ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS"

Transcrição

1

2 ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS A matéria é constituída de corpúsculos (átomos, íons ou moléculas) agregados uns aos outros. Esta agregação nos leva a distinguir na matéria três estados físicos fundamentais: SÓLIDO - São corpos que apresentam forma e volumes próprios; resistem a esforços de tração, compressão, flexão etc. São rígidos e incompressíveis. LÍQUIDO - São corpos que apresentam volumes próprios, mas não forma própria; não apresentam resistência a tração mas resistem à compressão. São fluidos e incompressíveis. GASOSO - Não apresentam forma nem volume próprios, tomando a forma e o volume do recipiente que os contém. Apresentam pequena resistência à compressão. São fluidos e compressíveis. Ferro em estado líquido 1. MUDANÇAS DE ESTADO Através do aquecimento ou do resfriamento de uma substância, promovemos a sua mudança de estado. stock photos Exemplo: - a fusão do gelo. Quando ao mudar de estado, a substância passa por um amolecimento gradativo até atingir o estado líquido, a fusão é pastosa. Exemplo: - a fusão da parafina. Solidificação: é a passagem de uma substância do estado líquido para o estado sólido. É a transformação inversa da fusão. Vaporização: é a passagem de uma substância do estado líquido para o gasoso. A vaporização pode se processar de três maneiras diferentes: EVAPORAÇÃO: é a vaporização lenta. Pode ocorrer em qualquer temperatura desse líquido. EBULIÇÃO: é um processo turbulento, que se verifica em toda a massa do líquido e só ocorre em uma determinada temperatura, chamada ponto de ebulição. CALEFAÇÃO: é a vaporização que ocorre quando um líquido é derramado sobre uma superfície aquecida a uma temperatura superior à de ebulição do líquido. Liquefação: é também chamada de condensação. É a passagem de uma substância do estado gasoso para o estado líquido. Sublimação: é a passagem da substância diretamente do estado sólido para o estado gasoso ou vice-versa. A fusão e a solidificação se processam na mesma temperatura, chamada temperatura (ou ponto) de fusão ou solidificação. A ebulição e a liquefação se processam na mesma temperatura, chamada temperatura (ou ponto) de ebulição ou de liquefação. As mudanças de estado obedecem às seguintes leis: Se a pressão for mantida constante, durante a mudança de estado a temperatura se mantém constante. Para uma dada pressão, cada substância tem a sua temperatura de mudança de estado. Variando a pressão, a temperatura de mudança de estado também varia. 2. CALOR LATENTE Vimos que calor latente é o calor que provoca mudança de estado da matéria e que, enquanto o corpo ganha ou perde calor latente, sua temperatura permanece constante. A quantidade de calor latente Q recebida ou perdida por um corpo é diretamente proporcional à massa m do corpo. Isto é: Vamos definir estes tipos de mudança de estado. Fusão: é a passagem de uma substância do estado sólido para o estado líquido. Quando na fusão há coexistência das fases sólida e líquida, a fusão énítida oucristalina, isto é, o corpo passa aos poucos de uma fase para a outra. onde L é chamado calor latente de fusão ou de vaporização. 14

3 Este calor depende: do tipo de mudança de estado (fusão, vaporização, etc.) da natureza das substâncias. Vale a pena lembrar que: CALOR LATENTE DE EBULIÇÃO = CALOR LATEN- TE DE LIQUEFAÇÃO TESTE DE SALA Calcule a quantidade de calor liberada quando 30 gramas de vapor de água a 100 o C são resfriados, sob pressão normal, até congelar a 0 o C. Dados: L(vaporização) = 540 cal/g; L(fusão) = 80 cal/g P.C. Ponto crítico Verifica-se experimentalmente que, quanto mais baixa é a temperatura de um corpo, menor é a pressão necessária para que haja liquefação. Para cada substância no estado gasoso, existe uma temperatura determinada, acima da qual não é possível a liquefação, por maior que seja a pressão exercida. A esta última temperatura damos o nome de temperatura crítica (T.C.), que define o ponto crítico (P.C.) Obs.: Quando a temperatura de uma substância está acima da crítica, a substância recebe o nome de gás; quando a temperatura está abaixo da crítica, a substância é denominada vapor. Existem, no entanto, substâncias como a água, o ferro e o bismuto, por exemplo, que sofrem uma redução de volume ao passarem para o estado líquido. Para estas substâncias, o aumento de pressão acarreta uma diminuição do ponto de fusão. Em relação a essas substâncias, o gráfico da pressão em função do ponto de fusão se apresenta assim: LÍQUIDO 3. INFLUÊNCIA DA PRESSÃO NA MU- DANÇA DE ESTADO DE UMA SUBS- TÂNCIA De um modo geral, para um aumento de pressão, há um aumento na temperatura de mudança de estado. Construindo-se o gráfico cartesiano das condições de equilíbrio entre as fases sólido, líquido e gasoso, encontramos o diagrama de estado de uma substância. SÓLIDO Dá-se o nome de regelo à fusão do gelo em temperaturas mais baixas que o seu próprio ponto de fusão. Como vimos, o aumento da pressão causa na água um abaixamento no ponto de fusão, causando este fenômeno. No gráfico ( I ) a seguir, temos: Inicialmente, o gelo estava nas condições do ponto A. Com o aumento da pressão, ele passa de A para B, sofrendo fusão no ponto C. Com a descompressão, o sistema volta ao ponto A, ocorrendo o regelo. Uma experiência bastante interessante sobre este fenômeno é mostrada na figura (II). P.T Ponto triplo Este ponto representa as condições segundo as quais um corpo se situa entre as fases sólida, líquida e gasosa, em equilíbrio térmico. 15

4 Pendurando dois pesos na barra de gelo, aumentando a pressão nesta região, causamos a fusão do gelo, a água escorre para cima do cabo voltando ao estado sólido, formando o regelo. No final da experiência, vemos o cabo atravessar a barra, sem dividi-la em duas partes! SUPERFUSÃO A superfusão é um fenômeno que ocorre com um líquido, quando, ao ser resfriado lentamente, sem provocar nenhuma agitação em sua massa, o levamos a temperaturas mais baixas que o seu ponto de solidificação, ainda sob a forma de líquido. Na superfusão, a curva de resfriamento toma o aspecto da figura. FLUXO DE CALOR É a razão entre a quantidade de calor que passa de uma região para outra de temperatura menor e o tempo gasto nesta passagem. Q t A superfusão não é um estado permanente, de tal forma que, se atirarmos no líquido um pequeno cristal sólido ou se agitarmos o líquido, parte dele se solidificará rapidamente (trecho CD) e o líquido voltará (se aquece) à temperatura de solidificação (D); a partir daí, a solidificação se desenrolará normalmente (DE). 4. MÉTODOS DE PROPAGAÇÃO DO CALOR O calor é a energia térmica em trânsito entre dois corpos de temperaturas diferentes. O fluxo de calor se direciona sempre do corpo de maior temperatura para o corpo de menor temperatura. O calor pode se propagar de três maneiras distintas: CONDUÇÃO Quando o calor é transmitido de um ponto a outro através de agitação molecular dos choques entre as moléculas, sem haver transporte de matéria. É o caso de aquecermos a extremidade de uma barra metálica e sentirmos o aquecimento na extremidade oposta. Algumas substâncias conduzem calor melhor que as outras. O calor passa da região de maior para a de menor temperatura. O fluxo de calor depende: 1) da área A da chapa. Quanto maior a área, maior será a quantidade de calor que passa por ela; 2) da diferença de temperatura. Quanto maior a diferença de temperatura entre as duas regiões, maior será a quantidade de calor que passa através da chapa; 3) da espessura da chapa. Quanto mais espessa for a chapa, menor será a quantidade de calor que passa por ela. Nessa expressão, K é coeficiente de condutibilidade térmica da chapa, A é a área da chapa, DT é a diferença de temperatura entre as regiões, e é a espessura da chapa. O valor de K é grande para os bons condutores de calor, como os metais, e pequeno para os isolantes térmicos, como a lã. TESTE DE SALA (UFBA) A figura seguinte apresenta um bastão de alumínio de massa homogênea, cuja extremidade direita, colocada sobre a região da chama de uma vela, está a 80 o C, e a esquerda, segura pelas mãos de um garoto, está em torno de 30 o C. Sabendo-se que a condutibilidade térmica do alumínio é 0,50cal.s -1. cm -1 o C -1 e a secção transversal do bastão é de 4cm 2, calcule, em segundos, o tempo mínimo que o garoto sentirá variação de temperatura se, neste intervalo, o bastão absorveu 180 calorias. 16

5 CONVECÇÃO É a transmissão do calor através do transporte de matéria de um ponto para outro. Este processo só pode ocorrer nos fluidos (líquidos e gases) e consiste na formação das correntes de convecção : Se ao resfriarmos uma certa massa de água e anotássemos o seu volume a cada temperatura obteríamos o gráfico dado a seguir. A massa da substância é aquecida (A), ficando com densidade menor que as massas adjacentes. Subindo à superfície (B) ela se resfria, retomando a densidade inicial e, conseqüentemente, descendo novamente. IRRADIAÇÃO Quando a propagação do calor se faz através de ondas eletromagnéticas (raios infravermelhos), independendo da existência de meio material para a sua propagação. Exemplo: - o calor do Sol que atinge a Terra, se propaga no vácuo por irradiação. Laureni Fochetto Quando sentamos em frente a uma fogueira, recebemos energia por irradiação. 5. COMPORTAMENTO ANÔMALO DA ÁGUA A maioria das substâncias se contraem ao sofrerem solidificação. A água, entretanto, apresenta comportamento oposto. Podemos comprovar isso colocando no congelador uma garrafa cheia de água ou refrigerante (que contém grande parte de água): na mudança de fase, o recipiente pode quebrar. Percebemos que o resfriamento provoca uma contração até 4ºC. A partir deste ponto a água começa a se dilatar, apesar de estar sendo resfriada. O volume mínimo da amostra ocorre a 4ºC e conseqüentemente, nesta temperatura a sua densidade será máxima. TESTES DE CASA 01. (FTC-01) A água está continuamente sofrendo mudanças de fase na natureza. Quando líquida, evapora-se sob ação do calor do Sol e os vapores formados sobem, condensandose nas camadas superiores da atmosfera. É comum também a formação do orvalho, que, quando se solidifica, dá origem à geada. (Ramalho, p ) Considerando-se as mudanças de fase abordadas no texto, é necessária a absorção de energia, na forma de calor latente, para que ocorra a: 01) evaporação e a solidificação. 02) solidificação e a condensação. 03) condensação e a evaporação. 04) solidificação, apenas. 05) evaporação, apenas. 02. (FAVIC-03) Com base nos conhecimentos sobre calorimetria, marque com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas. ( ) Um corpo pode receber calor sem aumentar a sua temperatura. ( ) A troca de calor entre dois sistemas depende da energia térmica armazenada em cada um deles e não da diferença de temperatura entre ambos. ( ) Para corpos de uma mesma substância, a capacidade térmica é inversamente proporcional à massa. A alternativa que indica a seqüência correta, de cima para baixo, é a: 01) V F F 02) F F V 04) F V V 03) V V F 05) V V V 17

6 03. (UCS-01) A energia é uma grandeza física relacionada com os mais diversos fenômenos. Quase todas as coisas que acontecem na natureza podem ser interpretadas como transformações da energia. A energia transferida corresponde a calor ou trabalho. O equivalente mecânico do calor, determinado por James Joule na primeira metade do século XIX, é de 4,2 joules/caloria. Assim, quando 20 g de água sofrem variação de 1 C por agitação, a energia mecânica transferida à água vale, em joules, a) 5 b) 10 d) 42 c) 21 e) (UCS-03) Na natureza quase todos os sólidos têm os seus átomos dispostos ordenadamente, constituindo uma rede cristalina. Quando um sólido cristalino recebe calor, suas moléculas passam a se agitar mais intensamente. À temperatura de fusão, a agitação térmica é suficiente para destruir a estrutura cristalina. Considere um sólido cristalino de massa 100 g que se encontra a 327 C, que é a sua temperatura de fusão. O calor específico da substância constituinte do sólido vale 0,10 cal/g C e o calor latente de fusão vale 6,0 cal/g. Fornecendo ao sólido 120 cal de calor: a) a sua temperatura aumenta de 12 C. b) funde uma massa de 80 g do sólido. c) funde uma massa de 20 g do sólido. d) a sua temperatura varia de 120 C. e) a sua temperatura passa a 351 C. 05. (R.B-03) 06. (UEFS-02) Um aquecedor elétrico, de potência P, deve ser utilizado para fundir completamente, ao nível do mar, uma massa m de gelo inicialmente à temperatura To < 0 C. Desprezando-se as perdas e sendo c e L o calor específico e o calor latente de fusão do gelo, respectivamente, esse aquecedor deve permanecer ligado por um tempo mínimo igual a: a) b) c) m(ct P o L) P(LTo c) d) m Pm (ct L) o 07. (UEFS-01) LT o c mp e) Pm (LTo + c) O gráfico ilustra as transformações sofridas por 50g de uma certa substância inicialmente no estado sólido. Com base nas informações fornecidas no gráfico, pode-se concluir que o calor latente de fusão dessa substância, em cal/g, é igual a: a) 12 b) 18 d) 23 c) 20 e) (UCS-03) A temperatura de um corpo, inicialmente sólido, varia com a quantidade de calor que recebe, como mostra o gráfico abaixo. Na figura, tem-se a curva de aquecimento de uma amostra de líquido em que a temperatura está em função do tempo de aquecimento. A análise dessa curva de aquecimento, considerando-se que o líquido é uma substância pura, permite concluir: (01) O calor trocado até o instante t produz apenas variação de temperatura na amostra. (02) O calor absorvido até o instante t denomina-se calor latente de mudança de fase. (04) O líquido tem ponto de ebulição igual a 80 C. (08) O patamar da curva representa o fenômeno de vaporização do líquido. (16) O líquido deixa de absorver calor durante a mudança de estado físico. Sabendo que o calor latente de fusão da substância de que é feito o corpo vale 20 cal/g, o calor específico da substância no estado sólido, em cal/g C, vale: a) 0,050 b) 0,10 d) 0,20 c) 0,15 e) 0,25 18

7 09. (UCS-02) Uma amostra de 200 g de uma substância, inicialmente no estado sólido, é aquecida por uma fonte térmica de potência constante. O gráfico abaixo representa a temperatura da substância em função do tempo t de aquecimento. Sabendo que o calor latente de fusão da substância vale 40 cal/g, o seu calor específico no estado sólido, em cal/ g C, vale: a) 0,25 b) 0,40 d) 0,80 c) 0,64 e) 1,2 10. (UNIT-00) Um recipiente, de capacidade térmica desprezível, contém 400 g de água a 40 C. Introduzem-se no recipiente 100 g de gelo, a 0 C. Admitindo-se que não há trocas de calor com o ambiente, a temperatura final de equilíbrio, em o C, é: a) zero b) 5,0 c) 10 d) 16 e) (UCS-02) Colocam-se m gramas de gelo a 0 C num recipiente contendo 2 m gramas de água à temperatura t. Após certo tempo, verifica-se que há 2 m gramas de gelo boiando na água em estado de equilíbrio térmico. Admite-se não haver troca de calor com o ambiente, o calor latente de fusão do gelo é 80 cal/g e o calor específico da água é 1,0 cal/g C. Pode-se, então, concluir corretamente que a temperatura t da água, em C, era: a) 10 b) 15 d) 30 c) 20 e) (UNIT-02) Uma massa m de gelo a 0 C e outra M de vapor de água a 100 C, ao nível do mar, são colocadas em um recipiente de paredes adiabáticas e capacidade térmica desprezível. Verifica-se que o equilíbrio térmico é atingido a 40 C. Nessas condições, a relação m/m vale: a) b) 5 c) 1 d) 2 e) 5 Dados: calor específico da água = 1,0 cal/g C calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g Dados: calor específico da água = 1,0 cal/g C calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g calor latente de vaporização da água = 540 cal/g 13. (UCS-01) Uma esfera de cobre de 10,0 g é aquecida em água fervente a 100 C e, imediatamente, é tirada da água colocada sobre um bloco de gelo, suposto a zero graus Celsius, derretendo uma parte do gelo e formando uma cavidade. O volume dessa cavidade, em cm³, é um valor que pode ser estimado próximo de: a) 0,5 b) 1,3 c) 2,0 d) 9,2 e) (UCS-03) Em regime estacionário, o fluxo de calor (quantidade de calor por unidade de tempo) por condução num material homogêneo é proporcional à área A da seção transversal atravessada e à diferença de temperatura ( 2-1 ) entre os extremos e inversamente proporcional à espessura (e) da camada considerada. Esse processo é descrito pela função matemática A ( 2 ) K 1 e A constante K, que depende do material, é chamada de coeficiente de condutibilidade térmica. Sua unidade pode ser: a) b) c) J s.m. o C Dados: Calor específico do cobre = 0,092 cal/g C Calor de fusão do gelo = 80 cal/g Densidade do gelo = 0,92 g/cm³ J.s 2 o d) m C J 2 o e) s.m. C o cal.cm. C s cal. o C s.cm 15. (IME-RJ) Um vidro plano, com coeficiente de condutibilidade térmica 0, cal/s.cm C, tem uma área de 1000 cm² e espessura de 3,66 mm. Sendo o fluxo de calor por condução através do vidro de 2000 calorias por segundo, calcule em 10² C, a diferença de temperatura entre suas faces. 19

8 16. Uma barra de alumínio de 50 cm de comprimento e área de secção transversal 5 cm² tem uma de suas extremidades em contato térmico com uma câmara de vapor d'água em ebulição. A outra extremidade está imersa numa cuba que contém uma mistura bifásica de gelo fundente. A pressão atmosférica local é normal. Sabendo-se que o coeficiente de condutibilidade térmica do alumínio vale 0,5 cal/s.cm C, pede-se calcular a temperatura numa secção transversal da barra situada a 40 cm da extremidade mais quente. 17. (UCS-03) Considere os processos de transferência de calor e suas denominações: I. agitação das partículas a. condução II. propagação ondulatória b. convecção III. transporte de matéria c. irradiação A associação correta é: a) Ia, IIb e IIIc b) Ia, IIc e IIIb d) Ib, IIc e IIIa c) Ib, IIa e IIIc e) Ic, IIa e IIIb 18. (UCS-00) Considere o texto abaixo com as lacunas. Numa geladeira, o ar frio... e o ar quente... para ser resfriado, numa contínua corrente de... para facilitar o resfriamento do ar, o sistema de refrigeração é colocado na parte... da geladeira. As palavras que preenchem corretamente as lacunas são, respectivamente, a) sobe - desce - convecção - superior b) desce - sobe - convecção - superior c) sobe - desce - condução - inferior d) desce - sobe - condução - inferior e) sobe - desce - radiação - superior 19. (UNEB-01) O Sol aquece a Terra a partir da propagação de ondas eletromagnéticas. A esse fenômeno dá-se o nome de: 01) condução. 02) convecção. 03) irradiação. 04) calefação. 05) sublimação. 20. (UEFS-03) Experimentos simples mostram que as temperaturas de fusão e ebulição dependem da pressão que atua sobre as substâncias. O aumento da pressão diminui a temperatura de fusão e aumenta a temperatura de ebulição. Sabe-se que a água tem ponto de ebulição 100 C, quando está sob pressão de 1atm. A partir dessas informações e dos conhecimentos de hidrostática, pode-se inferir que, na cidade de Campos do Jordão, situada a 1700m acima do nível do mar: a) a pressão atmosférica é superior a 1atm. b) o ponto de ebulição da água é inferior a 100 C. c) o ponto de liquefação do vapor d'água é superior a 100 C. d) as moléculas de água precisam de maior energia para evaporar. e) as moléculas de vapor d'água absorvem maior quantidade de calor para se liquefazer. 21. (UCS-03) A temperatura de fusão do gelo ao nível do mar é 0 C. Com o aumento da pressão a temperatura de fusão diminui, pois o gelo diminui de volume ao se fundir. Assim, no topo de uma montanha a temperatura de fusão do gelo pode ser: a) -2 C b) 0 C c) 30 F d) 32 F e) 275 K 22. (UCS-02) Considere o diagrama de fases de certa substância. Analise as afirmações relativas a esse diagrama. I. S é um ponto que representa um equilíbrio entre as fases líquida e gasosa. II. No estado Q a substância pode se apresentar sólida e/ ou líquida. III. R é um ponto que representa um líquido. IV. Para pressões maiores que a do ponto T pode ocorrer a sublimação. São corretas SOMENTE: a) I e II b) II e III c) III e IV d) I, II e III e) I, II e IV 20

9 23. (FDC-02) Abaixo é apresentado o diagrama de estados físicos de certa substância pura. Nos eixos estão representadas pressões e temperaturas. 25. (UNEB-02) Sob pressão atmosférica normal, a densidade da água varia em função da temperatura, de acordo com o gráfico. Considere as afirmações: I. Partindo do estado A, a substância poderá se solidificar por abaixamento de temperatura, à pressão constante. II. A partir do ponto A, pode-se conseguir a vaporização por redução de pressão, mantida a temperatura constante. III. A passagem de B para C é denominada sublimação. IV. No ponto T, a substância pode se apresentar nos três estados físicos, simultaneamente. Dentre elas, são corretas: a) apenas I e II b) apenas III e IV c) apenas I, II e III d) apenas I, II e IV e) I, II, III e IV. 24. (FTE-01) Considerando-se essas informações e o fato de a água, na forma sólida, ser menos densa do que na forma líquida, é correto afirmar que esse fluido 01) mantém volume constante, ao ser aquecido a partir do ponto de fusão. 02) mantém volume constante, ao ser resfriado de 4 C até o ponto de solidificação. 03) se submete à contração térmica durante o resfriamento, à medida que vai atingindo temperaturas muito próximas do ponto de congelamento. 04) se submete à dilatação térmica durante o resfriamento, à medida que vai atingindo temperaturas muito próximas do ponto de solidificação. 05) tem, no processo de solidificação, aumento de massa e redução de volume. Questões 26 a 28 O estado físico em que uma substância se encontra depende das condições de pressão e temperatura. O gráfico abaixo representa o diagrama de fase do CO 2. (O gráfico não está em escala). Em regiões de inverno rigoroso, os lagos e os rios congelam apenas na superfície. Esse fenômeno, que ocorre devido à dilatação irregular da água, conforme gráfico, é fundamental para a preservação da fauna e da flora aquáticas e está associado ao fato de a água apresentar: 01) densidade máxima a 4 C. 02) volume máximo a 4 C. 03) contração térmica, ao ser resfriada de 4 C a 0 C. 04) ligações de hidrogênio apenas no estado líquido. 05) propriedades que possibilitam a manutenção da vida em quaisquer temperaturas intracelulares. 26. Região em que a substância está no estado líquido. 27. Ponto crítico. 28. Ponto de equilíbrio entre as três fases da substância. 21

10 29. Sobre problemas térmicos, podemos afirmar: (01) No alto das montanhas os alimentos ficam cozidos mais rapidamente porque o ponto de ebulição da água é inferior a 100ºC. (02) O tempo que se gasta para cozinhar os alimentos não depende da pressão local. (04) Quando tocamos em madeira ou metal, ambos à mesma temperatura, as sensações térmicas são iguais. (08) Como o ar não é bom condutor térmico, os pássaros eriçam suas penas para se manterem quentes. (16) Uma garrafa cheia d água pode quebrar, dentro de um congelador, porque a água ao se congelar sofre aumento de volume. (32) Ao bebermos água gelada, notamos que o copo sua, ficando com a parte externa molhada. Isto acontece porque a água atravessa as paredes do copo e molha a parte externa. 30. (UFBA) Em relação aos efeitos do calor e temperatura, podese afirmar: (01) Os melhores emissores de energia radiante são também os melhores absorventes dessa energia. (02) A condução é uma modalidade de propagação do calor que se realiza no vácuo. (04) A expansão dos gases no interior dos cilindros dos motores dos automóveis, logo após a explosão, provoca a realização do trabalho. (08) O ponto de fusão do gelo diminui com o aumento da pressão. (16) Entre as paredes das garrafas térmicas faz-se o vácuo para reduzir as trocas de calor por convecção. (32) O ponto de ebulição de um líquido diminui com o aumento da pressão. GABARITO ANOTAÇÕES E C 09 A C B 1 D C E B A B B 03 2 B A E C E B V F F V F 29 F F F V V F 30 V F V V V F 22

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor 3. Calorimetria 3.1. Conceito de calor As partículas que constituem um corpo estão em constante movimento. A energia associada ao estado de movimento das partículas faz parte da denominada energia intera

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 =

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 = PROVA DE FÍSIA 2º ANO - AUMULATIVA - 1º TRIMESTRE TIPO A 1) Assinale verdadeiro (V) ou falso (F) para as seguintes afirmativas. (F) Os iglus, embora feitos de gelo, possibilitam aos esquimós neles residirem,

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 9 (pág. 102) AD TM TC Aula 10 (pág. 102) AD TM TC Aula 11 (pág. 104) AD TM TC Aula 12 (pág. 106) AD TM TC Aula 13 (pág. 107) AD TM TC Aula 14 (pág.

Leia mais

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido.

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. EXERCÍCIOS PREPARATÓRIOS 1. (G1) Explique o significado das palavras a seguir. Observe o modelo. Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. Vaporização:

Leia mais

Ernesto entra numa fria!

Ernesto entra numa fria! A UU L AL A Ernesto entra numa fria! Segunda-feira, 6 horas da tarde, Cristiana e Roberto ainda não haviam chegado do trabalho. Mas Ernesto, filho do casal, já tinha voltado da escola. Chamou a gangue

Leia mais

Sólidos, líquidos e gases

Sólidos, líquidos e gases Mudanças de fase Sólidos, líquidos e gases Estado sólido Neste estado, os átomos da substâncias se encontram muito próximos uns dos outros e ligados por forças eletromagnéticas relativamente grandes. Eles

Leia mais

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA.

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA. AULA 05 TERMOMETRIA E ALORIMETRIA 1- TEMPERATURA Todos os corpos são constituídos de partículas, a olho nu nos parece que essas partículas estão em repouso, porém as mesmas têm movimento. Quanto mais agitadas

Leia mais

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas 01. (Uepg) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem

Leia mais

Aula 2: Calorimetria

Aula 2: Calorimetria Aula 2: Calorimetria Imagine uma xícara de café quente e uma lata de refrigerante gelada em cima de uma mesa. Analisando termicamente, todos nós sabemos que com o passar do tempo a xícara irá esfriar e

Leia mais

23-05-2012. Sumário. Materiais. Algumas propriedades físicas e químicas dos materiais

23-05-2012. Sumário. Materiais. Algumas propriedades físicas e químicas dos materiais Sumário Correção do TPC. Algumas propriedades físicas características de substâncias. Os estados físicos da matéria e as mudanças de estado; Temperatura de fusão e temperatura de ebulição; Densidade. Estados

Leia mais

Atividade de Reforço2

Atividade de Reforço2 Professor(a): Eliane Korn Disciplina: Física Aluno(a): Ano: 1º Nº: Bimestre: 2º Atividade de Reforço2 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A ATIVIDADE I. Leia atentamente o resumo da teoria. II. Imprima a folha com

Leia mais

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com A condição necessária para que haja propagação do calor de um ponto para outro é que exista diferença de temperatura entre os pontos. O calor pode se propagar de três maneiras: condução, convecção e irradiação.

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A 01) Baseado no que foi visto no laboratório sobre transmissão de calor, analise as alternativas abaixo. I. A convecção térmica só ocorre nos fluidos,

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... *

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO Antes de verificarmos como ocorrem as mudanças de estado físico de uma substância, vamos caracterizar cada um dos estados aqui estudados.

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

Unidade XII: Termologia

Unidade XII: Termologia Colégio Santa Catarina Unidade XII Termologia 163 Unidade XII: Termologia 12.1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria.

Leia mais

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores.

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores. ESTADOS DA MATÉRIA A matéria que temos a nossa volta é formada de moléculas que são constituídas por átomos. Uma combinação destes átomos forma as substâncias que conhecemos, porém, devemos salientar que

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO 23. Leia o seguinte texto: Considere que esse grande espelho, acima da camada da atmosfera, estará em órbita geoestacionária. Com base nessas informações,

Leia mais

Física 2ª série Ensino Médio v. 2

Física 2ª série Ensino Médio v. 2 ísica 2ª série Ensino Médio v. 2 Exercícios 01) Caloria é a quantidade de calor necessária para que um grama de água possa aumentar sua temperatura de 1,5 o C para 15,5 o C. 02) É o calor necessário para

Leia mais

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos F.02 Espelhos Planos e Esféricos 2º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Lista 04 Questão 01) Obedecendo às condições de Gauss, um espelho esférico fornece, de um objeto retilíneo de

Leia mais

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA.

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. 1)Considere os seguintes dados obtidos sobre propriedades de amostras de alguns materiais. Com respeito a estes materiais,

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 4 Calorimetria e mudanças de fase Calor sensível e calor latente Lei geral das trocas de calor... 1 Módulo 5 Calorimetria Estados físicos da matéria... Módulo Calorimetria

Leia mais

Colégio Nomelini. FÍSICA Aprofundamento Profº. JB

Colégio Nomelini. FÍSICA Aprofundamento Profº. JB FÍSICA Aprofundamento Profº. JB LISTA DE RECUPERAÇÃO MENSAL 2º. ANO EM DILATAÇÃO 1) 1. (Unesp 89) O coeficiente de dilatação linear médio de um certo material é e a sua massa específica a 0 C é. Calcule

Leia mais

Estados Físicos da matéria

Estados Físicos da matéria Estados Físicos da matéria Toda matéria, dependendo da temperatura, pode se apresentar em três estados: sólido, líquido e gasoso. O diagrama a seguir mostra as mudanças de estado, com os nomes particulares

Leia mais

ATIVIDADE II COLÉGIO TIA IVONE - CTI. PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): 1. Conceitue:

ATIVIDADE II COLÉGIO TIA IVONE - CTI. PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): 1. Conceitue: COLÉGIO TIA IVONE - CTI DISCIPLINA: QUÍMICA Data: / /2012 PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): ATIVIDADE II 1. Conceitue: a) Matéria b) Energia 2. Qual a relação entre matéria

Leia mais

Professores: Moysés/Abud

Professores: Moysés/Abud LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA 1 a UNIDADE FÍSICA Professores: Moysés/Abud 01. Se dois corpos, A e B, estão em equilíbrio térmico, então: a) as massas de A e B são iguais. b) as capacidades térmicas de

Leia mais

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico.

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico. 4. CALORIMETRIA 4.1 CALOR E EQUILÍBRIO TÉRMICO O objetivo deste capítulo é estudar a troca de calor entre corpos. Empiricamente, percebemos que dois corpos A e B, a temperaturas iniciais diferentes, ao

Leia mais

FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA

FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA 1 SOBRE Apanhado de exercícios sobre física térmica selecionados por segrev. O objetivo é que com esses exercícios você esteja preparado para a prova, mas

Leia mais

Aula: 16.2 Assíncrona Tema: Calor e temperatura

Aula: 16.2 Assíncrona Tema: Calor e temperatura Aula: 16.2 Assíncrona Tema: Calor e temperatura Conteúdo: - Mudanças de estado físico Habilidades: - Entender as mudanças de estado físico de diversas substâncias Mudança de estado físico O que caracteriza

Leia mais

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA A matéria pode se apresentar em diferentes estados físicos, como sólido, líquido e gasoso. Algumas propriedades da matéria dependem de seu estado físico. O estado sólido Em determinada

Leia mais

Propriedades físicas e químicas das substâncias

Propriedades físicas e químicas das substâncias Ciências Físico-Químicas - 7º ano Propriedades físicas e M. Neli G. C. Cavaleiro M. Domingas Beleza Há substâncias que, mesmo misturadas com outras, facilmente identificamos através de características

Leia mais

Lista de Exercícios Professor Mário http://www.professormario.com.br mario@meson.pro.br

Lista de Exercícios Professor Mário http://www.professormario.com.br mario@meson.pro.br 1. (Unicamp 93) Um aluno simplesmente sentado numa sala de aula dissipa uma quantidade de energia equivalente à de uma lâmpada de 100W. O valor energético da gordura é de 9,0kcal/g. Para simplificar, adote

Leia mais

Propriedades físicas e químicas das substâncias

Propriedades físicas e químicas das substâncias Propriedades físicas e químicas das substâncias Na Natureza há uma grande diversidade de materais. Muitos desses materais são substâncias mas será que são puras? Há substâncias que, mesmo misturadas com

Leia mais

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Física Questão 1 (Unirio 2000) Um aluno pegou um fina placa metálica e nela recortou um disco de raio r. Em seguida, fez um anel também de raio r com um fio

Leia mais

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Química Materiais, suas propriedades e usos Estados Físicos Estado vem do latim status (posição,situação, condição,modo de estar). O estado físico

Leia mais

Mudanças de Fase. Estado de agregação da matéria

Mudanças de Fase. Estado de agregação da matéria Mudanças de Fase Estado de agregação da matéria Investigando melhor... Para produzirmos gelo é preciso levar água até o congelador. Para produzirmos vapor é preciso levar água à chama de um fogão. Por

Leia mais

FÍSICA Questões de 1 a 20

FÍSICA Questões de 1 a 20 2ªSérieLISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA FÍSICA Questões de 1 a 20 1) (UFRN) Os carros modernos usam diferentes tipos de espelhos retrovisores, de modo que o motorista possa melhor observar os veículos que

Leia mais

g= 10 m.s c = 3,0 10 8 m.s -1 h = 6,63 10-34 J.s σ = 5,7 10-8 W.m -2 K -4

g= 10 m.s c = 3,0 10 8 m.s -1 h = 6,63 10-34 J.s σ = 5,7 10-8 W.m -2 K -4 TESTE DE FÍSICO - QUÍMICA 10 º Ano Componente de Física A Duração do Teste: 90 minutos Relações entre unidades de energia W = F r 1 TEP = 4,18 10 10 J Energia P= t 1 kw.h = 3,6 10 6 J Q = mc θ P = U i

Leia mais

CALORIMETRIA - TEORIA

CALORIMETRIA - TEORIA CALORIMETRIA - TEORIA A calorimetria é a parte da Física que estuda a quantificação e as trocas de energia entre os corpos, quando esta troca ocorre sob a forma de calor. Temos, então, a primeira pergunta:

Leia mais

A matéria possuem 7 estados físicos...

A matéria possuem 7 estados físicos... A matéria possuem 7 estados físicos... 1 Estado: SÓLIDO. 2 Estado: LIQUIDO. 3 Estado: GASOSO. 4 Estado: PLASMA. 5 Estado: O Condensado de Bose-Einstein. 6 Estado: Gás Fermiônico. 7 Estado: Superfluido

Leia mais

TERMODINÂMICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS. Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em. Universidade Santa Cecília Santos / SP

TERMODINÂMICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS. Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em. Universidade Santa Cecília Santos / SP CONCEITOS FUNDAMENTAIS Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em Universidade função do que Santa desejamos Cecília Santos estudar / SP termodinamicamente. Tudo que se situa fora do

Leia mais

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5 ºC.

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5 ºC. Exercícios calorimetria 1.Dona Maria do Desespero tem um filho chamado Pedrinho, que apresentava os sintomas característicos da gripe causada pelo vírus H1N1: tosse, dor de garganta, dor nas articulações

Leia mais

Aluno (a): Professor:

Aluno (a): Professor: 3º BIM P1 LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno: Data: / / Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte ( ) Recanto das Emas

Leia mais

CAPACIDADE TÉRMICA E CALOR ESPECÍFICO 612EE T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA?

CAPACIDADE TÉRMICA E CALOR ESPECÍFICO 612EE T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA? 1 T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA? A temperatura é a grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo. Ela caracteriza, portanto, o estado térmico de um corpo.. Podemos medi la

Leia mais

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 01 - A figura mostra um sistema massa-mola que pode oscilar livremente, sem atrito, sobre a superfície horizontal e com resistência do ar desprezível. Nesse

Leia mais

Resoluções das atividades

Resoluções das atividades LIVRO 3 FÍSICA 1 Resoluções das atividades Sumário Aula 9 Calorimetria II Aprofundamento...1 Aula 10 Estados físicos da matéria... Aula 11 Calorimetria e mudanças de fase Revisão...3 Aula 1 Propagação

Leia mais

A MATÉRIA E SEUS ESTADOS FÍSICOS I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE

A MATÉRIA E SEUS ESTADOS FÍSICOS I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE A MATÉRIA E SEUS ESTADOS FÍSICOS I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE Matéria é tudo em que você puder pensar, destas páginas que você está lendo até a cadeira que você está sentado, a água que

Leia mais

Determinação da condutividade térmica do Cobre

Determinação da condutividade térmica do Cobre Determinação da condutividade térmica do Cobre TEORIA Quando a distribuição de temperatura de um corpo não é uniforme (ou seja, diferentes pontos estão a temperaturas diferentes), dá-se expontaneamente

Leia mais

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura.

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura. LISTA 04 ONDAS E CALOR 1) A 10 C, 100 gotas idênticas de um líquido ocupam um volume de 1,0cm 3. A 60 C, o volume ocupado pelo líquido é de 1,01cm 3. Calcule: (Adote: calor específico da água: 1 cal/g.

Leia mais

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - CALORIMETRIA -

Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br - CALORIMETRIA - 1. (Fuvest 2005) Características do botijão de gás: Gás - GLP Massa total - 13 kg Calor de combustão - 40 000 kj/kg Vestibulando Web Page Um fogão, alimentado por um botijão de gás, com as características

Leia mais

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR Temperatura: é a grandeza que mede o grau de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Calor: é a energia térmica em trânsito,

Leia mais

A Matéria e Diagrama de Fases. Profº André Montillo www.montillo.com.br

A Matéria e Diagrama de Fases. Profº André Montillo www.montillo.com.br A Matéria e Diagrama de Fases Profº André Montillo www.montillo.com.br Substância: É a combinação de átomos de elementos diferentes em uma proporção de um número inteiro. O átomo não é criado e não é destruído,

Leia mais

DILATAÇÃO TÉRMICA. A figura mostra uma barra metálica, em duas temperaturas diferentes: Verifica-se, experimentalmente, que:

DILATAÇÃO TÉRMICA. A figura mostra uma barra metálica, em duas temperaturas diferentes: Verifica-se, experimentalmente, que: DILATAÇÃO TÉRMICA Uma variação de temperatura pode alterar o valor das grandezas de um corpo, tais como: a pressão de um gás, cor e um metal, a resistência elétrica de um condutor de eletricidade, a altura

Leia mais

FÍSICA. Calor é a transferência de energia térmica entre corpos com temperaturas diferentes.

FÍSICA. Calor é a transferência de energia térmica entre corpos com temperaturas diferentes. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 12R Ensino Médio Equipe de Física Data: FÍSICA CALORIMETRIA Calor Quando colocamos dois corpos com temperaturas diferentes em contato, podemos observar que a temperatura

Leia mais

A brisa do mar está ótima!

A brisa do mar está ótima! A brisa do mar está ótima! Mais um fim de semana. Cristiana e Roberto vão à praia e convidam Maristela para tomar um pouco de ar fresco e de sol, e tirar o mofo! É verão e o sol já está bem quente. Mas

Leia mais

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II CALORIMETRIA 1 Objetivos Gerais: Determinação da capacidade térmica C c de um calorímetro; Determinação do calor específico de um corpo de prova; *Anote a incerteza dos instrumentos de medida utilizados:

Leia mais

ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS

ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS ESTAOS FÍSICOS FUNAMENTAIS stock photos A matéria é constituída de corpúsculos (átomos, íons ou moléculas) agregados uns aos outros. Esta agregação nos leva a distinguir na matéria três estados físicos

Leia mais

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO:

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSOR: Erich/ André DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2 a EM Circule a sua turma: Funcionários: 2 o A 2ºB Anchieta:2 o NOME COMPLETO:

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C Colégio Santa Catarina Unidade XIII: Termodinâmica 89 Exercícios de Fixação: a) PV = nr T b)pvn = RT O gráfico mostra uma isoterma de uma massa c) PV = nrt d) PV = nrt de gás que é levada do e) PV = nrt

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças 1) (UNIGRANRIO) Um veículo de massa 1200kg se desloca sobre uma superfície plana e horizontal. Em um determinado instante passa a ser acelerado uniformemente, sofrendo uma variação de velocidade representada

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DE AMOSTRAS DE METAIS E ÁGUA

DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DE AMOSTRAS DE METAIS E ÁGUA DETEMINAÇÃO DO CALO ESPECÍFICO DE AMOSTAS DE METAIS E ÁGUA 1. Introdução O Calor Específico ou Capacidade Calorífica Específica, c, é a razão entre a quantidade de calor fornecida à unidade de massa da

Leia mais

Temperatura & lei zero

Temperatura & lei zero Temperatura & lei zero Termodinâmica : estudo da energia térmica ( energia interna ) dos sistemas Conceito central: temperatura Temperatura é um conceito de uso cotidiano e portanto seu entendimento é

Leia mais

Física. Atividades Adicionais. Determine, em função de F, a nova intensidade da força de repulsão.

Física. Atividades Adicionais. Determine, em função de F, a nova intensidade da força de repulsão. Atividades Adicionais Física Módulo 4 1. Qual é a intensidade da força de atração elétrica entre um núcleo de um átomo de ferro (Q = 26 e) e seu elétron mais interno (q = e), sabendo-se que este possui

Leia mais

Fig.: Esquema de montagem do experimento.

Fig.: Esquema de montagem do experimento. Título do Experimento: Tratamento de água por Evaporação 5 Conceitos: Mudanças de fases Materiais: Pote de plástico de 500 ml ou 1L; Filme PVC; Pote pequeno de vidro; Atilho (Borracha de dinheiro); Água

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante uma brincadeira, Rafael utiliza o dispositivo mostrado nesta figura para lançar uma bolinha horizontalmente. Nesse

Leia mais

(J/gºC) Água 4,19 Petróleo 2,09 Glicerin a 2,43. Leite 3,93 Mercúri o 0,14. a) a água. b) o petróleo. c) a glicerina. d) o leite.

(J/gºC) Água 4,19 Petróleo 2,09 Glicerin a 2,43. Leite 3,93 Mercúri o 0,14. a) a água. b) o petróleo. c) a glicerina. d) o leite. COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º TRIMESTRE 8º ANO DISCIPLINA: FÍSICA

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º TRIMESTRE 8º ANO DISCIPLINA: FÍSICA ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º TRIMESTRE 8º ANO DISCIPLINA: FÍSICA Observações: 1- Antes de responder às atividades, releia o material entregue sobre Sugestão de Como Estudar. 2 - Os exercícios

Leia mais

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação...

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação... PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Mudanças de estado

Leia mais

Como os seres vivos modificam o ambiente?

Como os seres vivos modificam o ambiente? Como os seres vivos modificam o ambiente? O ar e a água possibilitam a integração dos seres vivos na dinâmica planetária. Por que a parede do copo com água fria fica molhada? Será? Toda matéria é constituída

Leia mais

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03 FOLHAS DE PROBLEMAS Termodinâmica e teoria cinética Física dos Estados da Matéria 00/03 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto ª FOLHA

Leia mais

Água no feijão, que chegou mais um!

Água no feijão, que chegou mais um! Água no feijão, que chegou mais um! A UU L AL A Sábado! Cristiana passou a manhã toda na cozinha, preparando uma feijoada! Roberto tinha convidado sua vizinha, Maristela, para o almoço. Logo cedo, Cristiana

Leia mais

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA:

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: NOME: Nº 2 o ano do Ensino Médio TURMA: Data: 11/ 12/ 12 DISCIPLINA: Física PROF. : Petrônio L. de Freitas ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: INSTRUÇÕES (Leia

Leia mais

Atividade 1: Grandezas Químicas

Atividade 1: Grandezas Químicas COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9 Ano Prof.º: Hélen Cristina Disciplina Química Aluno (a):. No. Trabalho de Recuperação Data: / / Valor: Nota: Orientações: -Responder manuscrito; -Cópias de colegas,

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais

4. Introdução à termodinâmica

4. Introdução à termodinâmica 4. Introdução à termodinâmica 4.1. Energia interna O estabelecimento do princípio da conservação da energia tornou-se possível quando se conseguiu demonstrar que junto com a energia mecânica, os corpos

Leia mais

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2

Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2 HTTP://COMSIZO.BLOGSPOT.COM/ Resolução de Curso Básico de Física de H. Moysés Nussenzveig Capítulo 08 - Vol. 2 Engenharia Física 09 Universidade Federal de São Carlos 10/31/2009 *Conseguimos algumas resoluções

Leia mais

Propagação do calor. www.soexatas.com Página 1

Propagação do calor. www.soexatas.com Página 1 Propagação do calor 1. (Ufg 2013) Umidade é o conteúdo de água presente em uma substância. No caso do ar, a água na forma de vapor pode formar um gás homogêneo e incolor se sua concentração no ar estiver

Leia mais

AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES

AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES Prof.Me Elayne Química-Aula 1 MATÉRIA Tudo que ocupa lugar no espaço e tem massa é matéria. Energia tudo aquilo que pode modificar a estrutura da matéria, provocar

Leia mais

CAPÍTULO 6 Termologia

CAPÍTULO 6 Termologia CAPÍTULO 6 Termologia Introdução Calor e Temperatura, duas grandezas Físicas bastante difundidas no nosso dia-a-dia, e que estamos quase sempre relacionando uma com a outra. Durante a explanação do nosso

Leia mais

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA PROFESSOR PAULO CESAR (www.profpc.com.br) MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA PROFESSOR PAULO CESAR (www.profpc.com.br) MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES 01- A água é uma substância que existe em grande quantidade no nosso planeta. Ela se apresenta na natureza em três estados físicos. Quais são os estados físicos em que a água

Leia mais

IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Um pequeno refrigerador para estocar vacinas está inicialmente desconectado da rede elétrica e o ar em seu interior encontra-se

Leia mais

Introdução. Observando o ambiente

Introdução. Observando o ambiente Introdução A curiosidade natural do homem, o leva a explorar o ambiente que o cerca, observando, analisando, realizando experiências, procurando saber o porquê das coisas. Nesta atividade, exploradora

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t TERMOMETRIA TERMOLOGIA Temperatura grandeza escalar associada ao grau de vibração térmica das partículas de um corpo. Equilíbrio térmico corpos em contato com diferentes temperaturas trocam calor, e após

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO GRÉ MATA NORTE UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO CAMPUS MATA NORTE ESCOLA DE APLICAÇÃO PROFESSOR CHAVES LISTA DE EXERCÍCIOS ALUNO(A): Nº NAZARÉ DA MATA, DE DE 2015 2º ANO ESTUDO

Leia mais

3.2 Equilíbrio de Fases Vapor - Líquida - Sólida numa Substância Pura Consideremos como sistema a água contida no conjunto êmbolo - cilindro abaixo:

3.2 Equilíbrio de Fases Vapor - Líquida - Sólida numa Substância Pura Consideremos como sistema a água contida no conjunto êmbolo - cilindro abaixo: - Resumo do Capítulo 0 de Termodinâmica: Capítulo - PROPRIEDADES DE UMA SUBSTÂNCIA PURA Nós consideramos, no capítulo anterior, três propriedades familiares de uma substância: volume específico, pressão

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

03) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura.

03) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura. PROVA DE ÍIA º ANO - 1ª MENAL - 1º RIMERE IPO A 1) Assinale verdadeira (V) ou falsa () para as seguintes afirmativas. () alor é a energia interna em trânsito entre dois ou mais corpos devido ao fato de

Leia mais

Prof. Eduardo Loureiro, DSc.

Prof. Eduardo Loureiro, DSc. Prof. Eduardo Loureiro, DSc. Transmissão de Calor é a disciplina que estuda a transferência de energia entre dois corpos materiais que ocorre devido a uma diferença de temperatura. Quanta energia é transferida

Leia mais

Exercícios Complementares de Termologia - Wladimir

Exercícios Complementares de Termologia - Wladimir Questões de exercícios Complementares de Termologia Questão 01 (Fgv 2005) Em relação à termometria, é certo dizer que a) - 273K representa a menor temperatura possível de ser atingida por qualquer substância.

Leia mais

Química Geral PROF. LARISSA ROCHA ALMEIDA - CURSINHO VITORIANO 1

Química Geral PROF. LARISSA ROCHA ALMEIDA - CURSINHO VITORIANO 1 Química Geral AULA 1 PROPRIEDADES GERAIS DA MATÉRIA E CONCEITOS INICIAIS PROF. LARISSA ROCHA ALMEIDA - CURSINHO VITORIANO 1 Tópicos Matéria Energia Diagrama de Mudança de Fases Ciclo da Água Universo e

Leia mais

REVISÃO PARA AVALIAÇÃO 1º BIMESTRE CIÊNCIAS

REVISÃO PARA AVALIAÇÃO 1º BIMESTRE CIÊNCIAS REVISÃO PARA AVALIAÇÃO 1º BIMESTRE CIÊNCIAS 1) A partir das informações dadas, enumere as informações, em ordem sequencial, de acordo com as etapas do método científico: ( ) Conclusões ( ) Possíveis respostas

Leia mais

Lista de Férias / Física

Lista de Férias / Física Lista de Férias / Física Prof.: Alfredo Aluno(a): 01 07/07/2015 01. (UEPG PR) De um ponto de vista macroscópico pode-se considerar que a matéria pode se apresentar em três fases (ou estados): sólida, líquida

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ Exercícios de Calorimetria 1-Um recipiente metálico de capacidade térmica desprezível contém 1 de água. Colocado sobre um bico de gás de um fogão, a temperatura do conjunto sobe 36ºC em minutos. Nesse

Leia mais