Questão 01 Diagnóstico da gestação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questão 01 Diagnóstico da gestação"

Transcrição

1 Saúde Da Mulher: Diagnóstico Da Gestação, Modificações Gravídicas e Pré Natal. Prof. Enf. Obstetra Hygor Elias Questão 01 Diagnóstico da gestação Segundo o Ministério da Saúde (MS, 2000), o diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo(a) enfermeiro(a) da unidade básica. No início da gestação, as mulheres informam e(ou) identificam a presença de sinais conhecidos como presuntivos, de probabilidade e de certeza. Com relação a esse assunto, julgue os itens seguintes. a) O aumento da frequência urinária e o aumento de náuseas da paciente são sinais de probabilidade da gestação. b) Amenorréia, fadiga e alterações mamárias, se relatadas pela paciente, indicarão sinais de presunção de gravidez. 1

2 Questão 01 Diagnóstico da gestação c) Sinal de rechaço, contrações de Braxton Hicks e sinal de Goodell são considerados sinais de probabilidade de gestação. d) São considerados sinais de certeza de gestação o coração fetal audível por meio do exame doppler, a palpação do movimento fetal e a evidência da ultrassonografia fetal. Questão 02 Modificações gravídicas A gestação é um período marcado por adaptações progressivas no organismo materno. A respeito dessas modificações, assinale a alternativa correta. a) A compressão das veias ilíacas e cava inferiores pelo útero causa aumento da pressãovenosaereduçãodofluxodesangueparaaspernas,masnãosãocausas de edemas e veias varicosas nas pernas e na vulva. b) A linha negra (nigra) é uma linha pigmentada que se estende da sínfise pubiana ao topo do fundo na linha média e é conhecida como linha alba antes da pigmentação induzida pelos hormônios. Está presente em todas as gestantes, caso contrário indica alguma disfunção na gravidez. 2

3 Questão 02 Modificações gravídicas c) Sãotrêsascategoriasquenosauxiliamnossinaisesintomasda gestação quando positiva, sendo alguns deles sinal de presunção a amenorréia, sinal de probabilidade, o aumento uterino e o de certeza a polaciúria. d) As adaptações fisiológicas maternas são atribuídas aos hormônios da gestação e às pressões mecânicas provocadas pelo aumento do útero e de outros tecidos. e) Durante a gestação, o ph das secreções vaginais eleva-se de quatro para aproximadamente seis e meio, o que provoca nas gestantes uma leucorréia de cor escura e odor fétido. Questão 03 Cálculo IG e DPP Uma gestante compareceu a consulta de enfermagem no serviço de pré-natal no dia 14/11 com algumas dúvidas: não sabia a sua idade gestacional (IG) e referiu que a data provável do parto (DPP) não estava correta. Informou que a data da última menstruação (DUM) tinha sido dia 20/5, confirmada pela ecografia. Acerca do cálculo da DPP e da IG dessa paciente, julgue os itens a seguir. a) De acordo com os dados apresentados pela paciente, sua DPP é 27 de fevereiro. b) De acordo com os dados apresentados pela paciente, sua IG é de 25 semanas. 3

4 Questão 04 Cálculo IG e DPP QUESTÃO EXTRA: DUM: 25/11/2016 IG: DPP: Questão 05 Rotina do pré natal O pré-natal é um fator primordial para a prevenção e o tratamento precoce de diversas afecções que poderão afetar a integridade do binômio mãe-feto durante a gestação e o parto. Considerando o exposto, é correto afirmar que o pré natalista deve a) solicitar USG obstétrica somente nos casos em que a gestante relatar algum problema de saúde. b) solicitar exames rotineiros, entre outros, tais como hemograma completo, EAS, tipagem sanguínea e fator Rh, glicemia de jejum, VDRL, rubéola, doença de Chagas, sorologias para hepatite B e C, HTLV e raios X de abdome. 4

5 Questão 05 Rotina do pré natal c) aferir o peso e a pressão arterial em todas as consultas, haja vista a importância do cálculo do índice de massa corporal (IMC). d) saber que o resultado da glicemia de jejum > 126 mg/dl, por duas medidas, não merece consideração na análise do exame. e) averiguar esquema vacinal para hepatite B e, se a gestante comprovar, por meio de carteira vacinal, que tem três doses completas há menos de cinco anos, deve-se recomendar mais três doses de reforço. Questão 06 Rotina do pré natal Quanto à assistência pré-natal, julgue os itens. a) O controle da pressão arterial visa detectar, precocemente, os estados hipertensivos que se constituam em risco materno e perinatal. b) O VDRL deve ser solicitado no primeiro e terceiro trimestres gestacionais para identificar toxoplasmose da gestante. c) O teste anti-hiv, na gravidez, deve ser obrigatório, porém isto não implica que a gestante seja obrigada a fazer. 5

6 Questão 06 Rotina do pré natal d) A vacinação contra rubéola, na gravidez, protege a gestante e previne a doença no recém-nascido. e) A gravidez é um período de mudanças físicas e emocionais na mulher. É importante que estas mudanças sejam trabalhadas de forma saudável, preferencialmente com a participação do pai da criança, para reduzir o nível de ansiedade da gestante e melhorar otrabalhodeparto. 6

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade AULA 10 A Rede Cegonha Implementada em 2011, a Rede Cegonha é uma Rede de cuidados que assegura às MULHERES o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério, e

Leia mais

PRÉ-REQUISITO R4 ULTRASSONOGRAFIA (402)

PRÉ-REQUISITO R4 ULTRASSONOGRAFIA (402) PRÉ-REQUISITO R ULTRASSONOGRAFIA (0) RESIDÊNCIA MÉDICA (UERJ-FCM) 0 PRÉ-REQUISITO (R) / 0 PROVA ESCRITA OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA ) Gestante com nove semanas de idade gestacional (IG) inicia pré-natal

Leia mais

Saúde da Mulher. Prof. Hygor Elias

Saúde da Mulher. Prof. Hygor Elias Saúde da Mulher Prof. Hygor Elias Pré Natal, Parto, Puerpério E Intercorrências Do Ciclo Gravídico Puerperal PAISC Programa De Atenção Integral À Saúde Da Mulher A gravidez modifica anatômica e fisiologicamente

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome. Endereço. Município. Bairro. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. ANS- nº

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome. Endereço. Município. Bairro. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. ANS- nº CARTÃO DA GESTANTE Nome ANS- nº 0004 Endereço Município Bairro Telefone Nome da Operadora Registro ANS AGENDAMENTO Hora Nome do profissional Sala ANS- nº 0004 1 Idade Estado Civil Peso anterior Altura (cm)

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 PRÉ-REQUISITO (R4) PROVA ESCRITA

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 PRÉ-REQUISITO (R4) PROVA ESCRITA 1 OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA / ULTRASSONOGRAFIA 1) Secundípara com 26 anos deu à luz por parto vaginal a recém-nascido (RN) a termo que pesou 3.450g. Ambos assintomáticos receberam alta no terceiro dia.

Leia mais

GESTANTE CARTÃO DA AGENDAMENTO NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE. REGISTRO ANS nº

GESTANTE CARTÃO DA AGENDAMENTO NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE. REGISTRO ANS nº CARTÃO DA GESTANTE NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE REGISTRO ANS nº 41913-3 AGENDAMENTO Data Hora Nome do Profissional Sala Carta de Informação à Gestante O parto

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

GESTANTE CARTÃO DA. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

GESTANTE CARTÃO DA. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação

Leia mais

Avaliação da Qualidade da Assistência Pré-natal do PSFII do Município de Ingá - PB

Avaliação da Qualidade da Assistência Pré-natal do PSFII do Município de Ingá - PB Avaliação da Qualidade da Assistência Pré-natal do PSFII do Município de Ingá - PB Elisângela Braga de Azevedo Profª Djacyr Magna Cabral Freire Orientadora Introduzindo a Temática Escolha do objetivo da

Leia mais

SISPRENATAL. Manual de Preenchimento dos Formulários de Cadastro e Consulta, Exames e Vacinas

SISPRENATAL. Manual de Preenchimento dos Formulários de Cadastro e Consulta, Exames e Vacinas SISPRENATAL Manual de Preenchimento dos Formulários de Cadastro e Consulta, Exames e Vacinas Prefeitura Municipal de Porto Alegre Março de 2007 1 Prefeitura Municipal de Porto Alegre José Fogaça Prefeito

Leia mais

ORGANIZADOR. Página 1 de 7

ORGANIZADOR. Página 1 de 7 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ULTRASSONOGRAFIA (R) / 0 PROVA DISCURSIVA Página de 7 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ULTRASSONOGRAFIA (R) / 0 PROVA DISCURSIVA ULTRASSONOGRAFIA ) Mulher de 9 anos, DUM em 8//5, realizou

Leia mais

AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB

AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB 1- Hipóteses diagnósticas que devem ser encaminhadas para este ambulatório 1a) Diabetes Mellitus Tipo 1, Tipo 2, Gestacional (DMG): com indicação de administração

Leia mais

Fabiana Santos Troian. Declaração de conflito de interesse

Fabiana Santos Troian. Declaração de conflito de interesse Fabiana Santos Troian Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

ALCANÇOU OBJETIVO 2 PARCIALMENTE,

ALCANÇOU OBJETIVO 2 PARCIALMENTE, PROVA PRÁTICA: GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA ESTAÇÃO: 07 A recorrente alega que no comando da estação solicita-se explicar o significado de BI-RADS 3, chance da lesão evoluir para câncer e em quanto tempo

Leia mais

Aula 20 Pré-Natal de Alto Risco IV: Doenças. Prof. Ricardo Mattos UNIG,

Aula 20 Pré-Natal de Alto Risco IV: Doenças. Prof. Ricardo Mattos UNIG, Saúde Integral da Mulher Aula 20 Pré-Natal de Alto Risco IV: Doenças Obstétricas Prof. Ricardo Mattos UNIG, 2009.1 Neoplasia Trofoblástica Gestacional Mola Hidatiforme A freqüência é de 1 caso para cada

Leia mais

DICIONÁRIO DE DADOS_GESTANTES. Campo alfabético

DICIONÁRIO DE DADOS_GESTANTES. Campo alfabético LAYOUT DE ARQUIVO A EXPORTAR PELOS PEPS RELAÇÃO DE GESTANTES ATIVAS E QUE ENCERRARAM O PRÉ-NATAL NO ANO EM (DADOS ACUMULADOS MENSALMENTE) PERIODICIDADE: MENSAL TIPO DE ARQUIVO: CSV SEPARADO POR PONTO E

Leia mais

Introdução Descrição da condição

Introdução Descrição da condição Introdução Descrição da condição Diabetes mellitus: desordem metabólica resultante de defeito na secreção e\ou ação do hormônio insulina. Consequência primária: hiperglicemia. Crônica: diagnóstico de diabetes.

Leia mais

Assistência pré-natal Baixo risco. Rotina Laboratorial. < 32 semanas Mensal 32 a 36 semanas Quinzenal

Assistência pré-natal Baixo risco. Rotina Laboratorial. < 32 semanas Mensal 32 a 36 semanas Quinzenal Assistência pré-natal Baixo risco Rotina Laboratorial Calendário de consultas: < 32 semanas Mensal 32 a 36 semanas Quinzenal 36 semanas Semanal Exames complementares 1 a consulta (sempre aceitar exames

Leia mais

CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO: GESTOGRAMA DE ROTINAS BÁSICAS

CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO: GESTOGRAMA DE ROTINAS BÁSICAS CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO: GESTOGRAMA DE ROTINAS BÁSICAS Abel Silva de Meneses I RESUMO A Estratégia Saúde da Família tem trazido impactos consideráveis à saúde dos brasileiros,

Leia mais

Sumário. 1. Visão geral da enfermagem materna Famílias e comunidades Investigação de saúde do paciente recém nascido...

Sumário. 1. Visão geral da enfermagem materna Famílias e comunidades Investigação de saúde do paciente recém nascido... Sumário Parte I Papéis e relacionamentos 1. Visão geral da enfermagem materna...23 O processo de enfermagem...25 Planejamento familiar...26 Gestação na infância ou na adolescência...26 Gestação após os

Leia mais

PARTE II - Enfermagem no Processo de Saúde e Doença da Mulher OBSTETRÍCIA Prof. Ma. Ludmila Balancieri.

PARTE II - Enfermagem no Processo de Saúde e Doença da Mulher OBSTETRÍCIA Prof. Ma. Ludmila Balancieri. PARTE II - Enfermagem no Processo de Saúde e Doença da Mulher OBSTETRÍCIA Prof. Ma. Ludmila Balancieri. FECUNDAÇÃO 1. Inseminação Deposição do seme na vagina, são denominados espermatozoides. A espermatogênese

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Morte Fetal. Indicadores de Saúde. Assistência Perinatal. Epidemiologia.

PALAVRAS-CHAVE Morte Fetal. Indicadores de Saúde. Assistência Perinatal. Epidemiologia. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Neonatologia para Concursos de Enfermagem

Neonatologia para Concursos de Enfermagem Oncologia Neonatologia para Concursos de Enfermagem Fernanda Coelho PNI 2017 ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES Prof. Enf. Hygor Elias 1 Meningocócica C (conjugada) Indicações: Meningite por Neisseria meningitidis dogrupoc

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EFG361 Enfermagem Materna

Programa Analítico de Disciplina EFG361 Enfermagem Materna 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Medicina e Enfermagem - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 7 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical - 2015 2014 No Brasil: SÍFILIS, AIDS, DST, HEPATITES Toxoplasmose Rubéola, Citomegalovírus, Parvovírus, Herpes HTLV, Varicela Tuberculose Chagas,

Leia mais

Tema 1 Conhecendo o processo da gravidez 5

Tema 1 Conhecendo o processo da gravidez 5 Tema 1 Conhecendo o processo da gravidez Objetivo geral do tema Evidenciar a importância do pré-natal para a saúde da mãe e do bebê. Objetivos específicos voltados para o conteúdo Ao final do estudo deste

Leia mais

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017 Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017 Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis congênita HIV-AIDS Hepatites B e C Rubéola congênita Toxoplasmose congênita

Leia mais

RESPOSTAS FETAIS AO EXERCÍCIO CIO MATERNO

RESPOSTAS FETAIS AO EXERCÍCIO CIO MATERNO RESPOSTAS FETAIS AO EXERCÍCIO CIO MATERNO NUTRIÇÃO FETAL Fase trofoblástica digestão e fagocitose do endométrio Placenta recobre um sexto da superfície do útero Os nutrientes atravessam as vilosidades

Leia mais

REGRA PARA CÁLCULO DE DPP ( REGRA DE NAGELE).

REGRA PARA CÁLCULO DE DPP ( REGRA DE NAGELE). PRIMEIRA CONSULTA DE PRÉ NATAL. HISTÓRIA: Entrevista (nome, idade, procedência, estado civil, endereço e profissão) História familiar de problemas de saúde. História clínica da gestante. História obstétrica.

Leia mais

PROTOCOLO UNIFORMIZADO DE ENSINOS DE ENFERMAGEM NA VIGILÂNCIA DA GRAVIDEZ DE BAIXO RISCO

PROTOCOLO UNIFORMIZADO DE ENSINOS DE ENFERMAGEM NA VIGILÂNCIA DA GRAVIDEZ DE BAIXO RISCO PROGRAMA DE FORMAÇÃO em SAÚDE MATERNA Atualizações em obstetrícia e neonatologia Janeiro / Fevereiro 2017 Enf. Ângela Neves Enf. Graça Santos Elementos UCF s Saúde Materna e Neonatal OBJECTIVO Uniformizar

Leia mais

PS 17 ENFERMEIRO (Centro Obstétrico) FAURGS HCPA Edital 04/2007

PS 17 ENFERMEIRO (Centro Obstétrico) FAURGS HCPA Edital 04/2007 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 04/2007 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 17 ENFERMEIRO (Centro Obstétrico) 01. E 11. E 21. C 02. D 12. E 22. E 03. B 13.

Leia mais

* Depende do protocolo da Unidade Coordenadora Funcional

* Depende do protocolo da Unidade Coordenadora Funcional PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA MATERNO-FETAL Consulta Pré-concepção Médico de Familia GRAVIDEZ S/RISCO Médico de Família GRAVIDEZ DE RISCO Médico de Medicina Materno-Fetal Consulta de Referência HAP ou HAPD Consulta

Leia mais

31/08/2015. Obstetrícia. Profa Elaine C. S. Ovalle. Diagnóstico. Beta- hch. hormônio gonadotrófico coriônico

31/08/2015. Obstetrícia. Profa Elaine C. S. Ovalle. Diagnóstico. Beta- hch. hormônio gonadotrófico coriônico Fisioterapia na Saúde da Mulher Obstetrícia Profa Elaine C. S. Ovalle Beta- hch Diagnóstico hormônio gonadotrófico coriônico 1 Conceitos - Embrião: até a 8ª semana - Feto: 9ª semana até o nascimento -

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO FETAL

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO FETAL QUESTIONÁRIO AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO FETAL Obrigado pela sua preciosa colaboração neste estudo. Este questionário pretende recolher dados sobre as atitudes dos clínicos gerais, internos e especialistas

Leia mais

Gestação. orientações gerais

Gestação. orientações gerais Gestação orientações gerais O acompanhamento pré-natal tem como objetivo assegurar o desenvolvimento da gestação permitindo o parto de um recém-nascido saudável, sem impacto para a saúde materna. O número

Leia mais

Gestação. orientações gerais

Gestação. orientações gerais Gestação orientações gerais O acompanhamento pré-natal tem como objetivo assegurar o desenvolvimento da gestação permitindo o parto de um recém-nascido saudável, sem impacto para a saúde materna. O número

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

Além do SOAP e suas ferramentas, ainda é possível usar as outras ferramentas do prontuário, como seguem nas próximas seções.

Além do SOAP e suas ferramentas, ainda é possível usar as outras ferramentas do prontuário, como seguem nas próximas seções. Para cada registro, é possível: imprimir : realizar a impressão da solicitação. O padrão utilizado obedece às premissas do Sisreg. O modelo de impressão pode ser visualizado no Anexo X. A impressão, além

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA Dra. Cássia Elena Soares Fluxograma de Pré-Natal Mulher com suspeita de gravidez Atraso menstrual Náusea Suspensão ou irregularidade do uso do contraceptivo

Leia mais

Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS

Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS PROTOCOLO GRAVIDEZ SEM RISCO PRÉ-NATAL Médico de Família Consulta de Referência 11-13 semanas 20-22 semanas 28-32 semanas 40 semanas Atenção

Leia mais

Saúde da Mulher. Renata Soares Passinho COMENTÁRIOS 1 - POLÍTICAS DE SAÚDE DA MULHER A F, V, F. B V, V, F. C V, F, F. D F, F, V. E F, F, F.

Saúde da Mulher. Renata Soares Passinho COMENTÁRIOS 1 - POLÍTICAS DE SAÚDE DA MULHER A F, V, F. B V, V, F. C V, F, F. D F, F, V. E F, F, F. Saúde da Mulher 8 Renata Soares Passinho 01 1 - POLÍTICAS DE SAÚDE DA MULHER (SESAB/BA, 2014 / RESIDÊNCIA DE ENFER- MAGEM OBSTÉTRICA) Analise as assertivas sobre a evolução das Políticas de Atenção à Saúde

Leia mais

DISCURSIVA GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA ULTRASSONOGRAFIA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO. wwww.cepuerj.uerj.

DISCURSIVA GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA ULTRASSONOGRAFIA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO. wwww.cepuerj.uerj. HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO DISCURSIVA GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA ULTRASSONOGRAFIA ATIVIDADE DATA LOCAL Divulgação do gabarito

Leia mais

Aprimoramento ao Atendimento de Pré-Natal e Puerpério na Unidade Básica de Saúde Santa Clara, Alvorada, RS

Aprimoramento ao Atendimento de Pré-Natal e Puerpério na Unidade Básica de Saúde Santa Clara, Alvorada, RS Aprimoramento ao Atendimento de Pré-Natal e Puerpério na Unidade Básica de Saúde Santa Clara, Alvorada, RS Carolina Rocha Barone Orientadora: Bibiana Bauer Barcellos Pelotas, 2014 Introdução Alvorada (RS)

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 1 2 3 4 INSTRUÇÕES Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA

ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA ADMISSÃO DA PACIENTE NA ENFERMAGEM EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA É o atendimento

Leia mais

Unidade I: Cálculo da idade gestacional (IG) e da data provável do parto (DPP).

Unidade I: Cálculo da idade gestacional (IG) e da data provável do parto (DPP). Unidade I: Cálculo da idade gestacional (IG) e da data provável do parto (DPP). Parte I: Primeiramente abordaremos o cálculo da idade gestacional (IG), que tem o objetivo de estimar o tempo da gravidez

Leia mais

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave Frederico Vitório Lopes Barroso Morbidade Materna Grave Nos últimos anos, as mulheres que sobrevivem a complicações graves da gestação, near miss,

Leia mais

Assistência Pré-Natal. 1. Captação precoce das gestantes com realização da primeira consulta de pré-natal até 120 dias da gestação;

Assistência Pré-Natal. 1. Captação precoce das gestantes com realização da primeira consulta de pré-natal até 120 dias da gestação; Assistência Pré-Natal OBJETIVO DO PRÉ-NATAL Garantir o bom andamento das gestações de baixo risco e também o de identificar adequada e precocemente quais as pacientes com mais chance de apresentar uma

Leia mais

I Workshop dos Programas de Pós-graduação em Enfermagem

I Workshop dos Programas de Pós-graduação em Enfermagem I Workshop dos Programas de Pós-graduação em Enfermagem ASSISTÊNCIA DO ENFERMEIRO OBSTETRA DURANTE A CONSULTA PRÉ-NATAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA SANTOS, R. P. Enfermagem e Saúde Materno-Infantil Raul de

Leia mais

PROJETO CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL : UMA AÇÃO EXTENSIONISTA (2012) 1

PROJETO CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL : UMA AÇÃO EXTENSIONISTA (2012) 1 PROJETO CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL : UMA AÇÃO EXTENSIONISTA (2012) 1 ALMEIDA, Jéssica de Cassia Marques de 2 ; SILVEIRA, Nara Beatriz 3 ; MARQUES, Letícia Amico 3 ; MATTOS, Luísa dos Santos de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA MICHELLE A. RESENDE ANDRADE PAPEL DA ENFERMAGEM DA ESF NO ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA MICHELLE A. RESENDE ANDRADE PAPEL DA ENFERMAGEM DA ESF NO ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA MICHELLE A. RESENDE ANDRADE PAPEL DA ENFERMAGEM DA ESF NO ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL FLORIANÓPOLIS 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA MICHELLE A. RESENDE ANDRADE

Leia mais

CARATERIZAÇÃO DAS GESTANTES DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DE PONTA GROSSA PR

CARATERIZAÇÃO DAS GESTANTES DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DE PONTA GROSSA PR 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CARATERIZAÇÃO

Leia mais

DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA GINECOLÓGICA E OBSTÉTRICA Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da FCMSCSP

DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA GINECOLÓGICA E OBSTÉTRICA Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da FCMSCSP DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA GINECOLÓGICA E OBSTÉTRICA Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da FCMSCSP Coordenadora Coordenadora Profa. Dra. Tânia Di Giacomo do Lago Período do Curso: 1º Rodízio 01/02/12

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF. 213 CH

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE LÍNGUA PORTUGUESA. 01- Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase.

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE LÍNGUA PORTUGUESA. 01- Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase. AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE LÍNGUA PORTUGUESA 01- Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase. Os funcionários...providenciaram o envio...dos documentos de...importância. a) Mesmo-

Leia mais

ÓBITO FETAL DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI

ÓBITO FETAL DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI ÓBITO FETAL EDUARDO AUGUSTO BROSCO FAMÁ PROFESSOR AFILIADO DO DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCA E GINECOLOGIA

Leia mais

Saiba os principais cuidados que uma gestante deve ter com a saúde bucal

Saiba os principais cuidados que uma gestante deve ter com a saúde bucal Portal RCP - Notícias Saiba os principais cuidados que uma gestante deve ter com a saúde bucal *Da redaçãoa odontopediatra Dra. Anna Paula Greck alerta sobre os cuidados e tratamentos adequados para gestantes."a

Leia mais

Unidade Coordenadora Funcional Materno-Neonatal da Figueira da Foz. Para a determinação e / ou confirmação ecográfica da idade gestacional, deve ser

Unidade Coordenadora Funcional Materno-Neonatal da Figueira da Foz. Para a determinação e / ou confirmação ecográfica da idade gestacional, deve ser III Encontro da SUCFCA FF Protocolos de Atuação Para a determinação e / ou confirmação ecográfica da idade gestacional, deve ser marcada logo que possível uma ecografia no HDFF. Para tal, deve a equipa

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE GESTANTES ATENDIDAS NOS ESF DO MUNICÍPIO DE SÃO LUDGERO NO ANO DE 2007

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE GESTANTES ATENDIDAS NOS ESF DO MUNICÍPIO DE SÃO LUDGERO NO ANO DE 2007 AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE GESTANTES ATENDIDAS NOS ESF DO MUNICÍPIO DE SÃO LUDGERO NO ANO DE 2007 Morgana Prá 1 Maria Helena Marin 2 RESUMO Vários fatores influenciam no progresso e no resultado

Leia mais

2.1. DIAGNÓSTICO DE CERTEZA DO TRABALHO DE PARTO - FASE ATIVA

2.1. DIAGNÓSTICO DE CERTEZA DO TRABALHO DE PARTO - FASE ATIVA PROTOCOLO - OBS 028 DATA: 24/09/2005 PÁG: 1 / 6 1. CONCEITO Aquele de início espontâneo, baixo-risco no início do trabalho de parto, permanecendo assim, em todo o processo até o nascimento. O feto nasce

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO

ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO 2017 Seis vacinas terão seu público-alvo ampliado em 2017 Hepatite A: crianças Tetra Viral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela): crianças Meningocócica C: crianças

Leia mais

CARTÃO SO DDA DADOS DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome: Bairro: Cidade: UF: DATA HORA PROFISSIONAL SALA

CARTÃO SO DDA DADOS DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome: Bairro: Cidade: UF: DATA HORA PROFISSIONAL SALA CARTÃO SO DDA DADOS DA GESTANTE Nome: Endereço: Telefone: Bairro: Cidade: UF: AGENDAMENTO DATA HORA PROFISSIONAL SALA 1 DADOS DA GESTANTE Idade: Peso anterior: kg. Estado Civil: Solteira Divorciada Casada

Leia mais

DIAGNÓSTICO CLÍNICO E LABORATORIAL DA GRAVIDEZ

DIAGNÓSTICO CLÍNICO E LABORATORIAL DA GRAVIDEZ DIAGNÓSTICO CLÍNICO E LABORATORIAL DA GRAVIDEZ Aula disponível no site: www.rodrigodiasnunes.com.br Rodrigo Dias Nunes Diagnóstico da gravidez Na vida da mulher, o diagnóstico da gestação sempre provoca

Leia mais

1 a ETAPA - PROVA C/NN NEONATOLOGIA

1 a ETAPA - PROVA C/NN NEONATOLOGIA CONCURSO 2017 PARA RESIDÊNCIA MÉDICA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO COREME COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 1 a ETAPA - PROVA C/NN NEONATOLOGIA INSTRUÇÕES AO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: : Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

[CRSMCA] Proposta para 2013

[CRSMCA] Proposta para 2013 UCF S-CRSMCA-ARS CENTRO PLANO DE ACÇÃO PARA AS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS Comissão Regional da Saúde da Mulher Criança e Adolescente [CRSMCA] Proposta para 2013 [As Unidades Coordenadoras Funcionais

Leia mais

Estresse, alimentação, obesidade e cigarro podem influenciar fertilidade

Estresse, alimentação, obesidade e cigarro podem influenciar fertilidade Ter filho não é tarefa fácil: exige cuidados intensos desde o primeiro mês de gestação até, pelo menos, os 18 anos de idade. Alimentação, educação, saúde e vestuário são itens imprescindíveis que os pais

Leia mais

Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM I

Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM I CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM I Código: ENF- 209 Pré-requisito:

Leia mais

A Atenção Básica na Vigilância dos Óbitos Materno, Infantil e Fetal

A Atenção Básica na Vigilância dos Óbitos Materno, Infantil e Fetal A Atenção Básica na Vigilância dos Óbitos Materno, Infantil e Fetal Halei Cruz Coordenador da Área Técnica de Saúde da Criança e do Comitê Estadual de Prevenção dos Óbitos Maternos, Infantis e Fetais INTRODUÇÃO

Leia mais

por apresentarem contração paradoxal do AP no primeiro atendimento fisioterapêutico; duas gestantes, por parto prematuro; duas, pela ocorrência

por apresentarem contração paradoxal do AP no primeiro atendimento fisioterapêutico; duas gestantes, por parto prematuro; duas, pela ocorrência 41 A série inicial de pacientes foi composta de 70 gestantes. Excluíramse 10 mulheres que participaram do estudo-piloto, sendo que nove mulheres, por apresentarem contração paradoxal do AP no primeiro

Leia mais

M.C.R 20 anos Casada Ensino médio completo Prendas domésticas Natural e procedente de Botucatu

M.C.R 20 anos Casada Ensino médio completo Prendas domésticas Natural e procedente de Botucatu M.C.R 20 anos Casada Ensino médio completo Prendas domésticas Natural e procedente de Botucatu Primigesta, 33s6d procura PA com queixa de anasarca e PA aferida em casa de 160x100 mmhg. Nega queixas de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA IDADE GESTACIONAL

AVALIAÇÃO DA IDADE GESTACIONAL AVALIAÇÃO DA IDADE GESTACIONAL CLASSIFICAÇÃO DO RECÉM-NASCIDO Para estimarmos com maior precisão o risco do RN apresentar determinadas patologias ou morrer, torna-se necessária a análise de duas grandes

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 01/2011 PS 02 ENFERMEIRO I Obstetrícia Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 01/2011 PS 02 ENFERMEIRO I Obstetrícia Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 01/2011 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 02 ENFERMEIRO I Obstetrícia 01. C 11. B 21. A 02. B 12. D 22. C 03. D 13. E

Leia mais

26/08/2016. Clínica Médica em Exercícios para Concursos

26/08/2016. Clínica Médica em Exercícios para Concursos Clínica Médica em Exercícios para Concursos Clínica Médica em Exercícios para Concursos Elton Chaves Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia - Enfermeiro - Área Enfermagem do Trabalho De acordo com

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM MICHELINNE OLIVEIRA MACHADO DUTRA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL: AÇÕES ESSENCIAIS

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO

RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TERESINA Ayla Maria Calixto de Carvalho Alba Alves Costa Marques Telma Maria Evangelista

Leia mais

Doença Hemolítica Perinatal. Ranuce Ribeiro Aziz Ydy

Doença Hemolítica Perinatal. Ranuce Ribeiro Aziz Ydy Doença Hemolítica Perinatal Ranuce Ribeiro Aziz Ydy INTRODUÇÃO A Doença Hemolítica Perinatal (DHPN) tem sido uma das entidades cujos conhecimentos acerca dos aspectos etiológicos, fisiopatológicos, preventivo

Leia mais

N2. Na última vez que a sra esteve grávida a sra recebeu o cartão de pré-natal? 1. Sim 2. Não

N2. Na última vez que a sra esteve grávida a sra recebeu o cartão de pré-natal? 1. Sim 2. Não Módulo N - Atendimento Pré-natal Agora vou lhe fazer perguntas sobre o atendimento pré-natal [Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Departamento de Medicina III Disciplina de Obstetrícia Serviço de Obstetrícia e Ginecologia do HU

Universidade Federal do Maranhão Departamento de Medicina III Disciplina de Obstetrícia Serviço de Obstetrícia e Ginecologia do HU Universidade Federal do Maranhão Departamento de Medicina III Disciplina de Obstetrícia Serviço de Obstetrícia e Ginecologia do HU Doutora Marília Da Glória Martins E SUAS REPERCUSSÕES NA SAÚDE DA MULHER

Leia mais