Julho de Notícias. Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações - Atividades CVP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Julho de 2012. Notícias. Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações - Atividades CVP"

Transcrição

1 Julho de 2012 Notícias Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações - Atividades CVP É sabido que a União Europeia se encontra num processo significativo de envelhecimento da população, resultado da combinação das baixas taxas de natalidade com o aumento da esperança de vida. Devendo ser considerado um enorme sucesso civilizacional, o envelhecimento da população europeia apresenta diversos desafios a que a Cruz Vermelha deverá ajudar a responder. Nomeadamente: a promoção da participação, a prevenção da exclusão e da dependência, a prevenção da discriminação baseada na idade (idadismo), a prestação de cuidados adequados, a promoção da solidariedade entre gerações, entre outros. Esta realidade é naturalmente reconhecida na Cruz Vermelha, quer ao nível das atividades diariamente realizadas pelas Delegações e pelas Sociedades Nacionais, quer ao nível dos compromissos assumidos institucionalmente. Na 8ª Conferência Europeia realizada em 2010, a Cruz Vermelha Portuguesa fez parte das Sociedades Nacionais que assumiram os Compromissos de Viena no âmbito do Envelhecimento na Europa (ver caixa I). A promoção do envelhecimento ativo tem sido considerada uma boa estratégia para promover a participação, quer no mercado de trabalho quer na sociedade. Trata-se de um conceito, mais abrangente que o de Envelhecimento Saudável e que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, pode ser entendido como o processo de otimização das oportunidades para a saúde, participação e segurança, visando aumentar a qualidade de vida das pessoas idosas. Permite às pessoas realizarem o seu potencial de bem-estar ao longo da vida e participar na sociedade de acordo com os seus desejos, capacidades, ao mesmo tempo que lhes é fornecida proteção adequada, segurança e cuidado, quando necessitam de assistência (OMS, 2002).

2 Considerando que a população idosa é a que mais vai aumentar na Europa, a União Europeia promove este ano Europeu com o objetivo global de incentivar e apoiar os esforços dos Estados Membros, das suas autoridades regionais e locais, dos parceiros sociais e da sociedade civil no sentido de promover o envelhecimento ativo e de melhor explorar o potencial da população em rápido crescimento, com 50 ou mais anos de idade, preservando desta forma a solidariedade entre gerações (com da comissão Europeia). No âmbito deste Ano Europeu, a Federação Internacional da CV/CV aprovou já as mensagens Chave para 2012 Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações (ver Caixa II). Sem prejuízo de estarem a ser realizadas outras iniciativas da CVP neste domínio, o presente documento pretende ser uma apresentação de iniciativas consideradas mais representativas da atividade da Cruz Vermelha Portuguesa, enquadráveis no âmbito do envelhecimento ativo*, e que resulta de uma auscultação feita às Delegações da CVP, não pretendendo esgotar todas as atividades realizadas. Embora sejam a excepção, foram consideradas atividades não especificamente pensadas para o Ano Europeu, mas totalmente enquadráveis na medida em que a Promoção do Envelhecimento Ativo é já, desde há vários anos, uma das linhas definidas para a intervenção com seniores na CVP.

3 1. Aveiro 1.1 Academia Sénior 2012 com o objetivo de combater a exclusão e proporcionar aos mais velhos a oportunidade de aprenderem, ensinarem e partilharem novas experiências, serão realizadas várias atividades formalizadas, lúdicas e ações de sensibilização, destinadas a seniores com idades superiores a 65 anos de idade, autónomos e independentes. Data de Início: em fase de divulgação 2. Cartaxo 2.1. Voluntariado para seniores com o objetivo de promover as relações de proximidade e combater o isolamento e a dependência da população sénior, promovendo a integração na sociedade contribuindo para um envelhecimento ativo, atenuando problemáticas que prejudicam a qualidade de vida do idoso como, solidão, exclusão e isolamento social, carências económicas etc. São várias as ações contempladas, visitas ao domicílio, acompanhamento ao exterior, pequenos arranjos no domicilio, acompanhamento a consultas etc. Destina-se à população idosa com características vulneráveis do concelho do cartaxo nomeadamente: situações de isolamento, dependência, situação de luto, sem retaguarda familiar, com patologias depressivas e idosos cuidadores em situação de exaustão. Parceiros Entidades; Realizada com o apoio da Rede Social Local. As entidades parceiras sinalizam situações que careçam de apoio. Data de Início: novembro de Cartaxo em Movimento com o objetivo de fomentar a prática de atividade física em todas as idades, promover o convívio intergeracional e integrar beneficiários do RSI em atividades da comunidade, serão desenvolvidas várias ações específicas, como sessão de sensibilização para a importância da prática da atividade física em qualquer idade, ginástica adaptada a qualquer idade. São destinatários beneficiários de RSI e de outros projetos de ação local e a comunidade em geral. Parceiros/entidades; A definir (vão ser contactadas entidades na tentativa de angariar apoios, serão contactado também atletas e ex-atletas do concelho para sensibilizar a população para a participação. Data: um dia em setembro (a definir)

4 2.3. Atelier de Artes Decorativas exprimir-se através das artes plásticas e dos trabalhos manuais, desenvolver e estimular a imaginação e criatividade, evitar o isolamento, promover o desenvolvimento e enriquecimento de qualidades grupais, coesão, partilha, trabalho em equipa, confiança e relações interpessoais, promover o convívio e bem-estar, incrementar a participação ativa. Serão realizadas diversas atividades no âmbito das artes decorativas. São destinatários até 15 participantes, prioritariamente beneficiários do RSI com mais de 50 anos e pessoas idosas em situação de isolamento social. As receitas resultantes das vendas dos trabalhos produzidos revertem para os beneficiários. Data de Início: maio de 2012 Data de Fim: dezembro de Castelo de Paiva 3.1. Velhos são os trapos, Ações de sensibilização com o objetivo de valorizar e provocar experiências e vivências no seio familiar. Serão realizadas conversas orientadas e recolhas de testemunhos orais (histórias, lengalengas, música), destinadas a todas as pessoas da comunidade com mais de 60 anos. A sensibilização será realizada em todo o Concelho. Parceiros/entidades: Juntas de Freguesia/Câmara Municipal /Universidade Sénior/IPSS Data de Início: maio de 2012 Data de Fim: dezembro de Costa do Estoril 4.1. Projeto de Visitadores ao Domicílio, com o objetivo de promover apoio e companhia, serão realizadas visitas semanais, visando quebrar o ciclo de isolamento social de pessoas idosas com ou sem autonomia, assegurando-lhes bem estar, segurança e companhia, acompanhamento ao exterior etc. Os pedidos surgem integrados na vertente de Teleassistência, Serviço de Apoio Domiciliário e Centro de Dia, e os destinatários prioritários são os utentes destes serviços.

5 5. Espinho 5.1. A Solidão na Terceira Idade, várias atividades com o objetivo de dinamizar respostas de apoio aos idosos existentes no concelho e criando uma dinâmica envolvente entre estes e a sua família, e inclusão em atividades sociais, destinadas a idosos com mais de 65 anos, pertencentes ao concelho de Espinho. Parceiros/Entidades: Redes Sociais, Formais: entidades estaduais, concelhias ou locais de apoio à terceira idade; Informais: Família e grupos de amigos. Data de Início: 29/8/2011 Data de Fim: 27/8/ Évora 6.1. Brigada+ com o objetivo de promoção do envelhecimento ativo, assumindo que a promoção de um conjunto de atividade que favorecem um envelhecimento ativo, equilibrado e harmonioso, exercem um efeito preventivo, promovendo a conservação da qualidade de vida, do bem estar físico e mental, e da aprendizagem ao longo da vida, serão realizadas várias ações especificas como atividades física, de expressão plástica, jogos cognitivos, comemoração de dias temáticos. O programa será construído à medida. Desenvolvido por voluntários da CVP de diferentes áreas e faixas etárias unidos para prestar um serviço de ajuda mútua na prevenção e promoção de hábitos e estilos de vida saudáveis, destinando-se à população sénior. Data de Início: fevereiro Academia CVP, com o objetivo de promover a aprendizagem ao longo da vida e a participação, promovendo simultaneamente o reconhecimento dos seniores como um recurso, pretende constituir-se como um espaço de partilha de saberes, onde formadores, voluntários, também podem ser formandos, proporcionando à comunidade atividades diversificadas e promotoras de qualidade de vida, muito acessíveis em termos financeiros. No âmbito da Academia serão desenvolvidas sessões de Jardinagem e Hortas, gestão doméstica, workshops de culinária regional, história da arte, apoio escolar, alfabetização de adultos, TIC, Psicomotricidade para adultos e seniores, psicomotricidade para crianças, técnicas de relaxamento, técnicas de relaxamento, técnicas de pintura, atelier de barro, artes decorativas, pilates, salsa, breakdance e sevilhanas. Data de Início: novembro de 2011

6 6.3. Serviço de Apoio Domiciliário, para uma qualificação Interna de Práticas com o objetivo de promover a qualidade dos serviços prestados aos seniores, promoveu-se a elaboração de um manual onde está refletida a preocupação com um acompanhamento mais eficaz e próximo dos utentes do serviço de apoio domiciliário, através do estabelecimento de regras orientadoras, tendo sido definidos para cada um dos processos identificados, objetivos e campos de aplicação, baseados num conjunto de boas práticas que se pretendem facilitadoras da implementação dos respetivos processos. Para cada um desses processos foram definidas instruções de trabalho, e instrumentos trabalho e registo. Serão envolvidos todos os colaboradores e direção, os destinatários finais são os utentes seniores. Data de Início: dezembro 2011 Data de Fim: fevereiro de Fafe 7.1. Sessão de informação para a promoção de estilos saudáveis na terceira idade, incentivando a importância da alteração de hábitos de vida e da prática de uma alimentação saudável, de forma a promover a qualidade de vida e a saúde, física e psicológica. Na sessão são distribuídos folhetos sobre estilos de vida saudáveis elaborados no âmbito da iniciativa Causa Maior, realizados rastreios auditivos. Realizada anualmente é dirigida a beneficiários do Rendimento Social de Inserção com mais de 65 anos. Parceiros/Entidades: empresa de rastreios auditivos

7 7.2. Rede Solidária, com o objetivo de combater o isolamento/solidão de pessoas com mais de 65 anos, através da promoção de relações de proximidade com voluntários da Delegação, com vista à promoção do seu bem estar. Traduz-se na realização de visitas por parte dos voluntários aos idosos. No âmbito das acções especificas realizadas pelos voluntários contempla-se assegurar o contacto com os serviços médicos e/ou sociais concelhios; promover a participação dos idosos em atividades culturais e de convívio, aquisição de bens no exterior, auxiliar na realização de pequenas tarefas domésticas; apoiar os idosos no preenchimento de requisições: organizar atividades recreativas em épocas festivas, acompanhar os utentes nas consultas e tratamentos. Consta do Plano de Desenvolvimento Social. Parceiros/Entidades: Esta iniciativa é complementar às intervenções existentes e assenta no estabelecimento de parcerias com outras instituições de referência na área, nomeadamente Serviço Social do Município de Fafe e freguesias do Concelho. Data de Início: Academia Sénior, com o objetivo de promover um espaço de convívio e de partilha de saberes é um projeto de caráter itinerante e intergeracional, baseado na participação de voluntários de diferentes idades e áreas de formação. São realizadas, com periodicidade semanal, ateliês/atividades (sessões de alfabetização, informática, atividades de caráter recreativo, educação física, sessões de informação nas áreas da saúde, segurança ou outras, e convívios), asseguradas por voluntários e desenhadas de acordo com o interesse dos participantes, no sentido de promover a participação social e cívica da população sénior. Prevêse brevemente o alargamento a outras freguesias do concelho. Consta do Plano de Desenvolvimento Social. Parceiros/Entidades: Freguesia de S.Gens (instalações) Data de Início: janeiro de Figueira da Foz 8.1.Workshops temáticos sobre Envelhecimento Ativo e Alimentação Saudável, com objetivo de transmitir informações sobre temas pertinentes, destinados a utentes do Centro Comunitário da Deleg. da Figueira da Foz, beneficiários do RSI e da Comunidade em Geral. Parceiros/Entidades: Segurança Social e Centro de Saúde Data: setembro de 2012 e maio de 2012 (respetivamente)

8 8.2. Manhã Desportiva na praia e rastreios de colesterol, glicemia e hipertensão, com o objetivo de sensibilizar para a prática desportiva e prevenir problemas de saúde frequentes no envelhecimento, destinadas à população em geral. Parceiros/Entidades: Health Club Portugal e Câmara Municipal da Figueira da Foz Data: julho de Lagos 9.1. Envelhecimento ativo e solidariedade entre Gerações 1, com o objetivo de promover as boas praticas no Concelho de Lagos, nas atividades com idosos, na promoção de estilos de vida saudáveis e de segurança nas habitações, serão apresentados vários painéis dedicados à temática do Envelhecimento Ativo, à promoção da Saúde e Solidariedades entre gerações. Estas ações destinam-se a idosos, familiares, jovens e população em geral. Parceiros/Entidades: Câmara Municipal de Lagos, Santa Casa da Misericórdia de Lagos, Centro de Estudos de Lagos, PSP, GNR, CHBA do Barlavento Data: 18 de maio de Envelhecimento ativo e Solidariedade entre Gerações 2, com o objetivo de promover as boas práticas no Concelho de Lagos, nas atividades com idosos, na promoção de estilos de vida saudáveis e de segurança nas habitações, serão realizados vários workshops temáticos, tais como workshop de primeiros socorros, yoga com avós e netos, sensibilização às hortas biológicas. Parceiros/Entidades: Autarquia, Espaço Jovem, Associação de Dança de Lagos, TEL- Teatro Experimental de Lagos Data: 19 de maio de 2012

9 9.3. Parceira no Banco de Recursos Lagos Solidário, com o objetivo de promover a realização de atividades de carater social/humanitário por parte de voluntários seniores do Concelho, com disponibilidade e interesse por este tipo de apoio á população, contribuindo para a participação deste grupo etário na comunidade ao mesmo tempo que se proporciona aos agregados familiares com carências materiais do Concelho de Lagos um local de recolha, armazenamento e distribuição de bens essenciais em bom estado de utilização. Neste âmbito serão realizadas várias ações especificas como receção, organização e entrega de bens, tais como roupa, calçado, armações de óculos, brinquedos e livros infantis. A entrega dos bens poderá ser efetuada pela população em geral. Quanto à entrega dos bens, estes são dirigidos à população desfavorecida do concelho de Lagos. Parceiros/Entidades: Câmara Municipal de Lagos (entidade promotora e detentora das instalações), Liga dos Amigos dos Hospitais de Lagos e Associação Espirita de Lagos Data de início: janeiro de Lisboa Mind and fit, programa de estimulação cognitiva com o objetivo de promover a autonomia e funcionalidade dos indivíduos, que frequentam os Centros de Dia, visando o desenvolvimento de um plano individual de cuidados, sendo realizadas várias entrevistas e aplicação de ferramentas de avaliação e de intervenção. Destina-se aos seniores e dependentes em Centro de Dia. Parceiros/Entidades: Universidade Católica Portuguesa Data de Início: setembro de Implementação do Sistema de Qualidade, Certificação ISO e ISS, com o objetivo de promover e certificar a qualidade dos serviços prestados aos seniores, nomeadamente no âmbito do Serviço de Apoio Domiciliário e do Centro de Dia, sendo desenvolvidos todos os procedimentos de suporte ao Sistema de Gestão da Qualidade. Serão envolvidos todos os colaboradores e direção, os destinatários finais são os utentes seniores. Data de Início: julho de 2012 Data de Fim: dezembro de 2012

10 10.3. Academia Sénior, com objetivo de promover o envelhecimento ativo e contribuir para a desconstrução do estereótipo negativo comumente associado ao envelhecimento, através do desenvolvimento de atividades intelectuais de valorização pessoal e social, envolvendo a população sénior em projetos comunitários intergeracionais, dinamizando atividades socioculturais, mobilizando experiências de vida, motivando para uma participação ativa das famílias entre outras. É também uma forma importante de reconhecimento dos seniores como recurso, sendo a generalidade das atividades desenvolvidas com voluntários séniores. Integradas na Academia, são realizadas várias ações especificas como aulas, ateliers, visitas e passeios culturais e recreativos e viagem. Destina-se a reformados ou população em geral com idade igual ou superior a 55 anos. Data de Início: 25/10/ Voluntariado Senior com o objetivo de promover o envelhecimento ativo, visando a valorização das pessoas, a participação cívica, permitindo o fomento de novas relações interpessoais e (re)integração dos idosos na comunidade, minimizando o seu isolamento e solidão, serão dinamizados grupos de voluntários seniores em hospitais, Estabelecimentos prisionais, Centros de Dia, Academia Sénior. Parceiros/Entidades: Centro Hospitalar de Lisboa Central; Centro Hospitalar de Lisboa Oriental, Estabelecimento Prisional de Lisboa

11 11. Loures Viver sem Solidão, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas, através da promoção do combate à solidão, isolamento e inatividade, trazendo-os para uma ação construtiva, dentro da própria comunidade, promovendo o equilíbrio físico e psicológico através de atividades físicas e mentais, preferencialmente ao ar livre; promovendo o enriquecimento cultural através da partilha de experiências e saberes, criando espaços abertos de partilha de emoções e vivências diárias, promovendo a integração de pessoas carenciadas. Serão realizadas várias ações específicas, como palestras, conferências, leituras, clube das histórias, temas da atualidade para discussão aberta, conversas soltas, ateliers, worshops com convidados especialistas, Body Balance (Tai Shi + Pilates + Yoga), Yoga do riso, Caminhadas, outros exercícios, xadrez gigante e outros jogos ao ar livre. Será realizada formação nas áreas de informática e Inglês. Parceiros/entidades: Associação de Moradores do Parque das Nações/ toda a sociedade Data de Início: maio de Macieira de Rates Conhecer e Aprender, com o objetivo de divulgar as respostas do Centro Humanitário da CVP de Macieira de Rates ao serviço da Comunidade nas áreas de saúde, bem-estar e condições de vida, serão realizadas várias ações, nomeadamente uma Revista Informativa, panfletos de divulgação; sessões informativas sobre saúde, alimentação, atividade física e primeiros socorros. As atividades destinam-se a todos os utentes das respostas sociais, incluindo emergência e comunidade em geral. Parceiros/entidades: Respostas Sociais e comunidade geral Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: dezembro de Trabalhos e Afazeres, com o objetivo de abrir a instituição á Comunidade e de promover o diálogo, cooperação e aproximação entre gerações, participação em tomadas de decisão, entre outros no âmbito da promoção do Envelhecimento ativo, serão realizadas várias ações específicas, nomeadamente atividades musicais, festividades e informática, atividades físicas, atividades no exterior, dia do idoso, atividades no exterior, matinés, etc. Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: dezembro de 2012

12 12.3. Partilhas e Experiências, com o objetivo de desmistificar os problemas encontrados pelos Cuidadores Informais, através da criação de grupos informais de ajuda: abertura à comunidade; Diferenciação nas demências; Saúde, bem-estar e condições de vida. Será ainda realizada uma tertúlia: Cuidadores Informais; partilha de experiências, constrangimentos e preocupações e uma Seminário subordinado ao tema: Viver com Demências. As atividades destinam-se à comunidade em geral, a todos os utentes das respostas sociais, instituições, familiares e outros cuidadores informais e a técnicos. Parceiros/entidades: Respostas Sociais, comunidade, e particulares Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: dezembro de Ensinar e Partilhar, com o objetivo de sensibilizar para o envelhecimento ativo, através da promoção do diálogo, cooperação e aproximação entre gerações, e intercâmbio de experiências, visando o reconhecimento pela comunidade da CVP das linhas de ação na concelhia. Serão realizadas várias ações específicas, nomeadamente sessão educativa sobre a vida rural, profissões típicas e atípicas; Encontro CVP e as linhas de ação de Barcelos e horta intergeracional. As atividades destinam-se aos seniores da comunidade, a utentes das respostas sociais e às CVP s de Barcelos. Parceiros/entidades: CVP s de Barcelos Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: dezembro de Aprender e não esquecer com o objetivo de valorizar a terceira idade, promover a aprendizagem ao longo da vida/aquisição de competências, será realizado um workshop: Uma vida de trabalho e trabalho para a vida. Esta ação destina-se aos utentes das respostas sociais e comunidade em geral. Parceiros/entidades: RUTIS Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: dezembro de 2012

13 12.6. Entreajudas com o objetivo de aproximar os idosos da comunidade, atenuar os efeitos do isolamento social, suportar o envolvimento social e o voluntariado, promovendo o diálogo, cooperação e aproximação através de atividades de apoio. Destina-se à comunidade sénior. Parceiros/entidades: Banco Local de Voluntariado, CSFI Sul da Franqueira Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: dezembro de Murça Criar laços, Visitas domiciliárias com o objetivo de combater a solidão e a exclusão, favorecendo as relações interpessoais e intergeracionais, tendentes ao desenvolvimento da solidariedade. As visitas domiciliárias destinam-se a idosos que vivem sozinhos ou que passem grande parte do tempo sozinhos, com pouca ou nenhuma mobilidade. Parceiros/Entidades: Voluntários Data de Início: maio de Academia Sénior, com o objetivo de facilitar o acesso ao conhecimento ao longo da vida e ao património cultural dos indivíduos, fomentando a participação nos tempos livres, e estimulando a participação dos seniores como dinamizadores socioculturais na sua própria comunidade. Simultaneamente permite fomentar o empenhamento cívico solidário e o apelo ao voluntário, possibilitando o desenvolvimento pessoal e social, visando também a melhoria da auto-estima. Destina-se a seniores e a deficientes. Parceiros/Entidades: EDP Solidária, Câmara Municipal de Murça, Escola Básica e Secundária de Murça Data de Início: setembro de 2012 Data de Fim: dezembro de Olhão Atelier de Animação Sociocultural, com o objetivo de promover a cidadania e a participação dos indivíduos e a participação dos indivíduos e grupos em situações operativas e otimizantes; promover novos interesses e atividades, valorizar a auto-estima e a autoimagem; melhorar a qualidade de vida e bem-estar dos utentes, com especial destaque para os seniores,

14 Npromover o convívio intergeracional positivo, prevenir ou minimizar o impacto negativo dos problemas associados ao envelhecimento, à doença ou incapacidade e à falta de suporte e acompanhamento familiar. Serão realizadas várias atividades lúdicas, recreativas e culturais, organizadas ações de sensibilização, esclarecimento e informação sobre diversas temáticas, e realização de trabalhos manuais, destinadas à comunidade em geral, com especial destaque para os seniores Parceiros/entidades: Rede Social do concelho de Olhão, Estabelecimentos de ensino superior e secundário Curso de Iniciação à Informática, com o objetivo de promover a aquisição de conhecimentos e competências de Informática; promover a aprendizagem ao longo da vida, sensibilizar para a importância das TIC na atualidade e na vida prática dos indivíduos; fomentar o espirito de entreajuda e equipa; estimular o gosto pelas novas aprendizagens e minimizar a resistência à mudança. Será realizado um curso de iniciação à Informática, com vertente teórica e prática, destinado aos utentes seniores da comunidade envolvente. Parceiros/entidades: Parceiros individuais Data de Início: fevereiro de 2012 Data de Fim: março de Portimão Voluntários para um suporte social, com o objetivo de divulgar as ações de voluntariado e de angariar novos voluntários. Serão realizadas ações de esclarecimento da população sobre atividades como distribuição de bens alimentares, roupas, calçado, mobílias e outras ajudas. Destinada a população em geral promove a participação e o contato intergeracional. Parceiros/Entidades: Banco Alimentar contra a fome do Algarve, PCAAC

15 N15.2 Help Portrait, com o objetivo de alertar para a saúde preventiva e de promover uma atividade lúdica, será realizado um conjunto de ações, nomeadamente a nível da medição da tensão e cuidados de saúde, ficando o dia registado em fotografia. Destina-se à 3º idade. Parceiros/Entidades: Centro de Apoio a Idosos, Oculista Belo Horizonte, Foto tempera etc 16. Porto 16.1 Promover o envelhecimento ativo através de atividades indutoras de humor positivo serão desenvolvidas diversas atividades (Manhã Ativa, Festa das Flores, Passeios, Festa de São João, Pic-nic e palestra sobre saúde e bem estar) com o objetivo de contribuir para a promoção do envelhecimento ativo. As atividades destinam-se a seniores do Centro de Dia do Bom pastor, aos seniores do Serviço do Apoio Domiciliário da Delegação do Porto, seniores apoiados pelos centros de convívio da Junta de Freguesia da Cedofeita e da Junta de Freguesia de Paranhos. Parceiros/Entidades: Serviços de Enfermagem da CVP e Juventude da Delegação do Porto; Junta de Freguesia da Cedofeita; Junta da Freguesia de Paranhos, Policia de Proximidade, Unidade de Saúde Familiar da Boavista Data de Início: 1/06/2012 Data de Fim: 30/06/ Espaço 107/37- Academia de Cultura Ativa com o objetivo de criar e reforçar laços de afeto entre pessoas que se encontram afastadas do seu percurso profissional, desenvolver-lhe um lugar ativo, solidário e produtivo na comunidade, prevenindo o isolamento, será criado um espaço intergeracional e dinâmico, de encontros e conhecimento, que valorize o capital de saberes e cultura acumulada. Serão desenvolvidas diversas ações, nomeadamente aulas na área da informática e da comunicação, pintura e história de arte, prevenção/sensibilização na área da saúde, ações de formação- Novas cidadanias (partilha de saberes, idadismo, intergeracional e cidadania, ações de formação na área do desporto, e prática de exercícios físicos orientados por profissionais. As atividades destinam-se a jovens e a seniores. Parceiros/entidades: Prof. Doutor Daniel Serrão, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Devscop - empresa no ramo das tecnologias de Informação e Comunicação Data de Início: 2 maio de 2012

16 N17. Silves Encontro entre Avós e Netos, com o objetivo de proporcionar o intercâmbio e experiências entre gerações. Serão realizadas partilhas de experiências entre novas tecnologias, hora do conto tradicional, artes e ofícios locais, animação musical e danças regionais, destinadas a indivíduos com mais de 65 anos e a jovens até aos 12 anos. Parceiros/Entidades: Junta de Freguesia do Algôs Data de Início: 1 de junho de 2012 Data de Fim: 3 de junho de Viana de Castelo Projeto Saber Mais não tem idade, com o objetivo de possibilitar às pessoas idosas o domínio da leitura, da escrita e do cálculo, capacitando-os para o uso pleno da cidadania, será realizado um curso de alfabetização dinamizado por professores voluntárias da Cruz Vermelha Portuguesa. Data de Início: setembro de 2011 Data de Fim: junho de Aulas de Informática Sénior, com o objetivo de promover o aumento da literacia digital na terceira idade através da realização de cursos de introdução às TIC, serão realizados cursos de iniciação às TIC dinamizados por jovens voluntários da Cruz Vermelha, destinados à população idosa do Concelho de Viana. Parceiros/Entidades: Causa Maior - Modelo Data de Início: janeiro de 2012 Data de Fim: junho de 2012

17 N18.3. Projeto Saber Mais não tem Idade, com o objetivo de prevenir os acidentes relacionados com quedas na terceira idade, no distrito de Viana, contribuindo para a promoção do envelhecimento saudável e ativo, serão realizadas várias ações especificas visando a preparação da campanha e produção da Brochura, preparação da campanha e produção da brochura, ações de sensibilização, visitas domiciliárias, monitorização e avaliação da mudança de comportamentos de risco, e conferencia sobre envelhecimento ativo, destinadas à população com 65 e mais anos do distrito de Viana do Castelo, visando atingir pelo menos 800 idosos. Parceiros/Entidades: Direção Geral de Saúde Data de Início: março de 2012 Data de Fim: novembro de Vila Real de Santo António CVP em Movimento com o objetivo de contribuir para a melhoria das condições de vida das pessoas idosas, serão realizadas várias ações específicas de promoção da saúde, rastreios e prevenção, e transporte e acompanhamento de idosos a consultas e exames médicos. Estas atividades destinam-se a pessoas idosas, em especial as que vivem sozinhas ou com escasso apoio familiar. Parceiros/Entidade: Autarquia Parceiros/entidades: Prof. Doutor Daniel Serrão, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Devscop - empresa no ramo das tecnologias de Informação e Comunicação Data de Início: 2 maio de Vila Viçosa Animação e acompanhamento a pessoas dependentes com o objetivo de contribuir para a melhoria das condições de vida das pessoas idosas, serão realizadas várias ações específicas de promoção da saúde, rastreios e prevenção, destinadas aos utentes internos da Unidade de Cuidados Continuados e à população em geral. Parceiros/Entidade: Autarquia Data de Início: fevereiro de 2012 Data de Fim: dezembro de 2012

18 Julho de 2012 Notícias Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações - Atividades CVP CAIXA I Compromissos Viena 2010 no âmbito do envelhecimento 1. Contribuir para uma imagem positiva do envelhecimento, e reconhecer as pessoas idosas como um recurso importante para a sociedade. 2. Promover o empowerment das pessoas idosas e encorajar o envelhecimento activo, fortalecer a sua resiliência e permitir-lhes continuar autónomos. Advogar pela inclusão das pessoas idosas na vida cultural, social e económica e pela aprendizagem ao longo da vida. Promover a sua participação ativa como voluntários nas nossas próprias atividades e tomadas de decisão. 3. Advogar a todos os níveis para a disponibilização pública de serviços adequados para as pessoas idosas, como seja, condições de vida e de habitabilidade adequadas, cuidados de saúde e enfermagem adequados. Detectar e prevenir activamente qualquer forma de abuso ou maus tratos. 4. Desenvolver serviços sustentáveis e actividades de base para promover o bem-estar físico, mental e social das pessoas idosas. Recrutar e treinar voluntários para fornecer assistência e apoio aos que mais necessitam e aos seus cuidadores. Considerar as necessidades especificas das pessoas no design de todos os nossos programas. 5. Fortalecer a solidariedade entre jovens e idosos para beneficio mutuo, e promover ativamente o diálogo e a cooperação intergeracional. Reconhecer a diversidade crescente das pessoas idosas nas nossa comunidades e adaptar os nossos serviços e ferramentas de comunicação em conformidade.

19 Julho de 2012 Notícias Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações - Atividades CVP CAIXA II International Federation of Red Cross and Red Crescent Societies Mensagens Chave para 2012 Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações Enquadramento As pessoas idosas são tão diferentes e variadas entre si como qualquer outra faixa etária. As suas necessidades humanitárias exigem especial atenção, quer ao nível das comunidades quer ao nível individual. A sociedade deve salvaguardar e promover os seus direitos e bem estar, incluindo a prevenção da discriminação baseada na idade, a promoção de um envelhecimento produtivo e activo, e inclusão social. As Sociedades Nacionais Cruz Vermelha e Crescente Vermelho acolhem a designação de 2012 como Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e a Solidariedade entre Gerações. Aguardamos com expectativa trabalhar conjuntamente com governos, parceiros sociais e sociedade civil no sentido de enfrentar os desafios e oportunidades que advém do envelhecimento da nossa população. Os Nossos Compromissos Visaremos o auto-empoderamento das pessoas idosas e encorajaremos o envelhecimento activo, fortalecendo a sua resiliência e permitindo-lhes permanecer autónomas. Destacaremos para os governos a grande evidência existente de que o envelhecimento activo reduz a vulnerabilidade das pessoas idosas. Advogaremos a inclusão das pessoas idosas na vida económica, social e cultural e na aprendizagem ao longo da vida. Promoveremos a participação activa das pessoas idosas como voluntárias nas actividades que lhes dizem respeito e nos processos de tomada de decisão, bem como o reconhecimento do seu trabalho.

20 Julho de 2012 Notícias Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações - Atividades CVP Contribuiremos para construir uma imagem positiva do envelhecimento e para o reconhecimento das pessoas idosas como um recurso importante da nossa sociedade. A Nossa Ação Estamos ativos em diversos campos, quer como fornecedores de serviços quer advogando as preocupações das pessoas idosas. Ligamos pessoas idosas e jovens na nossa atividade, contribuindo para uma melhor compreensão da solidariedade entre gerações e encorajando o envelhecimento ativo. As pessoas idosas são ativas como voluntários das Sociedades Nacionais Cruz Vermelha, mantendo a sua valiosa contribuição na sociedade. Também fornecemos serviços para apoiar as pessoas idosas, especialmente as com desvantagens. Fornecendo serviços nas comunidades locais, as Sociedades da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho têm uma compreensão do espectro de necessidades desta população tão diversa. O Movimento Internacional Cruz Vermelha e Crescente Vermelho é a maior rede humanitária mundial. As nossas recomendações para Políticos e Decisores Políticos Investir numa imagem mais positiva das pessoas idosas na Sociedade. Promover o voluntariado como uma contribuição para o envelhecimento ativo. Promover a inclusão social como uma necessidade para o envelhecimento ativo. Garantir o acesso a cuidados de saúde e sociais e de promoção da saúde para as pessoas idosas. Fortalecer a solidariedade entre gerações e promover o respeito mútuo. Este documento representa a posição das Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha nos Estados Membros da União Europeia e foi assinado no IFRC Health Managers Forum em Abril Para mais informações / esclarecimentos / sugestões, contactar: Maria Vânia Silva Nunes - Responsável Área de Seniores e Dependentes - CVP Tel ; Fax: ;

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

Teatro com Teias e Histórias

Teatro com Teias e Histórias Teatro com Teias e Histórias 3 em Pipa Associação de Criação Teatral e Animação Cultural Organização de um grupo de voluntários que, integrados num projecto comunitário de vertente artística, actuam junto

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL 2014 Aprovado na reunião do Plenário de 11.06.2014 16 de janeiro Workshop e assinatura de protocolo com CIG Público-alvo: comunidade no geral Local: Edifício Paço dos Concelho

Leia mais

Acção Sócio-Educativa

Acção Sócio-Educativa Acção Sócio-Educativa Dinamizar estratégias que visam prevenir situações de absentismo e abandono escolar, voltar a colocar os jovens no Sistema Educativo. Estruturar os cursos de Alfabetização e Formação

Leia mais

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica

1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma sugestão de ação voluntária, uma competência especial ou específica Data última atualização: 05 Novembro de 2012 Índice 1 - Entidades parceiras promotoras de voluntariado 2- Projetos específicos de voluntariado 1 ENTIDADES PARCEIRAS PROMOTORAS DE VOLUNTARIADO Se tem uma

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Plano Anual de Atividades. Resposta Social: Serviço de Apoio Domiciliário

Plano Anual de Atividades. Resposta Social: Serviço de Apoio Domiciliário 2015 CENTRO SOCIAL DA SÉ CATEDRAL DO PORTO Plano Anual de Atividades Resposta Social: Serviço de Apoio Domiciliário Porto, 2015 Índice Introdução 2 Serviço de Apoio Domiciliário SAD 3 Princípios/regras

Leia mais

Carla Ribeirinho. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Carla Ribeirinho. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carla Ribeirinho Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Lisboa, 10 de Maio de 2012 Desafios e oportunidades Crescimento em massa da população idosa. Adopção de medidas que visem minorar situações

Leia mais

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se! Uma mão, um amigo Casa do Povo de Relíquias Através da realização de atividades lúdicas, visitas domiciliárias, apoio na alimentação e acompanhamento

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

II ENCONTRO DA CPCJ SERPA

II ENCONTRO DA CPCJ SERPA II ENCONTRO DA CPCJ SERPA Ninguém nasce ensinado!? A família, a Escola e a Comunidade no Desenvolvimento da criança Workshop: Treino de Competências com famílias um exemplo de intervenção e de instrumentos

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis

PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015. Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis PROGRAMA DE AÇÃO E ORÇAMENTO 2015 Servir a comunidade; educar para a cidadania e incluir os mais vulneráveis CAPÍTULO I AETP: A INSTITUIÇÃO 1. Introdução No decorrer do ano de 2015 prevê-se que a AETP

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para pessoas com Deficiência Plano de Atividades 2015

Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para pessoas com Deficiência Plano de Atividades 2015 ATENDIMENT Realizar o atendimento às pessoas com Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para pessoas com Deficiência Plano de Ativ 2015 CALENDARIZA- ÇÃ Informar, apoiar e orientar as pessoas

Leia mais

DESIGNAÇÃO: C*3 em Movimento - (Re) Descobrir Redes na Comunidade

DESIGNAÇÃO: C*3 em Movimento - (Re) Descobrir Redes na Comunidade REFERÊNCIA: 064 DESIGNAÇÃO: C*3 em Movimento - (Re) Descobrir Redes na Comunidade BIP/ZIP em que pretende intervir: 8. Ameixoeira (PER) 20. Sete Céus 21. Galinheiras - a) Ameixoeira b) Charneca 22. Alta

Leia mais

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado Social de Lagoa O Banco de Voluntariado LagoaSocial será enquadrado num conjunto de medidas e acções

Leia mais

Plano Gerontológico de Monchique Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011

Plano Gerontológico de Monchique Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011 Apresentação Pública 15 de Outubro de 2011 Trajectórias de envelhecimento Após os 65 anos de idade a estimulação cognitiva diminui significativamente. A diminuição da estimulação desencadeia/agrava o declínio

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CLAS /2015 Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços 1 Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo

Leia mais

Iniciativa Move-te, faz Acontecer

Iniciativa Move-te, faz Acontecer Iniciativa Move-te, faz Acontecer Entidades Promotoras: Associação CAIS (Projecto Futebol de Rua): Fundada em 1994, a Associação CAIS tem como Missão contribuir para o melhoramento global das condições

Leia mais

ENVELHECIMENTO E A PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL

ENVELHECIMENTO E A PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL ENVELHECIMENTO E A PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL O processo de envelhecimento e a velhice devem ser considerados como parte integrante do ciclo de vida. Ao longo dos tempos, o conceito de envelhecimento e as

Leia mais

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira Projectos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se Mais informações em www.cm-odemira.pt, através do email banco.voluntariado@cm-odemira.pt ou nos serviços de ação social do Município de Odemira

Leia mais

EU SOU VOLUNTÁRIO! EU SOU CIDADÃO SOLIDÁRIO! Ser voluntário é um ato de cidadania ativa e responsável.

EU SOU VOLUNTÁRIO! EU SOU CIDADÃO SOLIDÁRIO! Ser voluntário é um ato de cidadania ativa e responsável. Mais informações em www.cm-leiria.pt/pages/431, através do email accao.social@cm-leiria.pt ou nos Serviços de ação social do Município de Leiria EU SOU VOLUNTÁRIO! EU SOU CIDADÃO SOLIDÁRIO! Ser voluntário

Leia mais

Espaço t Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária. Instituição Particular de Solidariedade Social

Espaço t Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária. Instituição Particular de Solidariedade Social Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária Instituição Particular de Solidariedade Social Missão O Espaço t Associação para Apoio à Integração Social e Comunitária, criada em 1994, é uma

Leia mais

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações:

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações: Nr Área Recomendação Valido Abstenh o-me C/6 E/7 F/7 Voluntariado Aproveitar espaços sem utilização para fazer jardins, espaços para convívio e locais de desporto para a população. Promover a limpeza dos

Leia mais

Pelouro do Desenvolvimento Social

Pelouro do Desenvolvimento Social Pelouro do Desenvolvimento Social Novembro de 2012 ENQUADRAMENTO A problemática do envelhecimento da população constitui uma importante oportunidade de desenvolvimento social, uma vez que uma sociedade

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015 Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco Plano de Atividades 2015 INTRODUÇÃO Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas mais montanhas por escalar. (Nelson Mandela) A

Leia mais

Plano de Atividades de 2016

Plano de Atividades de 2016 GRUPO DE ACÇÃO COMUNITÁRIA IPSS Plano de Atividades de 2016 Fórum Sócio Ocupacional do GAC Unidade de Vida Protegida UPRO Formação Profissional Novembro de 2015 Plano de atividades 2016 1 Grupo de Ação

Leia mais

A nossa população alvo são crianças e jovens com problemas comportamentais que condicionam as aprendizagens formais e não formais, assim como uma

A nossa população alvo são crianças e jovens com problemas comportamentais que condicionam as aprendizagens formais e não formais, assim como uma Apresentação A nossa população alvo são crianças e jovens com problemas comportamentais que condicionam as aprendizagens formais e não formais, assim como uma plena integração social e profissional; Crianças

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto. Viver Saudável

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto. Viver Saudável Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto Viver Saudável 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Viver Saudável Promotor(es): Médicos do Mundo Sigla Viver Saudável Morada Avenida de Ceuta (Sul),

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

Projecto Integrado da Baixa da Banheira

Projecto Integrado da Baixa da Banheira Projecto Integrado da Baixa da Banheira 1. INTRODUÇÃO O Projecto Integrado da Baixa da Banheira nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal da Moita e o ICE tendo em vista induzir as Associações da

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC PROJETO PEDAGÓGICO dos Campos de Férias da MUSSOC Associação Mutualista dos Trabalhadores da Solidariedade e Segurança Social I CARATERIZAÇÃO GERAL DA MUSSOC 1. Introdução O presente documento tem como

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Gabinete de Promoção do Voluntariado Diretora Luísa Godinho EVOLUÇÃO HISTÓRICA VOLUNTARIADO na SCML 1498 Fundação Compromisso assumido por 100 homens bons 1998 Publicação

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 8EIXO EMPREGO E MOBILIDADE LABORAL > Administração regional Objetivo Específico 8.1.1

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

Departamento de Psicologia e de Educação Especial

Departamento de Psicologia e de Educação Especial Departamento de Psicologia e de Educação Especial 1- Avaliação e acompanhamento psicológico Avaliação e acompanhamento psicológico e psicopedagógico individual (promoção da autoestima e comportamentos

Leia mais

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

Enquadramento técnico normativo

Enquadramento técnico normativo Este Guião pretende, por um lado dar visibilidade ao serviço de SAD promovido pelas IPSS, e por outro servir de inspiração para todas as instituições. Não é um documento fechado, antes uma base de trabalho

Leia mais

CARTA ABERTA DO VOLUNTARIADO OURIQUE 2012

CARTA ABERTA DO VOLUNTARIADO OURIQUE 2012 CARTA ABERTA DO VOLUNTARIADO OURIQUE 2012 Vindos a Ourique no passado dia 14 de Abril de 2012, no âmbito do Encontro Distrital de Voluntariado, promovido pelo ORIKA-TE Contrato Local de Desenvolvimento

Leia mais

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO Proposta de Plano de Ação 2012/ 1 Proposta de Plano de Ação 2012/ Eixo de Desenvolvimento: Promover a qualificação escolar/profissional, o empreendedorismo e a empregabilidade. Objetivo geral: Dinamização

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios Sociais Pessoas com Deficiência

Leia mais

Compromisso para IPSS Amigas do Envelhecimento Ativo CONFEDERAÇÃO NACIONAL INSTITUIÇÕES DE SOLIDARIEDADE

Compromisso para IPSS Amigas do Envelhecimento Ativo CONFEDERAÇÃO NACIONAL INSTITUIÇÕES DE SOLIDARIEDADE 2014 Compromisso para IPSS Amigas do Envelhecimento Ativo CONFEDERAÇÃO NACIONAL INSTITUIÇÕES DE SOLIDARIEDADE MANIFESTO E COMPROMISSO DA CNIS IPSS AMIGAS DO ENVELHECIMENTO ATIVO As modificações significativas

Leia mais

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS FAMÍLIA E COMUNIDADE EM GERAL

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS FAMÍLIA E COMUNIDADE EM GERAL Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS FAMÍLIA E COMUNIDADE EM GERAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia

Leia mais

Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO

Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO 1 Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO Setembro Acolhimento das crianças - Integração e adaptação das crianças ao Centro Infantil Setembro Reunião de Pais e Encarregados

Leia mais

Plano de Ação. Benéfica e Previdente

Plano de Ação. Benéfica e Previdente Plano de Ação 2015 Benéfica e Previdente Mensagem da Administração Objetivos Estratégicos para 2015 Plano de Ação 2015 Desenvolvimento Associativo Apoio ao Associado Lazer Abrigo da Geira Residências de

Leia mais

EDITAL Nº 21/10. Regulamento

EDITAL Nº 21/10. Regulamento MUNICÍPIO DO BARREIRO ASSEMBLEIA MUNICIPAL EDITAL Nº 21/10 Regulamento - - - Frederico Fernandes Pereira, Presidente da Assembleia Municipal do Barreiro, torna público que, por deliberação deste órgão

Leia mais

Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES

Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES Programa para a disciplina de oferta complementar do AER (ensino básico): Educação para a Cidadania

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE Ano letivo 2014/2015 1. Enquadramento Entre os objetivos prioritários da atual política educativa encontram-se os

Leia mais

Plano de Ação MARÇO DE 2014

Plano de Ação MARÇO DE 2014 Plano de Ação 2014 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Ação do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram neste documento os seguintes autores:

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

VOLUNTARIADO CÁRITAS IDOSOS

VOLUNTARIADO CÁRITAS IDOSOS IDO 01/2013 Acompanhamento Personalizado do Idoso IDO 02/2013 Acompanhamento Personalizado do Idoso IDO 03/2013 Acompanhamento Personalizado do Idoso IDO 04/2013 Acompanhamento Personalizado do Idoso IDO

Leia mais

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições.

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições. 1. No dia 4 de Dezembro, a União Distrital de Santarém em parceria com Segurança Social, levou a efeito o ultimo dos 5 encontros realizados em várias zonas do distrito, sobre o tema "Encontros de Partilha",

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

DESPACHO. ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED

DESPACHO. ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED DESPACHO Nº. 17/2015 Data: 2015/05/22 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED Com o intuito de normalizar

Leia mais

Plano de Atividades 2014-15. Gabinete de Serviço Social

Plano de Atividades 2014-15. Gabinete de Serviço Social Plano de Atividades 2014-15 Gabinete de Serviço Social 1. Voluntariado e Dinamização da Comunidade 1.1. Clube Social 1.2. Projeto Conhecer a Terceira Idade 1.3. Campanha de Natal 1.4. Campanha Papel por

Leia mais

POLÍTICAS SOCIAIS APOIO À NATALIDADE, À TERCEIRA IDADE, IGUALDADE E INCLUSÃO SOCIAL

POLÍTICAS SOCIAIS APOIO À NATALIDADE, À TERCEIRA IDADE, IGUALDADE E INCLUSÃO SOCIAL 1 POLÍTICAS SOCIAIS APOIO À NATALIDADE, À TERCEIRA IDADE, IGUALDADE E INCLUSÃO SOCIAL Senhora Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo Senhora e Senhores Membros

Leia mais

DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro. Associação Espaço Mundo CEDL - CASA DA EUROPA DO DISTRITO DE LISBOA. Inclusão e Prevenção

DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro. Associação Espaço Mundo CEDL - CASA DA EUROPA DO DISTRITO DE LISBOA. Inclusão e Prevenção REFERÊNCIA: 071 DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro BIP/ZIP em que pretende intervir: 22. Alta de Lisboa Sul 67. Alta de Lisboa Centro ENTIDADES: Promotoras: Parceira: Associação Espaço

Leia mais

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 Rede Social Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 2012 Índice Introdução... 3 1 - Eixo de Intervenção Famílias... 5 2 - Eixo de Intervenção Educação e Cidadania... 8 3- Eixo

Leia mais

Turnaround Social 26/07/2015. Instrumentos de Financiamento Portugal 2020. 27 junho 2015. Portugal 2020

Turnaround Social 26/07/2015. Instrumentos de Financiamento Portugal 2020. 27 junho 2015. Portugal 2020 Instrumentos de Financiamento Portugal 2020 27 junho 2015 Portugal 2020 1 Apoios ao setor social A estratégia constante do PO ISE procura dar resposta a um conjunto de compromissos assumidos por Portugal

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 II PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016... 6 1. EIXO 1 PROFISSIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 6

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 II PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016... 6 1. EIXO 1 PROFISSIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 6 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO 2016 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 1. Princípios de Ação.4 2. Recursos Organizacionais.4 3. Recursos Humanos 5 4. Recursos Físicos

Leia mais

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL 0 Plano de Ação I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL OBJETIVO GERAL: Dotar as Instituições do Município de competências na área da qualidade para melhorar a resposta

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

TOTAL DE OUTRAS FONTES DE FINANCIAMENTO: 7253.00 EUR

TOTAL DE OUTRAS FONTES DE FINANCIAMENTO: 7253.00 EUR REFERÊNCIA: 024 DESIGNAÇÃO: Projecto MAIS -Mentes Animadas Idades Somadas BIP/ZIP em que pretende intervir: 57. Empreendimento Municipal Rua João Nascimento Costa 59. Empreendimento Municipal Rua Carlos

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

AEEASG Portugal CALENDÁRIO DE ATIVIDADES, 2012

AEEASG Portugal CALENDÁRIO DE ATIVIDADES, 2012 JANEIRO 17-18 Abertura do EY 2012 European Year of Active Ageing and Solidarity between Generations EU, Presidência Dinamarquesa FEVEREIRO AEEASG Portugal Comissão Nacional e Equipa Entidades da sociedade

Leia mais

5ª Edição do Projeto "Energia com vida"

5ª Edição do Projeto Energia com vida 5ª Edição do Projeto "Energia com vida" Maria Isabel Junceiro Agrupamento de Escolas de Marvão No presente ano letivo 2014-15, quatro turmas do Agrupamento de Escolas do Concelho de Marvão (8º e 9º anos),

Leia mais

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO NOME DA ENTIDADE: TIPO DE SERVIÇO: ( ) de convivência para crianças de 3

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto do CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz Uma ação educativa de abertura para a comunidade Ano letivo 2014/2015 Índice 1. Introdução

Leia mais

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Proposta de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Proteção Social Básica do SUAS BLOCO I - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO NOME DA ENTIDADE: TIPO DE SERVIÇO: ( ) de convivência para crianças de 3

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA Proposta de planos anuais 1.º Ciclo do Ensino Básico Introdução O objetivo principal deste projeto é promover e estimular

Leia mais

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo Plano de Acção Conselho Local de Acção Social de CLAS 2014-2015 2 EIXO 1 - PROMOVER A EMPREGABILIDADE E QUALIFICAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL E INTEGRAÇÃO DE GRUPOS SOCIAIS (PRÉ-) DESFAVORECIDOS Combate

Leia mais

DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS

DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 (Resposta Social de Creche) DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS Setembro Integração/adaptação das Crianças Reunião de Pais 24/09/2014 Outono - Promover a integração

Leia mais

2010/2011 Plano Anual de Actividades

2010/2011 Plano Anual de Actividades 2010/2011 Plano Anual de Actividades Cristiana Fonseca Departamento de Educação para a Saúde 01-07-2010 2 Plano Anual de Actividades Introdução Quando em 1948 a Organização Mundial de Saúde definiu a saúde

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL OBJECTIVO DO PDSS ACTIVIDADE/ACÇÃO PARCEIROS ENVOLVIDOS PARCEIRO RESPONSÁVEL INDICADORES DE AVALIAÇÃO EXECUÇÃO TEMPORAL SOLIDARIEDADE SOCIAL Reforçar o apoio alimentar concelhio Melhorar o conhecimento

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Saúde Escolar. Secretaria Regional da Educação e Formação

Saúde Escolar. Secretaria Regional da Educação e Formação Saúde Escolar Secretaria Regional da Educação e Formação «Um programa de saúde escolar efectivo é o investimento de custo-benefício mais eficaz que um País pode fazer para melhorar, simultaneamente, a

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

SECRETÁRIO REGIONAL DA PRESIDÊNCIA Despacho Normativo n.º 69/2010 de 22 de Outubro de 2010

SECRETÁRIO REGIONAL DA PRESIDÊNCIA Despacho Normativo n.º 69/2010 de 22 de Outubro de 2010 SECRETÁRIO REGIONAL DA PRESIDÊNCIA Despacho Normativo n.º 69/2010 de 22 de Outubro de 2010 Considerando o Regime de enquadramento das políticas de juventude na Região Autónoma dos Açores, plasmado no Decreto

Leia mais

Rede Social Plano de Ação 2015

Rede Social Plano de Ação 2015 Rede Social Plano de Ação 2015 1 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do Bispo PLANO DE AÇÃO 2015 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de

Programa da Rede Social CLAS Mesão Frio. Plano de Acção. O Plano de Acção do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de O do CLAS de Mesão Frio é a componente do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidos alguns Projectos (com o desejo de uma projecção num futuro próximo), a serem desenvolvidos para se concretizarem

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14. Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA

PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14. Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14 Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA Ficha Técnica Responsáveis Técnicos: - Nélia Silva - Fundação S. Barnabé - Graça Loução Centro Distrital

Leia mais