PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL"

Transcrição

1 PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS CPLP AUDIOVISUAL REGULAMENTO DO CONCURSO NACIONAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE DO I PROGRAMA DE FOMENTO AO DESENVOLVIMENTO, PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE OBRAS DE FICÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - LINHA FICTV CPLP I DESENVOLVIMENTO I. DISPOSIÇÕES GERAIS E DEFINIÇÕES 1. PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL O PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL é um Programa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que tem por objetivos gerais o estímulo ao intercâmbio cultural, a implementação de políticas públicas integradas de fomento à produção e teledifusão de conteúdos audiovisuais através da formação da Rede CPLP Audiovisual, que reúne autoridades nacionais das áreas da cultura, do audiovisual e emissoras públicas de televisão em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. A partir do Programa CPLP Audiovisual serão lançadas as bases para uma plataforma efetiva de difusão da produção cultural audiovisual contemporânea da CPLP no mercado mundial. O Programa CPLP Audiovisual é composto por três linhas programáticas, a saber: 1

2 1. DOCTV CPLP II - II Programa de Fomento à Produção e Teledifusão de Documentários da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa; 2. FICTV CPLP I - I Programa de Fomento ao Desenvolvimento, Produção e Teledifusão de Obras de Ficção da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa; 3. Nossa Língua I - I Programa de Intercâmbio e Teledifusão de Documentários da Comunidade de Países de Língua Portuguesa. O Programa FICTV CPLP I tem por objetivos fomentar o desenvolvimento, a produção e a teledifusão em escala mundial de obras audiovisuais de ficção, criadas a partir do diálogo com a produção literária dos países de língua portuguesa, oferecendo uma visão contemporânea das realidades sócio-políticoculturais das nações pertencentes ao mundo lusófono. O FICTV CPLP I está estruturado em duas linhas de ação: a) Linha de Desenvolvimento de Projetos Técnicos de Realização b) Linha de Produção de Telefilmes de Ficção O Concurso Nacional de Seleção de Projetos da República Democrática de São Tomé e Príncipe do I Programa de Fomento ao Desenvolvimento, Produção e Teledifusão de Obras de Ficção da Comunidade dos Países de Lingua Portuguesa Linha FICTV CPLP I Desenvolvimento, doravante denominado Concurso FICTV CPLP I - Desenvolvimento, tem por objetivo selecionar Propostas de Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilmes de Ficção de 52 (cinquenta e dois) minutos, doravante denominado Proposta de Desenvolvimento que ofereçam uma visão contemporânea das realidades nacionais, elaborados a partir de adaptação de obra literária nacional. O Concurso FICTV CPLP I - Desenvolvimento será realizado através de Concursos Nacionais em Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. 2

3 2. TERMOS UTILIZADOS NESTE REGULAMENTO: 2.1. COORDENAÇÃO EXECUTIVA DO PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL: é a instância à qual compete a supervisão do planejamento e da gestão do processo de realização das 3 (três) linhas de ação do Programa CPLP Audiovisual. Essa Coordenação é composta pelas seguintes entidades: CPLP; Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura do Brasil, e; Instituto do Cinema e do Audiovisual de Portugal REDE CPLP AUDIOVISUAL: Rede composta por polos nacionais formados por autoridades nacionais das áreas da cultura, do audiovisual e emissoras públicas de televisão, a saber: 2.3. POLO NACIONAL: Entidades que compõe a Rede CPLP Audiovisual que são responsáveis pela gestão operacional dos eixos programáticos do Programa CPLP Audiovisual em seus respectivos territórios nacionais. Angola: Ministério da Cultura; Ministério da Comunicação Social; IACAM - Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimédia; TPA - Televisão Pública de Angola; Brasil: Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura do Brasil; e EBC - Empresa Brasil de Comunicação/TV Brasil; Cabo Verde: Ministério da Cultura de Cabo Verde; RTC - Radiotelevisão Caboverdiana; Guiné-Bissau: INCA - Instituto Nacional de Cinema e Audiovisual da Guiné-Bissau; TGB - Televisão da Guiné-Bissau; Guiné Equatorial: Ministério da Cultura e Turismo; RadioTelevisão da Guiné Equatorial; Moçambique: INAC - Instituto Nacional de Audiovisual e do Cinema de Moçambique; e Televisão de Moçambique; 3

4 Portugal: ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual; RTP - Rádio e Televisão de Portugal; São Tomé e Príncipe: Direção Geral de Cultura de São Tomé e Príncipe; TVS - Televisão Santomense Timor-Leste: SETAC - Secretaria de Estado do Turismo, Arte e Cultura; RTTL Radio Televisão de Timor-Leste UNIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL: Instância subordinada a Coordenação Executiva, sediada no Brasil e com escritório de apoio em Portugal, é responsável pela operacionalização do Plano de Trabalho do Programa CPLP Audiovisual, junto aos Polos Nacionais componentes da Rede CPLP Audiovisual PROJETO TÉCNICO: É o termo utilizado neste regulamento para Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção que representa o conjunto de peças que deverão ser objeto da entrega final das Propostas de Desenvolvimento selecionadas no Concurso Nacional FICTV CPLP I Desenvolvimento: Estrutura Proposta de Adaptação da Obra Literária, Estrutura e Gênero Dramático, Linguagem e Procedimentos Narrativos, Perfil dos Personagens, Cenários e Locações; Roteiro e Desenho de Produção Cronograma e Orçamento PROJETO INÉDITO: O Concurso Internacional de Seleção de Projetos Audiovisuais CPLP Audiovisual entende por PROJETO INÉDITO aquele que ainda não tenha sido objeto de financiamento em qualquer outro concurso\edital de produção de âmbito nacional ou internacional DEFESA ORAL: Defesa Oral é o momento em que a Comissão de Seleção solicita aos proponentes esclarecimentos sobre aspectos que se destacaram na avaliação inicial do projeto CONTRATO DE FINANCIAMENTO PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETO TÉCNICO DE REALIZAÇÃO DE TELEFILME DE FICÇÃO: instrumento jurídico que disciplina as relações entre a CPLP (entidade financiadora) e o Realizador. 4

5 2.9. TERMO DE COMPROMISSO DE CESSÃO DE DIREITOS DE ADAPTAÇÃO DE OBRA LITERÁRIA em nome do Realizador: instrumento jurídico onde o Autor da Obra literária original nacional autoriza o Realizador a promover a elaboração de uma proposta de desenvolvimento de um projeto técnico de realização de telefilme de ficção a partir da adaptação da referida obra, para inscrição no Concurso FICTV CPLP I Desenvolvimento; PLANTÃO ONLINE: Ação de orientação do processo de elaboração da PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO que tem por objetivo acompanhar o processo de criação e desenvolvimento da proposta em todas as fases através de plantões online a serem supervisionados por profissionais da área artística e de produção executiva. Serão realizados no total 7 (sete) Plantões Online no decorrer das seguintes fases: Estruturação, Roteirização e desenvolvimento do Desenho de Produção. Será obrigatória a participação do Realizador do projeto de telefilme selecionado. 3. O CONCURSO 3.1 A linha FICTV CPLP I Desenvolvimento no Concurso Internacional de Seleção de Projetos Audiovisuais CPLP Audiovisual tem por objetivo selecionar Propostas de Desenvolvimento, que ofereçam uma visão contemporânea das realidades nacionais elaborados a partir de adaptação de obra literária nacional. Os processos de seleções serão realizados através de Concursos Nacionais em Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. 3.2 A proposta participante deverá obedecer às seguintes característica técnicas: a) O argumento deve apresentar uma visão original sobre processos contemporâneos da respectiva realidade nacional, resultante de adaptação de uma obra literária original nacional, entendendo-se por isso, obra literária de autor nacional, registrada e publicada, em formato impresso ou eletrônico; b) Período de Desenvolvimento: 30 semanas, totalizando 210 (duzentos e dez) dias, contados a partir do 11º dia útil após a data de assinatura do Contrato de Financiamento para 5

6 Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção (ANEXO II), e considerando as seguintes fases: I. Fase de Estruturação Proposta de Adaptação da Obra Literária, Estrutura e Género Dramático, Linguagem e Procedimentos Narrativos, Perfil dos Personagens, Cenários e Locações; II. Fase de Roteirização; III. Fase de Desenvolvimento de Desenho de Produção - Orçamento e Cronograma de Produção. c) Valor do Contrato de Financiamento: (quarenta mil euros). Somente serão aceites propostas cujo valor total do orçamento não ultrapasse (quarenta mil euros). Não serão aceitas inscrições de propostas cujo orçamento supere o valor total acima descrito. 3.3 CONTRAPARTIDAS As contrapartidas do Concurso FICTV CPLP I Desenvolvimento, relativamente a cada Proposta de Desenvolvimento selecionada, serão: A celebração de um Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção, com a CPLP, no valor de até (quarenta mil euros) A participação do Realizador da Proposta de Desenvolvimento selecionada nos 07 (sete) Plantões Online que serão realizados no decorrer das seguintes fases de sua elaboração: i. 02 (dois) plantões na fase de Estruturação; ii. 03 (três) plantões na fase de Roteirização; 6

7 iii. 02 (dois) plantões na fase de desenvolvimento de Desenho de Produção Caso o Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção resultante da Proposta de Desenvolvimento contratado seja concluído com sucesso, o mesmo será incluído diretamente, sem necessidade de submissão a Concurso, na LINHA FICTV Produção em eventual edição II do PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL, nas seguintes condições: i. Celebração de Contrato de Cessão de de Direitos de Adaptação de Obra Literária em nome do Realizador; ii. Celebração de Contrato de Coprodução com Entidade Produtora que cumpra os requisitos de participação do PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL, a verificar pelo Polo Nacional; iii. Adaptação do Projeto a todas as alterações às condições exigíveis pela Linha FICTV II Produção, a verificar pelo Polo Nacional CANDIDATOS E BENEFICIÁRIOS Podem apresentar candidaturas de projetos ao Concurso Nacional, Realizadores nacionais do Estado-membro com domicílio e origem no território nacional correspondente. Será obrigatória apresentação do Termo de Compromisso de Cessão de Direito de Adaptação de Obra Literária (anexo I); Não existe limite de número de Propostas de Desenvolvimento a serem apresentados pelos mesmo Realizador; O candidato só poderá apresentar o mesmo projeto apenas uma vez. Se for verificado que o mesmo projeto está inscrito duas vezes, ambas inscrições serão indeferidas. 7

8 3.4.4 Caso o candidato queira modificar um projeto já apresentado ele deverá cancelar a inscrição do mesmo e realizar uma nova submissão de projeto, desde que dentro do período de inscrições O candidato só poderá apresentar o mesmo projeto apenas uma vez. Se for verificado que o mesmo projeto está inscrito duas vezes, ambas inscrições serão indeferidas Caso o candidato queira modificar um projeto já apresentado ele deverá cancelar a inscrição do mesmo e realizar uma nova submissão de projeto, desde que dentro do período de inscrições Caso o Realizador participe simultaneamente dos Concursos Nacionais FICTV CPLP I e DOCTV CPLP II, e seja o primeiro classificado em ambos, não poderá acumular as contrapartidas nos dois concursos. Neste caso, caberá ao Polo Nacional consultar o Realizador em causa, que terá que optar sobre qual dos projetos, FICTV ou DOCTV, pretende realizar Os Realizadores devem encontrar-se com a situação contributiva e fiscal regularizada, bem como o cumprimento de outros requisitos legais específicos que possam ser exigíveis no Estado Membro do Concurso Nacional Os termos e condições da atribuição do apoio financeiro para o desenvolvimento das propostas selecionadas deverão constar no Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção, a ser celebrado entre a CPLP e os Realizadores. (ANEXO II) 3.5. PROCEDIMENTOS DE SELEÇÃO A linha FICTV CPLP I Desenvolvimento, do Concurso Internacional de Seleção de Projetos Audiovisuais CPLP Audiovisual integra duas fases: a) A fase de candidatura de Propostas de Desenvolvimento deverá ser feita online pelos proponentes através do Formulário de Candidatura disponibilizado em sítio da Internet 8

9 determinado pela CPLP. O Polo Nacional fará a verificação documental de admissibilidade das propostas inscritas de acordo com as exigências do presente Regulamento e demais disposições aplicáveis para atestar o deferimento da inscrição. b) A fase de seleção, que compreende dois momentos: i. A pré-seleção em que a Comissão Nacional de Seleção de cada Concurso Nacional pré-selecionará 03 (três) Propostas de Desenvolvimento para exercício de Defesa Oral; ii. A realização de Defesa Oral por parte dos Realizadores das respectivas propostas. Ao final deste procedimento, a Comissão Nacional de Seleção indicará o projeto vencedor e o ranking de classificação para o Polo Nacional para a comunicação pública do resultado PRAZOS Inscrição de candidaturas: da presente data de publicação até dia 31.Outubro de 2015; Pré-seleção: de 01.Novembro a 05.Dezembro de 2015 (35 dias); Defesa Oral: de 10 a 12. Dezembro de 2015; Decisão e comunicação do resultado à CPLP e à Unidade Técnica do Programa CPLP Audiovisual: 14 e 20 de Dezembro de 2015; Divulgação pública: entre 14 e 20 de Dezembro de Apresentação de candidaturas 9

10 3.7.1 Todas as inscrições das candidaturas ao concurso são formalizadas online através de sítio na Internet disponibilizado pela CPLP em Os candidatos preenchem os formulários específicos que, para este efeito, estão disponíveis no sítio da Internet acima mencionado A cada candidato é atribuída uma palavra-passe, gerada por via eletrónica, ficando o acesso à informação reservada à Unidade Técnica do Programa CPLP Audiovisual, ao Polo nacional e ao próprio candidato A candidatura considera-se entregue e registrada com a receção do respetivo comprovativo na caixa de correio eletrónico indicada pelo candidato Toda a comunicação entre a Unidade Técnica do Programa CPLP Audiovisual, o Polo Nacional e os candidatos, designadamente em matéria de notificações, é efetuada para o endereço eletrónico por estes indicado INSTRUÇÃO DAS CANDIDATURAS A instrução das candidaturas integra os seguintes documentos digitalizados: a) Preenchimento obrigatório do formulário de candidatura; b) Fotocópia autenticada de documento de identidade do Realizador, emitido por entidade oficial do Estado Membro do Concurso; c) Cópia do Termo de Compromisso de Cessão de Direito de Adaptação Da Obra Literária pelo autor e/ou o detentor de direitos sobre a Obra Literária, para o realizador proponente, reconhecido por entidade competente de acordo com a legislação nacional do Estado-membro do Concurso; (ANEXO I); 10

11 d) Certidões negativas / comprovativas que o Realizador está em dia com suas obrigações contributivas e fiscais junto das autoridades nacionais competentes; e) Formulário de apresentação de Proposta de Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção disponível em sítio da Internet, contendo: e.1 ASPECTOS ARTÍSTICOS DA PROPOSTA a. SINOPSE DA OBRA LITERÁRIA A SER ADAPTADA (Apresente uma breve sinopse sobre a obra literária original, objeto da adaptação). b. PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DA OBRA LITERÁRIA (ARGUMENTO) (Apresente um argumento do telefilme que resultará da adaptação da obra literária). c. JUSTIFICATIVA (Apresente uma justificativa que explique como o argumento apresentado oferece uma visão contemporânea da realidade sócio-política-cultural de seu país). e.2. ASPECTOS TÉCNICOS DE VIABILIDADE d. CRONOGRAMA (Apresente cronograma para o desenvolvimento da proposta, indicando o dimensionamento das fases de Estruturação, Roteirização e desenvolvimento do Desenho de Produção). e. ORÇAMENTO (Apresente um orçamento relativo as despesas necessárias para a realização do Projeto Técnico). 11

12 e.3. QUALIFICAÇÕES ARTÍSTICAS DO PROPONENTE f. CURRÍCULO DO REALIZADOR (Apresente um currículo resumido do Realizador, indicando funções já ocupadas, principais realizações e resultados profissionais, se houver) SITUAÇÕES DE INDEFERIMENTO: Compete aos Polos Nacionais a verificação da regularidade da instrução das candidaturas, deferindo as inscrições de acordo com as regras do presente Regulamento As candidaturas são rejeitadas sempre que se verifique qualquer das seguintes situações: a) Projetos que tenham sido submetidos por proponentes diretamente ligados à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), aos membros da Comissão Nacional de Seleção, autoridades nacionais que compõem o Polo Nacional de cada país aderente ao Programa CPLP Audiovisual e à Unidade Técnica do mesmo Programa; b) Para efeitos do previsto na alínea anterior, entende-se por proponentes diretamente ligados as pessoas que mantiverem vínculos familiares ou correlativos até ao terceiro grau, bem como vínculos laborais em vigor; c) Os proponentes que estiverem em incumprimento para com a CPLP, ou para com qualquer uma das entidades participantes neste Programa CPLP Audiovisual. d) Projetos que não estejam em conformidade com as normas do presente Regulamento. 12

13 3.9. PRÉ-SELEÇÃO DOS PROJETOS A análise e seleção dos projetos é feita por uma Comissão Nacional de Seleção convidada pelo Polo Nacional, sendo composta por três elementos definidos nos seguintes termos: a) Um profissional ligado à área artística ou dramaturgia indicado pela autoridade de cultura e/ou audiovisual nacional; b) Um profissional ligado à crítica artística com destaque na mídia nacional indicado pela autoridade de cultura e/ou audiovisual nacional; c) Um profissional ligado à área de produção indicado pela emissora pública de televisão nacional Os profissionais referidos para composição da Comissão Nacional de Seleção não precisam necessariamente ter nacionalidade no respectivo território de abrangência da Concurso (convidados internacionais) No prazo-limite referido em 3.6.2, o Polo Nacional disponibiliza por via eletrónica à Comissão Nacional de Seleção de cada país os projetos admitidos. Para o efeito é atribuída a cada membro uma palavra-passe, facultando-lhes o acesso por via eletrnica aos projetos de telefilmes de ficção admitidos e a um formulário padrão de avaliação FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO NACIONAL DE SELEÇÃO A Comissão Nacional de Seleção deverá eleger por critério de seus componentes um responsável para presidir os trabalhos a quem competirá assegurar o cumprimento do estabelecido nas normas relativas ao presente concurso e a regularidade das deliberações O presidente da Comissão Nacional de Seleção tem voto de qualidade, em caso de empate na votação. 13

14 A Comissão Nacional de Seleção procede à análise dos projetos que lhe foram atribuídos, para o qual elabora as fichas de avaliação, com base nos critérios fixados e parâmetros aplicados definidos no n.º deste Regulamento A Comissão Nacional de Seleção procede à ordenação das candidaturas por ordem decrescente de pontuação com vista à elaboração da lista de classificação final A Comissão Nacional de Seleção remeterá ao Polo Nacional e à Unidade Técnica do Programa CPLP Audiovisual o relatório final do processo de seleção com a listagem das 03 (três) Propostas de Desenvolvimento melhor pontuados CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO No processo de pré-seleção dos projetos a Comissão Nacional de Seleção adotará os seguintes critérios para o preenchimento do formulário padrão de avaliação: a) Aspectos Artísticos da Proposta: Sinopse da Obra Literária a ser Adaptada, Proposta de Adaptação da Obra Literária e Justificativa; b) Aspectos Técnicos de Viabilidade: Cronograma e Orçamento; c) Qualificações Artísticas do Proponente: Currículo do Realizador COEFICIENTES DE PONDERAÇÃO A classificação final de cada projeto é obtida pela aplicação da seguinte fórmula: CF = (5xa+3xb+2xc) / DEFESA ORAL Os proponentes das 03 (três) propostas pré-selecionados serão convocados pelos responsáveis do Polo Nacional respectivo para realização de Defesa Oral no prazo estabelecido em 14

15 3.6.3 através de notificação individual e comunicação pública no sítio da internet disponibilizado pela CPLP para o efeito A Defesa Oral será conduzida pelos Realizadores responsáveis por cada proposta perante a Comissão Nacional de Seleção, que os classificará em ordem crescente de qualificação A definição da proposta vencedora, e a respectiva comunicação à CPLP e à Unidade Técnica do Programa CPLP Audiovisual serão de responsabilidade do Polo Nacional e concluídas no prazo estabelecido no n.º A divulgação pública das propostas vencedores será feita no sítio da Internet da CPLP, no prazo previsto no As decisões da Comissão Nacional de Seleção são irrecorríveis. 4. CONTRATUALIZAÇÃO Após a divulgação pública da proposta vencedora será celebrado o Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção entre o Realizador e a CPLP, no valor de até (quarenta mil euros), que consigna os termos e condições da atribuição do apoio financeiro obedecendo: 4.1. A Proposta de Desenvolvimento vencedora terá obrigatoriamente de ser concluída num prazo máximo de até 30 semanas, ou 210 (duzentos e dez) dias, contados a partir do 11º dia útil após a data de assinatura do Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção. Os recursos para o desenvolvimento do Projeto Técnico obedecerão ao seguinte parcelamento: a) (dez mil euros): após a assinatura do contrato; b) (dez mil euros): em até 60 dias após a assinatura do contrato mediante a entrega 15

16 dos itens previstos na Fase de Estruturação: i. Estrutura e Gênero Dramático ii. Linguagem e Procedimentos Narrativos iii. Perfil dos Personagens iv. Cenários e Locações c) (dez mil euros): em até 150 dias após a assinatura do contrato mediante a entrega do item previsto na Fase de Roteirização: v. Roteiro de Telefilme de Ficção d) (cinco mil euros): em até 180 dias após a assinatura do contrato mediante a entrega de item previsto na Fase de Desenvolvimento de Desenho de Produção: vi. Plano Geral de Produção e) (cinco mil euros): em até 210 dias após a assinatura do contrato mediante a entrega de item previsto na Fase de Desenvolvimento de Desenho de Produção: vii. Orçamento cujo valor não ultrapasse (cento e cinquenta mil euros) Considera-se concluído o Projeto Técnico após entrega à Unidade Técnica e aprovação da mesma de todos os elementos previstos no Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção. 16

17 4.3. São Obrigações do Realizador, para além do estabelecido no presente regulamento, as constantes do Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção, entre os quais se destaca: Reserva, a favor da CPLP, por um período de 3 anos, a contar da data de Conclusão prevista no ponto 4.2, do direito à Produção do Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção, para efeito do previsto ao ponto do presente Regulamento REVOGAÇÃO DO CONTRATO DE FINANCIAMENTO PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETO TÉCNICO DE REALIZAÇÃO DE TELEFILME DE FICÇÃO. A CPLP poderá proceder à revogação do contrato se ocorrerem situações de incumprimento das cláusulas dispostas no referido instrumento que possam resultar na inviabilização da conclusão do Projeto Técnico REEMBOLSO Sem prejuízo do acionamento de outros procedimentos por parte da CPLP, a revogação do Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilme de Ficção determinará a devolução dos valores entregues em seu âmbito. 5. ANEXOS As minutas do Termo de Cessão de Direito de Adaptação de Obra Literária, e do Contrato de Financiamento para Desenvolvimento de Projeto Técnico de Realização de Telefilmes de Ficção anexas a este Regulamento são parte integrante do mesmo, para todos os efeitos legais. 6. DISPOSIÇÕES FINAIS 6.1 A inscrição do concorrente implica a prévia e integral concordância com as disposições deste Regulamento. 17

18 6.2. As decisões da Comissão Nacional de Seleção são de caráter irrevogável Os casos omissos e quaisquer questões emergentes da aplicação deste Regulamento serão dirimidos pela CPLP, por meio da Unidade Técnica do Programa CPLP Audiovisual A supervisão geral do Concurso Internacional de Seleção de Projetos Audiovisuais CPLP Audiovisual, em todas as suas fases de realização, é de responsabilidade da Coordenação Executiva do Programa CPLP Audiovisual, exercida por meio da Unidade Técnica Quaisquer dúvidas e informações complementares sobre Concurso Internacional de Seleção de Projetos Audiovisuais CPLP Audiovisual poderão ser enviadas aos seguintes endereços eletrônicos: João Ramos - António Oliveira - Djamice Rita - Telefone:

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL

PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO E TELEDIFUSÃO DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA PROGRAMA CPLP AUDIOVISUAL CONCURSO INTERNACIONAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS

Leia mais

11ª MOSTRA ABD CINE GOIÁS LABORATÓRIO PERMANENTE DE ROTEIROS E PROJETOS ABD-GO 2ª EDIÇÃO

11ª MOSTRA ABD CINE GOIÁS LABORATÓRIO PERMANENTE DE ROTEIROS E PROJETOS ABD-GO 2ª EDIÇÃO 11ª MOSTRA ABD CINE GOIÁS LABORATÓRIO PERMANENTE DE ROTEIROS E PROJETOS ABD-GO 2ª EDIÇÃO REGULAMENTO DATA E LOCAL Artigo 1º O LABORATÓRIO PERMANENTE DE ROTEIROS E PROJETOS ABD- GO 2ª EDIÇÃO ocorrerá simultaneamente

Leia mais

PROTOCOLO LUSO-BRASILEIRO DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA REGULAMENTO

PROTOCOLO LUSO-BRASILEIRO DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA REGULAMENTO PROTOCOLO LUSO-BRASILEIRO DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA REGULAMENTO Na sequência do Protocolo Luso-Brasileiro de Coprodução Cinematográfica, celebrado em Berlim, em 11 de fevereiro de 2014, entre o Instituto

Leia mais

Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) I Programa de Fomento à Produção e Teledifusão do Documentário da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Coordenação Executiva Secretariado Executivo

Leia mais

OBRAS NACIONAIS ATRAVÉS DE ASSOCIAÇÕES DO SETOR

OBRAS NACIONAIS ATRAVÉS DE ASSOCIAÇÕES DO SETOR ANEXO XX PROGRAMA DE APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO SUBPROGRAMA DE APOIO À DIVULGAÇÃO E PROMOÇÃO INTERNACIONAL DE OBRAS NACIONAIS ATRAVÉS DE ASSOCIAÇÕES DO SETOR 1. Âmbito O ICA apoia projetos promovidos

Leia mais

Festival de Vitória 21º Vitória Cine Vídeo. 16º Concurso de Roteiro Capixaba

Festival de Vitória 21º Vitória Cine Vídeo. 16º Concurso de Roteiro Capixaba 1 Festival de Vitória 21º Vitória Cine Vídeo 16º Concurso de Roteiro Capixaba A GALPÃO PRODUÇÕES, empresa privada com sede à Rua Professora Maria Cândida da Silva, nº 115 - Bairro República Vitória - Espírito

Leia mais

EDITAL PRÊMIO CURTACARAJÁS DE ESTÍMULO A PRODUÇÃO AUDIOVISUAL PARA WEB DOCUMENTÁRIOS - 2014

EDITAL PRÊMIO CURTACARAJÁS DE ESTÍMULO A PRODUÇÃO AUDIOVISUAL PARA WEB DOCUMENTÁRIOS - 2014 EDITAL PRÊMIO CURTACARAJÁS DE ESTÍMULO A PRODUÇÃO AUDIOVISUAL PARA WEB DOCUMENTÁRIOS - 2014 A ALIANÇA CARAJÁS DE CULTURA, ESPORTE E TECNOLOGIA, através do coletivo audiovisual, LABIRINTO CINEMA CLUBE torna

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PUBLICAÇÃO APUB EDITAL Nº 05/PROP/2015 A Universidade CEUMA, por meio da (PROP), torna público o presente edital e convida docentes a apresentarem propostas no âmbito do programa de Divulgação

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus. Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior

Escola Superior de Educação João de Deus. Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior 1 Artigo 1º Objeto e âmbito O disposto no presente regulamento aplica-se aos ciclos de estudos conducentes ao

Leia mais

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À PESQUISA DA ARTE CIRCENSE

EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À PESQUISA DA ARTE CIRCENSE EDITAL BOLSA FUNARTE DE INCENTIVO À PESQUISA DA ARTE CIRCENSE O Presidente da Fundação Nacional de Artes - Funarte, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V artigo 14 do Estatuto aprovado pelo

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ÁREAS DO CINEMA, DANÇA E TEATRO

REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ÁREAS DO CINEMA, DANÇA E TEATRO REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ÁREAS DO CINEMA, DANÇA E TEATRO 2015 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação) concede, através do Programa Gulbenkian de Língua

Leia mais

PRÊMIO CCBB CONTEMPORÂNEO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL PREÂMBULO

PRÊMIO CCBB CONTEMPORÂNEO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL PREÂMBULO PRÊMIO CCBB CONTEMPORÂNEO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL PREÂMBULO O Banco do Brasil torna público o concurso Prêmio CCBB Contemporâneo, que visa selecionar trabalhos inéditos de artistas brasileiros

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Artigo 1.

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Artigo 1. REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Artigo 1.º Objeto O presente regulamento disciplina os regimes de reingresso,

Leia mais

Eixo Prioritário V Assistência Técnica

Eixo Prioritário V Assistência Técnica Eixo Prioritário V Assistência Técnica Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica no Âmbito da Delegação de Competências com os Organismos Intermédios na gestão dos

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Subsídios e Apoios às Coletividades e Associações sem fins lucrativos da Freguesia de Vendas Novas

Regulamento de Atribuição de Subsídios e Apoios às Coletividades e Associações sem fins lucrativos da Freguesia de Vendas Novas Regulamento de Atribuição de Subsídios e Apoios às Coletividades e Associações sem fins lucrativos da Freguesia de Vendas Novas Preâmbulo De acordo com a atual legislação, nomeadamente, a alínea f), do

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO JORNALISMO ESPORTIVO E NEGÓCIOS DO ESPORTE 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO JORNALISMO ESPORTIVO E NEGÓCIOS DO ESPORTE 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO JORNALISMO ESPORTIVO E NEGÓCIOS DO ESPORTE 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 Este concurso visa reforçar a cooperação existente entre a Universidade de Coimbra (UC) e as instituições suas parceiras,

Leia mais

REGULAMENTO BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA ESTRANGEIROS

REGULAMENTO BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PARA ESTRANGEIROS I. DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim de estimular a difusão da cultura portuguesa em países estrangeiros, a Fundação Calouste Gulbenkian, através do Serviço de Bolsas Gulbenkian, concede bolsas de

Leia mais

iup25k Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto

iup25k Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto iup25k Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto REGULAMENTO Preâmbulo A Universidade do Porto tem vindo a desenvolver esforços para fomentar o empreendedorismo, criando para tal estruturas

Leia mais

REGULAMENTO. 2.4. Cada participante ou equipa de participantes poderá submeter um número ilimitado de curtas- metragens.

REGULAMENTO. 2.4. Cada participante ou equipa de participantes poderá submeter um número ilimitado de curtas- metragens. REGULAMENTO YMOTION 1º Concurso e Mostra de Cinema Jovem de Famalicão 1. Enquadramento 1.1. O YMOTION 1º Concurso e Mostra de Cinema Jovem de Famalicão é organizado pelo Pelouro da Juventude do Município

Leia mais

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA 1. APRESENTAÇÃO Com base nos valores da economia solidária e da cultura livre, o Estúdio Gunga empresa de comunicação focada na criação de sites, editoração gráfica,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2015 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º. Âmbito e objeto. Artigo 2.º. Candidatos

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º. Âmbito e objeto. Artigo 2.º. Candidatos REGULAMENTO DO PROGRAMA COMUNICAÇÃO E GESTÃO DE CIÊNCIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito e objeto 1. O presente regulamento define as normas e os procedimentos de concurso para contratação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO 5ª EDIÇÃO, 2015-16

REGULAMENTO DO CONCURSO 5ª EDIÇÃO, 2015-16 REGULAMENTO DO CONCURSO ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO EM PORTUGAL PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE PROVENIENTES DOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA E TIMOR-LESTE 5ª EDIÇÃO, 2015-16 Artigo 1º Âmbito O presente

Leia mais

REGULAMENTO 2015 / 6ª edição

REGULAMENTO 2015 / 6ª edição REGULAMENTO 2015 / 6ª edição Inscrições até 15 de dezembro de 2014 O FESTin Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa tem por objetivo promover as produções audiovisuais dos países que integram

Leia mais

Regulamento dos regimes de reingresso, mudança de curso, transferência e do concurso especial de acesso para titulares de cursos superiores.

Regulamento dos regimes de reingresso, mudança de curso, transferência e do concurso especial de acesso para titulares de cursos superiores. Regulamento dos regimes de reingresso, mudança de curso, transferência e do concurso especial de acesso para titulares de cursos superiores Preâmbulo De acordo com a portaria n.º 401/2007, de 5 de Abril,

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do Programa de Cooperação Internacional - PROCIN do Instituto de Pesquisa

Leia mais

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO JUNTA DE FREGUESIA DE MARVILA CONCURSO PÚBLICO N / 2 ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO Avisam-se todos os interessados que entre os dias de março e de abril de 2 se encontra aberto Concurso

Leia mais

Convocatória Nova Fotografia 2016

Convocatória Nova Fotografia 2016 Convocatória Nova Fotografia 2016 O projeto anual Nova Fotografia tem por objetivo criar um espaço permanente para exposição de projetos fotográficos de artistas promissores e ainda pouco conhecidos que

Leia mais

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal A Fundação Escola Nacional de Administração Pública (Enap) torna público o regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL 04 / 2010

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL 04 / 2010 CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL 04 / 2010 A Companhia de Desenvolvimento de Vitória CDV torna público o presente Edital e comunica que receberá solicitações de financiamento de bolsas

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS nº. 016/2015 PROGRAMA DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E MATEMÁTICA COMPUTACIONAL

Leia mais

Regulamento Especificadores i/d - Programa de Relacionamento do D&D -

Regulamento Especificadores i/d - Programa de Relacionamento do D&D - Regulamento Especificadores i/d - Programa de Relacionamento do D&D - 1. Definições 1.1. ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA: responsável pela definição de seus critérios, procedimentos de funcionamento é o Condomínio

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA BOX BRAZIL Nº 001/2014

CHAMADA PÚBLICA BOX BRAZIL Nº 001/2014 Box Brazil Avenida Ipiranga, nº 6681 Tecnopuc, prédio 99A, 15º andar, sala 1501A - Bairro Partenon Porto Alegre Rio Grande do Sul CEP: 90619-900 Tel.: (55) 51 3021.6161 e-mail: projetos@boxbrazil.tv.br

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Projeto Coletivo de Criação Edital nº 002 04-2010 EDITAL DE APOIO A PROJETOS DE GRAVAÇÃO DE MÚSICAS INÉDITAS

PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Projeto Coletivo de Criação Edital nº 002 04-2010 EDITAL DE APOIO A PROJETOS DE GRAVAÇÃO DE MÚSICAS INÉDITAS PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL Projeto Coletivo de Criação Edital nº 002 04-2010 EDITAL DE APOIO A PROJETOS DE GRAVAÇÃO DE MÚSICAS INÉDITAS O COLETIVO DE CRIAÇÃO torna público A SELEÇÃO que fará realizar visando

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA

FACULDADE DE ENGENHARIA FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DOS CURSOS DA FACULDADE DE ENGENHARIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DOS CURSOS DA FACULDADE

Leia mais

REGULAMENTO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA AO PRÉMIO IDEIAS EM GRANDE

REGULAMENTO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA AO PRÉMIO IDEIAS EM GRANDE REGULAMENTO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA AO PRÉMIO IDEIAS EM GRANDE ARTIGO I - INTRODUÇÃO O projeto Sem Fronteiras: formar, agir e empreender ( Behind the threshold. Improving migrants integration through

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 46 Data: 2011/11/04 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: Regulamento para Atribuição de Bolsa de Doutoramento ESTeSL/IPL Caixa Geral de Depósitos

Leia mais

Prémio: Tâmega e Sousa Empreendedor - Onde as ideias se concretizam [Regulamento do Concurso de Fotografia: Tâmega e Sousa Único]

Prémio: Tâmega e Sousa Empreendedor - Onde as ideias se concretizam [Regulamento do Concurso de Fotografia: Tâmega e Sousa Único] Prémio: Tâmega e Sousa Empreendedor - Onde as ideias se concretizam [Regulamento do Concurso de Fotografia: Tâmega e Sousa Único] PREÂMBULO O Prémio Tâmega e Sousa Empreendedor é uma iniciativa da Comunidade

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 30 de dezembro de 2014 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA Capítulo I Disposições gerais

Leia mais

TROFÉU CALL CENTER 2014

TROFÉU CALL CENTER 2014 TROFÉU CALL CENTER 2014 REGULAMENTO GERAL O Troféu Call Center 2014 é uma iniciativa da IFE e da Call Center Magazine Online. O objetivo é galardoar anualmente os Serviços de Atendimento ao Cliente - SAC

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 029/2013 11/08/2013

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 029/2013 11/08/2013 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 029/2013 11/08/2013 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas de Docentes

Leia mais

Festival de Cinema de Futebol REGULAMENTO 2015

Festival de Cinema de Futebol REGULAMENTO 2015 Festival de Cinema de Futebol REGULAMENTO 2015 1 - DO FESTIVAL 1.1 - O CINEfoot - Festival de Cinema de Futebol é o primeiro festival de cinema do Brasil e da América Latina com abordagens conceitual e

Leia mais

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 7 Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais

CONCURSO PARA CONCEPÇÃO DA IDENTIDADE GRÁFICA DA MARCA Silvares Terra da Música e do Folclore

CONCURSO PARA CONCEPÇÃO DA IDENTIDADE GRÁFICA DA MARCA Silvares Terra da Música e do Folclore CONCURSO PARA CONCEPÇÃO DA IDENTIDADE GRÁFICA DA MARCA Silvares Terra da Música e do Folclore A Junta de Freguesia de Silvares em parceria com a Comissão Representativa do Movimento Associativo da Freguesia

Leia mais

CENA ABERTA FUNARTE 2016 RIO DE JANEIRO REGULAMENTO

CENA ABERTA FUNARTE 2016 RIO DE JANEIRO REGULAMENTO CENA ABERTA FUNARTE 2016 RIO DE JANEIRO REGULAMENTO A Fundação Nacional de Artes/Funarte, entidade vinculada ao Ministério da Cultura/MinC, torna público que, no período de 07/12/2015 a 20/01/2016, estão

Leia mais

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB TERMO ADITIVO AO EDITAL nº 02/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS ALTERAÇÃO DE DATAS E FORMA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Apoio: Brasília, 28 de agosto de 2013.

Leia mais

ISABEL RUTE DA CRUZ PAIS RIBEIRO

ISABEL RUTE DA CRUZ PAIS RIBEIRO Acordo quadro para a prestação de serviços de desenho, administração, operação e consolidação de infraestruturas de tecnologias de informação e comunicação (TIC) PROGRAMA DE CONCURSO Março de 2014 ÍNDICE

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA PETROBRAS CULTURAL MINAS GERAIS EDIÇÃO 2014 REGULAMENTO GERAL

SELEÇÃO PÚBLICA PETROBRAS CULTURAL MINAS GERAIS EDIÇÃO 2014 REGULAMENTO GERAL SELEÇÃO PÚBLICA PETROBRAS CULTURAL MINAS GERAIS EDIÇÃO 2014 REGULAMENTO GERAL 1. OBJETO Este regulamento estabelece as regras gerais da Seleção Pública Petrobras Cultural Minas Gerais Edição 2014. São

Leia mais

ANEXO XVII PROGRAMA DE APOIO À EXIBIÇÃO NÃO COMERCIAL

ANEXO XVII PROGRAMA DE APOIO À EXIBIÇÃO NÃO COMERCIAL 1 ANEXO XVII PROGRAMA DE APOIO À EXIBIÇÃO NÃO COMERCIAL 1. Programa e secções O Programa de Apoio à Exibição não Comercial compreende as seguintes secções: a) Secção I Rede de Exibição Alternativa Cinematográfica;

Leia mais

CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO.

CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO. CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO O emprego tem uma enorme importância tanto para os indivíduos como para a sociedade Para além de ser uma fonte de rendimento, uma forma de ocupação e

Leia mais

MEIO AMBIENTE E CIDADANIA

MEIO AMBIENTE E CIDADANIA REGULAMENTO A Universidade Comunitária da Região de Chapecó, em conjunto com a Caixa Econômica Federal, abre inscrições para 6º Prêmio Unochapecó/Caixa de Jornalismo Ambiental 2014 e dá outras providências.

Leia mais

AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO SANTANDER UNIVERSIDADES 2014

AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO SANTANDER UNIVERSIDADES 2014 EDITAL 01/2014 EDITAL MOBILIDADE ESTUDANTIL - PROGRAMA DE BOLSAS IBERO- AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO SANTANDER UNIVERSIDADES 2014 O Reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana, Prof.

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS ACADÊMICOS, CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS, ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO E CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL No. 010/GPG/2015 A Universidade CEUMA, por meio

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 33/2013-CONSUNIV Altera a Resolução nº. 019/2011, que institui o Sistema de Ingresso Seriado para acesso aos Cursos de Graduação de

Leia mais

Regulamento. 5. O Concurso 50/50, promovido pelo ACM, IP, lançado pela primeira vez em 2015, assume um carácter experimental.

Regulamento. 5. O Concurso 50/50, promovido pelo ACM, IP, lançado pela primeira vez em 2015, assume um carácter experimental. Regulamento PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL Artigo 1º Âmbito 1. O Alto Comissariado para as Migrações, I.P. (doravante ACM, I.P.) propõe a dinamização de um concurso de ideias, denominado Concurso 50/50, destinado

Leia mais

1. OBJETO Este regulamento define e torna públicas as regras gerais da Seleção Pública do Petrobras Cultural 2012.

1. OBJETO Este regulamento define e torna públicas as regras gerais da Seleção Pública do Petrobras Cultural 2012. PETROBRAS CULTURAL EDIÇÃO 2012 SELEÇÃO PÚBLICA: REGULAMENTO GERAL 1. OBJETO Este regulamento define e torna públicas as regras gerais da Seleção Pública do Petrobras Cultural 2012. São objetivos da Seleção

Leia mais

3. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO NO PROCESSO SELETIVO

3. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO NO PROCESSO SELETIVO PROCESSO SELETIVO PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE PRESENCIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA IDOSA. O MINISTÉRIO DA SAÚDE, representado

Leia mais

PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL. EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS

PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL. EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS 1. INTRODUÇÃO 1.1. A COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ( CDURP

Leia mais

INSTITUCIONAL. Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO. Operações no Domínio da Administração em Rede

INSTITUCIONAL. Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO. Operações no Domínio da Administração em Rede Eixo Prioritário 5 GOVERNAÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Operações no Domínio da Administração em Rede Aviso para apresentação de candidaturas - Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA POR PRODUTO PESSOA FÍSICA

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA POR PRODUTO PESSOA FÍSICA Ministério das Relações Exteriores Comitê Nacional de Organização Rio+20 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA POR PRODUTO PESSOA FÍSICA EDITAL Nº 011/2011 CONTRATAÇÃO

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

Regulamento dos concursos especiais para acesso e ingresso ao ensino superior na Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado

Regulamento dos concursos especiais para acesso e ingresso ao ensino superior na Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DR. JOSÉ TIMÓTEO MONTALVÃO MACHADO Regulamento dos concursos especiais para acesso e ingresso ao ensino superior na Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS Fundo de Eficiência Energética PERGUNTAS E RESPOSTAS Aviso 09 - Auditoria Elevadores Edifícios Serviços 2015 Perguntas e Respostas Aviso 09 - Auditoria Elevadores Edifícios Serviços 2015 v0 0 ÍNDICE ÂMBITO

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO DO PRÉMIO COOPERAÇÃO E SOLIDARIEDADE ANTÓNIO SÉRGIO 2015

REGULAMENTO REGULAMENTO DO PRÉMIO COOPERAÇÃO E SOLIDARIEDADE ANTÓNIO SÉRGIO 2015 REGULAMENTO REGULAMENTO DO PRÉMIO COOPERAÇÃO E SOLIDARIEDADE ANTÓNIO SÉRGIO 2015 I. DISPOSIÇÕES GERAIS 1º OBJETO O presente regulamento define o regime de atribuição do prémio Cooperação e Solidariedade

Leia mais

Anexo à deliberação do conselho geral de 10 de maio de 2014 Normas do recrutamento, seleção e contratação dos formadores

Anexo à deliberação do conselho geral de 10 de maio de 2014 Normas do recrutamento, seleção e contratação dos formadores Anexo à deliberação do conselho geral de 10 de maio de 2014 Normas do recrutamento, seleção e contratação dos formadores Artigo 1.º Objeto e âmbito 1 O presente regulamento estabelece o regime de recrutamento,

Leia mais

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento

Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro. Regulamento Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro Regulamento 2ª Edição, Novembro de 2011 Prémio de Jornalismo Hospital Veterinário Montenegro 2ª Edição Novembro de 2011 Regulamento Artigo 1º Objectivo

Leia mais

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP PAEP Programa de Apoio a Eventos no País EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP A Fundação Coordenação

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO RELAÇÕES INTERNACIONAIS 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO RELAÇÕES INTERNACIONAIS 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO RELAÇÕES INTERNACIONAIS 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL EDITAL DE CONCURSO Nº 02, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007

MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL EDITAL DE CONCURSO Nº 02, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL EDITAL DE CONCURSO Nº 02, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 O Ministério da Cultura - MinC, por meio da Secretaria do Audiovisual SAV, torna público o Concurso de

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP Edital de Seleção 2014 Universidade Autônoma de Barcelona A área de Extensão Acadêmica e Cooperação Internacional da FESPSP em conjunto com as coordenações

Leia mais

REGULAMENTO. Programa de Bolsas de Estágio Santander Universidades. Introdução

REGULAMENTO. Programa de Bolsas de Estágio Santander Universidades. Introdução REGULAMENTO Programa de Bolsas de Estágio Santander Universidades Introdução O Banco Santander Totta, S.A., em parceria com as Instituições de Ensino Superior aderentes (doravante «IES»), e através da

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 033/2013 18/09/2013

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 033/2013 18/09/2013 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 033/2013 18/09/2013 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas observados

Leia mais

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde

Programa Gulbenkian Inovar em Saúde REGULAMENTO DO CONCURSO Concurso para financiamento de projetos em Literacia em Saúde 2013 Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas de acesso ao concurso para financiamento de projetos

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA E VÍDEO DA ÁGUAS DO ALGARVE, S.A.

REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA E VÍDEO DA ÁGUAS DO ALGARVE, S.A. REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA E VÍDEO DA ÁGUAS DO ALGARVE, S.A. A ÁGUA PELOS MEUS OLHOS Mil Imagens, uma Região, um Futuro Cláusula 1 - Organização O Concurso de Fotografia e Vídeo A Água pelos

Leia mais

Regulamento do pagamento de propinas e outras taxas de frequência do Instituto Politécnico de Leiria PREÂMBULO

Regulamento do pagamento de propinas e outras taxas de frequência do Instituto Politécnico de Leiria PREÂMBULO DESPACHO N.º /2015 Regulamento do pagamento de propinas e outras taxas de frequência do Instituto Politécnico de PREÂMBULO Considerando a experiência adquirida no Instituto Politécnico de (IP) com a aplicação

Leia mais

EDITAL N 4/2015 - PROEC BOLSA CULTURA

EDITAL N 4/2015 - PROEC BOLSA CULTURA EDITAL N 4/2015 - PROEC BOLSA CULTURA A Pró-Reitora de Extensão e Cultura PROEC, no uso de suas atribuições legais e em cumprimento das normas previstas no Estatuto da Universidade do Estado de Mato Grosso

Leia mais

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. -0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre os critérios e os procedimentos para promoção, organização e participação da ANAC em eventos internos e externos. A DIRETORIA DA AGÊNCIA

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO)

EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM REGIME DE OVERBOOKING EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO PREVENÇÃO

Leia mais

Edital DIRGER Nº 03/2015

Edital DIRGER Nº 03/2015 1 Edital DIRGER Nº 03/2015 Dispõe sobre o Programa de Incentivo à Mobilidade Acadêmica para os acadêmicos dos cursos de graduação da Faculdade La Salle para o primeiro semestre de 2016. O Diretor Geral

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto e âmbito

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho

Leia mais

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014 Reitoria despacho RT-55/2014 A Universidade do Minho tem vindo a atrair um número crescente de estudantes estrangeiros, que hoje representam um importante contingente da sua comunidade estudantil. Com

Leia mais

LABMIS Edição de Curtas. 1ª Convocatória

LABMIS Edição de Curtas. 1ª Convocatória LABMIS Edição de Curtas 1ª Convocatória O projeto semestral LABMIS Edição de Curtas tem por objetivo abrir espaço permanente para a edição e finalização de curtas-metragens que se distinguem pela qualidade

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição e matrícula

Leia mais

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8 EDITAL 1º Ciclo de Estudos - Ano Letivo 2015/2016 Concurso para os regimes de Reingresso, Mudança de Curso, Transferência, e Concursos Especiais de Ingresso (titulares de curso médio ou superior e maiores

Leia mais

Iniciativa igeo Mentes Criativas. Concurso de ideias para o desenvolvimento de uma aplicação para sistemas móveis (App)

Iniciativa igeo Mentes Criativas. Concurso de ideias para o desenvolvimento de uma aplicação para sistemas móveis (App) Iniciativa igeo Mentes Criativas Concurso de ideias para o desenvolvimento de uma aplicação para sistemas móveis (App) Coordenação: Equipa: Apoio: 1/8 REGULAMENTO Concurso de ideias para divulgação de

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo

Leia mais

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso 1 Centro Universitário de Araraquara UNIARA Departamento de Ciências da Administração e Tecnologia Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições

Leia mais

PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2012 REGULAMENTO

PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2012 REGULAMENTO PRÊMIO DE JORNALISMO FAEPA/SENAR-PB 2012 REGULAMENTO Calendário ATIVIDADES Lançamento e Abertura das Inscrições Encerramento das Inscrições Anúncio Oficial dos Finalistas Cerimônia de Premiação dos Vencedores

Leia mais

APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS EDITAL Nº001/2015 - APEC

APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS EDITAL Nº001/2015 - APEC APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS EDITAL Nº001/2015 - APEC O Governo do Estado do Maranhão e a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTEC), por meio da Fundação de Amparo

Leia mais