Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES www.agamenonquimica.com 1"

Transcrição

1 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 1 COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE 01) (Covest-2006) Uma solução composta por duas colheres de sopa de açúcar (34,2g) e uma colher de sopa de água (18,0 g) foi preparada. Sabendo que: MMsacarose = 342,0g mol -1, MMágua = 18,0 g mol -1, Pfsacarose = 184 C e Pfágua = 0 C, podemos dize r que: 1) A água é o solvente, e o açúcar o soluto. 2) O açúcar é o solvente, uma vez que sua massa é maior que a da água. 3) À temperatura ambiente o açúcar não pode ser considerado solvente por ser um composto sólido. Está(ão) correta(s): a) 1 apenas b) 2 apenas c) 3 apenas d) 1 e 3 apenas e) 1, 2 e 3 02)Um determinado sal tem coeficiente de solubilidade igual a 34g/100g de água, a 20ºC. Tendo-se 450g de água a 20 ºC, a quantidade, em gramas, desse sal, que permite preparar uma solução saturada, é de: a) 484g. b) 450g. c) 340g. d) 216g. e) 153g. 03)A solubilidade do K 2 Cr 2 O 7, a 20ºC, é de 12g/100g de água. Sabendo que uma solução foi preparada dissolvendo-se 20g do sal em 100g de água a 60ºC e que depois, sem manter em repouso, ela foi resfriada a 20ºC, podemos afirmar que: a) todo sal continuou na solução. b) todo sal passou a formar um corpo de chão. c) 8g de sal foi depositado no fundo do recipiente. d) 12g do sal foi depositado no fundo do recipiente. e) 31g do sal passou a formar um corpo de chão. 04)Após a evaporação de toda a água de 25g de uma solução saturada (sem corpo de fundo) da substância X, pesou-se o resíduo sólido, obtendo-se 5g. Se, na mesma temperatura do experimento anterior, adicionarmos 80g da substância X em 300g de água, teremos uma solução: a) insaturada. b) saturada sem corpo de fundo. c) saturada com 5g de corpo de fundo. d) saturada com 20g de corpo de fundo. e) supersaturada. 05)Quatro tubos contêm 20 ml de água cada um. Coloca-se nesses tubos dicromato de potássio nas seguintes quantidades: Tubo A Tubo B Tubo C Tubo D Massa de K 2 Cr 2 O 7 1,0g 2,5g 5,0g 7,0g A solubilidade do sal, a 20ºC, é igual a 12,5g por 100 ml de água. Após agitação, em quais dos tubos coexistem, nessa temperatura, solução saturada e fase sólida? a) em nenhum. b) apenas em D. c) apenas em C e D. d) apenas em B, C e D. e) em todos.

2 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 2 06)O coeficiente de solubilidade de um sal é de 60 g por 100 g de água a 80 C. A massa em gramas desse sal, nessa temperatura, necessária para saturar 80 g de H 2 O é: a) 20. b) 48. c) 60. d) 80. e) )Considere uma solução aquosa saturada de KCl, com corpo de fundo, a 20ºC e os seguintes valores: 10ºC 20ºC 30ºC Solubilidade do KCl em g de KCl / kg de água De acordo com os dados acima, para diminuir a massa do corpo de fundo basta: I. Aquecer o sistema. II. Adicionar água e agitar. III. Agitar a solução. IV. Decantar a solução. Dessas afirmações, são corretas apenas: a) I e II. b) I e III. c) II e III. d) II e IV. e) III e IV. 08) Observe os sistemas sistema I sistema II 20g de NaCl dissolvidos 36g de NaCl dissolvidos NaC l sólido Agora analise estas afirmações: 100g de água a 25 C I. No sistema I, a solução está insaturada. II. No sistema II, a solução está saturada. III. Não existe solução saturada sem precipitado. Está(ao) correta(s) somente a(s) afirmativa(s): a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) I e III. 100g de água a 25 C 09) Colocando-se 400g de cloreto de sódio (NaCl) em 1 litro de água pura, à temperatura de 25 C, podemos afirmar que: Dado: C S = 360g de NaCl / L de água, a 25 C. a) O sal se dissolve totalmente. b) O sal não se dissolve. c) Parte do sal se dissolve e o excesso se deposita, formando uma solução saturada. d) O cloreto de sódio, a 25 C, é insolúvel. e) Precisaríamos de 200g de cloreto de sódio a mais para que ele se dissolvesse totalmente.

3 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 3 10) Observe a seqüência abaixo, em que o sistema I se encontra a 25 C com 100g de água.: sistema I sistema II sistema III 15g dissolvidos aquecimento 5g de sal sólido 20g dissolvidos Resfriamento cuidadoso 20g dissolvidos Analise agora as seguintes afirmativas: I. A 25 C, a solubilidade do sal é de 20g/100g de á gua. II. O sistema III é uma solução supersaturada. III. O sistema I é uma solução insaturada. IV. Colocando-se um cristal de sal no sistema III, este se transformará rapidamente no sistema I. Está(ao) correta(s) somente a(s) afirmativa(s): a) II e IV. b) I e III. c) I e II. d) I, II e III. e) II, III e IV. 11) (UEM PR/2007) Um determinado sal X apresenta solubilidade de 12,5 gramas por 100 ml de água a 20ºC. Imagine que quatro tubos contêm 20 ml de água cada e que as quantidades a seguir do sal X foram adicionadas a esses tubos: Tubo 1: 1,0 grama; Tubo 2: 3,0 gramas; Tubo 3: 5,0 gramas; Tubo 4: 7,0 gramas. Após agitação, mantendo-se a temperatura a 20ºC, coexistirão solução saturada e fase sólida no(s) tubo(s) a) 1. b) 3 e 4. c) 2 e 3. d) 2, 3 e 4. e) 2. 12) (MACKENZIE-SP) T ( C) Solubilidade do KCl (g/100g de água) 0 27, , , ,5 Em 100g de água a 20 C, adicionam-se 40,0g de KC l. Conhecida a tabela acima, após forte agitação, observa-se a formação de uma: a) solução saturada, sem corpo de chão. b) solução saturada, contendo 34,0g de KCl, dissolvidos em equilíbrio com 6,0g de KCl sólido. c) solução não saturada, com corpo de chão. d) solução extremamente diluída. e) solução extremamente concentrada.

4 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 4 13) (Unimontes MG/2007) Prepararam-se duas soluções, I e II, através da adição de 5,0 g de cloreto de sódio, NaCl, e 5,0 g de sacarose, C 12 H 22 O 11, respectivamente, a 10 g de água e a 20 C, em cada recipiente. Considerando que as solubilidades (g do soluto/ 100 g de H 2 O) do NaCl e da C 12 H 22 O 11 são 36 e 203,9, respectivamente, em relação às soluções I e II, pode-se afirmar que a) a solução I é saturada e todo o soluto adicionado se dissolveu. b) a solução II é insaturada e todo o açúcar adicionado se dissolveu. c) ambas são saturadas e nem todo o soluto adicionado se dissolveu. d) ambas são instauradas e todo o soluto adicionado se dissolveu. e) ambas são supersaturadas. 14) (MACK SP/2008) As curvas de solubilidade têm grande importância no estudo das soluções, já que a temperatura influi decisivamente na solubilidade das substâncias. Considerando as curvas de solubilidade dadas pelo gráfico, é correto afirmar que a) há um aumento da solubilidade do sulfato de cério com o aumento da temperatura. b) a 0ºC o nitrato de sódio é menos solúvel que o cloreto de potássio. c) o nitrato de sódio é a substância que apresenta a maior solubilidade a 20ºC. d) resfriando-se uma solução saturada de KClO 3, preparada com 100 g de água, de 90ºC para 20ºC, observa-se a precipitação de 30 g desse sal. e) dissolvendo-se 15 g de cloreto de potássio em 50 g de água a 40ºC, obtém-se uma solução insaturada. 15)Tem-se 540g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada, sem corpo de fundo, a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? C s = 220g/100g de água a 30 C; C s = 260g/100g de água a 50 C. a) 20g. b) 30g. c) 40g. d) 50g. e) 60g. 16)A solubilidade do ácido bórico (H 3 BO 3 ), a 20 C, é de 5g em 100g de água. Adicionando-se 200g de H 3 BO 3 em 1,00 kg de água, a 20 C, quantos gramas de ácid o restam na fase sólida? a) 50g. b) 75g. c) 100g. d) 150g. e) 175g.

5 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 5 17)(CESGRANRIO) A curva de solubilidade de um sal hipotético está representada abaixo. gramas de sal por 100g de água temperatura C A quantidade de água necessária para dissolver 30g de sal a 30 C é: a) 45g. b) 60g. c) 75g. d) 90g. e) 105g. 18)(PUC/CAMPINAS-SP) Adicionando-se separadamente, 40g de cada um dos sais em 100g de água. À temperatura de 40 C, quais sais estão totalmente di ssolvidos em água? gramas de sal por 100g de água NaNO 3 KNO 3 K Cl NaCl Ce ( SO ) temperatura C a) KNO 3 e NaNO 3. b) NaCl e NaNO 3. c) KCl e KNO 3. d) Ce 2 (SO 4 ) 3 e KCl. e) NaCl e Ce 2 (SO 4 ) 3. 19)Evapora-se completamente a água de 40g de solução de nitrato de prata, saturada, sem corpo de fundo, e obtém-se 15g de resíduo sólido. O coeficiente de solubilidade do nitrato de prata para 100g de água na temperatura da solução inicial é: a) 25g. b) 30g. c) 60g. d) 15g. e) 45g. 20)(UFOPO-MG) A solubilidade do hidróxido de ferro II, em água, é 0,44g por litro de água a 25 C. A massa, em gramas, dessa substância, que se pode dissolver em 500 ml de água, nessa temperatura, é: a) 0,90g. b) 0,56g. c) 0,44g. d) 0,36g. e) 0,22g.

6 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 6 21)(FUVEST-SP) O gráfico abaixo mostra a solubilidade de K 2 Cr 2 O 7 sólido em água, em função da temperatura. Uma mistura constituída de 30g de K 2 Cr 2 O 7 e 50g de água, a uma temperatura inicial de 90 C, foi deixada esfriar lentamente e com agitação. A que temperatura aproximadamente deve começar a cristalizar o K 2 Cr 2 O 7? a) 25 C. b) 45 C. c) 60 C. d) 70 C. e) 80 C. massa (g) do sal / 100g de água Temperatura ( C) 22) Considere a tabela de coeficientes de solubilidade, a 20 C, em gramas de soluto por 100g de água. I KNO 3 31,60 II Ca(OH) 2 1,65 x 10 1 III NaCl 36,0 IV K 2 SO 4 11,11 V Na 2 SO H 2 O 19,40 Ao adicionarmos, em recipientes distintos, 200g de soluto em 1 kg de água, formar-se-á precipitado nos recipientes: a) I, II e V. b) I e III. c) II, IV e V. d) II e IV. e) todos. 23)(UCSal-BA) Considere o gráfico: massa (g) do sal / 100g de água Temperatura ( C) Com base nesse gráfico, pode-se concluir que, acrescentando-se 20g de cloreto de potássio em 50g de água, a 20 C, obtém-se solução aquosa: a) saturada com corpo de fundo, que pode torna-se insaturada pelo aquecimento. b) saturada com corpo de fundo, que pode torna-se insaturada pelo resfriamento. c) saturada sem corpo de fundo, que pode torna-se insaturada pelo resfriamento. d) insaturada, que pode torna-se saturada por aquecimento. e) insaturada, que pode torna-se saturada por resfriamento. 24)(UEBA) A solubilidade do K 2 Cr 2 O 7 a 20 C é de 12,5g por 100 ml de água. Colocando-se em um tubo de ensaio 20 ml de água e 5g de K 2 Cr 2 O 7 a 20 C, podemos afirmar que, após agitação e poste rior repouso, nessa temperatura: a) Coexistem solução saturada e fase sólida. b) Não coexistem solução saturada e fase sólida. c) Só existe solução saturada. d) A solução não é saturada. e) O K 2 Cr 2 O 7 não se dissolve.

7 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 7 25) (UDESC-SC) O coeficiente de solubilidade para o cloreto de sódio é 357 g/l a 0 o C e 398 g/l a 100 o C. Qual o tipo de solução e a quantidade de sal restante, quando são adicionados 115g de sal em 250mL, a temperatura de 100 o C? a) saturada, com precipitação de 99,5 g de cloreto de sódio. b) supersaturada, com precipitação de 15,5 g de cloreto de sódio. c) insaturada e não irá precipitar cloreto de sódio. d) supersaturada, com precipitação de 99,5 g de cloreto de sódio. e) saturada, com precipitação de 15,5 g de cloreto de sódio. 26) (Fuvest SP) 160 gramas de uma solução aquosa saturada de sacarose a 30 o C são resfriados a 0 o C. Quanto do açúcar se cristaliza? a) 20g b) 40g c) 50g d) 64g e) 90g Temperatura Solubilidade da sacarose em o C g /100 g de H 2 O ) (PUC RJ) A tabela a seguir mostra a solubilidade de vários sais, à temperatura ambiente, em g/100ml: AgNO 3 (nitrato de prata) Al 2 (SO 4 ) 3 ( sulfato de alumínio)..160 NaCl ( cloreto de sódio)...36 KNO 3 (nitrato de potássio)...52 KBr (brometo de potássio)...64 Se 25mL de uma solução saturada de um destes sais foram completamente evaporados e o resíduo sólido pesou 13g, o sal é: a) AgNO 3 b) Al 2 (SO 4 ) 3 c) NaCl d) KNO 3 e) KBr 28) Um recipiente continha 500g de solução aquosa de KClO 3 a quente, com 30% em peso de KClO 3. No entanto, essa solução foi resfriada até a temperatura de 20 C, ocorrendo a cristalização de KClO 3. Sabendo que o coeficiente de solubilidade a 20 C do KClO 3 é igual a 10g/100g de água, a massa de cristais obtidos de KClO 3 será igual a: a) 115g de KClO 3. b) 150g de KClO 3. c) 35g de KClO 3. d) 350g de KClO 3. e) 45g de KClO 3. 29)Uma solução aquosa salina foi cuidadosamente aquecida de forma que evaporasse parte do solvente. A solução obtida, comparada com a inicial, apresenta-se mais: a) diluída com maior volume. b) diluída com menor volume. c) diluída com igual volume. d) concentrada com maior volume. e) concentrada com menor volume.

8 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 8 30)(UNIFOR-CE) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar da cana em função da temperatura. gramas do açúcar/100g de água Temperatura ( C) Adicionou-se açúcar a 100g de água a 50 C até não mais o açúcar se dissolver. Filtrou-se a solução. O filtrado foi deixado esfriar até 20 C. qual a massa aproximada de açúcar que precipitou (restou insolúvel)? a) 20g. b) 30g. c) 50g. d) 80g. e) 90g. 31) (UFV MG/2007) A solubilidade do nitrato de potássio (KNO 3 ), em função da temperatura, é representada no gráfico abaixo: De acordo com o gráfico, assinale a alternativa que indica CORRETAMENTE a massa de KNO 3, em gramas, presente em 750 g de solução, na temperatura de 30 C: a) 250 b) 375 c) 150 d) 100 e) )Adicionando-se soluto a um solvente, chega-se a um ponto em que o solvente não mais consegue dissolver o soluto. Neste ponto a solução torna-se: a) diluída. b) concentrada. c) fraca. d) supersaturada. e) saturada. 33)(Covest-91) Quando se abre um refrigerante, observa-se o desprendimento do gás CO 2. Com esta observação e considerando a pressão ambiente de 1 atm, podemos afirmar que a mistura gás - líquido do refrigerante é uma: a) solução diluída. b) mistura heterogênea. c) solução saturada. d) solução insaturada. e) mistura azeotrópica.

9 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 9 34) (UFRN/2007) O cloreto de sódio (NaCl), em solução aquosa, tem múltiplas aplicações, como, por exemplo, o soro fisiológico, que consiste em uma solução aquosa de cloreto de sódio (NaCl) a 0,092% (m/v). Os pontos (1), (2) e (3) do gráfico ao lado representam, respectivamente, soluções a) saturada, não-saturada e supersaturada. b) saturada, supersaturada e não-saturada. c) não-saturada, supersaturada e saturada. d) não-saturada, saturada e supersaturada. e) Supersaturada, insaturada e saturada 35) (UFC CE) O gráfico mostra a curva de solubilidade de um sal em água. Considerando que em uma determinada temperatura 40g deste sal foram dissolvidos em 100g de água. Indique: a) a característica desta solução, quanto à concentração, nos pontos A, B e C do gráfico; b) a quantidade de sal que será possível cristalizar, resfriando a solução até 30 o C; c) a quantidade de sal que será cristalizada quando se evapora 20g de água a 40 o C. Gab: a) A= supersaturada B=saturada C=insaturada b) 30g c) 16g 36) (UEL PR/2005) Uma solução saturada de cloreto de ouro de massa igual a 25,20 gramas foi evaporada até a secura, deixando um depósito de 10,20 gramas de cloreto de ouro. A solubilidade do cloreto de ouro, em gramas do soluto por 100 gramas do solvente, é: a) 10,20 b) 15,00 c) 25,20 d) 30,35 e) 68,00 37) (PUC SP) A uma solução de cloreto de sódio foi adicionado a um cristal desse sal e verificou-se que não se dissolveu, provocando, ainda, a formação de um precipitado. Pode-se inferir que a solução original era: a) estável b) diluída c) saturada d) concentrada e) supersaturada

10 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) A medicina popular usa algumas plantas, geralmente na forma de infusão (chás), para a cura de diversas doenças. O boldo é preparado deixando-se suas folhas em água fria (20 C). No caso da camomila, adiciona-se água fervente (100 C) sobre s uas folhas. Com relação às substâncias terapêuticas do bolbo e da camomila e supondo que ambas dissoluções sejam endotérmicas, podemos afirmar que a 20 C: a) as da camomila são mais solúveis em água. b) ambas são insolúveis em água. c) possuem a mesma solubilidade em água. d) as solubilidades independem da temperatura. e) as do boldo são mais solúveis. 39) (UFRN) A dissolução de uma quantidade fixa de um composto inorgânico depende de fatores tais como temperatura e tipo de solvente. Analisando a tabela de solubilidade do sulfato de potássio (K 2 SO 4 ) em 100g de água abaixo, indique a massa de K 2 SO 4 que precipitará quando 236g de uma solução saturada, a 80 C, for devidamente resfriada até ati ngir a temperatura de 20 C. a) 28g. b) 18g. c) 16g. d) 10g. e) 8g. Temperatura ( C) K 2 SO 4 (g) 7,1 10,0 13,0 15,5 18,0 19,3 40)(PUC-MG) Um grave problema ambiental atualmente é o aquecimento das águas dos rios, lagos e mares por industrias que as utilizam para o resfriamento de turbinas e elevam a temperatura até 25 C acima do normal. Isso pode provocar a morte de peixes e outras espécies aquáticas, ao diminuir a quantidade de oxigênio dissolvido na água. Portanto, é correto concluir que: a) Esse aquecimento diminui a solubilidade do oxigênio na água, provocando o seu desprendimento. b) Esse aquecimento provoca o rompimento das ligações H e O nas moléculas de água. c) Esse aquecimento provoca o aquecimento do gás carbônico. d) Esse aquecimento faz com que mais de um átomo de oxigênio se liga a cada molécula de água. e) Os peixes e outras espécies acabam morrendo por aquecimento e não por asfixia. 41) (FMU SP) Os frascos contêm soluções saturadas de cloreto de sódio (sal de cozinha). Podemos afirmar que: a) a solução do frasco II é mais concentrada que a solução do frasco I. b) a solução do frasco I possui maior concentração de íons dissolvidos. c) as soluções dos frascos I e II possuem igual concentração. d) se adicionarmos cloreto de sódio à solução I sua concentração aumentará. e) se adicionarmos cloreto de sódio à solução II sua concentração aumentará. 42) (PSC) Ao adicionar-se cloreto de sódio em água, a dissolução do sal é acompanhada de uma queda de temperatura da solução. Pode-se, portanto, afirmar com segurança que... a) a dissolução é exotérmica, pois o sal de cozinha absorve calor da vizinhança. b) a dissolução é um processo endotérmico e o sal é tanto menos solúvel quanto maior for a temperatura. c) a dissolução é um processo exotérmico e o sal é tanto mais solúvel quanto menor for a temperatura. d) a dissolução é endotérmica e a solução é saturada quando 100g de sal são adicionados a 1 litro de água. e) a dissolução é um processo endotérmico e o sal é tanto mais solúvel quanto maior for a temperatura.

11 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (UCBA) O gráfico a seguir apresenta os coeficientes de solubilidade, em gramas/100ml de água, de algumas substâncias A, B, C, D em função da temperatura. a) D é a substância mais solúvel, em gramas, a 20 o C. b) B é mais solúvel a quente c) a 40 o C a substância A é mais solúvel em gramas, que a substância D d) a concentração de C duplica a cada 20 o C. e) todas as substâncias têm o mesmo coeficiente de solubilidade a 45 o C. 44)Se dissolvermos totalmente uma certa quantidade de sal em solvente e por qualquer perturbação uma parte do sal se depositar, teremos no final uma solução: a) saturada com corpo de fundo. b) supersaturada com corpo de fundo. c) insaturada. d) supersaturada sem corpo de fundo. e) saturada sem corpo de fundo. 45) (FATEC SP/2006) A partir do gráfico abaixo são feitas as afirmações de I a IV. I. Se acrescentarmos 250 g de NH 4 NO 3 a 50g de água a 60ºC, obteremos uma solução saturada com corpo de chão. II. A dissolução, em água, do NH 4 NO 3 e do NaI ocorre com liberação e absorção de calor, respectivamente. III. A 40 ºC, o NaI é mais solúvel que o NaBr e menos solúvel que o NH 4 NO 3. IV. Quando uma solução aquosa saturada de NH 4 NO 3, inicialmente preparada a 60ºC, for resfriada a 10ºC, obteremos uma solução insaturada. Está correto apenas o que se afirma em a) I e II. b) I e III. c) I e IV. d) II e III. e) III e IV. 46) (UFMS/2006) Preparou-se uma solução saturada de nitrato de potássio (KNO 3 ), adicionando-se o sal a 50 g de água, à temperatura de 80 C. A seguir, a so lução foi resfriada a 40 C. Qual a massa, em gramas, do precipitado formado? Dados: T = 80 C T = 40 C S = 180 g de KNO /100g de H O S = 60 g de KNO /100g de H O Gab: 060

12 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (UNIRIO RJ/2006) A figura abaixo representa a variação de solubilidade da substância A com a temperatura. Inicialmente, tem-se 50 g dessa substância presente em 1,0 litro de água a 70 ºC. O sistema é aquecido e o solvente evaporado até a metade. Após o aquecimento, o sistema é resfriado, até atingir a temperatura ambiente de 30 ºC. Determine a quantidade, em gramas, de A que está precipitada e dissolvida a 30 ºC. massa precipitada (não dissolvida) = 20 g de A massa dissolvida = 30 g de A 48) (UEPG PR/2006) Analise os dados de solubilidade do KCl e do Li 2 CO 3 contidos na tabela a seguir, na pressão constante, em várias temperaturas e assinale o que for correto. 01. Quando se adiciona 40g de KCl a 100g de água, a 20ºC, ocorre formação de precipitado, que se dissolve com aquecimento a 40 o C. 02. Quando se adiciona 0,154g de Li 2 CO 3 a 100g de água, a 50 o C, forma-se uma solução insaturada. 04. O resfriamento favorece a solubilização do KCl, cuja dissolução é exotérmica. 08. Quando se adiciona 37g de KCl a 100g de H 2 O, a 30 C, forma-se uma solução saturada. 16. A dissolução do Li 2 CO 3 é endotérmica e favorecida com o aumento de temperatura. Gab: 09 49) A poluição térmica, provocada pela utilização de água de rio ou mar para refrigeração de usinas termoelétricas ou nucleares, vem do fato da água retornar ao ambiente em temperatura mais elevada que a inicial. Este aumento de temperatura provoca alteração do meio ambiente, podendo ocasionar modificações nos ciclos de vida e de reprodução e, até mesmo, a morte de peixes e plantas. O parâmetro físico-químico alterado pela poluição térmica, responsável pelo dano ao meio ambiente, é: a) a queda da salinidade da água. b) a diminuição da solubilidade do oxigênio na água. c) o aumento da pressão de vapor da água. d) o aumento da acidez da água, devido a maior dissolução de dióxido de carbono na água. e) o aumento do equilíbrio iônico da água. 50) Quando se dissolve nitrato de potássio em água, observa-se um resfriamento. Pode-se então concluir que: a) a solubilidade do sal aumenta com temperatura. b) o sal é pouco dissociado em água. c) a solubilidade do sal diminui com a temperatura. d) o sal é muito dissociado em água. e) há um abaixamento do ponto de congelamento da água.

13 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (UERJ/2005) O gráfico a seguir, que mostra a variação da solubilidade do dicromato de potássio na água em função da temperatura, foi apresentado em uma aula prática sobre misturas e suas classificações. Em seguida, foram preparadas seis misturas sob agitação enérgica, utilizando dicromato de potássio sólido e água pura em diferentes temperaturas, conforme o esquema: Após a estabilização dessas misturas, o número de sistemas homogêneos e o número de sistemas heterogêneos formados correspondem, respectivamente, a: a) 5-1 b) 4-2 c) 3-3 d) ) A solubilidade de um gás em um líquido aumenta quando elevamos a pressão do gás sobre o líquido e também quando reduzimos a temperatura do líquido. Considere espécies de peixe que necessitam, para sua sobrevivência, de elevada taxa de oxigênio dissolvido na água. Admita quatro lagos, A, B, C e D, com as seguintes características: Lago A: altitude H e temperatura T (T > 0 C) Lago B: altitude 2H e temperatura T Lago C: altitude H e temperatura 2T Lago D: altitude 2H e temperatura 2T Sabe-se que, quanto maior a altitude, menor é a pressão atmosférica. Os peixes teriam maior chance de sobrevivência a) no lago A. b) no lago B. c) no lago C. d) no lago D. e) indiferentemente em qualquer dos lagos. RESOLUÇÃO: Para aumentar a chance de sobrevivência, devemos elevar a quantidade de oxigênio dissolvido na água; para tanto, devemos ter maior pressão do gas sobre o liquido (quanto menor a altitude, maior a pressão atmosférica) e menor temperatura. 52)(Covest-2003) A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0g por 100g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100g de CaC 2 O 4 (s) são adicionados em 200g de água a 20 C? Justificativa: Como a solubilidade do oxalato de cálcio é de 33,0 g por 100 g de água, 200 g de água dissolvem 66,0g de oxalato de cálcio. Assim, 100 g 66 g = 34 g de CaC 2O 4 ficarão depositados no fundo do recipiente.

14 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (UPE-2006-Q1) Considerando o estudo geral das soluções, analise os tipos de solução a seguir. 0 0 Uma solução saturada é aquela que contém uma grande quantidade de soluto dissolvida numa quantidade padrão de solvente, em determinadas condições de temperatura e pressão. 1 1 Uma solução que contenha uma pequena quantidade de soluto em relação a uma quantidade padrão de solvente jamais poderá ser considerada solução saturada. 2 2 A solubilidade de um gás em solução aumenta com a elevação da temperatura e a diminuição da pressão. 3 3 Os solutos iônicos são igualmente solúveis em água e em etanol, pois ambos os solventes são fortemente polares. 4 4 Nem todas as substâncias iônicas são igualmente solúveis em água FALSA - É uma solução saturada aquela em que a quantidade de solvente dissolvida é igual ao limite de saturação FALSA - Depende da natureza do sal, isto é, depende de sua solubilidade FALSA - A solubilidade de um gás diminui com o aumento de temperatura FALSA - Compostos iônicos são solúveis em solventes polares VERDADEIRA - A solubilidade de um composto depende do tipo de solvente e temperatura. 54)As curvas de solubilidade dos sais NaCl e NH 4 Cl estão representadas no gráfico abaixo. Com base nesse gráfico, é falso afirmar que em 100g de H 2 O: solubilidade (g de soluto / 100g de água) 50 NaCl 30 NH 4 Cl temperatura ( C) a) dissolve-se maior massa de NH 4 Cl que de NaCl a 20 C. b) NaCl é mais solúvel que NH 4 Cl a 60 C. c) NaCl é menos solúvel que NH 4 Cl a 40 C. d) 30g de qualquer um desse sais são totalmente dissolvidos a 40 C. e) a quantidade de NaCl dissolvida a 80 C é maior que 40 C. 55) A tabela abaixo fornece a solubilidade do KCl e do Li 2 CO 3 a várias temperaturas em 100g de água. Temperatura ( C) KCl. Li 2 CO ,6 0, ,0 0, ,0 0, ,0 0, ,0 0, ,6 0,108 Assinale a alternativa falsa: a) a dissolução do KCl em água é endotérmica. b) O aquecimento diminui a solubilidade do Li 2 CO 3 em água. c) A massa de KCl capaz de saturar 50g de água, a 40 C, é de 20g. d) Ao esfriar, de 50 C até 20 C, uma solução que co ntém inicialmente 108 mg de Li 2 CO 3 em 100g de água, haverá precipitação de 25 mg de Li 2 CO 3. e) A 10 C, a solubilidade do KC l é maior que a do Li 2 CO 3. 56) (FESP-98) Admita que a solubilidade de um sal aumenta linearmente com a temperatura a 40ºC; 70,0g desse sal originam 420,0g de uma solução aquosa saturada. Elevando-se a temperatura dessa solução a 80ºC, a saturação da solução é mantida adicionando-se a 70,0g do sal. Quantos gramas desse sal são dissolvidos em 50g de água a 60ºC? a) 15,0g; b) 45,0g; c) 40,0g; d) 20,0g; e) 30,0g.

15 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES 15 temperatura de 40 C 420g de solução saturada 70g de sal 350g de H 2 O 420g de solução temperatura de 80 C 490g de solução saturada 140g de sal 350g de H 2 O 490g de solução temperatura de 60/C C.S = 2 C.S = g de sal / 350H2O 105g de sal 350g de H 2 O m 50g de H 2 O m = 15g de sal 57)(UNIFESP SP/2004) A lactose, principal açúcar do leite da maioria dos mamíferos, pode ser obtida a partir do leite de vaca por uma seqüência de processos. A fase final envolve a purificação por recristalização em água. Suponha que, para esta purificação, 100 kg de lactose foram tratados com 100L de água, a 80º C, agitados e filtrados a esta temperatura. O filtrado foi resfriado a 10º C. Solubilidade da lactose, em kg/100 L de H 2 O: a 80º C... 95; a 10º C A massa máxima de lactose, em kg, que deve cristalizar com este procedimento é, aproximadamente, a) 5. b) 15. c) 80. d) 85. e) ) O processo de recristalização, usado na purificação de sólidos, consiste no seguinte: I. Dissolve-se o sólido em água quente, até a saturação. II. Esfria-se a solução até que o sólido se cristalize. O gráfico mostra as variações, com a temperatura, da solubilidade de alguns compostos em água. solubilidade KNO3 KBr NaCl temperatura O método de purificação descrito é mais eficiente e menos eficiente, respectivamente, para: a) NaCl e KNO 3. b) KBr e NaCl. c) KNO 3 e KBr. d) NaCl e KBr. e) KNO 3 e NaCl. 59) (UFRN/2008) A água, o solvente mais abundante na Terra, é essencial à vida no planeta. Mais de 60% do corpo humano é formado por esse líquido. Um dos modos possíveis de reposição da água perdida pelo organismo é a ingestão de sucos e refrescos, tais como a limonada, composta de água, açúcar (glicose), limão e, opcionalmente, gelo. Um estudante observou que uma limonada fica mais doce quando o açúcar é dissolvido na água antes de se adicionar o gelo. Isso acontece porque, com a diminuição da a) densidade, diminui a solubilidade da glicose. b) temperatura, aumenta a solubilidade da glicose. c) temperatura, diminui a solubilidade da glicose. d) densidade, aumenta a solubilidade da glicose.

16 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES )(UFTM MG/2004) O gráfico apresenta as curvas de solubilidade para duas substâncias X e Y: Após a leitura do gráfico, é correto afirmar que a) a dissolução da substância X é endotérmica. b) a dissolução da substância Y é exotérmica. c) a quantidade de X que pode ser dissolvida por certa quantidade de água aumenta com a temperatura da água. d) 100 g de X dissolvem-se completamente em 40 g de H 2 O a 40ºC. e) a dissolução de 100 g de Y em 200 g de H 2 O a 60ºC resulta numa solução insaturada. 61)(Covest-2002) A fenilalanina é um aminoácido utilizado como adoçante dietético. O gráfico abaixo representa a variação da solubilidade em água da fenilalanina com relação à temperatura. Determine o volume de água, em mililitros (ml), necessário para dissolver completamente 3,0 g da fenilalanina à temperatura de 40 C. Considere que a densidade da água a 40 C é 1,0 kg/l. Resp: 75 solubilidade (g/100g de água) temperatura ( C) coeficiente de solubilidade 62) (Covest-98) O gráfico abaixo representa a variação de solubilidade em água, em função da temperatura, para algumas substâncias. Qual dessas substâncias libera maior quantidade de calor por mol quando é dissolvida? a) Na 2 SO 4 b) Li 2 SO 4 c) KI d) NaCl e) KNO 3 63) (UPE PE/2008) Suponha que sobre um cilindro de revolução de 4,0cm de altura e 1,0cm de diâmetro, constituído de uma substância MX, escoe água numa vazão estimada de 1,7L/dia, proveniente de uma torneira com defeito. O tempo necessário para que toda a substância, MX, seja solubilizada é: (suponha que toda a água resultante do vazamento não evapora e é absorvida pelo cilindro) Dados: π = 3, d (MX) = 0,85g/mL, M(MX) = 150,0g/mol, k Ps = 4,0 X 10 4 a) 2 dias. b) 0,5h. c) 1,2h. d) 720 min. e) 0,5 dia.

17 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (UNICAP-2009/1) Observe a figura abaixo, que representa a solubilidade, em g por 100 g de H 2 O, de 3 sais inorgânicos numa determinada faixa de temperatura: 0 0 A solubilidade dos 3 sais aumenta com a temperatura. 1 1 O aumento de temperatura favorece a solubilização do Li 2 SO A solubilidade do KI é maior que as solubilidades dos demais sais, na faixa de temperatura representada. 3 3 A solubilidade NaCl varia com a temperatura. 4 4 As solubilidades de 2 sais diminuem com a temperatura. 65) (FGV SP/2008) Na figura, são apresentadas as curvas de solubilidade de um determinado composto em cinco diferentes solventes. Na purificação desse composto por recristalização, o solvente mais indicado para se obter o maior rendimento no processo é o a) I. b) II. c) III. d) IV. e) V. 66) (UFMG/2008) Numa aula no Laboratório de Química, os alunos prepararam, sob supervisão do professor, duas soluções aquosas, uma de cloreto de potássio, KCl, e uma de cloreto de cálcio, CaCl 2. Após observarem a variação da temperatura em função do tempo, durante o preparo de cada uma dessas soluções, os alunos elaboraram este gráfico: Considerando-se as informações fornecidas por esse gráfico e outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar que a) a dissolução do CaCl 2 diminui a energia cinética média das moléculas de água. b) a dissolução do KCl é um processo exotérmico. c) a entalpia de dissolução do CaCl 2 é maior que zero. d) a solubilidade do KCl aumenta com o aumento da temperatura.

18 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (UNIFESP SP/2002) Uma solução contendo 14 g de cloreto de sódio dissolvidos em 200 ml de água foi deixada em um frasco aberto, a 30 C. Após algum tem po, começou a cristalizar o soluto. Qual volume mínimo e aproximado, em ml, de água deve ter evaporado quando se iniciou a cristalização? Dados: Solubilidade, a 30 C, do cloreto de sódio = 35 g/10 0g de água Densidade da água a 30 C = 1,0 g/ml a) 20. b) 40. c) 80. d) 100. e) 160. CONCENTRAÇÃO COMUM 68)(FUVEST-SP) Considere duas latas do mesmo refrigerante, uma versão diet e outra versão comum. Ambas contêm o mesmo volume de líquido (300 ml) e têm a mesma massa quando vazias. A composição do refrigerante é a mesma em ambas, exceto por uma diferença: a versão comum, contém certa quantidade de açúcar, enquanto a versão diet não contém açúcar (apenas massa desprezível de um adoçante artificial). Pesando-se duas latas fechadas do refrigerante, foram obtidos os seguintes resultados: Amostra Massa (gramas) Lata com refrigerante comum 331,2 Lata com refrigerante diet 316,2 Por esses dados, pode-se concluir que a concentração, em g/l, de açúcar no refrigerante comum é de, aproximadamente: a) 0,020g/L. b) 0,050g/L. c) 1,1g/L. d) 20g/L. e) 50g/L. 69)Um frasco de laboratório contém 2,0 litros de uma solução aquosa de NaCl. A massa do sal dissolvida na solução é de 120g. Que volume deve ser retirado da solução inicial para que se obtenham 30g de sal dissolvido? a) 1,0 litro. b) 0,5 litro. c) 0,25 litro. d) 1,5 litros. e) 0,75 litro. 70)Um certo remédio contém 30g de um componente ativo X dissolvido num determinado volume de solvente, constituindo 150 ml de solução. Ao analisar o resultado do exame de laboratório de um paciente, o médico concluiu que o doente precisa de 3g do componente ativo X por dia, dividido em 3 doses, ou seja, de 8 em 8 horas. Que volume do medicamento deve ser ingerido pelo paciente a cada 8 horas para cumprir a determinação do médico? a) 50 ml. b) 100 ml. c) 5 ml. d) 10 ml. e) 12 ml. 71)Uma solução aquosa com concentração de 20g/litro apresenta: a) 20 g de soluto dissolvidos em 1 litro de água. b) 40 g de soluto dissolvidos em 0,5 litro de solução. c) 10 g de soluto dissolvidos em 0,5 litro de solução. d) 40 g de soluto dissolvidos em 4,0 litros de solução. e) 10 g de soluto dissolvidos em 2,0 litros de solução.

19 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES )A concentração de uma solução é 5,0 g/litro. Dessa solução 0,5 litro contém: a) 10g de soluto. b) 0,25g de soluto. c) 2,5g de solvente. d) 2,5g de soluto. e) 1,0g de soluto. 73)Num balão volumétrico de 250 ml adicionam-se 2,0g de sulfato de amônio sólido; o volume é completado com água. A concentração da solução obtida, em g/litro, é: a) 1,00g/L. b) 2,00g/L. c) 3,50g/L. d) 4,00g/L. e) 8,00g/L. 74)(PUC-RJ) Após o preparo de um suco de fruta, verificou-se que 200 ml da solução obtida continha 58mg de aspartame. Qual a concentração de aspartame no suco preparado? a) 0,29 g/l. b) 2,9 g/l. c) 0,029 g/l. d) 290 g/l. e) 0,58 g/l. 75)Evapora-se totalmente o solvente de 250 ml de uma solução aquosa de cloreto de magnésio, 8,0g/L. Quantos gramas de soluto são obtidos? a) 8,0 g. b) 6,0 g. c) 4,0 g. d) 2,0 g. e) 1,0 g. 76) (PUC RS/2006) 100 ml de soluções de sais de sódio foram preparadas pela adição de 50 g do sal em água à temperatura de 20 C. Pela análise da tabela, conclui-se que, após agitação do sistema, as soluções que apresentam, respectivamente, a maior e a menor concentração de íons de sódio, em g/l, são: a) Iodeto de sódio e Carbonato de sódio. b) Iodeto de sódio e Cloreto de sódio. c) Cloreto de sódio e Iodeto de sódio. d) Carbonato de sódio e Cloreto de sódio. e) Carbonato de sódio e Iodeto de sódio. 77)São dissolvidos 8g de sacarose em água suficiente para 500 ml de solução. Qual é concentração comum dessa solução? a) 8 g/l. b) 50 g/l. c) 5 g/l. d) 1,6 g/l. e) 16 g/l.

20 Prof. Agamenon Roberto SOLUÇÕES ) (Mackenzie SP) Têm-se cinco recipientes contendo soluções aquosas de cloreto de sódio É correto afirmar que: V = 2 L V = 3 L V = 5 L V = 8 L V = 10 L m sal = 0,5 g m sal = 0,75 g m sal = 1,25 g m sal = 2,0 g m sal = 2,5 g a) o recipiente 5 contém a solução menos concentrada b) o recipiente 1 contém a solução mais concentrada c) somente os recipientes 3 e 4 contêm soluções de igual concentração d) as cinco soluções têm a mesma concentração e) o recipiente 5 contém a solução mais concentrada 79)(MACK-SP) A massa dos quatro principais sais que se encontram dissolvidos em 1 L de água do mar é igual a 30g. Num aquário marinho, contendo 2 x 10 6 cm 3 dessa água, a quantidade de sais nela dissolvidos é: a) 6,0 x 10 1 kg. b) 6,0 x 10 4 kg. c) 1,8 x 10 2 kg. d) 2,4 x 10 8 kg. e) 8,0 x 10 6 kg. 80) (UFAC-AC) Têm-se duas soluções aquosas de mesmo volume, A e B, ambas formadas pelo mesmo sal e nas mesmas condições experimentais. A solução A tem uma concentração comum de 100 g/l e a solução B tem uma densidade absoluta de 100 g/l. É correto afirmar que: a) Na solução B, a massa de soluto é maior do que na solução A. b) Na solução B, a massa da solução é menor do que 50 g. c) Na solução A, a massa de soluto é maior do que na solução B. d) Na solução A, a massa da solução é menor do que 50 g. e) As massas dos solutos nas duas soluções são iguais. 81) (UFRN-RN) Uma das potencialidades econômicas do Rio Grande do Norte é a produção de sal marinho. O cloreto de sódio é obtido a partir da água do mar nas salinas construídas nas proximidades do litoral. De modo geral, a água do mar percorre diversos tanques de cristalização até alcançar uma concentração determinada. Suponha que, numa das etapas do processo, um técnico retirou 3 amostras de 500 ml de um tanque de cristalização, realizou a evaporação com cada amostra e anotou a massa de sal resultante na tabela a seguir: Amostra Volume da amostra (ml) Massa de sal (g) A concentração média das amostras será de a) 48 g/l. b) 44 g/l. c) 42 g/l. d) 40 g/l. e) 50 g/l. CONCENTRAÇÃO MOLAR OU MOLARIDADE 82)Uma solução aquosa 2,0 molar de ácido clorídrico apresenta: a) 2 mols de soluto para cada 2,0 litros de solução b) 2 mols de soluto para cada 1,0 litro de solvente c) 2 mols de soluto para cada 1,0 litro de solução d) 1 mol de soluto para cada 2,0 litros de solução e) 1 mol de soluto para cada 1,0 litro de solução

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas 2º ANO QUÍMICA 1 1 mol 6,02.10 23 partículas Massa (g)? Massa molar Cálculo do número de mols (n) Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não

Leia mais

S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 >

S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 011 > SOLUÇÕES MISTURAS Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s),

Leia mais

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura.

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura. SOLUÇÕES 1) (FEI) Tem-se 500g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? Dados: Coeficiente

Leia mais

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS MISTURAS SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma mistura. Exemplos: Mistura de

Leia mais

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES 01 Uma solução composta por duas colheres de sopa de açúcar (34,2g) e uma colher de sopa de água (18,0 g) foipreparada. Podemos

Leia mais

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma MISTURA Quando na mistura tiver apenas

Leia mais

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA QUÍMICA Prof. Borges TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA 1. (Fuvest-SP) Descargas industriais de água pura aquecida podem provocar a morte de peixes em rios e lagos porque causam: a) o aumento

Leia mais

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade QUÍMICA SOLUÇÕES 1. INTRODUÇÃO Soluções são misturas homogêneas, ou seja, misturas entre dois ou mais componentes apresentando uma única fase. Exemplos: Água + Álcool Água + Sal + Açucar Curvas de Solubilidade

Leia mais

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas.

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. QUÍMICA PROF - 3C13 SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. Solução é

Leia mais

Química Avançada 06 - Soluções

Química Avançada 06 - Soluções Química Avançada 06 - Soluções Nome: Turma: 1) (UFF-adaptada) O ácido nítrico é um importante produto industrial. Um dos processos de obtenção do ácido nítrico é fazer passar amônia e ar, sob pressão,

Leia mais

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias 3º Bimestre Autor: Pedro L. S. Dias SUMÁRIO UNIDADE III Inorgânica... 5 Capítulo 1... 5 1.1 Soluções... 5 1.2 Solubilidade... 8 1.3 Coeficiente de solubilidade e Curva de solubilidade... 10 1.4 Unidades

Leia mais

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Quando misturamos soluções de mesmo soluto, obtemos uma nova solução de concentração intermediária às das soluções misturadas. Nesse caso,

Leia mais

Concentrações das Soluções

Concentrações das Soluções Concentrações das Soluções Concentração em mol/l ou Concentração molar A concentração em mol/l de uma solução indica a quantidade de mols do soluto considerado, para cada litro de solução. Símbolos = M

Leia mais

RESUMO EXERCÍCIOS DE REVISÃO

RESUMO EXERCÍCIOS DE REVISÃO Química Frente I Vitor Terra Lista 6 Soluções Classificação e Solubilidade RESUMO Dispersões são misturas, em que as partículas de uma certa substância (dispersa) estão disseminadas ( espalhadas ) em uma

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br 3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br Profª Helena Bonaparte Soluções : Concentração, diluição, misturas e neutralização. Unidades de concentração das soluções De acordo com a IUPAC, a quantidade de

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

Propriedades coligativas I

Propriedades coligativas I Propriedades coligativas I 01. (Ufrn) Um béquer de vidro, com meio litro de capacidade, em condições normais de temperatura e pressão, contém 300 ml de água líquida e 100 g de gelo em cubos. Adicionando-se,

Leia mais

Concentrações das Soluções

Concentrações das Soluções Concentrações das Soluções Concentração Comum (C) Densidade (d) Unidade: g/l Interpretação Unidade: g/l ou g/ml Interpretação Soluto = HCl Solvente = H 2 O Solução = HCl(aq) Em cada 1,0 L da solução contida

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015 Disciplina: Professor (a): QUÍMICA LUÍS FERNANDO Roteiro de estudos para recuperação trimestral Conteúdo: Referência para estudo: Sites recomendados:

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia

Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia Questão 01 - (UEPG PR) As mudanças de estado físico, classificadas como fenômenos físicos, ocorrem com a variação de entalpia ( ). Sobre esses processos, assinale

Leia mais

EXERCÍCIOS DE SOLUÇÕES

EXERCÍCIOS DE SOLUÇÕES EXERCÍCIOS DE SOLUÇÕES 01. A popular maionese caseira é formada pela mistura de óleo, limão (ou vinagre) e gema de ovo; este último componente tem a função de estabilizar a referida mistura. Esta mistura

Leia mais

Química C Extensivo V. 2

Química C Extensivo V. 2 Química C Extensivo V. 2 Exercícios 01) E 02) E Situação 1. Sistema heterogêneo solução saturada com corpo de fundo; 20 C = 46,5/100 g H 2 Na situação 1 há 80 g de soluto em 100 g de água a 20 C. excesso

Leia mais

Lista de exercícios 9

Lista de exercícios 9 Nome: Bimestre: 2º nº: Ano / série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Data: / / 2012 Professor: Ricardo Honda Lista de exercícios 9 Estudo das soluções I Concentração comum 01. Uma

Leia mais

Solubilidade & Unidades de Concentração

Solubilidade & Unidades de Concentração Solubilidade & Unidades de Concentração Introdução Como se formam as soluções? Qual é o mecanismo de dissolução? Para responder essas questões devemos estudar as alterações estruturais que ocorrem durante

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio

ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio Aluno (a): Turma n Mol Massa de átomos molécula, íons, mol e determinação de fórmula química Aspectos quantitativos das reações químicas. Relações

Leia mais

Aulas 13 e 14. Soluções

Aulas 13 e 14. Soluções Aulas 13 e 14 Soluções Definição Solução é a denominação ao sistema em que uma substância está distribuída, ou disseminada, numa segunda substância sob forma de pequenas partículas. Exemplos Dissolvendo-se

Leia mais

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado.

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1) Qual das seguintes soluções aquosas apresenta maior ponto de ebulição? A) uréia 2,0 molar. B) glicose 1,5 molar. C) NaCl 1,5 molar. D) CH 3 COOH 1,0 molar. E) sacarose 2,5 molar.

Leia mais

Professora Sonia Exercícios Sobre SeparaÇão de misturas (Análise imediata)

Professora Sonia Exercícios Sobre SeparaÇão de misturas (Análise imediata) Exercícios Sobre SeparaÇão de misturas (Análise imediata) 01. Preencha os quadros a seguir com a descrição da utilização de cada equipamento de laboratório: 1 02. (Cesgranrio) Numa das etapas do tratamento

Leia mais

Relações entre as concentrações das Soluções

Relações entre as concentrações das Soluções Relações entre as concentrações das Soluções EXERCÍCIO RESOLVIDO O ácido clorídrico comercial, também conhecido como ácido muriático, apresenta no rótulo de sua embalagem as seguintes informações: 20%

Leia mais

PREPARO DE SOLUÇÕES. Classificação das soluções com relação à quantidade de soluto dissolvido

PREPARO DE SOLUÇÕES. Classificação das soluções com relação à quantidade de soluto dissolvido PREPARO DE SOLUÇÕES Uma solução, no sentido amplo, é uma dispersão homogênea de duas ou mais substâncias moleculares ou iônicas. No âmbito mais restrito, as dispersões que apresentam as partículas do disperso

Leia mais

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Nome: nº: Bimestre: 2º Ano/série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Professor: Ricardo Honda Data: / / Concentração comum Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Estudo das Soluções

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q1 Dispersões e soluções

Química. Resolução das atividades complementares. Q1 Dispersões e soluções Resolução das atividades complementares Química Q Dispersões e soluções p. 8 (UFPR) Uma solução é uma mistura homogênea de duas ou mais substâncias, não importando seu estado físico. Quando algum dos componentes

Leia mais

RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9. Química - Setor A. Aulas 1 e 2. Aulas 3 e 4. Aula 1 O. Aula 1. Aula 2. Aula 2. Aula 3 ENSINO MÉDIO H H

RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9. Química - Setor A. Aulas 1 e 2. Aulas 3 e 4. Aula 1 O. Aula 1. Aula 2. Aula 2. Aula 3 ENSINO MÉDIO H H ENSINO MÉDIO RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9 Química - Setor A Aulas 1 e 2 1. a) O etanol e a glicose são substâncias orgânicas, já que possuem carbono em sua composição, são formados por ligação covalente

Leia mais

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Propriedades das Soluções Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões Classificação das soluções O Processo de Dissolução em soluções Relações

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios SEI Ensina - MILITAR Química SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios 1.A água potável é um recurso natural considerado escasso em diversas regiões do nosso planeta. Mesmo em locais onde a água é relativamente

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- Pressão Máxima de Vapor: É a pressão exercida por seus vapores quando estes estão em equilíbrio dinâmico com o líquido. É bom lembrar também que quanto maior for a pressão máxima

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g MOLARIDADE Para que haja uma aula o professor primeiramente necessita optar pela área que irá trabalhar e em seguida escolher o tema. Até aqui nada de novo. Isto acontece com todos os professores não importando

Leia mais

Conteúdo: Substancias e misturas

Conteúdo: Substancias e misturas LISTA 1º. ANO - Substâncias Conteúdo: Substancias e misturas 1- Com relação ao número de fases, os sistemas podem ser classificados como homogêneos ou heterogêneos. As alternativas correlacionam adequadamente

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS Em países quentes, é costume adicionar à água do radiador dos automóveis o etilenoglicol, que eleva a temperatura de ebulição da água. Evita-se

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes

Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES META Apresentar os fatores que influenciam no processo de dissolução. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: reconhecer um processo de dissolução; identificar

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA Prof. Borges / Lessa TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA AULA 06 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES Diluir significa adicionar solvente a uma solução que já existe. Este método faz com que o volume de solução aumente e a concentração

Leia mais

Departamento de Química Inorgânica 2. SOLUÇÕES

Departamento de Química Inorgânica 2. SOLUÇÕES 2. SOLUÇÕES I. INTRODUÇÃO Soluções são misturas homogêneas de dois ou mais componentes, sendo que estes estão misturados uniformemente em nível molecular. Em nosso cotidiano temos diversos exemplos de

Leia mais

Equipe de Química QUÍMICA

Equipe de Química QUÍMICA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 11R Ensino Médio Equipe de Química Data: QUÍMICA SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas

Leia mais

Exercícios 3º ano Química -

Exercícios 3º ano Química - Exercícios 3º ano Química - Ensino Médio - Granbery 01-ufjf-2003- Cada vez mais se torna habitual o consumo de bebidas especiais após a prática de esportes. Esses produtos, chamados bebidas isotônicas,

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura.

b) Calcule o número de oxidação do fósforo e as cargas formais dos átomos de fósforo, oxigênio e hidrogênio na estrutura. QUÍMICA 01. ácido sulfúrico, assim como o íon hidrogenossulfato, reage com bases fortes, como hidróxido de sódio, liberando calor para as vizinhanças. Dados: M (g.mol-1) H = 1,008; = 15,999; S = 32,06;

Leia mais

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém sete questões, constituídas de itens e subitens, e é composto de dezesseis

Leia mais

Profº André Montillo www.montillo.com.br

Profº André Montillo www.montillo.com.br Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É uma Mistura Homogênia de 2 ou mais substâncias. Na Solução não ocorre uma reação química, porque não há formação de novas substâncias e não há alterações

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conteúdos curriculares de química: 2. ano - 1. bimestre: Dispersões (definição, classificação, características); Soluções (conceito e regra da solubilidade, curva de solubilidade, classificação); Concentração

Leia mais

Exercícios sobre ConcentraÇões das soluções - Parte 2

Exercícios sobre ConcentraÇões das soluções - Parte 2 Exercícios sobre ConcentraÇões das soluções - Parte 2 01. (Fatec) Caso sejam acrescentados 3,0 g de bicarbonato de sódio a 50 ml de HCl 0,25 mol/l, a massa desse sal que deve SOBRAR SEM REAGIR será próxima

Leia mais

Assunto: Roteiro de estudos autônomos. Professora: Luciene Data: 11/07/2013

Assunto: Roteiro de estudos autônomos. Professora: Luciene Data: 11/07/2013 Disciplina: Química Assunto: Roteiro de estudos autônomos Série/Ano: 2ª série 1º SEMESTRE Professora: Luciene Data: 11/07/2013 GABARITO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS GASES ESTEQUIOMETRIA ESTUDO DAS SOLUÇÕES

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 3ª Série Turma: FG

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 3ª Série Turma: FG COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: QUÍMICA Professora: Maria Luiza 3ª Série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães ORIENTAÇÃO: Prof a Márcia Cunha 2001

REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães ORIENTAÇÃO: Prof a Márcia Cunha 2001 CENTRO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE QUÍMICA - LICENCIATURA INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO DE QUÍMICA SÉRIE: EXPERIÊNCIAS DEMONSTRATIVAS REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães

Leia mais

PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL

PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DA MATÉRIA CONCEITOS BÁSICOS MATÉRIA: tudo o que tem massa e ocupa lugar no espaço. CORPO/OBJETO: porção limitada da matéria. MASSA: quantidade matéria,

Leia mais

Produto Iônico da Água (Kw)

Produto Iônico da Água (Kw) Produto Iônico da Água (Kw) EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UNB-DF) Na atmosfera, parte do dióxido de enxofre - que é altamente solúvel em água - acaba por dissolver-se nas nuvens ou mesmo nas gotas de chuva,

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (FUVEST-SP) À mesma temperatura, comparando-se as propriedades da água pura e as soluções aquosas de cloreto de sódio, estas devem apresentar menor:

Leia mais

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Geral ASSUNTO: Soluções e Unidades de Concentração 1 1. TIPOS MAIS COMUNS DE SOLUÇÃO Solução

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

DISPERSÕES. Prof. Tatiane Kuchnier de Moura

DISPERSÕES. Prof. Tatiane Kuchnier de Moura DISPERSÕES Prof. Tatiane Kuchnier de Moura DISPERSÃO Mistura DISPERSO + DISPERSANTE Classificação das Dispersões Nome da dispersão Diâmetro médio das partículas dispersas Exemplos Solução verdadeira Entre

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DOS MATERIAIS

FACULDADE PITÁGORAS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DOS MATERIAIS FACULDADE PITÁGORAS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DOS MATERIAIS 1) (UFMG 2001) Seis soluções aquosas de nitrato de sódio, NaNO 3, numerados de I a VI, foram preparadas, em diferentes temperaturas, dissolvendo-se

Leia mais

Lista de Química 1º Bimestre Valor: 3,0 Nota:

Lista de Química 1º Bimestre Valor: 3,0 Nota: Professor (a): Diego Diniz F Gomes Disciplina Química Aluno (a): Série:2ª Data: / / 2015 Lista de Química 1º Bimestre Valor: 3,0 Nota: 01 - (FUVEST SP) Uma mistura de carbonato de amônio e carbonato de

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I PROPRIEDADES COLIGATIVAS I CONCEITO São propriedades que dependem unicamente do número de partículas dispersas na solução. Não dependem da natureza das partículas dispersas. Observe, a seguir, alguns dados

Leia mais

Prof: René dos Reis Borges

Prof: René dos Reis Borges OS MATERIAIS E SUAS PROPRIEDADES 01) (FATEC) Um estudante recebeu uma amostra na forma de um pó branco, constituída por mistura das substâncias sólidas A e B, que frente à água comportam-se como registra

Leia mais

EQUILÍBRIO IÔNICO Solução [H+] (mol.l-1) CORRETO CORRETO III III

EQUILÍBRIO IÔNICO Solução [H+] (mol.l-1) CORRETO CORRETO III III EQUILÍBRIO IÔNICO 1- (PUCRS) Para a identificação do caráter ácido ou básico de um meio, usam-se substâncias indicadoras, como a fenolftaleína e o tornassol. Assim, um indicador ácido-base apresenta, em

Leia mais

Propriedades Físicas das Soluções

Propriedades Físicas das Soluções Propriedades Físicas das Soluções Solução (def): é uma mistura homogénea de duas ou mais substâncias. Solvente: componente da solução do mesmo estado físico, por exemplo água numa solução aquosa Soluto:

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q3 Fenômenos físicos e químicos

Química. Resolução das atividades complementares. Q3 Fenômenos físicos e químicos Resolução das atividades complementares 1 Química Q3 Fenômenos físicos e químicos p. 18 1 (UFG-GO) A Química está presente em nosso cotidiano sob as mais variadas maneiras. Ela está presente nos medicamentos,

Leia mais

1) Faça o balanceamento das equações abaixo:

1) Faça o balanceamento das equações abaixo: PROFESSORA: GIOVANA CARABALLO MELATTI DATA: / /2015 COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE SALA ALUNO: LISTA DE EXERCÍCIOS REVISÃO 1) Faça o balanceamento das equações abaixo: a) C 2 H 6

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA II. Dados: R = 0,082L.atm/mol.K, N = 6,0x10 23. A) 4,1x10-14 B) 4,1x10-22 D) 4,1x10-18 C) 1,0x10-18 E) 1,0x10 15

PROVA DE QUÍMICA II. Dados: R = 0,082L.atm/mol.K, N = 6,0x10 23. A) 4,1x10-14 B) 4,1x10-22 D) 4,1x10-18 C) 1,0x10-18 E) 1,0x10 15 PROVA DE QUÍMCA 01. A concentração de um gás poluente na atmosfera, medida a 1 atm e 27ºC, é de 1 ppm. A concentração desse poluente, em moléculas/cm 3 de ar, é igual a Dados: R = 0,082L.atm/mol.K, N =

Leia mais

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo.

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. QUÍMICA As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

Soluções I e II. Soluções I e II Monitor: Gabriel dos Passos 28 e 29/05/2014. Material de apoio para Monitoria. 1. O que é uma solução?

Soluções I e II. Soluções I e II Monitor: Gabriel dos Passos 28 e 29/05/2014. Material de apoio para Monitoria. 1. O que é uma solução? 1. O que é uma solução? 2. Como podemos classificar as soluções? 3. O que você entende por concentração comum? 4. O que você entende por molaridade? 5. O que você entende por título percentual? 6. O que

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém cinco

Leia mais

~ 1 ~ Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2012

~ 1 ~ Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2012 Questão 02: Ao nosso redor vemos diversos materiais assumindo os estados sólido, líquido ou gasoso. Abaixo você vê uma imagem mostrando água pura nos três estados físicos mais comuns. MODALIDADE EM-1 Nº

Leia mais

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET 1. Unifor-CE O metal potássio reage vigorosamente com água, produzindo hidrogênio

Leia mais

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 61 A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 1- Introdução Uma reação química é composta de duas partes separadas por uma flecha, a qual indica o sentido da reação. As espécies químicas denominadas como reagentes ficam à esquerda

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS Ácido ídrico eto oso ito ico ato Sal nome do ácido de origem eto ito ato nome do cátion da base de origem +y B x +x A y Como pode cair no enem O etanol é considerado um

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

Propriedade Coligativas das Soluções

Propriedade Coligativas das Soluções Capítulo 9 Propriedade Coligativas das Soluções 1. (IME) Um instrumento desenvolvido para medida de concentração de soluções aquosas não eletrolíticas, consta de: a) um recipiente contendo água destilada;

Leia mais

A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas.

A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas. A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas. Não há reação química que ocorra sem variação de energia! A energia é conservativa. Não pode ser criada

Leia mais

UNESP- 2013- Vestibular de Inverno

UNESP- 2013- Vestibular de Inverno UNESP- 2013- Vestibular de Inverno 1-Compostos de crômio têm aplicação em muitos processos industriais, como, por exemplo, o tratamento de couro em curtumes e a fabricação de tintas e pigmentos. Os resíduos

Leia mais

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas 01. (Uepg) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem

Leia mais