Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância"

Transcrição

1 Classes o Objetos Um recurso comum de cada aplicativo feito até agora é que todas as instruções que realizavam tarefas localizavam-se no método main. Se você tornar parte de uma equipe de desenvolvimento na indústria, poderá trabalhar em aplicativos com centenas, ou até milhares, de classes. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância Para realizar uma tarefa em um programa é necessário um método. O método descreve os mecanismos que realmente realizam suas tarefas. O método oculta de seu usuário as tarefas complexas que ele realiza. Em Java, primeiro criamos uma unidade de programa chamada classe para abrigar um método. Em uma classe, você fornece um ou mais métodos que são projetados para realizar as tarefas da classe. Por exemplo, uma classe que representa uma conta bancária poderia conter um método para fazer depósitos de dinheiro em uma conta, outro para fazer saques e um terceiro para perguntar qual é o saldo atual. Você deve construir um objeto de uma classe antes de fazer um programa realizar as tarefas que a classe descreve como fazer. Essa é a razão de o Java ser conhecido como uma linguagem de programação orientada a objetos. Você envia mensagem para um objeto cada mensagem é conhecida como uma chamada de método e instrui um método do objeto a realizar sua tarefa. Um objeto tem atributos que são portados com o objeto quando ele é utilizado em um programa. Esses atributos são especificados como parte da classe do objeto. Por exemplo, um objeto conta bancária tem um atributo saldo que representa a quantidade de dinheiro na conta. Cada objeto conta bancária sabe o saldo que ele representa, mas não sabe os saldos de outras contas no banco. Os atributos são especificados pelas variáveis de instância da classe. Exemplo 1: Apresenta uma classe LivroNotas com um método que simplesmente exibe uma mensagem de boas-vindas quando é chamado. A declaração da classe LivroNotas contém um método mostramensagem que exibe uma mensagem na tela. A linha 5 da classe realiza o trabalho de exibir a mensagem. A declaração da classe inicia na linha 3. Cada declaração de classe contém a palavra-chave class seguida imediatamente do nome da classe. A declaração de método começa com a palavra-chave public para indicar que o método está disponível para o público isto é, pode ser chamado de fora do corpo da declaração de classe por métodos de outras classes. A palavra-chave void indica que esse método realizará uma tarefa, mas não retornará nenhuma informação para seu método de chamada ao completar a tarefa. Os parênteses depois do nome do método

2 indicam que isso é um método. Um conjunto vaio de parênteses indica que esse método não requer informações adicionais para realizar sua tarefa. Uma classe que contém um método main é um aplicativo Java. Essa classe é especial porque a JVM pode utilizar o main para iniciar a execução. A classe LivroNotas não é um aplicativo porque não contém o main. Para utilizar a classe LivroNotas em um aplicativo é necessário declarar uma classe separada que contenha um método main ou colocar um método main na classe LivroNotas. Na indústria, utiliza-se uma classe separada que contém o método main para cada classe nova criada. A declaração da classe TestaLivroNotas contém o método main que controlará a execução do nosso aplicativo. Qualquer classe que contém o main declarado pode ser utilizada para executar um aplicativo. A palavra-chave static indica que o main é um método especial que pode ser chamado sem primeiro criar um objeto da classe em que o método é declarado. A declaração da variável meulivronotas é do tipo LivroNotas. Cada nova classe que você cria torna-se um novo tipo em Java que pode ser utilizado para declarar variáveis e criar objetos. A variável meulivronotas é inicializada com o resultado da expressão de criação da instância de classe new LivroNotas(). A palavrachave new cria um novo objeto da classe especificada à direita da palavra-chave. Os parênteses em combinação com um nome de classe representam uma chamada para um construtor, que é semelhante a um método, mas é utilizado no momento em que um objeto é criado para inicializar os dados do objeto. Agora podemos utilizar meulivronotas para chamar o método mostramensagem. Você pode compilar as classes criadas antes de executar o aplicativo. No diretório que contém os arquivos de código-fonte do aplicativo, digite o comando javac LivroNotas.java TestaLivroNotas.java Se o diretório que contém o aplicativo incluir somente os arquivos desse aplicativo, você pode compilar todas as classes no diretório com o comando java *.java Um diagrama de classe UML para a classe LivroNotas. Na UML cada classe é modelada em um diagrama de classes como um retângulo com três compartimentos. O compartimento superior contém o nome da classe. O compartimento do meio contém os atributos da classes, que correspondem às variáveis de instância em Java. O compartimento do meio está vazio porque a versão de classe LivroNotas não tem nenhum atributo. O compartimento inferior contém as operações da classe, que correspondem aos métodos em Java.

3 Exemplo 2: Modifica o primeiro para permitir ao método receber um nome do curso como um argumento e exibir o nome como parte da mensagem de boas-vindas. A classe LivroNotas2 declara um método mostramensagem que exibe o nome do curso como parte da mensagem de boas-vindas. O novo método mostramensagem requer um parâmetros que representa o nome do curso a ser enviado para a saída. A nova classe é utilizada a partir do método main da classe TesteLivroNotas2. A linha 5 cria um Scanner chamado leia para ler o nome do curso fornecido pelo usuário. A linha 6 cria um objeto da classe LivroNotas e o atribui à variável meulivronotas. A linha 7 exibe um prompt que pede ao usuário digitar o nome de um curso. A linha 8 atribui o nome digitado à variável NomeCurso, utilizando o medo Scanner nextline() para realizar a entrada. O método nextline lê os caracteres digitados pelo usuário até o carectere de nova linha ser encontrado. O caractere nova linha é descartado. O método next lê palavras individuais, até achar um espaço em branco (espaço, tabulação ou nova linha). O caractere de espaço em branco é descartado. A linha 10 chama o método mostramensagem do meulivronotas. A variável NomeCurso entre parênteses é o argumento que é passado ao método mostramensagem para o método poder realizar sua tarefa. O diagrama de classe UML abaixo modela a classe LivroNotas. Essa classe contém a operação public mostramensagem. Entretanto, essa versão ter um parâmetro. A UML modela um parâmetro de modo um pouco diferente do Java listando o nome do parâmetro, dois-pontos e o tipo de parâmetro nos parênteses que seguem o nome da operação. A UML tem seus próprios tipos de dados semelhantes àqueles do Java. Exemplo 3: Armazena o nome do curso em um objeto LivroNotas. As variáveis declaradas no corpo de um método particular são conhecidas como variáveis locais e só podem ser utilizadas nesse método. Quando esse método terminar, os valores de suas variáveis locais são perdidos.

4 Uma classe normalmente consiste em um ou mais métodos que manipulam os atributos que pertencem a um objeto particular da classe. Os atributos são representados como variáveis em uma declaração de classe. Essas variáveis são chamadas de campos e são declaradas dentro de uma declaração de classe, mas fora dos corpos das declarações de método da classe. Quando cada objeto de uma classe mantém sua própria cópia de um atributo, o campo que representa o atributo também é conhecido como uma variável de instância cada objeto (instância) da classe tem uma instância separada da variável na memória. O exemplo abaixo demonstra uma classe LivroNotas que contém uma variável de instância nomecurso para representar o nome do curso de um objeto LivroNotas particular. A classe contém três métodos setnomecurso, getnomecurso e mostramensagem. O método setnomecurso armazena o nome de um curso em um LivroNotas. O método getnomecurso obtém o nome de um curso de um LivroNotas. O método mostramensagem exibe uma mensagem de boas vindas que inclui o nome do curso método obtém o nome do curso chamando o método getnomecurso na mesma classe. A linha 3 declara que nomecurso é uma variável de tipo String, declarada no corpo da classe, mas fora dos corpos dos métodos da classe. A linha 3 é uma declaração para uma variável de instância. A maioria das declarações de variável de instância é precedida pela palavrachave private, que é um modificador de acesso. As variáveis ou métodos declarados com o modificador de acesso private só são acessíveis a métodos da classe em que são declarados. O método setnomecurso (linhas 4 6) não retorna quaisquer dados quando ele completa sua tarefa, portanto seu tipo de retorno é void. O método recebe um parâmetro nome que presenta o nome do curso que será passado para o método como um argumento. A linha 5 atribui nome à variável de instância nomecurso. O método getnomecurso (linhas 7 9) retorna um nomecurso do objeto LivroNotas particular. O método tem uma lista vazia de parâmetros, então não exige informações adicionais para realizar sua tarefa. O método especifica que ele retorna uma String. Quando um método que especifica um tipo de retorno for chamado e completar sua tarefa, o método retornará um resultado para seu método chamador. O método mostrarmensagem (linhas 11 14) não retorna quaisquer dados quando ele completa sua tarefa, portanto seu tipo de retorno é void. As linhas 12 e 13

5 geram a saída de uma mensagem de boas-vindas que inclui o valor de variável de instância nomecurso. Precisamos criar um objeto de classe LivroNotas e chamar seus métodos antes que a mensagem de boas-vindas possa ser exibida. A classe TestaLivroNotas3 cria um objeto da classe LivroNotas3 e demonstra seus métodos. Um diagrama de classe UML do LivroNotas com uma variável de instância e os métodos set e get. O diagrama de classe UML indica que a classe LivroNotas3 tem um atributo nomecurso do tipo UML String e três operações setnomecurso (com um parâmetro de nome de tipo UML String), getnomecurso (retorna o tipo UML String) e mostrarmensagem. Os tipos de dados em Java estão divididos em duas categorias tipos primitivos e tipos por referência (tipos não-primitivos). Os tipos primitivos são boolean, byte, char, short, int, long, float e double. Todos os tipos não-primitivos são tipos por referência, então as classes, que especificam os tipos de objetos, são tipos por referência. Uma variável de tipo primitivo pode armazenar exatamente um valor de seu tipo declarado por vez. Os programas utilizam as variáveis de tipo por referência para armazenar as localizações de objetos nas memória do computador. Essas variáveis referenciam objetos no programa. Os objetos que são referenciados podem conter muitas variáveis de instância e métodos. Exemplo 4: Demonstra como os dados em um objeto LivroNotas podem ser inicializados quando o objeto é criado. Cada classe que você declara pode fornecer um construtor que pode ser utilizado para inicializar um objeto de uma classe quando o objeto for criado. A palavra chave new chama o construtor da classe para realizar a inicialização. A chamada de construtor é indicada pelo nome da classe seguido por parênteses. Ao declarar uma classe, você pode fornecer seu próprio construtor a fim de especificar a inicialização personalizada para objetos de sua classe.

6 As linhas 4 a 6 declaram o construtor para a classe LivroNotas4. Um construtor deve ter o mesmo nome da sua classe. Como um método, um construtor especifica em sua lista de parâmetros os dados que ele requer para realizar sua tarefa. A linha 4 indica que o construtor da classe LivroNotas4 tem um parâmetro chamado nome do tipo String. Na linha 5 do corpo do construtor, o nome passado para o construtor é atribuído à variável de instância nomecurso. As linhas 4 e 5 criam e inicializam um objeto LivroNotas4. As linhas 6 e 7 repetem o processo para outro objeto LivroNotas4. Um diagrama de classe UML que modele a classe LivroNotas4, que tem um construtor com um parâmetro nome de tipo String. Assim como nas operações, a UML modela construtores no terceiro compartimento de uma classe em um diagrama da classe. É habitual listar construtores antes de outras operações no terceiro compartimento. Exemplo 5: Procedimento para realizar a operação de adição entre dois valores, sem a passagem de parâmetros.

7 Exemplo 6: procedimento para realizar a operação de adição entre dois valores com a passagem de parâmetros.

8

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 3 Introdução a classes e objetos Java Como Programar, 8/E 3.1 Introdução Abordado neste capítulo Classes Objetos Métodos Parâmetros Tipo primitivo double 3.2 Classes, objetos, métodos e variáveis

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS: CONSTRUTORES

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS: CONSTRUTORES COLÉGIO ESTADUAL ULYSSES GUIMARÃES CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE EM INFORMÁTICA ERINALDO SANCHES NASCIMENTO PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS: CONSTRUTORES FOZ DO IGUAÇU 2013 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1

Leia mais

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Introdução a classes e objetos Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Estruturas de Seleção if... else Operador condicional (? : ) switch Aula de Hoje Estruturas de Repetição: while/do... while/for

Leia mais

Array em Java. Figura 1 - Exemplo de um array de inteiros

Array em Java. Figura 1 - Exemplo de um array de inteiros Array em Java 1. Objetivos Nesta lição, abordaremos Array em Java. Primeiro, definiremos o que é array e, então, discutiremos como declará-los e usá-los. Ao final desta lição, o estudante será capaz de:

Leia mais

Introdução à Programação Orientada a Objetos em C++

Introdução à Programação Orientada a Objetos em C++ Introdução à Programação Orientada a Objetos em C++ Disciplina de Programação Científica II Aula 12 de 18 24/05/2013 Professor Giovani Gracioli giovanig@gmail.com Objetivos Os objetivos dessa aula são:

Leia mais

Esta categoria mais geral, à qual cada objeto pertence, denominamos de classe; IFSC/POO + JAVA - prof. Herval Daminelli

Esta categoria mais geral, à qual cada objeto pertence, denominamos de classe; IFSC/POO + JAVA - prof. Herval Daminelli Esta categoria mais geral, à qual cada objeto pertence, denominamos de classe; Tudo no mundo real pode ser representado por meio do conceito de "objeto": uma planta, uma mesa, uma pessoa, um sentimento,

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Aula I Declaração de classes, métodos construtores. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN

Programação Orientada a Objetos Aula I Declaração de classes, métodos construtores. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN Programação Orientada a Objetos Aula I Declaração de classes, métodos construtores Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução Na aula de hoje: Declaração de classes Métodos Construtores Exercícios de criação

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente:

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente: Vetores Vetor é um tipo de dado usado para representar uma certa quantidade de variáveis de valores homogêneos (do mesmo tipo). Imagine o seguinte problema: calcular a média das notas da prova de 5 alunos.

Leia mais

Lição 4 Fundamentos da programação

Lição 4 Fundamentos da programação Lição 4 Fundamentos da programação Introdução à Programação I 1 Objetivos Ao final desta lição, o estudante será capaz de: Identificar as partes básicas de um programa em Java Reconhecer as diferenças

Leia mais

Obs.: para realizar estas atividades tenha certeza de que já tenha instalado no sistema operacional o Java JDK e o NetBeans.

Obs.: para realizar estas atividades tenha certeza de que já tenha instalado no sistema operacional o Java JDK e o NetBeans. 1 - Criando meu primeiro programa em Java Para criar um programa Java podemos utilizar um editor de textos (Bloco de Notas/Windows, Notepad ++ ou GEdit/Linux) e o console do sistema operacional, ou um

Leia mais

Para entender o conceito de objetos em programação devemos fazer uma analogia com o mundo real:

Para entender o conceito de objetos em programação devemos fazer uma analogia com o mundo real: Introdução a Orientação a Objetos com Java Autor: Professor Victor Augusto Zago Menegusso. Orientação a Objetos É um paradigma de programação que define a estrutura de um programa baseado nos conceitos

Leia mais

Dados armazenados em um objeto podem ser tanto primitivos, tais como inteiros ou caracteres, ou referências para outros objetos.

Dados armazenados em um objeto podem ser tanto primitivos, tais como inteiros ou caracteres, ou referências para outros objetos. 2. Classes e Objetos Uma classe é um modelo que define os atributos e métodos comuns a um conjunto de objetos de forma encapsulada. Atributos são informações ou dados que descrevem, categorizam ou quantificam

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1)

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Objetivos O principal objetivo deste artigo é explicar alguns conceitos fundamentais de programação em C. No final será implementado um programa envolvendo todos

Leia mais

AULA INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS

AULA INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS AULA 16-17 INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS Curso: Informática (Subseqüente) Disciplina: Programação Orientada a Objetos Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br Objetivos Criar objetos que controlem a criação

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Conceitos de Programação Orientada a Objetos

Conceitos de Programação Orientada a Objetos Conceitos de Programação Orientada a Objetos Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 02 Conceitos de Programação Orientada a Objetos 1 Conceitos Fundamentais Classe; Ocultamento de informação;

Leia mais

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C DCC 120 Laboratório de Programação Variáveis Uma variável representa um espaço na memória do computador para armazenar um determinado tipo de dado. Em C,

Leia mais

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro

Programação Orientada a Objectos - P. Prata, P. Fazendeiro 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Introdução aos aplicativos Java. Prof. Marcelo Roberto Zorzan

Introdução aos aplicativos Java. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Introdução aos aplicativos Java Prof. Marcelo Roberto Zorzan Aula de Hoje Aplicativo Java Primeiro programa Java Tipos de comentários Instruções de saída Aplicativo Java Um aplicativo java é um programa

Leia mais

Classe. Objeto é uma instância de uma classe. Classe é onde conceituamos o objeto É a essência do objeto Define os atributos e métodos

Classe. Objeto é uma instância de uma classe. Classe é onde conceituamos o objeto É a essência do objeto Define os atributos e métodos Criação de Objetos e Acesso à Métodos Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Introdução Classe Classe é onde conceituamos o objeto É a essência do objeto Define os atributos

Leia mais

Métodos Computacionais

Métodos Computacionais Métodos Computacionais Objetivos da Disciplina e Introdução a Linguagem C Construções Básicas Objetivos da Disciplina Objetivo Geral Discutir técnicas de programação e estruturação de dados para o desenvolvimento

Leia mais

INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS

INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Departamento de Informática PUC-Rio Andrew Diniz da Costa andrew@les.inf.puc-rio.br Programa Capítulo 3 Ponteiros e Variáveis de Objeto Construtores

Leia mais

Tema da aula Introdução ao paradigma de programação: Orientado a Objetos

Tema da aula Introdução ao paradigma de programação: Orientado a Objetos Profa. Juliana Santiago Teixeira Disciplina: Programação Orientada a Objetos I Tema da aula Introdução ao paradigma de programação: Orientado a Objetos Paradigma Paradigma é a filosofia adotada na construção

Leia mais

AULA 15 CONSTRUTORES. Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes

AULA 15 CONSTRUTORES. Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes AULA 15 CONSTRUTORES Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes alba.lopes@ifrn.edu.br CONSTRUTORES Quando usamos a palavra chave new, estamos construindo um objeto. Sempre quando

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

JAVA. Professor: Bruno Toledo

JAVA. Professor: Bruno Toledo JAVA Professor: Bruno Toledo Funcionamento de uma LP Em uma Linguagem de Programação (LP) como C e Pascal, temos o seguinte quadro quando vamos compilar um programa. Código fonte em c Teste.c Gera código

Leia mais

Conceitos Básicos da Programação OO

Conceitos Básicos da Programação OO Conceitos Básicos da Programação OO Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Objetivos Aprender os

Leia mais

Programas Interativos

Programas Interativos Programação Funcional DECOM UFOP 2012-1 Aula prática Capítulo 8 Prof. José Romildo Malaquias Programas Interativos Resumo Nesta aula pretende-se explorar construção de programas interativos usando ações

Leia mais

Aula 3. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética.

Aula 3. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética. Sequências de escape \n Nova linha. Posiciona o cursor de tela no início da próxima linha. \t Tabulação horizontal. Move

Leia mais

Métodos e Procedimentos. Prof. Jesus José de Oliveira Neto

Métodos e Procedimentos. Prof. Jesus José de Oliveira Neto Métodos e Procedimentos Prof. Jesus José de Oliveira Neto Procedimentos são estruturas que agrupam um conjunto de comandos, que são executados quando o procedimento é chamado. Métodos são procedimentos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Modificadores de Acesso: public e private Prof. Tulio Alberton Ribeiro Instituto Federal de Santa Catarina IFSC campus São José tulio.alberton@ifsc.edu.br 31 de julho de

Leia mais

5 Arrays. 5.1 Criando um array. 5.2 Inicializando arrays. c:\>java Array Janeiro tem 31 dias.

5 Arrays. 5.1 Criando um array. 5.2 Inicializando arrays. c:\>java Array Janeiro tem 31 dias. 5 Arrays Arrays são grupos de variáveis do mesmo tipo. As arrays podem armazenar variáveis de qualquer tipo (tipo de dado primitivo ou objetos), mas é importante lembrar que todos os valores devem ser

Leia mais

Interfaces e Classes Abstratas

Interfaces e Classes Abstratas Interfaces e Classes Abstratas José Gustavo de Souza Paiva Problema Método obterarea()? Classes Abstratas Classes que funcionam como um molde Declarada com comando abstract Contém um ou mais métodos abstratos

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

Programação Orientada a Objetos SANTOS, Rafael (PLT)

Programação Orientada a Objetos SANTOS, Rafael (PLT) Programação Orientada a Objetos SANTOS, Rafael (PLT) Possibilita atribuições em sequência na mesma instrução Retorna o valor atribuído Atribuições compostas: incluem a própria variável: +=, *=, -=, etc

Leia mais

Linguagem de Programação Orientada a Objeto Construtores e Sobrecarga

Linguagem de Programação Orientada a Objeto Construtores e Sobrecarga Linguagem de Programação Orientada a Objeto Construtores e Sobrecarga Professora Sheila Cáceres Sobrecarga (overloading) Na mesma classe podemos definir vários métodos com o mesmo nome Sobrecarga O tipo

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

Orientação a Objetos e Java

Orientação a Objetos e Java Orientação a Objetos e Java Daves Martins davesmartins@yahoo.com.br Mestre em Computação de Alto Desempenho pela UFRJ Especialista em Banco de Dados Analista Web Orientação a Objetos e Java Características

Leia mais

Ambientação com a Sintaxe de Java: parte 1

Ambientação com a Sintaxe de Java: parte 1 Ambientação com a Sintaxe de Java: parte 1 Prof. Gustavo Wagner FATEC-PB Programas em Java Texto do programa: arquivo com extensão.java Arquivo contém ao menos uma classe Nome do arquivo deve ser IGUAL

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Linguagem de Programação C++ Se analisarmos a manipulação do objeto c, efetuada no exercício anterior, e compararmos com o que acontece em um banco

Linguagem de Programação C++ Se analisarmos a manipulação do objeto c, efetuada no exercício anterior, e compararmos com o que acontece em um banco 168 Linguagem de Programação C++ Se analisarmos a manipulação do objeto c, efetuada no exercício anterior, e compararmos com o que acontece em um banco real no momento da abertura de uma conta, perceberemos

Leia mais

11 - Estrutura de um programa em C

11 - Estrutura de um programa em C 11 - Estrutura de um programa em C directivas para o compilador { main ( ) declarações instruções } -É possível utilizar comentários, exemplo: /* Comentário */ que não são traduzidos pelo compilador, pois

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação IDE Eclipse IDE (Integrated development environment) Criar um projeto

Leia mais

Agenda. O que é um array. Declaração de um array. Instanciação de um array. Acessando os elementos de um array. O tamanho de um array (length)

Agenda. O que é um array. Declaração de um array. Instanciação de um array. Acessando os elementos de um array. O tamanho de um array (length) Arrays em Java 1 Agenda O que é um array Declaração de um array Instanciação de um array Acessando os elementos de um array O tamanho de um array (length) Arrays multi-dimensionais 2 O que é um Array?

Leia mais

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Objetos e Métodos

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Objetos e Métodos Programação Estruturada e Orientada a Objetos Objetos e Métodos 2013 O que veremos hoje? Objetos e Métodos Transparências baseadas no material do Prof. Jailton Carlos Objetivos Aprender a criar construtores;

Leia mais

Objetos e classes. Linguagem de Montagem. Métodos e parâmetros. Outras observações. Valores de retorno. Código-fonte. Linguagem de Montagem CC/SI 1

Objetos e classes. Linguagem de Montagem. Métodos e parâmetros. Outras observações. Valores de retorno. Código-fonte. Linguagem de Montagem CC/SI 1 UNIP Universidade Paulista Campus Tatuapé - SP Ciência da Computação Sistemas de Informação Linguagem de Montagem Prof. Marcelo Nogueira Prof. Fábio Vieira do Amaral Prof. Fábio Luis Objetos Objetos e

Leia mais

AULA 11 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS (INTRODUÇÃO) Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes

AULA 11 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS (INTRODUÇÃO) Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes AULA 11 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS (INTRODUÇÃO) Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes alba.lopes@ifrn.edu.br CONCEITOS FUNDAMENTAS Na computação, temos um problema a ser

Leia mais

Introdução à Programação C

Introdução à Programação C Introdução à Programação C Fabio Mascarenhas - 2014.2 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/introc Vetores Para vários problemas precisamos de uma maneira de representar uma sequência de valores com um número

Leia mais

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa:

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa: Algoritmos Algoritmos Leandro Tonietto Unisinos ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto/inf/pg1/algoritmosi_java.pdf Mar-2008 Possuem sintaxe flexível e são mais úteis para descrição

Leia mais

Arrays. Declaração e criação de arrays

Arrays. Declaração e criação de arrays Arrays Os arrays são estruturas de dados que consistem em itens de dados relacionados do mesmo tipo. São entidades estáticas no sentido de que, uma vez criadas, mantém o mesmo tamanho, embora uma referência

Leia mais

Capítulo 6: Arquivos

Capítulo 6: Arquivos Capítulo 6: Arquivos Waldemar Celes e Roberto Ierusalimschy 29 de Fevereiro de 2012 1 Funções de entrada e saída em arquivos Nos capítulos anteriores, desenvolvemos programas que capturam seus dados de

Leia mais

Linguagem Técnica I. Prof. Jonatas Bastos

Linguagem Técnica I. Prof. Jonatas Bastos Linguagem Técnica I Prof. Jonatas Bastos Email: jonatasfbastos@gmail.com 1 Objetivo da Disciplina p Entender os conceitos da programação orientada a objetos; p Aplicar conceitos básicos relativos a objetos

Leia mais

OO - Orientação a Objetos

OO - Orientação a Objetos OO - Orientação a Objetos 1 Motivação p Orientação a objetos é uma maneira de programar que ajuda na organização e resolve muitos problemas enfrentados pela programação procedural; p Imaginem em um grande

Leia mais

Linguagem de Programação Introdução a Orientação a Objetos

Linguagem de Programação Introdução a Orientação a Objetos Linguagem de Programação Introdução a Orientação a Objetos Rafael Silva Guimarães Instituto Federal do Espírito Santo Campus Cachoeiro de Itapemirim Definição de Orientação a Objetos. Orientação a Objetos:

Leia mais

Construtores. Introdução

Construtores. Introdução Construtores José Gustavo de Souza Paiva Introdução Até o momento, temos tratado a inicialização dos atributos das classes de duas maneiras Alteração dos valores dos atributos diretamente - atributos públicos

Leia mais

Módulo Lógica Programação com aplicações em Java. Projeto khouse Profissionalizante Profª Larissa Brandão

Módulo Lógica Programação com aplicações em Java. Projeto khouse Profissionalizante Profª Larissa Brandão Educação Módulo Lógica e Ética de Programação com aplicações em Java Projeto khouse Profissionalizante Profª Larissa Brandão Educação e Ética Fundamentos da Programação Objetivos: Reconhecer as diferenças

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes

Fundamentos de Programação. Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes. Prof.: Bruno Gomes Fundamentos de Programação Linguagem C++ aula II - Variáveis e constantes Prof.: Bruno Gomes 1 Variáveis Representa uma porção da memória que pode ser utilizada pelo programa para armazenar informações

Leia mais

Programação de Computadores para GI

Programação de Computadores para GI Programação de Computadores para GI Aula 05 Java - Identificadores Nomes que o programa manipula: variáveis, constantes, subprogramas e classes Não devem começar com números nem com _ Não existe tamanho

Leia mais

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções Linguagem de Programação I Aula 10 Funções Da Aula Anterior Tipos de dados básicos e operadores em C Declaração de variáveis e modificadores de tipo Estruturas de Controle Arrays unidimensionais Geração

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 3 Abstração Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof. Bruno

Leia mais

Introdução à Linguagem de Programação Java 1 INTRODUÇÃO À LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA

Introdução à Linguagem de Programação Java 1 INTRODUÇÃO À LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA 1 INTRODUÇÃO À LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA 2 INDICE 1. COMENTÁRIOS... 4 1.1. Comentário de uma linha... 4 1.2. Comentário de múltiplas linhas... 4 2. IMPRESSÃO DE TEXTOS... 5 2.1. Imprimindo um texto

Leia mais

Parte IV. Linguagens de Programação. Relembrando da Última Aula... Empacotador de Préprocessadores. Primeiro Exemplo Usando Classes em C++

Parte IV. Linguagens de Programação. Relembrando da Última Aula... Empacotador de Préprocessadores. Primeiro Exemplo Usando Classes em C++ Linguagens de Programação Parte IV Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Introdução à Programação (Continuação) Relembrando da Última Aula... Ponteiros e strings Mais exemplos

Leia mais

Estruturas de Repetição em Java

Estruturas de Repetição em Java 1 Linguagem de Programação Estruturas de Repetição em Java A realização da repetição controlada por contador requer: 1. Uma variável de controle (ou contador de loop). 2. O valor inicial da variável de

Leia mais

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples

Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples SSC0101 - ICC1 Teórica Introdução à Ciência da Computação I Estrutura de Programas e Tipos de Dados Simples Prof. Vanderlei Bonato: vbonato@icmc.usp.br Prof. Claudio Fabiano Motta Toledo: claudio@icmc.usp.br

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

Aula 08 Estruturas de Condição. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes

Aula 08 Estruturas de Condição. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Aula 08 Estruturas de Condição Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Entrada de Dados; Estruturas de Controle: Estrutura de Sequência;

Leia mais

Laboratório de Programação

Laboratório de Programação Variáveis e Valores 1 Laboratório de Programação Dr. Italo Santiago Vega Curso de Graduação Ciência da Computação Pontifícia Universidade de São Paulo Copyright 1998-2004, Italo S. Vega Variáveis e Valores

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação (BC-05045) Assunto: Introdução ao IDE Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas

Leia mais

Encapsulamento e Métodos (Construtores e Estáticos) João Paulo Q. dos Santos

Encapsulamento e Métodos (Construtores e Estáticos) João Paulo Q. dos Santos Encapsulamento e Métodos (Construtores e Estáticos) Sobrecarga de Métodos João Paulo Q. dos Santos joao.queiroz@ifrn.edu.br Roteiro Conceitos sobre Encapsulamento; Variável this; Métodos Construtores;

Leia mais

Classes e Objetos. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Classes e Objetos. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Classes e Objetos Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Escopo de Classe e Acesso a Membros de Classes; Exercício; Os Métodos get e set; Separação de Interface e Implementação; Construtores

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Universidade Federal do Espírito Santo Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Variáveis Tipos de Dados Básicos Formação dos identificadores o nome deve começar com uma letra

Leia mais

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio)

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio) Módulo 1 Introdução AEDS I C++ (Rone Ilídio) Introdução Linguagens de Programação Fonte Compilador Executável SO I Hardware C++ - Características Evolução do C, ou seja, possui a mesma sintaxe É uma linguagem

Leia mais

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Linguagem C A linguagem

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

CLASSES, OBJETOS, MÉTODOS E STRING

CLASSES, OBJETOS, MÉTODOS E STRING 1 CLASSES, OBJETOS, MÉTODOS E STRING Construir software rapidamente, corretamente e economicamente é um objetivo difícil de alcançar. Objetos, ou, mais precisamente as classes de objetos, são, essencialmente,

Leia mais

BC-0505 Processamento da Informação

BC-0505 Processamento da Informação BC-0505 Processamento da Informação 0.Declarar Variáveis/ Atributos (Armazenar Dados) 1.Entrada de Dados (Obter dados = Leitura) double raio = 0; double area = 0; double PI = 3.14159; 2.Processamento (=

Leia mais

Tipos Abstratos de Dados

Tipos Abstratos de Dados Tipos Abstratos de Dados Prof. Rui Jorge Tramontin Jr. UDESC - Rui J. Tramontin Jr. 1 Índice Introdução Definição de Tipos Abstratos de Dados Exemplos de TADs Implementação de TADs Implementação em C Exemplo

Leia mais

Programação Estruturada

Programação Estruturada Programação Estruturada Prof. Marcelo Siedler Objetivos do documento: Apresentar conceitos relacionados a programação estruturada Exercícios com métodos. Programação Estruturada Programação estruturada

Leia mais

1 Da aula teórica ao Java

1 Da aula teórica ao Java Universidade Federal do ABC Bacharelado em Ciência da Computação Processamento da Informação - Prof. Fabrício Olivetti de França Guia de tradução entre Java e outras linguagens 1 Da aula teórica ao Java

Leia mais

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon Algoritmos e Programação Linguagem C Procedimentos e Funções Eliane Pozzebon Procedimentos e Funções Procedimentos são estruturas que agrupam um conjunto de comandos, que são executados quando o procedimento

Leia mais

Implementando um Projeto. Programação em Java. Do Projeto para Implementação. Classe Pública em Java. Corpo de Classes e Métodos. Convenção de Nomes

Implementando um Projeto. Programação em Java. Do Projeto para Implementação. Classe Pública em Java. Corpo de Classes e Métodos. Convenção de Nomes DCC / ICEx / UFMG Implementando um Projeto Programação em Java Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Assim como em outras engenharias, o projeto não é suficiente Ninguém pode dirigir o

Leia mais

Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída

Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída Prof.ª Dr.ª Symone Gomes Soares Alcalá Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Goiânia (RG) Campus Aparecida de Goiânia (CAP)

Leia mais

Fabiano Moreira.

Fabiano Moreira. Fabiano Moreira professor@fabianomoreira.com.br Um pouco de história Java 1.02 (250 classes, lenta) Java 1.1 (500 classes, um pouco mais rápida) Java 2, versões 1.2-1.4 (2300 classes, muito mais rápida)

Leia mais

Programação Java. - Herança e Polimorfismo - Marco Fagundes Marco Fagundes -

Programação Java. - Herança e Polimorfismo - Marco Fagundes Marco Fagundes - Programação Java - Herança e Polimorfismo - Marco Fagundes mfagundes@tre-pa.gov.br 1 Tópicos Herança Ligação Dinâmica Polimorfismo 2 Herança Herança é um conceito que mapeia as classes relacionadas entre

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 1 Tipos de dados Inteiro São os números pertencentes ao conjunto dos Inteiros, isto é, que

Leia mais

Variáveis primitivas e Controle de fluxo

Variáveis primitivas e Controle de fluxo Variáveis primitivas e Controle de fluxo Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

Técnicas de Programação:

Técnicas de Programação: Técnicas de Programação: Programação Orientada a Objeto PROF. PROTÁSIO DEE-UFPB Classes e Objetos Classe É uma estrutura de dados que pode conter: Objeto Dados, e Funções. É uma instância de uma classe.

Leia mais

Paradigmas de Linguagens

Paradigmas de Linguagens Paradigmas de Linguagens Aula 2: Tipos de dados Professora Sheila Cáceres Tipos de dados Dados são a matéria prima da computação junto com os programas. LPs precisam manipular dados. LPS utilizam os conceitos

Leia mais

Inteligência Computacional Aula 2 - Introdução ao MatLab Graduação /2

Inteligência Computacional Aula 2 - Introdução ao MatLab Graduação /2 Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Matemática / DCC Inteligência Computacional Aula 2 - Introdução ao MatLab Graduação - 2003/2 Prof. A. C. G. Thomé, PhD thome@nce.ufrj.br Airam C. P.

Leia mais

Linguagens de Programação

Linguagens de Programação Linguagens de Programação Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Parte IV Introdução à Programação em C++ (Continuação) Relembrando da Última Aula... Polimorfismo Mais exemplos

Leia mais

4 TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

4 TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Programação Orientada a Objetos Aula 4 Programação Orientada a Objetos Entrada e Saída de Dados GUI em Java: pacote Swing O exemplo abaixo emprega o pacote Swing (javax.swing), que emprega componentes

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação Linguagem C++: arrays - aula I Bruno Emerson Gurgel Gomes 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) 2012 Bruno Gomes (IFRN) Fundamentos de Programação

Leia mais

Programação Orientada a Objeto (POO)

Programação Orientada a Objeto (POO) Programação Orientada a Objeto (POO) Prof Francesco Artur Perrotti Classes e Objetos Classe pode ser definida como uma categoria de objetos. Usamos as classes para facilitar o entendimento dos objetos

Leia mais

4 Uma Linguagem Baseada em Máquinas de Estado 4.1. A Linguagem

4 Uma Linguagem Baseada em Máquinas de Estado 4.1. A Linguagem 4 Uma Linguagem Baseada em Máquinas de Estado 4.1. A Linguagem Acredita-se nesse trabalho que características reativas e fortemente baseadas em modelos tornam necessária a criação de uma linguagem específica

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Introdução à Programação (PG) Docente: Pedro Viçoso Fazenda (pfazenda@cedet.isel.ipl.pt) Professor Responsável: Pedro Alexandre Pereira (palex@cc.isel.ipl.pt)

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I

Algoritmos e Estruturas de Dados I Algoritmos e Estruturas de Dados I Tipo de Dados Orivaldo Santana Jr ovsj@cin.ufpe.br Observação: Este material esta baseado no material do Prof. Tiago Massoni e Prof. Fernando Buarque Tipos de Dados Primitivos

Leia mais