Programa de de Formação 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de de Formação 2013"

Transcrição

1 Programa de de Formação 2013

2

3 Índice Institucional Perfil institucional e elementos conceptuiais...6 Missão...6 Valores...6 Visão Áreas de actuação e macro-produtos...7 Modelo de formação e actividades afins...7 Estrutura formativa...8 Inscrições e candidaturas...9 Endereço e contactos...10 Acções formativas da ENAD no âmbito do Plano Nacional de Formação de Quadros...11 Plano Nacional de Formação de Quadros Quadro de Competências a desenvolver na Formação de Dirigentes...15 Gestão Pública Nível A (P1)...20 Curso de Gestão Pública Nível B (P2)...21 Curso de Introdução à Gestão Pública (P3)...22 Especialização para Dirigentes (P4)...23 Estudos Avançados em Gestão Pública (P5)...24 Introdução ao Serviço Público Nível A (P6)...26 Aperfeiçoamento em Gestão Pública (P7)...28 Especialização em Legística (P8)...29 Iniciação ao Serviço Público Nível B (P9)...30 Sistemas e Tecnologias de Informação e Comunicação (P12)...32 Formação de Formadores (P14)...33 Cursos Regulares Concurso Público Na Função Pública...37 Elaboração de Projectos...38 Gestão de Projectos...39 Avaliação de Projectos...40 Políticas Públicas...41 Gestão do Desenvolvimento Urbano...42 Feitura de Leis...43 Férias, Faltas e Licenças na Função Pública...44 Gestão das Competências...45 Auditoria e Controlo Financeiro na Administração Pública...47 Elaboração de Textos Oficiais e Pareceres Técnicos...48 Gestão de Recursos Humanos na Função Pública...49 Avaliação de Desempenho de Pessoal na Função Pública...50 Gestão da Segurança Social...51 Inspecção do Trabalho...52 Especialização em Gestão de Recursos Humanos por Competências...53 Conferências no Sector Público Administrativo Seminários Técnicos no Sector Público Administrativo Mobilidade de Pessoal na Função Pública...56 Consolidação de Contas...57 Regime de Contratação de Pessoal na Função Pública...58 Modelos de Gestão Pública...59

4 Técnicas de Condução de Reuniões nos Serviços Públicos...60 Ciclo de Gestão da Formação Profissional nos Serviços Públicos...61 Gestão de Processos...62 Cursos para o Sector Empresarial Como Elaborar um Plano de Negócios...65 Gestão do Plano de Negócios...66 Avaliação de Empresas e Negócios...67 Análise de Projectos e Investimentos...68 Contabilidade Nível I...69 Contabilidade Geral Nível Ii...70 Contabilidade Geral Nível Iii...71 Fiscalidade Empresarial...72 Auditoria Financeira...73 Gestão Orçamental nas Pequenas e Médias Empresas...74 Gestão Orçamental nas Grandes Empresas...75 Prevenção e Combate à Fraude Fiscal...76 Análise e Risco de Crédito...77 Excel de Gestão...78 Fluxo de Caixa e Planemaneto Financeiro...79 Contabilidade Geral Informatizada...80 Marketing nas Organizações...81 Negociação e Mediação...82 Regime da Contratação Pública...83 Contencioso Aduaneiro...84 Contencioso Fiscal Angolano...85 Seminários no Sector Empresarial...86 Mercados e Produtos Financeiros...87 Processo Disciplinar na Legislação Laboral...88 Parcerias Público Privadas...89 Jogos de Dinâmicas de Grupo na Seleção de Pessoal e na Gestão de Recursos Humanos...90 Conferências e Palestras no Sector Empresarial...91 Listagem de Cursos por Encomenda Cursos por Encomenda...94 Calendário Geral de Cursos Calendário de cursos...94

5 Institucional Institucional

6 Institucional Perfil institucional e elementos conceptuiais Missão Contribuir para o fortalecimento institucional e para o desenvolvimento da República de Angola, através da especialização de competências necessárias ao aumento da qualidade, produtividade, modernização e eficácia das instituições dos sectores público e privado, mediante acções de formação, pesquisa, consultoria e divulgação. Valores Ética Capacidade de pensar e agir com integridade, credibilidade e responsabilidade na dinâmica das relações interpessoais, institucionais e cognitivas. Competência profissional, inovação e mérito Transparência Reconhecimento interno e externo pela atitude de prestação de contas e responsabilização sobre tudo o que é realizado, porque é realizado, como é realizado, especialmente pela capacidade de oferecer resultados e impactos socialmente relevantes. Tudo o que se realiza no âmbito da Escola deve, necessariamente, ser referenciado à sua missão - guia permanente de orientação aos objectivos, metas e actividades da ENAD. Um dos componentes que dá sustentação a todos os demais processos mutantes e que integra elemento de formação da identidade da ENAD. Profissionais com conhecimento técnico adequado, comprometidos com a busca eficaz e dinâmica. Rigor e objectividade O princípio da equidade, o respeito à objectividade científica e à dignidade das pessoas devem nortear todas as iniciativas da Escola. Responsabilidade intergeracional Compromisso de acção no sentido de contribuir para a qualidade e o bem-estar das gerações actual e futura. 6

7 7 Visão A ENAD dever-se-á afirmar pela qualidade e resultados do seu trabalho, como agente activo e influente da modernização dos processos de gestão em prol do desenvolvimento sustentável da República de Angola. 1. Contribuir para o aumento da eficiência e qualidade dos serviços públicos e privados, para a solidificação do crescimento económico e do desenvolvimento sustentável da República de Angola. 2. Elevar a qualidade e redireccionar as competências dos servidores públicos que ocupem ou venham ocupar cargos políticos, de direcção e chefia, para apoiar a formulação e implementação das políticas de Estado. 3. Conduzir a pesquisa no domínio das novas técnicas de gestão e da ciência da administração e produzir conhecimento para apoio à formulação e avaliação de políticas públicas. Áreas de actuação e macro-produtos A Escola Nacional de Administração para o alcance da sua missão nos sectores público administrativo do Estado (Ministérios, Secretarias de Estado e Institutos Públicos), e do sector empresarial (público e privado), apresenta as seguintes áreas de actuação e macro produtos: Prestação de serviços de formação, publicações, promoção de eventos técnico científicos, pesquisas e consultoria. Modelo de formação e actividades afins Os cursos da ENAD são dirigidos a um público homogéneo, previamente selecionado e inscrito. Os cursos podem ser compostos por um ou um conjunto de módulos, integrando um eixo comum de conhecimentos, onde se busca, de forma detalhada, abordar conceitos, práticas, instrumentos e ferramentas de gestão aliado a diferentes dinâmicas de ensino, como aulas expositivas, dinâmicas de grupo, exercícios individuais ou em grupo para fixação do conteúdo, jogos, simulações, estudos de caso, análise de melhores práticas entre outras. Os cursos ministrados na ENAD são certificados por participante, mediante as regras de aproveitamento, de acordo com o Regulamento Interno da Formação da ENAD. Institucional

8 Institucional Em síntese as acções formativas da ENAD estão estruturadas de acordo com o seguinte quadro: Quadro n. 1 Estrutura formativa da ENAD EXTENSÃO Actividades formativas livres e abertas que visam a complementação ou a aquisição de conhecimentos destinados a uma clientela bastante variada, uma vez que os requisitos para a inscrição variam caso a caso. As actividades são de curta duração. Nesta modalidade as actividades são de curta duração, situando-se entre oito (8) a quarenta (40) horas/aula. ACTUALIZAÇÃO Actividade com duração entre oito (8) a cento e vinte (120) horas/aula (curta e média duração) que têm por objectivo actualizar e disseminar novos conhecimentos, desenvolver competências de gestão e alinhamento com os progressos científico e tecnológico. APERFEIÇOAMENTO Eventos com duração entre (120) e (360) horas-aula(média duração), para o aprofundamento de determinadas áreas do conhecimento,com o objectivo de melhoria das capacidades gerenciais existentes ou o de preparar profissionais para assumirem funcões gerenciais. 8 ESPECIALIZAÇÃO Eventos de longa duração, com carga horária acima de 360 horas, destinados a portadores de diploma de ensino superior, com o objectivo de desenvolver e especializar quadros para o exercício profissional em determinados domínios da área de administração.

9 Inscrições e candidaturas A ENAD tem um leque de ofertas formativas, distinguindo o período de inscrição e de candidaturas, para todos aqueles que queiram melhorar, actualizar ou aperfeiçoar os seus conhecimentos, desde que, satisfaçam os perfis de entrada exigidos. A ENAD, apenas inicia, os cursos que possuem um mínimo de quinze (15) candidatos confirmados, pelo que, as datas referidas são indicativas no momento da realização da inscrição. As candidaturas podem ser apresentadas de duas formas: Individual / particular Em caso do pagamento ser efectuado por conta própria. Pela entidade empregadora No dois casos, deverão ser preenchidas, as fichas de inscrição, acompanhadas dos seguintes documentos obrigatórios: Curriculum Vitae Certificado de Habilitações As inscrições adoptam, em alguns cursos, um modelo opcional, por períodos, (laboral ou Pós laboral) que facilitam a realização de sessões formativas de acordo a agenda dos clientes. Em caso do pagamento ser efectuado, pela entidade empregadora, deverá a mesma, solicitar a inscrição do funcionário, por meio de ofício, onde vem referido entre outros itens, o nome do funcionário e o curso pretendido. Cópia do Bilhete de Identidade Fotografia tipo passe 9 Institucional

10 Institucional Endereço e contactos Sede A ENAD está sedeada na Estrada do Futungo Costa do Sol Luanda - Angola Quadro n. 4 Croquis de localização Corimba Contactos 10 (+244) (+244) (+244) Visite o nosso site Estrada da Samba ENAD Escola NacionaldeAdministração Hotel Costado Sol Clube Náutico dos Militares Embarcadour od o Mussulo

11 Acções formativas da ENAD no âmbito do Plano Nacional de Formação de Quadros 11 A ENAD no âmbito dos seus objectivos apresenta o Programa de Formação para o ano de 2013 em alinhamento com a Estratégia Nacional de Formação de Quadros, com a Política Nacional de Formação de Quadros, com o Plano e os Programas de Acção para a Formação Nacional de Quadros. A Formação e Capacitação de Quadros esta articulada com a Estratégia de Desenvolvimento de Longo Prazo ( Angola 2025) e com os instrumentos de planeamento de médio prazo que abrangem todos os níveis de qualificação superior e média na Administração Pública e do pessoal Dirigente. Entre os seus objectivos específicos, encontram-se dois que importa realçar, como orientação para o Plano Nacional de Formação de Quadros: 1. Desenvolver o capital humano com formação avançada adequada às necessidades do país; 2. Promover e intensificar a formação de quadros qualificados que satisfaçam as necessidades da Administração Pública; 3. Incrementar as acções de formação no âmbito do Sistema Integrado de Formação da Administração Pública. No sentido de dar-se cumprimento ao PNFQ e evitar transtornos ao funcionamento dos serviços, os cursos para o sector público administrativo serão realizados preferencialmente no período da Tarde, ou seja, das 14:00 às 18:00 e Pós laboral das 16:00 às 20:00. Assim, é imprescindível que os organismos dispensem os funcionário por meio período do dia, nomeadamente a partir das 12h. Institucional

12

13 Plano Nacional de Formação de Quadros PNFQ

14

15 Quadro de Competências a desenvolver na Formação de Dirigentes Nota: Cargos da Administração Pública Central; Administração Pública Provincial e Administração Pública Municipal (a ENAD responderá apenas na formação da Administração Central) Quadro de Competências a desenvolver na Formação de Dirigentes Competências Cargos Direcção Cargos Chefia Cargos Direcção a recrutar Ética e Missão de serviços Públicos Qualidade e Modernização de Serviços Gestão estratégica Avaliação de Resultados Cargos Direcção após 1 ano ingresso Planeamento e programação de actividades Gestão por objectivos, monitoria e avaliação de projectos Gestão Orçamental e de recursos materiais Sistemas de informação e informática Liderança, Gestão de equipas e pessoas Internacionalização e perspectiva para o desenvolvimento Projecto Aplicado Gestão de Recursos Alta Direcção 15 PNFQ

16 PNFQ Quadro de Competências a desenvolver na Formação de Quadros Superiores Competências Quadros Superiores após ingresso Quadros superiores APC Quadros superiores APP Cargos Superiores APM Quadros superiores Licenciados em direito APC+APP Técnicas de Planeamento e Programação Organizações internacionais e regiões africanas Concepção, gestão e avaliação de políticas públicas Nota: Cargos da APC = Administração Pública Central; APP = Administração Pública Provincial e APM = Administração Pública Municipal (a ENAD responderá apenas na formação da Administração Central) Gestão de projectos Gestão e tratamento da informação Técnicas de monitoria e avaliação de projectos Gestão por objectivos, gestão de projectos e avaliação Gestão da qualidade em serviços e sistemas de qualidade 16

17 17 Competências Quadros Superiores após ingresso Quadros superiores APC Quadros superiores APP Cargos Superiores APM Quadros superiores Licenciados em direito APC+APP Conhecimentos de administração e gestão Administração e boa governança Direito administrativo Políticas económicas e economia do sector público Organização da AP, actividades e procedimentos administrativos Gestão de recursos humanos Sistemas de informação e informática Sistemas de informação, reorganização de processos, gestão de sistemas de informação e e-government Procedimentos financeiros Finanças públicas Contabilidade pública Gestão de recursos financeiros e materiais Competências comportamentais PNFQ

18 PNFQ Nota: Cargos da APC=Administração Pública Central; APP= Administração Pública Provincial e APM= Administração Pública Municipal (a ENAD responderá apenas na formação da Administração Central) Competências Capacidade de comunicação Quadros Superiores após ingresso Quadros superiores APC Quadros superiores APP Cargos Superiores APM Comunicação pessoal Ética e sentido de responsabilidade Ética e missão de serviço público Liderança trabalho em equipa gestão de conflitos Liderança, gestão de Pessoas e equipas Coordenação de equipas e trabalho em equipa Desenvolvimento individual, organizacional e Qualidade Feitura de leis Procedimento legislativo Legística Boas Prácticas Quadros superiores Licenciados em direito APC+APP 18

19 19 Nota: A ENAD responderá apenas na formação da Administração Central Quadro de Competências a desenvolver na Formação de Quadros Médios Competências Conhecimento de Administração e Gestão Quadros Médios novos ingresso (P6) Quadros Médios (P10) Organização da Administração Pública - Actividades e procedimentos administrativos Gestão de Recursos Humanos Sistemas de informação e informática Sistema de informação, reorganização de processos, gestão de processos de formação e e-government Procedimentos financeiros Gestão de recursos financeiros e materiais Capacidade de comunicação Comunicação pessoal Ética e sentido de responsabilidade Ética e Missão de serviços Públicos Capacidade de decisão Processo de decisão e resolução de problema Liderança / trabalho em equipa / Gestão de conflitos Coordenação de equipas e trabalho de equipa PNFQ

20 PNFQ GESTÃO PÚBLICA NÍVEL A (P1) No âmbito do PNFQ ( ) - Formação obrigatória 20 equiparados Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: 15 à 22 de Abril 2ª Edição: 10 à 17 de Junho 3ª Edição: 23 à 30 de Setembro 24 Horas (18 h de formação e seminário de 6 h) Desenvolver competências técnicas transversais dos titulares dos cargos de direcção e chefia de topo, tendo em vista o reforço das suas competências técnicas e comportamentais potenciadoras de uma liderança forte e mobilizadora em sintonia com as exigências da moderna gestão pública. Ética e missão de serviço público; Qualidade e modernização de serviços; Gestão estratégica; Avaliação de resultados (accountability)

21 CURSO DE GESTÃO PÚBLICA NÍVEL B (P2) No âmbito do PNFQ ( ) - Formação obrigatória 21 Chefe de departamento Chefe de secção de todos os níveis de Administração Central Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 08 a 26 de Abril 2ª Edição: de 08 a 26 de Julho 3ª Edição: de 07 a 25 de Outubro 60 Horas Desenvolver competências técnicas transversais dos titulares dos cargos de direcção e chefia intermédia, tendo em vista dotá-los de competências técnicas e comportamentais, potenciadoras de uma liderança forte e mobilizadora em sintonia com as exigências da moderna gestão pública. Ética e missão de serviço público; Planeamento e programação de actividades Gestão por objectivos, monitoria e avaliação de projectos Gestão orçamental e de recursos materiais Sistemas de informação e informática na óptica do utilizador Liderança, gestão de equipas e pessoas Qualidade e modernização de serviços; Internacionalização e prospectiva para o desenvolvimento Desenvolver individualmante projecto aplicado, se necessário em tempo pós frequência do curso PNFQ

22 PNFQ CURSO DE INTRODUÇÃO À GESTÃO PÚBLICA (P3) No âmbito do PNFQ ( ) - Formação obrigatória 22 Dirigentes que forem recrutados de entre licenciados de comprovada competência vindos do exterior. Directores nacionais Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: 8 à 19 de Abril 2ª Edição: 8 à 19 de Julho 3ª Edição: 7 à 18 de Outubro 40 Horas Desenvolver competências técnicas transversais dos titulares dos cargos de direcção e chefia de topo após nomeação, tendo em vista a melhoria do perfil, experiência e conhecimentos profissionais, potenciadoras de uma liderança forte e mobilizadora em sintonia com as exigências da moderna gestão pública. Ética e missão de serviço público; Liderança; Qualidade e modernização de serviços; Gestão de recursos; Internacionalização e prospectiva para o desenvolvimento

23 ESPECIALIZAÇÃO PARA DIRIGENTES (P4) Conteúdo Prográmatico 23 Dirigentes que forem recrutados de entre licenciados de comprovada competência vindos do exterior. Directores nacionais Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: 22 de Abril a 03 de Maio 2ª Edição: 17 à 28 de Junho 3ª Edição: 23 de Setembro à 4 de Outubro 40 Horas São objectivos gerais fornecer uma formação específica de gestão, em consonância com as necessidades do cargo desempenhado em cada sector(ambiente, ordenamento, serviços de interesse geral-águas, saneamento, eletricidade etc.- comércio, agricultura economia etc.). Assim não se trata de desenvolver competências técnicas ou comportamentais transversais à Administração Pública, mas antes competências adequadas à gestão de dossiers e recursos específicos. De acordo com a solictação dos sectores e com programas acertados conforme as necessidades específicas. PNFQ

24 PNFQ ESTUDOS AVANÇADOS EM GESTÃO PÚBLICA (P5) 24 Técnicos superiores próximos de funções de topo (assessor ou similar), sempre conjugada com o exercício de funções; Licenciados externos à função pública que se queiram habilitar para recrutamento futuro de dirigentes, permitindo por esta via o reforço de competências e refrescamento da função pública, atraindo novas comptências; Profissionais experientes, vindos fora da função, com idênticos objectivos Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 8 de Abril à 15 de Agosto ( pausa pedagógica de 4 à 14 de Junho ) 340 Horas Esta formação com conteúdos orientados para a alta gestão pública apresenta duplo objectivo: qualificados para futuros dirigentes integrados no conceito de Administradores públicos. Tal satisfaria a exigência de nomear dirigentes com formação obrigatória antes da nomeação (assinala-se que os encontros com as autoridades angolanas, permitem antecipar que tal solução vai no sentido pretendido); mais exigentes e qualificadas de gestão de projectos, encarregados de missão internacionais, que possam, ou não, vir a ser recrutados como dirigentes futuros.

25 25 Ética, missão de serviço público e gestão pública Políticas públicas Planeamento e programação Gestão por objectivos Monitoria e avaliação de projectos Gestão orçamental Contratação Liderança, gestão de pessoas e gestão de equipas Comunicação Negociação Qualidade, inovação e modernização Administração electrónica, sistemas de informação e informática Internacionalização e prospectiva Avaliação dos Formandos Teste escrito no final de cada tema Trabalho de fim de curso PNFQ

26 PNFQ INTRODUÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO NÍVEL A (P6) Futuros quadros superiores licenciados após admissão e no início da carreira Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: 08 de Abril a 09 de Maio 2ª Edição: 27 de Maio à 5 de Julho 3ª Edição: 5 de Agosto à 13 de Setembro Fornecer formação de carácter generalista, dirigida a licenciados que foram selecionados em concurso para ingressar como quadro superior na Administração angolana Visa proporcionar formação actualizada, desenvolver capacidade de trabalho em equipa e de decisão e criatividade e inovação pelo estudo e aprendizagem de temas transversais à função pública. 120 Horas 26

27 Admissão e boa governança Direito administrativo Políticas económicas e economia do sector público Finanças públicas Contabilidade pública Estatística Liderança, gestão de pessoas e comunicação Sistemas de informação, reorganização de processo administrativos, gestão de sistemas de informação e e-government Informática para utilizadores Gestão por objectivos, gestão de projectos e avaliação Gestão da Qualidade em serviços e sistemas de qualidade Organizações internacionais e regionais africanas Concepção, gestão e avaliação de políticas públicas Realização de trabalho final de curso Avaliação dos Formandos Teste escrito no final de cada tema Trabalho de fim de curso 27 PNFQ

28 PNFQ APERFEIÇOAMENTO EM GESTÃO PÚBLICA (P7) 28 Actuais quadros superiores licenciados após admissão na carreira e no início da carreira Tarde - 14:30 às 18:30 1ª Edição: 15 à 26 Abril 2ª Edição: 19 à 30 de Agosto 40 Horas Propiciar conhecimentos e ferramentas básicas para os trabalhadores que ingressam na carreira geral de técnico Superior da Administração Pública. Visa proporcionar formação actualizada, desenvolver capacidade de trabalho em equipa e de decisão e criatividade e inovação pelo estudo e aprendizagem de temas transversais à função Pública. Organização da A.P. (Actividades e Procedimentos Administrativos); Estratégia, Gestão por objectivos e Sistemas de Avaliação; Gestão de Projectos; Gestão e Tratamento da Informação; Comunicação Pessoal; Gestão de Recursos Financeiros e Materiais; Desenvolvimento individual, Organizacional e Qualidade Avaliação dos Formandos Teste escrito no final de cada tema

29 ESPECIALIZAÇÃO EM LEGÍSTICA (P8) 29 Licenciados recém adminitidos nos ministérios incluíndo nível desconcentrado (delegações provínciais e repartições) Pretende-se igualmente aperfeiçoar / reciclar actuais funcionários Tarde - 14:30 às 18:30 1ª Edição: 1 de Abril à 04 de Junho 2ª Edição: 12 de Agosto à 11 de Outubro 180 Horas Desenvolver competências técnicas transversais dos titulares dos cargos de direcção e chefia de topo após nomeação, tendo em vista a melhoria do perfil, experiência e conhecimentos profissionais, potenciadoras de uma liderança forte e mobilizadora em sintonia com as exigências da moderna gestão pública. Procedimento Legislactivo Legística (material e formal) Boas prácticas O Curso deverá ser realizado em parceria com INA (Portugal) PNFQ

30 PNFQ INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO NÍVEL B (P9) Quadros técnicos com formação técnico profissional ou bacharelato Técnicos médios Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16 às 20:00 1ª Edição: de 01 a 26 de Abril 2ª Edição: de 01 a 26 de Julho 80 Horas Fornecer formação inicial de carácter generalista, dirigida a técnicos que foram selecionados em concurso para ingressar como quadro técnico na Administração angolana. Visa proporcionar formação actualizada em gestão pública em domínios que requerem aplicação de técnicas e métodos de trabalho, transversais à Administração e desenvolver capacidade de chefia quando coordene outros profissionais, bem como competências de comunicação e trabalho em equipa. 30

31 Mod. 1 Constituição e Serviço Público Angola no Mundo Mod 2 Organização do Estado Conduta e Ética Mod 3 Serviços do Governo Políticas Públicas Avaliação de Acompanhamento Políticas Públicas Mod 4 Serviços Públicos Serviços para o cidadão Estratégias governativas para a Qualidade Cidadania Mod 5 Gestão Financeira e aspectos específicos da gestão financeira dos serviços públicos Orçamento, regras e processos Mod 6 Desenvolvimento de competências para a melhoria de eficiência individual Avaliação dos Formandos Obrigatória 31 PNFQ

32 PNFQ SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (P12) 32 Dirigentes Quadros superiores (actuais e novas entradas) Quadros médios (actuais e novas entradas) Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 06 a 31 de Maio 2ª Edição: 05 à 30 de Agosto 80 Horas A formação em SI / TIC tem como objectivo geral dotar a Administração Pública com efectivos cujas competências técnicas estejam em sintonia com as exigências da moderna gestão pública, potenciada pela utilização de SI / TIC. São objectivos específicos deste programa: Desenvolver e potenciar a utilização destas novas ferramentas, através de formação geral para utilizadores e formação de especialização para profissionais de informática da AP; Analisar, renegociar e gerir contratos informáticos nos seus múltiplos aspectos. Melhorar a gestão da informação nas organizações e da gestão de benefícios dos investimentos em SI / TIC Formação para utilizadores destinada a quadros médios; Formação para profissionais de informática destinada a quadros médios que necessitem de se especializar na área; Formação para dirigentes e quadros superiores sobre diversas temáticas de que se destacam: TIC e Processos de Mudança Organizacional; Aquisição, Gestão e Avaliação de contratos de Fornecimento de TIC; Gestão de Benefícios dos investimentos em SI/TIC

33 FORMAÇÃO DE FORMADORES (P14) No âmbito do PNFQ ( ) - Formação obrigatória para todos os formadores Todos interessados Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 03 a 28 de Junho 80 Horas A Andragogia Métodos e técnicas de ensino Planear dossiers andragógicos Realizar acções de formação (simulação) Factores e processos de aprendizagem Comunicação e animação de grupos pedagógicos Avaliação da aprendizagem Recursos didácticos Prácticas de ensino interactivo Avaliação dos Formandos Obrigatória 33 PNFQ

34

35 Cursos Regulares Cursos Regulares

36

37 CONCURSO PÚBLICO NA FUNÇÃO PÚBLICA 37 Entidades que integrem os núcleos de recrutamento ou de Recursos Humanos, ou que integrem os júris de procedimentos concursais. Técnicos superiores e juristas que integrem a constituição de júris de procedimentos concursais ou que detenham no seu âmbitode atribuições a análise de problemáticas do procedimento concursal Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 11 a 15 de Março 2ª Edição: de 15 a 19 de Abril 3ª Edição: de 10 a 14 de Junho 4ª Edição: de 08 a 12 de Julho 20 Horas Dotar os participantes de conhecimentos relativos a tramitação dos procedimentos concursais; conhecimentos sobre o procedimento concursal comum ou para a constituição de reservas de recrutamento Conhecimentos relativos ao início e desenvolvimento do procedimento concursal desde a sua abertura até a sua conclusão Dotar ainda os participantes de conhecimentos iniciais relativos à aplicação dos métodos de selecção, assim como das metodologias a aplicar Enquadramento Linhas gerais da Legislação Variáveis a ter em conta no processo de recrutamento Procedimento comum, constituição de reservas de recrutamento Métodos de selecção: obrigatório e facultativo Ordenação de candidatos / lista única de classificação de candidatos Recrutamento em entidade centralizada Cursos Regulares

38 Cursos Regulares ELABORAÇÃO DE PROJECTOS 38 Dirigentes, e quadros superiores da Administração Pública Técnicos dos GEPE s Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 15 de Abril a 03 de Maio 2ª Edição: de 12 a 30 de Agosto 60 Horas Desenvolver aptidões nucleares no âmbito da gestão do ciclo dos projectos, cobrindo diferentes vertentes ligadas à concepção, gestão e avaliação de projectos no quadro do sector público Análise de Risco e Avaliação de Desempenho e Impactos As cinco áreas de processos na Gestão de Projectos; Iniciar, Planear, Executar, Monitorar, Controlar e Encerrar Anatomia do Projecto e gestão do ciclo do projecto Conceito, Características e tipologia de Projectos Os Projectos nas Organizações sistema de gestão e o ciclo do projecto A concepção de projectos por objectivos

39 GESTÃO DE PROJECTOS Directores e Gestores Técnicos Gabinetes de estudo e pesquisa Gestores de projectos Profissionais das várias áreas funcionais envolvidos na gestão de projectos Técnicos Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 24 de Junho a 05 de Julho 2ª Edição: de 21 de Outubro a 01 de Novembro 40 Horas Pretende-se que os formandos no fim do curso adquiram conhecimentos necessários para p planeamento, estruturação, implementação e acompanhamento de projectos. Conceito de projecto, programa e portfólio projecto como viabilizador de mudanças Áreas de conhecimento da gerência de projectos Fases e ciclos de vida de projectos: matricial, funcional, por projectos Funções e responsabilidades - staff do projecto Fundamentos de escopo e tempo em projectos Fundamentos de riscos de projecto As prácticas e princípios na adminsitração empresarial e pública. Casos empresarias e da administração pública no mundo e em Angola 39 Cursos Regulares

40 Cursos Regulares AVALIAÇÃO DE PROJECTOS 40 Dirigentes, e quadros superiores da Administração Pública Técnicos dos GEPE`s Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 22 de Julho à 09 de Agosto 2ª Edição: de 21 de Outubro à 08 de Novembro 60 Horas Desenvolver aptidões nucleares no âmbito da gestão do ciclo dos projectos, cobrindo diferentes vertentes ligadas à concepção, gestão e avaliação de projectos no quadro do sector público Análise de Risco e Avaliação de Desempenho e Impactos As cinco áreas de processos na Gestão de Projectos; Iniciar, Planear, Executar, Monitorar, Controlar e Encerrar Análise de problemas, e alternativas Opções de financiamento, e mobilidades de execução Análise de risco e validade Análise de risco e respostas de acção Processo de aceitação e encerramento das fases do projecto Utilização da ferramenta de suporte Microsoft Project Critérios e métodos de avaliação

41 POLÍTICAS PÚBLICAS Dirigentes, e quadros superiores da Administração Pública Directores Nacionais Chefes de Departamento Técnicos superiores Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 60 Horas Dotar os participantes de conhecimentos e técnicas que viabilizem e facilitem aplicação correcta das políticas públicas Acompanhar e compreender o desenvolvimento e implementação das políticas Concepção da Estratégia Planeamento Estratégico Alinhamento da Organização Planeamento Operacional Avaliação, Acompanhamento e Aprendizagem Revisão da Estratégia Estudos de Caso 41 1ª Edição: de 13 a 31 de Maio 2ª Edição: de 07 a 25 de Outubro Cursos Regulares

42 Cursos Regulares GESTÃO DO DESENVOLVIMENTO URBANO 42 Quadros Técnicos do Ministério do Urbanismo e Construção Administradores Municipais e Comunais Quadros Técnicos do Governo Provincial Técnicos superiores de instituições similares Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 06 a 24 de Maio 2ª Edição: de 01 a 18 de Outubro 60 Horas Destacar a importância do termo urbano, que designa uma forma particular de ocupação de espaço pela população. Refletir sobre o termo urbanização que se refere a constituição de formas especiais particulares que tomam as sociedades, caracterizadas pela concentração de actividades e de população sobre um determinado espaço Analisar as políticas de desenvolvimento urbano Monitoramento Estrutura do sistema conceito do planeamento da cidade desenvolvimento, dentro da percepção do processo de planeamento As metas do planeamento estratégico, e ferramentas administrativas para implementação do planeado A história da renovação urbana, desde as primeiras definições até os dias de hoje A evolução de uma unidade urbana Os componentes de uma estrutura urbana Princípios de desenvolvimento sustentável Cidades, comunidades e vidas sustentáveis Solução de problemas de diferentes Ministérios na base de técnicas de gestão de projectos Estudos de caso

43 FEITURA DE LEIS 43 Técnicos Superiores da área juridica e afins Chefes de Departamento Técnicos superiores Licenciados não pertencentes a Função Pública Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 11 à 22 de Março 2ª Edição: de 15 à 26 de Julho 40 Horas Conhecer as várias fazes do processo legislativo e o período que vai desde a feitura de leis, aprovação e sua entrada em vigor Desenvolver um programa que, vai para além do sistema de atos normativos e do procedimento legislativo. A lei procura transmitir saberes e técnicas da legislação (material e formal), com vista a racionalização da produção normativa Enquadramento do ato normativo Introdução e princípios fundamentais sobre produção normativa Competência legislativa Competência regulamentar Competência normativa relativa a vinculação internacional Princípios gerais do ordenamento e a sua influência no procedimento legislativa processo legislativo angolano: fases A intervenção do executivo n elaboração das leis A preparação de actos normativos: uma prespectiva de Legística Material Redação de actos normativos: Uma perspectiva de legística formal Publicidade e Divulgação Cursos Regulares

44 Cursos Regulares FÉRIAS, FALTAS E LICENÇAS NA FUNÇÃO PÚBLICA Dirigentes Quadros superiores, coordenadores técnicos, chefias que possuam experiência na aplicaçãoo nos novos regimes de vinculação, carreiras e remunerações Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 40 Horas Dar a conhecer os procedimentos de aplicação do regime jurídico sobre férias, faltas e licenças. Aplicação do Decrecto Lei Nº 10 / 94 Férias: aquisição,marcação e gozo; alteração, acomulação e suspensão; Férias no caso de cessação definitiva do contrato Faltas:tipo de faltas e seu regime. Algumas implicações do regime de protecção social Licenças: conceito e regime Direito do Trabalho (Noções, Fontes e Princípios Gerais) Contrato de trabalho Retribuição e Tributação (regime Jurídico) Regime jurídico das prestações familiares 44 1ª Edição: de 25 de Março a 5 de Abril 2ª Edição: de 17 a 28 de Junho 3ª Edição: de 02 a 13 de Setembro

45 GESTÃO DAS COMPETÊNCIAS 45 Dirigentes do topo e intermédios Gestores e técnicos de formação,gestores dos Recursos Humanos Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 15 a 26 de Abril 2ª Edição: de 15 a 16 de Julho 40 Horas Saber conceber um método de Gestão Estratégica de Pessoas e a sua articulação com as práticas tácticas de Gestão de Recursos Humanos Saber elaborar uma política de formação adequada ao plano estratégico da organização Saber elaborar um perfil de competências e gerir os planos de desenvolvimento pessoais Compreender articulação entre as etapas de levantamento, concepção, implementação e avaliação de acções de formação formal Enquadrar o processo formativo na aquisição, disseminação e mobilização de competências Saber associar as acções de formação às várias práticas de gestão de pessoas; gestão das carreira, mobilidade, recrutamento e selecção, avaliação de desempenho Saber implementar práticas de gestão do conhecimento e identificar metodologias de gestão e inovação Saber integrar uma abordagem prospectiva na política de formação Cursos Regulares

46 Cursos Regulares Formação e a mudança de paradigma em gestão de recursos humanos Gestão estratégica da formação A unidade da formação no centro da identificação das necessidades em termos de competncias Posicionar a formação numa lógica prospetiva; antecipar as necessidades de competencias A gestão de competencias A gestaõ do conhecimento A gestão da Inovação Acções Complementares 1. A formação e a reforma da administração pública; novos desafios 2. enquadramento legal da formação na administração pública 3. Gestão do capital do capital intelectual nos organismos públicos 46

47 AUDITORIA E CONTROLO FINANCEIRO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 47 Responsáveis das áreas financeiras e da contabilidade ou das áreas periféricas Todos interessados que desempenhem funções na área financeira Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 18 a 29 de Março 2ª Edição: de 15 a 26 de Julho 40 Horas Proporcionar aos participantes alguns aspectos de carácter genérico, designadamente sobre: As funções da gestão; Aspectos essenciais sobre o controlo interno nas entidades da administração pública A responsabilidade pela implementação do controlo interno A importância do sistema de controlo interno Aprestação de contas ao tribunal de contas um paradigma de controlo Introdução e enquadramento O sistema de controlo interno Conceito, importância, necessidade Responsabilidade pela implementação Metodologia para elaboração de norma de controlo interno Aspectos nucleares As normas dos planos oficiais de contabilidade pública Articulação do controlo Elaboração da norma Acompanhamento / revisão O papel do auditor interno A responsabilidade financeira da gestão Cursos Regulares

48 Cursos Regulares ELABORAÇÃO DE TEXTOS OFICIAIS E PARECERES TÉCNICOS Todos interessados Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 11 a 22 de Março 2ª Edição: de 17 a 28 de Junho 3ª Edição: de 07 a 18 de Outubro 40 Horas Dominar a sistematização de um relatório. Organizar documentos por prioridades e arquivos Elaborar textos e pareceres técnicos Articulação do texto Produção do texto Características do texto oficial Estrutura de ralatórios técnicos Estrutura de pareceres técnicos Actas e outros documentos 48

49 GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA FUNÇÃO PÚBLICA 49 Directores Chefes de Departamentos Técnicos da Administração Pública ligados a área dos Recursos Humanos Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 01 a 19 de Abril 2ª Edição: de 01 a 19 de Julho 60 Horas Descrever os passos fundamentais a seguir para o recrutamento e selecção de pessoal Compreender a importância das técnicas, planos de carreira e sistemas de remuneração para recretar, contratar e manter o pessoalna Função Pública Conhecer o perfil das competências necessárias do gestor dos Recursos Humanos Funções da Gestão de Recursos Humanmos Previsão da Gestão de Recursos Humanos Recrutamento e selecção e enquadramento de pessoal na Função Pública Acolhimento e integração dos novos funcionários Avaliação de desenpenho Planos de carreira Sistemas de remuneração Formação profissional Absentismo Motivação Gestão de conflitos Mudança Organizacional Mobilidade de pessoal Pauta deontológica Ética e comportamento na Administração Pública Descrição das necessidades de pessoal, análise e qualificação das funções Cursos Regulares

50 Cursos Regulares AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE PESSOAL NA FUNÇÃO PÚBLICA Chefes Técnicos Superiores Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 Formular objectivos, indicadores de medida e metas no desempenho profissional; Saber direcionar o desempenho de organizações públicas para o alcance de resultados 1ª Edição: de 17 a 21 de Junho 2ª Edição: de 18 a 22 de Novembro 20 Horas Padrões de monitoramento Avaliação de desemepnho das organizações Lei vigente 50

51 GESTÃO DA SEGURANÇA SOCIAL 51 Responsáveis e técnicos do Sector Público Profissionais e Entidades Gestoras da Segurança Social Técnicos de Associações mutualistas Gestores de Fundo de Pensão Gestores de empresas seguradoras que explorem o ramo vida Magistrados judiciais do Ministério Público Advogados, juristas Directores financeiros Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 08 de Abril a 03 de Maio 2ª Edição: de 08 de Julho a 02 de Agosto 3ª Edição: de 07 de Outubro a 1 de Novembro 80 Horas Promover a capacidade técnica de profissionais do sector público administrativo e do sector empresarial no domínio da Protecção Social Dotar os quadros de conhecimentos técnicos e científicos com vista a correcta gestão dos sistemas de Segurança Social Promover o intercâmbio no domínio da formação entre os países de língua oficial portuguesa, de modo a tornarem os seus serviços mais eficazes e despertar o interesse de estudos na área de Segurança Social História da Segurança Social Introdução ao sistema de Segurança Social Sistemas de Segurança Social nos PALOP Os paradígmas dos sistemas da Segurança Social Regime de Protecção Social Direito a Segurança Social Fundamentos Técnicos da Segurança Social Gestão operacional do sistema de Segurança Social Seminário Cursos Regulares

52 Cursos Regulares INSPECÇÃO DO TRABALHO 52 Inspectores do trabalho em início de carreira Candidatos a ingresso a carreira de inspecção Candidatos recém admitidos nos quadros da Inspecção Geral do Trabalho Inspectores do Trabalho Tarde - 14:00 às 18:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 22 de Abril a 17 de Maio 2ª Edição: de 15 de Julho a 09 de Agosto 3ª Edição: de 07 de Outubro a 01 de Novembro 80 Horas Sensibilizar e dotar os participantes de aptidões capazes de saber distinguir as normas atinentes aos conceitos e procedimentos sobre Higiene e segurança no Trabalho, utilizando as técnicas apreendidas na prevenção de eventuais acidentes de trabalho. No final da formação os participantes deverão ser capazes de desempenhar as suas funções com conhecimentos de todos os riscos que poderão advir da não observação das normas de higiene exigidas por lei de acordo a OIT. Noções de Inspecção de Trabalho Noções gerais sobre o Direito do Trabalho Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Legislação do Trabalho VIH Sida no local de trabalho Práticas inspectivas Estudos de caso

53 ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS POR COMPETÊNCIAS 53 Directores Chefes de Departamento Técnicos Superiores Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 06 de Maio a 29 de Novembro 444 Horas Conhecer Proporcionar conhecimentos especializados na área da gestão organizacional, com ênfase na criação e desenvolvimento de competências adequadas ao desempenho de tarefas, que habilitem dirigentes e técnicos superiores a desempenhar funções nos diversos domínios da especialidade, segundo a óptica do conhecer as teorias, saber aplicar as técnicas e ter comportamentos adequados. Valore, ética e deontologia Diálogo, interculturalidade e cidadania Estatística descritiva Planeamento provisional de RH Balanço Social Levantamento de Funções Sociodinâmica Organizacional Regimes jurídicos laborais A resposta da organização na óptica das competências Recrutamento e selecção Integração de recursos humanos Gestão por competências Métodos e técnicas de apoio à gestão de RH Métodos e técnicas de apoio à gestão de RH Trabalhos finais para avaliação da aprendizagem Demonstrações técnicas e visitas de estudo Cursos Regulares

54 Cursos Regulares CONFERÊNCIAS NO SECTOR PÚBLICO ADMINISTRATIVO No âmbito do Programa Nacional de Formação de Quadros será organizado um Ciclo de Conferências que abordem várias temáticas assinaladas no PNFQ, tais como: Planeamento Estratégico na Administração Pública Ciclo de Gestão Pública Gestão por Resultados Eficiência na Administração Pública 54

55 SEMINÁRIOS TÉCNICOS SECTOR PÚBLICO ADMINISTRATIVO No âmbito do Programa Nacional de Formação de Quadros será organizado um Ciclo de Seminários que abordem várias temáticas assinaladas no PNFQ, tais como: Gestão Estratégica Metodologias de tomada de decisão Qualidade em serviços Desenvolvimento do território e Desconcentração de serviços 55 Cursos Regulares

56 Cursos Regulares MOBILIDADE DE PESSOAL NA FUNÇÃO PÚBLICA Gestores de Recursos Humanos Técnicos licenciados Chefes de Departamento, Divisão, Secção, e Repartição Manhã - 08:30 às 12:30 1ª Edição: 25 de Março 2ª Edição: 05 de Agosto 4 Horas Dar a conhecer os métodos para sensibilizar os serviços públicos para uma eficaz aplicação do regime de mobilidade de pessoal. Caracterização dos instrumentos de mobilidade de pessoal Análise comparativa dos regimes aplicáveis Estudo do regime jurídico de mobilidade da função pública 56

57 CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS Directores Dirigentes do sector público administrativo Manhã - 08:30 às 12:30 1ª Edição: 08 de Abril 2ª Edição: 12 de Agosto 4 Horas Compreender o conceito e a importância da liderança no desenvolvimento das organizações Aplicar os conceitos discutidos em contexto real Utilizar a liderança na Gestão de equipas de conflitos Normas internacionais de contabilidade Sistema público de normalização contabilística Componentes das desmonstrações financeiras consolidadas Dever de informação Princípios contabilísticos Procedimentos de consolidação Métodos de consolidação Operacionalização 57 Cursos Regulares

58 Cursos Regulares REGIME DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL NA FUNÇÃO PÚBLICA Gestores de Recursos Humanos Técnicos licenciados que lidem directamente com o pessoal Chefes de Departamento Manhã - 8:30 às 12:30 1ª Edição: de 14 de Abril 2ª Edição: de 10 de Julho 4 Horas Estudar os aspectos legais inerentes ao processo de contratação de pessoal Refletir o papel do Tribunal de contas e da Inspeção da Função Pública no processo de contratação Dotar os participantes de conhecimentos técnicos, práticos sobre a modalidade de contratos usados na Administração Pública Abordagem sobre a teoria geral da administração Formas e necessidades de contratação Oproblema dos letígios contratuais Garntia e imparcialidade no procedimento contratual O regime da responsabilidade administrativa, disciplinar e penal 58

59 MODELOS DE GESTÃO PÚBLICA Directores Chefes de Departamento Técnicos Superiores Manhã - 08:30 às 12:30 1ª Edição: de 27 de Maio 2ª Edição: de 19 de Agosto 4 Horas Conhecer a natureza das organizações públicas e da gestão pública Conhecer os destintos modelos de funcionamento das Administrações Públicas, nos destintos países Administração e management Modelos de Gestão pública Dimensões da nova Gestão Pública A nova Gestão Pública e reforma administrativa 59 Cursos Regulares

60 Cursos Regulares TÉCNICAS DE CONDUÇÃO DE REUNIÕES NOS SERVIÇOS PÚBLICOS Todos interesados Manhã - 08:30 às 12:30 1ª Edição: 25 de Março 2ª Edição: 16 de Julho 4 Horas Garantir a gestão eficaz do tempo nas reuniões nos serviços públicos e estudar as variantes determinantes da preparação e execução das reuniões Analisar as diferentes formas e estilos de comunicação e formas de participação, concertação e tomada de decisões nos serviços Públicos Preparação das reuniões Quando e como convocar reuniões Elaboração da agenda de Trabalho Condução e avaliação de reuniões Princípios e papéis de dinâmica de grupo Gestão de tempo e controlo da agenda Forma de organização e elaboração de actas Critérios e modelos de avaliação de reuniões 60

61 CICLO DE GESTÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL NOS SERVIÇOS PÚBLICOS Responsáveis e gestores de recursos humanos Manhã - 08:30 às 12:30 1ª Edição: 17 de Junho 2ª Edição: 21 de Outubro 4 Horas Afeiçoar a instituição no que se refere à gestão da formação e capacitação do pessoal na Administração Pública. Diagnóstico das necessidades de Formação Conceber e organizar o plano de formação Avaliação do impacto da formação 61 Cursos Regulares

62 Cursos Regulares GESTÃO DE PROCESSOS 62 Directores Gerais e Adjuntos de Institutos Públicos Directores e Chefes de Operações Técnicos de planeamento Técnicos Superiores Manhã - 08:30 às 12:30 1ª Edição: 22 de Julho 2ª Edição: 18 de Novembro 4 Horas Aperfeiçoar a instituição no que se refere a gestão de processos na Administração Pública Análise e refinamento de processos Comunicação e gestão da mudança Padronização e automação Monitoria e avaliação

63 Cursos para o Sector Empresarial Cursos Sector Empresarial

64

65 COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS 65 Empreendedores Manhã - 08:30 às 12:30 Tarde - 14:00 às 16:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 04 a 08 de Março 2ª Edição: de 10 a 14 de Junho 3ª Edição: de 09 a 13 de Setembro 20 Horas Pretende-se que os formandos no fim do curso estejam preparados a desenvolver de forma eficaz um Plano de Negócios. Habilitar o profissional a utilizar as ferramentas necessárias para além da elaboração do Plano de Negócios estando capacitado para fazer uma análise crítica à sua evolução. Conhecer as Lei 30 / 11 de 13 de Setembro; Direitos e Deveres do empreendedor; Preparar o participante a desenvolver um Plano de Negócios. O Processo Empreendedor Análise swot Criar o negócio Gerir o negócio O que é um Plano de Negócios Estruturas de um Plano de Negócios Aspectos chaves de um Plano de Negócios Tipificação de erros na elaboração de um Plano de Negócios Componentes do Plano de Negócios Cursos Sector Empresarial

66 Cursos Sector Empresarial GESTÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS 66 Empresários Gestores Contabilistas Directores financeiros Técnicos ligados às areas administrativas e finaceiras Manhã - 08:30 às 12:30 Tarde - 14:00 às 16:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 1ª Edição: de 11 a 22 de Março 2ª Edição: de 17 a 28 de Junho 3ª Edição: de 07 a 18 de Outubro 40 Horas Pretende-se que os formandos deverão compreender a ligação entre a componente organizacional, controlo interno e comportamental do controlo de gestão. O plano de negócios, a gestão orçamental e a cultura de gestão A componente organizacional, controlo interno e comportamental do controlo de gestão Importância do controlo e procedimentos internos Liderança de equipas e de empresas Como efectuar o controlo orçamental e do plano de negócios Planos de contigência O plano de negócios e o reporte internacional ou o reporte à adminsitração Apresentação de planos de negócios a entidades públicas para aprovação

67 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS E NEGÓCIOS Contabilistas; Gestores; Técnicos de contas Manhã - 08:30 às 12:30 Tarde - 14:00 às 16:00 Pós laboral - 16:00 às 20:00 40 Horas Pretende-se que os formandos no fim do curso adquiram conhecimentos na área do Mercado de Capitais. Desenvolver conhecimentos práticos na área do Mercado de Capitais. Realizar estudos de viabilidade económica. Noções de valor e premissas de avaliação Óptica patrimonial e ajustamentos das demonstrações financeiras Óptica de comparação com o mercado Previsão finaceira e crescimento Análise e estimativa da taxa de crescimento sustentável a longo prazo Custo capital Perspectiva futura e valor temporal do dinheiro Negociação e o valor das empresas 67 1ª Edição: de 01 a 12 de Abril 2ª Edição: de 01 a 12 de Julho 3ª Edição: de 18 a 30 de Novembro Cursos Sector Empresarial

programa de formação 2014

programa de formação 2014 programa de formação 2014 Índice Institucional... 5 Perfil Institucional e Elementos Conceptuais... 6 Áreas de Actuação e Macro-Produtos... 8 Instalações... 11 Inscrições e Candidaturas... 12 Programa

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO. Calendário Geral de Cursos

PROGRAMA DE FORMAÇÃO. Calendário Geral de Cursos PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2013 Calendário Geral de Cursos FORMAÇÕES REGULARES 12 Concurso Público da Função Pública 20 horas 18 22 11 15 14 19 9 14 13 Elaboração de Projectos 60 horas 15 3 12 30 14 Gestão de

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1. Identificação do Curso Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos 2. Destinatários Profissionais em exercício de funções na área de especialização do curso ou novos

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ)

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) INTEGRAÇÃO PROFISSIONAL DE TÉCNICOS SUPERIORES BACHARÉIS, LICENCIADOS E MESTRES CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) GUIA DE CURSO ÍNDICE 1 - Objectivo do curso 2 - Destinatários 3 - Pré-requisitos

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social PROGRAMA DE REFORMA ADMINISTRATIVA PREA

REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social PROGRAMA DE REFORMA ADMINISTRATIVA PREA REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social PROGRAMA DE REFORMA ADMINISTRATIVA PREA INTRODUÇÃO No quadro das tarefas de implementação do Programa de Reforma Administrativa

Leia mais

Banca, Seguros e Mercados Financeiros

Banca, Seguros e Mercados Financeiros Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Banca, Seguros e Mercados Financeiros Edital 2ª Edição 2011 1 Enquadramento A Escola Superior

Leia mais

Diagnóstico das Necessidades de Formação

Diagnóstico das Necessidades de Formação Diagnóstico das Necessidades de Formação A AciNet Sistemas e Tecnologias de Informação é uma empresa de tecnologias de informação nas actividades de representação e comercialização de equipamentos informáticos,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S

PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO E INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Angra do Heroísmo 2010/2011 1 Objectivos Este curso de pós-graduação

Leia mais

Data 17/05/2012 Revisão 00 Código R.EM.DE.10

Data 17/05/2012 Revisão 00 Código R.EM.DE.10 Artigo 1º Objectivo e âmbito O Regulamento do Curso de Pós-Graduação em Coordenação de Unidades de Saúde, adiante designado por curso, integra a organização, estrutura curricular e regras de funcionamento

Leia mais

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição.

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 1. OBJETIVOS GERAIS No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Descrever a orgânica das Instituições Sociais;

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores MÓDULOS CARGA HORÁRIA Acolhimento 1 O formador face aos sistemas e contextos de formação 8 Factores e processos de aprendizagem 6 Comunicação e Animação de Grupos

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Decreto Executivo nº /07 De 03 de Setembro Convindo regulamentar o funcionamento do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do Ministério do Comércio; Nestes termos, ao abrigo

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS

CONSELHO DE MINISTROS CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 35/02 de 28 de Junho Considerando a importância que a política comercial desempenha na estabilização económica e financeira, bem como no quadro da inserção estrutural

Leia mais

Mini-MBA de Especialização em Auditoria Contabilística, Financeira e Fiscal

Mini-MBA de Especialização em Auditoria Contabilística, Financeira e Fiscal Mini-MBA de Especialização em Auditoria Contabilística, Financeira e Fiscal Índice Duração Total...2 Destinatários...2 Perfil de saída...2 Pré-Requisitos...2 Objetivo Geral...2 Objetivos Específicos...3

Leia mais

Estratégias regionais, para a investigação e inovação, implementadas nas Regiões. O que foi feito?

Estratégias regionais, para a investigação e inovação, implementadas nas Regiões. O que foi feito? Estratégias regionais, para a investigação e inovação, implementadas nas Regiões Ultraperiféricas e Cabo Verde: O que foi feito? O que está a ser fit? feito? Resolução do Conselho do Governo nº41/2008,

Leia mais

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com Moçambique Agenda EVENTOS 2013 NEW!! Também in Company INSCREVA-SE EM inscrip@iirportugal.com VISITE www.iirportugal.com INOVAÇÃO Estimado cliente, Temos o prazer de lhe apresentar em exclusiva o novo

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO REGULAMENTO INTERNO DAS REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS DA REPÚBLICA DE ANGOLA NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Natureza) As representações são órgãos de execução

Leia mais

Federação Nacional de Karate - Portugal. Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos

Federação Nacional de Karate - Portugal. Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos Federação Nacional de Karate - Portugal Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos Índice Fórum de Formadores 2013 Introdução Diferentes influências e realidades Pessoal qualificado e Especializado em Serviços

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

Apresentação do curso Objetivos gerais Objetivos específicos

Apresentação do curso Objetivos gerais Objetivos específicos Apresentação do curso O Curso de Especialização Direito das Empresas para Executivos (CEDEE) visa satisfazer a necessidade existente no mercado dos gestores e executivos das empresas conhecerem o direito

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA REGULAMENTO. Objeto, duração e definições

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA REGULAMENTO. Objeto, duração e definições CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA REGULAMENTO Objeto, duração e definições Artigo 1.º Objecto do Curso 1. O Curso de Especialização em Gestão e Organização da Justiça é um Curso de

Leia mais

REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR

REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 1. Introdução O Curso de Especialização em Administração Hospitalar (CEAH) da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Universidade

Leia mais

A Gestão de Competências na Modernização da Administração Pública

A Gestão de Competências na Modernização da Administração Pública A Gestão de Competências na Modernização da Administração Pública 4º Congresso Nacional da Administração Pública 2 e 3 Novembro de 2006 José Alberto Brioso Pedro Santos Administração Pública Contexto Perspectiva

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

Cursos a Distância com Tutoria Turmas com mínimo de 60 participantes

Cursos a Distância com Tutoria Turmas com mínimo de 60 participantes Cursos a Distância com Tutoria Turmas com mínimo de 60 participantes Análise e melhoria de processos - MASP Servidores públicos federais interessados em conhecer a gestão da qualidade e utilizá-la na melhoria

Leia mais

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional 1024036 - PROFIFORMA, GABINETE DE CONSULTADORIA E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, LDA Missão É missão do CQEP Profiforma: -

Leia mais

Empresas que se mexem, são empresas que crescem!

Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Apresentação do Projecto/ Abertura de inscrições Introdução A Adere-Minho - Associação para o Desenvolvimento Regional do Minho, entidade de natureza associativa

Leia mais

SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 2.3 E 11.1)

SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 2.3 E 11.1) SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 2.3 E 11.1) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 Página 1 de 13 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTOS

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Decreto n.º4/01 De 19 de Janeiro Considerando que a investigação científica constitui um pressuposto importante para o aumento da produtividade do trabalho e consequentemente

Leia mais

DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CONSULTORIA SOBRE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS HUMANOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA TERMOS DE REFERÊNCIA FEVEREIRO de 2014 INDICE 1.TITULO... 3 2. CONTEXTO.3

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

Portaria n.º 707-A/2010. de 16 de Agosto

Portaria n.º 707-A/2010. de 16 de Agosto Portaria n.º 707-A/2010 de 16 de Agosto O Decreto-Lei n.º 170/2009, de 3 de Agosto, em execução do disposto nos novos regimes de vinculação, de carreiras e de remunerações dos trabalhadores que exercem

Leia mais

第 三 章 執 行 預 算 第 135/2005 號 行 政 長 官 批 示. 7) Executar o plano de formação de pessoal; ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ;

第 三 章 執 行 預 算 第 135/2005 號 行 政 長 官 批 示. 7) Executar o plano de formação de pessoal; ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ; N.º 19 9-5-2005 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU I SÉRIE 545 ( 七 ) 執 行 人 員 培 訓 計 劃 ; ( 八 ) 核 實 收 支 文 件, 並 為 船 舶 建 造 廠 的 正 常 運 作 提 供 輔 助 7) Executar o plano de formação de pessoal;

Leia mais

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)?

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? São unidades especializadas de apoio educativo multidisciplinares que asseguram o acompanhamento do aluno, individualmente ou em grupo, ao longo

Leia mais

enquadramento objectivos

enquadramento objectivos enquadramento O curso tem uma estrutura holística, integradora e procura trabalhar as competências da gestão de recursos humanos numa perspectiva de marketing interno no âmbito de temas marcadamente actuais,

Leia mais

Descrição de Tarefas para a Posição de Director de Programas, Políticas e Comunicação da AAMOZ

Descrição de Tarefas para a Posição de Director de Programas, Políticas e Comunicação da AAMOZ Descrição de Tarefas para a Posição de Director de Programas, Políticas e Comunicação da AAMOZ ActionAid é uma federação internacional trabalhando para erradicar a pobreza e a injustiça. A ActionAid foi

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Especialização em Gestão de Projectos Nível 1 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Este curso constitui

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

CURSO: CONTABILIDADE PÚBLICA E ANÁLISE DE BALANÇOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TEORIA E PRÁTICA. Período: Abril e Setembro

CURSO: CONTABILIDADE PÚBLICA E ANÁLISE DE BALANÇOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TEORIA E PRÁTICA. Período: Abril e Setembro CURSO: CONTABILIDADE PÚBLICA E ANÁLISE DE BALANÇOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TEORIA E PRÁTICA Período: Abril e Setembro Público Alvo: Servidores que trabalham na área contábil financeira do estado. Objetivo:

Leia mais

Área Metropolitana do. Porto 2007-2013. Programa Territorial de Desenvolvimento

Área Metropolitana do. Porto 2007-2013. Programa Territorial de Desenvolvimento Área Metropolitana do Porto 2007-2013 Programa Territorial de Desenvolvimento Modernização do Governo Electrónico e melhoria da relação das empresas e dos cidadãos com a Administração Desconcentrada e

Leia mais

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Abril de 2008 Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária 1 Bashen Agro Um projecto Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Parceria FZ AGROGESTÃO Consultoria em Meio Rural, Lda Av.

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu. Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu. Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1. Descrição... Erro! Marcador não definido. 2. Entidade Gestora...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR SÊNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

Curso Avançado em Gestão da Formação 2010

Curso Avançado em Gestão da Formação 2010 Curso Avançado em Gestão da Formação 2010 Capital Humano e Desenvolvimento Sustentável Potencial Humano Populações com saúde, educação e bem estar Desenvolvimento Capital Humano Capital Social Democracia

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º Denominação A Escola Profissional adopta a designação de ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS e a abreviatura EPF. ARTIGO

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa

Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Criação 1. A Conferência dos Ministros da Justiça

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS Artigo 1.º (Âmbito) 1 - O presente Regulamento estabelece a estrutura orgânica e as competências dos Serviços Administrativos e Financeiros

Leia mais

PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE QUADROS

PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE QUADROS PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE QUADROS NOTA INFORMATIVA A. Plano Nacional de Formação de Quadros, Instrumento de Execução da Estratégia Nacional de Formação de Quadros 1. Por Despacho de 16 de Novembro

Leia mais

GESTÃO E CAPACITAÇÃO MÓDULO NO 3º SETOR FORMAÇÃO ESPECIALIZADA NA ÁREA FORMADOR/DATA SOCIAL CENTRO DE FORMAÇÃO. a nossa missão é a sua formação

GESTÃO E CAPACITAÇÃO MÓDULO NO 3º SETOR FORMAÇÃO ESPECIALIZADA NA ÁREA FORMADOR/DATA SOCIAL CENTRO DE FORMAÇÃO. a nossa missão é a sua formação GESTÃO E CAPACITAÇÃO AÇÃO ORGANIZACIONAL MÓDULO NO 3º SETOR FORMAÇÃO ESPECIALIZADA NA ÁREA FORMADOR/DATA SOCIAL a nossa missão é a sua formação CENTRO DE FORMAÇÃO COIMBRA BISSAYA BARRETO 17-06-2015 DURAÇÃO

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS PREÂMBULO Na sequência da transposição para o ordenamento jurídico nacional da Directiva n.º 2006/43/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Segurança e Higiene no Trabalho Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA MODELO CONCEPTUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA MODELO CONCEPTUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA MODELO CONCEPTUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO 1 CONTEXTUALIZAÇÃO A Reforma do sector público em curso no país enquadra se na estratégia mais

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

EDITAL Nº5/2015 MEDIDA II - INCENTIVO À PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL EM FORMAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

EDITAL Nº5/2015 MEDIDA II - INCENTIVO À PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL EM FORMAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EDITAL Nº5/2015 MEDIDA II - INCENTIVO À PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL EM FORMAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Para os efeitos convenientes torna-se público que se encontra aberto, a partir do

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO

TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO INDICE 1 NOTA PRÉVIA 3 2 LINHAS DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA 4 3 PLANO DE FORMAÇÃO 4 4 FREQUÊNCIA DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO 6

Leia mais

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt Hotel Alvalade LUANDA 16 a 27 de RH Os Ciclos de RH, consistem em planos de desenvolvimento de competências no domínio da gestão de Recursos Humanos, nomeadamente ao nível das áreas de Selecção, Formação

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO-2010

PLANO DE FORMAÇÃO-2010 PLANO DE FORMAÇÃO-2010 - Associação Vicentina- Formação Modular Certificada (Destinatários: Activos com o 9ºano) Inglês- Iniciação e Aperfeiçoamento TIC s (Iniciação e Aperfeiçoamento) Português para Estrangeiros

Leia mais

Índice Descrição Valor

Índice Descrição Valor 504448064 Índice Descrição Valor 1 Missão, Objectivos e Princípios Gerais de Actuação 11 Cumprir a missão e os objectivos que lhes tenham sido determinados de forma económica, financeira, social e ambientalmente

Leia mais

CAPÍTULO III. Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º

CAPÍTULO III. Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º CAPÍTULO III Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º Missão e atribuições 1. O Estado -Maior Conjunto (EMC) tem por missão assegurar o planeamento e o apoio necessários à decisão do CEMGFA. 2. O EMC prossegue,

Leia mais

Mini-MBA de Marketing

Mini-MBA de Marketing Mini-MBA de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Designação do curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objectivo Geral... 3 Objetivos

Leia mais

MODELO DE GESTÃO DO SISTAFE

MODELO DE GESTÃO DO SISTAFE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DO PLANO E FINANÇAS GABINETE DA MINISTRA Unidade Técnica da Reforma Da Administração Financeira do Estado - UTRAFE MODELO DE GESTÃO DO SISTAFE Maputo, 12 de Julho de

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência

Leia mais

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE 3. Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete 65 66 3.1 Objectivos e Princípios Orientadores O sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete, adiante designado

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

COMISSÃO DA BACIA DO ZAMBEZE OPORTUNIDADES DE EMPREGO

COMISSÃO DA BACIA DO ZAMBEZE OPORTUNIDADES DE EMPREGO COMISSÃO DA BACIA DO ZAMBEZE OPORTUNIDADES DE EMPREGO Instituição: Comissão da Bacia do Zambeze (ZAMCOM) Local de Trabalho: Harare, Zimbabwe Duração: Inicialmente um ano com possibilidade de renovação

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA MONTES CLAROS - MG SUMÁRIO 1. Introdução 4 2. Obrigatoriedade das atividades complementares 5 3. Modalidades de Atividades Complementares

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão de Projectos

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão de Projectos Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão de s Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento O Sines Tecnopolo apresenta, em parceria com

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado O Plano Tecnológico da Educação (PTE), aprovado pela Resolução de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE DIRIGENTES COOPERATIVOS. 18 a 22 de janeiro de 2016

CURSO DE FORMAÇÃO DE DIRIGENTES COOPERATIVOS. 18 a 22 de janeiro de 2016 CURSO DE FORMAÇÃO DE DIRIGENTES COOPERATIVOS 18 a 22 de janeiro de 2016 de 18 a 22 de janeiro de 2016 Objetivos gerais: Enquanto matéria transversal, sensibilizar quadros técnicos e dirigentes para a temática

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu

Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu Centro Pastoral, Educacional e Assistencial Dom Carlos - CPEA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 06/2013 VIZIVALI A FACULDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS

MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS Decreto executivo n.º 128/06 de 6 de Outubro Havendo a necessidade de se definir a estrutura e regulamentar o funcionamento dos órgãos da Casa da Juventude, ao abrigo

Leia mais

www.intelac.pt Pacote de Serviços Integrados Disponibilizados pela Intelac Rh a MICRO EMPRESAS

www.intelac.pt Pacote de Serviços Integrados Disponibilizados pela Intelac Rh a MICRO EMPRESAS www.intelac.pt Pacote de Serviços Integrados Disponibilizados pela Intelac Rh a MICRO EMPRESAS 1 3 4 recursos humanos contabilidade e gestão DINAMIZAÇÃO DO NEGÓCIO 1 2 área comercial área HST Enquadramento

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014 FORMAÇÃO Início Fim Duração Horário Inscrição Contabilidade e Fiscalidade 01-10-2014 29-10-2014 21h P.L/S 100 Sensibilização e Orientação para o Cliente 02-10-2014

Leia mais

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia Instituto Superior da Maia ISMAI CET Realização de Eventos Multimédia CoordenadorA Professora Doutora Célia Sousa Vieira cvieira@ismai.pt fundamentos e Objectivos A área de formação deste CET reside nos

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2015

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 02/2015 1 A Coordenação do Curso de Administração, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Art. 5 o do Regulamento de Monitoria, Anexo da Resolução de 21 de dezembro

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território Decreto Lei n.º 16/99 de 22 de Outubro Havendo necessidade de se reestruturar o estatuto orgânico do Ministério da Administração do território no quadro da reorganização

Leia mais

Regulamento Geral da Formação

Regulamento Geral da Formação Regulamento Geral da Formação Regulamento n.º 32/2006, de 3 de Maio publicado no Diário da República, II Série, n.º 85, de 3 de Maio de 2006 Artigo 1.º Objecto 1 Este regulamento define as regras relativas

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 Dispõe sobre os cargos em comissão do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve

Programa Operacional Regional do Algarve Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Domínio Temático CI Competitividade e Internacionalização Prioridades de investimento: 11.2 Aprovado

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA)

SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 1 / SAMA/ 2009 SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) PROJECTOS-PILOTO SUSTENTADOS EM REDES DE NOVA GERAÇÃO OPERAÇÕES INDIVIDUAIS E OPERAÇÕES

Leia mais

Curso de Gestão Para Empresários e Directores

Curso de Gestão Para Empresários e Directores Curso de Gestão Para Empresários e Directores Sob a direcção do Doutor José Nunes Maia, Professor Aposentado do ISCTE Lisboa, a MoreData pretende dar início à 1ª edição do Curso de Gestão para Empresários

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO DE TODOS RESUMO

AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO DE TODOS RESUMO AGENDA 21 LOCAL UM DESAFIO DE TODOS RESUMO http://www.tterra.pt/publicacoes/guia_agenda_21.html 1. ENQUADRAMENTO A Agenda 21 Local mais não é do que um Sistema de Sustentabilidade Local (SSL) constituindo

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação Intercultural Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de 2015

Leia mais