Órgão de Comunicação Oficial da PMT R$ 2,00 Ano Nº de janeiro de 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Órgão de Comunicação Oficial da PMT R$ 2,00 Ano 2012 - Nº 1.437-13 de janeiro de 2012"

Transcrição

1 DIÁRIO OFICIAL Prefeitura Municipal de Teresina DO MUNICÍPIO - DOM Órgão de Comunicação Oficial da PMT R$ 2,00 Ano Nº de janeiro de 2012 Atos do Poder Legislativo LEI COMPLEMENTAR Nº 4.215, DE 6 DE JANEIRO DE Altera dispositivos e inclui o art. 31-B na Lei Co mple men tar nº 3.748, de 4 de abril de 2008 (Plano de cargos e salários do Auditor- Fiscal da Receita Municipal AFRM), modificada, em especial, pela Lei Complementar nº 3.952, de 17 de dezembro de 2009, pela Lei Complementar nº 4.007, de 10 de junho d e 2010 e p ela Lei Co mple men tar n 4.121, de 25 de maio de O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí Faço saber que a Câmara Municipal de Teresina aprovou e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: Art. 1º O art. 1º da Lei Complementar nº 3.748, de , passa a vigorar acrescido do 4º, com a seguinte redação: Art.1º º A carreira de Auditor-Fiscal da Receita Municipal é regida pelos princípios da Administração Pública, consubstanciados na Constituição Federal, especialmente a legalidade, a supremacia do interesse público, a autonomia, a independência, a eficácia e a eficiê ncia, a preser vaçã o do sigilo e moralidade, a probidade, a motivação e a justiça fiscal. Art. 2º Dá nova redação ao caput do art. 12; acrescenta os incisos V e VI ao caput do art. 12, e acrescenta os 1º a 11 ao art. 12, da Lei Complementar nº 3.748, de , que passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 12 A remuneração do cargo de Auditor-Fiscal da Receita Municipal será composta, além de qualquer outra vantagem assegurada a servidor público municipal, de:... V adicional noturno; VI Prêmio por Desempenho Fiscal PDF. 1º A indenização a que se refere o art. IV, do caput deste artigo: I será paga, mensalmente, pelos dias de efetivo exercício no cargo, nos termos do art. 114, do Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Teresina, excluindo-se, do seu cômputo, os dias em férias e as faltas ao serviço a que se refere o art. 51, do mesmo Estatuto; II será paga, também, aos Auditores-Fiscais da Receita Municipal, ainda que inativos, quando nomeados para o exercício de função gratificada no âmbito da Secretaria Municipal de Finanças; III será reajustada, anualmente, no mesmo percentual e na mesma data da revisão geral da remuneração dos servidores municipais; 2º Ao serviço noturno prestado em regime de plantão na fiscalização de shows, eventos e de contribuintes cuja natureza importe este tipo de procedimento, definid o na Ord em d e Serviç o, corresponderá um adicional correspondente a 3,85% do vencimento básico da referência A1, da tabela do anexo I, desta lei, com a alteração dada pela Lei Complementar nº 3.952, de 17 de dezembro de 2009, e os reajustes posteriores, devido por cada noite de plantão. 3º O Prêmio a que se refere o inciso VI, do caput deste artigo, terá caráter individual e indenizatório, e será concedido uma vez por bimestre aos Auditores-Fiscais da Receita Municipal, observado o seguinte: I terá como referência o incremento real mensal da arrecadação proveniente da receita tributária do município, correspondente à arrecadação do Imposto Sobre Serviços (ISS), do Imposto Sobre a Propriedade Pred ial e Territoria l Urb ana (IPTU), do Imposto Sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis e de Direitos Reais a ele Relativos (ITBI) e das Taxas, nos dois meses do bimestre anterior ao mês do pagamento do prêmio tomado em relação à arrecadação no bimestre correspondente do exercício base; II para efeito do cálculo do PDF, a Receita Base Mensal será a arrecadação observada no mês correspondente do exercício base de 2011, excluídos os valores arrecada dos com o P rogr ama de Refinanciamento Municipal (REFIM) instituído pela Lei Complementar nº de 02 de setembro de 2010; III quando a arrecadação tributária anual num exercício for 75% (setenta e cinco por cento) superior à arrecadação anual do exercício base de 2011, atualizada, passará a ser considerado como novo exercício base, para fins de cálculo do PDF, o exercício anterior àquele em que se observou este incremento, com efeitos a partir Serviço Financeiro SALÁRIO MÍNIMO (R$) Junho ,00 Julho ,00 Agosto ,00 Setembro ,00 Outubro ,00 Novembro ,00 Dezembro ,00 Janeiro ,00 TAXA SELIC (%) Junho... 0,96 Julho... 0,97 Agosto... 1,07 Setembro... 0,94 Outubro... 0,88 Novembro... 0,86 Dezembro... 0,91 Janeiro... TJLP (% ao ano) Junho... 6,00 Julho... 6,00 Agosto... 6,00 Setembro... 6,00 Outubro... 6,00 Novembro... 6,00 Dezembro... 6,00 Janeiro... 6,00 POUPANÇA (% - 1º dia do mês) Junho... 0,6578 Julho... 0,6120 Agosto... 0,6235 Setembro... 0,7086 Outubro... 0,6008 Novembro... 0,5623 Dezembro... 0,5648 Janeiro... 0,5942 TR (% - 1º dia do mês) Junho... 0,1114 Julho... 0,1229 Agosto... 0,2076 Setembro... 0,1003 Outubro... 0,0620 Novembro... 0,0645 Dezembro... 0,0937 Janeiro... 0,0864 Sumário Atos do Poder Legislativo... 1 Atos do Poder Executivo... 4 Administração Direta... 7 Administração Indireta Comissão de Licitação Diário Oficial da Câmara...2 9

2 2 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº de 1º de Janeiro do ano seguinte, repetindo-se esta operação sucessivamente; IV Na hipótese do inciso III, serão excluídos da arrecadação tributária do novo exercício base os valores arrecadados com parcelamentos especiais que objetivem a regularização de débitos tributários em condições mais favoráveis ao sujeito passivo, tais como nos programas de refinanciamento municipal e de incentivo à adimplência de sujeitos passivos. 4º O PDF será pago bimestralmente com recursos destinados ao Fundo a que se refere o art. 31-B, em duas parcelas: I por esforço coletivo, II por esforço individual; 5º A parcela do PDF por esforço coletivo será concedida, nos termos do regulamento; 6º A parcela do PDF por esforço individual será paga aos Auditores-Fiscais da Receita Municipal, externos e internos, nos termos dos parâmetros de produtividade individual a serem definidos em regulamento; 7º O Auditor-Fiscal da Receita Municipal só perceberá a parcela do PDF por esforço individual se possuir média bimestral da produtividade individual superior a 100% (cem por cento) da meta de pontuação de produtividade individual para as atividades de tributação, arrecadação e fiscalização; 8º A parcela por esforço individual do PDF corresponderá, no máximo, a 40% (quarenta por cento) do valor da parcela por esforço coletivo; 9 O Prêmio por Desempenho Fiscal somente será pago quando houver incremento real da receita tributária municipal. 10. O PDF será pago nas hipóteses de afastamento para gozo de férias, licença-maternidade, licença para tratamento de saúde e licença para capacitação, proporcionalmente aos dias efetivamente trabalhados. 11. Na hipótese do 10, serão obedecidos os critérios e proporções estabelecidos em regulamento para definição do PDF bimestral. 12. O valor do PDF não será considerado para fins de determinação do limite a que se refere o inciso XI do artigo 37 da Constituição Federal e não se incorporará à remuneração do servidor em nenhuma hipótese, nem servirá de base de cálculo de qualquer outra vantagem. 13. Para fins de aplicação desta Lei Complementar considera-se como: I - Receita Tributária Municipal, as receitas provenientes da arrecadação do Imposto Sobre Serviços (ISS), do Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), do Imposto Sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis e de Direitos Reais a ele Relativos (ITBI) e das Taxas, inclusive as multas, acréscimos moratórios, atualização monetária incidentes, parcelamento e reparcelamento recolhidos antes ou após inscrição em Dívida Ativa; II - Receita Base, o valor da arrecadação tributária do Imposto Sobre Serviços (ISS), do Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), do Imposto Sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis e de Direitos Reais a ele Relativos (ITBI) e das Taxas no mês correspondente do exercício 2011, excluídos os valores arrecadados com o Programa de Refinanciamento Municipal (REFIM) instituído pela Lei Complementar nº de 02 de setembro de 2010; III - Incremento da arrecadação tributária municipal, a diferença entre a Receita Tributária mensal e a Receita Base; IV - Incremento real da arrecadação tributária municipal, o incremento da arrecadação com o Imposto Sobre Serviços (ISS), com o Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), com o Imposto Sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis e de Direitos Reais a ele Relativos (ITBI) e com as Taxas que for positivo ou maior que zero, deduzida a inflação do período, medida com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo Série Especial (IPCA-E), calculado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou outro que venha a substituí-lo como indexador das receitas municipais; V Auditor-Fiscal externo, o que se encontrar desenvolvendo ações fiscais punitivas ou pedagógicas; Municipal PrefeituraD de Teresina O M Órgão destinado à publicação de atos normativos ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito Municipal de Teresina SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE IMPRENSA OFICIAL Rua Firmino Pires, Centro - Teresina - Piauí Diário Oficial do Município - Teresina Ano Nº de janeiro de 2012 PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo SÉRGIO WILSON LOPES SOARES Assistente Jurídico do Prefeito JOSÉ WILSON FERREIRA DE ARAÚJO JÚNIOR Procurador Geral do Município JOSÉ MARIA VIEIRA DE SOUSA Secretária Municipal de Comunicação Social JOSÉ FORTES Sec. Mun. de Administração e Recursos Humanos VANESSA MACHADO NEIVA Secretária Municipal de Finanças JOÃO ALBERTO CARDOSO MONTEIRO Sec. Municipal de Planejamento e Coordenação PAULO RAIMUNDO MACHADO VALE Secretário Municipal de Educação e Cultura HUMBERTO MARIANO LOBÃO CASTELO BRANCO Secretário Municipal de Esportes e Lazer JOAQUIM GOMES DA COSTA FILHO Sec. Municipal de Desenvolvimento Econômico M A RIA DA S GRA ÇAS DA SILVA AMORIM Sec. Mun. do Trabalho, Cidadania e Assistência Social ERINALDA FEITOSA PEREIRA Secretário Municipal da Juventude DEOCLECIANO GUEDES FERREIRA Sec. Mun. de Meio Ambiente e Recursos Hídricos PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO Presidente da Fundação Municipal de Saúde LAURENICE FRANÇA NORONHA PESSOA Presidente da Fundação Cultural Mons. Chaves ANTONIO JOSÉ DE MORAIS AGUIAR Presidente da Fundação Wall Ferraz PATRICK ZVEITER SILVEIRA Presidente da PRODATER JOSÉ FRANCISCO RODRIGUES QUEIROZ Presidente da ETURB CARLOS ALVES DE ARAÚJO FILHO Presidente do IPMT SÉRGIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA Superintendente de Desenvolvimento Rural JOSÉ RIBAMAR BASTOS Superintendente de Desenvolvimento Urbano/ Centro-Norte JOSÉ ANTONIO MACHADO LOPES SOBRAL Superintendente de Desenvolvimento Urbano/Sul MARCÍLIO BONA ANDRADE Superintendente de Desenvolvimento Urbano/Leste PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA SANTOS Superintendente de Desenvolvimento Urbano/ Sudeste MARIA ALZENIR Porto da Costa Superintendente da STRANS José Fortes Secretário de Administração Sylvia Soares Oliveira Portela Gerente de Imprensa Oficial Gilca Sampaio Carrias e silva Divisão de Edição e Distribuição Impresso na PRODATER pelo sistema laser/digital Preço unitário: R$ 2,00 TIRAGEM: 200 EXEMPLARES ESTA EDIÇÃO É COMPOSTA DE 32 PÁGINAS

3 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de O PDF será gerido pelo Conselho Gestor do Prêmio por Desempenho Fiscal CGPDF, composto dos seguintes membros, sob a direção do primeiro: I Secretário Municipal de Finanças; II Secretário Executivo da Secretaria Municipal de Finanças; III Coordenador Especial da Receita do Município; IV Um Auditor-Fiscal da Receita Municipal, indicado pelo Secretário Municipal de Finanças; e V Um representante de classe dos Auditores-Fiscais da Receita Municipal. 15. As competências e atribuições do Conselho Gestor serão definidas pelo seu regimento interno. Art. 3º O art. 13, da Lei Complementar n 3.748, de , passa a vigorar acrescido do Parágrafo Único com a seguinte redação: Art Parágrafo Único. A revisão da remuneração dos demais servidores públicos do Município será aplicada, na mesma data e mesmo percentual, à remuneração do servidor da carreira de Auditor- Fiscal da Receita Municipal. Art. 4º Os incisos I e II, do art. 14, da Lei Complementar n 3.748, de , acrescido do Parágrafo Único, passam a vigorar com a seguinte redação: Art I integral, salvo a parcela do inciso VI do art. 12, caput, quando exercê-las em outros órgãos da Administração Municipal Direta e Indireta; II integral, salvo as parcelas dos incisos IV e VI, do art.12, quando exercê-las em outros órgãos ou entidades dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, desde que seja ressarcida ao Tesouro Municipal. Parágrafo único. Na hipótese do inciso II do caput, se o ressarcimento não se verificar, não comporá, também, a remuneração do Auditor-Fiscal da Receita Municipal, a parcela do inciso IV, do art. 12, ressalvada a hipótese de existência de interesse público municipal. Art. 5º O inciso I, do Parágrafo Único, do art. 15, da Lei Complementar nº 3.748, de acrescido das alíneas r e s, passa a vigorar com a seguinte redação: Art Parágrafo Único... I Em caráter exclusivo, relativamente às receitas pertencentes ao Município de Teresina:... r) gerenciar os cadastros municipais e o acesso aos demais bancos de dados dos contribuintes; e s) compor e presidir o órgão colegiado competente para julgar, em segunda instância, os recursos voluntários e os de ofício, referentes ao processo administrativo tributário fiscal; Art. 6º O 2º, do art. 26, da Lei Complementar nº 3.748, de , acrescido do 3º, passam a vigorar com a seguinte redação: Art º Sem prejuízo dos direitos que a lei assegura ao servidor em geral, constitui prerrogativa do Auditor-Fiscal da Receita Municipal o direito à permanência, inclusive com veículo, em locais restritos, bem como de livre acesso a quaisquer vias públicas ou particulares, ou estabelecimentos, no exercício de suas atribuições, assim como a requisição e obtenção do auxílio da força pública para assegurar o desempenho de suas funções, nos termos do art. 200 da Lei Federal n º 5.172, de 25 de outubro º A Administração Tributária terá precedência em relação aos demais setores do Município, nos termos do inciso XVIII, do art. 37, da Constituição Federal, bem como os servidores detentores de cargo da carreira de Auditoria Fiscal da Receita Municipal, no cumprimento de suas funções. 4º A precedência, de que trata o 3º, será expressa mediante: I a preferência no exame de livros, documentos e outros efeitos fiscais dos sujeitos passivos, nos casos em que convergirem ou conflitarem ações conjuntas ou concomitantes entre agentes do poder público; II a prioridade na apuração e lançamento dos créditos tributários, bem como na instrução de processo administrativo fiscal, concernente a fatos, situações, documentos, papéis, livros e outros efeitos fiscais, no caso de procedimentos administrativos concorrentes; e III o recebimento de informações de interesse público, oriundos do Poder Legislativo e da Administração direta e indireta do Poder Executivo. Art. 7º Dá nova redação ao caput do art. 27; acrescenta os incisos I a V ao caput; e acrescenta o Parágrafo Único, ao art. 27, todos da Lei Complementar nº 3.748, de , que passam a vigorar com a seguinte redação: Art. 27 São garantias dos servidores detentores de cargo da carreira de Auditor-Fiscal da Receita Municipal: I assistência jurídica, pelo Município, quando estiver submetido a processo administrativo para apuração de infração funcional ou quando sofrer ação judicial, desde que em decorrência do exercício de sua função; II autonomia técnica e independência funcional no exercício da função; III perda do cargo somente nas estritas hipóteses previstas no art. 41, da Constituição Federal e no Estatuto dos Servidores Públicos Municipais; IV paridade entre proventos e remuneração, nos termos da Constituição Federal; V remuneração compatível, respeitado o limite do teto remuneratório previsto na Constituição Federal para o Município, assegurada a revisão anual na mesma data dos demais servidores do município. Parágrafo Único. É vedada a terceirização ou a execução indireta das atribuições que coincidam com as previstas nesta Lei Complementar, com exceção de crédito tributário definitivamente constituído. Art. 8º Acrescenta os incisos III a V ao caput do art. 30; transforma o Parágrafo Único, do art. 30, em 1º; e acrescenta o 2º, ao art. 30, todos da Lei Complementar nº 3.748, de , que passam a vigorar com a seguinte redação: Art III exercer qualquer outra atividade incompatível com o exercício da função; IV exercer assessoria ou consultoria em matéria tributária, contábil e de auditoria em relação ao Município de Teresina - PI; V participar de sociedade empresarial, como gerente e/ou administrador. 1º A vedação prevista no inciso I, deste artigo, aplica-se também ao Auditor-Fiscal da Receita Municipal aposentado, em relação aos atos e aos procedimentos em que tenha atuado no exercício. 2º São deveres dos servidores detentores de cargo da carreira de Auditoria Fiscal da Receita Municipal, além dos estabelecidos no Estatuto dos Servidores Públicos Municipais: I desempenhar com zelo e justiça, dentro dos prazos determinados, os serviços a seu cargo e os que, na forma da lei, lhe forem atribuídos pelos superiores hierárquicos; II zelar pela fiel execução dos trabalhos da administração tributária e pela correta aplicação da legislação tributária; III - observar o sigilo funcional quanto à matéria dos procedimentos em que atuar e, especialmente, naqueles que envolvam diretamente o interesse da administração tributária; IV - representar ao seu superior hierárquico sobre irregularidades que afetem o bom desempenho de suas atividades funcionais;

4 4 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº V - atender todos os chamamentos que envolvam pesquisas, estudos e análises, com vista ao aperfeiçoamento de seus conhecimentos de legislação e da política tributária; VI - comunicar, imediatamente, o superior hierárquico sobre a ocorrência de indício, ato ou fato, que possa redundar em evasão de tributos; VII - elaborar representação ao seu superior hierárquico quando tenha conhecimento, em decorrência do exercício da atividade, sobre qualquer situação que configure, na forma da lei, em crime fiscal. Art. 9º A Lei Complementar n 3.748, de , passa a vigorar acrescida do art. 31-B, com a seguinte redação: CAPÍTULO VI-B DO FUNDO MUNICIPAL DE MODERNIZAÇÃO E DESEN- VOLVIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Art. 31-B. Fica instituído o Fundo Municipal de Modernização e Desenvolvimento da Administração Tributária FUMAT, vinculado à estrutura da Secretaria Municipal de Finanças, com fundamento no arts. 37, XXII; e 167, IV, da Constituição Federal, visando assegurar recursos prioritários para a realização de atividades da administração tributária municipal. 1º O Fundo a que se refere o caput: I Será constituído de: a) 15% (quinze por cento) do incremento real mensal da receita tributária municipal, apurado na forma do inciso IV, do 13, do art. 12, no primeiro ano de aplicação desta Lei Complementar; b) 12% (doze por cento) do incremento real mensal da receita tributária municipal, apurado na forma do inciso IV, do 13, do art. 12, a partir do segundo ano de aplicação desta Lei Complementar; c) os rendimentos provenientes de depósitos bancários e da aplicação financeira de seus recursos; d) as dotações consignadas no orçamento e os créditos adicionais que lhe sejam destinados; e e) a arrecadação da venda de materiais e publicações dos órgãos que compõe a Administração Tributária Municipal. II Terá seus recursos destinados: a) 90% (noventa por cento) para o pagamento do Prêmio a que se refere o inciso VI, do art. 12; e b) 10% (dez por cento) para o custeio das despesas com programas de modernização, desenvolvimento e aperfeiçoamento da Administração Tributária Municipal. III Terá autonomia de gestão e escrituração contábil própria, sendo gerido pelo Secretário Municipal de Finanças, cabendolhe: a) autorizar o pagamento de despesas até o montante de sua receita; b) manter os recursos do Fundo em depósito em conta específica de banco oficial; c) elaborar balancetes e relatórios anuais referentes ao Fundo, com demonstrações contábeis, que serão incorporadas à da Secretaria Municipal de Finanças; d) aprovar planos e programas para aplicação de recursos do Fundo; e) controlar os bens e valores oriundos de recursos do Fundo; e f) elaborar instruções específicas, destinadas à aplicação dos recursos do Fundo, bem como ao seu rigoroso controle. 2º As despesas a que se refere a alínea b, do inciso II, do 1, serão realizadas para o custeio das seguintes ações, voltadas ao incremento da receita tributária municipal e desenvolvidas no âmbito da Secretaria Municipal de Finanças: I capacitação dos Auditores-Fiscais da Receita Municipal; II aquisição e manutenção de equipamentos e sistemas de informática; III aquisição e manutenção de equipamentos de apoio à fiscalização; IV contratação de serviços de consultoria; V contratação de obras e instalações; e VI promoção de outras ações afins da Administração Fazendária Municipal. 3º O Secretário Municipal de Finanças será substituído, em suas faltas e impedimentos, pelo Secretário Executivo da Secretaria Municipal de Finanças do Município. 4º O material adquirido com os recursos do FUMAT será incorporado definitivamente ao patrimônio do Município. 5º A Administração Tributária Municipal compreende, exclusivamente, as atividades desenvolvidas no âmbito da Secretaria Municipal de Finanças. 6º Aplica-se à administração financeira do Fundo, no que couber, o disposto na Lei Federal nº 4.320, de 17 de março de 1964, nas normas contábeis vigentes e na legislação pertinente a contratos e licitações, bem como as normas e instruções baixadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Art. 10. As despesas decorrentes da implementação e aplicação dos efeitos desta Lei Complementar correrão por conta do Orçamento próprio do Poder Executivo Municipal, ficando o Prefeito autorizado a tomar as providências para a sua execução plena. Art. 11. O Poder Executivo Municipal expedirá as normas complementares necessárias à execução desta Lei Complementar. Parágrafo Único. Enquanto não for editado o regulamento desta Lei Complementar, na forma do caput, fica assegurado o pagamento da parcela do inciso I, do 4º, do art. 12, da Lei Complementar n 3.748/2008, com a redação dada por esta Lei Complementar, inclusive nas hipóteses do 10, do mesmo artigo. Art. 12. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos a partir de 1º de Janeiro de Art. 13. Ficam revogadas as disposições em contrário. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 6 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina Esta Lei Complementar foi sancionada e numerada aos seis dias do mês de janeiro do ano dois mil e doze. PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo Atos do Poder Executivo DECRETO Nº , DE 28 DE OUTUBRO DE O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o inciso XXV, do art. 71, da Lei Orgânica do Município, e, ainda, com base na Lei Federal nº 8.666, de (com suas alterações posteriores), na Lei nº 1.542, de 20 de junho de 1977, na Lei Complementar nº 2.959, de (com suas alterações posteriores, em especial pela Lei Complementar nº 3.835, de ), na Lei Complementar nº 3.527, de , especificamente no 2º, do seu art. 6º, e considerando o disposto no art. 3º, IV, da Lei Federal nº , de ; tendo em vista o que consta do Decreto nº /2010, resolve, EXONERAR, a p edido, THIAGO AUGUSTO MOURA REGO DE SANTANA do cargo de Membro Titular e Pregoeiro, da Comissão Permanente de Licitação da Fundação Municipal de Saúde - FMS, tendo este Decreto efeitos a partir de Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 28 de outubro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina DECRETO Nº , DE 9 DE JANEIRO DE O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o art. 71, XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Complementar nº 2.959, de , modificada pelas Leis Complementares n os

5 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de , de ; e 4.197, de 1º de dezembro de 2011, resolve NOMEAR ANDREA LIMA BARROS LACERDA para exercer o cargo de Coordenadora Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Símbolo Especial. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 9 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo DECRETO Nº , DE 9 DE JANEIRO DE O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o art. 71, XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Complementar nº 2.959, de , modificada pelas Leis Complementares n os 3.835, de ; e 4.197, de 1º de dezembro de 2011, resolve NOMEAR VIVIANE MOURA BEZERRA para exercer o cargo de Secretária Municipal de Habitação e Regularização Fundiária, Símbolo Especial. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 9 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARIA N 01 2/ O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, usando das atribuições que lhe confere o art. 71, inciso XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Municipal nº 2.138, de ; tendo em vista o que consta do Processo n /2011, de , em especial o Parecer nº 2364/2011, da Assessoria Jurídica do IPMT, às fls. 20/24, as informações constantes à fl. 18, os cálculos elaborados pela Divisão de Pessoal do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina - IPMT, à fl. 26, RESOLVE, por motivo do falecimento, em , de FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA COSTA ex-servidor público municipal, exercente do cargo de Assistente Técnico de Saúde, especialidade Auxiliar de Laboratório, referência C1, matrícula , conceder pensão a FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA COSTA FILHO, filho, nos termos do art. 21, da Lei Municipal nº 2.969/2001, com a nova redação dada pela Lei Municipal nº 3.415/ 2005, c/c o art. 16, inc. I, art. 113, art. 114 e art. 105, inc. I, todos do Decreto Federal nº 3.048/1999, observado o rateio, devendo o referido benefício ser concedido a partir da data do óbito, cabíveis as devidas compensações financeiras se houver. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 2 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina CARLOS ALVES DE ARAÚJO FILHO Presidente do IPMT PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA Processo nº /2011 DISCRIMINAÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DE PENSÃO MENSAL POR MORTE DEPENDENTE/PENSIONISTA: FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA COSTA FILHO CATEGORIA: Filho RG: CPF: SEGURADO(A) FALECIDO(A): FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA COSTA CARGO: Assistente Técnico de Saúde MATRÍCULA: ESPECIALIDADE: Auxiliar de Laboratório REFERÊNCIA: C1 LOTAÇÃO: FMS CATEGORIA: Ativo, até * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * Última Remuneração do Servidor Vencimentos...R$ 845,96 Gratificação de Produtividade Operacional de Nível Médio...R$ 130,00 TOTAL...R$ 975, SETEMBRO/ (noventa e sete reais e cinquenta e nove centavos) TOTAL...R$ 97, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO/ (duzentos e quarenta e três reais e noventa e nove centavos) TOTAL DOS PROVENTOS (nos termos do art. 2º, da Lei Federal nº /2004)... R$ 243,99 Teresina, 2 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARI A N 013 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, usando das atribuições que lhe confere o art. 71, inciso XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Municipal nº 2.138, de ; tendo em vista o que consta do Processo n /2011, de , em especial o Parecer nº 2365/2011, da Assessoria Jurídica do IPMT, às fls. 21/ 25, as informações constantes à fl. 19, os cálculos elaborados pela Divisão de Pessoal do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina - IPMT, à fl. 27, RESOLVE, por motivo do falecimento, em , de FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA COSTA ex-servidor público municipal, exercente do cargo de Assistente Técnico de Saúde, especialidade Auxiliar de Laboratório, referê ncia C1, matr ícula , con ceder pensão a GIOVANNA DE ASSIS FREIRE COSTA, filha, nos termos do art. 21, da Lei Municipal nº 2.969/2001, com a nova redação dada pela Lei Municipal nº 3.415/2005, c/c o art. 16, inc. I, art. 113, art. 114 e art. 105, inc. I, todos do Decreto Federal nº 3.048/1999, observado o rateio, devendo o referido benefício ser concedido a partir da data do óbito, cabíveis as devidas compensações financeiras se houver. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 2 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina CARLOS ALVES DE ARAÚJO FILHO Presidente do IPMT PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA Processo nº /2011 DISCRIMINAÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DE PENSÃO MENSAL POR MORTE DEPENDENTE/PENSIONISTA: GIOVANNA DE ASSIS FREIRE COSTA CATEGORIA: Filha RG: CPF: SEGURADO(A) FALECIDO(A): FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA COSTA CARGO: Assistente Técnico de Saúde MATRÍCULA: ESPECIALIDADE: Auxiliar de Laboratório REFERÊNCIA: C1 LOTAÇÃO: FMS CATEGORIA: Ativo, até * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * Última Remuneração do Servidor Vencimentos...R$ 845,96 Gratificação de Produtividade Operacional de Nível Médio...R$ 130,00 TOTAL...R$ 975, SETEMBRO/ (noventa e sete reais e cinquenta e nove centavos) TOTAL...R$ 97, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO/ (duzentos e quarenta e três reais e noventa e nove centavos) TOTAL DOS PROVENTOS (nos termos do art. 2º, da Lei Federal nº /2004)... R$ 243,99 Teresina, 2 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARI A N 014 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, usando das atribuições que lhe confere o art. 71, inciso XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Municipal nº 2.138, de ; tendo em vista o que consta do Processo n /2011, de , em especial o Parecer nº 2338/2011, da Assessoria Jurídica do IPMT, às fls. 30/35, as informações constantes à fl. 21, os cálculos elaborados pela Divisão de Pessoal do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina - IPMT, à fl. 37, RESOLVE, por motivo do falecimento, em , de ANACÉLIA CABRAL DE OLIVEIRA TEIXEIRA ex-servidora pública municipal, exercente do cargo de Técnico de Nível Superior, especialidade Nutricionista, referência A1, matrícula , conceder pensão a JOSÉ DE RIBAMAR COSTA TEIXEIRA, MIGUEL CABRAL TEIXEIRA e MARIANA CABRAL TEIXEIRA, cônjuge e filhos, respectivamente, nos termos do art. 21, da Lei Municipal nº 2.969/2001, com a nova redação dada pela Lei Municipal nº 3.415/ 2005, c/c o art. 16, inc. I, e art. 105, inc. I, todos do Decreto Federal nº 3.048/1999, devendo o referido benefício ser concedido a partir da data do óbito, cabíveis as devidas compensações financeiras se houver. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 2 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina CARLOS ALVES DE ARAÚJO FILHO Presidente do IPMT PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA Processo nº /2011 DISCRIMINAÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DE PENSÃO MENSAL POR MORTE DEPENDENTE/PENSIONISTA: JOSÉ DE RIBAMAR COSTA TEIXEIRA CATEGORIA: Cônjuge RG: SSP-PI CPF: DEPENDENTE/PENSIONISTA: MIGUEL CABRAL TEIXEIRA CATEGORIA: Filho RG: CPF: DEPENDENTE/PENSIONISTA: MARIANA CABRAL TEIXEIRA CATEGORIA: Filha RG: CPF: SEGURADO(A) FALECIDO(A): ANACÉLIA CABRAL DE OLIVEIRA TEIXEIRA CARGO: Técnico de Nível Superior MATRÍCULA: ESPECIALIDADE: Nutricionista REFERÊNCIA: A1 LOTAÇÃO: FMS CATEGORIA: Ativa, até * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

6 6 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº LOTAÇÃO: FMS CATEGORIA: Ativa, até * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * Última Remuneração da Servidora Vencimentos...R$ 1.510,35 Gratificação de Nível Superior...R$ 119,66 TOTAL...R$ 1.630, AGOSTO, SETEMBRO, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO/ (um mil seiscentos e trinta reais e um centavo) TOTAL DOS PROVENTOS (nos termos do art. 2º, da Lei Federal nº /2004)... R$ 1.630,01 Teresina, 2 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARI A N 015 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, usando das atribuições que lhe confere o art. 71, inciso XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Municipal nº 2.138, de ; tendo em vista o que consta do Processo n /2011, de , em especial o Parecer nº 2336/2011, da Assessoria Jurídica do IPMT, às fls. 44/ 51, as informações constantes à fl. 16, os cálculos elaborados pela Divisão de Pessoal do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina - IPMT, à fl. 54, RESOLVE, por motivo do falecimento, em , de ANTONIO FERREIRA SOARES pertencente ao quadro de inativos do IPMT, aposentado no cargo de Auxiliar Operacional Administrativo, especialidade Motorista, referê ncia A1, matr ícula , con ceder pensão a GENOVEVA DO NASCIMENTO SOARES, cônjuge, nos termos do art. 21, da Lei Municipal nº 2.969/2001, com a nova redação dada pela Lei Municipal nº 3.415/2005, c/c o art. 16, inc. I, e art. 105, inc. I, todos do Decreto Federal nº 3.048/1999, devendo o referido benefício ser concedido a partir da data do óbito, cabíveis as devidas compensações financeiras se houver. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 4 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina CARLOS ALVES DE ARAÚJO FILHO Presidente do IPMT PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA Processo nº /2011 DISCRIMINAÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DE PENSÃO MENSAL POR MORTE DEPENDENTE/PENSIONISTA: GENOVEVA DO NASCIMENTO SAORES CATEGORIA: Cônjuge RG: SSP-PI CPF: SEGURADO(A) FALECIDO(A): ANTONIO FERREIRA SOARES CARGO: Operacional Administrativo MATRÍCULA: ESPECIALIDADE: Motorista REFERÊNCIA: A1 LOTAÇÃO: Inativos - IPMT CATEGORIA: Inativos * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * Última Remuneração do Servidor Proventos...R$ 1.291,01 TOTAL...R$ 1.291, OUTUBRO/ (um mil cento e sessenta e um reais e noventa centavos) TOTAL...R$ 1.161, NOVEMBRO E DEZEMBRO/ (um mil duzentos e noventa e um reais e um centavo) TOTAL DOS PROVENTOS (nos termos do art. 2º, da Lei Federal nº /2004)... R$ 1.291,01 Teresina, 4 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina CARLOS ALVES DE ARAÚJO FILHO Presidente do IPMT PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA Processo nº /2011 DISCRIMINAÇÃO E FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DE PENSÃO MENSAL POR MORTE DEPENDENTE/PENSIONISTA: MARIA REGINA DA SILVA FERNANDES CATEGORIA: Cônjuge RG: SSP-PI CPF: DEPENDENTE/PENSIONISTA: JEFFERSON DA SILVA FERNANDES CATEGORIA: Filho RG: SSP-PI CPF: SEGURADO(A) FALECIDO(A): GERALDO FERNANDES DE MORAES CARGO: Auxiliar Operacional Administrativo MATRÍCULA: ESPECIALIDADE: Agente de Portaria REFERÊNCIA: B6 LOTAÇÃO: Inativos IPMT CATEGORIA: Inativos * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * Último Provento do Servidor Vencimentos...R$ 711, NOVEMBRO/ (quinhentos e noventa e dois reais e setenta e seis centavos) TOTAL...R$ 592, DEZEMBRO/2011e JANEIRO/ (setecentos e onze reais e trinta e dois centavos) TOTAL DOS PROVENTOS (nos termos do art. 2º, da Lei Federal nº /2004)... R$ 711,32 Teresina, 4 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARI A Nº 018 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 71, XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei nº 2.138, de 21 de julho de 1992 (Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Teresina), em especial o art. 45; e tendo em vista o que consta do Processo n o /2012, de , resolve EXONERAR, a pedido, a servidora pública municipal JOSI SANTOS CANTUÁRIO, matrícula nº , do cargo de Assistente Técnico de Infraestrutura, especialidade Técnico em Edificações, da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SEMA. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 5 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SO- ARES Secretário Municipal de Governo PORTARI A N 029 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o art. 71 da Lei Orgânica do Município; com base na Lei nº 2.138, de 21 de julho de 1992 (Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Teresina), em especial o art. 45; e tendo em vista o que consta do Processo n /2012 de , resolve EXONERAR, a pedido, a servidora pública municipal FRANCISCA MICHELE DUARTE DA SILVA, matrícula n 47567, do cargo de Técnica de Nível Superior, especialidade Psicóloga, lotada na Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social SEMTCAS. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 10 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARIA N 01 6/ O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, usando das atribuições que lhe confere o art. 71, inciso XXV, da Lei Orgânica do Município; com base na Lei Municipal nº 2.138, de ; tendo em vista o que consta do Processo n /2011, de , em especial o Parecer nº 2728/2011, da Assessoria Jurídica do IPMT, às fls. 50/54, as informações constantes à fl. 47, os cálculos elaborados pela Divisão de Pessoal do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina - IPMT, à fl. 56, RESOLVE, por motivo do falecimento, em , de GERALDO FERNANDES DE MORAES pertencente ao quadro de inativos do IPMT, aposentado no cargo de Auxiliar Operacional Administrativo, especialidade Agente de Portaria, referência B6, matrícula , conceder pensão a MARIA REGINA DA SILVA FERNANDES e JEFFERSON DA SILVA FERNANDES, cônjuge e filho, respectivamente, nos termos do art. 21, da Lei Municipal nº 2.969/2001, com a nova redação dada pela Lei Municipal nº 3.415/2005, c/c o art. 16, inc. I, e art. 105, inc. I, todos do Decreto Federal nº 3.048/1999, devendo o referido benefício ser concedido a partir da data do óbito, cabíveis as devidas compensações financeiras se houver. Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 4 de janeiro de PORTARI A N 030 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o art. 71 da Lei Orgânica do Município; com base na Lei nº 2.138, de 21 de julho de 1992 (Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Teresina), em especial o art. 45; e conforme consta no Processo n /2011, de , resolve EXONE- RAR, a pedido, a servidora pública municipal JEANE CARLA RODRIGUES DE SOUSA, matrícula n , do cargo de Professor de Primeiro Ciclo, nível V, especialidade Professor Classe D, lotada na Secretaria Municipal de Educação SEMEC, tendo esta Portaria efeitos a partir de Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 10 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARI A N 031 /201 2 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o art. 71 da Lei Orgânica do Município; com base na Lei nº 2.138, de 21 de julho de 1992 (Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Teresina), em especial o art. 45; e conforme consta no Processo n /2011, de , resolve EXONE- RAR, a pedido, a servidora pública municipal MARA CLÁUDIA

7 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de HOLANDA DE CARVALHO, matrícula n 35874, do cargo de Professor de Segundo Ciclo Classe C, nível V lotada na Secretaria Municipal de Educação SEMEC, tendo esta Portaria efeitos a partir de Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 10 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo PORTARIA N 032 / 2012 O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere o art. 71 da Lei Orgânica do Município; com base na Lei nº 2.138, de 21 de julho de 1992 (Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Teresina), em especial o art. 45; e em atenção ao ofício n 030/2012-GAB-STRANS, de , resolve EXO- NERAR, a pedido, o servidor público municipal PEDRO FERREIRA DE OLIVEIRA FILHO, matrícula n 326-5, do cargo de Agente de Trânsito, lotado na Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito STRANS, tendo esta Portaria efeitos a partir de Gabinete do Prefeito Municipal de Teresina (PI), em 10 de janeiro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina PAULO CÉSAR VILARINHO SOARES Secretário Municipal de Governo RESCISÃO UNILATERAL DO TERMO DE AUTORIZAÇÃO DE USO DE IMÓVEL PÚBLICO RESCISÃO UNILATERAL DO TERMO DE AUTORIZAÇÃO DE USO DE IMÓVEL PÚBLICO que celebraram, de um lado, como AUTORIZANTE, o MUNICÍ- PIO DE TERESINA-PI, representado pelo Exmo. Sr. Prefeito Municipal, ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA, e de outro, como AUTORIZATÁRIO, MIGUEL RODRIGUES, tendo em vista o constante do Processo Administrativo n.º /2011, fazendo-o consoa nte o que s egue: P elo present e, o MUNICÍ PIO DE TERESINA-PI, Pessoa Jurídica de Direito Público Interno, inscrito no CGC sob o nº / , com sede e foro nesta Capital, à Praça Marechal Teodoro da Fonseca, nº 860, Palácio da Cidade, neste ato representado pelo Exmo. Sr. Prefeito Municipal, ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA, RESCINDE UNILATERAL- MENTE a AUTORIZAÇÃO DE USO DE IMOVEL PÚBLICO concedida ao Sr. MIGUEL RODRIGUES, que possui a seguinte descrição: Partindo do Ponto de Amarração com Az= 171º02 48,2965" e distância de 1.506,02m, encontra-se o Marco Inicial 1, deste segue com Az=180º00 00" e distância de 125,00 m até o Marco 2, deste segue com Az=90º00 00" e distância de 320,00m até o marco 3, deste segue com Az=00º00 00" e distância de 125,00 até o marco 4, deste segue com Az=270º00 00" e distância de 320,00m até o marco inicial, fechando o polígono com perímetro de 890,00m e área de 4,00 ha, tudo conforme o termo de autorização de uso de imóvel público e as razões constantes nos autos do Processo Administra tivo n / Teres ina (PI), 2 2/12 /2011. ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina TERMO DE RESGATE DE AFORAMENTO O MUNICÍPIO DE TERESINA, Pessoa Jurídica de Direito Público Interno, representado neste ato pelo Exmo. Sr. Prefeito Municipal, ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA, de um lado e, de outro, ANGÉLICA MEN- DES CAVALCANTE, brasileira, aposentada, casada, residente e domiciliada em Teresina-PI, portadora de CPF nº , celebr am entr e si o pres ente TERMO DE RESGATE DE AFORAMENTO, de acordo com o processo administrativo nº /2011, e consoante as cláusulas a seguir explicitadas: CLÁU- SULA PRIMEIRA: O ajuste, ora feito, decorre do reconhecimento das partes da ocorrência dos requisitos necessários ao resgate de aforamento incidente sobre lote de terreno foreiro municipal situado da Rua Dr. Freire de Andrade, nº 2250, bairro São João, zona leste da capital. CLÁUSULA SEGUNDA: O valor firmado, para efeito de resgate do aforamento do imóvel citado, é equivalente ao pagamento de um laudêmio 2,5% (dois e meio por cento) sobre o valor atual da propriedade, e de 10 (dez) pensões anuais foros pelo foreiro, conforme comprovante de pagamento de fls. 24/26. CLÁUSULA TERCEIRA: Fica reconhecido pelas partes que o imóvel descrito na Cláusula Primeira se encontra em terreno foreiro tendo sido o foro remetido por conta do resgate do aforamento, conforme dispõe o art. 693 do Código Civil de 1916 c/c o art do Novo Código Civil e art. 49 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. CLÁUSULA QUARTA: Fica autorizado o Cartório de Registro e Imóveis competente a lavrar a escritura de resgate de aforamento e/ou averbar seus registros o referido resgate de aforamento e, consequentemente, liberação do aforamento por cancelamento, nos termos do art. 167, II, 2, da Lei de Registro Públicos, bem como praticar qualquer ato para o bom e fiel cumprimento da vontade das partes neste Termo. E, por estarem as partes em pleno acordo e tudo que aqui se encontra disposto, assinam o presente TERMO DE COMPROMISSO, perante 02 (duas) testemunhas, em 05 (cinco) vias de igual teor e forma, destinando-se uma via para cada uma das partes. Teresina, 07 de novembro de ELMANO FÉRRER DE ALMEIDA Prefeito de Teresina ANGÉLICA MENDES CAVALCANTE Titular do Domínio Útil Administração Direta Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos PORTARIA N 694/2011 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AD- MINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, da Prefeitura Municipal de Teresina, no uso de suas atribuições legais, com base no Decreto nº , de 21 de maio de 2010, na Lei Complementar nº 2.959, de 26 de dezembro de 2000, em atenção ao Ofício n. 634/ 2011 GS/SEMF, resolve DESIGNAR ANDREA GOMES DE QUEIROZ, matrícula 34396, para responder pelo cargo de Chefe de Gabinete, Símbolo Especial, da Secretaria Municipal de Finanças - SEMF, enquanto durar o afastamento da titular do cargo por motivo de férias, SIMONE CARVALHO LOPES, no período de a , tendo esta portaria efeitos retroativos a Gabinete do Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos Teresina (PI), em 27 de dezembro de JOSÉ FORTES Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos VANESSA MACHADO NEIVA Secretária Municipal de Finanças PORTARIA N 699/2011 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AD- MINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, da Prefeitura Municipal de Teresina, no uso de suas atribuições legais, com base no Decreto nº , de 21 de maio de 2010, na Lei Complementar nº 2.959, de 26 de dezembro de 2000, em atenção ao Memorando n 001/2012 CPL- Compras/Serviços, resolve DESIGNAR LUYNNE DELMONDES CARDOSO, matrícula 5899, para responder pelo cargo de Membro da Comissão de Licitação de Compras e Serviços, Símbolo Especial, da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SEMA, enquanto durar o afastamento da titular do cargo por motivo de férias, DANIELLE DE SOUSA NÓBREGA, no período de a , tendo esta portaria efeitos retroativos a partir de Gabinete do Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos Teresina (PI), em 27 de dezembro de 2011 JOSÉ FORTES Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos PORTARIA N 01/2012 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AD- MINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, da Prefeitura Municipal de Teresina, no uso de suas atribuições legais, com base no Decreto nº , de 21 de maio de 2010, na Lei Complementar nº 2.959, de 26 de dezembro de 2000, e em atenção ao MEMO. nº 03/ CPL OBRAS II/ SEMA, resolve DESIGNAR JUSSANDRA DE ALMEIDA SARAIVA, matrícula nº , para responder pelo cargo de Presidente da Comissão Permanente de Licitação/ Obras II, Símbolo Especial, da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SEMA, enquanto durarem as férias da titular do cargo, ACÁCIA ELIANNE DANTAS DE SANTANA E SILVA, no período de a Gabinete do Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos Teresina (PI), em 12 de janeiro de JOSÉ FORTES Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos PORTARIA Nº 02 /2012-GS-SEMA O SECRETÁRIO MUNICI- PAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, da Prefeitura Municipal de Teresina, no uso de suas atribuições legais, com

8 8 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº base na Lei Complementar n 2.959, de 26 de dezembro de 2000 e com suas alterações posteriores, no Decreto n , de 21 de maio de 2010, e considerando as informações constantes no Processo nº /2011, de 15/12/2011, RESOLVE Art. 1 Autorizar, com ônus para o órgão requisitante, a cessão do servidor, PAULO HENRIQUE SOBRAL DA SILVA, Matricula n 1747, ocupante do cargo de Auxiliar Operacional Administrativo, Ref. C3, pertencente ao quadro de servidores da SEMCOM, para prestar serviços a Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU SUL até ulterior deliberação. Art. 2 O controle das ocorrências, em arquivo individual, será de responsabilidade do requisitante que deverá encaminhar ao órgão cedente no final da cessão. Art. 3 Esta Portaria entra em vigência na data de sua publicação. Art. 4 Revogam-se as disposições em contrário. Gabinete do Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos Teresina (PI), em 09 de janeiro de JOSÉ FORTES Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos PORTARIA N 03/2012 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AD- MINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, da Prefeitura Municipal de Teresina, no uso de suas atribuições legais, com base no Decreto nº , de 21 de maio de 2010, na Lei Complementar nº 2.959, de 26 de dezembro de 2000 e em atenção ao Memo n 001/12-DIO, resolve DESIGNAR GILCA SAMPAIO CARRIAS E SILVA, matrícula 2559, para responder pelo cargo de Gerente Executivo do Depto. de Imprensa Oficial, Símbolo Especial, da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos - SEMA, enquanto durar o afastamento da titular do cargo por motivo de férias, SYLVIA SOA- RES OLIVEIRA PORTELA, no período de a , tendo esta portaria efeitos retroativos a partir de Gabinete do Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos Teresina (PI), em 11 de janeiro de JOSÉ FORTES Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos PORTARIA N 04/2012 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AD- MINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, da Prefeitura Municipal de Teresina, no uso de suas atribuições legais, com base no Decreto nº , de 21 de maio de 2010, na Lei Complementar nº 2.959, de 26 de dezembro de 2000, e em atenção ao Ofício nº752/2011-semam, resolve DESIGNAR BRUNA GABRIELA DE ASSIS SILVA, matrícula , para responder pelo cargo de Gerente Executiva da GMA Sul, Símbolo Especial, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos - SEMAM, enquanto durarem as férias do titular do cargo, CLAUDINEI ALVES DA COS- TA FEITOSA, no período de a , tendo esta portaria efeitos retroativos a partir de Gabinete do Secretário Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (PI), em 11 de janeiro de JOSÉ FORTES Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos DEOCLECIANO GUEDES FERREIRA Secretário Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos PORTARIA Nº 005/2012-GS-SEMA O SECRETÁRIO MUNICI- PAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS, no uso de suas atribuições legais, e de acordo com o que consta no Processo nº /2011, datado de ; RESOLVE Cessar, a partir de , os efeitos da Portaria nº 044/2009-GS-SEMA, de 05 de Junho de 2009, que concedeu licença sem vencimento, ao servidor Antônio Luiz de Morais, matrícula , cargo de Auxiliar Operacional Administrativo, Especialidade Auxiliar de Serviços, Referência B2, lotado na Secretaria Municipal de Educação e Cultura SEMEC. Gabinete do Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos, em Teresina (PI), 12 de Janeiro de José Fortes Secretário Municipal de Administração e Recursos Humanos CONTRATO Nº. 002/2012/SEMA OBJETO: contratação de empresas para locação de 02 (duas) maquinas fotocopiadoras. VIGÊN- CIA: contrato terá vigência de 12 (doze) meses. DO : a Contratante pagará ao Contratado a importância de R$ 9.598,00 (nove mil, quinhentos e noventa e oito reais) mensais ASSINAM: PELA CONTRATANTE: José Fortes PELO CONTRATADO: José Bezerra Veras Júnior. Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação EXTRATO DE ADITIVO DE CONTRATO Termo Aditivo nº 01/ 12 ao Contrato nº 010/2011 Contratante Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Contratada Rosângela Tomaz Silva Objeto Aditamento de prazo, considerando o que dispõe a Cláusula Quarta, do Contrato nº 010/2011, bem como a Lei nº 8.666/93 e suas alterações posteriores, Vigência 06(seis) meses, a contar de 06/01/2012 Assinam Pela Contratante: João Alberto Cardoso Monteiro Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação Pela Contratada: Rosângela Tomaz Silva EXTRATO DE ADITIVO DE CONTRATO Termo Aditivo nº 01/ 12 ao Contrato nº 011/2011 Contratante Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Contratada Mineração Araújo Indústria e Comércio Ltda Objeto Aditamento de prazo, considerando o que dispõe o Parágrafo único da Cláusula Quinta, do Contrato nº 011/2011, bem como a Lei nº 8.666/93 e suas alterações posteriores, Vigência 06(seis) meses, a contar de 06/01/2012 Assinam Pela Contratante: João Alberto Cardoso Monteiro Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação Pela Contratada: Francisco Erivaldo Leite de Araújo Representante legal AVISO DE LICITAÇÃO 09 de janeiro de Acordo de Empréstimo Nº 7523-BR. Edital (NCB) Nº 01/2012 A Prefeitura Municipal de Teresina-PMT recebeu um empréstimo do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (doravante denominado Banco Mundial ), no montante de US$ 31,130,000 (trinta um milhões cento e trinta mil dólares) para o financiamento do Programa Lagoas do Norte, e pretende aplicar parte dos recursos desse empréstimo em pagamentos elegíveis nos termos do Contrato para Aquisição de Cortinas para a Conclusão do Projeto de Reforma e Ampliação do Teatro do Boi, em Teresina-PI. A Prefeitura Municipal de Teresina-PMT, por intermédio da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação-SEMPLAN, solicita propostas fechadas de Concorrentes elegíveis para o fornecimento dos Bens referidos no Item 1 acima e descritos no Escopo do Fornecimento e nas Especificações Técnicas (Anexos IV e VIII do Edital). 3 A documentação completa relativa à licitação estará disponível a partir do dia 10 de janeiro de 2012 na Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação SEMPLAN, sala da Comissão Especial de Licitação CEL, situada à Pça. Mal. Deodoro da Fonseca, nº 860, Palácio da Cidade, 4º Pavto., Bairro Centro, nesta cidade de Teresina-PI, CEP nº , Telefones: (86) /7524-Ramais 40 e 41, Fac-símile: (86) , (s): e/ou Os interessados poderão obter maiores informações no mesmo endereço. 4 As propostas deverão ser entregues na Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação-SEMPLAN, sala da Comissão Especial de Licitação-CEL, situada à Pça. Mal. Deodoro da Fonseca, nº 860, Palácio da Cidade, 4º Pavto., Bairro Centro, nesta cidade de Teresina-PI, CEP nº , até às 09:00 (nove) horas do dia 09 de fevereiro de As propostas deverão ser apresentadas de forma globalizada e serão abertas às 09:00 (nove) horas do dia 09 de fevereiro de 2012, podendo ou não ter a presença dos interessados na cerimônia de abertura, no endereço indicado no item 4 acima e deverão estar acompanhadas de uma Garantia de Proposta no valor de R$ 4.740,00 (Quatro mil setecentos e quarenta reais).. 6 Os Bens devem ser entregues no Destino Final: Teatro do Boi, situado à Rua Rui Barbosa, nº 3033, Bairro Matadouro, Zona Norte, nesta cidade de Teresina-PI, conforme descrito no Anexo III, Dados de Contrato. Antônio da Costa Araújo Presidente da Comissão Especial de Licitação Visto: João Alberto Cardoso Monteiro Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação Secretaria Municipal de Educação e Cultura PORTARIA Nº 639/2011/GAB/SEMEC O SECRETÁRIO MUNI- CIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pelo regimento interno da SEMEC, aprovado pelo

9 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de Decreto nº de 05 de junho de 2008, considerando a necessidade de convocação de Professor de Primeiro e de Segundo Ciclo em regime de 20 (vinte) horas semanais para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas, observado o disposto no art. 41, 5º, da Lei nº 2.978/92, com as alterações da Lei nº 4.018/2010, RE- SOLVE: Art. 1º. Lotar em caráter provisório o(a) Professor(a) de Segundo Ciclo ROBERTA DOS SANTOS SILVA, Matrícula , com regime de 20 (vinte) horas para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas semanais até 31 de dezembro de 2011, com efeitos retroativos a Art. 2º. Revogadas as disposições em contrário, esta Portaria terá seus efeitos a partir da data de sua publicação. GABINETE DO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDU- CAÇÃO, em 13 de dezembro de PAULO RAIMUNDO MA- CHADO VALE Secretário SEMEC PORTARIA Nº 640/2011/GAB/SEMEC O SECRETÁRIO MUNI- CIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pelo regimento interno da SEMEC, aprovado pelo Decreto nº de 05 de junho de 2008, considerando a necessidade de convocação de Professor de Primeiro e de Segundo Ciclo em regime de 20 (vinte) horas semanais para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas, observado o disposto no art. 41, 5º, da Lei nº 2.978/92, com as alterações da Lei nº 4.018/2010, RE- SOLVE: Art. 1º. Lotar em caráter provisório o(a) Professor(a) de Segundo Ciclo ANTONIO HAMILTON GOMES DE MELO, Matrícula , com regime de 20 (vinte) horas para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas semanais até 31 de dezembro de 2011, com efeitos retroativos a Art. 2º. Revogadas as disposições em contrário, esta Portaria terá seus efeitos a partir da data de sua publicação. GABINETE DO SECRETÁRIO MUNICI- PAL DE EDUCAÇÃO, em 13 de dezembro de PAULO RAIMUNDO MACHADO VALE Secretário SEMEC PORTARIA Nº 641/2011/GAB/SEMEC O SECRETÁRIO MUNI- CIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pelo regimento interno da SEMEC, aprovado pelo Decreto nº de 05 de junho de 2008, considerando a necessidade de convocação de Professor de Primeiro e de Segundo Ciclo em regime de 20 (vinte) horas semanais para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas, observado o disposto no art. 41, 5º, da Lei nº 2.978/92, com as alterações da Lei nº 4.018/2010, RE- SOLVE: Art. 1º. Lotar em caráter provisório o(a) Professor(a) de Segundo Ciclo SUANARA DE ALMEIDA MACHADO PAZ, Matrícula , com regime de 20 (vinte) horas para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas semanais até 31 de dezembro de 2011, com efeitos retroativos a Art. 2º. Revogadas as disposições em contrário, esta Portaria terá seus efeitos a partir da data de sua publicação. GABINETE DO SECRETÁRIO MUNICI- PAL DE EDUCAÇÃO, em 13 de dezembro de PAULO RAIMUNDO MACHADO VALE Secretário SEMEC PORTARIA Nº 642/2011/GAB/SEMEC O SECRETÁRIO MUNI- CIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pelo regimento interno da SEMEC, aprovado pelo Decreto nº de 05 de junho de 2008, considerando a necessidade de convocação de Professor de Primeiro e de Segundo Ciclo em regime de 20 (vinte) horas semanais para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas, observado o disposto no art. 41, 5º, da Lei nº 2.978/92, com as alterações da Lei nº 4.018/2010, RE- SOLVE: Art. 1º. Lotar em caráter provisório o(a) Professor(a) de Segundo Ciclo VIVIANNE FERREIRA LOPES DA SILVA, Matrícula , com regime de 20 (vinte) horas para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas semanais até 31 de dezembro de 2011, com efeitos retroativos a Art. 2º. Revogadas as disposições em contrário, esta Portaria terá seus efeitos a partir da data de sua publicação. GABINETE DO SECRETÁRIO MUNICI- PAL DE EDUCAÇÃO, em 13 de dezembro de PAULO RAIMUNDO MACHADO VALE Secretário SEMEC PORTARIA Nº 643/2011/GAB/SEMEC O SECRETÁRIO MUNI- CIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pelo regimento interno da SEMEC, aprovado pelo Decreto nº de 05 de junho de 2008, considerando a necessidade de convocação de Professor de Primeiro e de Segundo Ciclo em regime de 20 (vinte) horas semanais para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas, observado o disposto no art. 41, 5º, da Lei nº 2.978/92, com as alterações da Lei nº 4.018/2010, RE- SOLVE: Art. 1º. Lotar em caráter provisório o(a) Professor(a) de Segundo Ciclo FRANCISCO FÁBIO RIBEIRO PEREIRA, Matrícula , com regime de 20 (vinte) horas para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas semanais até 31 de dezembro de 2011, com efeitos retroativos a Art. 2º. Revogadas as disposições em contrário, esta Portaria terá seus efeitos a partir da data de sua publicação. GABINETE DO SECRETÁRIO MUNICI- PAL DE EDUCAÇÃO, em 13 de dezembro de PAULO RAIMUNDO MACHADO VALE Secretário SEMEC PORTARIA Nº 650/2011/GAB/SEMEC O SECRETÁRIO MUNI- CIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, que lhe são conferidas pelo regimento interno da SEMEC, aprovado pelo Decreto nº de 05 de junho de 2008, considerando a necessidade de convocação de Professor de Primeiro e de Segundo Ciclo em regime de 20 (vinte) horas semanais para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas, observado o disposto no art. 41, 5º, da Lei nº 2.978/92, com as alterações da Lei nº 4.018/2010, RE- SOLVE: Art. 1º. Lotar em caráter provisório o(a) Professor(a) de Segundo Ciclo EMANUEL CORDEIRO MOTA, Matrícula , com regime de 20 (vinte) horas para prestar serviço em regime de 40 (quarenta) horas semanais até 31 de dezembro de 2011, com efeitos retroativos a Art. 2º. Revogadas as disposições em contrário, esta Portaria terá seus efeitos a partir da data de sua publicação. GABINETE DO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDU- CAÇÃO, em 28 de dezembro de PAULO RAIMUNDO MA- CHADO VALE Secretário SEMEC EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 219/2011/SEMEC (Processo nº /2011/SEMA Convite nº 36/2011) CON- TRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CON- TRATADA: AFN Financiamentos e Serviços Ltda OBJETO: Contratação de empresa construtora para execução da obra e/ou serviços de Pequenos reparos estruturais nos CMEI: Pantanal II, Dona Odinéia, Tia Regina Napoleão, Tia Kininha, Zélia Calixto, Natureza, José João de Melo Braga, Júlio César, Professora Maria Aldinéia, Antonio Alves de Holanda, Ladeira do Uruguai, Tia Sabina, Professor Gilberto Silva, Planalto Uruguai e Maria Amélia de Freitas. RECURSOS: Classificação Orçamentária: Construção/Ampliação/Reforma de CMEI S; Elemento de Despesa: Obras e Instalações; Fonte de Recurso: 0215 RECURSOS DO MEC/FNDE/SALÁRIO-EDUCAÇÃO. VALOR: R$ ,70 (noventa e oito mil seiscentos e quarenta e seis reais e setenta centavos). VIGÊNCIA: 225 (duzentos e vinte e cinco) dias ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Regina Lúcia Monteiro Soares EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 220/2011/SEMEC (Processo Licita tório n º / /SEMA Pregã o Presencial nº 119/2011) CONTRATANTE: Secretaria Municip al d e Ed ucaç ão SEMEC CONTRATADA: Águ a Limp a Hotelaria e Turismo Ltda OBJETO: Contratação de empresa do ramo de eventos, para a prestação de serviços de hospedagem em hotel tipo confortável, por 06 (seis) dias, no período de 12 a 16 de dezembro de 2011, para 124 cursistas e 03 ministrantes, bem como alimentação (café para 127 pessoas, almoço para 300 pessoas e jantar para 127 pessoas), locação de espaço físico com equipamentos de som e aquisição de material instrucional para 300 pessoas, compra de passagens terrestres de ida e volta para 124 cursistas, dos 62 municípios da região de Teresina e de passagens aéreas de ida e volta para os 03 ministrantes, para a realização do VII Seminário Municipal de Formação de Gestores e Educadores, Programa da Educação Inclusiva: direito à diversidade. RECURSOS: Oriundos do Convênio, de nº /2008/ MEC/FNDE, fonte de recursos 0222 e 0101, dotação orçamentária Outros Serviços Terceiros Pessoa Jurídico. VA- LOR: R$ ,00 (cento e noventa e um mil reais). VIGÊN- CIA: 90 (noventa) dias, contados a partir da sua assinatura 05/ 12/2011 ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo

10 10 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº Machado Vale PELA CONTRATADA Mary do Socorro Ribeiro Franco EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 222/2011/SEMEC (Processo nº /2011 Pregão Presencial nº 060/2011- SEMEC) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: Distribuidora Valente Ltda OBJETO: Fornecimento pela CONTRATADA, por meio de SISTEMA DE RE- GISTRO DE S, DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, PERECÍ- VEIS PARA ATENDER OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL, ENSINO FUNDAMENTAL, PROJOVEM, EJA E MAIS EDUCA- ÇÃO DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO, PARA O ANO LETIVO DE constantes do LOTE IV Frango congelado, destinados ao fornecimento da merenda aos alunos da rede pública municipal de ensino. VALOR: R$ ,10 (quatrocentos e quarenta e um mil duzentos e cinco reais e dez centavos), referente ao LOTE IV. RECURSOS: Recurso Próprio - PMT, Fonte 0100 e MEC/FNDE, Fonte 0215 Classificação Orçamentária n. o Merenda Escolar, Elemento de Despesa Material de Consumo; e Fonte 0215 MEC/FNDE Classificação Orçamentária n. o Educação de Jovens e Adultos - Elemento de Despesa Material de Consumo. VIGÊNCIA: 04 (quatro) meses contados a partir de sua assinatura 13/12/2011. ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Regina Célia Bezerra Prestação de serviços terceirizados de natureza continuada, para suprir as necessidades Secretaria Municipal de Educação SEMEC que compõe a Prefeitura Municipal de Teresina. VALOR: R$ ,00 (quatrocentos e dez mil e duzentos e vinte e cinco reais) RECURSOS: Tesouro Municipal - Fonte 0101 e FUNDEB, Elemento de Despesa Locação de Mão de Obra. VIGÊNCIA: até 30 de junho de 2012, contado a partir da data de sua assinatura 02/01/2012. ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Daniela Roberta Duarte da Cunha EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 002/2012/SEMEC (Processo Administrativo nº /2011/SEMEC Pregão Presencial nº 034/2010-CCEL PI Serviços Comuns - SRP) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: Limpel Serviços Gerais Ltda OBJETO: Prestação de serviços terceirizados de natureza continuada, para suprir as necessidades Secretaria Municipal de Educação SEMEC que compõe a Prefeitura Municipal de Teresina. VALOR: R$ ,00 (setecentos e sessenta e dois mil e quinhentos reais) RECURSOS: Tesouro Municipal - Fonte 0101 e 0219-FUNDEB, Elemento de Despesa Locação de Mão de Obra. VIGÊNCIA: até 30 de junho de 2012, contado a partir da data de sua assinatura 02/01/ ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Miguel Avelar de Castro Monteiro EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 223/2011/SEMEC (Processo nº /2011 Pregão Presencial nº 060/2011- SEMEC) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: Eanes C. B. Torres (Tomatel) OBJETO: Fornecimento pela CONTRATADA, por meio de SISTEMA DE REGISTRO DE S, DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, PERE- CÍVEIS PARA ATENDER OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFAN- TIL, ENSINO FUNDAMENTAL, PROJOVEM, EJA E MAIS EDU- CAÇÃO DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO, PARA O ANO LETIVO DE constantes do LOTE III Carne Bovina, Calabresa e Peixe, destinados ao fornecimento da merenda aos alunos da rede municipal pública de ensino. VALOR: R$ ,00 (quatrocentos e cinquenta mil e quarenta reais), referente ao LOTE III. RECURSOS: Recurso Próprio - PMT, Fonte 0100 e MEC/FNDE, Fonte Cla ssifica ção Orç amen tária n. o Merenda Escolar, Elemento de Despesa Material de Consumo; e Fonte 0215 MEC/FNDE Classificação Orçamentária n. o Educação de Jovens e Adultos - Elemento de Despesa Material de Consumo. VIGÊNCIA: 04 (quatro) meses contados a partir de sua assinatura 13/12/2011. ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Eanes Castelo Branco Torres EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 224/2011/SEMEC (Processo Licitatório nº /2011/SEMA Pregão Presencial SRP nº 111/2011 Relançamento - SEMEC) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: C.H. Rodrigues Ind. e Com. - ME OBJETO: Contratação de empresa especializada em serviço de Buffet, para fornecimento pelo Sistema Registro de Preço, de Coffee Break, Lanche e Almoço, para oferecimento aos participantes dos eventos promovidos pela SEMEC. VALOR: R$ 8.002,46 (oito mil dois reais e quarenta e seis centavos) RECURSOS: Class ificaçã o Or çamentár ia Administração da SEMEC, Fonte 0101 Recursos Próprio da PMT, Elemento de Despesa Material de Consumo. VIGÊNCIA: 02 (dois) meses contados a partir de sua assinatura 16/12/2011. ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Carlos Henrique Rodrigues Uchôa EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº 001/2012/SEMEC (Processo Administrativo nº /2011/SEMEC Pregão Presencial nº 034/2010-CCEL PI Serviços Comuns - SRP) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: Servfaz Serviços de Mão de Obra Ltda OBJETO: EXTRATO DE TERMO ADITIVO DE CONTRATO TERMO ADITIVO DE CONTRATO Nº 100/2011/SEMEC (ref. Contrato nº 142/2010/SEMEC Processo Administrativo nº /2011) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: C.L. Beserra Ltda OBJETO: Renovação do Contrato nº 142/2010, pelo período de 12 (doze) meses, vigorando, portanto, a partir de 10/09/2011 até 09/09/2012. ASSINAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CON- TRATADA Carmélio Lustosa Beserra EXTRATO DE TERMO ADITIVO DE CONTRATO TERMO ADITIVO DE CONTRATO Nº 126/2011/SEMEC (ref. Contrato nº 003/2011/SEMEC Processo Administrativo nº /2011) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: Dinâmica Prestadora de Serviços de Agenciamento de Mão de Obra Ltda, nome fantasia Dinâmica OBJETO: Renovação do Contrato nº 003/2011, pelo periodo de 05 (cinco) meses, vigorando, portanto, a partir de 10/11/2011 até 09/04/2012. ASSI- NAM: PELA CONTRATANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA Paulo Rubens Ramos Pereira EXTRATO DE TERMO ADITIVO DE CONTRATO TERMO ADITIVO DE CONTRATO Nº 132/2011/SEMEC (ref. Contrato nº 138/2011/SEMEC Processo Administrativo nº /2011) CONTRATANTE: Secretaria Municipal de Educação SEMEC CONTRATADA: J.W.M. Comércio e Construções Ltda OBJETO: Com o presente Primeiro Termo Aditivo fica PRORROGADO o PRAZO DE EXECUÇÃO de pequenos reparos estruturais nos Centros Municipais de Educação Infantil Bom Jesus/Wall Ferraz, Santa Maria da Codipi, Tia Zoraide Almeida e Vila Mariana Fortes, por mais um período de 65 (sessenta e cinco) dias, tendo início em 29/ 11/2011, contado da data de recebimento da ordem de serviço, vigorando, portanto, até 01/02/2012. ASSINAM: PELA CONTRA- TANTE Paulo Raimundo Machado Vale PELA CONTRATADA José Wilson Ramos de Resende Sobrinho Secretaria Municipal de Finanças EXTRATO DE TERMO ADITIVO Nº 04 AO CONTRATO Nº 05/ 2009 Espécie: Locação de Imóvel Contratado: Luauto Imóveis Ltda Contratante: Município de Teresina Objeto: Prorrogação do prazo de vigência do aluguel de imóvel por 1(um) mês a partir da data de assinatura do Termo Aditivo. Data: 28/novembro/2011 Signatários: Elmano Férrer de Almeida (Locatário); Antônio Luis Ramos de Resende Júnior (Locador).

11 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de EXTRATO DO CONTRATO Nº 028/2011 Espécie: Serviço de Remoção e Reinstalação de Placa de Sinalização Contratado: Empresa Ferricosta Ltda Contratante: Município de Teresina Objeto: Prestação de serviço de remoção e reinstalação de placa de sinalização da Central de Atendimento ao Público CAP- Leste na Av. Dom Severino, 2121, salas 103 e 104, para o novo local Av. João XXIII, 2715, São Cristóvão Superintendência de Desenvolvimento Leste SDU/Leste. Data: 1 /dezembro/2011 Signatários: Elmano Férrer de Almeida (Contratante); Tieri Pinto de Morais (Contratada). Secretaria Municipal da Juventude EDITAL DE SELEÇÃO 001/2011 O Conselho Municipal da Juventude - COMJUV, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, tendo em vista a Lei nº 3.337, de 20 de Agosto de 2004, alterado pela lei nº de 24 de Outubro de 2007, convoca as entidades não governamentais, de âmbito municipal, para participar da seleção e eleição de 10(dez) entidades titulares e 3(três) entidades suplente, representantes da sociedade civil, sendo por cada uma indicados 1 (um) representante titular e 1 (um) suplente, que comporão o referido conselho, para o biênio de a realizar-se, na sala do Conselho Municipal da Juventude - COMJUV, localizada à Rua São Pedro nº 1504,Centro, na forma estabelecida neste Edital. 1-DO OB- JETO: O presente Edital tem por objeto selecionar entidades que trabalham com a juventude para a composição do Conselho Municipal da Juventude, para CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO: 2.1. Poderão participar desta seleção as entidades que atenderem às condições e exigências estabelecidas neste Edital; 2.2. As entidades legalmente constituídas que tenham trabalho reconhecido com a juventude; 2.3. Serão impedidas de participar as entidades que apresentarem qualquer restrição de natureza legal, inclusive judicial; 2.4. Uma vez protocolado o pedido de participação do referido Edital esse não poderá ser substituído; 2.5. Os documentos necessários à habilitação deverão ser apresentados em original, ou cópias autenticadas; 2.6. Os documentos referentes à habilitação, apresentado com validade expirada, implicará na inabilitação da entidade. 3- COMIS- SÃO DE SELEÇÃO: 3.1. A comissão será formada por 6 (seis) representantes do Conselho Municipal de Juventude COMJUV, sendo 2 (dois) do Poder Público e 4 (quatro) da sociedade civil deliberando em reunião do referido Conselho, responsável pela seleção e eleição das Entidades, observando os itens 2 e 5 do referido Edital. 4- HABILITAÇÃO: 4.1. DO PERÍODO E LO- CAL DE ENTREGA DOS ENVELOPES Deverão ser entregues todos os documentos referentes ao item 4.2, em envelopes lacrados no período de 09 de Janeiro de 2012 a 06 de Fevereiro de 2012, nos dias úteis, junto à secretaria do Conselho Municipal da Juventude COMJUV, localizado à São Pedro 1405, Centro, no horário de 8h às 13h; 4.2 DOS DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO Prova de inscrição regular e válida no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica CNPJ, do Ministério da Fazenda; Estatuto da entidade registrada em cartório; Ata da eleição da última diretoria; Balanço anual referente ao ano anterior; Última ata da assembléia geral ordinária registrada em cartório; Apresentar relatório de atividades desenvolvidas junto à juventude, acompanhados de documentos comprobatórios. 5- DOS PROCEDIMENTOS DE HA- BILITAÇÃO DAS ENTIDADES: 5.1. O processo de seleção das entidades que irão compor o Conselho Municipal da Juventude - COMJUV consiste de 4 (quatro) etapas: Abertura dos envelopes, conforme item 6; Visita às entidades, conforme item 7; Seleção, conforme item 8; Eleição, conforme item ABERTURA DOS ENVELOPES : 6.1. Dia 07 de Fevereiro de 2012, às 09h, no Auditório da Secretaria Municipal de Juventude SEMJUV, situado à Rua São Pedro, 1405 Bairro Centro; 6.2. Poderá participar da abertura dos envelopes apenas 01 (um) representante de cada entidade inscrita, devidamente identificada. 6.3 Após a análise de regularidade da documentação será registrado em ata da Comissão de Seleção a habilitação e os motivos da inabilitação, conforme os itens do Edital. 7-VISITAÇÃO: 7.1. As entidades receberão uma visita de membros da Comissão de Seleção, objetivando atestar as informações e a capacidade técnica apresentadas no processo de habilitação, durante os dias 13 de Fevereiro a 24 de Fevereiro de Participarão da fase de seleção (item 8) apenas as entidades habilitadas para as quais se emitirá parecer técnico de credenciamento ou não pela comissão de Seleção, segundo os critérios deste Edital. 8- SELEÇÃO: 8.1 Após as visitas, no dia 27 de Fevereiro a Comissão publicará a lista das entidades habitadas a participarem das eleições O período previsto para recursos será de 28 de Fevereiro a 02 de Março, junto à secretaria do Conselho Municipal da Juventude. O resultado dos recursos será divulgado no dia 5 de Março de 2012, e no mesmo dia será divulgada a lista das entidades habilitadas 9 ELEIÇÃO: 9.1 A eleição acontecerá no dia 09 de Março de 2012, das 9h às 11h, no Auditório da Secretaria Municipal da Juventude Poderão votar os responsáveis legais pelas entidades habilitadas ou representantes devidamente identificados e com procuração para tal representação A eleição será em regime secreto, a apuração e a divulgação dos resultados serão logo após o período estabelecido para eleição Em caso de empate, será considerada eleita a entidade que comprovar data de constituição mais antiga INDICAÇÃO DOS MEMBROS REPRE- SENTATIVOS: As entidades eleitas deverão indicar formalmente ao Conselho os nomes dos seus representantes (titular e suplente), no período de 12 a 15 de Março de 2012, para nomeação através de decreto, e respectiva publicação no Diário Oficial do Município, caracterizando a investidura no cargo de Conselheiro. Teresina, 09 de Janeiro de Geraldo Jarques P. Filho Presidente do Conselho Municipal de Juventude AVISO DE PRORROGAÇÃO DA ERRATA EDITAL DE SE- LEÇÃO DE PROJETOS DE JUVENTUDE TERESINA/2011 A Comissão de Seleção de Projetos de Juventude do Município de Teresina, no Estado do Piauí, constituída pelo Decreto Municipal nº , de 25 de Novembro de 2011, reuniu- se no dia 09/01/2012, às 12:00 h, na sede da Secretaria Municipal da Juventude- SEMJUV para decidir a prorrogação do prazo para inscrição de projetos pelas Organizações de Juventude. Atendendo as solicitações das mesmas mediante a argumentação alegada de que não receberam, em tempo hábil, dos órgãos expedidores, a documentação exigida pelo Edital de Seleção de Projetos de Juventude, publicado no Diário Oficial do Município nº1428, de 25 de Novembro de 2011, Aviso de Errata, publicado no Diário Oficial do Município nº 1.433, de 22 de Dezembro de 2011 e, considerando, ainda, a importância de viabilizar a ampliação de projetos de Juventude a serem desenvolvidos pelas organizações juvenis, decidiu flexibilizar o prazo de entrega desses projetos para até o dia 13/01/2012, das 8:00 às 13:30 h. A Comissão informa que esse prazo é improrrogável. Teresina (PI), 09 de Janeiro de 2012 ERINALDA FEITOSA PEREIRA Secretária Municipal da Juventude Presidente da Comissão de Seleção de Projetos de Juventude Administração Indireta Fundação Cultural Monsenhor Chaves PORTARIA GP N 01 /2012 Teresina, 09 de janeiro de O PRE- SIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA MONSENHOR CHAVES, no uso de suas atribuições legais e obedecendo ao Art.28 do decreto Nº de 23 de janeiro de 2012, resolve; NOMEAR: Os servidores ANTÔNIO PIRES FERREIRA NETO e JOSIAS SANTOS FILHO, sob a presidência do primeiro, para compor a Comissão de Avaliação Técnica Setorial da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, para proceder à análise e emitir parecer da avaliação dos servidores desta Fundação, e encaminhar a Comissão de Avaliação Técnica Central da SEMA. Gabinete da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, em 09 de janeiro de Marcelo Leonardo de Melo Simplício PRESIDENTE da FMC

12 12 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito PORTARIA Nº 012/ GAB/STRANS. A SUPERINTEN- DENTE MUNICIPAL DE TRANSPORTES E TRÂNSITO, no uso das atribuições que lhe conferem o Decreto Municipal nº 4927 de 14/08/2001, Lei Municipal nº 3148 de 03/12/2002, Lei Municipal nº de 16/12/2009, Decreto Municipal nº 1157 de 06/10/1988 e a Lei nº de 20/09/1989. CONSIDERAN- DO o que dispõe o Decreto Municipal nº 4.927/2001 e a Lei Municipal nº 3.148/2002, que tratam da instituição do Sistema Eletrônico de Bilhetagem dos Transportes Coletivos do Município de Teresina. CONSIDERANDO o que estabelece a Lei Municipal nº 3.946/2009 nos artigos 64, 65 e seus respectivos parágrafos. CONSIDERANDO as atribuições conferidas ao Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Teresina SETUT para fins de registro de dados, controle, informação e conferência, em conjunto com a STRANS, RESOLVE: Art. 1º Fica estabelecido que a partir do dia 31/01/2012 a gratuidade assegurada no sistema de transporte público coletivo urbano do Município de Teresina para pessoas idosas somente poderá ser usufruída mediante a apresentação e registro no validador do cartão eletrônico de gratuidade, não sendo admitida a utilização de qualquer outro documento para gozo do benefício. Art. 2 O cartão eletrônico de gratuidade poderá ser requisitado junto ao SETUT Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Passageiros de Teresina para fins de garantia da gratuidade fixada em Lei, no mencionado transporte. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Teresina (PI), 04 de novembro de Maria Alzenir Porto da Costa Superintendente da STRANS Superintendência de Desenvolvimento Urbano - Sudeste EXTRATO DE CONTRATO: Contrato nº 070/2011-A. J. SDU Sudeste. Contratante:Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste.Contratada:Empresa: Gesneide Santos Rocha-ME, Objeto: o fornecimento pela Contratada de vassouras, equivalente ao Lote IV, incluindo serviço de entrega, por um período de 12(doze) meses, conforme planilha em anexo no Processo Lic. nº /2011-SRP/SEMA-PMT, Pregão Presencial nº 084/2011-SRP/CPL/SEMA/PMT.Vigência Contratual: 12(doze) meses, contados a partir de sua assinatura.fonte de Recursos: 0100, Elemento de Despesa: (Material de Consumo), Classificação Orçamentária: Valor Total do Contrato : R$ 2.544,90 (dois mil e quinhentos e quarenta e quatro reais).data: 05 de dezembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Léo Wanderley Rodrigues Siqueira, Procurador da empresa. EXTRATO DE CONTRATO: Contrato nº 071/2011-A. J. SDU Sudeste. Contratante:Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste.Contratada:Empresa: L. G. Carvalho & Cia. Ltda., Objeto: o fornecimento pela Contratada de sacos para lixo equivalente ao Lote III, incluindo serviço de entrega, por um período de 12(doze) meses, conforme planilha em anexo no Processo Lic. nº /2011-SRP/SEMA-PMT, Pregão P res en cia l n º / S RP /CP L/SEMA/P MT.Vigê n cia Con t ratual: 1 2 (doze ) mes es, con ta d os a p a rtir d e sua assinatura.fonte de Recursos: 0100, Elemento de Despesa: (Material de Consumo), Classificação Orçamentária: Va lor Tota l d o Co n trato : R$ ,00 (onze mil e cento e sessenta e dois reais).data: 05 de dezembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Luiz Gonzaga de Carvalho, Sócio-Administrador da empresa. EXTRATO DE CONTRATO: Contrato nº 072/2011-A. J. SDU Sudeste. Contratante:Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste.Contratada:Empresa: C. L. Beserra Representações Ltda., Objeto: o fornecimento pela Contratada de 2.000(dois mil) garrafões de 20 litros de água mineral, a serem utilizados na Superintendência de Desenvolvimento Urbano SDU Sudeste, conforme especificações e quatidades constantes do Processo Lic. nº /2011-SRP/SEMA-PMT, Pregão P res en cia l n º / S RP /CP L/SEMA/P MT.Vigê n cia Con t ratual: 1 2 (doze ) meses, con ta d os a p a rtir d e s u a assinatura.fonte de Recursos: 0100, Elemento de Despesa: (Material de Consumo), Classificação Orçamentária: Va lor Total d o Con trato : R$ ,00(vinte e três mil e duzentos e noventa e um reais).data: 06 de dezembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Carmelio Lustosa Beserra, Sócio-Administrador da empresa. EXTRATO DE TERMO ADITIVO. 1º Aditivo ao Contrato n 044/2011 A.J. SDU Sudeste. Contratante: Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste. Contratado: Construtora Mercon Ltda.Objeto: Modificação da Cláusula Sétima Dos Prazos, do Contrato nº 044/2011, que será prorrogado por ma is 6 0(s essenta ) dias, ficando o termo final da execução contratual em 30/01/2012,conforme autorização constante do Proc. Adm. nº /2011 e previsão legal no art.57, 1º, inciso II, da Lei nº 8.666/93, que regula a matéria. Data: 01 de dezembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Charles de Carvalho Barradas, Sócio-Gerente da empresa. EXTRATO DE TERMO ADITIVO. 1º Aditivo ao Contrato n 028/2011 A.J. SDU Sudeste. Contratante: Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste. Contratado: Altos Engenharia Ltda. Objeto: Modificação da Cláusula Segunda Do Preço e da Cláusula Sétima Dos Prazos, do Contrato nº 028/2011, que será acrescido no valor de R$ ,50(quarenta e sete mil, quatrocentos e setenta e dois reais e cinquenta centavos), que corresponde a um acréscimo percentual de 25 % do valor total contratado, tudo conforme autorização constante do Proc. Adm. nº /2011 e previsão legal no art.65, inciso I, alínea b e 1º, e art. 57, IV, da Lei nº 8.666/93, que regula a matéria. Data: 15 de dezembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Francisco da Fonseca Castelo Branco, Sócio-Administrador da empresa. EXTRATO DE TERMO ADITIVO. 2º Aditivo ao Contrato n 037/2011 A.J. SDU Sudeste. Contratante: Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste. Contratado: Construtora Cassali Ltda. Objeto: Modificação da Cláusula Sexta - Dos Prazos, do Contrato nº 037/2011, que será prorrogado por mais 45(quarenta e cinco) dias, ficando o termo final da execução contratual em 07/01/2012, com autorização constante do Proc. Adm. nº /11 e previsão legal descrita no Art. 57, 1º, II, da Lei nº 8.666/93, que regula a matéria. Data: 23 de novembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Vicente Paulo Gomes Júnior, Sócio-Administrador da empresa Contratada. EXTRATO DE TERMO ADITIVO. 1º Aditivo ao Contrato n 029/2011 A.J. SDU Sudeste. Contratante: Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste. Contratado: Lastro Engenharia Ltda. Objeto: Modificação da Cláusula Quinta Da Vigência e Eficácia e da Cláusula Sexta - Do Prazo, do Contrato nº 029/2011, que será prorrogado por mais 60(sessenta) dias, ficando o termo final da vigência contratual em 28/02/2012 e da execução contratual em 15/12/2011, com autorização constante do Proc. Adm. nº /11 e previsão legal descrita no Art. 57, II, da Lei nº 8.666/93, que regula a matéria. Data: 14 de outubro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto

13 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Marcelo Eugênio Carvalho do Rêgo Monteiro, Sócio- Administrador da empresa Contratada. EXTRATO DE TERMO ADITIVO. 2º Aditivo ao Contrato n 038/2011 A.J. SDU Sudeste. Contratante: Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste. Contratado: Construtora Norma Ltda. Objeto: Modificação da Cláusula Segunda Do Preço do Contrato nº 038/2011, que será acrescido no valor de R$ 2.869,29(dois mil, oitocentos e sessenta e nove reais e vint e e n ove centa vos), que corr es ponde a u m acr és cimo percentual de 2,93 % do valor total contratado, tudo conforme autorização constante do Proc. Adm. nº /2011 e previsão legal no art.65, inciso I, alínea b e 1º, da Lei nº 8.666/ 93, que regula a matéria. Data: 12 de dezembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: José Augusto Alves da Silva, Sócio-Administrador da empresa. EXTRATO DE TERMO ADITIVO. 1º Aditivo ao Contrato n 031/2011 A.J. SDU Sudeste. Contratante: Superintendência de Desenvolvimento Urbano/SDU-Sudeste. Contratado: Contak Construções Ltda. Objeto: Modificação da Cláusula Segunda Do Preço, do Contrato nº 031/2011, que será acrescido no valor de R$ 1.632,66(um mil, seiscentos e trinta e dois reais e sessenta e seis centavos), que corresponde a um acréscimo percentual de 0,63 % do valor total contratado, tudo conforme autorização constante do Proc. Adm. nº /2011 e previsão legal no art.65, inciso I, alínea b e 1º, da Lei nº 8.666/93, que regula a matéria. Data: 18 de novembro de Assinam pela Contratante: Paulo Roberto de Oliveira Santos, Superintendente da SDU-Sudeste e pela Contratada: Carlos Alberto de Aguiar, Procurador Legal da empresa. Fundação Municipal de Saúde INSTRUÇÃO NORMATIVA FMS/PMT N 001, DE 20 DE SE- TEMBRO 2011 Gestor e Fiscal de Contratos Administrativos e Convênios Celebrados Destinatários: Coordenadores / Diretores / Gerentes / Chefes de Núcleos / Membros de CPL e Pregoeiros / Controle Interno e demais Servidores com Cargos de Chefia na FMS, CRS s e suas Unidades de Saúde envolvidas na Celebração, Execução, Fiscalização/Controle e Prestação de Contas de Contratos Administrativos e Convênios Firmados. Dispõe sobre os atos e procedimentos específicos que visam disciplinar as execuções dos Contratos Administrativos e Convênios Firmados acerca de Obras, Serviços e Compras Públicas, sobre as suas gestões e fiscalizações no âmbito da FMS/PMT e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal / Lei Orgânica do Município de Teresina. Lei Federal nº 8.666/93, de 21/06/1993 e suas Alterações Posteriores. Lei Federal nº , de 17/07/2002 (Lei do Pregão). Lei Complementar nº 101, de 05/05/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal). Lei Municipal nº 1.542, de 20/06/1977, alterada pela Lei nº 3.017/2001 e nº 3.066/2001. Leis Municipais nº 2.959, de 26/12/2000; nº 3.835, de 24/12/2008. Instrução Normativa IN nº 003/95, Dispõe sobre Construção Civil. Instrução Normativa IN nº 001/97, Dispõe sobre Concessões, Execuções e Prestação de Contas de Convênios em Geral. Resolução TCE nº 905, de 22/10/2009, Dispõe sobre prestação de contas e Ações/Serviços da Saúde. A PRESIDÊNCIA DA FUN- DAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS, criada pela Lei Municipal nº 1.542, de 20 de junho de 1977 e suas alterações posteriores, no uso das atribuições que lhes são conferidas pelo Regimento Interno, e, ainda, considerando as competências e obrigações sob jurisdição desta FMS/PMT, como Fundação Municipal responsável pela gestão da saúde pública no Município de Teresina, CONSIDERANDO a urgente necessidade de adequação desta FMS/PMT ao cumprimento às novas regras de controle interno e leis que regulamentam as Execuções de Contratos/ Convênios Administrativos, voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal estabelecidas, em especial, através das Leis Federais nº 8.666/93, nº /02, Instrução Normativa STN nº 001/97 e LC nº 101/00 - Lei de Responsabilidade Fiscal no âmbito desta FMS/PMT; CONSIDERANDO que é indispensável à adoção de mecanismos técnicos, jurídicos e administrativos internos, através de normas específicas vigentes, objetivando cumprir e fazer cumprir esta IN nº 001/11 FMS/PMT, no sentido de que os atos e procedimentos relacionados a Contratos/Convênios Administrativos de Obras, Serviços e Compras sejam adotados de acordo com os princípios constitucionais por parte dos Destinatários em referência; CONSIDERANDO que esta FMS/PMT se encontra, juridicamente, amparada no art. 115 da Lei Federal nº 8.666/93, o qual possibilita que os órgãos da Administração Municipal poderão expedir normas relativas aos procedimentos operacionais a serem observados na execução das licitações e seus contratos/convênios administrativos, no âmbito de sua competência, observadas as disposições da citada Lei Federal. CONSIDERANDO que esta FMS/PMT tem por objetivo o planejamento e a execução da política de saúde do Município de Teresina, desenvolvendo atividades integradas de prevenção, proteção, promoção e recuperação da saúde, além de Auxiliar o Prefeito Municipal nos assuntos referentes à área da Saúde e inúmeras outras atribuições regimentais, seu Presidente deve ter as condições necessárias para melhor pensar as suas competências, visando focar-se mais nas suas efetivas missões gerenciais relevantes voltadas às ações finalísticas da Área de Saúde Pública, objetivando lhe garantir maior eficiência nas suas tomadas de decisões superiores necessárias, no sentido de alcançar resultados satisfatórios quando do gerenciamento dos serviços de saúde pública no âmbito de todo o Município de Teresina; CONSIDERANDO o grande volume de Contratos/Convênios Administrativos, celebrados com Terceiros, gerando a realização de Processos de Licitações e respectivos Processos de Pagamentos, em decorrência dos seus altos graus de complexidades e valores relevantes que devem resultar destes Termos de Parcerias em benefício da Saúde Pública Municipal e em atenção às exigências legais e normativas de controle interno e externo por parte do TCE, TCU, CGU e Ministérios Públicos Estadual e Federal, em especial, às normas do Sistema Único de Saúde SUS, através do Ministério da Saúde. RESOLVE: Descentralizar missões de controle administrativo, normatizar e disciplinar as execuções, monitoramentos e fiscalizações dos seus Contratos/Convênios Administrativos no âmbito da Fundação Municipal de Saúde - FMS, bem como estabelecer rotinas seguras e padrões de Atos e Procedimentos de Gestão, Acompanhamento e Fiscalização Interna dos Contratos/Convênios celebrados por esta FMS/PMT relacionados às Despesas Públicas relacionadas a Obras, Serviços e Compras de sua responsabilidade como pessoa jurídica, extensivas às suas CRS s e Unidades de Saúde. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 º - A p resen te In struçã o Norma tiva tem como ob jetivo normatizar e estabelecer atos e procedimentos que deverão ser obedecidos, especificamente, por aqueles Agentes Públicos da FMS/PMT envolvidos nos Processos de Contratação e Celebração de Convênios de Obras, Bens e Serviços de natureza relevante, em especial, aqueles investidos em Cargos de Chefia na Gestão e Fiscalização de Contratos/Convênios Administrativos, devendo pautar suas ações nos princípios constitucionais e normas de controles que regem a Administração Pública. Art. 2º - Esta Instrução Normativa apresenta regras complementares à Lei de Licitações e Contratos Administrativos (Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993), à Lei do Pregão (Lei nº , de 17 de julho de 2002), Instrução Normativa sobre Convênios (IN STN nº 001/97) e à Lei de Responsabilidade Fiscal LRF (Lei Complementar nº101/2000), devendo ser aplicada observando as rotinas seguras e vigentes da Administração Pública Municipal, em especial, em estrita observância ao art. 3º da primeira lei e ao Capítulo e Seção vinculado à Saúde, nos termos da Lei Orgânica do Município de Teresina. 1º. Todas as licitações que dão origem a contratações de obras, serviços e compras com recursos próprios e aquelas oriundas de Convênios devem sempre destinar-se a garantir a observância do princípio constituci-

14 14 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº onal da isonomia e a selecionar a proposta mais vantajosa para a Administração. 2º. Todos os Contratos/Convênios Administrativos celebrados deverão ser executados e fiscalizados em estrita conformidade com os princípios básicos constantes da Carta Magna e das leis citadas no caput deste artigo, garantidas suas regularidades, economicidade, celeridades e vinculações aos instrumentos convocatórios que lhes são correlatos. 3º. Sendo a qualidade das execuções das obras e serviços e aquisições dos produtos relacionados à Área da Saúde Pública uma exigência fundamental deverá sempre estar presente nas contratações da FMS/PMT, devendo ser observado dois requisitos básicos, a partir da abertura de processos administrativos de licitações até final recebimento pelos destinatários - qualidade nos procedimentos e qualidade dos objetivos,. I Pelo requisito da qualidade nos procedimentos nas suas diversas modalidades de licitações, entende-se que os Membros da CPL e/ou dos Pregões devem ser permanentemente atualizados sobre a regularidade de todos os atos e procedimentos, do início até a contratação, a fim de que realizem seus ofícios com segurança jurídica, prevenindo riscos e corrigindo falhas que possam comprometer o interesse da Administração ou lesionar direitos de terceiros. II Pelo requisito da qualidade dos objetivos propostos, quando da solicitação de autorização por qualquer Unidade Setorial desta FMS/PMT, para abertura de processos de licitações, entende-se que a Administração tem o dever de indicar e especificar o objeto pretendido para licitação com as características necessárias que garantam a qualidade satisfatória, obtendo as vantagens de menor preço e melhor qualidade das obras, serviços e bens, não se admitindo a restrição injustificada à competitividade. Art. 3º - A responsabilidade de garantir a fiel e qualificada execução de Contratos/Convênios Administrativos firmados pela FMS/PMT, num primeiro momento, será dos Coordenadores de cada CRS; em seguida, dos seus respectivos Diretores de Unidade de Saúde, como também de Coordenadores e Gerentes da Sede da FMS, prévia e oficialmente, denominados pelo Presidente o Gestor de Contratos e respectivo Fiscal Direto de Contratos. 1º. Ambos deverão ficar sempre atentos aos Editais e Cláusulas de Contratos e Convênios, às normas legais aplicáveis, às deliberações superiores do Ministério da Saúde, TCU, TCE e observar as disposições estabelecidas no Manual do Gestor Fiscal de Contratos e Convênios MGFCC (Anexo I). 2º. O superior hierárquico administrativo do Fiscal de Contratos/Convênios, nominado de Gestor do Contrato/Convênio, será co-responsável pelo fiel cumprimento do objeto contratado/conveniado pela FMS/PMT, devendo apoiar e orientar a atuação do seu Fiscal. CAPÍTULO II DAS CONCEITUAÇÕES ESPECÍFICAS PRINCIPAIS TER- MOS TÉCNICOS CAPÍTULO III DA CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS E COMPRAS CAPÍTULO IV DAS ATRI- BUIÇÕES DA PRESIDÊNCIA DA FMS/PMT CAPÍTULO V DA GESTÃO E DA FISCALIZAÇÃO DOS CONTRATOS/CONVÊ- NIOS CAPÍTULO VI DOS REQUISITOS E IMPEDIMENTOS DE NOMEAÇÃO DE GESTORES E FISCAIS DE CONTRATOS/ CONVÊNIOS CAPÍTULO VII DOS ATOS DE ACOMPANHA- MENTO DOS ENCARGOS E TRIBUTOS CAPÍTULO VIII DO RECEBIMENTO DO OBJETO DO CONTRATO/CONVÊNIO CAPÍTULO IX DA RESCISÃO DO CONTRATO/CONVÊNIO CAPÍTULO X DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS CAPÍTU- LO XI DISPOSIÇÕES FINAIS Art Quaisquer dúvidas eventualmente suscitadas e outras deliberações superiores específicas por parte da Presidência da FMS/PMT, quando da aplicação desta IN - Instrução Normativa, serão dirimidas pela CAF, através das suas Gerências Técnicas desta FMS/PMT Gerência Administrativa GEADM e Gerência Financeira GEFIN, em con jun to com s eus As s is ten tes. Art Es ta In s truçã o Normativa entra em vigor na data de sua assinatura, devendo ser publicada como condições de eficácia. Teresina, 20 de setembro de FRANCISCO BATISTA DE ALMEIDA COOR- DENADOR DA CAF JOSÉ IVAN LOPES DA SILVA GERENTE DA G EADM AP ROVE-SE E CUMP R A-SE: P EDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO PRESIDENTE DA FMS PORTARIA Nº 1.196/2011 PRESIDÊNCIA DISPÕE SOBRE A APROVAÇÃO DA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, DE 20 DE SETEMBRO DE 2011 E CRIAÇÃO DA COMISSÃO TÉCNI- CA ESPECIAL DE TRABALHO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCI- AS. O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚ- DE - FMS, no uso das atribuições legais e regimentais que lhe são conferidas, com base na Legislação vigente de criação da FMS, em especial, as Leis nº 1.542/77; nº 2.959/00; nº 3.835/08 e nº 4.046/10; e, CONSIDERANDO a urgente necessidade de adequação desta FMS/PMT ao cumprimento às novas regras de controle interno e leis que regulamentam as Execuções de Contratos/Convênios Administrativos, voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal estabelecidas, em especial, através das Leis Federais nº 8.666/93, nº /02, Instrução Normativa STN nº 001/97 e LC nº 101/00 - Lei de Responsabilidade Fiscal no âmbito desta FMS/PMT; CONSIDERANDO que é indispensável à adoção de mecanismos técnicos, jurídicos e administrativos internos, através de normas específicas vigentes, objetivando cumprir e fazer cumprir as Cláusulas de Contratos e Convênios, no sentido de que seus atos e procedimentos possuam Gestor e Fiscal de Contratos e Convênios Administrativos de Obras, Serviços e Compras; CONSIDERANDO o grande volume de Contratos/Convênios Administrativos celebrados com Terceiros, gerando a realização de Processos de Licitações e respectivos Processos de Pagamentos, em decorrência dos seus altos graus de complexidades e valores relevantes que devem resultar destes Termos de Parcerias em benefício da Saúde Pública Municipal e em atenção às exigências legais e normativas de controle interno e externo por parte do TCE, TCU, CGU e Ministérios Públicos Estadual e Federal, em especial, às normas do Sistema Único de Saúde SUS, através do Ministério da Saúde. RESOLVE: Art. 1º - Aprovar a Instrução Normativa FMS/PMT nº 001, de 20 de setembro de 2011, dispõe sobre os atos e procedimentos específicos que visam disciplinar as execuções dos Contratos Administrativos e Convênios Firmados acerca de Obras, Serviços e Compras Públicas, sobre as suas gestões e fiscalizações no âmbito do FMS/PMT e institui a Comissão Técnica Especial de Trabalho - CTET, com a finalidade de proceder aprofundados estudos técnicos, jurídicos e administrativos que possibilitem a elaboração do Manual do Gestor Fiscal de Contratos e Convênios MGFCC (Anexo I), com base na citada IN FMS nº 001/ Parágrafo Único Fica a CTET referida no caput deste artigo com a competência para emitir Posicionamento Formal sob re o efetivo cumprimen to d as d isposiçõ es n orma tiva s exigidas, quando por determinação do Presidente da FMS. Art. 2º - A CTET, a que se refere o artigo anterior, será nomeada através de Portaria do Presidente da FMS, cuja Supervisão será exercida pelo Superintendente Executivo da FMS, por intermédio de seu Gabinete e Assessoria Técnica. Art. 3º - Fica estabelecido que a referida CTET será composta por 9 (nove) membros desta FMS, com funções técnico-administrativas definidas pela Presidência da FMS, conforme disposto na Legislação vigente. Art. 4º - Os membros integrantes da CTET reunir-se-ão por deliberação do Superintendente Executivo da FMS, em dias úteis e data previamente marcada para tratar de assuntos de interesse da FMS acerca de Contratos e/ou Convênios celebrados. Art. 5º - As funções dos membros da CTET, a que se refere o art. 1º desta Portaria, não serão remuneradas, sendo seu exercício funcional considerado de grande relevância para a política de saúde pública no Município de Teresina. Art. 6º - Esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação. Gabinete do Presidente da Fundação Municipal de Saúde, em 20 de setembro de 2011 PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO PRESIDEN- TE DA FMS PORTARIA Nº 1.197/2011 PRESIDÊNCIA NOMEIA OS MEMBROS DA COMISSÃO TÉCNICA ESPECIAL DE TRABA- LHO CRIADA PELA PORTARIA Nº 1.196, DE 20 DE SETEM- BRO DE 2011 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDEN- TE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS, no uso das atribuições legais e regimentais que lhe são conferidas, com base na Legislação vigente de criação da FMS, em especial, as Leis nº 1.542/77; nº 2.959/00; nº 3.835/08 e nº 4.046/10; e, RESOLVE: Art. 1º - Nomear os membros da Comissão Técnica Especial de Trabalho - CTET, com a finalidade de proceder

15 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de aprofundados estudos técnicos, jurídicos e administrativos, conforme estabelecido pelo art. 1º da Portaria nº 1.019/2011, de 20/09/2011, para elaboração do Manual do Gestor Fiscal de Contratos e Convênios MGFCC (Anexo I), com base na citada IN FMS nº 001/2011 Art. 2º - Fica estabelecido que a referida Comissão Técnica Especial de Trabalho - CTET, sob a Supervisão do Superintendente Executivo da FMS, será composta por 9 (nove) membros desta FMS definidos pela Presidência da FMS, com funções técnico-administrativas específicas relacionadas aos dispositivos da IN FMS/PMT nº 001/2011, que será composta pelos seguintes membros: Coordenadoria de Administração e Finanças CAF Coordenadoria de Ações Assistenciais CAA Coordenadoria de Ações Estratégicas CAE Coordenadoria de Gestão do SUS CGSUS Coordenadoria de Recursos Humanos - CRH Assessoria Jurídica da Presidência AJU Coordenação Regional de Saúde CRS Norte Coordenação Regional de Saúde CRS Sul Coordenação Regional de Saúde CRS Leste/Sudeste Art. 3º - Esta Comissão Técnica Especial de Trabalho - CTET responderá pelo prazo de 30 dias, a contar da data de sua assinatura, podendo ser prorrogado por igual período. Art. 4º - Os membros da CTET, a que se refere o art. 2º desta Portaria, não serão remunerados, sendo seu exercício funcional considerado de grande relevância para a política de saúde pública no Município de Teresina. Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete do Presidente da Fundação Municip a l d e Sa ú d e, em 2 0 d e s etemb ro d e P EDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO PRESIDENTE DA FMS PORTARIA Nº 1.198/2011 PRESIDÊNCIA Dispõe sobre a Criação de uma Comissão Especial de Trabalho para Estudos e Elaboração do Projeto de Implantação do Curso de Especialização em Gestão de Desenvolvimento da Saúde Pública do Município de Teresina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS, no uso das atribuições legais e regimentais que lhe são conferidas, com base na Legislação vigente de criação da FMS, em especial, as Leis nº 1.542/77; nº 2.959/00; nº 3.835/08 e nº 4.046/10; e, RESOLVE: Art. 1º - Determinar que cada uma das Coordenadorias da FMS Sede, Regionais e HUT deverão designar um Técnico, para fins de nomeação dos membros da Comissão Especial de Trabalho, com a finalidade de proceder aprofundados estudos técnicos e promover reuniões oficiais, visando a elaboração do Projeto de Implantação do Curso de Especialização em Gestão de Desenvolvimento da Saúde Pública do Município de Teresina. Parágrafo Único O Curso de Especialização terá como Públicoalvo todos os Diretores e Administradores de Hospitais e Unidades de Saúde da Rede Municipal de Saúde de Teresina, bem como outros Servidores com Cargo de Chefia, estes somente por autorização do Presidente da FMS. Art. 2º - Fica estabelecido que a referida Comissão Especial de Trabalho, sob a Coordenação da CAF/ GEADM e CRH/GDP, será composta por 9 (nove) membros desta FMS, nomeados pela Presidência da FMS, com funções específicas de promover estudos e elaboração do referido Projeto Técnico, a qual será composta pelos seguintes membros: 1. Coordenadoria de Recursos Humanos CRH 2. Coordenadoria de Administração e Finanças CAF 3. Coordenadoria de Ações Assistenciais CAA 4. Coordenadoria Regional de Saúde - Norte 5. Coordenadoria Regional de Saúde - Sul 6. Coordenadoria Regional de Saúde Leste/Sudeste 7. Coordenadoria de Gestão do SUS CGSUS 8. Coordenadoria de Ações Estratégicas CAE 9. Hospital de urgência de Teresina - HUT Art. 3º - Esta Comissão Especial de Trabalho terá um prazo de 60 (sessenta) dias para realização de suas funções e entrega do Projeto Técnico, para fins de análise e posterior aprovação por parte da Presidência da FMS, podendo ser prorrogado de conformidade com as necessidades. Art. 4º - Fica estabelecido que nenhum os Membros da Comissão Técnica não serão remunerados pelo exercício destas funções especiais, sendo seus serviços profissionais reconhecidos e considerados relevantes e de grande interesse municipal. Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua assinatura. Gabinete do Presidente da Fundação Municipal de Saúde - FMS, em 20 de setembro de 2011 PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO PRESIDENTE PORTARIA Nº 1.208, DE 27 DE SETEMBRO DE Dispõe sobre o Cadastro de Fornecedores Impedidos de Licitar e Contratar com a Fundação Municipal de Saúde FMS, bem como Disciplina a Aplicação de Sanções Administrativas a Fornecedores Inadimplentes e Inidôneos. O Presidente da Fundação Municipal de Saúde - FMS, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto na Lei Federal n /93, na Lei Federal n /02 e nos Decretos Municipais correlatos e CONSIDE- RANDO, o que dispõe o Decreto Municipal nº 9.176, de 02 de fevereiro de 2009, o qual aprova o Regulamento do Sistema Único de Registro Cadastral do Município de Teresina SURT e o Decreto Municipal nº 9.175/2010 e suas alterações posteriores, que regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP no âmbito da Administração Municipal de Teresina, bem como o Decreto Municipal nº 9.177/2009, que regulamenta as Normas e Procedimentos para a Modalidade Pregão, por meio da utilização de recursos da tecnologia de informática; CONSIDERAN- DO, o que disciplina os arts. 34 a 37 c/c os arts. 77 ao 80 relacionados à Inexecução e à Rescisão dos Contratos celebrados com a FMS, estarão sujeitos às sanções administrativas e da tutela judicial, nos termos dos arts. 81 ao 88 da Lei Federal nº 8.666, de 27 de outubro de 1993 e suas posteriores modificações; CONSIDERANDO, o que dispõe o art. 3º da Lei Federal nº 8.429, de 02 de junho de 1992, denominada Lei de Improbidade Administrativa, o qual estatui que as disposições desta lei são aplicáveis, no que couber, àquele que, mesmo não sendo agente público, induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. CON- SIDERANDO, o disposto no art. 46 da Lei nº 8.443, de 16 de julho de 1992, expedida pelo TCU, verificada a ocorrência de frau d e comp r ova d a à licitaç ã o, o T rib u n a l d ecla ra rá a inidoneidade do licitante fraudador para participar, por até cinco anos, de licitação na Administração Pública ; CONSIDERAN- DO, os princípios constitucionais da Ampla Defesa e do Contraditório assegurados aos Fornecedores por meio da Constituição Federal de 1988, desde que atendam os prazos regulamentares estabelecidos nos Atos Administrativos e Normativos no âmbito desta FMS. RESOLVE: Art. 1º - Fica criado no âmbito da Fundação Municipal de Saúde - FMS o Cadastro de Fornecedores Impedidos de Licitar e Contratar com a Fundação Municipal de Saúde - CAFILC, que será regido pelas disposições adiante. Art. 2º - Para fins desta Portaria, considera-se: I - Fornecedor - pessoa física ou jurídica, devidamente habilitada, que tenha interesse em participar de certame licitatório ou de cotação eletrônica de preços, mantenha ou tenha mantido relação de fornecimento de bens ou prestação de serviços com a Administração Pública Municipal; II - Administração Pública Municipal - Administração Direta e Indireta do Município, abrangendo, inclusive, as entidades de personalidade jurídica de direito privado sobre controle do Poder Público e as fundações por ele instituídas e mantidas; III Processo é o conjunto de atos coordenados para obtenção de decisão sobre uma controvérsia no âmbito administrativo, podendo realizar-se por diferentes procedimentos, consoante a natureza da questão a decidir e os objetivos desta decisão; IV Procedimento forma pela qual se desenvolve e se aplica o processo, constituindo-se no conjunto de atos que realizam a finalidade do Processo propriamente dito; V - Retardamento imotivado da execução - é aquele que não foi justificado pelo fornecedor, ou se o foi, os argumentos não foram aceitos pela Administração; VI - Ato Ilícito - é todo aquele resultante de ação ou omissão, por dolo ou culpa, que represente violação do Direito; V - Condenação Definitiva - é a sentença judicial transitada em julgado; VI - Inidoneidade do Fornecedor - é a prática de ato ilícito, com condenação definitiva pela Administração Pública, que envolva ação ou omissão que afete obrigações contratuais ou legalmente impostas; VII - Fornecimento de baixa qualidade é aquele cujos resultados não correspondem ao exigido no contrato ou instrumento equivalente; VIII - Parecer Técnico Fundamentado - é o entendimento ou o esclarecimento emitido por Assessoria Técnica competente sobre determinada questão submetida à sua avaliação, devidamente fundamentado e justificado; IX - Parecer Jurídico

16 16 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº Fundamentado - é o entendimento ou o esclarecimento emitido por Assessor Jurídico competente sobre determinada questão submetida à sua avaliação, devidamente fundamentado e justificado; X - Gestor do Contrato - é aquele responsável pelo acompanhamento, controle e fiscalização da execução do objeto contratual, determinando o que for necessário à regularização das faltas ou defeitos observados. Art O Cadastro de Fornecedores Impedidos de Licitar e Contratar - CAFILC é único e será gerido por uma Comissão Gestora, responsável pela inclusão e retirada de fornecedores, ficando os ali inscritos impedidos de licitar e contratar com a FMS. Art Será inscrito no CAFILC, após processo administrativo conclusivo pela aplicação da sanção, o fornecedor que: I - Descumprir ou cumprir parcialmente obrigação decorrente de contrato firmado com Órgão ou Entidade da Administração Pública Municipal; II - Tenha praticado ato ilícito visando a frustrar os objetivos de licitação no âmbito da Administração Pública Municipal; III - Tenha sofrido condenação definitiva por praticar, por meio doloso, fraude fiscal no recolhimento de qualquer tributo; IV - Demonstrar não possuir idoneidade para contratar com a Administração Pública em virtude de ato ilícito praticado; ou V - Esteja cumprindo penalidade prevista nos incisos III ou IV do art. 87 da Lei Federal n.º 8.666, de 1993, na data de vigência d es t a P ortar ia. Art Sã o con s id erad a s s itua ç õ es caracterizadoras de descumprimento total ou parcial de obrigação contratual, a que se refere o inciso I do caput do art. 4., dentre outras: I - Não atendimento às especificações técnicas relativas a bens, serviços ou obra prevista em contrato ou instrumento equivalente; II - Retardamento imotivado de fornecimento de bens, da execução de obra, de serviço, ou de suas parcelas; III - Paralisação de obra, de serviço ou de fornecimento de bens, sem justa causa e prévia comunicação à Administração; IV - Entrega, como verdadeira ou perfeita, de mercadoria falsificada, furtada, deteriorada, danificada ou inadequada para o uso; V - Alteração de substância, qualidade ou quantidade da mercadoria fornecida; VI - Prestação de serviço de baixa qualidade. Art O fornecedor que incorrer em alguma das hipóteses previstas no art. 4. desta Portaria estará sujeito, sem prejuízo das demais sanções previstas na legislação vigente, à suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração ou à declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública. 1º - A suspensão temporária impedirá o fornecedor de licitar e contratar com a Administração Pública pelos seguintes prazos: I - Seis meses, nos casos de: a) alteração de substância, qualidade ou quantidade da mercadoria fornecida; b) prestação de serviço de baixa qualidade; II - Doze meses, no caso do descumprimento de especificação técnica relativa a bem, serviço ou obra prevista em contrato; III - Vinte e quatro meses, nos casos de: a) retardamento imotivado da execução de obra, de serviço, de suas parcelas, ou de fornecimento de bens; b) paralisação de obra, de serviço ou de fornecimento de bem, sem justa causa e prévia comunicação à administração; ou c) entregar, como verdadeira ou perfeita, mercadoria falsificada, furtada, deteriorada, danificada ou inadequada para ouso; d) praticar ato ilícito visando frustrar os objetivos de licitação no âmbito da Administração Pública Estadual; ou e) sofrer condenação definitiva por praticar, por meio doloso, fraude fiscal no recolhimento de qualquer tributo. 2º - Será declarado inidôneo, ficando impedido de licitar e contratar com Administração Pública, por tempo indeterminado, o fornecedor que: I - Não regularizar a inadimplência contratual nos prazos estipulados nos incisos do parágrafo anterior; II - Demonstrar não possuir idoneidade para contratar com a Administração Pública, em virtude de ato ilícito praticado. Art Em se tratando de licitação ou contratação na modalidade Pregão, serão observados os prazos definidos na legislação específica. Art A inscrição de fornecedor no CAFILC será efetuada pela Comissão Gestora, após encaminhamento do processo pelo Presidente da FMS ou autoridade a ele equivalente, quando for o caso. Parágrafo Único. Nos ca sos d e in s cr iç ã o d e fornec ed or n o CAFILC p or solicitação de outro órgão ou entidade do Município de Teresina, o processo será inicialmente encaminhado à Presidência da FMS, para deliberação sobre o pleito. Art O CAFILC conterá as seguintes informações: I - A qualificação do fornecedor, indicando-se nome ou razão social e número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas - CNPJ ou no Cadastro de Pessoas Físicas CPF, se pessoa física; II - Nome e CPF de todos os sócios da empresa, se for o caso; III - Sanção aplicada, com os respectivos prazos de impedimento; IV- Eventuais penas cumulativas; V - Órgão ou Entidade e autoridade que aplicou a sanção; VI - Número do processo; e VII - Referência ao ato de aplicação da sanção VIII - Data de publicação do ato. Art A inscrição do fornecedor no CAFILC implicará: I - Rescisão imediata da relação contratual que gerou o impedimento; II - Inabilitação do fornecedor ou desclassificação deste no procedimento licitatório; III - Proibição do fornecedor para participar de procedimentos licitatórios; IV - Proibição de firmar novos contratos com a Administração Pública Municipal; V - Avaliação da execução dos demais contratos vigentes, que poderão ser, motivadamente, rescindidos pela autoridade competente quando presentes efetivas razões de interesse público; e VI - Bloqueio automático para o Sistema Integrado de Administração Financeira. Art No caso do fornecedor incluído no CAFILC possuir direitos a pagamentos não vinculados ao impedimento, o Ordenador de Despesas avaliará cada caso isoladamente e poderá realizar pagamentos devidos em eventos específicos. Art É obrigatória a consulta prévia ao CAFILC para: I - Realização de pagamentos; II - Celebração de convênios, acordos, ajustes ou contratos e respectivos aditamentos que envolvam desembolso, a qualquer título, de recursos públicos. III - Admissão ou Habilitação ou em procedimento licitatório. Art A relação dos fornecedores incluídos no CAFILC será, sempre que possível, disponibilizada por meio eletrônico. Art O fornecedor será excluído do CAFILC nos seguintes casos: I - Expirado o prazo da suspensão, desde que cumpridas integralmente as punições impostas; II - A pedido do fornecedor declarado inidôneo, decorrido o prazo mínimo de 2 (dois) anos, desde que reabilitado pela Administração, a forma que dispõe o 3º do art. 87 da Lei Federal nº 8.666, de 1993; III - Por determinação judicial. Art A gestão do CAFILC ficará a cargo de uma Comissão Especial Gestora, composta de, no mínimo, 3 (três) membros, sendo pelo menos um deles servidor efetivo, designados pelo Presidente da FMS por meio de Portaria, com mandato de 1 (um) ano, permitida a recondução parcial de seus integrantes. Art Compete à Comissão Especial Gestora do CAFILC a realização de todos os atos que impliquem na gestão e manutenção do cadastro, em especial: I - Analisar os dados e documentos apresentados pelos fornecedores, apreciando os pedidos de cancelamentos de fornecimentos, realinhamento de preços, recursos administrativos, rescisões contratuais e demais atos relacionados com a fase de execução contratual; II - Atualizar os arquivos e o sistema de informações do CAFILC. Art Aos fornecedores que descumprirem total ou parcialmente os contratos celebrados com a Administração Pública Municipal serão aplicadas as sanções previstas no art. 87 da Lei Federal nº 8.666, de 1993, sem prejuízo de outras sanções previstas em outros instrumentos legais, obedecidos os seguintes critérios: I - Advertência - utilizada como comunicação formal, ao fornecedor, sobre o descumprimento de contratos e outras obrigações assumidas e a determinação da adoção das necessárias medidas de correção; II - Multa - deverá ser prevista no instrumento convocatório ou no contrato, observados os seguintes limites máximos: a) 0,3% (três décimos por cento) por dia, até o trigésimo dia de atraso, sobre o valor do fornecimento ou serviço não realizado, ou sobre a etapa do cronograma físico de obras não cumprido; b) 10% (dez por cento) sobre o valor da nota de empenho ou do contrato, em caso de recusa do adjudicatário em efetuar o reforço de garantia; ou c) 20% (vinte por cento) sobre o valor do fornecimento, serviço ou obra não realizada, no caso de atraso superior a 30 (trinta) dias, com o conseqüente cancelamento da nota de empenho ou documento correspondente; III - Suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração; IV- Declaração de

17 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública, enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, que será concedida sempre que o contratado ressarcir a Administração pelos prejuízos resultantes e após decorrido o prazo da sanção aplicada com base no inciso anterior. 1º - O valor da multa aplicada, nos temos do inciso II, será descontado do valor da garantia prestada, retido dos pagamentos devidos pela Administração ou cobrado judicialmente. 2º - As penalidades de advertência e multa serão aplicadas de ofício ou por provocação dos órgãos de controle, pela autoridade competente. 3º - A pena de multa poderá ser aplicada cumulativamente com as demais sanções restritivas de direitos, constantes desta Portaria. Art Constatada a ocorrência de descumprimento total ou parcial de contrato, que aponte a possibilidade de aplicação das sanções descritas no art. 17 desta Portaria, o servidor público responsável pelo atestado de prestação de serviços, de recebimento parcial ou total de obra ou de entrega de bens emitirá parecer técnico fundamentado e o encaminhará à Comissão Gestora do CAFILC. 1º - Ciente do parecer técnico, a Comissão Gestora deverá instaurar procedimento administrativo punitivo, notificando o fornecedor, por escrito, sobre os motivos que ensejaram a indicação das sanções cabíveis e o prazo de 5 (cinco) dias úteis para apresentação de defesa, salvo quando for hipótese de declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração, em que o prazo para defesa será de 10 (dez) dias. 2º - A notificação a que se refere o 1º será enviada pelo correio, com aviso de recebimento, ou entregue ao fornecedor mediante recibo, ou na sua impossibilidade, publicada no Diário Oficial, quando começará a contar o prazo para apresentação de defesa. Art Não acolhidas as razões da defesa apresentada pelo fornecedor ou em sua ausência, situação em que será presumida a concordância do fornecedor com os fatos apontados, a Comissão Gestora elaborará relatório final, enviando o processo concluso para o Presidente da FMS, ou pessoa por ele delgada, para deliberação se aplicará a sanção recomendada, admitindo-se interposição de recurso, nos termos do inciso I do art. 109, da Lei Federal nº 8.666, de Parágrafo Único. A aplicação da sanção de declaração de inidoneidade é de competência exclusiva do Presidente da FMS/PMT ou, nos termos de lei, de autoridade a ele equivalente, da qual cabe pedido de reconsideração, nos termos do inciso III do art. 109, da Lei Federal nº 8.666, de Art Interposto recurso ou pedido de reconsideração na forma do artigo anterior, o processo será submetido à unidade de assessoramento jurídico para instrução da decisão final. Art O processo, devidamente autuado e numerado, será instruído com os seguintes documentos: I - Parecer técnico fundamentado, emitido pelo servidor público responsável, acerca do fato ocorrido; II - Notificação da ocorrência encaminhada ao fornecedor, pela au toridade competent e, com os motivos que a ensejaram, bem como os prazos para defesa e a indicação das sanções cabíveis; III - Cópia do contrato ou instrumento equivalente; IV - Documentos que comprovem o descumprimento da obrigação assumida, tais como: a) cópia da Nota Fiscal, contendo atestado de recebimento; b) as notificações ou solicitações não atendidas; ou c) laudo de inspeção, relatório de acompanhamento ou de recebimento e parecer técnico emitido pelos responsáveis pelo recebimento ou fiscalização do contrato; V - Defesa apresentada pelo fornecedor sobre a notificação, quando houver; VI - Decisão da Comissão Gestora quanto às razões apresentadas pelo fornecedor e a aplicação da sanção ou decisão do Presidente da FMS/PMT, nos casos em que a sanção for a de d ecla ra ç ão d e in idoneid a de; VII - Recu rso ou p edido d e reconsideração interposto pelo fornecedor, quando houver; VIII - Parecer técnico-jurídico sobre o eventual recurso ou pedido de reconsideração; IX - Decisão sobre o recurso ou pedido de reconsideração interposto, quando houver; X - Extratos das publicações no Diário Oficial do Município, se for o caso. Art Em qualquer caso, a autoridade competente poderá determinar diligências para o regular desenvolvimento dos procedimentos de que trata esta Portaria. Art A inclusão indevida do fornecedor no CAFILC, sem o devido processo, ou sua não exclusão nas hipóteses do art. 14 desta Portaria, sujeitará o responsável às penalidades previstas em lei. Art Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art Revogam-se as disposições em contrário. Gabinete do Presidente da Fundação Municipal de Saúde, em 27 de setembro de PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO Presidente da Fundação Municipal de Saúde PORTARIA Nº 1.265/2011 PRESIDÊNCIA DESIGNA OS MEMBROS DA COMISSÃO ESPECIAL GESTORA CEG PARA GERENCIAR O CADASTRO DE FORNECEDORES IMPEDI- DOS DE LICITAR E CONTRATAR COM A FMS - CAFILC E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE DA FUNDA- ÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS, no uso das atribuições legais e regimentais que lhe são conferidas, com base na Legislação vigente de criação da FMS, em especial, as Leis nº 1.542/ 77; nº 2.959/00; nº 3.835/08 e nº 4.046/10; e, RESOLVE: Art. 1º - Nomear os membros da Comissão Especial Gestora - CEG, com a finalidade de proceder aprofundados estudos técnicos, jurídicos e administrativos, conforme estabelecido pelo art. 15 da Portaria nº 1.208/2011, de 27/09/2011, com a finalidade de realizar análises de todos os atos que impliquem na gestão e manutenção do Cadastro de Fornecedores Impedidos de Licitar e Contratar com a FMS CAFILC. Art. 2º - Fica estabelecido que a referida Comissão Especial Gestora - CEG, sob a Coordenação de seu Presidente, será composta por 3 (três) membros desta FMS definidos pela Presidência da FMS, com funções técnico-administrativas específicas relacionadas aos dispositivos da Portaria nº 1.208/2011, que será composta pelos seguintes membros: Gerência Administrativa GEADM - Presidente Assessoria Jurídica AJU - Membro Comissão Permanente de Licitações CPL - Membro Art. 3º - Esta Comissão Técnica Especial de Trabalho - CTET responderá pelo prazo de 1 (um) ano, a contar da data de sua assinatura, podendo ser prorrogado por igual período. Art. 4º - Os membros da CEG, a que se refere o art. 2º desta Portaria, não serão remunerados, sendo seu exercício funcional considerado de grande relevância para o Serviço Pública no Município de Teresina. Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete do Presidente da Fundação Municipal de Saúde, em 03 de outubro de PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO PRESIDENTE DA FMS TERMO DE RATIFI CAÇÃO RATIFICO o en tend imen to explicitado em parecer da Assessoria Jurídica desta Fundação, por considerar como suficientes os argumentos contidos nos autos do Processo Administrativo n.º /11, para dispensa de licitação visando a aquisição direta de medicamentos especiais (Temodal), não fornecidos regularmente pelo SUS, para atendimento de necessidades urgentes da paciente ARLENE MOREIRA DE BRITO SOARES, dando cumprimento imediato à decisão proferida nos autos do processo , da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública de Teresina, Estado do Piauí, de conformidade com o art. 24, IV, e art. 26 da Lei n.º 8.666/93. Teresina, 06 de dezembro de PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO Presidente da FMS TERMO DE RATIFICAÇÃO RATIFICO o entendimento exposto em parecer da Assessoria Jurídica desta Fundação, por considerar suficientes os argumentos contidos nos autos do Processo Administrativo nº /11, pela dispensa de licitação, para aquisição direta e urgente dos medicamentos listados no memorando nº 22/ 2011 do Núcleo de Dispensação de Medicamentos Especializados NUDME, de forma a atender as necessidades urgentes do NUDME, tudo em conformidade com o art. 24, inciso IV da Lei nº 8.666/93. Teresina, 7 de dezembro de Atenciosamente, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO PRESIDENTE DA FMS TERMO DE RATIFI CAÇÃO RATIFICO o en tend imen to explicitado em parecer da Assessoria Jurídica desta Fundação, por considerar como suficientes os argumentos contidos nos autos do Processo Administrativo n.º /11, para dispensa de licitação visando a aquisição direta de produtos necessários ao ser-

18 18 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº viço de eutanásia da Gerência de Zoonoses da FMS, de conformidade com o art. 24, IV, e art. 26 da Lei n.º 8.666/93. Teresina, 05 de dezembro de PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO Presidente da FMS TERMO DE RATIFICAÇÃO RATIFICO o entendimento exposto em parecer da Assessoria Jurídica desta Fundação, por considerar suficientes os argumentos contidos nos autos do Proces s o Ad min istrativo n.º /11, a u toriza n d o a inexigibilidade de licitação para aquisição de alimentação especial, leite Neocate, da linha Support, tudo de conformidade com o art. 25, inciso I, e art. 26 da Lei n.º 8.666/93. Teresina, 30 de novembro de PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO Presidente da FMS TERMO DE RATIFICAÇÃO RATIFICO o entendimento exposto em parecer da Assessoria Jurídica HUT/FMS, por considerar suficientes os argumentos contidos nos autos do Processo Administrativo n.º /2011, pela dispensa de licitação por motivo de urgência para aquisição direta de medicamentos no valor global de R$18.276,00(dezoito mil duzentos e setenta e seis reais)dos seguintes fornecedores: DISTRIBUIDORA OTIMA, o medicamento Atenol 50mg, comprimido; amiodarona m g, comp rimid o ;Glib en cla mid a 5 mg, comp rim id o; Des a metason a creme a 0,1% b is n a ga com 1 0 gr a ma ; Neomicina,sulfato 5mg/g+bacitracina zíndica pomada 250UI/g, com mínimo de 10g no valor total de R$ (um mil e quarenta e seis reais); MEDPLUS, os medicamentos: Tramadol 50mg/ml, ampola com 1ml; e Metilprednisolona 500mg, solução injetável, no valor total de R$17.230,00(dezessete mil duzentos e trinta reais) para o Hospital de Urgência de Teresina- HUT, tudo de conformidade com o Art. 24, IV, da lei 8.666/93. Publique-se, cientifique-se e cumpra-se. Teresina, 01/12/11 PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO Presidente da FMS EXTRATO DO CONTRATO N.º 121-A/2011; REF.: PROCES- SO ADMINISTRATIVO Nº /11; LOCATÁRIA: FUN- DAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE; LOCADOR: SÃO FRANCIS- CO ADM. E PARTICIPAÇÃO LTDA; OBJETO: LOCAÇÃO DE IMÓVEL SITUADO NA AV. BARÃO DE GURGUÉIA, N. 2913, MUNIC Í P IO DE TERESINA-P I; VAL OR MENSAL: R$ 7.500,00; DATA DE ASSINATURA: 15/09/2011; VIGÊNCIA: 1 5 /0 9/ A 30 /11 /2 0 11; ASSINA PELA FMS: P EDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO; ASSINA PELO LOCADOR: JAIR ALVES SOARES. EXTRATO DO CONTRATO N.º 155/11; REF.: PROCESSO AD- MINISTRATIVO Nº /11; CONTRATANTE: FUN- DAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE; CONTRATADA: TECNOMÉDICA - S & S REPARO DE MAQUINAS E EQUIPA- MENTOS ELETRO-ELETRONICOS LTDA ME; OBJETO: LO- CAÇÃO DE 0 3 (TRÊS) MÁQUINAS DE HEMODIÁLISE FRESENIUS 4008B E DE 01 (UM) SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUA POR OSMOSE REVERSA DUPLO PASSO HPW DP, PARA ATENDER ÁS NECESSIDADES DO HOSPITAL DE UR- GÊNCIAS DE TERESINA DR. ZENON ROCHA HUT; DATA DE ASSINATURA: 17/11/2011, VIGÊNCIA: 01 ANO; VALOR: R$ ,00 ; ASSINAM, PELA CONTRATANTE, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E PELA CONTRATADA, AR- MANDO SILVESTRE. EXTRATO DE CONTRATO N.º 156/11; REF. PROCESSO Nº /11; CONTRATANTE: FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE; CONTRATADO: HOSPITAL SÃO MARCOS, CNPJ / , CNES ; OBJETO: EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE A QUALQUER INDIVÍ- DUO QUE DELES NECESSITE; RECURSOS: SUS; DATA DA AS- SINATURA: 23/11/2011; ASSINA PELA CONTRATANTE: PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO; ASSINA PELO CONTRATA- DO: ALCENOR BARBOSA DE ALMEIDA. EXTRATO DO CONTRATO N.º 158/11. REF.: PROCESSO N.º /11; CONTRATANTE: FMS; CONTRATADA: LOTUS IND. E COMÉRCIO LTDA; OBJETO: CONTRATAÇÃO COM EMPRESA PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO MÉDI- CO (PROCESSADORA DE RAIO-X) PARA ATENDER AS NECES- SIDADES DA MATERNIDADE WALL FERRAZ FMS; VIGÊN- CIA: EQUIVALENTE A 1(UM) ANO; ASSINAM PELA CONTRA- TANTE, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E PELA CONTRATADA, DORGIVAL FERREIRA DE SOUSA. EXTRATO DO PRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO N.º 089/11; REF. PROC. Nº /11; CONTRATANTE: FUN- DAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE; CONTRATADA: CANTUÁRIO E CANTUÁRIO LTDA; OBJETO: PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS POR MAIS 30 (TRINTA) DIAS E DO PRAZO DE VIGÊNCIA CONTRATUAL PELO TEMPO NE- CESSÁRIO À CONCLUSÃO DOS TRABALHOS; DATA DE ASSI- NATURA: 23/11/2011; ASSINAM, PELA CONTRATANTE, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E PELA CONTRA- TADA, FRANCISCO LEAL CANTUÁRIO. EXTRATO DO PRIMEIRO TERMO ADITIVO Á ATA DE RE- GISTRO DE N.º 024/10, DO PREGÃO PRESENCIAL N.º 181/2010; REF.PROC.N /11; CONTRATAN- TE: FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE; CONTRATADA: PANIFICADORA IDEAL LTDA; OBJETO: ACRÉSCIMO DE 25% (VINTE E CINCO POR CENTO) NO VALOR INICIAL ATUALIZADO DO CONTRATO; DATA DE ASSINATURA: 24/ 11 /1 1 ; ASSIN AM P ELA CONTRATANTE, P EDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E PELA CONTRATADA, EZEQUIEL PEREIRA DE SOUSA. EXTRATO DO SEGUNDO TERMO ADITIVO AO CONTRATO 029/10 DE REF.PROC.N /11; CONTRATANTE: FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE; CONTRATADAS: L. G. CARVALHO & CIA LT DA, M C DE SOUSA COE LHO, ROBERVAL ALVES DE LIMA ME; OBJETO: ACRÉSCIMO DE 25% (VINTE E CINCO POR CENTO) NO VALOR INICIAL ATUALIZADO DO CONTRATO; DATA DE ASSINATURA: 24/ 11 /1 1 ; ASSIN AM P ELA CONTRATANTE, P EDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E PELA CONTRATADA, RESP ECTIVAMENTE, JEOVANE DA SILVA CARVALHO; RENADIR ALEXANDRE AMARO; ROBERVALDO ALVES LIMA. EXTRATO DO QUINTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 179/09; PROC. N.º /11; CONTRATANTE: FMS; CONTRATADA: DIOTEC COMÉRCIO E MANUTENÇÃO IND. E HOSPITALAR LTDA; OBJETO: A PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE VIGÊNCIA CONTRATUAL POR MAIS 06 (SEIS) MESES A CONTAR DA DATA DA ASSINATURA DO PRESEN- TE ADITIVO, EM CARÁTER ABSOLUTAMENTE EXCEPCI- ONAL, TENDO EM VISTA A NÃO CONCLUSÃO DE PROCE- DIMENTO LICITATÓRIO ATUALMENTE EM TRÂMITE PARA A CONTRATAÇÃO DEFINITIVA, PODENDO HAVER RESCISÃO CONTRATUAL ANTECIPADAMENTE, NO CASO DE TÉRMINO DA REFERIDA LICITAÇÃO; DATA DE ASSI- NATURA: 18/11/2011; ASSINAM, PELA CONTRATANTE, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E, PELA CONTRA- TADA, ALEXANDRE JOSÉ DIÓGENES ANDRADE. EXTRATO DO SEXTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO DE LOCAÇÃO; PROC. N.º /11; LOCATÁRIA: FMS; LOCADOR: CÁSSIO RONALDO DE MORAIS RUFINO; OBJETO: ALTERAÇÃO DA CLÁUSULA TERCEIRA DO CON- TRATO INICIAL, CORRIGINDO-SE O VALOR MENSAL DA LOCAÇÃO QUE PASSA A SER R$ 655,70 (SEISCENTOS E CINQUENTA E CINCO REAIS E SETENTA CENTAVOS), BEM COMO, A PRORROGAÇÃO DA VIGÊNCIA CONTRATUAL POR MAIS 12 (DOZE) MESES, ATÉ 27/10/2012; DATA DE ASSI- NATURA: 26/10/2011; ASSINAM, PELA LOCATÁRIA, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E, PELO LOCADOR, CÁS- SIO RONALDO DE MORAIS RUFINO. RETIFICAÇÃO DE EXTRATO ANTERIORMENTE PUBLICA-

19 DOM - Teresina - Ano nº Sexta-feira, 13 de janeiro de DO EM VIRTUDE DE ERRO DE DIGITAÇÃO: O EXTRATO DO QUINTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 197/2007 DEVE SER LIDO COMO EXTRATO DO SEXTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 179/2007; PROC. N.º / 11 ; CON TRATANTE: FMS; CONTRATADA: D ANIELLE ALVES VASCONCELOS; OBJETO: A PRORROGAÇÃO DA VI- GÊNCIA CONTRATUAL POR MAIS 01 (UM) ANO, ATÉ 10/ 10/2012; DATA DE ASSINATURA: 26/09/2011; ASSINAM, PELA CONTRATANTE, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E, PELA CONTRATADA, DANIELLE ALVES VAS- CONCELOS. EXTRATO DO SÉTIMO TERMO ADITIVO AO CONTRATO N.º 029/06; REF. PROC. Nº /11; CONTRATANTE: FMS; CONTRATADA: R. F. DE A. FARIAS; OBJETO: PRORRO- GAÇÃO DO PRAZO DE VIGÊNCIA DO CONTRATO; DATA DE ASSINATURA: 19/08/2011; ASSINAM, PELA CONTRATANTE, PEDRO LEOPOLDINO FERREIRA FILHO, E PELA CONTRA- TADA, RENATO FERREIRA DE ASSUNÇÃO FARIAS. Superintendência de Desenvolvimento Rural EX TRATO DO CONTRATO N 63 /20 11 SDR ( Pregão Presencial Nº 121/2011 CPL/SDR-PMT, Processo Administrativo Nº /2011 SDR-PMT) CONTRATANTE: Superintendência de Desenvolvimento Rural SDR/PMT; CONTRA- TADA: PORTO SEGURO CIA DE SEGUROS GERAIS; OBJE- TO: A prestação de serviços de seguro para os veículos que compõem a frota da Superintendência de Desenvolvimento Rural, nos termos discriminados no Termo de Referência (Anexo I do Edital). VALOR TOTAL: R$: ,00 (Trinta mil e quinhentos reais): 01-FIAT UNO FIORINO FURGÃO 1.3 FIRE FLEX COR BRANCA - R$: 1.796,66 ( Mil setecentos e noventa e seis reais e sessenta e seis centavos); 02- CAMINHÃO CAR/ BASCULANTE COR BRANCO - R$: 9.567,78 (Nove mil e quinhentos e sessenta e sete reais e setenta e oito centavos); e 03- CAMINHÃO CAR/CARROCERIA ABERTA COR BRAN- CO R$: ,56 (Dezenove mil e cento e trinta e cinco reais e cinqüenta e seis centavos). RECURSOS: Recursos Projeto/ Atividade ( )- Administração da SDR; Elemento de Despesa ( )-Serviço Terceiro Pessoa Jurídica; Fonte de Recurso (0100)- Próprio. VIGÊNCIA: 12 meses a partir da data de assinatura 20/12/2011. ASSINAM PELA CON- TRATANTE: SÉRGIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA, PELA CONT RATADA: ANGE LO AUGUSTO DE ALMEI DA e JOELSON RENATO BARBOSA. EXTRATO DO CONTRATO N 02/2012 SDR (Carta Convite Nº 20/2011 CPL/SEMA-PMT, Processo Administrativo Nº /2011 CPL/SDR-PMT) CONTRATANTE: Superintendência de Desenvolvimento Rural SDR/PMT; CONTRATA- DA: CONSTRUTORA MONTE SINAI LTDA; OBJETO: Serviço de recuperação e melhoramento em rodovias da zona rural de Teresina. VALOR: R$: ,52 (Cinqüenta e dois mil e quatrocentos e noventa e oito reais e cinqüenta e dois centavos). RECURSOS: Classificação Orçamentária: RECUP. DE REVESTIMENTO PRIMARIO; Elemento de Despesa: OBRAS E INSTALAÇÕES e Fonte de Recurso: 0100 PRÓ- PRIO. VIGÊNCIA: 12 meses a partir da data de assinatura 10/ 01/2012. ASSINAM PELA CONTRATANTE: SÉRGIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA, PELA CONTRATADA: FRANCISCO DAS CHAGAS E SILVA. EXTRATO DO CONTRATO N 03/2012 SDR (Carta Convite Nº 028/2011 CPL/SDR- PMT, Processo Administrativo Nº /2011 CPL/SDR-PMT) CONTRATANTE: Superintendência de Desenvolvimento Rural SDR/PMT; CONTRATA- DA: ECE EMPRESA DE CONSTRUÇÕES ELÉTRICAS; OB- JETO: Instalação de duas redes elétricas com extensão primária em 13,8 KV, e duas subestações aéreas de 15 KVA, para atender os Assentamentos Vale da Esperança (100m) e Tapuia (20m). VALOR: R$20.807,06 (Vinte mil oitocentos e sete reais e seis centavos). RECURSOS: Classificação Orçamentária: RECUP. DE REVESTIMENTO PRIMARIO; Elemento de Despesa: OBRAS E INSTALAÇÕES e Fonte de Recurso: 0100 PRÓPRIO. VIGÊNCIA: 12 meses a partir da data de assinatura 12/01/2012. ASSINAM PELA CONTRATANTE: SÉR- GIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA, PELA CONTRATADA: MARIA DA CONCEIÇÃO BRITO SANTOS. EXTRATO DO CONTRATO N 05/2012 SDR (Carta Convite Nº 28/2011 CPL/SEMA-PMT, Processo Administrativo Nº /2011 CPL/SDR-PMT) CONTRATANTE: Superintendência de Desenvolvimento Rural SDR/PMT; CONTRATA- DA: MORAIS E MARQUES E CIA LTDA; OBJETO: Serviço de recuperação de estradas: Lote I: serviços de recuperação de estradas, na localidade Zé de Holanda, Zona Rural Leste de Teresina (OP 60/2011); Lote II: serviços de recuperação de estradas, na localidade Santa Teresa, Zona Rural Leste de Teresina (OP 63/ 2011); Lote III: serviços de recuperação de estradas, na localidade Alegria, Zona Rural Sudeste de Teresina (OP 16/2011); Lote IV: serviços de recuperação de estradas, na localidade Assentamento João de Deus, Zona Rural Sudeste de Teresina (OP 19/2011); VALOR: R$: , 13 (Cem mil oitocentos e treze e reais e treze centavos). RECURSOS: Classificação Orçamentária: RECUP. ESTRADA VICINAL - OP; Elemento de Despesa: OBRAS E INSTALAÇÕES e Fonte de Recurso: 0100 PRÓPRIO. VIGÊNCIA: 12 meses a partir da data de assinatura 13/01/2012. ASSINAM PELA CONTRATAN- TE: SÉRGIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA, PELA CONTRA- TADA: ANA NEYDE BARROS MORAIS MARQUES. EXTRATO DO CONTRATO N 06/2012 SDR (Carta Convite Nº 25/2011- REPETIDO CPL/SDR-PMT, Processo Administrativo Nº /2011 SDR-PMT) CONTRATANTE: Superintendência de Desenvolvimento Rural SDR/PMT; CONTRA- TADA: CONSTRUTORA FM LTDA; OBJETO: Lote I: Construção Passagem Molhada e Pavimentação em paralelepípedo na localidade Formosa, Extensão: 50m Largura: 7,0m (OP 35/ 2011), Zona Rural Sudeste de Teresina. Lote II: Construção de Sarjetão em Concreto e Pavimentação em paralelepípedo na localidade Maria Alice, Extensão: 60m Largura: 8,0m (OP 26/ 2011), Zona Rural Sul de Teresina. VALOR: R$: ,69 (Cinquenta e três mil setecentos e quarenta e três reais e sessenta e nove centavos). RECURSOS: Classificação Orçamentária: CONSTRUÇÃO DE OBRAS DE ARTE - OP; Elemento de Despesa: OBRAS E INSTALAÇÕES e Fonte de Recurso: 0100 PRÓPRIO. VIGÊNCIA: 12 meses a partir da data de assinatura 17/01/2012. ASSINAM PELA CONTRATANTE: SÉRGIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA, PELA CONTRATADA: FRANCISCO MOURA FERNANDES. Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Teresina Extrato de Publicação Contrato: Terceiro Termo Aditivo Locador: Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teres ina Piau í -IPMT Loca tár io: Agência Municip al de Regulação de Serviços Públicos de Teresina ARSETE. OBJE- TO: Locação de imóvel. Vigência: 12 meses. Data de Celebração: ERRATA ARSETE. DOM N p. Resolução n 01-A Diretoria da ARSETE Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Teresina, reunida sob a forma de Diretoria Colegiada, no uso de suas atribuições conferidas pelas Leis Municipais nº s : 3.600/2006, de 22 de dezembro de 2006 e 3.286, Art. 31, de 15 de março de 2004, Teresina, PAGINA LINHA ONDE SE LÊ LEIA-SE Resolução nº 01, Resolução nº 01, de 00 de dezembro de de 02 de dezembro de 2011.

20 20 Sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 DOM - Teresina - Ano nº Comissão de Licitação Fundação Municipal de Saúde Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos M APA COM PARATI VO DE P REÇOS E RESULTADO CLASSIFICATÓRIO CONVITE N 044/2011(REPETIDO) PROCESSO N /11 SDU SUL A Comissão Permanente de Licitação de Obras e Serviços de Engenharia I da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos - SEMA, considerando os termos e procedimentos do Processo Administrativo supracitado, referente à licitação modalidade Convite nº 044/2011 (Repetido), que objetiva a contratação de empresa construtora para execução das obras e/ou serviços da construção da Galeria da Vila Felicidade, entre as Ruas Tenente Tadeu (est 0) e Tenente Antônio Gomes(est 10), Bairro Santo Antônio, zona sul de Teresina-PI, torna público para o conhecimento dos interessados, o Mapa Comparativo e Resultado Classificatório das propostas de preços: NOME(S) DA(S) EMPRESA(S) 1 J. Gabriel Construtora Ltda VALOR (R$) ,46 RESSALVA: 1. Às 08h00min (oito) horas do dia , como previsto, a Comissão reuniu-se, com a presença de seus membros Titulares, para recebimento e abertura dos envelopes contendo Documentação e Propostas de Preços das empresas participantes. Compareceram ao processo licitatório apenas as empresas J. Gabriel Construtora Ltda e JI Construtora e Empreendimentos Imobiliários Ltda. Dessa forma, pelo fato do processo licitatório supracitado já ter sido relançado e por haver manifesto desinteresse dos licitantes convidados, a Comissão resolveu, baseada nos princípios da Celeridade e da Economicidade, dar prosseguimento ao certame, mesmo com número inferior ao mínimo legal. 2. A Comissão após analisar a proposta da empresa participante do certame considerou como Proposta única e detentora do menor Preço a empresa J. Gabriel Construtora Ltda. 3. Para a obtenção do resultado acima, esta Comissão considerou o critério de julgamento do menor preço; 4. Todos os documentos que compõem o referido processo encontram-se à disposição dos interessados, na sala da Comissão Permanente de Licitação de Obras I. Teresina (PI), 29 de Dezembro de COMIS- SÃO: Maria do Socorro Lima Sampaio Presidente da CPL/OBRAS I Eduardo Chaves da Silva Membro da CPL/OBRAS I Márcia Ângela Nunes de Oliveira Membro da CPL/OBRAS I Danielle de Sousa Nóbrega Membro da CPL/OBRAS I Edmo Graciano de Almeida Membro da CPL/OBRAS I MAPA DE RESULTADO CLASSIFICATÓRIO TOMADA DE S Nº 033/2011 SEMEC PROCESSO Nº /11 Data de Abertura: 06 de Janeiro de 2012 A Comissão de Licitação de Obras e Serviços de Engenharia (OBRAS III) desta Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos, considerando os termos e procedimentos do Processo Administrativo supracitado, referente à licitação Tomada de Preços Nº 033/ 2011, que objetiva a contratação de empresa construtora para execução das obras e/ou serviços de pequenos reparos estruturais no Centro Municipal de Educação Infantil Pantanal II, em conformidade com as planilhas orçamentárias e projetos anexos ao Edital, torna público para conhecimento dos interessados, o mapa de resultado classificatório, em que a empresa AL- TOS ENGENHAR IA LTDA foi con s id erad a ven ced ora: EMPRESA(S) 1º ALTOS ENGENHARIA LTDA VALOR R$ ,25 Para obter o resultado acima, a Comissão considerou o critério de Menor Preço Global. Encontra-se com a Comissão, à disposição dos interessados, toda a documentação que compõe o processo sob referência. Teresina (PI), 10 de Janeiro de Osvaldo de Carvalho Neves Presidente CL/OBRAS III Paulo Neri de Aguiar Membro CL/OBRAS III Maria do Socorro Lima Sampaio Membro CL/OBRAS III Maria de Fátima e Silva Rocha Membro CL/OBRAS III Eduardo Chaves da Silva Membro CL/OBRAS III TERMO DE ADJUDICAÇÃO O Presidente da FUNDAÇÃO MUNICI- PAL DE SAÚDE FMS, no uso de suas atribuições legais e, tendo em vista os recursos interpostos pela empresa ÔMEGA JEANS LTDA MEE, analisados e julgados em conformidade com o parecer jurídico exarado no processo administrativo n.º /11, resolve, em consonância com o art. 4º, inciso XXI da Lei nº /02, declarar, para que possa ser conhecido pelo público em geral e para fins de intimação e conhecimento dos interessados, o resultado do julgamento e classificação da (s) proposta(s) referente(s) ao procedimento licitatório na Modalidade PREGÃO PRESENCIAL Nº. 086/2011 FMS, para aquisição de Fardamento, destinada a suprir as necessidades dos Agentes de Endemias dos Programas de Controle da Dengue e Leishmaniose e dos servidores que executam as ações de controle da raiva-fms, com sessões realizada nos dia 18/07/2011 às 09h00min, na Sala de reuniões da Comissão Permanente de Licitação da Fundação Municipal de Saúde, situada a Rua 1º. de maio, 3006, bairro Aeroporto, zona norte de Teresina, adjudicando o objeto da Licitação segundo o que segue. A SILVA LIMA ME C.N.P.J / Rua João Cabral, 2870, Matadouro, Teresina - PI Insc. Est Repr. ALISSON ANDRE DA S. LIMA Fone LOTE ITEM ESPECIFICAÇÃO UNID. QUANT UNITARIO TOTAL Avental impermeável, com cobertura frontal confeccionado em material, leve e impermeável, tipo TIVEK. Cobertura frontal (peito e pernas), amarração por tirantes com peça 40 11,57 462,80 costuras laterais reforçadas nas dobras do tecido, comprimento até abaixo do joelho (para agente da UBV), Mr. Raket Batas com Mangas longas, com 03 bolsos (02 inferiores e 01 superior com logotipo) chanfrados com ângulo de 45º, costa com cinto preso na cintura e abertura na parte inferior medindo 25 cm, confeccionado em peça , ,00 garfil na cor branca, código 007, para laboratório. Tamanhos: Mr. Raket Nº peças Nº peças Nº peças Nº peças Nº peças Botina de Couro - calçado de proteção dos pés e tornozelos de amarrar tipo botina, confeccionada em vaqueta na cor preta, couro hidrofugado, espessura de 1,9 mm 0,01mm, com três ou quatro costuras no gaspeamento e no restante duas costuras, com linha de náilon poliamida, cano com gomos alcochoados, calcanheira em vaqueta na cor preta, com palmilha de resina de couro, solado injetado em poliuretano (PU bi-densidade), Par , ,00 com ranhuras no solado que permita melhor aderência ao solo. Apresentar cópia do CA/MTb (Certificado de Aprovação emitido pelo Ministério do Trabalho) atualizado. Tamanhos: Mr. Bracol Nº 33 Nº pares Nº pares Nº pares Nº 34 Nº pares Nº pares Nº pares Nº pares Nº pares Nº pares Nº pares 11 Camisa de malha de cor branca, fio 30, 11.1 mercerizada, 100% algodão Tamanhos: P: Peças , ,00 400, M: 600, G: 1.000, GG: 500, Mr. Raket 14 Meia, cor preta, tamanho único para adulto Mr. D.F. Manso pares , ,00 VALOR TOTAL DOS LOTES Nºs 01, 02, 05, 11 e 14...R$ ,80 E & C IND. E COMÉRCIO LTDA C.N.P.J / Rua Sergipe, 767, Pirajá, Teresina - PI Insc. Est Repr. RDº. NONATO M. DE SOUSA Fone LOTE ITEM ESPECIFICAÇÃO UNID. QUANT UNITARIO TOTAL Jaqueta em talhe esportivo, sem manga, com elástico na cintura, confeccionado em brim na cor caqui, com logotipo no bolso e nas costas peça 35 18,00 630,00 (Auxiliar de Serviços), sendo: P: 05, M: 10, G: 10, GG: 10. Mr. Unifardas VALOR TOTAL DO LOTE Nº 13...R$ 630,00 I C R VERÇOSA ME C.N.P.J / Av. Miguel Rosa, 6989, Tabuleta, Teresina - PI Insc. Est Rep. JOrRGE FEITOSA DE ARAÚJO Fone LOTE ITEM ESPECIFICAÇÃO UNID. QUANT UNITARIO TOTAL Boné bico-de-pato com pala frontal em polietileno, com tecidos solasol esponjado, com forro Jersey, pespontado em simples pesponto, confeccionado em tecido brim cáqui, logotipo na região frontal, regulador em plástico transparente inserido na parte da cúpula para regulagem do boné, botão plástico um , ,00 na cor cáqui, colocado acima da cúpula. Préencolhido, sanfonizado máximo 3% APÓS 3 lavagem, amarração sarja 3/1, gramatura média: 260g/m2, Composição: 100% algodão, com protetor solar. (para o agente do campo). Mr. Fardas e Brindes Boné bico-de-pato com pala frontal em

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro LEI COMPLEMENTAR Nº 442, de 13 de maio de 2009 Procedência Governamental Natureza PLC/0006.2/2009 DO. 18.604 de 14/05/2009 *Alterada pela LC 534/11 *Ver Lei LC 534/11 (art. 72) *Regulamentada pelo Dec.

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

A lei de incentivos fiscais de Campinas

A lei de incentivos fiscais de Campinas A lei de incentivos fiscais de Campinas Lei 12.802/06 com as alterações formuladas na Lei 12.653/06: A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Leia mais

DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais, o valor da Unidade Financeira Municipal (UFM) e os preços do metro quadrado de terrenos

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Altera dispositivos da Lei Complementar Estadual n.º 308, de 25 de outubro de 2005, e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI Nº 3.256, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui o programa de recuperação de créditos tributários da fazenda pública municipal REFIM e dá outras providências. Piauí Lei: O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA,

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU Secretaria Municipal de Governo LEI COMPLEMENTAR N.º 64/2003 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU Secretaria Municipal de Governo LEI COMPLEMENTAR N.º 64/2003 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui a Segunda Etapa do Programa de Recuperação de Créditos Fiscais do Município REFIS II e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACAJU. Faço saber que a Câmara Municipal de Aracaju aprovou

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

LEI Nº 2198/2001. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais;

LEI Nº 2198/2001. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2198/2001 INSTITUI O PROGRAMA DE INCENTIVO AO DESLIGAMENTO VOLUNTÁRIO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAÇU PDV A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO - SOLIDARIEDADE - IDPF

CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO - SOLIDARIEDADE - IDPF CONVÊNIO DE COLABORAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE PASSO FUNDO - SOLIDARIEDADE - IDPF 032/2014 - PGM O MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, pessoa jurídica

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 13.346, DE 24 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei Complementar nº 4.403, de 5 de junho de 2013, que Estabelece obrigação de uso do sistema ITBI

Leia mais

DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013.

DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013. DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais para o exercício de 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso das atribuições

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Estima a receita e fixa a despesa do Município de Uberaba para o exercício de 2005, e contém outras disposições. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas

Leia mais

Parágrafo único. O Grupo Ocupações de Fiscalização e Arrecadação OFA, criado pela Lei Complementar nº 81, de 10 de março de 1993, fica extinto.

Parágrafo único. O Grupo Ocupações de Fiscalização e Arrecadação OFA, criado pela Lei Complementar nº 81, de 10 de março de 1993, fica extinto. LEI COMPLEMENTAR Nº 189, de 17 de janeiro de 2000 Extingue e cria cargos no Quadro Único de Pessoal da Administração Direta, e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, Faço

Leia mais

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014 Concede reajuste remuneratório, altera as leis n os 7.227/96, 8.690/03, 9.240/06, 9.303/07 e 10.202/11, e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014.

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. DECRETO Nº 39680 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS NOVOS PARA O EXERCÍCIO DE 2008 Cirilo Rupp, Prefeito em exercício do Município de Campos Novos, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735 LEI Nº 16.929 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DA PREFEITURA DO RECIFE PARA O EXERCÍCIO DE 2004. O POVO DA CIDADE DO RECIFE, POR SEUS REPRESENTANTES, DECRETA E EU, EM SEU NOME,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

http://www.legislabahia.ba.gov.br/verdoc.php?id=65585&voltar=voltar

http://www.legislabahia.ba.gov.br/verdoc.php?id=65585&voltar=voltar Page 1 of 11 Voltar Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." LEI Nº 11.374 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 Ver também: Decreto 14.488 de 23 de maio de 2013 - Regulamenta

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO)

LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO) LEI COMPLEMENTAR Nº 326, DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 (AUTORIA DO PROJETO: PODER EXECUTIVO) Publicação: DODF nº 192 de 5/10/2000 PÁG.01 e 02. Regulamentada pelo Decreto nº 21.933, de 31/01/2001 DODF nº 23,

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS,

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. Institui o Fundo Municipal de Saúde e da outras providencias.. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV,

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV, DECRETO Nº 5218 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2011. EMENTA: Regulamenta os procedimentos de declaração, avaliação, emissão de guias de recolhimento, processo de arbitramento e a instauração do contencioso fiscal

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015.

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO MUNICÍPIO DE MORMAÇO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUÍS CARLOS MACHADO PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio

Leia mais

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526 DECRETO Nº 13.492 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 017/2014, DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO / ES, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI Nº 2.328 DE 18 DE AGOSTO DE 1994 Dispõe sobre o regime de incentivos tributários para a Microempresa e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Teresina, Estado do Piauí Faço saber que a Câmara

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003. (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT)

LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003. (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT) LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003 (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT) Dispõe sobre a transformação e inclusão no Quadro do Magistério Municipal, do Quadro dos Profissionais

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei:

Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: LEI MUNICIPAL Nº 1833/2015. AUMENTA O NÚMERO DE CARGOS EM COMISSÃO, CRIA PADRÃO DE VENCIMENTO E FUNÇÕES GRATIFICADAS NO QUADRO DE CARGOS E FUNÇÕES PÚBLICAS DO MUNICÍPIO, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO

Leia mais

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc.

LEI N. 084/91. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. LEI N. 084/91 Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ALTO TAQUARI, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, etc. Faço saber que a Câmara

Leia mais

LEI Nº 1693, DE 10 DE ABRIL DE 2006.

LEI Nº 1693, DE 10 DE ABRIL DE 2006. LEI Nº 1693, DE 10 DE ABRIL DE 2006. AUTORIZA ASSINATURA DE CONVÊNIO, COM REPASSE DE SUBVENÇÃO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Povo do Município de São Gotardo, por seus representantes legais aprovou e eu,

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VENTANIA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE VENTANIA Estado do Paraná LEI Nº 591, DE 02 DE OUTUBRO DE 2012 AUTORIZA A DESAFETAÇÃO E A ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS PARA FINS DE IMPLANTAÇÃO DE PARQUE INDUSTRIAL A EMPRESAS DEVIDAMENTE CONSTITUÍDAS NO MUNICÍPIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar:

ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Dispõe sobre normas gerais pertinentes à Administração Tributária, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e regula sua integração e as carreiras

Leia mais

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos LEI Nº 358/2011 Faço saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal de Cafeara, Estado do Paraná aprovou e eu sanciono a presente Lei, que revoga a Lei nº. 084/92 de 17/09/1992. Súmula: Institui o

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.051, DE 23 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 23.10.2015 N. 3.759 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão Semad, suas finalidades

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 034/2011 F

TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 034/2011 F TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 034/2011 F Pelo presente instrumento, de um lado o Município de Alvorada - RS, pessoa jurídica de Direito Público Interno, inscrito no CPNJ sob o nº. 88.000.906/0001-57, com

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.099, DE 1º DE DEZEMBRO DE 1993 "Dispõe sobre a constituição do Conselho Estadual do Bem-Estar Social e a criação do Fundo Estadual a ele vinculado e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei.

LEI Nº 599/2011. Artigo 1 - As consignação Pública direta e indireta do Município de Novo São Joaquim são disciplinadas por esta Lei. LEI Nº 599/2011 DISPÕE SOBRE AS CONSIGNAÇÕES EM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEONARDO FARIAS ZAMPA, Prefeito Municipal de Novo São Joaquim MT faz saber

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991.

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUIS HELOSMAN DE FIGUEIREDO, PREFEITO MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA, ESTADO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0046.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos integrantes

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU Tricap Empresarial Único 1000 TRADICIONAL

CONDIÇÕES GERAIS DO PU Tricap Empresarial Único 1000 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS DO PU Tricap Empresarial Único 1000 TRADICIONAL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73 PU 81.4 - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

LEI 3.981/91 DE 7 DE JANEIRO DE 1991. O Prefeito Municipal de Natal, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI 3.981/91 DE 7 DE JANEIRO DE 1991. O Prefeito Municipal de Natal, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI 3.981/91 DE 7 DE JANEIRO DE 1991 Dispõe sobre o Grupo Ocupacional Fisco e dá outras providencias. O Prefeito Municipal de Natal, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Leia mais

GRATIFICAÇÕES NA CARREIRA DE AUDITOR-FISCAL. RAV - Retribuição Adicional Variável

GRATIFICAÇÕES NA CARREIRA DE AUDITOR-FISCAL. RAV - Retribuição Adicional Variável GRATIFICAÇÕES NA CARREIRA DE AUDITOR-FISCAL RAV - Retribuição Adicional Variável (Lei 7.711/88, Lei 9.624/98, MP 1.915-1) Incidência Eficiência individual e plural da atividade fiscal nos meses em que

Leia mais

Projeto de Lei n.º 026/2015

Projeto de Lei n.º 026/2015 [ Página n.º 1 ] DECLARA A ÁREA QUE MENCIONA DO PATRIMÔNIO MUNICIPAL DE ZONA ESPECIAL DE INTERESSE SOCIAL, PARA FINS DE LOTEAMENTO OU DESMEMBRAMENTO E ALIENAÇÃO DE LOTES PARA FAMÍLIAS CARENTES RADICADAS

Leia mais

DECRETO Nº 45.013, DE 15 DE JULHO DE 2004. MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,

DECRETO Nº 45.013, DE 15 DE JULHO DE 2004. MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO Nº 45.013, DE 15 DE JULHO DE 2004 Regulamenta a Lei nº 13.833, de 27 de maio de 2004, que dispõe sobre a criação do Programa de Incentivos Seletivos para a área leste do Município de São Paulo.

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

LEI Nº 7.885 DE 23 DE AGOSTO DE 2001

LEI Nº 7.885 DE 23 DE AGOSTO DE 2001 LEI Nº 7.885 DE 23 DE AGOSTO DE 2001 Dispõe sobre os vencimentos dos serventuários da Justiça e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.620 DE 14 DE MAIO DE 2001. (publicada no DOE nº 91, de 15 de maio de 2001) Institui o Programa de Garantia

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS

CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PM 60/60 A - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99)

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA QUE ENTRE SI CELEBRAM A (UNIÃO/ESTADO/MUNICÍPIO), ATRAVÉS DO (ÓRGÃO/ENTIDADE ESTATAL),

Leia mais

LEI Nº 213/1994 DATA: 27 DE JUNHO DE 1.994. SÚMULA: INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. CAPITULO I DOS OBJETIVOS

LEI Nº 213/1994 DATA: 27 DE JUNHO DE 1.994. SÚMULA: INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. CAPITULO I DOS OBJETIVOS LEI Nº 213/1994 DATA: 27 DE JUNHO DE 1.994. SÚMULA: INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. O Sr. Ademir Macorin da Silva, Prefeito Municipal de Tapurah, Estado de Mato Grosso, no

Leia mais

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012.

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. Regulamenta o uso da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica no ISSQN, a forma e o prazo de recolhimento dos tributos municipais e respectivos acréscimos perante o Código

Leia mais

Saiba como funciona. www.cubatao.sp.gov.br

Saiba como funciona. www.cubatao.sp.gov.br IPTU BOM EMPREENDEDOR Saiba como funciona www.cubatao.sp.gov.br Descontos que são transformados em benefícios para a comunidade O IPTU do Bom Empreendedor é uma iniciativa inédita da Prefeitura de Cubatão.

Leia mais

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO.

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO. CAPÍTULO II DO PARCELAMENTO DE DÉBITO Art. 163. O débito decorrente da falta de recolhimento de tributos municipais poderá ser pago em até 96 (noventa e seis) parcelas mensais e sucessivas, observado o

Leia mais

I quando o prestador de serviços estabelecido no Município do Rio de Janeiro executar serviço;

I quando o prestador de serviços estabelecido no Município do Rio de Janeiro executar serviço; DECRETO N.º 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. [Publicado no D.O. Rio de 12.05.2010.] [Alterado pelo Decreto nº 32.549, de 20.07.2010, publicado no D.O. Rio de 21.07.2010.] [Alterado pelo Decreto nº 32.601,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PREMIUM CASH PLANO PM 60/60 N - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

Parágrafo único. Aplica-se aos titulares dos órgãos referidos no caput deste artigo o disposto no art. 2º, 2º, desta Lei Complementar.

Parágrafo único. Aplica-se aos titulares dos órgãos referidos no caput deste artigo o disposto no art. 2º, 2º, desta Lei Complementar. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 518, DE 26 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a organização e o funcionamento da Assessoria Jurídica Estadual, estrutura a Carreira e o Grupo Ocupacional dos titulares

Leia mais

LEI Nº 10.753, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014

LEI Nº 10.753, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 LEI Nº 10.753, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 Concede reajustes remuneratórios aos servidores e empregados públicos da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo e dá outras providências. O Povo do

Leia mais

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - LEI COMPLEMENTAR N 490/13 DE 11 DE ABRIL DE 2013

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - LEI COMPLEMENTAR N 490/13 DE 11 DE ABRIL DE 2013 PUBLICADO (A) NO JORNAL ~~1~J.. ~~e 14~:fâ LEI COMPLEMENTAR N 490/13 DE 11 DE ABRIL DE 2013 Institui Programa de Incentivo Tributário para empreendimentos habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida

Leia mais

Prefeitura Municipal De Belém Gabinete do Prefeito

Prefeitura Municipal De Belém Gabinete do Prefeito LEI N.º 7.934, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1998 Dispõe sobre alterações na legislação tributária municipal e dá outras providências. seguinte lei: A Câmara Municipal de Belém estatui e eu sanciono a Art. 1 o

Leia mais

Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima FEMACT-RR, e do

Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima FEMACT-RR, e do Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 07/07/2011 LEI N 815 DE 7 DE JULHO DE 2011 Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, ESTABELECE A RESPECTIVA TABELA DE VENCIMENTO E DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA

Leia mais

LEI MUNICIPAL 563/73

LEI MUNICIPAL 563/73 LEI MUNICIPAL 563/73 Dispõe sobre a organização administrativa da PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA e dá outras providências. ALCEU MARTINS, Prefeito Municipal de Taquara: Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/ 2013 Dispõe sobre a criação e funcionamento da comissão de avaliação de imóveis para fins de calculo do Imposto sobre transmissão inter-vivos de bens imóveis, e dá outras providências.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI COMPLEMENTAR Nº 13.757, DE 15 DE JULHO DE 2011. (publicada no DOE nº 137, de 18 de julho de 2011) Dispõe sobre

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL PORTARIA CONJUNTA Nº 900, DE 19 DE JULHO DE 2002. Disciplina o pagamento ou parcelamento de débitos de que trata o art. 11 da Medida Provisória nº 38, de 14 de maio de 2002.

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Art. 260. Os contribuintes poderão efetuar doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente nacional, distrital, estaduais

Leia mais

Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo Prefeitura Municipal de Bauru Estado de São Paulo Lei nº 2166, de 25 de setembro de 1979 Autoriza a criação da EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTES URBANOS DE BAURU EMTURB. OSVALDO SBEGHEN, Prefeito Municipal

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria Colegiada INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre a contribuição para o financiamento da aposentadoria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO Fixa o reajuste geral dos servidores públicos municipais, altera as alíquotas de contribuição dos servidores para o auxílio transporte, reorganiza as jornadas de trabalho previstas para médicos e dentistas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) Dispõe sobre plano de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguro de vida com cláusula de cobertura por sobrevivência e dá outras

Leia mais

LEI N. 3.834-C - DE 14 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade Federal de Goiás, e dá outras providências

LEI N. 3.834-C - DE 14 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade Federal de Goiás, e dá outras providências LEI N. 3.834-C - DE 14 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade Federal de Goiás, e dá outras providências Art. 1º É criada a Universidade Federal de Goiás, com sede em Goiás, capital do Estado de Goiás,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS CONTRATO N 047/2013.

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS CONTRATO N 047/2013. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS CONTRATO N 047/2013. Contrato de prestação de serviços de consultoria técnicoespecializada na área tributária. MUNICÍPIO DE GOIATUBA, pessoa jurídica de direito

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

http://devel.americana.sp.gov.br/americanav5/legislacao/lei_3115.html

http://devel.americana.sp.gov.br/americanav5/legislacao/lei_3115.html Page 1 of 5 LEI Nº 3.115, DE 05 DE DEZEMBRO DE 1997. Alterada pelas Leis nº 3.279, de 17/03/1999 e nº 3.611, de 26/12/2001 (Observar a Lei nº 3.502, de 26/12/2000 - Conversão dos valores expressos em unidades

Leia mais

(Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) O Congresso Nacional decreta:

(Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2005 (Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) Dispõe sobre a desburocratização dos processos de constituição, funcionamento e baixa das microempresas e empresas de pequeno porte, nos

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

PP650V7 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS PROCESSO SUSEP Nº 15414.000663/2009-86 CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES GERAIS

PP650V7 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS PROCESSO SUSEP Nº 15414.000663/2009-86 CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES GERAIS CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES GERAIS II - GLOSSÁRIO PP650V7 TRADICIONAL CONDIÇÕES GERAIS PROCESSO SUSEP Nº 15414.000663/2009-86 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU HARTFORD CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 74.267.170/0001-73

Leia mais

equipe; V elucidar as dúvidas relativas às normas de trabalho e ao desenvolvimento das atividades programada;

equipe; V elucidar as dúvidas relativas às normas de trabalho e ao desenvolvimento das atividades programada; LEI COMPLEMENTAR Nº 207 DE 1º DE FEVEREIRO DE 2013. Altera a Lei Complementar nº 71, de 18 de dezembro de 2003, que institui a Lei Orgânica da - Geral do Estado de Roraima, nos dispositivos que menciona

Leia mais

LEI Nº 1.265 DE 25 DE JUNHO DE 2014

LEI Nº 1.265 DE 25 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre a campanha de fiscalização e melhoria da arrecadação de tributos, mediante o sorteio de prêmios e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JACOBINA-BA, no uso de suas atribuições

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.437, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Altera a destinação de receitas decorrentes da Contribuição para o Desenvolvimento

Leia mais

Art. 3º Para concretização do disposto nesta Lei fica o Poder Executivo autorizado a suplementar a seguinte dotação orçamentária:

Art. 3º Para concretização do disposto nesta Lei fica o Poder Executivo autorizado a suplementar a seguinte dotação orçamentária: LEI Nº 3570/2014, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014. AUTORIZA O MUNICÍPIO CONCEDER CONTRIBUIÇÃO À ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO SÃO CRISTÓVÃO, SUPLEMENTAR DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA, FIRMAR CONVÊNIO E DÁ OUTRAS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO ESTADO DE MINAS GERAIS LEI N." 23/98 CRIA o FUNDO MUNICIPAL DE PRESERVAÇÃO CULTURAL DE OURO PRETO - FPC E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. o povo do Município de Ouro Preto, por seus representantes na Câmara Municipal, decreta e eu,

Leia mais

DECRETO Nº 5 DE 2 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 5 DE 2 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 5 DE 2 DE JANEIRO DE 2013 SÚMULA: Estabelece a Programação Financeira, em Metas Bimestrais de Arrecadação, das Receitas previstas para o exercício financeiro de 2013, do Município de Londrina,

Leia mais

Brasília, 16 de julho de 2015. Boletim de Serviço da FUNAI Ano 28 Número 07. SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais...

Brasília, 16 de julho de 2015. Boletim de Serviço da FUNAI Ano 28 Número 07. SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais... p. 1 SUMÁRIO Presidência... 01 Coordenações Regionais...05 PORTARIA Nº 659/PRES, de 15 de julho de 2015. PRESIDÊNCIA Dispõe sobre a regulamentação quanto à concessão de licença por motivo de doença em

Leia mais

LEI Nº. 1826 DE 4 DE MAIO DE 2011

LEI Nº. 1826 DE 4 DE MAIO DE 2011 LEI Nº. 1826 DE 4 DE MAIO DE 2011 "AUTORIZA ASSINATURA DE CONVÊNIO E CONCEDE CONTRIBUIÇÃO CORRENTE ESPECIAL À ASSOCIAÇÃO DESENVOLVIMENTO DAS BANDEIRINHAS & DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS" A Câmara Municipal

Leia mais

DOU de 30/07/2015 (nº 144, Seção 1, pág. 73) DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito PORTARIA Nº 95, DE 28 DE JULHO DE 2015

DOU de 30/07/2015 (nº 144, Seção 1, pág. 73) DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito PORTARIA Nº 95, DE 28 DE JULHO DE 2015 DOU de 30/07/2015 (nº 144, Seção 1, pág. 73) DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito PORTARIA Nº 95, DE 28 DE JULHO DE 2015 Estabelece regras e padronização de documentos para arrecadação de multas

Leia mais

CLÁUSULA SEGUNDA DO PROGRAMA DE TRABALHO

CLÁUSULA SEGUNDA DO PROGRAMA DE TRABALHO QUARTO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 14/ANA/2004 CELEBRADO ENTRE A AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS E A ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL, COM A ANUÊNCIA DO COMITÊ PARA

Leia mais