Misturas/ sem Rreação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Misturas/ sem Rreação"

Transcrição

1 Misturas/ sem Rreação 1 (UF ale do Sapucaí-MG) Um dentista precisava obter uma solução aquosa de fluoreto de sódio (flúor) na concentração de 20 g/l para ser usada por um paciente no combate e na prevenção da cárie. Ele dispunha no consultório de 250 ml de uma solução aquosa a 40 g/l. Para obter a solução desejada, ele deveria: a) dobrar o volume da solução disponível em seu consultório com água destilada. b) adicionar à sua solução somente meio litro de água destilada. c) tomar cem mililitros da solução disponível e reduzir o volume de água à metade pela evaporação. d) tomar cinqüenta mililitros da solução disponível e adicionar mais duzentos e cinqüenta mililitros de água destilada. e) usar diretamente no paciente 125 ml da solução já disponível. C 20 g/l Cinicial inicial Cfinal final 20 inicial inicial ml 20 É necessário adicionar 250 ml de água destilada, dobrando seu volume, para obter uma solução de concentração 20 g/l. 2 (FEP-PA) O volume de solvente (água) que se deve adicionar a 500 ml de uma solução aquosa 2 mol/l de ácido sulfúrico para que esta solução se transforme em uma solução 0,5 N é igual a: a) ml b) ml c) ml d) ml e) ml Para H2SO4 o k 2. N k M M N k M 0,5 2 M 0,25 mol/l ,25 final final ml 0,25 olume acrescentado ml 3 (Fesp-PE) Adiciona-se 1,0 ml de uma solução concentrada de ácido sulfúrico, H 2SO 4, 36 N a um balão volumétrico contendo exatamente ml de água destilada. A concentração em mol/l da solução resultante é: (Admita que não há variação de volume.) Dados: H 1 u; S 32 u e O 16 u. a) 36 mol/l b) 18 mol/l c) 0,036 mol/l d) 0,36 mol/l e) 0,018 mol/l Para H2SO4 o k 2. N k M M N k M (EEM-SP) Misturaram-se 100,0 ml de uma solução aquosa de uma substância A, de concentração igual a 10,0 g/l, com 100,0 ml de outra solução aquosa da mesma substância A, mas de concentração igual a 2,0 g/l. A concentração da solução resultante é igual a 6,5 g/l. Sabendo-se que não houve variação de temperatura, calcule, com três algarismos significativos, a variação de volume ocorrida na mistura das duas soluções. C + C final Cfinal final , ,0 r 184,6 ml 6,5 inicial 200 ml M 18 mol/l 18 1 Mfinal Mfinal ,018 mol/l ariação de volume ,6 r 15,4 ml 5 (Unicamp-SP) Um dos grandes problemas das navegações do século I referia-se à limitação de água potável que era possível transportar numa embarcação. Imagine uma situação de emergência em que restaram apenas 300 litros (L) de água potável (considere-a completamente isenta de eletrólitos). A água do mar não é apropriada para o consumo devido à grande concentração de NaCL (25 g/l), porém o soro fisiológico (10 g de NaCL/L) é. Se os navegantes tivessem conhecimento da composição do soro fisiológico, poderiam usar a água potável para diluir água do mar de modo a obter soro e assim teriam um volume maior de líquido para beber. 01

2 a) Que volume total de soro seria obtido com a diluição se todos os 300 litros de água potável fossem usados para este fim? b) Considerando-se a presença de 50 pessoas na embarcação e admitindo-se uma distribuição equitativa do soro, quantos gramas de NaCL teriam sido ingeridos por cada pessoa? c) Uma maneira que os navegadores usavam para obter água potável adicional era recolher água de chuva. Considerando-se que a água da chuva é originária, em grande parte, da água do mar, como se explica que ela possa ser usada como água potável? a) Cágua do mar 25 g/l Csoro 10 g/l inicial Cinicial final Cfinal 1 25 final 10 final 2,5 L olume acrescentado 2,5 1,0 1,5 L de água potável a cada litro de água do mar. 1,5 L de água 1 L de água do mar 300 L de água potável x x x 200 L 1,5 olume de soro olume de soro 500 L b) 10 g de 1 L de soro 500 L de soro y y 5000 g de NaCL g de NaCL/pessoa 50 c) A água evapora enquanto o sal continua dissolvido no mar. 6 (Unesp-SP) Na preparação de 500 ml de uma solução aquosa de H 2SO 4 de concentração 3 mol/l, a partir de uma solução de concentração 15 mol/l do ácido, deve-se diluir o seguinte volume da solução concentrada: a) 10 ml b) 100 ml c) 150 ml d) 300 ml e) 450 ml final final ml 15 Massas atômicas: O 16 u; AL 27 u e S 32 u. a) 0,171 b) 1, c) d) 1710 e) Mfinal 0 Mfinal mol/l MAL 2 (SO 4 ) g/mol 342 g 1 mol mol x ,171 g/l 1 8 (UFPI) Quais das afirmações a respeito de soluções são corretas? I. Quando diluímos uma solução, estamos aumentando o número de mol do soluto. II. Quando diluímos uma solução, estamos aumentando o número de mol do solvente. III. Na evaporação de uma solução aquosa de um composto iônico, o número de mol do soluto não se altera. I. Quando misturamos duas soluções de mesmo soluto, porém com molaridades diferentes, a solução final apresenta uma molaridade com valor intermediário às molaridades iniciais.. Ao misturarmos soluções de solutos diferentes, sem que ocorra reação, na verdade o que ocorre é uma simples diluição de cada um dos solutos. a) Todas. b) Nenhuma. c) Somente I, III e I. d) Somente II, III, I e. e) Somente II, III e I. I. Falsa. A quantidade de matéria do soluto não se altera. 9 (UFCE) No recipiente A, temos 50 ml de uma solução 1 mol/l de NaCL. No recipiente B, há 300 ml de uma solução que possui 30 g de NaCL por litro de solução. Juntou-se o conteúdo dos recipientes A e B e o volume foi completado com água até formar 1 litro de solução. Determine a concentração final da solução obtida. Massa molar: NaCL 58,5 g/mol. Mistura de soluções de mesmo soluto MNaCL 58,5 g/mol M 30 Mr 0,5 mol/l 58,5 7 (Uni-Rio-RJ) Para efetuar o tratamento de limpeza de uma piscina de L, o operador de manutenção nela despejou 5 L de solução 1 mol/l de sulfato de alumínio, AL 2(SO 4) 3. Após agitar bem a solução, a concentração do sulfato de alumínio, em g/l, na piscina é de: Minicial inicial + M2 2 M ,5 300 M3 350 M3r 0,57 mol/l Diluição de soluções 0, Mfinal Mfinalr 0,20 mol/l 02

3 10 (Fameca-SP) Um volume igual a 250 ml de solução aquosa de cloreto de sódio (solução 1) é misturado a 250 ml de solução aquosa de cloreto de sódio (solução 2) de densidade 1,40 g ml 1 e título igual a 20% em massa. A concentração final de cloreto de sódio é igual a 0,8 g ml 1. Calcule a massa de cloreto de sódio existente na solução 1. a) 330 g b) 130 g c) 50 g d) 100 g e) 120 g 11 (UFMG) Considere uma solução contendo íons sódio e íons cobre II, cada um deles na concentração 0,10 mol/l. A concentração dos íons negativos pode ser qualquer uma das seguintes, exceto: a) 0,15 mol/l de íons nitrato. b) 0,15 mol/l de íons sulfato. c) 0,30 mol/l de íons cloreto. d) 0,30 mol/l de íons nitrito. e) 0,30 mol/l de íons acetato. C2 d T 1,4 0,2 0,28 g/ml Mistura de soluções 1 C1 + 2 C2 final Cfinal 250 C , ,8 C1 1,32 g/ml 1,32 1 ml 250 ml 250 1,32 x 1 x 330 g Como toda solução é eletricamente neutra, seria necessário 0,30 mol/l de íons nitrato, NO3( aq), para cancelar a carga positiva dos íons Na(aq) e Cu(a q). 13 (UFES) 1 L de uma solução 0,5 mol/l de CaCL 2 é adicionado a 4 L de solução 0,1 mol/l de NaCL. As concentrações em quantidade de matéria dos íons Ca 2+, Na 1+ e CL na mistura são, respectivamente: a) 0,16; 0,04 e 0,25 b) 0,10; 0,08 e 0,28 c) 0,04; 0,08 e 0,25 d) 0,20; 0,25 e 0,16 e) 0,10; 0,08 e 0,04 14 (Fesp-PE) O volume de uma solução de hidróxido de sódio, NaOH, 1,5 mol/l que deve ser misturado a 300 ml de uma solução 2 mol/l da mesma base, a fim de torná-la solução 1,8 mol/l, é: a) 200 ml b) 20 ml c) ml d) 400 ml e) 350 ml Em 1 L: 1 CaCL # 1 Ca CL 0,5 mol/l 0,5 mol/l 2 0,5 mol/l Em 4 L: 1 NaCL # 1 Na CL 0,1 mol/l 0,1 mol/l 0,1 mol/l Íon cálcio: 0,5 1 Mfinal 5 Mfinal 0,1 mol/l Íon sódio: 0,1 4 Mfinal 5 Mfinal 0,08 mol/l Íon cloreto: M1 1 + M2 2 M , ,1 4 M3 5 M3 0,28 mol/l? + inicial 300 ml final M 1,5 mol/l Minicial 2,0 mol/l Mfinal 1,8 mol/l M + 1, ,8 ( + 300) 1, , , ml 12 (Cesgranrio-RJ) Uma solução 0,05 mol/l de glicose, contida em um béquer, perde água por evaporação até restar um volume de 100 ml, passando a concentração para 0,5 mol/l. O volume de água evaporada é, aproximadamente: a) 50 ml b) 100 ml c) 500 ml d) 900 ml e) ml 0,05 inicial 0,5 100 inicial 0,5 100 ml 0,05 Água evaporada ml 15 (EEM-SP) Considere uma solução 0,4 mol/l de um ácido que se deseja transformar em solução 0,5 mol/l pela mistura com uma solução 2 mol/l do mesmo ácido. Calcule o volume de solução 2 mol/l a ser utilizado para se obter 200 ml de solução 0,5 mol/l. M1 1 + M2 2 Mfinal final I) 0, ,0 2 0,5 200 e II) Substituindo II em I, temos: 0,4 (200 2) + 2,0 2 0, , , , ,5 ml 03

4 Misturas com reação 1 (UFPA) Um volume igual a 200 ml de uma solução aquosa de HCL 0,20 mol/l neutralizou completamente 50 ml de uma solução aquosa de Ca(OH) 2. Determine a concentração em quantidade de matéria da solução básica. HCL: 200 ml Ca(OH)2: 50 ml + M 0,20 mol/l M? 2 HCL(aq) + 1 Ca(OH)2(aq)# 1 CaCL2(aq) + 2 H2O(L) a MA A(L) b MB B(L) 2 0,20 0,2 1 MB 0,05 MB 0,4 mol/l b) Escreva a equação balanceada da citada reação que origina o escurecimento das pinturas a óleo. a) 1 PbS(s) + 4 H2O2(aq) # PbSO4(s) + 4 H2O(L) g 0,24 g x 0, x g 0,1 3,4 g xr 0,137 g de H2O2 1 3,4 g de H2O2 y 0,137 g de H2O2 y 0, ,4 yr 0,04 L de solução b) PbO(s) + H2S(aq)# PbS(s) + H2O(L) 2 (unesp-sp) O eletrólito empregado em baterias de automóvel é uma solução aquosa de ácido sulfúrico. Uma amostra de 7,50 ml da solução de uma bateria requer 40,0 ml de hidróxido de sódio 0,75 mol/l para sua neutralização completa. a) Calcule a concentração em quantidade de matéria do ácido na solução da bateria. b) Escreva a equação balanceada da reação de neutralização total do ácido, fornecendo os nomes dos produtos formados. a) Cálculo da concentração em mol/l do H2SO4 na bateria. 1 H2SO4(aq) + 2 NaOH(aq) # 1 Na2SO4(aq) + 2 H2O(L) a MH 2 SO 4(aq) H 2 SO 4(aq) (L) b MNaOH NaOH (L) a MNaOH NaOH MH 2 SO 4(aq) b H 2 SO 4(aq) 1 0,75 40,0 MH 2 SO 4(aq) 2 7,50 MH 2 SO 4(aq) 2,0 mol/l b) 1 H2SO4(aq) + 2 NaOH(aq) # 1 Na2SO4(aq) + 2 H2O(L) Os produtos formados são sulfato de sódio e água. 3 (UFCE) Pinturas a óleo escurecem com o decorrer do tempo, devido à reação do óxido de chumbo, PbO, usado como pigmento branco das tintas, com o gás sulfídrico, H 2S, proveniente da poluição do ar, formando um produto de cor preta, sulfeto de chumbo, PbS. A recuperação de valorosos trabalhos artísticos originais requer o tratamento químico com soluções de peróxido de hidrogênio, H 2O 2, o qual atua segundo a reação: PbS (s) + 4 H 2O 2(aq) # PbSO 4(s) + 4 H 2O (L) preto branco a) Que volume de solução 0,1 mol/l de H 2O 2 deve ser utilizado para remover, completamente, uma camada contendo 0,24 g de PbS? 4 (Ufop-MG) O bicarbonato de sódio freqüentemente é usado como antiácido estomacal. Considerando que o suco gástrico contenha cerca de 250,0 ml de solução de HCL 0,1 mol/l, conclui-se que a massa, em gramas, de NaHCO 3 necessária para neutralizar o ácido clorídrico existente no suco gástrico é: a) 1,2 b) 1,4 c) 1,8 d) 2,1 e) 2,6 250,0 ml; MHCL 0,1 mol/l; MHCL 36,5 g/mol massa de NaHCO3?; MNaHCO 3 84 g/mol HCL(aq) + NaHCO3(aq)# NaCL(aq) + H2O(L) + CO2(g) 1 36, g 1 mol de 36,5 g 0,1 mol de 3,65 g 3,65 ml 250,0 ml 250,0 3,65 x xr 0,91 g de HCL 1 36,5 g de 1 84 g de NaHCO3 0,91 g de y 0, y 1 36,5 yr 2,1 g de NaHCO3 5 (UFRJ) A tabela a seguir representa o volume, em ml, e a concentração, em diversas unidades, de três soluções diferentes. Algumas informações não estão disponíveis na tabela, mas podem ser obtidas a partir das relações entre as diferentes unidades de concentração: Solução olume eq/l mol/l g/l I. Mg(OH) ,0 A II. Mg(OH) , III. Monoácido ,1 B C 04

5 a) Qual a concentração em quantidade de matéria da solução resultante da mistura das soluções I e II? b) O sal formado pela reação entre os compostos presentes nas soluções I e III é o Mg(BrO 3) 2. Determine os valores desconhecidos A, B e C. c) Qual o volume do ácido brômico, HBrO 3, necessário para reagir completamente com 200 ml da solução I? Massas molares em g/mol: Mg 24; O 16; H 1 e Br 80. a) Cálculo da concentração em mol/l da solução II: N k M2 M2 N M2 1,0 M2 0,5 mol/l k 2 M1 1 + M2 2 M3 3 M3 M1 1 + M2 2 2, ,5 400 M3 0,8 mol/l b) Cálculo de A: M C C M M1 C 2,0 58,3 C 116,6 g/l M1 Cálculo de B: Monoácido HBrO3, ácido brômico N k M M N M 0,1 M 0,1 mol/l k 1 Cálculo de C: MHBrO g/mol C M M1 C 0,1 129 C 12,9 g/l c) 1 Mg(OH)2(aq) + 2 HBrO3(aq) # Mg(BrO3)2(aq) + 2 H2O(L) a MA A(L) 2 0,1 A(L) b MB B(L) 1 2,0 0,2 2 2,0 0,2 A(L) 0,1 A(L) 8 L 6 (Fuvest-SP) O rótulo de um produto de limpeza diz que a concentração de amônia, NH 3, é de 9,5 g/l. Com o intuito de verificar se a concentração de amônia corresponde à indicada no rótulo, 5,00 ml desse produto foram titulados com ácido clorídrico de concentração 0,100 mol/l. Para consumir toda a amônia dessa amostra foram gastos 25,00 ml do ácido. Com base nas informações fornecidas indique a alternativa que responde corretamente às seguintes questões: I. Qual a concentração da solução, calculada com os dados da titulação? II. A concentração indicada no rótulo é correta? I II a) 0,12 mol/l sim b) 0,25 mol/l não c) 0,25 mol/l sim d) 0,50 mol/l não e) 0,50 mol/l sim CNH 3 9,5 g/l NH 3 5,00 ml MHCL 0,100 mol/l HCL 25,00 ml M C M 9,5 MNH 3 (no rótulo) 0,56 mol/l M NH3(g) + 1 HCL(aq)# 1 NH4CL(aq) a MA A(L) 1 0,100 25,00 b MB B(L) 1 MNH 3 5,00 0,100 25,00 0,5 mol/l i rótulo MNH 3 5,00 MNH 3 7 (Faap-SP) Calcule o grau de pureza de uma amostra de 4,80 g de hidróxido de sódio, sabendo que uma alíquota de 10 ml de uma solução de 100 ml desse material consumiu, na titulação, 20,0 ml de uma solução 0,25 mol/l de H 2SO 4(aq). Considere que as impurezas presentes na massa da amostra são inertes ao ácido. 1 H2SO4(aq) + 2 NaOH(aq) # 1 Na2SO4(aq) + 2 H2O(L) a MH 2 SO 4(aq) H 2 SO 4(aq) (L) b MNaOH NaOH (L) MNaOH MH 2 SO 4(aq) H 2 SO (L) b 4(aq) NaOH (L) a MNaOH 0, MNaOH 1,0 mol/l Cálculo da concentração em mol/l para uma pureza igual a 100%. M m1 M 4,80 M1 (L) 40 0,1 1,2 mol de 100% de pureza 1,0 x 1, ,0 100 x 1,0 x 1,2 M 1,2 mol/l xr 83,3% de pureza 8 Calcule os volumes de soluções aquosas de H 2SO 4, respectivamente 2 eq/l (solução x) e 3,5 eq/l (solução y), necessários para a preparação de um volume igual a 750 ml de solução aquosa 3 eq/l desse ácido. Solução x: 2 normal de H2SO4(aq) Solução y: 3,5 normal de H2SO4(aq) Solução final: 3 normal de H2SO4(aq) olume final: 750 ml x + y 750 ml Com as informações do exercício montamos o sistema de equações: I. x + y 750 ml x 750 y II. Nf f Nx x + Ny y x + 3,5 y Substituindo I em II, temos: (750 y) + 3,5 y y + 3,5 y ,5 y 1,5 y 750 y 500 ml x 250 ml 9 (UFES) A partir da reação balanceada: 2 KMnO 4(aq) + 10 FeSO 4(aq) + 8 H 2SO 4(aq) # # 5 Fe 2(SO 4) 3(aq) + 1 K 2SO 4(aq) + 2 MnSO 4(aq) + 8 H 2O (L), podemos concluir que 1 litro de uma solução de permanganato de potássio, KMnO 4, contendo 158 g de soluto por litro, reage com um volume de uma solução de sulfato ferroso, FeSO 4, contendo 152 g do soluto por litro, exatamente igual a: a) 1 litro. b) 3 litros. c) 5 litros. d) 7 litros. e) 10 litros. KMnO4: 1L FeSO4:? C 158 g/l C 152 g/l M C mol/l M C mol/l M 158 M KMnO FeSO4 a MA A(L) b MB B(L) 10 1 B(L) B(L) 10 2 B(L) 5 L 05

6 10 (ITA-SP) Fazendo-se borbulhar gás cloro através de 1,0 litro de uma solução de hidróxido de sódio, verificou-se ao final do experimento que todo hidróxido de sódio foi consumido e que na solução resultante foram formados 2,5 mol de cloreto de sódio. Considerando que o volume da solução não foi alterado durante todo o processo e que na temperatura em questão tenha ocorrido apenas a reação correspondente à equação química, nãobalanceada, esquematizada a seguir, qual deve ser a concentração inicial de hidróxido de sódio? OH (aq) + CL 2(g) # CL (aq) + CLO 3(aq) + H 2O (L) a) 6,0 mol/l b) 5,0 mol/l c) 3,0 mol/l d) 2,5 mol/l e) 2,0 mol/l MNaCL 2,5 mol/l OH(a q) + CL2(g) # CL(aq) + CLO3( 0 0 redução 1 d 1 oxidação d 5 +5 aq) + H2O(L) CL : coeficiente d x coeficiente CLO3 : coeficiente d x coeficiente x OH(a q) + 3 CL2(g) # 5 CL(aq) + 1 CLO3( aq) + y H2O(L) (x ) (5 ) + (1 ) + y 0 x 6 x 6 6 OH(a 6 OH(a q) + 3 CL2(g) # 5 CL(aq) + 1 CLO3( aq) + 3 H2O(L) 5 CL(a q) a Minicial inicial(l) 6 Minicial 1 b Mfinal final(l) 5 2,5 1 Minicial 2,5 6 Minicial 3,0 mol/l 5 11 (UnB-DF) Uma remessa de soda cáustica está sob suspeita de estar adulterada. Dispondo de uma amostra de 0,5 grama, foi preparada uma solução aquosa de 50 ml. Esta solução foi titulada, sendo consumidos 20 ml de uma solução 0,25 mol/l de ácido sulfúrico. Determine a porcentagem de impureza existente na soda cáustica, admitindo que não ocorra reação entre o ácido e as impurezas. Massa molar: NaOH 40 g/mol. 1 H2SO4(aq) + 2 NaOH(aq)# 1 Na2SO4(aq) + 2 H2O(L) a MA A(L) 1 0,25 0,020 b MB B(L) 2 MB 0,050 MB 0,25 0, ,050 MB 0,2 mol/l 1 mol de 40 g de NaOH 0,2 mol de x x 8 g de NaOH 8 g de ml 50 ml y 0,4 g de NaOH T m1 T 0,4 T 0,8 ou T% 80% m 0,5 Logo, 20% de impurezas. 12 (UFPI) Desejando-se verificar o teor de ácido acético, CH 3COOH, em um vinagre obtido numa pequena indústria de fermentação, pesou-se uma massa de 20 g do mesmo e diluiu-se a 100 cm 3 com água destilada em balão volumétrico. A seguir, 25 cm 3 desta solução foram pipetados e transferidos para erlenmeyer, sendo titulados com solução 0,100 mol/l de hidróxido de sódio, da qual foram gastos 33,5 cm 3. A concentração em massa do ácido no vinagre em % é: Massa molar do ácido acético 60 g/mol. a) 4,0% b) 3,3% c) 2,0% d) 2,5% e) 0,8% 1 CH3COOH + 1 NaOH # CH3COONa + HOH a MA A(L) 1 MA 0,025 b MB B(L) 1 0,100 0,0335 MA 0,0335 0,100 0,025 1 mol de 60 g 0,134 mol de x x 8,04 g de CH3COOH MA 0,134 mol/l 8,04 g de CH3COOH ml 100 ml 100 8,04 y y 0,804 g de CH3COOH T m1 T 0,804 Tr 0,04 ou T%r 4% m (UCG-GO) Para determinar a porcentagem de prata, Ag, em uma liga, um analista dissolve uma amostra de 0,800 g da liga em ácido nítrico. Isto causa a dissolução da prata como íons Ag 1+. A solução é diluída com água e titulada com solução 0,150 mol/l de tiocianato de potássio, KSCN. É formado, então, um precipitado: Ag 1+ (aq) + SCN (a q) # AgSCN (ppt) Ele descobre que são necessários 42 ml de solução de KSCN para a titulação. Qual é a porcentagem em massa de prata na liga? Massa molar do Ag 108 g mol 1. 1 mol de SCN 58 g de SCN 0,150 mol de SCN x x 8,7 g de SCN 8,7 g de SCN ml y 42 ml y 4,2 8,7 yr 0,3654 g de SCN Ag(a q) + SCN( ,3654 zr 0,68 g de prata g) # AgSCN(ppt) 0,8 g de Ag 100% de prata na liga 0,68 g de w wr 85% de prata na liga

7 Propriedades coligativas 1 (UCDB-MS) As propriedades coligativas das soluções dependem: a) da pressão máxima de vapor do líquido. b) da natureza das partículas dispersas na solução. c) da natureza do solvente, somente. d) do número de partículas dispersas na solução. e) da temperatura de ebulição do líquido. 2 (FCMSCSP) À mesma temperatura, qual das soluções aquosas indicadas abaixo tem maior pressão de vapor? a) Solução 0,01 mol/l de hidróxido de potássio. b) Solução 0,01 mol/l de cloreto de cálcio. c) Solução 0,1 mol/l de cloreto de sódio. d) Solução 0,1 mol/l de sacarose. e) Solução 0,2 mol/l de glicose. 3 (PUC-MG) Tendo em vista o momento em que um líquido se encontra em equilíbrio com seu vapor, leia atentamente as afirmativas a seguir: I. A evaporação e a condensação ocorrem com a mesma velocidade. II. Não há transferência de moléculas entre o líquido e o vapor. III. A pressão de vapor do sistema se mantém constante. I. A concentração do vapor depende do tempo. Das afirmativas citadas, são incorretas: a) I e III b) II e I c) II e III d) I e II e) III e I Quanto menor a concentração de partículas em solução, maior é a sua pressão de vapor. I.Falsa. A concentração depende da temperatura. 4 (UFSM-RS) Os frascos de éter, se não forem bem fechados, ficam vazios em pouco tempo, porque I. se forma um composto muito estável entre as moléculas de éter e o oxigênio do ar, favorecendo assim a vaporização. II. a pressão de vapor do éter é alta. III. o éter forma uma mistura azeotrópica com o ar, o que favorece sua vaporização. Está(ão) correta(s): a) I apenas. b) II apenas. c) I e III apenas. d) II e III apenas. e) I, II e III. 5 (UnB-DF) As atividades do químico incluem identificar a composição das substâncias e determinar a sua concentração nos materiais. Para a realização de tais atividades, são utilizados atualmente equipamentos analíticos, entre os quais os instrumentos espectrofotométricos, de alta precisão e sensibilidade. Esses equipamentos possuem um sistema computacional acoplado que processa as informações obtidas pelo instrumento, fornecendo ao analista a identificação dos elementos químicos presentes na substância, bem como a sua concentração. A instalação e a manutenção desses equipamentos em laboratório exigem alguns cuidados básicos, em função da existência de sistemas eletrônicos de microprocessamento. Julgue os itens que se seguem, relativos ao problema da conservação desses intrumentos. 1. A necessidade de manter esses equipamentos em compartimento fechado, anexo ao laboratório, pode ser justificada pela utilização de substâncias com baixo ponto de ebulição e que contaminam o ambiente. 2. A teoria cinético-molecular demonstra que, em dias quentes, os vapores e gases emitidos no laboratório poderão atacar o sistema eletrônico dos equipamentos com maior intensidade do que em dias frios. 3. Em laboratórios situados em regiões geográficas de elevada altitude, a vaporização de substâncias voláteis será mais rápida do que em laboratórios localizados em regiões próximas ao nível do mar. Corretos: 1, 2 e 3. 07

8 6 (UEMA) Sobre os estados líquido, sólido e gasoso, é correto afirmar que: 01. um líquido entra em ebulição somente quando sua pressão de vapor for maior que duas vezes a pressão exercida sobre o líquido. 02. o calor de vaporização de um líquido é positivo. 04. um sólido sublimará quando sua pressão de vapor atingir o valor da pressão externa. 08. a densidade de um líquido, à temperatura e pressão constantes, é sempre maior do que a densidade do seu vapor. 16. um líquido A é considerado mais volátil que um líquido B, se a pressão de vapor de A for maior que a pressão de vapor de B, nas mesmas condições de pressão e temperatura. 32. a condensação de um gás pode ocorrer por diminuição da temperatura e/ou aumento da pressão. 7 (Fuvest-SP) Em um mesmo local, a pressão de vapor de todas as substâncias puras líquidas: a) tem o mesmo valor à mesma temperatura. b) tem o mesmo valor nos respectivos pontos de ebulição. c) tem o mesmo valor nos respectivos pontos de congelação. d) aumenta com o aumento do volume de líquido presente, à temperatura constante. e) diminui com o aumento do volume de líquido presente, à temperatura constante. 01. Falso. O líquido entra em ebulição quando sua pressão de vapor se iguala à pressão externa. Resposta: soma 62 9 (UFRGS-RS) Os pontos normais de ebulição da água, do etanol e do éter etílico são, respectivamente, 100 C, 78 C e 34 C. Observe as curvas no gráfico de variação de pressão de vapor do líquido (P ) em função da temperatura (T). Pressão de vapor/mmhg I II III Temperatura/ C As curvas I, II e III correspondem, respectivamente, aos compostos: a) éter etílico, etanol e água. b) etanol, éter etílico e água. c) água, etanol e éter etílico. d) éter etílico, água e etanol. e) água, éter etílico e etanol. 10 (UFSC) O gráfico apresenta a variação das pressões de vapor do n-hexano, da água, do benzeno e do ácido acético com a temperatura. Pressão/mmHg 760 n-hexano benzeno água ácido acético 8 (FEI-SP) Foram realizadas medidas de pressão de vapor em experiências com o tubo de Torricelli utilizando os líquidos puros: água, álcool, éter e acetona, todos na mesma temperatura de 20 o C e ao nível do mar. Os resultados foram os seguintes: Substância (líquido) Água Álcool Éter Acetona Pressão de vapor/mmhg 17,5 43,9 184,8 442,2 Considerando os mesmos líquidos, a 20 o C, quais entrariam em ebulição na referida temperatura num ambiente onde a pressão fosse reduzida a 150 mmhg? a) Nenhum dos líquidos. b) Apenas a acetona. c) Apenas o éter e a acetona. d) Apenas a água. e) Apenas a água e o álcool Temperatura/ C Assinale a(s) proposição(ões) verdadeira(s). 01. O n-hexano é mais volátil que o ácido acético. 02. Na pressão de 760 mmhg, o benzeno tem ponto de ebulição de 80 C. 04. A 76 C a pressão de vapor da água é aproximadamente de 760 mmhg. 08. Uma mistura de água e ácido acético, em qualquer proporção, terá, ao nível do mar, ponto de ebulição entre 60 C e 80 C. 16. A água, a 0 C, tem pressão de vapor 760 mmhg. 32. A ordem crescente de volatilidade, a 80 C, é ácido acético < água < benzeno < n-hexano. 64. As pressões de vapor aumentam com o aumento da temperatura. 04. Falsa. É menor que 760 mmhg. 08. Falsa. Acima de 100 C. 16. Falsa. Bem menor que 760 mmhg. Resposta: soma 99 08

9 11 (Fameca-SP) Em um acampamento à beira-mar, um campista conseguiu preparar arroz cozido utilizandose de água, arroz e uma fonte de aquecimento. Quando este mesmo campista foi para uma montanha a 3000 m de altitude, observou, ao tentar cozinhar arroz, que a água: a) fervia, mas o arroz ficava cru, porque a água estava fervendo a uma temperatura inferior a 100 C devido ao abaixamento de sua pressão de vapor. b) fervia rapidamente, porque a temperatura de ebulição estava acima de 100 C devido à rarefação do ar e ao conseqüente aumento de sua pressão de vapor. c) fervia rapidamente, porque a temperatura de ebulição estava acima de 100 C devido à baixa pressão atmosférica. d) não fervia, porque a baixa umidade e temperatura aumentaram a pressão de vapor do líquido a ponto de impedir que entrasse em ebulição. e) fervia tão rapidamente quanto ao nível do mar e apresentava ponto de ebulição idêntico, pois tratava-se do mesmo composto químico e, portanto, não poderia apresentar variações em seus pontos cardeais, ou seja, os pontos de fusão e de ebulição e sua densidade. 12 (FMU-SP) Cozinhar alimentos em uma panela de pressão é mais rápido do que fazê-lo em uma panela comum. Isso ocorre porque: a) a panela de pressão tem sua estrutura mais reforçada (mais grossa) do que uma panela comum. b) na panela de pressão os alimentos são colocados em pedaços pequenos. c) quando aumenta a pressão sobre um líquido a temperatura de evaporação também aumenta. d) a água no interior da panela de pressão ferve sem formação de bolhas. e) as bolhas formadas durante a evaporação na panela comum dilatam os alimentos. 13 A volatilidade de uma substância é conseqüência de sua massa molar e das forças intermoleculares existentes. A acetona, por exemplo, de massa molar 58 g/mol e forças intermoleculares do tipo dipolo permanente, é mais volátil que o etanol, de massa molar 46 g/mol e pontes de hidrogênio. A explicação para isso é que, como as forças de dipolo permanente são menos intensas que as pontes de hidrogênio, as moléculas de acetona estão menos atraídas umas pelas outras do que as de etanol e se desprendem mais facilmente pelo fornecimento de energia externa. A pressão de vapor de uma substância é uma conseqüência direta de sua volatilidade. Para dada temperatura, quanto mais volátil a substância, maior será sua pressão de vapor. A seguir estão relacionadas as pressões de vapor em mmhg de vários solventes em função da temperatura: t / o C Água Etanol Acetona Éter etílico Benzeno 0,0 4,5 12, ,3 28,5 20,0 17,5 43,9 184,8 442,2 76,7 40,0 50,3 135,3 421,5 921,3 179,9 60,0 149,4 352,7 866, ,6 80,0 355,1 812, ,9 a) Construa um gráfico das pressões de vapor em mmhg da água, do etanol, da acetona, do éter etílico e do benzeno em função da temperatura. b) Determine, pelo gráfico: o ponto de ebulição da acetona sob pressão de 500 mmhg, o ponto de ebulição do éter etílico sob pressão de 600 mmhg e a pressão de vapor da água a 70,0 C. c) Das substâncias relacionadas na tabela, qual a mais volátil a 40,0 C? Justifique. d) Calcule o abaixamento relativo da pressão de vapor da água a 40,0 C provocado pela adição de 4,9 g de ácido fosfórico, H 3PO 4, 30% ionizado em um litro de água. a) Gráfico da pressão em função da temperatura: Pressão/mmHg éter etílico 900 acetona etanol benzeno água Temperatura/ C b) Pelo gráfico, concluímos que: _ sob pressão de 500 mmhg, a acetona apresenta ponto de ebulição de aproximadamente 44 C; _ sob pressão de 600 mmhg, o éter etílico apresenta ponto de ebulição de aproximadamente 28 C; _ a pressão de vapor da água a 70 C é de aproximadamente 240 mmhg. c) Das substâncias relacionadas, a mais volátil a 40 o C (a que apresenta maior pressão de vapor) é o éter etílico. d) Massas molares em g/mol: H 3 PO 4 98 e H 2 O 18. n 1 m 1 n 1 4,9 n 1 0,05 mol M 1 98 Para soluções ideais (diluídas), nas quais o solvente é a água (cuja densidade ér 1 g/cm 3 a 20 C) e a quantidade de matéria de soluto dissolvido não é maior do que 0,1 mol por litro, podemos considerar que a concentração em quantidade de matéria, M, é aproximadamente igual à concentração molal (mol/kg de solvente). n 1 n M 1 e ω (L) m 2 (kg) Logo, a solução possui concentração 0,05 mol/l ou 0,05 mol/kg. 1 H 3 PO 4(aq) # 3 H 3 O 1+ (aq) + 1 PO 3 i 1 + a (q 1) i 1 + 0,30 (4 1) i 1 + 1,2 0,30 i 1,9 k t 18 k t 0,018 dp kt w i dp 0,018 0,05 1,9 p 2 p 2 dp 0,00171 ou r 0,002 p 2 4(aq) 09

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas 2º ANO QUÍMICA 1 1 mol 6,02.10 23 partículas Massa (g)? Massa molar Cálculo do número de mols (n) Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não

Leia mais

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Quando misturamos soluções de mesmo soluto, obtemos uma nova solução de concentração intermediária às das soluções misturadas. Nesse caso,

Leia mais

Química Avançada 06 - Soluções

Química Avançada 06 - Soluções Química Avançada 06 - Soluções Nome: Turma: 1) (UFF-adaptada) O ácido nítrico é um importante produto industrial. Um dos processos de obtenção do ácido nítrico é fazer passar amônia e ar, sob pressão,

Leia mais

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br 3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br Profª Helena Bonaparte Soluções : Concentração, diluição, misturas e neutralização. Unidades de concentração das soluções De acordo com a IUPAC, a quantidade de

Leia mais

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura.

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura. SOLUÇÕES 1) (FEI) Tem-se 500g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? Dados: Coeficiente

Leia mais

REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães ORIENTAÇÃO: Prof a Márcia Cunha 2001

REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães ORIENTAÇÃO: Prof a Márcia Cunha 2001 CENTRO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE QUÍMICA - LICENCIATURA INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO DE QUÍMICA SÉRIE: EXPERIÊNCIAS DEMONSTRATIVAS REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015 Disciplina: Professor (a): QUÍMICA LUÍS FERNANDO Roteiro de estudos para recuperação trimestral Conteúdo: Referência para estudo: Sites recomendados:

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- Pressão Máxima de Vapor: É a pressão exercida por seus vapores quando estes estão em equilíbrio dinâmico com o líquido. É bom lembrar também que quanto maior for a pressão máxima

Leia mais

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA QUÍMICA Prof. Borges TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA 1. (Fuvest-SP) Descargas industriais de água pura aquecida podem provocar a morte de peixes em rios e lagos porque causam: a) o aumento

Leia mais

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma MISTURA Quando na mistura tiver apenas

Leia mais

S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 >

S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > S O L U Ç Õ E S PROF. AGAMENON ROBERTO < 011 > SOLUÇÕES MISTURAS Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s),

Leia mais

~ 1 ~ Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2012

~ 1 ~ Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2012 Questão 02: Ao nosso redor vemos diversos materiais assumindo os estados sólido, líquido ou gasoso. Abaixo você vê uma imagem mostrando água pura nos três estados físicos mais comuns. MODALIDADE EM-1 Nº

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I PROPRIEDADES COLIGATIVAS I CONCEITO São propriedades que dependem unicamente do número de partículas dispersas na solução. Não dependem da natureza das partículas dispersas. Observe, a seguir, alguns dados

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS Em países quentes, é costume adicionar à água do radiador dos automóveis o etilenoglicol, que eleva a temperatura de ebulição da água. Evita-se

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São as propriedades das soluções que dependem do número de partículas dispersas e independem da natureza das partículas do soluto. Pressão Máxima de Vapor (PMV) PMV é a pressão

Leia mais

Ciências Físico-Químicas Ano Lectivo 2010/2011

Ciências Físico-Químicas Ano Lectivo 2010/2011 Ciências Físico-Químicas Ano ectivo 2010/2011 Nome 7.º Ano Turma Número Mudanças de estado físico, ponto de fusão, ponto de ebulição e concentração mássica 1. Indique, justificando, se a temperatura a

Leia mais

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES 01 Uma solução composta por duas colheres de sopa de açúcar (34,2g) e uma colher de sopa de água (18,0 g) foipreparada. Podemos

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

Exercícios de ph Turma Evolução

Exercícios de ph Turma Evolução . A forma dos fios do cabelo (liso ou ondulado) se deve à forma das estruturas proteicas da queratina. Promovendo reações químicas nas ligações dissulfeto (RSSR) presentes na proteína, é possível alterar

Leia mais

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUESTÃO 01 Um estudante listou os seguintes processos como exemplos de fenômenos que envolvem reações químicas: I adição de álcool à gasolina. II fermentação da massa

Leia mais

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET

TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS MATERIAL RETIRADO PARCIALMENTE OU NA INTEGRA DE LISTAS DE EXERCÍCIOS ENCONTRADAS NA INTERNET 1. Unifor-CE O metal potássio reage vigorosamente com água, produzindo hidrogênio

Leia mais

Produto Iônico da Água (Kw)

Produto Iônico da Água (Kw) Produto Iônico da Água (Kw) EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UNB-DF) Na atmosfera, parte do dióxido de enxofre - que é altamente solúvel em água - acaba por dissolver-se nas nuvens ou mesmo nas gotas de chuva,

Leia mais

RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9. Química - Setor A. Aulas 1 e 2. Aulas 3 e 4. Aula 1 O. Aula 1. Aula 2. Aula 2. Aula 3 ENSINO MÉDIO H H

RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9. Química - Setor A. Aulas 1 e 2. Aulas 3 e 4. Aula 1 O. Aula 1. Aula 2. Aula 2. Aula 3 ENSINO MÉDIO H H ENSINO MÉDIO RESPOSTAS DAS TAREFAS 2ª SÉRIE9 Química - Setor A Aulas 1 e 2 1. a) O etanol e a glicose são substâncias orgânicas, já que possuem carbono em sua composição, são formados por ligação covalente

Leia mais

Preparação e padronização de uma solução 0,10 mol/l de ácido clorídrico

Preparação e padronização de uma solução 0,10 mol/l de ácido clorídrico Universidade Estadual de Goiás UnUCET - Anápolis Química Industrial Química Experimental II Preparação e padronização de uma solução 0,10 mol/l de ácido clorídrico Alunos: Bruno Ramos; Wendel Thiago; Thales

Leia mais

Propriedades coligativas I

Propriedades coligativas I Propriedades coligativas I 01. (Ufrn) Um béquer de vidro, com meio litro de capacidade, em condições normais de temperatura e pressão, contém 300 ml de água líquida e 100 g de gelo em cubos. Adicionando-se,

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio

ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio ROTEIRO DE ESTUDOS DE QUÍMICA 1 etapa/14 2 Série Ensino Médio Aluno (a): Turma n Mol Massa de átomos molécula, íons, mol e determinação de fórmula química Aspectos quantitativos das reações químicas. Relações

Leia mais

Relações entre as concentrações das Soluções

Relações entre as concentrações das Soluções Relações entre as concentrações das Soluções EXERCÍCIO RESOLVIDO O ácido clorídrico comercial, também conhecido como ácido muriático, apresenta no rótulo de sua embalagem as seguintes informações: 20%

Leia mais

Exercícios sobre ConcentraÇões das soluções - Parte 2

Exercícios sobre ConcentraÇões das soluções - Parte 2 Exercícios sobre ConcentraÇões das soluções - Parte 2 01. (Fatec) Caso sejam acrescentados 3,0 g de bicarbonato de sódio a 50 ml de HCl 0,25 mol/l, a massa desse sal que deve SOBRAR SEM REAGIR será próxima

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM)

UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) UFU 2010/1 ABERTAS (1ª FASE = ENEM) 1-Leia o texto a seguir. Com o passar do tempo, objetos de prata escurecem e perdem seu brilho em decorrência da oxidação desse metalpelo seu contato com oxigênio e

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

Lista de exercícios 9

Lista de exercícios 9 Nome: Bimestre: 2º nº: Ano / série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Data: / / 2012 Professor: Ricardo Honda Lista de exercícios 9 Estudo das soluções I Concentração comum 01. Uma

Leia mais

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 61 A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação

Leia mais

CONSTANTES DEFINIÇÕES

CONSTANTES DEFINIÇÕES CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,0 x 10 mol -1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 C mol -1 Volume molar de gás ideal =,4 L (CNTP) Carga elementar = 1,60 x 10-19 C Constante dos gases (R) = 8,1

Leia mais

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS MISTURAS SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma mistura. Exemplos: Mistura de

Leia mais

Química B Extensivo V. 3

Química B Extensivo V. 3 Química B Extensivo V. 3 01) Alternativa correta: D Exercícios A água pura (destilada ) não é condutora de eletricidade pois não há presença de sais lá, mas a partir do momento que se adiciona alguma substância

Leia mais

Concentrações das Soluções

Concentrações das Soluções Concentrações das Soluções Concentração em mol/l ou Concentração molar A concentração em mol/l de uma solução indica a quantidade de mols do soluto considerado, para cada litro de solução. Símbolos = M

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

Química - Grupo J - Gabarito

Química - Grupo J - Gabarito - Gabarito 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Informe a que volume deve ser diluído com água um litro de solução de um ácido fraco HA 0.10 M, de constante de ionização extremamente pequena (K

Leia mais

Lista de exercícios sobre funções inorgânicas.

Lista de exercícios sobre funções inorgânicas. Lista de exercícios sobre funções inorgânicas. 1. X é uma substância gasosa nas condições ambientes. Quando liquefeita, praticamente não conduz corrente elétrica, porém forma solução aquosa que conduz

Leia mais

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade QUÍMICA SOLUÇÕES 1. INTRODUÇÃO Soluções são misturas homogêneas, ou seja, misturas entre dois ou mais componentes apresentando uma única fase. Exemplos: Água + Álcool Água + Sal + Açucar Curvas de Solubilidade

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q17 Ebulioscopia

Química. Resolução das atividades complementares. Q17 Ebulioscopia Resolução das atividades complementares Química Q17 Ebulioscopia p. 8 1 A água numa solução aquosa de glicose entra em ebulição a 100,39 8C. A concentração dessa solução em mol de glicose por quilograma

Leia mais

Propriedade Coligativas das Soluções

Propriedade Coligativas das Soluções Capítulo 9 Propriedade Coligativas das Soluções 1. (IME) Um instrumento desenvolvido para medida de concentração de soluções aquosas não eletrolíticas, consta de: a) um recipiente contendo água destilada;

Leia mais

SÉRIE: 9º ano EF Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO SUGESTÕES DE QUESTÕES

SÉRIE: 9º ano EF Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO SUGESTÕES DE QUESTÕES SÉRIE: 9º ano EF Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO SUGESTÕES DE QUESTÕES TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado

Leia mais

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Geral ASSUNTO: Soluções e Unidades de Concentração 1 1. TIPOS MAIS COMUNS DE SOLUÇÃO Solução

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém cinco

Leia mais

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA Prof. Borges / Lessa TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA AULA 06 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES Diluir significa adicionar solvente a uma solução que já existe. Este método faz com que o volume de solução aumente e a concentração

Leia mais

1) Faça o balanceamento das equações abaixo:

1) Faça o balanceamento das equações abaixo: PROFESSORA: GIOVANA CARABALLO MELATTI DATA: / /2015 COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE SALA ALUNO: LISTA DE EXERCÍCIOS REVISÃO 1) Faça o balanceamento das equações abaixo: a) C 2 H 6

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1) Qual das seguintes soluções aquosas apresenta maior ponto de ebulição? A) uréia 2,0 molar. B) glicose 1,5 molar. C) NaCl 1,5 molar. D) CH 3 COOH 1,0 molar. E) sacarose 2,5 molar.

Leia mais

Lista de Exercícios Fundamentos de Análise Volumétrica ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO.

Lista de Exercícios Fundamentos de Análise Volumétrica ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO. ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO. 1 Quantos mililitros de ácido nítrico 0,125 M são necessários para titular 1,30 g de hidróxido de bário? MASSAS

Leia mais

EXERCÍCIOS DE SOLUÇÕES

EXERCÍCIOS DE SOLUÇÕES EXERCÍCIOS DE SOLUÇÕES 01. A popular maionese caseira é formada pela mistura de óleo, limão (ou vinagre) e gema de ovo; este último componente tem a função de estabilizar a referida mistura. Esta mistura

Leia mais

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado.

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico

Leia mais

A resposta correta deve ser a letra B.

A resposta correta deve ser a letra B. ITA - 1999 1- (ITA-99) Assinale a opção CORRETA em relação à comparação das temperaturas de ebulição dos seguintes pares de substâncias: a) Éter dimetílico > etanol; Propanona > ácido etanóico; Naftaleno

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g MOLARIDADE Para que haja uma aula o professor primeiramente necessita optar pela área que irá trabalhar e em seguida escolher o tema. Até aqui nada de novo. Isto acontece com todos os professores não importando

Leia mais

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Propriedades Coligativas...1 Exercícios...3 Gabarito...5 Propriedades coligativas Propriedades

Leia mais

Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química

Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química Físico-Química Experimental I Bacharelado em Química Engenharia Química Prof. Dr. Sergio Pilling Prática 2 Soluções & Titulação Condutométrica. Revisão sobre preparação de soluções (concentração, molaridade,

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q1 Dispersões e soluções

Química. Resolução das atividades complementares. Q1 Dispersões e soluções Resolução das atividades complementares Química Q Dispersões e soluções p. 8 (UFPR) Uma solução é uma mistura homogênea de duas ou mais substâncias, não importando seu estado físico. Quando algum dos componentes

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

Assunto: Roteiro de estudos autônomos. Professora: Luciene Data: 11/07/2013

Assunto: Roteiro de estudos autônomos. Professora: Luciene Data: 11/07/2013 Disciplina: Química Assunto: Roteiro de estudos autônomos Série/Ano: 2ª série 1º SEMESTRE Professora: Luciene Data: 11/07/2013 GABARITO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS GASES ESTEQUIOMETRIA ESTUDO DAS SOLUÇÕES

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q3 Fenômenos físicos e químicos

Química. Resolução das atividades complementares. Q3 Fenômenos físicos e químicos Resolução das atividades complementares 1 Química Q3 Fenômenos físicos e químicos p. 18 1 (UFG-GO) A Química está presente em nosso cotidiano sob as mais variadas maneiras. Ela está presente nos medicamentos,

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo A

PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo A PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo A 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Num recipiente de 3,0 L de capacidade, as seguintes pressões parciais foram medidas: N 2 = 0,500 atm; H 2 = 0,400 atm;

Leia mais

MATÉRIA Química II. Helder

MATÉRIA Química II. Helder Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Química II PROFESSOR(A) Helder ANO SEMESTRE DATA 1º 1º Jul/2013 TOTAL DE ESCORES ---- ESCORES OBTIDOS ---- 1. Numa solução saturada temos: a) uma soluçâo

Leia mais

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo.

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. QUÍMICA As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

ASSUNTO: LEIS BÁSICAS DA QUÍMICA (LAVOISIER, PROUST E DALTON) PROF. KELTON WADSON OLIMPIADA: NÍNEL II EXERCÍCIOS

ASSUNTO: LEIS BÁSICAS DA QUÍMICA (LAVOISIER, PROUST E DALTON) PROF. KELTON WADSON OLIMPIADA: NÍNEL II EXERCÍCIOS ASSUNTO: LEIS BÁSICAS DA QUÍMICA (LAVOISIER, PROUST E DALTON) PROF. KELTON WADSON OLIMPIADA: NÍNEL II EXERCÍCIOS 1. Duas amostras de carbono, C, de massas iguais, foram totalmente queimadas separadamente,

Leia mais

QIE0001 Química Inorgânica Experimental Prof. Fernando R. Xavier. Prática 09 Síntese do cloreto de pentaaminoclorocobalto(iii)

QIE0001 Química Inorgânica Experimental Prof. Fernando R. Xavier. Prática 09 Síntese do cloreto de pentaaminoclorocobalto(iii) UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE QUÍMICA DQMC QIE0001 Química Inorgânica Experimental Prof. Fernando R. Xavier Prática 09 Síntese do cloreto

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS 3 PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS QUÍMICA 01 - O dispositivo de segurança que conhecemos como air-bag utiliza como principal reagente para fornecer o gás N 2 (massa molar igual a 28 g mol -1

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

Leis Ponderais e Cálculo Estequiométrico

Leis Ponderais e Cálculo Estequiométrico Leis Ponderais e Cálculo Estequiométrico 1. (UFF 2009) Desde a Antiguidade, diversos povos obtiveram metais, vidro, tecidos, bebidas alcoólicas, sabões, perfumes, ligas metálicas, descobriram elementos

Leia mais

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA 97. A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0 g por 100 g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100 g de CaC 2 O 4

Leia mais

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios SEI Ensina - MILITAR Química SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios 1.A água potável é um recurso natural considerado escasso em diversas regiões do nosso planeta. Mesmo em locais onde a água é relativamente

Leia mais

PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL

PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DA MATÉRIA CONCEITOS BÁSICOS MATÉRIA: tudo o que tem massa e ocupa lugar no espaço. CORPO/OBJETO: porção limitada da matéria. MASSA: quantidade matéria,

Leia mais

SOLUÇÃO: Dadas as características do quadro, temos: I Modelo de Sommerfeld II- Modelo de Ruterfherford III Modelo de Bohr ALTERNATIVA C

SOLUÇÃO: Dadas as características do quadro, temos: I Modelo de Sommerfeld II- Modelo de Ruterfherford III Modelo de Bohr ALTERNATIVA C 1. Em 1970, o químico holandês Paul Crutzen publicou um artigo sugerindo que os óxidos de nitrogênio poderiam afetar o equilíbrio O 3(g) O 2(g) + O (g), causando a destruição do ozônio atmosférico, conforme

Leia mais

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides 1. Considere o gráfico da pressão máxima de vapor em função da temperatura para um solvente puro e para uma solução desse solvente contendo um soluto molecular

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 3ª Série Turma: FG

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. 3ª Série Turma: FG COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: QUÍMICA Professora: Maria Luiza 3ª Série Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Aulas 13 e 14. Soluções

Aulas 13 e 14. Soluções Aulas 13 e 14 Soluções Definição Solução é a denominação ao sistema em que uma substância está distribuída, ou disseminada, numa segunda substância sob forma de pequenas partículas. Exemplos Dissolvendo-se

Leia mais

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Nome: nº: Bimestre: 2º Ano/série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Professor: Ricardo Honda Data: / / Concentração comum Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Estudo das Soluções

Leia mais

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas 01. (Uepg) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem

Leia mais

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015 MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ 01. Observe na tabela a distribuição percentual dos principais elementos químicos cujos átomos, combinados,

Leia mais

Professora Sonia Exercícios Sobre SeparaÇão de misturas (Análise imediata)

Professora Sonia Exercícios Sobre SeparaÇão de misturas (Análise imediata) Exercícios Sobre SeparaÇão de misturas (Análise imediata) 01. Preencha os quadros a seguir com a descrição da utilização de cada equipamento de laboratório: 1 02. (Cesgranrio) Numa das etapas do tratamento

Leia mais

Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia

Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia Questão 01 - (UEPG PR) As mudanças de estado físico, classificadas como fenômenos físicos, ocorrem com a variação de entalpia ( ). Sobre esses processos, assinale

Leia mais

Química Prof. Marcelo

Química Prof. Marcelo Química Prof. Marcelo PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1 Pressão de vapor 2 Pressão de vapor e mudança de estado 3- Tonoscopia 4- Crioscopia 5- Ebulioscopia 6 - Osmose e pressão osmótica PROPRIEDADES COLIGATIVAS

Leia mais

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas.

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. QUÍMICA PROF - 3C13 SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. Solução é

Leia mais

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier

Química em Solventes não Aquosos. Prof. Fernando R. Xavier Química em Solventes não Aquosos Prof. Fernando R. Xavier UDESC 2013 Reações químicas podem acontecer em cada uma das fases ordinárias da matéria (gasosa, líquida ou sólida). Exemplos: Grande parte das

Leia mais

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica).

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). 01 a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). b) Incorreta. Quanto mais volátil o líquido, menor será

Leia mais

MECANISMOS BÁSICOS DE CORROSÃO

MECANISMOS BÁSICOS DE CORROSÃO Centro Universitário de Brasília Disciplina: Química Tecnológica Geral Professor: Edil Reis MECANISMOS BÁSICOS DE CORROSÃO No estudo dos processos corrosivos devem ser sempre consideradas as variáveis

Leia mais