Problemas de Fluidos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Problemas de Fluidos"

Transcrição

1 Problemas de Fluidos DADOS: ρ água = g cm 3 γ água = 0,073 N m ρ mercúrio = 3,6 g cm 3 γ mercúrio = 0,54 N m ρ glicerina =,6 g cm 3 ρ ar =,5 kg m 3 g = 9,8 m s Densidade; Pressão; Tensão Superficial; Capilaridade - Qual é a massa de um litro de óleo de caroço de algodão cuja densidade é de 0,96 g cm 3? E o peso? - A massa de um litro de leite é,03 kg. A nata que ele contém tem uma densidade de 0,865 g cm 3, quando pura, e constitui 4% do volume do leite. Qual a densidade do leite desnatado? 3- A pressão atmosférica vale aproximadamente,03x0 5 Pa. Faça uma estimativa da intensidade da força que a atmosfera exerce sobre a sua cabeça. Expresse o resultado em N e em kgf. (Considere φ = 0 cm) 4- Uma pessoa de 60 kg está em pé sobre uma caixa leve e cúbica de 5 cm de aresta. A caixa está assente no chão. Qual a pressão que a caixa exerce sobre o chão? 5- Qual a força exercida pelo ar, em condições normais, na janela de uma sala, de dimensões,0 m x,5 m? 6- Uma ventosa, com um diâmetro de 0 cm, é aplicada no tecto, para pendurar diversos objectos. Determine o valor máximo de massa que pode ser pendurada, considerando que a pressão no interior da ventosa corresponde a /0 da pressão atmosférica. 7- Um insecto de água assenta sobre a superfície desta sem se afundar devido à tensão superficial. Se o insecto tiver seis patas, e cada pata estiver em contacto com a água num comprimento de 5 mm, qual o peso máximo, ou massa (em gramas), do insecto para que não se afunde? 8- A que altura sobe acima do nível do reservatório de água (a 0 ºC) num tubo de vidro de diâmetro interno,0 mm? 9- Calcule a depressão aproximada do mercúrio a 0 ºC num tubo capilar de raio,5 mm. A tensão superficial ( γ ) para o mercúrio é de 0,54 N m a 0 ºC, a sua densidade é de 3,6 g cm 3 e o ângulo de contacto 40º.

2 Lei Fundamental da Hidrostática; Medidores de Pressão; Lei de Pascal Prensa hidráulica 0- Um dique, que protegia New Orleans, tinha uma fuga por um orifício de cm de área, a m de profundidade abaixo da superfície da água. Com que força deveria apertar uma pessoa sobre o orifício para deter a fuga? Expresse o resultado em kgf. - Determine a pressão no fundo de um tanque 50 kpa com glicerina sob pressão (Figura ao lado) Glicerina,0 m - No séc. XVII, Pascal realizou a seguinte experiência: encheu com água um barril de vinho, ao qual conectou um tubo longo, onde foi acrescentando água até que rebentou o barril. a) Se o raio da tampa fosse 0 cm e a altura do tubo m, que força exercia a água sobre a tampa? b) Qual a massa dessa água, se o tubo tivesse de diâmetro interno 6 mm? 3- A que altura a água poderia subir na canalização de um prédio, se a medida da pressão da água no andar de térreo fosse 70 kpa? F 4- Numa prensa hidráulica como a da figura ao lado, o pistão maior A A tem uma área de secção transversal de 00 cm e o menor tem F uma área de 5 cm. Se uma pessoa de 50 kgf se colocar no pistão menor, calcule a força F no pistão maior. 5- Para o sistema ao lado, o cilindro da esquerda, em L, tem uma massa de 600 kg e uma secção de 800 cm. O pistão da direita, L 600 kg S em S, tem uma secção de 5 cm e peso desprezável. Se o sistema 8 m for enchido com óleo (densidade = 0,78 g cm 3 ), calcule a força F necessária para manter o sistema em equilíbrio. Lei de Arquimedes Impulsão; Equação da Continuidade em Estado Estacionário e Não Estacionário; Equação de Bernoulli 6- Um densímetro pesa 0,06 N e tem na extremidade superior uma haste cilíndrica de,8 mm de diâmetro. Quanto mais fundo flutuará em óleo de densidade relativa 0,780 do que em álcool de densidade relativa 0,8? (Este instrumento tem vários nomes, consoante a escala de calibração: Pesa Mosto (saber a quantidade de açúcar no mosto); Pesa Sais (saber a densidade de líquidos mais densos que a água); Pesa Vinho (uma espécie de enómetro, permite saber o álcool presente no vinho).

3 7- Um pedaço de uma certa liga pesa 86 gf no ar e 73 gf quando imerso em água. Calcule o seu volume e a sua densidade. 8- Uma tampa de vidro pesa,50 gf no ar,,50 gf na água e 0,70 gf no ácido sulfúrico. Qual é a densidade do ácido? E a sua densidade relativa? 9- Suspeita-se que um pedaço de ouro puro (ρ = 9,3 g cm 3 ) tenha o centro oco. Ele pesa 38,5 gf no ar e 36, gf na água. O objecto é oco ou maciço? 0- Quando 0,03 m 3 s de um fluido ideal se escoam através de um tubo de 300 mm que mais tarde se reduz a um tubo de diâmetro 50 mm, calcule as velocidades médias nos dois tubos. - Se a velocidade, de um fluido ideal, num tubo de 300 mm for de 0,50 m s, qual será a velocidade num jacto de 75 mm de diâmetro saindo de um bocal fixo ao tubo? - Se 50 cm 3 de um fluido ideal se escoarem por um tubo de 7 mm, em 7 s, qual a velocidade média do fluido no tubo? 3- A mangueira de um jardim possui um diâmetro de cm e está ligada a um irrigador que consiste num recipiente munido de 0 orifícios, cada um dos quais com diâmetro de 0,4 cm. A velocidade da água na mangueira vale 0,85 m s. Calcule a velocidade da água ao sair dos orifícios. 4- Um tubo cilíndrico transporta óleo. A densidade do óleo vale 0,85 g cm 3. Ao passar pela secção recta do tubo, a velocidade é constante e igual a, m s. O diâmetro vale 0 cm. Calcule: (a) o caudal; (b) o fluxo de massa. 5- No aparelho ao lado, uma misturadora, alimenta-se água através do tubo A, a um caudal de 0,0 m 3 s, enquanto que glicerina, cuja densidade relativa é de,6, é alimentada pelo tubo B a um débito de 0,030 m 3 s. A emulsão, de densidade relativa,05, sai pelo tubo C de 30 cm de diâmetro Determine a produção ao fim de uma hora, a) em litros; A C b) em kg. A B 6- Água está a fluir para dentro do tanque paralelipédico A. A base B deste tanque é quadrada, de aresta,5 m. O caudal na conduta () que alimenta o tanque A, é de 3,55 m 3 s. A água escoa-se para o tanque B, também de base quadrada com aresta de,5 m, com h A h B um caudal de,8 m 3 s. Determine: a) a variação do nível de água no tanque A em função do tempo; 3 b) o tempo que demora a encher o tanque A (h=,5 m); b) c) o caudal que atravessa a secção (3), sabendo que a superfície livre do tanque B desce a uma velocidade de 6, cm s.,5 m,5 m

4 7- Um tubo horizontal onde ocorre um escoamento de água tem um estrangulamento, com mostra a figura ao lado. No ponto, o diâmetro vale 6 cm, a velocidade m s e a pressão 80 kpa. No ponto, o diâmetro vale cm. Determine a velocidade e a pressão no ponto. 8- Num tubo de Venturi, equipado com um manómetro de mercúrio, o ponto tem o diâmetro de cm, enquanto que no ponto o diâmetro é 6 cm. Qual o fluxo Q de água no tubo de Venturi, se a leitura no manómetro for cm? (A densidade do mercúrio é igual a 3,6 g cm 3.) 9- Que volume de água sairá, por minuto, de um tanque destapado através de uma abertura de 3 cm de diâmetro que está 5 m abaixo do nível da água no tanque? 5 m 30- Um tubo de Pitot é montado na asa de um avião para determinar a velocidade do aparelho em relação ao ar, que está à temperatura de 0 ºC. O tubo contém álcool e indica uma diferença de altura nos níveis de 6 cm. Qual a velocidade do avião em relação ao ar? Considere a densidade do álcool igual a 8,x0 kg m 3. FLUIDOS REAIS: Lei de Poiseuille; Número de Reynolds 3- Quanta água se escoará em 30 s, através de um tubo capilar de 00 mm de comprimento e de diâmetro interno,5 mm, se a diferença de pressão através do tubo é de 5 cm-hg? A viscosidade da água é 0,80 cp e a densidade do mercúrio, 3,6 g cm Uma artéria de uma pessoa foi reduzida a metade do seu diâmetro original devido a depósitos na parede interna. Qual o factor de redução do fluxo de sangue, se a diferença de pressão ao longo da artéria permanecer inalterada? 33- Determine a velocidade crítica de um escoamento, a 0 ºC, num tubo de 0 mm (a) para a gasolina; (b) para a água. (Viscosidade: 6,48x0-7 m s gasolina;,0x0-6 m s água.) 34- Determine o tipo de escoamento que ocorre num tubo de 305 mm quando (a) água a 5 ºC escoa a uma velocidade de,07 m s, e (b) óleo combustível pesado, a 5 ºC, escoa à mesma velocidade. (Viscosidade:,3x0-7 m s água; 0,53x0-5 m s óleo combustível.) 35- Para condições de escoamento laminar, que diâmetro de tubo conduzirá 0,0057 m 3 s de óleo combustível a 4 ºC? (viscosidade = 6,09x0-6 m s ) Bibliografia: Física Geral, Frederick J. Bueche, Schaum McGraw-Hill, São Paulo Brasil, 983 Mecânica de Fluidos e Hidráulica, R. V. Giles & et. al., Makron Books, Brasil, 996 Engineering Fluid Mechanics, J. A. Roberson & C. T. Crowe, Wiley & Sons, 997

5 ) 0,9 kg ; 9 N ),039 g cm 3 3) 8,0 x0 N; 80 kgf 4) x 0 5 Pa 5) ) 73 kg 7) 0, g 8) 7,4 mm 9) 8 mm 0) 4 m (óleo) ; 8 m (água) ) 75 kpa ) 3 atm 3) 7 m 4) 000 kgf 5) 84 N 6) h =,05 h 7) 3 cm 3 ; 6,6 g cm 3 8),8 g cm 3 ;,8 SOLUÇÕES Procurou-se Respeitar os Algarismos Significativos 9) 0,05 cm 3 (Densidade do objecto = 8,8 g cm 3. O objecto é oco. 0) v = 0,4 m s ; v =,70 m s ) 8 m s ) 0,9 m s 3) 9 m s 4) 9,4 l s ; 8,0 kg s 5) 4,7 x 0 5 litros; 5,0 x 0 5 kg 6) a) + 77 cm s ; b) 4,3 min c), m 3 s 7) 8 m s ; 0 kpa 8) 0,0 m 3 s 9) 0,4 m 3 min 30) 00 km h 3) 55 cm 3 3) 0,06 33) 0,065 m s ; 0,0 m s 34) a) escoamento turbulento; b) escoamento laminar 35) 0,60 m

Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos

Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos 49 Unidade V - Estática e Dinâmica dos Fluidos fig. V.. Atmosfera terrestre é uma camada essencialmente gasosa um fluido. Na segunda parte da figura podemos ver a um fluido em movimento escoando em um

Leia mais

1ª Lista de exercícios de Física 2 ( Fluidos)

1ª Lista de exercícios de Física 2 ( Fluidos) Unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Sorocaba Engenharia Ambiental Profa. Maria Lúcia Antunes 1ª Lista de exercícios de Física 2 ( Fluidos) 1) Encontre o aumento de pressão de um fluido em uma

Leia mais

Perguntas. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II

Perguntas. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II Perguntas Lista de Exercícios - FLUIDOS 1. A figura 1 mostra um tanque cheio de água.

Leia mais

Mecânica dos Fluidos PROF. BENFICA benfica@anhanguera.com www.marcosbenfica.com

Mecânica dos Fluidos PROF. BENFICA benfica@anhanguera.com www.marcosbenfica.com Mecânica dos Fluidos PROF. BENFICA benfica@anhanguera.com www.marcosbenfica.com LISTA 2 Hidrostática 1) Um adestrador quer saber o peso de um elefante. Utilizando uma prensa hidráulica, consegue equilibrar

Leia mais

Física Parte 2. Fórmulas para obtenção das grandezas: 1.Superfície 2.Volume 3.Densidades 4.Vazão 5.Pressão 6.Teorema de Pascal 7.

Física Parte 2. Fórmulas para obtenção das grandezas: 1.Superfície 2.Volume 3.Densidades 4.Vazão 5.Pressão 6.Teorema de Pascal 7. Física Parte 2 Fórmulas para obtenção das grandezas: 1.Superfície 2.Volume 3.Densidades 4.Vazão 5.Pressão 6.Teorema de Pascal 7.Empuxo Introdução A memorização de unidades para as diversas grandezas existentes

Leia mais

Mecânica dos Fluidos Fundamentos da Cinemática dos Fluidos

Mecânica dos Fluidos Fundamentos da Cinemática dos Fluidos Mecânica dos Fluidos Fundamentos da Cinemática dos Fluidos Prof. Dr. Gabriel L. Tacchi Nascimento O que estuda a Cinemática? A cinemática dos fluidos estuda o movimento dos fluidos em termos dos deslocamentos,

Leia mais

II. MECÂNICA DOS FLUIDOS

II. MECÂNICA DOS FLUIDOS FÍSICA APICADA 1. HIDROSTÁTICA II. MECÂNICA DOS FLUIDOS. 1 - Introdução Os fluidos estão presentes de maneira vital em nossa vida, basta lembrarmos que o nosso corpo é formado quase que exclusivamente

Leia mais

ESTÁTICA DE FLUIDOS. Introdução e Revisão de conceitos básicos

ESTÁTICA DE FLUIDOS. Introdução e Revisão de conceitos básicos ESTÁTCA DE FLUDOS ntrodução e Revisão de conceitos básicos Em qualquer ponto da superfície de um corpo submerso, a força exercida pelo fluido estático é perpendicular à superfície do objecto. A pressão

Leia mais

Universidade do Algarve

Universidade do Algarve Universidade do Algarve Departamento de Física Problemas de Mecânica de Fluidos Orlando Camargo Rodríguez 12 de Setembro de 2005 Capa: Waterval (Queda d água) por: M.C. Escher 2 1 Hidrostática Problema

Leia mais

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013. Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013. Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir. DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013 Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.br Ji-Paraná - 2013 Porque a água atinge o seu ponto máximo em 3,98

Leia mais

Os líquidos escoam sob a ação da gravidade até ocuparem as regiões mais baixas possíveis dos vasos que os contêm.

Os líquidos escoam sob a ação da gravidade até ocuparem as regiões mais baixas possíveis dos vasos que os contêm. 90 CAPÍTULO 6 6.1 Definição Os fluidos compreendem os líquidos e os gases. Os líquidos escoam sob a ação da gravidade até ocuparem as regiões mais baixas possíveis dos vasos que os contêm. Os gases se

Leia mais

Exercícios de Física Hidrostática

Exercícios de Física Hidrostática Exercícios de Física Hidrostática 01) Os chamados "Buracos Negros", de elevada densidade, seriam regiões do Universo capazes de absorver matéria, que passaria a ter a densidade desses Buracos. Se a Terra,

Leia mais

HIDROSTÁTICA PRESSÃO DENSIDADE RELATIVA. MASSA ESPECÍFICA (densidade absoluta) TEOREMA FUNDAMENTAL DA HIDROSTÁTICA (Teorema de Stevin)

HIDROSTÁTICA PRESSÃO DENSIDADE RELATIVA. MASSA ESPECÍFICA (densidade absoluta) TEOREMA FUNDAMENTAL DA HIDROSTÁTICA (Teorema de Stevin) Física Aula 05 Prof. Oromar UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS DO

Leia mais

Exercícios do capítulo 2. Segundo semestre de 2010

Exercícios do capítulo 2. Segundo semestre de 2010 Exercícios do capítulo 2 Segundo semestre de 2010 1. (UFOP-93) Para se medir a pressão absoluta de um gás (p gás_abs ) usa-se um manômetro, que consiste de um tubo em forma de U contendo Hg (r=13,6x10

Leia mais

LABORATÓRIO - FENÔMENOS DE TRANSPORTE

LABORATÓRIO - FENÔMENOS DE TRANSPORTE UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA LABORATÓRIO - FENÔMENOS DE TRANSPORTE PROFESSORA ANDREZA KALBUSCH PROFESSORA

Leia mais

LISTA de HIDROSTÁTICA PROFESSOR ANDRÉ

LISTA de HIDROSTÁTICA PROFESSOR ANDRÉ LISTA de HIDROSTÁTICA PROFESSOR ANDRÉ 1. (Unesp 013) Seis reservatórios cilíndricos, superiormente abertos e idênticos (A, B, C, D, E e F) estão apoiados sobre uma superfície horizontal plana e ligados

Leia mais

Equipamentos de Controle

Equipamentos de Controle Departamento de Química Aula 5 Equipamentos de Controle Parte 2 Prof.: Gisele Fátima Morais Nunes Disciplina: Operações Unitárias I Curso: Técnico em Química Módulo III 1 semestre de 2015 Introdução Temas

Leia mais

MECÂNICA DE FLUIDOS (MFL)

MECÂNICA DE FLUIDOS (MFL) CAMPUS SÃO JOSÉ ÁREA TÉCNICA DE REFRIGERAÇÃO E CONDICIONAMENTO DE AR MECÂNICA DE FLUIDOS (MFL) Volume I Prof. Carlos Boabaid Neto, M. Eng. 2011 2 INTRODUÇÃO À MECÂNICA DOS FLUIDOS A Mecânica dos Fluidos

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 3 Estática dos Fluidos, Definição de Pressão. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 3 Estática dos Fluidos, Definição de Pressão. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 3 Estática dos Fluidos, Definição de Pressão Tópicos Abordados Nesta Aula Estática dos Fluidos. Definição de Pressão Estática. Unidades de Pressão. Conversão de Unidades de Pressão. Estática dos Fluidos

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 10 Escoamento Laminar e Turbulento. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 10 Escoamento Laminar e Turbulento. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 10 Escoamento Laminar e Turbulento Tópicos Abordados Nesta Aula Escoamento Laminar e Turbulento. Cálculo do Número de Reynolds. Escoamento Laminar Ocorre quando as partículas de um fluido movem-se

Leia mais

SÉRIE DE EXERCÍCIOS HIDROSTÁTICA

SÉRIE DE EXERCÍCIOS HIDROSTÁTICA Prof. Deidimar Alves Brissi http://www.deidimar.pro.br 1 SÉRIE DE EXERCÍCIOS HIDROSTÁTICA 1. Durante uma tempestade de 20 minutos, 10 mm de chuva caíram sobre uma região cuja área total é 100 km 2. Sendo

Leia mais

Hidrodinâmica Equação de Torricelli

Hidrodinâmica Equação de Torricelli Hidrodinâmica Equação de Torricelli Objetivo Comprovar a equação de Torricelli para hidrodinâmica através do movimento parabólico de um jato de água. Introdução Seja um fluido escoando através de um tubo

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:17. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:17. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade Ludwig Maximilian de Munique, Alemanha Universidade Federal

Leia mais

A Equação de Bernoulli

A Equação de Bernoulli Aula 4 A equação de Bernoulli Objetivos O aluno deverá ser capaz de: Descrever a dinâmica de escoamento de um fluido. Deduzir a Equação de Bernoulli. Aplicar a Equação de Bernoulli e a Equação da Continuidade

Leia mais

!"#$%&'()*+,-'#&*'!-./0+-+*'11! 234252346'728'9/:/*.0/;!

!#$%&'()*+,-'#&*'!-./0+-+*'11! 234252346'728'9/:/*.0/;! "#$%&'()*+,-'#&*'-./0+-+*'11 234252346'728'9/:/*.0/; A'CD9'AEBF1A19'11 Programa "#$%&'(%&)*+%*,-%./01%23,43*56 7%&*8)*,-%.90134 $).(3:8)+%(%&1*0)* ;&3-143.1+3+%?@,3:8)+%A),&

Leia mais

Buscando o equilíbrio

Buscando o equilíbrio Volume 1 Módulo 2 Física Unidade 10 Buscando o equilíbrio Para início de conversa... No dia a dia, é comum ouvirmos falar na importância de manter o equilíbrio. Esta é uma expressão que pode dar margem

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE NÍVEL

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE NÍVEL INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE NÍVEL Introdução A medição de nível.engloba, também, a medição do volume e do peso de líquidos e sólidos contidos em recipientes. Basicamente, a medição

Leia mais

Pressão Estática, de Estagnação e Dinâmica

Pressão Estática, de Estagnação e Dinâmica Pressão Estática, de Estagnação e Dinâmica p V gz cte p 1 V z cte A pressão p que aparece na equação de Bernoulli é a pressão termodinâmica, comumente chamada de pressão estática. Para medirmos p, poderíamos

Leia mais

Volumes Exemplo1: Exemplo2:

Volumes Exemplo1: Exemplo2: Volumes Exemplo1: Esta garrafa está cheia. Ela contém 90 mililitros (90 ml) de refrigerante: Volume 90 ml Isso significa que 90 ml é a quantidade de líquido que a garrafa pode armazenar: Capacidade 90

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Prof. Engº Franco Brunetti.

Mecânica dos Fluidos. Prof. Engº Franco Brunetti. Mecânica dos Fluidos. Prof. Engº Franco Brunetti. Resolução dos Exercícios. Por Josenei Godoi( Dúvidas,sugestões ou correções enviar email para joseneigodoi@yahoo.com.br). Resumo de fórmulas: - Tensão

Leia mais

Lista de Exercícios #3 Retirados do livro Mecânica dos Fluidos Frank M. White 4ª e 6ª Edições

Lista de Exercícios #3 Retirados do livro Mecânica dos Fluidos Frank M. White 4ª e 6ª Edições Lista de Exercícios #3 Retirados do livro Mecânica dos Fluidos Frank M. White 4ª e 6ª Edições 3.3 Para escoamento permanente com baixos números de Reynolds (laminar) através de um tubo longo, a distribuição

Leia mais

As forças atrativas entre duas moléculas são significativas até uma distância de separação d, que chamamos de alcance molecular.

As forças atrativas entre duas moléculas são significativas até uma distância de separação d, que chamamos de alcance molecular. Tensão Superficial Nos líquidos, as forças intermoleculares atrativas são responsáveis pelos fenômenos de capilaridade. Por exemplo, a subida de água em tubos capilares e a completa umidificação de uma

Leia mais

Módulo I Conceitos Fundamentais e Sistemas de Unidades

Módulo I Conceitos Fundamentais e Sistemas de Unidades Módulo I Conceitos Fundamentais e Sistemas de Unidades Introdução A termodinâmica é a ciência que trata da energia. Apesar de facilmente podermos entender a energia é difícil defini-la com exatidão. Podemos

Leia mais

3.12 Simulação de Experiência de Reynolds. Na execução desta experiência, evocamos os seguintes conceitos:

3.12 Simulação de Experiência de Reynolds. Na execução desta experiência, evocamos os seguintes conceitos: 196 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos 3.12 Simulação de Experiência de Reynolds Além de simular a experiência de Reynolds, objetivamos mostrar uma das muitas possibilidades de construção de uma bancada

Leia mais

HIDRODINÂMICA CONDUTOS SOB PRESSÃO

HIDRODINÂMICA CONDUTOS SOB PRESSÃO HIDRODINÂMICA CONDUTOS SOB PRESSÃO CONDUTOS SOB PRESSÃO Denominam-se condutos sob pressão ou condutos forçados, as canalizações onde o líquido escoa sob uma pressão diferente da atmosférica. As seções

Leia mais

Fluidos FLUIDOS. A Mecânica dos Fluidos estuda o comportamento de fluidos em repouso e em movimento.

Fluidos FLUIDOS. A Mecânica dos Fluidos estuda o comportamento de fluidos em repouso e em movimento. FLUIDOS A Mecânica dos Fluidos estuda o comportamento de fluidos em repouso e em movimento. Porquê estudar Fluidos? Fluido é o ar que respiramos, a água que bebemos... O sangue, o mar, a atmosfera, são

Leia mais

LISTA 2. 4. y = e 2 x + y 1, y(0) = 1

LISTA 2. 4. y = e 2 x + y 1, y(0) = 1 MAT 01167 Equações Diferenciais LISTA Resolva: 1. x y y = x sen x. y + y tan x = x sen x cos x, y0) =. x + 1) dy dx x y = 1 4. y = e x + y 1, y0) = 1 5. x y + x + x + ) dy dx = 0 ) x 6. Resolva a equação

Leia mais

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra.

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. FÍSIC 1 nalise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. Esse circuito é composto por condutores ideais (sem

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 2 Propriedades dos Fluidos. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 2 Propriedades dos Fluidos. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 2 Propriedades dos Fluidos Tópicos Abordados Nesta Aula Propriedades dos Fluidos. Massa Específica. Peso Específico. Peso Específico Relativo. Alfabeto Grego Propriedades dos Fluidos Algumas propriedades

Leia mais

Gravitação universal, estática e hidrostática

Gravitação universal, estática e hidrostática É melhor lançar-se à luta em busca do triunfo, mesmo expondo-se ao insucesso, do que ficar na fila dos pobres de espírito, que nem gozam muito nem sofrem muito, por viverem nessa penumbra cinzenta de não

Leia mais

1. Nesta figura, está representada, de forma esquemática, a órbita de um cometa em torno do Sol:

1. Nesta figura, está representada, de forma esquemática, a órbita de um cometa em torno do Sol: 1. Nesta figura, está representada, de forma esquemática, a órbita de um cometa em torno do Sol: Nesse esquema, estão assinalados quatro pontos P, Q, R ou S da órbita do cometa. a) Indique em qual dos

Leia mais

Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química

Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química Físico-Química Experimental I Bachaado em Química Engenharia Química Prof. Dr. Sergio Pilling Prática 4 Determinação da Viscosidade de Líquidos. Tipos de viscosímetros. Viscosidade ativa, viscosidade intrínseca

Leia mais

Tecnologia do Vácuo 1. INTRODUÇÃO

Tecnologia do Vácuo 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A automação dos processos industriais de produção vem crescendo dia após dia e, com ela, a necessidade do emprego de novas tecnologias cujo objetivo, na maior parte das vezes, busca substituir

Leia mais

Disciplina: FÍSICA 1º Trimestre Ensino Médio. Série: 2ª Turma: Data: /03/2013 Professora BERENICE HELENA WIENER STENSMANN Assunto: Estudo Complementar

Disciplina: FÍSICA 1º Trimestre Ensino Médio. Série: 2ª Turma: Data: /03/2013 Professora BERENICE HELENA WIENER STENSMANN Assunto: Estudo Complementar Disciplina: FÍSICA 1º Trimestre Ensino Médio Nome: Nº.: Série: 2ª Turma: Data: /03/2013 Professora BERENICE HELENA WIENER STENSMANN Assunto: Estudo Complementar BOM TRABALHO RESUMO: Estude os polígrafos

Leia mais

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

EXPERIÊNCIA Nº 4 ESTUDO DE UM TROCADOR DE CALOR DE FLUXO CRUZADO

EXPERIÊNCIA Nº 4 ESTUDO DE UM TROCADOR DE CALOR DE FLUXO CRUZADO EXPERIÊNCIA Nº 4 ESTUDO DE UM TROCADOR DE CALOR DE FLUXO CRUZADO 1. CONCEITOS ENVOLVIDOS Convecção de calor em escoamento externo; Transferência de calor em escoamento cruzado; Camada limite térmica; Escoamento

Leia mais

HIDROSTÁTICA. - Peso específico: grandeza escalar definida pela razão entre o peso e o volume de uma substância. Unidade no SI:

HIDROSTÁTICA. - Peso específico: grandeza escalar definida pela razão entre o peso e o volume de uma substância. Unidade no SI: HIDROSTÁTICA A Hidrostática é a área da física que estuda as forças atuantes em fluidos em equilíbrio. Por isso, pode também ser chamada de Fluidostática, apesar de o primeiro nome ser recorrentemente

Leia mais

Física Fascículo 06 Eliana S. de Souza Braga

Física Fascículo 06 Eliana S. de Souza Braga Física Fascículo 06 Eliana S. de Souza Braga Índice Estática e hidrostática Resumo Teórico...1 Exercícios...2 Gabarito...5 Estática e hidrostática Resumo Teórico Estática do ponto material: Equilíbrio

Leia mais

Lista B - Data da prova: 01/11/2011. 4. Calcular o momento de inércia de uma

Lista B - Data da prova: 01/11/2011. 4. Calcular o momento de inércia de uma Universidade Estadual do Centro-Oeste Campus Universitário Centro Politécnico - CEDETEG Setor de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Física Curso: Química Série: 1 o Ano de 2011 Disciplina:

Leia mais

UFSC Universidade Federal de Santa Catarina Depto De Eng. Química e de Eng. De Alimentos EQA 5313 Turma 645 Op. Unit. de Quantidade de Movimento

UFSC Universidade Federal de Santa Catarina Depto De Eng. Química e de Eng. De Alimentos EQA 5313 Turma 645 Op. Unit. de Quantidade de Movimento UFC Universidade Federal de anta Catarina Depto De Eng. Química e de Eng. De Alimentos EQA 5 Turma 645 Op. Unit. de Quantidade de Movimento FLUIDIZAÇÃO A fluidização baseia-se fundamentalmente na circulação

Leia mais

LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA

LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE TECNOLOGIA LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA Vladimir Caramori Josiane Holz Irene Maria Chaves Pimentel Guilherme Barbosa Lopes Júnior Maceió - Alagoas Março de 008 Laboratório

Leia mais

2 O trabalho da força elástica é independente da trajetória do seu ponto de aplicação. IFSUL CAMPUS VISCONDE DA GRAÇA 1 FÍSICA 2º ANO

2 O trabalho da força elástica é independente da trajetória do seu ponto de aplicação. IFSUL CAMPUS VISCONDE DA GRAÇA 1 FÍSICA 2º ANO TRABALHO E POTÊNCIA 1- TRABALHO DE UMA FORÇA CONSTANTE. O trabalho de uma força é a medida da energia que a força transfere num deslocamento. Considerando uma situação pratica na qual uma pessoa puxa uma

Leia mais

Departamento Formação Básica Engenharia Civil Disciplina. Matéria. Fenômenos de Transporte. Código. Carga Horária (horas-aula) 120

Departamento Formação Básica Engenharia Civil Disciplina. Matéria. Fenômenos de Transporte. Código. Carga Horária (horas-aula) 120 Departamento Curso Formação Básica Engenharia Civil Disciplina Código Fenômenos de Transporte BT1 Docentes José Gabriel França Simões (Prof. Responsável) Adriana L. S. Domingues Matéria Fenômenos de Transporte

Leia mais

OBJETIVOS: Mostrar o comportamento das correntes de ar e pressão através do gerador de fluxo de ar.

OBJETIVOS: Mostrar o comportamento das correntes de ar e pressão através do gerador de fluxo de ar. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UF PI CENTRO DE CIÊNCIAS DANATUREZA CCN DEPARTAMENTO DE FÍSICA DISCIPLINA: FÍSICA EXPERIMENTAL II PROF. : JEREMIAS ARAÚJO Prática V: APLICAÇÕES DA EQUAÇÃO DE BERNOULLI OBJETIVOS:

Leia mais

Projeto de Física II Tubo de Pitot Engenharia Ambiental Junho/2013 Aline Cristine Bruno Machado Gabriel da Franca Ivan Berlim Vitor Nakamoto

Projeto de Física II Tubo de Pitot Engenharia Ambiental Junho/2013 Aline Cristine Bruno Machado Gabriel da Franca Ivan Berlim Vitor Nakamoto Projeto de Física II Tubo de Pitot Engenharia Ambiental Junho/2013 Aline Cristine Bruno Machado Gabriel da Franca Ivan Berlim Vitor Nakamoto I. Objetivo O objetivo deste projeto era montar um tubo de Pitot,

Leia mais

1.1.2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS

1.1.2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE AGRONOMIA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS SETOR DE ENGENHARIA RURAL Prof. Adão Wagner Pêgo Evangelista 1.1.2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS A) MASSA ESPECÍFICA

Leia mais

Módulo 06 - VISCOSÍMETRO DE STOKES

Módulo 06 - VISCOSÍMETRO DE STOKES Módulo 06 - VISCOSÍMETRO DE STOKES Viscosímetros são instrumentos utilizados para medir a viscosidade de líquidos. Eles podem ser classificados em dois grupos: primário e secundário. No grupo primário

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Espcex (Aman) 2014) Um cubo maciço e homogêneo, com 40 cm de aresta, está em equilíbrio estático flutuando em uma piscina, com parte de seu volume submerso, conforme desenho abaixo. Sabendo-se que

Leia mais

Processos em Engenharia: Modelagem Matemática de Sistemas Fluídicos

Processos em Engenharia: Modelagem Matemática de Sistemas Fluídicos Processos em Engenharia: Modelagem Matemática de Sistemas Fluídicos Prof. Daniel Coutinho coutinho@das.ufsc.br Departamento de Automação e Sistemas DAS Universidade Federal de Santa Catarina UFSC DAS 5101

Leia mais

b) Calcule as temperaturas em Kelvin equivalentes às temperaturas de 5,0 ºC e 17,0 ºC.

b) Calcule as temperaturas em Kelvin equivalentes às temperaturas de 5,0 ºC e 17,0 ºC. Questão 1 A pressão P no interior de um fluido em equilíbrio varia com a profundidade h como P = P 0 + ρgh. A equação dos gases ideais relaciona a pressão, o volume e a temperatura do gás como PV = nrt,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO GRÉ MATA NORTE UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO CAMPUS MATA NORTE ESCOLA DE APLICAÇÃO PROFESSOR CHAVES LISTA DE EXERCÍCIOS ALUNO(A): Nº NAZARÉ DA MATA, DE DE 2015 2º ANO ESTUDO

Leia mais

Medição de vazão. Aplicações. Características especiais. Descrição

Medição de vazão. Aplicações. Características especiais. Descrição Medição de vazão Bocal de vazão para instalação interna na tubulação, modelo FLC-FN-PIP Bocal de vazão para montagem entre flanges, modelo FLC-FN-FLN WIKA folha de dados FL 10.03 Aplicações Geração de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ALGARVE EXERCÍCIOS DE BIOFÍSICA. Curso de Radiologia

UNIVERSIDADE DO ALGARVE EXERCÍCIOS DE BIOFÍSICA. Curso de Radiologia UNIVERSIDADE DO ALGARVE EXERCÍCIOS DE BIOFÍSICA Curso de Radiologia Nota: Todas as soluções estão em unidades SI, à excepção dos problemas em que é pedido especificamente uma outra unidade. 1. Considere

Leia mais

LUPATECH S.A Unidade Metalúrgica Ipê

LUPATECH S.A Unidade Metalúrgica Ipê CAVITAÇÃO 1. Descrição: Para melhor entendimeto iremos descrever o fenomeno Cavitação Cavitação é o nome que se dá ao fenômeno de vaporização de um líquido pela redução da pressão, durante seu movimento.

Leia mais

MECÂNICA DE FLUIDOS (MFL)

MECÂNICA DE FLUIDOS (MFL) CAMPUS SÃO JOSÉ ÁREA TÉCNICA DE REFRIGERAÇÃO E CONDICIONAMENTO DE AR MECÂNICA DE FLUIDOS (MFL) Volume II Dinâmica de Fluidos Prof. Carlos Boabaid Neto, M. Eng. 0 DINÂMICA DOS FLUIDOS O presente Volume

Leia mais

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02

QUESTÃO 01. a) Qual a temperatura do forno? b) Qual a variação de energia interna do bloco do latão. QUESTÃO 02 Quando necessário considere: g = 10 m/s 2, densidade da água = 1 g/cm 3, 1 atm = 10 5 N/m 2, c água = 1 cal/g. 0 C, R = 8,31 J/mol.K, velocidade do som no ar = 340 m/s e na água = 1500 m/s, calor específico

Leia mais

TERMODINÂMICA Exercícios

TERMODINÂMICA Exercícios Escola Superior de Tecnologia de Abrantes TERMODINÂMICA Exercícios Professor: Eng. Flávio Chaves Ano lectivo 2003/2004 ESCALAS DE PRESSÃO Problema 1 Um óleo com uma massa específica de 0,8 kg/dm 3 está

Leia mais

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Matemática e suas Tecnologias Matemática

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Matemática e suas Tecnologias Matemática Atividade extra Exercício 1 A figura ilustra a planificação da superfície lateral de um cilindro reto de 10 metros de altura. Considere π = 3,14. Qual o valor da área total desse cilindro, em metros quadrados?

Leia mais

ROTEIRO DE EXPERIMENTOS ENG1580

ROTEIRO DE EXPERIMENTOS ENG1580 COORDENAÇÃO DO LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE EXPERIMENTAL ROTEIRO DE EXPERIMENTOS ENG1580 LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE EXPERIMENTAL PROFESSORA: JORDANA MOURA CAETANO GOIÂNIA, GO 2015-1

Leia mais

Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente.

Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente. Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente. Conservação da Massa A massa, assim como a energia, é uma propriedade que se conserva,

Leia mais

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Curso: Técnico em Mecânica Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Prof. Evandro Rodrigo Dário, Dr. Eng. Estrutura da aula Introdução O circuito H&P quanto ao fluido Aplicações e exemplos

Leia mais

Exercícios de FTC Prof.: Doalcey Antunes Ramos

Exercícios de FTC Prof.: Doalcey Antunes Ramos Exercícios de FTC Prof.: Doalcey Antunes Ramos 1- Numa tubulação escoa hidrogênio (R = 4122m²/s²K). Em uma seção (1), p 1 = 3x10 5 Pa e T 1 = 30 C. Ao longo da tubulação a temperatura mantém-se constante.

Leia mais

metro Anemómetro Um dos instrumentos utilizados na medição da velocidade do vento à superfície são os anemómetros metros de conchas (um tipo

metro Anemómetro Um dos instrumentos utilizados na medição da velocidade do vento à superfície são os anemómetros metros de conchas (um tipo Instrumentos Um dos instrumentos utilizados na medição da velocidade do vento à superfície são os anemómetros metros de conchas (um tipo particular de anemómetros metros de rotação), em que três ou mais

Leia mais

NOÇÕES DE HIDRÁULICA E MECÂNICA DOS FLUÍDOS Fonte: Jacuzzi do Brasil

NOÇÕES DE HIDRÁULICA E MECÂNICA DOS FLUÍDOS Fonte: Jacuzzi do Brasil NOÇÕES DE HIDRÁULICA E MECÂNICA DOS FLUÍDOS Fonte: Jacuzzi do Brasil ÍNDICE 1. Introdução 2. Pressão 3. Pressão da água 4. Pressão atmosférica ou barométrica 5. Vazão 6. Velocidade 7. Trabalho 8. Potência

Leia mais

ROTEIRO DE EXPERIMENTOS ENG1580

ROTEIRO DE EXPERIMENTOS ENG1580 COORDENAÇÃO DO LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE EXPERIMENTAL ROTEIRO DE EXPERIMENTOS ENG1580 LABORATÓRIO DE FENÔMENOS DE TRANSPORTE EXPERIMENTAL PROFESSORES: MARCELO TSUYOSHI HARAGUCHI NAZARENO FERREIRA

Leia mais

Curso Técnico de Petróleo ET/UFPR. Disciplina: Máquinas e Equipamentos Ementa

Curso Técnico de Petróleo ET/UFPR. Disciplina: Máquinas e Equipamentos Ementa Curso Técnico de Petróleo ET/UFPR Professor: José V. C. Vargas Disciplina: Máquinas e Equipamentos Ementa Capitulo introdutório: REVISÃO DE CONCEITOS 1. Mecânica dos Fluidos a. Massa e volume (unidades)

Leia mais

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO Adonai Gimenez Calbo & Washington L.C. Silva CAPÍTULO 10 Controladores de irrigação Irrigas são dispositivos pneumáticos que usam ar comprimido para acionar a aplicação

Leia mais

Forçados. Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes, DEC-UFPel E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br Website: wp.ufpel.edu.br/hugoguedes/

Forçados. Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes, DEC-UFPel E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br Website: wp.ufpel.edu.br/hugoguedes/ Escoamento em Condutos Forçados Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes, DEC-UFPel E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br Website: wp.ufpel.edu.br/hugoguedes/ CONCEITO São aqueles nos quais o fluido escoa com uma

Leia mais

324 Qual a relação entre as fórmulas dimensionais da potência e da força? (F. Arq. U. Mack)

324 Qual a relação entre as fórmulas dimensionais da potência e da força? (F. Arq. U. Mack) 324 Qual a relação entre as fórmulas dimensionais da potência e da força? (F. Arq. U. Mack) 325 Qual a relação entre as unidades de pressão no sistema MKFS (técnico métrico) e CGS? (F. Arq. U. Mack) 326

Leia mais

Mecânica dos Fluidos

Mecânica dos Fluidos Mecânica dos Fluidos Vladimir R. M. Cobas Mecânica dos fluidos Estuda o comportamento dos fluidos em repouso (estática) ou em movimento (dinâmica). O campo de estudo vai desde o escoamento do sangue dentro

Leia mais

OS VASOS SANGUÍNEOS COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DA FÍSICA

OS VASOS SANGUÍNEOS COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DA FÍSICA OS VASOS SANGUÍNEOS COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DA FÍSICA Rosário Afonso e Mário Talaia Departamento de Física da Universidade de Aveiro 3810-193 Aveiro, Portugal E-mail de contacto mart@fis.ua.pt RESUMO

Leia mais

TGRHI Escoamentos em Pressão

TGRHI Escoamentos em Pressão Engenharia Agronómica TGRHI Escoamentos em Pressão Henriqueta Rocha Pinto Bibliografia de Apoio LENCASTRE A (1996) Hidráulica Geral. Hidroprojecto, Lisboa OLIVEIRA, I. (1993) Técnicas de Regadio. Tomo

Leia mais

FÍSICA PEIES II. Professor Giovani Soares. Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final.

FÍSICA PEIES II. Professor Giovani Soares. Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final. Professor Giovani Soares Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final. 1- (PEIES 96) O empuxo exercido por um fluido sobre um corpo totalmente mergulhado

Leia mais

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE TECNOLOGIA LABORATÓRIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E HIDRÁULICA EM SANEAMENTO ATIVIDADES DESENVOLVIDAS João Pessoa, 26 de julho de 2007 Prof. Heber Pimentel Gomes

Leia mais

5 VASOS SEPARADORES, ACUMULADORES E DECANTADORES

5 VASOS SEPARADORES, ACUMULADORES E DECANTADORES 5 VASOS SEPARADORES, ACUMULADORES E DECANTADORES SÃO EQUIPAMENTOS MUITO USADOS NA INDÚSTRIA QUÍMICA PARA VÁRIAS FUNÇÕES, ENTRE ELAS: MISTURA OU SEPARAÇÃO DE FASES DISSOLUÇÃO AQUECIMENTO NEUTRALIZAÇÃO CRISTALIZAÇÃO

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

Caderno de Exercícios de Mecânica dos fluidos Prof. Jesué Graciliano da Silva IF-SC São José 2010-2 2

Caderno de Exercícios de Mecânica dos fluidos Prof. Jesué Graciliano da Silva IF-SC São José 2010-2 2 Caderno de Exercícios de Mecânica dos fluidos Prof. Jesué Graciliano da Silva IF-SC São José 010- Caros alunos, leiam o resumo das aulas com antecedência, anotem suas dúvidas, participem das aulas, façam

Leia mais

Mecânica dos Fluidos Teoria Capítulo 2 - Prof. Dr. Cláudio S. Sartori 1

Mecânica dos Fluidos Teoria Capítulo 2 - Prof. Dr. Cláudio S. Sartori 1 Mecânica dos Fluidos Teoria Capítulo - Prof. Dr. Cláudio S. Sartori Exercícios - Franco Brunetti Capítulo I. A viscosidade cinemática de um óleo é de 0.08 m /s e o seu peso específico relativo é de 0.85.

Leia mais

9 Calcule a diferença hidrostática entre a pressão sangüínea no cérebro e no pé de uma pessoa que tem 1,83 m de altura.

9 Calcule a diferença hidrostática entre a pressão sangüínea no cérebro e no pé de uma pessoa que tem 1,83 m de altura. Problemas 0_ - 000 o número -014-3 de pontos indica o nfvel de dificuldade do problema. Densidade e Pressão Uma janela de escritório tem dimensões 3,4 m por 2,1 m. Como tado da passagem de uma tempestade,

Leia mais

TERMODINÂMICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS. Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em. Universidade Santa Cecília Santos / SP

TERMODINÂMICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS. Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em. Universidade Santa Cecília Santos / SP CONCEITOS FUNDAMENTAIS Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em Universidade função do que Santa desejamos Cecília Santos estudar / SP termodinamicamente. Tudo que se situa fora do

Leia mais

Hidrostática Arquimedes Empuxo

Hidrostática Arquimedes Empuxo Hidrostática Arquimedes Empuxo 1. (Uem 01) Analise as alternativas abaixo e assinale o que for correto. 01) No Sistema Internacional de Unidades, a unidade de densidade volumétrica é o kg/m. 0) A pressão

Leia mais

Curso Básico. Mecânica dos Fluidos. Unidade 3

Curso Básico. Mecânica dos Fluidos. Unidade 3 164 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Unidade 3 Raimundo Ferreira Ignácio 165 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Unidade 3 - Conceitos Básicos para o Estudo dos

Leia mais

Assunto: Relações entre as Grandezas Ordem de Grandeza Hidrostática Termometria Processos de Eletrização

Assunto: Relações entre as Grandezas Ordem de Grandeza Hidrostática Termometria Processos de Eletrização Assunto: Relações entre as Grandezas Ordem de Grandeza Hidrostática Termometria Processos de Eletrização 1. (CEFET-CE/2006) Uma lata está completamente cheia de água. Fazendo-se um orifício, cujo diâmetro

Leia mais

(II) Vazão: Z = ΔV ou Z = A v. 25 10 4 v = Resposta: d. 4 (UFPA) Considere duas regiões distintas do leito de um rio: uma. Resolução: Z B = Z A

(II) Vazão: Z = ΔV ou Z = A v. 25 10 4 v = Resposta: d. 4 (UFPA) Considere duas regiões distintas do leito de um rio: uma. Resolução: Z B = Z A pêndice 38 pêndice E.R. Uma manueira tem em sua extremidade um esuicho de boca circular cujo diâmetro pode ser ajustado. dmita que essa manueira, operando com vazão constante, consia encher um balde de

Leia mais

Equação Geral dos Gases

Equação Geral dos Gases Equação Geral dos Gases EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (EEM-SP) Uma determinada massa gasosa, confinada em um recipiente de volume igual a 6,0 L, está submetida a uma pressão de 2,5 atm e sob temperatura de

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano 19 Sistema de Refrigeração - Tópicos Introdução Meios refrigerantes Tipos de Sistemas de Refrigeração Sistema de refrigeração a ar Sistema de refrigeração a água Anticongelantes

Leia mais

Resolução de Provas 2009

Resolução de Provas 2009 Resolução de Provas 2009 01.No bebedouro doméstico representado na figura, a água do garrafão virado para baixo, de boca aberta, não vaza para o recipiente onde ele se apóia, devido à pressão atmosférica.

Leia mais

Experimento. Técnicas de medição de volumes em Laboratório. Prof. Honda Experimento Técnicas de medição de volumes em Laboratório Página 1

Experimento. Técnicas de medição de volumes em Laboratório. Prof. Honda Experimento Técnicas de medição de volumes em Laboratório Página 1 Experimento Técnicas de medição de volumes em Laboratório Objetivo: Conhecer os materiais volumétricos e as técnicas de utilização desses materiais. I. Introdução teórica: Medir volumes de líquidos faz

Leia mais

CAPÍTULO I ESCALAS TERMOMÉTRICAS

CAPÍTULO I ESCALAS TERMOMÉTRICAS CAPÍTULO I ESCALAS TERMOMÉTRICAS 1 - Um mesmo termômetro é graduado simultaneamente nas escalas Celsius e Fahrenheit. Pede-se determinar: a) qual a indicação fornecida por esse termômetro, na escala Fahrenheit,

Leia mais