Notas de orientação para a publicação de dados da EITI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Notas de orientação para a publicação de dados da EITI"

Transcrição

1 Notas de orientação 19 3 de julho de 2015 Estas notas de orientação foram produzidas pela Secretaria Internacional da EITI para ajudar os países implementadores a publicarem dados eletrônicos do Relatório da EITI de acordo com o Padrão da EITI. Perguntas sobre estas notas podem ser direcionadas à Secretaria Internacional da EITI. Notas de orientação para a publicação de dados da EITI Requisitos 5.3.b, 6.2.c e 6.2.d O principal produto do processo da EITI nos países implementadores é o relatório anual da EITI, contendo indicadores e um texto narrativo ( dados ) sobre as indústrias extrativas do país. Entende-se como dados informações que foram traduzidas para uma forma que é mais fácil de processar no computador. O Padrão da EITI enfatiza a necessidade de garantir que esses dados estejam acessíveis, conforme descrito no Requisito 6 da EITI. Mesmo que ainda seja importante apresentar os dados do Relatório da EITI em versões impressa e em PDF, esses dados são de difícil acesso para quem quiser analisá-los ou incorporá-los em seus próprios relatórios ou bancos de dados. Portanto, o Padrão da EITI (ver abaixo) estabelece que o Administrador Independente deve: (1) produzir arquivos de dados eletrônicos, e (2) enviar dados resumidos, de acordo com um modelo de relatório padrão. Também incentiva os grupos compostos pelas diversas partes envolvidas a: (3) publicarem os dados em formato legível por computador; (4) codificarem os dados de acordo com padrões de classificação nacional e internacional, e (5) considerarem a divulgação online automatizada das receitas provenientes da indústria extrativa. Estas notas de orientação oferecem conselhos sobre como os países implementadores podem cumprir esses objetivos, bem como fornecem exemplos de países que conseguiram cumpri-los até agora. Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 1

2 Requisito 5 - A EITI exige um processo de garantia credível segundo padrões internacionais. 5.3 Avaliações e recomendações do Administrador Independente b) O Administrador Independente deve produzir arquivos de dados eletrônicos que possam ser publicados com o Relatório da EITI. Dados resumidos de cada Relatório da EITI devem ser enviados eletronicamente à Secretaria Internacional de acordo com o formato padronizado de relatórios fornecido pela Secretaria Internacional. Requisito 6 - A EITI exige a elaboração de Relatórios da EITI que sejam compreensíveis, ativamente promovidos, publicamente acessíveis e que contribuam para o diálogo público. 6.2 O grupo composto pelas diversas partes envolvidas é incentivado a tornar os Relatórios da EITI legíveis por computador e codificar ou usar tags nos Relatórios da EITI e arquivos de dados para que as informações possam ser comparadas com outros dados disponíveis publicamente. Conforme o Requisito 3.7(b), o grupo formado pelas diversas partes envolvidas é incentivado a fazer referência a sistemas nacionais de classificação de receitas e padrões internacionais, tais como o Manual de Estatísticas de Finanças Públicas do FMI. O grupo formado pelas diversas partes envolvidas é incentivado a: c) Sempre que isso for legal e tecnicamente viável, considerar a divulgação online automatizada e contínua das receitas e pagamentos extrativos feitos por governos e empresas. Isso pode incluir casos em que os dados de receitas extrativas já são publicados regularmente pelo governo ou onde sistemas de tributação nacionais já facilitem pagamentos e análises de tributos online. Esses relatórios contínuos do governo podem ser vistos como um relatório provisório e como um recurso integral do processo nacional da EITI, sendo integrados pelo Relatório da EITI reconciliado emitido anualmente. d) Assumir esforços de reforço da capacitação, especialmente na sociedade civil e por meio de organizações da sociedade civil, para aumentar a conscientização do processo, melhorar o entendimento das informações e dados dos relatórios e encorajar o uso das informações pelos cidadãos, mídia e outros. Fonte: Padrão da EITI (11 de julho de 2013), pag e Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 2

3 1. Produção e publicação de arquivos de dados eletrônicos O Padrão da EITI requer que o Administrador Independente produza arquivos de dados eletrônicos que possam ser publicados com as versões impressa e em PDF do Relatório da EITI. Em termos práticos, isso significa que as secretarias nacionais devem primeiro incumbir o Administrador Independente a produzir e enviar arquivos CSV ou planilhas de Microsoft Excel com todas as tabelas do Relatório. Em segundo lugar, as secretarias nacionais devem garantir que essas planilhas fiquem disponíveis no site da EITI, juntamente com a versão em PDF. Em meados de 2015, mais de dez países publicaram esses tipos de arquivos. Aqui estão três exemplos: Zâmbia, Noruega e Mongólia. A Secretaria Internacional pode ser consultada para obter outros exemplos. Zâmbia A Zâmbia publicou todas as tabelas numa pasta de trabalho. O arquivo Excel contém todas as tabelas da versão impressa do relatório e pode ser baixado em https://www.eiti.org/report/zambia/2011. Noruega Há quatro anos a Noruega publica uma planilha Excel juntamente com as versões impressa e em PDF. Ela traz tabelas com as receitas do governo discriminadas por cada fluxo de receita e empresa. Um exemplo está disponível em https://www.eiti.org/report/norway/2013. Além disso, a Noruega disponibiliza dados originais da EITI no portal de dados abertos do governo e no portal de Petróleo da Noruega. Mongólia A Mongólia publicou arquivos eletrônicos em todos os anos do relatório. Um exemplo pode ser consultado em https://eiti.org/report/mongolia/2013. Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 3

4 2. Envio dos dados resumidos à Secretaria Internacional O Padrão da EITI requer que os países implementadores enviem dados resumidos para a Secretaria Internacional, seguindo um modelo de relatório padronizado. As Secretarias Nacionais são aconselhadas a enviar esse formulário para a Secretaria Internacional junto com os arquivos em PDF e planilhas Excel. O modelo de relatório padronizado está disponível em https://www.eiti.org/document/summarydata-template 1. As Secretarias Nacionais são aconselhadas a acessar essa página no início dos períodos de relatório, a fim de garantir que possuem a versão mais atualizada do modelo. Os dados do formulário ficarão disponíveis no banco de dados de relatórios da Secretaria Internacional da EITI, que pode ser acessado aqui: https://data.eiti.org. O formulário tem três partes (planilhas): A Parte 1 abrange as características básicas do relatório; A Parte 2 aborda a disponibilidade dos dados contextuais, de acordo com os Requisitos 3 e 4 da EITI; A Parte 3 abrange dados sobre receitas do governo por fluxos de receita e empresas. A seção na Parte 3 referente à classificação dos fluxos de receita foi desenvolvida em colaboração com o FMI. Essa classificação é baseada no Manual de Estatísticas de Finanças Públicas do FMI (GFS, em inglês), de Para obter orientação sobre como classificar os fluxos de receita de acordo com essa classificação: Consulte as Notas Técnicas que foram elaboradas pelo FMI em consulta com a Secretaria da EITI e estão disponíveis em https://www.eiti.org/document/summary-data-template. Contate o Ministro das Finanças do seu país, que em muitos casos já apresenta as receitas governamentais ao FMI segundo o GSF. Contate a Secretaria Internacional da EITI. Esse modelo deverá ser preenchido na íntegra e enviado eletronicamente pela secretaria nacional à Secretaria Internacional da EITI, após a publicação do Relatório da EITI. Os dados serão usados para facilitar a análise de dados pelas secretarias nacionais e serão guardados no repositório de dados globais da EITI, disponível no site internacional da EITI. Qualquer pergunta ou comentário deve ser enviado a ou 1 Espera-se que sejam feitas atualizações adicionais com base no feedback dos grupos compostos pelas diversas partes envolvidas e dos usuários de dados da EITI. 2 Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 4

5 3. Publicação dos dados em formato legível por computador O Padrão da EITI incentiva os grupos compostos pelas diversas partes envolvidas a publicarem os dados em formato legível por computador. Este é um formato de dados que pode ser processado por um computador. Disponibilizar os dados da EITI em formato legível por computador permite que os dados sejam usados de outras maneiras. Por enquanto, a publicação dos dados em arquivos CSV (ver capítulo 1) pode ser considerada uma boa prática. Atualmente, estão sendo desenvolvidos métodos mais avançados para fazer com que os relatórios da EITI sejam em formato legível por computador. Os países que tiverem interesse em experimentar tais métodos podem entrar em contato com a Secretaria Internacional da EITI. Contexto: dados legíveis por computador e por pessoas Os dados legíveis por pessoas, tais como informações e valores contidos no Relatório da EITI atual, podem ser processados em uma linguagem que um computador consiga compreender (normalmente referida como tags). Essas tags devem ser pré-definidas. Veja este exemplo: O texto abaixo, extraído de um Relatório da EITI, é legível por pessoas : O governo do País X informa ter recebido um total de US$ do seu setor petrolífero e US$ do seu setor de mineração em Esse texto pode ser marcado com tags pré-definidas que um computador possa compreender. As tags usadas abaixo, marcadas com <>, são apenas ilustrações: <ReceitasGovernoPaísX2013> O <InformadoPor>governo</InformadoPor> do País X informa que recebeu um total de <ValorPetróleo>US$ </ValorPetróleo> do seu setor petrolífero e <ValorMineração>US$ </ValorMineração> do seu setor de mineração em 2013.</ReceitasGovernoPaísX2013> Um computador seria capaz de entender a que as informações e os valores se referem. Isto seria o que o computador conseguiria ver: <ReceitasGovernoPaísX2013> <InformadoPor>governo</InformadoPor> <ValorPetróleo>US$ </ValorPetróleo> <ValorMineração>US$ </ValorMineração> </ReceitasGovernoPaísX2013> Se vários relatórios forem processados com a mesma linguagem, pode-se usar um computador para sintetizar as informações contidas nos relatórios. A Transmissão Eletrônica (ver capítulo 5) fará com esse tipo de codificação seja muito mais viável. Grande parte das maiores empresas extrativas Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 5

6 já publicam relatórios em um formato legível por computador chamado XBRL, conforme o exigido pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC). 4. Classificação de dados de acordo com as classificações nacional e internacional O Padrão da EITI incentiva os países a fazerem referência a sistemas nacionais de classificação de receitas e a padrões internacionais, tais como o Manual de Estatísticas de Finanças Públicas do FMI. Os padrões de classificação internacionais podem ser aplicados juntamente com as classificações nacionais. Veja abaixo um resumo de algumas das classificações que podem ser usadas. Classificação dos valores de receitas Todos os países classificam os fluxos de receita de acordo com os regulamentos e contratos do próprio país. Como essas classificações variam conforme o país, o Fundo Monetário Internacional (FMI) desenvolveu, junto com a Secretaria da EITI, uma classificação dos fluxos de receita do setor extrativo com base no seu Manual de Estatísticas de Finanças Públicas. O modelo atual de classificação pode ser encontrado como parte do modelo de dados resumidos, descrito acima. Classificação de empresas Como as empresas frequentemente operam sob várias entidades jurídicas em um país, as secretarias nacionais podem estabelecer identificadores de empresas, incluindo o número de identificação da empresa, o número da licença e a sua razão social completa. Conforme os países introduzam o sistema global de Identificação de Entidades Jurídicas (LEI), podem começar a incluir esse identificador nos seus relatórios da EITI. Classificação de volumes de produção O Padrão da EITI requer que os relatórios da EITI divulguem os volumes e valores da produção e da exportação para o ano fiscal do Relatório da EITI, por produto e, se relevante, por estado/região (3.5). Para a unidade de volume, é recomendável seguir a prática estabelecida em cada país. Outros tipos de dados, tais como despesas sociais, conversões de moeda, valorização da produção Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 6

7 A Secretaria Internacional da EITI está explorando como outros tipos de dados incluídos nos Relatórios da EITI podem ser classificados de forma útil e eficiente. 5. Sistemas de gestão de dados e divulgação online automatizada O Padrão da EITI incentiva os países a considerarem a divulgação online automatizada das receitas provenientes da indústria extrativa. Caso esteja considerando tais medidas, recomenda-se consultar a Secretaria Internacional da EITI no início do processo. A Secretaria pode fornecer conselhos e compartilhar conhecimentos e exemplos que podem ser adaptados pelas secretarias nacionais às necessidades locais. Entre em contato com o seu gerente nacional da Secretaria Internacional, pondo em cópia Sam Bartlett e Anders Kråkenes Integração da EITI em sistemas existentes Uma forma eficiente de lidar com este desafio é enfatizar a garantia de transparência diretamente a partir dos sistemas de empresas privadas e da administração pública. Alguns países estão trabalhando no sentido de integrar o seu relatório eletrônico da EITI diretamente com outros sistemas do governo - seja com o seu registro de licenças (um cadastro) ou com o sistema de gestão financeira do governo (IFMIS). Cazaquistão e Serra Leoa são dois países que desenvolveram essa solução. O governo de Serra Leoa usa o Sistema de Administração de Concessões de Mineração (MCAS), que está sendo desenvolvido pela Fundação para o Desenvolvimento de Receitas (RDF) desde 2011 e atualmente é administrado pela Agência Nacional de Mineração. Todas as licenças de mineração são processadas nesse sistema, e os pagamentos são registados através de documentação digitalizada. Todas as licenças e pagamentos são publicados regularmente no repositório online da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), lançado oficialmente pelo Ministério em janeiro de Subsequentemente, a RDF integrou o sistema a todos os pagamentos fiscais e aduaneiros da Autoridade Nacional de Receitas; dessa forma, o repositório agora apresenta receitas completas de empresas mineradoras para todos os tipos de pagamento da EITI. No Cazaquistão, as empresas privadas já são obrigadas a apresentar ao governo um relatório trimestral, o qual é divulgado online no banco de dados do Comitê de Impostos. Ao invés de conduzir um processo separado de relatório da EITI, o Cazaquistão integrou o relatório da EITI no seu sistema. Relatórios Eletrônicos da EITI Na maioria dos países, a coleta de dados da EITI ainda é feita em formulários de papel. A coleta de dados é consequentemente um processo intensivo em termos de recursos e propenso a erros de Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 7

8 Notas de orientação 19 para publicação de dados da EITI 3 de julho de 2015 transcrição e atrasos. Vários países estão, portanto, considerando esforços para transferir a coleta de dados para um sistema digital, que também facilitará a divulgação online automatizada. Exemplos de relatórios de empresas que são transcritos manualmente. Um número crescente de países está passando para o processo de relatório eletrônico da EITI. Isso está em curso em países como Gana, Cazaquistão, Mongólia e Nigéria. Com os relatórios eletrônicos, os relatórios da EITI podem ser entregues por empresas e agências governamentais ao administrador como um arquivo enviado por , ou como um formulário online preenchido em um site seguro. O benefício esperado é a obtenção de relatórios da EITI mais rápidos e com dados mais confiáveis, bem como permitir a divulgação online dos dados. Embora essa abordagem apresente algumas oportunidades significativas para melhorar a coleta e a administração dos dados, existem alguns riscos relevantes que precisam ser considerados, incluindo o risco de duplicação com outros sistemas de relatórios, a sustentabilidade do sistema e os custos substanciais da sua manutenção contínua. O desenvolvimento da solução técnica não é mais o principal desafio. Na maioria dos casos, o maior desafio é superar as questões jurídicas e institucionais, além de garantir uma administração eficiente e um bom fluxo de trabalho. Por exemplo, para a maioria dos países, a questão-chave é estabelecer a legitimidade de uma assinatura eletrônica. Deve-se notar que muitos dos benefícios da adoção de um sistema de relatório eletrônico, ao invés de formulários impressos, podem ser alcançados com a utilização de um sistema eletrônico razoavelmente simples, usando e planilhas de Excel. Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 8

9 6. Ferramentas digitais para tornar os dados acessíveis O requisito 6 da EITI exige que "os relatórios da EITI sejam compreensíveis, ativamente promovidos, publicamente acessíveis e que contribuam para o diálogo público". Em um número cada vez maior de países, as secretarias nacionais estão desenvolvendo ferramentas digitais que explicam as conclusões da EITI de maneira compreensível e acessível. Seguem abaixo três exemplos: Estados Unidos, Noruega e Indonésia. Portal das receitas provenientes de recursos naturais dos Estados Unidos Foto do mapa interativo do portal dos recursos naturais dos Estados Unidos. Como parte do compromisso de implementação da EITI, o Departamento do Interior dos Estados Unidos (Dol) lançou um portal de dados interativo que permite que o público estude o uso dos recursos naturais em terras da União. Nesse portal, estão incluídas informações detalhadas sobre impostos provenientes das indústrias de petróleo, de gás, de carvão, eólica e geotérmica, e como essas receitas são usadas. O portal pode ser acessado em: O portal de dados piloto foi desenvolvido em conjunto com o Departamento do Interior e com o programa de serviço digital da Administração de Serviços Gerais. Quando estiver completamente concluído, o portal de dados irá incluir informações sobre mais de 550 empresas que ultrapassam o limite mínimo de pagamento determinado pelo grupo composto pelas diversas partes envolvidas (USEITI), atualmente previsto em US$ por ano. À medida que o trabalho do USEITI for progredindo nos próximos anos, o portal de dados piloto será expandido e aprimorado para oferecer níveis de dados e informações ainda mais abrangentes de outros órgãos do governo. Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 9

10 O portal está disponível sob uma licença de código aberto, dessa forma, as oportunidades de reproduzir e apoiar esse trabalho são consideráveis. Para maiores informações sobre a EITI nos Estados Unidos acesse: ou visite a página do país no site da EITI. Portal do Petróleo da Noruega Gráfico do novo portal do Petróleo da Noruega, mostrando a composição dos fluxos de receita ao longo do tempo. O Ministério do Petróleo e da Energia da Noruega tem um site onde as pessoas podem encontrar informações detalhadas e acessíveis sobre o setor petrolífero norueguês. O site enfatiza que contém "tudo o que você precisa saber sobre as atividades petrolíferas norueguesas", incluindo informações, mapas e dados brutos sobre: As receitas do governo, incluindo a discriminação de empresas que consta no relatório da EITI; o arcabouço legal e o sistema tributário; recursos, exploração e produção disponíveis. Todos os dados são atualizados constantemente a partir do banco de dados da Direção do Petróleo da Noruega. O site está disponível em Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 10

11 Visualização dos dados da EITI da Indonésia Mapa do site da EITI da Indonésia, mostrando as receitas fiscais do setor extrativo em cada região. A equipe da EITI da Indonésia desenvolveu um mapa online que utiliza dados dos seus relatórios da EITI para mostrar quais regiões recebem mais receitas fiscais do setor extrativo. Essa visualização foi desenvolvida usando um pacote de software disponível gratuitamente. Endereço EITI International Secretariat, Ruseløkkveien 26, 0251 Oslo, Noruega 11

Notas de orientação 9: Sugestão de checklist para estabelecer o escopo do Relatório da EITI

Notas de orientação 9: Sugestão de checklist para estabelecer o escopo do Relatório da EITI Notas de orientação 9 3 de julho de 2015 Estas notas de orientação foram produzidas pela Secretaria Internacional da EITI para ajudar os países implementadores a publicarem dados eletrônicos do Relatório

Leia mais

Notas de orientação 3: Registros de licenças

Notas de orientação 3: Registros de licenças Estas notas foram publicadas pela Secretaria Internacional da EITI para oferecer orientação para os países implementadores sobre como satisfazer os requisitos do Padrão da EITI. Aconselhamos os leitores

Leia mais

Notas de orientação sobre despesas sociais Requisito 4.1(e)

Notas de orientação sobre despesas sociais Requisito 4.1(e) Estas notas foram publicadas pela Secretaria Internacional da EITI para oferecer orientação para os países implementadores sobre como satisfazer os requisitos do Padrão da EITI. Aconselhamos os leitores

Leia mais

Módulo NF-e. Manual de Utilização

Módulo NF-e. Manual de Utilização Módulo NF-e Manual de Utilização 1 Conteúdo Passo-a-passo para emissão de NF-e... 3 1. Obtendo seu Certificado Digital... 3 2. Registrando-se na Secretaria da Fazenda para Homologação (testes)... 4 3.

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

Notas de orientação 15 sobre provisão de infraestrutura e operações de troca Requisito 4.1(d)

Notas de orientação 15 sobre provisão de infraestrutura e operações de troca Requisito 4.1(d) Estas notas foram publicadas pela Secretaria Internacional da EITI para oferecer orientação para os países implementadores sobre como satisfazer os requisitos do Padrão da EITI. Aconselhamos os leitores

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito

Leia mais

SC 53/15. 24 fevereiro 2015 Original: inglês. Comitê de Estatística 8. a reunião 4 março 2015 Londres, Reino Unido

SC 53/15. 24 fevereiro 2015 Original: inglês. Comitê de Estatística 8. a reunião 4 março 2015 Londres, Reino Unido SC 53/15 24 fevereiro 2015 Original: inglês P Comitê de Estatística 8. a reunião 4 março 2015 Londres, Reino Unido Política de divulgação de informações Antecedentes 1. Em julho de 2002 a Organização publicou

Leia mais

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Corporação Financeira Internacional 26 de agosto de 2009 SUMÁRIO PÁGINA Resumo executivo...

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO Documento de Utilização de Benefício Fiscal APRESENTAÇÃO Prezado Contribuinte, Instituído pela Resolução SEFAZ nº 180 de 05 de dezembro de 2008, o DUB-ICMS (Documento de Utilização de Benefício) é uma

Leia mais

L A C Laboratory for Advanced Collaboration

L A C Laboratory for Advanced Collaboration Publicação de Dados Governamentais no Padrão Linked Data 1.2 - Dados Governamentais Abertos Karin Breitman José Viterbo Edgard Marx Percy Salas L A C Laboratory for Advanced Collaboration Objetivo deste

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA USUÁRIOS DO HÁBIL EMPRESARIAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA USUÁRIOS DO HÁBIL EMPRESARIAL CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA USUÁRIOS DO HÁBIL EMPRESARIAL ÍNDICE Página 1. Orientações iniciais 3 2. Regularização de documentos perante a Receita 3 3. Verificando software e equipamento 4 3.1. Versão

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA. Implementar uma infraestrutura padronizada e segura para a comunicação eletrônica oficial da UFTM.

NORMA PROCEDIMENTAL COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA. Implementar uma infraestrutura padronizada e segura para a comunicação eletrônica oficial da UFTM. 50.01.005 1/10 1. FINALIDADE Implementar uma infraestrutura padronizada e segura para a comunicação eletrônica oficial da UFTM. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Todos os órgãos da UFTM e, em especial, na Assessoria

Leia mais

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Página1 e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é Nota Fiscal de Serviço eletrônica

Leia mais

Instruções de uso do TABNET. Linha, Coluna e Conteúdo

Instruções de uso do TABNET. Linha, Coluna e Conteúdo O Tabnet, aplicativo desenvolvido pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), permite ao usuário fazer tabulações de bases de dados on-line e foi gentilmente cedido para disponibilização

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

Existem 109 questões nesta pesquisa

Existem 109 questões nesta pesquisa FASE 2: ANÁLISE DO WEBSITE INSTRUÇÕES Leia atentamente todas as questões Explore o website em avaliação, procurando pelas questões propostas Depois, responda cada questão Algumas questões precisam de informações

Leia mais

Parte A: Documentação e Legislação Básicas da Gestão Fiscal

Parte A: Documentação e Legislação Básicas da Gestão Fiscal QUESTIONÁRIO PARA AS AUTORIDADES NACIONAIS TRANSPARÊNCIA NA GESTÃO DAS RECEITA DOS RECURSOS NATURAIS O objetivo deste questionário é colher informações sobre a gestão dos recursos naturais, com ênfase

Leia mais

ESET NOD32 ANTIVIRUS 8

ESET NOD32 ANTIVIRUS 8 ESET NOD32 ANTIVIRUS 8 Microsoft Windows 8.1 / 8 / 7 / Vista / XP / Home Server 2003 / Home Server 2011 Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento

Leia mais

ESET NOD32 ANTIVIRUS 6

ESET NOD32 ANTIVIRUS 6 ESET NOD32 ANTIVIRUS 6 Microsoft Windows 8 / 7 / Vista / XP / Home Server Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento O ESET NOD32 Antivirus fornece

Leia mais

ESET NOD32 ANTIVIRUS 9

ESET NOD32 ANTIVIRUS 9 ESET NOD32 ANTIVIRUS 9 Microsoft Windows 10 / 8.1 / 8 / 7 / Vista / XP Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento O ESET NOD32 Antivirus fornece

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO MÓDULO DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS APLICATIVO UPLOAD /DOWNLOAD VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO Processos de Concessão de Benefícios Histórico da Revisão Data Versão

Leia mais

Notas de orientação 2: Desenvolvendo um Plano de Trabalho da EITI

Notas de orientação 2: Desenvolvendo um Plano de Trabalho da EITI Estas notas foram publicadas pela Secretaria Internacional da EITI para oferecer orientação para os países implementadores sobre como satisfazer os requisitos do Padrão da EITI. Aconselhamos os leitores

Leia mais

Este documento contém esclarecimentos para as dúvidas mais frequentes sobre portal e-saj.

Este documento contém esclarecimentos para as dúvidas mais frequentes sobre portal e-saj. Este documento contém esclarecimentos para as dúvidas mais frequentes sobre portal e-saj. Para melhor navegar no documento, utilize o sumário a seguir ou, se desejar, habilite o sumário do Adobe Reader

Leia mais

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial.

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial. O QUE É A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-E? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos...

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos... Índice 1. 2. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 2.6. 3. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 3.5. 3.6. 3.7. 3.8. 4. 5. 5.1. 5.2. 5.3. APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 Primeiros Passos... 2 Minha Empresa... 3 Certificado

Leia mais

PARA MAC. Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento

PARA MAC. Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento PARA MAC Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET Cyber Security fornece proteção de última geração para seu computador contra código mal-intencionado.

Leia mais

Sistema Banco de Preços Manual do Usuário OBSERVATÓRIO

Sistema Banco de Preços Manual do Usuário OBSERVATÓRIO Sistema Banco de Preços Manual do Usuário OBSERVATÓRIO da Despesa Pública 1 Sumário O Banco de Preços... 3 Acessando o Banco de Preços... 4 Funções do Banco de Preços... 5 Gerar Preço de Referência...

Leia mais

Guia do Usuário. Introdução

Guia do Usuário. Introdução Guia do Usuário Introdução Nosso objetivo ao criar o Auditorbook foi valorizar o tempo de profissionais que realizam auditorias, verificações ou inspeções. Com este aplicativo desenvolvido pela VL Corrêa

Leia mais

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU Manual do usuário Acesso ao GEFAU Fev/2015 GEFAU PORTAL DO EMPREENDEDOR Conteúdo Introdução... 2 1. Acesso ao GEFAU... 3 2. Cadastro de empreendimentos... 5 2.1. Consulta aos empreendimentos do usuário...

Leia mais

Quais são as novidades?

Quais são as novidades? e fizeram novamente uma parceria para criar uma Plataforma de Aprendizagem Social exclusiva para os corretores RE/MAX ao redor do mundo. Com esta Plataforma de Aprendizagem Social, nomeada de Global Training,

Leia mais

As principais alterações entre as versões 1.0 e 2.0 da NFS-e foram: Não obrigatória. Para informar o responsável pela retenção.

As principais alterações entre as versões 1.0 e 2.0 da NFS-e foram: Não obrigatória. Para informar o responsável pela retenção. As principais alterações entre as versões 1.0 e 2.0 da NFS-e foram: 1) Campos incluídos Campo País Prestador Tomador Prestação do serviço Data de competência no RPS Tipo Num (4) Não obrigatório Não obrigatória

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Secretaria da Fazenda TO Diretoria de Informática

Secretaria da Fazenda TO Diretoria de Informática Secretaria da Fazenda TO Diretoria de Informática Abril de 2006 Introdução O portal da Secretaria da Fazenda do Estado do Tocantins está disponível no endereço www.sefaz.to.gov.br e oferece diversos serviços

Leia mais

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2 Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão 5.4.2 2006-2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedido por escrito, nenhuma licença é

Leia mais

SA. 02 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO

SA. 02 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO 1 de 17 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO GERENCIAMENTO DE CADASTRO 1 OBJETIVO... 2 2 ABRANGÊNCIA... 2 3 DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4 PROCEDIMENTOS...

Leia mais

MANUAL DO CIDADÃO MÓDULO NFSe SEFAM

MANUAL DO CIDADÃO MÓDULO NFSe SEFAM MANUAL DO CIDADÃO MÓDULO NFSe SEFAM Índice Introdução 3 Legislação 4 A quem se destina o Módulo Cidadão SEFAM NFSe 5 Configuração Mínima para acesso ao SEFAM NFSe 6 Como ter acesso ao produto SEFAM NFSe

Leia mais

Pesquisa de Avaliação do Portal da ANEEL na Internet

Pesquisa de Avaliação do Portal da ANEEL na Internet Pesquisa de Avaliação do Portal da ANEEL na Internet Período de pesquisa: 03/11/2004 a 30/12/2004 Abril 2005 1/13 Índice Página 1.0 INTRODUÇÃO...03 2.0 Análise das respostas de múltipla escolha...04 3.0

Leia mais

Orientações práticas para arquivistas auxiliarem os doadores na preparação de seu arquivo pessoal digital para doação

Orientações práticas para arquivistas auxiliarem os doadores na preparação de seu arquivo pessoal digital para doação 1 Orientações práticas para arquivistas auxiliarem os doadores na preparação de seu arquivo pessoal digital para doação Rosely Curi Rondinelli Jorge Phelipe Lira de Abreu Setembro de 2015 2 Orientações

Leia mais

A seguir falaremos sobre os campos que deverão ser preenchidos no Shop Control 8.

A seguir falaremos sobre os campos que deverão ser preenchidos no Shop Control 8. Nota Fiscal Eletrônica Este módulo permite a integração do Shop Control 8 com o site da Secretaria da Fazenda dos Estados e Receita Federal para emitir a Nota Fiscal Eletrônica (NFe) : Este módulo é exclusivo

Leia mais

Manual do Usuário Microsoft Apps for Symbian

Manual do Usuário Microsoft Apps for Symbian Manual do Usuário Microsoft Apps for Symbian Edição 1.0 2 Sobre os aplicativos da Microsoft Sobre os aplicativos da Microsoft Os aplicativos Microsoft oferecem aplicativos corporativos Microsoft para o

Leia mais

Introdução. Benefícios para todos

Introdução. Benefícios para todos Introdução Esta cartilha tem a finalidade de guiar as empresas na implantação da Nota Fiscal Eletrônica e demonstrar as facilidades e vantagens do sistema para o contribuinte e para a sociedade A Nota

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

O que há de novo no PaperPort 12? O PaperPort 12 possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos.

O que há de novo no PaperPort 12? O PaperPort 12 possui uma grande variedade de novos e valiosos recursos que ajudam a gerenciar seus documentos. Bem-vindo! O Nuance PaperPort é um pacote de aplicativos para gerenciamento de documentos da área de trabalho que ajuda o usuário a digitalizar, organizar, acessar, compartilhar e gerenciar documentos

Leia mais

Sociedade do Conhecimento

Sociedade do Conhecimento Gerenciamento (Gestão) Eletrônico de Documentos GED Introdução Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Sociedade do Conhecimento Nunca se produziu tanto documento e se precisou de tanta velocidade

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos esse manual, significa que você adquiriu um certificado digital AC Link. Manual do Usuário 1 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?...

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CERTIFICADO DIGITAL TIPO E-CPF A1 / E-CNPJ A1

MANUAL DE INSTALAÇÃO CERTIFICADO DIGITAL TIPO E-CPF A1 / E-CNPJ A1 MANUAL DE INSTALAÇÃO CERTIFICADO DIGITAL TIPO E-CPF A1 / E-CNPJ A1 Prezado Cliente, para que seu certificado digital (e-cnpj A1 e / ou e-cpf) funcione corretamente é necessário que a instalação seja feita

Leia mais

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET Cyber Security Pro fornece proteção de última geração para seu

Leia mais

Manual de Acesso e Utilização ao Safeweb enota NFSe

Manual de Acesso e Utilização ao Safeweb enota NFSe Manual de Acesso e Utilização ao Safeweb enota NFSe Safeweb enota NFSe Sistema de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário - Versão 1.0.0 1. Sobre O enota NFSe é um sistema de emissão de Nota

Leia mais

Guia de Configuração das Funções de Digitalização

Guia de Configuração das Funções de Digitalização Guia de Configuração das Funções de Digitalização WorkCentre M123/M128 WorkCentre Pro 123/128 701P42171_pt-BR 2004. Todos os direitos reservados. A proteção de copyright aqui reclamada inclui todas as

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

CA Business Service Insight

CA Business Service Insight CA Business Service Insight Guia de Conteúdo Predefinido da ISO 20000 8.2 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Cloud Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1 1 DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento de direitos autorais, contanto que as cópias sejam feitas

Leia mais

CA Desktop Migration Manager

CA Desktop Migration Manager CA Desktop Migration Manager Notas da versão do CA DMM 12.9 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada Documentação),

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

sala de aula SMART Sync 2010 para sistemas operacionais Windows.

sala de aula SMART Sync 2010 para sistemas operacionais Windows. P E N S E N O M E I O A M B I E N T E A N T E S D E I M P R I M I R Notas de versão SMART Sync 2010 para sistemas operacionais Windows Sobre estas notas de versão Estas notas de versão resumem as alterações

Leia mais

ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 9001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 9001, a norma líder mundial em qualidade internacional, ajudou milhões de organizações a melhorar sua qualidade

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB MÓDULO COMERCIAL (NOVOEX)

SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB MÓDULO COMERCIAL (NOVOEX) SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB MÓDULO COMERCIAL (NOVOEX) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. Onde acessar o NOVOEX? O acesso ao NOVOEX poderá ser feito por meio da página eletrônica do Ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

Gravando uma Áudio Conferência

Gravando uma Áudio Conferência Gravando uma Áudio Conferência Para iniciar a gravação da áudio conferência, digite *2. Você ouvirá a seguinte mensagem: Para iniciar a gravação da conferência pressione 1, para cancelar pressione * Ao

Leia mais

MANUAL PLATAFORMA WEB DE ENVIO EM MASSA SMS WEB

MANUAL PLATAFORMA WEB DE ENVIO EM MASSA SMS WEB MANUAL PLATAFORMA WEB DE ENVIO EM MASSA SMS WEB Para conseguir um correto funcionamento da aplicação web, por favor, leia com atenção o seguinte instrutivo. Igualmente, recomendamos ter uma cópia impressa

Leia mais

Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL.

Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL. Informação sobre trânsito como ferramenta de planejamento para a segurança viária: a experiência do anuário de indicadores do Detran-AL. Renan Durval Aparecido da Silva¹ 1 Gerente de estudos de acidentes

Leia mais

CA Desktop Migration Manager

CA Desktop Migration Manager CA Desktop Migration Manager Notas da Versão Release 12.8 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada Documentação),

Leia mais

Web Service - NFS-e. Definição das especificações e critérios técnicos necessários para utilização do WebService. FREIRE INFORMÁTICA Versão 2.

Web Service - NFS-e. Definição das especificações e critérios técnicos necessários para utilização do WebService. FREIRE INFORMÁTICA Versão 2. 2014 Web Service - NFS-e Definição das especificações e critérios técnicos necessários para utilização do WebService Este manual tem como objetivo orientar os usuários, sobre os procedimentos relativos

Leia mais

A melhor ferramenta para criar e gerenciar Nota Fiscal Eletrônica

A melhor ferramenta para criar e gerenciar Nota Fiscal Eletrônica A melhor ferramenta para criar e gerenciar Nota Fiscal Eletrônica Gestor NFe Características Tecnologia Diferenciais Como Instalar e Licenciar Custos Contatos Características O objetivo do Gestor NFe é

Leia mais

Utilização do Webmail da UFS

Utilização do Webmail da UFS Universidade Federal de Sergipe Centro de Processamento de Dados Coordenação de Redes de Computadores Utilização do Webmail da UFS Procedimento Com o intuito de facilitar a execução dos passos, este tutorial

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 ÍNDICE Apresentação Principais Botões Login Usúario Resultado Método Quantum Preencher Método Quantum Extrato On-Line Engenharia de Função Grupos

Leia mais

Como conduzir com sucesso um projeto de melhoria da qualidade

Como conduzir com sucesso um projeto de melhoria da qualidade Como conduzir com sucesso um projeto de melhoria da qualidade Maria Luiza Guerra de Toledo Coordenar e conduzir um projeto de melhoria da qualidade, seja ele baseado no Seis Sigma, Lean, ou outra metodologia

Leia mais

Guia de instruções passo a passo para o registro de Projetos de Pesquisa na PRPPG

Guia de instruções passo a passo para o registro de Projetos de Pesquisa na PRPPG UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE PESQUISA Guia de instruções passo a passo para o registro de Projetos de Pesquisa na PRPPG O Sistema de Acadêmico

Leia mais

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS?

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? Apresentação Histórico Estratégia de comunicação e políticas para promoção do municipalismo forte e atuante A atuação da Confederação Nacional de Municípios na comunicação pública

Leia mais

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL DAS AMÉRICAS Washington D. C - março 2014 NOME CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA TEMA PALAVRAS-CHAVE REDE SOCIAL EMPRESARIAL : CONNECT AMERICAS PRÁTICA INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

1ª PARTE DIÁRIOS ELETRÔNICOS

1ª PARTE DIÁRIOS ELETRÔNICOS 1 1ª PARTE DIÁRIOS ELETRÔNICOS 1.ACESSANDO O SITE DA FEOL 1.1 Endereço do Site O endereço para acessar o site da Fundação Educacional de Oliveira é: www.feol.com.br Obs: experimente digitar apenas feol.com.br

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO VERSÃO 2014 Fevereiro de 2014 SIGFIS-Sistema Integrado

Leia mais

Portal Acta. Tutorial para avaliador TUTORIAL AVALIADOR:

Portal Acta. Tutorial para avaliador TUTORIAL AVALIADOR: TUTORIAL AVALIADOR: O processo de Avaliação é dividido em seis passos, que guiam o Avaliador durante o processo de Avaliação. Passo 1 O Avaliador deve primeiramente informar o Editor de Seção se está disponível

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.12

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.12 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.12 Pagueban...2 Bancos...2 Configurando Contas...5 Aba Conta Banco...5 Fornecedores Referências Bancárias...7 Duplicatas a Pagar...9 Aba Geral...10 Aba PagueBan...11 Rastreamento

Leia mais

IREasy Manual do Usuário Versão do manual - 0.0.9

IREasy Manual do Usuário Versão do manual - 0.0.9 OBJETIVOS DO PROGRAMA DE COMPUTADOR IREasy Permitir a apuração do Imposto de Renda dos resultados das operações em bolsa de valores (mercado à vista, a termo e futuros). REQUISITOS MÍNIMOS DO COMPUTADOR

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Guia do Utilizador Versão 4.0 Agosto/ 2014 Índice 1. Introdução 2. Criar/ Validar Folhas de Férias 3. Acesso à funcionalidade 4. Inserir/ Consultar Folhas de Férias 5. Comprovativo

Leia mais

Aplicação Administrativa de Gestão

Aplicação Administrativa de Gestão Aplicação Administrativa de Gestão DIAGNIMAGEM, Sociedade Unipessoal, Lda Clínica de Exames e Diagnósticos de Imagiologia A Empresa é constituída por 4 departamentos: Gerência (1) Administrativo/ Contabilidade

Leia mais

Soluti Orientações SIOPS 22/03/2013 SOLUTI

Soluti Orientações SIOPS 22/03/2013 SOLUTI SOLUTI Orientações para a Emissão do Certificado Digital, tipo A3, Pessoa Física, com Financiamento pelo Ministério da Saúde para Operadores da Funcionalidade Restrita do Sistema de Informações sobre Orçamentos

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA ESCRITÓRIO CONTÁBIL CAIRES

MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA ESCRITÓRIO CONTÁBIL CAIRES MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA ESCRITÓRIO CONTÁBIL CAIRES Por: Douglas Adolpho Maicon F. Campos COMO BAIXAR EMISSOR DE NF-e (novo!). Acesse o site da Secretária do Governo do Estado de São Paulo (www.fazenda.sp.gov.br/nfe),

Leia mais

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Versão 1.4 Agosto/2008 Manaus/AM Sumário Apresentação... 2 Requisitos... 3 Credenciamento... 4 Fase de Homologação... 5 o Fase de Testes... 5 o Fase de Emissão

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Sistemas de Informação 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Sistemas de Informação 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Sistemas de Informação 2011-2 SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA Alunos: WERNECK,

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CERTIFICAÇÃO DIGITAL MANUAL PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DIGITAL P.J.

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CERTIFICAÇÃO DIGITAL MANUAL PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DIGITAL P.J. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CERTIFICAÇÃO DIGITAL MANUAL PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DIGITAL P.J. Solicitação Emissão Download da cadeia de certificação CAIXA Instalação do gerenciador Maio/2009 ÍNDICE 1 Solicitação...

Leia mais

Manual de. instalação. Certificado Digital A1 ou S1

Manual de. instalação. Certificado Digital A1 ou S1 Manual de instalação Certificado Digital A1 ou S1 Sumário O que é? 3 Aplicação 3 Preparando sua máquina 4 1ª configuração: Sistemas Homologados 4 2ª configuração: Perfil de usuário 4 3ª configuração: Hierarquias

Leia mais

Lei do Imposto. Dezembro

Lei do Imposto. Dezembro Lei do Imposto Dezembro 2014 Guia para adaptação do sistema Wingas à Lei do Imposto 2.741/2012. Compatível com as versões 1.8.5 e posteriores. Atualizado em: 16/12/2014. 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2 1.1 OBJETIVOS

Leia mais

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 . Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 1 - INTRODUÇÃO O NEXCODE VIEW, também conhecido como NEXVIEW, é um sistema que foi desenvolvido pela Nexcode Systems e tem por

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE Termo de Referência para Contratação de Serviço de Consultoria (Pessoa Jurídica) para Reestruturação do Portal da Transparência

Leia mais

Mídia Brasil Online Manual do Usuário

Mídia Brasil Online Manual do Usuário 1) Menu Principal O Menu Principal se estende no topo da tela do MBO, apresentando as seguintes opções: Clicar sobre cada uma dessas opções permite o acesso às diferentes seções do site. 2) Funções do

Leia mais

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Geração e transmissão de NF-e Após preencher os dados da nota fiscal, se não houver alguma informação faltando, o sistema sugere a geração do arquivo texto necessário

Leia mais