Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. Lei 35/2014 de 20 de junho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. Lei 35/2014 de 20 de junho"

Transcrição

1 Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas Lei 35/2014 de 20 de junho 1

2 Resultado final da soma de leis com subtração de direitos. Estrutura da Lei 35/2014 de 20 de junho LFTP Lei Preambular Parte I Parte I Disposições Gerais Parte II Vínculo de Emprego Público Parte III Direito Coletivo D 2

3 Resultado final da soma de leis com subtração de direitos Lei preambular (art.º 1.º a 44.º) 3

4 Artigo 42.º Norma revogatória Sistematização com revogação de diplomas Lei n.º 23/98, de 26 de maio (Estabelece o regime de negociação colectiva e a participação dos trabalhadores da Administração Pública em regime de direito público) artigos 16.º a 18.º da Lei n.º 23/2004, de 22 de junho (Aprova o regime jurídico do contrato individual de trabalho da Administração Pública) Lei n.º 12-A/2008, de 27 de fevereiro (com exceção das normas transitórias abrangidas pelos artigos 88.º a 115.º) (Estabelece os regimes de vinculação, de carreiras e de remunerações dos trabalhadores que exercem funções públicas) Lei n.º 58/2008, de 9 de setembro (Estatuto disciplinar dos trabalhadores que exercem funções públicas) 4

5 Artigo 42.º Norma revogatória Sistematização com revogação de diplomas Lei n.º 59/2008, de 11 de setembro (Regime de Contrato de Trabalho em Funções Públicas) Decreto-Lei n.º 259/98, de 18 de agosto (Horários na Administração Pública) Decreto-Lei n.º 100/99, de 31 de março (Férias Faltas e Licenças) Decreto-Lei n.º 324/99, de 18 de agosto (Institui um regime especial de trabalho a tempo parcial para o pessoal com mais de 55 anos de idade) Decreto -Lei n.º 325/99, de 18 de agosto (Introduz a semana de trabalho de quatro dias no âmbito da Administração Pública) 5

6 Mantêm-se em vigor os regulamentos publicados ao abrigo da legislação revogada pela presente lei Decreto Regulamentar n.º 14/2008, de 31 de julho (Estabelece os níveis da tabela remuneratória única correspondentes às posições remuneratórias das categorias das carreiras gerais de técnico superior, de assistente técnico e de assistente operacional) Portaria n.º 1553-C/2008, de 31 de dezembro (Aprova a tabela remuneratória única dos trabalhadores que exercem funções públicas, contendo o número de níveis remuneratórios e o montante pecuniário correspondente a cada um e actualiza os índices 100 de todas as escalas salariais) Portaria n.º 62/2009, de 22 de janeiro (Aprova os modelos de termos de aceitação da nomeação e de termo de posse) 6

7 Da Lei preambular importa ainda reter Os reformados e aposentados, tanto da CGA como do CNP e demais entidades não podem acumular a pensão com rendimento de trabalho. As entidades processadoras suspendem o pagamento das pensões (artigo 6.º) 7

8 Da Lei preambular importa ainda reter Transformada em definitiva a alteração à proteção na doença produzida pela LOE 2013, artigo 76.º da Lei 66-B/2012 de 31 de dezembro: Artigo 15.º Faltas por doença (também referidas na alínea d) do 134.º e do 136.º ao 142.º) Não são pagos os três primeiros dias de faltas por doença em cada período de incapacidade temporária, menos se começar com internamento. Perda de 10% do vencimento nos 27 dias seguintes aos primeiros não pagos A aplicação da alínea b) do n.º 2 (o desconto dos 10%) depende da prévia ocorrência de três dias sucessivos e não interpolados de faltas por incapacidade temporária nos termos da alínea a) do mesmo número (a perda dos primeiros três dias) do n.º 4 do artigo. 8

9 Da Lei preambular importa ainda reter Do Artigo 17.º Justificação da doença modelo aprovado por portaria dos membros do Governo responsáveis pelas áreas da saúde e da Administração Pública (Portaria 666/2007 de 1 de junho, em modelo próprio( atualizado pela portaria 220/2013 de 4 de julho), não bastando o tradicional atestado ou mera declaração) 9

10 Da Lei preambular importa ainda reter Artigo 25.º Limite de faltas A junta médica pode justificar faltas por doença dos trabalhadores por períodos sucessivos de 30 dias, até ao limite de 18 meses no artigo 36.º Artigo 37.º e não 36.º 1 As faltas dadas por doença incapacitante que exija tratamento oneroso e ou prolongado, conferem ao trabalhador o direito à prorrogação, por 18 meses, do prazo máximo de ausência previsto no artigo 25.º. 10

11 Da Lei preambular importa ainda reter Artigo 34.º Fim do prazo de faltas por doença Findo o prazo de 18 meses na situação de faltas por doença: Requerer, no prazo de 30 dias e através do respetivo serviço, a sua apresentação à junta médica da CGA, I.P., reunidas que sejam as condições mínimas para a aposentação; Requerer a passagem à situação de licença sem remuneração. O trabalhador que não requerer, no prazo previsto, a sua apresentação à junta médica da CGA, I.P., passa automaticamente à situação de licença sem remuneração 11

12 ANEXO (a que se refere o artigo 2.º) Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas Parte I Disposições Gerais (artigo 1.º a 16.º) Parte II Vínculo de Emprego Público (artigo 17.º a 313.º) Parte III Direito Coletivo Artigo 314.º a 406.º) 12

13 ANEXO (a que se refere o artigo 2.º) Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas PARTE I Disposições gerais (art.º 1.º a 16.º) 13

14 Da Parte I interessa reter Artigo 1.º Âmbito de aplicação A presente lei é também aplicável, com as necessárias adaptações, a outros trabalhadores com contrato de trabalho em funções públicas que não exerçam funções nas entidades referidas nos números anteriores. (Por exemplo nas EPE ou IPSS) ainda que se afirme A presente lei não é aplicável a: Artigo 2.º Exclusão do âmbito de aplicação Entidades públicas empresariais 14

15 Da Parte I interessa reter Artigo 4.º Remissão para o Código do Trabalho É aplicável ao vínculo de emprego público, sem prejuízo do disposto na presente lei e com as necessárias adaptações, o disposto no Código do Trabalho e respetiva legislação complementar com as exceções legalmente previstas 15

16 Da Parte I interessa reter É aplicável ao vínculo de emprego público, o disposto no Código do Trabalho e respetiva legislação complementar com as exceções legalmente previstas, nomeadamente em matéria de: a) Relação entre a lei e os instrumentos de regulamentação coletiva e entre aquelas fontes e o contrato de trabalho em funções públicas; b) Direitos de personalidade; c) Igualdade e não discriminação; d) Parentalidade; e) Trabalhador com capacidade reduzida e trabalhadores com deficiência ou doença crónica; f) Trabalhador estudante; 16

17 Da Parte I interessa reter É aplicável ao vínculo de emprego público, o disposto no Código do Trabalho e respetiva legislação complementar com as exceções legalmente previstas, nomeadamente em matéria de: g) Organização e tempo de trabalho; h) Tempos de não trabalho; i) Promoção da segurança e saúde no trabalho, incluindo a prevenção; j) Comissões de trabalhadores, associações sindicais e representantes dos trabalhadores em matéria de segurança e saúde no trabalho; k) Mecanismos de resolução pacífica de conflitos coletivos; l) Greve e lock -out. 17

18 Da Parte I interessa reter Quando da aplicação do Código do Trabalho e legislação complementar referida no número anterior resultar a atribuição de competências ao serviço com competência inspetiva do ministério responsável pela área laboral, estas devem ser entendidas como atribuídas ao serviço com competência inspetiva do ministério que dirija, superintenda ou tutele o empregador público em causa e, cumulativamente, à Inspeção-Geral de Finanças (IGF). (do n.º 2 do artigo 4.º) São assim retiradas competências à ACT, nomeadamente em SST 18

19 Da Parte I interessa reter Artigo 5.º Legislação complementar O sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública ; Lei 66-B/2007 com as alterações das Leis 64-A/2008, 55-A/2010, 66-B/2012 O regime de acidentes de trabalho e doenças profissionais dos trabalhadores que exercem funções públicas ; D.L. 503/99 alterado pelas Leis 59/2008 e 64-A/2008 O regime de formação profissional dos trabalhadores que exercem funções públicas ; D.L. 50/98 de 11 de março Os estatutos do pessoal dirigente da Administração Pública Lei 2/2004, alterado pelas Leis 64/2011, 51/2005, 64.A/2008 e 3-B/

20 Da Parte I interessa reter TÍTULO II Modalidades de vínculo e prestação de trabalho para o exercício de funções públicas Artigo 6.º Noção e modalidades 3 O vínculo de emprego público reveste as seguintes modalidades: a) Contrato de trabalho em funções públicas; b) Nomeação; c) Comissão de serviço 20

21 Da Parte I interessa reter Artigo 8.º Vínculo de nomeação a) Missões genéricas e específicas das Forças Armadas em quadros permanentes; b) Representação externa do Estado; c) Informações de segurança; d) Investigação criminal; e) Segurança pública, quer em meio livre quer em meio institucional; f) Inspeção 21

22 Da Parte I interessa reter Artigo 8.º Vínculo de nomeação 3 Quando as funções referidas nas alíneas b) a f) do n.º 1 devam ser exercidas a título transitório, aplica-se, com as necessárias adaptações, o regime da presente lei para o contrato de trabalho em funções públicas a termo resolutivo (Constitui novidade em relação ao que constava no artigo 10.º da LVCR) 22

23 Da Parte I interessa reter Artigo 14.º Articulação de acordos coletivos 1 Os acordos coletivos de trabalho são articulados, devendo o acordo coletivo de carreira indicar as matérias que podem ser reguladas pelos acordos coletivos de empregador público. São acordos coletivos de trabalho o acordo coletivo de carreira e o acordo coletivo de empregador público (Os ACEEP passam a ser ACEP) 23

24 Da Parte I interessa reter 2 Na falta de acordo coletivo de carreira ou da indicação referida no número anterior, o acordo coletivo de empregador público apenas pode regular as matérias relativas a segurança e saúde no trabalho e duração e organização do tempo de trabalho, excluindo as respeitantes a suplementos remuneratórios Tal como constava no n.º 2 do artigo 343.º do RCTFP 24

25 Da Parte I interessa reter Qualquer projeto ou proposta de lei, projeto de decreto-lei ou projeto ou proposta de decreto regional relativo às matérias previstas são publicados no D.R. e no B.T.E. (n.º 2 do artigo 16.º) 25

26 Parte II Vínculo de Emprego Público (artigo 17.º a 313.º) Com quase 300 artigos divididos por 4 títulos: O Título I Trabalhador e empregador: com 3 capítulos e 32 artigos O Título II Formação do vínculo: com 2 capítulos e 22 artigos O Título III Modalidades especiais de vínculo de emprego público: com 2 capítulos e 13 artigos O Título IV Conteúdo do vínculo de emprego público: com 9 capítulos com 243 artigos 26

27 Alterações e reafirmações a destacar Parte II Vínculo de Emprego Público (artigo 17.º a 313.º) Regime de exclusividade como regra Pode acumular com outras funções públicas não remuneradas se de manifesto interesse público (n.º 1 do artigo 21.º) 27

28 Alterações e reafirmações a destacar Regime de exclusividade como regra no entanto pode acumular com outras funções públicas remuneradas, desde que a acumulação revista manifesto interesse público e apenas nos seguintes casos: a) Participação em comissões ou grupos de trabalho; b) Participação em conselhos consultivos e em comissões de fiscalização ou outros órgãos colegiais ; c) Atividades docentes ou de investigação de duração ; d) Realização de conferências, palestras, ações de formação de curta duração e outras atividades de idêntica natureza. (parte do n.º 2 do artigo 21.º) 28

29 Alterações e reafirmações a destacar Regime de exclusividade como regra não podendo acumular com funções de atividade privada, a menos que: Não seja legalmente incompatível Não sobreponham horários Não comprometam a isenção Não prejudiquem o interesse público Desde que autorizado (parte dos artigos 22.º e 23.º) 29

30 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 34.º Exigência de nível habilitacional (mantém a excecionalidade) 2 Excecionalmente, a publicitação do procedimento pode prever a possibilidade de candidatura de quem, não sendo titular da habilitação exigida, considere dispor da formação e, ou, experiência profissionais necessárias e suficientes para a substituição daquela habilitação. 30

31 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 38.º Determinação do posicionamento remuneratório (mantém a negociação do posicionamento remuneratório) 1 Quando esteja em causa posto de trabalho relativamente ao qual a modalidade de vínculo de emprego público seja o contrato, o posicionamento do trabalhador recrutado numa das posições remuneratórias da categoria é objeto de negociação com o empregador público 31

32 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 49.º (n.º1 e parte do artigo 51.º) Duração do período experimental a) 90 dias, para os trabalhadores integrados na carreira de assistente operacional b) 180 dias, para os trabalhadores integrados na carreira de assistente técnico c) 240 dias, para os trabalhadores integrados na carreira de técnico superior 30 dias, no contrato a termo certo de duração igual ou superior a seis meses 15 dias, no contrato a termo certo de duração inferior a seis meses A duração do período experimental pode ser reduzida por instrumento de regulamentação coletiva de trabalho. (Tal como previa o artigo 78.º do RCTFP e consta no ACCG 1/2009) 32

33 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 68.º Remissão 1 Sem prejuízo do disposto na presente lei, é aplicável aos trabalhadores titulares de um vínculo de emprego público o regime previsto no Código do Trabalho em matéria de trabalho a tempo parcial e de teletrabalho. A aplicação do regime do tempo parcial e do teletrabalho a trabalhadores nomeados pode ser determinada pelo empregador mediante requerimento do trabalhador.(n.º 1 do art.º 69.º) (Trabalho a tempo parcial: 150.º ao 156.º; do Código do Trabalho) (Teletrabalho: 165.º ao 171.º também do Código do Trabalho) 33

34 Alterações e reafirmações a destacar Carreiras Tal como na LVCR Agora nos artigos 84.º a 88.º 34

35 Alterações e reafirmações a destacar Situações de mobilidade: (art.º 92.º) Na mesma modalidade de vínculo de emprego público, por tempo indeterminado ou entre ambas as modalidades Dentro do mesmo órgão ou serviço ou entre órgãos ou serviços Entre trabalhadores em efetividade de funções ou em situação de requalificação A tempo inteiro ou a tempo parcial 35

36 Alterações e reafirmações a destacar Modalidades de mobilidade: (art.º 93.º) Na categoria Inter carreiras Nas categorias 36

37 Alterações e reafirmações a destacar Formas de operar a mobilidade: (art.º 94.º) Por acordo entre órgãos ou serviços com aceitação do trabalhador Por acordo entre serviços com dispensa da aceitação do trabalhador Por decisão do serviço de destino sem acordo do de origem Por decisão entre unidades orgânicas com ou sem aceitação do trabalhador 37

38 Alterações e reafirmações a destacar Dispensa do acordo do trabalhador (art.º 95.º) Se o trabalho se situar até 60 Km do local de residência e o novo posto de trabalho se situe no concelho da residência ou nos confinantes de Lisboa e Porto, para técnicos superiores. Reduzido para 30 Km no caso de assistentes técnicos e assistentes operacionais. 38

39 Alterações e reafirmações a destacar Dispensa do acordo do serviço de origem (art.º 96.º) Se para unidade orgânica fora de Lisboa e Porto Se tiverem decorrido 6 meses sobre recusa de mobilidade do mesmo trabalhador 39

40 Alterações e reafirmações a destacar Duração da mobilidade (art.º 97.º) 18 meses excepto na Assembleia da República ou em serviços que não podem admitir por contrato por tempo indeterminado Pode ser prorrogado por 6 meses se estiver a decorrer procedimento concursal 40

41 Alterações e reafirmações a destacar Mobilidade para mais de 60 km (art.º 98.º - situações excecionais) Para unidades orgânicas do mesmo serviço Para funções correspondentes Por duração máxima de 1 ano Sejam atribuídas ajudas de custo Não pode ser sujeito a nova mobilidade no espaço de 2 anos a menos que aceite, mantendo direito a ajudas de custo 41

42 Alterações e reafirmações a destacar Tempo de trabalho É aplicável aos trabalhadores com vínculo de emprego público o regime do Código do Trabalho em matéria de organização e tempo de trabalho, com as necessárias adaptações e sem prejuízo do disposto nos artigos seguintes. (artigo 101.º da LTFP e a partir do artigo 197.º do Código do Trabalho) 42

43 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 105.º Limites máximos dos períodos normais de trabalho 1 O período normal de trabalho é de: a) Oito horas por dia, exceto no caso de horários flexíveis e no caso de regimes especiais de duração de trabalho. b) 40 horas por semana, sem prejuízo da existência de regimes de duração semanal inferior previstos em diploma especial e no caso de regimes especiais de duração de trabalho. O período normal de trabalho pode ser reduzido por instrumento de regulamentação coletiva de trabalho, não podendo daí resultar diminuição da retribuição dos trabalhadores. 43

44 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 106.º Adaptabilidade 1 São aplicáveis aos trabalhadores com contrato de trabalho em funções públicas os regimes de adaptabilidade, individual e grupal e os regimes de banco de horas, individual e grupal, previstos no Código do Trabalho, com as necessárias adaptações. (prevista do artigo 204.º a 208-B do Código do Trabalho) 44

45 Alterações e reafirmações a destacar Modalidades de horário a) Horário flexível; b) Horário rígido; c) Horário desfasado; d) Jornada contínua; e) Trabalho por turnos. (do artigo 110.º) 45

46 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 126.º Direito a férias 1 O trabalhador tem direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho e com as especificidades dos artigos seguintes. 2 O período anual de férias tem a duração de 22 dias úteis. 3 O período de férias referido no número anterior vence -se no dia 1 de janeiro, sem prejuízo do disposto no Código do Trabalho. 4 Ao período de férias previsto no n.º 1 acresce um dia útil de férias por cada 10 anos de serviço efetivamente prestado. (Artigo 237.º e seguintes do Código do Trabalho) 46

47 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 134.º Tipos de faltas b) As motivadas por falecimento do cônjuge, parentes ou afins ; (Deixou de estar referido o grau de parentesco) (As faltas motivadas por falecimento do cônjuge, parentes ou afins, estão previstas no artigo 187.º do Código do Trabalho) 47

48 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 135.º Faltas por conta do período de férias 1 Sem prejuízo do disposto em lei especial, o trabalhador pode faltar dois dias por mês por conta do período de férias, até ao máximo de 13 dias por ano, os quais podem ser utilizados em períodos de meios dias. 48

49 Alterações e reafirmações a destacar SUBSECÇÃO II Faltas por doença e justificação da doença (artigos 136.º a 143.º) O regime das faltas por doença consta também nos artigos 15.º ao 41.º da Lei Preambular 49

50 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 147.º Tabela remuneratória única 1 A tabela remuneratória única contém a totalidade dos níveis remuneratórios suscetíveis de ser utilizados na fixação da remuneração base dos trabalhadores que exerçam funções ao abrigo de vínculo de emprego público. 2 O número de níveis remuneratórios e o montante pecuniário correspondente a cada um é fixado em portaria do Primeiro-Ministro e do membro do Governo responsável pela área das finanças. (Portaria 1553-C/2008 de 31 de dezembro) 50

51 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 149.º Fixação da remuneração base 1 Os níveis remuneratórios correspondentes às posições remuneratórias das categorias, bem como aos cargos exercidos em comissão de serviço, são fixados por decreto regulamentar. (Decreto Regulamentar n.º 14/2008, de 31 de Julho) 51

52 Alterações e reafirmações a destacar SECÇÃO III Alteração do posicionamento remuneratório (do artigo 156.º ao 158.º) (tal como constava na LVCR, alterada pela LOE) 52

53 Alterações e reafirmações a destacar CAPÍTULO VII Exercício do poder disciplinar (o estatuto disciplinar que constava na Lei 58/2008 foi transposto para esta LTFP e consta do artigo 176.º ao 240.º) 53

54 Alterações e reafirmações a destacar A reafectação a reorganização ou racionalização de efetivos e o enquadramento na requalificação que estiveram previstos na Situação de Mobilidade Especial e na Requalificação constam agora no artigos 245.º a 275.º sendo de destacar o despedimento dissimulado no n.º 2 do artigo 259.º 2 -Aos trabalhadores em regime de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado não abrangidos pelo número anterior, finda a primeira fase do processo de requalificação, aplica-se o disposto na secção III do capítulo IX. Secção III Cessação do contrato de trabalho em funções públicas na sequência do processo de reorganização de serviços e racionalização de efetivos (311.º a 313.º) = a despedimento 54

55 Alterações e reafirmações a destacar Artigo 284.º Acordo de pré-reforma 1 Considera-se pré-reforma a situação de redução ou de suspensão da prestação do trabalho em que o trabalhador com idade igual ou superior a 55 anos mantém o direito a receber do empregador público uma prestação pecuniária mensal até à data da verificação de qualquer das situações previstas no n.º 1 do artigo 287.º 2 A situação de pré-reforma constitui-se por acordo entre o empregador público e o trabalhador e depende da prévia autorização dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da Administração Pública. 55

56 Alterações e reafirmações a destacar CAPÍTULO IX Extinção do vínculo A extinção do vínculo prevista no Capítulo IX, desta Parte II, inclui: O despedimento, os direitos e deveres do empregador público e do trabalhador, as causas da caducidade do vínculo ou a extinção por acordo e as compensações devidas nas diferentes situações, nos artigos 288.º ao 313.º, com muitas remissões para o Código do Trabalho. É proibido o despedimento ou a demissão sem justa causa ou por motivos políticos ou ideológicos.(artigo 288.º) 56

57 CAPÍTULO IX Extinção do vínculo Formas Tipo Compensação Observações Termo do contrato 18 dias/ano nos 3 primeiros anos se a termo incerto 12 nos restantes n.º 2 art.º 344 do CT e 345, por remissão do 293.º da LTFP Caducidade Impossibilidade de prestar trabalho Alínea b) do art.º 291 Acordo A 30 dias da reforma, aposentação ou com 70 anos de idade Podem por portaria regulamentar programas setoriais redução de efetivos, outras condições 20 dias/ano, até 100 x RMMG ou o que receberia até à aposentação Art.º 292.º Art.º 296.º Motivos Despedimento (se invalidado) Indemnização por danos, as remunerações que deixou de receber e de 15 a 45 dias/ano Disciplinares Demissão (diferente na Comissão de serviço) Indemnização por danos, as remunerações que deixou de receber e de 15 a 45 dias/ano mais o vencimento que faltava até fim da comissão Com aviso prévio Se não avisar no prazo previsto 30 ou 60 dias com até 2 ou mais anos de serviço Indemniza com remuneração base x período em falta Art.º 301.º n.º 3 do Art.º 301.º Art.º 304.º e 306.º Justa causa Causas definidas no artigo 307.º 30 a 60 dias/ano nunca inferior a 3 salários Art.º 309.º Reorganização dos serviços Racionalização de efetivos 12 dias/ano Art.º 366.º do Código do Trabalho 57

58 Alvo da 2.ª parte da apresentação da LTFP na Torre do Tombo em 14 de julho PARTE III Direito coletivo ( artigo 314.º a 406.º) 58

59 Alguns destaques TÍTULO I Estruturas de representação coletiva dos trabalhadores é aplicável o regime do Código do Trabalho, com as necessárias adaptações e as especificidades constantes da presente lei. sem prejuízo das restrições estabelecidas em lei especial. (Artigo 404.º(do C.T.) Estruturas de representação coletiva dos trabalhadores) 59

60 Alguns destaques Artigo 316.º Faltas As ausências a que se referem os números anteriores são comunicadas, pelo trabalhador ou estrutura de representação coletiva em que se insere, por escrito, com um dia de antecedência, com referência às datas e ao número de dias de que os respetivos trabalhadores necessitam para o exercício das suas funções, ou, em caso de impossibilidade de previsão, nas 48 horas imediatas ao primeiro dia de ausência. ( No n.º 3 do artigo 408 do C.T. é com dois dias de antecedência) 60

61 Alguns destaques Artigo 318.º Proteção em caso de mobilidade 1 Os trabalhadores eleitos para as estruturas de representação coletiva, bem como na situação de candidatos, até dois anos após o fim do respetivo mandato, não podem ser mudados de local de trabalho sem o seu acordo expresso e sem audição da estrutura a que pertencem. 2 O disposto no número anterior não é aplicável quando a mudança de local de trabalho resultar da mudança de instalações do órgão ou serviço ou decorrer de normas legais aplicáveis a todos os seus trabalhadores. 61

62 Alguns destaques CAPÍTULO II Comissões de trabalhadores (artigo 320.º a 336.º) 62

63 Alguns destaques Artigo 323.º Crédito de horas de membros das comissões 1 Para o exercício da sua atividade, o membro das seguintes estruturas tem direito ao seguinte crédito mensal de horas: a) Subcomissões de trabalhadores, oito horas; b) Comissões de trabalhadores, 25 horas; c) Comissões coordenadoras, 20 horas. 2 Nos órgãos ou serviços com menos de 50 trabalhadores, o crédito de horas referido no número anterior é reduzido a metade 63

64 Alguns destaques CAPÍTULO III Associações sindicais (artigo 337.º a 346.º) 64

65 Alguns destaques TÍTULO II Negociação coletiva (do artigo 347.º ao 393.º) 65

66 Alguns destaques Artigo 347.º Direito de negociação coletiva O direito de negociação coletiva dos trabalhadores é exercido exclusivamente pelas associações sindicais que, nos termos dos respetivos estatutos, representem interesses de trabalhadores em funções públicas e se encontrem devidamente registadas. 66

67 Alguns destaques Instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho só podem dispor sobre: a) Suplementos remuneratórios; b) Sistemas de recompensa do desempenho; c) Sistemas adaptados e específicos de avaliação do desempenho; d) Regimes de duração e organização do tempo de trabalho; e) Regimes de mobilidade; f) Ação social complementar. ( do artigo 355.º) 67

68 Da Parte I lembremos que retivemos Artigo 14.º Articulação de acordos coletivos 1 Os acordos coletivos de trabalho são articulados, devendo o acordo coletivo de carreira indicar as matérias que podem ser reguladas pelos acordos coletivos de empregador público. São acordos coletivos de trabalho o acordo coletivo de carreira e o acordo coletivo de empregador público (Os ACEEP passam a ser ACEP) 68

69 Da Parte I lembremos que retivemos 2 Na falta de acordo coletivo de carreira ou da indicação referida no número anterior, o acordo coletivo de empregador público apenas pode regular as matérias relativas a segurança e saúde no trabalho e duração e organização do tempo de trabalho, excluindo as respeitantes a suplementos remuneratórios Tal como constava no n.º 2 do artigo 343.º do RCTFP 69

70 A necessidade de formação sindical é agora maior Programar formação Divulgar a Lei Atualizar o manual do Delegado Sindical Obrigado 70

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO DE TRABALHO I. Enquadramento Geral A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas entrou em vigor no dia 1 de agosto de 2014. A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (adiante designada por LTFP) aprovada

Leia mais

VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR

VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR (Com subordinação trabalho dependente) Modalidades art.º 9º Nomeação âmbito (Inexistente nas autarquias locais) Contrato: - Âmbito (art.º 20º) e modalidades (art.º

Leia mais

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS Lei nº 35/2014, de 20 de junho LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS Artigo A Aceitação da nomeação 42º Acordo coletivo de trabalho 359º a 377º Acordo coletivos 13º e 14º Acordo coletivo de trabalho

Leia mais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais CÓDIGO DO TRABALHO Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Fontes e aplicação do direito do trabalho CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito

Leia mais

Comentário. Regime Disciplinar dos Trabalhadores em Funções Públicas

Comentário. Regime Disciplinar dos Trabalhadores em Funções Públicas Raquel Carvalho Professora auxiliar da Faculdade de Direito Escola do Porto Universidade Católica Portuguesa Investigadora e membro integrado do Catolica Research Centre for the Future Of Law Centro de

Leia mais

C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017

C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A.S.P.A.S C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A Lei n.º 42/2016, de 28 de dezembro aprovou o Orçamento do Estado para 2017. A partir de 1 de janeiro de 2017, deve ter atenção às seguintes

Leia mais

Projeto de elaboração de uma LEI DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS

Projeto de elaboração de uma LEI DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS Projeto de elaboração de uma LEI DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS A quantidade e complexidade de diplomas referentes aos trabalhadores em funções públicas e à organização da Administração Pública, bem como

Leia mais

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Formador: Carlos Varandas Nunes Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Apresentação Carlos Varandas Nunes 46 anos Mestre em Gestão- Administração Pública Organização da Formação Dúvidas que me fizeram

Leia mais

A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. A extinção do vínculo de emprego público

A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas. A extinção do vínculo de emprego público A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas A extinção do vínculo de emprego público Lisboa e Porto, Outubro e Novembro de 2015 Extinção do vínculo 2 A cessação na TFP LTFP Caducidade Art.º 291.º Caducidade

Leia mais

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS Quidgest rh@quidgest.com AGENDA: Q Q Q Q Q Q Q Q Q Q REMISSÃO CÓDIGO DO TRABALHO TRABALHO SUPLEMENTAR FÉRIAS, FALTAS E FERIADOS SUBSÍDIO NATAL E FÉRIAS DECLARAÇÃO MENSAL DE

Leia mais

ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES

ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES Ex.mo(a) Senhor(a) Nome n.º, com relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado/termo resolutivo desta Câmara Municipal, com a carreira/categoria de e afeto ao setor,

Leia mais

I PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO PARA ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES

I PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO PARA ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES REGISTO DE ENTRADA MUNICÍPIO DE FAFE Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal De Fafe I PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO PARA ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES, trabalhador com relação jurídica de emprego público a tempo indeterminado

Leia mais

NOTAS SOBRE A LEI N.º 59/2008, DE 11 DE SETEMBRO

NOTAS SOBRE A LEI N.º 59/2008, DE 11 DE SETEMBRO NOTAS SOBRE A LEI N.º 59/2008, DE 11 DE SETEMBRO O corpo da Lei n.º 59/2008, de 11 de Setembro, que aprovou o Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas, aplicável também ao pessoal docente da

Leia mais

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA ÍNDICE PREFÁCIO 7 NOTA PRÉVIA 9 SIGLAS UTILIZADAS 13 Capo I - Algumas considerações introdutórias. A relação jurídica de emprego público na Administração Pública 15 Capo II - Âmbito de aplicação subjectivo

Leia mais

Sumário: Institui e regula o sistema de requalificação dos trabalhadores em funções públicas. Exposição de motivos

Sumário: Institui e regula o sistema de requalificação dos trabalhadores em funções públicas. Exposição de motivos Anteprojeto de proposta de lei n.º /2013 Sumário: Institui e regula o sistema de requalificação dos trabalhadores em funções públicas Exposição de motivos A Lei n.º 53/2006, de 7 de dezembro, estabeleceu

Leia mais

Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017

Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017 Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A partir de 1 de janeiro de 2017, por força da entrada em vigor do Orçamento do Estado para o ano de 2017, aprovado pela

Leia mais

Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n.º 23/98, de 26 de Maio. Artigo 1.º Objecto

Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n.º 23/98, de 26 de Maio. Artigo 1.º Objecto ( ) Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n.º 23/98, de 26 de Maio. Assim: Ao abrigo do disposto no artigo 101º da Lei 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, e nos termos da alínea a) do n.º 1 do

Leia mais

ADAPTA A LEI N.º 12-A/2008, DE 2/2, AOS TRABALHADORES QUE EXERCEM FUNÇÕES PÚBLICAS NA AP

ADAPTA A LEI N.º 12-A/2008, DE 2/2, AOS TRABALHADORES QUE EXERCEM FUNÇÕES PÚBLICAS NA AP Página 1 de 7 [ Nº de artigos:20 ] DL n.º 209/2009, de 03 (versão actualizada) ADAPTA A LEI N.º 12-A/2008, DE 2/2, AOS TRABALHADORES QUE EXERCEM FUNÇÕES PÚBLICAS NA AP Contém as seguintes alterações: -

Leia mais

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0 Página 0 Regime de Faltas e Licenças e seus Efeitos Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (LTFP) Todas as ausências ao serviço têm que ser obrigatoriamente comunicadas ao superior hierárquico, com antecedência,

Leia mais

Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro Regula os efeitos jurídicos dos períodos de prestação de serviço militar de antigos combatentes para efeitos de atribuição dos benefícios previstos nas Leis n. os 9/2002,

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ DGPGF / 2013

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ DGPGF / 2013 OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ DGPGF / 2013 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2013/ janeiro / 08 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2013

Leia mais

Novo estatuto do gestor público

Novo estatuto do gestor público Decreto Lei n.º 71/2007, de 27 de março Novo estatuto do gestor público CAPÍTULO I Âmbito Artigo 1.º Gestor público 1 Para os efeitos do presente decreto lei, considera se gestor público quem seja designado

Leia mais

REFORMAS INSTITUCIONAIS IMPLICAÇÕES LABORAIS

REFORMAS INSTITUCIONAIS IMPLICAÇÕES LABORAIS REFORMAS INSTITUCIONAIS IMPLICAÇÕES LABORAIS CARREIRA ENFERMAGEM SERVIÇO REGIONAL DE SAÚDE 2 Com a publicação da Lei de Bases da Saúde em agosto de 1990, a região consolida os princípios que permitiram

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2014/ Janeiro / 28 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2014

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGIME DA MOBILIDADE GERAL

ALTERAÇÕES AO REGIME DA MOBILIDADE GERAL mobilidade geral encontra-se regulada nos artigos 59.º a 65.º da Lei nº 12-/2008, de 27 de fevereiro (LVCR), que define e regula os regimes de vinculação de carreiras e de remunerações dos trabalhadores

Leia mais

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II Leis do Trabalho Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO Atualização online II A entrada em vigor da Lei n. 120/2015, de 1 de setembro, obriga à reformulação das perguntas 34, 46, 110 e 112 e dos Anexos

Leia mais

AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO

AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 2012, Outubro, 29 LEI Nº 23/2012, 25 DE JUNHO 2 ORGANIZAÇÃO DOS TEMPOS DE TRABALHO 3 1 BANCO DE HORAS 4 Lei nº 23/2012, 25 Junho Artigo 208º-A A partir de 1 de Agosto

Leia mais

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações ÍNDICE 01 Acórdão n.º 602/2013, de 20 de Setembro, do Tribunal Constitucional Consequências 02 Lei n.º 69/2013, de 30 de Agosto Compensações

Leia mais

Trata-se de uma situação excecional para vigorar apenas no ano em curso.

Trata-se de uma situação excecional para vigorar apenas no ano em curso. PL 157/2013 Exposição de Motivos Na sequência da decisão do Tribunal Constitucional sobre o Orçamento do Estado do ano de 2012, a Lei do Orçamento do Estado para 2013 estabeleceu que um dos subsídios anteriormente

Leia mais

Lei n.º 75/2014 de 12 de setembro Estabelece os mecanismos das reduções remuneratórias temporárias e as condições da sua reversão

Lei n.º 75/2014 de 12 de setembro Estabelece os mecanismos das reduções remuneratórias temporárias e as condições da sua reversão Lei n.º 75/2014 de 12 de setembro Estabelece os mecanismos das reduções remuneratórias temporárias e as condições da sua reversão A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2014

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2014 NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2014 ASSUNTO: Alterações do Classificador Económico de Despesas Na elaboração das requisições de pessoal do corrente ano de 2014 deverá ter-se em atenção as presentes orientações:

Leia mais

Mobilidade Geral no âmbito das autarquias locais. Pedro Madeira de Brito

Mobilidade Geral no âmbito das autarquias locais. Pedro Madeira de Brito Mobilidade Geral no âmbito das autarquias locais Pedro Madeira de Brito 1 Conceito de Mobilidade Mobilidade em sentido amplo designa qualquer alteração na situação jurídico funcional do trabalhador. A

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

SUMÁRIO: Estabelece o regime jurídico do trabalho no domicílio TEXTO INTEGRAL

SUMÁRIO: Estabelece o regime jurídico do trabalho no domicílio TEXTO INTEGRAL DATA: Terça-feira, 8 de Setembro de 2009 NÚMERO: 174 SÉRIE I EMISSOR: Assembleia da República DIPLOMA / ACTO: Lei n.º 101/2009 SUMÁRIO: Estabelece o regime jurídico do trabalho no domicílio TEXTO INTEGRAL

Leia mais

REGULAMENTO DO HORÁRIO DE TRABAHO DO PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE S. SEBASTIÃO

REGULAMENTO DO HORÁRIO DE TRABAHO DO PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE S. SEBASTIÃO Regulamento do Horário de Trabalho do Pessoal da Junta de Freguesia de S. Sebastião Artigo 1º Âmbito de aplicação O horário de trabalho do pessoal da Junta de Freguesia de S. Sebastião (Setúbal), qualquer

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 8 de setembro de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 161/2015 Estabelece a Medida Incentivo

Leia mais

Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001

Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001 Nº. Pauta 202.16 RECURSOS HUMANOS Assunto: ESCALAS DE SERVIÇO Referência: Distribuição: todas as unidades de estrutura Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001 Entrada em vigor: 15/06/2005

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 42/08. de 3 de Julho

REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 42/08. de 3 de Julho REPÚBLICA DE ANGOLA CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 42/08 de 3 de Julho Considerando que a protecção social obrigatória compreende, além do regime dos trabalhadores por conta de outrem, o regime dos

Leia mais

REGIME ESPECIAL DE PASSAGEM À RESERVA E DE REFORMA DO PESSOAL DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA (DECRETO-LEI N.º 159/2005, DE 20 DE SETEMBRO)

REGIME ESPECIAL DE PASSAGEM À RESERVA E DE REFORMA DO PESSOAL DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA (DECRETO-LEI N.º 159/2005, DE 20 DE SETEMBRO) REGIME ESPECIAL DE PASSAGEM À RESERVA E DE REFORMA DO PESSOAL DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA (DECRETO-LEI N.º 159/2005, DE 20 DE SETEMBRO) Atualizado pela última vez em 31 de dezembro de 2012 Decreto-Lei

Leia mais

Decreto-Lei n.º 235/2005, de 30 de dezembro *

Decreto-Lei n.º 235/2005, de 30 de dezembro * Decreto-Lei n.º 235/2005, de 30 de dezembro * Pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 110/2005, de 30 de junho, determinou o Governo que se procedesse à revisão dos regimes especiais de reforma e aposentação

Leia mais

REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO)

REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO) REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO) Atualizado pela última vez em 6 de março de 2014 Decreto-Lei n.º 223/95, de 8

Leia mais

Exmo. Senhor (Nome e morada)

Exmo. Senhor (Nome e morada) Exmo. Senhor (Nome e morada) Na sequência da reclamação apresentada em (data de apresentação da reclamação), do acto de processamento do seu vencimento, relativo ao mês de Janeiro de 2011, e em resposta

Leia mais

PES/Subsídio de turno. Férias.

PES/Subsídio de turno. Férias. Informação n.º ID 1487852 Proc. n.º 2013.09.11.3965 Data 2013.11.20 Assunto PES/Subsídio de turno. Férias. Pelo Exº Senhor Presidente da Câmara Municipal foi solicitado parecer acerca do pagamento de subsídio

Leia mais

NOTA INFORMATIVA. ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações

NOTA INFORMATIVA. ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações NOTA INFORMATIVA ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações Considerando o disposto na Lei n.º 83-C/2013, de 31 de dezembro, diploma que aprova o Orçamento de Estado para 2014, cumpre

Leia mais

Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: ( ) Artigo 116.º Alteração ao Código dos Regimes Contributivos

Leia mais

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Proposta de Alteração PROPOSTA DE LEI N.º 103/XII ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2013 Capítulo I Aprovação do Orçamento Artigo 7.º Transferências orçamentais

Leia mais

GUIA PRÁTICO REGIME DE PROTEÇÃO SOCIAL DE TRABALHADORES EM FUNÇÕES PÚBLICAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REGIME DE PROTEÇÃO SOCIAL DE TRABALHADORES EM FUNÇÕES PÚBLICAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REGIME DE PROTEÇÃO SOCIAL DE TRABALHADORES EM FUNÇÕES PÚBLICAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Regime de Proteção Social de Trabalhadores em Funções Públicas

Leia mais

DECRETO N.º 32/VIII. Artigo 1.º. Os artigos 2.º, 9.º e 20.º do Decreto-Lei n.º 236/99 de 25 de Junho passam a ter a seguinte redacção: "Artigo 2º

DECRETO N.º 32/VIII. Artigo 1.º. Os artigos 2.º, 9.º e 20.º do Decreto-Lei n.º 236/99 de 25 de Junho passam a ter a seguinte redacção: Artigo 2º DECRETO N.º 32/VIII PRIMEIRA ALTERAÇÃO, POR APRECIAÇÃO PARLAMENTAR, DO DECRETO-LEI N.º 236/99, DE 25 DE JUNHO QUE "APROVA O NOVO ESTATUTO DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS" A Assembleia da República decreta,

Leia mais

NOVAS REGRAS DO TRABALHO. Funchal, 27 de Setembro de 2012

NOVAS REGRAS DO TRABALHO. Funchal, 27 de Setembro de 2012 NOVAS REGRAS DO TRABALHO Funchal, 27 de Setembro de 2012 Lei 23/2012, de 15 de Junho (altera Código do Trabalho) (início vigência 1 de Agosto de 2012) OBRIGAÇÕES ADMINISTRATIVAS Cátia Henriques Fernandes

Leia mais

DECRETO N.º 224/XII. Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas

DECRETO N.º 224/XII. Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas DECRETO N.º 224/XII Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º Objeto A presente lei aprova

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS DL 659/2008 2008.11.14 A Lei 12-A/2008, de 27 de Fevereiro, que consagra os regimes de vinculação, de carreiras e remunerações dos trabalhadores que exercem funções públicas vem estabelecer novos e mais

Leia mais

Código do Trabalho e Acórdão do Tribunal Constitucional

Código do Trabalho e Acórdão do Tribunal Constitucional Código do Trabalho e Acórdão do Tribunal Constitucional O Acórdão do Tribunal Constitucional nº 602/2013, de 20 de Setembro considerou inconstitucionais, com força obrigatória geral e com efeitos reportados

Leia mais

Decreto-Lei n.º 157/2005, de 20 de setembro

Decreto-Lei n.º 157/2005, de 20 de setembro Decreto-Lei n.º 157/2005, de 20 de setembro Pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 110/2005, de 2 de junho, determinou o Governo que se procedesse à revisão dos regimes especiais de reforma e de aposentação,

Leia mais

A CONTRATAÇÃO COLECTIVA NO SECTOR

A CONTRATAÇÃO COLECTIVA NO SECTOR A CONTRATAÇÃO COLECTIVA NO SECTOR e o 1 O Novo Código O Novo Código A Contratação no sector e o O actual Código foi aprovado pela Lei n.º 7/2009 de 12 de Fevereiro e veio proceder a uma revisão global

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES EM 2013 Tendo em atenção a necessidade de obtenção de melhores indicadores de gestão, que permitam

Leia mais

DIPLOMA DA CARREIRA DE TÉCNICO DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA EM RELAÇÃO JURÍDICA DE EMPREGO PÚBLICO

DIPLOMA DA CARREIRA DE TÉCNICO DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA EM RELAÇÃO JURÍDICA DE EMPREGO PÚBLICO DIPLOMA DA CARREIRA DE TÉCNICO DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA EM RELAÇÃO JURÍDICA DE EMPREGO PÚBLICO O processo de revisão de carreiras especiais da saúde constitui uma necessidade no quadro mais amplo da

Leia mais

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte:

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte: Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO GESTÃO RECURSOS HUMANOS A autarquia refere o seguinte: QUESTÃO Dispõe o artigo 28.º n.º 2 da Lei 66-B/2012, de 31 de Dezembro (Orçamento de Estado

Leia mais

Regime das Condições de Prestação e de Disciplina do Trabalho da Autoridade Reguladora para a Comunicação Social

Regime das Condições de Prestação e de Disciplina do Trabalho da Autoridade Reguladora para a Comunicação Social REPÚBLICA DE CABO VERDE AUTORIDADE REGULADORA PARA A COMUNICAÇÃO SOCIAL Prédio Novo Banco, 2º Andar Achada Santo António - Praia Telefone: 2623342 e-mail: arccv2015@gmail.com Regime das Condições de Prestação

Leia mais

CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº Código do Trabalho

CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº Código do Trabalho CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Código do Trabalho (2009) Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática, Lda. É expressamente proibido

Leia mais

DECRETO N.º 187/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 187/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 187/XII Estabelece mecanismos de convergência do regime de proteção social da função pública com o regime geral da segurança social, procedendo à quarta alteração à Lei n.º 60/2005, de 29 de

Leia mais

[REVISÃO DO DECRETO - LEI N.º 132/2012, DE 27 DE JUNHO]

[REVISÃO DO DECRETO - LEI N.º 132/2012, DE 27 DE JUNHO] [REVISÃO DO DECRETO - LEI N.º 132/2012, DE 27 DE JUNHO] [preâmbulo] Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas. Foi ouvido o Conselho das Escolas. Foram observados os procedimentos

Leia mais

Lei n.º 53/2011. de 14 de Outubro

Lei n.º 53/2011. de 14 de Outubro Lei n.º 53/2011 de 14 de Outubro Procede à segunda alteração ao Código do Trabalho, aprovado em anexo à Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro, estabelecendo um novo sistema de compensação em diversas modalidades

Leia mais

Decreto-Lei n.º 11/2012, de 20 de janeiro. Artigo 1.º. Objeto

Decreto-Lei n.º 11/2012, de 20 de janeiro. Artigo 1.º. Objeto Decreto-Lei n.º 11/2012, de 20 de janeiro Estabelece a natureza, a composição, a orgânica e o regime jurídico a que estão sujeitos os gabinetes dos membros do Governo Artigo 1.º Objeto 1 - O presente decreto-lei

Leia mais

REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS INVESTIGADORES DO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA. Preâmbulo

REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS INVESTIGADORES DO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA. Preâmbulo REGULAMENTO DE ASSIDUIDADE DOS INVESTIGADORES DO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA Preâmbulo O presente regulamento é elaborado ao abrigo do artigo 75º da Lei Geral do Trabalho em Funções Publicas, aprovado

Leia mais

INFORMAÇÃO INTERNA SOBRE AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO EMFAR

INFORMAÇÃO INTERNA SOBRE AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO EMFAR INFORMAÇÃO INTERNA SOBRE AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO EMFAR A Diretiva Ministerial para a reforma estrutural na Defesa Nacional e nas Forças Armadas, aprovada pelo Despacho n.º 7527-A/2013, de 31 de maio,

Leia mais

Lei 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro.

Lei 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro. Lei 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro. A Lei 23/2012, de 25 de Junho, procede à terceira alteração ao Código

Leia mais

CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas. João Santos

CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas. João Santos CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas João Santos Enquadramento Legal Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social (CC) Aprovado pela Lei n.º 110/2009,

Leia mais

Cumpre, pois, informar:

Cumpre, pois, informar: Da possibilidade de dispensa do período experimental de 240 dias de trabalhador integrado na carreira de informática que exerceu funções em regime de mobilidade interna intercarreiras Pelo Exº Senhor Presidente

Leia mais

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º.

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º. ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE (Lei nº 99/2003, de 27 de Agosto) CAPÍTULO I SECÇÃO II Preâmbulo Subsecção VIII Trabalhador-Estudante Artº 17º Trabalhador-estudante O disposto nos

Leia mais

Diploma. Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas

Diploma. Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas Diploma Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas Lei n.º 35/2014 de 20 de junho Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da

Leia mais

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Junho de 2012

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Junho de 2012 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO Junho de 2012 CONTRATO DE TRABALHO A TERMO DE MUITO CURTA DURAÇÃO CONTRATO DE TRABALHO A TERMO DE MUITO CURTA DURAÇÃO Prazo inicial de 15 dias 70 dias, no mesmo

Leia mais

SUBVENÇÃO MENSAL VITALÍCIA DOS EX-TITULARES DE DIVERSOS CARGOS POLÍTICOS (LEI N.º 4/85, DE 9 DE ABRIL)

SUBVENÇÃO MENSAL VITALÍCIA DOS EX-TITULARES DE DIVERSOS CARGOS POLÍTICOS (LEI N.º 4/85, DE 9 DE ABRIL) SUBVENÇÃO MENSAL VITALÍCIA DOS EX-TITULARES DE DIVERSOS CARGOS POLÍTICOS (LEI N.º 4/85, DE 9 DE ABRIL) Atualizado pela última vez em 10 de outubro de 2005 Lei n.º 4/85, de 9 de abril * A Assembleia da

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

IV Jornadas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho 1 de junho de 2016 TEMA: QUAIS AS OBRIGAÇÕES DE EMPREGADORES/TRABALHADORES EM MATÉRIA DE SHST?

IV Jornadas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho 1 de junho de 2016 TEMA: QUAIS AS OBRIGAÇÕES DE EMPREGADORES/TRABALHADORES EM MATÉRIA DE SHST? IV Jornadas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho 1 de junho de 2016 TEMA: QUAIS AS OBRIGAÇÕES DE EMPREGADORES/TRABALHADORES EM MATÉRIA DE SHST? QUAIS AS OBRIGAÇÕES DE EMPREGADORES/TRABALHADORES EM

Leia mais

De destacar, a obrigatoriedade de igualdade de tratamento, pelo Empregador, entre o Trabalhador Nacional e o Trabalhador Estrangeiro.

De destacar, a obrigatoriedade de igualdade de tratamento, pelo Empregador, entre o Trabalhador Nacional e o Trabalhador Estrangeiro. O Decreto n.º 6/01, de 19 de Janeiro aprova o Regulamento Sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente, quer no sector público, quer no sector privado, tendo entrado

Leia mais

RIO CORGO MAYA KOSA & SÉRGIO DA COSTA O SOM E A FÚRIA

RIO CORGO MAYA KOSA & SÉRGIO DA COSTA O SOM E A FÚRIA RIO CORGO MAYA KOSA & SÉRGIO DA COSTA O SOM E A FÚRIA BALANÇO SOCIAL 2015 ÍNDICE Página I. NOTA INTRODUTÓRIA 3 II. ORGANIGRAMA 3 III. BALANÇO SOCIAL 3 III.1 Recursos Humanos 4 III.2 Remunerações e Encargos

Leia mais

BALANÇO SOCIAL ANSR

BALANÇO SOCIAL ANSR BALANÇO SOCIAL ANSR 2014 1 Conteúdo I-Introdução... 2 II-Caracterização dos recursos humanos da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária a 31 de dezembro de 2014... 3 1.Relação Jurídica de emprego por

Leia mais

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9 ÍNDICE NOTA PRÉVIA.............. 5 ABREVIATURAS 9.' 1.0 Direito do Trabalho: o quê, porquê e para quê?................... 11 2. Noção, objecto e características gerais do Direito do Trabalho....... 21

Leia mais

PARECER JURÍDICO N.º 47 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS

PARECER JURÍDICO N.º 47 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS QUESTÃO A Junta de Freguesia pretende saber o seguinte: 1. O regime de incompatibilidades do art. 78.º do Estatuto da

Leia mais

Proposta de Lei n.º. Artigo 1º Objeto

Proposta de Lei n.º. Artigo 1º Objeto Proposta de Lei n.º Assim: Nos termos da alínea d) do nº 1 do artigo 197º da Constituição, o Governo apresenta à Assembleia da República a seguinte proposta de lei: Artigo 1º Objeto 1 - A presente lei

Leia mais

TÍTULO I Diário da República, 1.ª série N.º de junho de 2014 PARTE I. Âmbito

TÍTULO I Diário da República, 1.ª série N.º de junho de 2014 PARTE I. Âmbito 3228 Diário da República, 1.ª série N.º 117 20 de junho de 2014 ANEXO (a que se refere o artigo 2.º) Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas PARTE I Disposições gerais TÍTULO I Âmbito Artigo 1.º Âmbito

Leia mais

PARTIDOCOMUNISTAPORTUGUÊS GrupoParlamentar Projeto de Lei n.º 561/XIII/2.ª

PARTIDOCOMUNISTAPORTUGUÊS GrupoParlamentar Projeto de Lei n.º 561/XIII/2.ª PARTIDOCOMUNISTAPORTUGUÊS GrupoParlamentar Projeto de Lei n.º 561/XIII/2.ª Fixa o regime de atribuição e os montantes dos acréscimos em suplementos e outras compensações que se fundamentem na prestação

Leia mais

Diploma. Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas

Diploma. Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas Diploma Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas Lei n.º 35/2014 de 20 de junho Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL OU ISENÇÃO TOTAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES - 1º EMPREGO, DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO E DESEMPREGADO DE MUITO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA

Leia mais

LINHAS GERAIS. Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações (LVCR) Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

LINHAS GERAIS. Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações (LVCR) Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro LINHAS GERAIS DA Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações (LVCR) Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro Arnaldo Azevedo 1 Quadros e carreiras Vínculos Mobilidade Regime remuneratório rio 2 Quadro de pessoal

Leia mais

PARECER JURÍDICO N.º 31 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS

PARECER JURÍDICO N.º 31 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS QUESTÃO A autarquia refere que teve ao seu serviço uma trabalhadora com a categoria de Coordenadora Técnica, da carreira

Leia mais

ADSE - BENEFICIÁRIOS

ADSE - BENEFICIÁRIOS QUEM SE PODE INSCREVER NA ADSE? Podem ser inscritos na ADSE: Os trabalhadores com relação jurídica de emprego público da administração central, regional e local, desde que estejam inscritos na Caixa Geral

Leia mais

Estatuto de trabalhador-estudante

Estatuto de trabalhador-estudante Diplomas consolidados Estatuto de trabalhador-estudante DGAJ-DF - 2013 Direção-Geral da Administração da Justiça Estatuto de Trabalhador-Estudante VERSÃO ATUALIZADA O regime do trabalhador-estudante aplica-se

Leia mais

NOTA JUSTIFICATIVA. A Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, que aprovou a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas,

NOTA JUSTIFICATIVA. A Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, que aprovou a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, Coimbra, janeiro 2017 NOTA JUSTIFICATIVA A Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, que aprovou a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, abreviadamente designada por LTFP veio regular o vínculo de trabalho

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 16 de Maio de 2011 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE EQUIPARAÇÃO A BOLSEIRO Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define as condições da atribuição

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 22 de outubro de Série. Número 159

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 22 de outubro de Série. Número 159 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 22 de outubro de 2014 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho Normativo n.º 8/2014 Aprova o Regulamento do Horário de Trabalho

Leia mais

regime de proteção social convergente

regime de proteção social convergente Pelo Senhor Presidente foi solicitado um parecer acerca dos efeitos das faltas por doença prolongada no direito a férias dos trabalhadores integrados no regime de proteção social convergente. Cumpre, pois,

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. DATA: 2011/01/07 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2011 Face à Lei nº

Leia mais

Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente

Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente e-mail: geral@info-angola.com portal: www.info-angola.com Página 1

Leia mais

Ora, regem os artigos 21.º e 25.º da LOE o seguinte:

Ora, regem os artigos 21.º e 25.º da LOE o seguinte: Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça n.º353/2012, que: a) Declara a inconstitucionalidade, com força obrigatória geral, das normas constantes dos artigos 21.º e 25.º da Lei n.º 64-B/2011, de 30 de dezembro

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 47/2015 de 27 de Março de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 47/2015 de 27 de Março de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 47/2015 de 27 de Março de 2015 A Resolução do Conselho do Governo n.º 18/2013, de 19 de fevereiro, alterada e republicada pela Resolução do Conselho

Leia mais

[REVISÃO DO DECRETO - LEI N.º 132/2012, DE 27 DE JUNHO]

[REVISÃO DO DECRETO - LEI N.º 132/2012, DE 27 DE JUNHO] [REVISÃO DO DECRETO - LEI N.º 132/2012, DE 27 DE JUNHO] [preâmbulo] Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas. Foi ouvido o Conselho das Escolas. Foram observados os procedimentos

Leia mais

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro A Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro criou a medida Contrato-Emprego, a qual consiste na concessão, à entidade empregadora, de um apoio

Leia mais

INFORMAÇÕES O exame tem a duração de 45 minutos (Grupo I) à qual acrescem 15 minutos para cada segunda parte a realizar.

INFORMAÇÕES O exame tem a duração de 45 minutos (Grupo I) à qual acrescem 15 minutos para cada segunda parte a realizar. Concurso N.º:... Referência:... Prova de Conhecimentos Data: 30 de Junho de 2016 Nome:... B. I. nº... Assinatura do Vigilante:... ANTES DE RESPONDER, LEIA ATENTAMENTE O SEGUINTE: INFORMAÇÕES O exame tem

Leia mais