- Ensino Médio concomitante com um dos Cursos Técnicos oferecidos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- Ensino Médio concomitante com um dos Cursos Técnicos oferecidos."

Transcrição

1 Manual do Aluno Ensino Médio e Cursos Técnicos

2 Apresentação Há mais de 59 anos, visando o aperfeiçoamento do aluno e sua inserção no mercado de trabalho, a ETEP Escola Técnica Prof. Everardo Passos garante ensino de qualidade e oferece os seguintes cursos: - Curso Pré-ETEP, preparatório para o Processo Seletivo do Ensino Médio e Cursos Técnicos da ETEP ou demais Processos Seletivos (Concursos de Bolsas) de outras entidades de ensino da região. É destinado aos alunos no 9º ano (8ª série) do Ensino Fundamental. - Ensino Médio concomitante com um dos Cursos Técnicos oferecidos. - Cursos Técnicos em Eletrônica, Mecatrônica, Mecânica, Informática e Informática para Internet. A evolução constante e o comprometimento da Instituição com a formação do aluno têm o reconhecimento do mercado, que busca na Escola, estagiários e profissionais para ocupar posições que exigem alto nível de qualificação. 2

3 Índice 1- O Manual do Aluno Atendimento ao Aluno Infraestrutura Política de Acesso aos Recursos Computacionais Benefícios e Facilidades Cursos Procedimentos Acadêmicos Normas Disciplinares do Regimento Escolar Estágio - ETEP Mensalidades Descontos Anexos: Calendários 2014 Ensino Médio e Cursos Técnicos

4 1- O Manual do Aluno Este documento tem como objetivo facilitar a compreensão dos procedimentos escolares a serem adotados por nossos alunos. Procedimentos estes, previstos na Proposta Pedagógica e no Regimento Escolar, que em caso de dúvidas, deve ser considerado como documento legal oficial da Instituição. 2- Atendimento ao Aluno A ETEP disponibiliza aos alunos um sistema integrado GENNERA - onde podem ser consultadas suas notas e faltas, consultar sua situação financeira e emitir boletos, além de fazer solicitações acadêmicas via protocolo, tudo isto, de sua casa ou de qualquer computador conectado a internet. Caso o aluno ainda necessite de algum esclarecimento, ele pode contar com a Central de Atendimento que é o departamento responsável pelo suporte, atendimento a dúvidas, e pelo direcionamento correto dos assuntos de competência de outras áreas. Este contato pode realizado presencialmente, por ou por telefone, (vide abaixo horário de atendimento). Horário de Atendimento Atendimento Presencial: segunda a sexta-feira, das 08h00 às 18h00 Telefone: / / Inspetores de Alunos Para maior tranquilidade e segurança dos nossos alunos, a ETEP dispõe de inspetores que auxiliam o trabalho do Serviço de Orientação Educacional. Atendimento - 07h às 17h40 4

5 SOE - Serviço de Orientação Educacional O Serviço de Orientação Educacional é desenvolvido em colaboração com os Coordenadores de Curso, professores e família, com o objetivo de promover condições de ajustamento do aluno ao ambiente escolar. Atendimento - 07h às 12h30 / 13h30 às 17h40 3- Infraestrutura Biblioteca A Instituição conta com uma biblioteca que tem como objetivo reunir, armazenar e disseminar informações, prestar serviços de auto-atendimento, acesso ao material digital, orientação de pesquisas bibliográficas. O acervo da biblioteca é atualizado e ampliado sempre que necessário, sendo composto de livros especializados nas áreas de atuação dos cursos oferecidos pela Instituição. A biblioteca destina-se especialmente aos professores e alunos. Para facilitar e agilizar a consulta, a biblioteca possui computadores para consulta ao acervo, e oferece infraestrutura de apoio ao estudo, acesso à Internet e instalações adequadas para o estudo individualizado. A utilização da biblioteca está condicionada às regras estabelecidas por regulamento, disponível no mural do aluno, no site da Instituição ou pelo link: O regulamento deve ser do conhecimento prévio de todos aqueles que dela desejam fazer uso. 5

6 Os empréstimos serão efetuados mediante a apresentação da carteirinha de identificação. Biblioteca/Achados e Perdidos Se você perdeu algum material nas salas de aula, laboratórios ou pelo campus, entre em contato com a biblioteca através do Laboratórios A ETEP- Escola Técnica Prof. Everardo Passos conta com laboratórios de informática equipados com computadores e softwares atualizados. As atividades práticas dos Cursos Técnicos são desenvolvidas em laboratórios específicos para cada plataforma de estudos, permitindo a aplicação prática dos conceitos desenvolvidos. Além dos laboratórios, a ETEP possui ainda auditórios, salas multimídia e ginásio de esportes. A utilização dos laboratórios e demais salas está condicionada às regras estabelecidas por regulamento, disponível no próprio laboratório, que deve ser do conhecimento prévio de todos aqueles que dele desejam fazer uso. 6

7 4- Política de Acesso aos Recursos Computacionais Utilização O aluno é responsável pelo equipamento que ele esteja utilizando e deve mantê-lo em perfeitas condições de uso, na forma como o encontrou. Caso exista algum problema, o aluno deverá comunicar ao professor, responsável por tomar as devidas providencias. É vetado ao aluno: Instalar ou remover periféricos do computador. Instalar ou remover softwares de qualquer gênero. Utilizar equipamento para jogos on-line ou jogos instalados na máquina. Mudar equipamentos ou periféricos de lugar. Alterar as tensões de energia dos equipamentos. Internet A internet é uma ferramenta de apoio, por isso o aluno pode acessá-la todas as vezes que forem necessárias para tal finalidade. Todo o acesso é monitorado; sendo assim, serão enviados para a direção da escola, como medidas de segurança, relatórios para análise de sites acessados regularmente. Com o intuito de garantir o bom funcionamento da internet é proibido: Acessar sites de conteúdo erótico e pornográfico. Sites de Hacker s. Salas de bate-papos. Redes Sociais. 7

8 Utilizar programas de downloads de arquivos. Utilização de serviços de streaming, tais como rádios on-line, sites de vídeos. Baixar filmes ou músicas. Acessar sites de Jogos. Acesso ao MSN, Skype ou softwares para comunicação on-line. Sala de Estudo (computadores) O acesso aos recursos da sala de estudo será feito mediante a apresentação da identificação escolar. É proibido o uso de jogos na sala de estudo e também acesso às redes sociais. O Aluno terá direito a 30 minutos de acesso às máquinas para utilização. Em caso de não existir fila de espera, o tempo pode ser renovado. Durante o período de aulas regulares, o aluno não poderá utilizar a sala de estudos. Sala de Aula Os computadores das salas de aula são de uso exclusivo dos professores. Manutenção Toda a manutenção ou alteração de equipamentos e periféricos deverá ser feita pelos técnicos da escola. As solicitações de novos softwares deverão ser encaminhadas para análise ao departamento de TI. Caso algum equipamento precise de manutenção, o aluno deverá avisar ao professor ou responsável pela sala. 8

9 5- Benefícios e Facilidades Carteirinha de Estudante Todos os alunos da ETEP- Escola Técnica Prof. Everardo Passos recebem, no início do curso, uma carteirinha de estudante que é válida até o final do curso. Essa carteirinha é de uso obrigatório para ingresso nas dependências da ETEP e demais atividades estudantis, como o uso da biblioteca. Em caso de cancelamento de matrícula, a carteirinha deve ser devolvida à Central de Atendimento da ETEP. Esse procedimento é fundamental para a liberação de transferências, efetivação do cancelamento e outros trâmites administrativos. Em caso de perda ou extravio, é necessário solicitar uma nova carteirinha, via protocolo no NetStudent, de acordo com os procedimentos internos da ETEP. Será cobrada uma taxa para emissão da 2ª via da carteirinha de estudante e respectivo boleto deverá ser emitido via NetStudent, logo após a solicitação do protocolo. Parceria com Escolas de Idiomas Todos os alunos da ETEP possuem o benefício de descontos especiais em escolas de idiomas que possuem parceria firmada com a Instituição, como: ICBEU Instituto Cultural Brasil Estados Unidos; Yázigi Internexus; Wizard Idiomas. OBS os alunos que frequentarem curso de Inglês nas escolas conveniadas, não serão dispensados das aulas na ETEP. 9

10 6- Cursos ENSINO MÉDIO O Ensino Médio é a etapa final da Educação Básica que tem por finalidade desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação geral, indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores. O Ensino Médio tem a duração de 3 anos, mais de 3600 horas / aula e 200 dias de efetivo trabalho escolar, sendo cursado, concomitantemente, com um dos cursos técnicos oferecidos. CURSOS TÉCNICOS A experiência prática está presente desde o primeiro semestre do curso, e o estágio tem como objetivo aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula e desenvolver competências: Mecânica Prepara o aluno para atuar: - em atividades referentes ao projeto, implantação, operação e manutenção de equipamentos mecânicos, planejamento da produção, gestão da qualidade e outras atividades do processo industrial, coordenando e participando de equipes de trabalho. Também pode executar ações de treinamento e suporte técnico. (Estágio obrigatório). Eletrônica Prepara o aluno para atuar: - em atividades referentes à instalação, operação e desenvolvimento de projetos de sistemas eletroeletrônicos com ênfase em Automação Industrial e Telecomunicações. Também pode executar ações de treinamento e suporte técnico e coordenar equipes de trabalho. (Estágio obrigatório) 10

11 Informática Prepara o aluno para atuar: - em atividades de desenvolvimento e aplicações de hardware e software em diversos tipos de linguagens de programação e banco de dados, atuando também na implantação, operação e manutenção de equipamentos de informática e serviços de redes de computadores. (Estágio obrigatório) Mecatrônica Prepara o aluno para atuar: - em atividades de integração das tecnologias de eletrônica, mecânica e computação, participando nas atividades de planejamento, instalação, operação e manutenção de sistemas utilizados em processos industriais automatizados, visando à qualidade e produtividade desses processos. (Estágio obrigatório) Informática para Internet Prepara o aluno para atuar: - em atividades de projetar, planejar, organizar aplicações para Internet (Páginas WEB), criando imagens, ilustrações, animações e interatividades utilizando programas aplicativos especializados e serviços de Redes de Computadores. (Estágio opcional) 11

12 7- Procedimentos Acadêmicos Matrícula A matrícula inicial e as renovações serão efetuadas a cada início de período, em datas planejadas e comunicadas previamente aos pais e/ou responsáveis. No ato da matrícula inicial, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: Cópia simples acompanhada do documento original 1- Histórico Escolar (Ensino Fundamental) 2- Certidão de Nascimento 3- RG e CPF do aluno 4- RG e CPF do Responsável financeiro 5- CPF dos pais 6- Comprovante de endereço Para renovar a matrícula o aluno deverá estar em dia com as mensalidades. As renovações de matrículas deverão ser realizadas presencialmente ou por meio do site da ETEP, no NetStudent. Após a efetivação da matrícula no site da ETEP, o aluno deverá emitir o boleto por meio do NetStudent. Horários Período da Manhã. Das 7h às 12h30min. 1ª aula 07h00 às 07h50 2ª aula 07h50 às 08h40 3ª aula 08h40 às 9h30 4ª aula 9h30 às 10h20 INTERVALO das 10h20 às 10h50 5ª aula 10h50 às 11h40 6ª aula 11h40 às 12h30 Período da Tarde. Das 14h às 17h40 min. 1ª aula 14h00 às 14h50 2ª aula 14h50 às 15h40 INTERVALO das 15h40 às16h00 3ª aula 16h00 às 16h50 4ª aula 16h50 às 17h40 12

13 Saída da Escola Durante o período de Aulas Para os alunos do Ensino Médio, não será permitida, salvo com autorização formal da direção, a saída antes do término das aulas. Nos casos de necessidade, a dispensa ocorrerá somente depois que o Serviço de Orientação Educacional se comunicar com os pais ou responsáveis. Atrasos Durante o período de aulas O aluno que chegar com atraso, deverá dirigir-se ao SOE para ser orientado. Mais que 3 (três) atrasos acumulados, os pais e/ou responsáveis serão notificados pelo SOE. Educação Física É atividade obrigatória para os alunos do Ensino Médio. As aulas serão realizadas no Ginásio de Esportes ou em sala de aula regular. Os alunos devem trazer uma toalha e sabonete Exame Médico De acordo com o Decreto 888, de 04 de agosto de 1993, não é obrigatório o.exame médico para a prática de Educação Física nas escolas. No entanto, consideramos prudente que os alunos iniciem tal atividade somente após a palavra final de um especialista, evitando assim possíveis incidentes. Solicitamos aos senhores pais providências no sentido de um exame médico mais apurado, fazendo-o com um profissional da sua confiança. Aquele que não puder frequentar as aulas de Educação Física deverá requerer dispensa das aulas práticas, preenchendo no atendimento, requerimento específico para isso, anexando o documento adequado (Atestado Médico, com registro do CID). Obs: Caso o (a) aluno (a) seja dispensado (a) da prática de Educação Física pelo médico, este deverá anotar no atestado o período (início e término) da dispensa. O aluno dispensado é isento de assistir as aulas, porém, por medida de segurança, deverá permanecer no campus: biblioteca e/ou sala de estudos, com controle de frequência apenas para registro do SOE e ciência dos pais e/ou responsáveis. 13

14 Critérios de Aproveitamento de Estudos Aproveitamento de Estudos O aproveitamento de estudos poderá ser requerido quando o aluno: 1 - estiver reprovado, na Série / Semestre, nos componentes já cursados e nos quais obteve ótimo aproveitamento escolar 2 - apresentar Certificação de Competências ou de Estudos realizados com êxito 3 - demonstrar através de avaliação, as competências já adquiridas e previstas para o Ano/Semestre em curso. O aproveitamento de estudos será concedido pela Direção Acadêmica no todo ou em parte, ouvido o Coordenador do Curso, Professores ou o Conselho de Classe. A dispensa de Inglês será proposta pelo professor, após decorridos trinta dias de aula, mediante o resultado da avaliação de competência. Frequência Independente dos resultados obtidos será considerado reprovado na disciplina o aluno que não obtiver a frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) das aulas e demais atividades programadas. As ausências podem ser Justificadas, mediante Atestados. Não há Abono faltas. O limite de faltas legais, de 25%, definido pelo MEC, engloba faltas por consultas médicas etc. Sistemática de Avaliação As avaliações deverão ser contínuas acompanhamento sistemático e integral do aluno quanto às competências comportamentais (assiduidade, pontualidade, relacionamento, iniciativa, autonomia, criatividade, liderança e qualidade do trabalho) e cognitivas (operações de pensamento). A avaliação será realizada através de observação constante do aluno e atividades avaliativas escritas, orais e práticas. 14

15 A avaliação do aproveitamento escolar deverá incidir sobre o desempenho dos alunos nas diferentes experiências de aprendizagem englobando conhecimentos, habilidades e atitudes, levando em consideração os objetivos visados. Aproveitamento escolar do Ensino Médio, Regime Anual. a) Deverão ser utilizados, no decorrer de cada bimestre, no mínimo dois instrumentos diferentes de avaliação, elaborados pelo professor, sendo uma avaliação necessariamente em forma de prova escrita. b) As sínteses bimestrais dos resultados da avaliação do aproveitamento serão expressas em notas inteiras de zero a dez. c) Os resultados das avaliações de aproveitamento deverão ser sistematicamente registrados, revisados com os alunos, sintetizados em uma nota, bimestralmente enviados à Secretaria e comunicada aos alunos, pais e/ou responsáveis. d) O ano letivo será composto por quatro bimestres e dois períodos destinados ao Reforço e Reavaliação aos alunos, um dentro de cada Semestre e ao final destes. e) Cada nota bimestral será composta pela média dos resultados das avaliações e corresponderá a vinte por cento da nota final do aluno. f) Em cada semestre os alunos realizarão um trabalho, interdisciplinar ou não, a ser avaliado ao final do segundo e quarto bimestres, que corresponderá a dez por cento da nota final do aluno. g) No ano letivo os alunos realizarão como Trabalho Interdisciplinar, dois simulados, propostos pelo Sistema Positivo de Ensino, em datas a serem marcadas e comunicadas previamente aos alunos. h) Nos períodos destinados ao Reforço e Reavaliação, os alunos serão avaliados através de um único instrumento, sendo que esta nota poderá, em caso de melhora 15

16 de aproveitamento, alterar um dos dois registros bimestrais, dentro de cada Semestre. i) Os períodos de Reforço e Reavaliação (DOIS, sendo um a cada Semestre) serão obrigatório para todos os alunos com médias nas disciplinas, inferior a 6 (seis). Para os demais alunos é um período facultativo. j) Após o período de Reforço e Reavaliação será calculada pelo Sistema, a Nota Final do aluno, composta pela soma das notas dos quatro bimestres mais as notas das duas avaliações diferenciadas. (20% 1º bi + 20% 2º bi + 10% TD + 20% 3º bi + 20% 4º bi + 10% TD) Aproveitamento escolar da Educação Profissional Técnica de nível médio, regime semestral. a) Deverão ser utilizados, no decorrer de cada bimestre, no mínimo dois instrumentos diferentes de avaliação, elaborados pelo professor. b) As sínteses bimestrais dos resultados da avaliação do aproveitamento serão expressas em notas inteiras de zero a dez. c) Os resultados das avaliações de aproveitamento deverão ser sistematicamente registrados, revisados com os alunos, sintetizados em uma nota, bimestralmente enviada à Secretaria e comunicada aos alunos, pais e/ou responsáveis. d) Cada semestre será composto por dois bimestres e um período final destinado ao Reforço e Reavaliação dos alunos. e) A nota bimestral será composta pela média dos resultados das avaliações e corresponderá a quarenta por cento da nota final do aluno. 16

17 f) No decorrer do semestre os alunos realizarão um trabalho interdisciplinar a ser avaliado ao final do segundo bimestre e corresponderá a vinte por cento da nota final do aluno. g) No período final destinado ao Reforço e Reavaliação, os alunos serão avaliados através de um único instrumento sendo que esta nota poderá, em caso de melhora de aproveitamento, alterar um dos registros bimestrais. h) Os períodos de Reforço e Reavaliação serão obrigatório para todos os alunos com médias nas disciplinas, inferior a 6 (seis). Para os demais alunos é um período facultativo. i) Após o período de Reforço e Reavaliação (UM, no Semestre, para disciplinas do curso Técnico) será calculada pelo Sistema, a Média Final do aluno, composta pela soma dos bimestres mais a nota da avaliação interdisciplinar. Aprovação (40% 1º bi + 40% 2º bi + 20% TI) O aluno será considerado promovido para o semestre/ano subsequente quando a média final for igual ou superior a 6,0 (seis) em cada componente curricular e a frequência de 75% em cada componente curricular, incluindo Arte e Educação Física. Diploma e Certificado Ao aluno concluinte será conferido: Certificado de conclusão de Ensino Médio; Diploma de Técnico após cumprimento do Estágio Supervisionado, quando exigido, e Conclusão do Ensino Médio. Tratamento Excepcional 17

18 Em conformidade com o Decreto Lei nº 1.044, de 21 de outubro de 1969 e com a Deliberação CEE no 59/2006, são considerados merecedores de Tratamento Excepcional, portadores de afecções congênitas ou adquiridas, infecções, traumatismos ou outras condições mórbidas, comprovados por meio de Atestado Médico, caracterizados por: 1. Incapacidades físicas relativa, incompatíveis com a frequência aos trabalhos escolares, desde que se verifique a conservação das condições intelectuais e emocionais necessárias para o prosseguimento da atividade escolar em novos moldes; 2. Ocorrência isolada ou esporádica; 3. Duração que não ultrapasse o máximo admissível para continuidade do processo pedagógico de aprendizagem. Após solicitação de requerimento na Central de Atendimento, anexado ao Atestado Médico, a Instituição atribuirá aos alunos em tal situação, exercícios domiciliares com acompanhamento da escola, sempre que compatível com o seu estado de saúde e as possibilidades do estabelecimento. O Atestado Médico não tem efeito retroativo, ele deverá ser entregue na Central de Atendimento no prazo máximo de dois dias úteis após a emissão. O aluno somente terá direito ao Tratamento Excepcional caso o afastamento seja superior a 5 dias úteis. Caso contrário o aluno deverá assumir as faltas e procurar se informar quanto ao conteúdo ministrado pelos professores durante a sua ausência. Aluna Gestante Em conformidade com a Lei nº 6.202, de 17 de abril de 1975 e com a Deliberação CEE no 59/2006, a partir do 8º mês de gestação e durante três meses (90 dias), a estudante em estado de gravidez ficará assistida pelo regime de exercícios domiciliar, instituído pelo Decreto lei nº 1.044, de 21 de outubro de O início e o fim do 18

19 período de afastamento serão determinados por atestado médico a ser apresentado anexo ao requerimento, na Secretária da Escola, sendo assegurada à estudante o direito a prestação das avaliações finais. Prova Substitutiva Ao aluno que por motivo de doença, devidamente comprovada com ATESTADO MÉDICO, não comparecer às avaliações previstas, poderá ser dada nova oportunidade, em data previamente estipulada. O prazo para solicitação da prova substitutiva não poderá exceder a dois dias úteis. Para cada prova substitutiva será cobrada taxa de R$20,00. Apresentação Pessoal A maneira como um (a) aluno(a) se apresenta à escola, é entendida como um aspecto de sua conduta. Nesse sentido, espera-se que o aluno (a) tenha bom senso em relação a sua aparência e vestimenta e, portanto venha vestido (a) com trajes compatíveis com o ambiente escolar saudável pretendido. Sempre que se entender necessário, o aluno (a) poderá ser advertido (a) e orientado (a) quanto ao que a ETEP identifica como inadequado. Uniforme Para as aulas regulares é necessário a camiseta do uniforme e para educação física, a camiseta do uniforme branca, shorts/bermuda azul marinho e tênis e uma toalha (podendo ser de qualquer tamanho). 19

20 Para as aulas nos laboratórios do Ensino Médio e no Laboratório de Manutenção do Curso de Informática, é obrigatório o uso de jaleco branco. Para as aulas no Laboratório de Processos de Fabricação e Projetos, dos Cursos de Mecânica e Mecatrônica é obrigatório o uso de jaleco cáqui ou marrom. O valor do uniforme ou de qualquer outra vestimenta ou acessório de uso pessoal não está incluso na mensalidade. Somente os fornecedores abaixo estão autorizados a confeccionar nossos uniformes. RM Confecções R. Augusta Edson Elhke, 30 Jd Apollo II Ed Boulevard Apolo sala 5 Telefone: / Attelier Visual R. Tupã, 210 Jd. Paulista Telefone: Atelier Elitróia R. Itabuna, 341 Jd. Satélite Telefone:

21 8- Normas Disciplinares do Regimento Escolar Para a construção de um ambiente institucional harmonioso, íntegro e ético espera se que a conduta do (a) aluno (a) esteja embasada na honestidade intelectual, no respeito aos professores, colegas, coordenadores e colaboradores e no seu comprometimento como o modelo de ensino aprendizagem adotado pela Instituição. São direitos dos alunos: I - Organizar-se em associação de caráter técnico, científico, cívico, educativo, esportivo ou literário, que tenham como finalidade primordial cooperar com a Escola, seu objetivo educacional e elevação de seu nome, formar e desenvolver o espírito de iniciativa e a sociabilidade, devendo os referidos estatutos serem aprovados pela Direção da Escola. II - Frequentar, obedecidas às normas estabelecidas, todas as atividades da Escola. III - Defender diretamente seus interesses individuais, sem necessidade de intermediários, ainda que estes sejam suas associações. IV - Solicitar, quando necessário, os serviços dos setores escolares, que o atenderão naquilo que for de suas atribuições. V - Ser considerado pessoa em formação, objeto de dedicação e compromisso por parte dos educadores da Escola. Vi Solicitar Reconsideração ou Recursos referentes aos resultados finais de avaliações finais, no Atendimento da escola, conforme deliberações legais vigentes. 21

22 São deveres dos alunos: I - Acatar as autoridades da Escola. II - Obedecer às normas deste Regimento e as ordens que emanarem das autoridades do Estabelecimento. III - Comparecer, com pontualidade, às atividades escolares. IV - Apresentar-se convenientemente trajado, com o uniforme escolar, mantendo condições de higiene aceitáveis, conforme as normas adotadas pela Escola. V Zelar pela conservação do prédio, do equipamento e do material didático de uso coletivo, como elemento integrado na comunidade escolar. VI - Manter, durante as atividades escolares, atitudes de respeito, responsabilidade e participação. VII- Ter ótimo comportamento social, concorrendo sempre, onde quer que seja para a elevação do conceito da Escola. VIII - Respeitar a propriedade dos colegas e os bens da Escola. IX - Preservar a área verde da Escola e manter limpas as suas dependências. X - Efetuar a limpeza das máquinas e ferramentas que tenha utilizado, assim como dos locais onde tenha trabalhado. XI - Manter em dia os trabalhos escolares. XII - Indenizar a Escola, pelos prejuízos que causar, quando assim determinar a Direção. XIII - Portar somente os materiais necessários às atividades escolares. XIV - Observar as normas de segurança. 22

23 É VEDADO AO ALUNO I - Causar danos de qualquer natureza ao prédio, mobiliário ou material escolar. II - Praticar atos turbulentos ou perigosos na escola ou nas suas proximidades. III Utilizar (ou carregar bateria), durante as aulas, de telefone celular, aparelhos eletroeletrônicos ou similares. IV - Promover coletas, subscrições ou outros tipos de campanhas, utilizando-se do nome da Escola, sem autorização da mesma. V - Utilizar-se de processos fraudulentos na realização de avaliações e trabalhos escolares. VI - Comparecer às atividades escolares, com atraso ou ausentar-se da sala de aula, oficina e laboratórios ou neles permanecer, após o término dos trabalhos normais, sem a devida autorização. VII - Deixar de usar os equipamentos de proteção individual nas atividades que os exijam. VIII Comer, beber, chupar balas ou mascar chicletes em salas de aula, laboratórios, oficinas, corredores e escadas. IX - Interromper as aulas sem autorização da Direção da Escola. X - Fazer uso de drogas ilegais, de bebidas alcoólicas, praticar jogos de azar, jogos de cartas e outros prejudiciais à formação do aluno e fumar nas dependências da escola e nas suas proximidades. XI - Permanecer na Escola sem comparecer às atividades a que esteja sujeito, a não ser em casos especiais, com a devida autorização. XII - Ocupar-se durante as atividades escolares, com trabalhos alheios ao ensino. XIII - Portar ou introduzir na Escola, armas e materiais inflamáveis ou explosivos. 23

24 XIV - Ausentar-se coletivamente das atividades escolares de qualquer natureza. XV - Praticar atos indecorosos e usar linguagem imprópria. XVI - Aplicar trote nos calouros, exceto o educativo e com o conhecimento prévio e autorização da Direção. DAS MEDIDAS DISCIPLINARES APLICÁVEIS AOS ALUNOS Aos alunos que cometerem faltas disciplinares, ou que não cumprirem o estabelecido neste Regimento, poderá ser aplicado, de acordo com a natureza e a gravidade da infração, as seguintes penalidades: I - Retirada da sala de aula, oficinas e laboratórios, considerada esta penalidade como falta à aula. II Repreensão verbal. III - Advertência por escrito. IV - Suspensão das atividades escolares, perdendo, a princípio, o direito de reposição de prova (s) perdida (s). Caberá a Direção a permissão, ou não, de direito à Prova Substitutiva. V Solicitação de Desligamento. 1o - Das penalidades aplicadas, caberá ao aluno o direito de defesa dirigido à Direção da Escola. 2o - Das penalidades previstas nos itens IV e V lavrar-se-á termo, que será arquivado no prontuário do aluno. 24

25 A retirada da sala de aula, oficina ou laboratório, poderá ser aplicada pelo professor, que deverá comunicar imediatamente o Serviço de Orientação Educacional. A repreensão e a advertência por escrito serão aplicadas pelo Serviço de Orientação Educacional. A suspensão e o desligamento serão aplicados pelo Diretor, ouvido o Orientador Educacional. 9- Estágio - ETEP Este serviço tem o objetivo de oferecer apoio e orientação aos alunos que estão à procura de uma oportunidade de estágio no mercado de trabalho. Através do é possível enviar seu currículo e receber as informações relativas às vagas de Estágio disponíveis, à relação das melhores empresas do mercado, à artigos relacionados ao mercado de trabalho, documentação e legislação. Poderá também acompanhar o FACE da ETEP. Em caso de dúvidas, ligar para a Central de Atendimentos ou para / / / Palestras e Workshops Com o objetivo de preparar o aluno para a realidade a ser enfrentada no mercado de trabalho, ao ETEP realiza durante o ano Palestras e Workshops. Estes eventos garantem ao aluno desenvolvimento gradativo de competências e aproximação dos principais temas ligados ao mercado de trabalho. A disciplina Estágio, nos Cursos que a exigem. No Curso Técnico em Mecânica, Mecatrônica, Eletrônica e Informática, oferecidos pela ETEP o estágio é obrigatório e para a conclusão do Curso Técnico o aluno deverá cumprir uma carga horária de no mínimo 400 horas. No Curso Técnico de Informática para Internet o estágio é opcional. 25

26 O estágio poderá ser realizado a partir do 2º ano do curso, nos períodos em que o aluno não tem aula e após a conclusão do 3º ano. De acordo com a Legislação de estágio o aluno poderá fazer no máximo 02 anos de estágio. Valor 10- Mensalidades Pela prestação dos serviços educacionais será cobrada uma anuidade dividida em 12 parcelas mensais e iguais. Para ter acesso aos valores verifique seu contrato de matrícula ou informe-se na Central de Atendimento. Datas de Vencimento O vencimento da mensalidade é todo dia 15. A cobrança da mensalidade é feita mediante boleto bancário, que será enviado para o endereço especificado pelo aluno no ato da matrícula. Caso o aluno não receba o boleto poderá imprimir a 2ª via pelo NetStudent ou GENNERA O boleto pode ser pago em qualquer agência bancária até o vencimento e após essa data somente poderá ser efetuado o pagamento no banco emitente. Para pagamento da mensalidade após o vencimento serão cobrados 2% de multa e juros de 1% ao mês. Em hipótese alguma haverá isenção de multa e juros decorrentes do atraso de pagamento. 26

27 Antecipação 11- Descontos Para os pagamentos das mensalidades efetuados até o 5º (quinto) dia útil do mês a ETEP concede desconto antecipação de 8% (oito por cento) sobre o valor da mensalidade, para alunos matriculados em 2013 e Para alunos matriculados em 2015, o desconto é de 5%. Família A ETEP concede desconto de 5% (cinco por cento) na mensalidade para cada aluno da mesma família (filho ou filha), desde que seja solicitado no ato da matrícula através de requerimento, para TODOS os alunos (matriculados em 2013, 2014 e 2015). Para alunos matriculados em 2015, ele não é acumulativo. Em caso de dúvidas, entre em contato através dos telefones / / Convênio Empresa Desconto de 10% (dez por cento) concedido para pais de alunos que trabalhem em instituições ou empresas conveniadas com a ETEP. Para conhecer a relação de empresas conveniadas entre em contato com o Atendimento através dos telefones / / Quitação A ETEP oferece descontos para os alunos que desejarem quitar a anuidade no ato da matrícula. Em caso de dúvidas, entre em contato com a Central de Atendimentos através dos telefones / / CALENDÁRIO ESCOLAR ANUAL 2015 ENSINO MÉDIO 27

28 CALENDÁRIO ESCOLAR SEMESTRAL 2015 CURSOS TÉCNICOS 28

29 29

30 30

RESOLUÇÃO CAS Nº. 25, DE 6 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO CAS Nº. 25, DE 6 DE AGOSTO DE 2009. RESOLUÇÃO CAS Nº. 25, DE 6 DE AGOSTO DE 2009. Regulamenta o processo de dependência e atendimento especial e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR DO CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

MANUAL ACADÊMICO E OPERACIONAL DO CURSO TÉCNICO E/OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

MANUAL ACADÊMICO E OPERACIONAL DO CURSO TÉCNICO E/OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL FUNDAÇÃO DE APOIO CEFET ESCOLA TÉCNICA MARACANÃ UCP UNIDADE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL MANUAL ACADÊMICO E OPERACIONAL DO CURSO TÉCNICO E/OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO RIO

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Apresentação

MANUAL DO ALUNO. Apresentação MANUAL DO ALUNO Apresentação Há mais de 8 anos, visando o aperfeiçoamento do aluno e sua inserção no mercado de trabalho, o Instituto Educacional Máris Célis garante ensino de qualidade e oferece os seguintes

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FESB

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FESB REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FESB I Da Caracterização Art. 1 Os Laboratórios de Informática da FESB, sob responsabilidade do Departamento de Informática, dispõem de infra-estrutura

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

MANUAL DO ALUNO SISTEMA DE AVALIAÇÃO

MANUAL DO ALUNO SISTEMA DE AVALIAÇÃO MANUAL DO ALUNO No presente Manual você encontrará uma síntese de procedimentos pedagógicos adotados pela Instituição e conhecerá as instalações e departamentos de apoio ao aluno. SISTEMA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referente ao funcionamento da Biblioteca da Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, objetivando

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1. O uso e o funcionamento do Laboratório de Informática da Faculdade de Direito do Vale do Rio Doce (FADIVALE) obedecerá às normas constantes deste regulamento.

Leia mais

ETEC RUBENS DE FARIA E SOUZA CURSOS MANTIDOS

ETEC RUBENS DE FARIA E SOUZA CURSOS MANTIDOS Etec Rubens de Faria e Souza ETEC RUBENS DE FARIA E SOUZA CURSOS MANTIDOS I- CURSOS TÉCNICOS EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS - ELETRÔNICA - ELETROTÉCNICA - MECÂNICA - MECATRÔNICA - QUÍMICA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Institui o Regulamento dos cursos de Pós-graduação lato sensu em da Escola de Direito de Brasília EDB, mantida pelo Instituto Brasiliense de Direito

Leia mais

INSTITUTO CIMAS DE ENSINO

INSTITUTO CIMAS DE ENSINO INSTITUTO CIMAS DE ENSINO MANUAL DO ALUNO NORMAS E PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICO EM NÍVEL MÉDIO EM MAMOGRAFIA ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICO EM NÍVEL MÉDIO EM TOMOGRAFIA Autorização de Funcionamento

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir:

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir: A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL SISTEMA DE AVALIAÇÃO DISCENTE

REGULAMENTO INSTITUCIONAL SISTEMA DE AVALIAÇÃO DISCENTE UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL SISTEMA DE AVALIAÇÃO DISCENTE São Paulo 2012 Art. 1º. A avaliação dos resultados de aprendizagem, parte integrante

Leia mais

REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO

REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO REGIMENTO INTERNO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO 2015 REGIMENTO REDE DE BIBLIOTECAS FACULDADE PADRÃO Título I Das Disposições Preliminares Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º - Este regulamento

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 2014

MANUAL DO ALUNO 2014 MANUAL DO ALUNO 2014 APRESENTAÇÃO Caro Acadêmico, Agradecemos por você ter escolhido o IESG para sua formação profissional. No Manual do Aluno você encontrará informações importantes e necessárias para

Leia mais

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa.

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES FACULDADE METROPOLITANA Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca Cecília Meireles da Faculdade Metropolitana,

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

MANUAL DO ACADÊMICO - 2015

MANUAL DO ACADÊMICO - 2015 MANUAL DO ACADÊMICO - 2015 1. INFORMAÇÕES IMPORTANTES 1.1 - A matrícula deve ser renovada semestralmente. O período para a renovação de matrícula para o 1º semestre será até o dia 31 de janeiro de 2014,

Leia mais

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS INFORMAÇÕES ACADÊMICAS INGRESSO O ingresso na UNILAGOS é feito mediante processo seletivo (Vestibular) ou por outro processo previsto em lei. Também é possível ingressar por meio de transferência, dispositivo

Leia mais

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos 1 ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS Manual do Candidato da Graduação Processos Seletivos Rua Senador Dantas, 74 Térreo; 2º e 3º andares Centro Rio de Janeiro RJ Tel. 33801044 33801046 33801535 2 A Escola

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU À DISTÂNCIA

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU À DISTÂNCIA REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU À DISTÂNCIA TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Programa de Pós-graduação lato sensu à distância da FAZU - Faculdades Associadas de

Leia mais

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade de Lucas do Rio Verde Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. CONSELHO PEDAGÓGICO - COP RESOLUÇÃO Nº. 13/2008, DE 03 DE ABRIL DE 2008 Aprova o Regulamento de Monitoria Faculdade de Lucas do Rio Verde. O Presidente do Conselho Pedagógico - COP, face ao disposto no

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Rio de Janeiro, 2003 CAPÍTULO I DOS CURSOS: MODALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º. Em conformidade com o Regimento Geral de nos termos da Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. Cursos Datas Local Horário. 09 a 18 de junho de 2014

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. Cursos Datas Local Horário. 09 a 18 de junho de 2014 A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios curriculares do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto

Leia mais

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS 2015 1) DOS OBJETIVOS O Programa de Monitoria de Graduação visa dar suporte às atividades acadêmicas

Leia mais

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Técnico em Informática

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Técnico em Informática INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS AVANÇADO SÃO JOÃO DEL-REI MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Técnico em Informática APRESENTAÇÃO O objetivo do presente

Leia mais

Engenharia Elétrica 28 Noturno. Engenharia Mecânica 18 Noturno

Engenharia Elétrica 28 Noturno. Engenharia Mecânica 18 Noturno A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

10/04/2015 regeral_133_146

10/04/2015 regeral_133_146 Seção VI Da Transferência Art. 96. A UNIR aceita transferência de discentes oriundos de outras instituições de educação superior, de cursos devidamente autorizados, para cursos afins, na hipótese de existência

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

CÂMPUS CAMPOS BELOS. Divulgação do edital 31 de março de 2015

CÂMPUS CAMPOS BELOS. Divulgação do edital 31 de março de 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO EDITAL N 007, DE 31 DE MARÇO 2015 SELEÇÃO INTERNA

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC 2014 ÍNDICE CAPÍTULO I... 3 Da Constituição, Natureza, Finalidade e Objetivos dos Cursos... 3 CAPÍTULO II... 3 Da Implantação dos Cursos...

Leia mais

Nessa área, e concomitante com o Ensino Médio, a ETEP oferece cursos em Mecânica, Mecatrônica, Eletrônica, Informática e Informática para Internet.

Nessa área, e concomitante com o Ensino Médio, a ETEP oferece cursos em Mecânica, Mecatrônica, Eletrônica, Informática e Informática para Internet. Manual do Candidato Ensino Médio Integrado 1º Semestre de 2016 Há 60 anos visando o aperfeiçoamento do aluno e sua inserção no mercado de trabalho, a ETEP Escola Técnica Prof. Everardo Passos, garante

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 74/2010

RESOLUÇÃO Nº 74/2010 RESOLUÇÃO Nº 74/2010 Institui e regulamenta o estágio supervisionado curricular nos cursos de graduação da UFES. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários:

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários: REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 Este Regulamento normatiza o funcionamento das Bibliotecas da Universidade do Vale do Sapucaí Univás, mantida pela Fundação de Ensino Superior

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Normatiza o uso e aproveitamento dos recursos computacionais dos Laboratórios de Informática, visando os recursos disponíveis e as necessidades dos usuários.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO COTIDIANO E ROTINA ESCOLAR ENSINO FUNDAMENTAL II (6º ao 9º ano) E MÉDIO

ORGANIZAÇÃO DO COTIDIANO E ROTINA ESCOLAR ENSINO FUNDAMENTAL II (6º ao 9º ano) E MÉDIO ORGANIZAÇÃO DO COTIDIANO E ROTINA ESCOLAR ENSINO FUNDAMENTAL II (6º ao 9º ano) E MÉDIO Neste texto, encontram-se instruções sobre horários, atrasos, uniformes, faltas; processo de avaliação, recuperação

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto

Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Regulamento da Biblioteca João Maria Stevanatto Biblioteca Etec João Maria Stevanatto Regulamento Art.-1º USUÁRIOS BENEFICIADOS I - A biblioteca atende a todos os alunos matriculados, professores e funcionários.

Leia mais

GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA DISPENSA DE DISCIPLINA REQUERIMENTOS

GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA DISPENSA DE DISCIPLINA REQUERIMENTOS GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA A matrícula é o ato formal do aluno com a UNIUV. Importa em direitos e deveres, tanto para o aluno como para a instituição. Sua efetivação ocorre após classificação

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA 2013 ATIVIDADES COMPLEMENTARES O que são? São práticas acadêmicas de múltiplos formatos, obrigatórias, que podem ser realizadas dentro ou fora

Leia mais

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos

Manual do Candidato da Graduação. Processos Seletivos 1 ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS ESNS Manual do Candidato da Graduação Processos Seletivos Rua Senador Dantas, 74 2º andar Centro Rio de Janeiro RJ Tel. 33801044 33801046 33801532 2 A Escola Superior

Leia mais

Manual de Integração de Novos Alunos PROEX/SESPA. GPS Cursos Faculdade SESPA

Manual de Integração de Novos Alunos PROEX/SESPA. GPS Cursos Faculdade SESPA Manual de Integração de Novos Alunos PROEX/SESPA GPS Cursos Faculdade SESPA Quem somos? A GPS Cursos, situada no coração do Brasil as margens do Rio Araguaia, com sede na avenida Sebastião Jerônimo dos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA SERRA SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA... 2 DOS OBJETIVOS:... Erro! Indicador não definido. DO HORÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada por professores, alunos e funcionários da UNIESP.

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada por professores, alunos e funcionários da UNIESP. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A Direção da UNIESP estabelece normas disciplinando o funcionamento da Biblioteca, no ano de 2013/1. CAPÍTULO I DO USO DA BIBLIOTECA Art. 1º - A Biblioteca poderá ser utilizada

Leia mais

Normas e Procedimentos para os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (MBA, Especialização e Aperfeiçoamento)

Normas e Procedimentos para os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (MBA, Especialização e Aperfeiçoamento) Normas e Procedimentos para os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (MBA, Especialização e Aperfeiçoamento) 1 Contato com alunos O contato com o aluno de Pós-Graduação da UCS acontece, de forma preferencial,

Leia mais

Portal do Aluno Parfor UFPA

Portal do Aluno Parfor UFPA Do Ingresso do Professor de Educação Básica no PARFOR/UFPA O ingresso do professor da Educação básica como aluno do PARFOR na UFPA dar-se-á através de algumas etapas. A primeira delas é a inscrição dos

Leia mais

REGULAMENTO ACADÊMICO DOS CURSOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE AO ENSINO MÉDIO DO IFGOIAS

REGULAMENTO ACADÊMICO DOS CURSOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE AO ENSINO MÉDIO DO IFGOIAS REGULAMENTO ACADÊMICO DOS CURSOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE AO ENSINO MÉDIO DO IFGOIAS Goiânia 2010 REGULAMENTO ACADÊMICO DOS CURSOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 07/2014. Regulamenta o Programa Institucional De Descontos Financeiros - PIDF da Faculdade Fucapi (Instituto de Ensino Superior Fucapi)

RESOLUÇÃO nº 07/2014. Regulamenta o Programa Institucional De Descontos Financeiros - PIDF da Faculdade Fucapi (Instituto de Ensino Superior Fucapi) Regulamenta o Programa Institucional De Descontos Financeiros - PIDF da Faculdade Fucapi (Instituto de Ensino Superior Fucapi) O Presidente do CONSUP, no uso de suas atribuições regimentais, artigo 8 inciso

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PALMEIRAS DE GOIÁS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PALMEIRAS DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS Unidade Universitária de Palmeiras de Goiás Rua S-7, s/ nº _ Setor Sul_ Palmeiras de Goiás-GO Fone/ Fax: (64) 3571-1198 (64) 3571-1173 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

O regime adotado pela Faculdade Metodista Granbery é o seriado semestral. A matrícula é feita por períodos e renovada semestralmente.

O regime adotado pela Faculdade Metodista Granbery é o seriado semestral. A matrícula é feita por períodos e renovada semestralmente. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS BÁSICAS 1. CURRÍCULO Para cada curso de graduação é organizado um currículo. O currículo abrange uma sequência de disciplinas/módulos hierarquizados(as) por períodos letivos, cuja

Leia mais

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR AMADEUS FACULDADE AMADEUS GUIA ACADÊMICO ARACAJU/SE SUMÁRIO 1. A INSTITUIÇÃO 04 1.1. ÓRGÃOS DA FACULDADE 04 2. MISSÃO 04 3. CURSOS OFERECIDOS 04 4. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS 04

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II

Leia mais

E D I T A L. 1º Para os casos de transferência externa serão aceitas, apenas, as inscrições para áreas afins.

E D I T A L. 1º Para os casos de transferência externa serão aceitas, apenas, as inscrições para áreas afins. EDITAL NRCA-SJP N.º 09/2015 DISPÕE SOBRE OS PROCESSOS DE INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS. O Coordenador do Núcleo

Leia mais

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre a estruturação, utilização e

Leia mais

SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde Edital 001/2015 PROCESSO SELETIVO

SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde Edital 001/2015 PROCESSO SELETIVO SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde Edital 001/2015 PROCESSO SELETIVO A Direção da SOBRESP - Faculdade de Ciências da Saúde torna públicas as normas a seguir, que regem o Processo Seletivo Vestibular

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Programa de Pós-graduação lato sensu da FAZU - Faculdades Associadas de Uberaba, tem por objetivo

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO

FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO, FINS E OBJETIVOS Art. 1º As presentes normas visam regulamentar e disciplinar, em termos de sua administração,

Leia mais

O presente processo terá validade para matrícula no primeiro semestre de 2015, através de ingresso por:

O presente processo terá validade para matrícula no primeiro semestre de 2015, através de ingresso por: EDITAL DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADORES DE DIPLOMA PARA 2015/1 Os Diretores Executivo e Técnico do SENAI CETIQT, no uso das atribuições que lhes conferem o Regimento Interno do SENAI CETIQT, tornam

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Boa Leitura! INSTITUTO DIMENSÃO Pós- Graduação e Extensão Universitária

MANUAL DO ALUNO. Boa Leitura! INSTITUTO DIMENSÃO Pós- Graduação e Extensão Universitária MANUAL DO ALUNO O objetivo deste manual é facilitar a comunicação da Instituição com seus alunos. Ele responde a maioria das dúvidas frequentemente levantadas e catalogadas. Aqui você encontrará as informações

Leia mais

EDITAL Nº 10/2011. Processo Seletivo AGENDADO Vestibular 2012 - Primeiro Semestre

EDITAL Nº 10/2011. Processo Seletivo AGENDADO Vestibular 2012 - Primeiro Semestre EDITAL Nº 10/2011 Processo Seletivo AGENDADO Vestibular 2012 - Primeiro Semestre tinuadoo Diretor da Faculdade de Tecnologia de Piracicaba, FATEP, mantida pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Disciplina os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu nas modalidades Acadêmica e Profissionalizante

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º As Atividades Complementares são componentes curriculares obrigatórios

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

Curso de Engenharia de Elétrica

Curso de Engenharia de Elétrica Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Engenharia de Elétrica Cascavel-PR 2011 - 2 - CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio

Leia mais

REGULAMENTO SOBRE PROCESSO DE REGIME DE EXERCÍCIOS DOMICILIARES E ABONOS DE FALTAS

REGULAMENTO SOBRE PROCESSO DE REGIME DE EXERCÍCIOS DOMICILIARES E ABONOS DE FALTAS REGULAMENTO SOBRE PROCESSO DE REGIME DE EXERCÍCIOS DOMICILIARES E ABONOS DE FALTAS Aprovado no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) e Conselho de Administração Superior (CAS) em 30 de junho de

Leia mais

PORTARIA UNIDA Nº. 15/2015, de 18 de Julho de 2015.

PORTARIA UNIDA Nº. 15/2015, de 18 de Julho de 2015. PORTARIA UNIDA Nº. 15/2015, de 18 de Julho de 2015. O Diretor Geral da Faculdade Unida de Vitória, no uso das atribuições conferidas pelo Regimento Interno resolve regulamentar os procedimentos gerais

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015

PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 1 Processo Seletivo 2015.2 Edital FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO PROCESSO SELETIVO 2 º SEMESTRE DE 2015 SENAC RJ FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO O SENAC Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial,

Leia mais

MANUAL DO ALUNO - 2016

MANUAL DO ALUNO - 2016 Prezados Pais, Responsáveis e Alunos. MANUAL DO ALUNO - 2016 Através deste manual, que poderá ser consultado sempre que necessário, os Senhores têm andamento do Ano letivo de 2016. Sempre que houver dúvidas,

Leia mais

Manual de uso e Regras da Biblioteca

Manual de uso e Regras da Biblioteca Manual de uso e Regras da Biblioteca A Biblioteca é parte integrante do processo educativo da ETEC Dr. Emílio Hernandes Aguilar, de forma a alcançar o desenvolvimento das competências de informação, ensino,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB Dispõe sobre as normas referentes ao Processo Seletivo 2015, para o preenchimento de vagas para os cursos de graduação, na modalidade de Ensino Educação a Distância, do CENTRO

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA Cachoeira, março de 2011 REGULAMENTO DE MONITORIA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

ser tratado com respeito, atenção e urbanidade pelos diretores, professores, funcionários do Amplo e colegas;

ser tratado com respeito, atenção e urbanidade pelos diretores, professores, funcionários do Amplo e colegas; TERCEIRÃO 2016 DIREITOS DO ALUNO São direitos do aluno matriculado no Colégio Amplo, além dos previstos no Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e em outros tópicos deste manual: ser tratado com

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Aprovado pelo Parecer CONSEPE

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social As Atividades Complementares são práticas acadêmicas, obrigatórias para os alunos do UniFIAMFAAM. Essas atividades são apresentadas sob múltiplos

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS DO TOCANTINS - FIESC

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS DO TOCANTINS - FIESC . REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS DO TOCANTINS - FIESC CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1º. O Presente

Leia mais

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências.

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências. RESOLUÇÃO CoCEx nº 6667, de 19 de dezembro de 2013. (D.O.E. 21.12.13) (Protocolado 11.5.2443.1.5). Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário Lusíada

Leia mais

Centro Universitário Unieuro vestibular@unieuro.com.br

Centro Universitário Unieuro vestibular@unieuro.com.br A Comissão de Acesso ao Ensino Superior informa que estão abertas as inscrições para o 1º semestre letivo de 2016, nas seguintes modalidades: 1º Processo Seletivo Agendado Edital 21/2015 (para novos alunos)

Leia mais

REGULAMENTO UNIFICADO DAS BIBLIOTECAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO UNIFICADO DAS BIBLIOTECAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO DIRETORIA DE GESTÃO E APOIO AO ENSINO REGULAMENTO UNIFICADO DAS BIBLIOTECAS

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIESP Unidade de Marília

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIESP Unidade de Marília REGULAMENTO DA BIBLIOTECA UNIESP Unidade de Marília I MISSÃO Disseminar a informação de forma a apoiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão. II DA INSCRIÇÃO Art. 1º Todos os alunos, docentes e

Leia mais

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação.

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação. DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL DOS OBJETIVOS Art. 1 O Sistema de Estágio da FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL terá por objetivos gerais:

Leia mais

CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO

CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO A Imediata Consultoria e Serviços LTDA possui convênios com instituições de ensino no âmbito de divulgação de vagas de estágio e de percentual de bolsas de estudos.

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2015 Coordenador: Prof. Dr. Antônio Corrêa de Lacerda Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Regina Maria d Aquino Fonseca Gadelha Estarão abertas, no período de 01/04/2015 a

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Bom trabalho a todos! Mantenedores

APRESENTAÇÃO. Bom trabalho a todos! Mantenedores APRESENTAÇÃO Os tempos modernos conduzem-nos a novos contextos e a sociedade brasileira, de maneira justa, cobra-nos ações que venham ao encontro de um cenário que requer um repensar sobre as possibilidades

Leia mais

Educação Profissional Cursos Técnicos. Regulamento de Estágio Supervisionado

Educação Profissional Cursos Técnicos. Regulamento de Estágio Supervisionado Educação Profissional Cursos Técnicos Regulamento de Estágio Supervisionado CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O presente Regulamento de Estágio Supervisionado refere-se à formação do aluno

Leia mais

Orientações 2012 1. HORÁRIO DE INÍCIO E TÉRMINO DAS AULAS

Orientações 2012 1. HORÁRIO DE INÍCIO E TÉRMINO DAS AULAS COLÉGIO CAETANO CAPRÍCIO Rua Manoel Valim, 639 - Vila Aparecida CEP 14401-255 Franca /SP Telefone: (16) 3724-2999 www.caetanocapricio.com.br caetanocapricio@caetanocapricio.com.br Orientações 2012 Nossa

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE MAURICIO DE NASSAU DE BELÉM MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL CREDENCIAMENTO: PORTARIA Nº 571, DE 13 DE MAIO DE, DOU 16 DE MAIO DE SEÇÃO I EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 O Diretor da Faculdade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais