Title SMART GRID of present. SMART GRID 101ation

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Title SMART GRID of present. SMART GRID 101ation"

Transcrição

1 Title SMART GRID of present SMART GRID 101ation Dymitr Wajsman Chairman of International Division UTC Diretor de Capacitação e Desenvolvimento de Negócios APTEL

2 Glossário AMR Automatic Meter Reading Elimina a necessidade da visita do leiturista ao consumidor. Normalmente o consumidor fica mais satisfeito com a privacidade, leitura mais precisa, possibilidade de programação por demanda e informação melhor ao consumidor. AMI Automatic Meter Infrastructure Sistema que mede, coleta e analisa o uso de energia empregando medidores de energia avançados e diversas tecnologias de telecomunicações. Esta infra estrutura inclui hardware, software, telecom, sistemas no cliente e gerência de dados (HW e SW) dos medidores. AMM Automatic Meter Management Relacionada a AMI, se refere a gerência e distribuição de dados obtidos dos medidores em toda a empresa, utilizados para melhoria das eficiências operacionais de vários departamentos da empresa.

3 Medidores América do Norte 300 milhões América do Sul 175 Milhões África e Oriente Médio 130 Milhões Europa 470 Milhões Ásia e Pacífico 1,3 Bilhões

4 Penetração de Medidores Automáticos no Mundo (2007) 6% 8% 4%

5 AMI

6 Benefícios da AMI Numa pesquisa do DOE que teve respostas de 74 empresas, apenas 24% disseram que a implantação de AMI foi devida a somente leitura de medidores.outros 15% (onze) disseram que implementariam todos os usos acima e ainda outras categorias.

7 Por que SMART GRID? Evitar Blackouts Aumento de uso de geradores intermitentes Grandes quantidades de geração intermitente e distribuída, não podem ser conectadas à infra estrutura de rede existente sem implantação de novas estratégias de balanceamento de carga e geração. Necessidade de redução de consumo de energia e ponta. Aumento da Eficiência Operacional Redução de Perdas Técnicas e Comerciais

8 Riscos atuais para implantação da SMART GRID Falta de Orientação Regulatória Até agora os regulamentos são de alto nível e, na maioria dos casos, limitados ao uso de fontes renovaveis e redução de emissões. Falta de Normas Tecnologicas Apesar de surgirem algumas normas, as atuais implementações utilizam grande variedade de tecnologias, aplicações e soluções de infraestrutura, podendo ser assim consideradas sob medida ou proprietárias. Vida Útil das tecnologias atualmente disponíveis É esperado que as tecnologias para implementação da Smart Grid venham a se tornar obsoletas muito mais rápido do que os componentes atuais da Rede Elétrica.

9 Nos USA, pressão do Governo e Reguladores Nível Federal Nível Estadual Title XIII of the Energy Independence and Security Act (EISA), de Dezembro de 2007 UTC demonstrou no Congresso, DOE e FERC a importância dos Sistemas de Telecom $ mil orçados para pilotos e testes de Smart Grid (ainda não alocados) CA e TX liderando o movimento para Smart Grid/AMI tanto no aspecto de investimento quanto em recuperação de custos. NY e outros deverão seguir A reunião de inverno da NARUC (National Association of Regulatory Utility Commissioners) teve um forte foco em Smart Grid

10 Title XIII of the (EISA) of December 2007 It is the policy of the United States to support the modernization of the nation's electricity transmission and distribution system to maintain a reliable and secure electricity infrastructure that can meet future demand growth and to achieve each of the following, which together characterize a smart grid: 1. Increased use of digital information and control technologies 2. Dynamic optimization of grid operations and resources with full cyber security 3. Integration of distributed resources including renewables 4. Incorporation of demand response, demand side resources, and energy efficiency 5. Deployment of real time, automated, interactive technologies for metering, communications, and distribution automation 6. Integration of smart appliances and consumer devices 7. Integration of electricity storage and peak shaving technologies including plug in electric vehicles and thermal storage air conditioning 8. Provision of timely information and control options to consumers 9. Development of standards for interoperability 10. Lowering of unnecessary barriers to smart grid technologies, practices, and services. bin/bdquery/z?d110:h.r.00006:

11 Relatório: DOE Grid 2030 A infra estrutura elétrica dos Estados Unidos vai exigir um investimento de $ 450 Bilhões para atender ao crescimento da carga. Uma porção significativa deste investimento deverá ser utilizada em sistemas avançados de telecomunicações e TI, necessários para integrar a rede do usuário final com redes das empresas elétricas (ou comercializadoras), promovendo melhorias nas tomadas de decisão e controle. Telecom and TI para Smart Grid até 2030 tem investimentos esperados de $70 a $130 Bilhões. Telecom and TI são fundamentais para esta transformação

12 UTC Industry Intelligence September 18, 2008 House Passes Energy Bill With Smart Grid Accelerated Depreciation Provisions This week, the U.S. House of Representatives passed a major energy bill, which includes provisions allowing utilities to accelerate the depreciation cycle for smart meters and smart grid systems. Under section 845 of the bill, qualified investments in smart meters and smart grid systems would be depreciated over a 5 year cycle. In order to qualify, a smart electric meter must be 1) capable of measuring and recording data on a time differentiated basis in at least 24 separate time segments of the day; 2) provide for the exchange of information necessary to support time based rates or other forms of demand response; 3) provide data for customers to monitor their energy usage electronically; and 4) provide net metering. In order to qualify, a smart electric grid system must be capable of (i) sensing, collecting, and monitoring data of or from all portions of a utility's electric distribution grid, (ii) providing real time, two way communications to monitor or manage such grid, and (iii) providing real time analysis and event prediction based upon collected data that can be used to improve electric distribution system reliability, quality, and performance. The bill faces an uphill climb in the Senate and the White House has threatened to veto it due to issues related to provisions regarding offshore drilling.

13 UTC Industry Intelligence September 25, 2008 Senate Passes Energy Tax Incentive Bill with Smart Grid/AMI Provisions The U.S. Senate passed an energy tax incentive bill on Tuesday which includes provisions for the accelerated depreciation of investments in smart meters and smart grid technologies. This follows on the heels of the passage of the House version of its energy reform bill last week (HR 6049), which included identical provisions for the accelerated depreciation of investments in smart meter and smart grid technologies. The Senate bill was passed by a vote of 93 2, and does not include controversial provisions regarding offshore drilling. The bill must now go to conference to resolve any differences before it goes to the President, who is expected to sign it.

14 UPLC Powerline Tuesday, October 21, 2008 CONGRESS: WALL STREET BILL INCLUDES PROVISIONS FOR SMART GRID/SMART METERS Section 306 of the "Emergency Economic Stabilization Act of 2008" allows utilities to obtain accelerated depreciation of smart meters and Smart Grid investments. The accelerated depreciation provisions are part of major legislation that was passed by Congress and signed into law by President Bush this month in response to the economic crisis. Specifically, the accelerated depreciation provisions will allow utilities to recover their costs over a ten year period for qualified investments in smart meters and Smart Grid equipment. In order to qualify for accelerated depreciation under the law, smart meters must be able to measure in at least hourly increments; support time based rates or other forms of demand response; and enable utilities to provide electronic billing and net metering. Meanwhile, Smart Grid equipment will qualify for accelerated depreciation if it can provide sensing, collecting and monitoring of data on the distribution grid; provide real time, two way communications to monitor and manage the distribution grid; and provide real time analysis of, and event prediction based upon, collected data that can be used to improve electric distribution reliability, quality and performance.

15 O que se busca? Geração Limpa Controle do Consumidor/ Responsabilidade da Utility Confiabilidade Flexibilidade Previsão Aquisição de dados e gerência/utilização

16 Riscos Existem grandes incertezas e riscos para Utilities e para a sociedade no processo de implementação da Smart Grid, tais como: Falta de orientação regulatória Falta de Normas Técnicas Vida Útil das tecnologias disponíveis (hoje) Geralmente é aceito o termo SMART GRID para denominar sistemas de suprimento de energia do futuro. A infra estrutura moderna de telecom e TI terá um papel relevante na SMART GRID.

17 SMART GRID Geração Sistema de Transmissão Consumidor Industrial SE Distribuição Consumid or Residencia l Resposta por demanda SE Transmissão Sistema de Distribuição Via da Informação Energia Wireless Sensores nas Linhas e Instalações Medidores de Energia, Gas e Água Sensores nos ativos ISO Centro de Controle da Distribuição Equipes Móveis

18 Criação da Visão e Estratégia para Smart Grid Passo 1 Preparação Estrutura de Trabalho, Comitê Coordenador (Visão), Grupos de Trabalho, Forças Tarefas, Seleção de Participantes, Treinamento, Cases e Conhecimento de Projetos. Passo 2 Definição de fatores internos e externos que afetarão a Visão e RoadMap Analise Regulatória, Analise dos Atributos do Consumidor Residencial e não Residencial que afetarão a Smart Grid, Analise de Aspectos Geográficos, Definição de Performance (disponibilidade, confiabilidade, segurança), Tecnologias (rede existente de telecom, TI, Automação, investimentos em AMI, serviços ao consumidor, normas adotadas)

19 Criação da Visão e Estratégia para Smart Grid (2) Passo 3 Criação da Visão (incrementos de 5 anos num horizonte de 15 anos) Qual é o nosso futuro preferido? Ser compatível com requisitos internos e externos; Baseado na missão, opinião e ambiente da organização; Descrever o que deseja ver no futuro; Ser específico (sem se deter na tecnologia e finanças); Seja inspirado e positivo; Não assuma que o futuro fará as coisas da mesma forma que hoje; Estar aberto a mudanças dramáticas.

20 Criação da Visão e Estratégia para Smart Grid (3) Passo 4 Criar o Roadmap Tecnológico para Smart Grid (passo a passo) Comunicação com a organização, Comunicação com stakeholders e formadores de opinião, Comunicação com os consumidores, Justificativa de Investimentos, Fornecer visibilidade para diferentes perspectivas, Facilitar entendimento de conceitos complexos, Informação de necessidades aos fornecedores, Trabalhar em ambiente de mudanças. Guia para Grupos de Trabalho e Forças Tarefa

21 Produtos do Roadmap para SMART GRID Descrição de alto nível do Roadmap (passo a passo) Master Plan de Comunicações Master Plan de Tecnologia Master Plan de Relacionamento com Consumidores Master Plan de Financeiro Master Plan de Regulatório Requisitos Funcionais de Alto Nível para Smart Grid Master Plan de Implementação

22 O que virá primeiro? Provavelmente: AMI benefícios visíveis Gerência do horário de ponta Resposta da Demanda / DSM Detecção de Falhas / Gerência

23 Aplicações novas e integradas Applications AMR/AMI Conservation Customer Care Distribution / Substation Automation Security And Valued Added Services More Data Interval Meter Reads Load Profiles Demand Usage Power Quality Curtailment Status Chiller Flow Data Critical Peak Pricing Outage Status Off Cycle Reads Theft Detection Outage Status Circuit Status Substation Power Quality Video Surveillance And Valued Added Services Enhancements /Additions Outage Detection From Manual Reads to AMR Energy Mgmt Services Demand Response Load Shedding Load as a Resource TOU Rates Outage Notification Billing Consolidation Trouble Account Management Customer Loyalty Programs Asset Management Mobile Mapping Reliability Enhancement / Outage Recovery Distribution Planning Automated Controls Asset Protection Homeland Security Internet and VOIP UTC Research

24 P&D IntelliGrid (EPRI + empresas) The Modern Grid Initiative (DOE OE + empresas) GridWise (DOE OE + empresas) Advanced Grid Applications Consortium (CTC (DOE) + empresas) Power Systems Engineering Research Center (PSERC + 13 Universidades + 35 Industrias) Consortium for Electric Reliability Technology Solutions (DOE +LABS+Universidades+empresas) California Energy Commission Public Interest Energy Research (+universidades+labs) New York State Energy Research and Development Authority European Union fifth and sixth Framework Programs Galvin Electricity Initiative.

25 P&D no Brasil APTEL e Universidade Mackenzie Projeto NOTRE2 Três Grupos de Trabalho: GT1 Medidores e Interface com o usuário GT2 Tecnologia (Telecom e TI) GT3 Aspectos Negociais e Regulatórios Esperado relatório para final de 2008 ABNT definição de Normas Técnicas de medidores

26 Standards Nos USA O National Institute of Standards and Technology (NIST) é o Laboratório Nacional de Medidas dos USA, similar a INMETRO. Com a emissão do 2007 Energy Independence and Energy Security Act (EISA), NIST tem a responsabilidade de coordenar a estrutura normativa para atingir a interoperabilidade de componentes e sistemas da Smart Grid, que inclui protocolos e normas de gerencia das informações. NIST emitirá relatórios com recomendações para FERC. Por sua vez a FERC decidirá o momento em que terá consenso suficiente da industria e iniciará o processo de regulamentação para a sua adoção.

27 O que estimula investimentos em Smart Grid? Conformidade com mandatos legislativos e regulatórios Crescimento continuo da carga dos consumidores Crescimento de recursos de geração intermitente Acomodação de grande penetração de geração distribuída, produzida por consumidores comerciais e residenciais, mantendo integridade do sistema elétrico e confiabilidade de suprimento Melhor utilização de recursos tradicionais de sistemas de potencia,incluindo geração, transmissão e distribuição, deslocando carga da ponta para não ponta Redução de perdas técnicas com a otimização de fator de potência e fluxo de energia e redução de perdas comercias com a melhoria da identificação e mitigação de fraudes

28 O que estimula investimentos em Smart Grid? (2) Evitar interrupções locais de energia e distúrbios no sistema com o re roteamento de fluxo, mudanças de carga, melhorando o perfil de tensão e tomando medidas corretivas rapidamente Economia de Energia Minimizar o custo total do suprimento (operação) utilizando operação automatizada, manutenção preditiva, redução de ocorrências e otimização de uso de ativos Necessidade de fornecimento de novas opções aos consumidores para gerencia de seus custos e usos de eletricidade Necessidade de estabelecer regras justas de preço para consumidores e fornecedores, considerando energia, serviços ancilares e utilização do sistema

29 Complicações? A tecnologia ainda está em desenvolvimento, assim como regulamentações, protocolos e procedimentos podem estar em elaboração ou inexistentes. As mudanças irão incluir: Uso de componentes avançados Controle de geração e demanda para balanço de potencia, controle de emergências e controle de tensão Estratégias para novo Controle centralizado, hierarquizado e local Nova e expandida infra estrutura de telecomunicações

30 Tecnologias para Smart Grid As aplicações de Smart Grid demandarão tecnologias de: Sistemas de Controle Proteção Infra estrutura de telecomunicações Tecnologias Internet Interface com Usuário para monitoração, controle, relatórios e entrada de dados Sistemas TI

31 Redes Críticas de Telecom Redes de Telecomunicações são fundamentais para Automação e Sistemas de Informação. Estas redes permitem a troca de informações entre dispositivos e estabelecem contato entre elementos da rede elétrica no campo e centros de operação. Consumidor Medidor Sensor RTU Camera Eletrodo mestico On/Off Ges. Ativos Financeiro RH Controle Compras Preço/Prod Receita/Cob Analise Orç/Prev

32 Redes Telecom para Smart Grid Home Home Area Network A A A A A A A A A A A A A A A A A A A A A Intelligent Distribution Grid Neighborhoo d Area Network M M M M M M M S S S S S S C C C Access Network S S R R Intelligent Transmission Grid Backhaul Network R R R Core Network R R Outside ExtraNet Ext Grid Op Public Emergency Private PSTN Mobile Internet Vendor Legend: A Actuator M Meter S Sensor C Concentrator R Router Fonte: IBM

33 Futuro da AMI e Smart Grid As Empresas de Energia Elétrica tem tentado justificar AMR nos últimos 15 anos. AMI ainda hoje é a âncora para todas as analises de Smart Grid. Medidores digitais e a infra estrutura de telecomunicações associadas são os maiores investimentos a serem recuperados via tarifa. Rede de Telecomunicações adequada é considerada como o primeiro passo critico. Reguladores desejam reverter todas as vantagens da tecnologia para os consumidores e obter benefícios sociais que dificilmente poderão ter os custos recuperados pelas tarifas reguladas (existentes). Em último caso, os reguladores decidirão sobre os méritos da digitalização da rede após conhecer e entender o assunto Smart Grid. Na Europa o assunto é tratado pela European Commission.

34 Smart Meter Medidor Inteligente Hoje os medidores de energia, água e gás tem precisão superior a 97%. A necessidade é de medidores com características real time, upgradable, programável, two way e expansível. O custo aumenta com o incremento de características técnicas e o custo do medidor é o maior na implementação de Smart Grid. Com a escala o custo diminui, mas ainda está elevado. O medidor deve ser tratado como computador head end da plataforma e o valor real vem das aplicações que o medidor suporta e não, somente, relacionado as funções que ele substitui ou automatiza.

35 Smart Meter Medidor Inteligente

36 Normas Técnicas Regulador pode acelerar o processo de modernização dos medidores se permitir a recuperação do investimento (nos USA Energy Act 2007). A padronização das Normas Técnicas é entendida como um fator importante de redução de preço. Os fornecedores ainda têm a mentalidade proprietária. Trabalham com solução própria de meio de comunicação. Alguns são wireless ou powerline, mas dificilmente os dois. O numero de soluções de comunicação tem crescido bastante, incluindo WiFi, Wi Max, Zigbee, Z wave, DS2, Homeplug e uma variedade de padrões de celulares.

37 Escolhas Tecnologicas Uma avalanche de dados virá dos medidores, atuadores e sensores

38 Diversas Tecnologias Wireless Network Provider WiMAX VHF GSM CDMA VHF Private GSM CDMA Public 6LoWPA 2.4 MW N GHz T1 BPL BPL Mesh BPL MPLS PMP Metro Zigbe PLC 900 MW Etherne e MHz t PLC Mesh DSL A M C S D T1 FR Wireline Network Provider T1 FR MPLS MPLS End User Private Utility Operated Public Wireless Public Wireline A Actuato r M Meter C Concentrat or S Substation D Data Center Application Layer Presence Fonte: IBM

39 Implementação Fonte: BPL Global

40 Instalação de sistemas O tempo para instalação de AMI e Smart Grid é de vários anos até que o último medidor é instalado ou modificado e a gestão da implantação é um dos maiores riscos para o sucesso do projeto. O supply chain é complexo e de difícil gestão. Inclui fabricantes de medidores, telecomunicações, serviços de TI, instaladores, integradores, comercial, etc. A instalação de AMI/AMM/Smart Grid toca diretamente os consumidores e, eventualmente, causa confusão inicial e desconforto.

41 Opções As plataformas tecnológicas devem ser escaláveis, flexíveis para crescer e possibilitar interconexões (mesh) Os profissionais de telecomunicações devem assessorar a alta gerencia O master planning de telecomunicações deve ser feito mirando o futuro, longo prazo e não somente as necessidades imediatas

42 Benefícios para Consumidores Informações para gerenciamento de contas e uso de energia Dados num painel ou portal em casa Consumidor pode gerenciar utensílios DSM, via portal Possibilidade de participação em outras opções de tarifas Restauração mais rápida Conveniência de mais medidas Melhoria das faturas (detalhamento) Liga e desliga remoto (serviço) Etc.

43 Benefícios para Governo Interesse Público Benefícios Ambientais Infra estrutura de qualidade para negócios Segurança Nacional Prevenção de blackouts, falhas e desastres Segurança Pública Melhores Serviços Eficiência e Economia Melhor gestão de recursos

44 Benefícios para Utility Redução de custos operacionais Melhor gestão de falhas Redução de perdas técnicas e comerciais Menores custos de gestão de suprimentos Otimização de planejamento e gerencia de carga Melhores dados históricos da carga e uso do sistema Gestão de ativos e manutenção Redução de geração adicional e capacidade de transmissão Atende a requisitos de tarifas Atende a requisitos ambientais

45 Principais Obstaculos Negociações Regulatórias Recuperação via tarifa Aumento do custo de energia Riscos e redução de resultados (para investidores) Entendimento de ambiente de negócios e a necessária aplicação de tecnologia Comunicação entre pessoal técnico e comercial/financeiro Treinamento Entendimento de necessidades, desejos e comportamentos do consumidor Falta de Normas Técnicas adequadas (AMI, AMM, HAN, Smart Grid, etc.?)

46 Case Studies Quem já fez Pacific Northwest National Laboratory: GridWise Testbed Demonstration Project Financiado pelo DOE Austin Energy Piloto Ontario Energy Board: Smart Price Pilot CenterPoint Energy (Texas State) 2007 Hydro One Networks, Inc. (Ontario Canada) até 2025

Gestão de Ativos de Distribuição

Gestão de Ativos de Distribuição Gestão de Ativos de Distribuição Smart Grid na Cemig Denys Cláudio Cruz de Souza Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição O que é Smart Grid? Sistema elétrico inteligente, que integra

Leia mais

Intelligrid A visão de Futuro do Sistema Elétrico

Intelligrid A visão de Futuro do Sistema Elétrico Intelligrid A visão de Futuro do Sistema Elétrico Petronio Spyer Prates Co-located with: Intelligrid Architecture Architecture for the Intelligent Electricity Grid of the Future Visão do Sistema de Potência

Leia mais

Projeto Smart Grid. Visão Geral

Projeto Smart Grid. Visão Geral Projeto Smart Grid Visão Geral Contextualização Sobre o Smart Grid Smart Grid Light Estratégia da Light para os próximos anos 2 3-8 usinas - 98 SE - 111 SE - 7.500 2500 circuitos 19.685 km 1045 Dispositivos

Leia mais

O QUE É ESTE TAL DO ZigBee?

O QUE É ESTE TAL DO ZigBee? O QUE É ESTE TAL DO ZigBee? - Publicado no UTC Journal 2008 Special Issue Smart Utilities Networks - Autor: George R. Stoll Presidente do Utility Telecom Consulting Group. Pode ser contactado no +1-303-840-2878

Leia mais

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids IEEE Workshop SMART GRID - Trends & Best Practices Smart Grid no Contexto da Geração e Distribuição 18/10/2013 NAPREI Núcleo de Pesquisas em Redes Elétricas Inteligentes enerq Centro de Estudos em Regulação

Leia mais

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Tendências do Setor Energético Mundial Aumento da demanda global Elevação no preço da energia Pressão para o uso de fontes renováveis Aumento da complexidade

Leia mais

Smart Grid. Anatel. Maximiliano Salvadori Martinhão

Smart Grid. Anatel. Maximiliano Salvadori Martinhão Smart Grid Anatel Maximiliano Salvadori Martinhão Agenda Mensagem inicial Ações recentes GT Smart Grid Ministério de Minas e Energia Prospecção exterior - Estados Unidos Projeto de Pesquisa - ANEEL Ações

Leia mais

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil 19 a 21 de outubre de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL PADRÕES PARA PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO. Agenda Histórico Objetivos Aplicações Nova proposta

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Geraldo Guimarães Jr Diretor para Indústria de Utilities SAP para Utilities Liderança Global no Setor Maior Provedor de Soluções e Aplicações

Leia mais

Smart Grid e Net Metering no Brasil

Smart Grid e Net Metering no Brasil Smart Grid e Net Metering no Brasil Daniel Vieira Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Cidade do México 30/01/2013 Sistema de Distribuição 63 concessionárias de distribuição

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid

WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid José Reynaldo Formigoni Filho, MSc Gerente de Desenvolvimento de Tecnologias de Segurança da Informação e Comunicação Rafael de Simone Cividanes,

Leia mais

BEM VINDOS! Visão Geral As tecnologias de armazenamento de energia se encontram em estágio avançado de desenvolvimento e comercialização em diferentes lugares do mundo como América do Norte, Europa e Ásia.

Leia mais

Anexo 1. nº /19. RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado. Classificação: Reservado

Anexo 1. nº /19. RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado. Classificação: Reservado Anexo 1 RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado Classificação: Reservado Anexo 1 RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado Classificação: Reservado Anexo 1 RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013

Leia mais

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Projetos InovCityEDP Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Agenda Soluções Smart Grid implantadas na EDP Projeto InovCity Aparecida Projeto InovCity ES Desafios para o Setor Elétrico Barreiras à serem vencidas

Leia mais

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010 Redes Inteligentes Como passo inicial do Conceito Smart Grid Belo Horizonte - 11/08/2010 A Rede Elétrica ONS Mercado De Energia NOSSO FOCO Geração Geração renovável Armazenamento Rede de Distribuição Negócio

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1

Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 A ula 0 2 : Vi s ã o Geral do S i s tema E l é trico de P otência P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s E - m

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DA APTEL E SUAS EMPRESAS ASSOCIADAS PARA A CP 015/2009

CONTRIBUIÇÃO DA APTEL E SUAS EMPRESAS ASSOCIADAS PARA A CP 015/2009 CONTRIBUIÇÃO DA APTEL E SUAS EMPRESAS ASSOCIADAS PARA A CP 015/2009 INTRODUÇÃO Fundada em 1999, a APTEL evoluiu para uma organização multidisciplinar representando os interesses de telecomunicações e TI

Leia mais

Desafio de Telecom em Projetos de Smart Grid

Desafio de Telecom em Projetos de Smart Grid Desafio de Telecom em Projetos de mart Grid David Dias Executivo de Desenvolvimneto de Novos negócios IB Brasil 28 30 eptember, 2010, ao Paulo, BAZIL 28 a 30 de etembro de 2010 Centro de Convenções Frei

Leia mais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais Proposta de Trabalho

Leia mais

Soluções de Automação e Segurança Predial. Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br

Soluções de Automação e Segurança Predial. Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br Soluções de Automação e Segurança Predial Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br Veículo de Emergência A Telemont Overview Automação Predial Vídeo Monitoramento Controle de Acesso Taígo Soares taigo.soares@telemont.com.br

Leia mais

Serviços IBM GTS. Priscila Vianna

Serviços IBM GTS. Priscila Vianna Serviços IBM GTS Priscila Vianna Principais Serviços IBM Serviços de Tecnologia IBM - ITS Infraestrutura Inteligente Mobilidade Segurança e Resiliência Serviços Gerenciados & Cloud 2 Infraestrutura Inteligente

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA.

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. Uma significativa parcela dos sistemas de automação de grandes empresas são legados de tecnologias de gerações anteriores,

Leia mais

Smart Grid Advantage

Smart Grid Advantage Smart Grid Advantage A evolução das Redes Inteligentes Ricardo Van Erven Gerente Geral América Latina GE Digital Energy Smart Grid Forum, SP 27 Novembro, 2013 Áreas urbanas de > 10 milhões 53% Áreas rurais

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

Cloud Computing. Provendo valor ao negócio através da Gerência de Serviços Automatizada. Gerson Sakamoto gsakamoto@br.ibm.com

Cloud Computing. Provendo valor ao negócio através da Gerência de Serviços Automatizada. Gerson Sakamoto gsakamoto@br.ibm.com Cloud Computing Provendo valor ao negócio através da Gerência de Serviços Automatizada Gerson Sakamoto gsakamoto@br.ibm.com 1 Definição de Computação em Nuvem Computação em Nuvem é um novo modelo de aquisição

Leia mais

Empresa de energia garante locais físicos e rede de subestação

Empresa de energia garante locais físicos e rede de subestação Estudo de caso do cliente Empresa de energia garante locais físicos e rede de subestação A First Wind implementou vigilância por vídeo com base em IP, controles de acesso físicos e soluções de grade conectadas.

Leia mais

Visão Smart Grid Conceito

Visão Smart Grid Conceito Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas declarações

Leia mais

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira Governança Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira 1 Definição de Governança Governança Corporativa: É a Estrutura que identifica os objetivos de uma organização e de que forma pode-se

Leia mais

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug & Play Options Integrating Systems Flávio De Nadai Desenvolvimento de Negócios Utilities & Telecom

Leia mais

Gestão Integrada de Ativos e Serviços IBM Maximo Asset Management

Gestão Integrada de Ativos e Serviços IBM Maximo Asset Management Gestão Integrada de Ativos e Serviços IBM Maximo Asset Management Gestão de ativos e serviços Services Value Assets VISIBILIDADE, CONTROLE E AUTOMAÇÃO Foco no negócio Maximizar ROE Maximizar ROA Maximizar

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

Introdução. Histórico da Silver Spring Networks

Introdução. Histórico da Silver Spring Networks Introdução A Silver Spring Networks agradece a oportunidade de poder enviar à ANEEL alguns comentários em resposta à consulta Implantação de Medição Eletrônica em Baixa Tensão, Nota Técnica nº 0013/2009-SRD/ANEEL

Leia mais

SPED e NF- e Claudio Coli

SPED e NF- e Claudio Coli SPED e NF- e Claudio Coli A MASTERSAF Nossa Visão Missão Negócio Nossa Razão Convergência Promover Ética e Responsabilidade Social deixando um legado que seja motivo de Orgulho para nossos Clientes e Colaboradores

Leia mais

Enfileiramento Digital

Enfileiramento Digital Painel: Inovação Tecnológica e Eficiência Energética São Paulo, 6 de agosto de 2013 Gestão Inteligente de Eletricidade através de Enfileiramento Digital Cyro Vicente Boccuzzi Sócio Diretor da ECOEE Presidente

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS DATA CENTER SOLUÇÃO ITMAX ENTERPRISE REDES

Leia mais

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras Redes Inteligentes Área de concessão 24 municípios incluindo a Capital Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país 6,7 milhões de unidades consumidoras 8% da população do Brasil (aprox.

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

AAssociação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é

AAssociação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é 70 NORMAS ABNT APLICÁVEIS AOS MEDIDORES ELETRÔNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA DISCUTIDAS EM CONSULTA NACIONAL Por Jeferson Marcondes e Marcos Aurélio Ribeiro AAssociação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Leia mais

1 Copyright 2012, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved.

1 Copyright 2012, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved. 1 Copyright 2012, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved. About Eugenio Chleba Product Sales Specialist - PM (11) 5189-1211 (11) 96060-2687 eugenio.chleba@oracle.com Experience Skills Products

Leia mais

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America 5º Encontro de Telecomunicações Respeito ao Consumidor 4G no Brasil: FIESP Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações Alexandre Jann Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America Tópicos Perfil

Leia mais

O novo sector elétrico

O novo sector elétrico O novo sector elétrico FISTA 2015 Lisboa, 11 de Março de 2015 A inovação no setor elétrico está a avançar a um ritmo acelerado Eólica offshore Solar PV escala utilities Veículos elétricos Baterias de rede

Leia mais

AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI

AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI CUSTOMER SUCCESS STORY Março 2014 AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI PERFIL DO CLIENTE Indústria: Manufatura Empresa: AT&S Funcionários: 7.500 Faturamento: 542 milhões

Leia mais

Midspans vs. Switches Para Instalação de PoE

Midspans vs. Switches Para Instalação de PoE Midspans vs. Switches Para Instalação de PoE Documento Técnico Setembro de 2011 Visão Geral Há duas maneiras de implantar a mais nova tecnologia de alta potência PoE: substituir o switch Ethernet ou instalar

Leia mais

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli LAGF Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli Setembro/2013 Agenda Smart Utilities & Smart Network Gestão integrada da Rede Conclusão Smart Utilities - Vetores da Governança Visão, Direção

Leia mais

Cisco Innovation Day Datacenters e a convergência de dois mundos IoE, Cloud, Smart Grid & Smart Cities...

Cisco Innovation Day Datacenters e a convergência de dois mundos IoE, Cloud, Smart Grid & Smart Cities... Cisco Innovation Day Datacenters e a convergência de dois mundos IoE, Cloud, Smart Grid & Smart Cities... Pedro Nobre Schneider Electric Lisboa, Porto Maio 2014 A complexidade começa aqui... 2 E vai além

Leia mais

Copyright 2015 PromonLogicalis. Todos os direitos reservados. WorkShop Smart Grid

Copyright 2015 PromonLogicalis. Todos os direitos reservados. WorkShop Smart Grid Copyright 2015 PromonLogicalis. Todos os direitos reservados. WorkShop Smart Grid Transformação do Negócio Planejamento Estratégico Negócio P&D Tecnologias Aplicações Processo Automação Self healing

Leia mais

A importância crescente das Telecomunicações para um Distribuidor de Energia Eléctrica. 31 de Maio de 2016

A importância crescente das Telecomunicações para um Distribuidor de Energia Eléctrica. 31 de Maio de 2016 A importância crescente das Telecomunicações para um Distribuidor de Energia Eléctrica 31 de Maio de 2016 Agenda A EDP, EDP Distribuição e EDP Inovação O contexto atual para o sector elétrico As Telecomunicações

Leia mais

Os desafios da implementação dos projetos-piloto de smart grid no Brasil

Os desafios da implementação dos projetos-piloto de smart grid no Brasil Os desafios da implementação dos projetos-piloto de smart grid no Brasil Luiz Carlos Neves *, Alexandre Bagarolli O conceito de smart grids (redes elétricas inteligentes) vem sendo amplamente discutido

Leia mais

SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7

SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7 SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7 Info-Day Nacional de Energia Oportunidades de financiamento no âmbito do tema ENERGIA do Horizonte 2020, Concursos 2014&2015 António Messias, Inovgrid, EDP DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Ativas otimiza serviços de cloud com soluções CA Technologies

Ativas otimiza serviços de cloud com soluções CA Technologies CUSTOMER SUCCESS STORY Ativas otimiza serviços de cloud com soluções CA Technologies PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços gerenciados de TI Empresa: Ativas Empregados: 200+ Faturamento (2011): R$ 30 milhões

Leia mais

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia 1 Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia Autor: Kobi Gol Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Soluções da RAD Data Communications. 2 As redes das empresas de energia estão

Leia mais

SMARTGRID Rede Inteligente de Energia. Apresentação para Sociedade Mineira de Engenheiros

SMARTGRID Rede Inteligente de Energia. Apresentação para Sociedade Mineira de Engenheiros SMARTGRID Rede Inteligente de Energia Apresentação para Sociedade Mineira de Engenheiros Belo Horizonte,09 de Dezembro de 2009 Sumário: O que é SMARTGRID? Sistema elétrico inteligente, que integra e possibilita

Leia mais

Os principais sistemas de automação de data centers DCIM: uma visão técnica e metodologias de escolha. Moacyr Franco Neto

Os principais sistemas de automação de data centers DCIM: uma visão técnica e metodologias de escolha. Moacyr Franco Neto Os principais sistemas de automação de data centers DCIM: uma visão técnica e metodologias de escolha Moacyr Franco Neto Agenda 1 Definição de DCIM. 2 Modelos de DCIM. 3 Benefícios e funcionalidades. 4-

Leia mais

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA Service Virtualization

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA Service Virtualization CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA Service Virtualization PERFIL DO CLIENTE Indústria: Telecomunicações Empresa: TIM Brasil Colaboradores:

Leia mais

AMI - Uma Parte Integrante da Concessionária de Energia do Futuro. Everton Peter Elster Medição de Energia LTDA

AMI - Uma Parte Integrante da Concessionária de Energia do Futuro. Everton Peter Elster Medição de Energia LTDA AMI - Uma Parte Integrante da Concessionária de Energia do Futuro Everton Peter Elster Medição de Energia LTDA E2 Pauta O que é AMI x AMR? Quais as características com valor agregado de um sistema AMI?

Leia mais

CIESP Painel4 10/09/2015

CIESP Painel4 10/09/2015 CIESP Painel4 10/09/2015 Ricardo Hering (ricardo.hering@ge.com) Diretor de Vendas GE Digital Energy Imagination at work. Agenda GE Digital energy Filmes: The next industrial revolution is here History

Leia mais

Cidades Digitais. Desmistificando a Tecnologia. Bruno Soares Henriques. www.inatel.br

Cidades Digitais. Desmistificando a Tecnologia. Bruno Soares Henriques. www.inatel.br Cidades Digitais Desmistificando a Tecnologia INATEL Competence Center Av. João de Camargo, 510 Santa Rita do Sapucai MG Tel: (35) 3471 9330 Bruno Soares Henriques O que é Cidade Digital City Cloud, Digital

Leia mais

@daibert http://aka.ms/daibert

@daibert http://aka.ms/daibert Microsoft @daibert http://aka.ms/daibert Technical Evangelist Microsoft Brasil Boas Vindas Quatro grandes tendências da década Mobilidade Redes Sociais Nuvem Big Data Redes Sociais serão >70% dos seguidas

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Windows e Web Dynamics Comunicação e Produtividade Servidores Infraestrutura Empresarial Busca e Anúncios Mobilidade Entretenimento e TV PRODUTIVIDADE

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Integrated Network Operations Support System ISO 9001 Certified A Plataforma Integradora Integrated Platform O INOSS V2 é uma poderosa plataforma de operação e gestão centralizada de redes e serviços de

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética Eficiência Energética Smart Grid - Redes Inteligentes Anderson D. Carvalho, Helionay F. Rocha, Jeiza P. Bittencourt, Jéssica M. Ribeiro, Luiz F. Rocha, Wellerson C. Leite, Vinicius M. Pacheco. Centro Universitário

Leia mais

Arquitetura Smart Grid Agosto de 2011

Arquitetura Smart Grid Agosto de 2011 Arquitetura Smart Grid Agosto de 2011 AGENDA: Introdução Background Solução Corinex Propriedades do Sistema AMI Compromisso, Teste de Campo e Set Up Sumário de Resultados Próximos de Passos Background

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

Cidades Inteligentes. m2m. Mas afinal, o que isso tem a ver com sustentabilidade e com as coisas? Global M2M Services

Cidades Inteligentes. m2m. Mas afinal, o que isso tem a ver com sustentabilidade e com as coisas? Global M2M Services Cidades Inteligentes m2m Mas afinal, o que isso tem a ver com sustentabilidade e com as coisas? Global M2M Services Grandes Cidades Cidade Inteligente pode ser um conceito Heterogêneo... verde sustentável

Leia mais

KUDELSKI SECURITY DEFENSE. www.kudelskisecurity.com

KUDELSKI SECURITY DEFENSE. www.kudelskisecurity.com KUDELSKI SECURITY DEFENSE Cyber Defense Center connection for remote information exchange with local monitoring consoles Satellite link Secure Data Sharing, a data-centric solution protecting documents

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico. David Scaquetti

Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico. David Scaquetti Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico David Scaquetti Introdução Importância dos transformadores no sistema de potência Evolução do monitoramento: - Medição

Leia mais

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS Descrição As necessidades de telemedição (ou telemetria) e telecomando têm sido cada vez mais utilizadas nas mais variadas aplicações, principalmente onde o volume

Leia mais

gfi.pt A GFI, EMC e VMWare ajudam-no a encontrar o melhor caminho para a Cloud Privada Titre de la présentation

gfi.pt A GFI, EMC e VMWare ajudam-no a encontrar o melhor caminho para a Cloud Privada Titre de la présentation A GFI, EMC e VMWare ajudam-no a encontrar o melhor caminho para a Cloud Privada João Girardi Business Unit Manager - Business Development Titre de la présentation 1 I. GFI Um Grupo Europeu de Tecnologias

Leia mais

Soluções para controle industrial Sistema avançado de controle de traço térmico NGC-40

Soluções para controle industrial Sistema avançado de controle de traço térmico NGC-40 Soluções para controle industrial Sistema avançado de controle de traço térmico NGC-40 SOLUÇÕES PARA GERENCIAMENTO TÉRMICO WWW.THERMAL.PENTAIR.COM DIGITRACE NGC-40 O NGC-40 é um avançado sistema modular

Leia mais

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil.

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil. AES ELETROPAULO 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São Paulo Estado 2 PROJETO AES ELETROPAULO

Leia mais

Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações

Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações SmartGrid Workshop Internacional - Power Line Communication ANEE L, 3 e 4 de Maio de 2007 [1] SmartGrid - Visão ¾ Visibilidade em tempo real das condições

Leia mais

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA LISA

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA LISA CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA LISA PERFIL DO CLIENTE Indústria: Telecomunicações Empresa: TIM Brasil Colaboradores: 12,167 mil EMPRESA

Leia mais

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil IEEE Workshop SMART GRID Trends & Best Practices Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Salvador,

Leia mais

Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes

Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes Leonardo Lemes Fagundes leonardo@exatas.unisinos.br São Leopoldo, 15 de outubro de 2004 Roteiro Apresentação da disciplina Objetivos Conteúdo programático Metodologia

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

Following up the Brazilian Smart Grid Roadmap Current D&D Smart Grid Projects in Brazil. Nelson Kagan University of Sao Paulo - Brazil

Following up the Brazilian Smart Grid Roadmap Current D&D Smart Grid Projects in Brazil. Nelson Kagan University of Sao Paulo - Brazil 1 Following up the Brazilian Smart Grid Roadmap Current D&D Smart Grid Projects in Brazil Nelson Kagan University of Sao Paulo - Brazil The Brazilian RoadMap The SG Roadmap was finished in 2012. It consisted

Leia mais

SMART GRIDS: PHYSICAL-LAYER SECURITY. Proposta de trabalho de graduação. Aluno: Lucas André Pequeno Paes Orientador: Daniel Carvalho da Cunha

SMART GRIDS: PHYSICAL-LAYER SECURITY. Proposta de trabalho de graduação. Aluno: Lucas André Pequeno Paes Orientador: Daniel Carvalho da Cunha UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 2012.2 SMART GRIDS: PHYSICAL-LAYER SECURITY Proposta de trabalho de graduação Aluno: Lucas André Pequeno Paes

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores OBJETIVOS Principais desafios de Supply Chain enfrentados pelas indústrias Premissas para criação de valor na comunicação interempresas

Leia mais

S G O R T A FRAMEWORK TO SUPPORT SMART GRID SOLUTIONS WITH UBIQUITOUS AND AUTONOMIC FEATURES ECDU. INF 621 - Seminários Científicos II

S G O R T A FRAMEWORK TO SUPPORT SMART GRID SOLUTIONS WITH UBIQUITOUS AND AUTONOMIC FEATURES ECDU. INF 621 - Seminários Científicos II A FRAMEWORK TO SUPPORT SMART GRID SOLUTIONS WITH UBIQUITOUS AND AUTONOMIC FEATURES Aluno: Me. Flávio Galvão Calhau Orientador: Dr. Romildo Bezerra S G O R T ECDU INF 621 - Seminários Científicos II Um

Leia mais

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada Paulo Antunes Souza Wagner Hokama

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

Worldwide Enterprise Support Services

Worldwide Enterprise Support Services Worldwide Enterprise Support Services Agenda O Suporte Premier Suporte Preventivo Resolução de Problemas Relacionamento com a Microsoft Suporte Consultivo O Suporte Premier Apoio ao cliente na prevenção

Leia mais

Fábrica Digital - Como a Tecnologia da Informação suporta a Inovação. Daniel Bio SAP Brasil

Fábrica Digital - Como a Tecnologia da Informação suporta a Inovação. Daniel Bio SAP Brasil Fábrica Digital - Como a Tecnologia da Informação suporta a Inovação Daniel Bio SAP Brasil Atuação e presença em +120 países, 37 idiomas Cerca de 54.000 funcionários 7 Centros Globais de Suporte, oferecendo

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance

Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance CUSTOMER SUCCESS STORY Itaú BBA protege operações e transações financeiras com soluções CA Service Assurance PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços Financeiros Companhia: Itaú BBA Grupo Itaú Unibanco Empregados:

Leia mais

SMART GRID FORUM 2013

SMART GRID FORUM 2013 SMART GRID FORUM 2013 Estudo de Caso: Projeto Light Concepção, abrangência e estratégia de implantação São Paulo, Nov 2013 1 1 Mercado Light - 2012 1 IBGE (2010) Estado RJ Área de Concessão % População

Leia mais

Projeto IntelliGrid A CEMIG construindo a rede inteligente do futuro

Projeto IntelliGrid A CEMIG construindo a rede inteligente do futuro SMARTGRIDS LATIN AMERICA Santiago, Chile Novembro de 2008 Projeto IntelliGrid A CEMIG construindo a rede inteligente do futuro Arnoldo Magela Morais Superintendência de Engenharia da Distribuição CEMIG

Leia mais

Cloud Computing O novo paradigma de Custeio. Anderson Baldin Figueiredo Consultor

Cloud Computing O novo paradigma de Custeio. Anderson Baldin Figueiredo Consultor Cloud Computing O novo paradigma de Custeio Anderson Baldin Figueiredo Consultor O momento da 3ª. Plataforma $$$$$ $ Conceituando Cloud Computing Mas o que significa cloud computing mesmo? Cloud = Evolução

Leia mais

Sistemas IBM Flex & PureFlex

Sistemas IBM Flex & PureFlex Eduardo (Edu) Pacini Líder Plataforma PureFlex Brasil IBM Systems & Technology Group Sistemas IBM Flex & PureFlex A Tecnologia está liderando as mudanças que impactam os negócios 1 Fatores de impacto:

Leia mais