Relatório das atividades realizadas pelo Cepto Científico da APMT durante o período de 2010 a 1013.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório das atividades realizadas pelo Cepto Científico da APMT durante o período de 2010 a 1013."

Transcrição

1 Associação Paulista de Medicina Associação Paulista de Medicina do Trabalho AV. Brigadeiro Luiz Antonio 275 6º A Tel.: (11) Presidente ( ): Gilberto Archero Amaral Relatório das atividades realizadas pelo Cepto Científico da APMT durante o período de 2010 a Ano de 2010 No dia 07 de agosto de 2010 foi realizado um curso sobre Atualização em Clínica Médica relacionada ao Trabalho, cuja programação segue no Anexo 1 No dia 20 de nov de 2010 foi realizada a primeira reunião de médicos residentes de Medicina do Trabalho conforme ata apresentada no Anexo 2 Foi o ano do recadastramento do quadro associativo em que foi feito também um levantamento dos interesses e necessidades. Foi destacado as atividades realizadas. Segue como Anexo 3parte dos resultados deste recadastramento. Ano de 2011 CURSOS: Ferramentas Ergonômicas para a Prevenção das Lombalgias e das Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho: 13 e 27 de Agosto; 10 e 24 de Setembro; e 08 de Outubro. o módulo I - Fundamentos de biomecânica e sua aplicação na prevenção das lombalgias: 13 de agosto o módulo II - Fundamento de biomecânica dos membros superiores e sua aplicação na prevenção dos DORT (distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho: 27 de agosto o módulo III - Ergonomia do trabalho em áreas administrativas e com sistemas informatizados: 10 de setembro o módulo IV - Antropometria e critérios Suzane Rodgers e Moore &Garg: 24 de setembro o módulo V - Aplicações práticas das ferramentas ergonômicas: 08 de outubro Curso de Atualização em Doenças Ocupacionais: 22 de outubro; 05, 19 e 26 de novembro; e 10 de dezembro. o Módulo I - Doenças Pulmonares Ocupacionais: 22 de outubro o Módulo II - Riscos Químicos: 05 de novembro o Módulo III - Otorrinolaringologia e Trabalho: 19 de novembro o Módulo IV - Biossegurança: 26 de novembro o Módulo V - Câncer Ocupacional e Saúde Mental: 10 de dezembro de 2011.

2

3 REUNIÕES CIENTÍFICAS 11 de julho: Consulta Pública sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador: reunião preparatória 10 de outubro: Gestão em Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP) 03 de setembro: Reunião com os presidentes das regionais Anexo 4 09 de novembro a 07 de dezembro: Curso modular de atualização em Perícia Previdenciária Anexo 5 Ano de de janeiro, 05 de maio e 25 de agosto de 2012, e 09 de março de 2013: Reunião de Ensino com as Faculdades de Medicina do Estado de São Paulo 21 de janeiro a 28 de fevereiro: Curso de Seguridade Social Anexo 6 25 de janeiro: Congresso Paulista de Medicina do Trabalho navio Zenith Anexo 7 21 de maio: Esclarecendo Situações Polêmicas em Relação ao Risco Ergonômico Um Fluxograma Prático de Ferramentas de Avaliação a Utilizar nas Diversas Situações de Trabalho - Lançamento do livro: ÍNDICE TOR-TOM 2ª. Edição - As 25 Aplicações Práticas do Método TOR-TOM 24 de Setembro: Por que deve ser criado um corpo de peritos médicos pelo Conselho Nacional de Justiça 15 de Outubro: Consulta Pública Norma Regulamentadora de Outubro: Plano Nacional de Saúde e Segurança no Trabalho. 05 de Novembro: Otorrinolaringologia e a medicina do trabalho. Ano de de março de 2013: Reunião de Ensino com as Faculdades de Medicina do Estado de São Paulo

4 Data: Sábado: 25-Agosto-2012 Ata da reunião de 05de maio (arquivo anexo) Horário: 9h00 13h00 Local: Associação Paulista de Medicina - Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 278. Tema Geral: Reunião de Ensino com as Faculdades de Medicina Coordenação: Flavia Almeida e Luiz Carlos Morrone Público alvo: docentes de MedTrab - Faculdades de Medicina Est.São Paulo Pauta: Ensino de Medicina do Trabalho na graduação Metodologia de Ensino Bibliografia Bancos de dados Residênciaem Medicina do Trabalho Formalização de programa de estágio cominstituições públicas (Ministério do Trabalho e INSS). Ampliar a oferta de bolsas para vagas em programas de residência Ampliar o número de preceptores/professores para a área Discutir em maior profundidade as questões políticas instituicionais. Envolver a ANAMT Data: Segunda Feira dia 24 de Setembro 2012 Arquivo de manifestação do Juiz Francisco Alves em anexo. Horário: 19h00 21h00 Local: Associação Paulista de Medicina - Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 278. Tema Geral: Por que deve ser criado um corpo de peritos médicos pelo Conselho Nacional de Justiça Coordenação: Luiz C. Morrone e Flávia Almeida _ Diretoria Científica da APMT Público alvo: Associados dos Deptos. de Medicina do Trabalho da Sociedade Paulista de Perícias Médicas (Pres. Mário Mosca), da Sociedade Brasileira de Pericias Mèdicas (Pres. Jarbas Simas), da Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas e do Depto de Medicina do Trabalho da Associação Paulista de Medicina do Trabalho (Gilberto Archero), Associaçâo Nacional de Médicos Peritos (ANMP) Geilson Gomes de Oliveira. Pauta: Os órgãos de governo devem ter um corpo próprio de peritos? Estratégia: 1- Manifestação do Juiz Francisco Alves dos Santos Júnior 2- André \Luiz Marques Instituto dos Advogados Previdenciários 3- Manifestação oficial das associações que estão organizando oevento. 24set/12 Anexo 8 - Moção sobre a criação do corpo de peritos Porque deve ser criado um corpo de peritos médicos pelo Conselho Nacional de Justiça. Os órgãos de governo devem ter um corpo próprio de peritos? Data: Segunda Feira dia 22 de Outubro 2012 Anexo Plano Nacional de Saúdee Segurança do Trabalho. Horário: 19h00 21h00 Local: Associação Paulista de Medicina - Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 278. Tema Geral: Plano Nacional de Saúde e Segurança no Trabalho.

5 Coordenação: Luiz C. Morrone e Flávia Almeida Diretoria Científica da APMT Público alvo: Associados dos Deptos de Medicina do Trabalho da Sociedade Paulista de Perícias Médicas (Pres. Mário Mosca), da Sociedade Brasileira de Pericias Mèdicas (Pres. Jarbas Simas), da Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas) e do Depto de Medicina do Trabalho da Associação Paulista de Medicina do Trabalho (Gilberto Archero), Associaçâo Nacional de Médicos Peritos (ANMP) Gilson Gomes de Oliveira. Pauta: As ações previstas pelos MInistérios da Saúde, do Trabalho e da Previdência Social Convidados: 1- Guilherme Franco Neto -Diretor do Depto de Saúde Ambiental e do Trabalhador do Ministério dasaúde. 2- Cid Roberto Bertozzo Pimentel - Diretor do Depto de Políticas de Saúde Ocupacional do Ministério da Previdência e Assistencia Social. 3- Rinaldo Marinho Costa Lima - Depto. de Segurança e Saúde no Trabalho da Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho Estratégia: 1- Manifestação oficial dos três ministérios por meio dos respectivos representantes 2- Manifestação das associações que estão organizando o evento. (30 minutos cada um) e a seguir debates por 30 minutos com os presentes. Mês de Novembro: Anfiteatros reservados. Data: Segunda Feira dia 05 de Novembro Arquivo anexo de exemplos de audiometrias que serãodiscutidas Horário: 19h00 21h00 Local: Associação Paulista de Medicina - Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 278. Tema Geral: Otorrinolaringologia e a medicina do trabalho. Coordenação: Luiz C. Morrone e Flávia Almeida Diretoria Científica da APMT Público alvo: Associados do Depto Medicina do Trabalho da APM Pauta: O exame audiométrico nos exames pré-admnissionais periódicos e Demissionais. Convidados: 1- Osmar Neto - Médico Otorrinolarigologista da ISCMSP e Professor da Disciplina de Doenças Profissionais do CEMT da FCMSCSP 2- Ana Paula Brunner Fonoaudióloga da ISCMSP e Professora do CEMT da FCMSCSP. 4- Mara Edwirges Rocha Gândara Médica Otorrinolarigologista do HC e Professora Faculdade de Medicina da USP Estratégia: Preleção inicial sobre como deve ser interpretado o exame audiométrido pelo Médico do Trabalho e apresentação de casos clínicos de perda auditiva induzida pelo ruído. 15out12 - Moção dirigida ao Ministério do Trabalho - AssociaçãoNacionaldeMedicinadoTrabalho-MárioBonciani Vice-Presidente, SociedadeBrasileiradeMédicosPeritos JarbasSimas Presidente, AssociaçãoPaulistadeMedicinadoTrabalho-GilbertoArcheroAmaral Presidente, AssociaçãoBrasileiradeHigienistasOcupacionais JoséManuelGanaSoto

6 Anexo 1 - Data Atualização em Clínica Médica relacionada ao 07/08/2010 Trabalho 8h Abertura 8h30 Câncer Ocupacional Palestrante: Luiz Carlos Morrone - Mestrado e Doutorado em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP. - Professor Adjunto do Depto. de Medicina Social da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa SP responsável pela área de Medicina do Trabalho. - Coordenador do Programa de Residência em Medicina do Trabalho da da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP) - Coordenador do Ambulatório de Doenças Ocupacionais da ISCMSP. 9h30 Debate 10h Coffee Break 10h30 Gastroenterologia relacionada ao trabalho Palestrante: Valdir Reginato - Médico Clínico Geral e Gastroenterologista - Médico do Trabalho pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo - Especialista em Homeopatia pela Associação Paulista de Homeopatia - Doutor em Ciências pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - Dedica-se a Medicina da Família (sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Medicina de Família) 11h30 Debate 12h Almoço 13h30 Apresentação de temas livres Residentes 14h30 Cardiopatia e Trabalho Palestrante: Nelson Nisenbaum - Médico Clínico Geral - Professor de Morfologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo - Delegado Regional do CRM em São Bernardo do Campo e Diadema - Médico do Serviço de Urgência e Emergência da Prefeitura de São Bernardo do Campo - Membro do Conselho Municipal de Saúde de São Bernardo do Campo 15h30 Debate 16h Coffee Break 16h15 Pneumopatia Ocupacional Palestrante: Jefferson Benedito Pires de Freitas - Médico pneumologista - Secretaria Municipal de Saúde Prefeitura Municipal de São Paulo e - Médico do Trabalho pela Santa Casa de São Paulo - Mestrado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (2001) - Professor instrutor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. 16h40 Debate 17h Encerramento

7 Anexo 2-1ª Reunião de Residentes e Preceptores em Medicina do Trabalho do Estado de São Paulo - 20/11/10 A 1ª Reunião de Residentes e Preceptores em Medicina do Trabalho do Estado de São Paulo realizou-se na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo no dia 20 de novembro de 2010 com a proposta de discussão sobre alguns temas que envolvem a Medicina do Trabalho e sua residência, além de mantermos maior contato entre as instituições. Estiveram presentes na ocasião: Representando os docentes: Camila Rodrigues Bressane Cruz - preceptora da Residência em Medicina do Trabalho do IAMSPE/SP Luiz Carlos Morrone - preceptor da Residência em Medicina do Trabalho na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa/SP Maria José Fernandes Gimenes - supervisora da Residência em Medicina do Trabalho da Faculdade de Medicina da USP/SP e da Faculdade de Medicina do ABC Representando os residentes: Leandro Muller de Arruda - residente R2 em Medicina do Trabalho da Santa Casa/SP Juliana MidoriHayashide - residente R2 em Medicina do Trabalho da Santa Casa/SP Felipe Campoi Borghetti - residente R2 em Medicina do Trabalho do IAMSPE/SP Renata Suguimoto Vido - residente R1 em Medicina do Trabalho da Santa Casa/SP Eliane de Medeiros Kawakami - residente R1 em Medicina do Trabalho da Santa Casa/SP Mariana Queiroz Florindo Soeiro de Souza - residente R1 em Medicina do Trabalho do IAMSPE/SP Rui Manuel Capo - residente R1 em Medicina do Trabalho da FMUSP/SP Guilherme de Melo Neves - residente R2 em Medicina do Trabalho da FMUSP/SP Guilherme Augusto Carvalho Salgado - residente R2 em Medicina do Trabalho da Universidade Federal de Minas Gerais UFMG Michele Nusbaum - interna da Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro/SP Convidados outros preceptores e residentes, além da Residência em Medicina do Trabalho da UNICAMP, porém não puderam estar presentes nesta reunião.

8 As pautas iniciais propostas pelos residentes foram: 1-Diferenças e semelhanças dos programas de residência 2- Alterações desejáveis 3- Percepção dos médicos residentes se a residência médica faz diferença na carreira. O mercado de trabalho valoriza? 4- A opção da residência em Medicina do Trabalho é válida? 5- As preceptorias (como um todo) dão assistência? 6- A existência de um ambulatório de Doenças Ocupacionais é obrigatória na formação do médico residente? Pautas dos preceptores: 1- Como ampliar o número de vagas 2- Como ampliar o número de programas 3- Mudanças necessárias ao Programa previsto pela Comissão Nacional de Residência Médica CNMR Feitas as devidas apresentações, Dr. Morrone iniciou a reunião falando sobre sua experiência na residência médica em Medicina do Trabalho na Santa Casa e no Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo (IAMSPE). Comentou que os programas tem algumas diferenças do programa previsto pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). Citou os estágios mensais em diversas áreas feitos pelos residentes (R1 nas áreas clínicas e cirurgia e R2 em empresas, organizações federais dentre outros) com a elaboração de relatórios mensais ao término contendo os rendimentos e experiência de cada residente e discutidos em reuniões ás sextas-feiras. Além disso, há a obrigatoriedade do curso de especialização para os R1 na Santa Casa/SP durante um ano, proporcionando a parte teórica em Medicina do Trabalho já no primeiro ano de residência. Sobre os ambulatórios de Doenças Ocupacionais deas instituições, expôs a forma de atendimento, da possibilidade de visitas ao local de trabalho dos pacientes com posterior relatório de conclusão com recomendações ao paciente e á empresa. Dra Maria José relatou que o primeiro residente em sua instituição foi em 2006; o curso é realizado nos ambulatórios das clínicas distribuídas na região da Grande SP ABC, a parte teórica é realizada no curso de especialização da FMUSP/SP no primeiro ano. No segundo ano, o residente faz a parte prática, estagiando em indústrias e outras instituições. Sente que há necessidade de uniformizar e oficializar parcerias conjuntas entre as instituições (tanto entre as residências quanto às empresas/instituições) para melhor andamento do programa de residência, já que encontra algumas dificuldades nesse sentido. Também disse que para a construção dos diferentes programas, é essencial que se considere a percepção dos residentes.

9 O R2 da UFMG Guilherme A.C. Salgado nos explanou o programa de residência que fez: os residentes fazem estágios de 3 meses em cada local (por exemplo, empresas, sindicatos, clínicas- ortopedia, neurologia, dermatologia, reumatologia, SESMT s, Emergência). Refere que tem aulas teóricas com alguns preceptores, cursos externos, participou de cursos na Fundacentro, no Cerest, além de curso de ergonomia e de direito do trabalho, mas que tais dependiam também muito do interesse de cada residente em buscar tais conhecimentos. Sente falta em alguns programas, um curso de Gestão em Saúde, considerando importante para nossa formação, já que fará parte de nossa rotina diária. Também nos conta que sua residência se mescla parte teórica e parte prática em dois anos de formação, realizando também vistorias aos locais de trabalho. Na FMUSP/SP o R2 Guilherme Neves disse que o R1 é composto de estágios nas clínicas e nas especialidades e parte teórica distribuída no R1 e R2, realizada na sua instituição mesmo; já o R2 se passa no Cerest, Fundacentro, dentre outros mas refere sentir falta de visitas ao local de trabalho durante sua formação. O residente Leandro R2 da Santa Casa/SP enfatizou estágio em empresas de Medicina Ocupacional terceirizadas, pois considera de grande importância para a formação do residente que tenhamos contato também com o setor administrativo. Como próxima pauta, se a opção da residência em Medicina do Trabalho é válida em relação ao curso de Especialização, após discussão, concluiu-se que é de grande validade, porém o mercado deveria valorizar tal opção. Se há assistência da preceptoria, foi dito que normalmente os residentes não se sentem desassistidos na residência, porém o mesmo não é nas empresas. Dra Maria José sente falta da preceptoria dos residentes nas clínicas. Um relato interessante foi dado pelo residente Rui Capo: quando estava estagiando na Ortopedia, lhe foi solicitado uma aula sobre a função do Médico do Trabalho, pois não sabiam ao certo do que tratávamos. Quanto às reivindicações, o ideal seria ampliar o número de vagas (Dra Camila e Dra Maria José citam que em suas instituições existem 2 vagas, mas somente 1 bolsa). Todos concordam que realmente há dificuldade em aumentar o número de vagas. Além disso, para que haja melhores profissionais no mercado de trabalho e valorização profissional, propusemos algumas recomendações à ANAMT, como: - Atuar no sentido de aumentar o número de Programas de Residência assim como de vagas com bolsas; - Aumentar a representatividade dos residentes e dos preceptores a nível nacional; - Facilitar custos para os residentes (descontos diferenciados em Congressos/ Simpósios), com mais ajuda de custo, estadia e alimentação; - Divulgar a residência em Medicina do Trabalho e sobre o médico do trabalho e suas funções, contando com a participação do residente, que participa da estrutura geral do hospital a que

10 está vinculado e criando fluxo de pacientes ao ambulatório de Doenças Ocupacionais. - Cursos de Especialização em Medicina do Trabalho somente nas instituições onde houver a disciplina de Medicina do Trabalho; - Melhorar a qualidade dos cursos de especialização, de seu conteúdo na parte prática e prérequisitos para o título de especialista; - Fiscalização em relação aos cursos disponíveis; - Carga horária média dos cursos de Especialização de 12 a 16 horas semanais e consecutivas; - Obrigatoriedade dos estágios práticos durante a formação do médico do trabalho; - Dificultar as exigências para o título e cursos de especialização, com estágios monitorados que completem mínimo de 1240 horas; - Que a periodicidade da prova para obtenção do título seja anual Foi proposto tais recomendações sejam encaminhadas à ANAMT e ao outros residentes e preceptores, além de realização de encontros periódicos para continuidade da discussão, com a presença de um representante da ANAMT e que outros questionamentos e propostas sejam feitos e estendidos às Residências em Medicina do Trabalho de todo o Brasil. Mariana Queiroz Florindo Soeiro de Souza Relatora da reunião

11 Associação Médica Brasileira - AMB Associação Nacional de Medicina do Trabalho - ANAMT Associação Paulista de Medicina - APM Associação Paulista de Medicina do Trabalho - APMT Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 278 6ºA Tel Anexo 3 - RESULTADO DA PESQUISA SOBRE PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PARA O ANO DE 2011 Dados compilados pela Dra. Flávia Almeida. Total de colegas que responderam: Cite por ordem de prioridade, os tipos de assuntos que teria necessidade de discutir para seu aprimoramento profissional: A) RISCO QUIMICO: 27 Intoxicação metais pesados: 1 Risco em soldagem: 2 Toxicologia: 15 Agente químico: 4 Intoxicação com produto químico: 1 Controle clinico / laborat. Risco químico: 2 Indicador biológico de exposição: 2 B) RISCO FÍSICO: 21 Disturbio de audição/pair: 10 Ruído: 1 Ruído e legislação:1 PCA: 3 Audiometria ocupacional:1 Radiação ionizante:2 Dosimetria rad. íon: 1 Calor e trabalho: 1 Risco físico: 1 C) ERGONOMIA: 86 Ergonomia: 43 Ergonomia construção industrial: 1 Ergonomia na organização do trabalho e cognitivo: 2 Laudo ergonômico: 1 LER/DORT: 20 Problema jurídico DORT: 1 Disturbio ortopédico/osteomusc.: 5 Lombalgia no trabalhador: 4 Afecções da coluna vertebral: 5 Semiologia osteomuscular:3 (geral/lombalgia e bursite) Alteração osteomusc. E nexo : 1

12 D) TRANSTORNOS MENTAIS E TRABALHO: 23 Stress e trabalho: 5 Transtorno mental e trabalho: 12 Psicologia do trabalho:1 Assedio moral: 3 Saúde mental diagn. e prevenção: 1 Doença psicossomática: 1 E) GESTÃO: 23 Gestão em saúde ocupacional:2 Gestão/programa de qualidade de vida: 3 gestão de qualidade : 1 Combate ao absenteísmo: 3 Gestão estratégica de saúde: 1 Sistema de gestão integrada segurança e saúde ocupacional: 13 F) LEGISLAÇÃO: 43 Legislação: 42 Comparar legislação Brasil com o mundo: 1 G) PERICIAS: 25 Perícias: 15 Perícia em doença mental: 1 Perícia em doença dermatológica: 1 Ativação do assistente técnico nos processos judiciais: 1 Perícia no trabalho rural: 1 Laudo pericial: 1 Casos jurídicos: 1 Honorários da perícia: 1 Processo trabalhista: 1 Perícia INSS: 1 Formação ética perito justiça do trabalho: 1 H) NTEP/FAP: 17 Contestação NTEP:1 FAP/NTEP: 16 I) PCMSO: 32 NR 7: 7 Gestão PCMSO: 1 PCMSO e NR 32: 1 PCMSO e novas NRs : 1 PCMSO modelo prático/atualização: 3 PCMSO para transporte coletivo urbano: 1 Exigência de adequação PCMSO prestadores de serviços: 1 PCMSOXPCMAT: 1 Melhoria do exame admissional/critérios/exs. complementares: 3 Exames complementares no PCMSO: 2 Exames complementares de imagem méd. trabalho: 1 I) PCMSO: 32 (cont.) Exames complementares de motorista: 2 Exames complementares de profisssionanais de tratamento de efluente: 1 Exames para pessoas que trabalham com segurança (vigia e porteiro): 1

13 Exames ocupacionais atuais: 1 Critérios aptidão/inaptidão: 2 Incapacidade: 2 Retorno ao trabalho de quem não quer voltar, como faezr para não demiti-lo: 1 J) Ambiental: 2 Gestão ambiental: 1 Saúde ambiental: 1 K) NR 32: 13 NR 32: 8 Vacinação: 1 Doenças infecto contagiosas e profissional da saúde: 1 Méd. do trabalho e médicos plantonistas: 1 Atendimento profissionais da saúde: 1 Acidente com material biológico: 1 L) Teleatendimento: 7 Teleatendiemnto: 1 Perda auditiva/ disacusiateleatendimento: 3 Saúde vocal e teleatendimento: 2 Doença psiquiátrica e teleatendimento: 1 M) Doenças respiratórias: 8 Programa de conservação respiratória: 1 Pneumoconiose: 1 Pneumopatiaocupacional:1 Riscos ocupacionais respiratórios: 1 Alteração espirometria: 2 Doença respiratória: 1 Asma ocupaional: 1 N) INSS e demais instituições: 19 INSS e medicina do trabalho: 11 INSS e detran: 1 Afastamento INSS(alta sem condições de trabalhar?): 2 Conflitos medicina do trabalho X INSS X CEREST X DRT: 1 ANS e saúde ocupacional: 1 Relação medico do trabalho e sindicato: 1 Papel CEREST: 1 Relação medico do trabalho e ministerio do trabalho: 1 Desafios construção RENAST: 1 O) Ética e responsabilidades do medico do trabalho: 11 Ética na medicina do trabalho: 4 Etica e empregador: 2 Autonomia e independência méd. do trabalho: 1 O) Ética e responsabilidades do medico do trabalho: 11 (cont,) Relação méd. trabalho e empregador: 1 Responsabilidade jurídica medico trab.: 1 Responsabilidade civil medico trab.: 1 Corresponsabilidade com prestador de serviços: 1

14 P) Trabalho rural: 3 Cana de açúcar: 2 Trabalho com maquina agrícola: 1 Q) PPRA: 3 PPRA: 1 Avaliação riscos ocupacionais: 1 Avaliação do posto de trabalho: 1 R) Formação medicina do trabalho: 2 Formação medicina do trabalho: 1 Avaliação de competência profissional de saúde ocupacional: 1 S) DIVERSOS Doenças ocupacionais/atualização: 7 PPP e responsabilidades Méd. Trab.: 7 Epidemiologia / estatística ocupacional: 5 Enquadramento PCD(deficiente):4 Reabilitação: 5 Higiene do trabalho: 3 Atualização em acidente de Trabalho: 3 Espaço confinado: 3 Trabalho em altura: 3 Nexo causal: 4 Aspecto financeiro/salário/honorários da medicina do trabalho: 3 ASO/ASO(fazer sem PPRA e PCMSO?Responsabilidades em relação às pequenas empresas que só faz o ASO): 3 Construção civil:2 Insalubridade: 2 Periculosidade: 2 Saúde do trabalhador na industria alimentícia: 2 Nanotecnologia: 2 Dermatose ocupacional: 2 Atualização em diagnóstico e uso da tecnologia: 2 Atualização: 2 Avaliação clínica (hepática, renal, hematológica) para risco químico, físico e função de segurança: 1 Doenças não ocupacionais e relação com o trabalho: 1 HAS e trabalho:1 NR 31: 1 Marketing em medicina do trabalho: 1 Atualização operacional do dia a dia: 1 S) DIVERSOS (cont.) Revisão de condutas alteradas no último ano: 1 Implantação de diretrizes problemáticas: 1 Interpretação e implementação NR por ramo de atividade: 1 Perfil epidemiológico: 1 Como usar tabela susep: 1 Medicina do viajante: 1 EPC: 1 Fisioterapia na empresa: 1 Hematologia e medicina do trabalho:1 Disfonia: 1 Diferenças entre exposição eventual, intermitente, permanente e habitual: 1

15 Titulo de especialista méd. trabalho: 1 Suicídio e trabalho: 1 Transtornosono e absenteísmo: 1 Desterceirização SESMT:1 Diferenciar trabalhador e simulador:1 Indicador de saúde do trabalhador: 1 Protocolos: 1 Condutas TC hérnia discal sem dor:1 Conduta FST por 2 anos sem resultado: 1 Depressãoexógena: 1 Como diagnosticar dor: 1 integração medico assistencial: 1 companheirismointerprofissional: 1 relação SESMT e estatuto do idoso:1 agressão física e trabalho: 1 educação à distancia:1 novosdesafios: 1 histórico:1 Discussão de casos: 1 CAT: 1 Religiosidade e saúde do trabalhador: 1 Câncerocupacional: 1 2- Sua opção para participar das reuniões científicas (duas horas de duração) A) Interesse: Sim: 116 Não: 16 B)Periodicidade: Mensais:23 Bimestrais: 50 Trimestrais: 43 C) Local: Sede da APM: 87 Outro local: São Paulo: Fundacentro (1) Fecomercio (1) regional vila mariana (1) APM regional (3) região sul de SP (2) USP/Santa Casa (1) fora do centro de SP (1) Interior de SP (19) Barra Bonita (1) Campinas (6) Botucatu ou Bauru (3) Baixada Santista (2)

16 Osasco (2) São Bernardo do Campo/Diadema-ABCD (1) RibeirãoPreto (1) Vale do Paraíba (1) Sorocaba (1) D) Horário: 19h e 21h00: 70 20h00 e 22h00: 55 Outro horário: sábado (manhã)10 às 12h (11), quarta ou sexta (1), sexta (1) 3- Sua opção para participar em Jornadas de 8 a 12 horas de duração. A)Interesse: Sim: 124 Não:16 B) Periodicidade: Semestrais: 84 Anuais: 38 C) Local: Sede da APM: 90 Outro local: São Paulo: Fundacentro (1) APM regional (5) região sul de SP (1) USP/Santa Casa (1) Hotel/centro de convenções(1) Interior de SP (18) Campinas (4) Botucatu ou Bauru (3) Baixada Santista (2) Osasco (1) Ribeirão Preto (2) Vale do Paraíba (2) Sorocaba (1) Itu (1) C) Horário: noite de sexta feira das 19h00 às 21h00 e no sábado de 8h00 às 17h00: 62 sábado de 8h00 às 17h00: 81 Outra proposta: sexta (2), sábado a tarde e domingo de manhã(1), sexta a noite e sábado de manha (1), durante a semana a noite(1) 4- Sua opção para participar em Congressos e/ou Jornadas de 16 a 24 horas de duração. A)Interesse: Sim: 131 Não: 21

17 B) Periodicidade: Anuais: 90 Bienais: 32 C) Local: Sede da APM: 82 Outro local: São Paulo: APM regional (4) região sul de SP (1) USP/Santa Casa (1) Hotel/centro de convenções(2) Interior de SP (17) Campinas (4) Botucatu/Bauru/Marilia/São José do Rio Preto/Pres. Prudente (2) Baixada Santista (2) Osasco (1) Ribeirão Preto (1) Vale do Paraíba (1) Sorocaba (1) Águas de São Pedro (1) ABCD(são Bernardo/diadema) (1) C) Horário: Inicio Quinta-feira 20h00 e término sábado 17h00: 56 no sábado de 8h00 às 17h00: 70 Outra proposta: sexta e sábado (4), sábado e domingo (1), sexta 20h até domingo 12h (3), inicio sexta (2), segunda a sexta (1), noite durante a semana (1) 5- Forma de organização dos eventos: A) Cursos ministrados por um docente Sim: 108 Não: 13 B) Reuniões com participação de vários profissionais na forma de seminários com tempo para debates dentre presentes e participantes Sim: 116 Não: 11 B) Outra proposta: lavagem de roupa suja da área, tempo para dúvidas. Discussão de casos Experiências pessoais Mix dos 2 modelos Dar oportunidade a novos colegas saindo da mesmice Poder publico X poder privado Mais de 1 docente não repetitivo e seqüenciado

18 Unimed operacional Curso APM em São Bernardo/diadema Exposição dialogada, debate de filmes 6- Forma de recebimento de informações: A) carta: 110 B) Outras observações: Abrir regional em Assis Em cidades pequenas que a medicina do trabalho não é levada a sério como proceder? Identificar associados com identidade da APMT Divulgar calendário anual de reuniões Não cobrar valor absurdo como no último congresso Walter Colallilo interesse em participar diretoria APMT Divulgação de mais cursos Divulgar cursos para estudantes em formação de méd. do trabalho para estimularnovosassociados Curso mais curto, breve, durante a semana a noite Após ver mesa diretiva retomou interesse em ser membro da APM Pensar em inovar uso de informática e Internet APMT disponibilizar modelo de PCMSO, PPRA, LTCAT padrão Enviar atualização e/ou experiência colega,exemplo PCMSO etc Dr Ailton é amigo e boa gente e ensinou a fazer pão de queijo (Giovacchino Cecchione) Fazer APMT ter braço em são Bernardo do campo/diadema Cursos de atualização e fórum discussão Certificação e atuação perícia Rigor nos horários de inicio e termino Reuniões cientificas rodízio nas regionais Revista trimestral Congresso discussão sobre o que era, que é e o que será a medicina do trabalho: preventiva? Curativa? Vídeo conferencia Montar regional Araçatuba (Itamar Andreatta) Convidar medico perito INSS

19 Anexo 4 - Reunião da Diretoria da APMT com as Regionais Data: 03/09/2011 Local: Sede da APM Av. Brigadeiro Luiz AntÕnio, 275 Horário: 9h00-12h00 Pauta: 1- Abertura Presidente Gilberto Archero Auto apresentação dos participantes. 2- Ajuste nos contatos por telefone, por Resultado da reunião realizada em Campinas - Morrone 4- Programação científica para o Congresso Paulista de Medicina do Trabalho. Re-programação com a participação das regionais. Morrone + Flávia 5- Programação de atividade nas regionais- os representantes Regionais. Para os Diretores que necessitarem a Diretoria da APMT poderá repassar o ajuda de custo para o deslocamento a São Paulo.( valor referente a custo de translado por ônibus para a capital ou valor equivalente + R$ 30,00 para refeição por representante( e se necessário uma diária em Hotel para deslocamentos superiores a 150km).. A presença de todas as regionaisé muito importante. A sra. Dina fará contacto para confirmar a participação de sua regional Luiz Carlos Morrone Com cópia para os diretores relacionados em anexo

20 Diretoria Regional BaixadaSantista 77Km NOME Marcelo André de B. O. Hernandez José Francisco Capela de Almeida Marcelo Fernando Masteguim Cargo Presidente DiretorAdministrativoFinanceiro DiretorCientífico Diretoria Regional Vale do Paraíba 94Km Antonio Javier Salan Marcos FrancirVeneziani Silva José Amarante de Freitas Presidente DiretorAdministrativoFinanceiro DiretorCientífico Diretoria Regional RibeirãoPreto 336 Km Marco Aurélio Almeida Clésio Sousa Soares Sérgio Luiz Walter de Assis DiretorAdmnistrativo Presidente DiretorCientífico Diretoria Regional PresidentePrudente 558 Km Paula ColnagoTiezziMarchi Fernando Cesar Cardoso Maia Maria AparecidaFarias Presidente DiretorAdministrativoFinanceiro DiretoraCientífica Diretoria Regional Bauru 326 Km DivaldoBernardes da Silva Marilia Cristina Mayo Silva Fabio Pinto Nogueira Presidente DiretoraAdministrativa/Financeira DiretorCientífico Diretoria Regional de Campinas 115 Km Waldir Savarin Murari José Eduardo Lino Presidente DiretorCientífico - GrupoRamazzini Unimed de São Carlos 255 Km Maria de Fátima Pinheiro da Silveira Ortega DiretoraAdministrativaFinanceira

Relatório das atividades realizadas pelo Cepto Científico da APMT durante o período de 2010 a 1013.

Relatório das atividades realizadas pelo Cepto Científico da APMT durante o período de 2010 a 1013. Associação Paulista de Medicina Associação Paulista de Medicina do Trabalho AV. Brigadeiro Luiz Antonio 275 6º A Tel.: (11) 3107-7979 Email - spmtsp@uol.com.br Presidente (2011-2013): Gilberto Archero

Leia mais

Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012

Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012 Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012 Dia 20/01/2012 Sexta Feira Na Associação Paulista de Medicina. ATIVIDADE TEMA DA ATIVIDADE ( Observação

Leia mais

Curso de Seguridade Social (Saúde, Assistência e Previdência Social).

Curso de Seguridade Social (Saúde, Assistência e Previdência Social). Associação Paulista de Medicina Associação Paulista de Medicina do Trabalho AV. Brigadeiro Luiz Antonio 275 6º A Tel.: (11) 3107-7979 Email - spmtsp@uol.com.br Presidente (2011-2013): Gilberto Archero

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA Av. Reitor Miguel Calmon, s/n, Vale do Canela, 40110-905, Salvador Bahia. Telefone: 32838865

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA Av. Reitor Miguel Calmon, s/n, Vale do Canela, 40110-905, Salvador Bahia. Telefone: 32838865 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA Av. Reitor Miguel Calmon, s/n, Vale do Canela, 40110-905, Salvador Bahia. Telefone: 32838865 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM MEDICINA DO TRABALHO PRMT DEPARTAMENTO

Leia mais

Departamento e Instituto de Psiquiatria I CURSO SOBRE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO

Departamento e Instituto de Psiquiatria I CURSO SOBRE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO Departamento e Instituto de Psiquiatria I CURSO SOBRE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO Promoção Coordenação Público Alvo Programa de Psiquiatria e Psicologia Forense

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 467, de 24 de abril de 2015. Dispõe sobre as atribuições e competências relativas ao profissional fonoaudiólogo Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, e dá outras providências. O

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

Complexidade da especialidade. Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros. Complexidade da especialidade

Complexidade da especialidade. Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros. Complexidade da especialidade Complexidade da especialidade Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros CATECE Comissão de Análise de Títulos de Especialistas e Cursos de Especialização O

Leia mais

Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros

Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros CATECE Comissão de Análise de Títulos de Especialistas e Cursos de Especialização Complexidade da especialidade O

Leia mais

PROGRAMAÇÃO - CURSOS PRÉ-CONGRESSO DIA 30 ABRIL Quinta - feira

PROGRAMAÇÃO - CURSOS PRÉ-CONGRESSO DIA 30 ABRIL Quinta - feira Cursos PréCongresso quintafeira 30 de abril 08h30 10h15 10h15 10h30 PROGRAMAÇÃO CURSOS PRÉCONGRESSO DIA 30 ABRIL Quinta feira SALA 1406 SALA 1109 SALA 1409 SALA 1408 SALA 1309 14ºANDAR 45 PAX 11ºANDAR

Leia mais

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL.

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL. NÚCLEO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR NAISST REGIMENTO INTERNO Capítulo I Das Disposições Preliminares Art 1º. Este Regimento Interno estabelece e disciplina a estruturação e o

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013. Qualificação: SEM CERTIFICAÇÃO TÉCNICA

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013. Qualificação: SEM CERTIFICAÇÃO TÉCNICA Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Dr. Francisco Nogueira de Lima Código:059 Município: CASA BRANCA Área Profissional: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: TÉCNICO EM SEGURANÇA

Leia mais

CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS

CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS Dr. Ailton Luis da Silva www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 Modelos de Serviços de Saúde Ocupacional existentes. A Convenção

Leia mais

ATUAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO. Profa. Lys Esther Rocha

ATUAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO. Profa. Lys Esther Rocha ATUAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO Profa. Lys Esther Rocha Agenda O que é Medicina do Trabalho? Conceito de Trabalho e Saúde A relação Saúde e Trabalho O Mundo do Trabalho Atual: características e desafios

Leia mais

Agenda. Escola de Enfermagem da USP promove ciclo de seminários no Programa de Aperfeiçoamento de Ensino

Agenda. Escola de Enfermagem da USP promove ciclo de seminários no Programa de Aperfeiçoamento de Ensino Serviços Agenda Programe-se para participar dos principais eventos da Enfermagem Escola de Enfermagem da USP promove ciclo de seminários no Programa de Aperfeiçoamento de Ensino A Escola de Enfermagem

Leia mais

Curso de Especialização em ENFERMAGEM DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL

Curso de Especialização em ENFERMAGEM DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL Curso de Especialização em ENFERMAGEM DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Enfermagem e Saúde NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Enfermagem do Trabalho

Leia mais

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS Ana Maria Selbach Rodrigues Médica do Trabalho SAÚDE Saúde: do latim, salute salvação, conservação da vida (Dicionário Aurélio) OMS = saúde é um estado

Leia mais

Conheça nossos Serviços

Conheça nossos Serviços BEM VINDO! Oferecemos completa Assessoria e Consultoria nos aspectos legais, técnicos e normativos relacionados à quaisquer serviços de SEGURANÇA, SAÚDE E MEDICINA DO TRABALHO. Conheça nossos Serviços

Leia mais

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Sumário Abreviaturas...3 Resumo...4 Introdução...5 Cronograma dos processos...5 Análise crítica...8 Proposta de melhoria...9 Anexos...10 1 Abreviaturas

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PNEUMOLOGIA Ato de Oficialização: ATA de 12.03.1992 Conselho Departamental 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em

Leia mais

Dr. Ailton Luis da Silva. www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300

Dr. Ailton Luis da Silva. www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 ACOMPANHAMENTO E MONITORAMENTO DO TRABALHADOR EM TELEATENDIMENTO (CALL CENTERS) Dr. Ailton Luis da Silva www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 O segmento transformou-se no

Leia mais

EDITAL Nº. 11 /2014 PPG/CPG/UEMA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

EDITAL Nº. 11 /2014 PPG/CPG/UEMA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO-UEMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PPG COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO CPG EDITAL Nº. 11 /2014 PPG/CPG/UEMA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA

Leia mais

Marcos Damas. www.bethaconsultoria.com.br. Prezados (as) Senhores (as),

Marcos Damas. www.bethaconsultoria.com.br. Prezados (as) Senhores (as), Prezados (as) Senhores (as), A BETHA CONSULTORIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO é uma empresa especializada em assessoria e prestação de serviços na área de segurança e medicina do trabalho para os mais diversos

Leia mais

EDUARDO ERNESTO CHINAGLIA PRESIDENTE

EDUARDO ERNESTO CHINAGLIA PRESIDENTE EDUARDO ERNESTO CHINAGLIA PRESIDENTE MÉDICO CRM 27962 Graduação em Medicina no ano de 1976 Faculdade de Medicina de Itajubá Itajubá MG Cargos Administrativos: Diretor Presidente da Unimed Leste Paulista

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS INTRODUÇÃO Com a constante e crescente evolução do sistema brasileiro de saúde, tem-se percebido um grande aumento da demanda por profissionais médicos mais qualificados, principalmente no que diz respeito

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO Aizenaque Grimaldi de Carvalho Conselheiro do CREMESP Especialista em Medicina do Trabalho Especialista em Medicina Legal e Perícias Médicas Ex Vice-Presidente da Associação Nacional de Medicina do Trabalho

Leia mais

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu (Especialização) em Fisioterapia 6ª. Edição 2013

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu (Especialização) em Fisioterapia 6ª. Edição 2013 Curso de Pós-Graduação Lato Sensu (Especialização) em Fisioterapia 6ª. Edição 2013 Apresentação O Curso de Especialização em Fisioterapia será mantido e realizado sob a responsabilidade do Departamento

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em Diagnóstico por Imagem do Tórax 4.01.00.00-6

Leia mais

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho 732 horas Escola Superior de Tecnologia e Educação de Rio Claro ASSER Rio Claro Objetivos do curso: Formar profissionais das áreas de Engenharia e

Leia mais

NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL. ASO Natalia Sousa

NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL. ASO Natalia Sousa NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ASO Natalia Sousa ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ASO Para cada exame médico ocupacional realizado, o médico emitirá o ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) em duas vias:

Leia mais

01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016

01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016 BOLETIM INFORMATIVO Nº 28/2015 ANO XII (13 de agosto de 2015) 01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016 Embora o esocial passe efetivamente a ser obrigatório a partir de setembro de 2016,

Leia mais

Médicos Peritos e Médicos do Trabalho tem dificuldade para se entenderem. Como fazer para resolver o problema?

Médicos Peritos e Médicos do Trabalho tem dificuldade para se entenderem. Como fazer para resolver o problema? Médicos Peritos e Médicos do Trabalho tem dificuldade para se entenderem. Como fazer para resolver o problema? Saber é poder definir. Quando duas pessoas discutem, devem saber primeiro sobre o que discutem.

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

II.7.7 - PROGRAMA ESPECÍFICO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR

II.7.7 - PROGRAMA ESPECÍFICO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR EIA/RIMA para o Desenvolvimento II.7.7 - PROGRAMA ESPECÍFICO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR EIA/RIMA para o Desenvolvimento Pág. 1/10 II.7.7 - Programa Específico de A PETROBRAS

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

Legislação Comentada:

Legislação Comentada: Serviço Social da Indústria Departamento Regional da Bahia Legislação Comentada: NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) Salvador-Bahia 2008 Legislação Comentada: NR 7 - Programa

Leia mais

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira OBJETO: Estabelece

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II

DIREITO DO TRABALHO II DIREITO DO II Me. Ariel Silva. l Órgãos de segurança SESMT: O Serviço Especializado em engenharia de segurança e em Medicina do Trabalho, SESMT, constitui-se no órgão técnico da empresa composto exclusivamente

Leia mais

Art. 1- Da definição do selo educacional:

Art. 1- Da definição do selo educacional: Instrução Normativa ABRAFIT I.N.A. 01/2014 Art. 1 Da definição do selo educacional: Esta Instrução Normativa tem como objetivo determinar eventos, ações e projetos educacionais e científicos que solicitem

Leia mais

Texto para Discussão

Texto para Discussão Convênio: Fundação Economia de Campinas - FECAMP e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE Termo de Referência: Reforma Trabalhista e Políticas Públicas para Micro e Pequenas Empresas Texto

Leia mais

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização 1º FORUM LISTER DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Antônio Sampaio Diretor Técnico INTRODUÇÃO Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos

Leia mais

MEDICINA DO TRABALHO INVESTIMENTO OU DESPESA?

MEDICINA DO TRABALHO INVESTIMENTO OU DESPESA? Slide Master MEDICINA DO TRABALHO INVESTIMENTO OU DESPESA? Dr. Cláudio M. da C. Barreto Tel. (21)99588.7203 Consultor em Medicina e Segurança do Trabalho Médico do Trabalho E-mail: claudiomcbarreto@gmail.com

Leia mais

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso:

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos

Leia mais

CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial

CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA PARA PREVENÇÃO, TRATAMENTO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROLOGIA CLÍNICA E INTENSIVA Unidade

Leia mais

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR-5 Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 Atribuições iniciais Criada em 1934 e regulamentada somente em 1978 juntamente com outras

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS

Leia mais

PROTEUS SERVIÇOS. Certificações

PROTEUS SERVIÇOS. Certificações PROTEUS SERVIÇOS 2015 A Proteus é uma empresa prestadora de serviços e consultoria em medicina do trabalho e engenharia de segurança, criada em 2007, que tem por objetivo suprir uma demanda de mercado,

Leia mais

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo A Norma Regulamentadora 9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

A Saúde do Trabalhador na Construção Civil. Dr. Douglas Queiroz Gerente SST SECONCI SP 19/03/2014

A Saúde do Trabalhador na Construção Civil. Dr. Douglas Queiroz Gerente SST SECONCI SP 19/03/2014 Dr. Douglas Queiroz Gerente SST SECONCI SP 19/03/2014 HISTÓRIA Até 1995 o SECONCI SP fazia em pequena escala os exames ocupacionais para algumas das empresas a ele filiadas Em 1995, após a publicação da

Leia mais

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional VIGÊNCIA: 1 ANO EMPRESA: Virtual Machine Data da Elaboração Data de Vencimento 18/ 02 /2008 17 / 02/2009 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: Vitual Machine CNPJ: 08.693.563/0001.14 CNAE: 4751200 Grau

Leia mais

PROCESSO. para RECONHECIMENTO. SERVIÇOS ou PROGRAMAS. ANGIOLOGIA e CIRURGIA VASCULAR. pela S B A C V

PROCESSO. para RECONHECIMENTO. SERVIÇOS ou PROGRAMAS. ANGIOLOGIA e CIRURGIA VASCULAR. pela S B A C V PROCESSO para RECONHECIMENTO de SERVIÇOS ou PROGRAMAS de ANGIOLOGIA e CIRURGIA VASCULAR pela S B A C V 1 Procedimento ETAPA I: O processo do solicitante, com o requerimento dirigido ao Presidente da SBACV,

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 017/2014 ENFERMEIRO DO TRABALHO

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 017/2014 ENFERMEIRO DO TRABALHO EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 017/2014 ENFERMEIRO DO TRABALHO De acordo com o disposto no Regulamento de Processo Seletivo, devidamente registrado no 1º OFICIAL DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS

Leia mais

Pós-graduação Psicologia

Pós-graduação Psicologia Pós-graduação Psicologia Pós-graduação - Lato Sensu Os cursos de Pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo têm como objetivos a formação de docentes, pesquisadores e profissionais

Leia mais

Dr. José Carlos Steola

Dr. José Carlos Steola n t e p f a p r a t (s a t) Dr. José Carlos Steola Médico do Trabalho Coordenador do Depto de Proteção no Trabalho ( UNIMED de Araras) Médico do Trabalho da Usina Sta Lúcia Araras Médico Coordenador de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTADO DA ARTE EM DIAGNÓSTICO

Leia mais

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR Sônia Cristina Bittencourt de Paiva Consultora em Saúde Ocupacional e Ergonomia A RELAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO

Leia mais

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Conteúdo DISPOSIÇÕES GERAIS 3 APOIO AO APRIMORAMENTO DE RECURSOS HUMANOS 4 Participação em congressos e eventos científicos

Leia mais

-MANUAL DO ALUNO- CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA NO TRABALHO (CSTST)

-MANUAL DO ALUNO- CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA NO TRABALHO (CSTST) -MANUAL DO ALUNO- CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA NO TRABALHO (CSTST) 1. APRESENTAÇÃO Este manual visa orientar os alunos que ingressam no Curso Superior de Tecnologia em Segurança no Trabalho

Leia mais

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express Apresentação 2 PPRA perguntas & respostas 3 PCMSO perguntas & respostas 5 Links Úteis 6 apresentação

Leia mais

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA NÚMERO /DATA 009/01-25/10/2001 ORIGEM SRF/RFFC/ER-6 1.1 Tendo em vista que o contrato firmado com a Sul América não prevê a realização de exames admissionais,

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Deveres dos médicos com relação à saúde do trabalhador Versa sobre normas específicas para médicos que atendam o trabalhador Fonte: Diário Oficial da

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

II.7.7 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador

II.7.7 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador 60 / 70 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador.1 Justificativa A PETROBRAS busca integrar Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS, consolidando os princípios relacionados a estes

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB Cícero Nicácio do Nascimento Lopes. Superintendente Anselmo Guedes de Castilho

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB Cícero Nicácio do Nascimento Lopes. Superintendente Anselmo Guedes de Castilho ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB Presidente da FUNETEC-PB Cícero Nicácio do Nascimento Lopes Superintendente Anselmo Guedes de Castilho Diretora Escolar Helena Mercedes Monteiro Gerente de Ensino Adeane Nunes

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos, atividades

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE DE DEFICIENTES FÍSICOS NO TRABALHO LEI 8213/91

PROGRAMA DE CONTROLE DE DEFICIENTES FÍSICOS NO TRABALHO LEI 8213/91 PROGRAMA DE CONTROLE DE DEFICIENTES FÍSICOS NO TRABALHO LEI 8213/91 ( LOGOTIPO EMPRESA) EMPRESA: XXXXXXXXXXXXX VIGÊNCIA: XXXX 200X À XXXXX 200X RESPONSÁVEL TÉCNICO: PhD Thomas Eduard Stockmeier MEDICO

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

CPC - COMITÊ PERMANENTE DE CERTIFICAÇÃO EDITAL PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO 2015

CPC - COMITÊ PERMANENTE DE CERTIFICAÇÃO EDITAL PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO 2015 EDITAL PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO 2015 Certificação de Higienistas Ocupacionais (HOC) e de Técnicos Higienistas Ocupacionais (THOC) por Prova de Títulos e Prova de Conhecimentos I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM nº 1.488/1998 (Publicada no D.O.U.,de 06 março 1998, Seção I, pg.150 ) Modificada pela Resolução CFM n. 1.810/2006 Modificada pela Resolução CFM nº 1.940/2010

Leia mais

Residência Médica. Equivalência da Residência Médica com Curso de Especialização e Título de Especialista

Residência Médica. Equivalência da Residência Médica com Curso de Especialização e Título de Especialista Residência Médica A Residência Médica foi instituída no Brasil pela Lei nº. 6.932 de 07 de julho de 1981 e regulamentada pelo Decreto nº. 80.281, de 05 de setembro de 1977. Equivalência da Residência Médica

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Número da Ação (Para

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.4561 PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PPRA Programa

Leia mais

PCMSO, como eu faço. Dr Guilherme Murta

PCMSO, como eu faço. Dr Guilherme Murta PCMSO, como eu faço Dr Guilherme Murta Diretor Científico da APAMT Professor-tutor da Especialização da Medicina do Trabalho UFPR Professor do Curso de Graduação em Medicina na Faculdades Pequeno Príncipe

Leia mais

esocial e as boas práticas de Segurança e Saúde do Trabalho

esocial e as boas práticas de Segurança e Saúde do Trabalho CURSO esocial e as boas práticas de Segurança e Saúde do Trabalho Orientador Rogério Andrade Henriques Advogado, especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário, instrutor de cursos empresariais na

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Código: 031 Município: Marília Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Auxiliar Técnico de Nível Médio em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 23

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 23 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 23 Profa. M.Sc Vanessa Vasconcelos Fonseca Mestre em Ciência de Alimentos Especialista MBA

Leia mais

ESTUDO DE CASO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE CONTROLE ERGONÔMICO EM UMA INDÚSTRIA TÊXTIL

ESTUDO DE CASO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE CONTROLE ERGONÔMICO EM UMA INDÚSTRIA TÊXTIL ESTUDO DE CASO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE CONTROLE ERGONÔMICO EM UMA INDÚSTRIA TÊXTIL Márcio Alves Marçal 1,2, Ph.D. Cláudia Ferreira Mazzoni 2, Ph.D. Aguinaldo Diniz Filho 3 1 Centro Universitário

Leia mais

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Aline Barbosa Pinheiro Prof. Andréia Alexandre Hertzberg Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Graduação Tecnológica

Leia mais

N o v a s i d e i a s ; N o v o s c o n c e i t o s. l a d o L E G A L d a s e g u r a n ç a d o t r a b a l h o

N o v a s i d e i a s ; N o v o s c o n c e i t o s. l a d o L E G A L d a s e g u r a n ç a d o t r a b a l h o A MN&A É DIFERENTE N o v a s i d e i a s ; N o v o s c o n c e i t o s O l a d o L E G A L d a s e g u r a n ç a d o t r a b a l h o A MN & Associados Gestão de Meio Ambiente do Trabalho - MN&A, é uma

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

Pós graduação Lato Sensu Curso de especialização em medicina interna. Manual de Pós-Graduação

Pós graduação Lato Sensu Curso de especialização em medicina interna. Manual de Pós-Graduação Pós graduação Lato Sensu Curso de especialização em medicina interna Manual de Pós-Graduação CARACTERIZAÇÃO DO CURSO Desde 2014 INSTITUIÇÕES Instituto ID Or- Hospital Quinta D Or (HQD) ENDEREÇO HOSPITAL

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA E URGÊNCIA Unidade

Leia mais

Implantação do Programa de vigilância à saúde dos trabalhadores do HGRS.

Implantação do Programa de vigilância à saúde dos trabalhadores do HGRS. Curso de Atualização Semipresencial Gestão das Condições De Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde 1. TÍTULO Implantação do Programa de vigilância à saúde dos trabalhadores do HGRS. Daniele da Silva

Leia mais

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES: MANUAL DA UNIDADE Prezados Senhores, Com o intuito de promover a excelência e a qualidade na prestação de nossos serviços, vimos por meio deste, agradecer pela confiança e credibilidade. A Engemed Saúde

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 13/2012 DATA DA ENTRADA: 12 de junho de 2012 INTERESSADO: Dr. MHM CRM-MT XXXX CONSELHEIRA CONSULTORA: Dra. Hildenete Monteiro Fortes ASSUNTO:

Leia mais

* +, -./ + - 0-1 2 - * 3 0 -

* +, -./ + - 0-1 2 - * 3 0 - * +, -./ + - 0-1 2 - * 3 0 - #$ % $ % & ' ( ) $ % & 1 Desafio 11: IMPLEMENTAR NOVAS TECNOLOGIAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REFERENTES À ÁREA DE PESSOAL QUE POSSIBILITEM A DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM HOTELARIA HOSPITALAR Unidade Dias e Horários

Leia mais

I JORNADA DE FISIOTERAPIA HGWA

I JORNADA DE FISIOTERAPIA HGWA I JORNADA DE FISIOTERAPIA HGWA 1. OBJETIVO Fomentar o conhecimento científico e investir no crescimento técnico científico da Fisioterapia sob o tema Segurança e Qualidade na Assistência Fisioterapêutica.

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO AQUÁTICA

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental

Leia mais

Apresentação da Concessão

Apresentação da Concessão MEDICINA E ENGENHARIA DO TRABALHO Apresentação da Concessão Cuidar da Saúde e Segurança do Trabalhador é a nossa Especialidade! APRESENTAÇÃO TENHA SEU PRÓPRIO NEGÓCIO COM RETORNO GARANTIDO O mercado de

Leia mais