ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA OBSTETRIZ NAS CASAS DE PARTO Andréa Porto da Cruz

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA OBSTETRIZ NAS CASAS DE PARTO Andréa Porto da Cruz"

Transcrição

1 1 ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA OBSTETRIZ NAS CASAS DE PARTO Andréa Porto da Cruz Desde 1998, tem havido um conjunto de iniciativas governamentais no sentido de reduzir as taxas de cesárea, entre elas o apoio a que o parto sem complicações seja atendido pela enfermeira obstetra. O Ministério da Saúde desenvolveu também outras iniciativas de incentivo às mudanças, como a criação do prêmio Galba de Araújo, tomando como referência as recomendações da Organização Mundial de Saúde, e a criação do Programa de Humanização no Pré Natal e Nascimento ( PHPN ). Nas últimas décadas, ocorreram grandes progressos na Obstetrícia, assim como nos conceitos de assistência à mulher e na formação dos profissionais de saúde envolvidos nesta área. É neste contexto que em 1999 surgem as Casas de Parto no Brasil, regulamentadas conforme a portaria 888/GM, de 12/07/99, assim como a Criação dos Centros de Parto Normal, pela portaria 985/GM, de 05/08/99. Foi nos EUA que surgiram os primeiros Centros de Nascimento, denominados de Birth Center ; posteriormente a prática foi difundida em outros países, como o Japão, Holanda e Brasil, sendo o estado da Bahia o pioneiro na criação das Casas de Parto, e após os estados de Goiânia, Rio de Janeiro e São Paulo. A Casa de Parto é um local extra hospitalar para a realização de partos normais e sem distócia, com infra estrutura para este atendimento, contando com a presença da equipe de enfermagem e enfermeira obstetra. Tem como objetivos o atendimento de forma humanizada e segura ao parto, garantindo os aspectos fisiológicos do mesmo, além da participação da família neste momento. Nas práticas de Enfermagem Obstétrica baseadas em evidências, as pesquisas, estudos randomizados e controlados em laboratório, demonstram os resultados benéficos de inúmeras condutas, dentre as quais destacam-se àquelas relacionadas à saúde da mulher e do neonato, onde a diminuição das intervenções e a adoção de métodos naturais vêm-se tornando cada vez mais utilizados.

2 2 As Recomendações da Organização Mundial de Saúde ( OMS ) para o Parto Normal, classificam as práticas utilizadas em quatro categorias: práticas demonstradamente úteis e que devem ser utilizadas; práticas claramente prejudiciais ou ineficazes e que devem ser eliminadas; práticas em relação às quais não existem evidências suficientes para apoiar uma recomendação clara e que devem ser utilizadas com cautela; práticas frequentemente utilizadas de modo inadequado. São as práticas demonstradamente úteis e que devem ser utilizadas que são oferecidas nas Casas de Parto, a fim de proporcionar à mulher uma assistência digna, segura, com qualidade, e livre de riscos. Entende-se também que esta assistência ofereça, desde a adequação da estrutura física e equipamentos dos hospitais, mudança de postura / atitude dos profissionais de saúde envolvidos, buscando desta forma que esta possua, além dos conceitos humanísticos, toda uma base científica e tecnológica baseada nas melhores evidências disponíveis. Referências Bibliográficas Basile ALO, Pinheiro MSB, Miyashita NT. Mitos Obstétricos. In: Basile ALO, Pinheiro MSB, Miyashita NT. Centro de Parto Normal O Futuro no Presente. São Paulo:, Cap. 6, p Barros SMO. Incentivando o parto normal. In: Barros SMO, Abrão AC, Salazar F.Incentivando o parto normal. Enfermagem Obstétrica e Ginecológica. São Paulo: Roca, Cap. 11, p Berquó ES, Souza JMP, Gotlib SLD. Bioestatística. São Paulo: EPU; p Bonomi A. Pré Natal Humanizado, Gerando crianças felizes. 1 ed. São Paulo: Atheneu; 2002

3 3 Brasil. Ministerio da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Atenção integral à saúde da mulher Brasília: Ministério da saúde; p. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília; p. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa de Humanização no pré natal e nascimento. 1ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2000 a. 66p. Brenes AC. História da parturição no Brasil, século XIX. Cad saúde Pública, 1991; 7: Cabral ACV. Manual de Assistência ao Parto. 1 ed. São Paulo: Atheneu; Cervo AL, Bervian PA. Tipos de pesquisa. In: Cervo AL, Bervian PA. Metodologia científica. São Paulo: Mc Graw-Hill; p Crescer em família. Reportagem sobre o medo das dores do parto. ( Brasil ) [ periódico on line ] 1999a [ citado 2003 Mar 28 ]; [ 1 tela ]. Disponível em: Delascio D,Guariento A. Obstetrícia, Ginecologia e Neonatologia. 1 ed. São Paulo: Sarvier; Entre a técnica e os direitos humanos: possibilidades e limites da humanização da assistência ao parto [ monografia on line ]. Diniz CSG, Ayres JRCM. Departamento de medicina Preventiva FMUSP. São Paulo; Filho UD. Entendendo o teste de Qui Quadrado. In: Filho UD. Introdução à Bioestatística. São Paulo: Elsevier; p91-94.

4 4 Freitas F. Assistência pré natal. In: Freitas F.Rotinas em Obstetrícia. 4 ed. Porto Alegre: Art Med; 2002.Cap. 1, p Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas; Goldman RE. Análise da assistência ao trabalho e parto realizado por enfermeiras obstetras. [ dissertação ]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; p. Haddad N, SILVA MB. Mortalidade materna em idade reprodutiva no Estado de São Paulo, Revista de Saúde Pública, 2000; 34: 9p. Humanização da Assistência ao Parto [ on line ]. São Paulo; 2000 [ citado 2003 Mar 19 ]. Disponível em:<http:// Indicadores de mortalidade. Taxa de Mortalidade Materna. Rede Interagencial de Informações para a saúde ( Brasil ) [ periódico on line ] [ citado 2003 Mar 31 ]; [ 1 tela ].Disponível em: Jakobi HR. O parto natural e humanizado (on line ). São Paulo; [ citado 2003 Mar 28 ]. Disponível em: <http://.amigasdoparto.com.br/ac006.html. Lebrão L, Gotilho MJ. Estatísticas de Saúde. São Paulo: EPU; Luz da Jica. Manual do Parto Humanizado ( on line ). Brasil;2001.[ citado 2003 Mar 26 ]. Disponível em: < com.br/ jica.html. Mortalidade materna. Revista de Saúde Pública ( Brasil ).[ periódico on line ] 1999a [ citado 2003 Fev 15 ]. Disponível em: <http:// Neme B. Parto: assistência. In: Neme B.Obstetrícia básica. 1 ed. São Paulo: Sarvier; p

5 5 Osava R, Mamede MV. A assistência ao parto ontem e hoje: a representação social do parto. J Bras Ginecol 1995; 105: 3-9. Piato S. Abortamento. In: Piato S, tedesco JJA. Diagnóstico e terapia das patologias obstétricas. São Paulo: Atheneu; p Sabatino H, Caldeyro-Barcia, Dumm P. Parto Humanizado Formas Alternativas. Campinas: Editora da Unicamp; Sabatino H. Como simplificar a informatização de uma sala de parto. 1 ed. Campinas: Editora da UNICAMP; São Paulo 1997; 3: p2. São Paulo 1998; 5: p2. São Paulo 1997, 4: p2. Secretaria de Estado da Saúde. Notas sobre Nascimento e Parto. Revista do Instituto de Saúde São Paulo 1995, 1: p2. São Paulo 1996, 2: p2. Technology in Birth: First do no harm. MaterNatura [ serial on line ] 2003 [ citado 2003 Mar 26 ]. Disponível em: <http:// Zugaib M,Sancovski M. Alterações emocionais da gravidez. In: O Pré Natal. 2 ed. São Paulo: Atheneu;1994.p

6 6 Wagner M. Midwife managed care. Lancet 1996 Jul 27; vol Waldow VR. Cuidado humano: o resgate necessário. 3 ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto; World Health Organization. Care in normal birth: A practical guide. Maternal and Newborn Health / Safe Motherhood Unit. Geneva: WHO,

HUMANIZAÇÃO DO PARTO

HUMANIZAÇÃO DO PARTO HUMANIZAÇÃO DO PARTO TEIXEIRA, Kátia de Cássia CBES katita.teixeira@gmail.com BASTOS, Raquel CBES Resumo Este texto apresenta os diferentes aspectos envolvidos na humanização do parto, desde sua definição,

Leia mais

PLANO DE CURSO 2. EMENTA:

PLANO DE CURSO 2. EMENTA: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 80 H Créditos: 05 Preceptoria: 20H

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Graduação em Enfermagem Disciplina: Cuidar de Enfermagem em Saúde da Mulher Carga Horária: Teórica: 75h Pratica: 60 h Total: 135 h Semestre: 2013.1 Professor:

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Enfermagem Obstétrica e Neonatal Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: SAU57 Carga Horária: 100h (Teoria:

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstétras - Nacional Triênio: 2009 a 2011. Nota Técnica

Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstétras - Nacional Triênio: 2009 a 2011. Nota Técnica Nota Técnica A Atuação de Enfermeiras Obstétricas na Atenção ao Pré- Natal e ao Parto como contribuição a Política Pública para Redução da Mortalidade Materna e Neonatal Jacqueline Alves Torres Kleyde

Leia mais

SEMINÁRIO DOS DEZ ANOS DOS COMITÊS DE MORTALIDADE MATERNA DO PARANÁ 12, 13 e 14 DE AGOSTO DE 1.999 CARTA DO PARANÁ

SEMINÁRIO DOS DEZ ANOS DOS COMITÊS DE MORTALIDADE MATERNA DO PARANÁ 12, 13 e 14 DE AGOSTO DE 1.999 CARTA DO PARANÁ SEMINÁRIO DOS DEZ ANOS DOS COMITÊS DE MORTALIDADE MATERNA DO PARANÁ 12, 13 e 14 DE AGOSTO DE 1.999 CARTA DO PARANÁ O Paraná atendendo recomendações do Ministério da Saúde e Organização Panamericana de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Realizar atividades educativas de prevenção ao câncer uterino e mamário.

Realizar atividades educativas de prevenção ao câncer uterino e mamário. PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Assistência de Enfermagem à Saúde da Mulher Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 60h Créditos:

Leia mais

BH - REDE ASSISTENCIAL

BH - REDE ASSISTENCIAL BH - REDE ASSISTENCIAL 2.300.000 habitantes 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF cobertura 80% 2.420 ACS CERSAM e UPA regionais 34 hospitais 7 maternidades SUS Assistência - Regulação -

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio

Leia mais

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DO PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR Ações já realizadas pela ANS desde 2004 Sensibilização do setor, promoção e participação ii em eventos para discussão com especialistas nacionais e internacionais

Leia mais

II. AÇÕES ESTRATÉGICAS REDUÇÃO DA MORTALIDADE MATERNA E NEONATAL

II. AÇÕES ESTRATÉGICAS REDUÇÃO DA MORTALIDADE MATERNA E NEONATAL O PACTO NACIONAL PELA REDUÇÃO DA MORTALIDADE MATERNA E NEONATAL * I. ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO ARTICULAÇÃO COM A SOCIEDADE CIVIL FORTALECENDO O CONTROLE SOCIAL O envolvimento de diferentes atores

Leia mais

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal Grupo temático: Direito à vida, à saúde e a condições

Leia mais

HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO À GESTANTE E PUÉRPERA: UM CAMINHO A SER PERCORRIDO

HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO À GESTANTE E PUÉRPERA: UM CAMINHO A SER PERCORRIDO HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO À GESTANTE E PUÉRPERA: UM CAMINHO A SER PERCORRIDO Rodrigo Coelho 1 Fabricia Tatiane da S. Zuque 2 Flávia Renata da Silva Zuque 3 Maria Angelina S. Zuque 4 RESUMO O objetivo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃOCARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:: Sem

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM I Código: ENF - 209 Pré-requisito:

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

DESVELANDO O CONHECIMENTO DAS GESTANTES PRIMIGESTAS SOBRE O PROCESSO GESTACIONAL

DESVELANDO O CONHECIMENTO DAS GESTANTES PRIMIGESTAS SOBRE O PROCESSO GESTACIONAL DESVELANDO O CONHECIMENTO DAS GESTANTES PRIMIGESTAS SOBRE O PROCESSO GESTACIONAL RESUMO Jéssica Pricila Zanon 1 Marlei Fátima Cezarotto Fiewski 2 Os cuidados profissionais têm reduzido a morbimortalidade

Leia mais

Projeto de intervenção para melhorar a assistência obstétrica no setor suplementar de saúde e para o incentivo ao parto normal

Projeto de intervenção para melhorar a assistência obstétrica no setor suplementar de saúde e para o incentivo ao parto normal Projeto de intervenção para melhorar a assistência obstétrica no setor suplementar de saúde e para o incentivo ao parto normal Apresentação Entendendo como ação fundamental debater o problema das elevadas

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÕES. Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas

EDITAL DE INSCRIÇÕES. Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas EDITAL DE INSCRIÇÕES Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas A Company Gestão Educacional e Negócios torna público o edital para as inscrições do

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Assistência de Enfermagem à Saúde da Mulher Professor: Renata Fernandes do Nascimento Pré-requisito(s): ------ Carga

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE DOULAS 2011

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE DOULAS 2011 CURSO DE CAPACITAÇÃO DE DOULAS 2011 Objetivos Capacitar mulheres de diversas formações / profissões para atuarem como doulas autônomas em partos domiciliares e hospitalares. Contribuir para uma assistência

Leia mais

Exercício Profissional da Enfermagem

Exercício Profissional da Enfermagem Drª Janine Schirmer Profª Titular do Departamento Enfermagem na Saúde da Mulher da Escola Paulista de Enfermagem Vice Presidente do Conselho Gestor do Hospital Universitário Coordenadora da Residência

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Sem Certificação Técnica Módulo: 01

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Sem Certificação Técnica Módulo: 01 Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Dr. José Luiz Viana Coutinho de Jales Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Saúde,

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012. As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012. As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012 As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas no âmbito da prevenção e da atenção. Infelizmente, ambas essas situações não configuram

Leia mais

Saiba seus direitos. 90% das mortes. não existe meio direito, meia negligência ou meia morte.

Saiba seus direitos. 90% das mortes. não existe meio direito, meia negligência ou meia morte. não existe meio direito, meia negligência ou meia morte. 90% das mortes de mulheres grávidas poderiam ser evitadas com o atendimento adequado. Saiba seus direitos. A Organização Mundial de Saúde (OMS)

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professores: Aires Roberta Brandalise e Wanderléia Tragancin Período/ Fase: 6º Semestre:

Leia mais

A POLÍTICA DE PROTEÇÃO DA MATERNIDADE JULIO MAYER DE CASTRO FILHO

A POLÍTICA DE PROTEÇÃO DA MATERNIDADE JULIO MAYER DE CASTRO FILHO A POLÍTICA DE PROTEÇÃO DA MATERNIDADE JULIO MAYER DE CASTRO FILHO Ministério da Saúde Diretrizes gerais Pacto pela Saúde Estados ComissãoBi partite Municípios Plano Municipal de Saúde Objetivos Ações estratégicas

Leia mais

TÍTULO: HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM DESENVOLVIDA PELO ENFERMEIRO DA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE PARA ESTÍMULO AO PARTO NORMAL

TÍTULO: HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM DESENVOLVIDA PELO ENFERMEIRO DA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE PARA ESTÍMULO AO PARTO NORMAL TÍTULO: HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM DESENVOLVIDA PELO ENFERMEIRO DA ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE PARA ESTÍMULO AO PARTO NORMAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃOCARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação::

Leia mais

POLÍTICA DE ATENÇÃO AO PARTO E NASCIMENTO NA SAÚDE SUPLEMENTAR: DESAFIOS PARA INSERÇÃO DE ENFERMEIROS OBSTETRAS

POLÍTICA DE ATENÇÃO AO PARTO E NASCIMENTO NA SAÚDE SUPLEMENTAR: DESAFIOS PARA INSERÇÃO DE ENFERMEIROS OBSTETRAS POLÍTICA DE ATENÇÃO AO PARTO E NASCIMENTO NA SAÚDE SUPLEMENTAR: DESAFIOS PARA INSERÇÃO DE ENFERMEIROS OBSTETRAS Jacqueline Alves Torres 1 Discutir a inserção de enfermeiras obstétricas no modelo de atenção

Leia mais

AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA.

AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA. AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA. Mirielle Ravache Machado Dias; Vanessa Felix Da Hora ; Maria Conceição Furtado Lancia Faculdade de Ciências da Saúde

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO ADQUIRIDO PELAS PARTICIPANTES DO PROJETO CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM DE PONTA GROSSA, 2007

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO ADQUIRIDO PELAS PARTICIPANTES DO PROJETO CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM DE PONTA GROSSA, 2007 AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO ADQUIRIDO PELAS PARTICIPANTES DO PROJETO CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM DE PONTA GROSSA, 2007 Resumo RAVELLI, Ana Paula Xavier UEPG anapxr@hotmail.com OLIVEIRA, Maria Alina

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (X

Leia mais

Comitê de Especialistas em Enfermagem Obstétrica

Comitê de Especialistas em Enfermagem Obstétrica MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Políticas de Saúde Área Técnica Saúde da Mulher Brasília, 10 de fevereiro de 2.000. Área Técnica da Saúde da Mulher Secretaria de Políticas de Saúde Comitê de Especialistas

Leia mais

Conselho editorial. Plenário 2008 2011

Conselho editorial. Plenário 2008 2011 Parto Natural Conselho editorial Plenário 2008 2011 Presidente Cláudio Alves Porto Vice-presidente Cleide Mazuela Canavezi Primeiro-secretário Edmilson Viveiros Segunda-secretária Josiane Cristina Ferrari

Leia mais

POLÍTICAS SOCIAIS E A ASSISTÊNCIA À SAÚDE MATERNA

POLÍTICAS SOCIAIS E A ASSISTÊNCIA À SAÚDE MATERNA POLÍTICAS SOCIAIS E A ASSISTÊNCIA À SAÚDE MATERNA CONCEITO DE SAÚDE da OMS Saúde é o perfeito bem estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. Portanto: Ter saúde é fenômeno complexo

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Uroginecologia e Obstetrícia SÉRIE: 3º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Esp.

Leia mais

Meta 5 Melhorar a saúde das gestantes.

Meta 5 Melhorar a saúde das gestantes. CARTA DENÚNCIA SOBRE O FUNCIONAMENTO DA RESIDÊNCIA DE ENFERMAGEM OBSTÉTRICA DO HOSPITAL REGIONAL DA ASA NORTE DISTRITO FEDERAL Brasília, 24 de setembro 2013 Ao Conselho de Saúde do Distrito Federal A/C

Leia mais

Modelos de Atuação em Cuidados Paliativos

Modelos de Atuação em Cuidados Paliativos Simpósio de Cuidados Paliativos para os Institutos e Hospitais Federais do Rio de Janeiro Cuidados Paliativos - construindo uma rede Agosto 2012 Modelos de Atuação em Cuidados Paliativos Cláudia Naylor

Leia mais

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A partir dos esforços para melhorar a saúde materno-infantil, tais como: Programa de Humanização do Parto e Nascimento

Leia mais

FATORES DE RISCOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS PARA OCORRÊNCIA DE PREMATURIDADE NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR

FATORES DE RISCOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS PARA OCORRÊNCIA DE PREMATURIDADE NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FATORES DE RISCOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS PARA OCORRÊNCIA DE PREMATURIDADE NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR Willian Augusto de Melo 1 ; Francislaine Men Castellini

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO Disciplina: NFR510074 - Políticas públicas na atenção à saúde da mulher e do recémnascido Professores Responsáveis: Dra. Evanguelia Kotzias Atherino dos Santos, Dra. Odaléa Maria Brüggemann

Leia mais

Comissão Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte

Comissão Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte Simpósio Internacional de Redes de Atenção Integral à Saúde da Mulher e da Criança Boas práticas no Brasil, Boas práticas no SUS Comissão Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte BELO HORIZONTE/MG

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 20 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569/GM, de 1º de junho

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ENFERMAGEM DOURADOS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ENFERMAGEM DOURADOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ENFERMAGEM DOURADOS EDITAL DE RETIFICAÇÃO Convocação Especial de Professores para o Curso de Enfermagem 1- Área de Formação: Graduação em Enfermagem

Leia mais

Assistência de enfermagem ao parto humanizado

Assistência de enfermagem ao parto humanizado REVISÃO Assistência de enfermagem ao parto humanizado Isaqueline Sena Santos Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem. Egle de Lourdes Fontes Jardim Okazaki Docente do Curso de Graduação em Enfermagem.

Leia mais

PARECER CRM/MS N 15/2014 PROCESSO CONSULTA CRM MS: INTERESSADO

PARECER CRM/MS N 15/2014 PROCESSO CONSULTA CRM MS: INTERESSADO PARECER CRM/MS N 15/2014 PROCESSO CONSULTA CRM MS: 09/2014 INTERESSADO: ASSOCIAÇÃO BENEFICIENTE DE CAMPO GRANDE PARECERISTA: Eliana Patrícia S. Maldonado Pires PALAVRA CHAVE: Doulas; Parto dentro d agua.

Leia mais

César Eduardo Fernandes. Declaração de conflito de interesse

César Eduardo Fernandes. Declaração de conflito de interesse César Eduardo Fernandes Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

2º Curso Teórico-Prático de Doenças Médicas e Gravidez

2º Curso Teórico-Prático de Doenças Médicas e Gravidez 2º Curso Teórico-Prático de Doenças Médicas e Gravidez Destinatários: Médicos Especialistas e Internos de Especialidade de Ginecologia e Obstetrícia, Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar e outras

Leia mais

VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP

VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP Andréa Tamancoldi Couto Enfermeira chefe de seção Centro Cirúrgico

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente. Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem

Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente. Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem 12 de setembro de 2012 2 VISÃO Ser reconhecido pela excelência em gestão de serviços de saúde. MISSÃO

Leia mais

CAPA SAÚDE REPRODUTIVA. Estudo publicado na revista Lancet mostra que cesariana desnecessária coloca em risco a vida da mulher e do bebê

CAPA SAÚDE REPRODUTIVA. Estudo publicado na revista Lancet mostra que cesariana desnecessária coloca em risco a vida da mulher e do bebê CAPA SAÚDE REPRODUTIVA Estudo publicado na revista Lancet mostra que cesariana desnecessária coloca em risco a vida da mulher e do bebê Tma pesquisa internacional publicada na edição de 3 de junho da

Leia mais

ODM 5 Melhorar a saúde das gestantes

ODM 5 Melhorar a saúde das gestantes ODM 5 Melhorar a saúde das gestantes Meta 6 do ODM 5 Reduzir em ¾ entre 1990 e 2015 a taxa de mortalidade materna De 140 mortes por 100.000 NV no ano 2000 para 35 mortes em 2015 1990 1991 1992 1993 1994

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Fisioterapia Uroginecológica e Obstetrica SÉRIE: 4º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

Estratégia de Controle da MORTALIDADE MATERNA

Estratégia de Controle da MORTALIDADE MATERNA Secretaria da Saúde do RS Departamento de Ações em Saúde SEÇÃO DE SAÚDE DA MULHER Estratégia de Controle da MORTALIDADE MATERNA Dr. Jorge Telles MORTALIDADE MATERNA NO MUNDO Canadá e EUA: 9 óbitos / 100.000

Leia mais

INICIATIVA HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA

INICIATIVA HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA MINISTÉRIO DA SAÚDE INICIATIVA HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Secretaria de Atenção à Saúde Brasília -

Leia mais

LIGA DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO E NASCIMENTO DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

LIGA DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO E NASCIMENTO DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA LIGA DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO E NASCIMENTO DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA Prince Vangeris Silva Fernandes de Lima 1 RESUMO: Trata-se de um relato de experiência sobre a criação e atuação

Leia mais

Ações da Parto do Princípio contra as cesáreas desnecessárias e indesejadas

Ações da Parto do Princípio contra as cesáreas desnecessárias e indesejadas Ações da Parto do Princípio contra as cesáreas desnecessárias e indesejadas Cristiane Yukiko Kondo a Flávia da Silva Telles Penido b Rebeca Celes Charchar c A Parto do Princípio - Mulheres em Rede pela

Leia mais

GESTAÇÃO E CÂNCER: CONVIVENDO COM OS PARADOXOS

GESTAÇÃO E CÂNCER: CONVIVENDO COM OS PARADOXOS GESTAÇÃO E CÂNCER: CONVIVENDO COM OS PARADOXOS INTRODUÇÃO Daniela Achette 1 Adriana Aparecida Fregonese 2 O adoecer traz vivências muito peculiares para a maioria das mulheres, sendo vasta a literatura

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ MARIA CELESTINA SABINO DE OLIVEIRA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ MARIA CELESTINA SABINO DE OLIVEIRA 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ MARIA CELESTINA SABINO DE OLIVEIRA A HUMANIZAÇÃO DO PARTO: um estudo etnográfico em uma maternidade municipal de Fortaleza. FORTALEZA - CEARÁ 2007 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos 18 fevereiro DE 2015 capa Antes da hora Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos Alice Giraldi e Ricardo Zorzetto ilustração mariana zanetti No início de janeiro o Ministério

Leia mais

A hipertensão nas gestantes é a causa de mais de 90% dos partos prematuros não

A hipertensão nas gestantes é a causa de mais de 90% dos partos prematuros não Hipertensão é a maior causa de partos prematuros não espontâneos. Pesquisa orientada pelo Caism da Unicamp envolveu 20 hospitais no Brasil. Mães contam experiência em partos prematuros e seus bebês em

Leia mais

Governo treina gestores municipais para reduzir mortalidade materna 6

Governo treina gestores municipais para reduzir mortalidade materna 6 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2010 (4). Edição 20 Nathayana de Sousa Soares 1 Rayane Francisca Costa Coutinho 2 Rosiany Dantas Queiroz 3 Selonia Patricia Oliveira

Leia mais

A Mortalidade Materna no Estado de São Paulo, Brasil Maternal Mortality in The State of São Paulo, Brasil

A Mortalidade Materna no Estado de São Paulo, Brasil Maternal Mortality in The State of São Paulo, Brasil Nesta edição Nº 15 A Mortalidade Materna no Estado de São Paulo, Brasil Maternal Mortality in The State of São Paulo, Brasil José Dínio Vaz Mendes I ; Vera Lucia Rodrigues Lopes Osiano II I Médico, Especialista

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012. As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas no

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012. As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas no EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012 As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas no âmbito da prevenção e da atenção. Infelizmente, ambas essas situações não configuram

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Amamentação. Educação em Saúde. Enfermagem. Traumas Mamários

PALAVRAS-CHAVE Amamentação. Educação em Saúde. Enfermagem. Traumas Mamários 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA INFLUÊNCIA DA ESCOLARIDADE NOS TRAUMAS

Leia mais

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA, OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA, OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA, OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA APROVADO POR UNANIMIDADE EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE NOVEMBRO

Leia mais

Considerando a proposta para melhoria da qualidade da atenção obstétrica e neonatal no País, elaborada pelo referido grupo técnico;

Considerando a proposta para melhoria da qualidade da atenção obstétrica e neonatal no País, elaborada pelo referido grupo técnico; PORTARIA Nº. 1.067, DE 4 DE JULHO DE 2005 outra providências. Institui a Política Nacional de Atenção Obstétrica e Neonatal, e dá O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições, e Considerando

Leia mais

MOVIMENTO BH PELO PARTO NORMAL

MOVIMENTO BH PELO PARTO NORMAL MOVIMENTO BH PELO PARTO NORMAL Histórico Comissão o Perinatal Belo Horizonte SMSA-BH Comissão Perinatal de Belo Horizonte Secretaria Municipal de Saúde Fórum intersetorial e interinstitucional responsável

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM I Código: ENF- 209 Pré-requisito:

Leia mais

PARTO HUMANIZADO: A REALIDADE EM UMA MATERNIDADE DE PONTA GROSSA-PR

PARTO HUMANIZADO: A REALIDADE EM UMA MATERNIDADE DE PONTA GROSSA-PR PARTO HUMANIZADO: A REALIDADE EM UMA MATERNIDADE DE PONTA GROSSA-PR Resumo OLIVEIRA, Maria Alina Lurdes UEPG maria_allina@hotmail.com RINALDI, Elaine Cristina UEPG ecrisrinaldi@yahoo.com.br ZARPELLON,

Leia mais

Assistência humanizada ao parto: reflexões sobre a atuação da enfermagem obstétrica

Assistência humanizada ao parto: reflexões sobre a atuação da enfermagem obstétrica Assistência humanizada ao parto: reflexões sobre a atuação da enfermagem obstétrica Eliane Nunes de Lima Aluna do Curso de Graduação em Enfermagem. Valdiléia Zorub Pasquini Docente do Curso de Graduação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO FACULDADE DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE DISCIPLINA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO FACULDADE DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE DISCIPLINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO FACULDADE DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ENFERMAGEM GINECOLÓGICA E OBSTÉTRICA II GRADE: RESOLUÇÃO CEPEC Nº 831 MATRIZ CURRICULAR:

Leia mais

PRÉ-NATAL HUMANIZADO: UM DIREITO DE TODA GESTANTE

PRÉ-NATAL HUMANIZADO: UM DIREITO DE TODA GESTANTE PRÉ-NATAL HUMANIZADO: UM DIREITO DE TODA GESTANTE INTRODUÇÃO IONE RAMOS DE QUEIROZ DANIELE IDALINO JANEBRO CARINE FERREIRA MOURA ALUÍSIO DE MOURA FERREIRA MARIA DO SOCORRO RAMOS DE QUEIROZ Universidade

Leia mais

UM CAMINHO UNIVERSAL. UM DIREITO DA MULHER À SAÚDE

UM CAMINHO UNIVERSAL. UM DIREITO DA MULHER À SAÚDE RESUMO EXECUTIVO O ESTADO DA OBSTETRÍCIA NO MUNDO 2014 UM CAMINHO UNIVERSAL. UM DIREITO DA MULHER À SAÚDE SAÚDE REPRODUTIVA GESTAÇÃO PARTO PERÍODO PÓS-NATAL Resumo Executivo O Estado da Obstetrícia no

Leia mais

Indicadores hospitalares

Indicadores hospitalares Indicadores hospitalares Núcleo de Informação em Saúde de- NIS Hospital das Clínicas - FMUSP Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina USP Hospital das Clinicas - FMUSP Complexo hospitalar

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E I ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE FAMILIA E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

III CONGRESSO BRASILEIRO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E I ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE FAMILIA E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL III CONGRESSO BRASILEIRO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E I ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE FAMILIA E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL De 19 a 22 de Julho de 2013 1) Tipo e título da atividade proposta: a)

Leia mais

O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO PROGRAMA DE PLANEJAMENTO FAMILIAR

O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO PROGRAMA DE PLANEJAMENTO FAMILIAR O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO PROGRAMA DE PLANEJAMENTO FAMILIAR Aluana Moraes 1 Daisy Cristina Rodrigues 1 Icaro Bertechine Soler Lopes 2 RESUMO: Planejamento familiar é o ato consciente de planejar

Leia mais

Parto humanizado - Uma revisão bibliográfica

Parto humanizado - Uma revisão bibliográfica Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Departamento de Medicina Social Curso de Especialização em Saúde Pública Cristiana Maria Baldo Silvani Parto humanizado - Uma revisão bibliográfica

Leia mais

1. CENTRO/CAMPUS/FACULDADE, ÁREA/SUBÁREA, CARGA HORÁRIA, CLASSE E DURAÇÃO PREVISTA DO CONTRATO: CARGA HORÁRIA

1. CENTRO/CAMPUS/FACULDADE, ÁREA/SUBÁREA, CARGA HORÁRIA, CLASSE E DURAÇÃO PREVISTA DO CONTRATO: CARGA HORÁRIA EDITAL Nº. 13, DE 24 DE ABRIL DE 2014. CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE/ CCBS COMISSÃO ESPECIAL CURSO DE ENFERMAGEM SELEÇÃO DE CANDIDATOS A PROFESSOR SUBSTITUTO A COMISSÃO ESPECIAL DO CURSO DE

Leia mais

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH A proposta pedagógica para formação do medico dentro do curso do UNI-BH baseia-se na estruturação em três módulos de conteúdo bem definido

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA DE SAÚDE DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA DE SAÚDE DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA DE SAÚDE DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica Módulo de Enfermagem V Área Científica: ENFERMAGEM CÓDIGO: 723

Leia mais

ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL: ALERTA PARA OS FATORES DE RISCO NA MATERNIDADE ADOLESCENTE

ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL: ALERTA PARA OS FATORES DE RISCO NA MATERNIDADE ADOLESCENTE 1 ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL: ALERTA PARA OS FATORES DE RISCO NA MATERNIDADE ADOLESCENTE SALETTE GOMES MAURÍCIO SALES* RESUMO A gravidez na adolescência, no contexto da saúde, vem sendo termo cada vez mais

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

PARECER CREMEB Nº 27/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 05/07/2013)

PARECER CREMEB Nº 27/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 05/07/2013) PARECER CREMEB Nº 27/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 05/07/2013) EXPEDIENTE CONSULTA Nº 005.616/13 ASSUNTO: Responsabilidade ético-profissional dos médicos nas Casas de Parto e Maternidades, que mantêm

Leia mais

Um Projeto de Extensão Que Deu Certo na Humanização ao Parto e Nascimento Realizado pela Enfermeira Obstétrica em uma Maternidade Pública de Natal/RN

Um Projeto de Extensão Que Deu Certo na Humanização ao Parto e Nascimento Realizado pela Enfermeira Obstétrica em uma Maternidade Pública de Natal/RN A presença da mulher nos cuidados em saúde ST 27 Rejane Marie Barbosa Davim Rosângela de Medeiros Caldas Ana Maria Lima do Rego Universidade Federal do Rio Grande do Norte Palavras-chave: Humanização ao

Leia mais

ESTUDO DE CASO MATERNIDADE DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTÔNIO PEDRO

ESTUDO DE CASO MATERNIDADE DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTÔNIO PEDRO INSTITUTO DE SAÚDE DA COMUNIDADE DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO EM SAÚDE PLANEJAMENTO E GERÊNCIA EM SAÚDE II ESTUDO DE CASO MATERNIDADE DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTÔNIO PEDRO Professores: Dra. Luciana Alves

Leia mais

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016)

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) ÁREA: ENFERMAGEM RELAÇÃO DE ASSUNTOS 1 - ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE E ADMINISTRAÇÃO APLICADA

Leia mais

Cuidados pós-natais para mães e recémnascidos

Cuidados pós-natais para mães e recémnascidos Abril de 2015 www.mcsprogram.org Cuidados pós-natais para mães e recémnascidos Destaques das diretrizes de 2013 da Organização Mundial da Saúde Informações de base Os dias e as semanas após o parto (o

Leia mais

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica EDITAL PARA EXAME DE SELEÇÃO PARA A ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM OBSTÉTRICA - 2014 A Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, em conformidade com o regimento Lato Sensu da Coordenação de Pós-Graduação,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO NA SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO NA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO NA SAÚDE MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE CAPACITAÇÃO EM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM URGÊNCIA E

Leia mais