Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU"

Transcrição

1 Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU A DIRETORIA DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA, no uso de suas atribuições estatutárias estabelece os procedimentos operacionais referentes à oferta de curso fechado. Art. 1º Para demanda de curso de iniciação/treinamento/atualização a empresa/instituição solicitante deverá preencher todos os itens do formulário de solicitação de curso e enviá-lo para o Centro de Extensão CENEX/BU - e aguardar parecer. (Formulário disponível no site Art. 2º Após o recebimento da demanda o CENEX/BU marcará reunião com a Diretoria da Biblioteca Universitária BU - para avaliar a solicitação do curso e a escolha do responsável em coordenar e ministrar o curso. Art. 3º Caberá ao Diretor da Biblioteca Universitária assinar o Termo de aprovação de ações de extensão pela congregação ou órgão de deliberação superior da unidade. Art. 4º O CENEX/BU entrará em contato com profissional indicado para confirmar sua participação. Art. 5º Após confirmação o coordenador deverá preencher todos os itens do Formulário de proposta de curso e enviar para o CENEX/BU juntamente com o projeto do mesmo. (Formulário disponível no site Art. 6º O coordenador do curso deverá fazer a juntada dos documentos para a Fundação de apoio responsável pela gestão financeira do curso, nesse caso a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa - FUNDEP. Os documentos a serem preenchidos são:

2 I. Ficha de gestão: deve ser preenchida e assinada pelo Diretor da BU e pelo coordenador do curso; (Ficha disponível no site II. Protocolo de oferta de curso: deve ser preenchido e assinado pelo coordenador do curso; (Protocolo disponível no site III.Registro SIEX Sistema de Extensão: o curso deve ser registrado no SIEX. O registro deve ser impresso e anexado juntamente com os demais documentos; (Procedimento para preenchimento disponível no site IV. Formulário da Resolução 01/2011: deve ser preenchido em conformidade com o Ofício Circular GR nº 19/2012. Especificar os membros que compõem a equipe executora do curso, com o respectivo valor de bolsa a ser recebido. O formulário deverá ser preenchido de acordo com a orientação da FUNDEP e conter no campo 1 os membros que irão exercer função científica no curso, as atribuições que os mesmos irão realizar devem ser informadas em documento a parte. Os membros que irão exercer função sem qualificação científica, dentre eles servidores técnicos administrativos, Celetistas e autônomos devem ser informados no campo 3. Formulário disponível no site V. Orçamento: deve ser preenchido na planilha que compõe o Formulário de Proposta do Curso. Ressaltam-se os seguintes aspectos: a) Fazer um orçamento mínimo para viabilização do curso e um orçamento máximo; b) Fazer planilha dos materiais que serão necessários para realização do curso, sendo indicado a relação dos fornecedores, o orçamento deve ser realizado em papel timbrado da empresa fornecedora;

3 c) Todos esses dados deverão ser lançados no portal da FUNDEP, após a obtenção do valor mínimo para viabilidade do curso. O orçamento em papel timbrado deve ser anexado em PDF no campo específico referente às despesas, deve-se informar ainda o local, a data e o responsável pelo recebimento das mercadorias. IMPORTANTE: ¹ O prazo para cotação e compra dos materiais pelo setor da Fundep é de 7 dia úteis. ² As notas fiscais entregues ao responsável pelo recebimento das mercadorias, devem ser enviadas para a Fundep para pagamento dos fornecedores. Após a conferência de toda mercadoria recebida deve-se informar no verso da nota o número de registro do projeto na FUNDEP, a data de recebimento e assinatura de quem recebeu. A coordenação deverá entregar a cópia das notas fiscais juntamente com relatório final para o Cenex para fins de prestação de contas. Art. 7º Após a juntada de documentos o coordenador deverá marcar reunião com o setor da Fundep responsável pela avaliação de Propostas. Art. 8º O coordenador deverá solicitar a Fundação de apoio, que informe a Empresa/ Instituição solicitante o pagamento inicial de 40% referente ao valor do curso, para que os procedimentos operacionais possam ser iniciados com o objetivo de assegurar o cumprimento do cronograma. Art. 9º O coordenador deve deixar uma cópia do documento da ficha de gestão, do formulário da Resolução nº 01/2011, dos contratos firmados com os membros da equipe executora do curso e da planilha de orçamento no CENEX/BU para fins de controle, arquivamento e prestação de contas. Art. 10 Caberá ao coordenador entregar para os alunos o formulário de avaliação do curso. Após a avaliação os formulários devem ser entregues

4 para o CENEX/BU. No caso de curso a distância os formulários devem ser enviados eletronicamente. (Form ulário disponível no site Art. 11 O coordenador é o responsável em lançar no portal da FUNDEP o nome dos membros da equipe executora que irão receber as bolsas. Ressalta-se que a fatura de pagamento de pessoal da FUNDEP tem um prazo para fechamento, nesse caso o coordenador deve se informar com o Analista responsável pelo curso. Para efetivação do recebimento das bolsas o Coordenador deve imprimir o contrato referente a cada membro no portal da FUNDEP, colher assinatura e enviar documento físico para a mesma. Art. 12 Critérios para emissão de certificados no CENEX/BU: I. Para cada certificado emitido no CENEX/BU é deduzido a taxa de R$ 8,00 reais. O montante total deve ser informado na planilha de orçamento; II. Para certificação de cursos a distância o coordenador deverá avaliar se os mesmos serão postados para os alunos. Caso sim, contemplar essa despesa no orçamento e acrescentar a AR Aviso de recebimento; III.Para a emissão de certificado caberá ao coordenador lançar a despesa referente a essa rubrica no portal da FUNDEP e solicitar a transferência do valor montante dos certificados para a conta única da BU. Enviar a confirmação da transferência para o do CENEX/BU; IV. Nos cursos presenciais, os certificados serão emitidos no final do curso. O coordenador deverá entregar a lista de presença diariamente no CENEX/BU, para que gradualmente possa ser realizado o procedimento para certificação; V. No caso de contratempos os certificados poderão ser emitidos pelo CENEX/BU até no prazo de 45 dias após o recebimento da relação dos concluintes e/ou participantes do curso de extensão, bem como

5 todas as informações que constarão no certificado entregue pelo coordenador após o término do curso; VI. A emissão de certificados para os membros da equipe executora deve ser solicitada pelo coordenador do curso, para tanto se faz necessário informar a função exercida por cada membro; VII.Os certificados serão entregues mediante assinatura de recebimento. Art. 13 Infraestrutura: I. Sendo o espaço utilizado localizado nas dependências do Prédio da Biblioteca Central, caberá ao Setor de Apoio Operacional após comunicado do CENEX/BU, reservar o espaço, verificar a quantidade de assentos e os demais equipamentos solicitados (data show/computadores), como ainda providenciar jarras com água, garrafas de café e copos descartáveis; II. Caberá ao Coordenador do curso enviar para o CENEX/BU a lista de alunos matriculados para que a portaria do prédio possa fazer o controle da entrada dos mesmos; III.Solicitação de uso da copa deverá ser realizada com antecedência, para que o Setor de Apoio Operacional possa tomar todas as providências; IV. A limpeza do local e dos banheiros deve ser solicitada com antecedência para o Chefe do Setor de Apoio Operacional. No caso do curso se estender no final de semana e feriado o custeio pela limpeza é de responsabilidade da coordenação; V. Caberá ao Setor de Automação providenciar acesso à internet nos computadores e verificar funcionamento do data show; VI. Reservar espaço em dependências de outras unidades da UFMG: o Setor de Apoio Operacional fará contato com a Secretaria da Diretoria da respectiva unidade, para a reserva do espaço e do

6 aparato de infraestrutura física e computacional necessário. Deve-se ainda solicitar a permissão de uso dos equipamentos caso estiverem disponíveis, não havendo os mesmos deverão ser providenciados pelo Setor de Apoio Operacional da BU. O Diretor da BU poderá solicitar a equipe de automação da BU, para que faça a verificação do funcionamento dos computadores e data show. A operação dos demais equipamentos deverá ser realizada pelo responsável indicado pela coordenação. A equipe de automação deverá apresentar autorização para o chefe do Setor de Apoio Operacional da unidade em que se realizará o curso para seguir com os procedimentos operacionais; VII. O Setor de Apoio Operacional da BU deverá emitir autorização para os responsáveis pelos procedimentos operacionais de automação em outra unidade; VIII. O uso adequado e a preservação de todo patrimônio utilizado é de responsabilidade do coordenador e da equipe executora do curso. Art. 14 Caberá ao coordenador entregar o Relatório final do curso para o CENEX/BU, em formulário próprio, lançar as informações dos resultados no registro do SIEX e se o curso não for ocorrer novamente deve-se concluí-lo no sistema, no prazo de até 15 dias corridos após o término da atividade. (formulário disponível no site Art. 15 Os casos omissos deste Regulamento serão resolvidos pela Coordenação Geral do CENEX/BU e, por decisão desta, pela Diretoria da Biblioteca Universitária. Art. 16 Este Regulamento entrará em vigor após sua aprovação pela Diretoria da Biblioteca Universitária. Belo horizonte, 16 de outubro de 2014.

7 Wellington Marçal de Carvalho Diretor da Biblioteca Universitária Anália das Graças Gandini Pontelo Vice-diretora da Biblioteca Universitária

Regulamento para Oferta de Curso Aberto CENEX/BU

Regulamento para Oferta de Curso Aberto CENEX/BU Regulamento para Oferta de Curso Aberto CENEX/BU A DIRETORIA DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA, no uso de suas atribuições estatutárias estabelece os procedimentos operacionais referentes à oferta de curso aberto.

Leia mais

Regulamento para oferta de Evento CENEX/BU

Regulamento para oferta de Evento CENEX/BU Regulamento para oferta de Evento CENEX/BU A DIRETORIA DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA, no uso de suas atribuições estatutárias estabelece os procedimentos operacionais referentes à oferta de evento. Art.

Leia mais

Regulamento para Atividades de Extensão do CENEX/BU. 1º - Consideram-se as seguintes definições para os tipos de atividade de extensão:

Regulamento para Atividades de Extensão do CENEX/BU. 1º - Consideram-se as seguintes definições para os tipos de atividade de extensão: Regulamento para Atividades de Extensão do CENEX/BU A DIRETORIA DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA, no uso de suas atribuições estatutárias estabelece os parâmetros norteadores para a realização das atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº02/2016, DE 26 DE ABRIL DE 2016

RESOLUÇÃO Nº02/2016, DE 26 DE ABRIL DE 2016 RESOLUÇÃO Nº02/2016, DE 26 DE ABRIL DE 2016 Estabelece critérios para aprovação, acompanhamento e certificação dos cursos de aperfeiçoamento. A CÂMARA DE EXTENSÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

Regimento do Centro de Extensão da Biblioteca Universitária - UFMG. I - Conceituação

Regimento do Centro de Extensão da Biblioteca Universitária - UFMG. I - Conceituação Regimento do Centro de Extensão da Biblioteca Universitária - UFMG I - Conceituação Art. 1º O Centro de Extensão da Biblioteca Universitária CENEX/BU define-se como órgão de promoção, planejamento, gestão,

Leia mais

Orientações para Eventos

Orientações para Eventos Orientações para Eventos Versão 1.0 Agosto/2017 1 INTRODUÇÃO O Manual de Eventos da Escola de Engenharia de Lorena foi elaborado pela Assistência Técnica de Pesquisa e Extensão ATPE, com o intuito de auxiliar

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Aprovado pelo CONSUNI Nº15 em 24/05/2016 ÍNDICE CAPITULO I Da Constituição,

Leia mais

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO 01/2011 DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO OU DE TESE DE DOUTORADO

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO 01/2011 DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO OU DE TESE DE DOUTORADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Pós-Graduação Coordenadoria Acadêmica Avenida dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº03/2016, DE 17 DE MAIO DE 2016

RESOLUÇÃO Nº03/2016, DE 17 DE MAIO DE 2016 RESOLUÇÃO Nº03/2016, DE 17 DE MAIO DE 2016 Regulamenta a proposição, a aprovação, a certificação e o funcionamento das ações de extensão universitária. A CÂMARA DE EXTENSÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ORDEM DE SERVIÇO Nº 02 DE 03 DE FEVEREIRO DE 2017

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ORDEM DE SERVIÇO Nº 02 DE 03 DE FEVEREIRO DE 2017 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ORDEM DE SERVIÇO Nº 02 DE 03 DE FEVEREIRO DE 2017 O DIRETOR GERAL do Campus Santo Antônio de Pádua do INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE, Arthur Rezende

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CONSELHOS SUPERIORES

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CONSELHOS SUPERIORES NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTAS DO PNPD (CAPES) E DOCENTES PESQUISADORES PARA PARTICIPAÇÃO EM ATIVIDADES ACADÊMICAS OU CIENTÍFICAS Art. 1º - Esta norma estabelece os critérios para

Leia mais

A PRESIDENTE DA CÂMARA DE ENSINO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO no uso de suas atribuições legais e regimentais, resolve: DA FINALIDADE

A PRESIDENTE DA CÂMARA DE ENSINO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO no uso de suas atribuições legais e regimentais, resolve: DA FINALIDADE NOTA TÉCNICA/PROEN Nº 04, DE 19 DE JANEIRO DE 2017 A PRESIDENTE DA CÂMARA DE ENSINO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO no uso de suas atribuições legais e regimentais, resolve: Estabelecer as normas

Leia mais

EDITAL PROGRAD Nº 52, DE 21 DE AGOSTO DE 2017

EDITAL PROGRAD Nº 52, DE 21 DE AGOSTO DE 2017 EDITAL PROGRAD Nº 52, DE 21 DE AGOSTO DE 2017 Dispõe sobre as excursões curriculares a serem desenvolvidas nos cursos de graduação presencial e a distância, nos meses de Outubro, Novembro e Dezembro de

Leia mais

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO 02/2011 QUALIFICAÇÃO DE MESTRADO OU DE DOUTORADO

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO 02/2011 QUALIFICAÇÃO DE MESTRADO OU DE DOUTORADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Pós-Graduação Coordenadoria Acadêmica Avenida dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO

Leia mais

PORTARIA ICT/DTA nº 014, de 12 de abril de 2013.

PORTARIA ICT/DTA nº 014, de 12 de abril de 2013. PORTARIA ICT/DTA nº 014, de 12 de abril de 2013. Dispõe sobre as Normas para Proposta de realização de Projeto de Eventos e, Normas para utilização do Anfiteatro Paulo Milton Barbosa Landim (Anf. I), do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre regulamentação de normas e procedimentos para realização de eventos acadêmicos e administrativos, cerimonial e protocolo

Leia mais

EDITAL DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2018

EDITAL DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2018 EDITAL DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2018 Este Edital tem por finalidade estabelecer normas, critérios e procedimentos relativos à concessão de Bolsas de Estudo e ao funcionamento

Leia mais

EDITAL N º 134/2017 APOIO À REALIZAÇÃO DE SEMANAS ACADÊMICAS NOS CAMPI DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE

EDITAL N º 134/2017 APOIO À REALIZAÇÃO DE SEMANAS ACADÊMICAS NOS CAMPI DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE EDITAL N º 134/2017 APOIO À REALIZAÇÃO DE SEMANAS ACADÊMICAS NOS CAMPI DO A reitora do Instituto Federal Catarinense (IFC), professora Sônia Regina de Souza Fernandes, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13/2016 Aprova a Sistemática para Registro e Acompanhamento das Atividades de Ensino do IFPE. A Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco

Leia mais

Inventário Anual do Almoxarifado. Chefia do Departamento de Administração. Setor de Patrimônio. Setor de Patrimônio. Setor de Patrimônio

Inventário Anual do Almoxarifado. Chefia do Departamento de Administração. Setor de Patrimônio. Setor de Patrimônio. Setor de Patrimônio Inventário Anual do Almoxarifado Atividade Descrição Responsável Prazo Instrumentos de apoio 1 Solicitar ao Diretor-Geral a constituição de comissão especial para realizar o inventário anual, por amostragem,

Leia mais

REGULAMENTO DO GRUPO DE ESTUDOS DE BOVINOS (GEBOV) DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DO CÂMPUS DE ARAÇATUBA/UNESP-FMVA DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO GRUPO DE ESTUDOS DE BOVINOS (GEBOV) DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DO CÂMPUS DE ARAÇATUBA/UNESP-FMVA DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO GRUPO DE ESTUDOS DE BOVINOS (GEBOV) DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DO CÂMPUS DE ARAÇATUBA/UNESP-FMVA DOS OBJETIVOS Art. 1. Grupo de Estudo de Bovinos, da Faculdade de Medicina Veterinária

Leia mais

GUIA DE ESTÁGIO VIVÊNCIA PROFISSIONAL ESCOLA SENAI DE VALINHOS CFP 5.64

GUIA DE ESTÁGIO VIVÊNCIA PROFISSIONAL ESCOLA SENAI DE VALINHOS CFP 5.64 GUIA DE ESTÁGIO VIVÊNCIA PROFISSIONAL ESCOLA DE VALINHOS Área Profissional: INDÚSTRIA Habilitação: Técnico em Eletromecânica Técnico em Eletroeletrônica ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA

REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ REGULAMENTO GERAL DE MONITORIA FAFIL/FAECO/FAENG Índice Capítulo I Das Finalidades 3 Capítulo II - Das Inscrições dos Alunos 3 Capítulo III - Dos critérios de

Leia mais

Edital 02/ DO OBJETO

Edital 02/ DO OBJETO Edital 02/ 2017 O Coordenador do Colegiado do curso de bacharelado em Administração, no uso de suas atribuições previstas no decreto 85/ 2009 de 12 de novembro de 2009, no regimento interno da Faculdade

Leia mais

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO Art. 1º - Esta norma estabelece os critérios para o pagamento de auxílio a bolsistas

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Dois Vizinhos Programa de Pós-Graduação em Zootecnia

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Dois Vizinhos Programa de Pós-Graduação em Zootecnia Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Dois Vizinhos Programa de Pós-Graduação em Zootecnia PROCEDIMENTOS PARA A DEFESA DE DISSERTAÇÃO DO MESTRADO EM ZOOTECNIA Visando

Leia mais

PORTARIA 505, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009 Art. 1º : antecedência mínima de 10 dias; (cotação de preços);

PORTARIA 505, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009 Art. 1º : antecedência mínima de 10 dias; (cotação de preços); PASSAGENS AÉREAS PORTARIA 505, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009 Art. 1º : - Solicitação da viagem com passagem aérea com antecedência mínima de 10 dias; - Representante Administrativo Novo Solicitante de Passagens

Leia mais

REGULAMENTO. CONSIDERANDO que o Programa de Colaborador Voluntário deve estar adequado à missão e aos objetivos da Instituição;

REGULAMENTO. CONSIDERANDO que o Programa de Colaborador Voluntário deve estar adequado à missão e aos objetivos da Instituição; REGULAMENTO Estabelece normas para o Programa de Colaborador Voluntário no âmbito do O INSTITUTO OSWALDO CRUZ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias e, CONSIDERANDO a Portaria do nº 045/2016

Leia mais

Regras e orientações da prestação de contas

Regras e orientações da prestação de contas Regras e orientações da prestação de contas Veja aqui como apresentar corretamente a prestação de contas dos recursos recebidos do programa Comunidade, presente! Como utilizar os recursos recebidos A organização

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS DIRETORIA DE CONTROLE ACADÊMICO COORDENAÇÃO DE APOIO ACADÊMICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS DIRETORIA DE CONTROLE ACADÊMICO COORDENAÇÃO DE APOIO ACADÊMICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS DIRETORIA DE CONTROLE ACADÊMICO COORDENAÇÃO DE APOIO ACADÊMICO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA Cronograma de Monitoria para

Leia mais

Instruções para Solicitações de Material de Consumo, Conserto e Manutenção de Equipamentos no PPGF

Instruções para Solicitações de Material de Consumo, Conserto e Manutenção de Equipamentos no PPGF Instruções para Solicitações de Material de Consumo, Conserto e Manutenção de Equipamentos no PPGF Seropédica, RJ, maio de 2014 Autores: Prof. Pedro Corrêa Damasceno Junior Coordenador do Programa de Pós-graduação

Leia mais

CHECK LIST SOLICITANDO ESTÁGIO PÓS-DOUDORADO NA UFSC

CHECK LIST SOLICITANDO ESTÁGIO PÓS-DOUDORADO NA UFSC CHECK LIST SOLICITANDO ESTÁGIO PÓS-DOUDORADO NA UFSC Documentos que devem ser anexados ao processo para efetivação da matrícula do Pós-Doc, de acordo com a Resolução Normativa nº 36/CUn/2013 e Memorando

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO N 15 DE 4 DE AGOSTO DE 2016, DA PRÓ-REITORA DE PLANEJAMENTO Altera a Norma Procedimental NP 50.03.014 Auxílio Financeiro.

Leia mais

Proposta de alteração da portaria que regulamenta as atividades dos Estágios Curriculares Obrigatórios em Medicina Veterinária da FMVZ

Proposta de alteração da portaria que regulamenta as atividades dos Estágios Curriculares Obrigatórios em Medicina Veterinária da FMVZ Proposta de alteração da portaria que regulamenta as atividades dos Estágios Curriculares Obrigatórios em Medicina Veterinária da FMVZ O Diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da UNESP,

Leia mais

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011.

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. O Diretor-Geral do IFRS -, no uso das atribuições legais que lhe são conferidas pela Portaria nº 08/2009, R E S O L V E: Art. 1º Regulamentar a concessão de auxílio

Leia mais

ESCOLA SENAI CONDE ALEXANDRE SICILIANO

ESCOLA SENAI CONDE ALEXANDRE SICILIANO GUIA DE ESTÁGIO ESCOLA SENAI CONDE ALEXANDRE SICILIANO Área Profissional: INDÚSTRIA Habilitação: Técnico em Plástico Técnico em Eletroeletrônica ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA REALIZAÇÃO

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS PRAEVENTOS (PROGRAMA DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS) EDITAL 03/2017 - SOLICITAÇÃO DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS A Pró-Reitora de Assuntos Estudantis (PRAE), no uso de suas atribuições e em cumprimento

Leia mais

PQ /04/

PQ /04/ PQ.06 03 02/04/2013 1-5 1. OBJETIVO Estabelecer sistematica para o processo de solicitação, análise crítica e preparação para a avaliação da conformidade. 2. DEFINIÇÕES Modelo de Avaliação da Conformidade:

Leia mais

NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO-

NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO- NORMA DE PROGRAMA DE BOLSA DE EXTENSÃO PARA ALUNOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ -PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO- CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - A presente norma fixa os procedimentos para

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, de 01 de julho de 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, de 01 de julho de 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, de 01 de julho de 2016. Regulamenta a Solicitação de Recursos para Participação dos Servidores em Eventos e Cursos de Capacitação de curta e média duração, de acordo com o Plano

Leia mais

Unidade: Centro de Educação a Distância MANUAL DE PROCEDIMENTOS Nº: Manual de Instruçao - Autorizar Liberação de ValoresAutorizar Liberação de Valores

Unidade: Centro de Educação a Distância MANUAL DE PROCEDIMENTOS Nº: Manual de Instruçao - Autorizar Liberação de ValoresAutorizar Liberação de Valores 1/15 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA FL/R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL/R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 01 26 02 27 03 28 04 29 05 30 06 31 07 32 08 33

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA O SEU CONSULTÓRIO DE ODONTOLOGIA

GUIA PRÁTICO PARA O SEU CONSULTÓRIO DE ODONTOLOGIA GUIA PRÁTICO PARA O SEU CONSULTÓRIO DE ODONTOLOGIA Como Escolher o Local Ideal Para o Seu Consultório A primeira coisa a se fazer, é decidir quem é o público alvo que você quer atender e para isso o ideal

Leia mais

fmvz - unesp FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - CAMPUS DE BOTUCATU DIRETORIA

fmvz - unesp FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - CAMPUS DE BOTUCATU DIRETORIA PORTARIA DO DIRETOR Nº 24, DE 15 DE MARÇO DE 2004 Regulamento Geral de Grupos de Estudos - GE, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UNESP, Campus de Botucatu. O Diretor da Faculdade de Medicina

Leia mais

Escola Superior de Teologia Faculdades EST

Escola Superior de Teologia Faculdades EST Escola Superior de Teologia Faculdades EST REGULAMENTO DAS NORMAS DE PROJETOS DE EXTENSÃO São Leopoldo, 2012. Regulamento das Normas de Projetos de Extensão Pró-Reitoria de Ensino e Extensão CAPÍTULO I

Leia mais

EDITAL Nº 163/2016 AUXÍLIO FINANCEIRO, AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTO CULTURAL

EDITAL Nº 163/2016 AUXÍLIO FINANCEIRO, AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTO CULTURAL EDITAL Nº 163/2016 AUXÍLIO FINANCEIRO, AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTO CULTURAL O Reitor Substituto do, Prof. Robert Lenoch, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Portaria FATEC Indaiatuba nº 15/2016, 17 de junho de 2016.

Portaria FATEC Indaiatuba nº 15/2016, 17 de junho de 2016. Portaria FATEC Indaiatuba nº 15/2016, 17 de junho de 2016. Regulamenta os Trabalhos de Graduação na Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba. O Diretor da Faculdade de Tecnologia Dr. Archimedes Lammoglia,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Pró-Reitoria de Extensão e Cultura INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PROEC/UFFS/2017

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Pró-Reitoria de Extensão e Cultura INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PROEC/UFFS/2017 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PROEC/UFFS/2017 Dispõe sobre os procedimentos normativos relacionados à submissão de propostas de Extensão e Cultura da Universidade Federalda Fronteira Sul. A PRÓ-REITORIA DE

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO GRUPO DE ESTUDOS EM FISIOPATOLOGIA ANIMAL DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DE ARAÇATUBA/UNESP DOS OBJETIVOS

REGULAMENTAÇÃO DO GRUPO DE ESTUDOS EM FISIOPATOLOGIA ANIMAL DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DE ARAÇATUBA/UNESP DOS OBJETIVOS REGULAMENTAÇÃO DO GRUPO DE ESTUDOS EM FISIOPATOLOGIA ANIMAL DA DE ARAÇATUBA/UNESP DOS OBJETIVOS Art. 1 o. O Grupo de Estudos em Fisiopatologia Animal (GEFIPA) da Faculdade de Medicina Veterinária do Campus

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE SUPRIMENTOS DE FUNDOS MODALIDADE CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF

PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE SUPRIMENTOS DE FUNDOS MODALIDADE CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Diretoria de Planejamento e Gestão PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE

Leia mais

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-reitoria de Extensão Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Processo Nº de folhas: 1 de 5 Glossário de Termos e Siglas: Atividade

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL 03 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 2 3. DEFINIÇÕES... 2 4. SÍMBOLOS E SIGLAS... 2 5. DESCRIÇÃO... 2 6. INDICADORES RELACIONADOS... 7 7. REFERÊNCIAS... 7 8. ANEXOS... 7 03 2 / 7

Leia mais

MANUAL DO INVENTÁRIO PATRIMONIAL ANUAL

MANUAL DO INVENTÁRIO PATRIMONIAL ANUAL MANUAL DO INVENTÁRIO PATRIMONIAL ANUAL Versão-Maio/2017 Atualizado em 16/05. 1 Etapas do Inventário Patrimonial: 1º Criação da Subcomissão do Inventário Patrimonial...pág.3 2º Regularização dos Termos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O presente Regulamento de Estágios visa disciplinar os estágios do curso de Engenharia da Computação,

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

Universidade Federal de São Paulo PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS V EDITAL DE APOIO A PROJETOS CULTURAIS ESTUDANTIS PROCULTURA ESTUDANTIL 2016 A Pró-Reitora de Assuntos Estudantis, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Decreto 7.234 de 19 de julho de 2010, que

Leia mais

EDITAL 18/PROGRAD/2017 ESTABELECE OS CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIROS PARA VIAGENS DE ESTUDO

EDITAL 18/PROGRAD/2017 ESTABELECE OS CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIROS PARA VIAGENS DE ESTUDO EDITAL 18/PROGRAD/2017 ESTABELECE OS CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIROS PARA VIAGENS DE ESTUDO - 2017 O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL UFFS, no uso de suas

Leia mais

Manual de Sinistro. Seguro Floresta

Manual de Sinistro. Seguro Floresta Manual de Sinistro Seguro Floresta Julho 2016 1 Sumário INTRUÇÕES PARA AVISO E ACOMPANHAMENTO DE SINISTRO... 3 ANEXO I - LISTA DE DOCUMENTOS QUE DEVEM SER ENTREGUES PARA ANÁLISE DO SINISTRO. 5 ANEXO II

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE PROTEÇÃO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

INSTRUÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE PROTEÇÃO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL INSTRUÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE PROTEÇÃO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL 1. Requisitos 1.1 O pedido de proteção deve ter como objeto o resultado de atividade acadêmica realizada nas dependências da FURG ou com

Leia mais

REGULAMENTO DO USO DO GINÁSIO POLIESPORTIVO DO IFSP CÂMPUS BARRETOS SEÇÃO I FINALIDADE

REGULAMENTO DO USO DO GINÁSIO POLIESPORTIVO DO IFSP CÂMPUS BARRETOS SEÇÃO I FINALIDADE REGULAMENTO DO USO DO GINÁSIO POLIESPORTIVO DO IFSP CÂMPUS BARRETOS SEÇÃO I FINALIDADE Art. 1º. Este documento tem por objetivo regulamentar as condutas dos alunos, servidores e demais usuários, no que

Leia mais

PORTARIA Nº. 02/2013. O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e regimentais;

PORTARIA Nº. 02/2013. O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e regimentais; PORTARIA Nº. 02/2013 O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e regimentais; CONSIDERANDO a necessidade de assegurar o controle e a correta execução

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, de 25 de janeiro de 2016. Regulamenta as normas e procedimentos para solicitar alterações em documentos oficiais do IFRS. O Diretor Geral em exercício do do Instituto Federal

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2º Semestre de 2017

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2º Semestre de 2017 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2º Semestre de 2017 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as

Leia mais

Procedimentos compra de passagens aéreas e faturas

Procedimentos compra de passagens aéreas e faturas Fluxograma Perfil Solicitante de Passagens Procedimentos compra de passagens aéreas e faturas Perfil Solicitante de Viagem Devolução de valores Passagens rodoviárias Inicio da Tramitação Cadastramento

Leia mais

Of. Circular nº 144/2015-DSG/CECOM/PRA Curitiba, 26 de maio de ASSUNTO: Procedimentos para abertura de Processos de Importações

Of. Circular nº 144/2015-DSG/CECOM/PRA Curitiba, 26 de maio de ASSUNTO: Procedimentos para abertura de Processos de Importações Of. Circular nº 144/2015-DSG/CECOM/PRA Curitiba, 26 de maio de 2015. DE: DSG/CECOM PARA: Seção Orçamentária dos Setores e Pró-Reitorias da UFPR ASSUNTO: Procedimentos para abertura de Processos de Importações

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011 Assunto: Utilização de veículos oficiais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011 Assunto: Utilização de veículos oficiais SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Caxias do Sul INSTRUÇÃO

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL 1º Semestre de 2018

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL 1º Semestre de 2018 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL 1º Semestre de 2018 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

O COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA (COLGRAD-FO), no uso de suas atribuições e considerando:

O COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA (COLGRAD-FO), no uso de suas atribuições e considerando: RESOLUÇÃO n 01/2016 COLGRAD- FOUFMG Reedita o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Graduação em Odontologia da da UFMG, alterando dispositivos da Resolução nº 02/2014 aprovada

Leia mais

Data de Vigência 31/12/2017 ÁREA EMITENTE: DIVISÃO DE SERVIÇOS DA EPPEN - OSASCO. ASSUNTO: Normas Internas para uso de veículo oficial Campus Osasco

Data de Vigência 31/12/2017 ÁREA EMITENTE: DIVISÃO DE SERVIÇOS DA EPPEN - OSASCO. ASSUNTO: Normas Internas para uso de veículo oficial Campus Osasco DSGP-POP- de OBJETIVO O objetivo deste procedimento é estabelecer critérios para atender a demanda de viagens para participações em reuniões, cursos, treinamentos, colaboradores de bancas examinadoras

Leia mais

Deliberação sobre isenção / redução de taxa de inscrição para o Concurso Vestibular FUVEST 2014

Deliberação sobre isenção / redução de taxa de inscrição para o Concurso Vestibular FUVEST 2014 CONCURSO VESTIBULAR FUVEST 2014 Isenção/Redução de Taxa de Inscrição Informe nº 03/2014-23/05/2013 Deliberação sobre isenção / redução de taxa de inscrição para o Concurso Vestibular FUVEST 2014 O Vice-Reitor,

Leia mais

I EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE AVALIADORES CERNE 2017

I EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE AVALIADORES CERNE 2017 1. APRESENTAÇÃO I EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE AVALIADORES CERNE 2017 A Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (ANPROTEC), com sede na cidade de Brasília, no SCN, quadra

Leia mais

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Graduação Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Processo Identificação Versão Nº de folhas 1 de 5 Glossário de Termos

Leia mais

CENTRO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE ENGENHARIA NAVAL

CENTRO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE ENGENHARIA NAVAL CENTRO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE ENGENHARIA NAVAL Joinville, 13 de julho de 2017. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O presente Regulamento de Estágios visa disciplinar

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO

REGULAMENTO FINANCEIRO REGULAMENTO FINANCEIRO O IBGH INSTITUTO BRASILEIRO DE HOSPITALAR, Organização Social, qualificado pelo Decreto Nº 1580, DOE N 6437 de 10.05.2017, no exercício de suas atribuições e competências estatutárias,

Leia mais

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO DE EXTENSÃO E PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS PELA FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO UNIVEIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UNIVEIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO RELATÓRIO FINAL N o 5.2 5.1. Título do Projeto N o do Processo 5.2. Coordenador: (Constar carga horária semanal dedicada ao Projeto,

Leia mais

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7 Página 1 de 8 ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2-Campo de Aplicação: 3-Documento de Referência: 4-Definições e Siglas: 5-Descrição do Procedimento: Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 20/08/200

Leia mais

AFASTAMENTO PARA CAPACITAÇÃO DOCENTE

AFASTAMENTO PARA CAPACITAÇÃO DOCENTE AFASTAMENTO PARA CAPACITAÇÃO DOCENTE 1 O que é? 1.1 Entende-se por afastamento docente a situação em que o docente se afasta integralmente do exercício do cargo efetivo para dedicar-se à capacitação docente,

Leia mais

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e Anexo I ao Oficio Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do Estatuto

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº. 03/2012. a) a Portaria Normativa MEC Nº. 40, de 12 de dezembro de 2007, em sua atual redação;

NOTA TÉCNICA Nº. 03/2012. a) a Portaria Normativa MEC Nº. 40, de 12 de dezembro de 2007, em sua atual redação; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA SUPERINTENDENCIA DE REGULAÇÃO E REGISTROS ACADÊMICOS Considerando: NOTA TÉCNICA Nº. 03/2012 a) a Portaria Normativa MEC Nº. 40, de 12 de

Leia mais

REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ

REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ REGULAMENTO DA GERÊNCIA DE SERVIÇOS DO IMA/UFRJ O presente regulamento visa estabelecer normas, procedimentos de funcionamento e atividades atribuídas à Gerência de Serviços, conforme estabelecido no Capítulo

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE N o 014, DE 25 DE ABRIL DE Aprova Regulamento de Monitoria para os Cursos de Graduação a Distância, da UEPG.

RESOLUÇÃO CEPE N o 014, DE 25 DE ABRIL DE Aprova Regulamento de Monitoria para os Cursos de Graduação a Distância, da UEPG. RESOLUÇÃO CEPE N o 014, DE 25 DE ABRIL DE 2017. Aprova Regulamento de Monitoria para os Cursos de Graduação a Distância, da UEPG. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

EDITAL PTB Nº 015/2017, de 13 de setembro de 2017

EDITAL PTB Nº 015/2017, de 13 de setembro de 2017 EDITAL PTB Nº 015/2017, de 13 de setembro de 2017 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA MATRÍCULA EM CURSOS DE EXTENSÃO CÂMPUS SÃO PAULO PIRITUBA O Câmpus São Paulo Pirituba, do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS AUDITÓRIOS DO CT

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS AUDITÓRIOS DO CT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS AUDITÓRIOS DO CT O Centro de Tecnologia (CT) da Universidade Federal de Santa Maria UFSM possui três auditórios: Auditório Pércio Reis, com capacidade para 120 pessoas,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO RESOLUÇÃO Nº 22/2017 Estabelece as diretrizes para a emissão e registro de Diplomas dos Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco IFPE.

Leia mais

EDITAL N. 002/2016/DIREX PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS E BOLSISTAS DE EXTENSÃO VINCULADO AO PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PBEXT

EDITAL N. 002/2016/DIREX PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS E BOLSISTAS DE EXTENSÃO VINCULADO AO PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PBEXT MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA EDITAL N. 002/2016/DIREX PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS E BOLSISTAS DE EXTENSÃO VINCULADO AO PROGRAMA DE BOLSAS

Leia mais

ANÁLISE DE CRÉDITO FINANCIAMENTO CONSÓRCIO COM ENTREGA ANTECIPADA

ANÁLISE DE CRÉDITO FINANCIAMENTO CONSÓRCIO COM ENTREGA ANTECIPADA ANÁLISE DE CRÉDITO FINANCIAMENTO CONSÓRCIO COM ENTREGA ANTECIPADA ANÁLISE Para Efetuar a venda de Financiamento, Entrega antecipada ou venda parcelada deverá ser realizada a Pré- Análise via fone: A revenda

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 47, DE 30 DE AGOSTO DE INSTITUIR as seguintes NORMAS PARA AS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

RESOLUÇÃO Nº 47, DE 30 DE AGOSTO DE INSTITUIR as seguintes NORMAS PARA AS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES RESOLUÇÃO Nº 47, DE 30 DE AGOSTO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 32ª Reunião Ordinária, realizada no dia 30 de agosto de 2012, no uso das atribuições que lhe são

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02 / COLEGIADO GESTOR

RESOLUÇÃO Nº 02 / COLEGIADO GESTOR COLEGIADO GESTOR DO MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA/REDE NORDESTE DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA Estabelece critérios para os processos de Qualificação e Defesa dos discentes do Curso de Mestrado

Leia mais

SOLICITAÇÕES DE 12/12/2014 a 13/03/2015 (TAXA - R$ 17,00)

SOLICITAÇÕES DE 12/12/2014 a 13/03/2015 (TAXA - R$ 17,00) APROVEITAMENTO DE ESTUDOS 2015/1 SOLICITAÇÕES DE 12/12/2014 a 13/03/2015 (TAXA - R$ 17,00) Informativo GR nº 001/2014 ATENÇÃO! ESTE INFORMATIVO CONTÉM TODAS AS ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA

Leia mais

PORTARIA 16/2016 DIRETORIA ACADÊMICA ADMINISTRATIVA

PORTARIA 16/2016 DIRETORIA ACADÊMICA ADMINISTRATIVA PORTARIA 16/2016 DIRETORIA ACADÊMICA ADMINISTRATIVA Dispõe sobre a organização pedagógica e o apoio logístico na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu. O Diretor Acadêmico Administrativo da Faculdade

Leia mais

GUIA PARA PÓS-GRADUANDOS CONCLUINTES

GUIA PARA PÓS-GRADUANDOS CONCLUINTES GUIA PARA PÓS-GRADUANDOS CONCLUINTES Do Portal Sempre UNESP 01. O discente concluinte da Pós-Graduação deve se cadastrar no Portal Sempre UNESP pelo site: http://unesp.br/sempreunesp/ (Seu cadastro é muito

Leia mais

10ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

10ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO (PROPESP) 10ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA A 10ª Jornada de Iniciação

Leia mais

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A ALUNOS DE MESTRADO/DOUTORADO PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CAMPO E PARTICIPAÇÃO OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A ALUNOS DE MESTRADO/DOUTORADO PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CAMPO E PARTICIPAÇÃO OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A ALUNOS DE MESTRADO/DOUTORADO PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CAMPO E PARTICIPAÇÃO OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS Art. 1º- Esta norma estabelece os critérios para o

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA UNIVERSIDADE DA AMAZONIA 29/02/26 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE AMAZONIA Belém 26 29/02/26 Dispõe sobre normas de Monitoria da Universidade da Amazônia. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º Adotar e estimular a Monitoria Acadêmica, que

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE INTEGRAÇÃO UNIVERSITÁRIA (CIUNI)

REGULAMENTO DO CENTRO DE INTEGRAÇÃO UNIVERSITÁRIA (CIUNI) UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRO-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS E COMUNITARIOS COORDENADORIA DE ESPORTES E LAZER REGULAMENTO DO CENTRO DE INTEGRAÇÃO UNIVERSITÁRIA (CIUNI) JANEIRO-2016 CAPÍTULO I DA

Leia mais

PORTARIA PRC/PRODI 1/2008

PORTARIA PRC/PRODI 1/2008 PORTARIA PRC/PRODI 1/2008 ORIENTA SOBRE OS CRITÉRIOS DE REMUNERAÇÃO PARA PROPONENTES EXECUTORES DOS CURSOS DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA E ACADÊMICA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Pró-Reitor Comunitário e

Leia mais

FORMULÁRIO PROPOSTAS DE EXTENSÃO Cadastramento de cursos, palestras, seminários, congressos e demais eventos acadêmicos.

FORMULÁRIO PROPOSTAS DE EXTENSÃO Cadastramento de cursos, palestras, seminários, congressos e demais eventos acadêmicos. FORMULÁRIO PROPOSTAS DE EXTENSÃO Cadastramento de cursos, palestras, seminários, congressos e demais eventos acadêmicos. 1. APRESENTAÇÃO INFORMAÇÕES INICIAIS Nome da atividade: Tipo da atividade: Curso

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ TÉCNICO ESTATUTÁRIO DE GOVERNANÇA E CONFORMIDADE

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ TÉCNICO ESTATUTÁRIO DE GOVERNANÇA E CONFORMIDADE REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ TÉCNICO ESTATUTÁRIO DE GOVERNANÇA E CONFORMIDADE 1. Finalidade O Comitê Técnico Estatutário de Governança e Conformidade ( Comitê ) é um órgão estatutário de caráter permanente,

Leia mais

Alteração de nome de operador de registro Como enviar uma solicitação

Alteração de nome de operador de registro Como enviar uma solicitação Alteração de nome de operador de registro Como enviar uma solicitação Versão 1.0 Dezembro 2015 Índice I. INTRODUÇÃO 3 II. INSTRUÇÕES 4 ETAPA 1 -- DEVO ENVIAR UMA SOLICITAÇÃO DE ALTERAÇÃO DE NOME DE OPERADOR

Leia mais

Aprovado por Márcia Rangel

Aprovado por Márcia Rangel Unidade Processo Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas Realização de Eventos por Edital de Pregão Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Leia mais