AUDITOR FISCAL DA RECEITA MUNICIPAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3009 - AUDITOR FISCAL DA RECEITA MUNICIPAL"

Transcrição

1 PORTUGUÊS Leia o texto para responder às questões de 01 a 06: Qual o profissional que o mercado de trabalho atual procura? O mercado de trabalho está exigente e busca, cada vez mais, profissionais qualificados e diferenciados com extenso conhecimento técnico. Nesse cenário, faltam candidatos preparados para ocupar as vagas disponíveis, mesmo sobrando pessoas à procura de emprego. A taxa de desemprego total da população economicamente ativa da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) ficou em 6,5%, em março. No período, estima-se que 124 mil pessoas estivessem nessa situação. O resultado da baixa taxa é um menor número de trabalhadores qualificados disponíveis no mercado. Pessoas com conhecimento técnico e prontas para assumir as vagas em aberto são a maior carência do mercado de trabalho atual, observa a diretora de Desenvolvimento Humano da ABRH-RS, Maria da Graça Costi. Ela completa que o mercado exige que o profissional esteja aberto ao aprendizado, seja rápido e se adapte facilmente ao ambiente onde vai trabalhar. É preciso também ter visão sistêmica, uma amplitude perceptiva. Saber enxergar os problemas do ambiente, mesmo estando dentro dele, destaca. Outro fator que está aumentando o déficit é a relação desigual entre a chamada Geração Y e o mercado de trabalho. Os jovens são muito ágeis e aprendem tudo rapidamente. Porém, algumas empresas acabam perdendo esses funcionários por não oferecerem material para trabalho no ritmo em que eles procuram. Os jovens desejam ser constantemente desafiados e querem novidades a todo instante. Ainda, há mudanças no método de seleção. Apesar de o modo convencional ser o mais utilizado, as redes sociais funcionam como complemento na hora de contratar um funcionário. Os perfis pessoais na internet trazem informações adicionais e mostram mais a personalidade do candidato, levando o contratante a melhor estudar o perfil do profissional e avaliar se ele se encaixa nos requisitos exigidos pelo cargo. Informações do site PQN QUESTÃO 01 Não se pode interpretar como uma ideia do texto: A) Mesmo existindo vagas de emprego em alguns setores, não há profissionais qualificados para preenchê-las; B) A maior carência do mercado atual são vagas de empregos para as pessoas qualificadas, com formação e aptidão para atender à demanda exigida pelo mercado; C) Além de conhecimento técnico, o mercado exige do profissional abertura ao aprendizado e capacidade de adaptação às diversas situações no ambiente de trabalho; D) Muitas empresas não seguem o ritmo dos jovens e acabam perdendo esses profissionais, que são ágeis e dinâmicos; E) Hoje as redes sociais também são utilizadas no momento da seleção do funcionário. QUESTÃO 02 Assinale a opção em que há erro na indicação da classe gramatical da palavra destacada: A)..., mesmo sobrando pessoas à procura de emprego. - Substantivo; B) Pessoas com conhecimento técnico e prontas para assumir as vagas em aberto são a maior carência do mercado de trabalho atual - Adjetivo; C)...seja rápido e se adapte facilmente ao ambiente onde vai trabalhar. - Advérbio de lugar; D) Outro fator que está aumentando o déficit é a relação desigual entre a chamada Geração Y e o mercado de trabalho. - Pronome relativo; E)...levando o contratante a melhor estudar o perfil do profissional e avaliar se ele se encaixa nos requisitos exigidos pelo cargo. - Conjunção condicional. Página 1 de 10

2 QUESTÃO 03 Marque a opção em que há a correlação correta entre o termo destacado e a função sintática exercida: A) Nesse cenário, faltam candidatos preparados para ocupar as vagas disponíveis... - Aposto; B) mesmo sobrando pessoas à procura de emprego. - Adjunto adnominal; C) O resultado da baixa taxa é um menor número de trabalhadores qualificados disponíveis no mercado. - Sujeito; D) Saber enxergar os problemas do ambiente,... - Objeto indireto; E) avaliar se ele se encaixa nos requisitos exigidos pelo cargo. - Agente da passiva. QUESTÃO 04 O primeiro período do texto O mercado de trabalho está exigente e busca, cada vez mais, profissionais qualificados e diferenciados com extenso conhecimento técnico. É: QUESTÃO 06 Assinale a opção em que a vírgula no texto é usada para separar uma oração subordinada adverbial anteposta à principal: A) Nesse cenário, faltam candidatos preparados para ocupar as vagas disponíveis... B) No período, estima-se que 124 mil pessoas estivessem nessa situação. C) Ela completa que o mercado exige que o profissional esteja aberto ao aprendizado, seja rápido e se adapte facilmente ao ambiente onde vai trabalhar. D) Porém, algumas empresas acabam perdendo esses funcionários por não oferecerem material para trabalho no ritmo em que eles procuram. E) Apesar de o modo convencional ser o mais utilizado, as redes sociais funcionam como complemento na hora de contratar um funcionário. Anotações A) Composto por subordinação, com uma oração principal e uma subordinada adverbial causal; B) Composto por coordenação, formado por duas orações coordenadas sindéticas aditivas; C) Misto, formado por uma oração coordenada sindética aditiva e uma oração principal; D) Composto por coordenação, formado por uma oração coordenada assindética e uma oração coordenada sindética aditiva; E) Composto por subordinação, formado por uma oração principal e uma oração subordinada substantiva apositiva. QUESTÃO 05 Em: Porém, algumas empresas acabam perdendo esses funcionários por não oferecerem material para trabalho no ritmo em que eles procuram. O elemento coesivo destacado estabelece uma relação de: A) Adição; B) Comparação; C) Explicação; D) Oposição; E) Conclusão. Página 2 de 10

3 Os textos servirão de base para as questões de 07 a 11: TEXTO I O Casamento de Jacó Já fazia um mês que Jacó estava na casa de Labão, 15 quando este lhe disse: Só por ser meu parente você vai trabalhar de graça? Diga-me qual deve ser o seu salário. 16 Ora, Labão tinha duas filhas; o nome da mais velha era Lia, e o da mais nova, Raquel. 17 Lia tinha olhos meigos[c], mas Raquel era bonita e atraente. 18 Como Jacó gostava muito de Raquel, disse: Trabalharei sete anos em troca de Raquel, sua filha mais nova. 19 Labão respondeu: Será melhor dá-la a você do que a algum outro homem. Fique aqui comigo. 20 Então Jacó trabalhou sete anos por Raquel, mas lhe pareceram poucos dias, pelo tanto que a amava. 21 Então disse Jacó a Labão: Entregue-me a minha mulher. Cumpri o prazo previsto e quero deitar-me com ela. 22 Então Labão reuniu todo o povo daquele lugar e deu uma festa. 23 Mas quando a noite chegou, deu sua filha Lia a Jacó, e Jacó deitou-se com ela. 24 Labão também entregou sua serva Zilpa à sua filha, para que ficasse a serviço dela. 25 Quando chegou a manhã, lá estava Lia. Então Jacó disse a Labão: Que foi que você me fez? Eu não trabalhei por Raquel? Por que você me enganou? 26 Labão respondeu: Aqui não é costume entregar em casamento a filha mais nova antes da mais velha. 27 Deixe passar esta semana de núpcias e lhe daremos também a mais nova, em troca de mais sete anos de trabalho. 28 Jacó concordou. Passou aquela semana de núpcias com Lia, e Labão lhe deu sua filha Raquel por mulher. 29 Labão deu a Raquel sua serva Bila, para que ficasse a serviço dela. 30 Jacó deitou-se também com Raquel, que era a sua preferida. E trabalhou para Labão outros sete anos. (Gênesis, 29; 14-28) TEXTO II "Sete anos de pastor Jacó servia Labão, pai de Raquel, serrana bela; Mas não servia ao pai, servia a ela, Que a ela só por prêmio pretendia. Os dias, na esperança de um só dia, Passava, contentando-se com vê-la; Porém o pai, usando de cautela, Em lugar de Raquel lhe dava Lia. Vendo o triste pastor que com enganos Lhe fora assim negada a sua pastora, Como se a não tivera merecida, Começa de servir outros sete anos, Dizendo: - Mais servira, se não fora Para tão longo amor, tão curta vida!" (Luís Vaz de Camões) QUESTÃO 07 Sobre os textos é incorreto afirmar: A) Há intertextualidade entre o texto de Camões e o texto bíblico; B) A tipologia textual do primeiro texto é a narrativa; C) O texto II é um soneto, pois é um poema de forma fixa formado de dois quartetos e dois tercetos; D) O texto II é um plágio do texto I, apenas diversificando o gênero; E) A linguagem que predomina no texto I é a linguagem denotativa. QUESTÃO 08 No texto II, no verso Para tão longo amor, tão curta vida!"- A figura de linguagem que aparece é: A) Antítese; B) Pleonasmo; C) Metáfora; D) Comparação; E) Metonímia. Página 3 de 10

4 QUESTÃO 09 Em: Labão também entregou sua serva Zilpa à sua filha, para que ficasse a serviço dela. Há um exemplo de uso facultativo da crase. Assinale a opção em que há o uso da crase de mesma ocorrência do texto: QUESTÃO 14 Assinale a opção em que a palavra não está de acordo com o Novo Acordo Ortográfico: A) Então pôs-se Jacó a caminho e foi à terra do povo do oriente; B) À noite, Labão deu uma festa de casamento; C) Labão deu à Raquel uma escrava; D) Jacó foi à procura de Raquel; E) Jacó voltou à casa de Labão. QUESTÃO 10 No texto I, em sua narração, o autor utiliza: A) Discurso indireto; B) Discurso citado; C) Discurso direto; D) Discurso alheio; E) Discurso indireto livre. QUESTÃO 11 Marque a opção em que todas as palavras do texto estão separadas corretamente: A) O-ra, duas, ma-is, sua; B) Ou-tro, di-as, pou-cos, re-u-ni-u; C) De-u, fes-ta, che-gou, fi-ca-sse; D) Pas-sar, ser-vi-a; ser-ra-na, pre-ten-di-a; E) Ca-u-te-la, as-sim, pa-i, Li-a. QUESTÃO 12 Assinale a alternativa que não condiz com a norma padrão no tocante à sintaxe de concordância: A) És tu quem murmura nas águas / És tu quem respira por mim ; B) Os Estados Unidos tenta uma demonstração particular nas Olimpíadas; C) O sino da matriz bateu seis horas; D) Eram quase oito horas quando ela chegou; E) Deram seis horas no sino da matriz. QUESTÃO 13 Marque a opção em que a regência verbal está de acordo com a Gramática Normativa: A) Assisti o jogo no estádio; B) O diretor chamou-lhe para uma reunião; C) O patrão pagou-lhe todas as verbas rescisórias; D) Esqueceu dos deveres religiosos que aprendera; E) Ele o obedecia com veemência. A) Ideia; B) Inter-relação; C) Microeletrônica; D) Minissérie; E) Auto-ajuda. QUESTÃO nº / Senhor (nome do destinatário) (cargo) (empresa ou órgão) Eu, (nome), brasileiro, (estado civil), (profissão), inscrito no CPF sob o nº (informar), residente e domiciliado à (informar endereço), sirvo-me do presente para solicitar a Vossa Excelência (descreva sua solicitação) com a finalidade de (descrever o fim a que se deve o pedido). Limitado ao exposto, fique com meus votos de estima e consideração. (localidade), (dia) de (mês) de (ano) (assinatura) (seu nome) O modelo de Redação Oficial acima é de: A) Ofício; B) Relatório; C) Memorando; D) Comunicação; E) Nenhuma das alternativas anteriores está correta. Página 4 de 10

5 RACIOCÍNIO LÓGICO QUESTÃO 16 Considere os dois grupos de proposições abaixo: GRUPO I (1) Todos os matemáticos são cientistas; (2) Alguns matemáticos são professores; (3) Alguns cientistas são filósofos; (4) Todos os filósofos são cientistas ou professores; (5) Nem todo professor é cientista. GRUPO II (6) Alguns matemáticos são filósofos; (7) Nem todo filósofo é cientista; (8) Alguns filósofos são professores; (9) Se um filósofo não é matemático, ele é professor; (10) Alguns filósofos são matemáticos. Tomando as cinco primeiras afirmativas como hipóteses, as afirmativas do segundo grupo necessariamente verdadeiras são: A) Somente 6 e 7; B) Somente 6, 7 e 8; C) Somente 9; D) Somente 8 e 9; E) Somente 9 e 10. QUESTÃO 17 Combate ao fumo (...) No Brasil, dois anos e meio depois da Lei Antifumo ser publicada, a presidenta Dilma Rousseff assinou, neste sábado, o decreto que regulamenta a norma e proíbe o fumo em locais fechados e de uso coletivo, extingue os chamados fumódromos, veta qualquer propaganda de cigarro no país e amplia o tamanho dos alertas nas embalagens do produto (Correio do Brasil.com.br; 31/05/2014) QUESTÃO 18 As proposições a seguir: (1) (p q) (p q) (2) (p ~q) (p q) (3) p (p q) São, respectivamente: A) Contingência, contradição e tautologia; B) Contradição, tautologia e contingência; C) Tautologia, contingência e contradição; D) Tautologia, contradição e contingência; E) Contingência, tautologia e contradição. QUESTÃO 19 Em um estábulo há cabras e bodes. Quando 5 cabras são retiradas, ficam 2 bodes para cada cabra. Em seguida, 25 bodes são retirados, restando 3 cabras para cada bode. O número original de cabras e bodes era de: A) 10; B) 20; C) 30; D) 40; E) 50. QUESTÃO 20 Sejam os dígitos 1, 2, 3, 4, 5 e 6. O número de permutações desses dígitos tomados 4 a 4 que têm o dígito 1 antes do 4 é: A) 72; B) 56; C) 48; D) 60; E) 64. Foi feita uma pesquisa entre os funcionários de uma grande empresa e constatou-se que a média aritmética das idades era de 36 anos. Quando separados em grupos de fumantes e não fumantes, essa média era de 37 anos para o grupo de não fumantes e de 34 anos para o grupo de fumantes. A razão entre o número de não fumantes e de fumantes é: A) 1/2; B) 2; C) 37/34; D) 34/37; E) 36/34 Página 5 de 10

6 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 21 De acordo com o Código Tributário Nacional em seu artigo 185, Presume-se fraudulenta a alienação ou oneração de bens ou rendas por sujeito passivo em débito para com a Fazenda Pública: A) Por crédito tributário ainda não inscrito em dívida ativa, desde que não tenham sido reservados pelo devedor bens ou rendas suficientes ao total pagamento da dívida; B) Por crédito tributário regularmente inscrito em dívida ativa, desde que não tenham sido reservados pelo devedor bens ou rendas suficientes ao total pagamento da dívida inscrita; C) Por crédito tributário regularmente inscrito em dívida ativa, mesmo que tenham sido reservados pelo devedor bens ou rendas suficientes ao total pagamento da dívida inscrita; D) Por crédito tributário ainda não inscrito em dívida ativa, objeto de impugnação administrativa oferecida pelo contribuinte; E) Todas as alternativas anteriores estão corretas. QUESTÃO 22 Lei municipal que dispõe sobre o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU estabelece a solidariedade entre os proprietários de um mesmo imóvel. Os efeitos da solidariedade estão listados nas opções a seguir, à exceção de uma. Assinale-a: A) A interrupção da decadência, em favor ou contra um dos obrigados, favorece ou prejudica os demais. B) A interrupção da prescrição, em favor ou contra um dos obrigados, favorece ou prejudica aos demais. C) O pagamento efetuado por um dos obrigados aproveita os demais. D) A isenção ou remissão de crédito exonera todos os obrigados, salvo se outorgada pessoalmente a um deles, subsistindo, nesse caso, a solidariedade quanto aos demais pelo saldo. E) Todas as alternativas anteriores estão corretas. QUESTÃO 24 A anistia, conforme o art. 181 do Código Tributário Nacional, pode ser concedida, exceto: A) A atos praticados com simulação pelas pessoas jurídicas beneficiadas; B) Às infrações da legislação relativa a determinado tributo; C) Às infrações punidas com penalidades pecuniárias até determinado montante, conjugadas ou não com penalidades de outra natureza; D) À determinada região do território da entidade tributante, em função da condição a elas peculiares; E) Sob condição do pagamento de tributo no prazo fixado pela Lei que a conceder ou cuja a fixação seja atribuída pela mesma Lei à autoridade administrativa. QUESTÃO 25 Em relação às contas do Ativo e do Passivo, analise os seguintes aspectos: I. O ativo são as origens dos recursos, portanto seu saldo é devedor; II. O passivo são as origens dos recursos, portanto seu saldo é credor pois nele são lançadas as obrigações; III. O passivo são as aplicações dos recursos, portanto seu saldo é credor e classificado pelo seu grau de exigibilidade; IV. O ativo são as origens dos recursos, portanto seu saldo é credor; V. O ativo é o lado positivo, seu saldo é devedor e está classificado pelo seu de exigibilidade enquanto o passivo é o lado negativo do patrimônio seu saldo é credor e está classificado pelo seu grau de liquidez. Marque a opção correta: A) Apenas os itens I, III e V estão corretos; B) Apenas os Itens II, IV e V estão corretos; C) Somente o item III está correto; D) Apenas os itens II, III e V estão corretos; E) Somente o Item II está correto. QUESTÃO 23 São exemplos de impostos Federais, de competência da União, EXCETO: A) Imposto de Renda Pessoa Jurídica; B) Imposto sobre Operações financeiras; C) Impostos sobre produtos Industrializados; D) Impostos transmissão causa mortis; E) Imposto Propriedade Territorial Rural. Página 6 de 10

7 QUESTÃO 26 De acordo com a Lei 11638/07 as contas do Ativo dividem-se em: A) Ativo Circulante, Ativo Não Circulante e Ativo Permanente; B) Disponível, Ativo circulante, Ativo Não Circulante, Ativo Permanente e Ativo diferido; C) Ativo Circulante e Ativo Não circulante; D) Ativo Circulante, Ativo não Circulante e Diferido; E) Ativo Circulante, Ativo Não Circulante e Ativo Imobilizado. QUESTÃO 27 De acordo com a Lei 11638/07 as contas do Passivo dividem-se em: A) Passivo Circulante, Passivo Não Circulante e Patrimônio Líquido; B) Passivo Circulante, Passivo Não Circulante; C) Passivo Exigível a Curto Prazo, Passivo exigível a longo Prazo e Patrimônio Líquido; D) Passivo Exigível e Patrimônio Líquido; E) Passivo Exigível e Capital Social. QUESTÃO 28 A Lei 11638/07 Instituiu a Demonstração do Fluxo de Caixa como obrigatória em lugar da Demonstração do (a): A) Demonstração do Resultado do Exercício; B) Demonstração da Mutação do Patrimônio Líquido; C) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos; D) Balanço Patrimonial; E) Demonstração do Valor Agregado. QUESTÃO 29 Na Escrituração contábil, o lançamento feito na Venda de mercadoria à vista é: A) Débito de Caixa e Crédito de Mercadorias; B) Débito de Mercadorias e Crédito de Caixa; C) Débito do Custo da Mercadoria Vendida e Crédito de Caixa; D) Débito de Caixa e Crédito de Receitas de Vendas à Vista; E) Débito de Caixa e Crédito de Fornecedores. QUESTÃO 30 Uma Empresa Comercial optante pelo Lucro presumido que teve um faturamento Bruto trimestral de R$ ,00, vai pagar de imposto de Renda Pessoa Jurídica: A) R$ 1.500,00; B) R$ ,00; C) R$ ,00; D) R$ 4.000,00; E) R$ 1.200,00. QUESTÃO 31 A alíquota da Contribuição para o FINSOCIAL (COFINS) para as empresas optante pelo lucro Real é de: A) 0,65%; B) 3,00%; C) 7,60%; D) 1,50%; E) 4,00%. QUESTÃO 32 Qual transação que poderá trazer efeito negativo para o índice de liquidez imediata: A) Venda de Ativo Imobilizado à vista; B) Recebimento de vendas de mercadorias à vista; C) Recebimento do saldo de clientes; D) Captação de um empréstimo bancário com vencimento em 10 meses; E) Aumento do Capital Social. QUESTÃO 33 Calcule os juros simples de um capital de R$ ,00, aplicado durante 5 meses, à taxa de 10% ao mês: A) R$ 500,00; B) R$ 5.000,00; C) R$ 5,00; D) R$ 50,00; E) R$ 1.000,00. QUESTÃO 34 Qual a taxa mensal cobrada de um capital de R$ 1.000,00, que rendeu um juro simples de R$ 300,00 no período de 1 ano? A) 2,5% ao mês; B) 0,025 ao ano; C) 25% ao mês; D) 2,5% ao ano; E) 25% ao ano. Página 7 de 10

8 QUESTÃO 35 Calcule o Montante de um capital de R$ 500,00 aplicado em 2 trimestres a taxa a juros simples de 5% ao mês. A) R$ 150,00; B) R$125,00; C) R$ 50,00; D) R$650,00; E) R$ 625,00. QUESTÃO 36 Qual o montante de um capital de R$ ,00, investido a taxa de juros compostos de 5% ao mês durante 5 meses? A) R$ ,00; B) R$ ,00; C) R$ ,60; D) R$ ,60; E) R$ ,00. QUESTÃO 37 Um imóvel financiado em 4 meses a taxa de 5% ao mês custará R$ ,00. Se o cliente pagar à vista qual será o valor presente do imóvel? A) R$ ,00; B) R$ ,00; C) R$ ,00; D) R$ ,00; E) R$ ,00. QUESTÃO 38 Sobre o conceito de Análise de Balanços leia as opções abaixo: I. A análise de balanço tem por finalidade identificar fatores positivos ou negativos sobre a saúde financeira e administrativa das empresas nos números divulgados em suas demonstrações financeiras; II. As empresas que possuem políticas administrativas mais transparentes divulgam seus balanços anuais somente no final do exercício para cumprir as exigibilidades do Fisco Federal; III. As análises das demonstrações contábeis de uma empresa têm como finalidade comparar valores de seus resultados com mesmo período do ano anterior para determinar se houve evolução nos resultados da empresa; IV. A análise de balanços é uma ferramenta que por objetivo apenas saber se as demonstrações foram elaboradas corretamente pela contabilidade, não se interessando em conhecer a evolução dos indicadores. Assinale a alternativa correta: A) Todos os itens estão corretos; B) Apenas os itens I, II e III estão corretos; C) Somente o item IV está correto; D) Apenas os itens I e III estão corretos; E) Todos os itens estão incorretos. QUESTÃO 39 A taxa anual equivalente a 2% ao mês correspondente a: A) 24%; B) 26,82%; C) 12%; D) 15%; E) 6%. QUESTÃO 40 Os ativos são registrados contabilmente pelo seu valor original de entrada, este princípio contábil é: A) Princípio da competência; B) Princípio da Realização; C) Princípio do Custo Histórico com Base de Valor; D) Princípio da Entidade; E) Princípio da Atualização Monetária. Página 8 de 10

9 QUESTÃO 41 De acordo com a Lei /07 não faz parte do subgrupo do Patrimônio Líquido: A) Reserva de Capital; B) Ajuste de Avaliação Patrimonial; C) Resultado do exercício Futuro; D) Reservas de Lucro; E) Prejuízo acumulado. QUESTÃO 42 Na Demonstração do Resultado do Exercício de uma empresa comercial o Lucro bruto é apurado da seguinte maneira: A) Receita Bruta deduzindo as devoluções e o Custo da mercadoria vendida; B) Receita Líquida deduzindo as devoluções e o Custo da mercadoria vendida; C) Receita Bruta deduzindo as despesas operacionais e o Custo da mercadoria vendida; D) Receita Bruta deduzindo as Despesas Financeiras e o Custo da mercadoria vendida; E) Receita Bruta deduzindo as devoluções e todas as despesas administrativas. QUESTÃO 43 Nas empresas Prestadoras de serviços optantes pelo lucro presumido, a base de cálculo e a alíquota da Contribuição Sobre o lucro Líquido (CSLL) é respectivamente: A) 9% e 12%; B) 32% e 9%; C) 12% e 9%; D) 9% e 32%; E) 8% e 12%. QUESTÃO 44 Um dos sócios de uma determinada empresa resolve pagar a conta do supermercado de sua casa, utilizando o cartão de débito de propriedade dessa empresa. A atitude tomada por este sócio fere o princípio contábil da(o): QUESTÃO 45 Um determinado funcionário trabalhou numa empresa no período de dezembro/x1, contudo o mesmo recebeu seu salário no mês de janeiro/x2. A contabilização dessa despesa foi realizada ainda em dezembro/x1, essa contabilização está em conformidade com o princípio da: A) Princípio da Continuidade; B) Princípio da Oportunidade; C) Princípio da Atualização Monetária; D) Princípio da Entidade; E) Princípio da Competência. QUESTÃO 46 Para encontrar o índice de Liquidez seca, é utilizada a seguinte formula: A) Ativo Circulante / Passivo Circulante; B) (Ativo Circulante - Estoques) / Passivo Circulante; C) (Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo) / Exigível Total; D) Ativo circulante / Patrimônio líquido; E) Estoques / Custo da Mercadoria Vendida. QUESTÃO 47 Não faz parte do subgrupo do Ativo Circulante a seguinte conta: A) Fornecedores; B) Caixa; C) Clientes; D) Bancos; E) Estoques. QUESTÃO 48 Não faz parte do subgrupo do Passivo Circulante a seguinte conta: A) Fornecedores; B) Salários a pagar; C) Empréstimo Bancário a curto prazo; D) Impostos a pagar; E) Estoques. A) Princípio da Continuidade; B) Princípio da Oportunidade; C) Princípio da Atualização Monetária; D) Princípio da Entidade; E) Princípio da Competência. Página 9 de 10

10 QUESTÃO 49 A conta que faz parte do disponível da empresa é: A) Banco conta movimento; B) Móveis e utensílios; C) Clientes; D) Veículos; E) Estoques. QUESTÃO 50 De acordo com a Lei 11638/07 Não faz parte do subgrupo do Ativo Não Circulante a seguinte conta: A) Imobilizado: B) Investimentos; C) Recebíveis Longo Prazo; D) Diferido; E) Marcas e Patentes AUDITOR FISCAL DA RECEITA MUNICIPAL Página 10 de 10

3008 - AUDITOR DE CONTROLE INTERNO

3008 - AUDITOR DE CONTROLE INTERNO PORTUGUÊS Leia o texto para responder às questões de 01 a 06: Qual o profissional que o mercado de trabalho atual procura? O mercado de trabalho está exigente e busca, cada vez mais, profissionais qualificados

Leia mais

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro Contabilidade e Balanço Patrimonial Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio

Leia mais

3006 - ASSISTENTE SOCIAL

3006 - ASSISTENTE SOCIAL PORTUGUÊS Leia o texto para responder às questões de 01 a 06: Qual o profissional que o mercado de trabalho atual procura? O mercado de trabalho está exigente e busca, cada vez mais, profissionais qualificados

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte TEORIA DA CONTABILIDADE 1. CONTA: Conta é o nome técnico que identifica cada componente patrimonial (bem, direito ou obrigação), bem como identifica um componente de resultado (receita ou despesas). As

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA DISTRIBUIÇÃO DA APRESENTAÇÃO - Aspectos Conceituais - Definições Teóricas e Acadêmicas

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

4033 ao 4040 - PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II - ARTE-EDUCAÇÃO

4033 ao 4040 - PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II - ARTE-EDUCAÇÃO PORTUGUÊS 4033 ao 4040 - PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II - ARTE-EDUCAÇÃO Leia o texto para responder às questões de 01 a 06: Qual o profissional que o mercado de trabalho atual procura? O mercado de

Leia mais

Direito Tributário 8. Capacidade tributária. 9. Domicílio tributário.

Direito Tributário 8. Capacidade tributária. 9. Domicílio tributário. Direito Tributário 8. Capacidade tributária. 9. Domicílio tributário. Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com Capacidade Passiva x Convenções Particulares: Salvo disposições de lei em contrário,

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 7 Instrução Normativa SRF nº 213, de 7 de outubro de 2002 DOU de 8.10.2002 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

CONTABILIDADE TÓPICOS AVANÇADOS

CONTABILIDADE TÓPICOS AVANÇADOS CONTABILIDADE TÓPICOS AVANÇADOS Olá, pessoal. Com a autorização para a realização do concurso da Receita Federal, vários candidatos que já fizeram algum tipo de curso de contabilidade (inclusive conosco),

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2006 e 1 o semestre letivo de 2007 CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Verifique se este caderno contém:

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

APURAÇÃO DO RESULTADO (1)

APURAÇÃO DO RESULTADO (1) APURAÇÃO DO RESULTADO (1) Isnard Martins - UNESA Rodrigo de Souza Freitas http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/rodrigosfreitas/conhecendocontabilidade012.asp 1 Apuração do Resultado A maioria das

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Introdução Já sabemos que o Patrimônio é objeto da contabilidade, na qual representa o conjunto de bens, diretos e obrigações. Esta definição é muito importante estar claro

Leia mais

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo

Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo Medida Provisória 627/13 Giancarlo Matarazzo 2 de Dezembro de 2013 1 Evolução Histórica Introdução no Brasil de regras contábeis compatíveis com os padrões internacionais de contabilidade IFRS Essência

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Pedro@ananadvogados.com.br

Pedro@ananadvogados.com.br Pedro@ananadvogados.com.br Sócio de Anan Advogados Especialista em Direito Empresarial pela PUC-SP MBA Controller pela FEA-USP Membro da Diretoria Jurídica da ANEFAC Diretor do Conselho Consultivo da APET

Leia mais

No concurso de São Paulo, o assunto aparece no item 27 do programa de Contabilidade:

No concurso de São Paulo, o assunto aparece no item 27 do programa de Contabilidade: Olá, pessoal! Como já devem ter visto, dois bons concursos estão na praça: Fiscal do ISS de São Paulo e Auditor Fiscal do Ceará. As bancas são, respectivamente, a Fundação Carlos Chagas (FCC) e a Escola

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

NBC T 19.4 - Subvenção e Assistência Governamentais Pronunciamento Técnico CPC 07

NBC T 19.4 - Subvenção e Assistência Governamentais Pronunciamento Técnico CPC 07 NBC T 19.4 - Subvenção e Assistência Governamentais Pronunciamento Técnico CPC 07 José Félix de Souza Júnior Objetivo e Alcance Deve ser aplicado na contabilização e na divulgação de subvenção governamental

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO FICHA DE RESPOSTA AO RECURSO CARGO: TÉCNICO DA FAZENDA MUNICIPAL

CONCURSO PÚBLICO FICHA DE RESPOSTA AO RECURSO CARGO: TÉCNICO DA FAZENDA MUNICIPAL CARGO: TÉCNICO DA FAZENDA MUNICIPAL QUESTÃO Nº 13 Gabarito divulgado: D Mantemos o gabarito apresentado na alternativa D. A candidata indicou a alternativa correta, ou seja a alternativa D. Recurso improcedente.

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA www.editoraferreira.com.br CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena 6.1. Balanço Patrimonial Desde o início de nosso curso, vimos tratando sobre Balanço Patrimonial apenas

Leia mais

Questões de Concursos Tudo para você conquistar o seu cargo público www.qconcursos.com ]

Questões de Concursos Tudo para você conquistar o seu cargo público www.qconcursos.com ] 01 - Q223454A contabilidade foi definida no I Congresso Brasileiro de Contabilidade como: a ciência que estuda e pratica as funções de orientação, controle e registro relativo aos atos e fatos da administração

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes

Leia mais

Neste artigo comentarei 06 (seis) questões da ESAF, para que vocês, que estão estudando para a Receita Federal, façam uma rápida revisão!!

Neste artigo comentarei 06 (seis) questões da ESAF, para que vocês, que estão estudando para a Receita Federal, façam uma rápida revisão!! Olá concurseiros (as)! Neste artigo comentarei 06 (seis) questões da ESAF, para que vocês, que estão estudando para a Receita Federal, façam uma rápida revisão!! Vamos lá!!! 01. (ESAF Analista da Receita

Leia mais

Prezado(a) Concurseiro(a),

Prezado(a) Concurseiro(a), Prezado(a) Concurseiro(a), A prova do TCM/RJ foi realizada no último final de semana e vou aproveitar para resolver as questões de Contabilidade Geral de forma simplificada e objetiva (nos cursos online,

Leia mais

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 Receitas x Despesas Podemos conceituar receitas como todos os recursos, em princípio, provenientes da venda de

Leia mais

. Natureza de saldo das contas

. Natureza de saldo das contas . Natureza de saldo das contas Introdução Prezado candidato/aluno é de extrema importância entendermos a natureza de saldo das contas em contabilidade, em razão disse devemos separar as contas patrimoniais

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA EVIDENCIAÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO DECORRENTE DE ADIÇÕES INTERTEMPORAIS E DE PREJUÍZO FISCAL NAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

A RELEVÂNCIA DA EVIDENCIAÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO DECORRENTE DE ADIÇÕES INTERTEMPORAIS E DE PREJUÍZO FISCAL NAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHO TÍTULO: A RELEVÂNCIA DA EVIDENCIAÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO DECORRENTE DE ADIÇÕES INTERTEMPORAIS E DE PREJUÍZO FISCAL NAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS AUTOR: JOSÉ ANTONIO DE FRANÇA

Leia mais

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 No dia 3 de dezembro de 2008, foi editada a Medida Provisória nº 449,

Leia mais

1. Controle de exercício

1. Controle de exercício 1 1. Controle de exercício Para realizar lançamentos e emitir relatório o módulo Contabil obriga a criação de exercícios, que na verdade representam os anos de atividade da empresa. Confira algumas dicas

Leia mais

Obrigações. Fornecedores 45.000. Salários a pagar 75.000. Impostos a recolher 20.000. Patrimônio Líquido. Capital Social 100.000. Reservas 30.

Obrigações. Fornecedores 45.000. Salários a pagar 75.000. Impostos a recolher 20.000. Patrimônio Líquido. Capital Social 100.000. Reservas 30. Você acessou como Administrador Usuário (Sair) Info Resultados Visualização prévia Modificar Visualização prévia de Contabilidade Geral Iniciar novamente 1 Considerando: I- A contabilidade estuda e controla

Leia mais

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO 2 -DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS. OBJETIVO E CONTEÚDO Os objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis podem ser variados. Cada grupo de usuários pode ter objetivos específicos para analisar as Demonstrações

Leia mais

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008)

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) As Demonstrações Financeiras de 2007 do Berj foram publicadas no dia 22 de agosto de 2008, após serem auditadas PricewatershouseCoopers Auditores Independentes.

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II A leitura complementar tem como objetivo reforçar os conteúdos estudados e esclarecer alguns assuntos que facilitem a compreensão e auxiliem na elaboração da atividade.

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Montando o fluxo de caixa pelo método indireto Situações especiais na montagem do fluxo de caixa Caso prático completo Como utilizar os quadros

Leia mais

CAPÍTULO II TRATAMENTO TRIBUTÁRIO APLICÁVEL

CAPÍTULO II TRATAMENTO TRIBUTÁRIO APLICÁVEL CAPÍTULO II TRATAMENTO TRIBUTÁRIO APLICÁVEL 1) Contratos de Curto Prazo 1.1) Definição Contratos de curto prazo são aqueles cuja construção total ou cada unidade da construção deva ser produzida em prazo

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 14 PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 QUESTÃO 31 O Ativo representa um conjunto de: a) bens intangíveis. b) dinheiro na empresa. c) bens para investimento. d) bens e direitos da empresa. QUESTÃO 32 Um pagamento

Leia mais

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL Profª. Cristiane Yoshimura 2013 CONTABILIZAÇÃO DAS CONTAS PATRIMONIAIS DÉBITO E CRÉDITO RAZONETE

Leia mais

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

Tributos sobre o Lucro Seção 29

Tributos sobre o Lucro Seção 29 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1 Informar o lucro líquido do exercício - O montante do lucro líquido do exercício é de R$ 8.511.185,59 (oito

Leia mais

06) Precisa atender o princípio da noventena: 01) Qual ente é destituído de poder para instituir tributo?

06) Precisa atender o princípio da noventena: 01) Qual ente é destituído de poder para instituir tributo? 01) Qual ente é destituído de poder para instituir tributo? a) União b) Estado c) Território Federal d) Distrito Federal 02) Qual diploma normativo é apto para estabelecer normas gerais em matéria de legislação

Leia mais

Contabilidade bem básica

Contabilidade bem básica Contabilidade bem básica Instruções simples para que você possa compreender todo o conteúdo do site. A contabilidade é uma base para os demais. Conceitos de contabilidade básica O que é contabilidade?

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 04 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:

Leia mais

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01 - (ESAF/2012) Analise as proposições a seguir e

Leia mais

Contabilidade Básica

Contabilidade Básica Contabilidade Básica 2. Por Humberto Lucena 2.1 Conceito O Patrimônio, sendo o objeto da Contabilidade, define-se como o conjunto formado pelos bens, pelos direitos e pelas obrigações pertencentes a uma

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009

CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009 Conceito de Contabilidade CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009 Processo de identificar, mensurar e comunicar informações econômicas para permitir julgamentos e decisões fundamentais

Leia mais

EXEMPLOS CONCEITO DE LIQUIDEZ EXEMPLOS BALANÇO PATRIMONIAL; DIVIDIDO EM TRES PARTES; ATIVO; PASSIVO; PATRIMONIO LIQUIDO;

EXEMPLOS CONCEITO DE LIQUIDEZ EXEMPLOS BALANÇO PATRIMONIAL; DIVIDIDO EM TRES PARTES; ATIVO; PASSIVO; PATRIMONIO LIQUIDO; CRITERIOS DE AVALIAÇÃO DO ATIVO E PASSIVO PROF. SERGIO A CENTA. DISCIPLINA; CONTABILIDADE GERAL AULA -3- CRITERIOS DE AVALIAÇÃO DO ATIVO E PASSIVO BALANÇO PATRIMONIAL; DIVIDIDO EM TRES PARTES; ATIVO; PASSIVO;

Leia mais

Curso Extensivo de Contabilidade Geral

Curso Extensivo de Contabilidade Geral Curso Extensivo de Contabilidade Geral Adelino Correia 4ª Edição Enfoque claro, didático e objetivo Atualizado de acordo com a Lei 11638/07 Inúmeros exercícios de concursos anteriores com gabarito Inclui

Leia mais

Análise das Demonstrações Financeiras

Análise das Demonstrações Financeiras UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. Rua: Barão de Camargo, nº. 695 Centro Uberlândia/MG. Telefax: (34) 3223-2100 Análise das Demonstrações

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

BALANÇO DE ABERTURA www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013

BALANÇO DE ABERTURA www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013 SINDICATO DOS CONTABILISTAS ESTADO GOIÁS CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE DE GOIÁS CONVÊNIO CRC-GO / SCESGO BALANÇO DE ABERTURA www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Fonte: Apresentação da Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT do Tesouro Nacional Última Atualização: 14/09/2009 1 Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES. Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES. Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL Auditores Independentes S/S PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL 1. Examinamos os balanços patrimoniais

Leia mais

Análise financeira da carteira de recebíveis

Análise financeira da carteira de recebíveis Análise financeira da carteira de recebíveis Por Carlos Alexandre Sá A análise e interpretação do desempenho da carteira de recebíveis é de extrema importância não só para o pessoal da área financeira,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre a Demonstração do Valor Adicionado DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. A importância da profissão contábil para o mundo dos negócios

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. A importância da profissão contábil para o mundo dos negócios CIÊNCIAS CONTÁBEIS A importância da profissão contábil para o mundo dos negócios A Contabilidade é a linguagem internacional dos negócios. A Contabilidade é, também, a Ciência que registra a riqueza das

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES QUESTÕES 01) Fazem parte do grupo de contas do : A) Duplicatas a Receber Caixa Duplicatas a Pagar. B) Terrenos Banco Conta Movimento Credores Diversos. C) Duplicatas a Pagar Caixa Adiantamentos de Clientes.

Leia mais

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade II DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 3 INTRODUÇÃO 1 2 A demonstração dos fluxos de caixa (DFC), a partir de 01/01/08, passou a ser uma demonstração obrigatória, conforme estabeleceu a lei

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional O tamanho que a micro ou pequena empresa assumirá, dentro, é claro, dos limites legais de faturamento estipulados pela legislação para um ME ou EPP, dependerá do

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

Vamos, então, à nossa aula de hoje! Demonstração de Fluxo de Caixa (2.ª parte) Método Indireto

Vamos, então, à nossa aula de hoje! Demonstração de Fluxo de Caixa (2.ª parte) Método Indireto Olá, pessoal! Aqui estou eu de novo, para continuar o assunto da aula passada: Fluxo de Caixa e Demonstração do Fluxo de Caixa. Assunto da maior importância, que está sendo cobrado nos atuais concursos

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Mário Leitão Estrutura das Demonstrações Financeiras A análise das demonstrações financeiras exige conhecimento do que representa cada conta que nela figura. Há

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II CONTABILIDADE

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II CONTABILIDADE Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade II CONTABILIDADE Contabilidade A disciplina está dividida em quatro unidades. Unidade I 1. Contabilidade Unidade II 2. Balanços sucessivos com operações que envolvem

Leia mais

Contribuinte x Responsável Regulamento do Imposto de Importação e Exportação

Contribuinte x Responsável Regulamento do Imposto de Importação e Exportação Contribuinte x Responsável Regulamento do Imposto de Importação e Exportação Guilherme Ehlers Farias é sócio do escritório Rodrigues, Ehlers & Neves. Formado em Ciências Contábeis no Centro Universitário

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

AS MULHERES DE JACÓ Lição 16

AS MULHERES DE JACÓ Lição 16 AS MULHERES DE JACÓ Lição 16 1 1. Objetivos: Ensinar que Jacó fez trabalho duro para ganhar um prêmio Ensinar que se nós pedirmos ajuda de Deus, Ele vai nos ajudar a trabalhar com determinação para obter

Leia mais

4066 ao 4073 - PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II - HISTÓRIA

4066 ao 4073 - PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II - HISTÓRIA PORTUGUÊS Leia o texto para responder às questões de 01 a 06: Qual o profissional que o mercado de trabalho atual procura? O mercado de trabalho está exigente e busca, cada vez mais, profissionais qualificados

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

O mecanismo de débito x crédito.

O mecanismo de débito x crédito. O mecanismo de débito x crédito. Represente os fatos abaixo, utilizando os balanços sucessivos. 1- Os sócios integralizaram capital social, no valor de R$ 1.000.000, em dinheiro. 2- Compra de veículos,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO Demonstrações Contábeis Em 31

Leia mais

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1 Exercícios de Fixação (Questões de concurso) 1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1.1.1 Concurso para AFRF 2000 prova de contabilidade avançada - Questão 15 ENUNCIADO 15- Aplicações em Investimentos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 Aprova a NBC T 19.2 - Tributos sobre Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA

CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: OTÁVIO SOUZA Olá concurseiros(as)! Neste artigo trarei um pouco de teoria e comentarei algumas questões de provas sobre o tema DAS CONTAS, assunto que costuma ser bastante cobrado pela ESAF. Existem três teorias usuais,

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ORIENTAÇÕES RECEBIDAS DO FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE,

Leia mais

O que é Patrimônio? O PATRIMÔNIO: CONCEITOS E INTERPRETAÇÕES 14/08/2015 O PATRIMÔNIO

O que é Patrimônio? O PATRIMÔNIO: CONCEITOS E INTERPRETAÇÕES 14/08/2015 O PATRIMÔNIO O PATRIMÔNIO: CONCEITOS E INTERPRETAÇÕES Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc O que é Patrimônio? O PATRIMÔNIO Patrimônio é o conjunto de posses, a riqueza de uma pessoa, quer seja ela física ou jurídica,

Leia mais

Noções Básicas de Contabilidade 27-07- 2011

Noções Básicas de Contabilidade 27-07- 2011 Noções Básicas de Contabilidade Aplicada Telefonica 27-07- 2011 0 Apresentação Rogério PROCÓPIO da Cunha Programação Início 14:00 Intervalo 15:30 Retorno 15:50 Conclusão 17:30 Este material poderá ser

Leia mais

Artigo 02 Exercício Comentado - Débito e Crédito PROFESSORA: Ivana Agostinho

Artigo 02 Exercício Comentado - Débito e Crédito PROFESSORA: Ivana Agostinho Caro(a) aluno(a), Tudo bem? Hoje vamos resolver um exercício que aborda o mecanismo contábil do débito e do crédito, assunto que costuma dar um pouquinho de dor de cabeça nos iniciantes... Vou simplificar

Leia mais

ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento

ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento TAX ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento Ativo diferido de imposto de renda da pessoa jurídica e de contribuição social sobre o lucro líquido aspectos fiscais e contábeis Outubro de 2014 1. Noções

Leia mais

Apostila 2 de Contabilidade Geral I. Prof. Ivã C Araújo

Apostila 2 de Contabilidade Geral I. Prof. Ivã C Araújo Apostila 2 de Contabilidade Geral I Prof. Ivã C Araújo 2013 Sumário 1 Procedimentos Contábeis... 3 1.1 Escrituração contábil... 3 1.1.1 Lançamentos Contábeis... 3 1.1.1.1 Fórmulas de Lançamentos... 3 1.2

Leia mais

Conceito de Contabilidade

Conceito de Contabilidade !" $%&!" #$ "!%!!&$$!!' %$ $(%& )* &%""$!+,%!%!& $+,&$ $(%'!%!-'"&!%%.+,&(+&$ /&$/+0!!$ & "!%!!&$$!!' % $ $(% &!)#$ %1$%, $! "# # #$ &&$ &$ 0&$ 01% & $ #$ % & #$&&$&$&* % %"!+,$%2 %"!31$%"%1%%+3!' #$ "

Leia mais

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis Introdução l 1. l Um breve histórico l l.2 Definição do termo Contabilidade 2 1.3 O processo contábil 3 1.3.1 Posicionamento do contador em relação à empresa 4 l.4 Ramos de atuação da Contabilidade 5 l.4.

Leia mais