Teoria da firma: produção e custos de. produção. Técnico em Logística. 05_Sistemas Econômicos_Teoria da Produção e Custos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Teoria da firma: produção e custos de. produção. Técnico em Logística. 05_Sistemas Econômicos_Teoria da Produção e Custos"

Transcrição

1 Teoria da firma: e custos de Teoria da firma: e custos de Introdução Considerações preliminares Uma economia de mercado é orientada pelas forças da oferta e da procura. Consumidores Firmas Unidades do setor de consumo Unidades do setor de Teoria da firma: e custos de Teoria do consumidor Parte da teoria econômica que se preocupa em estudar o comportamento da unidade do setor de consumo o consumidor. Teoria da Firma Parte da teoria econômica que explica o comportamento da firma quando ela desenvolve a sua atividade produtiva. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 1

2 Teoria da firma: e custos de Curva de Oferta Relações entre a quantidade produzida e a quantidade de insumos utilizados. Teoria da Produção Teoria da Firma Teoria dos Custos de Produção Inclui os preços dos insumos Teoria da firma: e custos de A importância da teoria da A teoria da desempenha ao menos dois papéis extremamente importantes: servir de base para a análise das relações existentes entre e custos de ; servir de apoio para analisar a demanda da firma relativamente aos fatores de que utiliza. Teoria da firma: e custos de Alguns conceitos fundamentais da teoria da Firma Unidade de que atua racionalmente, procurando maximizar seus resultados relativos à e ao lucro. este conceito abrange, além das atividades industriais e agrícolas, as atividades profissionais, técnicas e de serviços. resumidamente, pode ser caracterizada como uma unidade técnica que produz bens. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 2

3 Teoria da firma: e custos de Alguns conceitos fundamentais da teoria da Fator de Produção: Bens ou serviços transformáveis em. Primários: não são produzidos por outra empresa, ou seja, são fatores naturais que existem independentemente da ocorrência de um processo produtivo anterior; Secundários: Existência deriva de um processo produtivo realizado por alguma empresa ou firma. Teoria da firma: e custos de Os fatores de ainda podem ser classificados de acordo com quatro critérios básicos: 1 -Variabilidade Os fatores podem ser fixos(quando as quantidades utilizadas no processo de não variam, ainda que varie a quantidade produzida do produto) ou variáveis(quando a quantidade utilizada do fator varia em decorrência da variação da quantidade produzida do produto). Teoria da firma: e custos de 2 Disponibilidade Os fatores podem ser limitados ou ilimitados. Limitados: Quando a quantidade disponível é menor que aquela necessária para a sua utilização; não são encontrados livremente na natureza; são também chamados de escassos. Ilimitados:são encontrados livremente na natureza e em quantidades maiores que aquelas necessárias para sua utilização; por serem abundantes, também são chamados de fatores livres. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 3

4 Teoria da firma: e custos de 3 Divisibilidade Divisíveis:Fatores que podem ser fragmentados e utilizados em partes muito pequenas no processo produtivo. Desse grupo participam boa parte das matérias primas. Indivisíveis: Fatores que não podem ser fragmentados para a utilização no processo produtivo, como por exemplo máquinas e equipamentos. Teoria da firma: e custos de 4 -Durabilidade Duráveis: São fatores que suportam mais de um processo produtivo, como máquinas e equipamentos. Não duráveis ou fungíveis: fatores de que são consumidos em um único processo produtivo, como, por exemplo, matérias-primas. Teoria da firma: e custos de Produção Transformação dos fatores adquiridos pela empresa em produtos para a venda no mercado. Este conceito não se resume a identificar transformações físicas e materiais. Seu sentido é mais amplo, abrangendo também a oferta de serviços, como transporte, financiamentos, comércio e outras atividades. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 4

5 Teoria da firma: e custos de Função de Relação entre a quantidade utilizada dos fatores e a quantidade que pode ser obtida de um ou mais produtos. Identifica a forma de solucionar os problemas técnicos da por meio da apresentação das combinações de fatores que podem ser utilizados para o desenvolvimento do processo produtivo. Permite obter a combinação mais eficiente dos fatores e atingir a maior possível, desde que respeitada. Teoria da firma: e custos de Processo de técnica por meio da qual um ou mais produtos são obtidos pela utilização de determinadas quantidades de fatores de. Um processo de simples gera, com a combinação dos fatores, um único produto. Um processo de múltiplo, por sua vez, permite a de mais de um produto pela combinação dos fatores. Teoria da firma: e custos de A diferença entre os conceitos de função de e processo de é sutil: Processo de : indica quanto de cada fator se faz necessário para obter certa quantidade de produto. Função de : mostra o máximo de produto que se pode obter com certa quantidade de fatores, mediante a escolha adequada do processo de. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 5

6 Teoria da firma: e custos de Representação analítica da função de : q = f(x 1, x 2, x 3,..., x n ) Onde q = quantidade produzida do bem x i = quantidade utilizada do insumo i, i = 1, 2, 3,..., n. Simplificando, q = f(n, K) Onde N = a quantidade utilizada de mão-de-obra K = a quantidade de capital utilizada Teoria da firma: e custos de Insumos Mão-de-obra (N) Em função da eficiência Capital Físico (K) Área, Terra (T) Matéria-prima (M p ) Processo de Produção Produto (q) Teoria da firma: e custos de Observações: a função de é, por hipótese, uniforme e contínua, e sempre deve ser definida no tempo. a função de é unicamente definida em níveis positivos dos fatores e do produto. a função de vai modificar-se à medida que variar o nível de tecnologia existente. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 6

7 Teoria da firma: e custos de Análise de curto prazo Curto prazo: quando, no caso da função de, alguns fatores são fixos e outros variáveis. Fatores variáveis: aqueles cujas quantidades utilizadas variamcom a realização do processo produtivo. Fatores fixos: aqueles cujas quantidades utilizadas não variam com a realização do processo produtivo. Teoria da firma: e custos de Análise de curto prazo Ex.: q = f(n, K) Onde q = quantidade do produto N = fator variável K = fator fixo Neste caso, a variação da quantidade produzida dependerá da variação da quantidade utilizada do fator variável. Teoria da firma: e custos de Quantidade do produto que se obtém da utilização do fator variável, mantendo-se fixa a quantidade dos demais fatores. À medida que se incrementa o nível de utilização do fator fixo, reduzem-se as quantidades utilizadas do fator variável, para se obter o mesmo nível de produto. Produto total do fator variável Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 7

8 Teoria da firma: e custos de PRODUTIVIDADE MÉDIA DO FATOR MÃO DE OBRA Pme n = quantidade de produto nº. de trabalhadores CAPITAL Pme k = TERRA Pme t = quantidade de produto nº de máquinas quantidade produzida área cultivada Teoria da firma: e custos de PRODUTIVIDADE MARGINAL MÃO DE OBRA Pme n = variação do produto. acréscimo de 1 unidade de mão de obra CAPITAL Pme k = variação do produto. acréscimo de 1 unidade de capital TERRA Pme t = variação do produto. acréscimo de 1 unidade de área cultivada Teoria da firma: e custos de A Lei dos Rendimentos Decrescentes Descreve o comportamento da taxa de variação da, quando é possível variar apenas um dos fatores, permanecendo constante os demais. Em outras palavras, podemos enunciar a lei dos rendimentos decrescentes da seguinte forma: aumentando-se a quantidade de um fator variável, permanecendo a quantidade dos demais fatores fixa, a, inicialmente, crescerá a taxas crescentes; a seguir, depois de certa quantidade utilizada do fator variável, passará a crescer a taxas decrescentes; continuando o incremento da utilização do fator variável, a decrescerá. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 8

9 Teoria da firma: e custos de Análise de curto prazo Lei dos rendimentos decrescentes Terra Mão-de-obra Produto Produtividade Produtividade (fator fixo) (fator variável) total média da marginal da mão-de- (alqueires (em milhares de (toneladas) mão-de-obra obra (toneladas) trabalhadores) (toneladas) variação em (3) (1) (2) (3) (4) = (3):(2) 5 = variação em (2) , , , , , , , , ,6-2 Teoria da firma: e custos de Análise de curto prazo Lei dos rendimentos decrescentes Produto total (toneladas) Produto total Número de trabalhadores (milhares) Teoria da firma: e custos de Análise de curto prazo Lei dos rendimentos decrescentes Produtividades média e marginal da mão-de-obra (toneladas) Produtividade média da mão-de-obra ( ) Pme n Número de trabalhadores (milhares) Produtividade marginal da mão-de-obra ( Pmg n ) Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 9

10 Teoria da firma: e custos de Análise de curto prazo Lei dos rendimentos decrescentes Teoria da firma: e custos de Análise de longo prazo Longo prazo: quando, no caso da função de, todos os fatores de são variáveis. Neste caso, a firma pode pretender aumentar a sua variando não apenas um fator de, mas todos eles. De forma simplificada, q = f(n,k) Funções de com essa característica podem ser representadas por uma família de isoquantas. Teoria da firma: e custos de A noção de rendimentos de escala Escala de Produção Ritmo de variação da, respeitada certa proporção de combinação entre os fatores. Rendimentos de Escala Nome dado ao resultado relativo a produtos finais obtidos por meio da variação da utilização dos fatores de, dada determinada escala de. Rendimentos crescentesde escala Ocorrem quando a variação na quantidade do produto total é mais do que proporcional à variação da quantidade utilizada dos fatores de. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 10

11 Teoria da firma: e custos de A noção de rendimentos de escala Rendimentos constantesde escala Ocorrem quando a variação na quantidade do produto total é proporcional à variação da quantidade utilizada dos fatores de. Rendimentos decrescentesde escala Ocorrem quando a variação na quantidade do produto total é menos do que proporcional à variação da quantidade utilizada dos fatores de. Teoria da firma: e custos de A firma A firma maximizadora de lucros e a conduta de otimização O objetivo básico da firma é a maximização dos seus resultados quando realiza sua atividade produtiva. Numa economia monetizada, há despesas para que a firma realize sua. Este é o chamado custo total de. Teoria da firma: e custos de A firma A firma maximizadora de lucros e a conduta de otimização A otimização dos resultados da firma poderá ser obtida quando for possível resolver um dos dois problemas: maximizara para determinado custo total ou minimizaro custo total para atingir certo nível de. Em qualquer uma das situações consegue-se determinar o equilíbrio da firma. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 11

12 Teoria da firma: e custos de Os custos de Custo total de Total das despesas realizadas pela firma com a utilização da combinação mais econômica dos fatores, por meio da qual é obtida determinada quantidade do produto. São genericamente classificados como custos fixos totais (CFT -parcela dos custos totais que independem da, ou seja, gastos com fatores fixos) e custos variáveis totais (CVT - parcela dos custos totais que dependem da, ou seja, gastos com fatores variáveis). Teoria da firma: e custos de Os custos de Os custos de curto prazo CT = CVT + CF Onde: CT= custo total de curto prazo CVT = custo variável total CFT= custo fixo total O custo total de no curto prazo depende diretamente do nível de estabelecido pela firma, associado aos gastos com os fatores fixos de. Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos de curto prazo Outros custos: Custo total médio: Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 12

13 Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos de curto prazo CUSTO TOTAL MÉDIO (CTMe OU CMe), OU CUSTO UNITÁRIO. CTMe = CMe = CT = custo total (em$) q total produzido CUSTO VARIÁVEL MÉDIO (CVMe) CVMe = CVT = custo variável total q total produzido CUSTO FIXO MÉDIO (CFMe) CFMe = CFT = custo fixo total q total produzido CUSTO MARGINAL (CMg) CMg = CT = variação do custo total. q acréscimo de 1 unidade na Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos de curto prazo Produção Custo Custo Custo Custo Custo Custo Custo total fixo variável total fixo variável médio marginal (Q/dia) total total (CT) médio médio (Cme) (CMg) R$ (CFT) (CVT) R$ (CFMe) (CVMe) R$ variação em (4) R$ R$ R$ R$ variação em (1) (1) (2) (3) (4)=(2)+(3)(5)=(2):(1)(6)=(3):(1)(7)=(4):(1) 0 10,00 0,00 10, ,00 5,00 15,00 10,00 5,00 15,00 5, ,00 8,00 18,00 5,00 4,00 9,00 3, ,00 10,00 20,00 3,33 3,33 6,67 2, ,00 11,00 21,00 2,50 2,75 5,25 1, ,00 13,00 23,00 2,00 2,60 4,60 2, ,00 16,00 26,00 1,67 2,67 4,33 3, ,00 20,00 30,00 1,43 2,86 4,28 4, ,00 25,00 35,00 1,25 3,13 4,38 5, ,00 31,00 41,00 1,11 3,44 4,56 6, ,00 38,00 48,00 1,00 3,80 4,80 7, ,00 46,00 56,00 0,91 4,18 5,09 8,00 Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos de curto prazo Custos totais (R$/dia) Custo total (CT) Custo variável total (CVT) 10 0 Custo fixo total (CFT) Produto por dia Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 13

14 Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos de curto prazo Custo marginal (CMg) Custo médio (CMe) Custo variável médio (CVMe) Custo fixo médio (CFMe) Produto por dia Teoria da firma: e custos de Os custos de longo prazo Neste caso, todos os custos são variáveis. Assim: q L = f(x 1, x 2, x 3 ) Onde: ql = quantidades produzidas no longo prazo x 1, x 2, x 3 = fatores variáveis O período de longo prazo torna-se um elemento fundamental para a tomada de decisão dos empresários, pois eles podem alterar toda planta produtiva da empresa, já que não há custos fixos. Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos de longo prazo Custo total: CT L = p 1 x 1 + p 2 x 2 + p 3 x 3 Custo Médio: Custo Marginal: Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 14

15 Teoria da firma: e custos de Os custos de - Os custos médio de longo prazo CMeL CMeL A q* (escala ótima) q Teoria da firma: e custos de Diferenças entre a visão econômica e a visão contábil-financeira dos custos de. Custos de oportunidade versuscustos contábeis Custos contábeis, ou custos explícitos, envolvem sempre um dispêndio monetário. Custos de oportunidade, ou implícitos, são relativos aos insumos que pertencem a empresa e não representam dispêndio monetário. Teoria da firma: e custos de a) Dinheiro parado em caixa b) Prédio próprio c) Aplicar o capital em outra atividade d) Salário potencial em outra atividade Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 15

16 Teoria da firma: e custos de Custos privados e custos sociais Externalidades Positiva Negativa Ótica Social Privada Teoria da firma: e custos de Custos versus despesas Custos, gastos associados ao processo de fabricação de produtos. Despesas,gastos associados ao exercício social e alocadas para o resultado geral do período. (despesas financeiras, comerciais e administrativas.) Custos diretos, correspondem aos custos variáveis. (salários da mão de obra direta, matéria-prima, energia, manutenção, reparo) Custos indiretos, correspondem aos custos fixos. (salários administração, aluguel, depreciação, retorno sobre capital). Teoria da firma: e custos de Maximização dos lucros Lucro total diferença entre as receitas de vendas da empresa e seus custos totais de. LT = RT CT, Onde: LT lucro total RT receita total de vendas CT custo total de Receita marginal acréscimo da receita total da empresa quando essa vende uma unidade adicional de seu produto. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 16

17 Teoria da firma: e custos de RMg = CMg, Onde: RMg Receita Marginal CMg Custo Marginal Se, RMg = CMg ou RMg > CMg, a empresa tem interesse em produzir mais. Se, RMg < CMg, a empresa não tem interesse em produzir mais. Teoria da firma: e custos de Produção Custo Preço Receita Lucro Custo Receita e vendas total unitário total total marginal marginal (por dia) (CT) de (RT) (LT)=RT-CT (CMg) (RMg) R$ mercado R$ R$ R$ R$ (P) R$ R$ (1) (2) (3) (4)=(3)x(1) (5)=(4)-(2) 0 10,00 5, ,00 variação em (2) (6) = variação em (1) variação em (4) (7) = variação em (1) 1 15,00 5,00 5,00-10,00 5,00 5, ,00 5,00 10,00-8,00 3,00 5, ,00 5,00 15,00-5,00 2,00 5, ,00 5,00 20,00-1,00 1,00 5, ,00 5,00 25,00 12,00 2,00 5, ,00 5,00 30,00 14,00 3,00 5, ,00 5,00 35,00 15,00 4,00 5, ,00 5,00 40,00 15,00 5,00 5, ,00 5,00 45,00 14,00 6,00 5, ,00 5,00 50,00 12,00 7,00 5, ,00 5,00 55,00-1,00 8,00 5,00 Teoria da firma: e custos de Conceitos de lucro normal e lucro extraordinário Lucro normal é o valor que mantém o proprietário numa dada atividade. Lucro extraordinário é todo o lucro que excede o lucro normal Lucro contábil diferença entre a receita e os custos efetivamente incorridos. Lucro normal custo de oportunidade do capital Lucro extraordinário diferença entre a receita total e o total dos custos contábeis e custos de oportunidade. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 17

18 Teoria da firma: e custos de Break-even point(ponto de equilíbrio) Representa o nível de em que a receita total é igual ao custo total (lucro total zero), e a partir do qual a empresa passa a gerar lucro. Não são considerados nesse cálculo os custos de oportunidade. Pouco mencionado na literatura econômica, é típico da contabilidade e da administração. Prof. Marcelo Pinotti Meaulo 18

Aula 15 Teoria da Produção 19/04/2010 Bibliografia: Vasconcellos (2006) Cap. 6, Mankiw (2007) Cap. 13. Texto: Eu vos declaro marido e mulheres

Aula 15 Teoria da Produção 19/04/2010 Bibliografia: Vasconcellos (2006) Cap. 6, Mankiw (2007) Cap. 13. Texto: Eu vos declaro marido e mulheres Aula 15 Teoria da Produção 19/04/2010 Bibliografia: Vasconcellos (2006) Cap. 6, Mankiw (2007) Cap. 13. Texto: Eu vos declaro marido e mulheres Teoria da produção Firma ou empresa para economia é uma unidade

Leia mais

TEORIA DA FIRMA PRODUÇÃO E CUSTOS

TEORIA DA FIRMA PRODUÇÃO E CUSTOS TEORIA DA FIRMA PRODUÇÃO E CUSTOS INTRODUÇÃO CONSUMIDORES: atendimento de necessidades teoria do consumidor FIRMAS: desenvolvimentos de atividades produtivas teoria da firma TEORIA DA PRODUÇÃO: CONCEITOS

Leia mais

os custos totais são determinados pela soma entre os custos variáveis e os custos fixos.

os custos totais são determinados pela soma entre os custos variáveis e os custos fixos. Módulo 7 Teoria dos Custos Como destacamos em alguns dos módulos anteriores, os produtores são indivíduos racionais, e como tais irão buscar maximizar seus resultados ao realizarem suas atividades produtivas.

Leia mais

Produção e o Custo da Empresa. Conceitos básicos; Função de produção; Lei dos rendimentos decrescentes; Equilíbrio da firma; Custos de Produção.

Produção e o Custo da Empresa. Conceitos básicos; Função de produção; Lei dos rendimentos decrescentes; Equilíbrio da firma; Custos de Produção. Produção e o Custo da Empresa Conceitos básicos; Função de produção; Lei dos rendimentos decrescentes; Equilíbrio da firma; Custos de Produção. 1. Conceitos básicos A economia é formada por diversas empresas

Leia mais

Fundamentos de Economia

Fundamentos de Economia Fundamentos de Economia Marco Antonio S. Vasconcellos Manuel Enriquez Garcia 3º Edição 2009 I Teoria da Produção 6.1 Introdução Ateoriadaproduçãoeateoriadoscustosdeproduçãoconstituema teoria da oferta

Leia mais

Custos de Produção. Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total

Custos de Produção. Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total Custos de Produção Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total 1 Introdução Oferta Teoria da Firma Teoria da Produção (relações entre a quantidade produzida e as quantidades

Leia mais

Parte III: Construindo a Curva de Oferta. Marta Lemme - IE/UFRJ

Parte III: Construindo a Curva de Oferta. Marta Lemme - IE/UFRJ Parte III: Construindo a Curva de Oferta Marta Lemme - IE/UFRJ III.1. Produção A função de produção é a relação entre a quantidade de insumos que uma firma usa e a quantidade de produto que ela produz.

Leia mais

PRODUÇÃO. Introdução a Economia

PRODUÇÃO. Introdução a Economia PRODUÇÃO Introdução a Economia Tópicos para discussão Slide 2 Conceitos Básicos Produção no Curto Prazo Produção no Longo Prazo Rendimentos de escala Oferta Slide 3 Quantidade de um bem que os produtores

Leia mais

MICROECONOMIA PARA ADM* MARIA ISABEL BUSATO

MICROECONOMIA PARA ADM* MARIA ISABEL BUSATO MICROECONOMIA PARA ADM* MARIA ISABEL BUSATO *Baseados Pyndick e slides J. Paranhos AULA 15 7. Custos Componentes básicos dos custos Tipos de custos Economias de Escala e Escopo Bibliografia: PINDYCK, Robert

Leia mais

Custos de Produção. Copyright 2004 South-Western

Custos de Produção. Copyright 2004 South-Western 5 Teoria da Firma Custos de Produção 13 Copyright 2004 South-Western Lei da Oferta: Teoria da Firma As firmas estão dispostas a produzir e vender uma quantidade maior quando o preço do bem aumenta. A curva

Leia mais

CUSTOS DE PRODUÇÃO. Profª Graciela Cristine Oyamada

CUSTOS DE PRODUÇÃO. Profª Graciela Cristine Oyamada CUSTOS DE PRODUÇÃO Profª Graciela Cristine Oyamada Curva de Oferta Teoria da Firma Teoria da Produção (relações entre a quantidade produzida e as quantidades de insumos utilizados) Teoria dos Custos de

Leia mais

Economi m a i de d e em e pr m e pr s e as Teoria da Firma

Economi m a i de d e em e pr m e pr s e as Teoria da Firma Economia de empresas Teoria da Firma Teoria da Firma: Produção e Custos de Produção Alguns conceitos fundamentais da teoria da produção Teoria do Consumidor: parte da teoria econômica que se preocupa em

Leia mais

Vamos desenvolver a teoria de comportamento do produtor ou teoria da firma por um outro caminho, considerando os custos de produção e a receita da

Vamos desenvolver a teoria de comportamento do produtor ou teoria da firma por um outro caminho, considerando os custos de produção e a receita da 3. Teoria da Firma Vamos desenvolver a teoria de comportamento do produtor ou teoria da firma por um outro caminho, considerando os custos de produção e a receita da firma. De maneira muito simplificada,

Leia mais

Universidade Federal de Roraima Departamento de Economia

Universidade Federal de Roraima Departamento de Economia Universidade Federal de Roraima Departamento de Economia Última Atualização: 03/06/01 1) A tabela abaixo demonstra que conforme o número de insumos variáveis aumenta com a produção de um bem, teremos um

Leia mais

Ponto de partida para o estudo da organização industrial. CT determinante das tomadas de decisões das empresas.

Ponto de partida para o estudo da organização industrial. CT determinante das tomadas de decisões das empresas. TEORIA DOS CUSTOS Os custos totais de produção preocupações dos empresários. uma das principais Como medir os custos? Como controlar os custos? Como reduzir os custos? Ponto de partida para o estudo da

Leia mais

Economia Pesqueira I

Economia Pesqueira I Economia Pesqueira I Custos de Produção Prof. Rogério César Conceito de Custos Custo de Oportunidade: O custo de um produto é o valor da melhor alternativa abandonada para se obter aquele produto. Custo

Leia mais

Unidades II ECONOMIA E MERCADO. Profa. Lérida Malagueta

Unidades II ECONOMIA E MERCADO. Profa. Lérida Malagueta Unidades II ECONOMIA E MERCADO Profa. Lérida Malagueta Microeconomia A microeconomia ou teoria dos preços analisa como consumidores e empresas interagem no mercado, e como essa interação determina o preço

Leia mais

Módulo 9 Análises de Curto e Longo Prazo Análise de Curto Prazo

Módulo 9 Análises de Curto e Longo Prazo Análise de Curto Prazo Módulo 9 Análises de Curto e Longo Prazo 9.1. Análise de Curto Prazo Se retomarmos o exemplo da função de produção exposto acima, em que a quantidade produzida é condicionada pelas quantidades de capital

Leia mais

Definir e explicar as variáveis utilizadas para medir custos em economia e a relação presente entre elas, bem como seus usos e importância.

Definir e explicar as variáveis utilizadas para medir custos em economia e a relação presente entre elas, bem como seus usos e importância. CUSTOS DE PRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Definir e explicar as variáveis utilizadas para medir custos em economia e a relação presente entre elas, bem como seus usos e importância. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Caracterizar

Leia mais

FUNDAMENTOS DA TEORIA DOS CUSTOS: RESUMO SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA ECONÔMICA BÁSICA

FUNDAMENTOS DA TEORIA DOS CUSTOS: RESUMO SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA ECONÔMICA BÁSICA FUNDAMENTOS DA TEORIA DOS CUSTOS: RESUMO SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA ECONÔMICA BÁSICA Ulisses Pereira Ribeiro 1 Alderlenne de Oliveira Prata Ribeiro 2 RESUMO O objetivo deste texto é apresentar fundamentos

Leia mais

Microeconomia. Bibliografia. Teoria da Produção. Arilton Teixeira Mankiw, cap 13; Pindyck e Rubinfeld, caps 6 e 7.

Microeconomia. Bibliografia. Teoria da Produção. Arilton Teixeira Mankiw, cap 13; Pindyck e Rubinfeld, caps 6 e 7. Microeconomia Arilton Teixeira arilton@fucape.br 2012 1 Bibliografia Mankiw, cap 13; Pindyck e Rubinfeld, caps 6 e 7. 2 Teoria da Produção As firmas operam no mercado. O objetivo das firmas é maximização

Leia mais

Capítulo 13. Introdução à Economia Mankiw, N.G. Copyright 2001 by Harcourt, Inc.

Capítulo 13. Introdução à Economia Mankiw, N.G. Copyright 2001 by Harcourt, Inc. Custos de Produção Introdução à Economia Mankiw, N.G. Capítulo 13 Copyright 2001 by Harcourt, Inc. All rights reserved. Requests for permission to make copies of any part of the work should be mailed to:

Leia mais

Capítulo 4 Teoria da Produção

Capítulo 4 Teoria da Produção Capítulo 4 Teoria da Produção 1. Produção Econômica i. Produção econômica: é a arte ou técnica de reunir insumos e transformá-los, através da aplicação de uma tecnologia, em um novo produto. O aspecto

Leia mais

ECONOMIA DAS ORGANIZAÇÕES EXERCÍCIOS DE PROVAS ANTERIORES TMST L.

ECONOMIA DAS ORGANIZAÇÕES EXERCÍCIOS DE PROVAS ANTERIORES TMST L. ECONOMIA DAS ORGANIZAÇÕES EXERCÍCIOS DE PROVAS ANTERIORES 1. A função de produção de determinado produto tem a expressão Q = 100L. Sendo o custo do capital $120 por dia e o do trabalho $30 por dia, qual

Leia mais

Capítulo 7. O custo de produção 25/09/2015. O custo de produção. Custos fixos e custos variáveis. Custos econômicos versus custos contábeis

Capítulo 7. O custo de produção 25/09/2015. O custo de produção. Custos fixos e custos variáveis. Custos econômicos versus custos contábeis O custo de produção Quais itens deveriam ser incluídos como parte integrante dos custos de uma empresa? Capítulo 7 O custo de produção slide 1 2014 Pearson. Todos os direitos reservados. Os custos incluem

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Fiscal Economia do Trabalho Demanda e Oferta por Mão de Obra Fábio Lobo

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Fiscal Economia do Trabalho Demanda e Oferta por Mão de Obra Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Fiscal Economia do Trabalho Demanda e Oferta por Mão de Obra Fábio Lobo Demanda e Oferta por Mão de Obra. Prof. Fábio Lobo.

Leia mais

Microeconomia. Maximização de Lucros e Concorrência Perfeita. Prof.: Antonio Carlos Assumpção

Microeconomia. Maximização de Lucros e Concorrência Perfeita. Prof.: Antonio Carlos Assumpção Microeconomia Maximização de Lucros e Concorrência erfeita rof.: Antonio Carlos Assumpção Conteúdos da Seção Maximização de lucros e oferta competitiva As receitas total, média e marginal Lucro econômico

Leia mais

Teoria da Firma. Capítulo VI. Introdução. Introdução. Medição de custos: quais custos considerar?

Teoria da Firma. Capítulo VI. Introdução. Introdução. Medição de custos: quais custos considerar? Introdução Teoria da Firma A tecnologia de produção representa a relação entre os insumos e a produção. Dada a tecnologia de produção, os administradores da empresa devem decidir como produzir. Capítulo

Leia mais

MICROECONOMIA MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO DAS AULAS, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO.

MICROECONOMIA MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO DAS AULAS, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. MICROECONOMIA 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO DAS AULAS, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. PROFESSOR FIGUEIREDO SÃO PAULO 2007 2 TEORIA DA PRODUÇÃO Função de Produção: é a relação que indica

Leia mais

Microeconomia. UNIDADE 5 Aula 5.1

Microeconomia. UNIDADE 5 Aula 5.1 Microeconomia UNIDADE 5 Aula 5.1 Prof - Isnard Martins Rosseti, J, Introdução à Economia, Atlas, 2006 Vasconcelos M.A, Economia Micro e Macro, 4a Edição Douglas Evans.Managerial Economics.Prentice Hall.

Leia mais

MICROECONOMIA MICRO PARA ADM*

MICROECONOMIA MICRO PARA ADM* MICROECONOMIA MICRO PARA ADM* PROF A. MARIA ISABEL BUSATO *Adaptação Pindyck e Slides J.Paranhos AULA 13 6. Tecnologia, Função de produção de curto e longo prazo Tecnologia Função de produção de curto

Leia mais

Módulo 8 Teoria da Produção

Módulo 8 Teoria da Produção Módulo 8 Teoria da Produção Numa economia de mercado, consumidores e empresas representam respectivamente as unidades do setor de consumo e de produção, que se interrelacionam através do sistema de preços

Leia mais

Esalq/USP Curso de Ciências Econômicas les Introdução à Economia Custos de Produção

Esalq/USP Curso de Ciências Econômicas les Introdução à Economia Custos de Produção Esalq/USP Curso de Ciências Econômicas les 101 - Introdução à Economia Custos de Produção Os custos de produção Nos capítulos anteriores, usamos a curva de oferta para sumariar as decisões de produção

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE: TEORIA DO PRODUTOR VIII Teoria da produção (analise em período curto)

EXERCICIOS SOBRE: TEORIA DO PRODUTOR VIII Teoria da produção (analise em período curto) EXERCICIOS SOBRE: TEORIA DO PRODUTOR VIII Teoria da produção (analise em período curto) Exercício Nº 1 Defina e caracterize os seguintes conceitos: a) Função produção É uma relação técnica entre os factores

Leia mais

MICROECONOMIA Resolução

MICROECONOMIA Resolução INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO EXAME ÉPOCA DE RECURSO 27 DE JULHO DE 2009 Duração: 2 horas Nome Nº informático Turma Professor(a) Preencha o cabeçalho e, para cada uma das

Leia mais

UC: Economia da Empresa

UC: Economia da Empresa UC: Economia da Empresa 9ª Sessão Curso: Licenciatura em Gestão de Marketing Docente: Nuno J. Farinha 1 Introdução Hipótese 1: Teoria da empresabaseada na economia da produção Óptica da Oferta Campos de

Leia mais

A Teoria Neoclássica da Firma. Aula de setembro de 2008

A Teoria Neoclássica da Firma. Aula de setembro de 2008 A Teoria Neoclássica da Firma Alfred Marshall Aula 7 29-30 de setembro de 2008 Questões principais abordadas pela Teoria Neoclássica Como se relacionam produtores e consumidores no mercado? Qual o resultado

Leia mais

Fonseca, Alan Sales da. Contabilidade de custos: classificação de custos / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il.

Fonseca, Alan Sales da. Contabilidade de custos: classificação de custos / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il. Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade de custos: classificação de custos / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 23 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo deacesso: World Wide

Leia mais

Microeconomia. 4. Custos da empresa, economias de escala, gama e experiência. Francisco Lima

Microeconomia. 4. Custos da empresa, economias de escala, gama e experiência. Francisco Lima Microeconomia 4 Custos da empresa, economias de escala, gama e experiência Francisco Lima 1º ano 2º semestre 2015/2016 Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Objetivos Distinguir entre custos contabilísticos

Leia mais

Introdução à Economia

Introdução à Economia Introdução à 1.1 Introdução Diariamente, nos deparamos com informações sobre economia nos jornais e noticiários na TV. Com a intensificação das relações econômicas internacionais, determinados fatos e

Leia mais

Estrutura de Mercado e Tomada de Decisão

Estrutura de Mercado e Tomada de Decisão Estrutura de Mercado e Tomada de Decisão Material Teórico Custos Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Bruno Leonardo Silva Tardelli Revisão Textual: Profa. Ms. Luciene Oliveira da Costa Santos Custos

Leia mais

Produção Parte Produção com Dois Insumos Variáveis 4. Rendimentos de Escala

Produção Parte Produção com Dois Insumos Variáveis 4. Rendimentos de Escala Produção Parte 2 3. Produção com Dois Insumos Variáveis 4. Rendimentos de Escala 3. Produção com dois Insumos Variáveis Existe uma relação entre produção e produtividade. No longo prazo, capital e trabalho

Leia mais

Economia dos Custos de Produção

Economia dos Custos de Produção Economia dos Custos de Produção Custo de oportunidade Livro: Pindyck e Rubinfeld, cap 7 (8ed, Pearson Education, 2013) Slides da Pearson modificados por Alexandre Nunes LES/ESALQ/USP Tópicos para discussão

Leia mais

NOME COMPLETO Nº INFORMÁTICO: TURMA: BOM TRABALHO

NOME COMPLETO Nº INFORMÁTICO: TURMA: BOM TRABALHO CURSOS: COMÉRCIO INTERNACIONAL E MARKETING Economia I Exame de época normal: 9 de Fevereiro de 2013 V2 - Tempo de duração da prova: 2 horas. - Explicite todos os cálculos que tiver de efetuar, bem como

Leia mais

preço das matérias primas e dos fatores de

preço das matérias primas e dos fatores de Oferta Individual versus Oferta de Mercado A oferta de determinado bem depende de vários fatores: preço do próprio bem preço das matérias primas e dos fatores de produção tecnologia utilizada Oferta Individual

Leia mais

Profa. Luciana Rosa de Souza

Profa. Luciana Rosa de Souza Profa. Luciana Rosa de Souza o Curto prazo e Longo prazo No estudo da produção, é importante que se diferencie o curto prazo do longo prazo. Curto Prazo: refere-se ao período de tempo no qual um ou mais

Leia mais

5 Funções de produção na agricultura irrigada

5 Funções de produção na agricultura irrigada 5 Funções de produção na agricultura irrigada 5.1 A água e seus efeitos na produção agrícola Os processos fisiológicos envolvidos na produção vegetal tem uma relação muito estreita com a maior ou menor

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS CONTABILIDADE DE CUSTOS Elementos e Classificação de Custos: Com Relação aos Produtos, Com Relação ao Volume de Produção e Com Relação Progresso do Processo de Produção ELEMENTOS Custo Industrial (Custo

Leia mais

2004 / 5 1º semestre Bibliografia: Lipsey & Chrystal cap.8, 9 Samuelson cap. 6,7

2004 / 5 1º semestre Bibliografia: Lipsey & Chrystal cap.8, 9 Samuelson cap. 6,7 Introdução à Microeconomia 6-1 1º ano da licenciatura de Gestão ISEG 2004 / 5 1º semestre Bibliografia: Lipsey & Chrystal cap.8, 9 Samuelson cap. 6,7 6-2 Principais aspectos A função de produção. A produção

Leia mais

Parte III: Construindo a Curva de Oferta. Marta Lemme - IE/UFRJ

Parte III: Construindo a Curva de Oferta. Marta Lemme - IE/UFRJ Parte III: Construindo a Curva de Oferta A Firma na Escola Neoclássica Fatores de Produção Em concorrência perfeita, preço é determinado pelo mercado Bens tangíveis ou intangíveis Objetivo da Firma (Neoclássica):

Leia mais

PRO INTRODUÇÃO A ECONOMIA. Aula 12 Mercados Perfeitamente Competitivos

PRO INTRODUÇÃO A ECONOMIA. Aula 12 Mercados Perfeitamente Competitivos PRO2208 - INTRODUÇÃO A ECONOMIA Aula 12 Mercados Perfeitamente Competitivos Estruturas de Mercado Preço e Quantidade de equilíbrio Oferta e Demanda Resultados diferentes em diferentes mercados Estruturas

Leia mais

FEA-RP/ USP. Análise de Custos. Capítulo 22: Relação Custo/Volume/Lucro. Profa. Luciana C. Siqueira Ambrozini

FEA-RP/ USP. Análise de Custos. Capítulo 22: Relação Custo/Volume/Lucro. Profa. Luciana C. Siqueira Ambrozini FEA-RP/ USP Análise de Custos Capítulo 22: Relação Custo/Volume/Lucro Profa. Luciana C. Siqueira Ambrozini Relação Custo / Volume / Lucro Relembrando... Custos (e despesas) variáveis: São os custos (e

Leia mais

Receita, Custo e Lucro

Receita, Custo e Lucro eceita, Custo e ucro eceita total eceita total ou, simplesmente, eceita é a quantia monetária recebida por uma empresa com a venda de seus produtos. Supondo que a empresa vende apenas um produto e que

Leia mais

Aula IE. Prof. Eziquiel Guerreiro. Teoria da Firma 94

Aula IE. Prof. Eziquiel Guerreiro. Teoria da Firma 94 Aula 15-404065- IE. Prof. Eziuiel Guerreiro. Teoria da Firma 94 5. TEORIA DA FIRMA Introdução A microeconomia convencional se divide em teoria do consumidor, teoria da firma, euilíbrio de mercado, estruturas

Leia mais

Introdução à Microeconomia

Introdução à Microeconomia Introdução à Microeconomia Marcelo Pessoa de Matos Aula 14 PARTE II: PRODUÇÃO BIBLIOGRAFIA DA PARTE II: Krugman & Wells, cap. 7, 8 e 9 Varian, caps. 18,19,21,22,23 BIBLIOGRAFIA DESTA AULA: Krugman & Wells,

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS CIESA 2015 IV BIMESTRE

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS CIESA 2015 IV BIMESTRE PONTO DE EQUILÍBRIO Até parece uma pergunta fácil de responder e, geralmente, vemos os empreendedores considerando apenas os custos diretos envolvidos na elaboração do produto ou prestação do serviço,

Leia mais

Oferta (Cap. 8) 2º SEMESTRE 2011

Oferta (Cap. 8) 2º SEMESTRE 2011 Oferta (Cap. 8) 2º SEMESTRE 2011 Marta Lemme - IE/UFRJ Função de Produção A função de produção é a relação entre a quantidade de insumos que uma firma usa e a quantidade de produto que ela produz. Um insumo

Leia mais

III. PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO EMPRESARIAL

III. PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO EMPRESARIAL III. PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO EMPRESARIAL 1. Teoria da Produção 1.1. Introdução A teoria da produção e a teoria dos custos de produção constituem a chamada teoria da oferta da firma individual. Esses temas

Leia mais

1) Os valores a seguir foram extraídos dos registros contábeis de uma empresa industrial:

1) Os valores a seguir foram extraídos dos registros contábeis de uma empresa industrial: 1) Os valores a seguir foram extraídos dos registros contábeis de uma empresa industrial: 2) Uma indústria apresentou, no mês de fevereiro de 2013, os seguintes custos de produção: 3) Uma sociedade empresária

Leia mais

Unidade II. Para analisar o comportamento da demanda e da oferta, partiremos de alguns pressupostos básicos estabelecidos pela microeconomia.

Unidade II. Para analisar o comportamento da demanda e da oferta, partiremos de alguns pressupostos básicos estabelecidos pela microeconomia. ECONOMIA E MERCADO Unidade II 3 DEMANDA, OFERTA E EQUILÍBRIO DE MERCADO Como vimos no módulo I, a microeconomia ou teoria dos preços analisa como consumidores e empresas interagem no mercado, e como essa

Leia mais

Economia do Trabalho DEMANDA POR TRABALHO. CAP. 4 Borjas

Economia do Trabalho DEMANDA POR TRABALHO. CAP. 4 Borjas Economia do Trabalho DEMANDA POR TRABALHO CAP. 4 Borjas 1. INTRODUÇÃO Mercado de trabalho depende: - Desejo dos trabalhadores de disponibilizarem tempo de trabalho - Desejo das firmas contratarem trabalhadores

Leia mais

EM NEGÓCIOS DOIS CONCEITOS SÃO FUNDAMENTAIS

EM NEGÓCIOS DOIS CONCEITOS SÃO FUNDAMENTAIS CUSTOS E DESPESAS EM NEGÓCIOS DOIS CONCEITOS SÃO FUNDAMENTAIS ECONÔMICO BENS / PATRIMÔNIO RESULTADOS FINANCEIRO DINHEIRO PAGAMENTOS / RECEBIMENTOS LUCROS / PREJUÍZOS TESOURARIA/ CAIXA PROCESSOS DECISÓRIOS

Leia mais

Teleaula 2: Classificando os Gastos. Profª : Msc. Glenda Soprane

Teleaula 2: Classificando os Gastos. Profª : Msc. Glenda Soprane Contabilidade de Custos Teleaula 2: Classificando os Gastos Profª : Msc. Glenda Soprane Objetivos da Teleaula 2 Compreender os fundamentos da Contabilidade de Custos Compreender as nomenclaturas pertencentes

Leia mais

Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Universidade Portucalense Infante D. Henrique Universidade Portucalense Infante D. Henrique DEPARTAMENTO DE ECONOMIA MICROECONOMIA - TEORIA DA PRODUÇÃO - EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO - Maio 2004-1 Exercícios de aplicação dos conceitos relativos à Teoria

Leia mais

Contabilidade de Custos

Contabilidade de Custos Contabilidade de Custos PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI Agenda - Gestão de Custos e Tomada de Decisão - Custo x Volume x Lucro - Ponto de Equilíbrio (Contábil, Financeiro, Econômico) - Grau de Alavancagem

Leia mais

As alterações de preços provocariam o mesmo impacto que sobre os Custos Variáveis, isto é, inclinando para mais ou para menos a curva. Simplificando n

As alterações de preços provocariam o mesmo impacto que sobre os Custos Variáveis, isto é, inclinando para mais ou para menos a curva. Simplificando n ELABORAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE PROJETOS AULA 04: FINANCIAMENTO, PONTO DE EQUILÍBRIO E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS TÓPICO 03: PONTO DE EQUILÍBRIO OPERACIONAL 2.1 INTRODUÇÃO A análise do ponto que

Leia mais

Continuação Aula 11 2

Continuação Aula 11 2 . 1 Continuação Aula 11 2 Conceitos Fundamentais sobre custos Figura Ilustração, ocorrência de despesas 3 CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS Classificação pela facilidade de alocação Os custos podem ser classificados

Leia mais

Os custos podem ser fixos ou variáveis e outras subdivisões: CT = CF + CV CT Custo Total CF Custos Fixos CV Custos Variáveis

Os custos podem ser fixos ou variáveis e outras subdivisões: CT = CF + CV CT Custo Total CF Custos Fixos CV Custos Variáveis FIRMA (OU EMPRESA): É UMA UNIDADE TÉCNICA QUE PRODUZ BENS! Uma vez discutido o funcionamento do mercado, vamos deter-nos um pouco mais na Teoria da Firma (ou Empresa). A Teoria da Firma investiga as variáveis

Leia mais

PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... GASTOS

PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... GASTOS PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS Revisão de conceitos... GASTOS é uma expressão mais genérica, significa aquisição de algo, compra. É o sacrifício financeirodespendido pela empresa na aquisição

Leia mais

Microeconomia. Prof.: Antonio Carlos Assumpção

Microeconomia. Prof.: Antonio Carlos Assumpção Microeconomia Os Custos de Produção Prof.: Antonio Carlos Assumpção Tópicos Discutidos Medição de Custos: Quais custos considerar? Custos no Curto Prazo Custos no Longo Prazo Mudanças Dinâmicas nos Custos:

Leia mais

REPRESENTAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS

REPRESENTAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS REPRESENTAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS 2 REPRESENTAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS Definição de custos Os custos são gastos efetuados pela empresa na formação

Leia mais

Custos Industriais. Introdução. Introdução. Introdução à Contabilidade de Custos

Custos Industriais. Introdução. Introdução. Introdução à Contabilidade de Custos Custos Industriais Introdução à Contabilidade de Custos Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 1 Introdução A apuração adequada, a análise, o controle e o gerenciamento dos custos de produção dos bens e serviços

Leia mais

Unidade I CONTABILIDADE GERENCIAL. Profª Divane Silva

Unidade I CONTABILIDADE GERENCIAL. Profª Divane Silva Unidade I CONTABILIDADE GERENCIAL Profª Divane Silva Objetivos Gerais Desenvolver com os alunos conhecimentos necessários para as seguintes competências: Avaliar os fundamentos teóricos da contabilidade

Leia mais

RECURSOS NATURAIS. Recursos renováveis correspondem à utilização de recursos não esgotáveis. Recursos não renováveis

RECURSOS NATURAIS. Recursos renováveis correspondem à utilização de recursos não esgotáveis. Recursos não renováveis RECURSOS NATURAIS Fator de produção constituído pelos elementos da natureza (exs.: terra, recursos do subsolo, cursos de água, mares) disponíveis em cada sociedade. Recursos renováveis correspondem à utilização

Leia mais

Introdução à. Macroeconomia

Introdução à. Macroeconomia Introdução à Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez IBMEC-RJ / UCP O que é? É o estudo da economia como um todo, pois analisa a economia através de suas variáveis fortemente agregadas. Abrange o comportamento

Leia mais

Unidade II ECONOMIA E MERCADO. Prof. Rodrigo Marchesin

Unidade II ECONOMIA E MERCADO. Prof. Rodrigo Marchesin Unidade II ECONOMIA E MERCADO Prof. Rodrigo Marchesin Introdução Microeconomia: teoria dos preços formação dos preços oferta x demanda Hipótese coeteris paribus Expressão latina, tudo o mais permanece

Leia mais

Custos Industriais. Variações nos volumes de produção e vendas. Introdução. Classificação dos Gastos

Custos Industriais. Variações nos volumes de produção e vendas. Introdução. Classificação dos Gastos Custos Industriais Classificação dos Gastos Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 1 Introdução Separação dos gastos em custos e despesas fundamental para a apuração do custo da produção e do resultado do período;

Leia mais

OBJETIVOS DOS CAPÍTULOS

OBJETIVOS DOS CAPÍTULOS OBJETIVOS DOS CAPÍTULOS Capítulo 1 Nesse capítulo, você notará como muitas situações práticas nas áreas de administração, economia e ciências contábeis podem ser representadas por funções matemáticas.

Leia mais

Curvas de Custos. Varian - Cap. 21

Curvas de Custos. Varian - Cap. 21 Curvas de Custos Varian - Cap. 21 Funções de Custo Total, Fixo e Variável F = custo fixo da firma; diz respeito aos insumos fixos que não variam no curto-prazo e, portanto, não variam com o nível de produto

Leia mais

Microeconomia. 3. Produção: decisões de curto e de longo prazo; desenvolvimento tecnológico. Francisco Lima

Microeconomia. 3. Produção: decisões de curto e de longo prazo; desenvolvimento tecnológico. Francisco Lima Microeconomia 3. Produção: decisões de curto e de longo prazo; desenvolvimento tecnológico Francisco Lima 1º ano 2º semestre 2011/2012 Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Objetivos Que quantidade

Leia mais

Custos Industriais. Introdução à Contabilidade de Custos. Prof. M.Sc. Gustavo Meireles/ Juliana Schmidt Galera

Custos Industriais. Introdução à Contabilidade de Custos. Prof. M.Sc. Gustavo Meireles/ Juliana Schmidt Galera Custos Industriais Introdução à Contabilidade de Custos Prof. M.Sc. Gustavo Meireles/ Juliana Schmidt Galera 1 Introdução Ø A apuração adequada, a análise, o controle e o gerenciamento dos custos de produção

Leia mais

ECONOMIA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1

ECONOMIA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1 1. Constitui um bem de capital: ECONOMIA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1 a) os bens e serviços que se destinam ao atendimento direto das necessidades humanas. b) os bens que aumentam a eficiência do trabalho humano.

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL Aula 9 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino da Disciplina: CONTABILIDADE GERENCIAL UNIDADE 05 Custeio Variável 5.1 Conceito de margem de contribuição 5.2 Custeio variável

Leia mais

Monitoria de Microeconomia II Victória Martinez Terceira Lista de Exercícios

Monitoria de Microeconomia II Victória Martinez Terceira Lista de Exercícios Monitoria de Microeconomia II Victória Martinez Terceira Lista de Exercícios Questões Referentes aos Tópicos do capítulo 22,23 Varian,Hal R. 7 o edição 1. A que preço mínimo uma rma competitiva que tenha

Leia mais

MICROECONOMIA II LGE 108

MICROECONOMIA II LGE 108 LICENCIATURA EM GESTÃO MICROECONOMIA II LGE 108 ÉPOCA DE RECURSO 06/07 1/07/007 Observações: Tempo de duração: h00m. Ao fim de 0 minutos, será recolhida a folha com as respostas ao Grupo I de escolha múltipla.

Leia mais

Economia Pública. Economia Pública

Economia Pública. Economia Pública Economia Pública 1º Semestre 2010/11 Programa Base: Economia Pública 0 Revisões de Microeconomia 0. Revisões de Microeconomia 1. Intervenção do Estado na Economia 1.1 Objectivos 1.2 Bens Públicos 1.3 Externalidades

Leia mais

Fundamentos de Gestão

Fundamentos de Gestão Fundamentos de Gestão Gestão Financeira e Contabilidade LCI FEUP/FLUP 2009/10 Rui Padrão Gestão Financeira Tipos de Organizações: Sem fins lucrativos: associações, serviços públicos, fundações, Com fins

Leia mais

Economia Alimentar. Agentes e Circuito Económico

Economia Alimentar. Agentes e Circuito Económico Economia Alimentar Agentes e Circuito Económico Agentes Económicos numa economia simplificada Famílias Empresas Engloba as famílias enquanto unidades de consumo e de fornecimento de trabalho e capital

Leia mais

Economia dos Recursos Naturais. Agentes e Circuito Económico

Economia dos Recursos Naturais. Agentes e Circuito Económico Economia dos Recursos Naturais Agentes e Circuito Económico Agentes Económicos numa economia simplificada Famílias Empresas Engloba as famílias enquanto unidades de consumo e de fornecimento de trabalho

Leia mais

Auditor Federal de Controle Externo/TCU Prova de Contabilidade de Custos Comentada

Auditor Federal de Controle Externo/TCU Prova de Contabilidade de Custos Comentada Auditor Federal de Controle Externo/TCU - 2015 Prova de Contabilidade de Custos Comentada Pessoal, a seguir comentamos as questões de Contabilidade de Custos aplicada na prova do TCU para Auditor de Controle

Leia mais

RELAÇÃO CUSTO/VOLUME/LUCRO

RELAÇÃO CUSTO/VOLUME/LUCRO 1. CUSTOS / PLANEJAMENTO E DECISÓRIO 1.1 Relação Custo/Volume/Lucro A relação Custo/Volume/Lucro é a relação que o volume de vendas tem com os custos e lucros. 1.1.1 Custos e Despesas Variáveis Os custos

Leia mais

TEORIA DA PRODUÇÃO E DOS CUSTOS

TEORIA DA PRODUÇÃO E DOS CUSTOS TEORIA DA PRODUÇÃO E DOS CUSTOS - Tópicos de correcção de exercícios seleccionados - Exercício 1 1 Examine os rendimentos técnicos à escala das seguintes funções de produção: a) 0,5 0,75 0,4 0,6 1 = L

Leia mais

COMÉRCIO E INVESTIMENTO INTERNACIONAIS PROF. MARTA LEMME 2º SEMESTRE 2011

COMÉRCIO E INVESTIMENTO INTERNACIONAIS PROF. MARTA LEMME 2º SEMESTRE 2011 COMÉRCIO E INVESTIMENTO INTERNACIONAIS PROF. MARTA LEMME 2º SEMESTRE 2011 1 Os países envolvem-se no comércio internacional por dois motivos básicos: Os países diferem quanto aos recursos ou à tecnologia.

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO. 2.1 Custos diretos e custos indiretos

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO. 2.1 Custos diretos e custos indiretos CONTABILIDADE DE CUSTOS Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO 2.1 Custos diretos e custos indiretos Prof.: Marcelo Valverde CUSTOS Em relação a unidade produzida

Leia mais

TP043 Microeconomia 23/11/2009 AULA 21 Bibliografia: PINDYCK capítulo 12 Competição monopolística e oligopólio.

TP043 Microeconomia 23/11/2009 AULA 21 Bibliografia: PINDYCK capítulo 12 Competição monopolística e oligopólio. TP043 Microeconomia 3//009 AULA Bibliografia: PINDYCK capítulo Competição monopolística e oligopólio. Características da competição monopolística:. Muitas empresas. Livre entrada e saída 3. Produtos diferenciados

Leia mais

Também chamada Teoria de Preços, estuda o comportamento dos consumidores, produtores e o mercado onde estes interagem.

Também chamada Teoria de Preços, estuda o comportamento dos consumidores, produtores e o mercado onde estes interagem. Microeconomia Também chamada Teoria de Preços, estuda o comportamento dos consumidores, produtores e o mercado onde estes interagem. A macroeconomia, por sua vez, estuda os fenômenos da economia em geral,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS V TEORIA DA FIRMA, PRODUÇÃO E OS CUSTOS DE PRODUÇÃO

LISTA DE EXERCÍCIOS V TEORIA DA FIRMA, PRODUÇÃO E OS CUSTOS DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DEPARTAMENTO DE ECONOMIA DISCIPLINA: ANÁLISE MICROECONÔMICA I PROF. RAFAEL TIECHER CUSINATO LISTA DE EXERCÍCIOS V TEORIA DA FIRMA,

Leia mais

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi.

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi. 1 2 O objetivo deste capítulo é ensinar a calcular o custo de um produto por meio do sistema de custeio variável, identificando a margem de contribuição, o ponto de equilíbrio e a margem de segurança para

Leia mais

Microeconomia II. Estratégias de Preço. Varian Cap: 25 Carlton Cap: 9 & 10

Microeconomia II. Estratégias de Preço. Varian Cap: 25 Carlton Cap: 9 & 10 Microeconomia II Estratégias de Preço Varian Cap: 25 Carlton Cap: 9 & 10 1. Discriminação de Preços Firmas em mercados competitivos são tomadoras de preço Firmas em mercados não competitivos podem discriminar

Leia mais

Economia e Sociologia. Agentes e Circuito Económico

Economia e Sociologia. Agentes e Circuito Económico Economia e Sociologia Agentes e Circuito Económico Agentes Económicos numa economia simplificada Famílias Empresas Engloba as famílias enquanto unidades de consumo e de fornecimento de trabalho e capital

Leia mais