Regulamento Interno da Componente do Apoio à Família Ano letivo 2014/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento Interno da Componente do Apoio à Família Ano letivo 2014/2015"

Transcrição

1 Regulamento Interno da Componente do Apoio à Família A Componente do Apoio à Família (CAF) Da Escola do 1º Ciclo do Ensino Básico Infante D. Henrique, destina-se a assegurar o acompanhamento dos alunos antes e / ou depois das atividades curriculares e / ou durante os períodos de interrupção das atividades letivas. Esta atividade é gerida pela Associação de Pais e Encarregados de Educação dos alunos da EB1 Infante D. Henrique, de acordo com o presente Regulamento. Cláusula N.º 1 (Utilizadores) Podem usufruir do Componente de Apoio à Família todos os alunos da escola do 1º ciclo do Ensino Básico Infante D. Henrique, desde que os seus Pais e Encarregados de Educação sejam sócios da Associação de Pais e cumpram o presente Regulamento. Cláusula N.º 2 (Horários) 1. No período letivo a CAF funciona em três turnos com os seguintes horários: - Manhã: 07h45m às 10h00m - Almoço: 12h30m às 14h00m - Tarde: 15h45m às 19h30m 2. No período não letivo funciona das 07h45m às 19h30m. Cláusula N.º 3 (Modadildades) 1. Estão definidas cinco modalidades de frequência da CAF com mensalidades de valores diferentes: - Frequência total (Manhã, Almoço, Tarde); - Frequência de dois turnos à escolha (Manhã e Almoço ou Almoço e Tarde, ou Manhã e Tarde); - Frequência da hora do Almoço; - Frequência esporádica do CAF; - Frequência esporádica da hora de almoço.

2 2. O valor da mensalidade da CAF não inclui o pagamento dos almoços. 3. Para usufruir da CAF nas interrupções letivas é necessário estar inscrito no regime de frequência total. Cláusula N.º 4 (Valores) 1. O valor dos almoços é definido no início do ano letivo e será diferente conforme se trate de período letivo ou não letivo, uma vez que o protocolo de fornecimento de refeições com a Câmara Municipal de Tomar só é válido nos períodos letivos. 2. O valor das mensalidades da CAF e de cada almoço para o ano letivo 2014/2015 será o seguinte: Apoio à Família: Frequência total (Manhã, Almoço, Tarde) 35,00 Frequência de dois turnos 25,00 Frequência da hora de Almoço 15,00 Frequência esporádica da CAF Por cada dia 3,00 Frequência esporádica da hora de almoço Por cada dia 1,50 Almoços no período letivo: Refeição Normal 1,46 Refeição Escalão B 0,73 Refeição Escalão A 0,00 Almoços no período não letivo: Refeição Normal, Escalões A e B 2,50 Cláusula N.º 5 (Pagamentos) 1. As mensalidades da CAF e as refeições deverão ser pagas até ao dia 8 de cada mês, nas monitoras da CAF, no seguinte horário: Das 09h00 às 11h00 Das 15h30 às 19h30

3 2. Os almoços são pagos no ato da marcação da refeição, em lotes, no mínimo de 10, até às 10h30m do dia útil anterior ao da primeira refeição. 3. O atraso no pagamento da mensalidade e das refeições implica uma multa correspondente ao acréscimo de 20% aos valores em dívida. 4. Atrasos no pagamento superiores a 1 mês poderão implicar a automática suspensão da frequência da CAF. 5. O pagamento pode ser efetuado da seguinte forma: Na escola, junto das monitoras em data e hora referidas anteriormente, através de dinheiro, cartão multibanco ou cheque endossado à Associação de Pais e Encarregados de Educação dos alunos da Escola EB1 Infante D. Henrique. Transferência bancária desde que seja indicado no movimento o nome do aluno e o mês a que se refere, para o seguinte NIB: Banco Montepio. Cláusula N.º 6 (Desmarcações) 1. A desmarcação de almoços apenas é aceite até às 09h30m do dia a desmarcar. 2. Caso as marcações, pagamentos e desmarcações de almoços não cumpram os horários indicados os mesmos não são considerados. Cláusula N.º 7 (Objetos Pessoais) A Associação de Pais não se responsabiliza por perdas ou danos de quaisquer objetos pessoais (computadores, jogos, livros ou outros), transportados pelos alunos para o CAF. Cláusula N.º 8 (Doença ou Acidente) 1. No caso de deteção de sintomas de doença durante a frequência do CAF, será estabelecido contato com a família a fim de que esta tome as diligências necessárias para o rápido encaminhamento da criança a tratamento adequado.

4 2. No caso de queda, acidente ou situação análoga ocorrida durante a estadia na CAF, a criança em causa será rapidamente encaminhada para o hospital, acompanhada de uma funcionária da instituição escolar, sendo os Pais ou Encarregados de Educação alertados para tal ocorrência, logo que seja possível estabelecer contato. 3. A administração de qualquer medicamento à criança, só será possível mediante o preenchimento de uma Autorização de Prescrição de Medicamentos ou Antibióticos, pelo Encarregado de Educação. Clausula N.º 9 (Desistência ou alteração de modalidade) 1. Em caso de desistência ou redução da frequência da CAF de qualquer criança obedece aos seguintes critérios: a) Deverá ser comunicado por escrito, com 15 dias de antecedência à Associação de Pais. b) É devida a totalidade da mensalidade no mês em que ocorre a desistência. c) Para a reinserção, terão de ser pagas as mensalidades em dívida, desde o último mês em que houve registo de inscrição. 2. Outras situações não especificadas no presente Regulamento deverão ser encaminhadas, por escrito, para a Associação de Pais, para análise e posterior decisão. Cláusula N.º 10 (Disposições Finais) As crianças só serão entregues aos pais, encarregados de educação ou a alguém por estes designados, devidamente autorizado para o efeito, caso os pais não a possam vir buscar, e após as funcionárias terem sido informadas atempadamente da alteração. A Direção da Associação de Pais Presidente Vice-Presidente Tesoureiro Secretário

5

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF)

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação

Leia mais

Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar

Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar Normas da Componente de Apoio à Família Pré Escolar No âmbito do programa de desenvolvimento e expansão da educação Pré-Escolar e considerando: a Lei n.º 5/97, de 10 de fevereiro, que consigna os objetivos

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo O Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos do 1º CEB e a Componente de Apoio à Família (CAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias

Leia mais

CAF Vitamina Férias de Natal 2015/2016

CAF Vitamina Férias de Natal 2015/2016 CAF Vitamina Férias de Natal 2015/2016 EB do Castelo Tel.: 93 629 27 51 Email: vitamina.eb23castelo@gmail.com Vitamina- sede Rua Adriano José da Silva, nº 20 C, 2770-004 Paço de Arcos E-mail: vitamina.geral@gmail.com

Leia mais

Componente de Apoio à Família CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM

Componente de Apoio à Família CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM 2014-2015 Componente de Apoio à Família CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM REGULAMENTO INTERNO DA CAF COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA EB 1 com JI Bairro do Restelo CAPÍTULO I NATUREZA

Leia mais

Município de Vila Nova de Poiares Natal em Atividade. MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo

Município de Vila Nova de Poiares Natal em Atividade. MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo NATAL EM ATIVIDADE NORMAS GERAIS DE FUNCIONAMENTO Nota introdutória A Câmara Municipal pretende desenvolver programas

Leia mais

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CLUBE JOVEM DO LUMIAR 1 Capitulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1 - O presente regulamento enuncia as normas regulamentares de funcionamento do Centro de Apoio ao Estudo

Leia mais

Norma II Objetivo da Componente de Apoio à Família (CAF)

Norma II Objetivo da Componente de Apoio à Família (CAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação dispõe de múltiplas respostas sociais para todas as gerações

Leia mais

Regulamento Piscina do Centro Cénico Cela

Regulamento Piscina do Centro Cénico Cela Regulamento Piscina do Centro Cénico Cela Norma I Plano de atividade interrupções das aulas Inicio das aulas setembro Fim das aulas julho Interrupções: -Véspera de Natal -Véspera de Ano Novo Norma II Condições

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA

PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PROJETO DE REGULAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOTA JUSTIFICATIVA A educação pré-escolar contribui de forma significativa para o desenvolvimento das crianças, pois assume-se como o ponto de partida

Leia mais

REGULAMENTO. Praia de Carcavelos Bar do Moinho / Praia da Cresmina, Guincho (Junto ao Restaurante Meste Zé)

REGULAMENTO. Praia de Carcavelos Bar do Moinho / Praia da Cresmina, Guincho (Junto ao Restaurante Meste Zé) REGULAMENTO 1 Princípios Gerais Este regulamento tem como objectivo definir as principais linhas orientadoras que regem a Wanted Surf School, para que os alunos e pais saibam quais os seus deveres e direitos,

Leia mais

Regulamento das visitas de estudo

Regulamento das visitas de estudo Regulamento das visitas de estudo 1. Definição 1.1. Considera-se visita de estudo toda a atividade curricular, intencionalmente planeada e realizada fora do espaço físico da Escola ou da sala de aula,

Leia mais

CARTÃO DE ALUNO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO COLÉGIO ALEMÃO DO PORTO

CARTÃO DE ALUNO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO COLÉGIO ALEMÃO DO PORTO 1 /5 CARTÃO DE ALUNO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO COLÉGIO ALEMÃO DO PORTO Este documento define e regula o funcionamento do cartão de aluno. I Âmbito e função 1. O cartão de aluno tem por função identificar

Leia mais

Normas de Funcionamento (Questões frequentes) Colégio José Álvaro Vidal

Normas de Funcionamento (Questões frequentes) Colégio José Álvaro Vidal Normas de Funcionamento (Questões frequentes) Colégio José Álvaro Vidal Ano letivo 2016/2017 1. Processo de Admissão 1.1 As inscrições no Colégio estão permanentemente abertas e são efetuadas, em documento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ESFERA SOLIDÁRIA, IPSS. Componente de Apoio à Família (CAF) Pré-Escolar e 1.º Ciclo. ATL Arco-íris. Regulamento Interno

ASSOCIAÇÃO ESFERA SOLIDÁRIA, IPSS. Componente de Apoio à Família (CAF) Pré-Escolar e 1.º Ciclo. ATL Arco-íris. Regulamento Interno ASSOCIAÇÃO ESFERA SOLIDÁRIA, IPSS Componente de Apoio à Família (CAF) - Pré-Escolar e 1.º Ciclo ATL Arco-íris Regulamento Interno Introdução Inspira-nos promover actividades sócio culturais, educativas

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS O Atelier de Artes Plásticas é um serviço que se encontra ao dispor de todos os interessados, visando instruí-los e dotá-los das ferramentas básicas

Leia mais

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição:

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição: O Colégio Alfa-Beta tem como grande preocupação o crescimento harmonioso e saudável das crianças. Oferecemos apoio aos tempos livres, férias escolares, atividades Lúdico-Pedagógicas e complemento pré -escolar

Leia mais

Regulamento escola duluténis

Regulamento escola duluténis Regulamento escola duluténis Atestado Médico ou Termo de Responsabilidade ou Inscrição na Federação Portuguesa de Ténis e Seguro Desportivo: no acto da inscrição, é obrigatório a entrega de Atestado Médico

Leia mais

REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA

REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA Página 1 de 5 Regulamento Terapia Aquática - AFA O presente Regulamento Interno aplica-se à frequência de Terapia Aquática na Piscina Municipal de Oliveira de Bairro podendo

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MAGNÉTICO

REGULAMENTO DO CARTÃO MAGNÉTICO REGULAMENTO DO CARTÃO MAGNÉTICO 1. Objeto e Âmbito O cartão escolar é um cartão de leitura magnética, utilizado por todos os alunos, professores e funcionários do Agrupamento e tem como objetivo aumentar

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO NO ÂMBITO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA NA ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO N.º 1, AREIAS, SETÚBAL Considerando que: a) O Despacho n.º 14 460/2008, da Ministra da Educação, de 15 de

Leia mais

Em casos especiais serão fornecidas dietas, nomeadamente em caso de indisposição pontual.

Em casos especiais serão fornecidas dietas, nomeadamente em caso de indisposição pontual. O Programa Alimentar da Câmara Municipal de Cascais (CMC) garante, há mais de 20 anos, o fornecimento de uma refeição quente (almoço) a todas as crianças que frequentam estabelecimentos de ensino do pré-escolar

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE Artigo 1º O presente Regulamento aplica-se a todos os Refeitórios dos Serviços de Acção Social

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro Normas Reguladoras de Funcionamento do Serviço de Refeições no âmbito do Programaa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares do 1º Ciclo do Ensino

Leia mais

Ficha de Inscrição - VERÃO 2015

Ficha de Inscrição - VERÃO 2015 Ficha de Inscrição - VERÃO 2015 1. Dados Pessoais do Participante Nome Completo: Data de Nascimento: / / Idade: Nº BI/C. do Cidadão/Cédula Pessoal: N.º de Beneficiário: Nº de Contribuinte: Morada: Localidade:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO 2011 2012 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 1º Ciclo Ano Letivo 2011 / 2012 Regimento

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES ELETRÓNICOS DE IDENTIFICAÇÃO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES ELETRÓNICOS DE IDENTIFICAÇÃO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES ELETRÓNICOS DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1º Âmbito e função 1. O Cartão Eletrónico de Identificação tem por função identificar todos os utentes: alunos; pessoal docente

Leia mais

EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR. Normas de Funcionamento

EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR. Normas de Funcionamento EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR Normas de Funcionamento da Componente de Apoio à Família (CAF) A educação pré-escolar destina-se a todas as crianças com idades compreendidas entre os 3 anos e a idade de ingresso

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Línguas do CLiC-IPP. Capítulo I Disposições Gerais. Capítulo II Disposições Específicas

Regulamento dos Cursos de Línguas do CLiC-IPP. Capítulo I Disposições Gerais. Capítulo II Disposições Específicas Conselho de Gestão 18 07 2016 0 Regulamento dos Cursos de Línguas do CLiC-IPP Capítulo I Disposições Gerais 1. O presente regulamento aplica-se a todos os cursos de línguas promovidos pelo Centro de Línguas

Leia mais

INSTRUÇÕES DE INSCRIÇÃO

INSTRUÇÕES DE INSCRIÇÃO ESCOLA DE TÉNIS - PROCESSO DE INSCRIÇÃO INSTRUÇÕES DE INSCRIÇÃO DOCUMENTOS PRIMEIRA INSCRIÇÃO: Ficha de inscrição; 2 Fotografias; Fotocopia do BI ou Cartão de Cidadão do Atleta; Fotocopia do BI ou Cartão

Leia mais

SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA

SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA MUNICÍPIO DE AVEIRO DIVISÃO DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA Orientações de Funcionamento para o ano letivo de 2016/2017 ÍNDICE PARTE I: DISPOSIÇÕES GERAIS Enquadramento 3 Âmbito 3 PARTE

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE NATAL 2014

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE NATAL 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE NATAL 2014 A criação do Programa de Mini Férias de Natal 2014 foi pensada para o fortalecimento e melhoramento da qualidade de vida dos seus munícipes,

Leia mais

Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel

Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel MUNICÍPIO DE ALJUSTREL CÂMARA MUNICIPAL Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel 1- Definição a) O Programa Municipal de Férias e Tempos livres

Leia mais

CAMPO DE FÉRIAS Páscoa 2017 Dos 6 aos 16 anos

CAMPO DE FÉRIAS Páscoa 2017 Dos 6 aos 16 anos CAMPO DE FÉRIAS Páscoa 2017 Dos 6 aos 16 anos O Campo de férias Vinha da Ribeira, cuja organização é assegurada pela empresa João Monteiro Animação Turística, Unipessoal Lda., oferece às crianças uma forma

Leia mais

[FORMAÇÃO DE TREINADORES CURSO DE TREINADOR DE GRAU I] FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO

[FORMAÇÃO DE TREINADORES CURSO DE TREINADOR DE GRAU I] FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO 2015 [FORMAÇÃO DE TREINADORES CURSO DE TREINADOR DE GRAU I] FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO 1 CALENDARIZAÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO DE TREINADORES DE GRAU I 1. Local de realização Gondomar o Aulas Teóricas:

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO FUNCIONAMENTO E GESTÃO DOS REFEITÓRIOS ESCOLARES

REGULAMENTO MUNICIPAL DO FUNCIONAMENTO E GESTÃO DOS REFEITÓRIOS ESCOLARES REGULAMENTO MUNICIPAL DO FUNCIONAMENTO E GESTÃO DOS REFEITÓRIOS ESCOLARES Reunião de Câmara (aprovação do projecto) 05/09/2011 Edital (apreciação pública) 07/02/2011 Publicado (projecto) no DR II Série,

Leia mais

CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA (AAAF) E COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA (CAF)

CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA (AAAF) E COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA (CAF) CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO E ENSINO DA FREGUESIA DE SÃO DOMINGOS DE BENFICA T: 21 724 86 10 E: geral@jf-sdomingosbenfica.pt M: Rua Lúcio de Azevedo, 12A 1600-148 LISBOA S:

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS. PONTO I Objeto

CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS. PONTO I Objeto CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS PONTO I Objeto 1) O OTL Viver o Verão 2016 é promovido pelo Serviço de Juventude e Desporto da Câmara Municipal de Lagos, durante os

Leia mais

CAMPO DE FÉRIAS Verão 2017 Dos 6 aos 16 anos

CAMPO DE FÉRIAS Verão 2017 Dos 6 aos 16 anos CAMPO DE FÉRIAS Verão 2017 Dos 6 aos 16 anos O Campo de férias Vinha da Ribeira, cuja organização é assegurada pela empresa João Monteiro Animação Turística, Unipessoal Lda., oferece às crianças uma forma

Leia mais

1ª INSCRIÇÃO INCLUI: matrícula, seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno)

1ª INSCRIÇÃO INCLUI: matrícula, seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno) Tabela de Preços ANO LETIVO 2017/18 1ª INSCRIÇÃO INCLUI: matrícula, seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno) RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA INCLUI: seguro escolar e 1ª via do cartão do aluno) 270,00 250,00

Leia mais

Referência: AEN2ABT N.º 08/2014 CADERNO DE ENCARGOS

Referência: AEN2ABT N.º 08/2014 CADERNO DE ENCARGOS Referência: AEN2ABT N.º 08/2014 CADERNO DE ENCARGOS Aquisição de Serviços de Transporte Escolar em Táxi para a Escola Básica e Secundária Dr. Manuel Fernandes e Escola Básica António Torrado do Agrupamento

Leia mais

CAF FÉRIAS DE VERÃO 2016

CAF FÉRIAS DE VERÃO 2016 CAF FÉRIAS DE VERÃO 2016 Plano Férias de Verão 2016 1ª Semana (13 a 17 de junho) HORÁRIOS 2ª Feira 13/6 3ª Feira 14/6 4ª Feira -15/6 5ª Feira 16/6 6ª Feira 17/6 Boas vindas às férias de Verão Jogos de

Leia mais

ANEXO 20 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DO CARTÃO DO ALUNO

ANEXO 20 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DO CARTÃO DO ALUNO ANEXO 20 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DO CARTÃO DO ALUNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014 Índice ARTIGO Nº 1 - ÂMBITO E OBJETIVO... 3 ARTIGO Nº 2 - FINALIDADES DO CARTÃO DO ALUNO...

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA Página 1 de 13 REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA 1.º e 2.º Ciclo da Escola Básica de São Vicente Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira Capítulo I Disposições gerais Artigo

Leia mais

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF)

Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Capítulo 1 - Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) Norma I Enquadramento Institucional A ABLA é uma IPSS e ONGD de inspiração cristã evangélica criada em 1984 por beneméritos alemães. A Associação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE Regulamento das visitas de estudo 1. Definição 1.1. Considera-se visita de estudo toda a atividade curricular, intencionalmente planeada e realizada fora do espaço físico da Escola ou da sala de aula,

Leia mais

CURSO PARA EMPREGADOS FORENSES

CURSO PARA EMPREGADOS FORENSES PROGRAMA CURSO PARA EMPREGADOS FORENSES DE AGENTES DE EXECUÇÃO Abril/Maio 2012 Braga Viseu Santarém Faro Departamento de Formação - Câmara dos Solicitadores 2011 Avenida José Malhoa, 16-1B2 1070 159 Lisboa-Portugal

Leia mais

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014 REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA Ano Letivo 2013/2014 Tendo como referência as normas que são comuns aos vários sectores que integram a estrutura pedagógica e administrativa da Escola,

Leia mais

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 PREÂMBULO Atenta à diferenciação de oportunidades de acesso à educação, o Município de Almada tem preconizado uma política

Leia mais

REGULAMENTO dos PROGRAMAS MUNICIPAIS

REGULAMENTO dos PROGRAMAS MUNICIPAIS MUNICÍPIO DE MESÃO FRIO Câmara Municipal REGULAMENTO dos PROGRAMAS MUNICIPAIS de ATIVIDADES de FÉRIAS e de OCUPAÇÃO dos TEMPOS LIVRES 6 aos 18 anos - Programa Municipal de Atividades de Férias (AF 6/13)

Leia mais

CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETIVOS

CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETIVOS 2015 2016 CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE SANTA MARIA DE BELÉM REGULAMENTO INTERNO DAS AAAF ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA E CAF COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA ANO LETIVO 2015/2016 CAPÍTULO

Leia mais

1º Semana Aventureiros. 2º Semana Pé n areia 3º Feira

1º Semana Aventureiros. 2º Semana Pé n areia 3º Feira 1º Aventureiros 13 Junho Receção às Crianças 14 Junho Penalty Cego 15 Junho Caça aos números (Jamor) 16 Junho Workshop de Origami 17 Junho Sirumba 12h30-14h 17h45-19h ALMOÇO ALMOÇO Pic-Nic ALMOÇO ALMOÇO

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 FUTSAL MASCULINO REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Futsal masculino nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade

Leia mais

Serviços de Saúde e Bem-estar REGULAMENTO INTERNO

Serviços de Saúde e Bem-estar REGULAMENTO INTERNO Serviços de Saúde e Bem-estar REGULAMENTO INTERNO Verão 2016 REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO EGOlias ATELIER DE SAÚDE ARTIGO 1º Denominação e Natureza 1. O EGOlias Atelier de Saúde é um programa

Leia mais

Ano letivo 2014/2015

Ano letivo 2014/2015 Ano letivo 2014/2015 Como aceder ao PORTAL SIGE3 (Plataforma SIGE) 1. Entre diretamente no site http://www.ae-anobre.pt/ 2. Selecione o ícone do Portal SIGE3 e clique em Entrar no PortalSIGE 3. Têm acesso

Leia mais

Regulamento Ser Cientista

Regulamento Ser Cientista Regulamento Ser Cientista 1- Objetivos 1.1 - "Ser Cientista" é um programa que tem por objetivo proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica pela

Leia mais

Associação dos Funcionários Municipais de Londrina SEDE CAMPESTRE ALVORADA DO SUL E CAMPING

Associação dos Funcionários Municipais de Londrina SEDE CAMPESTRE ALVORADA DO SUL E CAMPING Associação dos Funcionários Municipais de Londrina SEDE CAMPESTRE ALVORADA DO SUL E CAMPING 1- O presente regulamento tem o objetivo de disciplinar o uso da SEDE CAMPESTRE DE ALVORADA DO SUL - CONFORME

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL. Plano de Atividades Educativas de Complemento Curricular AECC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL. Plano de Atividades Educativas de Complemento Curricular AECC PAA 2016/2017: ANEXO III AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL Plano de Atividades Educativas de Complemento Curricular AECC Despacho Normativo nº 10-A/2015, de 19 de junho, artigo 7º alínea b) e artigo

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA O presente documento tem por objecto a regulamentação

Leia mais

Regulamento 1. Objetivos 2. Destinatários Verão na ULisboa 3. Direitos e deveres dos participantes Verão na ULisboa Verão na ULisboa

Regulamento 1. Objetivos 2. Destinatários Verão na ULisboa 3. Direitos e deveres dos participantes Verão na ULisboa Verão na ULisboa Regulamento 1. Objetivos 1.1. O Verão na ULisboa é um programa de ocupação de tempos livres para estudantes do 3.º ciclo e do ensino secundário, que pretende divulgar as atividades em curso nas diferentes

Leia mais

- Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Nota Justificativa

- Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Nota Justificativa - Componente de Apoio à Família - Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico REGULAMENTO Nota Justificativa A Educação Pré-Escolar constitui a primeira etapa da educação básica no processo de educação

Leia mais

Centro de Apoio Escolar e Pedagógico Saber Aprender

Centro de Apoio Escolar e Pedagógico Saber Aprender Regulamento Interno Competências: 1- Garantir o ambiente físico e adequado, proporcionando as condições para o desenvolvimento das actividades, num clima calmo, agradável e acolhedor; 2- Na sequencia do

Leia mais

União das Freguesias de Alcácer do Sal. (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana

União das Freguesias de Alcácer do Sal. (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana União das Freguesias de Alcácer do Sal (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana CERCART ATL 1. ÂMBITO O espaço de Atividades de Tempos Livres destina-se a proporcionar atividades de lazer, lúdicas,

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DE VERÃO. Preâmbulo

PROJECTO DE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DE VERÃO. Preâmbulo 1 PROJECTO DE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DE VERÃO Preâmbulo A criação de um programa de ocupação de tempos livres para as crianças da Freguesia de Chamusca e Pinheiro Grande,

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 12 NOTA JUSTIFICATIVA O Município de Condeixa-a-Nova, dando cumprimento ao disposto na lei vigente, tem vindo a assegurar o funcionamento e gestão do serviço de refeições escolares da sua competência.

Leia mais

regulamento interno creche

regulamento interno creche regulamento interno creche Conforme circular nº4 de 16/12/2014, da Direção-Geral de Segurança Social ASSOCIAÇÃODEPROTECÇÃOÀINFÂNCIADAAJUDA RegulamentoInterno REGULAMENTOINTERNO CRECHE ANOLETIVO2016/2017

Leia mais

Normas Internas de Funcionamento do Serviço de Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Normas Internas de Funcionamento do Serviço de Componente de Apoio à Família da Educação Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Normas Internas de Funcionamento à Família da Educação Pré-Escolar e Preâmbulo De acordo com o consagrado na Lei n.º 159/99, de 14 de setembro, os municípios possuem atribuições no domínio da educação

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL O desporto e a actividade física são elementos que contribuem para o bem-estar, para a saúde e para a qualidade de vida dos cidadãos. Assim,

Leia mais

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ARTIGO 1º Objecto 1- O presente regulamento tem por objecto definir o funcionamento dos serviços da componente de apoio à família, no âmbito de: a) Fornecimento de almoço b) Prolongamento de horário 2-

Leia mais

Normas reguladoras do projeto. Praia Acessível Praia Para Todos

Normas reguladoras do projeto. Praia Acessível Praia Para Todos Normas reguladoras do projeto Praia Acessível Praia Para Todos As presentes normas tiveram a aprovação da Capitania do Porto de Cascais e da ARH Tejo e visam definir o projeto Praia Acessível Praia Para

Leia mais

Normas de funcionamento. do serviço de refeições escolares

Normas de funcionamento. do serviço de refeições escolares Normas de funcionamento do serviço de refeições escolares ENQUADRAMENTO O fornecimento de refeições escolares visa assegurar uma alimentação equilibrada e adequada às necessidades da população escolar,

Leia mais

Capítulo II Inscrições e Desistências

Capítulo II Inscrições e Desistências Capítulo I Funcionamento da Escola de Música Marista 1. A Escola de Música Marista (E.M.M) é dirigida por um coordenador, nomeado pela Direção do Externato Marista. É função desse coordenador dirigir a

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD O presente Regulamento tem o intuito de estabelecer normas gerais para cumprimento da Lei nº.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SENHORA DA HORA REGULAMENTO VISITAS DE ESTUDO/ATIVIDADES 2014/2018

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SENHORA DA HORA REGULAMENTO VISITAS DE ESTUDO/ATIVIDADES 2014/2018 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SENHORA DA HORA REGULAMENTO DE VISITAS DE ESTUDO/ATIVIDADES 2014/2018 0/6 Definição 1. Visita de estudo é uma atividade curricular, organizada por professores para alunos, realizada

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES MAGNÉTICOS DE IDENTIFICAÇÃO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES MAGNÉTICOS DE IDENTIFICAÇÃO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES MAGNÉTICOS DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1.º Âmbito e função 1. O Cartão Magnético de Identificação tem por função identificar todos os utentes (alunos, pessoal docente

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA CAF Cruz d Areia e Barreira

REGULAMENTO INTERNO DA CAF Cruz d Areia e Barreira Corvos do Lis Associação Cultural e Desportiva REGULAMENTO INTERNO DA CAF Cruz d Areia e Barreira 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS A associação Corvos do Lis é uma associação cultural e desportiva, sem fins lucrativos.

Leia mais

CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal

CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal Colónias Páscoa 2014 CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal Telefone: 22 4837065 / 22 4662650 Fax: 22 466 26 69 Email: quintadopassal@cm-gondomar.pt

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre PRIMEIRO OUTORGANTE:.., portador/a do C/C nº 13423892, contribuinte nº, residente em.., na qualidade de Encarregado de / Educação representante de.. SEGUNDO OUTORGANTE:

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 FUTEBOL DE PRAIA REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Futebol de Praia, nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno)

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) Novembro/2015 Capítulo I Introdução Considerando a importância do desenvolvimento

Leia mais

Processo de Inscrição 50 cc

Processo de Inscrição 50 cc Processo de Inscrição 50 cc Estrada da Luz, nº90, 1º - 1600-160 Lisboa Portugal Tel.+351 210 036 600 Fax. +351 210 036 649 www.prp.pt e-mail: prp@prp.pt Instruções para inscrição no curso de formação de

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA PROLONGAMENTO DE HORÁRIO NORMAS ANO LECTIVO 2011/2012 CLÁUSULA PRIMEIRA (OBJECTO) O presente documento tem por objecto

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO 1

REGULAMENTO INTERNO 1 REGULAMENTO INTERNO 1 QUEM SOMOS? O Jardim Infantil Xicoração é um estabelecimento de ensino que iniciou a sua actividade em Maio de 1995 e que tem como base as orientações da equipa pedagógica de forma

Leia mais

Regulamento Interno Competição

Regulamento Interno Competição Regulamento Interno Competição O presente regulamento destina-se a definir os direitos e deveres dos intervenientes nas atividades desportivas de competição. [1] Índice 1. DESPORTISTA:...3 1.1 DIREITOS:...3

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO)

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO) REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO) 1993 1 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO A prática do desporto para todos é uma divisa de essência social

Leia mais

REGULAMENTO PARA O TRANSPORTE DE DOENTES

REGULAMENTO PARA O TRANSPORTE DE DOENTES REGULAMENTO PARA O TRANSPORTE DE DOENTES 1 INTRODUÇÃO 2 MARCAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE DOENTES 3 RETORNOS E ALTAS HOSPITALARES 4 ATITUDE DOS ELEMENTOS DO CORPO DE BOMBEIROS 5 CONDUTA DOS UTENTES

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO GERAL 2013/14

REGULAMENTO INTERNO GERAL 2013/14 REGULAMENTO INTERNO GERAL 2013/14 INTRODUÇÃO O Regulamento Interno do Jardim-de-infância Solar da Educação, Lda, tem como objetivo dar a conhecer, a toda a comunidade Educativa, as normativas legais internas.

Leia mais

Regulamento. 4. Direitos e deveres dos participantes

Regulamento. 4. Direitos e deveres dos participantes Regulamento 1. Âmbito O presente documento visa definir as normas de participação nos Cursos de Verão 2016 e facultar todas as informações necessárias ao bom funcionamento das atividades promovidas pela

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo.

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo. 1 OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Engenharia para Reforma da Casa da Gestante, com fornecimento de material e mão de obra, situado na Avenida

Leia mais

16ª CORRIDA DAS FOGUEIRINHAS

16ª CORRIDA DAS FOGUEIRINHAS 2016 16ª CORRIDA DAS FOGUEIRINHAS 25 de Junho Corrida das Fogueiras e Fogueirinhas Largo do Município 2520-239 Peniche www.cm.peniche.pt R E G U L A M E N T O Artigo 1 Organização: A Câmara Municipal de

Leia mais

Regulamento do Cartão Magnético 2016/2017

Regulamento do Cartão Magnético 2016/2017 Agrupamento de Escolas de São Lourenço Valongo Regulamento do Cartão Magnético 2016/2017 1. Objeto e Âmbito O cartão escolar é um cartão de leitura magnética, utilizado por todos os alunos, professores

Leia mais

CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES A GAIVOTA

CENTRO DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES A GAIVOTA - pg 1 de 11 - Carlos Manuel Jesus Salvador, Presidente da Junta de Freguesia de Sines, nos termos das alíneas f) e g), do artigo 18º, da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, torna público que foi aprovado

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA DOMUS MUNICIPALIS. CAPÍTULO I Utilização

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA DOMUS MUNICIPALIS. CAPÍTULO I Utilização REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA DOMUS MUNICIPALIS Foi celebrado um protocolo entre a Câmara Municipal de Bragança e o Instituto Português do Património Arqueológico e Arquitectónico, transferindo

Leia mais

Manual de Matrículas

Manual de Matrículas Manual de Matrículas Inscrições 2013/2014 Introdução O presente documento constitui um Manual que visa ajudar os estudantes durante o processo de matrículas/inscrições para o ano lectivo 2013/2014. O documento

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA FÉRIAS VERÃO ANA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º Objeto

REGULAMENTO PROGRAMA FÉRIAS VERÃO ANA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º Objeto REGULAMENTO PROGRAMA FÉRIAS VERÃO ANA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto O presente instrumento cria e define as condições de atribuição de um benefício para apoio à ocupação de tempos livres

Leia mais

CENTRO DE DIA GUIA DE ACOLHIMENTO. Fundação Manuel Francisco Clérigo Instituição Particular de Solidariedade Social. Caro (a) novo (a) utente,

CENTRO DE DIA GUIA DE ACOLHIMENTO. Fundação Manuel Francisco Clérigo Instituição Particular de Solidariedade Social. Caro (a) novo (a) utente, Fundação Manuel Francisco Clérigo Instituição Particular de Solidariedade Social Caro (a) novo (a) utente, GUIA DE ACOLHIMENTO É com o maior prazer que lhe damos as boas vindas, como novo membro d resposta

Leia mais

Regulamento Campo de Férias

Regulamento Campo de Férias Regulamento Campo de Férias Julho Agosto REGULAMENTO Campo de férias Nos meses de julho e agosto, o Colégio do Castanheiro oferece programas de campos de férias para crianças e jovens a partir dos três

Leia mais

DUATLO BTT DO BARREIRO 28 DE FEVEREIRO DE 2016

DUATLO BTT DO BARREIRO 28 DE FEVEREIRO DE 2016 DUATLO BTT DO BARREIRO 28 DE FEVEREIRO DE 2016 TAÇA DE PORTUGAL PORTERRA PROVA ABERTA REGULAMENTO 1. ORGANIZAÇÃO / ENQUADRAMENTO O Duatlo BTT do Barreiro é uma organização conjunta da Câmara Municipal

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Introdução

CONDIÇÕES GERAIS. Introdução CONDIÇÕES GERAIS Introdução A criação da Classe de Dança da Associação Equestre de Viana do Alentejo, resultam da cessação da actividade na Casa do Benfica em Viana do Alentejo, por vontade das alunas

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA Preâmbulo A atividade física e desportiva é, no quotidiano, um fator primordial na formação do ser humano enquanto indivíduo que busca a integração plena na sociedade contemporânea.

Leia mais