Demonstrações Financeiras BTG Pactual Stigma Participações S.A.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Demonstrações Financeiras BTG Pactual Stigma Participações S.A."

Transcrição

1 Demonstrações Financeiras BTG Pactual Stigma Participações S.A. Período de 13 de setembro a 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

2 Relatório de Administração 31 de dezembro de Patrimônio Líquido e Resultado A Companhia encerrou o exercício de 2010 com patrimônio líquido de R$ mil e prejuízo de R$4.237 mil, apurado basicamente em função de resultado em operação de aquisição de ações. 2. Negócios Sociais e Principais Fatos Administrativos A BTG Pactual Stigma Participações S.A.foi constituída em 13 de setembro de 2010 e tem por objeto social a participação no capital de sociedades que explorem atividades no setor de exploração e produção de petróleo e gás e de mineração. Desde sua constituição, a Companhia, praticou atos societários no sentido de obter registro de Companhia Aberta. O registro de emissor de valores mobiliários na categoria A foi concedido, pela Comissão de Valores Mobiliários CVM, em 16 de dezembro de Em 29 de dezembro de 2010 a Companhia iniciou suas operações, adquirindo 99,99% das ações de emissão da empresa BTG Pactual Delta Participações S.A., que por sua vez detém participação em 9% no capital social da STR Projetos e Participações em Recursos Naturais S.A.. A Companhia não realizou qualquer outra operação no exercício social encerrado em 31 de dezembro de Outras informações Em atendimento à Instrução CVM n.º 381, de 14 de janeiro de 2003, sobre a necessidade de divulgação pelas Entidades Auditadas, de informação sobre a prestação de outros serviços, pelo auditor independente, que não sejam auditoria externa, a BTG Pactual Stigma Participações S.A informa que os únicos serviços prestados, no exercício de 2010, pelos auditores independentes, foram aqueles relacionados com os exames de auditoria independente das demonstrações contábeis.

3 BTG Pactual Stigma Participações S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE Os Diretores da BTG Stigma Pactual Participações S.A. ("Companhia") que abaixo subscrevem a presente, declaram, nos termos do art. 25 da Instrução CVM 480, de 7 de dezembro de 2009, relativamente às demonstrações financeiras para o exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2010 ("Demonstrações Financeiras"), que: 1. Reviram, discutiram e concordam com as opiniões expressas no parecer dos auditores independentes, relativo às Demonstrações Financeiras; e 2. Reviram, discutiram e concordam com as Demonstrações Financeiras. São Paulo, 31 de março de 2011 Rafael Baldi de Moraes Horta Diretor Presidente Edwyn Neves Diretor de Relações com Investidores

4 Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2010 Índice Relatório dos auditores independentes das demonstrações financeiras... 1 Balanços patrimoniais... 3 Demonstração dos resultados... 4 Demonstração das mutações do patrimônio líquido Controladora... 5 Demonstrações dos fluxos de caixa... 6 Demonstrações do valor adicionado... 7 Notas explicativas às demonstrações financeiras... 8

5 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Acionistas e Administradores da BTG Pactual Stigma Participações S.A. Examinamos as demonstrações financeiras individuais e consolidadas da BTG Pactual Stigma Participações S.A. ( Companhia ), identificadas como Controladora e Consolidado, respectivamente, que compreendem os balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2010 e as respectivas demonstrações dos resultados, das mutações do patrimônio líquido, dos fluxos de caixa e do valor adicionado para o período de 13 de setembro (data de início das operações) a 31 de dezembro de 2010, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras individuais e consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, assim como pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração dessas demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a 1

6 avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião sobre as demonstrações financeiras individuais e consolidadas Em nossa opinião, as demonstrações financeiras individuais e consolidadas acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da BTG Pactual Stigma Participações S.A. em 31 de dezembro de 2010, o desempenho individual e consolidado de suas operações e os seus fluxos de caixa individuais e consolidados para o período de 13 de setembro (data de início das operações) a 31 de dezembro de 2010, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 29 de março de ERNST & YOUNG TERCO Auditores Independentes S.S. CRC-2SP015199/O-6 Flávio Serpejante Peppe Contador CRC - 1SP /O-6 2

7 Balanços patrimoniais 31 de dezembro de Consolidado Controladora Ativo Circulante Caixa e equivalentes de caixa Não circulante Investimento em controladas Investimento em outras sociedades Total do ativo Passivo Patrimônio líquido Capital social Reserva de capital Prejuízo acumulado (4.237) (4.237) Total do passivo As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 3

8 Demonstração dos resultados Período de 13 de setembro a 31 de dezembro de 2010 (Em milhares de reais, exceto o prejuízo por ação) 2010 Consolidado e Controladora Despesas operacionais (51) Despesas administrativas (51) Resultado operacional (51) Outras despesas (4.186) Prejuízo do período (4.237) Quantidade de ações em circulação no final do período (lote de mil) Prejuízo por ação - R$ (0,24) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 4

9 Demonstração das mutações do patrimônio líquido - Controladora Período de 13 de setembro a 31 de dezembro de 2010 Capital Reserva de Prejuízo social Capital acumulado Total Saldos iniciais em 13 de setembro de Integralização do capital Prejuízo do período - - (4.237) (4.237) Saldos em 31 de dezembro de (4.237) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 5

10 Demonstrações dos fluxos de caixa Período de 13 de setembro a 31 de dezembro de Consolidado Controladora Atividades operacionais Prejuízo do período (4.237) (4.237) Atividades de investimento Aquisição de participação societária ( ) ( ) Caixa proveniente/utilizado nas atividades de investimento ( ) ( ) Atividades de financiamento Recebimento por emissão de ações Caixa proveniente/utilizado nas atividades de financiamento Aumento de caixa e equivalentes de caixa Saldo de caixa e equivalentes de caixa No início do período - - No fim do período Aumento de caixa e equivalentes de caixa As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 6

11 Demonstrações do valor adicionado Período de 13 de setembro a 31 de dezembro de Consolidado Controladora Insumo adquirido de terceiros Serviço de terceiros (51) (51) Perda de valores ativos (4,186) (4,186) Valor adicionado Total (4,237) (4,237) Distribuição do valor adicionado Remuneração do capital próprio Prejuízo do período (4,237) (4,237) (4,237) (4,237) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 7

12 Notas explicativas às demonstrações financeiras 31 de dezembro de Contexto operacional A BTG Pactual Stigma Participações S.A.foi constituída em 13 de setembro de 2010 e tem por objeto social a participação no capital de sociedades que explorem atividades no setor de exploração e produção de petróleo e gás e de mineração. A Companhia, desde a sua constituição, praticou atos societários no sentido de tornar-se apta ao pedido de registro de Companhia Aberta, junto à Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ), segundo a Instrução CVM nº 480/09. Em 16 de dezembro de 2010 a CVM concedeu o registro de emissor de valores mobiliários na categoria A à BTG Pactual Stigma Participações S.A.. Em 29 de dezembro de 2010 a Companhia adquiriu 99,99% das ações de emissão da empresa BTG Pactual Delta Participações S.A. que por sua vez detém participação de 9% no capital social da STR Projetos e Participações em Recursos Naturais S.A. ( STR ). Em 13 de outubro de 2010 a Companhia alterou sua razão social de R.W.X.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A. para BTG Pactual Stigma Participações S.A. 2. Apresentação das demonstrações financeiras As demonstrações financeiras da Companhia e as demonstrações financeiras consolidadas da Companhia e de sua controlada foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil conjugadas com as normas expedidas pela CVM e a partir de diretrizes contábeis emanadas da Lei das Sociedades por Ações nº 6.404/76, e as alterações introduzidas pelas Leis nº /07 e nº /09, bem como nos pronunciamentos e interpretações técnicas emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC. A elaboração de demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil requer que a Administração use julgamento na determinação e registro de estimativas contábeis. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores diferentes dos estimados, devido a imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. A Companhia revisa essas estimativas e premissas periodicamente. Na elaboração das demonstrações financeiras consolidadas foram eliminadas as participações, os saldos das contas de ativo e passivo e as receitas e despesas entre as companhias. 8

13 Notas explicativas às demonstrações financeiras - Continuação 31 de dezembro de Principais práticas contábeis As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia são as seguintes: a) O resultado das operações é apurado pelo regime de competência. b) O ativo circulante e realizável a longo prazo são demonstrados pelo valor de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias (em base pro rata dia). c) O investimento em controlada está registrado pelo método de equivalência patrimonial e o investimento em outras sociedades está registrado ao custo. d) A redução ao valor recuperável de ativos (impairment) é reconhecida como perda no resultado do período sempre que existirem evidências claras de que os ativos estejam avaliados por valor não recuperável. Este procedimento é realizado no mínimo no final de cada exercício. e) Os passivos circulantes são demonstrados pelos montantes nos quais eles seriam liquidados considerando a data de cada balanço. f) Os passivos circulante e exigível a longo prazo são demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as variações monetárias (em base pro rata dia) e/ou cambiais incorridos. g) A provisão para imposto de renda é constituída com base no lucro contábil, à alíquota de 15%, acrescida de adicional de 10% sobre o lucro tributável anual excedente a R$ 240 mil. A provisão para contribuição social é constituída à alíquota de 9% sobre o lucro contábil. h) O reconhecimento, a mensuração e a divulgação dos ativos e passivos contingentes, e obrigações legais, fiscais e previdenciárias são efetuados de acordo com os critérios descritos abaixo: Contingências ativas Não são reconhecidas nas demonstrações financeiras, exceto quando da existência de evidências que propiciem a garantia de sua realização, sobre as quais não cabem mais recursos. Contingências passivas São reconhecidas nas demonstrações financeiras quando, baseado na opinião de assessores jurídicos e da administração, for considerado provável o risco de perda de uma ação judicial ou administrativa e quando os montantes envolvidos forem mensuráveis com suficiente segurança. Os passivos contingentes classificados como perdas possíveis pelos assessores jurídicos são apenas divulgados em notas explicativas, enquanto aqueles classificados como perda remota não requerem provisão e divulgação. Obrigações legais fiscais e previdenciárias - Referem-se a demandas judiciais onde estão sendo contestadas a legalidade e a constitucionalidade de alguns tributos e contribuições 9

14 Notas explicativas às demonstrações financeiras - Continuação 31 de dezembro de Principais práticas contábeis--(continuação) i) Nas demonstrações dos fluxos de caixa a rubrica Caixa e equivalentes de caixa, conforme CPC 03, inclui dinheiro em caixa, depósito bancários, investimentos de curto prazo de alta liquidez, com risco insignificante de mudança de valor e com prazo de vencimento inferior ou igual à 90 dias. j) O lucro por ação é calculado com base na quantidade de ações em circulação na data dos balanços. 4. Investimento em controlada e outros investimentos O investimento em controlada, na Controladora, refere-se à participação em 99,99% do capital da BTG Pactual Delta Participações S.A.. A controlada não auferiu resultado no período. O investimento em outras sociedades, no Consolidado, refere-se à participação minoritária sem influência significativa na empresa STR Projetos e Participações em Recursos Naturais S.A. e está classificado na categoria avaliados pelo custo. 5. Patrimônio líquido Controladora a) Capital social A Companhia foi constituída com capital e R$ 500 (quinhentos reais) mediante a emissão de 500 ações ordinárias nominativas e sem valor nominal. Posteriormente foram realizados aumentos conforme abaixo: Data da deliberação Valor Nº de ações Classe Preço total de emissão 13 de outubro de 2010 R$ Ordinárias R$ de dezembro de 2010 R$ Ordinárias R$ Em 31 de dezembro de 2010 o capital social, totalmente subscrito e integralizado, é representado por ações ordinárias nominativas e sem valor nominal. b) Reserva de capital Refere-se ao ágio na emissão das ações. 10

15 Notas explicativas às demonstrações financeiras - Continuação 31 de dezembro de Partes relacionadas Os saldos de operações com partes relacionadas resumem-se ao saldo em conta corrente no Banco BTG Pactual S.A. no valor de R$ 179 (consolidado) e R$ 149 (controladora). 7. Instrumentos financeiros derivativos A Companhia está autorizada a realizar operações com instrumentos financeiros derivativos, que se destinam a atender às necessidades próprias, a fim de reduzir sua exposição a riscos de mercado, moeda e juros. A administração desses riscos é efetuada através da determinação de limites e do estabelecimento de estratégias de operação. No período findo em 31 de dezembro de 2010, a Companhia não realizou operações com instrumentos financeiros derivativos. 8. Ativos e passivos contingentes e obrigações legais, fiscais e previdenciárias A Administração da Companhia avalia as contingências existentes em função de processos judiciais movidos contra as empresas e constitui provisão, sempre que julgue necessária, para fazer face a perdas prováveis decorrentes dos referidos processos. O julgamento da administração leva em consideração a opinião de seus advogados externos com relação à expectativa de êxito em cada processo. Em 31 de dezembro de 2010 a Companhia não tem contabilizados ativos e passivos contingentes e não é parte em processos envolvendo questões fiscais, cíveis e trabalhistas. 9. Outras despesas A Companhia adquiriu, de parte relacionada, 99,99% das ações de emissão da empresa BTG Pactual Delta Participações S.A. O saldo refere-se ao ágio apurado nessa operação que foi contabilizado como resultado por ter sido gerado entre partes relacionadas. 11

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

A Companhia encerrou o exercício de 2013 com patrimônio líquido de R$ 187 mil e prejuízo de R$ 99 mil, apurado em função de despesas administrativas.

A Companhia encerrou o exercício de 2013 com patrimônio líquido de R$ 187 mil e prejuízo de R$ 99 mil, apurado em função de despesas administrativas. Relatório de Administração 31 de dezembro de 2013 1. Patrimônio Líquido e Resultado A Companhia encerrou o exercício de 2013 com patrimônio líquido de R$ 187 mil e prejuízo de R$ 99 mil, apurado em função

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ Harpia Ômega Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Pharma Participações S.A.

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Pharma Participações S.A. Demonstrações Financeiras BTG Pactual Pharma Participações S.A. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e 2011

Leia mais

Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. 31 de julho de 2009 com Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. 31 de julho de 2009 com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Parecer dos auditores independentes...1 Demonstrações financeiras Balanço patrimonial...3

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1. Composição do Capital 1 DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA PETRÓPOLIS Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA PETRÓPOLIS Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2012 e

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE LEVANTAMENTO DE PESOS

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE LEVANTAMENTO DE PESOS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE LEVANTAMENTO DE PESOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 e 2014 12 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores da

Leia mais

Laudo de avaliação do patrimônio líquido da AES Rio PCH Ltda. apurado por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia

Laudo de avaliação do patrimônio líquido da AES Rio PCH Ltda. apurado por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia Laudo de avaliação do patrimônio líquido da AES Rio PCH Ltda. apurado por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre I

Leia mais

INSTITUTO CRIAR DE TV E CINEMA. Relatório dos auditores independentes

INSTITUTO CRIAR DE TV E CINEMA. Relatório dos auditores independentes INSTITUTO CRIAR DE TV E CINEMA Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis referentes aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 EO/LGPS/GGA 1895/12 INSTITUTO CRIAR DE TV

Leia mais

Bioflex Agroindustrial Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional)

Bioflex Agroindustrial Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 (em fase pré-operacional) Demonstrações financeiras Período de 26 de maio de 2011 (data de constituição da Empresa) a 31 de dezembro de 2011 (em fase

Leia mais

RA Catering Ltda. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

RA Catering Ltda. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes RA Catering Ltda. Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil Apurado por Meio dos Livros Contábeis da International Meal Company Holdings S.A., em 30 de Setembro de 2014, para Integralização ao

Leia mais

Associação Cidadão Pró - Mundo Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015.

Associação Cidadão Pró - Mundo Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2015. Demonstrações financeiras em. 1 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6 Demonstrações das mutações do patrimônio

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/AVersão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido DMPL

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras em 30 de junho de 2016 e de 2015 Société Générale S.A. Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários Société Générale S.A. Corretora de Câmbio,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário CR2-Jardim Botânico. Demonstrações financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 1/13

Fundo de Investimento Imobiliário CR2-Jardim Botânico. Demonstrações financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 1/13 Fundo de Investimento Imobiliário CR2-Jardim Botânico Demonstrações financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 31 de março de 2011 1/13 Relatório dos auditores independentes Aos

Leia mais

Acer Consultores em Imóveis S/A

Acer Consultores em Imóveis S/A Acer Consultores em Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e 31 de Dezembro de 2006 e 2005 Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

UM TETO PARA MEU PAÍS - BRASIL

UM TETO PARA MEU PAÍS - BRASIL RELATÓRIO SOBRE O EXAME DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Diretores e administradores Um Teto Para Meu

Leia mais

CNPJ: / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO

CNPJ: / DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMONIO LIQUIDO Rio de Janeiro, 18 de fevereiro de 2016. DT-P 16-007. CONTÉM: PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES BALANÇO PATRIMONIAL COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCICIO COMPARADO DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES

Leia mais

Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil da AES Brazilian Energy Holdings Ltda. Companhia Brasiliana de Energia. 30 de junho de 2015

Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil da AES Brazilian Energy Holdings Ltda. Companhia Brasiliana de Energia. 30 de junho de 2015 Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil da AES Brazilian Energy Holdings Ltda. Companhia Brasiliana de Energia Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre I - 8º Andar

Leia mais

Laudo de avaliação do acervo líquido formado por determinados ativos e passivos apurados por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia

Laudo de avaliação do acervo líquido formado por determinados ativos e passivos apurados por meio dos livros contábeis Companhia Brasiliana de Energia Laudo de avaliação do acervo líquido formado por determinados ativos e passivos Companhia Brasiliana de Energia Condomínio São Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 Torre I - 8º Andar - Itaim

Leia mais

SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A.

SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. Demonstrações

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Administradores e Acionistas da Inepar Telecomunicações

Leia mais

Relatório de Administração 31 de dezembro de 2014

Relatório de Administração 31 de dezembro de 2014 Relatório de Administração 31 de dezembro de 2014 1. Patrimônio Líquido e Resultado A Companhia encerrou o exercício de 2014 com patrimônio líquido de R$ 30 mil e prejuízo de R$ 157 mil, apurado em função

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário CR2 Laranjeiras. Demonstrações Contábeis Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Fundo de Investimento Imobiliário CR2 Laranjeiras. Demonstrações Contábeis Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Fundo de Investimento Imobiliário CR2 Laranjeiras Demonstrações Contábeis Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2014 Índice Página Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Rio Grande do Sul - SINTRAJUFE RS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e de 2011

Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Rio Grande do Sul - SINTRAJUFE RS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Rio Grande do Sul - SINTRAJUFE RS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e de 2011 e Relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

SGCE Participações Societárias S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e parecer dos auditores independentes

SGCE Participações Societárias S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores e Acionistas SGCE Participações Societárias S.A. 1 Examinamos

Leia mais

Relatório dos Auditores independentes sobre as Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial

Relatório dos Auditores independentes sobre as Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial 2 3 4 Ernst & Young Auditores Independentes S.S Praia de Botafogo, 370 8º andar Botafogo CEP 22250-040 Rio de Janeiro, RJ, Brasil Tel: +55 21 3263 7000 Fax: +55 21 3263 7004 ey.com.br Relatório dos Auditores

Leia mais

SECULUS CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A.

SECULUS CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A. SECULUS CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A. Relatório da Administração Senhores acionistas, Cumprindo determinação legal e estatutária, temos o prazer de apresentar-lhes as Demonstrações Financeiras

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO EDIFÍCIO OURINVEST (Administrado pela Oliveira Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO EDIFÍCIO OURINVEST (Administrado pela Oliveira Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO EDIFÍCIO OURINVEST (Administrado pela Oliveira Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Demonstrações contábeis consolidadas em 31 de dezembro de 2015 e 2014 Relatório dos Auditores Independentes Notas explicativas às demonstrações contábeis KPMG Auditores Independentes

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009 Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores e Acionistas da Inepar Telecomunicações

Leia mais

31 de dezembro de 2011

31 de dezembro de 2011 Demonstrações Financeiras Fundo de Investimento Imobiliário Mercantil do Brasil (Administrado por Rio Bravo Investimentos - Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários 31 de dezembro de 2011 Demonstrações

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de março de 2014 e 30 de setembro de 2013

Demonstrações financeiras em 31 de março de 2014 e 30 de setembro de 2013 BRB - Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (CNPJ: 04.895.888/0001-29) Administrado pela BRB - Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (CNPJ: 33.850.686/0001-69) KPDS 89057 !"

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de março de 2014 e 30 de setembro de 2013

Demonstrações financeiras em 31 de março de 2014 e 30 de setembro de 2013 BRB - Fundo Mútuo de Privatização FGTS PETRO- BRAS (CNPJ: 03.911.561/0001-30) Administrado pela BRB - Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (CNPJ: 33.850.686/0001-69) 31 de março de 2014

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E DE

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E DE 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E DE 2014 CONTEÚDO Relatório dos auditores

Leia mais

Demonstrações Contábeis 2014

Demonstrações Contábeis 2014 Demonstrações Contábeis 2014 Fundação Celg de Seguros e previdência (ELETRA) Demonstrações Contábeis em 31 de Dezembro de 2014 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes 3 Balanço Patrimonial Consolidado

Leia mais

Demonstrações Contábeis SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO RECIFE 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Contábeis SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO RECIFE 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Contábeis SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO RECIFE 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes 1 23/abril/2015 Aos conselheiros e administradores da SANTA CASA DE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE PARÁ DE MINAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013.

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE PARÁ DE MINAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013. ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE PARÁ DE MINAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013. CEP 30.140-150 / Savassi BH MG -BR Twitter @consultaudi ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS

Leia mais

Relatório da Administração QGMI Construção S.A.

Relatório da Administração QGMI Construção S.A. Relatório da Administração QGMI Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração e as demonstrações financeiras

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 110541 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações do resultado 6 Demonstrações dos resultados abrangentes 7 Demonstrações

Leia mais

BR - Capital Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

BR - Capital Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes BR - Capital Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 30 de junho de 2015 BR - Capital Distribuidora de Títulos

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 AFMF/LA/KG/GGA 1046/13 Demonstrações

Leia mais

Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2014

Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2014 Banco de Câmbio Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2014 KPDS 95680 Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2014 Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos

Leia mais

CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO - CLADE. Relatório dos auditores independentes

CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO - CLADE. Relatório dos auditores independentes CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO - CLADE Relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010 CAMPANHA LATINO

Leia mais

PARQUE IBIRAPUERA CONSERVAÇÃO. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis. Em 31 de dezembro de 2015 e 2014

PARQUE IBIRAPUERA CONSERVAÇÃO. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis. Em 31 de dezembro de 2015 e 2014 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2015 e 2014 EAV/APN/MCM 2968/16 Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2015 e 2014 Conteúdo Relatório dos

Leia mais

H. COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes

H. COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes H. COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis JRS/BBC/NLM 1202/15 H. COMMCOR DISTRIBUIDORIA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Comercial Progressivo (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Comercial Progressivo (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 1 10 Provisões e contas a pagar 8 14 Aplicações financeiras de renda fixa 53 -

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Inter Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - Período de 05 de setembro de 2011 (data de início das

Leia mais

SCCI SECURITIZADORA CRÉDITOS IMOBILIARIOS S.A. Relatório dos auditores independentes

SCCI SECURITIZADORA CRÉDITOS IMOBILIARIOS S.A. Relatório dos auditores independentes SCCI SECURITIZADORA CRÉDITOS IMOBILIARIOS S.A Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 30 de junho de 2013 AFMF/DEFM/AG/KG/GGA 3938/13 Tel.: +55 11 3848 5880 Rua Major Quedinho

Leia mais

IPLF Holding S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros contábeis

IPLF Holding S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros contábeis IPLF Holding S.A Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil apurado por meio dos livros contábeis KPMG Assurance Services Ltda. Agosto de 2016 KPDS 159478 KPMG Assurance Services Ltda. Rua Arquiteto

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Araucárias (CVM/113-9)

Fundo de Investimento Imobiliário Araucárias (CVM/113-9) Fundo de Investimento Imobiliário Araucárias (CVM/113-9) (Administrado por Rio Bravo Investimentos Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.) DRAFT das Demonstrações Contábeis para os Exercícios

Leia mais

Demonstrações financeiras 2016 Instituto Natura

Demonstrações financeiras 2016 Instituto Natura Demonstrações financeiras 2016 Instituto Natura Relatório do auditor independente sobre as Aos administradores e membros do Conselho de Administração Instituto Natura São Paulo - SP Opinião Examinamos

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

RJCP EQUITY S.A Notas explicativas de 30 de junho de 2012 e 31 de março de 2012 (Em Reais)

RJCP EQUITY S.A Notas explicativas de 30 de junho de 2012 e 31 de março de 2012 (Em Reais) RJCP EQUITY S.A Notas explicativas de 30 de junho de 2012 e 31 de março de 2012 (Em Reais) 1. Contexto operacional A Companhia ( Sociedade ) foi constituída em 09 de agosto de 2006, com seu estatuto social

Leia mais

BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A. Relatório do auditor independente. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2016 e de 2015

BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A. Relatório do auditor independente. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2016 e de 2015 BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A. Relatório do auditor independente Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2016 e de 2015 WNJ/EL/LCSM 0881/17 BM EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES SPE S.A.

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 1 de 5 31/01/2015 15:30 Tamanho do Texto + tamanho do texto - NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS A publicação de Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras está prevista no 4º do artigo

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ MULTIPLUS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ MULTIPLUS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO - CLADE. Relatório dos auditores independentes

CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO - CLADE. Relatório dos auditores independentes CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO - CLADE Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis JC/CMO/JCO 1013/13 CAMPANHA LATINO AMERICANA PELO DIREITO À EDUCAÇÃO Demonstrações

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

BRB Banco de Brasília S.A. Demonstrações contábeis em 30 de junho de 2008 e de 2007 e parecer dos auditores independentes

BRB Banco de Brasília S.A. Demonstrações contábeis em 30 de junho de 2008 e de 2007 e parecer dos auditores independentes BRB Banco de Brasília S.A. Demonstrações contábeis em 30 de junho de 2008 e de 2007 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores e Acionistas BRB Banco

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Diretores e Mantenedores da FUNDAÇÃO PRÓ-RIM DE SANTA CATARINA (1) Examinamos o balanço patrimonial da FUNDAÇÃO PRÓ-RIM DE SANTA CATARINA, levantado em 31 de dezembro

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ I S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banco UBS Pactual S.A. e suas Controladas. 31 de dezembro de 2008 e 2007 com Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Banco UBS Pactual S.A. e suas Controladas. 31 de dezembro de 2008 e 2007 com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Banco UBS Pactual S.A. e suas Controladas com Parecer dos Auditores Independentes E SUAS CONTROLADAS Demonstrações financeiras Índice Parecer dos auditores independentes...1 Demonstrações

Leia mais

HOLDCO PARTICIPAÇÕES LTDA.

HOLDCO PARTICIPAÇÕES LTDA. HOLDCO PARTICIPAÇÕES LTDA. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES BDO International é uma rede mundial de empresas

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2015 ÍNDICE 03 INFORMAÇÕES SOBRE AS DESPESAS 03 RENTABILIDADE DOS PERFIS DE INVESTIMENTO 03 INVESTIMENTOS 04 PARTICIPANTES AVONPREV 04 RESUMO DO PARECER ATUARIAL 06 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Fundação Vale. Demonstrações Contábeis para o Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes

Fundação Vale. Demonstrações Contábeis para o Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Contábeis para o Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes Premiumbravo Auditores Independentes RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Demonstrações Financeiras Upcon SPE 7 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Upcon SPE 7 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Upcon SPE 7 Empreendimentos Imobiliários S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

GEO - Grêmio Esportivo Osasco Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes

GEO - Grêmio Esportivo Osasco Ltda. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Unity Auditores Independentes Av. Prestes Maia, 241 sala 2102 São Paulo- SP CEP: 01031-902 Tel.: 55 11 2869-8358

Leia mais

SBC Valorização de Resíduos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013

SBC Valorização de Resíduos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 SBC Valorização de Resíduos S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 Notas explicativas às demonstrações financeiras (Valores expressos em milhares de Reais) 1 Contexto operacional A SBC Valorização de Resíduos

Leia mais

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A.

CENTRAL GERADORA EÓLICA ICARAÍ II S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2011 Conteúdo Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonial

Leia mais

FG Holding International S.A.

FG Holding International S.A. 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais 31.12.11 31.12.11 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 5.000 TOTAL DO CIRCULANTE 5.000 TOTAL DO CIRCULANTE NÃO CIRCULANTE

Leia mais

Saneamento de Goiás S.A.

Saneamento de Goiás S.A. Saneamento de Goiás S.A. Demonstrações contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2015 Índice Página Relatório dos auditores independentes 3 Demonstrações contábeis

Leia mais

PANATLANTICA SA /

PANATLANTICA SA / 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.888 67.330 Fornecedores 4.797 8.340 Aplicações financeiras 3.341

Leia mais

H. COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes

H. COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes H. COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis AFMF/LA/CR/JCBS 3457/14 Demonstrações contábeis Conteúdo Relatório dos auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2016 e de 2015 Société Générale S.A. Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários Demonstrações Financeiras 2016 e 2015 2

Leia mais

BAUMER S.A. Mogi Mirim - SP NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE JUNHO 2012 E 2011.

BAUMER S.A. Mogi Mirim - SP NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE JUNHO 2012 E 2011. 1 (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) BAUMER S.A. Mogi Mirim - SP NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE JUNHO 2012 E 2011. NOTA 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Baumer

Leia mais

Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em

Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em Safra Plus DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Positiva Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. (Anteriormente denominada NSG Positiva Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A.) DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Relatório dos

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Companhia de Fiação e Tecidos Cedronorte

Companhia de Fiação e Tecidos Cedronorte Companhia de Fiação e Tecidos Cedronorte Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido apurado por meios dos livros contábeis em 28 de fevereiro de 2014 Deloitte Touche Tohmatsu Auditores independentes Deloitte

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

Assembléia Geral Ordinária AGO

Assembléia Geral Ordinária AGO Assembléia Geral Ordinária AGO - 2015 Instalação da Assembléia Quorum no livro de presença. Composição da mesa diretiva. Edital de convocação O Presidente da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO Demonstrações Financeiras Em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Conteúdo

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

GRADUAL MULTIESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A)

GRADUAL MULTIESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A) (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Valores em R$ mil, exceto o valor unitário das cotas) 1.

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações da Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo de Investimento em Ações da Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo de Investimento em Ações da Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº 04/2014

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº 04/2014 COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº 04/2014 Orientação para emissão de relatório do auditor independente sobre as Demonstrações Contábeis Consolidadas do Conglomerado Prudencial das instituições financeiras

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 KPDS 134231 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanço patrimonial 5 Demonstração do resultado 6 Demonstração do resultado abrangente 7 Demonstração das

Leia mais

MS Bank S.A. Banco de Câmbio

MS Bank S.A. Banco de Câmbio MS Bank S.A. Banco de Câmbio em 30 de junho de 2016 KPDS 160541 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 6

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Balanço patrimonial tivo Circulante Nota 31 de dezembro de 2013 31 de

Leia mais

Cedro Gestão de Ativos S/A

Cedro Gestão de Ativos S/A Cedro Gestão de Ativos S/A Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil apurado por meio dos livros contábeis da Cedro Gestão de Ativos S/A para fins de incorporação do patrimônio líquido pela Companhia

Leia mais

Odebrecht Serviços e Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009

Odebrecht Serviços e Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 Odebrecht Serviços e Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 Balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2009 Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio líquido Não circulante

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais