BEM VINDOS À FACULDADE CALOUROS DO DIREITO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BEM VINDOS À FACULDADE CALOUROS DO DIREITO"

Transcrição

1 A M A U N E D L I V RE A I C Ê V B O S Dir 2 o eit

2 BEM VINDOS À FACULDADE CALOUROS DO DIREITO Com grande alegria, o Centro Acadêmico Clóvis Beviláqua (CACB), bem como todo o corpo estudantil desta Centenária Faculdade, saúdam a chegada de vocês, calouros nessa longa aventura que é a vida universitária; sonhada por tantos, mas real para tão poucos. Um novo mundo se descortinará para a maioria de vocês, como um dia já aconteceu aos que vos escreveram esse humilde informativo, que visa auxiliá-los nesse início de jornada, repleta de alegrias, dúvidas, desejos e possibilidades de aprendizagem. Faz-se importante que todos nós, estudantes, nos percebamos enquanto sujeitos ativos que somos na construção de uma Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade. Mas como ser ativo? Ora, com participação, que é a maior arma na luta pela democracia e pela efetivação da justiça; com alegria, que é o ritmo que embala a juventude (e vocês calouros nos trazem novos ares desse sentimento); com ousadia, que é a coragem de tentar se lançar ao novo; e com esperança, que é a energia que nos move a buscar novos horizontes. Desejamos a vocês todos esses predicativos durante essa caminhada, sabendo que a estrada da formação jurídica crítica e qualificada somente se constrói com todos lutando por mais Ensino, Pesquisa e Extensão (o famoso tripé constitucional da Educação). Aproveitem esses primeiros dias para se deixarem surpreender, pois este é um espaço repleto de História e de histórias, de lendas e de relatos lendários; são bustos, quadros (alguns fantasmagóricos, como o da mãe do Clóvis), escadarias, árvores, sob a sombra das quais (agora desfolhadas) gostamos de conversar, enfim ambiente onde tanto já aconteceu e ainda acontece (a história se faz hoje e por nós). Conheçam e se engajem, se possível, em alguns dos grupos que serão apresentados na Semana de Recepção. Pesquisar é a grande forma de produzir conhecimento na Universidade e de aprendizagem, enquanto a Extensão o meio de dialogamos com a sociedade acerca do saber produzido, construindo novos saberes mais democráticos. Nesse pequeno informativo, buscamos trazer informações chave para vocês conhecerem a Universidade, algumas siglas, alguns termos utilizados por estudantes de Direito, eventos que acontecerão neste ano e no início do próximo, dentre outras coisinhas. Esperamos que gostem.

3 HISTÓRIA DA FD 11/08/1827 Criação dos cursos jurídicos no Brasil. 01/07/1897 O Presidente do Estado do Ceará, Antônio Pinto Nogueira Acioli, envia mensagem à Assembléia Estadual propondo a criação de uma Academia de Direito. 30/08/1901 Em sessão da Academia Cearense, hoje Academia Cearense de Letras, Raimundo Farias Brito alude a necessidade da criação de um curso jurídico no Ceará, sugerindo que esta entidade encampe a idéia. 21/02/1903 A Faculdade Livre de Direito é solenemente inaugurada e ocorrida no prédio da Associação Comercial. 01/03/1903 A Faculdade de Direito Livre é instalada no plenário da Assembléia Estadual. 01/05/1903 É proferida a primeira aula na Faculdade, provisoriamente instalada na sede do tradicional Liceu do Ceará, depois transferida para uma sede na rua Cel. Bezerril, onde permaneceu por vários anos. 08/08/1903 O Presidente do Estado, Dr. Nogueira Acioli, avoca para o Estado a Faculdade por meio da Lei /11/1903 O Governo Federal, por meio do Decreto nº 5.049, reconhece a Faculdade de Direito, demonstrando a importância que lhe era atribuída na época Procede-se o primeiro concurso para catedrático, tendo como vencedor o Dr. Eduardo Henrique Girão. 09/04/1934 A Faculdade torna-se federal, saindo da guarida do Estado através do Decreto Lei n /02/1938 É inaugurada a nova sede da Faculdade de Direito, pelo interventor Francisco de Menezes Pimentel, na antiga Praça do Encanamento (atual Praça Clóvis Beviláqua), onde permanece até hoje. 24/01/1946 Ocorre a confirmação da faculdade como instituição federal através do Decreto Lei n É construído o novo prédio da Faculdade de Direito no Governo de Juscelino Kubitschek. 22/02/1983 Comemoração da passagem dos 80 anos da Faculdade de Direito da UFC. 22/02/2003 Comemoração do Centenário da Faculdade de Direito da UFC. E C.A.? O QUE É? A nossa realidade socio-histórica, em seus diversos âmbitos, apresenta-se permeada por uma teia de contradições e conflitos estruturais que se materializam na negação histórica de direitos elementares. A Universidade Pública, agora nosso novo habitat, não poderia destoar desse contexto, uma vez que ela representa um espaço imprescindível de reprodução social dessa realidade. E, de fato, vivenciamos uma época de progressiva fragilização do ensino superior público e de negação à democratização da educação como direito de todos. É pricisamente da multipercepção dessa trama que surge a necessidade dos estudantes de se organizarem, de se identificarem uns com os outros e de se perceberem enquanto sujeitos formatadores da atmosfera social e política que os envolve e que, por vezes, os oprime. Eis, pois, os estudantes crítica e coletivamente em movimento. Almejando potencializar a força reivindicatória e construtiva desse movimento-coletivo, historicamente consolidou-se a tendência da organização dos estudantes em torno de entidades representativas. Podemos, Assim, situar a formação e o autêntico significado dos Centros Acadêmicos de curso. Na nossa centenária Faculdade de Direito, podemos ver essa potencialização da organização estudantil e do seu caráter contestatório espelhada na trajetória que o Centro Acadêmico Clóvis Beviláqua (CACB) percoreu no decorrer de sua história. O CACB é o centro acadêmico mais antigo do Ceará, tendo surgido nas primeiras décadas de funcionamento da Faculdade. E é deveras inegável que nosso Centro Acadêmico desempenhou um papel importante nas lutas estudantis em face dos grandes acontecimentos políticos locais e nacionais. Já foi cercado por tropas estaduais por defender ideias contrárias ao então presidente da província do Ceará; poustou-se contra a Ditadura Vargas e foi fechado durante os horrendos anos do Regime de Exceção imposto com o golpe civil-militar de 1964; sendo reaberto somente em 1979 com o início lento, seguro e gradual da liberalização do período ditatorial.

4 GESTÃO C.A DE TODOS A Gestão CA de Todos, atual diretoria do CACB, foi eleita em junho de 2010 com a missão de dar continuidade e de fortalecer essa trajetória de organização e de luta dos estudantes de direito de nossa valorosa Salamanca ; pautando-se sempre nos princípios que nortearam a sua formação e a sua caminhada desde o processo eleitoral, como Horizontalidade, Participação, Publicidade, Ética, Pluralidade e Defesa da Dignidade dos Estudantes. Compreendendo a responsabilidade e a importância do significado de um Centro Acadêmico, queremos convidar a todos os estudantes a construí-lo conosco por entendermos ser ele não apenas um espaço de mera representação, mas, antes de tudo, um espaço de participação, de mobilização e de luta por melhorias na nossa Educação Superior Pública, devendo ser construído coletivamente todos os dias. Assim, cumprimentando-os, convidamos a todos os estudantes a se engajarem no fortalecimento constante de uma Gestão plural, participativa, transparente e que ousa reivindicar uma Universidade pública gratuita, de qualidade e socialmente referenciada.

5 COMO SE ORGANIZA O CACB? O Centro Acadêmico Clóvis Beviláqua, com mais de 80 anos de história, é a entidade que reúne todos os estudantes da Faculdade Direito. Nosso Centro Acadêmico tem uma rica história de luta! Sempre antenado às urgentes questões da sociedade brasileira, o CACB, como anteriormente frisado, já foi cercado por tropas estaduais, já se indispôs com o Presidente da Província, lutou por democratização durante a Era Vargas, lutou ativamente contra a Ditadura Militar (período em que foi dissolvido), participou do movimento Caras-Pintadas e de muitos outros acontecimentos relevantes na História do Brasil! Você, calouro, agora constrói esta história A atual gestão do CACB, eleita em Junho de 2010, é composta por diretores da Chapa C.A. de Todos, nascida do seio de um processo aberto, democrático e participativo, formador do Movimento Estudantil crítico e defensor de uma Universidade Pública, Democrática e de Qualidade. Secretarias do C.A.C.B O Centro Acadêmico Clóvis Beviláqua adota o modelo de secretarias. Esse modelo de organização interna caracteriza-se pela HORIZONTALIDADE, posto que não há hierarquias, evitando, assim, o personalismo no interior do CA. S ão quatro secretarias que atuam conjunta e harmoniosamente, sempre buscando defender os interesses dos estudantes! As Secretarias do CACB são: Secretaria de Assuntos Estudantis (SAE) A SAE é responsável pela articulação junto ao Movimento Estudantil da UFC e pela comunicação com os Movimentos de outros cursos e de outras regiões do Brasil. Por meio da FENED (Federação Nacional dos Estudantes de Direito), a SAE busca promover o diálogo com outros Centros Acadêmicos de todo o país. Esta Secretaria aproxima-se das necessidades mais urgentes dos estudantes, tais como: problemas com o corpo docente, problemas com a biblioteca, problemas de infra-estrutura etc. Secretaria de Comunicação (SECOM) A Secretaria de Comunicação divulga os eventos da Academia, bem como acontecimentos relevantes da nossa sociedade, a todos os estudantes da Faculdade de Direito. Por meio da divulgação de Festas, Debates, Cines, mesas-redondas, Encontros e Reuniões, a SECOM busca estreitar os laços junto ao corpo discente da Faculdade. Secretaria de Cultura e Esportes (SECULTES) A SECULTES, junto à Atlética, busca promover eventos esportivos e festivos. Em parceria com NIDIL, NIDIDRA e NIDESA, a SECULTES busca, ainda, difundir a cultura na Academia, fortalecendo os laços entre os estudantes. É a organizadora da Semana Zero, da Calourada e da recepção dos calouros Secretaria de Finanças (SEFIN) A SEFIN administra com transparência os recursos do Centro Acadêmico, é responsável pela gestão do estacionamento. Secretaria de Ensino Pesquisa e Extensão (SEPE) A SEPE busca aprimorar o tripé educacional (Ensino, Pesquisa e Extensão) dentro da nossa Faculdade. Por meio de Fóruns, Seminários e Debates, procura fortalecer os Grupos de Pesquisa e de Extensão existentes na FD. Trata, ainda, das questões concernentes à excelência do ensino na Salamanca. Suplência Os Suplentes também participam ativamente da gestão do Centro Acadêmico, seja em reuniões, seja em comissões organizadoras de eventos NOMINATA DA GESTÃO SEPE Cecília Paiva de Sousa SIV Maria Solara- SIV Luana Pavan-SIII Nicole Lima-SIII Jorge Ulisses-SV Dillyane Ribeiro -SVI SAE Marcos Felipe- SVII Isaac Cunha- SIV José Teles- SVII Raphael Franco- SVII Acássio Pereira- SIV SECULTES Murilo Leite-SIII Jacy Luz-SIII Ladislau de Souza-SIV Ubirajara Souza-SV SECOM Iara Teixeira-SII Kauhana Hellen-SIV Pedro Scussel-SII SEFIM Edberto Araújo-SIV Haylton de Souza-SV SUPLÊNCIA Diogo Portela-SIV Artur Carvalhi-SIV Juliane Melo-SV Eginaldo de Oliveira-SIV Alexandre Batista-SIV

6 MAS QUEM FISCALIZA O CENTRO ACADÊMICO? Bem, toda instituição precisa de um órgão que o fiscalize, a fim de manter a transparência, a honestidade e publicidade das suas ações. Com o CACB não é diferente, e quem cumpre essa função é um órgão chamado de CORETUR. E vocês ainda vai ouvir falar muito dele. O Conselho dos Representantes de Turma (CORETUR) é o órgão deliberativo que fiscaliza a diretoria do CA, além de discutir o curso de Direito como um todo. Composto por 2 membros de cada turma e por mais 2 da Diretoria do CACB, suas deliberações são capazes de alterartoda a conjuntura acadêmica da FD. Tem-se, portanto, grandiosa relevância a participação de representantes e representados às reuniões, costumeiramente quinzenais do órgão, para que possamos sempre nos orgulhar da qualidade da nossa Salamanca. Campanha CACB pela revitalização do CORETUR. UNIVERSIDADE?! Nos últimos anos, a universidade pública tem vivenciado uma série de dificuldades, principalmente no que concerne a um processo contínuo de fragilização do tão famoso tripé constitucional ensino, pesquisa e extensão no qual a universidade se sustenta. Esse tripé deve ser indissociável, portanto cabendo a nós, alunos e alunas, lutar para termos um ensino, uma pesquisa e uma extensão crítica e de qualidade. Mas e o que seria esse tripé ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO basilar para a Universidade? //Ensino Toda universidade deve, através de seus professores e alunos, fomentar uma ensino crítico e questionador da realidade, visando a formação, não apenas de bons profissionais para o mercado de trabalho, como também e principalmente, de cidadãos conscientes com a realidade social na qual estão inseridos, buscando ajudar a construir uma sociedade mais justa e igualitária. //Pesquisa A atividade da pesquisa deve ser constantemente estimulada, haja vista a sua importância na construção e a produção do conhecimento dito científico renovado continuadamente. A formação de novos pesquisadores atentos à dinâmica social é de suma importância para que a teoria produzida na universidade esteja sempre dialogando com os atores sociais e tendo em vista as suas demandas, num movimento dialético com a sociedade, visando garantir a produção de uma ciência atenta à sua Função Social. //Extensão Das três bases da educação, a Extensão é que vem sofrendo as maiores dificuldades, principalmente em termos de financiamento da universidade voltados para os projetos de Extensão. A atividade essencial da extensão na universidade é permitir que nós alunos e o conhecimento construído nas pesquisas e em sala de aula possamos ultrapassar os muros da universidade e dialogar com a sociedade. Extensão não são atividades que se mantêm restritas aos alunos da Universidade, que são muitas vezes confundidas com atividades extra sala; a extensão deve ser uma Ponte aberta entre universidade e sociedade, a fim de construir um diálogo permanente entre ambas, levando sempre em consideração o principio da horizontalidade nessa relação.

7 PARA FICAR LIGADO NA PESQUISA E EXTENSÃO Academia de Letras da Faculdade de Direito do Ceará ALFD Fundada em 2008, a Academia conta com 25 membros entre professores, alunos e ex-alunos. Com o objetivo de resgatar a produção cultural e literária de nossa terra e estimular os novos talentos, a ALFD pretende promover eventos literários, como o I Ciclo de Palestras promovido no segundo semestre letivo de 2008, que contou com a presença ilustríssima de professores como Cid Carvalho, Dimas Macedo, Glauco Barreira, entre outros. Atlética (Associação Atlética da Faculdade de Direito) A Associação Atlética da Faculdade de Direito, AAFD, é uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos, de duração indeterminada, fundada no início do século passado, com sede prevista para a sala anexa ao CACB, próximo a cantina. Tem por finalidades a prática e difusão de atividades desportivas e de lazer, uma vez consideradas de caráter social, cultural e educativo, visando à integração daqueles que fazem parte do corpo discente de nossa Faculdade. São realizadas várias atividades desportivas (Campeonato Interno de Futebol Society, Campeonato de Xadrez) e outros eventos, como o já tradicional Bichurrasco. Tem ainda como objetivo a organização de equipes para representar a Faculdade de Direito no âmbito dos Centros, como é o caso dos Jogos Internos da UFC disputado entre as diversas unidades acadêmicas da Universidade, e, no âmbito universitário, selecionando os melhores atletas para compor as equipes da UFC que disputarão as diversas competições a nível Estadual.

8 Acrescente-se que, na história recente, nossa Faculdade voltou a alcançar expressivos resultados no âmbito das competições esportivas das quais participou. Por fim, é importante que se diga que o objetivo maior da Atlética é contribuir, não só para o fomento da atividade desportiva no âmbito universitário, mas, principalmente, para criar e fortalecer os laços de amizade entre os alunos de nossa querida Faculdade. Somos um projeto sempre aberto a opiniões, contribuições e críticas. Tenham certeza de que a Atlética fará o possível para todos se sentirem em casa! CAJU (Centro de Assessoria Jurídica Universitária) O CAJU é um Núcleo de Assessoria Jurídica Universitária Popular marcado pelo protagonismo de estudantes que visão integrar ações de ensino, pesquisa e extensão voltadas para a luta pela efetivação de direitos humanos. Buscando levantar importantes debates na Universidade, realiza a Capacitação em Direitos Humanos e Assessoria Jurídica Popular no começo do semestre, que hoje é o principal meio de agregar novos membros ao núcleo. Além da Capacitação, o núcleo se organiza em dois Grupos de Trabalho: um com a temática indígena, articulando-se com o movimento indígena e desenvolvendo pesquisa sobre as dificuldades de demarcação das terras indígenas no Ceará, e o outro com a temática urbana, desenvolvendo projeto em parceria com o Escritório Frei Tito de Alencar para contribuir na efetivação das Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), instrumento jurídico-urbanístico que visa garantir o direito à moradia na Capital. O CAJU faz parte ainda da Rede Estadual de Assessoria Jurídica Universitária REAJU e da Rede Nacional de Assessoria Jurídica Universitária RENAJU. CEDIC (Centro de Estudo de Direito Constitucional) O CEDIC busca o estudo do Direito Constitucional em sua interdisciplinaridade, observando que o estudo do direito por princípios tem por escopo dar vida à constituição, requerendo, para a consecução de seus fins, constantes revisões dada a dinâmica dos fatos sociais. A abordagem das disciplinas jurídicas, feita sob a égide do direito constitucional e, por conseguinte da nossa Lei Maior, tem por fim transcender o direito posto a partir da nova hermenêutica constitucional e do diálogo com demais disciplinas propedêuticas, não nos restringindo ao legalismo puro e simples, como forma de nos aproximar da real concretização dos direitos do homem, desde já percebendo a dignidade da pessoa humana no Estado Social de Direito. Escritório Modelo Professor Alcântara Nogueira O Escritório Modelo Prof. Alcântara Nogueira EMPAN foi criado em 21 de junho de 1988, na gestão do reitor Prof. Raimundo Hélio Leite, com a finalidade de possibilitar aos acadêmicos do Curso de Direito da Universidade Federal do Ceará um conhecimento prático a partir da teoria ministrada em sala de aula. Com isso, pretendeu-se também garantir um maior acesso à justiça por parte da população carente da capital cearense. O referido Núcleo de Prática Jurídica está vinculado ao Departamento de Direito Processual da Faculdade de Direito e mantém convênio com a Ordem dos Advogados do Brasil-Seção Ceará, nos termos da Lei 8906/94, possibilitando ao acadêmico de Direito, cursante do 6 semestre, sua inscrição na referida entidade na qualidade de estagiário, mediante aprovação em seleção pública realizada, anualmente. GRUPE O GRUPE Grupo de Estudos e Defesa do Direito do Trabalho e do Processo Trabalhista - é um organismo despersonalizado, de natureza acadêmica e de defesa do Trabalhismo, sem fins lucrativos. Tendo em vista que o interesse pela área cresce vertiginosamente, a par da importância que o tema efetivamente representa

9 para a sociedade, eis que nesse sentido constitui o GRUPE uma iniciativa de suma relevância, porque possibilita a compreensão da essência trabalhista, o acompanhamento das reformas legislativas, o combate à precarização do trabalho e o desenvolvimento do senso crítico. Propõe-se a pesquisar, debater e aprimorar o estudo do Direito do Trabalho, lato sensu, e das instituições trabalhistas, de modo a propor soluções e ações benéficas para toda a sociedade, condizentes com a perspectiva do Trabalhismo renovado, sob orietação do Prof. Dr. Francisco Gérson Marques de Lima. Realiza encontros quinzenais, nos quais o Tutor coordena o aprimoramento das análises e solicita a elaboração de artigos científicos dos partícipes. Ademais, edita-se o Informativo do GRUPE, periódico bimestral que divulga os escritos de seus membros sobre os assuntos discutidos nos encontros referentes ao Direito e ao Processo Trabalhista, distribuído no meio acadêmico, impresso e por correio eletrônico, aos interessados e instituições que atuam com as questões afeitas ao trabalho. Em sua atual conjuntura, é formado por graduandos e mestrandos de Direito da UFC e das demais Universidades do Ceará, além de advogados. Encontra-se aberto para a entrada de novos membros engajados com seara trabalhista, desde que seja da área jurídica e tenha disponibilidade para participar dos encontros, que regularmente ocorrem aos sábados pela manhã. O Grupo, apesar de sua avançada atuação, já beirando os três anos de funcionamento, encontra-se em fase de regularização para com a Universidade Federal do Ceará, Processo nº 12517/09-20 (Projeto de Extensão para Desenvolvimento de Estudos), distribuído em GTEIA s (Grupos Transdisciplinares de Estudo Interinstitucionais) Orientados pelo professor Flávio José Moreira Gonçalves, com a coordenação discente de Artur Carvalho e Hedwiges Guadallupi, o GTEIAPSI e o GTEIABIO, respectivamente, reúnem pesquisadores de várias instituições de ensino superior do Ceará, embora sejam projetos cadastrados no Departamento de Direito Processual da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará. Com encontros quinzenais aos sábados e itinerantes, os seus membros investigam questões contemporâneas sob uma ótica transdisciplinar. Em breve, será criado um grupo de estudos em filosofia e argumentação jurídica (GTEIAFIO). O Grupo Transdisciplinar de Estudos Interinstitucionais e Análise em Psicologia Jurídica (G-TEIAPSI) tem como objetivo incentivar a pesquisa nas áreas do Direito e da Psicologia, dando sua contribuição a pesquisas transdisciplinares envolvendo a compreensão do homem nas ciências, tomando como referencial teórico o pensamento complexo. Possui os seguintes eixos de pesquisa: (1) Magistratura, (2) Solução Extrajudicial de Conflitos e (3) Direitos Humanos. Atualmente, conta com dez pesquisadores. Um edital, no início do semestre , será lançado para o preenchimento das vagas remanescentes. O Grupo Transdisciplinar de Estudos Interinstitucionais em Ambiente, Bioética e Biodireito (G-TEIABIO) tem como objetivo incentivar a pesquisa nas áreas do Direito Ambiental, da Bioética e do Biodireito, dando sua contribuição à pesquisa jurídica e filosófica de temas que envolvam a ética nas ciências, tomando como referenciais teóricos o pensamento ecológico e a ética da responsabilidade. Atualmente, conta com nove pesquisadores. Um edital, no início do semestre , será lançado para o preenchimento das vagas remanescentes. Contatos: NAJUC (Núcleo de Assessoria Jurídica Comunitária) A Assessoria Jurídica Popular tem por base os métodos e princípios da Educação Popular, pautando política e juridicamente temas de interesse e relevância para as comunidades em que está atuando, assim como para setores da sociedade e Movimentos Sociais que são companheiros na disputa de um novo projeto de Estado

10 e Sociedade. A AJP é então uma forma de atuação contra-hegemônica, tendo em vista que democratiza as informações acerca do Direito posto pelo Estado, assim como traz ao mundo jurídico alternativas a esse direito estatal, através do direito produzido pelas comunidades e pelos movimentos sociais. A AJP é a forma de atuação adotada pelo Núcleo de Assessoria Jurídica Comunitária NAJUC, núcleo de extensão da Faculdade de Direito da UFC, que hoje através de oficinas, rodas de conversa e trabalho comunitário faz uma extensão universitária popular, tendo por norte a concepção de que a Universidade tem uma importante função de transformação social, na medida em que é produtora de conhecimento. O NAJUC compreende, ainda, que tal conhecimento deve ser pautado e voltado às demandas populares e não deve estar a serviço do modelo de sociedade excludente como hoje se encontra. A cada semestre o núcleo discute a temática a ser trabalhada, para esse semestre, o tema escolhido foi o Direito à Cidade, com foco na luta das comunidades que são Zonas Especiais de Interesse Social ZEIS, através do Projeto ZEIS.As atividades consistem em oficinas nas comunidades. Aqueles que acreditam nesse método dialético e quiserem a nós unir-se serão muito bem-vindos nas Rodas de Discussão. NECC (Núcleo de Estudos de Ciências Criminais) O NECC (Núcleo de Estudo de Ciências Criminais), grupo de extensão da Faculdade de Direito da UFC, foi fundado em 21 de janeiro de 2006, originalmente como grupo de pesquisa, tendo publicado dois boletins com artigos desenvolvidos pelos alunos integrantes. Atualmente, com caráter extensionista, o NECC tem se preocupado em voltar seus trabalhos para a comunidade, como aconteceu com a Cartilha sobre Habeas Corpus, feita pelos próprios integrantes, sob a orientação do coordenador do grupo, o Prof. Dr. Nestor Eduardo A. Santiago. Apesar de seu novo enquadramento, o grupo não esqueceu suas raízes e vem, aos poucos, tentando conciliar extensão à pesquisa. Prova dessa fusão é o projeto do NECC para o ano de 2010, o Plantão Criminal, que consistirá em um tira-dúvidas através do qual os estudantes e demais membros da sociedade poderão esclarecer questões no que concerne ao Direito Penal e Processual Penal, trazendo à tona dúvidas pessoais ou informações a respeito de casos de grande repercussão na mídia. Os interessados em elucidar seus questionamentos poderão enviar um para o endereço gmail.com. No prazo de 72 horas, a dúvida será respondida pelos alunos integrantes do NECC, com a supervisão do Coordenador do Projeto. Além disso, um apanhado das perguntas e respostas será publicado mensalmente aqui no site do CACB, resguardando-se o sigilo das identidades dos que tiverem suas questões abordadas. Com isso, espera-se que este projeto extensionista do NECC dissemine o conteúdo jurídico, valendo-se necessariamente da pesquisa como forma de complementação do conhecimento. NEL (Núcleo de Estudos da Longevidade) O Núcleo de Estudos da Longevidade NEL tem por objetivo desenvolver um núcleo universitário de estudos, ensino, pesquisa, e extensão na área de envelhecimento humano, incluindo várias dimensões, notadamente a da saúde, educação e cidadania. Um dos intuitos é formar um cadastro e estudar meios de integrar entre si os diversos projetos de extensão da Universidade voltados para a terceira idade. Já o PRISMA Projeto de Inclusão Social na Maturidade é um projeto de extensão cujo objetivo é o de desenvolver oficinas e minicursos para o público da terceira idade, estimulando a prática da cidadania, a valorização da saúde e a sua inclusão social, na condição de protagonistas. NIDESA Núcleo Interdisciplinar em Direito e Sétima Arte (Cineclube) O Núcleo Interdisciplinar de Direito e Sétima Arte é um projeto voluntário criado pelos alunos da graduação da

11 Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará. Conhecido popularmente pelos alunos como Cineclube, o projeto ocorre normalmente as sextas no período da tarde onde são exibidos filmes e documentários que abordam temas polêmicos ou que apresentem algo relacionado com a área do Direito, embora o foco não seja principalmente este. Posteriormente a exibição dos filmes são ministradas palestras e debates a fim de estimular os alunos a participarem e tentar desvinculá-los um pouco do Direito, integrando-os a outros cursos da UFC ou a outras temas relevantes par o aprendizado geral. É um projeto bastante agradável e interessante de um modo geral devido a uma certa facilidade para se conseguir créditos. NIDIDRA (Núcleo Interdisciplinar de Direito e Dramaturgia) O NIDIDRA é um projeto voluntário que visa ao aprimoramento de qualidades importantes ao futuro jurista. Nesse intuito, serão realizados encontros em que, por meio da arte dramática, serão feitos estudos e produções pertinentes tanto à área jurídica quanto à teatral. Acreditando que, por intermédio das artes cênicas, seja possível aguçar a sensibilidade, característica de extrema importância para o ator, para o futuro aplicador do direito e mesmo para o ser humano, o grupo tem como objetivos: 1) Fomentar a cultura e o gosto pelas artes dentro da Faculdade de Direito; 2) Incentivar o trabalho em grupo; 3) Desenvolver e aprimorar aspectos de profunda relevância na formação do jurista; 4) Produzir textos teatrais e/ou científicos acerca dos temas abordados; 6) Criar uma cultura de integração entre as artes e o mundo jurídico. Nos encontros, iremos discutir temas de teatro, procurando relacioná-los com o Direito. As aulas não serão restritas apenas a estudo de teoria. Em boa parte delas, pretende-se, por meio de exercícios práticos, dar início às discussões. Durante o semestre, é possível que haja oficinas relacionadas a áreas específicas. Ao final do curso, é possível que haja uma apresentação construída sobre o que foi trabalhado durante os encontros. Jamile Morais atual coordenadora do projeto Rahym Costa colaborador NIDIL (Núcleo Interdisciplinar em Direito e Literatura) O Núcleo Interdisciplinar em Direito e Literatura é um projeto integrante do Núcleo de Artes da Faculdade de Direito. O grupo visa incentivar a leitura entre os estudantes, fomentando a discussão e a análise de obras de grande valor literário e cultural. Desde 2006, já foram abordados livros diversos, dentre a literatura indicada para o estudante de Direito e a literatura em geral. Além de trabalhar a produção de artigos de opinião e fichamentos, o grupo promove debates dinâmicos e descontraídos, procurando encontrar um meio termo entre os Códigos e as artes. PAULO FREIRE O Curso Paulo Freire rabisca hoje a primeira palavra, talvez com os mesmos gravetos que o menino Paulo riscava, à sombra das mangueiras, o chão da casa/infância de Recife. Chão duro e bom, a desafiar o riscador ao traço mais livre. O desafio: preparar alunos da Rede Pública de Ensino para o vestibular, através da educação crítica de Paulo Freire. O riscador: os alunos do Curso e os educadores acadêmicos da UFC capacitados para reagir ao prémoldado dos cursinhos tradicionais. A sombra das mangueiras: a Universidade Pública. O projeto de extensão Curso Paulo Freire cuida em realizar uma das pilastras do Ensino Superior, além de promover o ingresso de

12 universitários críticos e multiplicadores do espírito freireano. Só nos resta agora a primeira palavra riscada, ao final, a educação como prática da liberdade. As aulas acontecem aos finais de semana, pela manhã e pela tarde. O Curso oferece aos seus alunos material de estudo na forma de apostilas mensais. São oferecidas também aulas de específica, preparatórias para a segunda fase do vestibular, durante todo o ano. Os professores participantes do projeto são todos alunos da Universidade Federal do Ceará, e a sua participação é totalmente voluntária. O Curso Paulo Freire oferece 80 vagas ao público anualmente, sendo realizada uma seleção no início do ano, e uma no meio do ano para suprir possíveis desistências. SONU Simulação da Organização das Nações Unidas A Simulação da Organização das Nações Unidas (SONU) é um projeto criado em 2005 por alunos da Faculdade de Direito para simular organismos internacionais. Desde então, é realizada uma simulação por ano, na qual busca-se reproduzir, fidedignamente, o funcionamento das mais diversas organizações internacionais, proporcionando uma vivência única. Objetiva-se, assim, estimular interesse pelo Direito Internacional, em todos os seus aspectos, dentre os estudantes. CALOURÁRIO: O DICIONÁRIO DO CALOURO 11 de Agosto: Data de Criação do curso de Direito no Brasil. Também é Dia do advogado, do Rei e do Garçom. A.F.: A Avaliação Final é a recuperação do tempo do colégio. Todo estudante com média entre 4 e 7 estará apto a fazer A.F. Cuidado, se sua média é menor que 4, será reprovado automaticamente! Assessoria Jurídica Popular (AJP): Atuação desenvolvida por advogados e acadêmicos de Direito junto a comunidades e movimentos sociais pautando-se por princípios da Educação Popular na luta pela efetivação dos direitos humanos. Assistência Jurídica: Trata-se de prestação de serviços de advocacia à população carente. Balança: Jornal dos estudantes da Faculdade de Direito. Em breve, nova edição cheia de novidades! Bolsa de Iniciação Científica: É para quem está iniciando a caminhada no universo da pesquisa! Centros Acadêmicos (CA s) e Diretórios Acadêmicos (DA s): São as entidades que reúnem todos os estudantes de um mesmo curso. CONERED: Conselho Nacional das Entidades Representativas dos Estudantes de Direito. Reúnes os CA s e DA s de Direito de todo o Brasil. CORERED: Conselho Regional das Entidades Representativas dos Estudantes de Direito. Reúne os CA s e DA s de Direito de cada região do país. CONED: Coordenação Nacional dos Estudantes de Direito. É um órgão executivo eleito no ENED e composto por 13 CA s e DA s. CNPq: O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é uma agência do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destinada ao fomento da pesquisa científica e tecnológica. Conselho de Entidades de Base (CEB): CEB é o órgão deliberativo do DCE em que se discutem

13 questões urgentes ligadas à Universidade e ao Movimento Estudantil. Reúne todos os D.A. s e CA s da Universidade. Vá a um CEB! Participe dos debates da sua Universidade! CORETUR: O Conselho de Representantes de Turma (CORETUR) é órgão deliberativo que fiscaliza as ações do CACB. É composto por dois estudantes de cada sala. Participe das discussões de nossa Faculdade! Vá as reuniões do CORETUR! DCE: O Diretório Central dos Estudantes (DCE) congrega todos os alunos da Universidade Federal do Ceará. É importante instrumento de defesa dos direitos dos estudantes, de busca por melhorias na Universidade Pública e de luta pela efetivação de um ensino público, democrático e de qualidade. Dinossauro: Ex-aluno. Verdadeiro fóssil vivo sempre presente em festas e eventos sociais. Epistemologia: É a reflexão acerca da natureza. Fened: Federação Nacional de Estudantes de Direito Hermenêutica: Ciência da interpretação. Monitoria: Grande oportunidade de aprender e de reforçar o conteúdo ministrado em sala de aula. No início do ano, sempre surgem editais de seleção para monitoria. Fique ligado! Monografia: É o trabalho de fim de curso em que o estudante, com a orientação de um professor, faz suas primeiras considerações acerca de determinado assunto que considere relevante. Movimento Estudantil (ME): Situa-se entre os movimentos sociais e os movimentos sindicais. Constituído por estudantes, sua principal finalidade é a organização estudantil em prol de uma Universidade verdadeiramente pública, democrática e de qualidade. Na Faculdade de Direito, o Movimento Estudantil tem lutado pela democratização das instâncias administrativas do curso, ressaltando-se a luta por democracia nas últimas eleições para Coordenação do curso de Direito. NPJ: O Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da Faculdade de Direito situa-se no térreo do Prédio Velho. Está em fase de construção graças à iniciativa estudantil! Salamanca: A Universidade de Salamanca foi o primeiro centro de Direito no mundo. Por isso, as faculdades pioneiras em cada estado recebem o nome de Salamanca. UNE: A União Nacional dos Estudantes (UNE) é a maior entidade representativa dos estudantesou não.

14 FALANDO DE ORGANIZAÇÃO ESTUDANTIL NACIONA! Estamos muito felizes por você, calouro/a, estar aqui conosco a despeito de ser tão restrito o acesso ao Ensino Superior em nosso País. Entrar na Universidade é momento de muita festa e orgulho, mas, aos poucos, a gente vai percebendo que algumas coisas estão erradas: tem disciplina sem professor, falta livro na Biblioteca, o professor parece que está falando grego e para as paredes, os estudantes sem poder de decisão nas instâncias administrativas da Universidade, os projetos de Extensão sem apoio institucional, uma vontade enorme de Pesquisar, mas nem a disciplina de metodologia do trabalho científico nos é disponível... Enfim, esses aí de cima são só alguns desafios que temos que enfrentar e vencer durante os cinco anos da jornada que está começando agora para vocês. Mas esses desafios não existem só aqui na Universidade Federal do Ceará, eles estão presentes em quase todas as Universidades Públicas do País. É no esforço de juntar todos os estudantes de direito, seja de instituições públicas ou privadas, numa só luta que beneficie a todos/as que existe a Federação Nacional de Estudantes de Direito FENED. A nossa Federação se divide em Regionais. No nosso caso, fazemos parte da Regional Nordeste III, junto com o Piauí e o Maranhão. Existem dois grandes momentos de encontro dos estudantes: o Encontro Regional de Estudantes de Direito ERED, que acontece em abril, e o Encontro Nacional de Estudantes de Direito ENED, que acontece em julho, cuja sede em 2011 será São Paulo. Ao que tudo indica, a sede do próximo ERED seremos nós, o Ceará. A FENED, hoje, está passando por um momento de renovação e fortalecimento, carregando a bandeira do ensino jurídico de qualidade. Para tal, uma articulação com o Ministério da Educação está surgindo, além da reativação da Comissão de Assuntos Estudantis na OAB nacional. No intuito de aproximar as discussões do Movimento Estudantil Nacional dos estudantes da FD, o C.A.C.B. se propôs a sediar o próximo Conselho Nacional de Entidades Representativas de Estudantes de Direito CONERED em setembro, que será o primeiro a acontecer depois do ENED deste ano, que teve Brasília como sede. O CONERED é uma reunião de C.A.s de Direito e de todos/ as os/as estudantes que quiserem participar e se engajar na construção da FENED. Mais informações: No canto inferior direito do site, existe um link para você entrar na lista de s da FENED e ter acesso às discussões que se passam por lá. SEMANA DE DIREITO. VAMOS JUNTOS CONSTRUÍ-LA? É preciso estarmos atentos para as várias questões que a sociedade coloca para os estudantes e profissionais do direito. É nesse sentido, tão sonegado pelo Ensino Jurídico tecnicista que, no mês de maio, realiza-se a Semana do Direito, espaço conquistado e construído pelos estudantes da Faculdade de Direito com o objetivo de ampliar e aprofundar as reflexões sobre nossa ciência e suas interfaces com as contradições de nossa sociedade. Já ocorreram cinco edições do evento, cujo grande porte vem se consolidando. Durante os três turnos da programação da Semana, ocorrem diversas palestras, encontros de pesquisa, oficinas e mini-cursos, somando 64horas/aula de atividades e muita experiência trocada. Neste ano, a gestão C.A. de Todos propõe a democratização da sua formulação e concretização, instaurando um Grupo de Trabalho aberto a todos os estudantes que queiram se engajar nesta importante tarefa. Você, calouro/a, está mais que convidado a contribuir nessa construção!

15 TELEFONES ÚTEIS Diretoria Diretor da Faculdade: Prof. Álvaro Melo Filho Vice-Diretor: Prof. Márcio Augusto Vasconcelos Diniz Endereço: Rua Meton de Alencar, s/n Centro CEP Fortaleza CE Fone: (85) / Fax: (85) Página na Internet: Coordenação Coordenador: Fernando Basto Ferraz Fone: Fax: Coordenação de Atividades Complementares Fone: (85) Departamentos Departamento de Direito Público Chefe do Departamento: José Cândido Lustosa Bittencourt de Albuquerque Fone: Fax: Departamento de Direito Privado Chefe do Departamento: Francisco Paulo Brandão Aragão Fone: / Departamento de Direito Processual Chefe do Departamento: Márcio Augusto de Vasconcelos Diniz Fone: Outros telefones Escritório Modelo Coordenador: Prof. Idevaldo Barbosa da Silva Fone: (85) / Fortlivros: Livraria da Margarida: Livraria Gabriel: Xerox Marcelo: POR FIM... Chegando ao final deste humilde informativo, esperamos que tenham gostado da leitura e que ele sirva como guia dos seus primeiros passos nessa jornada universitária. Desejamos boa sorte e clareza na caminhada, força na luta pela humanização do Direito e Constancia nas atividades desenvolvidas. Lembrem-se sempre que o verdadeiro Direito só se efetiva dentro da Justiça Social, conquistada na luta cotidiana. Havendo qualquer outra dúvida, não hesitem em esclarecê-la com algum dos integrantes da atual gestão do CACB, C.A. de Todos, que terão o maior prazer em auxiliá-los no que for preciso. Bem vindos, Calouros, e Boa Sorte!!!!

16 APOIO

INFORMATIVO SOBRE ENTIDADES ESTUDANTIS

INFORMATIVO SOBRE ENTIDADES ESTUDANTIS PRÓ- DE EXTENSÃO INFORMATIVO SOBRE ENTIDADES ESTUDANTIS Olá! Você já deve ter feito uma dessas perguntas: O que são entidades estudantis? Para que servem? Qual a diferença entre um CA e um DA? Como criar

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA

DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA FARIAS, Maria Lígia Malta ¹ SOUSA, Valéria Nicolau de ² TANNUSS, Rebecka Wanderley ³ Núcleo De Cidadania e Direitos Humanos/ PROEXT RESUMO O Projeto de Extensão

Leia mais

ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE

ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE SÃO PAULO JULHO DE 2015 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: O PILAR QUE SUSTENTA A FUNÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE. Laboratório de Extensão - LABEX

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: O PILAR QUE SUSTENTA A FUNÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE. Laboratório de Extensão - LABEX EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: O PILAR QUE SUSTENTA A FUNÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE Laboratório de Extensão - LABEX Augusto Gomes Amado Júlia Mafra Letícia Nery de Figueiredo Juliana Westmann Del Poente Thaisa

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004 REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor Brasília, outubro de 2004 FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS FENAJ http://www.fenaj.org.br FÓRUM NACIONAL DOS PROFESSORES DE JORNALISMO - FNPJ

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012

MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012 MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012 Simone Machado Firme FURG 1 Karine Vargas Oliveira FURG 2 Michele Fernanda Silveira

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

REGULAMENTO CURSO DESCENTRALIZADO

REGULAMENTO CURSO DESCENTRALIZADO REGULAMENTO CURSO DESCENTRALIZADO I Nome do curso PROTAGONISMO JUVENIL - GRÊMIO ESTUDANTIL E A FORMAÇÃO CIDADÃ NO ESPAÇO ESCOLAR II Apresentação: descrição do curso O curso capacitará os participantes

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

IESB / PREVE. CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS

IESB / PREVE. CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS IESB / PREVE CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS MISSÃO / IESB Proporcionar um espaço de contínua aprendizagem onde alunos, professores e colaboradores

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas

TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas I-Introdução A Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro UENF é uma Instituição Estadual de

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração e acompanhamento das políticas públicas na área de cidadania, em nível municipal, estadual e nacional, promovendo

Leia mais

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO A universidade vivencia, em seu cotidiano, situações de alto grau de complexidade que descortinam possibilidades, mas também limitações para suas

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão Quadriênio 2016-2019 Candidata Franciele Ani Caovilla Follador Slogan: CCS em ação! 1 INTRODUÇÃO Em 1991,

Leia mais

UNIVERSIDADE ABERTA AOS MOVIMENTOS SOCIAIS

UNIVERSIDADE ABERTA AOS MOVIMENTOS SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA UNIVERSIDADE

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

PROJETO TUTOR UNIVERSITÁRIO:

PROJETO TUTOR UNIVERSITÁRIO: PROJETO TUTOR UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DE UMA EXPERIÊNCIA BEM-SUCEDIDA PROJETO IMPLATADO PELA ANHANGUERA EDUCACIONAL Palestrante: Ana Maria Costa de Sousa Debatedor: Gabriel Mário Rodrigues Tutoria

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade

Leia mais

A CONTEE a Reforma Universitária e o Programa Universidade Para Todos.

A CONTEE a Reforma Universitária e o Programa Universidade Para Todos. A CONTEE a Reforma Universitária e o Programa Universidade Para Todos. A CONTEE, depois de uma trajetória de mais de uma década de permanente debate interno e sintonia com as entidades filiadas, se encontra

Leia mais

SEDE NACIONAL DA CAMPANHA

SEDE NACIONAL DA CAMPANHA Campanha Ponto Final na Violência contra as Mulheres e Meninas SEDE NACIONAL DA CAMPANHA REDE NACIONAL FEMINSTA DE SAÚDE, DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS Avenida Salgado Filho, 28, cj 601. Porto

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI

Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI 1 Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI 1. Finalidade O FBEI é uma instância de organização e articulação interinstitucional, suprapartidária, que agrega diversos órgãos, organizações

Leia mais

José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE

José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE Cabe a denominação de novas diretrizes? Qual o significado das DCNGEB nunca terem sido escritas? Educação como direito Fazer com que as

Leia mais

Gestão Democrática da Educação

Gestão Democrática da Educação Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Departamento de Articulação e Desenvolvimento dos Sistemas de Ensino Coordenação Geral de Articulação e Fortalecimento Institucional dos Sistemas de

Leia mais

CREA-JÚNIOR UM FUTURO PROMISSOR

CREA-JÚNIOR UM FUTURO PROMISSOR CREA-JÚNIOR UM FUTURO PROMISSOR LOMBARDO, Antonio lombardo@net.em.com.br, lombardo@crea-mg.com.br Universidade de Itaúna, Departamento de Engenharia Mecânica Campus Verde Universidade de Itaúna 35.680-033

Leia mais

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Programa Viver é Melhor Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Legião da Boa Vontade (LBV) Cidade: Londrina/PR

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE A INSTITUIÇÃO A Universidade Livre do Meio Ambiente - Unilivre, instalada em Curitiba, Paraná, é uma organização não governamental sem fins lucrativos, recentemente

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE

AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE Cleudimar Pereira Dias Benvinda Barros Dourado (Orientadora) O Centro de Apoio Popular Estudantil do Tocantins

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1- O QUE É UMA LIGA ACADÊMICA? As Ligas Acadêmicas são entidades sem fins lucrativos. As Ligas Acadêmicas

Leia mais

GTT 1 - A Descaracterização do Trabalho do Professor de Educação Física nas Atuais Políticas Públicas de Educação na RMBH

GTT 1 - A Descaracterização do Trabalho do Professor de Educação Física nas Atuais Políticas Públicas de Educação na RMBH Documento final do "Seminário: O trabalho docente em educação física face às atuais políticas públicas na educação na RMBH: Repercussões nas instituições Formadoras" O presente documento tem por finalidade

Leia mais

PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017

PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017 PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO A palavra viva é diálogo existencial. Expressa e elabora o mundo, em comunicação e colaboração.

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DISCENTE DO INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CHAPA RDs 2014

REPRESENTAÇÃO DISCENTE DO INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CHAPA RDs 2014 REPRESENTAÇÃO DISCENTE DO INSTITUTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CHAPA RDs 2014 Atualmente, o IRI é composto por conselhos e comissões. São eles: Congregação do Instituto; Comissão de Graduação, Cultura

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA PROPOSTA 1 Curso Nome(s) do(s) Curso(s) ZOOTECNIA Código e-mec 56129 Conceito ENADE 4 Coordenador da Proposta (Tutor do Grupo) ANA MARIA BRIDI 2 Caracterização da Proposta 2.1Área de Conhecimento (código

Leia mais

II. Atividades de Extensão

II. Atividades de Extensão REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EXTENSÃO I. Objetivos A extensão tem por objetivo geral tornar acessível, à sociedade, o conhecimento de domínio da Faculdade Gama e Souza, seja por sua própria produção, seja

Leia mais

Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa. Câmpus Restinga Junho, 2013. Desenvolvimento Institucional

Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa. Câmpus Restinga Junho, 2013. Desenvolvimento Institucional Prioridades para o PA 2014 Comunidade Externa Câmpus Restinga Junho, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO O presente relatório deve ser considerado como um Anexo ao Diagnóstico das Prioridades

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (Aprovado pelo Colegiado de Curso em 23/09/2013)

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (Aprovado pelo Colegiado de Curso em 23/09/2013) REGULAMENTO DAS S COMPLEMENTARES (Aprovado pelo Colegiado de Curso em 23/09/2013) Art.1º Este Regulamento define, no âmbito da Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense, as atividades complementares

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

INSTITUIÇÕES APRENDENTES: EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS EM COMUNIDADES LOCAIS.

INSTITUIÇÕES APRENDENTES: EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS EM COMUNIDADES LOCAIS. INSTITUIÇÕES APRENDENTES: EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS EM COMUNIDADES LOCAIS. Ana Lícia de Santana Stopilha Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia Campus XV Doutoranda em Difusão do Conhecimento

Leia mais

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas Descrição da infraestrutura física destinada aos cursos, incluindo laboratórios, equipamentos instalados, infraestrutura de informática e redes de informação. Relação de laboratórios, oficinas e espaços

Leia mais

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação Cartilha para Conselhos Municipais de Educação Sistemas de ensino são o conjunto de campos de competências e atribuições voltadas para o desenvolvimento da educação escolar que se materializam em instituições,

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais Apresentação Querido (a) aluno (a) Seja bem vindo (a) à Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado

Leia mais

Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Concepção

Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Concepção Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Marcello de Oliveira Pinto (UERJ) Márcia Magarinos (UERJ) Marina Dias O presente trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. MANUAL DO ALUNO

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. MANUAL DO ALUNO UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. MANUAL DO ALUNO APRESENTAÇÃO: O Programa de Pós Graduação em História da Universidade Severino Sombra tem como Área de Concentração a

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares Obrigatórias ACO do Curso de Direito da Faculdade Arthur Thomas

Regulamento das Atividades Complementares Obrigatórias ACO do Curso de Direito da Faculdade Arthur Thomas Art. 1º. Este Regulamento tem por finalidade regular o aproveitamento e a validação das Atividades Complementares Obrigatórias ACO que compõem a Matriz Curricular do Curso de Graduação em Direito da Faculdade

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTOS DOS CONSELHOS ESCOLARES PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

Capacitação Gerencial PST

Capacitação Gerencial PST Capacitação Gerencial PST Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social SNELIS Ministério do Esporte Direito Social É dever do estado fomentar práticas desportivas formais e não formais:

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2009 - ENCERRADOS. Programa ESAG Sênior. Coordenador: Mário César Barreto Moraes

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2009 - ENCERRADOS. Programa ESAG Sênior. Coordenador: Mário César Barreto Moraes AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2009 - ENCERRADOS Programa ESAG Sênior Mário César Barreto Moraes Bolsistas: Vanessa Vidal Riso Danielle Cândido Vecchietti Juliana Oliveira Lima de Souza A busca pro metodologias

Leia mais

MULHERES DA PAZ. Capacitação para cultivar a paz nas comunidades

MULHERES DA PAZ. Capacitação para cultivar a paz nas comunidades MULHERES DA PAZ Capacitação para cultivar a paz nas comunidades República Federativa do Brasil Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministério da Justiça Ministro da Justiça Tarso Genro Secretaria

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO PLANO DE GESTÃO CANDIDATURA A DIREÇÃO GERAL DO IFSC CÂMPUS CHAPECÓ ROBERTA PASQUALLI DIRETORA GERAL LUIS FERNANDO POZAS DIRETOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ELIANDRO LUIZ MINSKI DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional UESC Missão: Formar profissionais, construir conhecimento e criar cultura fomentadora da cidadania, do desenvolvimento humano, social, econômico, artístico

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 01/2015. Edital de seleção de membros - Associação Atlética Acadêmica do Direito da Universidade Federal de Viçosa AAAD UFV

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 01/2015. Edital de seleção de membros - Associação Atlética Acadêmica do Direito da Universidade Federal de Viçosa AAAD UFV EDITAL DE SELEÇÃO Nº 01/2015 Edital de seleção de membros - Associação Atlética Acadêmica do Direito da Universidade Federal de Viçosa AAAD A AAAD torna públicas as normas do processo de seleção de membros.

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes MISSÃO Somos uma rede nacional escoteira de

Leia mais

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Este guia pretende nortear os Grupos Escoteiros do Brasil a desenvolverem um

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

NÚCLEO DE ASSESSORIA TÉCNICA PSICOSSOCIAL - NAT

NÚCLEO DE ASSESSORIA TÉCNICA PSICOSSOCIAL - NAT NÚCLEO DE ASSESSORIA TÉCNICA PSICOSSOCIAL - NAT O desenvolvimento do Vale do Ribeira: Dando continuidade aos trabalhos já realizados pelo Núcleo de Assessoria Técnica Psicossocial NAT e, em atendimento

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Fortaleza, 2012 INDICE CAPÍTULO I... 3 DO OBJETIVO GERAL... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CAPÍTULO III... 4 DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult JUSTIFICATIVA O estatuto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Capítulo 1, artigo 3º. define como finalidade

Leia mais

ANEXO 2. NORMATIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO 2. NORMATIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 ANEXO 2. NORMATIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1. A partir das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Serviço Social o planejamento acadêmico do deve assegurar, em termos

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 16/2014 Cria o Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão em Economia Solidária e Educação Popular NUPLAR,

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012

EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012 EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012 A Redes da Maré seleciona tecedores para o Programa Criança Petrobras (PCP) na Maré. Antes de se candidatar, conheça bem os valores e atuação da instituição.

Leia mais

Um novo jeito de governar

Um novo jeito de governar 1 Um novo jeito de governar Apresentamos nosso programa de governo para as eleições da Comunidade Estudantil 2015 do Colégio La Salle Abel, com um objetivo principal de mudar a escola, que há 60 anos,

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA. Responsabilidade Social não é apenas adotar um sorriso.

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA. Responsabilidade Social não é apenas adotar um sorriso. PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA 1. Introdução Responsabilidade Social não é apenas adotar um sorriso. Não é trabalhar uma única vez em algum projeto social e ficar

Leia mais

PÚBLICO-ALVO Assistentes sociais que trabalham na área da educação e estudantes do curso de Serviço Social.

PÚBLICO-ALVO Assistentes sociais que trabalham na área da educação e estudantes do curso de Serviço Social. OBJETIVOS: Promover o debate sobre o Serviço Social na Educação; Subsidiar as discussões para o Seminário Nacional de Serviço Social na Educação, a ser realizado em junho de 2012 em Maceió-Alagoas; Contribuir

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD A política de Educação a Distância EAD está claramente expressa em diversos documentos e regulamentos internos da instituição Regulamento do NEAD Os

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA 1. Atividades Complementares Atividades Complementares são atividades desenvolvidas

Leia mais

PROJETO DE INCENTIVO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

PROJETO DE INCENTIVO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO DE INCENTIVO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA 1. Introdução Desnecessário discorrer sobre a importância da iniciação científica para a formação acadêmica e seus benefícios

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais