QUÍMICA. MASSAS MOLARES Elemento Químico H Be B C N O F Na Al Si P S. Número Atômico. Elemento Químico. Massa Molar (g/mol) Número Atômico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUÍMICA. MASSAS MOLARES Elemento Químico H Be B C N O F Na Al Si P S. Número Atômico. Elemento Químico. Massa Molar (g/mol) Número Atômico"

Transcrição

1 QUÍMICA CNSTANTES Constante de Avogrado = 6,0 x 10 3 mol 1 Constante de Faraday = 9,65 x 10 4 mol 1 Volume molar de gás inicial =,4 L (CNTP) Carga elementar = 1,60 x C Constante dos gases (R) = 8,1 x 10 atm L K 1 mol 1 8,31 J K 1 mol 1 6,4 mmg L K 1 mol 1 1,98 cal mol 1 K 1 DEFINIÇÕES Condições normais de temperatura e pressão (CNTP): 0 C e 760 mmg. Condições ambientes: 5 C e 1 atm. Condições-padrão: 5 C, 1 atm, concentração das soluções: 1 mol/l (rigorosamente: atividade unitária das espécies), sólido com estrutura cristalina mais estável nas condições de pressão e temperatura em questão. (s) ou (c) = sólido cristalino; (l) = líquido; (g) = gás; (aq) = aquoso; (CM) = Circuito Metálico. MASSAS MLARES Elemento Químico Be B C N F Na Al Si P S Número Atômico Massa Molar (g/mol) Elemento Químico Número Atômico Massa Molar (g/mol) 35,45 39,95 39,10 5,00 54,94 78,96 79,91 83,80 107,87 118,71 16,90 07, ,01 9,01 10,81 1,01 14,01 16,00 19,00,99 6,98 8,09 30,97 3,06 C Ar K Cr Mn Se Br Kr Ag Sn I Pb

2 As questões de 01 a 0 NÃ devem ser resolvidas no caderno de soluções. Para respondê-las, marque a opção escolhida para cada questão na folha de leitura óptica e na folha de leitura óptica e na reprodução da folha de leitura óptica (que se encontra na última página do caderno de soluções. 1. Considere as seguintes espécies no estado gasoso: NF3, BeF, BC 3, C F3, KrF3 e Se 4. Quais delas apresentam momento de dipolo elétrico? A. ( ) Apenas NF3 e Se. B. ( ) Apenas BeF 4, C F3 e KrF4 C. ( ) Apenas BC 3, Se e KrF 4 4. D. ( ) Apenas NF3 e C F3. E. ( ) Apenas BeF, BC 3 e Se. 4 Dadas as fórmulas de cada espécie química, as respectivas fórmulas estruturais são: µ N µ (I) NF3: F µ F F µ R 0 (molécula polar) (II) BeF: (III) BC 3: F Be F µ µ µ = R 0 (molécula apolar) µ C µ B C C µ µ R = 0 (molécula apolar) (IV) C F3: µ F C µ F µ F µ 0 (molécula polar) R (V) KrF4: F F µ µ Kr µ µ µ = R 0 (molécula apolar) F F

3 (VI) Se 4 : µ µ Se - µ µ µ = R 0 (molécula apolar) bs: Considerando o momento de dipolo elétrico. Alternativa: D. A adição de glicose sólida (C616) a clorato de potássio (KC 3) fundido, a 400 C, resulta em uma reação que forma dois produtos gasosos e um sólido cristalino. Quando os produtos gasosos formados nessa reação, e resfriados à temperatura ambiente, são borbulhados em uma solução aquosa 0,1 mol/l em hidróxido de sódio, contendo algumas gotas de fenolftaleína, verifica-se a mudança de cor desta solução de rosa para incolor. produto sólido cristalino apresenta alta condutividade elétrica, tanto no estado líquido como em solução aquosa. Assinale a opção CRRETA que apresenta os produtos formados na reação entre glicose e clorato de potássio: A. ( ) C (g), (g), C(s). B. ( ) C(g), (g), KC (s) C. ( ) C(g), (g), KC 4(s) D. ( ) C(g), C4(g), KC (s) E. ( ) C (g), (g), KC3(s) Aquecido, o KC 3 decompõe-se produzindo que oxida a glicose. Tomando-se 4 mols de KC 3 para que o produzido seja estequiometricamente consumido: 3 KC KC + (X4) 4KC 4KC + 6 C + 6 6C + 6 () KC 4KC C 6 6C + 6. Somando-se a (1) e a (): C + 4KC 6C KC (1) 3

4 C produzido reage com a solução de Na, neutralizando-a: C(aq) + Na(aq) NaC3(aq) + Alternativa: B RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA 3. Considere as seguintes configurações eletrônicas de espécies no estado gasoso: I. 1s s p 1. II. 1s s p 3. III. 1s s p 4. IV. 1s s p 5. V. 1s s p 5 3s 1. Assinale a alternativa ERRADA. A. ( ) As configurações I e IV podem representar estados fundamentais de cátions do segundo período da Tabela Periódica. B. ( ) As configurações II e III podem representar tanto um estado fundamental como um estado excitado de átomos neutros do segundo período da Tabela Periódica. C. ( ) A configuração V pode representar um estado excitado de um átomo neutro do segundo período da Tabela Periódica. D. ( ) As configurações II e IV podem representar estados excitados de átomos neutros do segundo período da Tabela Periódica. E. ( ) As configurações II, III e V podem representar estados excitados de átomos neutros do segundo período da tabela Periódica. Sejam as configurações eletrônicas distribuídas nos diagramas de energia: I. 1s s p 1 p (Única forma possível) s 1s II. 1s s p 3 p s 1s (Mais estável, pois segue a regra de und) ou p s 1s (Excitado, pois não segue a regra de und) 4

5 III. 1s s p 4 IV. 1s s p 5 V. 1s s p 5 3s 1 p s 1s p s 1s 3s p s 1s (Mais estável, pois segue a regra de und) semi- ou p s 1s (Única forma possível, pois não há como fugir a regra de und, já que só existe um orbital preenchido. Portanto, não pode ser uma configuração excitada) (Estado excitado) (Excitado, pois não segue a regra de und) Alternativa: D 4. Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos abaixo, sob pressão de 1 atm: I. A pressão de vapor de uma solução aquosa de glicose 0,1 mol/l é menor do que a pressão de vapor de uma solução de cloreto de sódio 0,1 mol/l a 5 C. II. A pressão de vapor n-pentano é maior do que a pressão de vapor do n-hexano a 5 C. III. A pressão de vapor de substâncias puras como: acetona, éter etílico, etanol e água, todas em ebulição, tem o mesmo valor. IV. Quanto maior for a temperatura, maior será a pressão de vapor de uma substância. V. Quanto maior for o volume de um líquido, maior será a sua pressão de vapor. Destas afirmações, estão CRRETAS A. ( ) apenas I, II, III e IV. B. ( ) apenas I, II e V. C. ( ) apenas I, IV e V. D. ( ) apenas II, III e IV. E. ( ) apenas III, IV e V. 5

6 I. Incorreto: Sendo o cloreto de sódio um composto iônico, sua solução aquosa 0,1 mol/l terá o dobro de partículas dispersas de uma solução de glicose (molecular) 0,1 mol/l. Portanto a pressão de vapor da solução de NaC terá pressão de vapor menor. (propriedades coligativas). II. Correta: n-pentano (C51) é um hidrocarboneto de cadeia normal que tem ponto de ebulição menor que um hidrocarboneto de cadeia normal com seis carbonos como o n-hexano (C614), portanto, a pressão de vapor do n-pentano é maior que do n-hexano na mesma temperatura. III. Correta: Quando a pressão de vapor de um líquido for igual a pressão do sistema o líquido entra em ebulição. Como todos os líquidos referidos estão sob pressão de 1 atm e em ebulição, todos tem pressão de vapor igual a 1 atm. IV. Correta: V. Incorreto: A pressão de vapor depende apenas da natureza da substância e da temperatura. Alternativa: D 5. A figura abaixo mostra como a capacidade calorífica, Cp, de uma substância varia com a temperatura, sob pressão constante C p (cal K -1 mol -1 ) T f = Temperatura de fusão T e = Temperatura de fusão 0 10 T 1 T T f T e 100 T(K) Considerando as informações mostradas na figura acima, é ERRAD afirmar que A. ( ) a substância em questão, no estado sólido, apresenta mais de uma estrutura cristalina diferente. B. ( ) a capacidade calorífica da substância no estado gasoso é menor do que aquela no estado líquido. 6

7 C. ( ) quer esteja a substância no estado sólido, líquido ou gasoso, sua capacidade calorífica aumenta com o aumento da temperatura. D. ( ) caso a substância se mantenha no estado líquido em temperaturas inferiores a Tf, a capacidade calorífica da substância líquida é maior do que a capacidade calorífica da substância na fase sólida estável em temperaturas menores do que Tf. E. ( ) a variação de entalpia de uma reação envolvendo a substância em questão no estado líquido aumenta com o aumento da temperatura. Analisemos as afirmativas: A) Verdadeira: As descontinuidades em T1 e T representam mudanças de estrutura cristalina. B) Verdadeiro: Como se pode observar no gráfico. C) Falso: Em T ocorre uma mudança na estrutura cristalina do sólido que diminui a capacidade calorífica da substância. D) Verdadeiro: A capacidade calorífica da substância no estado líquido em temperaturas abaixo da temperatura de fusão é dada pelo prolongamento da curva do estado líquido para a esquerda, como mostrado a seguir. C p (cal K -1 mol T 1 T T f T e 100 T(K) T f = Temperatura de fusão T e = Temperatura de fusão E) Verdadeiro: aumento da temperatura sempre aumenta, em módulo, o de uma reação. Alternativa: C 7

8 6. A respeito de compostos contendo silício, qual das opções abaixo apresenta a afirmação CRRETA? A. ( ) Vidros são quimicamente resistentes ao ataque de hidróxido de sódio. B. ( ) Vidros se fundem completamente em um único valor de temperatura na pressão ambiente. C. ( ) Quartzo apresenta um arranjo ordenado de suas espécies constituintes que se repete periodicamente nas três direções. D. ( ) Vidros comerciais apresentam uma concentração de dióxido de silício igual a 100% (m/m). E. ( ) Quartzo é quimicamente resistente ao ataque de ácido fluorídrico. (A) Incorreta: s átomos de hidrogênio ácido residuais no vidro, reagem com hidróxido de sódio e o vidro é corroído: Si + Na Si - Na + + (B) Incorreta: (C) Correta: (D) Incorreta: (E) Incorreta: Vidros não são sólidos cristalinos e não possuem uma temperatura de fusão definida. quartzo (cristal de rocha) apresenta estrutura cristalina definida. Vidros comerciais são obtidos a partir da fusão de silício (Si) e borrilho (NaC3). As ligações Si do quartzo são rompidos pelo fluoreto. Alternativa: C 8

9 7. Considere uma reação química representada pela equação: Reagentes Produtos. A figura abaixo mostra esquematicamente como varia a energia potencial (Ep) deste sistema reagente em função do avanço da reação química. As letras a, b, c, d e e representam diferenças de energia. E p Reagentes a b c d e Produtos Avanço da reação Com base nas afirmações apresentadas na figura é CRRET afirmar que A. ( ) a energia de ativação da reação direta é a diferença de energia dada por c a + d. B. ( ) a variação de entalpia da reação é a diferença de energia dada por e d. C. ( ) a energia de ativação da reação direta é a diferença de energia dada por b + d. D. ( ) a variação de entalpia da reação é a diferença de energia dada por e (a + b). E. ( ) a variação de entalpia da reação é a diferença de energia dada por e. Segundo o gráfico dado temos: A) A energia de ativação da reação direta é a energia necessária para se obter o estado excitado a partir dos reagentes portanto seria e a. Correto. Como c + d = e, temos que c a + d = e a. B) A variação de entalpia da reação é dada pelo valor de a. Incorreto. C) A energia de ativação da reação direta é e a. Incorreto. D) Vide B. Incorreto. E) Vide B. Incorreto. Alternativa: A 9

10 8. Considere as seguintes afirmações relativas ao gráfico apresentado ao lado: I. Se a ordenada representar a constante de equilíbrio de uma reação química exotérmica e a abscissa, a temperatura, o gráfico pode representar um trecho da curva relativa ao efeito da temperatura sobre a constante de equilíbrio dessa reação. II. Se a ordenada representar a massa de um catalisador existe em um sistema reagente e a abscissa, o tempo, o gráfico pode representar um trecho relativo à variação da massa do catalisador em função do tempo de uma reação. III. Se a ordenada representar a concentração de um sal em solução aquosa e a abscissa, a temperatura, o gráfico pode representar um trecho da curva de solubilidade deste sal em água. IV. Se a ordenada representar a pressão de vapor de um equilíbrio líquido gás e a abscissa, a temperatura, o gráfico pode representar um trecho da curva de pressão de vapor deste líquido. V. Se a ordenada representar a concentração de N(g) existente dentro de um cilindro provido de um pistão móvel, sem atrito, onde se estabeleceu o equilíbrio 4(g) (g) N N, e a abscissa, a pressão externa exercida sobre o pistão, o gráfico pode representar um trecho da curva relativa à variação da concentração de N em função da pressão externa exercida sobre o pistão, à temperatura constante. Das afirmações, estão CRRETAS: A. ( ) apenas I e III B. ( ) apenas I, IV e V C. ( ) apenas II, III e V D. ( ) apenas II e V E. ( ) apenas III e IV 10

11 I. Incorreta: Numa reação exotérmica a constante de equilíbrio diminui com o aumento da temperatura, portanto o gráfico seria melhor representado como se segue: k - constante de equilíbrio II. Incorreta: T catalisador não é consumido numa reação. Portanto o gráfico ficaria: massa do catalisador T No entanto este item poderia ser considerado correto para uma reação de auto-catálise, onde a massa do catalisador aumenta com o tempo, o que corresponde a resposta do exercício. III. Correta: A solubilidade de muitos sais aumenta com a temperatura. IV. Correta: A pressão de vapor de um líquido aumenta com a temperatura. V. Incorreta: Um aumento da pressão do sistema deslocará o equilíbrio N 4(g) N(g) no sentido inverso (de menor volume), portanto o gráfico mais adequado seria: [N ] Alternativa: E P 11

12 1 RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA 9. Para as mesmas condições de temperatura e pressão, considere as seguintes afirmações relativas à condutividade elétrica de soluções aquosas: I. A condutividade elétrica de uma solução 0,1 mol/l de ácido acético é menor do que aquela do ácido acético glacial (ácido acético praticamente puro). II. A condutividade elétrica de uma solução 1 mol/l de ácido acético é menor do que aquela de uma solução de ácido tricloroacético com igual concentração. III. A condutividade elétrica de uma solução 1 mol/l de cloreto de amônio é igual àquela de uma solução de hidróxido de amônio com igual concentração. IV. A condutividade elétrica de uma solução 1 mol/l de hidróxido de sódio é igual àquela de uma solução de cloreto de sódio com igual concentração. V. A condutividade elétrica de uma solução saturada em iodeto de chumbo é menor do que aquela do sal fundido. Destas afirmações, estão ERRADAS A. ( ) apenas I e II. B. ( ) apenas I, II e IV. C. ( ) apenas III e V. D. ( ) apenas III, IV e V E. ( ) todas. I. Falsa: Solução aquosa de ácido acético possui maior quantidade de íons que ácido acético glacial que, praticamente, não se ioniza. II. Verdadeira: ácido tricloroacético devido ao efeito indutivo do grupo C é mais forte que o acético (C3 C) logo, nas mesmas condições, sua solução tem maior grau de ionização. C C C C (ácido tricloro acético) C III. Falsa: IV. Falsa: Cloreto de amônio (N4C ), sal solúvel, forma solução iônica boa condutora. idróxido de amônio (N4), base fraca, eletrólito fraco. A condutividade depende da mobilidade dos íons presente na solução. V. Verdadeira: iodeto de chumbo PbI, sal pouco solúvel, logo sua solução saturada é má condutora de corrente elétrica. No estado líquido há maior quantidade de íons livres, portanto, melhor condutor de corrente elétrica. Alternativa: B

13 13 RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA 10. Seja S a solubilidade de Ag3P4 em 100 g de água pura numa dada temperatura. A seguir, para a mesma temperatura, são feitas as seguintes afirmações a respeito da solubilidade de Ag3P4 em 100 g de diferentes soluções aquosas: I. A solubilidade do Ag3P4 em solução aquosa 1 mol/l de N3 é maior do que S. II. A solubilidade do Ag3P4 em solução aquosa 1 mol/l de AgN3 é menor do que S. III. A solubilidade do Ag3P4 em solução aquosa 1 mol/l de Na3P4 é menor do que S. IV. A solubilidade do Ag3P4 em solução aquosa 1 mol/l de KCN é maior do que S. V. A solubilidade do Ag3P4 em solução aquosa 1 mol/l de NaN3 é praticamente igual a S. Destas afirmações, estão CRRETAS: A. ( ) apenas I, II e III B. ( ) apenas I, III e IV C. ( ) apenas II, III e IV D. ( ) apenas II, III e V E. ( ) todas I. Verdadeira: A reação (dupla troca) entre Ag3P4 + N3 AgN3 + 3P4 ocorre, pois forma um sal de prata mais solúvel do que Ag3P4 e um ácido mais fraco do que 3P4. Dessa forma a massa de Ag3P4 que solubilizará será S mais a quantidade que reagir com N3. II. Verdadeira: Devido ao efeito do íon comum (Ag + ) teremos uma solubilidade de Ag3P4 menor. III. Verdadeira: Devido ao efeito do íon comum IV. Verdadeira: ânion 3 (P 4 ) teremos uma solubilidade de Ag3P4 menor. ( ) + CN forma um complexo muito estável e solúvel com Ag [ Ag(CN) ] dessa forma a solubilidade de Ag3P4 será S mais massa de Ag3P4 que forma o referido complexo. V. Verdadeira: A solubilidade de um sal praticamente não se altera pela solubilização de um sal diferente na mesma solução. Alternativa: E

14 11. A massa de um hidrocarboneto é igual a,60 g. As concentrações, em porcentagem em massa, de carbono e de hidrogênio neste hidrocarboneto são iguais a 8,7% e 17,3%, respectivamente. A fórmula molecular do hidrocarboneto é: A. ( ) C4 B. ( ) C4 C. ( ) C6 D. ( ) C38 E. ( ) C410 Em,6 g do hidrocarbonetos temos: massa: C x y =,6 g 1x g + y g =,6 g 8,7 g + 17,3 g = 100 g Resolvendo temos: x =, y = 5 Fórmula mínima: C5 Fórmula molecular: C410 Alternativa: E 1. Um elemento galvânico é constituído pelos eletrodos abaixo especificados e separados por uma ponte salina. ELETRD I: placa de chumbo metálico mergulhada em uma solução aquosa 1 mol/l de nitrato de chumbo. ELETRD II: sulfato de chumbo sólido prensado contra uma peneira de chumbo metálico mergulhada em uma solução aquosa 1 mol/l de ácido sulfúrico. Nas condições padrão, o potencial de cada um destes eletrodos, em relação ao eletrodo padrão de hidrogênio, é: o E + = 0,164 V (ELETRD I) E Pb / Pb o Pb/PbS,S = 0,3546 V (ELETRD II) 14

15 Assinale a opção que contém a afirmação CRRETA sobre as alterações ocorridas neste elemento galvânico quando os dois eletrodos são conectados por um fio de baixa resistência elétrica e circular corrente elétrica no elemento. A. ( ) A massa de sulfato de chumbo sólido na superfície do ELETRD II aumenta. B. ( ) A concentração de íons sulfato na solução aquosa do ELETRD II aumenta. C. ( ) ELETRD I é o pólo negativo. D. ( ) ELETRD I é o anodo. E. ( ) A concentração de íons chumbo na solução aquosa do ELETRD I aumenta. Foram dados os potenciais de redução dos eletrodos. Como o eletrodo Pb/Pb + tem o maior potencial de redução, ele sofre redução, enquanto o eletrodo Pb/PbS4, S4 sofre oxidação. Meia-redução de redução: Pb + + e Pb (catodo e pólo positivo) Meia-reação de oxidação: Pb + S4 PbS4 + e (anodo e pólo negativo) Com isso, a massa de PbS4 aumenta e a concentração de íons Alternativa: A S 4 diminui. 13. Considere os valores da temperatura de congelação de soluções 1 milimol/l das seguintes substâncias: I. A (S4)3 II. NaB47 III. KCr7 IV. NaCr4 V. A (N3)3.9 Assinale a alternativa CRRETA relativa à comparação dos valores dessas temperaturas. A. ( ) I < II < V < III < IV B. ( ) I < V < II III IV C. ( ) II < III < IV < I < V D. ( ) V < II < III < IV < I E. ( ) V II < III < IV < I 15

16 Escrevendo as equações de dissociação, podemos calcular as concentrações totais de partículas: + I. A (S ) A 3 + 3S 4 3(aq) (aq) 4(aq) 1 mm mm + 3 mm = 5 mm II. III. IV. V (aq) (aq) + 4 7(aq) Na B Na B 1 mm mm + 1 mm = 3 mm + 7(aq) (aq) + 7(aq) K Cr K Cr 1 mm mm + 1 mm = 3 mm + 4(aq) (aq) + 4(aq) Na Cr Na Cr 1 mm mm + 1 mm = 3 mm (aq) + 3 A (N ) A 3N 1 mm 1 mm + 3 mm = 4 mm Sabendo-se que quanto maior a molalidade (mol/kg) maiores são os efeitos coligativos e, com isso, maior é o abaixamento do ponto de congelação da solução. Como as soluções são muito diluídas (0,001 mol/v) podemos considera a molaridade muito próxima à molalidade. Alternativa: B 16

17 14. Qual das substâncias abaixo apresenta isomeria geométrica? A. ( ) Ciclo-propano B. ( ) Ciclo-buteno C. ( ) Ciclo-pentano D. ( ) Ciclo-hexano E. ( ) Benzeno A) Não apresenta isômero geométrico. B) Não apresenta isômero geométrico. C) Não apresenta isômero geométrico. D) cadeira barco Apresenta as conformações barco e cadeira, que são confôrmeros, mas não são isômeros geométricos. E) Não apresenta isômero geométrico. Não existe resposta correta. 17

18 15. Considere os sistemas apresentados a seguir: I. Creme de leite II. Maionese comercial III. Óleo de soja IV. Gasolina V. Poliestireno expandido Destes, são classificados como sistemas coloidais: A. ( ) apenas I e II B. ( ) apenas I, II e III C. ( ) apenas II e V D. ( ) apenas I, II e V E. ( ) apenas III e IV RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA Sistema coloidal é uma dispersão onde as partículas (microcápsulas, micelas, macromoléculas ou íons gigantes ) tem um tamanho compreendido entre 1 a 100 nm. Desta forma podemos classificar os sistemas como se segue: I. Creme de leite colóide molecular (emulsão), dispersão de macromoléculas (lipídios e proteínas) em água. II. Maionese comercial - colóide molecular (emulsão), dispersão de macromoléculas (lipídios e proteínas) em água. III. Óleo de soja mistura homogênea de diversos ésteres glicéricos de ácidos graxos (lipídios). IV. Gasolina mistura homogênea de hidrocarbonetos. V. Poliestireno expandido ou isopor, colóide formado por microcápsulas de gases dispersos em poliestireno. Portanto a alternativa correta: D Alternativa: D 16. Assinale a opção que apresenta um par de substâncias isomorfas. A. ( ) Grafita(s), diamante(s) B. ( ) xigênio(g), ozônio(g) C. ( ) Cloreto de sódio(s), cloreto de potássio(s) D. ( ) Dióxido de enxofre(g), trióxido de enxofre(g) E. ( ) Monóxido de chumbo(s), dióxido de chumbo(s) 18

19 Substâncias isomorfas são sólidos cristalinos quimicamente diferentes, mas que apresentam a mesma estrutura cristalina. Dos pares de substâncias apresentados, o NaC e KC apresentam a mesma estrutura cristalina cúbica. Alternativa: D 17. Considere as soluções aquosas obtidas pela dissolução das seguintes quantidades de solutos em um 1 L de água: I. 1 mol de acetato de sódio e 1 mol de ácido acético II. mols de amônia e 1 mol de ácido clorídrico. III. mols de ácido acético e 1 mol de hidróxido de sódio IV. 1 mol de hidróxido de sódio e 1 mol de ácido clorídrico V. 1 mol de hidróxido de amônio e 1 mol de ácido acético Das soluções obtidas, apresentam efeito tamponante: A. ( ) apenas I e V B. ( ) apenas I, II e III C. ( ) apenas I, II, III e V D. ( ) apenas III, IV e V E. ( ) apenas IV e V Para ter um efeito tamponante, basta ter o par ácido fraco/sal correspondente ou base fraca/sal correspondente. I. C3C Na + (sal correspondente) / C3C (ácido fraco) II. N3 + N4 (base fraca) N + C N 4 C + 4 SAL CRRESPNDENTE III. C3C + Na C 3 C - Na + + C 3 C + SAL CRRESPNDENTE IV. Na (base forte) / C (ácido forte) (não possui efeito tamponante) V. N 4 + C 3 C N 4 C + BASE FRACA Alternativa: C ÁCID FRAC SAL CRRESPNDENTE SAL CRRESPNDENTE 19

20 18. Considere o caráter ácido-base das seguintes espécies: I. II. C55N (piridina) III. (C5)N (dietilamina) IV. [(C ] + ) 5 N (dietilamônio) V. C5 (etanol) RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA Segundo a definição ácido-base de Brönsted, dentre estas substâncias, podem ser classificadas como base: A. ( ) apenas I e II B. ( ) apenas I, II e III C. ( ) apenas II e III D. ( ) apenas III, IV e V E. ( ) todas Segundo a definição de ácido-base de Brönsted Base é qualquer espécie química capaz de receber um próton. + + I. + 3 II ou N N + C + 5 N + C 5 N III. ( ) ( ) + + C 5 N + bs.: Não ocorre, pois o nitrogênio não tem par disponível de elétrons capaz de receber +. + V. C [ ] C 5 bs.: por exemplo na primeira etapa de desidratação de álcoois catalisada por ácido. Portanto I, II, III e V podem ser classificadas como base de Brönsted e não possui alternativa correta. IV. ( ) Alternativa: SEM RESPSTA N 0

21 19. A equação química que representa a reação de decomposição do iodeto de hidrogênio é: I(g) (g) + I(g); (5 C) = - 51,9 kj Em relação a esta reação, são fornecidas as seguintes informações: a) A variação da energia de ativação aparente dessa reação ocorrendo em meio homogêneo é igual a 183,9 kj. b) A variação da energia de ativação aparente dessa reação ocorrendo na superfície de um fio de ouro é igual a 96, kj. Considere, agora, as seguintes afirmações relativas a essa reação de decomposição: I. A velocidade da reação no meio homogêneo é igual a da mesma reação realizada no meio heterogêneo. II. A velocidade da reação no meio homogêneo diminui com o aumento da temperatura. III. A velocidade da reação no meio heterogêneo independe da concentração inicial de iodeto de hidrogênio. IV. A velocidade da reação na superfície do ouro independe da área superficial do ouro. V. A constante de velocidade da reação realizada no meio homogêneo é igual a da mesma reação realizada no meio heterogêneo. Destas afirmações, estão CRRETAS: A. ( ) apenas I, III e IV B. ( ) apenas I e IV C. ( ) apenas II, III e V D. ( ) apenas II e V E. ( ) nenhuma I. Incorretas a energia de ativação da reação em meio homogêneo e maior do que no meio heterogêneo portanto a velocidade da reação é menor no meio homogêneo. II. Incorretas a velocidade das reações aumenta com a temperatura. III. Incorretas a velocidade da reação é proporcional à concentração do reagente. IV. Incorretas quanto maior a superfície de contato do catalisador heterogêneo (fio de ouro) maior a velocidade da reação. V. Incorretas a constante cinética de uma reação depende, não só da temperatura, mas também da natureza da reação. A constante cinética desta reação no meio homogêneo é diferente daquela da reação com catalisador heterogêneo. Portanto todas as afirmações são incorretas: E Alternativa: E 1

22 0. frasco mostrado na figura ao lado contém uma solução aquosa saturada em oxigênio, em contato com ar atmosférico, sob pressão de 1 atm e temperatura de 5 o C. Quando gás é borbulhado através desta solução, sendo a pressão de entrada do gás maior do que a pressão de saída, de tal forma que a pressão do gás em contato com a solução possa ser considerada constante e igual a 1 atm, é ERRAD afirmar que a concentração de oxigênio dissolvido na solução. entrada de gás saída de gás solução aquosa saturada em oxigênio A. ( ) permanece inalterada, quando o gás borbulhado, sob temperatura de 5 o C, é ar atmosférico. B. ( ) permanece inalterada, quando o gás borbulhado, sob temperatura de 5 o C é nitrogênio gasoso. C. ( ) aumenta, quando o gás borbulhado, sob temperatura de 15 o C, é ar atmosférico. D. ( ) aumenta, quando o gás borbulhado, sob temperatura de 5 o C, é oxigênio praticamente puro. E. ( ) permanece inalterada, quando o gás borbulhado, sob temperatura de 5 o C, é uma mistura de argônio e oxigênio, sendo a concentração de oxigênio nesta mistura igual à existente no ar atmosférico.

23 Segundo a Lei de enry, a solubilidade (S) de um gás A é diretamente proporcional à pressão parcial do gás (pa): S = ASA, onde A é uma constante denominada constante de enry e que depende da temperatura. Vamos analisar as alternativas considerando que cada sistema já alcançou o equilíbrio: A) ar possui cerca de 0% de e, se a pressão total é 1 atm, a pressão parcial do é 0, atm. A solubilidade é S = 0, A e assim permanece. CRRETA. B) A pressão parcial do tornar-se-á nula, portanto, SA = 0. Então S = 0. ERRADA. C) A solubilidade do aumenta com a diminuição da temperatura. CRRETA. D) Se temos puro, a pressão parcial do será 1 atm. A solubilidade será: S = 1 A = A. CRRETA. E) Como a concentração de é igual à do ar, sua pressão parcial é a mesma, cerca de 0, atm. A solubilidade será: S = 0, A. CRRETA. Alternativa: B As questões dissertativas, numeradas de 1 a 30, devem ser respondidas no caderno de soluções. 1. A figura abaixo representa um sistema constituído por dois recipientes, A e B, de igual volume, que se comunicam através da válvula V. Água pura é adicionada ao recipiente A através da válvula VA, que é fechada logo a seguir. Uma solução aquosa 1,0 mol/l de NaCl é adicionada ao recipiente B através da válvula VB, que também é fechada a seguir. Após o equilíbrio ter sido atingido, o volume de água líquida no recipiente A é igual a 5,0 ml, sendo a pressão igual a PA; e o volume de solução aquosa de NaCl no recipiente B é igual a 1,0 L, sendo a pressão igual a PB. A seguir, a válvula V é aberta (tempo t = zero) sendo a temperatura mantida constante durante todo o experimento. P A P B V A V B V A B 3

24 a) Em um mesmo gráfico de pressão (ordenada) versus tempo (abscissa), mostre como varia a pressão em cada um dos recipientes, desde o tempo t = zero até um tempo t =. b) Descreva o que se observa neste experimento, desde tempo t = 0 até t =, em termos dos valores das pressões indicadas nos medidores e dos volumes das fases líquidas em cada recipiente. Inicialmente, devido ao efeito tonoscópico, a pressão em A (solvente puro) é maior que em b (solução aquosa de soluto não volátil). Quando a válvula V é aberta, as pressões se igualam. Porém, o líquido em A (SmL), pó osmose, onde o ar é a membrana semipermeável, passa para B (1L). Com isso, o líquido B sofre uma discreta diluição, e faz com que a sua pressão máxima de vapor seja ligeiramente maior que PA. a) P P A P B t b) volume de líquido em A diminui até desaparecer e em B aumenta. A pressão em A diminui até tornar-se constante. Em B, aumenta e posteriormente diminui, até permanecer constante.. Na tabela abaixo são mostrados os valores de temperatura de fusão de algumas substâncias Substância Temperatura de fusão ( o C) Bromo Água Sódio Brometo de Sódio Silício Em temos dos tipos de interação presentes em cada substância, justifique a ordem crescente de temperatura de fusão das substâncias listadas. 4

25 As interações existentes no retículo cristalino dos lipídios listados são, como se segue: Br - atração dipolo induzido entre moléculas - pontes de hidrogênio entre moléculas Na - ligação metálica NaBr - atração eletrostática entre íons Sin - ligações covalentes entre átomos A fusão dessas substâncias implica no aumento da mobilidade dos átomos ou moléculas pelo enfraquecimento da interações listadas. No caso acima quanto mais intensa as interações maior a quantidade de energia necessária para provocar a quebra do retículo cristalino. A ordem abaixo: Atração diplo induzido Br Ponte de hidrogênio Ligação metálica Na Justifica a ordem crescente do ponto de fusão. Ligação iônica (atração eletrostática) NaBr Cristais covalentes Si n 3. A equação química que representa a reação de decomposição do gás N5 é: N5 (g) 4 N (g) + (g). A variação da velocidade de decomposição do gás N5 é dada pela equação algébrica: v = k [N5], em que k é a constante de velocidade desta reação, e [N5] é a concentração, em mol/l, do N5, em cada tempo. A tabela a seguir fornece os valores de n[n5] em função do tempo, sendo a temperatura mantida constante. Tempo (s) n[n5],303,649,996 3,689 4,38 5,075 5

26 a) Determine o valor da constante de velocidade (k) desta reação de decomposição. Mostre os cálculos realizados. b) Determine o tempo de meia-vida do N5 no sistema reagente. Mostre os cálculos realizados. a) Como esta é uma reação de 1 a ordem em relação a um único reagente, a reação é análoga ao decaimento radioativo. Com isso: [N5]f = [N5]0 e kt n[n5]f = n[n5]0 kt kt = n[n5]0 n[n5]f (I) Como n[n5] tem dependência linear com o tempo, temos: k.100 =,303 (,996) k = 6, s -1 b) Tomando novamente a equação I e sabendo que t1/ é o tempo necessário para que a massa de N5 se reduza pela metade, temos: 3 [N 5] ,93.10.t = n[n 5] 0 n 6,93.10.t = n 6,93.10 t = 0,693 t = 100 s bs.: aluno deveria saber que n = 0, Em um balão fechado e sob temperatura de 7 o C, N4 (g) está em equilíbrio com N (g). A pressão total exercida pelos gases dentro do balão é igual a 1,0 atm e, nestas condições, N4 (g) encontra-se 0% dissociado. a) Determine o valor da constante de equilíbrio para a reação de dissociação do N4 (g). Mostre os cálculos realizados. b) Para a temperatura de 7 o C e a pressão total dos gases dentro do balão igual a 0,10 atm, determine o grau de dissociação do N4 (g). Mostre os cálculos realizados. 6

27 a) Escrevendo a equação da reação, teremos: N 4(g) N Se 0% de x mol/l de N4 estão dissociado, podemos fazer: RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA N4 N Início x 0 Reagiu/Produziu 0,x 0,4x Equilíbrio 0,8x 0,4x As pressões parciais de cada gás serão iguais a: PN = 0,8xRT e P 4 N = 0,4xRT Dividimos as expressões, teremos P = P. Como P + P = 1 atm N N 4 N (g) N 4 PN + P N = 1 atm 3P N = 1 atm. 1 Então: PN = atm e P N = atm Escrevendo a expressão da constante KP e substituindo as pressões parciais por seus valores no equilíbrio: (P N ) ( 1/ 3) 1 KP = KP = = PN / b) Na nova situação, teremos: N 4 N (g) (g) N4 N Início x 0 Reagiu/Produziu αx αx Equilíbrio x - αx αx A pressão total será: Pt = x - αx + αx = x(1 + α) = 0,1 atm A expressão da constante de equilíbrio nos diz que: 1 α α α = ( x) 1 = 4 x = 4 x (II) x 6 x αx 6 (1 α) 1 α (I) 1 α α Dividindo II por I: 6 4 x 10 4 = = 10 10α = 4α 1 (1 α) x (1 + α) 6 1 α α = 10 α = = 0,54 ou 54,% 17 7

28 5. Um produto natural encontrado em algumas plantas leguminosas apresenta a seguinte estrutura: 4 N N C C C a) Quais são os grupos funcionais presentes nesse produto? b) Que tipo de hibridização apresenta cada um dos átomos de carbono desta estrutura? c) Quantas são as ligações sigma e pi presentes nesta substância? a) - cetona - enol - amina - ácido carboxílico b) carbonos 6 e 7 hibridação sp 3 carbonos 1,, 3, 4, 5 e 8 hibridação sp c) ligações (σ) sigma 3 (vinte e três) ligações (π) pi 4 6. A reação química de um determinado alceno X com ozônio produziu o composto Y. A reação do composto Y com água formou os compostos A, B e água oxigenada. s compostos A e B foram identificados como um aldeído e uma cetona, respectivamente. A tabela abaixo mostra as concentrações (% m/m) de carbono e hidrogênio presentes nos compostos A e B: Compostos Carbono (% m/m) idrogênio (% m/m) A B 54,6 6,0 9,1 10,4 Com base nas informações acima, apresente: a) as fórmulas moleculares e estruturais dos compostos: X, Y, A e B. Mostre os cálculos realizados, e b) as equações químicas balanceadas relativas às duas reações descritas no enunciado da questão. 8

29 a) Para o composto A temos: 54,6 4,55 mols C = 1,01,7 9,1 9,00 mols = 4 C4 1,01,7 3 C C ALDEÍD 36,3,7 mols = 1 16,7 Para o composto B temos: 6,0 mols C = 1,73 3 1,01 10,4 10,3 mols = 6 C36 1, 01 1, 73 3 C C C 3 CETNA 7,6 1,73 mols = ,73 9 RESLUÇÃ ITA 00 QUÍMICA Para os compostos X e Y temos que, para formar o aldeído e a cetona correspondentes, devemos usar um alceno com 5 carbonos com ramificação na ligação dupla, e o produto da reação do alceno com 3 leva a formação do ozonídeo correspondente. b) 3 C C 3 C C C C 3 3 C 3 C 3 C C C 3 C 3 composto X (C 5 10 ) composto Y (C ) 3 C C C C C C 3 C 3 C 3 3 C C equação I C C 3 C C C + 3 C C C 3 + equação II

30 7. Em um béquer, a 5 o C e 1 atm, foram misturadas as seguintes soluções aquosas: permanganato de potássio (KMn4), ácido oxálico (C4) e ácido sulfúrico (S4). Nos minutos seguintes após a homogeneização desta mistura, nada se observou. No entanto, após a adição de um pequeno cristal de sulfato de manganês (MnS4) a esta mistura, observou-se o descoramento da mesma e a liberação de um gás. Interprete as observações feitas neste experimento. Em sua interpretação devem constar: a) a justificativa para o fato de a reação só ser observada após a adição de sulfato de manganês sólido, e b) as equações químicas balanceadas das reações envolvidas. A princípio obteve-se uma mistura de três soluções com coloração violeta devido a presença do KMn4. Após adição de MnS4 ocorreu uma reação de óxido-redução, onde o KMn4 agiu como reagente oxidante, com conseqüente descoração da solução pelo consumo do agente oxidante. a) MnS4 agiu como catalisador da reação. b) A equação é: MnS KMn C4 S4 KS4 + Mn+ C+ que pode ser balanceada pelo método de óxido-redução como se segue: Agente oxidante Mn = 3 1= 3 Agente redutor = = c 1 MnS KMn + 3C + 1S 1KS + Mn + 6C Um béquer de 500 ml contém 400 ml de água pura a 5 o C e 1 atm. Uma camada fina de talco é espalhada sobre a superfície da água, de modo a cobri-la totalmente. a) que deverá ser observado quando uma gota de detergente é adicionada na região central da superfície da água coberta de talco? b) Interprete o que deverá ser observado em termos das interações físicoquímicas entre as espécies. 30

31 a) bserva-se que o talco (mais denso que a água) consegue atravessar a camada de água ocupando o fundo do recipiente. b) Devido à característica laminar dos cristais de Mg3()(Si410) (talco) este mineral não interage com a água, ocupando a superfície da mesma devido a alta tensão superficial. detergente, sendo tenso ativo (surfactante), diminui a tensão superficial permitindo com que o talco atravesse a camada de água. 9. Considere o elemento galvânico da QUESTÃ 1, mas substitua a solução aquosa de Pb(N3) do ELETRD I por uma solução aquosa 1,00 x 10 5 mol/l de Pb(N3), e a solução aquosa de S4 do ELETRD II por uma solução aquosa 1,00 x 10 5 mol/l de S4. Considere também que a temperatura permanece constante e igual a 5 o C. a) Determine a força eletromotriz deste novo elemento galvânico. Mostre os cálculos realizados. Agora, considerando que circula corrente elétrica no novo elemento galvânico, responda: b) Qual dos eletrodos, ELETRD I ou ELETRD II, será o anodo? c) Qual dos eletrodos será o pólo positivo do novo elemento galvânico? d) Qual o sentido do fluxo de elétrons que circula no circuito externo? e) Escreva a equação química balanceada da reação que ocorre neste novo elemento galvânico. a) Se acordo com os eletrodos na pilha da questão 1, o eletrodo I sofre redução e II, oxidação. Portanto, as semi-reações são dadas por: + REDUÇÃ Pb + e Pb (catodo e pólo positivo) XIDAÇÃ Pb + S4 e + PbS 4 (anodo e pólo negativo) + Pb + S4 PbS 4(s) (reação global) ε = εx εred ε = 0,164 ( 0,3546) ε = +0,8V 31

32 Mas, em novas condições, devemos utilizar a equação de Nernst, como mostrado a seguir: ε=ε 0,059 ε= 0,059 1 logqc 0,8 log n + Pb S 4 0, ,59 ε= 0,8.log ε= 0,8 ε= 0,0668V Devido a esta modificação nas concentrações das soluções, a pilha funciona invertida, com as semi-reações ocorrendo em sentido contrário. b) Eletrodo I c) Eletrodo II d) De I para II + e) PbS Pb + S Explique por que água pura exposta à atmosfera e sob pressão de 1,0 atm entra em ebulição em uma temperatura de 100 o C, enquanto água pura exposta à pressão atmosférica de 0,7 atm entra em ebulição em uma temperatura de 90 o C. Um líquido, exposto à atmosfera, entra em ebulição quando sua pressão de vapor se iguala a pressão atmosférica. Logo, a água exposta a uma pressão de 0,7 atm entra ou ebulição em uma temperatura menor que quando exposta a uma pressão de 1 atm. 3

CONSTANTES DEFINIÇÕES

CONSTANTES DEFINIÇÕES CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,0 x 10 mol -1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 C mol -1 Volume molar de gás ideal =,4 L (CNTP) Carga elementar = 1,60 x 10-19 C Constante dos gases (R) = 8,1

Leia mais

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3)

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3) química 2 Questão 37 Questão 38 abendo-se que a amônia (N 3) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água. o diclorometano (2 2) não possui isômeros. ua molécula apresenta polaridade,

Leia mais

Questão 1. alternativa D

Questão 1. alternativa D CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,0 x 10 3 mol 1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 C mol 1 Volume molar de gás ideal =,4 L (CNTP) Carga elementar = 1,60 x 10 19 C Constante dos gases (R) = 8,1

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011

RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011 RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011 Questão 26 Como a questão pede a separação do sólido solúvel do líquido, o único processo recomendado é a destilação simples. Lembrando que filtração e decantação

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

Questão 1. Considere as reações envolvendo o sulfeto de hidrogênio representadas pelas equações seguintes:

Questão 1. Considere as reações envolvendo o sulfeto de hidrogênio representadas pelas equações seguintes: ONSTANTES onstante de Avogadro = 6, x 1 mol 1 onstante de Faraday (F) = 9,65 x 1 4 mol 1 Volume molar de gás ideal =,4 L (NTP) arga elementar = 1,6 x 1 19 onstante dos gases (R) = 8,1 x 1 atm L K 1 mol

Leia mais

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém sete questões, constituídas de itens e subitens, e é composto de dezesseis

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS 3 PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS QUÍMICA 01 - O dispositivo de segurança que conhecemos como air-bag utiliza como principal reagente para fornecer o gás N 2 (massa molar igual a 28 g mol -1

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

, em vez de apenas em água.

, em vez de apenas em água. Questão 01 QUÍMIA Utilizada comumente para desinfecção, a água clorada é obtida por meio de borbulhamento do gás cloro em água, num processo que corresponde à reação descrita nesta equação: + - (g) ( )

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

Gabarito Química - Grupo A. 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor

Gabarito Química - Grupo A. 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor VESTIB LAR Gabarito Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor Muitos álcoois, como o butanol (C 4 H 10 O), têm importância comercial como solventes e matériasprimas na produção industrial

Leia mais

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32 QUÍMICA Questão 3 Em 9,9 g de um sal de cálcio encontra-se 0,5 mol desse elemento. Qual a massa molar do ânion trivalente que forma esse sal? Dado: Ca 40 g/mol. (A) 39 g/mol. (B) 278 g/mol. (C) 63,3 g/mol.

Leia mais

A resposta correta deve ser a letra B.

A resposta correta deve ser a letra B. ITA - 1999 1- (ITA-99) Assinale a opção CORRETA em relação à comparação das temperaturas de ebulição dos seguintes pares de substâncias: a) Éter dimetílico > etanol; Propanona > ácido etanóico; Naftaleno

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7 2001 1. - Uma camada escura é formada sobre objetos de prata exposta a uma atmosfera poluída contendo compostos de enxofre. Esta camada pode ser removida quimicamente envolvendo os objetos em questão com

Leia mais

Professora Sonia. b) 3Ag 2O (s) + 2Al (s) 6Ag (s) + A l 2O 3(s)

Professora Sonia. b) 3Ag 2O (s) + 2Al (s) 6Ag (s) + A l 2O 3(s) ITA 2001 DADOS CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,02 x 10 23 mol 1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 Cmol 1 Volume molar de gás ideal = 22,4L (CNTP) Carga Elementar = 1,602 x 10 19 C Constante dos

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br PLANEJAMENTO DE AÇÕES DA 2 ª ETAPA 2015 PERÍODO DA ETAPA: 01/09/2015 á 04/12/2015 TURMA: 9º Ano EF II DISCIPLINA: CIÊNCIAS / QUÍMICA 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Interações elétricas e

Leia mais

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura.

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura. QUÍMICA 01. ácido sulfúrico, assim como o íon hidrogenossulfato, reage com bases fortes, como hidróxido de sódio, liberando calor para as vizinhanças. Dados: M (g.mol-1) H = 1,008; = 15,999; S = 32,06;

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar:

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar: 8 GABARITO 1 1 O DIA 2 o PROCESSO SELETIVO/2005 QUÍMICA QUESTÕES DE 16 A 30 16. Devido à sua importância como catalisadores, haletos de boro (especialmente B 3 ) são produzidos na escala de toneladas por

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 1- Introdução Uma reação química é composta de duas partes separadas por uma flecha, a qual indica o sentido da reação. As espécies químicas denominadas como reagentes ficam à esquerda

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

Resolução Comentada - Química

Resolução Comentada - Química Resolução Comentada - Química UFTM 2013 1 Fase Vestibular UFTM 2013 1 Resolução Prova de Química Tipo 1 Questão 76 A soja é considerada um dos alimentos mais completos em termos de propriedades nutricionais,

Leia mais

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 61 A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Informações de Tabela Periódica CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Folha de Dados Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 12,0 14,0

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém cinco

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA UFJF CNCURS VESTIBULAR 2011-2 GABARIT DA PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA Questão 1 Sabe-se que compostos constituídos por elementos do mesmo grupo na tabela periódica possuem algumas propriedades químicas semelhantes.

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

Polaridade de moléculas

Polaridade de moléculas Polaridade de moléculas 01. (Ufscar) É molécula polar: a) C 2 H 6. b) 1,2-dicloroetano. c) CH 3 Cl. d) p-diclorobenzeno. e) ciclopropano. 02. (Mackenzie) As fórmulas eletrônicas 1, 2 e 3 a seguir, representam,

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta Questão 1 Água pode ser eletrolisada com a finalidade de se demonstrar sua composição. A figura representa uma aparelhagem em que foi feita a eletrólise da água, usando eletrodos inertes de platina. a)

Leia mais

Química - Grupo J - Gabarito

Química - Grupo J - Gabarito - Gabarito 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Informe a que volume deve ser diluído com água um litro de solução de um ácido fraco HA 0.10 M, de constante de ionização extremamente pequena (K

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Energia para realizar reações químicas: eletrólise do iodeto de potássio aquoso Existem reações químicas não espontâneas, mas que são realizadas com rapidez

Leia mais

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Paulo Henrique Saraiva Câmara SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Frederico

Leia mais

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Geral ASSUNTO: Soluções e Unidades de Concentração 1 1. TIPOS MAIS COMUNS DE SOLUÇÃO Solução

Leia mais

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA TEMAS 1. Estrutura da matéria 1.1 Elementos, átomos e iões 1.2

Leia mais

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA QUESTÃO 01 Em uma determinada transformação foi constatado que poderia ser representada

Leia mais

Propriedades Físicas das Soluções

Propriedades Físicas das Soluções Propriedades Físicas das Soluções Solução (def): é uma mistura homogénea de duas ou mais substâncias. Solvente: componente da solução do mesmo estado físico, por exemplo água numa solução aquosa Soluto:

Leia mais

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015 MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ 01. Observe na tabela a distribuição percentual dos principais elementos químicos cujos átomos, combinados,

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO QUÍMICA APLICADA - MESTRADO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO QUÍMICA APLICADA - MESTRADO strado em Química Aplicada Seleção 2007 1/6 1 a etapa do Processo de Seleção 2007 - Parte 1 Questão 01: (A) Arranje, em ordem crescente de comprimento de onda, os seguintes tipos de fótons de radiação

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo.

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. QUÍMICA As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo.

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Introdução Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Existem também sistemas, em que as reações direta e inversa

Leia mais

PROFESSOR LOURIVAL NETO

PROFESSOR LOURIVAL NETO QUÍMICA EM 1 DIA PROFESSOR LOURIVAL NETO UBERLÂNDIA LIGAÇÕES QUÍMICAS Iônica: Ocorre devido a transferência de elétrons! Ìons mantêmse em um cristal Retículo cristalino. A força eletrostática mantém os

Leia mais

Química experimental - Unidade mestra para química geral e eletroquímica - Volume 2 - Físico-química - EQ102A.

Química experimental - Unidade mestra para química geral e eletroquímica - Volume 2 - Físico-química - EQ102A. Autores: Luiz Antonio Macedo Ramos e Rosane Bittencourt Wirth. - Revisor: Leandro dos Santos Silveira - Direitos autorais reservados Índice Remissivo... 4 9999.994... 6 Instruções para o professor....6

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

QUÍMICA COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA

QUÍMICA COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA Prova boa, com questões claras e nível superior ao do ano passado. Nota-se, no entanto, a falta de uma revisão criteriosa, feita por algum professor da área, que não tenha

Leia mais

(g) + H 2 Hb(aq) + 4 O 2. O(l) O 2 (aq) (aq)

(g) + H 2 Hb(aq) + 4 O 2. O(l) O 2 (aq) (aq) 1 transporte adequado de oxigênio para os tecidos de nosso corpo é essencial para seu bom funcionamento. Esse transporte é feito através de uma substância chamada oxi-hemoglobina, formada pela combinação

Leia mais

ELETRODO OU SEMIPILHA:

ELETRODO OU SEMIPILHA: ELETROQUÍMICA A eletroquímica estuda a corrente elétrica fornecida por reações espontâneas de oxirredução (pilhas) e as reações não espontâneas que ocorrem quando submetidas a uma corrente elétrica (eletrólise).

Leia mais

QUÍMICA. 01. A Coréia do Norte realizou, recentemente, um teste. 03. A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de

QUÍMICA. 01. A Coréia do Norte realizou, recentemente, um teste. 03. A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de QUÍMIA 01. A oréia do Norte realizou, recentemente, um teste nuclear subterrâneo, que foi condenado pelo onselho de Segurança da ONU. Sabe-se que as armas em desenvolvimento por aquele país estão baseadas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA DISCIPLINA QUIMICA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA DISCIPLINA QUIMICA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE COMPETÊNCIA HABILIDADE CONTEÚDO - Compreender as transformações químicas em linguagem discursivas. - Compreender os códigos

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q50 Forças intermoleculares

Química. Resolução das atividades complementares. Q50 Forças intermoleculares Resolução das atividades complementares 4 Química Q50 Forças intermoleculares p. 15 1 (Unifor-CE) Considerando a natureza das ligações químicas intermoleculares existentes nas substâncias: Etanol C 2 H

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS INSTRUÇÕES: PRCESS SELETIV 2013/2 - CPS PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA CURS DE GRADUAÇÃ EM MEDICINA 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 5 (cinco) questões discursivas. Caso

Leia mais

Exercícios de Química ITA/IME 2012 Prof. Arthur Reis Fortaleza/CE

Exercícios de Química ITA/IME 2012 Prof. Arthur Reis Fortaleza/CE Exercícios de Química ITA/IME 2012 Prof. Arthur Reis Fortaleza/CE 1. (IME) Na figura abaixo, o cilindro A, de volume Va, contém um gás inicialmente à pressão Po e encontra-se conectado, através de uma

Leia mais

UNESP- 2013- Vestibular de Inverno

UNESP- 2013- Vestibular de Inverno UNESP- 2013- Vestibular de Inverno 1-Compostos de crômio têm aplicação em muitos processos industriais, como, por exemplo, o tratamento de couro em curtumes e a fabricação de tintas e pigmentos. Os resíduos

Leia mais

Conteúdo: Substancias e misturas

Conteúdo: Substancias e misturas LISTA 1º. ANO - Substâncias Conteúdo: Substancias e misturas 1- Com relação ao número de fases, os sistemas podem ser classificados como homogêneos ou heterogêneos. As alternativas correlacionam adequadamente

Leia mais

QUESTÕES DISSERTATIVAS

QUESTÕES DISSERTATIVAS QUESTÕES DISSERTATIVAS (Unicamp) A população humana tem crescido inexoravelmente, assim como o padrão de vida Conseqüentemente, as exigências por alimentos e outros produtos agrícolas têm aumentado enormemente

Leia mais

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA 97. A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0 g por 100 g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100 g de CaC 2 O 4

Leia mais

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA QUÍMICA Prof. Borges TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA 1. (Fuvest-SP) Descargas industriais de água pura aquecida podem provocar a morte de peixes em rios e lagos porque causam: a) o aumento

Leia mais

Propriedades das Soluções

Propriedades das Soluções Propriedades das Soluções Prof. Alex Fabiano C. Campos O Processo de Dissolução Uma solução é uma mistura homogênea de soluto(presente em menor quantidade de mols) e solvente(presente em maior quantidade

Leia mais

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas 2º ANO QUÍMICA 1 1 mol 6,02.10 23 partículas Massa (g)? Massa molar Cálculo do número de mols (n) Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não

Leia mais

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Carbono é um elemento cujos átomos podem se organizar sob a forma de diferentes alótropos. Alótropos H de combustão a 25

Leia mais

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Propriedades Coligativas...1 Exercícios...3 Gabarito...5 Propriedades coligativas Propriedades

Leia mais

QIE0001 Química Inorgânica Experimental Prof. Fernando R. Xavier. Prática 09 Síntese do cloreto de pentaaminoclorocobalto(iii)

QIE0001 Química Inorgânica Experimental Prof. Fernando R. Xavier. Prática 09 Síntese do cloreto de pentaaminoclorocobalto(iii) UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE QUÍMICA DQMC QIE0001 Química Inorgânica Experimental Prof. Fernando R. Xavier Prática 09 Síntese do cloreto

Leia mais

O ANGLO RESOLVE A PROVA DE QUÍMICA DO ITA

O ANGLO RESOLVE A PROVA DE QUÍMICA DO ITA ANGL RESLE A PRA DE QUÍMICA D ITA É trabalho pioneiro. Prestação de serviços com tradição de confiabilidade. Construtivo, procura colaborar com as Bancas Examinadoras em sua tarefa árdua de não cometer

Leia mais

Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada apixaba de Química 2011 Prova do Grupo III 3 a série do ensino médio Fase 01 Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: oordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRIO

Leia mais

LIGAÇÕES QUÍMICAS TEORIA CORPUSCULAR

LIGAÇÕES QUÍMICAS TEORIA CORPUSCULAR LIGAÇÕES QUÍMICAS 5 TEORIA CORPUSCULAR 1 INTRODUÇÃO O fato de os gases nobres existirem na natureza como átomos isolados, levou os cientistas KOSSEL e LEWIS a elaborar um modelo para as ligações químicas.

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de QUÍMICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2015

Conteúdo Básico Comum (CBC) de QUÍMICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

Química D Extensivo V. 3

Química D Extensivo V. 3 Química D Extensivo V. 3 Exercícios 01) Alternativa correta: A 5 4 3 2 1 CH 3 CH 2 CH CH CH 2 OH CH 3 CH 3 metil metil 02) Alternativa correta: D 8 7 6 5 4 3 2 1 CH 3 C = CH CH 2 CH 2 CH CH 2 CH 2 OH CH

Leia mais

CONSTANTES DEFINIÇÕES

CONSTANTES DEFINIÇÕES QUÍMICA CNSTANTES Constante de Avogadro = 6,02 10 23 mol 1 Constante de Faraday (F) = 9,65 10 4 C mol 1 Volume molar de gás ideal = 22,4L (CNTP) Carga elementar = 1,602 10 19 C Constante dos gases (R)

Leia mais

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio?

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio? Questão 1: O Brasil é o campeão mundial da reciclagem de alumínio, colaborando com a preservação do meio ambiente. Por outro lado, a obtenção industrial do alumínio sempre foi um processo caro, consumindo

Leia mais

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUESTÃO 01 Um estudante listou os seguintes processos como exemplos de fenômenos que envolvem reações químicas: I adição de álcool à gasolina. II fermentação da massa

Leia mais

- A velocidade da reação direta (V1) é igual à velocidade da reação inversa (V2) V 1 = V 2

- A velocidade da reação direta (V1) é igual à velocidade da reação inversa (V2) V 1 = V 2 EQUILÍBRIO QUÍMICO Equilíbrio Químico - Equilíbrio químico é a parte da físico-química que estuda as reações reversíveis e as condições para o estabelecimento desta atividade equilibrada. A + B C + D -

Leia mais

38 C 37 B 39 D. Sabendo-se que a amônia (NH 3. ) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água. o diclorometano (CH 2.

38 C 37 B 39 D. Sabendo-se que a amônia (NH 3. ) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água. o diclorometano (CH 2. QUÍMICA 37 B Sabendo-se que a amônia (N 3 ) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água o diclorometano (C Cl ) não possui isômeros Sua molécula apresenta polaridade, devido

Leia mais

Pilha de moedas. Introdução. Materiais Necessários

Pilha de moedas. Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução A pilha eletroquímica é um sistema constituído por anodo (eletrodo de oxidação), catodo (eletrodo de redução), eletrólito (condutor iônico) e condutor metálico (condutor de corrente

Leia mais

Características e os efeitos das propriedades coligativas

Características e os efeitos das propriedades coligativas Características e os efeitos das propriedades coligativas O estudo das propriedades coligativas é um dos conteúdos mais importantes a serem estudados, pois facilita a compreensão de fenômenos químicos

Leia mais

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier Química em Solventes não Aquosos Prof. Fernando R. Xavier UDESC 2013 Reações químicas podem acontecer em cada uma das fases ordinárias da matéria (gasosa, líquida ou sólida). Exemplos: Grande parte das

Leia mais

Sistema ELITE de Ensino IME - 2014/2015 GABARITO COMENTADO FOLHA DE DADOS. Informações de Tabela Periódica

Sistema ELITE de Ensino IME - 2014/2015 GABARITO COMENTADO FOLHA DE DADOS. Informações de Tabela Periódica Sistema ELITE de Ensino IME - 014/015 FOLHA DE DADOS Informações de Tabela Periódica GABARITO COMENTADO Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 1,0 14,0 16,0 19,0 7,0 35,5 65,0 118,7 17,0

Leia mais

SUSPENSÕES E SOLUÇÕES

SUSPENSÕES E SOLUÇÕES SUSPENSÕES E SOLUÇÕES Definições SUSPENSÃO Mistura heterogênea de substâncias Ex.: sangue (suspensão de plasma e células) água e óleo; água e areia, água e açúcar SOLUÇÃO Mistura homogênea de substâncias

Leia mais

ELETROQUÍMICA (Parte II)

ELETROQUÍMICA (Parte II) ELETROQUÍMICA (Parte II) I ELETRÓLISE A eletrólise é um processo de oxirredução não espontâneo, em que a passagem da corrente elétrica em uma solução eletrolítica (solução com íons), produz reações químicas.

Leia mais

TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS

TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS CONDUTOMETRIA TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS CONDUTOMETRIA Baseia-se em medições de condutância das soluções iônicas (seio da solução). A condução de eletricidade através das soluções iônicas é devida

Leia mais

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS Em países quentes, é costume adicionar à água do radiador dos automóveis o etilenoglicol, que eleva a temperatura de ebulição da água. Evita-se

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q42 Ligação metálica

Química. Resolução das atividades complementares. Q42 Ligação metálica Resolução das atividades complementares 3 Química Q42 Ligação metálica p. 59 1 (Cefet-PR) Analise as afirmações a seguir: I. O metal X é leve, sofre pouca corrosão e é bastante utilizado na construção

Leia mais

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma MISTURA Quando na mistura tiver apenas

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I PROPRIEDADES COLIGATIVAS I CONCEITO São propriedades que dependem unicamente do número de partículas dispersas na solução. Não dependem da natureza das partículas dispersas. Observe, a seguir, alguns dados

Leia mais

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 CATEGORIA EM-2 Nº INSCRIÇÃO: Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 Questão 3: O chamado soro caseiro é uma tecnologia social que consiste na preparação e administração de uma mistura de água,

Leia mais

Química descritiva. www.sotaodaquimica.com.br Contato: sotaodaquimica@gmail.com 1

Química descritiva. www.sotaodaquimica.com.br Contato: sotaodaquimica@gmail.com 1 Química descritiva 01. (Ita) Um copo contém uma mistura de água, acetona, cloreto de sódio e cloreto de prata. A água, a acetona e o cloreto de sódio estão numa mesma fase líquida, enquanto que o cloreto

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q49 Polaridade das moléculas

Química. Resolução das atividades complementares. Q49 Polaridade das moléculas Resolução das atividades complementares 4 Química Q49 Polaridade das moléculas p 7 1 Em relação à polaridade das moléculas, responda: a) Quais as condições para que uma molécula seja polar? b) Uma molécula

Leia mais

Resumo Teórico. Fala Gás Nobre! Tudo bem?

Resumo Teórico. Fala Gás Nobre! Tudo bem? Resumo Teórico 2 Fala Gás Nobre! Tudo bem? Já assistimos todos os vídeos sobre a Poluição da Água. Estamos cada vez mais próximos do sucesso. Por isso quero te entregar esse material que contém o resumo

Leia mais

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura.

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura. SOLUÇÕES 1) (FEI) Tem-se 500g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? Dados: Coeficiente

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas.

A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas. A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas. Não há reação química que ocorra sem variação de energia! A energia é conservativa. Não pode ser criada

Leia mais

Questão 69. Questão 70. alternativa B. alternativa A

Questão 69. Questão 70. alternativa B. alternativa A Questão 69 Em um bate-papo na Internet, cinco estudantes de química decidiram não revelar seus nomes, mas apenas as duas primeiras letras, por meio de símbolos de elementos químicos. Nas mensagens, descreveram

Leia mais