NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA DANONE LTDA CD GUARULHOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA DANONE LTDA CD GUARULHOS"

Transcrição

1 Original Atualização Entrega 14/11/ /11/ /11/2014 NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA DANONE LTDA CD GUARULHOS RAZÃO SOCIAL DO TRANSPORTADOR GPS LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DE RISCOS S/A Rua Abílio Soares, 409, Paraíso CEP: São Paulo SP

2 Índice 1 OBJETIVO CONDIÇÕES GERAIS Abrangência Valor do Limite Máximo de embarque por veículo/viagem Aviso de sinistro Instruções para comunicação de Ocorrência de Sinistros Anexos REGRAS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS - GR Banco de Dados - TELERISCO Plano de Viagem / Rotograma Sistema de Rastreamento Moto Acompanhamento Velado CONDIÇÕES POR OPERAÇÃO Distribuição AÇÕES PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES Itens obrigatórios: Itens recomendáveis: AUDITORIAS TERMO DE CONFIDENCIALIDADE TERMO DE COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE ANEXO I DEFINIÇÃO DAS FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS BANCO DE DADOS TELERISCO Vínculo do motorista com o transportador Pesquisa Consulta RASTREADOR PRINCIPAL OU SISTEMA DE PROTEÇÃO VEÍCULAR (SPV) PRONTA LOCALIZAÇÃO MONITORAMENTO DE VEÍCULOS CENTRAL DE MONITORAMENTO

3 6. ACOMPANHAMENTO VELADO TERRESTRE ÁREAS DE RISCO PLANO DE VIAGEM/ROTOGRAMAS (Retigráfico / eletrônico) CENTRAL DE OPERAÇÕES (CENOP) AUDITORIA DE PLANO DE VIAGEM (APV) ANEXO II PROCEDIMENTOS CENTRAL DE MONITORAMENTO E PRONTA RESPOSTA

4 1 OBJETIVO O presente caderno tem por objetivo regulamentar as normas e procedimentos de Gerenciamento de Riscos que devem ser aplicados nos transportes rodoviários de cargas da DANONE LTDA com origem no CD Guarulhos/SP 2 CONDIÇÕES GERAIS 2.1 Abrangência As normas e procedimentos aqui descritos são válidos para a operação de Distribuição ou devoluções efetuadas com produtos da DANONE LTDA. 2.2 Valor do Limite Máximo de embarque por veículo/viagem Os valores de limite máximo de embarque estão descritos nas tabelas que constam no item 4. Condições por operação. 2.3 Aviso de sinistro Nas eventuais ocorrências de sinistros, a Pamcary deverá ser imediatamente informada por intermédio de sua Central de Operações CENOP, nos telefones (11) , ou Os comunicantes deverão aguardar instruções para quaisquer outras providências adicionais. Nos casos de roubos, os transportadores deverão manter o(s) motorista(s) do(s) veículo(s) sinistrado(s), ajudante(s) e/ou conferentes(s) que eventualmente o acompanhavam no momento do evento, bem como sua equipe operacional, ligada direta ou indiretamente à operação, agentes de escolta e central de monitoramento à disposição para prestar esclarecimentos sobre o evento, durante as primeiras 72 (setenta e duas) horas, podendo este prazo ser estendido a exclusivo critério da DANONE LTDA e/ou GPS LOGÍSTICA E GERENCIAMENTO DE RISCOS S.A., sempre no objetivo de uma melhor análise do evento. A etiqueta auto-adesiva contendo o resumo destas informações deverá ser afixada em espaço visível no veiculo. 4

5 2.4 Instruções para comunicação de Ocorrência de Sinistros Informações desejadas (parcial ou total) para o atendimento de sinistro Acidentes: Nome do cliente; Tipo de evento: Tombamento, capotamento, avarias, etc.; Local do evento (rua, rodovia, Km e ponto de referência); Local onde se encontra o avariado (rua, rodovia, Km e ponto de referência); Nome e telefone do comunicante; Nome do motorista, RG e CPF; Nome do transportador; Conseqüências do sinistro, vítimas e situação da carga; Tipo de mercadoria; Valor da mercadoria; Número da documentação do transporte (nota fiscal e/ ou conhecimento); Placa do veículo; Placa da carreta; Embarcador (cidade/estado); Destinatário (cidade/estado); Condições meteorológicas. Roubos de veículos e/ou cargas: Nome do cliente; Tipo de evento; Local do roubo; Local onde a vítima se encontra e registrou a queixa; Nome e telefone do comunicante; Nome do motorista, RG, CPF, filiação, nascimento (data e local) e endereço; Nome do (s) ajudante (s), RG, CPF, filiação, nascimento (data e local) e endereço; Nome do transportador; Embarcador (cidade/estado); Número da documentação do transporte (nota fiscal e/ ou conhecimento); Tipo de mercadoria; Valor da mercadoria; Placa e características do veículo; 5

6 Placa e características da carreta; Horário e data do evento; Conseqüências do sinistro, vítimas e situação da carga; Destinatário (cidade/estado); Tecnologia de rastreamento principal instalada no veículo; Central de Rastreamento; Tecnologias de rastreamento/monitoramento complementares instaladas, bem como a existência de serviço de pronta-resposta; Se havia empresa de escolta realizando o acompanhamento do veículo e seus contatos. 2.5 Anexos São partes integrantes do presente caderno de normas e procedimentos os seguintes documentos: Anexo I Procedimentos para monitoramento de veículos Anexo II Definição das Ferramentas de Gerenciamento de Riscos Anexo III Documentação Obrigatória para Análise do Sinistro (veículos rastreados) 3 REGRAS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS - GR 3.1 Banco de Dados - TELERISCO Fica entendido e concordado que o transportador se obriga a realizar, antes do carregamento no veículo transportador no local de início da viagem, consulta à base de informações denominada TELERISCO, cuja existência e forma de acesso declara conhecer, visando obter as informações do motorista, do proprietário e do veículo transportador, simultaneamente, acatando as instruções decorrentes da consulta; Quando em uma mesma viagem for utilizado mais de um motorista, ou necessidade de substituição do mesmo ou veículo do transportador, o 6

7 procedimento mencionado no subitem anterior deverá ser observado para cada um dos envolvidos no transporte; Estarão dispensados de consulta prévia os motoristas empregados do transportador, quando dirigindo veículos integrantes de sua frota própria, desde que tenham sido previamente pesquisados, estejam com risco coberto e tenham seus dados revalidados a cada doze meses; Para os motoristas que ainda não tenham seus dados no TELERISCO ou que por quaisquer motivos tenham necessidade de ser repesquisados, a revalidação será feita a cada seis meses nos primeiros doze meses, decorrido esse período, terá seus registros renovados anualmente. Sendo esta ação também de responsabilidade do TRANSPORTADOR. Obrigatório que os demais funcionários do transportador e de seus prestadores de serviços diretamente envolvidos com a operação de transporte também sejam pesquisados inicialmente, a cada 06 (seis) meses e a cada nova contratação, inclusive todos os colaboradores operacionais do operador logístico. 3.2 Plano de Viagem / Rotograma Durante a distribuição, ficam expressamente proibidas as paradas voluntárias, sob qualquer pretexto. Entendem-se como paradas voluntárias aquelas que ocorrerem dentro das áreas de distribuição por decisão exclusiva do motorista e que não abranjam como destinos os estabelecimentos do transportador ou clientes. Excetuam-se a regra, as paradas decorrentes de falha mecânica, por lei especifica, por imposição de autoridade ou de força maior. Para o pernoite, quando o veículo estiver carregado, deverá ser dada preferência à utilização de estrutura do próprio transportador, desde que proporcionem segurança ao veículo. Na inexistência ou impossibilidade desta prática, deverão ser escolhidos locais previamente sugeridos (quando a DANONE LTDA permitir). 7

8 Após o carregamento do veículo e durante o transporte das cargas da DANONE LTDA fica proibido o abandono do veículo sem a devida comunicação e autorização da Central de Monitoramento, transportador e cliente. Os transportadores deverão ajustar sua logística e o movimento de seus veículos de tal forma que os mesmos cheguem aos seus destinos nos dias e horários estipulados. Respeitando também as áreas/horários de restrições de tráfego de veículos (rodízio) bem como as específicas a caminhões, conforme as legislações municipais, estaduais e federais. Os transportadores são responsáveis pela correta orientações de seus motoristas no que diz respeito aos procedimentos previstos neste documento, independente de seu vínculo com a empresa (frota, agregado ou autônomo). 3.3 Sistema de Rastreamento A DANONE LTDA fará a liberação de 50 rastreadores a serem instalados em veículos escolhidos por ela para a operação de distribuição. O sistema de rastreamento do provedor da tecnologia deve ter a capacidade de enviar os dados, alertas e mensagens gerados no equipamento embarcado para a Central de Monitoramento em prazo não superior a 10 (dez) minutos. Esta funcionalidade é distinta do denominado frequência de pedido de posição", que pode variar de acordo com a área de risco. São obrigatórios os seguintes dispositivos de segurança: 8

9 ITENS DE SEGURANÇA Sensores Porta cabine (Mot/Car) Porta Baú Desengate de carreta Vandalismo Ignição Botão de Pânico Painel Velocidade Grade Alarmada Atuadores Bloqueador Sirene Pisca / Setas Trava baú (quando compatível a carroceria) Imobilizador de carreta Trava de 5ª roda Periférico Teclado alfanumérico APLICAÇÃO Obrigatório Obrigatório Não Aplicável Obrigatório Obrigatório Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Obrigatório Obrigatório Obrigatório Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Se ocorrer falha ou avaria no rastreador que impossibilite a Central de Monitoramento executar o acompanhamento do veículo durante a viagem, o mesmo deverá estacionar em local seguro para manutenção. Caso esta seja impraticável, o veículo deverá utilizar a moto acompanhamento ou ser substituído por outro com rastreador aprovado pela Gerenciadora de Riscos. Em todos os casos acima a responsabilidade pelo conserto e pela segurança será do transportador e os custos gerados serão todos também de sua responsabilidade. O veículo transportador deve estar equipado com a tecnologia de rastreamento de acordo com a rota e aprovação da gerenciadora de riscos da DANONE LTDA. Não devem ser violados, em hipótese alguma, os sensores e atuadores exigidos nesta norma de gerenciamento de riscos. Caracterizando a violação, esta será considerada como Não Conformidade. É responsabilidade do transportador que o Sistema de Rastreamento Principal com seus sensores e atuadores, estejam funcionando perfeitamente. 9

10 Embarques em que estes recursos não atendam estas normas, a saber, mau funcionamento e ausência dos mesmos, não serão permitidos, sendo necessária a troca/substituição do veículo. 3.4 Moto Acompanhamento Velado Os serviços de moto acompanhamento ocorrerão 01 vez por semana, nas áreas de riscos, com veículos transportadores escolhido de forma aleatória. Durante o decorrer do dia o agente do moto acompanhamento poderá aplicar auditorias em outros veículos envolvidos na operação. 10

11 4 CONDIÇÕES POR OPERAÇÃO 4.1 Distribuição Entende-se por distribuição os transportes originados no CD DANONE em Guarulhos/SP com destino ao cliente final. Motorista DISTRIBUIÇÃO Limite máximo de responsabilidade Vínculo do motorista Perfil do motorista Consulta antes do embarque Pesquisa Conforme critérios de apolice de seguro Frota, Agregado e Autônomo Perfil Sênior Perfil Pleno Perfil RC 210 Perfil RC 140 A cada embarque para autônomos e quinzenalmente para agregados. Anual Áreas de Risco São Paulo e Grande São Paulo Ponto Avançado de Verificação e Interceptação (PAVI) Não aplicável a esta norma Plano de viagem Posto de Auditoria e Controle de Riscos (PACR) Não aplicável a esta norma Comboio Restrição de horário de operação Não aplicável a esta norma Não Proteção Veicular Rastreador principal Meio de comunicação Rastreador complementar Localizador de carga Moto Acompanhameto Velado Monitoramento Pronta localização Telemonitoramento A critério da Danone/Pamcary GPRS Não aplicável a esta norma A critério da Danone/Pamcary A critério da Danone/Pamcary A critério da Danone/Pamcary Não aplicável a esta norma Para as operações de devolução, devem-se seguir as mesmas regras/condições da operação de origem (inversa). 11

12 5 AÇÕES PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES Durante o trânsito dos veículos transportando produtos da DANONE LTDA, os motoristas deverão estar orientados a cumprir os requisitos de segurança descritos a seguir: 5.1 Itens obrigatórios: Uso do tacógrafo e disco-diagrama em todos os veículos determinados pela lei de 23/09/97 artigo 105, gerador da Resolução do CONTRAN 14/98, artigo 1º Item 21 ; Respeitar a legislação de trânsito e, em especial, as normas relativas ao tempo de direção e de descanso; Utilizar disco-diagrama, quando mecânico, compatível para a viagem, preenchido com os dados de identificação do veículo e período abrangido e arquivado; O motorista deverá estar instruído para obedecer à velocidade máxima permitida por lei no local em que transita ou de acordo com as condições de pista e clima apresentadas no momento; A Documentação do veículo deve estar no prazo de validade e ser compatível com o tipo de carga transportada; A Documentação do motorista deve estar no prazo de validade e ser compatível com o veículo conduzido; Colocar-se à disposição dos órgãos públicos de fiscalização na via pública; Seguir fielmente o plano de viagem desenhado pela DANONE LTDA e/ou transportador (quando autorizado) respeitando os itens supracitados; Zelar pela carga transportada e pelo veículo. 5.2 Itens recomendáveis: Treinamentos de direção defensiva e palestras sobre o uso de álcool e drogas; Rotina periódica de verificação de Discos de Tacógrafo para aferição do comportamento do motorista no decorrer das viagens; Curso de direção defensiva realizado por instituição especializada e renovação anual; Capa do atestado de saúde ocupacional anual conforme exigido pela CLT e pela portaria nº do Ministério do Trabalho, contendo os seguintes exames complementares que deverão ser renovados bienalmente: 12

13 eletroencefalograma, eletrocardiograma, audiometria, acuidade visual e glicemia de jejum; Programa de manutenção preventiva das condições gerais do veículo (inclusive autônomos/carreteiros); Quando esta norma não exigir no item 3.3. Sistema de rastreamento emprego do sensor de velocidade, devidamente calibrado, e tecnologia adicional de telemetria, a fim de verificar o comportamento do motorista no decorrer da viagem em tempo real e, posteriormente, através de relatórios gerencias específicos. É de responsabilidade de o transportador manter e portar a documentação original e vigente do veículo e motorista (Certificado de Licenciamento Anual CLA e Carteira Nacional de Habilitação CNH, artigos 133 e 159 do CTB), bem como garantir o perfeito funcionamento dos dispositivos de segurança do veículo. 13

14 6 AUDITORIAS Quando solicitado pela DANONE LTDA os Transportadores deverão permitir que a Gerenciadora de Riscos execute as seguintes tarefas: Avaliações periódicas em depósitos (próprios ou terceiros), operações de transporte além de motoristas, veículos e empresa de vigilância. As avaliações acima citadas poderão ocorrer posteriormente à ocorrência de sinistros ou de forma preventiva e aleatória e os Transportadores e Empresas de Vigilância deverão permitir o acesso da Gerenciadora de Riscos e fornecer todas as informações por ela solicitadas. Será emitido um relatório técnico onde serão apontadas vulnerabilidades e sugestões de melhorias de acordo com o risco da operação. 7 TERMO DE CONFIDENCIALIDADE Fica o presente documento devidamente protegido sob a condição de sigilo e confidencialidade, ficando vedadas as partes, sob as penas da lei, se utilizar deste de maneira alheia, bem como prestar quaisquer informações a terceiros sobre a natureza ou andamento dos trabalhos ao qual se refere e ainda, divulgar, reproduzir por qualquer meio ou forma de comunicação, dados e/ou informe relativo aos serviços e a documentação técnica envolvidas. Todo o conteúdo deste material é considerado obra intelectual de propriedade única e exclusiva das empresas GPS Logística e Gerenciamento de Riscos S/A. e/ou GPS Corretora e Administradora de Seguros Ltda., ainda que elaborados de acordo com dados e informações. 14

15 8 TERMO DE COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE Em caso de sinistros, o não cumprimento destas Normas e Procedimentos implicará na responsabilidade direta e integral do transportador pelos prejuízos causados. O acesso a estas Normas e Procedimentos deve ser restrito aos responsáveis pelo transportador. Caberá aos mesmos a difusão por escrito destas informações aos seus respectivos funcionários (motoristas, conferentes, ajudantes e outras funções) no âmbito de suas atribuições. As Normas e Procedimentos aqui estabelecidos entram em vigor a partir de 14/11/2014, são válidas por tempo indeterminado, podendo sofrer alterações em razão de mudanças no cenário do risco, a critério da DANONE LTDA e GPS Logística e Gerenciamento de Riscos S/A. Diante das condições descritas, o transportador abaixo assina e declara estar ciente e concorda em sua plenitude. Transportador Danone Ltda GPS Logística e Gerenciamento de Riscos S/A. São Paulo, 22 de Novembro de

16 ANEXO I DEFINIÇÃO DAS FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS 16

17 1. BANCO DE DADOS TELERISCO Traduz-se como uma base de dados com informações e definição de perfis de condutores e profissionais de transportes Vínculo do motorista com o transportador Frota própria: é o motorista que possui vínculo empregatício com o transportador; Agregado: é o motorista que possui contrato com o transportador e/ou trabalha em regime de exclusividade. Autônomo ou carreteiro: é o motorista que possui veículo próprio ou dirige veículo de terceiros e executa viagens esporádicas para o transportador Pesquisa É o processo pelo qual transportadores e embarcadores, definem os perfis requeridos de motoristas, proprietários, veículos e profissionais de transporte Consulta É o processo pelo qual, os clientes solicitam, antes de um embarque, informações sobre as adequações de perfis sobre o perfil dos condutores, proprietários, veículos ou profissionais de transporte. 2. RASTREADOR PRINCIPAL OU SISTEMA DE PROTEÇÃO VEÍCULAR (SPV) Equipamentos nominados rastreadores, baseados em tecnologias GPS, GPRS/GSM e satelital, que possibilitam o monitoramento das conformidades das viagens e a tentativa de inibição das adversidades. 3. PRONTA LOCALIZAÇÃO Serviço realizado e disponibilizado por empresas de sistema de rastreamento que possibilita, por intermédio de equipe motorizada, a busca e localização de veículos sob suspeita de roubo ou desvios ao plano original de transporte. 17

18 4. MONITORAMENTO DE VEÍCULOS Trata-se do serviço de programação, acompanhamento e avaliação dos dados fornecidos por rastreadores principais, complementares e localizadores, possibilitando a detecção da conformidade da viagem e tentativa de inibição das adversidades. 5. CENTRAL DE MONITORAMENTO Ambiente preparado com recursos humanos e materiais, onde se desenvolve a programação e monitoramento dos rastreadores e localizadores. Quando da apresentação de falhas ou anulação das tecnologias, executa ações de tentativa de reação e inibição de eventos. 6. ACOMPANHAMENTO VELADO TERRESTRE Serviço executado por empresa, utilizando veículos automotores, equipados com sistema de comunicação e profissionais, visando comunicar sobre ações de elementos externos que coloquem em risco a veículo e carga durante o percurso/viagem. 7. ÁREAS DE RISCO São regiões geográficas caracterizadas pela incidência e concentração de sinistros, definidas com base em dados estatísticos dos locais dos eventos. Seus limites e localizações podem sofrer alterações. 8. PLANO DE VIAGEM/ROTOGRAMAS (Retigráfico / eletrônico) É o planejamento e definição das rotas, pontos de paradas permitidas, itinerários, estimativa de horários e prazos a serem cumpridos. Rotograma básico (Retigráfico) consiste na apresentação ilustrada do planilhamento dos pontos notáveis de uma rota, contemplando-a de forma detalhada em seqüência lógica. O rotograma eletrônico é um método que considera a representação visual dinâmica dos pontos de interesse de um determinado percurso. 18

19 9. CENTRAL DE OPERAÇÕES (CENOP) Trata-se de serviço realizado ininterruptamente, responsável por coletar as informações do sinistro, validar o atendimento do sinistro, coordenar os trabalhos iniciais e comunicar as partes interessadas no processo o qual receberá um número próprio para controle interno e externo 10. AUDITORIA DE PLANO DE VIAGEM (APV) Equipe volante responsável pela verificação aleatória do cumprimento ao planejamento das viagens e rotogramas realizados pelos condutores. 19

20 ANEXO II PROCEDIMENTOS CENTRAL DE MONITORAMENTO E PRONTA RESPOSTA 20

21 Conforme demanda Danone 21

22 Instruções de Trabalho: Para executar a tarefa de Gerenciamento de Risco dos veículos da operação de entregas da Danone e fazer cumprir o PGR (Plano de Gerenciamento de Risco) aprovado, em Todas as viagens, o condutor esta orientado a informar a Central de Monitoramento através do ID Nextel 652*11804 / ou telefone Fixo (11) , o inicio de viagem, seu destino, rota planejada, eventual parada programada ou qualquer outra informação que a central avalie necessária, visando garantir a eficiência do processo. Caso ocorra parada fora do PGR, o condutor tem como procedimento comunicar imediatamente a Central monitoramento. Importante: Nos casos de parada, sejam elas, programadas ou não programadas, o condutor foi orientado a sempre comunicar a Central de Monitoramento antes de abrir a porta do veículo e posteriormente relatar o motivo da parada. (Para não gerar alertas, comandos e ações da Central de atendimento desnecessárias). Ao chegar ao destino, seja o cliente ou o local de pernoite, o condutor deverá se comunicar (via rádio) com a Central de Monitoramento para avisar sobre o fim da viagem ou inicio do pernoite. Ao sair do destino o condutor esta orientado comunicar a Central de Monitoramento sobre o reinicio da viagem, eventual parada programada; Base, Garagem ou nova entrega. Ações do Operador de monitoramento: Identificado qualquer ação fora do PGR (Plano de Gerenciamento de Risco) a Central de monitoramento promoverá as ações: Tentar contato com condutor, via radio Nextel ou telefones do cadastro. Não havendo o retorno: Enviar comando de bloqueio. Enviar comando de Sirene. Enviar pronta resposta para efetuar a busca e averiguações no local. Identificado suspeita de roubo, acionar policia da região como suspeita de roubo. Identificado roubo ou furto acionar policia da região como roubo ou furto. Comunicar o Supervisor. Comunicar a base de operação/responsável pela frota. Em qualquer situação que o veículo foi bloqueado pela Central de monitoramento, o desbloqueio somente será autorizado após a chegada no local de um Pronta-Resposta ou com autorização direta do Supervisor ou ainda com autorização formal do responsável pela frota. A Central de Monitoramento terá a ciência das paradas programadas e os pontos de referências no decorrer da viagem, nesses casos a Central de Monitoramento não promoverá ação, pois esta dentro do PGR, porém, devemos ter o máximo de atenção, pois eventos também podem acontecer nesses locais. Havendo algum indício que esteja amparado pelo procedimento, a central pode e deve atuar com ações previstas nesta instrução de trabalho. Em todos os casos que o operador suspeitar de fraude, descumprimento do PGR ou qualquer atitude ofensiva ou inadequada que o condutor adotar, situações de emergência, como pane mecânica, quebras, avarias, pneus furados, princípios de incêndio, vandalismo praticado por terceiros ou qualquer motivo que impossibilite o veículo de trafegar, deve-se relatar o caso ao Supervisor para este informe o procedimento mais adequado. Em qualquer item descrito nesta instrução de trabalho não conforme que o operador de monitoramento identificar, a reorientação ao condutor deve ser feita de maneira firme, pontual e de maneira cortês. 22

DECLARAÇÃO. Quando as mercadorias forem usadas, as coberturas do seguro ficam automaticamente reduzidas para a COBERTURA BÁSICA RESTRITA C nº 01.

DECLARAÇÃO. Quando as mercadorias forem usadas, as coberturas do seguro ficam automaticamente reduzidas para a COBERTURA BÁSICA RESTRITA C nº 01. São Paulo, 31 de outubro de 2014. À RODOBORGES EXPRESS LOG INTEGRAD LTDA EPP CNPJ: 01.375.753/0003-06 CNPJ: 01.375.753/0004-97 DECLARAÇÃO Declara-se para todos os fins e efeitos que, a partir das 24 horas

Leia mais

Rastreamento Veícular

Rastreamento Veícular Manual de Instrução do Usuário Rastreamento Veícular Parabéns pela aquisição do seu Sistema de Rastreamento. Esperamos que ele supere suas expectativas e proporcione muito mais controle e proteção para

Leia mais

Tecnologia e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS

Tecnologia e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS Características Design inovador Controle de acesso Permite criar usuários com senhas podendo-se definir no sistema quais as funcionalidades cada

Leia mais

NÍVEL: Documento: Normas e procedimentos para condutores de veículos/2013.1

NÍVEL: Documento: Normas e procedimentos para condutores de veículos/2013.1 ELABORAÇÃO: Paula dos Santos Costa ANÁLISE CRÍTICA: Virginia de Paula Mesquita APROVAÇÃO: Antônio Reinaldo Santos Linhares DISTRIBUIÇÃO: (ÁREA): Frota - Este documento é válido em todo o comando de frota

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar.

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. Localização e Inteligência Móvel Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. 1 2 Localização e Inteligência Móvel Todos os dias sua empresa enfrenta grandes desafios para

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE Manual de Assistência 24 horas Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE I. Assistência 24 Horas 1. Descrição da Assistência 24 Horas Prestação de atendimento ao cliente/usuário através da administração de rede

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos a serem adotados para a utilização dos meios de transporte na COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma, poderá ser necessário consultar:

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

Soluções de Gestão e Gerenciamento de Riscos que Criam Valor e Sustentabilidade à Logística ou Seu GR Pode Tornar a Logística Mais Verde?

Soluções de Gestão e Gerenciamento de Riscos que Criam Valor e Sustentabilidade à Logística ou Seu GR Pode Tornar a Logística Mais Verde? Soluções de Gestão e Gerenciamento de Riscos que Criam Valor e Sustentabilidade à Logística ou Seu GR Pode Tornar a Logística Mais Verde? II Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes 10 de Dezembro

Leia mais

PROPOSTA DE SEGUROS TRANSPORTES

PROPOSTA DE SEGUROS TRANSPORTES Data da Cotação: 29/9/2015 PROPOSTA DE SEGUROS TRANSPORTES ITEM PAG. 1 RCTR-C 3 Pág 1 de 8 Data da Cotação: 29/9/2015 ACE BRASIL PROPOSTA DE SEGURO RCTR-C Pág 2 de 8 Endereço do Segurado AV. BRIG. FARIA

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Procedimentos no caso de furto, roubo ou sequestro relâmpago, com o veículo, sem acionamento do Botão de Emergência:

MANUAL DO USUÁRIO. Procedimentos no caso de furto, roubo ou sequestro relâmpago, com o veículo, sem acionamento do Botão de Emergência: MANUAL DO USUÁRIO BEM VINDO À JAPAN SAT Prezado usuário, ficamos muito satisfeitos por você ter escolhido um produto da JAPAN SAT. O Manual de usuário é o guia que vai lhe permitir o uso de forma correta,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

Inteligência Embarcada Módulo de Inteligência Embarcada

Inteligência Embarcada Módulo de Inteligência Embarcada Inteligência Embarcada Módulo de Inteligência Embarcada - Para acessar o módulo deve-se ir ao menu FERRAMENTAS, sub-menu INTELIGÊNCIA EMBARCADA. O menu, ilustrado abaixo, contém as seguintes opções: Configurando

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS (TRC) SINISTROS e FRAUDES

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS (TRC) SINISTROS e FRAUDES TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS (TRC) SINISTROS e FRAUDES 1.Considerações Básicas Quais os Riscos que afetam o TRC??? Riscos presentes no TRC Acidentes de Trânsito Transporte de Cargas em Geral Transporte

Leia mais

ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRACKER GPS ACESSÓRIOS

ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRACKER GPS ACESSÓRIOS ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRACKER GPS ACESSÓRIOS Página 1 de 7 ET DO BRASIL LTDA., inscrita no CNPJ sob o nº 02.927.956/0001-69, empresa com sede à Rua Federação Paulista de Futebol,

Leia mais

Guia de Mobilização - Vale

Guia de Mobilização - Vale Guia de Mobilização - Vale 2ª Edição Nov/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3. MACRO FLUXO DO PROCESSO DE MOBILIZAÇÃO... 3 3.1. CERTIFICAÇÃO... 3 3.2. CONTRATAÇÃO... 4 3.3. MOBILIZAÇÃO...

Leia mais

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 19, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR O GT GPRS é um equipamento wireless que executa a função de recepção e transmissão de dados e voz. Está conectado à rede de telefonia celular GSM/GPRS, para bloqueio

Leia mais

BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO

BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO 1 ORIGEM problemas - ISPS Code CFRB, art.37, inciso XVII: A Administração Fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição,

Leia mais

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista 1. Introdução Este documento tem por objetivo apresentar a solução de software e serviço que atenderá a Lei nº 12.619 de 30 de abril de 2012,publicada no Diário

Leia mais

sexta-feira, 28 de setembro de 12 Meeting Comercial 2012

sexta-feira, 28 de setembro de 12 Meeting Comercial 2012 Meeting Comercial 2012 SERVIÇOS DE CENTRAL SERVIÇOS DE CENTRAL PA Na linguagem militar Posto Avançado significa o que está à frente dos outros, estrategicamente localizado para controle e prevenção. No

Leia mais

GUIA DE SERVICOS E DE BENEFÍCIOS. Uma série de diferenciais, serviços e benefícios para o cliente.

GUIA DE SERVICOS E DE BENEFÍCIOS. Uma série de diferenciais, serviços e benefícios para o cliente. GUIA DE SERVICOS E DE BENEFÍCIOS Uma série de diferenciais, serviços e benefícios para o cliente. Um portal cheio de facilidades, serviços e benefícios exclusivos para clientes Porto Seguro No Portal do

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 059, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Institui as normas de instalação de câmeras e uso das informações e imagens da Central de Videossegurança do Patrimônio da UFLA,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1 CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1 1. QUADRO RESUMO DE SERVIÇOS ITEM SERVIÇOS LIMITES DO SERVIÇO 1 Assistência Global de Proteção a Cartões e Serviço de Solicitação de Cartão Substituto

Leia mais

VEÍCULAR FAMÍLIA - RASTREADOR GPS/GPRS

VEÍCULAR FAMÍLIA - RASTREADOR GPS/GPRS VEÍCULAR FAMÍLIA - RASTREADOR GPS/GPRS AUTOS MOTOS VANS - CAMINHÕES A nova linha VEÍCULAR FAMILIA são rastreadores via satélite de última geração. Além das funções inerentes aos rastreadores, apresentam

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 19651/2012 Prezados Senhores, Brasília, 28 de novembro de 2012. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD, no âmbito do Projeto BRA/04/044 - Implementação de

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Página: 1 de 5 1. INTRODUÇÃO A informação é um ativo que possui grande importância para PRÓ-MEMÓRIA, sendo resguardada contra ameaças e riscos. Segurança da informação, segundo a NBR ISO/IEC 27002:2005,

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

GUIA DE APOIO AO USUARIO

GUIA DE APOIO AO USUARIO GUIA DE APOIO AO USUARIO CONTEÚDO DE OLHO EM SEU PATRIMÔNIO... 3 1 - APRESENTAÇÃO... 4 2 - COMO PROCEDER DIANTE DA OCORRÊNCIA... 4 3 - INFORMAÇÕES IMPORTANTES... 5 4 - FIQUE ATENTO... 6 5 - DUVIDAS FREQUENTES...

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRACKER COM SEGURO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRACKER COM SEGURO Página 1 de 7 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRACKER COM SEGURO ET DO BRASIL LTDA., empresa com sede à Rua Federação Paulista de Futebol, 777, Barra Funda, São Paulo/SP, CEP: 01141-040, inscrita no

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 405 DE 12 DE JUNHO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 405 DE 12 DE JUNHO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 405 DE 12 DE JUNHO DE 2012 Dispõe sobre a fiscalização do tempo de direção do motorista profissional de que trata o artigo 67-A, incluído no Código de Transito Brasileiro CTB, pela Lei n 12.619,

Leia mais

Termos e Condições dos Tours e Locações

Termos e Condições dos Tours e Locações Termos e Condições dos Tours e Locações Os Termos e Condições são destinadas a regular o contrato a ser firmado entre a Ruta 40 Motorcycle Adventures e o CLIENTE que irá participar do Tour e/ou locar uma

Leia mais

MANUAL RASTREAMENTO 2013

MANUAL RASTREAMENTO 2013 MANUAL RASTREAMENTO 2013 Visão Geral O menu geral é o principal módulo do sistema. Através do visão geral é possível acessar as seguintes rotinas do sistema: Sumário, localização, trajetos, últimos registros.

Leia mais

Se estiver no Mercosul, também poderá contar com os serviços de emergência, bastando ligar para 55 11 4133 6537.

Se estiver no Mercosul, também poderá contar com os serviços de emergência, bastando ligar para 55 11 4133 6537. Assist24h_AutoPasseio_jul 6/13/07 4:32 PM Page 1 CARO SEGURADO Para você que adquiriu o Real Automóvel e contratou os serviços de Assistência 24 horas, este é o seu guia de serviços da Real Assistência.

Leia mais

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO 100 95 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE

SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão para subcontratar serviços de transporte de cargas, sem exclusividade, subordinação e dependência, com a finalidade da realização da prestação de serviços de

Leia mais

Total Fleet 24 Horas

Total Fleet 24 Horas Total Fleet 24 Horas Usuários Carro substituto Total Fleet 24 Horas Atendimento emergencial Atendimento preventivo/corretivo Total Fleet 24 Horas Atendimento 24 horas com cobertura nacional 0800 979 10

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE ALTA TAXAS CADA

Leia mais

Sistema Ativo de Segurança Automotiva Manual de Utilização

Sistema Ativo de Segurança Automotiva Manual de Utilização Sistema Ativo de Segurança Automotiva Manual de Utilização Versão: 2 (05/12/2005) Sistema Ativo de Segurança Automotiva Índice Título Observações Veículos Grupos Páginas 1 2 Rastrear 3 Monitoramento Alerta

Leia mais

FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA

FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA Avenida Tiradentes, 501 - Torre 2 5 Andar - Sala 502 Jardim Shangrilá A - 86070-565 Londrina - PR Sumário 1. Introdução...4 1.1 Características...4

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÕES DA RODA DE DÓLAR PRONTO

MANUAL DE OPERAÇÕES DA RODA DE DÓLAR PRONTO MANUAL DE OPERAÇÕES DA RODA DE DÓLAR PRONTO 1. INTRODUÇÃO 2. DEFINIÇÃO 3. OBJETO DE NEGOCIAÇÃO 4. PARTICIPANTES 4.1 Participantes Intermediadores 4.2 Participantes Compradores e Vendedores Bancos 5. OPERAÇÕES

Leia mais

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES 1 - DO OBJETIVO 1.1. Esta Norma tem por objetivo estabelecer condições para prestação

Leia mais

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS

IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS IT - 34 CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS E RESPONSÁVEIS TÉCNICOS SUMÁRIO APÊNDICES 1 - Objetivo A - Solicitação de Cadastro de Pessoa Jurídica 2 - Referências normativas B - Solicitação de Cadastro de Pessoa

Leia mais

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 Somente quando estiver com documento do veículo em mãos, para fornecer ao atendente a placa e o chassi do veículo.

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO:

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: 1.1 A destinação deste plano de benefício é disponibilizar, ora contratado, diárias de veículo econômico com ar para as pessoas físicas ou jurídicas

Leia mais

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL, entendendo a necessidade do mercado em serviços relacionados a segurança e proteção do patrimônio, reúne as melhores tecnologias em soluções de segurança e geolocalização.

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 008, DE 27 JUNHO DE 2007. R E S O L V E

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 008, DE 27 JUNHO DE 2007. R E S O L V E INSTRUÇÃO NORMATIVA N 008, DE 27 JUNHO DE 2007. Recomenda a observação da norma constante no Anexo I. O Sistema de Controle Interno do Município de Lucas do Rio Verde, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

MUNICÍPIO DE GUARANIAÇU Estado do Paraná CNPJ 76.208.818/0001-66

MUNICÍPIO DE GUARANIAÇU Estado do Paraná CNPJ 76.208.818/0001-66 LEI N.º 809/2014 SÚMULA: Disciplina procedimentos de controle da frota e transporte municipal e da outras providências. aprovou, e eu, Prefeito Municipal sanciono a seguinte A Câmara Municipal de Guaraniaçu,,

Leia mais

Procedimentos Para Visita e/ou Entrada-Saída de Equipamentos ao Housing Intelig Telecom

Procedimentos Para Visita e/ou Entrada-Saída de Equipamentos ao Housing Intelig Telecom 1. OBJETIVO Este documento tem como objetivo descrever a metodologia para o Controle de Acesso, Entrada e Saída de Clientes Dentro ou Fora do Ambiente Housing., bem como a metodologia para o recebimento

Leia mais

Tabela/Orçamento de Preços de Serviços (*) [Autotrac Satélite (MCT) e Autotrac Case Satélite (MCT)]

Tabela/Orçamento de Preços de Serviços (*) [Autotrac Satélite (MCT) e Autotrac Case Satélite (MCT)] [Autotrac Satélite (MCT) e Autotrac Case Satélite (MCT)] 1 Assinatura mensal (por MCT) 132,25 139,64 5,59 2 Pedido de posição adicional 0,1848 0,1951 5,59 3 Mensagem (texto livre ou pré-formatado/macro)

Leia mais

Chamada Telefônica: Esta função complementa o Anti-furto acessando remotamente as funções de equipamento.

Chamada Telefônica: Esta função complementa o Anti-furto acessando remotamente as funções de equipamento. Página 1 de 7 C:\ BloqueioCelular\ Manuais\ Bt4000Plus\ BT4000PlusManualOperacao\BT4000PlusManOperacao.doc 1-INTRODUÇÃO O Bloqueador via Celular CERRUNS BT4000 Plus é um sistema de segurança que permite

Leia mais

Proposta nº 19082014 Joinville, 19 de agosto de 2014

Proposta nº 19082014 Joinville, 19 de agosto de 2014 Proposta nº 19082014 Joinville, 19 de agosto de 2014 À A/C: 2 Página Manifestamos nosso orgulho em nos dar a oportunidade de apresentar a TRILOG RASTREAMENTO VIA SATELITE o qual faz parte do grupo OLEGARIO

Leia mais

Manual Telemetria - RPM

Manual Telemetria - RPM Sumário Apresentação... 2 Home... 2 Definição do Idioma... 3 Telemetria RPM... 4 Pré-requisitos necessários para utilizar o menu Telemetria RPM... 5 Faixas RPM... 11 Configura Faixa do Veículo... 15 Acumulado

Leia mais

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br Transporte de Carga Vol. IX Manual de Segurança Apresentação A tualmente, cerca de 63% das cargas que circulam pelo País são transportadas por vias rodoviárias.

Leia mais

Avaliação e Treinamento para Motoristas

Avaliação e Treinamento para Motoristas Avaliação e Treinamento para Motoristas Atualmente, resulta cada vez mais necessário treinar o pessoal que dirige veículos automotores, ainda quando dirigir não for sua tarefa principal. A falta de uma

Leia mais

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado.

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado. TERMOS DE USO 1. O acesso ao(s) curso(s) contratado(s) só será efetivado com o correto preenchimento do cadastro de inscrição e após a confirmação do pagamento, conforme especificações no item 4 5, abaixo.

Leia mais

Apresentação Free Track

Apresentação Free Track Apresentação Free Track A Free Track é um resultado da união de um grupo de empresários que atua no segmento de rastreamento automotivo, sede própria com laboratório de desenvolvimento localizado na maior

Leia mais

LEI N. 2.174, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013

LEI N. 2.174, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013 LEI N. 2.174, DE 08 DE OUTUBRO DE 2013 Poder Legislativo Regulamenta área para estacionamento exclusivo de veículos pesados no Município de Lucas do Rio Verde - MT. O Prefeito do Município de Lucas do

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

TRANSDATA SMART RASTREAMENTO E GESTÃO FROTA

TRANSDATA SMART RASTREAMENTO E GESTÃO FROTA BRASIL ARGENTINA +55 19 3515.1100 www.transdatasmart.com.br SEDE CAMPINAS-SP RUA ANA CUSTÓDIO DA SILVA, 120 JD. NOVA MERCEDES CEP: 13052.502 FILIAIS BRASÍLIA RECIFE CURITIBA comercial@transdatasmart.com.br

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. MEUS PEDIDOS

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. MEUS PEDIDOS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. MEUS PEDIDOS Consigo rastrear o minha Compra? Sim. As informações mais atualizadas sobre sua Compra e a situação de entrega de sua Compra estão disponíveis em Meus pedidos.

Leia mais

(1) Inclui o capital de Responsabilidade Civil Obrigatória: 6.000.000 (Danos Materiais/Danos Corporais).

(1) Inclui o capital de Responsabilidade Civil Obrigatória: 6.000.000 (Danos Materiais/Danos Corporais). 1 FICHA DE PRODUTO Produtos Automóvel A N Seguros tem à sua disposição coberturas que são realmente indispensáveis para a segurança do seu Automóvel, construindo uma proteção à sua medida. Esta ficha de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO E INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTRUÇÃO E INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÃO E INSTALAÇÃO ALARME MICROCONTROLADO PARABÉNS O Sistema de segurança OMEGA 7 que você adquiriu, é o que há de mais avançado no mercado, pois reúne a tecnologia dos modernos micro controladores,

Leia mais

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos?

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos? Lei 12.619 1 - A lei já está em vigor ou entrará em qual data? R Sim. A lei está em vigor desde o dia 17/06/2012. 2 - O motorista profissional conforme artigo 67C, do CTB, na condição de condutor, é responsável

Leia mais

Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para garantir aos alunos acesso à escola pública estadual

Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para garantir aos alunos acesso à escola pública estadual 32 São Paulo, 121 (89) Diário Ofi cial Poder Executivo - Seção I sexta-feira, 13 de maio de 2011 Resolução SE-28, de 12-5-2011 Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para

Leia mais

NORMA VISTORIA DE VEÍCULOS DE CARGA

NORMA VISTORIA DE VEÍCULOS DE CARGA CODEBA PALAVRAS CHAVES INSPEÇÃO, VEÍCULOS, CARGA P..04 DEX- 312ª REVISÃO N.º 1 / 6 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3. PROCEDIMENTOS BÁSICOS 3.1 Acesso a Área de Operação Portuária 3.2

Leia mais

CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS

CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS Procedimentos 1. Introdução Este documento visa regulamentar o controle de acesso e permanência de pessoas e veículos nas dependências dos Órgãos da SECRETARIA

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA.

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA. Manual de Uso de Veículo Respeito a Vida! TERMO DE RECEBIMENTO R ecebi da Cooperativa de Trabalho dos P r o f i s s i o n a i s d e A g r o n o m i a L t d a. UNICAMPO, o MANUAL DE USO DO VEÍCULO e após

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

TRANSQUALIT GERENCIAMENTO DE RISCOS

TRANSQUALIT GERENCIAMENTO DE RISCOS TRANSQUALIT Transqualit GRIS GERENCIAMENTO DE RISCOS INTRODUÇÃO Organizações de todos os tipos estão cada vez mais preocupadas em atingir e demonstrar um desempenho em termos de gerenciamento dos riscos

Leia mais

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Janeiro de 2014 Versão 1.3 1. INTRODUÇÃO O presente Regulamento é fundamental para reger as operações-chave do programa de Certificação Profissional FEBRABAN.

Leia mais

Instruções para Implementadores

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Curitiba, Brazil Instruções para Implementadores Data Grupo Edição Pág. 8.2011 95 01 1( 6 ) Eletricidade Instalação de sistemas de rastreamento/monitoramento não instalados/desenvolvidos

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios curriculares do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 IDENTIFICAÇÃO 3- CARACTERIZAÇÃO DA INSTALAÇÃO PORTUÁRIA 4 - PLANO DE TRABALHO 4.1 - CONHECIMENTO

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

GT BLOCK LBS RASTREAMENTO VIA CÉLULA COM BLOQUEADOR

GT BLOCK LBS RASTREAMENTO VIA CÉLULA COM BLOQUEADOR GT BLOCK LBS RASTREAMENTO VIA CÉLULA COM BLOQUEADOR Esta tecnologia torna possível o sistema de anti sequestro, rastreamento, escuta e bloqueio de veículos conforme a área de cobertura, que ao ser acionado,

Leia mais

RASTREADOR E BLOQUEDOR GT PRO+

RASTREADOR E BLOQUEDOR GT PRO+ RASTREADOR E BLOQUEDOR GT PRO+ A Global Trace visando atender as necessidades do mercado atual lança em sua linha de produtos o KIT PRO com características específicas para o segmento de veículos. VANTAGENS

Leia mais

1.PLANO AUTO STANDARD

1.PLANO AUTO STANDARD 1.PLANO AUTO STANDARD 1.1.Definições ACIDENTE/SINISTRO Colisão, abalroamento ou capotagem envolvendo direta ou indiretamente o veículo e que impeça o mesmo de se locomover por seus próprios meios. COBERTURA

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

NR 35 Trabalho em Altura

NR 35 Trabalho em Altura Professor Flávio Nunes NR 35 Trabalho em Altura CLT: Art.200 www.econcursando.com.br 1 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para

Leia mais

RESPONSABILIDADES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

RESPONSABILIDADES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS RESPONSABILIDADES NO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Ainda em novembro, divulgamos informativo ressaltando a importância dos equipamentos de segurança no transporte de produtos perigosos. Alguns associados

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC J uiz de Fora, 04 de Março de 2015. Prezado Associado: ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC O SETCJ F informa as principais alterações introduzidas na Lei 12.619/12 (Lei do Motorista), na Lei 11.442/07

Leia mais

PORTARIA N.º 56 DE 31 DE OUTUBRO DE 2007

PORTARIA N.º 56 DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 Presidência da República PORTARIA N.º 56 DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso de suas atribuições e tendo em vista

Leia mais

Visões sobre a padronização mínima de "PGR s" - Planos de Gerenciamento de Riscos e DDR s Declaração de Dispensa de Direito de Regresso

Visões sobre a padronização mínima de PGR s - Planos de Gerenciamento de Riscos e DDR s Declaração de Dispensa de Direito de Regresso Visões sobre a padronização mínima de "PGR s" - Planos de Gerenciamento de Riscos e DDR s Declaração de Dispensa de Direito de Regresso Gostaria de iniciar com algumas definições sobre os riscos da atividade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Câmara de Pós-Graduação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Câmara de Pós-Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Câmara de Pós-Graduação Resolução 01/2011 CPG Dispõe sobre o Estágio de Pós-Doutorado na UFES A Câmara de Pós-Graduação da

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS RESOLUÇÃO DP Nº 14.2014, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2014. ESTABELECE REGRAMENTO PARA O ACESSO TERRESTRE AO PORTO DE SANTOS O DIRETOR PRESIDENTE da COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP, na qualidade

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/17 1 - DOS OBJETIVOS a) Regulamentar procedimentos de controle da frota de veículos leves e pesados da Prefeitura, visando otimizar o uso dos mesmos e reduzir custos de manutenção. 2- DOS ASPECTOS CONCEITUAIS

Leia mais

POLÍTICA DE SUITABILITY

POLÍTICA DE SUITABILITY POLÍTICA DE SUITABILITY VERIFICAÇÃO DA ADEQUAÇÃO DOS PRODUTOS, SERVIÇOS E OPERAÇÕES AO PERFIL DO INVESTIDOR Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins

Leia mais