Governança Corporativa e Sustentabilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governança Corporativa e Sustentabilidade"

Transcrição

1 Governança Corporativa e Sustentabilidade Apresentação à Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Antônio Sérgio Oliveira Santan Gerente Executiv Petrobras / Desenvolvimento de Sistemas de Gestã 5 de junho de 200

2 Introdução Modelo Petrobras Índices de Sustentabilidade

3 Organização Geral da Petrobra CF Auditoria Interna Estratégia e Desempenho Empresarial Novos Negócios Recursos Humanos CA Diretoria Executiva Presidente Comitê de Negócios Gabinete do Presidente Secretaria-Geral Ouvidoria Geral Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Jurídico Comunicação Institucional Financeira Gás e Energia Exploração e Produção Abastecimento Internacional Serviços Corporativo Corporativo Corporativo Corporativo Corporativo Segurança, Meio Ambiente e Saúde Planej to Financ e Gestão de Riscos Finanças Contabilidade Tributário Relacionamento com Investidores Logística e Participações em Gás Natural Operações e Participações em Energia Desenvolvimento Energético Marketing e Comercialização Engenharia de Produção Serviços Exploração Norte-Nordeste Sul-Sudeste Logística Refino Petroquímica e Fertilizantes Marketing e Comercialização Suporte Técnico aos Negócios Desenvolvimento de Negócios Cone Sul Américas, África e Eurásia Materiais Pesquisa e Desenvolvimento (CENPES) Engenharia Tecnologia da Informação e Telecomunicações Serviços Compartilhados Pré-Sal

4 Estrutura Organizacional e Focos Estratégicos do DS Gerente Gerente Executivo Executivo Organização Organização e e Governança Governança Práticas Práticas de de Gestão Gestão Gestão Gestão de de Processos Processos Gestão Gestão do do Conhecimento Conhecimento Focos Focos estratégicos Estratégicos Organização Governança e Processo Decisório Excelência em Gestão Processos (SAP R/3) Gestão do Conhecimento

5 Governança Corporativ Conjunto de práticas e relacionamentos entre: Acionistas Conselho de Administração Diretoria Auditoria Independente Conselho Fiscal Partes interessadas Com a finalidade de: Melhorar a gestão da companhia e o seu desempenho Melhorar o processo decisório na alta administração Melhorar a imagem institucional Facilitar o acesso ao capital a custos mais baixos Contribuir para a perenidade da organização

6 Princípios Fundamentai Transparência Eqüidade Prestação de contas Responsabilidade corporativa Governança Corporativa

7 Lei Sarbanes-Oxle A SOX foi aprovada em 30 de julho de 2002 pelo Congresso dos EUA em resposta aos escândalos corporativos que ocorreram no mercado americano e que abalaram fortemente a confiança dos investidores Lei Sarbanes-Oxley As companhias brasileiras que possuem papéis negociados nas Bolsas dos Estados Unidos estão sujeitas à SOX Fonte: Deloitte

8 Introdução Modelo Petrobras Índices de Sustentabilidade

9 Adaptação à Lei Sarbanes-Oxle Formalização dos Controles e Procedimentos de Divulgação de Informação (CPDI), documento interno que inclui os controles criados para garantir a exatidão das informações divulgadas em relatórios e fatos relevantes publicados Definição de normas de independência e responsabilidades da Auditoria Externa e restrições à prestação de outros serviços na Companhia Criação de mecanismo interno de responsabilização de todos os níveis hierárquicos na prestação de informações - Matriz de Responsabilidades Divulgação de tabela com as diferenças entre as práticas de governança adotadas pela Petrobras e as adotadas pelas companhias americanas, de acordo com as exigências da NYSE Adequação do Regimento Interno do Comitê de Auditoria, de forma a incluir as atribuições exigidas pela SOX Definição da Ouvidoria Geral da Petrobras como o canal para recebimento e processamento de denúncias sobre questões contábeis, controles internos e auditoria, incluindo a submissão confidencial e anônima por empregados

10 Instrumentos de Governança Corporativ Estatuto Estatuto Social Social Diretrizes Diretrizes de de Governança Governança Código Código de de Boas Boas Práticas Práticas Regimentos Regimentos Internos Internos Código Código de de Ética Ética Regulamenta o objeto, a administração e o funcionamento da Petrobras, bem como o relacionamento entre os acionistas. Estabelece diretrizes sobre: - Princípios de atuação e funcionamento do CA - Consulta aos preferencialistas em questões relevantes Trata de políticas corporativas envolvendo: - Divulgação de informações - Negociação de ações - Indicação para cargos de administração de subsidiárias, coligadas e controladas - Conduta de administradores e funcionários da administração superior - Relacionamento com investidores Regulamentam as atribuições e a operacionalização dos órgãos: - Conselho de Administração - Comitês do Conselho - Comitê de Negócios - Comitês de Gestão Serve de ligação e base para a utilização dos mecanismos da boa governança corporativa. Código Código de de Conduta Conduta Concorrencial Concorrencial Compromisso da PETROBRAS com o cumprimento estrito da legislação de defesa da concorrência ou antitruste brasileira e das jurisdições estrangeiras em que realiza negócios

11 Estrutura de Comitês e Comissõe O Comitê de Negócios funciona como fórum de integração de assuntos relevantes e estratégicos, visando promover o alinhamento entre o desenvolvimento dos negócios, a gestão da Companhia e as diretrizes do Plano Estratégico da Petrobras Os Comitês de Gestão atuam de forma integrada ao Comitê de Negócios e aos demais Comitês de Gestão existentes, podendo contar com comissões e/ou grupos de trabalho, com escopo de atuação mais operacional, para apoiá-los no desempenho de suas atividades Comitê de Gestão Diretoria Executiva Comitê de Negócios Comitê Comitê Comitê de Gestão de Gestão de Gestão Comissão Grupo de trabalho Comissão Comissão Subcomissão Grupo de trabalho Comissão Subcomissão Grupo de trabalho

12 Modelo de Governança Corporativ Definições estratégicas e supervisão Execução da estratégia e desenvolvimento das operações Conselho Fiscal Conselho de Administração Auditorias Presidente Comitê de Negócios Relatores Diretoria Executiva Diretores Comitês do CA Ouvidoria Comitês de Gestão Comitês do CA: Auditoria Meio Ambiente Remuneração e Sucessão Comitês de Gestão: Abastecimento E&P Gás e Energia Recursos Humanos Segurança, Meio Ambiente e Saúde Análise de Organização e Gestão Tecnologia da Informação Controles Internos Risco Tecnologia Petrobras Marketing e Marcas Responsabilidade Socia e Ambiental

13 Comitê de Análise de Organização e Gestã Finalidade Identificação, planejamento e acompanhamento da aplicação de políticas e estratégias corporativas de gestão comuns à Companhia Analisar e emitir pareceres e recomendações sobre propostas de mudanças no modelo de organização e gestão Composição Gerente Executivo de Desenvolvimento de Sistemas de Gestão (Coordenador) Gerente Executivo de E&P Corporativo Gerente Executivo de Abastecimento Corporativo Gerente Executivo de Gás e Energia Corporativo Gerente Executivo de Internacional Corporativo Gerente Executivo de Estratégia e Desempenho Empresarial Gerente Executivo de Recursos Humanos Gerente Executivo Financeiro Corporativo Gerente Executivo de Engenharia Próximo

14 Comitê de Análise de Organização e Gestã Atribuições principais: Assessorar a Alta Administração na definição de ajustes e de aprimoramentos do Modelo de Organização e Gestão da Petrobras Orientar e avaliar permanentemente os projetos que suportam o Modelo de Organização e Gestão contidos na Agenda de Mudança Comissão de Governança Corporativa Desenvolvimento de Sistema de Gestão Relações com investidores Jurídico Contabilidade Financeiro Corporativo Acompanhar a evolução da legislação e das práticas de governança corporativa no Brasil e no exterior Monitorar e avaliar a adequação e aplicação dos instrumentos de governança corporativa da Companhia e propor alterações Promover programas de treinamento em governança corporativa, abrangendo inclusive executivos de subsidiárias, controladas e coligadas Anterior Model

15 Comitê de Gestão de Responsabilidade Social e Ambienta Finalidade Aprofundamento de temas referentes a aspectos sociais e ambientais Identificação, planejamento e acompanhamento da aplicação de políticas e estratégias corporativas de RSA Composição Gerente Executivo de Comunicação Institucional (Coordenador) Gerente Executivo de Abastecimento Corporativo Gerente Executivo de E&P Corporativo Gerente Executivo de Internacional Corporativo Gerente Executivo de Gás e Energia Desenvolvimento Energético Gerente Executivo de Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Gerente Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Gerente Executivo de Engenharia Gerente Executivo de Recursos Humanos Gerente Executivo de Relacionamento com Investidores Gerente Executivo de Segurança, Meio Ambiente e Saúde Ouvidor Geral da Petrobras Consultor do Presidente Representante da Petrobras Distribuidora S.A. Representante da Petrobras Transportes S.A. Próximo

16 Comitê de Gestão de Responsabilidade Social e Ambienta (cont Atribuições principais Propor estratégias e diretrizes corporativas de RSA Selecionar indicadores e propor metas de desempenho em RSA Monitorar atividades e iniciativas de RSA na Companhia Avaliar o desempenho da Companhia nos aspectos de RSA Promover a divulgação das melhores práticas de RSA adotadas na Companhia Anterior Próximo Modelo

17 Responsabilidade Social e Ambienta Desafio Ser referência internacional em responsabilidade social na gestão dos negócios, contribuindo para o desenvolvimento sustentável Política de RSA 1. Atuação corporativa comprometida com a ética e a transparência => Criação da COMISSÃO DE ÉTICA 2. Gestão integrada em Responsabilidade Social no Sistema Petrobras 3. Atuação buscando o desenvolvimento sustentável 4. Respeitar e apoiar os direitos humanos internacionais 5. Respeitar a diversidade humana e cultural de sua força de trabalho => Criação da COMISSÃO DE DIVERSIDADE 6. Apoiar a erradicação do trabalho infantil, escravo e degradante 7. Buscar a sustentabilidade dos investimentos sociais 8. Comprometer a força de trabalho com a Política de Responsabilidade Social do Sistema Petrobras. Anterior Modelo

18 Comitê de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúd Finalidade Aprofundamento de temas referentes a aspectos de segurança, meio ambiente e saúde na Petrobras Identificação, planejamento e acompanhamento da aplicação de políticas e estratégias corporativas de SMS Composição Gerente Executivo de SMS (Coordenador) Gerente Executivo de E&P Corporativo Gerente Executivo de Abastecimento Corporativo Gerente Executivo de Gás e Energia Corporativo Gerente Executivo de Internacional Cone Sul ou Américas, África e Eurásia (rodízio) Gerente Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Gerente Executivo de Engenharia Gerente Executivo de Recursos Humanos Gerente Executivo de Serviços Compartilhados Representante da Petrobras Distribuidora S.A. Representante da Petrobras Transportes S.A. róximo Modelo

19 Comitê de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúd (cont Atribuições principais Assessorar a Alta Administração na definição e atualização da Política de SMS, em consonância com as estratégias da Companhia Estabelecer e manter atualizadas as estratégias relativas à gestão de SMS Analisar o desempenho de SMS na Companhia e definir orientações para condução das atividades Promover o uso de indicadores de SMS e acompanhar seus resultados Deliberar sobre propostas de ações de melhorias em SMS, submetendo-as ao Comitê de Negócios e, posteriormente, à Diretoria Executiva Anterior Modelo

20 Introdução Modelo Petrobras Índices de Sustentabilidade

21 Reconhecimento do Mercado M&E º º 2005 Shell Shell ExxonMobil ExxonMobil BP BP Total Total Repsol Repsol Chevron Chevron Petrobras Petrobras Pemex Pemex Lukoil Lukoil PDVSA PDVSA 2006 Shell Shell Petrobras Petrobras BP BP Statoil Statoil Total Total Norsk-Hydro Norsk-Hydro Repsol Repsol Chevron Chevron ExxonMobil ExxonMobil Conoco Conoco Fonte: Petrobras Petrobras Total Total BP BP StatoilHydro StatoilHydro Shell Shell ENI ENI Repsol Repsol OMV OMV Chevron Chevron ConocoPhillips ConocoPhillips A Petrobras é considerada referência mundial na indústria de petróleo, em ética e sustentabilidade, considerando 387 indicadores internacionais A Petrobras evoluiu em todas as categorias analisadas: sustentabilidade, ética, responsabilidade social, governança corporativa e transparência (*) A M&E (Management & Excellence SA) é uma empresa de pesquisa e avaliação de risco na área de sustentabilidade, ética governança corporativa, especializada na industria de petróleo, que promove um estudo anual do nível de aderência a princípios de ética e sustentabilidade nas maiores empresas de petróleo do mundo.

22 Índices de Sustentabilidad Utilizados por investidores e administradores de recursos para a tomada de decisão sobre investimentos Em 2006, a Petrobras passou a compor o Índice de Sustentabilidade do Dow Jones (DJSI) e o Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bovespa (ISE), mostrando o compromisso da Companhia em alcançar seus objetivos estratégicos com rentabilidade e com responsabilidade social e ambiental O DJSI e o ISE consideram não apenas a performance financeira, mas também a qualidade da gestão das companhias e suas ações de responsabilidade social como forma de sustentabilidade no longo prazo

23 Índice Dow Jone Setembro de 2006 A Petrobras passa a compor o Índice Mundial de Sustentabilidade da Dow Jones (DJSI), o mais importante índice de sustentabilidade do mundo Composto por ações de companhias capazes de criar valor para os acionistas no longo prazo Foi criado em 1999 pela Dow Jones Indexes e pela Sustainable Asset Management, gestora de recursos suíça especializada em companhias comprometidas com responsabilidade social e ambiental Avalia o desempenho econômico, social e ambiental de companhias de diversos setores em todo mundo, considerando respostas a um questionário e análise das notícias das companhias na mídia Adota a metodologia Best in Class, que seleciona as companhias com melhor desempenho em cada um dos setores* Além da da Petrobras, integram o DJSI as as seguintes empresas brasileiras: Aracruz Celulose, Banco Bradesco, Banco Itaú, Itaú, CEMIG e Usiminas * excluindo apenas companhias do setor de defesa com mais de 50% do faturamento oriundo da venda de armas

24 Índice de Sustentabilidade Empresari Dezembro de 2006 A Petrobras passa a compor o Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bovespa (ISE), que busca criar um ambiente de investimento compatível com as demandas de desenvolvimento sustentável da sociedade Composto por companhias selecionadas por suas políticas, práticas de gestão, desempenho e cumprimento legal de obrigações no que diz respeito à eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa Foi criado pela Bovespa, Abrapp, Anbid, Apimec, IBGC, IFC, Instituto Ethos e Ministério do Meio Ambiente, que compõem seu Conselho Deliberativo, para ser referencial para os investimentos socialmente responsáveis no Brasil. Considera um questionário com 120 perguntas, enviado às empresas emissoras das 150 ações mais líquidas da Bovespa.

25 Desafios e Iniciativa Monitorar e aprimorar a governança corporativa na Companhia segundo as melhores práticas nacionais e internacionais Manter o modelo de governança corporativa em conformidade com a Lei Sarbanes-Oxley e sua regulamentação Disseminar as melhores práticas de governança corporativa no Sistema Petrobras Aprimorar o relacionamento e alinhamento entre a Petrobras e as empresas do Sistema

26 Modelo de Governança Corporativ Conselho Fiscal Conselho de Administração CONSELHO FISCAL: Órgão responsável por fiscalizar os atos dos administradores e verificar o cumprimento dos seus deveres legais e estatutários da Companh Comitês do CA Auditorias É composto no máximo de cinco membros, Ouvidoria eleitos pela Assembléia Geral de Acionistas Relatores Prazo do mandato: 1 ano, permitida a reeleição Presidente Diretoria Executiva Membros Diretores Comitê de Negócios Comitês de Gestão

27 Modelo de Governança Corporativ Conselho Fiscal Conselho de Administração CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Órgão responsável Comitês pela orientação e direção do CA superior da Companhia AuditoriasÉ composta Ouvidoria no mínimo por cinco e máximo de nove membros, eleitos pela Assembléia Geral de Relatores Acionistas Prazo Presidente do mandato: não superior a 1 ano, permitida a reeleição Diretoria Executiva Diretores Membros Comitê de Negócios Comitês de Gestão

28 Modelo de Governança Corporativ Conselho Fiscal Conselho de Administração Comitês do CA Auditorias Ouvidoria Relatores AUDITORIA INTERNA: Planejar, executar e avaliar atos e processos decisórios de assembléias de acionistas e reuniões do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva Presidente Diretoria Executiva Diretores AUDITORIA EXTERNA: Órgão externo à organização e isento de conflito de interesses, que tem a atribuição básica de verificar Comitês se as demonstrações de Gestão financeiras refletem adequadamente a realidade da organização. Comitê de Negócios

29 Modelo de Governança Corporativ ELATORES: Conselho igura designada pelo Conselho para Fiscal profundamento em determinados assuntos ue o órgão necessite de mais informações, or meio da elaboração de pareceres para ma melhor tomada de decisão. Poderá ser m Conselheiro, um Diretor ou alguém xterno à Companhia Conselho de Administração Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria Presidente Diretoria Executiva Diretores Comitê de Negócios Comitês de Gestão

30 Modelo de Governança Corporativ UVIDORIA: lanejar, orientar, coordenar e avaliar tividades que visem acolher opiniões, ugestões, críticas, reclamações e enúncias dos públicos de relacionamento a Companhia, promovendo as apurações ecorrentes e as providências a serem dotadas. Conselho Fiscal Conselho de Administração Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria Presidente Diretoria Executiva Diretores Comitê de Negócios Comitês de Gestão

31 Modelo de Governança Corporativ OMITÊS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: nstituídos para auxiliar o Conselho de ministração por meio de análise e comendações de matérias específicas Conselho Fiscal CA Conselho de Administração Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria Comitê de Auditoria Comitê de Meio Ambiente Comitê de Remuneração epresidente Sucessão Diretoria Executiva Diretores Comitê de Negócios Comitês de Gestão

32 Modelo de Governança Corporativ OMITÊS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: nstituídos para auxiliar o Conselho de ministração por meio de análise e comendações de matérias específicas Conselho Fiscal CA Conselho de Administração Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria Comitê de Auditoria Comitê de Meio Ambiente Comitê de Remuneração e Presidente Sucessão Diretoria Executiva Diretores Assessora o Conselho de Administração, no sentido de que as demonstrações financeiras da Companhia sejam elaboradas em conformidade com as exigências legais Comitê de Negócios Acompanha e avalia as atividades exercidas pelas Auditorias Interna e Independente Facilita e otimiza a comunicação, quando apropriado, Comitês entre o Conselho de Administração e Conselho Fiscal, Diretoria Executiva e as Auditorias de Interna Gestão e Independente Acompanha o processo de elaboração das Demonstrações Contábeis e de aprimoramento dos sistemas de controles internos

33 Modelo de Governança Corporativ OMITÊS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: nstituídos para auxiliar o Conselho de ministração por meio de análise e comendações de matérias específicas Conselho Fiscal CA Conselho de Administração Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria Comitê de Auditoria Comitê de Meio Ambiente Comitê de Remuneração e Presidente Sucessão Diretoria Executiva Diretores Aconselha o Conselho de Administração nas estratégias a serem desenvolvidas em relação às questões ambientais, de forma a alcançar Comitê de o desenvolvimento sustentável da Negócios Companhia e avaliar o gerenciamento dos riscos ambientais e de segurança do trabalho e acompanhar as ações tomadas para mitigação e controle desses riscos Comitês de Gestão Revisa e aprova o programa de auditoria ambiental

34 Modelo de Governança Corporativ OMITÊS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: nstituídos para auxiliar o Conselho de ministração por meio de análise e comendações de matérias específicas Conselho Fiscal CA Conselho de Administração Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria Comitê de Auditoria Comitê de Meio Ambiente Comitê de Remuneração e Presidente Sucessão Diretoria Executiva Diretores Propõe ao Conselho de Administração metas de desempenho Comitê dos membros da Diretoria Executiva Negócios e a estrutura de compensação dos membros do CA e da DE Comitês de Gestão Acompanha e avalia o processo de planejamento sucessório de posições críticas, acompanhando o desempenho dos executivos com alto potencial

35 Modelo de Governança Corporativ IRETORIA EXECUTIVA: xerce a gestão dos negócios da ompanhia, de acordo com a missão, os bjetivos, as estratégias e as diretrizes ixadas pelo Conselho de Administração Conselho Fiscal Conselho de Administração Comitês do CA composta pelo presidente e 6 diretores leitos pelo Conselho de Administração razo do mandato: não superior a 3 anos, ermitida a reeleição s membros exercem seus cargos em egime de tempo integral e de dedicação xclusiva ao serviço da Petrobras Auditorias Presidente Relatores Diretoria Executiva Diretores Ouvidoria prova a criação ou extinção de Comitês de estão Comitê de Negócios Membros Comitês de Gestão

36 Modelo de Governança Corporativ OMITÊ DE NEGÓCIOS: um fórum de integração dos assuntos elevantes e estratégicos, que visa romover o alinhamento entre o Conselho Fiscal esenvolvimento dos negócios, a gestão da ompanhia e as diretrizes do Plano stratégico da Petrobras Conselho de Administração Comitês do CA Comitê de Negócios atua como ecanismo de suporte ao processo ecisório da alta administração Auditorias Relatores Ouvidoria composto pelo Presidente, Diretores, iretores Gerentes, Presidente da BR e pelo itular da Estratégia ugere a criação ou extinção de Comitês de estão Presidente Diretoria Executiva Diretores Comitê de Negócios Comitês de Gestão

37 Modelo de Governança Corporativ OMITÊS DE GESTÃO: uncionam como fóruns para amadurecimento Conselho aprofundamento dos temas do seu escopo Fiscal e ara a estruturação de informações a serem presentadas ao Comitê de Negócios Conselho de Administração s Comitês são compostos pelos principais erentes das áreas envolvidas, devendo ter, referencialmente, ao menos um membro do omitê de Negócios Auditorias Relatores Comitês do CA Ouvidoria bastecimento &P ás e Energia H MS nálise de Organização e Gestão ecnologia da Informação ontroles Internos isco ecnologia Petrobras (Cenpes) esponsabilidade Social e Ambiental arketing & Marcas Presidente Diretoria Executiva Diretores Comitê de Negócios Comitês de Gestão

38 Modelo de Governança Corporativ Presidente José Sergio Gabrielli de Azevedo

39 Modelo de Governança Corporativ Diretores Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro Guilherme de Oliveira Estrella Diretor de Exploração e Produção Paulo Roberto Costa Diretor de Abastecimento Maria das Graças Silva Foster Diretora de Gás e Energia Jorge Luiz Zelada Diretor Internacional Renato de Souza Duque Diretor de Serviços

40 Modelo de Governança Corporativ Diretoria Executiva José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro Guilherme de Oliveira Estrella Diretor de Exploração e Produção Paulo Roberto Costa Diretor de Abastecimento Maria das Graças Silva Foster Diretora de Gás e Energia Jorge Luiz Zelada Diretor Internacional Renato de Souza Duque Diretor de Serviços

41 Modelo de Governança Corporativ Conselho de Administração Dilma Vana Rousseff Presidente do Conselho de Administração Representante do Acionista Controlador José Sergio Gabrielli de Azevedo Representante do Acionista Controlador Guido Mantega Representante do Acionista Controlador Francisco Roberto de Albuquerque Representante do Acionista Controlador Fabio Colletti Barbosa Representante dos Acionistas Minoritários Detentores de Ações Ordinárias Luciano Galvão Coutinho Representante do Acionista Controlador Silas Rondeau Cavalcante Silva Representante do Acionista Controlador Arthur Antonio Sendas Representante do Acionista Controlador Jorge Gerdau Johannpeter Representante do Acionista Detentores d Ações Preferenciais

42 Modelo de Governança Corporativ Conselho Fiscal Representantes da União Sr. Marcus Pereira Aucélio Sr. Eduardo Coutinho Guerra, suplente. Sr. Túlio Luiz Zamin Sr. Marcelo Cruz, suplente. Sra. Erenice Alves Guerra Sr. Edison Freitas de Oliveira, suplente. Representantes dos Acionistas Detentores de Ações Ordinárias Sr. Nelson Rocha Augusto Sra. Maria Auxiliadora Alves da Silva, suplente. Representantes dos Acionistas Detentores de Ações Preferenciais Sra. Maria Lúcia de Oliveira Falcón Sr. Celso Barreto Neto, suplente

43 Princípios Fundamentai Transparência Mais do que obrigação de informar, a Administração deve cultivar o desejo de informar A comunicação deve contemplar todos os fatores que norteiam a ação empresarial e que conduzem à criação de valor

44 Princípios Fundamentai Eqüidade Tratamento justo e igualitário a todos os grupos de acionistas e demais partes interessadas, como colaboradores, clientes e fornecedores

45 Princípios Fundamentai Prestação de Contas Os agentes da governança devem prestar contas de sua atuação a quem os elegeu e respondem pelos atos que praticarem no exercício de seus mandatos

46 Princípios Fundamentai Responsabilidade Corporativa (Sustentabilidade) Visão mais ampla da estratégia empresarial, contemplando todos os relacionamentos com a comunidade (oferta de emprego, qualificação da força de trabalho, estímulo ao desenvolvimento científico e melhoria da qualidade de vida) Conselheiros e executivos devem zelar pela perenidade das organizações, incorporando questões de ordem social e ambiental na definição dos negócios

47 Referências: Brasil e Exterio Instituto Brasileiro de Governança Corporativa Bovespa Comissão de Valores Mobiliários Petrobras (tópico Relações com o Investidor Governança Corporativa) rganização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) New York Stock Exchange (NYSE)

48 Obrigado Antônio Sérgio Oliveira Santan Gerente Executiv Petrobras / Desenvolvimento de Sistemas de Gestã

A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais. Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras

A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais. Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras Visão e Missão da Petrobras Visão 2020 Ser uma das cinco maiores

Leia mais

ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971

ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971 ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971 ATA SUMÁRIA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 7 DE FEVEREIRO DE 2014 DATA, HORA E LOCAL: Em 7 de fevereiro de

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Regra de Governança Corporativa da NYSE para Emissoras Norte-Americanas. Abordagem da Vale

Regra de Governança Corporativa da NYSE para Emissoras Norte-Americanas. Abordagem da Vale Comparação das práticas de governança corporativa adotadas pela VALE com aquelas adotadas pelas companhias norte-americanas em cumprimento às exigências da Bolsa de Valores de Nova Iorque De acordo com

Leia mais

para a Governança Corporativa

para a Governança Corporativa Seminário A importância dos Websites de Sustentabilidade para os Públicos Estratégicos A relevância da sustentabilidade t d para a Governança Corporativa Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@ibgc.org.br (11)

Leia mais

Estrutura de Governança Corporativa

Estrutura de Governança Corporativa Estrutura de Governança Corporativa Conselho de Administração Composto de nove membros, sendo dois independentes (sem vínculos com os acionistas signatários do acordo de acionistas, na forma da regulamentação

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

Unisal - Semana de Estudos de Administração e Contábeis - 2013

Unisal - Semana de Estudos de Administração e Contábeis - 2013 Governança e Sucessão nas Empresas Familiares Governança e Sucessão nas empresas familiares Os Marcos históricos da Governança 1. O Relatório Cadbury 2. Os Princípios da OCDE 3. A Difusão Mundial dos Códigos

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

Governança Corporativa:

Governança Corporativa: Abril 15 Governança Corporativa: Qual papel? Onde estamos... Nossa estrutura de Governança: NÍVEL DE GOVERNANÇA Assembléias de Associados 10 representantes dos associados efetivos + todos os associados

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA

GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA Os valores que lastreiam as práticas da Companhia são: transparência, prestação de contas, conformidade e equidade. Transparência refere-se em particular às informações que têm reflexo

Leia mais

Práticas Corporativas

Práticas Corporativas Práticas Corporativas Nível 1 de Governança Corporativa Fontes: Estatuto Social Código de Conduta Relatório de Sustentabilidade Formulário de Referência Política de divulgação e negociação Atualizado em

Leia mais

Tendências da Governança Corporativa Tá na Mesa Porto Alegre, 7/04/2010. Gilberto Mifano

Tendências da Governança Corporativa Tá na Mesa Porto Alegre, 7/04/2010. Gilberto Mifano Tendências da Governança Corporativa Tá na Mesa Porto Alegre, 7/04/2010 Gilberto Mifano Agenda Panorama atual da GC no Brasil 2009 x 2003 Temas em discussão no Brasil e no Mundo 2 GOVERNANÇA CORPORATIVA

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

18/08/2015. Governança Corporativa e Regulamentações de Compliance. Gestão e Governança de TI. Governança Corporativa. Governança Corporativa

18/08/2015. Governança Corporativa e Regulamentações de Compliance. Gestão e Governança de TI. Governança Corporativa. Governança Corporativa Gestão e Governança de TI e Regulamentações de Compliance Prof. Marcel Santos Silva A consiste: No sistema pelo qual as sociedades são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo o relacionamento

Leia mais

SEMINÁRIO PRÁTICAS E GOVERNANÇA EM GESTÃO DE PESSOAS DAS EMPRESAS ESTATAIS FEDERAIS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA DE PESSOAS

SEMINÁRIO PRÁTICAS E GOVERNANÇA EM GESTÃO DE PESSOAS DAS EMPRESAS ESTATAIS FEDERAIS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA DE PESSOAS SEMINÁRIO PRÁTICAS E GOVERNANÇA EM GESTÃO DE PESSOAS DAS EMPRESAS ESTATAIS FEDERAIS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA DE PESSOAS Empresa coordenadora: Simone EMPRESAS PARTICIPANTES Empresas participantes: Tatyana

Leia mais

Pronta para se tornar uma das 20 maiores produtoras de cimento do mundo

Pronta para se tornar uma das 20 maiores produtoras de cimento do mundo 06 Governança TRANSPARÊNCIA 23 Corporativa e Gestão Conselho de Administração O Conselho de Administração da Camargo Corrêa Cimentos é composto de até seis membros, sendo um presidente, três vice-presidentes

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

As Ouvidorias como espaços de Educação em Cidadania. Paulo Otto von Sperling Ouvidor Geral

As Ouvidorias como espaços de Educação em Cidadania. Paulo Otto von Sperling Ouvidor Geral As Ouvidorias como espaços de Educação em Cidadania Paulo Otto von Sperling Ouvidor Geral A Petrobras Criação, natureza e âmbito de atuação Criada em 1953, a Petrobras é uma sociedade anônima de capital

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 INDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. implementação...2 4. Referência...2 5. Conceitos...2 6. Políticas...3

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2.

ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2. ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2.008 Aos 17 dias do mês de setembro do ano de dois mil e oito,

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 I. FINALIDADE A finalidade do Comitê de Auditoria da AGCO Corporation (a Empresa ) é auxiliar o Conselho Diretor (o Conselho )

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

Parecer do Comitê de Auditoria

Parecer do Comitê de Auditoria Parecer do Comitê de Auditoria 26/01/2015 Introdução Título do documento De acordo com o que estabelece o seu regimento interno, compete ao Comitê de Auditoria assegurar a operacionalização dos processos

Leia mais

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Ana Paula Grether Consultora da Gerência de Orientações e Práticas de Responsabilidade Social Gerência Executiva de

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Edina Biava Abrasca; Marco Antonio Muzilli IBRACON;

Leia mais

Melhores Práticas de Governança

Melhores Práticas de Governança Melhores Práticas de Governança Corporativa Eletros Novembro de 2011 Eliane Lustosa Objetivos Introdução Governança Corporativa (GC) Conceito e princípios básicos Sistema Importância e benefícios Principais

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1/9 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivo... 3 3. Princípios... 4 4. Diretrizes... 4 4.1. Estrutura de Governança... 4 4.2. Relação com as partes interessadas...

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

3.3 Deliberações do Conselho de Ética Pública do Estado de Minas Gerais.

3.3 Deliberações do Conselho de Ética Pública do Estado de Minas Gerais. 03/07/2013 Pág. 01 GESTÃO DA DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS E Substitui a IO-07 CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL E DO CANAL de 03/04/2012 DE DENÚNCIA DA COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS 1. FINALIDADE

Leia mais

PARTICIPAÇÃO EM ASSEMBLÉIAS DE ACIONISTAS 3º TRIMESTRE 2010 Setor de Governança em Participações

PARTICIPAÇÃO EM ASSEMBLÉIAS DE ACIONISTAS 3º TRIMESTRE 2010 Setor de Governança em Participações EMPRESA: PETRÓLEO BRASILEIROS.A. - PETROBRAS DATA DA REALIZAÇÃO: 12/08/2010 TIPO DE ASSEMBLÉIA: AGE REPRESENTANTE: RENATO DE MELLO CARGO: GERENTE DE CONSULTORIA VOTANTE: 1,00 PREFERENCIALISTA: 1,53 TOTAL:

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

Comunicação Institucional Visão de Futuro

Comunicação Institucional Visão de Futuro Comunicação Institucional Visão de Futuro Organograma Presidente Comunicação Institucional Assistente Imagem Corporativa e Marcas Comitê Estratégico Imprensa Planejamento e Gestão Atendimento e Articulação

Leia mais

Agenda 1 ANAHP. 2 Governança Corporativa. 3 Timeline. 4 Reforma Estatutária. 5 Modelo de Planejamento Estratégico

Agenda 1 ANAHP. 2 Governança Corporativa. 3 Timeline. 4 Reforma Estatutária. 5 Modelo de Planejamento Estratégico 10a Jornada Agenda 1 ANAHP 2 Governança Corporativa 3 Timeline 4 Reforma Estatutária 5 Modelo de Planejamento Estratégico 6 Modelo de Arquitetura Organizacional 7 Benefícios Governança Corporativa ANAHP

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

Preparação da Empresa para o Capital Empreendedor. Sidney Chameh ABVCAP

Preparação da Empresa para o Capital Empreendedor. Sidney Chameh ABVCAP Preparação da Empresa para o Capital Empreendedor Sidney Chameh ABVCAP Agenda Mudança Cultural Passos para obtenção do capital empreendedor O que os fundos procuram Seleção de projetos Ciclo de Investimento

Leia mais

Governança Corporativa e Familiar Desafios e Oportunidades

Governança Corporativa e Familiar Desafios e Oportunidades Governança Corporativa e Familiar Desafios e Oportunidades Luiz Marcatti Fevereiro/2009 GOVERNANÇA CORPORATIVA É o sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os relacionamentos

Leia mais

METODOLOGIA DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE)

METODOLOGIA DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) METODOLOGIA DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) Abril/2015 [data] METODOLOGIA DO ÍNDICE DE O ISE é o resultado de uma carteira teórica de ativos, elaborada de acordo com os critérios estabelecidos

Leia mais

Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS

Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS anos 1. OBJETIVO Este documento tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS)

Leia mais

Auditoria Interna e Governança Corporativa

Auditoria Interna e Governança Corporativa Auditoria Interna e Governança Corporativa Clarissa Schüler Pereira da Silva Gerente de Auditoria Interna TUPY S.A. Programa Governança Corporativa Auditoria Interna Desafios para os profissionais de auditoria

Leia mais

1 a Jornada de Contabilidade Práticas de Governança Corporativa e Transparência 22 de setembro de 2005

1 a Jornada de Contabilidade Práticas de Governança Corporativa e Transparência 22 de setembro de 2005 1 a Jornada de Contabilidade Práticas de Governança Corporativa e Transparência 22 de setembro de 2005 Agenda Introdução Demandas do mercado de capitais Governança corporativa Governança corporativa no

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Melhores práticas. Cada vez mais cientes das

Melhores práticas. Cada vez mais cientes das Número de empresas brasileiras que procuram se aprimorar em governança corporativa aumentou na última edição do estudo Melhores práticas Estudo aponta que as empresas investem mais no aprimoramento dos

Leia mais

Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC {aula #1} com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11) 9962-4260 http://rildosan.blogspot.com/

Leia mais

Taking ESG into account Podemos evoluir para uma Economia Sustentável

Taking ESG into account Podemos evoluir para uma Economia Sustentável Taking ESG into account Podemos evoluir para uma Economia Sustentável Investimentos Sustentáveis - O que é material para a análise e decisão de investimentos? Dos princípios aos indicadores chaves de performance

Leia mais

UBS Brasil: Controle de riscos e capital Categoria: Controles de Risco

UBS Brasil: Controle de riscos e capital Categoria: Controles de Risco UBS Brasil: Controle de riscos e capital Categoria: Controles de Risco Responsável: Controle de Riscos Aprovação: BRCC Propósito deste documento Promover transparência quanto à estrutura de gestão de riscos

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

Planejamento e Gestão Orçamentária

Planejamento e Gestão Orçamentária GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS PETROBRAS Planejamento e Gestão Orçamentária José Antonio Neves Saraiva Gerência de Planejamento e Orçamento Estratégia e Desempenho Empresarial Dezembro 2009 1 CONFIDENCIAL

Leia mais

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins meramente informativos. É proibida a reprodução total ou

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros.

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros. Índice 1. Objetivo... 1 2. Escopo e Partes Afetadas... 1 3. Definições... 1 4. Princípios... 1 5. Objetivos, metas e programas... 2 6. Papéis e Responsabilidades... 5 7. Regulamentação Aplicável... 6 1.

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO

CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO Este Código de Ética é público e reúne diretrizes que norteiam o comportamento dos Conselheiros, Dirigentes e Colaboradores

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA Art. 1º. O Comitê de Auditoria ( Comitê ) é órgão estatutário de assessoramento vinculado diretamente ao Conselho de Administração, de caráter permanente, regido

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

Levantamento do Perfil de Governança e Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal

Levantamento do Perfil de Governança e Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal Fórum Gestão de Pessoas Levantamento do Perfil de Governança e Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal Fabiano Nijelschi G. Fernandes Auditor Federal de Controle Externo Secretaria de Fiscalização

Leia mais

Grupo Temático: Política Salarial. Empresa Coordenadora: Banco do Brasil S.A. Setembro 2014

Grupo Temático: Política Salarial. Empresa Coordenadora: Banco do Brasil S.A. Setembro 2014 Grupo Temático: Política Salarial Empresa Coordenadora: Banco do Brasil S.A. Setembro 2014 GT Política Salarial Empresas Participantes: (Coordenação) GT Política Salarial CONTEXTUALIZAÇÃO GT Política Salarial:

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI ENEGEP 2013 Relatórios de Sustentabilidade GRI 11 de Outubro 2013 1 Sustentabilidade, Sociedade e Mercado Recursos Ambientais Recursos Sociais SUS TENTA BILIDADE Recursos Econômico- Financeiros Adaptado

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Este documento contém elementos que se encontram protegidos por direitos autorais ou outros direitos de propriedade intelectual de titularidade da

Este documento contém elementos que se encontram protegidos por direitos autorais ou outros direitos de propriedade intelectual de titularidade da Este documento contém elementos que se encontram protegidos por direitos autorais ou outros direitos de propriedade intelectual de titularidade da PETROBRAS ou que lhe foram outorgados, sob licença ou

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 30/10/2014 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Referências... 4 4 Princípios... 4 5 Diretrizes... 5 5.1 Identificação dos riscos...

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A CAIXA A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Instituição integrante do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA

GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA O que é governança corporativa? Qual o motivo do crescente interesse pela governança corporativa? A quem interessa a governança corporativa? Trata-se de apenas mais um modismo? Francisco

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF

Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF Secretaria de Fiscalização de Pessoal Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF Fabiano Nijelschi Guercio Fernandes Auditor Federal de Controle Externo Brasília-DF, 25 de fevereiro de 2013

Leia mais

O que é Governança Corporativa?

O que é Governança Corporativa? O que é Governança Corporativa? O que é Governança Corporativa? Tradução literal de Corporate Governance conduz à percepção equivocada da abrangência e limites de aplicabilidade da Governança Corporativa.

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS TEGMA GESTÃO LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E PRINCÍPIOS GERAIS 2. DEFINIÇÕES 3. OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA 4. PERÍODO DE VEDAÇÕES ÀS NEGOCIAÇÕES 5. AUTORIZAÇÃO

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente.

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente. CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL 1 INTRODUÇÃO O Código de Ética Empresarial da COELCE, apresenta os princípios direcionadores das políticas adotadas pela empresa e que norteiam as ações e relações com suas

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

Implementação de um programa de Auditoria de Conduta & Ética - Caso MRS Logística S.A. Eduardo da Costa Azevedo MRS Logística S.A

Implementação de um programa de Auditoria de Conduta & Ética - Caso MRS Logística S.A. Eduardo da Costa Azevedo MRS Logística S.A Implementação de um programa de Auditoria de Conduta & Ética - Caso MRS Logística S.A. Eduardo da Costa Azevedo MRS Logística S.A MRS Logística S.A A MRS Logística é uma concessionária que controla, opera

Leia mais

Apresentação...4. Glossário...5. Princípios Éticos Suzano...6. Governança Corporativa...6. Integridade...7. Igualdade...9. Transparência...

Apresentação...4. Glossário...5. Princípios Éticos Suzano...6. Governança Corporativa...6. Integridade...7. Igualdade...9. Transparência... Índice Apresentação...4 Glossário...5 Princípios Éticos Suzano...6 Governança Corporativa...6 Integridade...7 Igualdade...9 Transparência...10 Desenvolvimento Sustentável...10 Valorização Profissional...11

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA PORTO SEGURO INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DESCRITIVO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA PORTO SEGURO INVESTIMENTOS RELATÓRIO DESCRITIVO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA PORTO SEGURO INVESTIMENTOS 1. CONTEXTO A Porto Seguro Investimentos é uma Instituição Financeira privada, constituída em 8 de abril de 1991,

Leia mais

Western Asset Management Company Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Limitada. Política de Gerenciamento de Risco Operacional

Western Asset Management Company Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Limitada. Política de Gerenciamento de Risco Operacional Western Asset Management Company Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Limitada Política de Gerenciamento de Risco Operacional Ratificada pela Reunião de Diretoria de 29 de abril de 2014 1 Introdução

Leia mais

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NORMA INTERNA TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NÚMERO VERSÃO DATA DA PUBLICAÇÃO SINOPSE Dispõe sobre

Leia mais

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Política de Governança Corporativa

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Política de Governança Corporativa 1/13 TÍTULO: CLASSIFICAÇÃO: REFERENCIAL NORMATIVO ASSUNTO: ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: Documento Executivo Resolução CGPC nº13/2004 Apresenta e especifica estrutura, componentes e mecanismos corporativa na

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO 1. O Comitê de Inovação (o "Comitê") é um órgão colegiado de assessoramento e instrução, instituído pelo

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO O QUE É GOVERNANÇA CORPORATIVA? Conselho de Família GOVERNANÇA SÓCIOS Auditoria Independente Conselho de Administração Conselho Fiscal

Leia mais

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6 Estratégia e Desenvolvimento Sustentável Aula 6 Prof. Marcos Rogério Maioli rogeriomaioli@grupouninter.com.br Investimentos com Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial MBA em Planejamento

Leia mais

CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87. Comitê de Auditoria Estatutário. Regimento Interno. Capítulo I Introdução

CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87. Comitê de Auditoria Estatutário. Regimento Interno. Capítulo I Introdução PÁGINA 1 DE 7 DO PÁGINA 1 DE 7 DO CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87 Comitê de Auditoria Estatutário Regimento Interno Capítulo I Introdução Artigo 1º. O Comitê de Auditoria Estatutário ( Comitê ou CAE ) da

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Relatório Sustainability de Sustentabilidade Report 2010 2010 Governança Corporativa O modelo governança da Light está definido em um Manual de Governança, composto por nove princípios e que é repassado

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

COMPLIANCE NO BRASIL

COMPLIANCE NO BRASIL COMPLIANCE NO BRASIL C OMPLIANCE NO A existência de um programa de compliance demonstra comprometimento com a ética e integridade na prática de negócios O Que É Compliance Compliance, termo em inglês muito

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

O Papel das Auditorias Internas e Externas na Governança das Empresas CRC CE, 16/10/2009

O Papel das Auditorias Internas e Externas na Governança das Empresas CRC CE, 16/10/2009 O Papel das Auditorias Internas e Externas na Governança das Empresas CRC CE, 16/10/2009 O Papel das Auditorias Internas e Externas na Governança das Empresas (*) Palestrante: Vinícius Sampaio (*) Contará

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 1 Destaques do levantamento de referências de associações internacionais Além dos membros associados, cujos interesses são defendidos pelas associações, há outras

Leia mais

CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI)

CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº xx, de XX de XXXXXXX de 2011.

Leia mais

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa 3 Metodologia Neste capítulo é descrita a metodologia da presente pesquisa, abordandose o tipo de pesquisa realizada, os critérios para a seleção dos sujeitos, os procedimentos para a coleta, o tratamento

Leia mais

Diretoria de Tecnologia Dr. Antônio Cesar Azevedo Neves

Diretoria de Tecnologia Dr. Antônio Cesar Azevedo Neves Diretoria de Tecnologia Dr. Antônio Cesar Azevedo Neves GOVERNANÇA CORPORATIVA Conceitos e Prática Alfredo Martini Neto Superintendente de Gestão do Conhecimento Agenda Conceito básico Origens e evolução

Leia mais