentando fazer as refeições com minha família da maneira mais correta que a conheci nas pesquisas, incluindo os seis grupos de cereais e pelo menos três porções de legumes e verduras, além das frutas. Ah, outra coisa, passei a valorizar mais os alimentos que a escola oferece para os nós, alunos, sei que é equilibrada sobre cardápio semanal e a inspecionada uma nutricionista da rede estadual. Em contrapartida, passei os tipos de alimentos que a cantina vende, e vi que alguns tipos de alimentos que estão sendo vendido não estão de acordo com as normas reguladoras da saúde alimentar, mas falar disso para o dono da cantina não é papel nosso, e sim da escola. Disso tudo, o que o que mais me impressionou foi chegar em casa e começar a conversar com minha mãe sobre as combinações dos alimentos e as porções diárias que deverão ser consumidas, além de comentar sobre como é importante manter um estilo de vida ativo para a saúde e a qualidade de vida. b) Relato de uma aluna do 8º ano A: Quero dizer que amei desenvolver as pesquisas sobre Obesidade, colesterol e diabetes, hipertensão arterial e estudar sobre eles, depois Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

11 trabalhar nas oficinas juntos aos alunos foi muito gratificante e de grande conhecimento científico. Posso dizer que não é fácil interagir junto a alguns alunos, mas temos que aprender a respeitar as diferenças, pois uns se esforçam demais nas pesquisas e estudos, já outros, mais brincam do que estudam. Penso que as professoras acertaram em colocar este projeto em prática nos dando a oportunidade de buscar a fundo nas pesquisas as informações. Creio que dessa forma aprendemos mais. Falo por mim, porque temos que nos preparar para o seminário, e isso são um desafio para todos nós que levamos o estudo a sério. Fizemos cartazes, tópicos dos assuntos mapa conceitual para melhor explicarmos sobre cada um deles. Eu sempre me cuido, mas agora pretendo me cuidar muito mais, pois a obesidade, doença dada como sobrepeso, segundo as pesquisas, está mais voltada para fatores culturais, ambientais e psicológicos, com sedentarismo, hábitos alimentares e stress crônico do que fatores genéticos, sendo assim, têm que seguir as orientações dos 7º anos, nos atentarem para as principais regras da boa alimentação, observando a pirâmide alimentar e a pirâmide das atividades físicas. Ainda, devido associada ao sobrepeso, vimos também que várias outras doenças como hipertensão, diabetes, colesterol e acidente vascular cerebral, trazem consequências seriíssimas, podendo levar a pessoa até o óbito. c) Relato de um aluno do 8º B: Minha pesquisa foi sobre Anemia e Raquitismo- Professora, eu aprendi muito sobre essas doenças. O Raquitismo é uma doença que surge após um processo de mutação experimentado pelos ossos infantis, ainda em desenvolvimento, decorrente da ação incorreta de substâncias minerais no campo ósseo. Esta modificação deixa os ossos das crianças mais frouxos e, portanto, frágeis, o que pode causar lesões e deformações. Esta enfermidade é causada por falta de vitamina D às vezes também por falta da luz solar ou dieta pobre nesta substância, ficando assim desnutrida; também a falta de cálcio deixar a criança Raquítica. Aprendi que tem tratamento para o Raquitismo e que na prevenção deve incluir a exposição da luz solar e o consumo de alimentos em vitamina D, Cálcio e fósforo e outras coisas mais. Posso dizer que até o ano passado eu achava que eu não iria crescer, pois às vezes ouvia as pessoas dizer que eu era raquítico, pálido, anêmico. Eu achava normal. Agora sei o que é esse tipo de doenças e também sei que não sou raquítico, posso ser anêmico, porque não gosto de ingerir certos alimentos como os vegetais. Mas raquítico não, pois estou crescendo bastante. Enquanto a anemia, também escolhia muita a alimentação, não era tudo que eu gostava de comer, mas agora sei que é importante todos os tipos de alimentos, e em se tratando da anemia, têm os suplementos alimentares de ferro ou 57

12 vitaminas. Na pesquisa percebi que essas vitaminas e ferros não encontraram só tomando o medicamento, podemos encontrá-las na alimentações como Cereais matinais com adição de vitamina B12; como nas principais refeições a carnes vermelhas, o fígado, o frango, o peixe e mariscos, além de ovos e laticínios. Também a vitamina C ajuda o corpo a absorver ferro que estão nas frutas e vegetais, especialmente frutas cítricas. Outras frutas ricas em vitamina C são manga, kiwi, morango, melão e melancia. Vegetais ricos em vitamina C incluem brócolis, tomate, repolho, batata e espinafre. Posso dizer que gostei da pesquisa, de trabalhar em equipe, estudando para o seminário. E o mais importante, cuidar da minha saúde. d) Relato de uma aluna do 8º B: Bulimia foi o assunto que eu pesquisei. Busquei na internet, Vídeos You Tube Bulimia trata-se de um transtorno alimentar, que por motivo de insatisfação e comportamental de jovens mulheres que desejam um corpo magro e em forma. As jovens comem descontroladamente e depois provocam os vômitos. Aprendi que essa doença pode apresentar vários sintomas como: problemas nos dentes e gengivas, desidratação, fadiga, ressecamento da pele, depressão e outras doenças. Eu estudei bastante para o seminário. Na apresentação da pesquisa, usei o vídeo com um documentário sobre o assunto. os alunos ficaram perplexos quando viu certos depoimentos sobre algumas jovens e adolescentes e acredito que como eu aprendi muito. e) Relato de mais um aluno 8º B: Anorexia: Quando comecei a pesquisar sobre Anorexia pensei que fosse a mesma coisa que bulimia - Não. Bulimia é um transtorno alimentar no qual o doente ingere alimentos em grande quantidade e depois vomita. Anorexia é um distúrbio alimentar a pessoa não consegue comer ou tem aversão a comida. A pessoa se olha no espelho e vê sua imagem distorcida. Pensa que está muito gorda. Achei muito interessante esta pesquisa, e quando eu e meu grupo apresentamos o seminário, aproveitamos o mesmo vídeo da bulimia para falarmos da diferença entre elas. A apresentação foi chocante, os alunos fizeram silêncio para assistir e ouvir o que tínhamos para falar. O que tirei de bom para o meu aprendizado e creio que todo o grupo que assistiu a apresentação do seminário, foi pensar mais de uma vez em cometer esse tipo de distúrbio por conta da insatisfação com o corpo, sabendo que sofrerá sérias consequências. Certo de que para evitar estas duas doenças Anorexia e Bulimia, devese seguir a pirâmide alimentar com as regras dos alimentos básicos e saudáveis. Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

13 Após as pesquisas, os trabalhos foram desenvolvidos na sala de aula e os educandos realizaram apresentações, onde culminaram as atividades das turmas envolvidas, com discussões sobre os conhecimentos trabalhados. A equipe gestora da escola foi convidada a participar das apresentações dos seminários, a qual contribuiu com a avaliação do trabalho. Ao termino das apresentações, alguns cartazes foram para o mural da escola e os agentes mirins de informações entregaram os folhetins de informações aos colegas com instrução para ter uma vida balanceada e saudável. Considerações Finais Conclui-se que a os objetivos propostos nesta tarefa em grupo e interdisciplinar, de realização do projeto Obesidade Saúde na Escola, foi satisfatório, pois os educandos envolveram-se plenamente nas atividades que visavam inspirá-los a descobrir, por meio de pesquisas, que certos hábitos alimentares errados destroem a saúde. A maneira de ter uma alimentação errada pode ser substituída por uma alimentação saudável, como também através de atividades físicas, caminhadas e outros complementos para movimentar o corpo, levando a um estilo de vida bastante equilibrado para gozarem de uma boa saúde e uma melhor qualidade de vida. Foi possível constatar a satisfação dos educandos, na realização das oficinas e seminários, e também nos relatos escritos por eles, cujo conteúdo autoavaliativo traduz prazer nas atividades e compreensão daquilo que foi pesquisado e vivenciado nesta experiência. Pode-se dizer que esse projeto também motiva os profissionais a continuar desenvolvendo atividades semelhantes com os estudantes, através de novos projetos que os desafie, novamente, desenvolvendo, assim, a capacidade de cada um para buscar nas pesquisas os assuntos temáticos sugeridos a colocá-los em prática no dia a dia. Referências Bibliográficas AQUINO, Rita de Cássia de; PHILIPPI, Sônia Tucunduva. Consumo infantil de alimentos industrializados e renda familiar na cidade de São Paulo. Revista saúde pública, p Disponível em < > Acesso em 23 de abril de

14 BRONISLAWSKI, Luciana Trevisan; AZEVEDO, Hilton de. Construindo valores alimentares: uma abordagem aplicada em turmas das séries finais do ensino fundamental Disponível em <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/415-2.pdf > Acesso em 27 de abril de DAYRELL, J. A escola como espaço sociocultural. In: DAYRELL, J. (Org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, Disponível em < Acesso em 27 de abril de DEMO, Pedro. Desafios modernos da educação. 13ª Ed. Editora Vozes: Petrópolis, RJ GUARNIERI, Maria Regina (org). Aprendendo a ensinar o caminho nada suave da docência. Polêmicas do nosso tempo. 2 ed. Campinas, SP:Autores associados; Araraquara, MEC. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, p. PHILIPPI, Sônia Tucunduva; LATTERZA Andrea Romero; CRUZ, Ana Tereza Rodrigues; RIBEIRO, Luciana Cisotto. Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos. Revista de nutrição, jan/abr, p Campinas SP, PINHEIRO, Anelise Rizzolo de Oliveira; RECINE, Elisabetta; CARVALHO, Maria de Fátima. O que é uma alimentação saudável? Considerações sobre o conceito, princípios e características: uma abordagem ampliada. Maio Disponível em <http:// /nutricao/docs/geral/oqueealimentacaosaudavel.pdf> Acesso em 23 de abril de PIOVESAN, Carla Haas. Efeito da modificação do estilo de vida sobre a qualidade da dieta em indivíduos com síndrome metabólica. Porto Alegre: PUCRS, p. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde. Porto Alegre RS, Revista Educação e Linguagem Eletrônica, Vol. 6 n.1 p.47-61/dez

15 SARNI, Roseli Oselka Saccardo; SOUZA, Fabiula Isabel Suano. Novos conceitos em alimentação e nutrição: impacto na promoção da saúde e na prevenção de doenças. Temas de pediatria-nestlé nutrition. 2008; n. 85, p Disponível em < > Acesso em 09 de maio de WEFFORT, F. Escola, participação representação formal. In L. Z. Da Silva e J. C. de Azevedo (Orgs.), Paixão de aprender II. Petrópolis: Vozes,

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

Atividade Física e Saúde na Escola

Atividade Física e Saúde na Escola Atividade Física e Saúde na Escola *Eduardo Cardoso Ferreira ** Luciano Leal Loureiro Resumo: Atividade física pode ser trabalhada em todas as idades em benefício da saúde. O objetivo do artigo é conscientizar

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - 2008. Projeto: Meio ambiente, qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na prática pedagógica da FSP.

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - 2008. Projeto: Meio ambiente, qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na prática pedagógica da FSP. PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - 2008 Projeto: Meio ambiente, qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na prática pedagógica da FSP. 1. Delimitação do tema: Alimentação saudável, verdades e mentiras.

Leia mais

Hábitos saudáveis na creche

Hábitos saudáveis na creche 11 Hábitos saudáveis na creche Elvira Bezerra Pessoa: elvirabe@gmail.com Patrícia Edióne da Silva Graduada edionne.jp@hotmail.com Adeilson Paulino de Barros UEPB 1.INTRODUÇÃO No Brasil o atendimento á

Leia mais

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com.

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com. - SECRETARIA DE SAÚDE - SÃO TIAGO MINAS GERAIS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE FÍSICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 04 A 19 ANOS 1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE

Leia mais

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 REDUÇÃO DE PESO E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL EM TRABALHADORES DA INDÚSTRIA

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres 2 Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres Ana Paula Bueno de Moraes Oliveira Graduada em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC Campinas Especialista

Leia mais

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO.

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014 Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. RESUMO Adriana Vieira de Lima Colégio Marista Arquidiocesano

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

O Currículo das Séries Iniciais e a Educação para a Saúde

O Currículo das Séries Iniciais e a Educação para a Saúde Nas séries iniciais do ensino fundamental, o currículo enfatiza a assimilação de conceitos e busca desenvolver as estruturas cognitivas. Ele procura fornecer aos alunos condições necessárias para aprendizagens

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero.

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero. PNLD 2011: ANÁLISE DE UMA COLEÇÃO DE LIVRO DIDÁTICO DE INGLÊS Universidade Federal de Goiás Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística Mestranda: Maria Letícia Martins Campos FERREIRA mleticiaf@hotmail.com

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho. 2 EPISÓDIO TRABALHADO Um punhado de sementes mágicas. 3 SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO O episódio Um punhado de sementes mágicas

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão FORMULÁRIO DE AÇÃO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO: CAPACITAÇÃO PARA EDUCADORES DA PRIMEIRA INFÂNCIA,

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS 13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS A importância da formação pessoal e social da criança para o seu desenvolvimento integral e para a

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Em ação! PARTE 1: (5 minutos) Procure alguém que você não conhece ou que conhece

Leia mais

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Ariane Baffa Lourenço 1, Maria Lúcia V. dos S. Abib 2 e Salete Linhares Queiroz 3 1 Programa de Pós-Graduação Interunidades

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR - RELATO DA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA COM ALUNOS DO 3ºANO NA EEEF ANTENOR NAVARRO

PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR - RELATO DA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA COM ALUNOS DO 3ºANO NA EEEF ANTENOR NAVARRO PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR - RELATO DA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA COM ALUNOS DO 3ºANO NA EEEF ANTENOR NAVARRO OLIVEIRA, Khomar Tander s (Bolsista do PIBID) PAULINO, Jailson da Silva

Leia mais

REDE DE EDUCAÇÃO SMIC COLÉGIO SANTA CLARA SANTARÉM-PARÁ ENSINO FUNDAMENTAL I PROJETOS PARA FEIRA DO CONHECIMENTO 2014

REDE DE EDUCAÇÃO SMIC COLÉGIO SANTA CLARA SANTARÉM-PARÁ ENSINO FUNDAMENTAL I PROJETOS PARA FEIRA DO CONHECIMENTO 2014 Projeto: O MUNDO ENCANTADO DA ARTE - 1º ano A, B, C e D Professoras: Newman Miranda, Girlainy Aragão e Eliziana Monteiro A arte faz parte da vida das crianças como instrumento de leitura do mundo e de

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova.

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova. 12. As concepções de educação infantil Conforme OLIVEIRA, a educação infantil no Brasil, historicamente, foi semelhante a outros países. No Séc. XIX tiveram iniciativas isoladas de proteção à infância

Leia mais

Congregação das Filhas do Amor Divino

Congregação das Filhas do Amor Divino Congregação das Filhas do Amor Divino EXERCÍCIO FÍSICO E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Em se tratando dos conhecimentos necessários para a prática de exercícios e/ou atividades físicas, a alimentação deve ser considerada

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Alimentação Saudável E.E. Ludovina Credidio Peixoto Sala 11 Sessão 2

Alimentação Saudável E.E. Ludovina Credidio Peixoto Sala 11 Sessão 2 Alimentação Saudável E.E. Ludovina Credidio Peixoto Sala 11 Sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Ivana Grandino Vanessa Ribeiro Vilma Nascimento Realização: Foco Projeto interdisciplinar visando às

Leia mais

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA Dayvyd Lavaniery Marques de Medeiros Professor do IFRN Mestrando do PPGEP

Leia mais

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos Ano: 2010/2011 Disciplina: Educação Física Professora: Rita Marques Trabalho realizado por: Andreia Cipriano Catarina Silva Jéssica Pereira Mónica Algares Patrícia Martinho A roda dos alimentos Para se

Leia mais

6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO

6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO 6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação Aula

Leia mais

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente 16 Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente Leidiane Silva Oliveira Chagas Gestora de Recursos Humanos - Anhanguera Educacional

Leia mais

Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil

Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil 1. Apresentação 2.Inserção da Cronobiologia na pré-escola 3.Inserção da Cronobiologia no fundamental ciclo I 4.Referências. 1. Apresentação Este

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho

Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho 6 Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho José Cicero Mangabeira Da Silva Gestor Em Recursos Humanos - Anhanguera Educacional - Campinas-SP Especialista Em Gestão Da Qualidade

Leia mais

LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO

LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO Luciana Araújo Montenegro (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

5 Alimentos que Queimam Gordura www.mmn-global.com/aumenteseumetabolismo IMPRIMIR PARA UMA MAIS FÁCIL CONSULTA

5 Alimentos que Queimam Gordura www.mmn-global.com/aumenteseumetabolismo IMPRIMIR PARA UMA MAIS FÁCIL CONSULTA IMPRIMIR PARA UMA MAIS FÁCIL CONSULTA ÍNDICE Alimentos que Queimam Gordura TORANJA CHA VERDE E CHA VERMELHO AVEIA BROCOLOS SALMÃO TORANJA A dieta da Toranja já vem sendo discutida por algum tempo, mas

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA Andréa Ott 1, Arléia Maria Gassen 1, Catiana de Moura Morcelli 1, Elisângela Maria Politowski 1, Débora Krolikowski 2 Palavras-chave: nutrição humana, criança, saúde. INTRODUÇÃO

Leia mais

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade:

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade: PROJETO DE LEI N. 426/2013 ESTADO DO AMAZONAS ESTABELECE diretrizes para a Política Municipal de Educação Alimentar Escolar e Combate à Obesidade, e dá outras providências. Art.1º - O Poder Público Municipal,

Leia mais

Carta pedagógica. Professora: Maria Teresinha Turma: alfabetização

Carta pedagógica. Professora: Maria Teresinha Turma: alfabetização Carta pedagógica Ao escrever esta carta pedagógica, veio-me a questão do erro que acontece a todo o momento em minha turma na sala de aula. Lendo textos de autores como Morais, fiquei ciente da sua fala

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRIZOLA, Silene Francisca dos Santos. (UNEMAT) silenefsb@hotmail.com SILVA, Maria Ivonete da. (UNEMAT) ivonete0304@hotmail.com RESUMO Este projeto foi desenvolvido

Leia mais

Avaliação-Pibid-Metas

Avaliação-Pibid-Metas Bolsista ID: Claines kremer Avaliação-Pibid-Metas A Inserção Este ano o reingresso na escola foi diferente, pois já estávamos inseridas na mesma há praticamente um ano. Fomos bem recepcionadas por toda

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

ERVAS AROMATIZANTES: BRINCANDO COM OS SENTIDOS. Paula Fernanda da Silva¹; Evanoel Fernandes Nunes 2 ; Giulianna Paiva Viana de

ERVAS AROMATIZANTES: BRINCANDO COM OS SENTIDOS. Paula Fernanda da Silva¹; Evanoel Fernandes Nunes 2 ; Giulianna Paiva Viana de ERVAS AROMATIZANTES: BRINCANDO COM OS SENTIDOS Paula Fernanda da Silva¹; Evanoel Fernandes Nunes 2 ; Giulianna Paiva Viana de Andrade Souza 3. 1,2 Licenciandos em Ciências Biológicas e Bolsistas do PIBID/BIOLOGIA/UFRN;

Leia mais

O Programa Educativo Apetece-me chegou ao Pré-Escolar.

O Programa Educativo Apetece-me chegou ao Pré-Escolar. O Programa Educativo Apetece-me chegou ao Pré-Escolar. O Programa Educativo Apetece-me é uma iniciativa da Nestlé Portugal que conta com o apoio da Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

Este nível de insulina baixo também o ajuda a controlar a sua fome pois é o nível de insulina que diz ao seu cérebro que está na hora de comer.

Este nível de insulina baixo também o ajuda a controlar a sua fome pois é o nível de insulina que diz ao seu cérebro que está na hora de comer. A dieta da Toranja já vem sendo discutida por algum tempo, mas não se sabia ao certo porque a Toranja possui tantas capacidades para a perda de gordura e mesmo os cientistas se dividem sobre esse assunto.

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE Natália Maria G. Dantas de Santana- UAE/CFP/UFCG Mayrla Marla Lima Sarmento-UAE/CFP/UFCG Maria Thaís de Oliveira

Leia mais

Projeto Curricular de Escola

Projeto Curricular de Escola Projeto Curricular de Escola QUADRIÉNIO 2014-2018 Somos aquilo que comemos. Hipócrates Cooperativa de Ensino A Colmeia 2 Índice Introdução... 4 Identificação do Problema... 5 Objetivos... 6 Estratégias/Atividades...

Leia mais

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas Ministério da Saúde Abril de 2014 VIGITEL 2014 Medir a prevalência de fatores de risco e proteção para doenças não transmissíveis na população brasileira Subsidiar ações de promoção da saúde e prevenção

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

Obesidade Infantil. O que é a obesidade

Obesidade Infantil. O que é a obesidade Obesidade Infantil O que é a obesidade A obesidade é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar

Leia mais

Coach Marcelo Ruas Relatório Grátis do Programa 10 Semanas para Barriga Tanquinho

Coach Marcelo Ruas Relatório Grátis do Programa 10 Semanas para Barriga Tanquinho Coach Marcelo Ruas Relatório Grátis do Programa 10 Semanas para Barriga Tanquinho Alimento I Toranja A dieta da Toranja já vem sendo discutida por algum tempo, mas não se sabia ao certo porque a Toranja

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Programa de Controle de Peso Corporal

Programa de Controle de Peso Corporal 15 Programa de Controle de Peso Corporal Denis Marcelo Modeneze Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde na UNICAMP principal objetivo de desenvolver este tema com os alunos

Leia mais

Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável

Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Janeiro/2009 1. Introdução A introdução de alimentos na dieta da criança após os seis meses de idade tem a função de complementar as

Leia mais

Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan;

Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan; 1 Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan; Janaina Lopes; Eveline Batista Rodrigues; Cristiane

Leia mais

10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP

10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP 10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP Políticas e Ambiente Escolar Padronização dos ambientes físicos de todas as escolas, procurando proporcionar espaços saudáveis

Leia mais

Portfólio fotográfico com o tema Unicamp Caroline Maria Manabe Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes

Portfólio fotográfico com o tema Unicamp Caroline Maria Manabe Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes Portfólio fotográfico com o tema Unicamp Caroline Maria Manabe Universidade Estadual de Campinas Instituto de Artes Introdução Como foi explicitado no Projeto de Desenvolvimento de Produto, a minha intenção

Leia mais

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR JUSTIFICATIVA Uma vez que a sobrevivência da sociedade dependerá da alfabetização cultural, social e ecológica e, sendo a Terra nossa casa maior,

Leia mais

ANÁLISE DOS ERROS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU DOS ALUNOS DA 6ª SÉRIE

ANÁLISE DOS ERROS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU DOS ALUNOS DA 6ª SÉRIE ANÁLISE DOS ERROS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU DOS ALUNOS DA 6ª SÉRIE Adriane Trindade Lopes Universidade do Estado do Pará adriane_lopes18@yahoo.com.br Gleida Tayanna Conde de Sousa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam o desejo de participação social direciona as ações para a estruturação de um processo construtivo para melhoria

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR.

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Jonas da Silva Santos Universidade do Estado da Bahia UNEB DEDC XV jonasnhsilva@hotmail.com jonas.ss@inec.org.br

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL EDUCAÇÃO INFANTIL 01) Tomando como base a bibliografia atual da área, assinale a alternativa que destaca CORRE- TAMENTE os principais eixos de trabalho articuladores do cotidiano pedagógico nas Instituições

Leia mais

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES Kátia Hatsue Endo Unesp hatsueendo@yahoo.com.br Daniela Bittencourt Blum - UNIP danibittenc@bol.com.br Catarina Maria de Souza Thimóteo CEETEPS - catarinamst@netonne.com.br

Leia mais

EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS MATRICULADAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS/PB

EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS MATRICULADAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS/PB EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS MATRICULADAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS/PB LINS SANTOS 1, Carlos Augusto MARINHO DA SILVA FILHO 2, Carlos Roberto ARAÚJO SILVA 3, Débora

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento 9 Estilo de Vida Ativo: A Importância do Estímulo por parte dos Adultos Erika da Silva Maciel Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos - USP Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Leia mais

Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio. Atividade: Reflexão sobre Amadurecimento e Relacionamento Interpessoal

Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio. Atividade: Reflexão sobre Amadurecimento e Relacionamento Interpessoal Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio Atividade: Reflexão sobre Amadurecimento e Relacionamento Interpessoal Público: Oitavos anos Data: 25/5/2012 181 Dentro deste tema, foi escolhida para

Leia mais

O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA

O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA Profª. Ms. Marilce da Costa Campos Rodrigues - Grupo de estudos e pesquisas em Política e Formação Docente: ensino fundamental

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 Resenha de livro Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 A presente resenha do livro de Moretto, (2007) em sua 2 edição tem o intuito de mostrar que a avaliação é um

Leia mais

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA,

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, Giana²; GÖRSKI, Bruna²; PAZ, Fabiane²; ORSOLIN, Giulianna²; ROSA, Izabel²; TONETTO, Priscila²; SACCOL, Ana Lúcia de Freitas² ¹ Trabalho desenvolvido durante

Leia mais

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática Michel da Silva Machado e-mail: michel_nick25@hotmail.com Isaque Rodrigues e-mail: isaque.max@hotmail.com Márcia Marinho do Nascimento Mello e-mail:

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

SAÚDE E EDUCAÇÃO INFANTIL Uma análise sobre as práticas pedagógicas nas escolas.

SAÚDE E EDUCAÇÃO INFANTIL Uma análise sobre as práticas pedagógicas nas escolas. SAÚDE E EDUCAÇÃO INFANTIL Uma análise sobre as práticas pedagógicas nas escolas. SANTOS, Silvana Salviano silvanasalviano@hotmail.com UNEMAT Campus de Juara JESUS, Lori Hack de lorihj@hotmail.com UNEMAT

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES Marcos Aurélio Alves e Silva- UFPE/CAA Alcicleide Ramos da Silva- UFPE/CAA Jucélia Silva Santana- UFPE/CAA Edelweis José Tavares Barbosa- UFPE/CAA

Leia mais

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Brincadeiras que ensinam Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Por que as crianças brincam? A atividade inerente à criança é o brincar. A criança brinca para atribuir significados

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO 1 PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO Iara de Souza Assunção 1 Josiane Kênia de Freitas 2 Viviane Modesto Arruda 3 Silvana Rodrigues Pires Moreira 4

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais