Como acessar. Crédito Rural. Banco do Brasil. seu

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como acessar. Crédito Rural. Banco do Brasil. seu"

Transcrição

1 Como acessar seu Crédito Rural no Banco do Brasil

2 Produtor Familiar Documentos necessários

3 Produtor Familiar Documentação necessária: - Documento de Identidade e CPF; - DAP Declaração de Aptidão ao Pronaf; - Se arrendatário, parceiro, meeiro ou comodatário: - Documentação comprobatória da relação contratual entre o proprietário da terra e o beneficiário do crédito; - Carta de Anuência elaborada pelo proprietário do imóvel. OBS: Para estes documentos dispensa-se o registro cartorário. - Orçamento simplificado: Se Pronaf Custeio; - Projeto simplificado: Se Pronaf Investimento; - Licenciamento ambiental simplificado por auto-declaração;

4 Produtor Familiar Documentação necessária: - Outorga d'água: Se investimentos em atividades que se utilizam de recursos hídricos, inclusive agricultura irrigada: - Derivação ou captação de parcela da água existente em um corpo de água para consumo final, inclusive abastecimento público, ou insumo de processo produtivo; - Extração de água de aquífero subterrâneo para consumo final ou insumo de processo produtivo; - Lançamento em um corpo de água de esgotos e demais resíduos líquidos ou gasosos, tratados ou não, com o fim de sua diluição, transporte ou disposição final; - Aproveitamento dos potenciais hidrelétricos; - Outros usos que alterem o regime, a quantidade ou a qualidade da água existente em um corpo de água. OBS: O uso de recursos hídricos para atendimento a pequenos núcleos rurais, bem como derivações, captações, lançamentos e acumulações de volumes de água consideradas insignificantes independem de outorga pelo Poder Público.

5 Produtor Familiar Linhas de Crédito

6 Produtor Familiar Pronaf Custeio Agricultor Familiar - Finalidade: Financiamento de despesas de custeio de atividades agropecuárias. - Beneficiários: Agricultores familiares enquadrados no Pronaf, exceto nos grupos A, A/C e B, com renda bruta anual de R$ 6 mil até R$ 110 mil. - Prazos: Até 1 ano. - Encargos: - Até R$ 10 mil: 1,5% ao ano; - Acima de R$ 10 mil e até R$ 20 mil: 3% ao ano; - Acima de R$ 20 mil e até R$ 50 mil: 4,5% ao ano.

7 Produtor Familiar Pronaf Investimento Agricultor Familiar - Finalidade: Financiamento da implantação, ampliação ou modernização da infraestrutura de produção e serviços agropecuários e não agropecuários no estabelecimento rural. - Beneficiários: Agricultores familiares enquadrados no Pronaf, com renda bruta anual de R$ 6 mil até R$ 110 mil exceto os participantes dos Grupos A, A/C e B. - Prazo: Até 10 anos, com até 5 anos de carência; - Encargos: - Até R$ 10 mil: 1% ao ano; - Acima de R$ 10 mil e até R$ 50 mil: 2% ao ano.

8 Produtor Familiar Pronaf Investimento Mais Alimentos - Finalidade: Investimento para a produção produção, armazenagem e transporte de açafrão, arroz, café, cana-de-açúcar, centeio, erva-mate, feijão, mandioca, milho, soja, sorgo e trigo, e para frutas, cultura de palmeiras para produção de palmito, olerícolas, apicultura, aquicultura e pesca, avicultura, gado de corte, leite, caprinos, ovinos e suínos, entre eles: aquisição de tratores, máquinas, veículos de transporte de carga, implementos agrícolas e matrizes, formação de pastagens, implantação de pomares, estufas e irrigação. - Beneficiários: Agricultores familiares enquadrados no Pronaf, exceto nos Grupos A, A/C e B. - Prazo: Até 10 anos, com até 3 anos de carência; - Encargos: - Até R$ 10 mil: 1% ao ano; - Acima de R$ 10 mil e até R$ 130 mil: 2% ao ano.

9 Produtor Familiar Outras linhas do Pronaf PRONAF ENCARGOS LIMITES (R$) PRAZO Custeio Grupo C 3% a.a. De 500 a 5 mil Até 2 anos. Custeio Grupo A/C 1,5% a.a. Até 5 mil Até 3 anos, conforme cultura. Investimento Semiárido 1% a.a. Grupo B: 8 mil; Demais: 12 mil. Investimento Mulher 0,5% a 2% a.a. Grupo B: 2 mil; Demais: 50 mil. Investimento Jovem 1% a.a. Grupo B: 8 mil; Demais: 12 mil. Até 10 anos, com até 3 anos de carência. Até 10 anos, com até 5 anos de carência. Até 10 anos, com até 5 anos de carência. Investimento Grupo B 0,5% a.a. Até 2,5 mil. Até 2 anos. Investimento Agroecologia 1% a 2% a.a. Até 130 mil. Até 10 anos, com até 3 anos de carência. Investimento Florestal 1% a.a. Até 20 mil. Até 12 anos, com até 8 anos de carência.

10 Produtor Familiar Garantias exigíveis: - Operação de valor inferior a R$ 10 mil: - Garantias poderão ser dispensadas. - Operação de valor a partir de R$ 10 mil e inferior a R$ 20 mil: - Necessidade de aval. - Operação a partir de R$ 20 mil: - Necessidade de aval e garantias reais. OBS: Eventualmente este quadro de garantias pode ser alterado, em virtude da particularidade de cada proposta.

11 Produtor Familiar E agora? Qual o próximo passo? Procure a agência do BB mais próxima, leve os documentos necessários e Bons Negócios!

12 Produtor Empresarial Linhas de Crédito para Custeio

13 Produtor Empresarial BB Custeio Pecuário - Finalidade: Financiamento de despesas relacionadas à atividade pecuária bovinocultura, suinocultura, avicultura, bubalinocultura, ovinocaprinocultura, apicultura e outras e a atividade aquícola e pesqueira (industrial ou artesanal) relacionada à captura, cultivo, conservação, beneficiamento ou à criação comercial de organismos que têm a água como habitat ou local mais frequente de serem criados, como peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios e algas, por exemplo. - Limite de Financiamento: Até 100% do orçamento das despesas da exploração durante o ciclo produtivo dos animais, limitado a 70% da receita prevista para o empreendimento. - Beneficiários: Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, diretamente ou mediante repasse por cooperativas de crédito rural; Empresas agroindustriais que explorem atividades ligadas à suinocultura e à avicultura de corte sob regime de parceria; Cooperativas de produtores rurais e suas centrais, quando se tratar de exploração própria; Pessoa física ou jurídica que se dedique à exploração da pesca (cultivo ou captura), com fins comerciais, incluindo-se os armadores de pesca.

14 Produtor Empresarial BB Custeio Pecuário (continuação) - Teto financiável: - Recursos controlados: R$ 650 mil, por beneficiário em cada safra. - Recursos livres: De acordo com o limite de crédito do mutuário. - Encargos: - Recursos controlados: 6,75% ao ano; - Recursos livres: Taxa pré-fixada. - Prazo: - Aquisição de alevinos de enguia para engorda e de materiais para captura, quando se tratar de atividade pesqueira: até 2 anos; - Demais atividades: até 1 ano. OBS: Para recursos livres o prazo é de 1 ano.

15 Produtor Empresarial Pronamp Custeio - Finalidade: Promover o desenvolvimento das atividades rurais dos médios produtores, proporcionando o aumento da renda e a geração de empregos no campo. O Pronamp financia as despesas normais de custeio da produção agrícola e pecuária. - Beneficiários: Produtores rurais, que atendam aos seguintes requisitos: - Seja proprietário, posseiro, arrendatário ou parceiro; - Tenha, no mínimo, 80% de sua renda originária da atividade agropecuária ou extrativa vegetal; - Possua renda bruta anual de até R$ 700 mil, por participante envolvido no empreendimento. - Valor Financiável: Até R$ 400 mil por beneficiário, por ano agrícola. - Limite de Financiamento: Até 70% da receita prevista para o empreendimento; - Prazos: - Custeio agrícola: até 2 anos; - Custeio pecuário: até 1 ano. - Encargos: Juros de 6,25% ao ano.

16 Produtor Empresarial Linhas de Crédito para Investimento

17 Produtor Empresarial BB Investimento Tradicional (MCR 6.2) - Finalidade: Financiamento de máquinas, equipamentos, implementos, caminhões, carrocerias, lavouras de cana-de-açúcar, animais, obras de irrigação, açudagem, recuperação do solo, formação de pastagens, construção, reformas ou ampliação de armazéns, silos, galpões entre outros itens. - Valor Financiável: Até R$ 300 mil por beneficiário em cada ano-safra, podendo ser elevado para: R$ 750 mil, desde que o valor adicional se destine à aquisição de reprodutores e matrizes bovinas e bubalinas; R$ 1 milhão, desde que o valor adicional se destine à implantação/renovação de lavoura de cana-de-açúcar; R$ 650 mil, para atividade pesqueira. - Encargos: 6,75% ao ano. - Prazo: - Aquisição de matrizes bovinas e bubalinas: até 5 anos, com carência de até 18 meses; - Implantação/renovação de lavoura de cana-de-açúcar: até 5 anos, com carência de até 18 meses; - Demais: mínimo de 2 e máximo de 12 anos;

18 Produtor Empresarial Pronamp Investimento - Finalidade: Financiamento de itens de investimento fixos e semi-fixos necessários ao desenvolvimento das atividades agrícolas ou pecuárias. - Beneficiários: Produtor rural, que atenda cumulativamente aos seguintes requisitos: - Seja proprietário, posseiro, arrendatário ou parceiro; - Tenha, no mínimo, 80% de sua renda originária da atividade agropecuária ou extrativa vegetal; - Possua renda bruta anual de até R$ 700 mil, por participante envolvido no empreendimento. - Valor Financiável: Até R$ 300 mil por beneficiário, por ano agrícola. - Encargos: 6,25% ao ano. - Prazo: Até 8 anos, incluídos até 3 anos de carência.

19 Produtor Empresarial Investimento ABC - Objetivo do Programa: Promover a redução das emissões de gases de efeito estufa oriundas das atividades agropecuárias; reduzir o desmatamento; aumentar a produção agropecuária em bases sustentáveis; adequar as propriedades rurais à legislação ambiental; ampliar a área de florestas cultivadas e estimular a recuperação de áreas degradadas. - Beneficiários: Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e suas cooperativas. - Valor financiável: R$ 1 milhão por beneficiário, por ano-safra. - Limite de financiamento: 100% do valor do investimento. - Encargos: 5,5% ao ano. - Prazo: - Implantação de viveiros de mudas florestais: até 5 anos com até 2 anos de carência; - Implantação de sistema de integração lavoura-pecuária-floresta: até 8 anos com até 3 anos de carência; - Agricultura orgânica e recuperação de pastagens: até 8 anos com até 3 anos de carência; - Implantação e manutenção de florestas de dendezeiro: até 12 anos com até 6 anos de carência; - Implantação e manutenção de florestas comerciais: até 12 anos com até 8 anos de carência; - Área de preservação permanente ou reserva legal: até 15 anos com até 1 ano de carência.

20 Obrigado! Gerência de Agronegócio e Desenvolvimento Sustentável Telefones: (85) / (85)

Linhas de Crédito PISCICULTURA INVESTIMENTO CUSTEIO. Obs.: As informações atinentes às linhas de crédito estão sujeitas a alterações.

Linhas de Crédito PISCICULTURA INVESTIMENTO CUSTEIO. Obs.: As informações atinentes às linhas de crédito estão sujeitas a alterações. PISCICULTURA CUSTEIO INVESTIMENTO Obs.: As informações atinentes às linhas de crédito estão sujeitas a alterações. financiar as despesas normais de custeio da produção agrícola e pecuária. Linhas de Crédito

Leia mais

CONVERSANDO COM OS CONSULTORES

CONVERSANDO COM OS CONSULTORES CONVERSANDO COM OS CONSULTORES Pronaf Mais Alimentos: É a linha mais geral e mais usada. Não tem uma finalidade ou beneficiário específico, atende a basicamente todos os produtores rurais em diversos itens

Leia mais

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016

PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 PRONAF - AGRICULTURA FAMILIAR ANO AGRÍCOLA 2015/2016 Linha Risco Beneficiários (1) Finalidade Limites (R$) Juros Prazo/Carência CUSTEIO Pronaf Custeio Grupo "A/C" (2) /FCO Assentados da Reforma Agrária

Leia mais

Quadro resumo do crédito do Pronaf

Quadro resumo do crédito do Pronaf Pronaf custeio Quadro resumo do crédito do Pronaf 2016-2017 Linha Finalidade/empreendimento Condições Encargos (taxa de juros) Para financiamentos destinados ao cultivo de arroz, feijão, mandioca, feijão

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF

PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF C. S. Tecnologia do Agronegócio 3º Semestre PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF Acadêmicos: Bruno Farias, Clodinei Uria,Mauricio, Renan Fontoura, Milton Fábrica, Ricardo

Leia mais

Mais Crédito para a Produção de Alimentos Saudáveis. 30 Bilhões 2017/ Bilhões 2016/ ,9 Bilhões

Mais Crédito para a Produção de Alimentos Saudáveis. 30 Bilhões 2017/ Bilhões 2016/ ,9 Bilhões Mais Crédito para a Produção de Alimentos Saudáveis 30 Bilhões 2017/2018 30 Bilhões 2016/2017 28,9 Bilhões 2015/2016 FACILIDADES DO CRÉDITO RURAL DA CRESOL OS JUROS FORAM MANTIDOS Para diminuir o custo

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio Diretoria de Agronegócios BB e o Agronegócio Importância do Agronegócio no Brasil + 35% nas exportações do país 197,9 40,9% 41,1% 37,4% 55,1 58,2 60,4 20,6 23,8 24,8 41,9% 73,1 30,6 160,6 40,4% 137,5 118,3

Leia mais

Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio Gerag SP

Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio Gerag SP Gerência de Assessoramento Técnico ao Agronegócio Gerag SP Diretoria de Agronegócios Gerag São Paulo Safra 2012/2013 Programa ABC Agricultura de Baixo Carbono ABC - Mitigar a Emissões de GEE pela Agropecuária

Leia mais

MUDANÇAS NO PRONAF. 1. Enquadramento no Pronaf. - assentados da Reforma Agrária e beneficiários do Crédito Fundiário que

MUDANÇAS NO PRONAF. 1. Enquadramento no Pronaf. - assentados da Reforma Agrária e beneficiários do Crédito Fundiário que MUDANÇAS NO PRONAF O Banco Central publicou, em 28 de março de 2008, a Resolução No. 3.559 promovendo alterações no Capítulo 10 do MCR Manual de Crédito Rural, que trata do PRONAF Programa Nacional de

Leia mais

Antonio Trevisan, eng.agr. Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural

Antonio Trevisan, eng.agr. Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural Fonte: Res. 3.375, de 19/06/2006 - Pronaf Res.. 3.369 e 3.370, de 14/06/06 Bedes e R.P. Atualização MCR 477, de 16/03/2006 do Bacen Governo do Estado Antonio Trevisan, eng.agr. Secretaria de Estado da

Leia mais

Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura

Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura Linhas de Investimento Baixa emissão de carbono Suinocultura Eng. Agr. Leandro Capuzzo Banco do Brasil S/A #interna Pré-requisitos para o crédito Ø Cadastro atualizado Ø Verificação de situações impeditivas

Leia mais

BANCO DA AMAZÔNIA CRÉDITO PARA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF - PLANO SAFRA 2013/2014

BANCO DA AMAZÔNIA CRÉDITO PARA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF - PLANO SAFRA 2013/2014 BANCO DA AMAZÔNIA CRÉDITO PARA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF - PLANO SAFRA 2013/2014 O QUE É O PRONAF? O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar é o programa do governo federal criado

Leia mais

Banco do Brasil. Setembro 2012

Banco do Brasil. Setembro 2012 Banco do Brasil Setembro 2012 2011/2012 Atuação do BB na Safra 2011/2012 Volume de crédito rural desembolsado R$ 48,2 bilhões CRESCIMENTO de 23% Atuação do BB na Safra 2011/2012 Comparativo: Safras 2010/2011

Leia mais

Banco do Brasil e o Agronegócio. Fevereiro 2012

Banco do Brasil e o Agronegócio. Fevereiro 2012 Banco do Brasil e o Agronegócio Fevereiro 2012 Banco do Brasil e o Agronegócio 61,6% do Crédito Rural/Agroindustrial no País (SNCR 31.09.2011); 77% dos valores aplicados no Pronaf (SNCR); 1,4 milhões de

Leia mais

Linhas de Financiamento Belo Horizonte, MG - 26/06/2017

Linhas de Financiamento Belo Horizonte, MG - 26/06/2017 Linhas de Financiamento Belo Horizonte, MG - 26/06/2017 :: FINANCIAMENTOS RESPONSABILIDADES Esclarecimentos e orientação às empresas associadas e seus clientes sobre linhas de financiamento disponíveis

Leia mais

Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário - DFDA-ES. Políticas Estruturantes da SEAD: DAP, Crédito e ATER. Eng. Agrônomo Max Ribas

Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário - DFDA-ES. Políticas Estruturantes da SEAD: DAP, Crédito e ATER. Eng. Agrônomo Max Ribas Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário - DFDA-ES Políticas Estruturantes da SEAD: DAP, Crédito e ATER Eng. Agrônomo Max Ribas Identificação e acesso à políticas públicas Dados sobre a DAP PESSOA

Leia mais

CRÉDITO RURAL PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO NO BRASIL

CRÉDITO RURAL PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO NO BRASIL CRÉDITO RURAL PRINCÍPIOS E APLICAÇÃO NO BRASIL Crédito Rural Conceito Suprimento de recursos financeiros pelo SNCR, para aplicação exclusiva nas finalidades e condições do MCR (MCR 1-1) Elemento unificador

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Empreendedores Familiares Rurais

Balanço 2016 Perspectivas Empreendedores Familiares Rurais Empreendedores Familiares Rurais 159 160 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 NOVAS CONDIÇÕES PARA O CRÉDITO PODEM AMPLIAR A PRODUÇÃO DOS EMPREEN- DEDORES FAMILIARES RURAIS Mudanças nos limites

Leia mais

POSSIBILIDADES DE FINANCIAMENTO PARA A APICULTURA

POSSIBILIDADES DE FINANCIAMENTO PARA A APICULTURA POSSIBILIDADES DE FINANCIAMENTO PARA A APICULTURA MECANISMOS DE POLÍTICAS DE CRÉDITO RURAL JOÃO CLAUDIO DA SILVA SOUZA SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Brasília, 27 de novembro de 2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

ENTENDA UM POUCO. Os agentes financeiros aptos a aplicar o Recurso no MS, são:

ENTENDA UM POUCO. Os agentes financeiros aptos a aplicar o Recurso no MS, são: ENTENDA UM POUCO Com objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do MS o FCO é um recurso que beneficia as empresas e os produtores rurais que desejam iniciar, ampliar, modernizar

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário 2009/2010

Plano Agrícola e Pecuário 2009/2010 Plano Agrícola e Pecuário 2009/2010 EDILSON GUIMARÃES Secretário de Política Agrícola Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 26 de junho de 2009 Principais Objetivos do PAP 2009-2010 Aumentar

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS Maio/2014 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES)

Leia mais

Público-Alvo Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e suas cooperativas. Teto Até R$ 1 milhão por beneficiário, por ano-safra.

Público-Alvo Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e suas cooperativas. Teto Até R$ 1 milhão por beneficiário, por ano-safra. Linha de Crédito Público-Alvo Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e suas cooperativas. Teto Até R$ 1 milhão por beneficiário, por ano-safra. Limite financiável Até100% do valor dos itens objeto

Leia mais

Linhas Especiais de Investimento

Linhas Especiais de Investimento Banco do Brasil S/A Linhas Especiais de Investimento ATNC Cascavel - PR Finalidades - Pronaf Investimento Especial - Pronamp Simples - Finame Rural PSI Banco do Brasil S/A PRONAF INVESTIMENTO ESPECIAL

Leia mais

Programa BB-Florestal. Banco do Brasil S.A. -- Superintendência Estadual de Minas Gerais

Programa BB-Florestal. Banco do Brasil S.A. -- Superintendência Estadual de Minas Gerais Programa BB-Florestal Programa BB-Florestal Momento atual produto x demanda disponibilidade de recursos naturais alta tecnologia das empresas do setor mercado consumidor diversificado questão ambiental

Leia mais

Mais de 200 anos de história

Mais de 200 anos de história Atuação do Banco do Brasil no Agronegócio Cooperativas Agropecuárias Safra 2017/18 Perfil Corporativo Postos de Atendimento1 16.492 Fundado em 1808 1ª empresa listada em bolsa de valores no Brasil Maior

Leia mais

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Plano Safra 2011/2012 Volume de crédito rural desembolsado R$ 2.965,9 bilhões CRESCIMENTO de 59,8% Plano Safra 2011/2012 Comparativo: Safras 2010/2011

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM DEZEMBRO/2013 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES) 157* 32,6

Leia mais

O papel da AGRICULTURA FAMILIAR no

O papel da AGRICULTURA FAMILIAR no O papel da AGRICULTURA FAMILIAR no desenvolvimento do RS e do BRASIL Oportunidades de negócios para a Região Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul Ministro Pepe Vargas Agricultura Familiar RS Receitas

Leia mais

Palma de Óleo. Pronaf Eco Dendê

Palma de Óleo. Pronaf Eco Dendê Palma de Óleo Pronaf Eco Dendê 1 A Archer Daniels Midland Company (ADM) O que fazemos: Líder no processamento e transformação de produtos agrícolas; Uma das empresas mais admiradas no ramo de produção

Leia mais

CRÉDITO RURAL PARA A CADEIA BRASÍLIA, 04/08/2014

CRÉDITO RURAL PARA A CADEIA BRASÍLIA, 04/08/2014 CRÉDITO RURAL PARA A CADEIA PRODUTIVA DO MEL BRASÍLIA, 04/08/2014 CUSTEIO: O limite de crédito de custeio rural, por beneficiário, em cada safra e em todo o Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), é

Leia mais

Principais Objetivos PAP 2011/2012

Principais Objetivos PAP 2011/2012 Cenário Cenário Cenário Baixos estoques mundiais de alimentos Tendência de elevação gradual da Selic Relativa estabilidade da taxa de câmbio Preços agrícolas em níveis historicamente elevados Crescente

Leia mais

PROGRAMA MAIS ALIMENTOS

PROGRAMA MAIS ALIMENTOS PROGRAMA MAIS ALIMENTOS Agricultura Familiar Agricultura Familiar Agricultura Familiar Produção da Agricultura Familiar Programa Mais Alimentos É uma linha de crédito do Programa Nacional para Fortalecimento

Leia mais

Agronegócios. Cuiabá, outubro de 2017

Agronegócios. Cuiabá, outubro de 2017 Agronegócios Cuiabá, outubro de 2017 Carteira de Crédito de Agronegócio do BB R$ 188,15 bi Carteira de Crédito Rural do Banco do Brasil (junho/2017) 60% SNCR R$ 15,8 bi Recursos do FCO 8,42% da Carteira

Leia mais

Banco do Brasil Desenvolvimento Sustentável. Financiamento do Desenvolvimento Regional

Banco do Brasil Desenvolvimento Sustentável. Financiamento do Desenvolvimento Regional Banco do Brasil Desenvolvimento Sustentável Financiamento do Desenvolvimento Regional Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS Visão Participativa - Concertação BB Associações Universidades Região Empresas

Leia mais

Ambiente de Gerenciamento do PRONAF e Programas de Crédito Fundiário

Ambiente de Gerenciamento do PRONAF e Programas de Crédito Fundiário Ambiente de Gerenciamento do PRONAF e Programas de Crédito Fundiário Janeiro - 2011 Banco do Nordeste Apoio à Agricultura Familiar Programa Nacional de Fortalecimento Da Agricultura Familiar OBJETIVO Fortalecer

Leia mais

LINHAS DE CRÉDITO AGRICULTURA EMPRESARIAL ANO AGRÍCOLA 2017/2018 (*) Data de atualização:

LINHAS DE CRÉDITO AGRICULTURA EMPRESARIAL ANO AGRÍCOLA 2017/2018 (*) Data de atualização: CUSTEIO Pronamp Produtor rural, com renda bruta anual até R$ 1,76 milhão, entre outras condições produção agrícola e pecuária controlados: MCR 6-2 Obrigatório e MCR 6-4 Poupança-Ouro R$ 1,5 milhão por

Leia mais

Crédito Agro Principais Linhas de Crédito. Fortaleza (CE), maio de 2014

Crédito Agro Principais Linhas de Crédito. Fortaleza (CE), maio de 2014 Crédito Agro Principais Linhas de Crédito Fortaleza (CE), maio de 2014 Agricultura Familiar Principais Linhas de Crédito Pronaf Custeio - Beneficiários: Agricultores familiares, exceto dos grupos A e B;

Leia mais

VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos

VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos Linhas de crédito para o setor florestal Homero José Rochelle Engº Agrônomo ESALQ 1979 Plano de Safra 2014/2015 MAPA - Ministério

Leia mais

O BB em Mato Grosso 1.968. Posição em Agosto/2011. Agências 571. Pontos de Atendimento. PABs + PAEs. Correspondentes. Terminais de Autoatendimento

O BB em Mato Grosso 1.968. Posição em Agosto/2011. Agências 571. Pontos de Atendimento. PABs + PAEs. Correspondentes. Terminais de Autoatendimento O BB em Mato Grosso Agências 571 Posição em Agosto/2011 Terminais de Autoatendimento Municípios com Presença do BB 267 Correspondentes 202 Número de Municípios com Presença do BB 897 126 102 PABs + PAEs

Leia mais

RESUMO DE PROPOSTAS AO PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO 2017/2018

RESUMO DE PROPOSTAS AO PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO 2017/2018 RESUMO 1 RESUMO DE PROPOSTAS AO PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO 2017/2018 1 - Que sejam disponibilizados recursos da ordem de R$ 205 bilhões de reais para o Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018; 2 - Seja mantida

Leia mais

PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO PAP 2016/17 ANÁLISE DAS MEDIDAS ANUNCIADAS EM 04 DE MAIO DE 2016

PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO PAP 2016/17 ANÁLISE DAS MEDIDAS ANUNCIADAS EM 04 DE MAIO DE 2016 PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO PAP 2016/17 ANÁLISE DAS MEDIDAS ANUNCIADAS EM 04 DE MAIO DE 2016 I - Medidas Anunciadas 1. Montante de Recursos Aumento de 8% no total de recursos do crédito rural, passando para

Leia mais

ANO INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO Audiência pública da Comissão de Agricultura Câmara dos Deputados

ANO INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO Audiência pública da Comissão de Agricultura Câmara dos Deputados Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA ANO INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO Audiência pública da Comissão de Agricultura Câmara dos Deputados Cesar José de Oliveira MDA 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO COOPERATIVISMO

Leia mais

Linhas Agrícolas Agosto 2013

Linhas Agrícolas Agosto 2013 Linhas Agrícolas Agosto 2013 MERCADO DE CRÉDITO DÍVIDA PRIVADA Dividido em 3 Principais Classes de Ativo: Crédito Geral: Linha de KG, Conta Garantida, Finame, PSI; CCB, Debênture; Crédito Imobiliário:

Leia mais

Nº05. Dia de Campo Fundação ABC. Classificados AGO. Programação de Inverno. Show Rural

Nº05.  Dia de Campo Fundação ABC. Classificados AGO. Programação de Inverno. Show Rural www.castrolanda.coop.br/circular Nº05 Nº 05 I Publicação Semanal da Cooperativa Castrolanda I Fevereiro, 03-2011 Classificados AGO Show Rural Dia de Campo Fundação ABC Programação de Inverno Clube de Bezerras

Leia mais

Ranking Mundial em Fonte: SRI / Mapa

Ranking Mundial em Fonte: SRI / Mapa Ranking Mundial em 2013 Fonte: SRI / Mapa Produção e Área plantada de grãos 144.1 Área Produção (milhões de t): + 97,5% Produção 149.3 162.8 166.2 188.6 191.2 200.0 96.8 123.2 119.1 114.7 122.5 131.8 135.1

Leia mais

Serviços Técnicos e Gestão Ambiental no Agronegócio Diretoria de Agronegócios

Serviços Técnicos e Gestão Ambiental no Agronegócio Diretoria de Agronegócios 47º Café com Sustentabilidade - Febraban Pecuária Sustentável: Agentes financeiros como indutores de boas práticas Modelos de financiamento e investimento: incentivos à adoção de boas práticas socioambientais

Leia mais

Márlon Alberto Bentlin

Márlon Alberto Bentlin Forum Empresarial pelo Clima BRDE - Crédito & Desenvolvimento AGÊNCIA DO RIO GRANDE DO SUL Márlon Alberto Bentlin BRDE Estados-sócios É uma instituição pública de fomento, constituída como banco de desenvolvimento.

Leia mais

FUNDO DE DESENVOLVIMENTO RURAL. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural

FUNDO DE DESENVOLVIMENTO RURAL. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural FUNDO DE DESENVOLVIMENTO RURAL Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE AGRICULTURA FUNDO DE DESENVOLVIMENTO RURAL LIMITES DE FINANCIAMENTOS Até R$ 100.000,00...Para

Leia mais

agricultura Crédito que fortalece as raízes do campo.

agricultura Crédito que fortalece as raízes do campo. agricultura PRONAF BRB familiar Crédito que fortalece as raízes do campo. O Banco de brasília e O PRONAF O Pronaf Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar foi criado pelo Governo Federal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.483, DE 3 DE MAIO DE 2016

RESOLUÇÃO Nº 4.483, DE 3 DE MAIO DE 2016 RESOLUÇÃO Nº 4483, DE 3 DE MAIO DE 2016 Ajusta as normas a serem aplicadas às operações contratadas no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) a partir de 1º de julho

Leia mais

O crédito como agente de desenvolvimento da política agrícola no Brasil

O crédito como agente de desenvolvimento da política agrícola no Brasil O crédito como agente de desenvolvimento da política agrícola no Brasil aperfeiçoamentos nos instrumentos e políticas inerentes ao setor rural redução da volatilidade da renda agrícola e pecuária, em decorrência

Leia mais

FINANCIAMENTOS AGRÍCOLAS PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR (PRONAF)

FINANCIAMENTOS AGRÍCOLAS PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR (PRONAF) FINANCIAMENTOS AGRÍCOLAS PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR (PRONAF) Edinele Pissoli Prof. Emerson Ricardo Cesa Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Curso Ciências

Leia mais

AGRICULTURA SUSTENTÁVEL: INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

AGRICULTURA SUSTENTÁVEL: INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL: INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE MECANISMOS DE POLÍTICAS DE CRÉDITO RURAL JOÃO CLAUDIO DA SILVA SOUZA SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Brasília, 31 de julho de 2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

Introdução. Um dos ramos da contabilidade que hoje em dia tem obtido grande notoriedade é a Contabilidade Rural. Isso se deve a vários fatores.

Introdução. Um dos ramos da contabilidade que hoje em dia tem obtido grande notoriedade é a Contabilidade Rural. Isso se deve a vários fatores. UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS FES DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE DECON Aula nº. 01 Profª. Silvia Moreira, MSc Disciplina: Contabilidade Agropecuária Assunto: A importância

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS FES DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE DECON. Aula nº. 01

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS FES DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE DECON. Aula nº. 01 UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS FES DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE DECON Aula nº. 01 Profª. Silvia Moreira, MSc Disciplina: Contabilidade Agropecuária Assunto: A importância

Leia mais

REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS RURAIS

REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS RURAIS SUPERINTENDÊNCIA ESTADUAL DA PARAÍBA CONDIÇÕES PARA REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS RURAIS Maio/2013 Lei 12.249 Art. 70-A Beneficiários: Agricultores Familiares Empreendimentos localizados em municípios da estiagem;

Leia mais

Análise Técnico-econômica

Análise Técnico-econômica Análise Técnico-econômica POLÍTICA AGRÍCOLA Curitiba, 07 de junho de 2017 Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018 1234 Agricultura Comercial 1 Resumo No dia 07 de junho de 2017 foram anunciadas as medidas

Leia mais

Banco do Nordeste Apoio à Agricultura Familiar

Banco do Nordeste Apoio à Agricultura Familiar Banco do Nordeste Apoio à Agricultura Familiar Programa Nacional de Fortalecimento Da Agricultura Familiar OBJETIVO Fortalecer a agricultura familiar, mediante o financiamento da infra-estrutura de produção

Leia mais

PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO PAP 2015/16 ANÁLISE DAS MEDIDAS ANUNCIADAS EM 02 DE JUNHO DE 2015

PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO PAP 2015/16 ANÁLISE DAS MEDIDAS ANUNCIADAS EM 02 DE JUNHO DE 2015 PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO PAP 2015/16 ANÁLISE DAS MEDIDAS ANUNCIADAS EM 02 DE JUNHO DE 2015 I - Medidas Anunciadas 1. Montante de Recursos Aumento de 20,0% no total de recursos do crédito rural, passando

Leia mais

F N O - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO

F N O - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO F N O - PROGRAMAS DE FINANCIAMENTO NO SETOR RURAL Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar PRONAF Programa de Financiamento às Atividades Agropecuárias Programa a de Financiamento a

Leia mais

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe.

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe. O Brasil Melhorou 36 milhões de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos 42 milhões de brasileiros ascenderam de classe Fonte: SAE/PR O Brasil Melhorou O salário mínimo teve um aumento real de 70% Em 2003,

Leia mais

Programa BB Aqüicultura e Pesca

Programa BB Aqüicultura e Pesca Programa BB Aqüicultura e Pesca O Banco do Brasil é o maior parceiro dos empreendedores brasileiros, sejam grandes ou pequenos produtores. Isso vale, também, para a aqüicultura e pesca. Assim, com o objetivo

Leia mais

Lei Copright 2010 Top Brands. Proibida reprodução. Todos os direitos reservados.

Lei Copright 2010 Top Brands. Proibida reprodução. Todos os direitos reservados. Lei 13.340 Vantagens para o Produtor Rural Desconto de até 95% para liquidação Renegociação/Liquidação de dívidas contratadas até 2011 Ampliação do prazo para pagamento, com carência até 2020, sendo a

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 679 Às Instituições Financeiras do Sistema Nacional de Crédito Rural. DEPARTAMENTO DO CRÉDITO RURAL Geraldo Martins Teixeira Chefe

CARTA-CIRCULAR N 679 Às Instituições Financeiras do Sistema Nacional de Crédito Rural. DEPARTAMENTO DO CRÉDITO RURAL Geraldo Martins Teixeira Chefe CARTA-CIRCULAR N 679 Às Instituições Financeiras do Sistema Nacional de Crédito Rural Comunicamos a introdução, no capítulo 32 do Manual do Crédito Rural (MCR), das alterações indicadas nas folhas anexas.

Leia mais

LINHAS DE CRÉDITO AGRICULTURA EMPRESARIAL ANO AGRÍCOLA 2016/2017 (*) Data de atualização:

LINHAS DE CRÉDITO AGRICULTURA EMPRESARIAL ANO AGRÍCOLA 2016/2017 (*) Data de atualização: LINHAS DE CRÉDITO AGRICULTURA EMPRESARIAL ANO AGRÍCOLA 2016/2017 (*) Data de atualização: 01.07.2016 Linha Beneficiários Finalidade Fonte de Recursos CUSTEIO Teto Financiamento/ Limites (R$) Juros Prazo/Forma

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil O DESAFIO DO PAÍS NA ABORDAGEM DO BINÔMIO ÁGUA E ALIMENTO João Martins da Silva Junior Presidente da CNA Fatores que influenciam na produção de alimentos

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário, safra 2016/17 Medidas anunciadas em 04 de maio de 2016

Plano Agrícola e Pecuário, safra 2016/17 Medidas anunciadas em 04 de maio de 2016 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) divulgou hoje (04/05), as novas regras de política agrícola para a safra 2016/17. Segue breve resumo das principais medidas: 1. Montante de

Leia mais

Banco dos Brasileiros

Banco dos Brasileiros Central de Atendimento BB 4004 0001 ou 0800 729 0001 (saldos, extratos, cartões, pagamentos, transferências, resgates e outras transações bancárias) Serviço de Apoio ao Consumidor SAC 0800 729 0722 (informação,

Leia mais

Produtos, Serviços e Soluções. Novembro de 2015

Produtos, Serviços e Soluções. Novembro de 2015 Produtos, Serviços e Soluções Novembro de 2015 PRONAF AGROINDÚSTRIA Financiamento das necessidades de custeio do beneficiamento e industrialização da produção, da armazenagem e conservação de produtos

Leia mais

Bilhões de Pessoas. Cenário Global. Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro

Bilhões de Pessoas. Cenário Global. Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Maringá(PR) 18.05.2012 Bilhões de Pessoas Cenário Global Demanda População Mundial Mundial por Alimentos Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Cenário Global Urbanização 1,34 bi hab. 1,2 bi hab.

Leia mais

Análise Técnico-econômica

Análise Técnico-econômica Análise Técnico-econômica Plano Safra 2017-2020 Gilson Martins 1 ; Maiko Zanella 2 ; Flavio Enir Turra 3 ; Medidas anunciadas para o Plano Safra 2017/2020 Agricultura Familiar 1. Resumo Curitiba, 31 de

Leia mais

Soluções para o Cooperativismo Expansão e competitividade para as cooperativas.

Soluções para o Cooperativismo Expansão e competitividade para as cooperativas. Soluções para o Cooperativismo Expansão e competitividade para as cooperativas. Banco dos Brasileiros BB COOPINSUMOS Crédito de custeio para aquisição de insumos agropecuários como fertilizantes, sementes,

Leia mais

Banco do Cooperativismo

Banco do Cooperativismo Cooperativas e Banco do Brasil. Conheça as novidades dessa parceria. Banco do Cooperativismo Acreditar no cooperativismo faz parte do Banco do Brasil O Banco do Brasil tem o orgulho de ser o principal

Leia mais

Necessidades e Oportunidades de Investimentos no Agronegócio: da Pesquisa ao Consumo. Como chegar ao campo os avanços da ciência e da tecnologia

Necessidades e Oportunidades de Investimentos no Agronegócio: da Pesquisa ao Consumo. Como chegar ao campo os avanços da ciência e da tecnologia Necessidades e Oportunidades de Investimentos no Agronegócio: da Pesquisa ao Consumo Como chegar ao campo os avanços da ciência e da tecnologia Como transmitir o conhecimento às Assistência Técnica: pessoas

Leia mais

O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural

O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural 7º Seminário Estadual de Agricultura O Desenvolvimento da Agricultura e Política Rural Deputado Estadual José Milton Scheffer Vice-Presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da ALESC Território

Leia mais

c) o valor do crédito de custeio concedido na forma deste item é independente do limite estabelecido no item 5 por tomador." (NR)

c) o valor do crédito de custeio concedido na forma deste item é independente do limite estabelecido no item 5 por tomador. (NR) RESOLUCAO 3.986 Altera condições para contratação de operações de custeio, comercialização, Empréstimo do Governo Federal (EGF), Linha Especial de Crédito (LEC), e dos Programas do BNDES, Moderagro, Prodecoop

Leia mais

População mundial crescerá 34% até 2050.

População mundial crescerá 34% até 2050. Agronegócio no Mundo Protagonista no Cenário Mundial População mundial crescerá 34% até 2050. 10.000 9.000 8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 2.000 1.000-9.150 7.670 6.830 195 210 219 2009 2020 2050 Mundo

Leia mais

FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL FETAG-RS PLANO SAFRA

FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL FETAG-RS PLANO SAFRA FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL FETAG-RS PLANO SAFRA 2016-17 BENEFICIÁRIOS GRUPO A Grupo A : assentados pelo PNRA ou beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.576, DE 7 DE JUNHO DE Ajusta normas gerais do crédito rural a partir de 1º de julho de 2017.

RESOLUÇÃO Nº 4.576, DE 7 DE JUNHO DE Ajusta normas gerais do crédito rural a partir de 1º de julho de 2017. RESOLUÇÃO Nº 4576, DE 7 DE JUNHO DE 2017 Ajusta normas gerais do crédito rural a partir de 1º de julho de 2017 O Banco Central do Brasil, na forma do art 9º da Lei nº 4595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO QUEM SÃO OS TRABALHADORES BRASILEIROS E ONDE DESENVOLVEM SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS P. 37 PEA do Brasil: 100 milhões

Leia mais

AMAVI SEF PRODUTOR PRIMÁRIO ICMS

AMAVI SEF PRODUTOR PRIMÁRIO ICMS AMAVI SEF PRODUTOR PRIMÁRIO ICMS Adalberto Dall Oglio Joacir Sevegnani CONCEITOS INICIAIS Incidência e Não Incidência. Tributação integral e reduzida Isenção Diferimento Suspensão O ICMS para o Produtor

Leia mais

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural VP Negócios Emergentes SN Agronegócios Crédito Rural Agronegócio no Brasil fonte: SECEX/MDIC PIB Brasil 2013 R$ 4.838 bi Agronegócios R$ 1.020 bi * 21.08% US$ Bilhões 300 250 200 Exportações Brasileiras

Leia mais

DEMPI Micro, pequena e média

DEMPI Micro, pequena e média LINHAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO ACESSO AO CRÉDITO MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS FIESP - 15/8/14 COMPESCA LINHAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO AGÊNCIAS DE FOMENTO As agências de fomento são

Leia mais

Programa ABC. Banco do Brasil Safra 2013/2014

Programa ABC. Banco do Brasil Safra 2013/2014 Programa ABC Banco do Brasil Safra 2013/2014 Balanço da Safra 2012/2013 Plano Safra 2012/2013 Crédito Rural - Desembolsos R$ 61,5 bilhões CRESCIMENTO de 28% em relação à safra anterior R$ 6,5 bilhões acima

Leia mais

*Consulte informações no site. LINHA DE FINANCIAMENTO PARA O VALE DO RIBEIRA. TAXA DE JURO ZERO* E LONGO PRAZO PARA APOIAR O DESENVOLVIMENTO DO VALE.

*Consulte informações no site. LINHA DE FINANCIAMENTO PARA O VALE DO RIBEIRA. TAXA DE JURO ZERO* E LONGO PRAZO PARA APOIAR O DESENVOLVIMENTO DO VALE. LINHA DE FINANCIAMENTO PARA O VALE DO RIBEIRA. TAXA DE JURO ZERO* E LONGO PRAZO PARA APOIAR O DESENVOLVIMENTO DO VALE. OBJETIVO Promover o desenvolvimento econômico dos municípios situados na região do

Leia mais

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO 90001 AVICULTURA INTEGRADA 0.10 1 90002 SUINOCULTURA INTEGRADA 0.10 1 3500 ALHO 0.30 2 11500 CEBOLA 0.30 2 21219 QUEIJOS

Leia mais

DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE.

DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE. PRODUTOR RURAL: fale com o gerente do seu banco e saiba como ter acesso aos créditos e benefícios do Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015. DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE. Para

Leia mais

Seminário Certificação e Fomento Florestal

Seminário Certificação e Fomento Florestal Programa Klabin Fomento Florestal Seminário Certificação e Fomento Florestal Diálogo Florestal Canoinhas SC Out 2012 Fomento Florestal Fomento Florestal tem o objetivo formar florestas produtivas em áreas

Leia mais

Novidades no Plano Safra da Agricultura Familiar

Novidades no Plano Safra da Agricultura Familiar Novidades no Plano Safra da Agricultura Familiar Valter Bianchini 1 O Plano Safra 2011/2012 que será lançado no dia 12 de julho em Francisco Beltrão, no Paraná, mantem o volume de crédito de R$ 16 bilhões

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

Serviço Florestal Brasileiro. Guia de Financiamento Florestal. Guia de. Financiamento Florestal

Serviço Florestal Brasileiro. Guia de Financiamento Florestal. Guia de. Financiamento Florestal Guia de Financiamento Florestal 2016 1 Presidente Interino Michel Temer Ministro do Meio Ambiente José Sarney Filho Secretário Executivo do Ministério do Meio Ambiente Marcelo Cruz Diretor Geral do Raimundo

Leia mais

O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO

O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO Sistema Famato Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso. Criada em 1965, é a representante máxima da estrutura que compõe o Sistema Sindical Rural do Estado

Leia mais

Assistência Técnica ao produtor rural: ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Assistência Técnica ao produtor rural: ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Assistência Técnica ao produtor rural: ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento O papel da Assistência Técnica como base da segurança alimentar Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor

Leia mais

Painel III: O BB e o Agronegócio brasileiro José Carlos Vaz Diretor de Agronegócios

Painel III: O BB e o Agronegócio brasileiro José Carlos Vaz Diretor de Agronegócios Painel III: O BB e o Agronegócio brasileiro José Carlos Vaz Diretor de Agronegócios O Brasil é referência mundial em eficiência produtiva e potencial de geração de alimentos e agroenergia. A atividade

Leia mais

TÍTULO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR. Declaração de Aptidão ao Pronaf - DAP

TÍTULO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR. Declaração de Aptidão ao Pronaf - DAP TÍTULO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR Declaração de Aptidão ao Pronaf - DAP Legislação Os normativos do enquadramento do agricultores familiares 1) Lei 11.326/06

Leia mais

BANCO DO NORDESTE OVINOCAPRINOCULTURA -PRONAF

BANCO DO NORDESTE OVINOCAPRINOCULTURA -PRONAF BANCO DO NORDESTE OVINOCAPRINOCULTURA -PRONAF Fortaleza(CE)., 07 de maio de 2014 Programa Nacional de Fortalecimento Da Agricultura Familiar OBJETIVO Fortalecer a agricultura familiar, mediante o financiamento

Leia mais

Balanço do Plano Agrícola e Pecuário

Balanço do Plano Agrícola e Pecuário Balanço do Plano Agrícola e Pecuário EDILSON GUIMARÃES Secretário de Política Agrícola Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 24 de junho de 2008 Estrutura da apresentação 1. Avaliação do

Leia mais

Plano Safra da Agricultura Familiar 2014-2015

Plano Safra da Agricultura Familiar 2014-2015 Plano Safra da Agricultura Familiar 2014-2015 Histórico de contratação de financiamentos, no âmbito do PRONAF, para apicultura. Ano Agrícola Contratos Valor 2002/2003 152 811.931 2003/2004 1.088 4.758.640

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV AGRONOMIA. COORDENADOR Cláudio Pagotto Ronchi

Currículos dos Cursos UFV AGRONOMIA. COORDENADOR Cláudio Pagotto Ronchi 52 Currículos dos Cursos UFV AGRONOMIA COORDENADOR Cláudio Pagotto Ronchi claudiopagotto@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2014 53 Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar

Leia mais