Projeto Internet Introdução

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Internet Introdução"

Transcrição

1 Projeto Internet Introdução O guia de conduta (GC), servirá como guia à conduta ética e procedimental de todas as pessoas trabalhando a diversos títulos na Princesa dos Campos, como Diretores e Empregados da Princesa dos Campos e das suas subsidiárias, contratados, fornecedores, estagiários, consultores, terceiros etc. (doravante designados coletivamente como usuários ou isoladamente como usuário), que de alguma forma acessem ou usem qualquer recurso ou equipamento de informática, os meios e equipamentos que constituem a Rede de Comunicação Corporativa da Princesa dos Campos e os serviços de informática e Comunicação Eletrônica, incluídos o correio eletrônico e os acessos à Intranet e Internet, disponibilizados nas dependências da Princesa dos Campos ou via acesso remoto (fora das dependências da empresa), doravante designados como Recursos de Processamento e Comunicação Eletrônica de Informações (RPCEI). O guia de conduta visa a proteção da Princesa dos Campos e do próprio Usuário, a prevenção de eventuais erros, faltas ou atos que possam dar origem a perdas de informações, receita, credibilidade ou danos materiais, internamente ou junto aos clientes e opinião pública em geral, através de determinação de procedimentos comuns e claros, do aculturamento dos Usuários sobre a matéria e seu comprometimento com as normas da empresa. O guia de conduta aplicar-se-à aos atos dos Usuários ao liderarem com clientes, fornecedores, terceiros, público em geral e com outros usuários.o guia de conduta será divulgado através de meio de comunicação utilizado pela Princesa dos Campos, sendo um documento oficial da empresa. Sua vigência se dará imediatamente após a sua divulgação, sendo de suma importância que todos seus usuários firmem termo de ciência e concordância,

2 conforme sugerido pela empresa. Da mesma forma, por ocasião de futura contratação de todo novo Diretor, Empregado e/ou terceiro prestador de serviços, deverá ser firmado por escrito um termo de ciência e concordância aos dispositivos e condições expressos neste guia de conduta. A gerência que solicitar autorização para que usuários não - empregados da Princesa dos Campos acessem os RPCEI, assumirá automaticamente a responsabilidade pela conscientização, concordância e obediência às orientações deste guia de conduta por parte desses não Empregados. O uso impróprio dos RPCEI por usuários acarretará consequências negativas não só para o usuário como para as partes envolvidas. As violações reiteradas ao guia de conduta ou a falta de cooperação na investigação interna serão objeto de ações corretivas, podendo, inclusive, para o empregado faltoso, ensejar o desligamento com base em justa causa, ou, para o não empregado faltoso, o cancelamento imediato de todo e qualquer contrato firmado com a Princesa dos Campos, sem prejuízo das demais imposições legais e contratuais aplicáveis. O Guia de conduta poderá ser modificado ou adaptado a qualquer tempo, conforme as necessidades, exigências ou conveniências da Princesa dos Campos, a seu exclusivo critério e por sua vontade, vigorando como norma interna da empresa no momento de sua divulgação inicial pela Princesa dos Campos, e devendo estar sob responsabilidade e fiscalização da Gerência de Informática, que coordenará um comitê composto por representantes do Departamento Comercial, do Departamento Jurídico, do Departamento Finaceiro, do Departamento Operacional e do Desenvolvimento de Pessoal para tratar do assunto. Neste sentido, qualquer questão ou dúvida deverá se encaminhada ou formulada diretamente ao comitê, através do endereço de correio eletrônico O correto uso dos RPCEI proporciona aos usuários eficiente acesso a informação além de ser um eficaz veículo de comunicação, colaborando para o desenvolvimento das atividades da Princesa dos Campos, a manutenção de um ambiente de trabalho saudável e produtivo, proporcionando benefícios a todos os envolvidos. Ponta Grossa, 02 de Janeiro de Carlos M. Yamada Gerente de Informática

3 Guia de Conduta DIRETRIZES GERAIS Propriedade Os recursos ou equipamentos de Informática, os meios e equipamentos que constituem a Rede de Comunicação Corporativa da Princesa dos Campos e os Serviços de Informática e Comunicação Eletrônica, incluídos o Correio Eletrônico e os acessos à Internet, disponibilizados nas dependências da Princesa dos Campos ou via acesso remoto ( fora das dependências da empresa), doravante designados como recursos de Processamento e Comunicação Eletrônica de Informações (RPCEI), são propriedade da Princesa dos Campos e seu uso por qualquer usuário está sujeito automaticamente ao cumprimento das diretrizes especificadas neste guia de conduta (GC) das normas, instruções Normativas e Orientações formais para o uso dos equipamentos e serviços, em outras determinações da Princesa dos Campos e em todos os dispositivos legais aplicáveis. Uso apropriado Os RPCEI devem ser usados de acordo com as políticas e valores da Princesa dos Campos,e somente em decorrência das funções e atividades profissionais exercidas. O uso moderado desses recursos e serviços para fins particulares ou desvinculados de objetividade profissional poderá ser permitido, desde que não traga qualquer tipo de prejuízo ou risco para a Princesa dos Campos ou para seus acionistas, empregados, clientes, fornecedores, parceiros ou terceiros. Esse uso deverá : não interferir no desempenho profissional do empregado, de outros empregados ou de terceiros ; não interferir no desempenho de processos e atividades da Princesa dos Campos; não prejudicar a capacidade, o funcionamento e a segurança dos RPCEI ; não onerar ou causar prejuízos à empresa; não prejudicar imagem da empresa ou de seus acionistas, empregados, clientes, fornecedores, parceiros e/ou terceiros e qualquer pessoa; estar limitado a mensagens curtas, salvo casos de urgência ou necessidade extrema. Havendo a necessidade de navegação na Internet, deverá a mesma ser estritamente relacionados às questões profissionais pertinentes à Princesa dos Campos desenvolvidas pelos Usuários. A Princesa dos Campos se reserva o direito de manter registro de sites e páginas visitados. Os Usuários poderão ser chamados a prestar conta sobre o uso indevido das facilidades de acesso à Internet, identificada nesses registros ou testemunha de forma inequívoca.

4 É essencial que os Usuários dos RPCEI avaliem cuidadosamente a natureza do conteúdo da matéria, do assunto, o tamanho da mensagem a ser enviado, o potencial de perdas e o impacto que poderá surgir se o conteúdo for revelado a terceiros que não os corretos destinatários da mensagem enviada. Desta forma, algumas questões devem ser analisadas antes que a mensagem seja enviada, como os exemplos abaixo relacionados: A mensagem contém informações confidenciais da Princesa dos Campos ( estratégia de preços, de marketing, posições financeiras, listas de clientes, informações pessoais de Usuários ou clientes?) A mensagem contém informações que a Princesa dos Campos tem a obrigação legal ou contratual de proteger ou manter ( processos judiciais, administrativos ou informações privilegiadas, informações de clientes?) A mensagem contém informações, que se modificadas ou reveladas, poderão causar danos diretos ou indiretos à Princesa dos Campos, seus clientes, demais Empregados e/ou terceiros (transações fraudulentas, perda de clientes, uso sem diligência?) A transmissão da mensagem pode violar dispositivos legais? Caso o conteúdo da mensagem esteja relacionado a algum dos exemplos especificados acima, ou outro de mesma natureza, ela não deverá ser enviada ;no entanto, se o emitente entender que há real necessidade de envio, seu conteúdo deverá ser aprovado, no caso de Empregado, pelo gerente imediato ou, no caso de não - Empregado, pelo gerente da Princesa dos Campos responsável pela sua supervisão. Para tanto o Expresso Princesa dos Campos implementará recursos que irão monitorar o uso do dentro de sua rede. As contas de serão monitoradas. Será implementado um controle indicando tráfego e saída de cada caixa postal (em Bytes) e tempo, além de indicar por caixa postal- todos os endereços de envio e recebimento. Propriedade Intelectual No uso dos RPCEI ficam expressamente vedados a cópia, o armazenamento, o uso e a transferência de arquivos, informações ou conteúdos que possam caracterizar desrespeito a direitos de propriedade intelectual ou industrial sem a expressa autorização dos respectivos proprietários. Conteúdos Inaceitáveis O conteúdo dos arquivos e mensagens gerados, acessados, transmitidos ou armazenados pelos Usuários através dos RPCEI não poderá, dentre outras circunstâncias: ser difamatório, insultar, incitar, ou constituir-se em importunação ou discriminação sexual, de raça, origem, cor, idade, condição social, porte, presença de deficiência, incapacidade, crença política ou religiosa; conter material profanador, obsceno ou de cunho sexual, incluindo imagens, caricaturas e piadas;

5 caracterizar constrangimento ou assédio sexual; violar políticas da Princesa dos Campos ou disposições legais como, por exemplo, solicitações ou convites para participar de jogos de azar ou pirâmides; invadir a intimidade ou privacidade; infringir direitos relacionados à propriedade intelectual e industrial; violar normas que disponham sobre sigilo, confidencialidade e segurança; isolado ou conjuntamente, permitir, facilitar ou incitar o acesso não autorizado, de qualquer outra entidade, organização ou pessoa física; por em risco a integridade ou sigilo das operações da Princesa dos Campos, seus Usuários e terceiros; veicular assuntos voltados para ideologias políticas, sindicais, sociais ou de crença religiosa. Caso um Usuário receba arquivos ou mensagens que caracterizem conteúdo inaceitável, de acordo com os critérios acima ou outros dispositivos regulamentares ou legais, não deverá expô-los de qualquer forma; deverá apagá-los imediatamente e informar ao seu gerente ou supervisor direto. Falsificação Eletrônica e Acesso Indevido É vedada sob qualquer forma a falsificação eletrônica.incluem se em falsificação eletrônica: a falsificação do nome ou username ao se identificar para uso dos RPCEI, em especial no Correio Eletrônico e na Internet ; a adulteração de quaisquer arquivos e/ou mensagens, incluindo seus anexos, salvo motivos de serviços do conhecimento e acordo prévio do gerente imediato; a utilização de nome de nome de domínio que não lhe pertença, sem a devida autorização expressa do responsável pela mesma; qualquer ato que propicie o envolvimento ou comprometimento indevido, de maneira direta ou indireta, do nome da Princesa dos Campos em correspondência eletrônica de qualquer natureza. As senhas para acesso a recursos, sistemas, serviços, etc., são pessoais e intransferíveis. A responsabilidade por qualquer ato realizado com senha cedida a terceiros será do titular da senha. As situações de compartilhamento de senhas deverão ser evitadas e o mecanismo de delegação de acesso do Correio Eletrônico deverá estar sempre associado a uma clara definição de responsabilidades. Acessos ou tentativas de acessos indevidos a serviços restritos, incluídas as contas de correio eletrônico de terceiros, serão consideradas faltas graves e, como tal sujeitos às medidas disciplinares cabíveis,podendo redundar em demissão por justa causa, e/ou cancelamento do contrato, sem prejuízo das demais imposições legais e contratuais aplicáveis. Os usuários que possuírem acesso privilegiado a sistemas, em função de suas responsabilidades na administração, desenvolvimento, suporte ou operação desses sistemas, tendo em consequência a possibilidade técnica de acesso a informações e serviços restritos incluídas as contas de correio eletrônico de terceiros, só poderão fazê-lo no estrito cumprimento de atividades designadas que exijam esse acesso,

6 obrigando-se a manter absoluto sigilo em relação às informações acessadas. A divulgação ou o uso não autorizado destas informações caracterizará falta gravíssima. Instalação não autorizada de programas e arquivos Ficam vedados o armazenamento e a instalação de programas não expressamente adquiridos ou autorizados pela Princesa dos Campos. Programas só poderão ser instalados com mediante expressa autorização da Gerência, que poderá designar empregados para função regulares ou específicas de prospeção e teste de produtos de Software ou Hardware. 1- Segurança Sigilo e Privacidade Segurança Física e Patrimonial Os RPCEI devem ser usados com os devidos cuidados necessários para a preservação de sua integridade física e patrimonial. Segurança Lógica Os RPCEI devem ser usados com os devidos cuidados necessários para a preservação da integridade das informações e sistemas, e da eficiência operacional dos RPCEI. Considerando que a manutenção de instalações padronizadas é parte integrante do processo de manutenção da eficiência operacional dos RPCEI, fica vedada aos usuários a alteração das características dos equipamentos utilizados, seja pela inclusão ou exclusão de hardware ou software, seja pela alteração de suas configurações, sem autorização expressa e por escrito pela Princesa dos Campos. Sigilo Nenhuma informação sensível deve ser armazenada ou transmitida sem que sejam observados as orientações e os cuidados apropriados ao grau de sigilo da informação. Informações confidenciais, entendendo-se todo o conteúdo que, por sua natureza, deva ser de conhecimento restrito,não deverão ser reveladas a pessoas desautorizadas, via RPCEI, sem expressa autorização do(s) proprietário(s) da informação confidencial, seja qual for a sua natureza. Manutenção e Proteção de Arquivos e Mensagens Eletrônicas Os Arquivos e mensagens eletrônicas gerados, enviados, recebidos e armazenados através dos RPCEI são propriedade exclusiva da Princesa dos Campos, sendo considerados registros operacionais da empresa. Deve-se ter em mente que os RPCEI não podem ser considerados absolutamente seguros e invioláveis, isto é, informações armazenadas ou transportadas através do Correio Eletrônico, Intranet, Internet e/ou circuladas pelos meios de comunicação da

7 Princesa dos Campos podem ser objeto de interpretação acidental ou intencional, atacadas, violadas ou adulteradas por invasores de sistemas, distribuídas a destinatários diversos dos pretendidos. O conteúdo de arquivos e mensagens armazenadas ou transmitidas em Correio Eletrônico não deve conter informações que devam ser mantidas em privacidade ou confidencialidade.deve-se lembrar que, excetuando-se as mensagens eletrônicas poderá ser acessado por terceiros não destinatários. Os arquivos e mensagens armazenados e circulados nos RPCEI poderão ser objeto de procedimentos rotineiros de verificação de contaminação por vírus de computador e salvaguarda em cópias de segurança, as quais poderão ser conservadas por um determinado período de tempo utilizadas pela empresa a seu exclusivo critério. Portanto, todo arquivo ou mensagem gerado ou transportado através dos RPCEI deve ser tratado como se estivesse sendo lido por todos da empresa, devendo seu autor ou emitente observar as diretrizes estabelecidas neste Guia de Conduta. Deve-se lembrar também a limitação do tipo de anexos que poderão ser enviados pela rede. É proibido o envio de qualquer arquivo executável tipo exe. visto que tal tipo de arquivo é mais suscetível de carregar vírus. Privacidade A Princesa dos Campos respeita a privacidade pessoal dos Usuários. Contudo, tendo em vista que os sistemas, acessos e demais ferramentas relacionadas aos RPCEI, de Propriedade da Princesa dos Campos, são disponibilizados pela empresa aos Usuários em decorrência das atividades profissionais designadas a serem desenvolvidas pelo profissional em benefício da empresa, caberá aos usuários dos RPCEI discernir acerca do conteúdo dos arquivos e mensagens gerados, enviados, recebidos ou armazenados, já que a Princesa dos Campos se reserva o direito de monitorar, acessar, analisar, revisar, liberar e fazer cópias de segurança de arquivos e informações presentes ou transmitindo em seus RPCEI, a seu exclusivo critério. Os Usuários de vem estar cientes de que qualquer arquivo ou mensagem gerado, transmitindo, recebido ou armazenado nos RPCEI é monitorado pela Princesa dos Campos, a qualquer tempo para análise, manutenção, atualização, verificação da correta adoção deste guia de conduta pelos usuários, ou qualquer outro propósito de cunho operacional e legal. A Princesa dos Campos permite o uso pessoal dos RPCEI, reservando-se e participando aos Usuários o direito de, a qualquer momento, monitorar, acessar, analisar, revisar, liberar, fazer cópias de segurança e inspecionar todo o material criado, recebido, transmitido ou armazenado, quando assim julgar necessário, a fim de que as atividades da Princesa dos Campos sejam melhor desenvolvidas e, acima de tudo, visando a proteção as Empresa e dos Usuários contra o uso inadequado dos RPCEI. 3 Vírus de computador, troianos e afins

8 Os vírus de computador, troianos e outros agentes semelhantes, podem trazer graves prejuízos para a empresa, em função de qualquer uma das propriedades abaixo, isoladamente ou em conjunto: capacidade de se replicar rapidamente,seja através do Correio Eletrônico ou de redes; capacidade de destruir arquivos locais ou através das redes capacidade de criar portas dos fundos, permitindo o acesso de invasores para a violação ou destruição de informações; capacidade de gerar solicitações contínuas a servidores, provocando sua sobrecarga. Por isso o Expresso Princesa dos Campos determina que é proibido o acesso e uso dentro de sua rede de s que não sejam aqueles com o s de provedores diferentes como UOL, BOL, ZIPMAIL, etc, estarão proibidos e bloqueados pelo sistema. Isto evitará uma possível entrada de vírus na rede que trazem efeitos lesivos ao sistema da rede. Caso o provedor permita, os s poderão ser redirecionados para o domínio Para fazer frente a essa ameaça, a Princesa dos Campos se vale de programas, sistemas e procedimentos adequados, constantemente atualizados, para a prevenção e correção de contaminações por vírus e afins. Entretanto, nenhuma ação antivírus pode ser totalmente eficaz sem a participação efetiva e maciça dos Usuários. Exemplos de situações que exigem uma ação por parte do Usuário: O antivírus residente ou o do Servidor de Correio adverte sobre algum arquivo contaminado em mensagens transmitidas ou arquivadas: mesmo que o arquivo específico já tenha sido descontaminado, cabe ao usuário utilizar o antivírus para realizar uma varredura nos discos locais/compartilhados, para identificar e eliminar a fonte de contaminação; O antivírus do servidor de Correio adverte sobre contaminação em mensagens recebidas: cabe ao usuário fazer contato com esse correspondente, solicitando providências; Mensagem recebida sem advertência do antivírus mas com características suspeitas: (por exemplo, mensagens com originador e assunto totalmente desconhecidos ou duvidosos) excluir a mensagem ou remetê-la para a Administração do Correio Eletrônico da Princesa dos Campos, através do endereço informando suas suspeitas; Mensagem de alerta de vírus: a grande maioria das mensagens desse tipo que circulam através de Correio Eletrônico na Internet é falsa ou inócua. Elas devem ser remetidas exclusivamente para a Administração do Correio Eletrônico da Princesa dos Campos, através do endereço interno que tomará as providências cabíveis, evitando a multiplicação de mensagens inúteis; Mensagens do tipo corrente : a maioria das mensagens desse tipo é falsa, equivocada e até mal intencionada, mesmo quando contêm apelos à solidariedade. Elas devem ser descartadas ou remetidas exclusivamente para a Administração do Correio Eletrônico da Princesa dos Campos, através do endereço interno

9 que tomará as providências cabíveis. A disseminação desse tipo de mensagem, caracterizando uso indevido das facilidades do Correio Eletrônico, será passível de sanções. Será considerada falta grave o armazenamento ou envio internacionais, através dos RPCEI, de arquivos considerados contaminados pelo antivírus instalado na empresa, mesmo que sem características destrutivas. Usuários que criam e manipulam, em micros domésticos, arquivos que serão transportados ou transmitidos para a Princesa dos Campos e aqueles que dispõem de equipamento fixo ou móvel conectável remotamente aos RPCEI devem manter seus equipamentos devidamente protegidos contra vírus de computador. O antivírus licenciado pela Princesa dos Campos não pode ser usado nos micros domésticos dos demais Usuário, que porém, são responsáveis por manter suas máquinas livres de vírus usando quaisquer meios próprios. 4 Diretrizes Adicionais Para Utilização do Correio Eletrônico Garantia de entrega / recebimento O sistema de Correio Eletrônico interno da Princesa dos Campos possui características apropriadas para uso corporativo, com garantia de entrega ( ou a mensagem é entregue, ou o remetente é advertido que a entrega não foi possível) e facilidades adicionais, tipo recibos de entrega automáticos. Entretanto, tal garantia pode ser estendida para endereços externos à empresa (destinatários ou remetentes), acessados através da Internet. A alta taxa de sucesso normalmente obtida não deve ser confundida com uma garantia de entrega. Nesses casos, havendo necessidade de maior confiabilidade, é necessário estabelecer-se algum protocolo entre as partes, envolvendo, por exemplo, mensagens de confirmação de recebimento. Cuidados no endereçamento de mensagens de Correio Eletrônico Os Usuários do Correio Eletrônico da Princesa dos Campos devem observar com cautela o correto endereçamento de mensagens eletrônicas aos seus destinatários, pois um pequeno erro, ao digitar um nome ou endereço, pode causar a entrega da mensagem ao destinatário errado. Por exemplo, não deve ser o mesmo destinatário que A falta de cuidados ao endereçar uma mensagem eletrônica poderá expor a Princesa dos Campos e/ou os Usuários a ações judiciais e demais procedimentos pertinentes à falta eventualmente cometida. Cabe aos Usuários diligenciar com prudência o endereçamento de mensagens eletrônicas. Mensagens eletrônicas recebidas com erro Se uma mensagem eletrônica de qualquer fonte foi enviada de forma errada ou como resultado de erro de endereçamento, ela deverá ser destruída e o receptor deverá avisar o fato ao remetente e manter em confiabilidade o conteúdo desprezado. Caso exista algum problema com a mensagem que impeça a identificação do remetente, antes da destruição da mensagem tal fato deve ser informado à Administração do Correio Eletrônico da Princesa dos Campos ( no endereço

10 ), para que possam ser tomadas as providências cabíveis. Por outro lado, se o emitente de uma mensagem eletrônica verificar que houve a entrega de uma mensagem a destinatário diverso do pretendido, deverá imediatamente comunicar o erro ao destinatário diverso do pretendido, deverá imediatamente comunicar o erro ao destinatário diverso, solicitando que este desconsidere e elimine a mensagem, mantendo em confiabilidade o conteúdo desprezado. Armazenamento de documentos no Correio Eletrônico Já é prática corrente o uso de Correio Eletrônico para troca de documentos elaborados com editores de textos, planilhas eletrônicas, programas de apresentação, e outros, com clientes, fornecedores, parceiros, etc. o armazenamento desses documentos na conta pessoal do Correio Eletrônico ou no computador pessoal traz uma série de desvantagens, entre as quais o espaço de armazenamento requerido no correio, a maior dificuldade para compartilhá-los e o maior risco de a Empresa não ter acesso a eles em caso de necessidade. Dessa forma, esses documentos não devem permanecer armazenados somente nestes recursos pessoais, mas sim em Contas de Serviços de Arquivos disponibilizados pela área e controlados pelas gerências envolvidas. 5 Diretrizes Adicionais para Acesso À Internet Autorização para acesso à Internet Além do acesso ao Correio Eletrônico da Internet, através do seu Correio Eletrônico Corporativo, propiciado a todos os Usuários, a Princesa dos Campos pode autorizar o acesso a sites WWW ou FTP para aqueles que o necessitam para suas atividades profissionais designadas. Porém lembrando a proibição do uso de chats e programas de comunicação instantânea com ICQ, MSN Messenger e correlatos. Uso apropriado Além das diretrizes gerais já estabelecidas para o uso da Intranet os Usuários com acesso à Internet devem atentar para outros cuidados específicos, tais como: Acesso a sites sem qualquer relação com suas atividades profissionais, especialmente aqueles com conteúdo censurável ou não recomendado; Acesso a sites que coloquem em risco a integridade e o sigilo das informações da Princesa dos Campos; Acesso a sites/serviços que facilitem a desobediência às diretrizes estabelecidas, tais como chats, fóruns, etc., abertos ou dedicados a temas públicos sem relação com as atividades profissionais. Para minimizar tal situação. A rede bloqueará o acesso a páginas de cunho duvidosos como pornográficas, através do servidor, com a utilização de palavras chaves e com uma base atualizada de endereços proibidos.

11 6 Opiniões Os Usuários devem ter em mente que, tanto no uso direto do Correio Eletrônico, quanto na participação em Fóruns ou Listas de Discussão na Internet, o modo de endereçamento externo do Correio Eletrônico da Princesa dos Campos os identificará como empregados da Princesa dos Campos, pois tem o formato dos Campos.com.br. Por consequência, opiniões pessoais que possam ser confundidas com a postura oficial da Princesa dos Campos devem ser claramente identificadas como pessoais, reduzindo, dessa forma, os riscos de serem confundidas com posturas oficiais da empresa, que apenas podem ser firmadas por seus representantes formalmente constituídos para tal fim. 7 Alterações e Dúvidas Quanto ao Guia de Conduta As dúvidas ou questionamentos quanto ao Guia de Conduta ou sobre qualquer parte específica dele deverão ser endereçadas à Gerência de Informática da Princesa dos Campos através do endereço A Princesa dos Campos zelará pelo bom e fiel cumprimento deste Guia de Conduta, reservando-se o direito de modificar ou adaptar seu conteúdo, a qualquer tempo, conforme as necessidades, exigências ou conveniências, a seu exclusivo critério e vontade. As alterações que se fizerem necessárias entrarão em vigor imediatamente após sua divulgação nos meios costumeiros de informação da empresa, para ciência geral dos seus Empregados, e divulgação por canais apropriados para os demais Usuários. 8 Penalidades os Usuários deverão agir sempre em conformidade com as políticas e os padrões éticos e procedimentais da Princesa dos Campos e seguir todas as normas internas e o do ordenamento jurídico aplicáveis quando se utilizarem dos RPCEI. O usuário que violar este guia de Conduta e/ou disposições normativas e do ordenamento jurídico, ou faltar à cooperação em análises internas, poderá ser responsabilizado administrativa, civil e penalmente pelas infrações que cometer, sem prejuízo da aplicação de ações corretivas pela Princesa dos Campos, o que poderá, para o Empregado faltoso, ensejar o desligamento com base em justa causa, ou, para o não - empregado faltoso, o cancelamento imediato de todo e qualquer contrato firmado com a Princesa dos Campos, sem prejuízo das demais imposições legais e contratuais aplicáveis.

SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DE ALAGOAS

SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DE ALAGOAS SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DE ALAGOAS GUIA DE CONDUTA DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DAF/SETI APRESENTAÇÃO O Guia de Conduta (GC), elaborado a partir da experiência dos técnicos do DAF/SETI do

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na empresa Agiliza Promotora de Vendas, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES () Versão 2.0 08/08/2014 Política de Segurança da Informação e Comunicações - SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 2 2 ABRANGÊNCIA... 2 3 CONCEITOS... 2 3.1 Autenticidade...

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE Capítulo I DAS DEFINIÇÕES Art. 1º Para os fins desta Norma,

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Código de Conduta e Ética

Código de Conduta e Ética Página 1 de 5 Código de Conduta e Ética 2012 Resumo A SAVEWAY acredita que seu sucesso está pautado na prática diária de elevados valores éticos e morais, bem como respeito às pessoas, em toda sua cadeia

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11)

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11) A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11) Texto compilado até o Ato (N) nº 791/2013 PGJ de 11/10/2013 Estabelece normas

Leia mais

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP Portaria UNESP - 385, de 25-06-2012 Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP O Vice-Reitor no Exercício da Reitoria da Universidade

Leia mais

Proteger as informações da empresa para a qual trabalhamos é um dever de todos nós!

Proteger as informações da empresa para a qual trabalhamos é um dever de todos nós! Prezado Colaborador, O conteúdo desta cartilha tem como objetivo compartilhar alguns conceitos relacionados ao tema Segurança da Informação. Além de dicas de como tratar os recursos e as informações corporativas

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE A FUNCIONAL, com o escopo de firmar o compromisso junto aos USUÁRIOS visando a segurança e privacidade das informações transitadas e recepcionadas através de seus sites www.funcionalcorp.com.br

Leia mais

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente;

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente; 1. CONTRATO Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela Sistemas On Line Ltda., doravante designada S_LINE, e a maiores de 18 anos ou menores com permissão dos pais ou responsáveis, doravante

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

WEBMAIL Política de Uso Aceitável

WEBMAIL Política de Uso Aceitável WEBMAIL Política de Uso Aceitável Bem-vindo ao Correio Eletrônico da UFJF. O Correio Eletrônico da UFJF (Correio-UFJF) foi criado para ajudá-lo em suas comunicações internas e/ou externas à Universidade.

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR 1. INTRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR Este documento pretende descrever como deverá ser o uso apropriado dos recursos de computação

Leia mais

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação

Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação. Política de Segurança da Informação Tópico 28 e 29 Política de Segurança da Informação Política de segurança da Informação. Metodologia de levantamento da política de segurança. Objetivos e responsabilidades sobre a implementação. Métodos

Leia mais

Diretrizes Gerais para uso dos recursos de Tecnologia da Informação

Diretrizes Gerais para uso dos recursos de Tecnologia da Informação DIRETRIZES GERAIS PARA USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 6 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. DIRETRIZES GERAIS

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA NORMAS DE USO I - DA NATUREZA (da finalidade) art 1 - O Laboratório caracteriza-se por sua natureza didático-pedagógica, servindo de complemento aos

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet)

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) A Universidade Federal de Pelotas (UFPel), através de seu Comitê de Tecnologia da Informação (PORTARIA

Leia mais

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1 O Laboratório de Informática destina-se aos acadêmicos e professores com prioridade de utilização aos acadêmicos. Art. 2 As atividades desempenhadas

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Revisado em agosto de 2010

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Revisado em agosto de 2010 FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Revisado em agosto de 2010 A. Propósito O propósito desta Política de Uso da Tecnologia da Informação ("Política") é oferecer diretrizes

Leia mais

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS DIGITAIS

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS DIGITAIS NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE PRÁTICAS DIGITAIS I - DA NATUREZA (da finalidade) Artigo 1 O Laboratório de Práticas Digitais (LPD) caracteriza-se por sua natureza didático-pedagógica, servindo

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Diretoria Executiva Aprovação: DD-494-0001/2012 Revisão 05 Vigência a partir de 25/09/2012 1. Introdução Os processos e atividades de negócio são suportados, cada vez

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DATA: 25/01/2016 VERSÃO 2.0 VERSÃO 2 25/01/2016 ÁLVARO BARBOSA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 3 II. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 4 II.1 - COMITÊ EXECUTIVO... 4 II.2 - CONTROLES

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá Conselho de Câmpus REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

MOBICONDO TERMOS DO SERVIÇO

MOBICONDO TERMOS DO SERVIÇO MOBICONDO TERMOS DO SERVIÇO FBT Tecnologia LTDA - ME., inscrita no CNPJ sob no 20.167.162/0001-26, com sede na Av Ipiranga 7464, 9º Andar Sala 914, Porto Alegre - RS, única e exclusiva proprietária do

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução. Os princípios Éticos que formam a consciência e fundamentam nossa imagem no segmento de recuperação de crédito e Call Center na conduta de nossa imagem sólida e confiável. Este

Leia mais

Política de Privacidade de Dados Pessoais Cabovisão - Televisão por Cabo S.A.

Política de Privacidade de Dados Pessoais Cabovisão - Televisão por Cabo S.A. Política de Privacidade de Dados Pessoais Cabovisão - Televisão por Cabo S.A. Princípios Gerais A garantia que os clientes e utilizadores da Cabovisão-Televisão por Cabo S.A. ( Cabovisão ) sabem e conhecem,

Leia mais

Diretrizes e Políticas de Segurança da Informação Organização CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A (CNPJ: 08.602.

Diretrizes e Políticas de Segurança da Informação Organização CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A (CNPJ: 08.602. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 4/2008 O Conselho de Administração, com base no disposto no Art. 17 do Estatuto da CAPEMISA Seguradora de Vida e Previdência, em reunião do dia 19 de fevereiro de

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO POR MEIO ELETRÔNICO DE CADASTRO DE CURRÍCULO E VAGAS (USUÁRIO GRATUITO)

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO POR MEIO ELETRÔNICO DE CADASTRO DE CURRÍCULO E VAGAS (USUÁRIO GRATUITO) CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO POR MEIO ELETRÔNICO DE CADASTRO DE CURRÍCULO E VAGAS (USUÁRIO GRATUITO) Este Contrato disciplina os termos e condições mediante as quais o Liceu Braz Cubas com sede em

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Nº de Páginas: 1 / 5 1. OBJETIVOS Os objetivos desta Política de Segurança da Informação são estabelecer orientações gerais de segurança da informação no âmbito da Braslight, fornecendo o apoio conceitual

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PO - PSI 1ª 1/9 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 4. CONCEITOS/CRITÉRIOS GERAIS... 2 5. DIRETRIZES... 3 6. RESPONSABILIDADES... 3 6.1 Todos

Leia mais

Engenharia e Consultoria CÓDIGO DE ÉTICA

Engenharia e Consultoria CÓDIGO DE ÉTICA CÓDIGO DE ÉTICA SUMÁRIO APRESENTAÇÃO COLABORADORES Princípios éticos funcionais Emprego e Ambiente de trabalho Conflito de interesses Segredos e informações comerciais SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais, DECRETO Nº 012, de 05 de agosto de 2009. DISPÕE SOBRE O USO DOS SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET AOS ÓRGÃOS E DEPARTAMENTOS QUE INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE PICUÍ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA 1 REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX Empresa XX LTDA A EMPRESA XX LTDA, através de seu Comitê de Tecnologia da Informação, órgão responsável pela normatização e padronização

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA GADE SOLUTION Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION 1. Conceituação: A informação é um dos principais patrimônios do mundo dos negócios. Um fluxo de informação de qualidade é capaz

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO PORTARIA Nº 018/DIAT/ASTEC/SEMAD Porto Velho, 17 de dezembro de 2007. Normatiza os procedimentos e critérios para uso e segurança dos equipamentos de informática e banco de dados da Prefeitura de Porto

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos profissionais e usuários de informática da FECAP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL TÍTULO I - DO LABORATÓRIO DIDÁTICO CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta O Código de Ética e Conduta do ESA - Externato Santo Antônio estabelece o comportamento esperado de todos aqueles que trabalham na, para e com a instituição, e tem por objetivo

Leia mais

O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey.

O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey. Termos e Condições O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey. Ao acessar este site, você concorda em cumprir estes termos e condições. Leia atentamente. CASO NÃO CONCORDE EM CUMPRIR

Leia mais

TERMO DE RESPONSABILIDADE

TERMO DE RESPONSABILIDADE TERMO DE RESPONSABILIDADE Pelo presente instrumento particular, declaro assumir a total responsabilidade pela utilização do CARTÃO FUNCIONAL e SENHA ELETRÔNICA, doravante chamados de IDENTIDADE DIGITAL

Leia mais

FACULDADE CARLOS GOMES

FACULDADE CARLOS GOMES FACULDADE CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE CARLOS GOMES POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA REDE Artigo 1º. Artigo 2º.

Leia mais

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto Termos de Uso O aplicativo Claro Facilidades faz uso de mensagens de texto (SMS), mensagens publicitárias e de serviços de internet. Nos casos em que houver uso de um serviço tarifado como, por exemplo,

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA Sumário 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Documentos de Referência 4. Definições 5. Condições gerais 6. Condições de Acesso aos Recursos 7. Autenticação de Usuários 8. Recursos de Hardware e Software

Leia mais

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest [CÓDIGO DE ÉTICA] Este documento determina as práticas, padrões éticos e regras a serem seguidos pelos colaboradores, fornecedores e a todos aqueles que, direta ou indiretamente, se relacionem com a Interinvest.

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 CONCEITOS... 3 4 ESTRUTURA NORMATIVA...

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS, QUE PODERÃO

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE E-MAIL PARA ESCOLAS E ADMINISTRAÇÃO NACIONAL

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE E-MAIL PARA ESCOLAS E ADMINISTRAÇÃO NACIONAL POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE E-MAIL PARA ESCOLAS E ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DEFINIÇÕES: ESCOLA: toda unidade franqueada CNA. FRANQUEADO/OPERADOR: todo aquele que ingressa na rede CNA, através da formalização

Leia mais

CONTRATO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM DE SITES

CONTRATO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM DE SITES CONTRATO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM DE SITES CLÁUSULA PRIMEIRA DAS PARTES 1.1 De um lado, JKL SERVIÇOS E TECNOLOGIA ME, Pessoa Jurídica com sede na Rua CAROLINA ROQUE nº 416, CEP 02472-030, cidade

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade Este documento tem por objetivo definir a Política de Privacidade da Bricon Security & IT Solutions, para regular a obtenção, o uso e a revelação das informações pessoais dos usuários

Leia mais

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Capítulo I Do regimento e seus objetivos O presente regimento, elaborado pela Central de Processamento de dados da UFV- CRP, visa disciplinar

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES RELATIVOS AO CADASTRO DOS USUÁRIOS NO SERVIÇO OI MAPAS

TERMOS E CONDIÇÕES RELATIVOS AO CADASTRO DOS USUÁRIOS NO SERVIÇO OI MAPAS TERMOS E CONDIÇÕES RELATIVOS AO CADASTRO DOS USUÁRIOS NO SERVIÇO OI MAPAS O presente termo tem por objetivo regular as condições relativas ao cadastro do USUÁRIO junto à Oi (Telemar Internet), cadastro

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND 1. Princípios Gerais Esta Política de privacidade descreve como o CONSULTOR HND coleta e usa informações pessoais fornecidas no nosso site: www.consultorhnd.com.br.

Leia mais

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso.

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso. O website e domínio www.busquecursos.co, bem como seus subdomínios, funcionalidades, conteúdo e demais aplicações e serviços (incluindo aplicações mobile) estão sujeitos aos termos e condições deste termo

Leia mais

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida.

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida. Segurança da Informação é a proteção das informações contra os vários tipos de ameaças as quais estão expostas, para garantir a continuidade do negócio, minimizar o risco ao negócio, maximizar o retorno

Leia mais

Contrato Servidor Dedicado

Contrato Servidor Dedicado Contrato Servidor Dedicado Pelo presente instrumento particular de contrato, de um lado, Intersit Tecnologia, sobre o CNPJ 09.131.781/0001-28 com sede em Curitiba PR, doravante denominada CONTRATADA, de

Leia mais

FLEXPAG - Política de Privacidade

FLEXPAG - Política de Privacidade FLEXPAG - Política de Privacidade A infocusweb/flexpag tem um compromisso com o respeito à sua privacidade. Política de Privacidade Nós reconhecemos que ao optar por nos informar alguns de seus dados pessoais,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014 O Diretor Presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos CPRH, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo Decreto nº. 30.462 de 25 de

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Página: 1 de 5 1. INTRODUÇÃO A informação é um ativo que possui grande importância para PRÓ-MEMÓRIA, sendo resguardada contra ameaças e riscos. Segurança da informação, segundo a NBR ISO/IEC 27002:2005,

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Índice 1 Introdução... 3 2 Política de cadastro e senhas... 5 3 Política de Utilização da Internet... 7 4 Política de Utilização de

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições,

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, flas RESOLUÇÃO 01 05 NORMAS DE USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO INPE IMEDIATA O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, RESOLVE Estabelecer

Leia mais

Fundação Professor Francisco Pulido Valente CÓDIGO DE CONDUTA

Fundação Professor Francisco Pulido Valente CÓDIGO DE CONDUTA Fundação Professor Francisco Pulido Valente CÓDIGO DE CONDUTA Dezembro de 2012 INTRODUÇÃO As fundações são instituições privadas sem fins lucrativos que visam contribuir para o bem comum, para o desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO DA REITORIA Nº 003/2002, DE 29 DE JULHO DE 2002

RESOLUÇÃO DA REITORIA Nº 003/2002, DE 29 DE JULHO DE 2002 RESOLUÇÃO DA REITORIA Nº 003/2002, DE 29 DE JULHO DE 2002 Define políticas, normas e procedimentos que disciplinam a utilização de equipamentos, recursos e serviços de informática do Unilasalle. O Reitor

Leia mais

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0 POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE Versão 1.0 Versão 1.0 Pág. 1 Considerações Gerais 1 - A Tecnologia da Informação fica definida como a responsável pela gestão dos Sistemas de Informação e dos Recursos de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 30/10/2014, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Artigo 19, Inciso XVII do

Leia mais

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Introdução A PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL-CHILE, através de seu setor de Tecnologia da Informação, tem como objetivo o provimento de um serviço de qualidade,

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Direito

Universidade de São Paulo Faculdade de Direito Universidade de São Paulo Faculdade de Direito Política de Segurança de Informação Classificação: Normas internas - Manual de Procedimentos Rev. 2.0 Data: 06/08/2014 Índice 1. Introdução... 3 2. Correio

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA DIXCURSOS (ANEXO AOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO SITE E CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS)

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA DIXCURSOS (ANEXO AOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO SITE E CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS) POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA DIXCURSOS (ANEXO AOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO SITE E CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS) 1. A aceitação a esta Política de Privacidade se dará com o clique no botão Eu aceito

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 003, DE 30 DE MARÇO DE 2012

PORTARIA NORMATIVA Nº 003, DE 30 DE MARÇO DE 2012 PORTARIA NORMATIVA Nº 003, DE 30 DE MARÇO DE 2012 Normatiza o uso do correio eletrônico institucional em atendimento à Resolução nº 34/2011- CS/IFB O REITOR PRO TEMPORE DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA,

Leia mais

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14 ANEXO I PSI Índice 1. FINALIDADE... 4 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. FREQUÊNCIA DE REVISÃO... 4 4. PORTAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 4 5. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5.1. Segurança da Informação... 4 5.2. Confidencialidade...

Leia mais

Monitoramento de e-mail corporativo

Monitoramento de e-mail corporativo Monitoramento de e-mail corporativo Mario Luiz Bernardinelli 1 (mariolb@gmail.com) 12 de Junho de 2009 Resumo A evolução tecnológica tem afetado as relações pessoais desde o advento da Internet. Existem

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional e normatiza as regras

Leia mais

SISTEMA DE AUTO ATENDIMENTO TREND OPERADORA TERMO DE USO

SISTEMA DE AUTO ATENDIMENTO TREND OPERADORA TERMO DE USO SISTEMA DE AUTO ATENDIMENTO TREND OPERADORA TERMO DE USO DA EMPRESA A TREND FAIRS E CONGRESSES OPERADORA DE VIAGENS PROFISSIONAIS LTDA, empresa com sede na Cidade de São Paulo, SP, na Rua Sete de Abril,

Leia mais

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA POLÍTICA DE USO DE FUNCIONAMENTO

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA POLÍTICA DE USO DE FUNCIONAMENTO FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ - FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ Rua 1º de Maio Nº 2235/N Bairro Primavera Qualidade em Educação Teresina PI Brasil Fone:(86) 2107-2200 www.faespi.com.br/faespi.edu@gmail.com

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI POLÍTICA DE SEGURANÇA DE TI 1 ÍNDICE 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 2. PROPÓSITO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 4. DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 5. DAS DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS... 6 6. DOS COMPROMISSOS... 8 7. DOS

Leia mais

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR GETAD/TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1-OBJETIVO Esta norma estabelece os critérios e procedimentos relacionados à utilização da REDE SETUR por todos os servidores, estagiários

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Segurança da Informação BM&FBOVESPA Última revisão: maio de 2014 Uso interno Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONCEITOS... 3 4. ESTRUTURA NORMATIVA... 3 5. DIRETRIZES... 4 6. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO I - Aspectos Gerais... 2 II - Proteção da Informação... 2 III - Responsabilidades... 3 IV - Informações Confidenciais... 3 V - Informações Privilegiadas... 4

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI O presente termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 40.432.544/0001-47,

Leia mais

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista.

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista. DECRETO nº 1784, de 13 de fevereiro de 2012 Disciplina a criação de e-mail institucional para todos os servidores da Administração Direta do Poder Executivo do Município de Contagem. A PREFEITA DO MUNICÍPIO

Leia mais

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet O B J E CT I V O Estabelecer critérios para acesso à Internet utilizando recursos do Projecto Portal do Governo de Angola. Orientar os Utilizadores sobre as competências, o uso e responsabilidades associadas

Leia mais

Normas para o Administrador do serviço de e-mail

Normas para o Administrador do serviço de e-mail Normas para o Administrador do serviço de e-mail Os serviços de e-mails oferecidos pela USP - Universidade de São Paulo - impõem responsabilidades e obrigações a seus Administradores, com o objetivo de

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL Leia com atenção a nossa Política de Privacidade. Esta Política de Privacidade aplica-se à todos os usuários cadastrados no site, e integram os Termos e Condições

Leia mais

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ POLÍTICA DE USO DE EQUIPAMENTO DE INFORMATICA Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos técnicos administrativos, alunos e professores da FACIMP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

TERMOS DE USO E CONDIÇÕES

TERMOS DE USO E CONDIÇÕES TERMOS DE USO E CONDIÇÕES A Central de Fãs o convida a ser um usuário deste Portal e a conhecer os Termos e Condições que regem a utilização do mesmo, onde o fã passa a ter acesso em primeira mão às novidades

Leia mais

Termo de Uso A AGENDA SUSTENTABILIDADE única e exclusiva proprietária do domínio www.agenda SUSTENTABILIDADE.com.br, doravante denominado AGENDA SUSTENTABILIDADE, estabelece o presente TERMO DE USO para

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA Dos Laboratórios Art 1º O objetivo dos laboratórios de informática é suprir necessidades laboratoriais, de informática, nas áreas de ensino, pesquisa, extensão,

Leia mais

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações T TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações Versão 1.2 24/08/2015 1 1. Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a FSB Comunicações, devendo ser adequadamente utilizada

Leia mais

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE. Setembro de 2010

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE. Setembro de 2010 FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE A. Propósito Setembro de 2010 A Franklin Electric Co., Inc. e suas subsidiárias e afiliadas (em conjunto, a Empresa ) têm o compromisso de proteger a

Leia mais